P. 1
Apostila de Armamento e Tiro Policial - Cap PM Vilaça

Apostila de Armamento e Tiro Policial - Cap PM Vilaça

|Views: 1.640|Likes:
Publicado porAugusto Vilaça

More info:

Published by: Augusto Vilaça on Nov 01, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/20/2014

pdf

text

original

Sections

  • 1. Seqüencia a seguir:
  • 2. MONTAGEM
  • 3 – TIRO DE PRECISÃO
  • 4 – AJUSTE DA PONTARIA

ARMAMENTO E TIRO POLICIAL

ARMAS LEVES
Todas aquelas com peso e volume relativamente reduzidos, podendo ser transportadas, geralmente por um homem, ou em fardos por mais de um, além de possuírem o seu calibre inferior ou igual a .50, ou seja, 12,7mm.

CLASSIFICAÇÃO
As armas leves classificam-se: ►QUANTO AO TIPO a) de porte: quando pelo seu pouco peso e dimensões reduzidas pode ser conduzido em um coldre. Exemplos: Revólver, Pistola; b) portátil: quando apesar de possuir um peso relativo pode ser conduzido por um só homem, sendo para facilidade de transporte, dotado de uma bandoleira. Exemplos: Mosquetão, Carabina, Submetralhadora, Espingarda, Metralhadora Madsen. c) não-portátil: quando pelo seu grande peso e volume, só pode ser conduzido em viatura ou dividido em fardos, para serem transportados por vários homens. Exemplo: Metralhadora a gás.

►QUANTO AO EMPREGO a) individual: quando se destina à proteção daquele que a conduz, não exigindo, para sua utilização, mais que um indivíduo. b) coletivo: quando se destina à proteção de um grupo de homens ou fração de tropa, sendo ainda necessário mais de um homem para sua utilização. (Morteiro) 1 Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail.com

ARMAMENTO E TIRO POLICIAL
►QUANTO AO FUNCIONAMENTO a) de repetição: é aquela em cujo princípio é a força muscular do atirador, com a ação sendo repetida para cada disparo. Exemplos: Revólver, Mosquetão, Carabina Puma, Espingarda de Repetição. b) semi-automáticas: são aquelas que realizam automaticamente todas as operações do funcionamento, com exceção do disparo. Exemplos: Pistolas, Carabina Taurus/FAMAE, Fuzil IMBEL MD2A1. c) automáticas: são aquelas que realizam automaticamente todas as operações de funcionamento. Exemplos: Metralhadora Madsen, PARAFAL, FAL, FAP. ►QUANTO AO PRINCÍPIO DO FUNCIONAMENTO a) armas que utilizam a força muscular do atirador: como o próprio nome diz, utiliza a força muscular do atirador, que desenvolve os mecanismos responsáveis pela realização do tiro. Exemplos: Mosquetão, Revólver, Carabina Puma. b) armas que utilizam as pressões dos gases resultantes da queima da carga propelente: aproveitam a pressão expansiva dos gases decorrente da explosão e queima da carga propelente existente no interior do cartucho para acionar os mecanismos responsáveis pelo tiro, apresenta-se de três formas distintas: - Ação dos gases sobre o ferrolho: caracteriza-se pela expansão dos gases decorrentes da deflagração, que impulsiona o projétil para frente e a cápsula para trás, o que faz com que o ferrolho se movimente à retaguarda. O estojo deflagrado é ejetado e o cão novamente armado. Em seguida, a mola recuperadora impulsiona o ferrolho para frente colocando uma nova munição na câmara. Exemplos: Submetralhadoras, Pistolas. - Ação dos gases sobre o êmbolo: expansão dos gases, após o disparo impulsionando o projétil à frente, iniciando o seu percurso dentro do cano da arma. O cano da arma possui um orifício que se comunica ao local onde repousa o 2 Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail.com

ARMAMENTO E TIRO POLICIAL
êmbolo. Através desse orifício, parte dos gases penetram e empurram o êmbolo para trás. A movimentação do êmbolo aciona o ferrolho que produz os processos de ejeção da cápsula vazia e colocação de outro cartucho na câmara. Este sistema foi desenvolvido para diminuir a velocidade teórica de tiro de modo a possibilitar o controle de armas que chegam a disparar mais de 700 tiros por minuto, a exemplos: FAL, PARAFAL, AK 47. - Ação dos gases fazendo recuar o cano: também funciona pela ação dos gases, no entanto, agora verifica-se o deslocamento do cano. Com o recuo há o acionamento das partes mecânicas que fazem a ejeção da cápsula vazia e colocação de um novo cartucho na câmara. Exemplo: Metralhadora Madsen. ►QUANTO À ALIMENTAÇÃO a) manual: Revólver, Espingarda, Carabina; b) com carregador - de pano tipo fita: Metralhadora a gás - MAG - metálico tipo lâmina: Mosquetão - metálico tipo cofre (o famoso “pente”): Pistola, Submetralha-dora. ►QUANTO AO SENTIDO DA ALIMENTAÇÃO - da direita para a esquerda: Submetralhadoras Thompson. - da esquerda para a direita: Metralhadoras com carregadores de pano, tipo fita. - de cima para baixo: Metralhadora Madsen. - de baixo para cima: Pistolas, Fuzis, Submetralhadoras. - antecarga (pela boca do cano): Espingardas de socar. - retrocarga (por trás): Revólver, Carabina Puma. ►QUANTO AO RAIAMENTO a) alma raiada – as raias sevem para provocar nos projéteis um movimento de giro em (spin), necessário para vencer a resistência aerodinâmica do ar,

3

Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail.com

Fuzis. . .38.com . . b) Sistema Inglês ou Norte . 20.Americano: . Pistola. com as quais se fez uma esfera que representa a abertura do cano. 4 Cap PM VILAÇA – cap.45. Levógiro  da direita para a esquerda b) alma lisa: Espingardas ►QUANTO AO CALIBRE a) Sistema Métrico ou Sistema Europeu: 5.vilaca@gmail.32. c) Convencionada (utilizados em espingardas): 12.62 mm. 36. .35 mm. 16.30. Foram produzidos a partir da divisão de uma libra de chumbo em partes iguais. 9 mm.50. um maior alcance e precisão: Revólver. Submetralhadoras.40. . 7. 6.22. . . Destrógiro (Destro + giro)  da esquerda para a direita 2.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL conferindo. 7 mm. Quanto ao sentido das raias temos: 1. assim.25. 28.56 mm. ao projétil. 10 mm.

são eles: . em milésimos de segundo. um volume de gases superior àquele ocupado anteriormente.com . denominamos o cartucho como “fogo central”. e ao volume suportado pelo estojo (que se acha “tampado” pelo projétil) e pela câmara da arma onde o cartucho encontra-se alojado. consequentemente.pólvora . sendo assim. obviamente) é acionado. são eles: 5 Cap PM VILAÇA – cap. o percussor (percutor. A combustão da pólvora produz. de equilíbrio da pressão. existente(s) no fundo do alojamento da espoleta e dão início à combustão da pólvora.espoleta . é expelir o projétil pelo único caminho livre disponível: o cano da arma. produzem-se centelhas (chamas) de alto poder calorífico que passam por orifício(s). normalmente.projétil IGNIÇÃO Quando o percussor atinge uma espoleta que está colocada em um compartimento no centro de um estojo. com o aumento da pressão dos gases. também chamados de evento(s).estojo .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL O CARTUCHO Nenhuma arma de fogo existiria sem as munições.vilaca@gmail. ou cartuchos. por quatro elementos. fazendo a ignição da mistura iniciadora. São três os tipos principais de espoleta que caracterizm os cartuchos de fogo central. a única via de escape e. em alguns casos) atinge a espoleta. Um cartucho é composto. Toda vez que o gatilho de uma arma (carregada. Com isso.

Bateria  a espoleta é independente do estojo e possui o próprio alojamento. Esse tipo de cartucho é denominado de fogo 6 Cap PM VILAÇA – cap. dois orifícios (eventos) para a passagem da centelha. no estojo. Boxer  a bigorna faz parte da espoleta e o alojamento desta. o qual possui. nos cartuchos de papel ou de plástico utilizados nas armas de alma lisa (espingardas). exclusivamente. Estas espoletas são utilizadas.vilaca@gmail.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Berdan  a bigorna (peça metálica que auxilia na compressão da carga de ignição que fica espremida entre ela e o percussor) faz parte do estojo.com . possui um único orifício (evento) central para a passagem da centelha. na parte interna do culote. Existe ainda o caso quando a mistura iniciadora fica no fundo do estojo. em forma de anel. no alojamento da espoleta.

Espoleta – como já vimos. Um exemplo de cartucho de fogo circular. geralmente em forma de disco. diferindo em formatos.com . comprime o culote contra a câmara da arma. As mais comuns são as “Small Pistol 1 ½”.38 Special. e composição. com sensibilidade controlada para garantir perfeito funcionamento em qualquer tipo ou marca.25 Auto ao . a mistura e a pólvora estão em contato direto e a ignição da mistura se dá golpe do percussor da arma que. do . produzido dentro de limites mínimos de exigências técnicas que proporcionem total segurança e perfeito funcionamento. destinadas a calibres pequenos de armas curtas. pesos.vilaca@gmail. Neste caso. é o da família do calibre .22 . CARTUCHOS DE FOGO CENTRAL (Componentes e Características) Estojo .fabricado em metal. velocidade e precisão.nitrocelulósica de base simples. em formato peletizado. geralmente latão. existem diversos tipos. e as “Large Pistol 2 ½”. Projétil – são vários os tipos de projéteis conhecidos no mercado. Pólvora . visando atender as mais variadas exigências de emprego. liga de cobre e zinco. São fruto de estudos que visam assegurar características como pressão.45 . destinadas a calibres maiores de armas curtas. As espoletas possuem mistura iniciadora não corrosiva sem mercúrio e antioxidante.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL circular. como também tamanhos de espoletas para armas de fogo central. 7 Cap PM VILAÇA – cap. como a .

em formato de disco. Projétil – dadas as restrições características do cartuchos.fabricado em latão de baixa dureza e espessura tal que permite o seu “amassamento’’ pelo percussor. Pólvora – nitrocelulósica de base simples. e conseqüente baixa resistência que os cartuchos de fogo circular são restritos aos calibres mais baixos e não permitem recargas. 8 Cap PM VILAÇA – cap. peletizada.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL CARTUCHOS DE FOGO CIRCULAR (Componentes e características) Estojo .vilaca@gmail. E em função desta dureza.com . são bastante restritas as variantes dos projéteis de fogo circular sendo quase sempre em ligas de chumbo. Espoleta – não possui. A mistura iniciadora ocupa toda a extensão interna do culote.

