Você está na página 1de 6
Guy Fawkes Guy Fawkes (Iorque, 13 de abril de 1570 — Londres, 31 de janeiro de 1606), também conhecido como Guido Fawkes, foi umsoldado inglês católico que teve participação na "Conspiração da pólvora" (Gunpowder Plot) na qual se pretendia assassinar o rei protestante Jaime I da Inglaterra e todos os membros do parlamento durante uma sessão em 1605, objetivando o início de um levante católico. Guy Fawkes era o responsável por guardar os barris de pólvora que seriam utilizados para explodir oParlamento do Reino Unido durante a sessão. Porém a conspiração foi desarmada e após o seu interrogatório e tortura, Guy Fawkes foi executado na forca por traição e tentativa de assassinato. Outros participantes da conspiração acabaram tendo o mesmo destino. Sua captura é celebrada até os dias atuais no dia 5 de novembro, na "Noite das Fogueiras" (Bonfire Night). Guy Fawkes nasceu na cidade de Iorque, e se converteu ao Catolicismo aos dezesseis anos. Como soldado era especialista em explosivos. Por ser simpatizante dos espanhóis católicos, adotou também a versão espanhola de seu nome francês: Guido. Conspiração da Pólvora A Conspiração da Pólvora foi um levante liderado por Robert Catesby, que foi executado, assim como outros católicos insatisfeitos, pela repressão empreendida pelo rei protestante Jaime I aos direitos politicos dos católicos por causa de suas atividades subversivas contra a coroa, e para restaurar o poder temporal da igreja católica. O objetivo deles era explodir o parlamento inglês utilizando trinta e seis barris de pólvora estocados sob o prédio durante uma sessão na qual estaria presente o rei e todos os parlamentares. Guy Fawkes, como especialista em explosivos, seria responsável pela detonação da pólvora. Porém os conspiradores notaram que o ato poderia levar à morte de diversos inocentes e defensores da causa católica, portanto enviaram avisos para que alguns deles mantivessem distância do parlamento no dia do ataque. Para infelicidade dos conspiradores, um dos avisos chegou aos ouvidos do rei, o qual ordenou uma revista no prédio do parlamento. Assim acabaram encontrando Guy Fawkes guardando a pólvora. Ele foi preso e torturado, revelando o nome dos outros conspiradores. No final foi condenado a morrer na forca por traição e tentativa de assassinato. Os outros participantes revelados por Fawkes acabaram também sendo executados. Ainda nos dias de hoje o rei ou rainha vai até o parlamento apenas uma vez ao ano para uma sessão especial, sendo mantida a tradição de se revistar os subterrâneos do prédio, antes da sessão. Do mesmo modo foi mantida a tradição de celebrar no dia 5 de novembro a Noite das Fogueiras. Nesta noite é tradição malhar e queimar em fogueiras, bonecos que representam Fawkes, e soltar fogos de artifício. Uma rima tradicional foi criada em alusão à Conspiração da Pólvora: "Remember, remember, the 5th of November The gunpowder, treason and plot; I know of no reason, why the gunpowder treason Should ever be forgot." Tradução livre: "Lembrai, lembrai, o cinco de novembro A pólvora, a traição e o ardil; por isso não vejo porque esquecer; uma traição de pólvora tao vil" Há mais versos que se seguem a estes, dos quais alguns costumam não ser mais usados por serem ofensivos. Outra tradução livre: "Me lembro, me lembro, do cinco de novembro; Do atentado e da pólvora, se deve saber; E não vejo razão, para que tal traição; Um dia se venha a esquecer." -------------------------------------------------------------------------------------------------------------A Conspiração da pólvora foi uma tentativa mal-sucedida de um grupo de católicos provinciais ingleses de assassinato do rei Jaime I de Inglaterra, de sua família, e da maior parte da aristocracia protestante em um único ataque, às Casas do Parlamento, durante a cerimônia de abertura. O objetivo deles era explodir o parlamento inglês durante uma sessão na qual estaria presente o rei e todos os parlamentares utilizando trinta e seis barris de pólvora estocados sob o prédio do parlamento. Guy Fawkes como especialista em explosivos seria responsável pela detonação da pólvora. Os conspiradores, católicos insatisfeitos liderados por Robert Catesby, também planejaram sequestrar uma criança da realeza, não presente