A

2

ABDOMINAL DISTENTION

DISTENSÃO ABDOMINAL Distensão, ato de distender ou esticar o abdômen.

ABSORPTION

ABSORÇÃO 1.A captação de substâncias, para dentro ou através de tecidos, ex. pele, intestino e túbulos renais 2. Em radiologia a captação de energia pela matéria com a qual a radiação interage.

ACH – PRODUCING ADENOMA

ADENOMA BASÓFICO Tumor hipofisário composto de corticotrofos densamente granulados e basófilos que se coram positivamente pelo PAS; dá origem à doença de Cushing da síndrome de Nelson.

ADENOCARCINOMA

ADENOCARCINOMA Carcinoma derivado de tecido glandular ou no qual as células tumorais formam estruturas glandulares reconhecíveis; os adenocarcinomas podem ser classificados de acordo com o padrão predominante de disposição celular, como papilares, alveolares, etc., ou de acordo com um produto particular das células, como adenocarcinoma mucinoso.

ADENOMA

ADENOMA Neoplasia habitualmente benigna de tecido epitelial em que as células tomorais formam estruturas glandulares ou glanduliformes no estoma; em geral bem circunscrita, tendendo mais a comprimir do que infiltrar ou invadir o tecido adjacente.

ADENOMATOSIS

3 Condição caracterizada por proliferações

glandulares múltiplas. ADENOCORTICAL ADENOMA ADENOMA ADENOCORTICAL Tumor benigno das células corticais da suprarenal; pequenos nódulos não-encapsulados do córtex da supra-renal, constituindo mais provavelmente áreas localizadas de hiperplasia do que de adenomas, os verdadeiros adenomas são raros e podem apresentar-se de forma assintomática ou associados à síndrome de Cushing ou ao aldosteronismo AIR EMBOLISM EMBOLIA AÉREA Presença de bolhas de um gás no sistema vascular, ocorrência relacionada com a entrada de ar na circulação venosa após reumatismo ou cirurgia. AMERICAN COLLEGE OF RADIOLOGY (ACR) COLÉGIO AMERICANO DE RADIOLOGIA É a principal organização de radiologistas, radioncologistas e físicos-médicos dos Estados Unidos. O ACR é uma sociedade profissional, sem fins lucrativos, cujas propostas primárias são: promover avanços à ciência da Radiologia, aperfeiçoar a prestação de cuidados ao paciente, estudar os aspectos sócio-econômicos da prática da Radiologia e incentivar a educação contínua aos radiologistas, radioncologistas, físicosmédicos e práticos da área.

ANGIOCARDIOGRAPHY

ANGIOCARDIOGRAFIA Radiografia do coração e grandes vasos após introdução de material de contraste em um vaso

ANGIOPLASTY ANGIOPLASTIA Reconstrução de um vaso sangüíneo. incluindo frações de ejeção ventriculares. ANGIOGRAPHY ANGIOGRAFIA A visualização radiográfica dos vasos sangüíneos em seguida à introdução de material de contraste. volume-contração. usada como auxílio diagnóstico em condições tais como ataques vasculares cerebrais (derrames) e infartos do miocárdio. volume diastólico final. . As imagens obtidas auxiliam na determinação de vários parâmetros de função ventricular. débito cardíaco. e volume sistólico final bem como para testar efeitos do exercício. ANGIOGRAPHIC ANGIOGRÁFICO Relativo a ou utilizando angiografia. taxas de ejeção. ANGIOGRAM ANGIOGRAMA Radiografia obtida na angiografia. ANTEGRADE CYSTOGRAPHY ANTEGRADE UROGRAPHY Exame radiológico das vias urinárias utilizando injeção percutânea de um agente de contraste com uma agulha ou cateter nos cálices ou pelve renal. ANGIOGENESIS ANGIOGÊNESE Desenvolvimento de vasos sangüíneos.4 sangüíneo ou em uma das câmaras cardíacas.

onde se divide nas duas artérias ilíacas comuns. ARTERIOGRAM ARTERIOGRAMA Uma radiografia de uma artéria após injeção de um meio radiopaco. ARTHROGRAPH ARTROGRAMA Um registro radiográfico após a introdução de material de contraste opaco dentro de uma articulação. dentro dela de ar oxigênio ou dióxido de carbono. Chamada também artéria aorta e artéria máxima Galeni. passa para baixo através do tórax e através do abdômen até cerca do nível da Quarta vértebra lombar. APPROACH VIA DE ACESSO A dissecção anatômica específica pela qual um órgão ou parte é exposta em cirurgia. Ela se origina do ventrículo esquerdo do coração. ARTROGRAFIA Radiografia de uma articulação após a injeção de material de contraste opaco.5 AORTA AORTA O tronco principal a partir do qual prossegue o sistema arterial sistêmico. ARTHROSCINTIGRAM ARTROCINTIGRAMA . passa para cima. ARTHROGRAPHY ARTHROPNEUMORADIOGRAPHY ARTROPNEUMORRADIOGRAFIA Radiografia de uma articulação após a injeção. curva-se. ARTHORSCINTIGRAPHY ARTROCINTIGRAFIA Cintigrafia de uma articulção.

6 Uma imagem de cintilografia de uma articulação. AZYGOGRAPHY AZIGOGRAFIA Radiografia do sistema venoso ázigos após injeção de um meio de contraste. ARYTENOID ARITENÓIDE Indica uma cartilagem e músculos da laringe. especialmente depois da introdução proposital de material radioativo. AUTORADIOGRAPH AUTO-RADIOGRAFIA Uma radiografia de um objeto ou tecido. registrando a radiação emitida pelo material radioativo dentro dele. AXIAL ILLUMINATION ILUMINAÇÃO AXIAL Iluminação central. a transmissão ou reflexão de luz na direção do eixo de um sistema óptico. AZYGOGRAM AZIGOGRAMA Demonstração radiológica do sistema venoso ázigos após injeção de meio de contraste. ARTIFICIAL RADIOACTIVITY RADIOATIVIDADE ARTIFICIAL Radioatividade produzida bombardeando-se um elemento com partículas de alta velocidade. AZYGOS ÁZIGOS Estrutura anatômica ímpar (ázigo). como a radioatividade dos nuclídeos sintéticos. .

7 B .

devalente.36. Processo de remoção de tecidos de pacientes vivos para exame diagnósticos. Amostra obtida por biópsia. 2. peso at. O Bário é uma substância que tem opacidade diferente da camada fina em radiografias ou tomografias computadorizadas. símbolo Ba. alcalino.8 BARIUM Elemento metálico. terroso. É utilizado para tornar opaco partes do trajeto digestivo. 137. numero at. 56. BIOROENTGENOGRAPHY BIORRADIOGRAFIA . BIOPSY BIOPSIA 1.

aplicação de rádio no colo uterino. ou maligno mas lentamente progressivo. BRONQUIAL ADENOMA ADENOMA BRÔNQUICO Tumor epitelial polipóide benigno de crescimento lento.9 Radiografia de indivíduos em movimento. BRACHYTERAPY BRAQUITERAPIA Radioterapia em que a fonte de irradiação é colocada próxima a superfície corporal ou dentro de uma cavidade corporal. Por exemplo. da mucosa brônquica. talvez de glândulas mucosas ou seus canais. originando-se profundamente no epitélio superficial. C . são reconhecidos dois tipos histológicos: carcinóide e cilindromatoso.

Processo em que o tecido ou material não celular no corpo se torna endurecido em conseqüência de precipitados ou grandes depósitos de sais insolúveis de cálcio ( e também de magnésio). especialmente carbonato e fosfato de cálcio (hidroxiapatita) normalmente ocorrendo apenas na formação de osso e dentes. CARDIAC HISTIOCYTE HISTIÓCITO CARDÍACO Uma grande célula mononuclear encontrada em . CANCER CÂNCER Uma doença maligna cujo curso natural é fatal.10 CALCIFICATION CALCIFICAÇÃO Infiltração calcária. mas no uso normal muitas vezes é usado como sinônimo de carcinoma. Câncer inclui as duas categorias amplas de carcinoma e sarcoma.

CATHODE RAY OSCILLOSCOP OSCILOSCÓPIO DE RAIOS CATÓDICOS A forma comum de osciloscópio. a fim de drenar a urina nela retida. na reserva sangüínea cardíaca ou delineia o fluxo sangüíneo. Instrumento tubular que permite a passagem de líquido de/ou para uma cavidade orgânica. CEPHALOMETRIC ROENTGENOGRAM ROENTGENOGRAMA CEFALOMÉTRICO Imagem radiográfica da mandíbula e do crânio. permitindo sua medida. enquanto alguma outra função (x ou tempo) deflete o feixe horizontalmente. especialmente no corpúsculo de Aschoff.11 tecido conjuntivo da parede cardíaca em condições inflamatórias. 2. tipicamente. SONDA 1. CEREBRAL ANGIOGRAPHY ANGIOGRAFIA CEREBRAL . dentro do miocárdio normal ou anormal. em que um sinal elétrico variável (y) deflete verticalmente um feixe de elétrons que incide sobre uma tela fluorescente. Especialmente um cateter desenhado para passar através da uretra para a bexiga. A reprodução de imagens subseqüentes é realizada com uma câmara gama. CATHETER CATETER. o resultado é um gráfico visual de y representado contra x ou tempo com distorção negligenciável por inércia. o qual se localiza. O núcleo ovóide contém uma massa cromatínica central que aparece como uma barra ondulada em corte longitudinal CARDIAC SCINTILOGRAPHY CINTILOGRAFIA CARDÍACA Implica na administração intravenosa de um radiofármaco.

CINEANGIOCARDIOGRAPHY CINEANGIOCARDIOGRAFIA Filme de passagem de um meio de contraste . CHEST RADIOGRAPHY RADIOGRAFIA DE TÓRAX É um procedimento útil e comprovado para a avaliação das principais via áreas. A prática mais comum e aceita consiste nas posições lateral-esquerda e póstero-anterior. tem fornecido diagnóstico angiográfico mais complexo. radiográficas de alta-resolução e de subtração digital. com um detector adequado. radiografadas com o paciente em pé. pulmões. além de configurações angiográficas de ângulos múltiplos. CHOLECYSTOGRAPHY COLECISTOGRAFIA Visualização da vesícula biliar pelos raios X depois da administração de uma substância radiopaca. como a tetraiodofenolftaleína sódica. O objetivo deste exame radiográfico é estabelecer a ausência ou presença e a natureza de doenças que envolvam o tórax.12 É um método altamente sofisticado de avaliação arterial. ou um raiofármaco como o tecnécio-99m. novos agentes de contraste e avanços tecnológicos como os sistemas de reprodução de imagens fluoroscópicas. mediastino. CHOLANGIOPANCREATOGRAPHY COLANGIOPANCREATOGRAFIA Exame radiológico dos ductos biliares e do pâncreas. pleura e parede peitoral. coração. anatomia venosa e patologia vascular. mas também mais seguros aos pacientes. A projeção aperfeiçoada do fio guia e do cateter.

COLONOSCOPE COLONOSCÓPIO Endoscópio alongado. COLONOSCOPY COLONOSCOPIA Exame visual da superfície do cólon por meio de um colonoscópio. o conjunto de . CINEUROGRAPHY CINEUROGRAFIA Urografia em movimento. COLLIMATION COLIMAÇÃO Em raios X o processo para restringir e limitar o feixe de raios X para uma área determinada e.13 através das câmaras cardíacas e dos grandes vasos. CINEANGIOGRAPHY CINEANGIOGRAFIA Filme da passagem de um meio de contraste através dos grandes vasos. em medicina nuclear. em geral de fibras óptica. COMPUTED TOMOGRAPHY (CT) Tomografia axial computadorizada. CINESEISMOGRAPHY CINESSISMOGRAFIA Técnica para medir os movimentos do corpo por registro fotográfico contínuo de sacudidelas ou vibrações. COLONIC PERFORATION PERFURAÇÃO COLÔNICA Relativa ao cólon. para restringir a detecção de irradiações emitidas em uma determinada área de interesse. CLOLEDOCHOGRAPHY COLEDOCOGRAFIA Exame radiográfico do canal biliar depois da administração de uma substância radiopaca.

apresentado como uma imagem gerada por uma síntese computadorizada pela transmissão de dados pelos raios X obtidos em várias direções diferentes através do plano específico.14 informação anatômica de um plano transversal ao corpo. a diferença em densidade óptica em uma radiografia que resulta de uma diferença em do radiotransparência paciente. CORONARY ANGIOGRAPHY ANGIOGRAFIA CORONARIANA Visualização radiográfica das artérias coronárias após a introdução de material de contraste. 2. CONTACT ILLUMINATION ILUMINAÇÃO DE CONTATO Iluminação do olho por meio de um instrumento em contato com a córnea ou conjuntiva bulbar. ou penetrabilidade Substância radiopaca empregada em radiologia. CONTRAST CONTRASTE 1. os impulsos eletrônicos são registrados em um disco magnético e a seguir são processados por um minicomputador para exibição por reconstrução do corpo em um tubo de raios catódicos. COTTON-FIBER EMBOLISM EMBOLIA POR FIBRA DE ALGODÃO Embolia por fibras de algodão da gaze esterelizada empregada na medicação intravenosa ou . COMPUTERIZED AXIAL TOMOGRAPHY TOMOGRAFIA AXIAL (CAT) COMPUTADORIZADA Aquela na qual o feixe de raios-x emergente é medido por um contador de cintilações. Em radiologia.O grau ao qual as áreas claras e escuras de uma imagem diferem em brilho ou em densidade óptica.