Tamanhos de chumbos dos cartuchos CBC para espingarda Os componentes de um cartucho de caça são: Estojo .composto de uma base de aço. ou armas de alma lisa. podendo também ser totalmente metálicos (mais comuns 9 Cap PM VILAÇA – cap. Embora possam ser carregadas com projéteis singulares (balotes).vilaca@gmail. constituídos de esferas de chumbo.com . são mais freqüentemente carregadas com projéteis múltiplos. que são disponíveis em diversos diâmetros.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL CARTUCHOS DE CAÇA (Componentes e Características) Cartucho de fogo central destinado ao uso em espingardas. com acabamento latonado e de um tubo de plástico ou de papelão.

No caso dos cartucho com tubo de plástico é do tipo estrela de seis pontas.nitrocelulósica de base simples. em formato de disco.2 mm . Buchas . Nos de metal o fechamento é feito com bucha.As esferas de chumbo são impelidas pela carga de pólvora com o auxílio de uma bucha. 16. peletizada. Os de competição.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL para os calibre menores (20.As espoletas utilizadas no carregamento dos cartuchos de caça são do tipo bateria.Cartucho Cal. 36). MODELOS DE CARTUCHOS PARA ESPINGARDA 01 . 12 / 76. Chumbo . 12 / 65 mm – HL (Home Load) 10 Cap PM VILAÇA – cap.Os tamanhos dos chumbos (balins) dos cartuchos de caça variam de acordo a seu número.Cartucho Cal.Cartucho Cal. variando também a quantidade de projéteis em cada cartucho. Os cartuchos de caça de plástico ou de papelão são carregados com bucha de serragem prensada e disco de papelão.vilaca@gmail.Série Magnum 02 .com . são carregados com bucha plástica. São fabricadas nos calibres 12. 20. 28. nos de papelão. com tubo de plástico. Pólvora . há o fechamento com um disco geralmente de papelão. 12 / 70 mm – Série Hi-Impact 03 . 28 (CBC) Espoletas .

o que pode causar o “chumbamento do cano”. Formato pouco aerodinâmico (em forma de cilindro) baixa velocidade.Cartucho Cal. Mais comuns. Também pouco adequados à atividade policial. Geralmente utilizados na prática do tiro esportivo. embora impacto razoável no alvo. protege a base dos projéteis contra derretimento.com . podemos encontrar uma base de outro metal (cobre ou latão). Baixo impacto ao alvo. maior aerodinâmica com maior orifício de 11 Cap PM VILAÇA – cap. denominados de “OGIVAL“. ou seja. produz um orifício maior que os ogivais. chamado de “gas check”. Em alguns casos. que. pouca expansão. tentam mesclar as qualidades dos ogivais com os de canto-vivo.Série Hi-Impact PROJÉTEIS DE CHUMBO São fabricados exclusivamente com ligas de chumbo.vilaca@gmail. Devido ao seu formato. O “chumbamento”. é de difícil remoção e afeta a precisão do tiro. Projéteis “CANTO-VIVO“. Os projéteis formato “SEMI-CANTO-VIVO“. Pouquíssimo poder de penetração. Os projéteis em chumbo mais comuns são os em formato ovalado ou de ogiva. no caso de cargas destinadas a velocidades mais altas. 12 / 70 mm – Projétil Singular (Balote) . pouco adequados à atividade policial.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 04 04 . sendo assim. pouca penetrabilidade.

sem que o risco de chumbamento do cano. Geralmente empregados na caça.32 S & W com projétil CHCV de 98 grains 4 . zinco e estanho. entre outros. Também são conhecidos outros tipos de projéteis de chumbo.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL entrada. também sem muito uso na atividade policial. 1 . como o ogival de ponta plana.38 Super Auto com projétil CHOG de 125 grains + P 3 . o cônico.. desenvolver uma adequada energia. 12 Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail. O revestimento externo é constituída de liga não ferrosa.357 Magnum com projétil CSCV de 158 grains PROJÉTEIS ENCAMISADOS Possuem um revestimento metálico externo ao enchimento. cobre.. normalmente: cobre e níquel. normalmente de chumbo. cobre e zinco. O enchimento serve para dar ao projétil o peso.com . assim. para evitar a oxidação. o de ponta oca.. níquel e zinco. cobre.45 Auto com projétil CSCV de 200 grains 2 .. com a função de conferir maior velocidade ao projétil. já que as ligam são mais leves que o chumbo e.

. Toma a forma aparente de um cogumelo.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 1 .25 Auto com projétil ETOG de 50 grains 6 . Num alvo humano.38 Super Auto com projétil ETOG de 125 grains + P 4 . EXPANSIVOS – o revestimento metálico externo é aberto na ponta e fechado na base. no momento do impacto com o alvo. causaria um ferimento grande e uma considerável dilaceração interna. aumentando a transferência de energia potencial.9 mm Luger com projétil ETOG de 115 grains 5 .62 x 51 mm com projétil ETPT de 150 grains 8 – 7.vilaca@gmail. PROJÉTEIS SEMI-ENCAMISADOS 13 Cap PM VILAÇA – cap..62 x 63 mm com projétil ETPT de 150 grains Os projéteis encamisados podem ser divididos em dois grandes grupos: SÓLIDOS – o revestimento metálico externo é fechado na ponta e aberta na base.7. o que favorece a deformação do projétil e sua conseqüente expansão..45 com projétil ESCV de 230 grains 3 ..com . Bons para uso policial. Menor poder de expansão/deformação.7.62 x 39 mm com projétil ETPT de 122 grains 7 .45 com projétil ETOG de 230 grains 2 .

vilaca@gmail. no impacto com o corpo. chamado de ponta macia.. por maior que seja a velocidade. O pino faz com que.) penetrem na cavidade e. 14 Cap PM VILAÇA – cap. podendo ser de ponta oca ou não. o projétil não suje o cano. direcionados pelo pino para as paredes do projétil.38 SPL + P com projétil EXPO de 158 grains 3 . carne etc...357 Magnum com projétil EXPO de 158 grains 5 . e tem como característica um pino de metal endurecido no centro da cavidade. os fluidos corporais (sangue. As munições semi-encamisadas são. gordura.44 Magnum com projétil EXPP de 240 grains PROJÉTEIS ESPECIAIS São assim chamados porque têm utilização quase exclusiva para defesa. como pode acontecer com os de chumbo.com . nesse caso.38 SPL + P com projétil EXPO de 125 grains 2 . 1 . A ponta de chumbo exposta. As primeiras produzem mais expansão e as segundas maiores penetrações.. tentando obter o máximo em poder de parada: HIDRA SHOCK: é um projétil desenvolvido a partir de hollow point comum. Essa jaqueta de cobre faz com que.357 Magnum com projétil EXPP de 158 grains 4 .... costumeiramente empregadas em revólveres. principalmente aqueles em calibre Magnum.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL O revestimento metálico não recobre todo o projétil.

consegue penetrar em superfícies como vidros e portas de carro. geralmente de um projétil Silver Tip.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL ampliem a expansão deste. de dureza controlada. por dentro da cavidade. que ficam no interior da jaqueta e constituem o núcleo do projétil. Suas características essenciais para o uso no combate de ruas são: não resvala. SILVER TIP: desenvolvida pela Winchester. ao contrário do que muitos pensam. Aumenta o impacto e o “Stopping Power”. não é constituída de prata. tanto que foram mundialmente proibidos de serem fabricados pela ONU. quando há a dispersão dos balins. o último componente é uma capa de plástico que fecha a abertura da jaqueta. não transfixa o corpo humano. BLACK TALON: semelhantes ao HIDRA SHOCK.vilaca@gmail. específica para cada calibre. mesmo quando atinge muros ou paredes. EXPLOSIVE: possui elementos explosivos dentro da cavidade normal de uma ponta oca. em comparações entre calibres iguais/equivalentes. mantendo-se intactas para agir somente em contato com superfícies macias e. Por esse sistema a HIDRA SHOCK tem expansão mais violenta que a ponta oca. inclusive. Altamente devastador em alvos humanos. é na realidade uma ponta oca (hollow point) com o núcleo de chumbo e jaqueta de alumínio. quando expandido. onde se coloca uma pequena carga de pólvora de queima rápida e uma espoleta do tipo Magnum sensibilizada para maior efeito. 15 Cap PM VILAÇA – cap. Possui três partes: o primeiro é uma jaqueta de cobre. toma o formato de uma garra (garra negra). inclusive a de usos especiais. no entanto o revestimento externo é projetado de maneira a. Compõe-se. o segundo componente são balins de chumbo fino. tornando-a adequada para uso no combate a elementos com reféns. GLASER: atualmente possui um “Stopping Power” (poder de neutralização do alvo) superior ao das outras munições.com .

38 SPL com projétil CHOG-TP de 158 grains 16 ..380 Auto com projétil ETOG de 95 grains 08 .vilaca@gmail.32 S&W com projétil CHCV de 98 grains 06 .9 mm Luger com projétil EXPP “flat” de 95 grains 13 ..com ...32 Auto com projétil ETOG de 71 grains 03 .38 SPL com projétil CSCV de 158 grains 18 .9 mm Luger com projétil EXPO de 115 grains 12 ...32 Auto com projétil EXPO de 71 grains 04 .32 S&W com projétil EXPO de 98 grains 07 ..9 mm Luger com projétil CHOG de 124 grains 14 ..38 SPL com projétil CHOG de 158 grains 15 .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL FORMATOS ENCAMISADOS DE PROJÉTEIS DE CHUMBO E 01 .380 Auto com projétil EXPO de 95 grains 09 .9 mm Luger com projétil ETOG de 124 grains 11 .32 S&W com projétil CHOG de 98 grains 05 ...38 SPL com projétil CHCV de 148 grains 17 .9 mm Luger com projétil ETOG de 115 grains 10 ....38 SPL com projétil de 125 grains 16 Cap PM VILAÇA – cap.25 Auto com projétil ETOG de 50 grains 02 .

357 Magnum com projétil EXPP de 158 grains 21 ...40 S&W com projétil EXPO de 180 grains 25 .357 Magnum com projétil EXPO de 158 grains 22 .40 S&W com projétil ETPP de 180 grains 26 ..45 Auto com projétil CSCV de 200 grains 29 ..223 com projétil ETPT de 55 grains 31 .......38 Super Auto com projétil CHOG de 160 grains 23 ..264 com projétil ETPT “Boat Tail” de 143 grains 34 .40 S&W com projétil CSCV de 160 grains 27 ...243 com projétil EXPT de 100 grains 33 .308 com projétil ETPT de 150 grains 36 .38 Super Auto com projétil ETOG de 125 grains 24 .com .45 Auto com projétil ESCV de 230 grains 30 ....38 SPL com projétil EXPO de 158 grains 20 ..vilaca@gmail.45 Auto com projétil ETOG de 230 grains 28 .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 19 .308 com projétil ETPT “Boat Tail” de 150 grains 17 Cap PM VILAÇA – cap..308 com projétil ETOG de 110 grains 35 .223 com projétil EXPT de 55 grains 32 .