no Parlamento, e incitar uma revolta nas Midlands. Esta conspiração foi uma de uma série de tentativas mal-sucedidas de assassinato contra Jaime I, seguida à Conspiração principal e à Conspiração do adeus, de 1603. Muitos creem que a Conspiração da Pólvora foi parte da contrarreforma. Todo ano, no dia 5 de novembro, pessoas no Reino Unido, Nova Zelândia, África do Sul, Terra Nova e Labrador e São Cristóvão celebram a falha da conspiração, na chamada Noite de Guy Fawkes. História Os conspiradores estavam irritados com o rei Jaime, que não concedia direitos iguais a católicos e protestantes. A conspiração começaria quando a filha de nove anos de Jaime I (Princesa Elizabeth) seria declarada chefe de estado católica, e foi planejada em maio de 1604, por Robert Catesby. Os outros conspiradores eram Thomas Winter (também grafado Wintour), Robert Winter, Christopher Wright, Thomas Percy (também grafado Percye), John Wright, Ambrose Rokewood, Robert Keyes, Sir Everard Digby, Francis Tresham, e o criado de Catesby, Thomas Bates. O responsável pelos explosivos era um especialista em explosivos, chamado Guy Fawkes, que fora apresentado a Catesby porHugh Owen. Os detalhes sobre a conspiração foram contados ao principal jesuíta da Inglaterra, Henry Garnet, com a permissão de Robert Catesby, por Oswald Tesimond, outro jesuíta. Apesar da oposição de Garnet, a conspiração foi adiante, e Garnet foi sentenciado a decapitação, afogamento e esquartejamento, por traição. Conspiração Em março de 1605, a terra abaixo da casa dos lordes foi preenchida com 36 barris de pólvora, contendo 1800 libras de material explosivo. Como os conspiradores notaram que o ato poderia levar a morte de diversos inocentes e defensores da causa católica, enviaram avisos para que alguns deles mantivessem distância do parlamento no dia do ataque. Para infelicidade dos conspiradores um dos avisos chegou aos ouvidos do rei, o qual ordenou uma revista no prédio do parlamento. Assim acabaram encontrando Guy Fawkes guardando a pólvora. Ele foi preso e torturado, revelando o nome dos outros conspiradores. No final foi condenado a morrer na forca, por traição e tentativa de assassinato. Os outros participantes revelados por Guy Fawkes acabaram também sendo executados. Ainda nos dias de hoje o rei ou rainha vai até o parlamento apenas uma vez ao ano para uma sessão especial, sendo mantida a tradição de se revistar os subterrâneos do prédio antes desta sessão. Há mais versos que se seguem a estes, alguns dos quais não costumam ser usados por serem ofensivos. Os versos em Ingles: Remember, remember the fifth of November, The gunpowder treason and plot. I know of no reason why the gunpowder treason Should ever be forgot. Guy Fawkes, Guy Fawkes, 'twas his intent To blow up the King and Parliament. Three score barrels of powder below, Poor old England to overthrow; By God's providence he was catch'd With a dark lantern and burning match. Holloa boys, holloa boys, make the bells ring. Holloa boys, holloa boys, God save the King! Hip hip hoorah! Em Portugues: "Lembrai, lembrai do 5 de novembro" "A polvora, a traição e o ardil" "Não sei de Nenhuma razão para que a traição da pólvora" "Seja algum dia esquecida" "Guy Fawkes,Guy Fawkes, esta era sua intenção" "Explodir o rei e o Parlamento" "Três montes de barris de polvora abaixo" "Para derrubar a pobre Inglaterra" "Pela providencia divina foi capturado" "Com uma lanterna escura e um fósforo" "Halloa boys,Halloa boys, façam os sinos tocar" "Halloa boys,Halloa boys, Deus salve o Rei" "Hip hip Horray" Guy Fawkes Hoje, dia 5 de Novembro, celebra-se o Guy Fawkes (Guy Fawkes Day) no Reino Unido. Esta celebração anual, que também é conhecida comoBonfire Night ou Cracker Night, comemora-se lançando fogo-de-artifício e queimando em fogueiras efígies de Guy Fawkes, orevolucionário que tentou restaurar o catolicismo de forma violenta. Em 1605, um grupo de católicos planeou fazer explodir o parlamento (Houses of Parliament) em Londres. Entre eles, encontrava-se um jovem chamado GuyFawkes, que acabou por ficar conhecido como o mais famoso traidor britânico. Guy Fawkes e os comparsas pretendiam - de forma violenta - restaurar o catolicismo como religião do Estado. Desde o reinado de Henrique VIII (Henry VIII) que a Inglaterra estava