CROSS-SECTIONAL ECHOCARDIOGRAPHY ECO-CARDIOGRAFIA TRANSVERSAL Eco-cardiografia bidimensional. Obstrução por uma embolia diminuta que passa através dos capilares pulmonares do sistema venoso para o arterial. CROSSED EMBOLISM EMBOLIA CRUZADA 1. CRITICAL ILLUMINATION ILUMINAÇÃO CRÍTICA A focalização exata da fonte luminosa diretamente sobre o objeto a ser examinado. líquido ou material semi-sólido. CRICOID CARTILAGE CARTILAGEM CRICÓIDE Cartilagem em forma de aníl.Obstrução de uma artéria sistêmica por um êmbolo que se origina no sistema venoso que passa através de um defeito septal ou forame oval permeável para o sistema arterial. Para a realização deste. pode formar-se como granulomas em corpo estranho nas pequenas artérias pulmonares. 2. CYSTOGRAPHY CISTOGRAFIA Radiografia da bexiga após injeção de uma substância opaca. Um saco anormal contendo gás. CYST CISTO 1. CYSTOURETHROGRAPHY CISTOURETROGRAFIA É o exame radiológico e fluoroscópico realizado para estudar o trato urinário baixo. exige-se a cateterização da EM CORTE .15 transfusão.Uma bexiga 2. com um revestimento membranoso.

a instalação de contraste iodado. digital ou video) dos .16 bexiga. a observação dados obtidos. fluoroscópica das estruturas opacificadas e registro (filme.

17 D DACRYOSCINTIGRAPHY .

DARK-FIELD ILLUMINATION ILUMINAÇÃO EM CAMPO ESCURO Método em que se usa um escudo negro circular para bloquear a maior parte dos raios luminosos dirigidos verticalmente (i. fracamente iluminado com luz vermelha. DENSITOMETRY DENSITOMETRIA Método que utiliza em densitômetro. Em radiologia. DARKROOM CÂMARA ESCURA É um recinto vedado à luz exterior. dessa forma. DECIDUAL ENDOMETRITIS Inflamação da mucosa decidual do útero grávido.18 DACRIOCINTILOGRAFIA Prova para determinar a permeabilidade do sistema lacrimal pela instilação de um isótopo radioativo. em ângulo adequado. o campo está escuro). DENSITY DENSIDADE A quantidade de eletricidade em uma superfície determinada ou em um tempo determinado por unidade de volume.. o objeto é bem iluminado em fundo negro contrastante. e utiliza-se uma superfície espelhada redonda. no saco conjuntival e registrando a distribuição com uma câmara gama.e. e no qual se realiza o processo de revelação fotográfica dos filmes radiológicos. verde ou ambarina. refletindo assim a luz verticalmente através da objetiva e ao longo do eixo óptico. para dirigir os raios periféricos horizontalmente contra o objeto. uma região de transmissão ou reflectância luminosa diminuída. . em geral tecnécio-99.

empregando freqüências que variam de 1. DETECTOR DETECTOR O componente de um instrumento usado em laboratório que detecta o sinal químico ou físico que indica a presença do analisado. distúrbios ou métodos específicos). dérmico.6 a cerca de 10 MHz.19 DENTAL RADIOLOGY RADIOLOGIA DENTÁRIA O ramo da radiologia que lida principalmente com estruturas orofaciais. semelhante a pele 2 – Dérmico. com base na premissa de que o tratamento de diagnósticos clínicos semelhantes geraria custos semelhantes. Relativo à pele. DERMATOID DERMATÓIDE 1 – Ver dermoid. DIAGNOSTIC ULTRASOUND DIAGNÓSTICO Uso do ultra-som para obter imagens com fins de diagnóstico médico. Relativo à derme 2. com o objetivo de determinar o reembolso de custos hospitalares. cutâneo. DIAGNOSIS ( related group DRG) GRUPO DE DIAGNÓSTICOS RELACIONADOS (GDR) Uma classificação de pacientes pelo diagnóstico ou por métodos cirúrgicos (às vezes incluindo a idade) em categorias diagnósticas principais (cada qual abrangendo doenças. DERMOID Ver dermatoid. . DERMAL DÉRMICO 1.

vasculares É um diagnósticas procedimento invasivo com pequeno. na câmara fotográfica ou em outro instrumento óptico. mas definido risco de complicações. dando assim uma iluminação mais direta 2. dispositivo formado por tiros de chumbo para evitar que a irradiação disseminada alcance o filme de raios-X. que reflete os raios para cima no sistema óptico. seguro e preciso de avaliar doenças vasculares. a fim de interceptar os raios marginais de luz. DIAPHRAGM DIAFRAGMA Um disco delgado e perfurado com uma abertura. as imagens feitas antes e depois da injeção intravenosa permitem a subtração (separação e remoção) de imagens não delineadas pelo meio de contraste. usado no microscópio. DIRECT ILLUMINATION ILUMINAÇÃO DIRETA Ereta ou vertical. DIGITAL SUBTRACTION ANGIOGRAPHY ANGIOGRAFIA DIGITAL POR SUBTRAÇÃO Angiografia radiográfica ajudada por computador. Nas radiografias. quase perpendicularmente à superfície superior do objeto.20 DIAGNOSTIC ARTERIOGRAPHY ARTERIOGRAFIA DIAGNÓSTICA É um método estabelecido. É considerada como um protótipo radiográfico pelo qual a precisão de outras modalidades devem de ser imagens julgadas. uma iluminação em que os raios de luz são dirigidos para baixo. . permitindo a visualização do sistema cardiovascular sem superposição óssea e de tecido mole.

DOPPLER ECHOCARDIOGRAPHY ECO-CARDIOGRAFIA DOPPLER Uso de técnicas ultra-sonográficas de Doppler para aumentar velocidades o eco bidimensional. . DOSIMETRIST DOSIMETRISTA Um especialista que planeja um padrão técnico ideal de dosagem para o tratamento com radiação ou estabelece um padrão de soma de isodoses para o tratamento com radiação por meio de curvas de isodoses ou outros dados fornecidos por um físico de radiação. produzidas por alvos móveis (geralmente hemácias) na corrente sangüínea ao longo do eixo do ultra-som. por exemplo. DOPPLER ULTRASONOGRAPHY ULTRASONOGRAFIA DOPPLER Que aplica o efeito DOPPLER. para determinar tanto a direção quanto a velocidade do fluxo sangüíneo. na mama ou no pâncreas. chamada também discectomy. dentro permitindo da imagem registradas ecocardiografada. diretamente proporcionais à velocidade de movimento dos alvos. DUCTAL CARCINOMA DUCTAL Carcinoma derivado do epitélio de ductos.21 DISKECTOMY DISCECTOMIA Excisão de um disco intervertebral. DOBUTAMINE DOBUTAMINA Uma catecolamina sintética usada como adrenérgico com ações cardiotônicas. com reflexões do ultra-som desviadas pela freqüência.

22 E .

ECHO ECO Repetição de um som como resultado da reverbação das ondas sonoras. de rádio e radar. arredondada ou irregular. na pele ou em uma membrana mucosa. Algumas vezes usado para designar repetição de movimento. . formando uma área azul ou púrpura não elevada. A repetição de movimentos que são visualizados em uma ultra-sonografia. maior que uma petéquia. também a reflexão de ondas ultra-sônicas.23 ECCHYMOSIS EQUIMOSE Uma pequena mancha hemorrágica.

ex. das ondas refletidas de volta através dos tecidos . o uso de ultra-som como recurso diagnóstico. como em um osciloscópio.. a . ECHOGRAM ECOGRAMA Apresentação ultra-sonora de técnicas de reflexão adequadas para qualquer campo de aplicação. ecocardiograma. ECHOGRAPHY ECOGRAFIA Ultra-sonografia. Ondas de ultra-sons são dirigidas aos tecidos e um registro é feito. p. e assim diferencia entre estruturas sólidas e císticas. mas aplicada especialmente ao coração. ECHOSCOPE ECOSCÓPIO Instrumento para apresentar ecos por meio de impulsos ultra-sonográficos em um osciloscópio. ECHOGENIC ECOGÊNICO Em ultra-sonografia aquilo que dá origem a reflexões (ecos) de ondas ultra-sônicas.24 ECHOCARDIOGRAM Registro ultra-sonográfico obtido pela ecocardiografia. o qual indica interfaces de diferentes densidades acústicas. ECHOENCEPHALOGRAPHY Uso de ultra-som refletido no diagnóstico de processos intra-cranianos. ECHOPHONOCARDIOGRAPHY ECOFONOCARDIOGRAFIA O uso combinado de ecocardiografia e fonocardiografia.

ELECTROCORTIGRAM ELETROCORTICOGRAMA O registro obtido por eletrocorticografia. O eletrocardiograma normal é uma representação escalar que mostra deflexões resultantes da atividade arterial e ventricular sob forma de alterações na magnitude da voltagem na polaridade (positiva e negativa) como tempo. ELECTRENCEPHALOGRAM ELETROENCEFALOGRAMA Um registro dos potenciais no crânio gerados por correntes emanados espontaneamente das células nervosas no cérebro. EFFUSION EFUSÃO 1.25 fim de demonstrar estruturas localizadas profundamente dentro do organismo. as quais se correlacionam bem com diferentes condições neurológicas e assim são usadas como critérios diagnósticos. A freqüência dominante destes potenciais é cerca de 8 a 10 ciclos por segundo e a amplitude cerca de 10 a 100 microvolts. As flutuações no potencial são vistas sob a forma de ondas. O escapamento de líquido dos vasos sangüíneos ou linfáticos para dentro dos tecidos ou de uma cavidade. ELECTROCOCHLEOGRAM ELETROCOCLEOGRÁFICO O registro obtido por eletrococleografia. ELECTROGASTROGRAM ELETROGASTROGRAMA . ELECTROCARDIOGRAM ELETROCARDIOGRAMA Um traçado gráfico das variações em potencial elétrico causadas pela excitação do músculo cardíaco e detectadas na superfície do corpo.

ELECTROPHOTOTHERAPY ELETROFOTOTERAPIA Fototerapia em que a fonte dos raios é a luz elétrica. das correntes de ação retiniana produzidas na retina por um estímulo luminoso EMBOLISM EMBOLISMO. ELECTRON RADIOGRAPHY Processo de imageamento radiográfico no qual a radiação X incidente é convertida em uma imagem de carga latente subseqüentemente desenvolvida por um processo de impressão especial. . ELETRORETINOGRAM ELETRORRETINOGRAMA Registro adequado. EMBOLIA Obstrução ou oclusão de um vaso por um êmbolo. EMBOLIZATION EMBOLIZAÇÃO Introdução terapêutica de diversas substâncias na circulação.26 O registro gráfico obtido por eletrogastrografia. ELETRORADIOLOGY ELETRORRADIOLOGIA O uso de eletricidade e raios X no tratamento. seja para interromper ou evitar uma hemorragia ou para desvitalizar uma estrutura ou órgão ocluindo sua nutrição sangüínea. EMBRYONAL ADENOMA ADENOMA EMBRIONÁRIO Neoplasia benigna em que elementos epiteliais glandulares não são completamente diferenciados assemelhando-se a tecido imaturo observado no desenvolvimento embrionário. a fim de ocluir vasos.

ENTEROCELE ENTEROCELE 1-Uma protusão herniária através de um defeito da bolsa retrovaginal ou vesicovaginal 2-uma hérnia intestinal. É também um procedimento profícuo e comprovado parar a avaliação do intestino delgado. ENTEROCLYSIS EXAMINATION EXAME DE ENTERÓCLISE É um exame radiológico do intestino delgado pela infusão de bário por meio de um cateter entérico. um cisto da parede intestinal. ENDOMETRITE Inflamação do endométrio. Um colesteatoma ou .27 ENDOMETRIOMA ENDOMETRIOMA Massa circunscrita de tecido endométrico ectópico na endometriose. por meio de estudos de qualidade otimizada. Seu objetivo é estabelecer a ausência ou presença de doença e a natureza da mesma. com quantidade mínima necessária de radiação. EPIDERMOID EPIDERMÓIDE Semelhante a epiderme 2. ENTEROCYST ENTEROCISTO Enterocistoma. EPICONDYLITIS EPICONDILITE Inflamação do epicôndilo ou dos tecidos adjacentes ao epicôndilo do úmero. ENDOMETRIOSIS ENDOMETRIOSE Ocorrência ectópica de tecido endométrico formando freqüentemente cistos que contêm ENDOMETRITIS sangue alterado.