38 Super Auto 07 .25 Auto 06 .45 Auto 03 ...12 (Balote) Chumbo de 390 grains MODELOS DE ESTOJOS 01 – 9 mm Luger 02 .com .vilaca@gmail.32 Auto 05 ..44 Magnum com projétil EXPP de 240 grains 41..308 com projétil EXPT de 150 grains 39 ....308 com projétil ETPT “Boat Tail” de 162 grains 38 ..40 S&W 04 ...380 Auto 18 Cap PM VILAÇA – cap.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 37 .44-40 com projétil CHPP de 200 grains 40 .

....357 Magnum 13 .44 Magnum 09 .com .vilaca@gmail.38 SPL + P 14 .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 08 ..32 S&W 12 .38 SPL 11 .32 S&WL 10 ...38 SPL Curto 19 Cap PM VILAÇA – cap.

36 Longo Presidente 33 .1 mm L Presidente 26 ..12 Presidente 36 .24 Presidente 30 .32 Presidente 35 .243 Winchester 20 .16 Presidente 31 .20 / 70 mm Plástico 29 .20 Presidente 20 Cap PM VILAÇA – cap.7.28 Presidente 27 .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 15 .30-06 18 .9..36 / 63.32 / 63.62 x 39 mm 23 .44-40 Winchester 16 .308 Winchester 19 .16 / 70 mm Plástico 34 .22-250 Remington 22 ..28 / 70 mm Plástico 37 .5 mm Plástico 28 ....223 Remington 24 ..com .6.30 M1 17 .5 mm Plástico 32 .5 x 55 mm 21 .12 / 70 mm Plástico 25 .vilaca@gmail.

7x57 mm.380 Win. .223 Remington.30-30.45 Auto e . . .22-250.25 Auto até o .357 Magnum com projéteis de 158 grains ou mais pesados.38 SPL +P.40 S&W e . PÓLVORA 220 Pólvora BS destinada ao calibre . PÓLVORA 219 Pólvora BS para cartuchos de caça em todos os calibres. . Pode ser utlizada também nos calibres .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL TIPOS DE PÓLVORAS CBC PÓLVORA 102 Pólvora BS destinada aos cartuchos de fogo central para armas raiadas de canos longos (rifles e fuzis) em calibres tais como o .com . PÓLVORA 216 Pólvora BS destinadas aos calibres convencionais de Armas Curtas tais como o . 21 Cap PM VILAÇA – cap. .44-40 Win. PÓLVORA 207 Pólvora BS destinada aos calibres de Arma Curta com características balísticas elevadas tais como o 9 mm Luger. Pode ser utilizada em cartuchos de caça calibre 12.38 Super Auto.vilaca@gmail. .30-06 e outros.38 SPL.

e) Colocar os cartuchos em locais em que possam cair ao chão. f) Não recarregue cartuchos com cargas além do normal. deixando-os em locais secos e ventilados. cujas conseqüências podem levar a acidentes. i) Utilizar cartuchos recarregados para defesa. j) Modificar a forma original dos projéteis. g) Evite deixar cartuchos caírem ao solo. Para uma boa conservação dos cartuchos. eles têm que estar sempre secos. b) Guardar os cartuchos em locais úmidos ou abafados. 22 Cap PM VILAÇA – cap. g) Usar cartuchos de calibres diferentes na mesma arma. vejamos alguns exemplos: a) Guardar os cartuchos em porta-luvas ou porta-malas de carro. d) Aquecer os cartuchos em forno de fogão. microondas. ou colocá-los expostos ao sol.com . h) Para melhor guardar e conservar seus cartuchos coloque-os em caixas de isopor ou plástico. c) Jogar os cartuchos em fogueiras para ver se explodem. e) Nunca acrescente materiais ou produtos químicos nos projéteis. ou outros locais onde sejam submetidos a calor excessivo. c) Não jogue cartuchos negados em fogueira. h) Colocar produtos químicos nos projéteis. d Nunca utilize cartuchos de calibres variados na mesma arma. recomenda-se o seguinte: a) Jamais aqueça cartuchos. nem os deixe passar por temperaturas elevadas. b) Nunca lubrifique os cartuchos ou passe verniz.vilaca@gmail. f) Lubrificar ou polir os cartuchos com óleos ou pastas.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL CUIDADOS COM OS CARTUCHOS Algumas pessoas cometem graves erros no que tange a conservação dos cartuchos de arma de fogo.

ARMAMENTO E TIRO POLICIAL
PISTOLA TAURUS
São armas semi-automáticas, ou seja, aproveitam a força expansiva dos gases, para o seu carregamento, dependendo cada tiro do acionamento da tecla do gatilho, por parte do atirador. Possui um raiamento formado por seis raias orientadas à direita (6D). Todas se apresentam com o percussor flutuante. O acabamento das pistolas fabricadas em aço carbono é em grande parte oxidada. As pistolas nos calibres 9mm, .380 ACP e .40 S&W, podem ser fabricadas, também, em aço inoxidável.

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA

Visando evitar disparos acidentais, foram adicionadas modificações em peças e no dispositivo de segurança das Pistolas Taurus, a seguir descrito: 1) A trava do percussor bloqueando o fica o seu

permanentemente percussor, queda da arma;

impedindo

deslocamento à frente, o que poderia ocasionar tiros acidentais, caso ocorresse uma

2) A trava do percussor somente é liberada no estágio do acionamento do gatilho, permitindo que o percussor desloque-se à frente, tão logo receba a energia proveniente do impacto do cão. A liberação se faz através da cadeia de

23

Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail.com

ARMAMENTO E TIRO POLICIAL
movimentos constituída pelo gatilho, tirante do gatilho, impulsor da trava do percussor e trava do percussor. 3) O registro de segurança ao ser acionado para cima, trava simultaneamente o cão e a armadilha. Foi projetado para permitir o uso ambidestro e possibilita uma rápida passagem da posição de segurança para a de disparo;
(Catálogo Forjas Taurus)

4) Quando um cartucho está alojado na câmara, a extremidade do extrator fica saliente, revelando uma marca vermelha. Assim é possível controlar visualmente ou pelo tato, a existência de cartucho na câmara, sem necessidade de recuar o

ferrolho.
(Catálogo Forjas Taurus)

24

Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail.com

ARMAMENTO E TIRO POLICIAL
5) Desarmador do Cão - ao mover a tecla de segurança para baixo, o cão desconectará o tirante do gatilho, então a conexão entre o gatilho e a armadilha será interrompida. O movimento de avanço do cão será parado pelo retém do cão.

(Catálogo Forjas Taurus)

25

Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail.com

com . Uma vez municiado. introduza o carregador na pistola (alimente) até que fique preso pelo retém do carregador. (Catálogo Forjas Taurus) 26 Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail. localizado próximo ao guarda-mato e retire o carregador. observe as seguintes instruções: 1) Comprima. com o polegar. (Catálogo Forjas Taurus) 2) Com uma das mãos segure o carregador e com a outra introduza os cartuchos um a um. o botão do retém do carregador.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL FUNCIONAMENTO Objetivando o correto funcionamento das Pistolas Taurus. pressionando-os para baixo e para trás.

o ferrolho. (Catálogo Forjas Taurus) 27 Cap PM VILAÇA – cap. (Catálogo Forjas Taurus) 4) A pistola está engatilhada e pronta para disparar. O ferrolho irá então para frente. Novamente a pistola estará pronta para disparar. através do acionamento do gatilho.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 3) Segure a pistola com uma das mãos. mantendo o dedo longe do gatilho.com . Para que volte a sua posição normal. soltando-o a seguir. impulsionado pela mola recuperadora. introduzindo um cartucho na câmara. impulsionado pela pressão dos gases. pressione para baixo o retém do ferrolho localizado na zona imediatamente acima da placa do punho. Após a detonação do último cartucho. Com a outra mão puxe o ferrolho para trás até o batente.vilaca@gmail. retrocederá para expulsar o estojo e carregar um novo cartucho. Após o disparo. o ferrolho ficará recuado e imobilizado pela ação do retém do ferrolho sobre o mesmo.

é necessário tão somente pressionar o registro de segurança para baixo.com . No caso das pistolas que dispõem da função desarmador do cão. Em seguida. pois.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 5) Em caso de interrupção dos tiros antes do último cartucho ser disparado. até que volte à sua posição de repouso. Para desengatilhar a pistola mantenha-a empunhada. libere o ferrolho. para desengatilhar. Em seguida acione o gatilho e deixe o cão avançar lentamente até o seu batente. bastando acionar o registro de segurança para cima. (Catálogo Forjas Taurus) 6) Para descarregar a pistola. retire o carregador e puxe o ferrolho até o seu batente para extração do cartucho que se encontra na câmara. 28 Cap PM VILAÇA – cap. basta acionar o gatilho. as Pistolas Taurus são dotadas de mecanismo de disparo de ação dupla. deverá apontar o cano sempre para uma direção segura e preferencialmente para o solo. sem o dedo no gatilho e destrave-a. Sempre que o atirador tiver a intenção de desengatilhar e/ou descarregar a pistola.vilaca@gmail. Para reiniciar os disparos. Com o polegar e o indicador da outra mão segure firmemente o cão. desengatilhe a arma e coloque-a na condição travada.

(Catálogo Forjas Taurus) 2) Com o dedo indicador da mão esquerda. devem-se efetuar as operações a seguir indicadas: 1) Premer o botão localizado próximo ao guarda-mato e retirar o carregador. assegurando-se que não existe cartucho na câmara.vilaca@gmail. girar a alavanca.com .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL DESMONTAGEM E MONTAGEM A) Desmontagem . no sentido horário. premer o botão do retém da alavanca de desmontagem e ao mesmo tempo. (Catálogo Forjas Taurus) 29 Cap PM VILAÇA – cap.para efetuar a desmontagem da pistola. com o dedo polegar.

