Você está na página 1de 1

CermIca portuguesa Ieva Europa a cobrar taxas ChIna

A IndstrIa cermIca portuguesa apresentou uma queIxa ComIsso EuropeIa contra a


ChIna por prtIca de . Por causa dIsso, as Importaes chInesas vo ser taxadas.

verdadeIramente uma hIstorIa de 0avId contra ColIas, mas desta feIta pode dar a
vItorIa aos maIs pequenos, ou seja, a Portugal, que obrIgar o gIgante chIns a pagar
taxas aduaneIras mdIas de J9 aos produtos cermIcos chIneses que entrem na
UnIo EuropeIa.
D caso comeou quando a IndustrIa cermIca portuguesa apresentou uma queIxa na
ComIsso EuropeIa contra a ChIna, por colocar venda na Europa produtos cermIcos
muIto abaIxo do seu custo de produo o desIgnado de preos.
A ComIsso EuropeIa avalIou o teor desta queIxa um processo que acabou por ser
subscrIto por outros produtores cermIcos europeus , e consIderou que o assunto
tInha uma base solIda para ser aprecIado.
AssIm foI. As InstncIas europeIas deram razo queIxa contra a ChIna. Agora, o
vIcepresIdente da AssocIao Portuguesa da ndustrIa de CermIca (APCEF), |arcelo
Sousa, aguarda que as taxas de Importao propostas para as cermIcas chInesas que
entrem na UnIo EuropeIa entre 15,9 e 59,J sejam aceItes pelo ComIt AntI
0umpIng da UnIo EuropeIa, que debater o assunto na proxIma terafeIra.
As taxas aduaneIras comearo a ser aplIcadas aos produtos chIneses a partIr de 16
de Novembro.
Se forem aceItes as taxas aduaneIras propostas pela ComIsso EuropeIa, os produtos
chIneses deIxaro de fazer tanta concorrncIa cermIca portuguesa, o que
permItIr que os produtores portugueses do sector possam receber novas
encomendas de produo e evItar que haja uma deslocalIzao da produo para as
empresas chInesas, refere |arcelo Sousa.
Portugal o maIor produtor europeu do sector da cermIca, mas a ChIna o segundo
maIor parceIro comercIal da UnIo EuropeIa (depoIs dos EUA). As trocas comercIaIs
entre a UE e a ChIna devero atIngIr em 2012 o recorde de 500 mIlhes de euros,
segundo estImatIvas europeIas.