RADIONUCLÍDICA . pela ocorrência de formas de ondas eletrocardiográficas específicas. EUTHYSCOPE EUTISCÓPIO É um oftalmoscópio modificado em que o local de fixação excêntrica pode ficar ofuscado por uma luz brilhante.28 outro tumor cístico que se origina de células epidérmicas aberrantes. EUTHYSCOPY EUTISCOPIA Exame com o eutiscópio. usado em pleóptica. EQUILIBRIUM RADIONUCLIDE ANGIOCARDIOGRAPHY ANGIOCARDIOGRAFIA EM EQUILÍBRIO Uma forma de angiocardiografia com radionuclídeo na qual são obtidas imagens em fases específicas do ciclo cardíaco. e os dados podem ser usados para determinar a atividade média durante fases específicas do ciclo cardíaco ou podem ser acumulados e exibidos em seqüência rápida como em um filme cinematográfico. Tem o objetivo de estabelecer a ausência ou a presença de doença. ao longo de uma série de centenas de ciclos. enquanto a fóvea verdadeira é simultaneamente coberta por um disco opaco. A cronologia do registro de imagens é estabelecida. e a natureza e extensão da mesma. ou compartimentada. ESOPHAGRAMS ESOFAGOGRAFIA É o exame do esôfago realizado pela técnica de simples ou duplo contraste. por meio de estudos de qualidade otimizada com quantidade mínima de radiação. são procedimentos profícuos e comprovados para avaliação do esôfago.

antes e depois da administração da substância contrastante intravascular. o sistema coletor. os ureteres e a bexiga urinária.29 EXCRETORY UROGRAPHY UROGRAFIA EXCRETORA Consiste em representação de imagens diagnósticas dos rins e do trato urinário. são feitas radiografias para avaliar o parênquima renal. Uma ou mais radiografias abdominais são obtidas antes da aplicação intravascular do contraste. podem detectadas. . A combinação da morfologia anatômica e o percurso fisiológico da substância contrastante Ocasionalmente. Logo após a injeção do contraste. denominações podem ser dadas a este tipo de exame. como: urografia intravenosa e pielografia intravenosa. adjacentes intravascular anormalidades ser pode de revelar estruturas Outras anormalidades dos rins e do trato urinário.

30 F .

ANGIOGRAFIA FLUORESCEINA Visualização fotográfica de passagem de FLUORESCEIN ANGIOGRAPHY . que é encontrado freqüentemente no útero. carcinoma medular da tireóide e tumores neurais. feocromocitoma. síndrome de Werner. síndrome poliglandular endócrina. FAMILIAL ENDOCRINE ADENOMATOSE TYPE 2 ADENOMATOSE TIPO 2 Neoplasia endócrina múltipla. FIRST PASS RADIONUCLIDE ANGIOCARDIOGRAPHY ANGIOCARDIOGRAFIA RADIONUCLÍDICA ENDOCRINA FAMILIAR ENDÓCRINA FAMILIAR DE PRIMEIRA PASSAGEM Uma forma de angiocardiografia na qual uma seqüência rápida de imagens é obtida imediatamente após a administração de um bolo de radionuclídeo. FIBROID TUMOR TUMOR FIBRÓIDE Um tumor benigno contendo tecido fibroso. herança dominante. síndrome de Sipple. também chamado de fibroma ou mioma. FETOGRAPHY FETOGRAFIA Radiografia do feto em útero. endocrinoma múltiplo ou endocrinopatia. registrando-se apenas o trânsito inicial do isótopo através da circulação central. que podem estar associados à síndrome de ZollingerEllison. herança autonômica dominante. comumente as ilhotas pancreáticas das glândulas paratireóides.31 ADENOMATOSE FAMILIAL ENDOCRINE ADENOMATOSE TYPE 1 TIPO 1 Neoplasia endócrina múltipla. tipo 1. usando um meio solúvel no óleo. adenomatose pluriglandular. tipo 2.

32 fluoresceina através dos vasos intra-oculares depois da injeção intravenosa. . utilizando-se o fluoroscópio. FLUOROMETRY Um método analítico para determinar compostos fluorescentes. FLUOROSCOPE FLUOROSCÓPIO Um aparelho usado para examinar estruturas profundas por meio de raios X. de tal forma que ele fica brilhantemente iluminado enquanto a área vizinha se encontra na sombra. FOCAL ILLUMINATION ILUMINAÇÃO FOCAL Iluminação em que um feixe de luz é dirigido diagonalmente para um objeto. FLUOROSCOPIC FLUORSCÓPIO Relativo a ou realizado por meio da fluoroscopia. utilizando um feixe de luz ultravioleta que excita os compostos e determina a emissão de luz visível. FLUOROSCOPY FLUOROSCOPIA Radioscopia. exame dos tecidos e estruturas profundas do corpo por meio de raios X. ele consiste em uma tela (tela fluorescente) coberta com cristais de tungstato de cálcio sobre a qual são projetadas as sombras dos raios X que atravessam o corpo colocado entre a tela e a fonte de irradiação.

33 G GADOLINIUM GADOLÍNIO .

e os sinais restantes são usados para formar uma imagem da distribuição do radionuclídeo em um tubo de raios catódicos. do seu colo. GASEOUS MEDIASTINOGRAPHY MEDIASTINOGRAFIA GASOSA Exame radiográfico do mediastino depois da . vesica biliaris. o canal cístico projeta-se para juntar-se ao canal coledoco. A radiação é passada através de um colimador para reduzir a dispersão e interagir com um grande cristal de iodeto de sódio. GALACTOGRAPHY GALACTOGRAFIA Radiografia dos canais mamários após injeção de uma substância radiopaca no sistema canalicular. peso atômico 157.25. GALLBLADER VESÍCULA BILIARO Reservatório em forma de pêra para a bile sobre a superfície póstero-inferior do fígado. gadolínio gelado é usado como agente de contraste paramagnético em imagem de ressonância magnética. Um analisador de altura de pulso a seguir descarta todos menos os sinais que se originam do fotomáximo do nuclídeo que está sendo imageado. e vesica fellea. Chamado também cholecyst. resultando na produção de pulsos de luz. símbolo Gd. entre o lobo direito e o quadrado.34 Um elemento raro de nº atômico 64. os quais são detectados e convertidos em sinais elétricos amplificados por um conjunto de tubos fotomultiplicadores atrás do cristal. GAMA CAMERA GAMA-CÂMERA Um aparelho usado para forma uma imagem da distribuição de um radionuclídeo emissor de raios gama em um paciente.

urinossexual. relativo ao estômago e aos intestinos. GROUND ILLUMINATION ILUMINAÇÃO DE FUNDO ESCURO Ver dark-field illumination. GASTROINTESTINAL GASTROINTESTINAL Gastrintestinal. GENITOGRAPHY GENITOGRAFIA Radiografia do seio urogenital e estruturas ductais internas após injeção de um meio de contraste através da abertura do seio.35 injeção de ar (pneumomediastino artificial). urogenital. GASTROSCOPY GASTROSCOPIA Inspeção da superfície interna do estômago por meio de um endoscópio. GENITOURINARY IMAGING IMAGEM GENITOURINÁRIA Produção de imagem dos órgãos genitais e urinários. melhorando assim a qualidade da imagem obtida por ultra-sonografia. Estabelecimento de uma comunicação direta entre o estômago e o jejuno. . GASTROJEJUNOSTOMY GASTROJEJUNOSTOMIA. gastroentérico. GRAY-SCALE ULTRASONOGRAPHY ULTRASONOGRAFIA DE ESCALA CINZA A apresentação de pequenas diferenças na impedância acústica como diferentes tons de cinza.

36 H .

37 HEMANGIOMA Anomalia congênita em que a proliferação do endotélio vascular leva à formação de uma massa que se assemelha a tecido neoplásico. HEMANGIOMA HEMATOCRIT HEMATÓCRITO 1. Um tubo com marcas graduadas usado para determinar o volume de eritrócitos sedimentados em um espécime de sangue por centrifugação. . 2. porém é mais freqüentemente observado na pele e nos tecidos subcutâneos. pode ocorrer em qualquer lugar do corpo. Por extensão. Abreviado HCT. a medida obtida usando-se esse procedimento ou as medidas correspondentes produzidas por contadores automáticos de eritrócitos.

38

HEMODIALYSIS

HEMODIÁLISE A remoção de certos elementos do sangue aproveitando-se a diferença nas taxas de sua difusão através de uma membrana semipermeável, e.g., por meio de um hemodialisador.

HEPATOBILIARY

HEPATOBILIARES Relativo ao fígado e à bile ou às vias biliares.

HEPATOBILIARY SCINTIGRAPHY

CINTILOGRAFIA HEPATOBILIAR Implica na injeção intravenosa de um radiofármaco hepatobiliar marcado com tecnécio 99-m e reprodução de imagens subseqüentes com uma câmara gama. Freqüentemente, são realizadas intervenções farmacológicas, como parte ou suplemento para o estudo. A avaliação quantitativa de função também pode ser realizada.

HEPATOCELLULAR

HEPATOCELULAR Relativo a ou que afeta células do fígado.

HEPATOCELLULAR CARCINOMA

CARCINOMA HEPATOCELULAR Carcinoma primário das células hepáticas; os sintomas incluem hepatomegalia, dor abdominal, perda de peso, icterícia, hemoperitônio e outros sintomas da presença de uma presença abdominal. É raro na América do Norte e Europa Ocidental mas é uma das malignidades mais comuns em partes da África sub-saárica, sudeste da Ásia, leste da Ásia e outros lugares. Uma forte associação parece existir com a infecção crônica pelo vírus da hepatite B, e associações definidas porém menos fortes com alguns tipos de cirrose e infecção pelo vírus da hepatite C. Chamado também hepatoma,

39 malignant hepatoma e hepatocarcinoma. HIGH-CONTRAST SPATIAL RESOLUTION RESOLUÇÃO CONTRASTE É uma medida da capacidade de um sistema de reprodução de imagens para mostrar a separação de objetos quando não há contribuição de ruídos significante. Para os sistemas de ressonância magnética é tipicamente limitada pelo tamanho do pixel da matriz de aquisição. ESPACIAL DE ALTO

HIGH-DOSE-RATE BRACHYTHERAPY

BRAQUITERAPIA COM ALTO ÍNDICE DE RADIAÇÃO É a braquiterapia que utiliza isótopos altamente ativos, incluindo o irídio-192 e o cobalto-60 em doses de 20 cGy ou mais, por minuto, no ponto designado. É indicada para tratamentos de malignidades cujos os locais possam ser bem definidos e acessíveis aos aplicadores para conduzirem as fontes.

HIGH-RESOLUTION COMPUTED TOMOGRAPHY (HRCT)

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA ALTA RESOLUÇÃO

DE

Tomografia computadorizada que produz imagens com um alto grau de resolução espacial e detalhe anatômico usando um scanner de alta velocidade, fatias finas e um algoritmo especial para reconstrução da imagem. HISTIOCYTE HISTIÓCITO Um macrófago presente no tecido conjuntivo. HISTIOCYTOMA HISTIOCITOMA Tumor composto de histiócitos.

40

HISTOGRAM

HISTOGRAMA Um gráfico de uma distribuição de freqüência no qual as freqüências das classes são representadas por barras verticais com bases cobrindo os intervalos das classes no eixo horizontal e alturas iguais às freqüências das classes.

HISTOPHYSIOLOGY

HISTOFISIOLOGIA O estudo microscópico de tecidos em relação as suas funções.

HISTORADIOGRAPHY

HISTORRADIOGRAFIA Radiografia de tecido; refere-se especialmente a cortes microscópicos de tecido.

HYDRONEPHROSIS

HIDRONEFROSE Distensão da pele e cálices do rim com urina, como resultado da obstrução do ureter.

HYDROSTATIC ENEMAS

ENEMAS HIDROSTÁTICOS Injeção retal para limpeza do intestino ou administração de medicamentos ou alimentos relativo à pressão de líquidos ou às suas propriedades quando em equilíbrio.

HYPERPLASIA

HIPERPLASIA A multiplicação anormal ou aumento no número de células normais em arranjo normal em um tecido.