30 Cap PM VILAÇA – cap. (Catálogo Forjas Taurus) 5.com . levantando o conjunto e retirando-o cuidadosamente. PT 99 AF. (Catálogo Forjas Taurus) 4.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 3) Deslizar o grupo ferrolho / cano para frente até liberá-lo da armação.vilaca@gmail. Comprimir o mergulhador do bloco de trancamento (somente nas PT 92 AF. PT 100 e PT 101). Comprimir levemente a guia da mola recuperadora com sua respectiva mola.

fazer de forma inversa à desmontagem: 1. O impulsor da trava do percussor deve estar abaixado no momento de montar o ferrolho na armação.Para proceder à montagem.com . 31 Cap PM VILAÇA – cap. Retirar o grupo cano / bloco de trancamento do ferrolho.vilaca@gmail. (Catálogo Forjas Taurus) B) Montagem .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL (Catálogo Forjas Taurus) 6.

vilaca@gmail. Antes de girar a alavanca de desmontagem. (Catálogo Forjas Taurus) 32 Cap PM VILAÇA – cap.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL (Catálogo Forjas Taurus) 2. o ferrolho deve estar perfeitamente alinhado com a parte posterior da armação.com .

mediante os procedimentos a seguir: 1.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL ADAPTAÇÃO DAS PISTOLAS PARA USO DOS CANHOTOS As Pistolas Taurus podem ser adaptadas para o uso por canhotos.com . Com um saca-pino pressionar o botão serrilhado do retém do carregador e.vilaca@gmail. desenroscar o retém do carregador. (Catálogo Forjas Taurus) 33 Cap PM VILAÇA – cap. Remontar o conjunto com o botão voltado para o lado direito da arma. ao mesmo tempo. (Catálogo Forjas Taurus) 2.

1982 C .com .1988 I .A Cal.T Cal. -------------.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL NÚMERO DE SÉRIE EM PISTOLAS TAURUS A partir do mês de outubro de 1987. 22 L. 40 S&W ------------. 6.1983 D . 45 ACP -------------. a segunda letra o ano de fabricação e a terceira letra o mês de fabricação da cada pistola.1984 E . Atualmente.1986 G .1985 F .1990 K – 1991 L – 1992 MÊS A – JANEIRO B – FEVEREIRO C – MARÇO D – ABRIL E – MAIO F – JUNHO G – JULHO H – AGOSTO I – SETEMBRO J – OUTUBRO K – NOVEMBRO L – DEZEMBRO (com exceção das Forças Armadas Brasileira) M – 1993 N – 1994 O – 1995 P – 1996 Q – 1997 R – 1998 S – 1999 T – 2000 U – 2001 V – 2002 As letras indicativas do ano e mês de fabricação são idênticas às usadas na numeração dos revólveres. as Pistolas Taurus foram dotadas com numeração de série alfanumérica composta por três letras e cinco algarismos. sendo que a letra inicial indicará o calibre.1989 J . 7. as Pistolas Taurus têm o seu número de 34 Cap PM VILAÇA – cap.N Critério para correspondência de ano e mês: ANO A . Foi adotado para as pistolas o mesmo sistema de numeração que será usado nos revólveres.1987 H .R. 380 ACP -----------.S Cal.1981 B . 9mm ----------------.F Cal.D Cal.65mm ------------.K Cal.vilaca@gmail.35mm ------------. As letras que indicarão os calibres são os seguintes: Cal.

PISTOLAS TAURUS . abordaremos a seguir. bem como. haja vista. deverá acionar o retém do carregador com o dedo polegar da referida mão. esses cuidados devem ser constantes.. que o PM deverá observar. 2º PASSO: proceder à abertura da pistola. Vale ressaltar que. 35 Cap PM VILAÇA – cap. em seguida. mantendo desta forma a arma aberta. tem colaborado para a vulnerabilidade do PM. que a rotina no desempenho das atividades policiais. que é produzida nos Estados Unidos. PROCEDIMENTOS QUE O USUÁRIO DEVERÁ ADOTAR VISANDO INSPECIONAR A PISTOLA ANTES DE SE ARMAR Considerando que poucas são as Unidades Operacionais que dispõem de mecânico de armas servindo na Reserva de Material Bélico. ou seja. com exceção do modelo PT 22. . Procedimento: segurando a pistola com a mão forte. tendo em vista que essas armas são utilizadas por diversos policiais.9mm . ou seja.40 (Procedimentos básicos visando a inspeção do armamento) 1º PASSO: retirar o carregador da pistola Procedimento: segurando a pistola com a mão forte.vilaca@gmail.380 . em períodos contínuos.com . prejudicando dessa forma a aplicação da manutenção preventiva e corretiva. na qual a gravação é manual. com o dedo polegar da mão forte deverá acionar o retém do ferrolho de baixo para cima. mantendo-a aberta. carregada.Cal. o PM deverá repeti-los a cada turno de serviço.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL série gravado a laser. deverá com a outra mão abraçar o ferrolho pela parte serrilhada deste. Finalidade: verificar se a pistola encontrava-se com cartucho na câmara. trazendo-o completamente a retaguarda e. aparando-o com a outra. porém vitais. o desconhecimento desses procedimentos. alguns procedimentos básicos. no momento em que estiver efetuando a cautela de uma pistola em sua Unidade. caso a arma escolhida para o serviço não esteja em plenas condições de funcionamento. Finalidade: verificar se a arma encontrava-se alimentada.

deverá acionar com o dedo polegar desta o retém do ferrolho de cima para baixo. momento em que certificará se o cão estacionou diretamente na trava de queda (pequeno intervalo existente entre o cão em relação ao fundo do percussor). deverá observar o interior do cano. Finalidade: fazer com que a pistola permaneça fechada e na ação simples 5º PASSO: Testar as condições de funcionamento do desarmador do cão Procedimento: deverá acionar para baixo a tecla de segurança. utilizando para tanto o dedo polegar. 36 Cap PM VILAÇA – cap. Procedimento: estando a arma ainda aberta. Finalidade: certificar a inexistência de corpo estranho no interior do cano. Procedimento: segurando a pistola com a mão forte. cuja função é caracterizada como desarmador do cão. o avanço do ferrolho.com . permitindo desta forma. 4º PASSO: Proceder ao fechamento da pistola. constatando a inexistência de projétil ou de qualquer corpo estranho. Finalidade: verificar se o desarmador do cão ao ser acionado está parando diretamente na trava de queda.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 3º PASSO: Verificar a desobstrução do cano da pistola.vilaca@gmail.

certificando se o mesmo atingirá o seu curso total. Procedimento: inicialmente o usuário deverá acionar para cima a tecla de segurança. deverá acionar a tecla do gatilho a fim de confirmar o bloqueio da ação da tecla do gatilho. acionará a asa da alavanca de desmontagem para baixo. se haverá o disparo em seco mesmo nas condições em que a arma se encontra. 7º PASSO: Proceder à desmontagem da pistola. Finalidade: dar prosseguimento aos demais procedimentos de inspeção. onde este não lhe é permitido chegar ao final do seu curso. Procedimento: segurando a pistola com a mão direita.com . Ao final desse procedimento. o usuário deverá com o dedo indicador desta. mantendo a partir deste momento a pistola travada e. travada e descarregada. De posse do conjunto. Finalidade: verificar se o mecanismo de segurança da pistola está perfeito. Para tanto. em seguida. Também de forma obliqua separará o cano do ferrolho. momento em que o usuário acionará o gatilho. através da sua haste. a arma deverá estar fechada. pressionará a mola recuperadora. 37 Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail. o usuário notará que o conjunto ferrolho/cano/haste e mola recuperadora deslizará para frente. retirando-os obliquamente. no sentido da direita para a esquerda. momento em que deverá separá-lo da armação da pistola. ou seja. onde em ato contínuo. o qual está localizado do lado direito da arma. a qual está localizada no lado oposto do seu retém.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 6º PASSO: Testar as condições de funcionamento do registro de segurança. acionar o retém da alavanca de desmontagem.

a fim de constatar a elevação do impulsor da trava do percussor. certificando a sua existência. Procedimento: segurando a armação da pistola com a mão forte. 38 Cap PM VILAÇA – cap. gasto ou empenado. que não se encontra quebrado. Finalidade: certificar se o impulsor da trava do percussor encontra-se em perfeitas condições de uso. Finalidade: certificar se o ejetor encontra-se em perfeitas condições de uso.vilaca@gmail. Em seguida. gasto ou empenado. deverá acionar a tecla do gatilho.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 8º PASSO: Verificar as condições gerais do ejetor. observar atentamente o perfeito estado físico do ejetor.com . Procedimento: segurando a armação da pistola com a mão forte. 9º PASSO: Verificar as condições gerais do impulsor da trava do percussor. certificando a sua existência. que não se encontra quebrado. observar atentamente o perfeito estado físico do impulsor da trava do percussor.

vilaca@gmail. 11º PASSO: Verificar as condições gerais do percussor. utilizando-se de um bocal de uma caneta. mobilidade e o devido afloramento. 39 Cap PM VILAÇA – cap. até que aja o acionamento da tecla do gatilho. a fim de constatar que não houve o afloramento do mesmo. Procedimento: de posse do ferrolho e utilizando-se de um bocal de uma caneta. Procedimento: de posse do ferrolho. haja vista que. a fim de constatar o seu perfeito estado. deverá pressionar o fundo do percussor. a função da trava do percussor é manter o percussor permanentemente bloqueado. deverá com o dedo polegar pressionar o fundo da trava do percussor e.com . deverá pressionar o fundo do percussor.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 10º PASSO: Verificar as condições gerais da trava do percussor. Finalidade: certificar se o percussor encontra-se em perfeitas condições de uso. Finalidade: certificar se a trava do percussor encontra-se em perfeitas condições de uso.

Procedimento: o usuário deverá seguir a ordem inversa da desmontagem. ou seja. evitando dessa forma que o mesmo seja quebrado ou empenado. momento em que certificará se o impulsor da trava do percussor está totalmente voltado para baixo. 13º PASSO: Finalmente. impedindo que o transportador atinja a sua altura ideal.vilaca@gmail. Finalidade: certificar se os lábios do carregador não estão amassados. proceder à montagem da pistola. no momento em 40 Cap PM VILAÇA – cap.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 12º PASSO: Verificar se o transportador do carregador está atingindo a altura ideal.com . o usuário deverá introduzir corretamente o carregador desmuniciado em seu alojamento. atentando para o momento da colocação do ferrolho na arma. de modo a proporcionar a ocorrência de falha no carregamento. Procedimento: segurando a armação da pistola com a mão forte.

Finalidade: mantê-la pronta para uso.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL que o ferrolho estiver deslizando para trás. Ao perceber que a extremidade do ferrolho estiver alinhada com a parte final das guias da armação.vilaca@gmail. o usuário deverá trazer de volta a asa da alavanca de desmontagem para a sua posição inicial.com . 41 Cap PM VILAÇA – cap.

