P. 1
ENGELS. a Origem Da Família e Da Propriedade Privada e do estado (resumo)

ENGELS. a Origem Da Família e Da Propriedade Privada e do estado (resumo)

5.0

|Views: 12.641|Likes:

More info:

Published by: História Econômica on Jan 24, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX or read online from Scribd
See more
See less

07/23/2013

ENGELS. A origem da família da propriedade privada e do Estado.

- Fala de um estágio pré-histórico da cultura; - Morgan foi o primeiro a sistematizar a pré-história da humanidade; estudou as tribos iroquesas nos EUA; - Segundo Morgan, as famílias evoluem no tempo; o sistema de parentesco, no entanto, não sofre transformação radical, se não, quando a família já se modificou radicalmente. EX: antigamente, cada filho tinha vários pais e mães, já que, a poligamia e poliandra era permitido. “Existia uma época primitiva em que imperava, no seio da tribo, o comércio sexual promíscuo. Cada mulher pertencia a todos os homens e vice e versa. Sociedade sem ciúmes. - HIPÓTESE: as formas primitivas de família descritas por Morgan são idênticas às genes gregas e romanas. Estas foram mais longe do que as indígenas norte-americanas, por que superaram as confederações das tribos vizinhas fazendo surgir o povo: sistema de leis; formação do estado; sistema monetário; escravidão por dívida. - ESATADO: o primeiro sintoma de sua formação consiste na destruição dos laços gentílicos, dividindo os membros dos gens em privilegiados e não privilegiados. - A forma primitiva da família descrita por Morgan são idênticas - Dividiu a pré-história em estágios de acordo com o progresso obtido na produção dos meios de subsistência; “Se a gens grega era uma forma desenvolvida da unidade social cuja forma primitiva pode ser observada entre os índios da América, o mesmo pode ser dito das gens romanas”. - GENS: Nasce na fase média do estado selvagem. Caracterizava-se pela propriedade comunal; linhagem paterna; socorro mútuo; casamento interno. - Engels estuda a dissolução das gens entre gregos, romanos e germânicos. Em ambos os casos ela deu lugar ao Estado. - SURGIMENTO DO ESTADO: a) GREGOS: nasce em conseqüência do antagonismo de classe; b) ROMANOS: a sociedade gentílica se transforma numa aristocracia fechada em meio a uma plebe numerosa; a vitória da plebe arruinou a gens romana e daí surge o estado; c) GERMÂNOS: o estado surge em função direta da conquista de vastos territórios estrangeiros. Conclusão: “O estado não foi uma força que se impôs à sociedade de fora para dentro”. Não é como diz Hegel a realização da razão. É, ao contrário, um produto da sociedade. - O Estado amortece os choques sociais; “A escravidão é a forma típica de exploração na antiguidade”. “O marxismo mudou a periodização da história”. - A discussão está no fato de como os seres humanos perderam a áurea do comunismo primitivo. Dessa sociedade universal saiu varias outras baseadas na propriedade privada. Defesa da multi-possibilidades e da não linearidade. “O que parece é que a partir de 1954, Marx e Engels abandonam o esquema complexo dos Grundrisse. Favorecendo o caminho simplificado.

SELVAGERIA: O homem sai do reino animal; é uma fase universal a todos os povos. - FASE INFERIOR: a) infância do gênero humano; b) os homens vivem parcialmente nas árvores para se proteger das feras; c) formação da linguagem articulada; d) alimentam-se de frutas, nozes e raízes; e) desenvolvimento do andar bípede; - FASE MÉDIA (paleolítico):

a) utilização do peixe na alimentação; b) emprego do fogo; c) conquista certa independência da natureza; d) invenção das primeiras armas: clava e lança; e) Tem início a caça; f) formação das gens; g) existência da antropofagia - FASE SUPERIOR (neolítico): a) invenção do arco e da flecha; b) a caça se tornou atividade costumeira; c) o produto da caça se tornou alimentação regular; d) indícios de residências fixas; e) produção de vasos, utensílios de madeira e tecido (tear); BARBÁRIE: é mais nítida no oriente. - INFERIOR: a) introdução da cerâmica; b) Apogeu dos gens; - MÉDIA: a) domesticação dos animais; b) vida pastoril; c) fundição do cobre, estanho e bronze; d) surgimento da escravidão; e) o homem sedentário. - SUPERIOR (Fim do comunismo primitivo e surgimento da família monogâmica) a) fundição do ferro; b) época homérico (XII-VIII) dos gregos; c) arado de ferro e moinho; d) agricultura; e) divisão do trabalho: agricultura x artesanato; f) gritante separação entre homens livres e escravos g) surge a espada de ferro e o machado; h) desenvolvimento da agricultura, produção de excedente para a troca; i) DISSOLUÇÃO DAS GENOS1; - MOTIVOS: a) crescimento populacional > carência de terras férteis > genos insustentáveis; b) criação de herança paterna (a famosa lei da primogenitura); c) surgimento das classes sociais; d) enfraquecimento dos basileus e fortalecimento dos eupátridas; e) guerras inter-genos; f) generalização da escravidão; e g) APARECIMENTO DO ESTADO ........................................ FAMILIA COSANGUÍNEA: - irmãos, irmãs, primos e primas em primeiro, segundo etc. são irmãos entre si; - os pais e os filhos são os únicos excluídos dos direitos e deveres do matrimônio; FAMÍLIA PUNALUANA:
1GENOS: reunião de famílias que descendiam de um mesmo antepassado e que adoravam um mesmo deus.

“Se o primeiro progresso na organização da família foi proibir a relação sexual entre pais e filhos; nesta faze, proíbe-se a relação entre irmãos. - Com a proibição do sexo entre os irmãos, foi se formando núcleos familiares mais fechados – houve separação entre sobrinhos e primos. - A descendência era reconhecida pela linhagem feminina, devido ao matrimônio grupal; FAMÍLIA SINDIÁSMICA: - O homem vive com uma mulher, mas tem o direito a poligamia e a infidelidade ocasional; - Fácil dissolução do vínculo conjugal por ambas as partes; - Inicio da passagem para o patriarcado; - Os filhos dos irmãos também são filhos, ou seja, sobrinhos e filhos é a mesma coisa; - Vigorou em todas as tribos indígenas da América; FAMÍLIA MONOGÂMICA: - Queda do matriarcado, o homem conquista o direito de controlar a família; - A questão da herança fez da certeza da paternidade uma questão fundamental; - Laços conjugais mais sólidos; - O homem ainda tem o direito à infidelidade ocasional. A mulher é morta ao praticar o adultério. ........................ - Marx estudou as sociedades pré-capitalistas para traçar a lei do desenvolvimento histórico; não estuda a dinâmica interna desses sistemas. Suas energias estavam concentradas no mundo contemporâneo. - O império romano era um mosaico de sociedades. Surge o conceito de formação social. ...................... - Idade Antiga foi marcada. - SOCIEDADES ASIÁTICAS ou HIDRÁULICAS: a) economia agrária; b) comércio secundário; c) forte hierarquia social; d) Estado patriarcal; e) religião politeísta; f) se desenvolveram às margens dos grandes rios. - Estuda-se o oriente naquilo que ele contribuiu para o ocidente. - Aristóteles justificou a escravidão dizendo-se coisa natural. - O Estado não surgiu com o trabalho hidráulico, ele surgiu depois.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->