HYPERTROPHIED LYMPHOID TISSUE

TECIDO LINFÓIDE HIPERTROFIADO Tecido semelhante à linfa ou pertencente ao sistema linfático que sofreu aumento geral no volume de uma parte ou órgão, não devido à formação tumoral. O uso do termo pode ser

3. HYSTEROSALPINGOGRAPHY HISTEROSSALPINGOGRAFIA Ginecografia. HYPOPERFUSION HIPOPERFUSÃO Fluxo sangüíneo diminuído através de um órgão. Relaxamento das artérias. HYPOTONIA HIPOTONIA 1. o caminho traçado por um ponto sobre um círculo que rola por dentro da circunferência de um outro círculo.41 restringido para indicar maior volume através do aumento no tamanho. Tensão reduzida em qualquer parte. uterotubografia. como no choque circulatório. em conseqüência de que os músculos podem ser distendidos além de seus limites normais. i. radiografia do útero e das trompas depois da injeção de um material radiopaco. HYPOPHARYNGOSCOPE HIPOFARINGOSCÓPIO Um instrumento para inspecionar a parte inferior da faringe. se prolongado pode resultar em disfunção celular permanente e morte. HYPOCYCLOIDAL TOMOGRAPHY TOMOGRAFIA HIPOCICLÓIDE Tomografia na qual a trajetória da fonte de raios-x é uma hipociclóide.. . de elementos teciduais individuais. e. como no globo ocular. mas não no número. Condição em que existe diminuição ou perda de tonicidade muscular. 2. HYPOVOLEMIA HIPOVOLEMIA Volume anormalmente diminuído de líquido circulante (plasma) no corpo.

coordenadas. . a análise da imagem digital. fatores morfológicos. comprimento. manual ou automatizada. ângulo de orientação. bem como reforço da imagem.42 HYSTOMORPHOMETRY HISTIMORFOMETRIA A medida quantitativa e caracterização de imagens microscópicas utilizando um computador. perímetros. envolve tipicamente medidas e comparações de áreas geométricas selecionadas. centro de gravidade.

43 I .

termografia.Iluminação de um objeto sob um microscópio. indica uma doença de causa desconhecida.Derramar luz sobre o corpo ou uma parte ou dentro de uma cavidade para fins diagnósticos. Agnogênico. IMAGE ARTIFACTS ARTEFATOS DE IMAGEM É a fase relacionada aos erros e é definida como sinal de imagem (ou ampliado ou reduzido). em localizações espaciais específicas. 2. ultra-som. Indica uma doença primária. 2.44 IDIOPATHIC IDIOPÁTICO 1. IMAGING IMAGEM Representação. Geralmente são caracterizados pela intensidade ampliada de sinal em áreas que são conhecidas por conter material que não produz sinal. tomografia. com o instrumento distante do olho do . ILLUMINATION ILUMINAÇÃO 1. produção de uma imagem pelos raios X. etc. IMAGE UNIFORMITY UNIFORMIDADE DA IMAGEM Refere-se à capacidade do sistema de reprodução de imagem por ressonância magnética de produzir uma resposta de sinal constante em todo o volume rastreado quando o objeto que está sendo representado tem características homogêneas de ressonância magnética. radioisótopos. INDIRECT OPHTHALMOSCOPE OFTALMOSCÓPIO INDIRETO Instrumento projetado para visualizar o interior do olho.

INTERVENTION INTERVENÇÃO . INFILTRATION INFILTRAÇÃO 1. Um radio traçador que se concentra nestas regiões. o estudo é efetuado entre 24 e 72 horas após o infarto. O ato de permear ou penetrar em uma substância. usualmente pirofosfato de tecnécio TC 99m. localizar e quantificar as regiões de necrose miocárdia. Para a sensibilidade máxima.45 indivíduo o equivalente ao comprimento do braço e o observador visualizando uma imagem invertida através de uma lente convexa localizada entre o instrumento e o olho do indivíduo. INSULFLATOR INSUFLADOR Um instrumento usado para efetuar insuflação. INFARCT AVID SCINTIGRAPHY CINTIGRAFIA INFARTO-ÁVIDA Cintigrafia efetuada após infarto do miocárdio para confirmar infarto bem como detectar. é administrado intravenosamente e imagens são obtidas com uma gama-câmera. refere-se a gases líquidos ou componentes de uma solução 2. célula ou tecido 3. O gás líquido ou matéria dissolvida que penetrou em alguma substância . como na ilfiltração anestésica 4. célula ou tecido. INTERSTITIAL MASTITIS MASTITE INTERSTICIAL Inflamação do tecido conjuntivo da glândula mamaria. Injeção de uma solução no tecido. Estravasamento de soluções destinadas a injeção intravascular.

INTRAVASCULAR INTRAVASCULAR Dentro de um vaso sangüíneo ou linfático. ísquio. INTRAOSSEOUS VENOGRAPHY VENOGRAFIA INTRA-ÓSSEA Radiografia das veias após injeção do meio de contraste dentro da medula óssea em um local apropriado. tal como a crista ilíaca. INTERVENTIONAL RADIOLOGY RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA O ramo de radiologia que se ocupa com a realização de diagnóstico e tratamento de doenças por uma variedade de procedimentos percutâneos efetuados sob a orientação de imagem radiológica.46 Ação ou administração que produz um efeito ou pretende modificar a evolução de um processo patológico. processos espinhosos das vértebras. INTRAVENOUS CONSCIOUS SEDATION SEDAÇÃO CONSCIENTE INTRAVENOSA É um nível de consciência minimamente reduzido e induzido pela administração de agentes farmacológicos. no qual paciente conserva a habilidade independente e contínua para manter as . ou esterno. INTRALUMINAL Dentro de qualquer trompa. ossos púbicos. trocânter maior. INTRA-ARTERIAL DIGITAL SUBTRACTION ANGIOGRAPHY ANGIOGRAFIA DE SUBTRAÇÃO DIGITAL INTRA-ARTERIAL Uma técnica de imageamento radiológico para arteriografia que usa circuitos eletrônicos para subtrair o fundo de osso e tecido mole a fim de fornecer uma imagem útil das artérias após injeção intra-arterial de meio de contraste. INTRATUBAL INTRATUBÁRIO.

especialmente o pregueamento de um segmento do intestino dentro de outro. J . INTRAVENOUS DIGITAL SUBTRACTION ANGIOGRAPHY ANGIOGRAFIA DE SUBTRAÇÃO DIGITAL INTRAVENOSA Uma técnica de imageamento radiológico fluoroscópico que usa circuitos eletrônicos que subtraem o fundo de osso e tecido mole para fornecer uma imagem útil dos vasos após injeção intravenosa periférica ou central de meio de contraste. IRRADIATION IRRADIAÇÃO Bombardeio de uma substância por um feixe de partículas.47 vias áreas desobstruídas e responder apropriadamente aos estímulos físicos e verbais. INTUSSUSCEPTION INTOSSUSCEPÇÃO Captação ou recebimento de uma parte dentro de outra.

48 K .

NÓDULO Uma protuberância. ILUMINAÇÃO DE KOHLER Iluminação de objetos microscópicos em que a fonte luminosa é focalizada sobre o diafragma condensador e o diafragma da fonte luminosa se encontra no foco com o objeto a ser observado. KNOB KOHLER ILLUMINATION .49 NÓ. uma massa. diminui tanto o brilho como a uniformidade do campo iluminado.

50 L .

LAPAROSCOPE LAPAROSCÓPIO Um instrumento comparável a um endoscópio que. estralhaçada. LASER LASER Um aparelho que transforma luz de várias freqüências em um feixe extremamente denso. rasgar com violência. Uma ferida rasgada. pequeno e aproximadamente não divergente de radiação monocromática na região visível com todas as ondas em fase. quando inserido na cavidade peritoneal.51 LACERATION LACERAÇÃO O ato de lacerar. Capaz de mobilizar imenso calor e potência quando focalizado a curta . destroçada. permite que ela seja inspecionada.

como da tiróide. LOW-DOSE-RATE BRACHYTHERAPY BRAQUITERAPIA COM BAIXO ÍNDICE DE RADIAÇÃO É a braquiterapia que utliza uma variedade de fontes incluindo rádio-226. unilateralmente a mandíbula desde a sínfisi até o . LATERAL RAMUS ROENTGENOGRAM ROENTGENOGRAMA DO RAMO LATERAL Imagem radiográfica mandibular. LOBECTOMY LOBECTOMIA Excisão de um lobo. LATERAL SKULL ROENTGENOGRAM ROENTGENOGRAMA DE CRÂNIO LATERAL Imagem radiográfica dos seios e faces laterais das estruturas ósseas do crânio. irídio-192 e iodo-125. LUMPHAGIOGRAPHY LINFAGIOGRAFIA do ramo e do côndilo oblíqua da lateral. cervical e endometrial. É indicada para o tratamento de câncer de colo. como também de lesões obstrutivas esofágicas ou brônquicas. fígado. e em estudos fisiológicos. uma imagem revelando mandíbula. cérebro ou pulmão.52 distância. em diagnóstico. ele é usado como instrumento em procedimentos cirúrgicos. LATERAL OBLIQUE ROENTGENOGRAM ROENTGENOGRAMA OBLÍQUA LATERAL Radiografia radiográfica côndilo. LEIOMYOMA Neoplasia benigna derivada do músculo liso. césio-137. tal tratamento pode ser dado como terapia para uma infinidade de locais. na mama.

podem invadir o sangue periférico e manifestar-se como leucemia.53 Visualização radiológica de linfáticos e finfonodos após a injeção de um meio de contraste. baço ou outros locais normais de células linforreticulares. os primeiros. Os primeiros aparecem freqüentemente nos linfonodos. pelo grau de diferenciação e pelo padrão nodular ou difuso. especialmente os do tipo linfocitário. Maligno. que se apresentam aparentemente como tumores sólidos circunscritos. termo genérico para neoplasias dos tecidos linfóide e reticuloendotelial. quando disseminados. LYMPHOMA LINFOMA 1. . formas especiais são a doença de Hodgkin e o Primeiro de Burkitt. LYMPHOGRAPHY LINFOGRAFIA Visualização de linfáticos (linfangiografia) e ou linfonodos (linfoodenografia) pela radiografia. Os primeiros se classificam pelo tipo celular. células plamáticas e histiócitos. habitualmente malignas. após a injeção de um meio de contraste. compostos de células que parecem primitivas ou se assemelham a linfócitos. um tipo de linfografia.

54 M .

em especial nas extremidades reciditrando de depois adultos. . MALIGNANT FIBROUS HISTIOCYTOMA HISTIOCITOMA FIBROSO MALIGNO Tumor cituado profundamente. MAGNETIC RESONANCE IMAGING A RM demonstra os tecidos normais e pode diferenciar a anormalidade e a normalidade dos mesmos. baseadas na interação entre os campos eletromagnéticos de radiofreqüência (RF) e certos núcleos no corpo (geralmente. Esta sensibilidade está baseada num alto grau de contraste próprio. mostra uma diferenciação fibroblástica e histiocítica parcial com um padrão variável em roda de carroça. núcleos de hidrogênio) depois deste ter sido colocado num potente campo magnético. fornecendo uma sensível investigação para detectar a doença.55 RESSONÂNCIA MAGNÉTICA É um método de reprodução de imagens diagnósticas em múltiplos planos. ultra-som . áreas minóides e células gigantes. ressonância magnética nuclear. MAMMOGRAPHY Exame radiográfico da mama por meio de raios X. devido às variações nas propriedades de relaxamento magnético dos diferentes tecidos e a dependência do sinal da RN (ressonância) nestas propriedades teciduais. MAMMOGRAM O registro produzido pela mamografia. de com uma freqüência cirurgia e metastatizando para os pulmões.

MEDICAL PHYSICIST FÍSICO-MÉDICO É o profissional que tem competência para praticar. permite comparação direta de ambos os lados. Médica Nuclear . METAPHYSEAL LESION LESÃO METAFISIÁRIA física-médica. imagem radiográfica dos seios maxilares e zigomas. Comumente usado como referência específica à dobra peritoneal que fixa o intestino delgado à parede corporal dorsal. MESENTERY MESENTÉRIO Uma dobra menbranosa que fixa vários órgãos à parede do corpo. MESENTERIC MESENTÉRICO Relativo ao mesentério. Radiodiagnóstica. Chamado também mesenterium. físicas-médicas Radioterapêuta. MAXILLARY SINUS ROENTGENOGRAM Incidência de Waters. da área uma ou mais As são: especialidades especialidades e Radiológica. MEDIASTINOGRAPHY MEDIASTINOGRAFIA Exame radiográfico do mediastino.56 MASTECTOMY MASTECTOMIA É a ablação (retirada de uma parte) da mama. inflamação da mama. MASTONCUS MASTONCO Um tumor ou edema das mamas. independentemente. mastadenite. MASTITIS MASTITE Mamite.