O guardamato é rebatível. possui um compartimento interno para alojar a escova de limpeza ou pequenos itens de sobrevivência. (Figura 01 – Catálogo Forjas Taurus) 42 Cap PM VILAÇA – cap. com um tambor de vértice aberto para curtas distâncias e orifícios para distâncias maiores. 15 e 30 cartuchos (opcional). O seletor de tiro e segurança é ambidestro. oferecendo opção de uso de luvas.com . além de confortável. que emprega carregadores de 10. de fácil manejo e de cômoda utilização. Ao colocar um novo carregador e acionando o retém do ferrolho ou preparador. na saída do projétil. O ferrolho fica aberto no último tiro. cuja função é dissipar a chama da explosão.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL CARANIMA TAURUS / FAMAE CARACTERÍSTICAS A Carabina TAURUS / FAMAE é uma arma leve. O cano é dotado de “quebra-chama”. A empunhadura com fundo removível. O conjunto de miras facilita o enquadramento do alvo.vilaca@gmail. permitindo ao atirador que perceba que a munição acabou. O ferrolho com percussor flutuante facilita a realização de tiros de precisão. a arma estará novamente em condições de prosseguir atirando.

com .vilaca@gmail.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL (Figura 02 – Catálogo Forjas Taurus) (Figura 03 – Catálogo Forjas Taurus) 43 Cap PM VILAÇA – cap.

vilaca@gmail.Retire o carregador. (fig. certificando-se que não há cartucho na câmara.Posicionar o seletor na posição de segurança “S“.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL DESMOTAGEM 1. 05) a) PINOS DE UNIÃO 44 Cap PM VILAÇA – cap. (Figura 04 – Catálogo Forjas Taurus) .com . Recuar o ferrolho através do preparador. Seqüencia a seguir: .

puxando-o para trás e para baixo. o guarda-mão superior. (fig.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Para remover os pinos de união. retira-se o guarda-mão inferior. (fig. separando a arma em duas partes. Uma vez retirados. a caixa do mecanismo se desconectará da caixa da culatra. 06) (Figura 06 – Catálogo Forjas Taurus) b) GUARDA-MÃOS Primeiro. deslocando-o para cima. retirando primeiro o pino traseiro e depois o frontal. é necessário pressioná-los. Em seguida.com .vilaca@gmail. 07) (Figura 07 – Catálogo Forjas Taurus) 45 Cap PM VILAÇA – cap.

08). juntamente com a mola recuperadora (fig. O guia sairá livremente.com . (Figura 08 – Catálogo Forjas Taurus) (Figura 09 – Foto Internet) d) CULATRA 46 Cap PM VILAÇA – cap.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL c) GUIA E MOLA RECUPERADORA Pressione o guia da mola pela abertura traseira da caixa da culatra. 09). retirando o pino de retenção na extremidade contraria e descomprimindo a mola com cuidado (fig.vilaca@gmail.

vilaca@gmail. MONTAGEM A montagem é feita na ordem inversa da desmontagem. f) Montar a borracha de vedação entre a coronha e a caixa da culatra. poderá vir a causar danos à arma. b) Introduzir o guia com a mola recuperadora no ferrolho e pressionar até que o orifício da extremidade oposta ultrapasse o limite da caixa da culatra. (a não observância desse detalhe.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL O ferrolho sairá pela parte posterior da caixa da culatra. d) Unir as caixas do mecanismo e culatra. e) Pressionar o retentor do preparador e conectá-to ao ferrolho. (fig. Certifique-se que o pino esteja perfeitamente encaixado no seu alojamento na caixa da culatra. TESTE DE FUNCIONAMENTO 47 Cap PM VILAÇA – cap.com . suficientemente para a colocação do pino de retenção.) c) Colocar o guarda-mão superior e inferior. sendo necessário somente desconectar o preparador do retentor. 3. verificando se não obstruiu o orifício de passagem do pino de união traseiro. conforme a seguir: a) Introduzir o ferrolho na caixa da culatra. colocando primeiro o pino de união frontal e depois o pino de união traseiro. 10) (Figura 10 – Catálogo Forjas Taurus) 2.

O teste deve ser efetuado sem carregador.vilaca@gmail.com . 48 Cap PM VILAÇA – cap. Se notar qualquer som ou ruído estranho. repetir o processo de montagem. Realizar o funcionamento do sistema de carregamento várias vezes para ter certeza que não apresenta irregularidade.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Logo após a montagem é aconselhável que seja verificado o funcionamento da arma.

ATENÇÃO: ESTA OPERAÇÃO JAMAIS DEVERÁ SER FEITA COM O FERROLHO ARMADO.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL INSTRUÇÕES PARA O USO 1 .vilaca@gmail. 2 .A CORONHA (se for dobrável) a) Para estender: segure a arma com a mão esquerda e gire a coronha no sentido horário até sua total abertura. até no máximo 10 cartuchos (carregador 10 cartuchos). b) Para rebater: segure a arma na mão esquerda e pressione o botão localizado próximo ao parafuso de fixação da coronha. 49 Cap PM VILAÇA – cap. certifique-se que o cano esteja limpo. Colocar os cartuchos no carregador. Após rebata a coronha. livre de obstruções e que a arma e o local. Colocar o carregador no seu alojamento na caixa do mecanismo. 15 cartuchos (carregador de 15 cartuchos) ou 30 cartuchos (carregador de 30 cartuchos). segurando-o com a mão e com a outra introduzir os cartuchos pressionando-os para baixo. assegurandose que fique preso pelo retém.com .O TIRO Antes de efetuar os disparos. a) Municiar Posicionar o seletor em segurança em segurança “S”. apresentem condições de segurança. 11) ATENÇÃO: carregadores mal colocados podem cair no momento de atirar. (fig.

Posicionar o seletor em segurança “S” . O ferrolho posicionará novamente um cartucho na câmara deixando a arma em condições de prosseguir atirando. 50 Cap PM VILAÇA – cap. pressionando o retém e introduzir o outro carregador.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Apontar o cano para uma direção segura. bastando apenas liberar a trava e posicionando o seletor de tiro na posição “1”. c) Descarregar . Puxe o ferrolho totalmente para trás.com . 12) . (fig.Repetir o carregador. Este procedimento posicionará um cartucho na câmara e a arma estará pronta para atirar.Apontar o cano para uma direção segura. certificando-se visualmente que realmente o cartucho foi extraído e fechar o ferrolho. soltando-o bruscamente.Retornar o seletor de tiro na posição segurança “S” .Ciclar o ferrolho retirando o cartucho da câmara.vilaca@gmail. alimentar a arma pressionando o retém do ferrolho para cima ou puxando o preparador para trás e soltando-o bruscamente. até o final do curso. b) Troca do carregador .Retirar o carregador .

sua vez a massa de mira tem que estar centrada comas linhas verticais da alça. as miras devem estar de tal forma que a parte superior da massa esteja situada no meio do alvo. 13) ( Catálogo Forjas Taurus) b) Para apontar em alvos a 100 ou 150 metros. esta última coincidindo com o centro do buraco da alça. 4 – AJUSTE DA PONTARIA 51 Cap PM VILAÇA – cap. A marcação da distância. as minas devem estar de tal forma.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 3 – TIRO DE PRECISÃO a) Para apontar em alvos até 50 metros. esta marcada na alça. 14). (fig.vilaca@gmail. que a parte superior da massa de mira. esteja situada no meio do alvo.com . (fig.

15): Tiro demasiado baixo: girar o parafuso de regulagem para a esquerda. de maneira que o ponto de impacto corresponda a uma distância de 50 metros.com . 52 Cap PM VILAÇA – cap. a) Regulagem vertical (fig. (Catálogo Forjas Taurus) Todas estas regulagens podem efetuar-se com a ajuda de uma chave de fecha ou uma moeda pequena.vilaca@gmail. 16) Tiro desviado para a esquerda: girar o parafuso de regulagem para a direita. Tiro demasiado alto: girar o parafuso de rolagem para a direita. Tiro desviado para a direita: girar o parafuso de regulagem para a esquerda. (Figura 15 – Foto Internet) b) Regulagem lateral (fig.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Todas as armas estão ajustadas de fábrica.

3 – Cuidados especiais: . conforme descrito na página.limpar todas as superfícies extremas da arma e do carregador.limpar e lubrificar o ferrolho e a guia e a mola recuperadora. 53 Cap PM VILAÇA – cap. .com .evite o excesso de óleo dentro do carregador e do cano.desmuniciar a arma.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL LIMPEZA E MANUTENÇÃO A limpeza faz parte da manutenção necessária para garantir o perfeito funcionamento da arma e prevenir desgastes prematuros no tratamento superficial por agentes corrosivos e mecânicos. elevando a vida útil do produto. mantendo-as lubrificadas com uma fina camada de óleo. .óleo lubrificante possui alto poder de penetração e poderá danificar a munição.desmontar. limpar e lubrificar o carregador. .somente uma pequena quantidade de óleo deve ser usada para conservar o equipamento. . São duas as classes de limpeza ordinária após o serviço (limpeza diária) e após o tiro: 1 – Limpeza ordinária após o serviço compreende: .montar os conjuntos e verificar o funcionamento da arma. 2 – Limpeza após o tiro: . .limpar e lubrificar a câmara e interior do cano. . .limpar e lubrificar as caixas do mecanismo e culatra internamente extremamente.vilaca@gmail. conforme descrito na página. . . certifique-se de que a arma esteja descarregada.antes da manutenção.desmontar conforme explicado na página. .desmuniciar a arma.