dividida entre católicos e protestantes, com ambas as facções a lutarem pelo trono. Depois da morte da Rainha Isabel I (Queen Elizabeth I), em 1603, os católicos ingleses (que haviam sido brutalmente perseguidos sob o seu reinado) esperavam que o seu sucessor, o rei Jaime I (King James I), fosse mais tolerante para com a sua religião. Até porque a mãe de Jaime I era católica. Mas tal não aconteceu. Jaime I, protestante/anglicano fervoroso, era tão intolerante para com os católicos como Isabel I. Foi então que um grupo de homens, 13 para ser exacta, resolveu que o caminho a seguir era o da acção. A protester wearing a Guy Fawkes mask is seen in London. Um pequeno grupo, sob a liderança de Robert Catesby, decidiu que a única coisa a fazer era explodir as Houses of Parliament. Desta forma, esperavam matar o rei Jaime I, o Príncipe de Gales (seu sucessor) e uma série de membros do parlamento que dificultavam a vida aos católicos. Se fosse hoje, estes homens seriam considerados revolucionários extremistas ou, mesmo, terroristas. Para executar o seu plano, os conspiradores conseguiram introduzir 36 barris de pólvora nas caves mesmo por baixo da Câmara dos Lordes (House of Lords), uma das "casas" do parlamento. Este plano ficou conhecido como o Gunpowder Plot. Contudo, alguns dos conspiradores perceberam que o plano iria vitimar também inocentes e terão enviado uma carta anónima a denunciar a conspiração. Ao tomar conhecimento desta conspiração, as forças do rei contra-atacaram, tendo encontrado o jovem Guy Fawkes, juntamente com os 36 barris de pólvora, nas ditas caves, nas primeiras horas do dia 5 de Novembro. GuyFawkes foi, assim, apanhado, torturado e executado. Nessa mesma noite (5 de Novembro de 1605), acenderam-se inúmeras fogueiras (bonfires) para celebrar a segurança do rei, após o plano para o assassinar ter sido gorado. Desde então, o dia 5 de Novembro é conhecido como Bonfire Night. Todos os anos, comemora-se o evento com fogo-de-artifício - para lembrar como poderia ter sido se os 36 barris de pólvora tivessem efectivamente explodido - e executando o traidor Guy Fawkes em fogueiras. Também ficou um poema, que as crianças repetem nesta noite: Remember, remember the fifth of November, The gunpowder, treason and plot, I know of no reason Why gunpowder treason Should ever be forgot Guy Fawkes, Guy Fawkes, ’twas his intent To blow up the King and Parliament. Three score barrels of powder below, Poor old England to overthrow; By God’s providence he was catch’d With a dark lantern and burning match. Holloa boys, holloa boys, make the bells ring. Holloa boys, holloa boys, God save the King! Hip hip hoorah! Em Portugues: "Lembrai, lembrai do 5 de novembro" "A polvora, a traição e o ardil" "Não sei de Nenhuma razão para que a traição da pólvora" "Seja algum dia esquecida" "Guy Fawkes,Guy Fawkes, esta era sua intenção" "Explodir o rei e o Parlamento" "Três montes de barris de polvora abaixo" "Para derrubar a pobre Inglaterra" "Pela providencia divina foi capturado" "Com uma lanterna escura e um fósforo" "Halloa boys,Halloa boys, façam os sinos tocar" "Halloa boys,Halloa boys, Deus salve o Rei" "Hip hip Horray" Curiosidade 1 Hoje em dia usamos a palavra "guy" significando "tipo", "homem" ou "pessoa", como na frase "that guy across the street" (aquele tipo no outro lado da rua). Não é certo, mas existe a teoria que a palavra "guy" poderá ter tido origem em Guy Fawkes e na prática de fazer uma efígie dele para queimar nas fogueiras a 5 de Novembro. Ainda hoje, as crianças ao correr pelas ruas a tentar arranjar dinheiro para comprar fogosde-artifício dizem "a pennyfor the guy" (um tostão para a efígie). Terá sido a partir deste "guy" (efígie) que se partiu para o actual "guy" (tipo). Curiosidade 2 "V for Vendetta" é uma novela gráfica* com argumento de AlanMoore e ilustrada por David Lloyd. Esta novela gráfica situa-se num Reino Unido distópico, onde um misterioso anarquista mascarado autodenominado "V" procura destruir o governo totalitário de Londres. Desta obra gráfica, foi feita uma adaptação ao cinema em 2006, com a actriz Natalie Portman. Umas das cenas mais famosas do filme é quando "V" faz explodir as Casas do Parlamento. Uma clara alusão a Guy Fawkes. Assim como a sua máscara!

Interesses relacionados