Transporte de bactérias de uma parte do corpo para outra. METASTASIS METÁSTASE 1. usado na fabricação de geradores de radionuclídeos para a produção do tecnécio-99m. de uma parte do corpo para outra. MICROSCOPIC ANATOMY ANATOMIA MICROSCÓPICA Ramo da anatomia em que se estudam as estruturas das células.57 Relativo à uma metáfise. O desvio de uma doença. com meia-vida de 68. . 2. como na caxumba. pela corrente sangüínea. resulta da disseminação de células temorais pelos linfáticos ou vasos sangüíneos. MICROARTERIOGRAFIA Radiografia dos vasos mais delgados no órgão depois da injeção de um meio de contraste e aumento na radiografia resultante. ou de suas manifestações locais. A disseminação de um processo mórbido de uma parte do corpo para outra. zona de crescimento entre as epífises e as diáfises durante o desenvolvimento de um osso. MOLYBDENUM-99 Radioisótopo do molibdênio produzido em reator. ou pela propagação direta através de cavidade serosa ou subaracnóide ou outros espaços. quando os sintomas referíveis à glândula parótida desaparecem e os testículos são acometidos. MICROANGIOGRAPHY MICROANGIOGRAFIA.3 horas. 3. como no aparecimento de neoplasias em partes distantes do local do tumor primário. tecidos e órgãos à microscopia óptica.

monitores em cadeia. incluindo um ampliador de imagem. TIPO 1 Ver familial endocrine adenomatose. como o nervo radial. gravação digital do exame ou em filme e mesa inclinada. MYELOGRAPHY MIELOGRAFIA É uma importante modalidade diagnóstica com ampla extensão de processos de enfermidades raquidianas. type 1. sangüínea. TIPO 2 Ver familial endocrine adenomatose. usualmente tálio-201. o depois fluxo que o radionuclídeo. MYELOGRAM MIELOGRAMA É o registro produzido pela mielografia. MUSCULOESPIRAL Relativo a ou que compreende o esqueleto e os músculos e tendo uma duração espiral. MYOCARDIAL PERFUSION SCINTIGRAPHY CINTIGRAFIA DE PERFUSÃO MIOCÁRDICA Cintigrafia efetuada usando-se um radiotraçador que atravessa o sistema capilar miocárdico e entra nas na células corrente miocárdicas. é introduzido sangüíneo miocárdico regional e a viabilidade celular são avaliados usando imagens imediata e retarda.58 MULTIPLE ENDOCRINE NEOPLASIA TYPE 1 MULTIPLE ENDOCRINE NEOPLASIA TYPE 2 MUSCULOSKELETAL NEOPLASIA ENDÓCRINA MÚLTIPLA. type 2. torácica e/ou lombar. Pode ser realizado nas regiões cervical. NEOPLASIA ENDÓCRINA MÚLTIPLA. MYELOGRAPHIC FACILITY EQUIPAMENTO MIELOGRÁFICO É um equipamento de reprodução de imagem diagnóstica de alta qualidade. .

59 N .

. em geral. crescimento novo. tumor (2). tecido anormal que cresce por proliferação celular mais rapidamente que o normal e continua a crescer depois de interrompidos o crescimento. os estímulos Os que iniciaram neoplasmas apresentam uma falta parcial ou completa de organização estrutural e coordenação funcional com o tecido normal e. que pode ser benigno ou maligno (câncer). NEOPLASIA NEOPLASM Neoplasia.60 NEOPLASIA O processo patológico que leva à formação e ao crescimento de um neoplasma. formam uma massa distinta do tecido.

sendo a freqüência do giro específica para cada núcleo específico em uma determinada potência do campo magnético. campos emitem que giram magnéticos radiação eletromagnética que. cujo estímulo reencontra e reproduz a experiência original.e.. NEPHROTOMOGRAPHY NEFROTOMOGRAFIA Exame radiológico do rim por tomografia. os núcleos induzem oscilantes seus e.61 NEPHROTOMOGRAM NEFROTOMOGRAMA Radiografia seccional dos rins após a administração intravenosa de material de contraste iodado hidrossolúvel com o objetivo de melhorar a visualização de anomalias parenquimatosas renais. produzindo assim o fenômeno da memória. NEUROEPITHELIAL NEUROEPITELIAL Relativo a ou composto de neuroepitélico. em determinadas condições . NEUROGRAM NEUROGRAMA Uma impressão sobre a substância cerebral deixada após cada experiência mental. o emgrama ou registro físico da experiência mental. i. próprios assim. NUCLEAR MAGNETIC RESSONANCE O fenômeno no qual determinados núcleos que possuem um momento magnético girarão ao redor do eixo de um forte campo magnético externo. NEURORADIOLOGY NEURORRADIOLOGIA Estudo do sistema nervoso que utiliza o exame radiológico e métodos semelhantes.

A RMN é usada como um método de definição do caráter de ligações covalentes e aplicada clinicamente com a tecnologia de base das imagens para ressonância magnética. . NULL.62 pode produzir um sinal detectável. adenoma cromófobo ou hipofisário. aproximadamente um terço desses tumores tem células com mitocôndrias abundantes (oncócitos). um pouco maiores as células nulas nomocíticas.CELL ADENOMA Adenoma de células indiferenciadas. adenoma da hipófese composto de células para as quais não existe franca evidência ou produçao de hormônios mas que produz hipopituitarismo e disturbios visuais pela compressão de estruturas adjacentes.

63 O .

. ONCOLOGIST ONCOLOGISTA Especialista em oncologia.64 OBLITERAÇÃO Supressão principalmente por enchimento de um espaço ou luz natural por fibrose ou inflamação. por oclusão ou estenose. ou o registro semelhante feito por eletroculografia. a patogenia e o tratamento.. OBLITERATION OBSTRUCTION Bloqueio ou interrompimento p. ex. OPHTALMOGRAM OFTALMOGRAMA O registro feito por um oftalmógrafo. ONCOLOGY O estudo ou ciência que trata das propriedades e características físicas. incluindo a etiologia. químicas e biológicas das neoplasias. OPHTALMOGRAPH OFTALMÓGRAFO É um instrumento que registra os movimentos oculares durante a leitura por meio de fotografia de uma marca sobre a córnea ou fazendo um traçado dos reflexos luminosos.

OSTEOPENIA Redução da calcificação ou densidade óssea. OTOSCOPE OTOSCÓPIO Instrumento para exame do tímpano ou ausculta do ouvido. termo descritível aplicável a todos os sistemas ósseos nos quais se observa essa condição. OSTEOPATHOLOGY Estudo das doenças dos ossos.65 OPHTHALMOSCOPE OFTALMOSCOPIA Fundoscópio. OSTEOPATHIC OSTEOPÁTICO Relativo a osteopatia. . aparelho para estudo do interior do globo ocular através da pupila. OSTEOPATHY Qualquer doença do osso. OSTEONECROSIS OSTEONECROSE Morte ou necrose do osso. OSCILLOSCOP Oscilógrafo em que o registro das oscilações é continuamente visível.

66 P .

PANORAMIC ROENTGENOGRAM ROENTGENOGRAMA PANORAMICA Imagem radiográfica do maxilar e da mandíbula que se estende da fossa glenóide esquerda até a direita. PANTOMOGRAPH PANTOMÓGRAFO Aparelho que permite a visualização de toda a dentição. PANTOMOGRAM PANTOMOGRAMA Registro radiológico panorâmico dos arcos dentários maxilar e mandibular e suas estruturas associadas. contidas e sustentadas . PAPILLOMA PAPILOMA Um neoplasma epitelial benigno que produz projeções digitiformes ou verrucosas da superfície epitelial.67 PANCREATOGRAPHY PANCREATOGRAFIA Visualização radiológica dos ductos pancreáticos. Obtido por um pantomógrafo. após injeção de material radiopaco no sistema coletor. PARENCHYMA 1. do osso alveolar e das estruturas contíguas em uma única radiografia extra-oral. PARASITIC LEIOMYOMA Leiomioma uterino que se destacou do útero e aderiu a outra superfície peritonial da qual obtém o suprimento sangüíneo.As células diferenciadoras ou específicas de uma glândula ou órgão.

PERITONEOSCOPE PERITONEOSCÓPIO.68 pelo arcabouço de tecido conjuntivo ou estroma 2O endoplasma de uma célula ou protozoário. LAPAROSCOPIA. PATHOPHYSIOLOGY FISIOPATOLOGIA Comprometimento defeitos estruturais. VENTROSCOPIA Exame do conteúdo do peritônio com um peritoneoscópio introduzido através da parede abdominal. funcional observado nas doenças. natureza. química. PERIAPICAL ROENTGENOGRAM Imagem radiográfica de um ou vários dentes e estruturas ósseas adjacentes. efeitos e usos das drogas. LAPAROSCÓPIO Endoscópio para exame da cavidade peritoneal. PEDIATRIC NEUROSONOLOGY NEUROSONOGRAFIA PEDIÁTRICA Exame ultra-sonográfico de cérebro infantil realizado para detectar anomalias. PERITONEOSCOPY PERITONEOSCOPIA. como a injeção de material radiopaco em exame radiológico ou a remoção de tecido para biópsia realizada por uma agulha. ela inclui a . a alteração na função diferente dos PHARMACOLOGY FARMACOLOGIA A ciência que lida com a origem. CELIOSCOPIA. ABDOMINOSCOPIA. PERCUTANEOUS PERCUTÂNEO Efetuado através da pele.

PHOTOKYMOGRAM FOTOCIMÍGRAFO Uma câmara com um filme em movimento para registrar movimentos. farmacoterapia e toxicologia. PLANIGRAM PLANIGRAMA Ver tomogram. farmacocinética. PICTURE ARCHIVING AND COMMUNICATIONS SYSTEMS (PACS) SISTEMA DE ARQUIVAMENTO E COMUNICAÇÕES DE IMAGENS (PACS) É um sistema de arquivamento e comunicação voltado para o diagnóstico por imagem que permite o pronto acesso em qualquer setor.69 farmacognosia. de imagens médicas em formato digital. PHOTON DENSITY DENSIDADE DE FÓTON Densidade total. PLANITHORAX PLANITÓRAX Um diagrama da frente e do dorso do tórax. PLANIGRAPHY PLANIGRAFIA Ver tomography. PHOTOMICROGRAPH FOTOMICROGRAFIA A fotografia de um objeto diminuto conforme visto com o microscópio óptico. produzida por métodos fotográficos ordinários. . também chamado recording camera. número de acontecimentos contados e registrados na cintilografia radioisotópica por centímetro quadrado ou por polegada quadrada da área de imagem. como da corda de um galvanômetro de corda.

70 PNEUMONOGRAPH PNEUMONOGRAMA Uma radiografia dos pulmões. PNEUMONOGRAPHY PNEUMONOGRAFIA Radiografia dos pulmões. PORTABLE CHEST RADIOGRAPH RADIOGRAFIA DE TÓRAX PORTÁTIL É um exame de seleção para investigação de doenças cardiorrespiratórias em pacientes que estão clinicamente instáveis e que devem estar limitados, isto é, estão em condições diferentes daqueles pacientes que, por outras razões clínicas, não podem ser transportados para o departamento de Radiologia para submeterem-se às radiografias do tórax nas posições supina ou vertical. PORTAL PORTOGRAPHY PORTOGRAFIA PORTAL Portografia após injeção de material opaco dentro da veia mesentérica superior ou um dos seus ramos depois de ter sido efetuada laparotomia. PORTOGRAM PORTOGRAMA Uma radiografia da veia porta. PORTOGRAPHY PORTOGRAFIA Radiografia da veia porta após injeção de material POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY (PET) opaco. TOMOGRAFIA POR EMISSÃO DE PÓSITRON Tomografia realizada pela detecção de raios gama emitidos dos tecidos após a administração de uma substância bioquímica natural (e.g., glicose, ácidos graxos) dentro da qual isótopos emissores de pósitrons foram incorporados. Os caminhos de pósitrons e elétrons, são interpretados por um computador, e o tomograma resultante representa as concentrações locais da substância que contém

71 o isótopo. PROBLEM-SOLVING BREAST EVALUATION AVALIAÇÃO ELUCIDATIVA DA MAMA É uma mamografia diagnóstica que tem o propósito de fornecer avaliação analítica específica da paciente com anormalidades detectadas clinicamente ou em exames de triagem. O diagnóstico da avaliação da mama deve gerar conclusões definitivas em relação aos sintomas da paciente ou aos resultados obtidos e permitir recomendações específicas de procedimentos. PROCESSOR REVELADOR Aparelho usado para revelação de filmes radiográficos PROSTATE ULTRASOUND ULTRA-SONOFRAFIA DE PRÓSTATA Utilizada para avaliar pacientes que obtiveram diagnósticos anormais em exames dígito-retais ou níveis anormais de antígeno prostato específico.

PROPHYLACTIC CRANIAL RADIATION RADIAÇÃO CRANIANA PROFILÁTICA A exposição do cérebro a radiação leve em um paciente de câncer a fim de prevenir o aumento do tumor.