ARMAMENTO E TIRO POLICIAL 54 Cap PM VILAÇA – cap.com .vilaca@gmail.

que são os cuidados comuns que a arma requer para manterem-se em boas condições de funcionamento e aparência quando não está sendo usada: a limpeza antes do tiro (a fim de garantir a limpeza e a lubrificação do armamento) e após o tiro. nas verificações.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL CONSIDERAÇÕES INICIAIS Toda arma deve receber certos cuidados para que se conserve em perfeitas condições de funcionamento. que compreendem os 3º.vilaca@gmail. Manutenção orgânica é o conjunto de operações.com . Manutenção de serviços são o conjunto de operações realizadas por órgãos de manutenção através de ajustagem. compreendendo os 1º e 2º escalões de manutenção. Naturalmente em uso freqüente. É essencial manter seu mecanismo limpo e lubrificado (com óleo fino – nunca usando graxa) para evitar incidentes. a limpeza após o tiro passa a ser a própria limpeza antes do tiro. para eliminar agentes corrosivos depositados na alma do cano e na câmara da arma. CONCEITOS DE MANUTENÇÃO Manutenção é o conjunto de operações destinadas à conservação. 4º e 5º escalões de manutenção. na limpeza e lubrificação. reparação e recuperação do material. A limpeza e conservação incluem a manutenção diária. realizadas no trato diário do material. 55 Cap PM VILAÇA – cap. ferrugem e acúmulo de sujeira em seu interior. regulagem. reparação e recuperação. através de cuidados no manuseio correto.

bem como nas desmontagens dentro do seu escalão de manutenção para limpeza e lubrificação. de limpeza e lubrificação do material. de natureza preventiva. que consiste principalmente. na desmontagem sem uso de ferramentas. executada por pessoal especializado. executada pelo próprio usuário do material.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL ESCALÕES DE MANUTENÇÃO • Manutenção de 1º Escalão É aquela. compatíveis com o pessoal. regulagens. de natureza preventiva. que consiste na substituição e reparo de peças ou subconjuntos e na confecção de 56 Cap PM VILAÇA – cap. substituição e reparos compatíveis com as ferramentas de sua dotação.com . • Manutenção de 2º Escalão É aquela. de natureza corretiva. de inspeção visual. executada em oficinas de manutenção. • Manutenção de 4º Escalão É aquela. • Manutenção de 3º Escalão É aquela de natureza corretiva. que consiste na substituição e reparo de peças. executada por órgão de manutenção ou outras oficinas especializadas de manutenção equivalentes. ferramentas e equipamentos de oficina e de teste disponíveis. orgânico da própria OPM e que consiste em pequenos ajustes.vilaca@gmail.

vilaca@gmail. deve ser limpa e inspecionada e. executada pelas oficinas especializadas de manutenção. • Manutenção de 5º Escalão É aquela. de natureza corretiva. Normalmente. mormente quando tenha sido utilizada em dias chuvosos.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL peças simples. Para que se mantenha uma arma em perfeitas condições de uso é necessário que a mesma se conserve limpa e protegida por uma fina camada de óleo inibidor de corrosão de boa procedência. após deslocamentos ou serviços de guarda e patrulhamento. porém deve permanecer uma fina camada protetora. incluindo a fabricação.com . que permite o retorno do material ao estado de novo. nesse caso. friccioná-la com um trapo limpo. ferramentas e equipamentos de oficina e de teste disponíveis. subconjuntos ou conjuntos. reparação ou substituição de peças. completamente seco. depois. compatíveis com o pessoal. Também deve ser retirado o pó de todas as fendas com uma escova pequena e limpa. 57 Cap PM VILAÇA – cap. que consiste em recuperar todo o material ou parte dele. MANUTENÇÃO PREVENTIVA DE 1° ESCALÃO A umidade e o suor das mãos são causadores de ferrugem. O excesso de óleo deve ser removido. e. A arma deve ser limpa e protegida após qualquer exercício ou manuseio. com outro. ligeiramente umedecido em óleo.

vilaca@gmail. consistem. Para a ocasião do tiro. pois armazenam a umidade e enferruja as partes metálicas. após o tiro. a) Limpeza antes do tiro: Desmontar a arma até o 1º escalão de manutenção. principalmente. 58 Cap PM VILAÇA – cap. não deve haver graxa na alma do cano e câmara da arma. sem cobertura alguma. Isso traz à baila. Os resíduos de pólvora deixados na alma do cano. Depois de atirar.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Após a limpeza. Esses sais absorvem umidade e provocam ferrugem.com . O uso de lona ou outro invólucro semelhante não é recomendado. pois isto aumenta consideravelmente a pressão na câmara e pode causar avaria a arma. podendo depositar-se em todas as partes da alma do cano. antes de montá-lo na arma. de sais provenientes do estojo do cartucho. cinza e carvão. o principal cuidado é a prevenção contra a ferrugem. b) Limpeza Após o Tiro: Desmontar a arma até o 1º escalão de manutenção. a precaução de se inspecionar o cano. Um líquido especial (como querosene) para limpeza é essencial para a eficiente remoção dos resíduos. guardar a rama em local apropriado – sem contato com materiais que atraiam umidade ou que possuam certo grau de acidez ou em ambientes com grande variação de temperatura ou umidade.

e não mais modifique. é um sinal claro de que sua pegada está frouxa. mínimo e polegar até avermelharem-se as unhas. envolve a coronha da arma. como os demais dedos. a) Altura . o que. anular e mínimo se fecham em torno da mesma. A parte de trás da coronha é colocada na palma da mão. A empunhadura deve ter uma pressão natural. se empunharmos a coronha do revólver muito baixo. Daí o ideal é que o início da mão (região entre o dedo polegar e o indicador) comece juntamente com o início da coronha do revólver. afrouxando-se a mão. 59 Cap PM VILAÇA – cap. a chamada pane de dedo. c) Pressão da mão que dispara a arma . sob o guarda-mato.o polegar. em forma de concha deverá envolver os dedos da mão que atira logo abaixo do guardamato e a palma deverá fixar-se na placa da armação. relaxe um pouco. na parte não alcançada pelos dedos da mão que atira. tudo pelo mau posicionamento da mão. Pressione somente os dedos anular. Lembre-se de que.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL FUNDAMENTOS DO TIRO POLICIAL 1. ou junto do dedo polegar da mão que atira quando se tratar de revólver.os dedos da mão que auxilia. se a cada disparo a empunhadura for refeita. o dedo polegar deverá fixar-se na armação na armação ficando paralelo e abaixo do ferrolho nas pistolas. envolvendo-a totalmente. esta não deve ser desfeita.vilaca@gmail. o dedo polegar se posiciona abaixo do botão serrilhado e os dedos médio.com . Envolvimento e Pressão. favorecendo assim. b) Envolvimento . d) Envolvimento e Pressão da mão que auxilia . Entretanto. uma vez feita a pegada. EMPUNHADURA: constitui-se de Altura. e ainda dificultando a ação do dedo indicador ao acionarmos a tecla do gatilho durante a ação dupla. em ocorrendo. O dedo indicador não faz parte do envolvimento. estaremos prejudicando o trabalho do cão à retaguarda. A pressão exercida pela mão que auxilia. indo se posicionar sobre a tecla do gatilho. em hipótese alguma. mostrará que a arma não estava suficientemente firme.é fácil entender-se que se empunharmos a coronha do revólver muito alto. originar-se-ão tiros para o alto. como um aperto de mão.deve-se dar grande atenção para o detalhe da pressão da mão sobre a coronha. médio. entre a primeira e a segunda falange. de forma que.

). por reflexo.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL deverá ser o suficiente apenas para ajustar a mão que atira na arma. 2.vilaca@gmail. então. b) Linha de Visada: linha imaginária que se estende do aparelho de pontaria enquadrado (linha de mira) até o centro do alvo. viatura. Especialmente em tiros de curta distância. tiros além de 20 metros.com . tempo para um perfeito enquadramento de miras. 3. portanto. se o tempo de que dispõe para ação e reação. O enquadramento perfeito da alça e massa só se torna essencial. para tiros a maiores distâncias. Faz a visada como se apontasse o dedo indicador para o alvo. onde a possibilidade de erro é maior e. procurando colocar a massa de mira no centro do alvo. objetivando sempre o melhor aproveitamento para seu disparo. muros. apontar a arma na direção do alvo. 60 Cap PM VILAÇA – cap. o atirador deverá tomar a posição que melhor convier ao momento. o atirador já não é alvo tão fácil ao opositor. em combate. onde se exige rapidez de ação. não tem o atirador. É esta mão que segura o conjunto arma/mão facilitando o controle do recuo. com ambos os olhos abertos. na maioria das vezes. No tiro policial deve o atirador efetuar os tiros com os dois olhos abertos. considerando a possível utilização de proteção (relevo. Por isso são ensinadas diversas posições reais de combate. ao melhor posicionamento. dividido em dois momentos distintos e subseqüentes. ou caso esteja abrigado ou distanciado do alvo. POSIÇÃO: em princípio é necessário que se esclareça que. ou seja: a) Linha de Mira: linha imaginária que parte do olho aberto do atirador enquadrando alça e massa de mira. adaptando-se rapidamente. efetuando o tiro. o permitir. com o respectivo emprego mais favorável. Somente procure enquadrar alça e massa. para que o homem aplique ao máximo sua criatividade. etc. Deve o atirador. VISADA: é o enquadramento do aparelho de pontaria.

em ação dupla isto não é rígido. a dobra do dedo entre as falanges deve coincidir com a quina direita da tecla. Porém é necessária uma pequena pausa respiratória. Deve ser usada sempre a ação dupla. RESPIRAÇÃO: nos tiros em ação dupla deve-se fazer uma pequena inspiração e bloqueá-la durante o acionamento. no sentido do eixo do antebraço. 5.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL APARELHO DE PONTARIA 4. ACIONAMENTO DA TECLA DO GATILHO: constitui-se no fator crucial do aprendizado. uma vez que esta é a verdadeira ação de combate. e a ação deste dedo indicador deve ser para trás. e inicia-se outro ciclo. e não em diagonal. A rapidez da ação exige apenas que o atirador prenda a respiração no exato momento do disparo.com . o que provocaria tiros 61 Cap PM VILAÇA – cap. mesmo assim. mas. Expira-se logo após o disparo. Na ação dupla.vilaca@gmail.

por prevenção contra o estampido do revólver. não conseguindo este realizar o acionamento. ao invés de comandar a ação somente para o dedo indicador.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL em linha. para os sinistros. isto é. à esquerda. conjuga a pegada dos quatro dedos com o movimento do dedo indicador na tecla do gatilho. o que impede a ação correta do dedo indicador. e à direita. e muitas vezes no chão. 62 Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail. Com calma procure combater um outro fenômeno que cedo ocorrerá: o homem afrouxa a pegada e. já se inicia um movimento único e repentino. originando a pane de dedo. o faz para todos os dedos. ao acionar a tecla. e muitas vezes.com . isto a uma distância de 10 metros. Assim. o que provocará tiros enterrados. Inicia-se o movimento do cão à retaguarda e o mesmo termina bruscamente. a chamada gatilhada. para os destros. Muito comum será também o acionamento brusco da tecla do gatilho. abaixo da silhueta.

verifique você mesmo. obtenha informações sobre o seu manuseio. correspondem ao calibre da mesma. conte os cartuchos e verifique a(s) câmara(s). l) Não aponte uma arma para algo. b) Nunca pergunte se uma arma está carregada. proceda com a arma aberta e descarregada. c) Trate uma arma de fogo como se ela estivesse permanentemente carregada. senão vejamos: a) Antes de tocar em uma arma que não conheça. certifique-se que os cartuchos a serem utilizados. d) Nunca deixe uma arma carregada. i) Sempre que for sacar ou colocar a arma ao coldre. devido a falta de observação a esses cuidados. 63 Cap PM VILAÇA – cap.vilaca@gmail.com . algumas normas de segurança que deverão ser devidamente observadas no trato com armas de fogo. o faça com o dedo fora da tecla do gatilho. Relacionamos a seguir. até que você esteja realmente pronto para o disparo e apontando para o local desejado. Por conhecermos vários exemplos de policiais militares que se acidentaram ou até mesmo perderam a vida. h) Sempre que for carregar ou descarregar sua arma. g) Sempre que descarregar uma arma. j) Ao municiar o carregador ou quando for alimentar manualmente uma arma. nem por brincadeira.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL CONSIDERAÇÕES INICIAIS O manuseio de qualquer arma de fogo deve sempre ser precedido de alguns cuidados relativos à segurança. carregadores ou depósitos. de forma descuidada. f) Não permita que pessoa não preparada manipule sua arma. antes de utilizá-la. Seja humilde. que você não pretenda acertar. k) Mantenha o dedo fora da tecla do gatilho. e) Ao receber ou passar uma arma para alguém. o faça com o cano apontado para uma direção segura e com o dedo fora da tecla do gatilho.