PSEUDOCYST

PSEUDOCISTO 1.Cisto adventício ou falso; acúmulo de líquido em um lóculo cistiforme, mas sem revestimento membranoso epitelial ou outro por um parasita. 2. Cisto cuja parede é formada por uma célula hospedeira e não

72 PULMONARY ADENOMATOSIS ADENOMATOSE PULMONAR Doença neoplásica em que os alvéolos e brônquios destais estão cheios de muco e células epiteliais colunares secretoras de muco, caracteriza-se por escarro abundante, extremamente viscoso, calafrios, febre, tosse, dispnéia e dor pleurítica. PULMONARY ANGIOGRAPHY ANGIOGRAFIA PULMONAR Visualização radiográfica dos vasos pulmonares após injeção de material de contraste; usualmente na artéria pulmonar; é usada para detectar embolia pulmonar ou menos freqüentemente para delinear mal formações arteriovenosas pulmonares, varizes pulmonares ou anatomia vascular pulmonar. PULMONARY ARTERIOGRAPHY ARTERIOGRAFIA PULMONAR É o exame padrão-ouro no diagnóstico de embolia pulmonar e é obrigatório para planejamento de pré-operatório pulmonar. de tromboembololectomia

PYELOGRAPHY Pelviureterografia; pieloureterografia; ureteropielo- grafia; estudo radiológico do rim e do sistema coletor renal, em geral realizado com o auxílio de um agente de contraste injetado por via intravenosa ou de forma direta, através de uma sonda uretal ou por via percutânea.

73 Q .

relacionada com a fase inicial de despolarização ventricular. a deflexão para baixo (negativa) inicial. a interventricular.74 ONDAS Q No complexo QRS. (excitação) do miocárdio do septo despolarização Q WAVE .

75 R .

76 ONDAS R R WAVE A primeira deflexão positiva (para cima) do complexo QRS no eletrocardiograma. desempenha uma importante função na administração e no tratamento de pacientes com câncer. RADIATION RADIAÇÃO Energia transmitida por ondas através do espaço ou através de algum meio. possibilita a medida do movimento cardíaco por traçado gráfico linear reprodutível. uma corrente de partículas alfa. usualmente referindo-se à radiação eletromagnética quando usado sem um modificador. RADIATION ONCOLOGY RADIONCOLOGIA Sozinha ou acompanhada de outras modalidades. Cerca de 50% destes serão tratados com . Por extensão. RADARKYMOGRAPHY RADARCIMOGRAFIA Acompanhamento circuito fechado no de vídeo do movimento durante a cardíaco mediante a intensificação da imagem e televisão fluoroscopia.

radioouro. o exercício da Radioncologia ocorre em diferentes meios.77 radioterapia. Usado para combater o câncer em terapia de radiação. RADIATION CATARACT CATARATA POR IRRADIAÇÃO Catarata causada pela exposição excessiva ou prolongada aos raios X. radiocarbono. Visto que. e. uma forma de combinação que denota um isótopo radioativo do elemento ao qual ela está afixada. A utilização da radioterapia exige total atenção em relação à segurança dos profissionais. além da educação contínua da equipe. raios beta. dos equipamentos e dos pacientes. RADIO RÁDIO Energia radiante. rádio. RADIO WAVE ONDAS DE RÁDIO Radiação eletromagnética de comprimento de onda entre 10¹ e 10 cm e freqüência de cerca de 10¹¹ a 10¹³ hertz.g. RADIOACTIVE RADIOATIVO Que tem a propriedade de radioatividade. calor ou isótopos radioativos. RADIOACTIVITY RADIOATIVIDADE A qualidade de emitir ou a emissão de radiações corpusculares ou eletromagnéticas conseqüente a desintegração nuclear. como um componente essencial neste tipo de atendimento. raios ou radiação ionizante. uma propriedade natural de todos os elementos químicos de um número . o julgamento do radioncologista qualificado deve ser utilizado para aplicar estas normas às práticas individuais.

RADIOCARBON RADIOCARBONO Um isótopo radioativo do carbono como o 14C. RADIOBIOLOGIST RADIOBIOLOGISTA Uma pessoa que dedica seus estudos à radiobiologia. RADIOCARCINOGENESIS RADIOCARCINOGÊNESE Formação de câncer causada pela exposição à radiação. RADIOALLERGOSORBENT RADIOALERGOSSOLVENTE Detonando uma técnica de radioimuno ensaio para medição de anticorpo IgE específico a uma variedade de alergênios. é usado como traçador no estudo do metabolismo do cálcio. com uma meia-vida de 180 dias.000 anos. com uma meia-vida de mais de 5. O 45Ca. RADIOCALCIUM RADIOCÁLCIO Um isótopo radioativo do cálcio. .78 atômico acima de 83. RADIOBIOLOGICAL RADIOBIOLÓGICO Relativo à radiobiologia: concernente à resposta celular e tecidual à irradiação. RADIOBIOLOGY RADIOBIOLOGIA O ramo da ciência que se ocupa com o efeito da luz e radiações ultravioleta e ionizantes sobre tecido ou organismo vivos. e possível de indução em todos os outros elementos conhecidos. RADIOBICIPITAL RADIOBICIPITAL Relativo ao rádio e ao músculo bíceps do braço.

aparelho transportado por um indivíduo em movimento através do qual alterações no potencial elétrico do cérebro ou coração podiam ser captadas e transmitidas pelo radio para um eletroencefalógrafo ou um eletrocardiógrafo. RADIODONTICS RADIOGRAFIA ORAL Ver dental radiology. RADIODIAGNOSIS RADIODIAGNÓSTICO Diagnóstico através de raios X. em uma câmara selecionadas do coração. RADIOELECTROPHYSIOLOGRAPH RADIOELETROFISIOLÓGRAFO Antigamente. registro das alterações no potencial elétrico do cérebro ou coração através do radioeletrofisiológrafo. RADIOFREQUENCY RADIOFREQÜÊNCIA Energia radiante em uma determinada faixa de . RADIOELECTROPHYSIOLOGRAM RADIOELETROFISIOLOGRAMA O registro obtido através do radioeletrofisiológrafo. RADIOCARDIOGRAPHY RADIOCARDIOGRAFIA O registro gráfico da variação com tempo da concentração. RADIOELECTROPHYSIOLOGRAPHY RADIOELETROFISIOLOGRAFIA Antigamente.79 RADIOCARDIOGRAM RADIOCARDIOGRAMA O registro gráfico obtido por radiocardiografia. usualmente injetada intravenosamente. de um isótopo radioativo.

com o registro dos achados sendo geralmente impressos em um filme fotográfico. 2. resultante da transformação radioativa ou desintegração de substâncias radioativas. RADIOGRAPHIC SCATTER Uma mudança na direção de um fóton ou de uma partícula subatômica. RADIOGENICS RADIOGENÉTICA A ciência da radiação.80 frequência.. RADIOGRAM Termo obsoleto para roentgenograma.Causado pelos raios X ou gama. RADIOIMMUNITY RADIOIMUNIDADE Redução da sensibilidade a radiação RADIOISOTOPE RADIOISÓTOPO . resultante de uma colisão ou interação. RADIOGRAPHY RADIOGRAFIA Roentgenografia. RADIOGENIC 1-Que produz raios de qualquer tipo. exame de qualquer parte do corpo para fins diagnósticos através de raios X. o rádio e a televisão empregam energia radiante com frequencia entre 105 e 1011 Hz. principalmente raios dinâmicos. enquanto que os raios X para diagnóstico possuem uma frequência na faixa de 3x 1018 Hz. ex. p. RADIOGENESIS A formação ou produção de radioatividade.

g. tem um núcleo instável. i. RADIOLESION RADIOLESÃO Uma lesão causada por exposição à radiação.. usada na medição quantitativa de uma substância não-marcada pela sua reação de ligação com um anticorpo específico ou outro local receptor. Devem possuir um certificado com registro específico e/ou uma licença estadual especial. RADIOLOGICAL RADIOLÓGICO Relativo à radiologia. e. Ele pode ser produzido a partir do isótopo estável do elemento por irradiação em um ciclotron ou reator nuclear. Os radioisótopos têm importantes usos diagnósticos e terapêuticos em medicina clínica e pesquisa. o que lhe confere a propriedade de decaimento por um ou mais dentre vários processos. RADIOLIGAND RADIOLIGANDO Uma substância marcada radioativamente. e. Ver tag. RADIOLABELED MARCADO RADIOATIVAMENTE. através de programas de educação contínua e treinamento no local de trabalho sob .. RADIOLOGIC TECHNOLOGIST TÉCNICO EM RADIOLOGIA São profissionais treinados para operarem os equipamentos de TC e devem ter conhecimentos em física de radiação e de proteção à mesma.81 Um isótopo que é radioativo.um antígeno. RADIOLOGICAL TECHNOLOGIST TÉCNICO EM RADIOLOGIA É o profissional com formação técnica em radiologia.

proteção e controle de qualidade e deve receber supervisão contínua dos médicos intérpretes em relação à qualidade da imagem. RADIOLUCENT RADIOTRANSPARENTE Que permite a passagem de raios x ou outras formas de energia radiante com pouca atenuação.82 supervisão de experientes médicos.g. . as áreas radiotransparentes aparecem em escuro no filme exposto. RADIOLOGIST RADIOLOGISTA Um médico que se especializa no uso de raios x e outras formas de radiação no diagnóstico e tratamento de doenças. RADIOLOGY RADIOLOGIA O ramo das ciências da saúde que lida com substâncias radioativas e energia radiante e com o diagnóstico e tratamento de doenças por meio de radiações ionizantes (e. RADIOMETER RADIÔMETRO Um instrumento para detectar e medir energia radiante.. ultra-som). Deve ser conhecedor dos fatores técnicos concernentes à radiação. raios x) e não-ionizantes (e. Deve efetuar procedimentos radiológicos regularmente. RADIOLUS RADÍOLO Um explorador. segurança. bastão ou sonda.g.. RADIOLUCENCY RADIOTRANSPARÊNCIA A propriedade de ser radiotransparente.

RADIONITROGEN RADIONITROGÊNIO Uma substância radioativa produzida bombardeando-se boro com raios alfa. RADIONUCLIDE ANGIOGRAPHY Exposição por meio de um aparelho de câmara de cintilação estacionária. da passagem de um bolo de . RADIONUCLIDE RADIONUCLÍDEO Um nuclídeo radioativo. RADIOMIMETIC RADIOMIMÉTICO Que exerce efeitos semelhantes aos da radiação ionizantes. RADIONEURITIS RADIONEURITE Uma forma de neurite que resulta de exposição a raios x ou outra energia radiante. RADIONECROSIS RADIONECROSE Destruição de tecidos causada por energia radiante. um que se desintegra com a emissão de radiações corpusculares ou eletromagnéticas. RADIOMUSCULAR RADIOMUSCULAR Que vai da artéria ou nervo radial para os músculos.83 RADIOMICROMETER RADIOMICRÔMETRO Um radiômetro sensível para detectar diminutas quantidades de energia radiante. RADIOMUTATION RADIOMUTAÇÃO Alteração no caráter das células causada por exposição à radiação.

84 radiofármacos injetados rapidamente. RADIOPELVIMETRY RADIOPELVIMETRIA Mediada da pelve através de raios roentgen. RADIOPACITY RADIOPACIDADE A propriedade de ser radiopaco. as áreas radiopacas aparecem em claro ou branco no filme exposto. que registram o padrão espacial e. . temporal do radiofármaco administrado. RADIONUCLIDIA ANGIOCARDIOGRAPHY ANGIOCARDIOGRAFIA RADIONUCLÍDICA Forma de angiocardiografia na qual o material de contraste é um radionuclídeo. são obtidas através de equipamentos especiais. RADIOPATHOLOGY RADIOPATOLOGIA Ramo da radiologia ou patologia relacionado aos efeitos de substâncias radioativas sobre células e tecidos. freqüentemente. RADIOPHARMACEUTICALS RADIOFÁRMACOS São agentes radioativos utilizados para objetivos diagnósticos ou terapêuticos. As imagens estáticas e as informações dinâmicas relacionadas ao tempo. usualmente um composto de tecnécio Tc 99m tal como Tc 99m pirofosfato ou eritrócitos marcados com Tc 99m. e as imagens são obtidas usando-se uma gamacâmera. normais ou anormais. Podem demonstrar diferentes características farmacocinéticas em tecidos ou fluídos do corpo. RADIOPAQUE RADIOPACO Não penetrável por raios x ou outras formas de energia radiante.

com uma meia-vida de 12. RADIOPHYSICS RADIOFÍSICA A física da radiologia. RADIOPULMONOGRAPHY RADIOPULMONOGRAFIA . RADIOPOTENTIATION RADIOPOTENCIALIZAÇÃO A ação de uma droga de intensificar o efeito de irradiação. RADIOPHOTOGRAPHY RADIOFOTOGRAFIA Fotografia da imagem fluorescente produzida por um feixe de raios x. RADIOPHOBIA RADIOFOBIA Ansiedade irracional acerca dos efeitos nocivos dos raios x e fontes de radiação. no tratamento de doenças. RADIOPRAXIS RADIOPRAXIA Uso de raios de luz. é usado em estudos de traçadores de troca de potássio no corpo.85 RADIOPHARMACY RADIOFARMÁCIA A preparação de fármacos radioativos e radionuclídeos. RADIOPHYLAXIS RADIOFILAXIA O efeito modificador de uma pequena dose de radiação sobre a reação a uma grande radiação subseqüente. RADIOPOTASSIUM RADIOPOTÁSSIO Um isótopo radioativo do potásssio. eletricidade etc.4 horas.

RADIOSENSITIVE RADIOSSENSÍVEL Sensível à energia radiante. como luz ou calor. RADIORESISTANT RADIORRESISTENTE Que exibe a propriedade de radiorresistência.86 Um método rápido de estimar a ventilação de áreas pulmonares localizadas. RADIOSODIUM RADIOSSÓDIO Um isótopo radioativo do sódio. baseada na medição da variação em intensidade de raios x de baixa voltagem passados através dos pulmões durante a respiração. aos efeitos lesivos da radiação. à radiação. especialmente uma reação da pele. equilíbrio hídrico e doenças vasculares periféricas. tecido tumoral etc. como de tecidos ou células. RADIORESISTANCE RADIORRESISTÊNCIA Resistência. RADIOSCOPY RADIOSCOPIA Ver Fluoroscopy. RADIORECEPTOR RADIORRECEPTOR Um receptor para os estímulos que são excitados por energia radiante. como raios x ou outras radiações. sódios (²²Na) são usados no estudo do fluxo sangüíneo. RADIOREACTION RADIORREAÇÃO Uma reação corporal. dito da pele. . RADIOSENSITIZER RADIOSSENSIBILIZANTE Um agente quimioterápico usado para aumentar o efeito da terapia radiante.

RADIOSURGERY RADIOCIRURGIA Cirurgia na qual a destruição tecidual é efetuada por meio de radiação ionizante em vez de incisão cirúrgica.87 RADIOSTEREOSCOPY RADIOESTEREOSCOPIA A inspeção dos órgãos interiores por meio de raios x. RADIOTHERAPIST RADIOTERAPEUTA Um especialista em radiologia. RADIOTHERAPY RADIOTERAPIA . os dados específicos sendo trasnmitidos por ondas de rádio desde o objeto de medição até o aparelho registrador. RADIOTHANATOLOGY RADIOTANATOLOGIA O estudo do efeito da energia radiante sobre tecido morto. RADIOTELEMETRY RADIOTELEMETRIA A determinação de medição de vários fatores. RADIOSULFUR RADIOENXOFRE Um isótopo radioativo do enxofre. RADIOTELLURIUM RADIOTELÚRIO Qualquer isótopo radioativo do elemento telúrio. a radiação pode originar-se de um implante de material radioativo ou pode ser administrada por uma fonte externa. RADIOTHERAPEUTICS RADIOTERAPÊUTICA O corpo de conhecimento que compreende a informação disponível a respeito do uso terapêutico da radiação ionizante.

RADIOTHORIUM RADIOTÓRIO Um isótopo radioativo de tório. RADIOTOXEMINA RADIOTOXEMIA Toxemia produzida por radiação ou uma substância radioativa. REAL-TIME ULTRASOUND Produção de imagens individuais de ultra-som em modo B rapidamente. RADIOTROPISM RADIOTROPISMO Um tropismo relacionado à radiação. RENAL SCINTIGRAPHY CINTILOGRAFIA RENAL Implica na administração intravenosa de um radiofármaco.88 O tratamento de doença por radiação ionizante. RESONANCE FREQUENCY FREQÜÊNCIA DA RESSONÂNCIA É definida a freqüência f da RF (resonance frequency). por uma câmara gama. com ou sem aquisição computadorizada. pelos rins. que é extraído da corrente sangüínea. de forma que resulte em uma imagem com movimento. RADIOULNAR RADIOULNAR Relativo ao rádio e à ulna. . RADIOTROPIC RADIOTRÓPICO Influenciado pela radiação. que combina o campo estático B (B0). e na produção de imagens subsequentes. RADIOTOMY TOMOGRAFIA Ver tomography.

ROENTGENKYMOGRAPH Aparelho de raios X para registro dos movimentos do coração e dos grandes vasos em um único filme. menos comumente. representação feita em filme sensibilizado pelos raios X ou por uma substância radioativa. ROENTGENKYMOGRAPHY Registro dos movimentos cardíacos através do roentgencimógrafo. com 0. denominada grade. distantes 12 mm entre si. que ocorre em crianças ou. ou pleomórfico (contendo rabdomioblastos).4mm de largura. neoplasia maligna derivada do músculo esquelético (esfriado). ROENTGENOLOGIST .89 de acordo com a equação de Larmor. Consiste essencialmente em uma grande folha de chumbo móvel. ROENTGENOGRAPHY ROENTGENOGRAFIA Ver radiography. ROENTGENKYMOGRAM Registro dos movimentos cardíacos feito pelo roentgencimógrafo. em adultos. ROENTGENOGRAM Radiografia. roentgenografia. classificado como alveolar embrionário (composto de agregados frouxos de pequenas células redondas). na qual são feitas fendas horizontais estreitas. RHABDOMYOSARCOMA RABDOMIOSSARCOMA Rabdossarcoma.

ROENTGENOMETRY Radiometria. infra-espinhoso. ROENTGENOMETER ROENTGENÔMETRO Ver radiometer. reforçada pelos tendões de inserção dos músculos supraespinhoso. a metade superior da cápsula da articulação do ombro. medida da dose terapêutica e do poder de penetração de raios X. dosimetria de raios X. ROENTGENOLOGY Radiologia. ROTATOR CUFF OF SHOUDER MANGUITO MUSCULOTENDINOSO Manguito rotator do ombro. redondo menor e subescapular.90 Radiologista. pessoa hábil no diagnóstico ou aplicação terapêutica de raios roentgen. o estudo dos raios roentgen. .

91 S SALPINGOGRAPHY SALPINGOGRAFIA .

em geral altamente maligna. síndrome ou doença de Besnier-Boeck-Schaumann. mas também envolvendo os linfonodos. com conseqüente fibrose. SCAN SCAN Forma abreviada de cintilografia. cintilografia cerebral. síndrome de Schaumann. os olhos. em geral precedida pelo órgão ou estrutura examinado. o baço. as falanges e as glândulas paróticas. ou instrumento que realiza a SCANNING VARREDURA . por exemplo. formada por proliferação de células mesodérmicas. SARCOIDOSIS SARCOIDOSE Doença ou sarcóide de Boeck.92 Imagem radiológica das trompas de Falópio após a injeção de uma solução de uma substância radiopaca. o fígado. os granulomas são compostos de células epitelióides e células gigantes multinucleadas com pequena ou nenhuma necrose. SALPINGOSCOPY SALPINGOSCOPIA Visualização das trompas de Falópio. SARCOMA SARCOMA Neoplasia do tecido conjuntivo. SCANNER SCANNER Dispositivo varredura. doença granulomatosa sistêmica de causa desconhecida. a pele. envolvendo principalmente os pulmões. geralmente pelos raios X ou através de um culdoscópio.

rim ou glândula tiróide. freqüentemente precedido empregado. a luz emitida por um evento ionizante em um fósforo. Em medida de radiação. SCINTIGRAPHY CINTILOGRAFIA A produção de imagens bidimensionais da distribuição da radioatividade nos tecidos após a administração interna de radionuclídeo. SCINTISCANNER CINTILÓGRAFO/CINTISCÂNER . revelando sua varada concentração em um tecido específico do corpo. Utilizadas em radiografia.93 O ato de estudar atravessando com um dispositivo de percepção ativa ou passiva. SCINTILLATOR CINTILADOR Substância que emite luz visível quando tocada por uma partícula subatômica ou raios x ou gama. como em um cristal ou cintilador líquido. pela tecnologia ou dispositivo SCINTISCAN CINTIGRAMA/CINTISCAN Uma representação bidimensional (mapa) dos raios gama emitidos por um radioisótopo. SCINTILLATION CINTILAÇÃO 1. SCINTIPHOTOGRAPHY CINTIFOTOGRAFIA Fotografia do padrão de radioatividade dos tecidos após administração de radionuclídeos. sensação subjetiva como de faíscas ou centelhas de luz 2. como cérebro. as imagens são obtidas por uma câmara de cintilação. Liberação de uma centelha ou faísca.

sem suspeita da doença. SCOUT ROENTGENOGRAM Uma roentgenograma preliminar. O ruído é definido como variações aleatórias na intensidade do pixel. Este exame pode ser feito sem a presença de um médico. SCREENING MAMMOGRAPHY MAMOGRAFIA SELETIVA É um exame radiológico para detecção precoce do câncer de mama em mulheres assintomáticas. série imagens imagem bidimensionais produzidas. O intento é classificar as mulheres em grupos de baixas e altas probabilidades de câncer de mama. SHADOW SOMBRA Ver density. SINGLE PHOTON EMISSION COMPUTED TOMOGRAPHY (SPECT) TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE EMISSÃO DE FÓTONS ISOLADOS Um tipo de tomografia na qual radionuclídeos emissores de fótons gama são administrados aos pacientes e em seguida detectados por uma ou mais câmaras-gama A partir rotadas da em uma torno de dos pacientes. freqüentemente realizada antes da injeção de material de contraste.94 O sistema de equipamento usado para fazer um cintiscan. SIGNAL-TO-NOISE RATIO PROPORÇÃO SINAL-RUÍDO É definido como o valor médio do pixel dentro da região de interesse menos qualquer deslocamento do pixel. As imagens com artefatos evidentes não são adequadas para determinar a proporção sinal-ruído. .

A distorção geométrica pode indicar um deslocamento dos pontos apresentados dentro de uma imagem . SKULL FRACTURE FRATURA DO CRÂNIO Fratura do crânio resultante de traumatismo. A técnica melhora a resolução e diminui a interferência por órgãos superpostos. SLICE SEPARATION SEPARAÇÃO DO CORTE É a distância entre quaisquer duas posições do corte. SINOGRAPHY SINOGRAFIA Radiografia dos seios ou de uma fístula patológica. SONOGRAPH SONÓGRAFO Ver ultrasonograph.95 tridimensional pode ser criada por reconstrução com computador. SONOGRAM SONOGRAMA Ver ultrasonogram. SONOGRAPHER SONOGRAFADOR Ver ultrasonographer. SPATIAL LINEARITY LINEARIDADE ESPACIAL É um termo utilizado para descrever o grau de distorção geométrica presente em imagens produzidas por qualquer sistema. utilizando uma câmara gama. SKELETAL SCINTIGRAPHY CINTILOGRAFIA ESQUELÉTICA Implica em uma injeção intravenosa de um radiofármaco de mapeamento ósseo e reprodução de imagens subsequentes.

SPONDYLOLYSIS ESPONDILÓLISE Degeneração da parte articular de uma vértebra. STEREOCINEFLUOROGRAPHY ESTEREOCINEFLUOROGRAFIA Registro fotográfico por câmara cinematográfica de imagens de raio X produzidas por estereofluoroscopia. o qual passa imediatamente para dentro da veia porta. permitindo a visualização desses dois vasos. tridimensional. STEREOCAMPIMETER ESTEREOCAMPÍMETRO Um instrumento para estudar escotomas (área dentro do campo visual em que a visão está prejudicada. relativo ao funcionamento da medula espinhal independentemente do cérebro. circundada por zona em que a visão é normal ou menos perturabada). centrais unilaterais e defeitos na área central da retina. em qualquer parte interna da imagem. fornecendo visualização STEREOGRAM ESTEREOGRAMA . geralmente através do nono espaço intercostal na linha axilar média. de material opaco. SPLENIC PORTOGRAPHY PORTOGRAFIA ESPLÊNICA Portografia após injeção percutânea dentro da substância do baço.96 relativa à posição dos mesmos já conhecida ou um escaloamento impróprio da distância entre pontos. SPINAL ESPINHAL Relativo a uma espinha ou à coluna vertebral.