certifique-se de que esteja descarregada.vilaca@gmail. durante e depois do uso. o) Drogas.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL m) Antes de proceder a manutenção de uma arma. só restará o arrependimento. Seu acionamento é natural e inconsciente. q) Lembre-se que o sistema de segurança de uma arma é apenas um dispositivo mecânico e não um substituto do bom senso. álcool e armas não se combinam. Antecipe-se sempre ao inesperado. não execute esforço físico com o dedo na tecla do gatilho. p) Não corra. das crianças. escolha um lugar seguro. concentre-se no que está fazendo e pense em segurança. antes.com . principalmente. longe do alcance dos olhos. s) Segurança é prevenção e prevenção é treinamento. 64 Cap PM VILAÇA – cap. caso contrário. r) Sempre que estiver portando ou manuseando uma arma. não ultrapasse obstáculos. n) Ao guardar uma arma em sua residência.

Ambidestro (a): diz-se das armas e dispositivos de segurança que podem ser operados indistintamente por destros e canhotos. dispostos no eixo longitudinal. ACP: Abreviatura de Automatic Colt Pistol. É a distância máxima em que o projétil causará ferimentos de certa gravidade a um homem. tensão na trajetória. ou do cartucho diretamente em alojamento apropriado da arma sem. Antecarga: diz-se da arma que se carrega pela boca do cano. Bala: termo vulgar utilizado no quotidiano como sinônimo de cartucho. como por exemplo.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL GLOSSÁRIO TÉCNICOS Dentro de tudo o que foi estudado. Arma Automática: arma capaz de disparar todo o conteúdo do carregador com um só acionamento do gatilho. cujas definições apresentamos a seguir: Ação Dupla: mecanismo que faz com que a arma seja disparada sem ser necessário engatilhar o cão antecipadamente. Alimentar: é a colocação do carregador municiado na arma. onde apresenta melhores qualidades balísticas. munição ou até de projétil. A alma pode ser lisa quando a superfície em questão é absolutamente polida. o correto seria “Stainless”. quando pode ser deslocada horizontal ou verticalmente. Ação Simples: mecanismo de funcionamento onde o cão deve ser engatilhado antes que o primeiro tiro seja efetuado Aço Inox: aço inoxidável.com . destinados a forçar o projétil a um movimento de rotação. Anodização: acabamento feito por banho eletrolítico em ligas leves de metais. 2ª arma. menor dispersão. bastando que este continue pressionado até o fim da munição. Alcance Útil: é aquele em que realmente se utiliza a arma. É fixa. que significa “menos oxidável”.6 Kgm. 65 Cap PM VILAÇA – cap. no caso dos canos das espingardas que calçam cartuchos com múltiplos projéteis de chumbo. Termo utilizado incorretamente. ou regulável. apareceram diversos termos técnicos. já que o aço inox é apenas menos oxidável que os demais. Alinhamento: linha de visada entre a alça. carregá-la. ou em que ainda possuirá uma energia equivalente a 13. Alma: face interna do cano de uma arma. ou ainda. uma vez que. Backup Gun: arma de apoio. ou seja. Alça de Mira: dispositivo situado na parte posterior de uma arma destinado a permitir a visada ou pontaria a um alvo pré-determinado. aproveitando a primeira parte da trajetória da “bala”. Alcance Máximo: distância maior que um determinado projétil pode alcançar ou em que perde sua energia cinética. contudo. quando não pode ser deslocada horizontal ou verticalmente. a distância em que um projétil ainda pode ter eficácia. O alcance máximo depende das características balísticas de cada cartucho. Alcance de Alça: é o maior alcance que pode ser registrado na alça de mira.vilaca@gmail. massa de mira e o alvo. a alma é raiada quando a superfície em referência possui sulcos helicoidais. do cumprimento do cano da arma e do ângulo em que o disparo foi efetuado.

esta variável é usada para armas automáticas. Na base do culote são normalmente encontradas letras. Balística Interior: estudo dos aspectos físicos relativos aos projéteis. Calibre: é a medida do diâmetro entre os fundos do raiamento do cano de uma arma (diâmetro do projétil) ou o diâmetro medido entre cheios. Blue: azul. Cadência de Tiro: velocidade de um disparo de uma arma. Pode ser utilizado para identificar projéteis únicos ou múltiplos. baletão. Engatilhar: armar o cão ou o mecanismo de disparo de uma arma. depois que estes deixam o interior do cano de uma arma. Culote: porção traseira do estojo de um cartucho onde estão localizadas a canaleta de extração e a espoleta. geralmente feitas em madeira. Die: ferramenta utilizada em recarga de munição. que corresponde exatamente ao . Câmara: parte posterior do cano que recebe o cartucho completo e que o mantém firme durante o disparo. intermitente ou semi-automático e contínuo ou automático.30. números e símbolos que identificam calibre. Escopeta: termo em castelhano para designar espingarda. Exemplo: 7. através de um banho fervente de sais metálicos e água. Balística: ciência que estuda os aspectos físicos relativos aos projéteis. fabricante. Sistema de escurecimento de partes metálicas de armas de fogo para evitar a oxidação. Banda Ventilada: fita metálica colocada sobre o cano de uma arma para evitar reflexos. de forma monofilar ou bifilar Choke: termo em inglês que define uma constricção da boca dos canos das espingardas de caça. Cheios: são nervuras entre as raias.vilaca@gmail. Coronha: peça de apoio ligada à caixa da culatra e mecanismos de armas longas. etc.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Balote: termo já consagrado para cartucho de caça com projétil único. Balística Externa: estudo dos aspectos físicos relativos aos projéteis.62 mm. visando economia de munição. além de dar peso à arma e elevar a massa de mira a uma altura desejável. Eqüivale ao termo em inglês “slug”.com . medido diretamente na boca do cano desconsiderando-se a profundidade do raiamento (calibre real). definindo o número de projéteis disparados por minuto. Bursts: rajadas curtas. Em geral. sob medida ou ainda modificada para determinado tipo de tiro ou esporte. isto é. enquanto estes ainda estão percorrendo o interior do cano de uma arma. Cartucho: termo corretamente utilizado para designar o conjunto estojo / pólvora / projétil / espoleta. Algumas vezes o calibre pode ser expresso em milímetros e outras vezes em centésimos de polegadas. É assim chamado o tipo de tiro que a arma pode fazer. colocados uns sobre os outros. Carregar: é a colocação do cartucho diretamente na câmara da arma. Custom: termo em inglês já praticamente adotado no tiro e que significa arma sob encomenda. a qual tem a finalidade de agrupar mais os múltiplos projéteis de chumbo. deixando a arma pronta para o disparo. validade. Carregador: depósito de cartuchos. ou ainda. hélice e bala ideal. 66 Cap PM VILAÇA – cap. ou seja. normalmente de dois ou três disparos.

blindagens e capacetes. Massa de Mira: parte do aparelho de pontaria de uma arma. parte da coronha de armas longas.vilaca@gmail. Kevlar: material sintético utilizado para fabricar coletes a prova de balas. c) Pump action: termo em inglês que significa ação por bomba. prepara-te para a guerra. Pistol Grip: ou empunhadura de pistola.Recuo retardado: identifica o sistema no qual o ferrolho e o cano são travados por um determinado espaço de tempo após o disparo. imergindo as peças metálicas a serem oxidadas em meio líquido fervente de sais metálicos e água. Oxidação: colocação de uma película protetora azul ou preta em armas de fogo. c) Gas Operated Bolt .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Espoleta: também conhecida como espoleta iniciadora é um pequeno copo metálico. boxer. que envolve o gatilho das armas portáteis. Magnum: indica carga mais forte num determinado cartucho. As mais comuns em armas portáteis são as do tipo berdan.Simples recuo: identifica o sistema no qual o ferrolho e o cano não são travados. que quer dizer se desejas a paz.com . utilizado também em armas especiais. similar a uma empunhadura de pistola. Impacto: energia transmitida por um projétil ao chocar-se com determinado alvo. Guarda-Mato: proteção metálica ou de plástico. Deriva do endereço telegráfico da fábrica DWM.380 ACP). O guarda-mato de algumas pistolas modernas tem uma concavidade anterior para permitir melhor posicionamento da segunda mão no ato do tiro.000 grains eqüivale a 1 libra.Operado a gás: identifica o sistema no qual o movimento do ferrolho é executado com o auxílio dos próprios gases oriundos da queima do propelente. Parabellum: denominação dada à pistola Luger. onde se localiza a substância química (mistura iniciadora) responsável pela geração da chama inicial (quando percutida) e conseqüente combustão de propelente no interior do estojo. O termo tem sua origem na frase latina si vis pacem. que é normalmente montada próxima à extremidade anterior do cano.0648 de uma grama. logo atrás do guardamato. Utilizado obrigatoriamente em armas de calibre acima do . b) Lever action: termo em inglês que significa ação por alavanca. b) Delayed blowback . 7. É geralmente utilizado em Armas Longas ou metralhadoras modernas e sempre incorpora um sistema de retardamento da abertura do ferrolho. 67 Cap PM VILAÇA – cap. de forma recurva. Grain: unidade de peso no sistema norte-americano equivalente a 0. Municiar: é o ato de colocar cartuchos no carregador de uma arma.380 ACP. Onça: medida de peso que equivale a 28. A abertura do ferrolho ocorre tão logo a sua inércia e força da mola recuperadora são vencidas. para bellum. Extrator: peça metálica com uma espécie de garra em sua extremidade anterior destinada a retirar o estojo da câmara. Mecanismos de repetição de armas longas: a) Bolt action: termo em inglês que significa ação por ferrolho. Tecnicamente só deve ser utilizado em Armas de pequeno calibre (até .35 gramas. Mecanismos de armas automáticas ou semi-automáticas da atualidade: a) Blowback . permitindo assim que a pressão interna caia para valores seguros antes que o ferrolho se abra.

com o fim de medir a pressão gerada pelos gases resultantes da queima da pólvora.vilaca@gmail. não levando em consideração o tempo gasto na alimentação. levando-se em consideração o tempo gasto para a feitura da pontaria. que não haja incidente de tiro. ou seja. Velocidade Prática de Tiro: é o máximo de disparos que pode ser feito por uma determinada arma. tudo aquilo que se fazem realmente quando se utiliza a arma. Raias: são sulcos helicoidais paralelos abertos na alma. não sendo feita pontaria. supõe-se que a arma é dotada de um carregador de capacidade infinita. em 1 minuto. Velocidade Teórica de Tiro: é o número de disparos ou tiros que pode ser feito por uma arma.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Polegada: medida de comprimento que equivale a 25. Provete: equipamento para disparo de munição. em 1 minuto.4mm.com . 68 Cap PM VILAÇA – cap. bem como. ou seja. na resolução de incidentes de tiro.

000 (quinhentos mil) habitantes. da Constituição Federal.867. As armas de fogo de uso restrito serão registradas no Comando do Exército. II – os integrantes de órgãos referidos nos incisos do caput do art. DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003. Texto compilado O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: . nos termos desta Lei. 3o É obrigatório o registro de arma de fogo no órgão competente. sobre o Sistema Nacional de Armas – Sinarm.000 Habitantes V – os agentes operacionais da Agência Brasileira de Inteligência e os agentes do Departamento de Segurança do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. os integrantes das escoltas de presos e as guardas portuárias. e no art... 51. cujas atividades esportivas demandem o uso de armas de fogo.000 (cinqüenta mil) e menos de 500. VI – os integrantes dos órgãos policiais referidos no art. de 2004)  Antes era a partir de 250. posse e comercialização de armas de fogo e munição.vilaca@gmail. .ARMAMENTO E TIRO POLICIAL Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI No 10. 69 Cap PM VILAÇA – cap.. 6o É proibido o porte de arma de fogo em todo o território nacional. nas condições estabelecidas no regulamento desta Lei. IV. define crimes e dá outras providências. VIII – as empresas de segurança privada e de transporte de valores constituídas. XIII.os integrantes das guardas municipais dos Municípios com mais de 50.000 (quinhentos mil) habitantes. salvo para os casos previstos em legislação própria e para: I – os integrantes das Forças Armadas. 52. a legislação ambiental. 144 da Constituição Federal. VII – os integrantes do quadro efetivo dos agentes e guardas prisionais.826. na forma do regulamento desta Lei. Dispõe sobre registro. (Redação dada pela Lei nº 10. observando-se. DO REGISTRO Art. IV . quando em serviço. IX – para os integrantes das entidades de desporto legalmente constituídas. na forma do regulamento desta Lei. Parágrafo único. III – os integrantes das guardas municipais das capitais dos Estados e dos Municípios com mais de 500. no que couber..com . DO PORTE Art.

VII e X do caput deste artigo está condicionada à comprovação do requisito a que se refere o inciso III do caput do art.integrantes das Carreiras de Auditoria da Receita Federal do Brasil e de Auditoria-Fiscal do Trabalho. VI.706. desde que o interessado comprove a efetiva necessidade em requerimento ao qual deverão ser anexados os seguintes documentos: (Redação dada pela Lei nº 11. maiores de 25 (vinte e cinco) anos que comprovem depender do emprego de arma de fogo para prover sua subsistência alimentar familiar será concedido pela Polícia Federal o porte de arma de fogo. II.706.706. de 2004)  Antes era supervisão do Comando do Exército Brasileiro § 4o Os integrantes das Forças Armadas. de 2008) Art. (Incluído pela Lei nº 11. somente podendo ser utilizadas quando em serviço. (Incluído pela Lei nº 11. ao exercerem o direito descrito no art. nas primeiras 24 (vinte e quatro) horas depois de ocorrido o fato. na forma do regulamento desta Lei. de 2008) § 3o A autorização para o porte de arma de fogo das guardas municipais está condicionada à formação funcional de seus integrantes em estabelecimentos de ensino de atividade policial. (Redação dada pela Lei nº 11. II. 70 Cap PM VILAÇA – cap. 13 desta Lei. saiu o Técnico da Receita Federal § 1o As pessoas previstas nos incisos I. nas condições estabelecidas no regulamento desta Lei. acessórios e munições que estejam sob sua guarda. § 2o A empresa de segurança e de transporte de valores deverá apresentar documentação comprobatória do preenchimento dos requisitos constantes do art. responsabilidade e guarda das respectivas empresas.501. 4o. independentemente de outras tipificações penais. V e VI do caput deste artigo terão direito de portar arma de fogo de propriedade particular ou fornecida pela respectiva corporação ou instituição. das polícias federais e estaduais e do Distrito Federal.706. com validade em âmbito nacional para aquelas constantes dos incisos I. II e III do mesmo artigo. de alma lisa e de calibre igual ou inferior a 16 (dezesseis). por porte ilegal ou por disparo de arma de fogo de uso permitido. de 2008) § 6o O caçador para subsistência que der outro uso à sua arma de fogo.706. V e VI. de 2008) § 2o A autorização para o porte de arma de fogo aos integrantes das instituições descritas nos incisos V. de 2008)  Acrescentou as condições I . com 1 (um) ou 2 (dois) canos. sem prejuízo das demais sanções administrativas e civis. ficam dispensados do cumprimento do disposto nos incisos I. à existência de mecanismos de fiscalização e de controle interno. (Redação dada pela Lei nº 11. 4o desta Lei nas condições estabelecidas no regulamento desta Lei.atestado de bons antecedentes. III.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL X .comprovante de residência em área rural. responderá. § 1o O proprietário ou diretor responsável de empresa de segurança privada e de transporte de valores responderá pelo crime previsto no parágrafo único do art. bem como os militares dos Estados e do Distrito Federal.706.884. (Redação dada pela Lei nº 10. serão de propriedade. de uma arma de uso permitido. roubo ou outras formas de extravio de armas de fogo. 4o desta Lei quanto aos empregados que portarão arma de fogo. de 2008) III . mesmo fora de serviço. (Redação dada pela Lei nº 11. na categoria caçador para subsistência. conforme o caso.documento de identificação pessoal. furto. sendo o certificado de registro e a autorização de porte expedidos pela Polícia Federal em nome da empresa. observada a supervisão do Ministério da Justiça. 7o As armas de fogo utilizadas pelos empregados das empresas de segurança privada e de transporte de valores. quando em serviço. (Incluído pela Lei nº 11. (Redação dada pela Lei nº 11. de 2007)  Entrou a auditoria fiscal do trabalho e o analista tributário. § 5o Aos residentes em áreas rurais. devendo essas observar as condições de uso e de armazenagem estabelecidas pelo órgão competente.vilaca@gmail. constituídas na forma da lei. de 2008) § 7o Aos integrantes das guardas municipais dos Municípios que integram regiões metropolitanas será autorizado porte de arma de fogo.706.com . se deixar de registrar ocorrência policial e de comunicar à Polícia Federal perda. de 2008) II . nos termos do regulamento desta Lei.706. de tiro simples. cargos de Auditor-Fiscal e Analista Tributário. e (Incluído pela Lei nº 11.

706. IV – à expedição de porte federal de arma de fogo.706. Fica instituída a cobrança de taxas. respondendo o possuidor ou o autorizado a portar a arma pela sua guarda na forma do regulamento desta Lei. nos valores constantes do Anexo desta Lei. Art. § 2o São isentas do pagamento das taxas previstas neste artigo as pessoas e as instituições a que se referem os incisos I a VII e X e o § 5o do art. de 2008) 71 Cap PM VILAÇA – cap. V – à renovação de porte de arma de fogo. § 1o Os valores arrecadados destinam-se ao custeio e à manutenção das atividades do Sinarm. no âmbito de suas respectivas responsabilidades. III – à expedição de segunda via de registro de arma de fogo. § 1o A autorização prevista neste artigo poderá ser concedida com eficácia temporária e territorial limitada.16 da tabela do Conselho Federal de Psicologia. 8o As armas de fogo utilizadas em entidades desportivas legalmente constituídas devem obedecer às condições de uso e de armazenagem estabelecidas pelo órgão competente. (Incluído pela Lei nº 11. O Ministério da Justiça disciplinará a forma e as condições do credenciamento de profissionais pela Polícia Federal para comprovação da aptidão psicológica e da capacidade técnica para o manuseio de arma de fogo. pela prestação de serviços relativos: I – ao registro de arma de fogo. prevista neste artigo. é de competência da Polícia Federal e somente será concedida após autorização do Sinarm. III – apresentar documentação de propriedade de arma de fogo. Art. perderá automaticamente sua eficácia caso o portador dela seja detido ou abordado em estado de embriaguez ou sob efeito de substâncias químicas ou alucinógenas. 6o desta Lei. de 2008) § 1o Na comprovação da aptidão psicológica. 4o desta Lei. atiradores e caçadores e de representantes estrangeiros em competição internacional oficial de tiro realizada no território nacional. ao Comando do Exército. 10. Art.706. 9o Compete ao Ministério da Justiça a autorização do porte de arma para os responsáveis pela segurança de cidadãos estrangeiros em visita ou sediados no Brasil e. (Incluído pela Lei nº 11. 11. Art. bem como o seu devido registro no órgão competente. o registro e a concessão de porte de trânsito de arma de fogo para colecionadores. e dependerá de o requerente: I – demonstrar a sua efetiva necessidade por exercício de atividade profissional de risco ou de ameaça à sua integridade física. A autorização para o porte de arma de fogo de uso permitido.com .vilaca@gmail. nos termos do regulamento desta Lei. de 2008) Art. VI – à expedição de segunda via de porte federal de arma de fogo.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL § 3o A listagem dos empregados das empresas referidas neste artigo deverá ser atualizada semestralmente junto ao Sinarm. da Polícia Federal e do Comando do Exército. 11-A. em todo o território nacional. (Redação dada pela Lei nº 11. II – atender às exigências previstas no art. § 2o A autorização de porte de arma de fogo. II – à renovação de registro de arma de fogo. nos termos de atos regulamentares. o valor cobrado pelo psicólogo não poderá exceder ao valor médio dos honorários profissionais para realização de avaliação psicológica constante do item 1.

de 2008) § 3o A cobrança de valores superiores aos previstos nos §§ 1o e 2o deste artigo implicará o descredenciamento do profissional pela Polícia Federal.vilaca@gmail.com . de 2008) 72 Cap PM VILAÇA – cap. (Incluído pela Lei nº 11. (Incluído pela Lei nº 11. o valor cobrado pelo instrutor de armamento e tiro não poderá exceder R$ 80. acrescido do custo da munição.ARMAMENTO E TIRO POLICIAL § 2o Na comprovação da capacidade técnica.00 (oitenta reais).706.706.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->