2. STOMATOSCOPE ESTOMATOSCÓPIO Um instrumento usado para inspecionar a boca. catódica). STETHOSCOPY ESTETOSCOPIA Exame por meio do estetoscópio. Um desenho estereoscópico. produzindo uma aparência tridimensional à imagem única. vasectomia ou salpingectomia. STEROTACTIC ESTEREOTÁCTICO 1. STEREOSCOPY ESTEREOSCOPIA Técnica óptica pela qual duas imagens do mesmo objeto são fundidas em uma. ou métodos mecânicos (filtração). STEREORADIOMETRY ESTEREORRADIOMETRIA Medição das dimensões sólidas de um objeto radiopaco a partir das suas radiografias estereoscópicas.97 1. radiação (ultravioleta. formaldeído. álcool).Uma radiografia estereoscópica. realizada por métodos físicos (calor seco ou úmido). A destruição ou eliminação completa de todos os microrganismos vivos. como por castração. STORAGE OSCILLOSCOP . 2. STETHOSCOPIC ESTETOSCÓPIO Relativo a ou efetuado por meio do estetoscópio. agentes químicos (óxido de etileno. Qualquer procedimento pelo qual um indivíduo é tornado incapaz de reprodução. STETHENDOSCOPE ESTETOCIRTÓGRAFO Um fluoroscópio usado para examinar o tórax.

deslocamento lateral do condilo ou processo coronóide. ou ambos.98 Osciloscópio de raios catódicos em que o registro visual das oscilações persiste sobre a tela fluorescente até que seja apagado eletricamente. . e o contorno dos arcos zigomáticos. SUBMENTAL VERTEX ROENTGENOGRAM Imagem radiográfica usada para visualizar movimentos laterais ao côndilo.

99 T TAG ROTULAR .

da tireóide. baço. aparelho de drenagem lacrimal. também é um produto da fissão do urânio-235. Atômico 43. da parótida. TECHNETIUM-99m TECNÉCIO-99m Raioisótopo do tecnécio que decai por transição isométrica. rim. TECHNOLOGIST TÉCNICO Em radiologia. monitorá-lo durante o exame e obter os dados deste. dos pulmões. no. TELERADIOGRAPHY Radiografia com tubo posicionado a cerca de 2mm . emitindo um raio gama essencialmente monoenergético de 140 KeV com uma meia vida física de 6 horas. osso e medula óssea. TELEPATHOLOGY TELEPATOLOGIA A prática de patologia a uma localização distante por meio de monitor de vídeo de alta resolução que exibe uma imagem transmitida por linhas telefônicas a partir de um microscópio de controle remoto conjugado a uma câmara de vídeo. fígado.100 TECHNETIUM TECNÉCIO Elemento radioativo artificial. de acordo com a prescrição do médico supervisor. artificialmente produzido em 1973 por bombardeio de molibdênio por neutrons. o técnico é o profissional que tem a responsabilidade de fornecer conforto ao paciente. posicioná-lo para exames. prepará-lo. de símbolo Tc. acúmulos de sangue. Geralmente é obtido a partir de um gerador de radionuclídios de molibdênio-99 e é usado para proparar rádio fármacos para cintilografia do cérebro.

em diferentes localizações podem ver as imagens simultaneamente. assegurando assim paralelismo dos raios e distorção mínima. para diagnosticar nódulos pulmonares e massas. mais beneficiado quando este é realizado em um local adequado e por médicos qualificados. Os usuários. estabelecido e efetivo para pacientes selecionados com suspeita de patologia pulmonar. Como ocorre em qualquer procedimento invasivo. THORACIC NEEDLE BIOPSY (TNB) BIÓPSIA COM AGULHA TRANSTORÁCICA É um procedimento. o paciente é. TELEROENTGENOGRAM TELERRADIOGRAFIA A imagem obtida por teleradiografia. possivelmente. THORACOSCOPE TORACOSCÓPIO Um endoscópio para examinar a cavidade pleural. As imagens fornecidas devem ser de maior qualidade possível para satisfazer as necessidades da circunstância clínica. para que estas sejam interpretadas e/ou investigadas.101 do corpo. TELETHERAPY Terapia pelos raios X administrada a uma distância do corpo. TELERADIOLOGY TELERRADIOLOGIA É a transmissão eletrônica de imagens radiológicas provenientes de uma localização a outra. . THERMOPLACENTOGRAPHY TERMOPLACENTOGRAFIA Determinação da posição da placenta por detecção de raios infravermelhos a partir das grandes quantidades de sangue que fluem através da placenta.

enquanto o paciente permanece imóvel. acumulando na tireóide. algum tempo após a administração. THORACOSTOMY TARACOSTOMIA Estabelecimento de uma abertura na cavidade torácica. TOMOLEVEL NÍVEL DE CORTE O nível em que a tomografia é realizada. estratigrafia. ao passo que as estruturas em todos os demais planos sofrem um deslocamento relativo no filme e.102 ele é introduzido dentro da cavidade através de uma incisão na pele dentro de um espaço intercostal. TOMOGRAPHY Radiografia seccional. o plano escolhido para a imagem permanece estacionário ao se mover o filme. THYROID UPTAKE MEASUREMENT MEDIDAS DE CAPTAÇÃO DA TIREÓIDE Implica na administração oral de uma quantidade conhecida de iodo 123 ou iodo 131 e na medida da porcentagem do agente do traçador. portanto. planografia. planigrafia. laminagrafia. a realização de radiografias seccionais colocando-se o tubo de raios X em um movimento curvilíneo sincrônico com o movimento recíproco do filme. ficam obliteradas ou borradas. TOWNE PROJECTION ROENTGENOGRAM ROENTGENOGRAMA EM PROJEÇÃO DE TOWNE . TOMOGRAPH O equipamento radiográfico utilizado em tomografia.

intestino. Um meio ou agente pelo qual certas substâncias ou estruturas podem ser identificadas ou seguidas. . Tende a cronicidade e pode apresentar as mais variadas manifestações e localizações (pulmões. Um aparelho mecânico pelo qual o contorno de um objeto ou a direção e extensão do movimento de uma parte podem ser graficamente registrados 3.Um instrumento de dissecção para isolar vasos e nervos 2. TRAUMA TRAUMA Uma ferida ou lesão física ou psíquica. TUBERCULOSIS TUBERCULOSE Infecção observável no homem e noutros animais. etc. TRACER TRAÇADOR 1. rins. TRANSDUTOR Dispositivo projetado para converter energia de uma forma para outra. produzida por espécies de mycobacterium. como um traçador radioativo.) havendo predileção pelos pulmões como porta de entrada e sede. TRANSCRANIAL ROENTGENOGRAM ROENTGENOGRAMA TRANSCRANIANA Imagem TRANSDUCER radiográfica da articulação temporomandibular. TRANS-THORACIC NEEDLE BIOPSY BIÓPSIA COM AGULHA TRANSTORÁCICA(TNB) É um procedimento estabelecido e efetivo para pacientes selecionados com suspeita de patologia pulmonar.103 Imagem radiográfica dos côndilos mandibulares e do esqueleto médio da face. sistema nervoso.

U .104 TUBULAR CARCINOMA TUBULAR Forma bem diferenciada de carcinoma da mama com invasão do estroma por pequenos túbulos epiteliais.

ULTRASONOGRAPHY Ecografia. ULTRAMICROTOMY ULTRAMICROTOMIA A realização de cortes ultrafinos para microscopia eletrônica através de uso de um ultramicrótomo. pessoa que realiza e interpreta exames de ultra-sonografia. sonografista. ULTRASONICS ULTRA-ACÚTICA A ciência e a tecnologia do ultra-som. ou menos. sonógrafo. a imagem obtida por ultrasonografia. para microscopia eletrônica. instrumento utilizado para criar uma imagem utilizando ultra-som na ultrasonografia.105 ULTRAMICRÓTOMO Um micrótomo utilizado na realização de cortes ULTRAMICROTOME com 0. sonograma. a localização medida ou . de suas características e fenômenos. sonografia.1 de espessura. ULTRASONOGRAPH Ecógrafo. ULTRASONOGRAM Icograma. ULTRASONOGRAPHER Ecografista.

estruturas ou partículas observadas com o ultramicroscópio ou microscópio eletrônico.106 delineação de estruturas profundas por meio da medida da reflexão ou transmissão de ondas de alta freqüência ou ultra-sônicas. utilizado para obter imagens com fins de diagóstico médico. tecidos ou tratos. UNSEALED RADIONUCLIDE SOURCES FONTES RADIONUCLÍDEAS ABERTAS É uma terapia em que envolve a administração de quantidades milicuries (mCs) de radionuclídeos de emissor beta.000Hz. ULTRAVIOLET ULTRAVIOLETA Designa raios eletromagnéticos além da extremidade violeta do espectro visível. e recepção de . ULTRASTRUCTURE ULTRA-ESTRUTURA Estrutura fina. O objetivo da terapia é proporcionar cura. alívio adjuvante ou eficaz da doença. ULTRASOUND Som com freqüência maior que 30. em particular no sistema nervoso central. UNIQUE GHOST ARTIFACTS ARTEFATOS DE FANTASMA ÚNICO São erros na aplicação da fase de codificação do gradiente para a reprodução de imagens e nas fases de quadratura de transmissão radiofreqüência. minimizando efeitos colaterais desfavoráveis e complicações. ULTRASONOSURGERY ULTRA-SONOCIRURGIA Uso de técnicas de ultra-som para romper células.

Tem o objetivo de estabelecer a ausência ou a presença de doença. UROGRAPHY Radio-injeção percutânea de um agente de contraste com uma agulha ou cateter nos cálices ou pelve renal (pielografia anterógrafa) ou na bexiga (cistografia anterógrafa). URORADIOLOGY Exame das vias urinárias por um dos métodos de imageamento da radiologia. . URETHROCYSTOGRAPHY UROGRAM Registro radiográfico obtido por urografia.107 UPPER GASTROINTESTINAL EXAMINATION RADIOGRAFIA GASTROINTESTINAL SUPERIOR É o exame do trato gastrointestinal superior realizado pela técnica de simples ou duplo contraste. e a natureza e extensão da mesma. são procedimentos profícuos e comprovados para avaliação do estômago e duodeno. por meio de estudos de qualidade otimizada com quantidade mínima de radiação.

108 V VASOGRAPHY .

VENTRICULOATRIAL VENTRICULOATRIAL Relativo aos ventrículos e átrios.109 VASOGRAFIA Radiografia dos vasos sangüíneos. 2.Radiografia da cabeça após remoção de líquido cerebroespinhal dos ventrículos cerebrais e sua substituição por ar ou outro meio de contraste. em sentido retrógrado. mas principalmente à passagem de condução. ou a partir do próprio coração ao átrio direito do coração. após a injeção de uma substância radiopaca. VIEWBOXES NEGATOSCÓPIO Aparelho com iluminação especial que permite a observação perfeita dos negativos ou chapas . VENTRICULOGRAPHY VENTRICULOGRAFIA 1. ao ou no sentido do coração. por exemplo. VENTRICULOGRAM VENTRICULOGRAMA Uma radiografia dos ventrículos cerebrais ou dos ventrículos do coração. VENOGRAPHY VENOGRAFIA Visualização radiológica de uma veia. VENA VEIA Um vaso que conduz sangue.Radiografia de um ventrículo do coração após injeção de um meio de contraste. VENTRICULOCISTERNOSTOMY VENTRICULOCISTERNOSTOMIA Abertura artificial entre os ventrículos do encéfalo e a cisterna magna.

DURANTE A W . VOIDING CYSTOURETHROGRAPHY CISTOURETROGRAFIA MICÇÃO É o exame de cistouretrografia realizado durante a micção.110 radiográficas.

111 X .

ver também X-ray. . a partir de uma placa carregada eletrostaticamente e não em um filme radiográfico. X.112 RADIAÇÃO X Energia radiante emitida por um tubo de raios X.RADIATION XEROMAMMOGRAPHY XEROMAMOGRAFIA Exame radiográfico da mama com a imagem produzida por toner pulverizado seco sobre papel.

excitado pelo bombardeio do ânodo alvo com uma corrente de elétrons provenientes de um cátodo aquecido 2radiação eletromagnética produzida pela excitação dos elétrons da órbita interna de um átomo. Y .113 XERORADIOGRAPHY XEROGRAFIA Xerorradiografia. 1. X-RAY RAIO X Raio Roentgen.A radiação eletromagnética emitida por um tubo altamente evacuado. a realização de um radiograma através de uma placa carregada e especialmente revestida e desenvolvida com um pó seco e não com substâncias químicas líquidas.

114 .

115 Z ZEUMATOGRAPHY .

.116 ZEUMATOGRAFIA Uma técnica de ressonância magnética nuclear que é sensível a água em sistemas biológicos e pode fornecer em quadro tridimensional do interior de objetos em um campo magnético.

Michaelis: Moderno Dicionário inglês-português. 2000. 1996. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. Aurélio Século XXI. 25ª ed. português-inglês. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.. São Paulo: Companhia Melhoramentos.A. O Dicionário da Língua Portuguesa. Standard. Ilustrada. FERREIRA. . Idilia Ribeiro Vanzellotti. Aurélio Buarque de Holanda. 1999. Tradução: Claúdia Lúcia Caetano de Araújo.117 BIBLIOGRAFIA AmericanCollege of Radiology. Stedman Dicionário Médico. J.1996. Maria de Fátima Azevedo. Israel Lemos.

118 .

119 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful