P. 1
Artigo - Projeto Do Produto PmaisL 1

Artigo - Projeto Do Produto PmaisL 1

|Views: 11|Likes:
Publicado porPaulo Borges

More info:

Published by: Paulo Borges on Nov 22, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/19/2014

pdf

text

original

UM BREVE ESTUDO ACERCA DOS PRINCÍPIOS DE APLICAÇÃO DA PRODUÇÃO MAIS LIMPA (PmaisL

)

Aron Weber Silva Pinheiro (UEPA) weberaron@hotmail.com Elizabeth Cristina Silva da Silva (UEPA) css.elizabeth@gmail.com Heitor de Souza Bezerra (UEPA) heitor.3@hotmail.com Kamila Almeida dos Reis (UEPA) kamila_reis13@yahoo.com.br Paulo Vitor Silva Borges (UEPA) p.v.borges@hotmail.com Rafael Anderson de A. Gonçalves (UEPA) rafael_ago@yahoo.com.br Suelen Ramona de Souza Cunha (UEPA) suka.srsc@gmail.com

Resumo O presente estudo se dedica a uma breve explanação dos princípios de aplicação da Produção mais Limpa (PmaisL), um método que busca a redução de custos através da eliminação ou redução de resíduos do processo produtivo das organizações conjuntamente à busca de uma imagem associada à responsabilidade socioambiental. O objetivo do estudo é relatar um exemplo de aplicação do conceito de Produção mais Limpa realizado pelo CNTL (Centro Nacional de Tecnologias Limpas) em uma empresa nacional de pequeno porte fabricante de móveis e estofados. Palavras-chave: PmaisL, Sustentabilidade, Resíduos, UEPA, Belém.

A estratégia doPmaisL pode ser utilizada em todos os níveis do processo produtivo reduzindo ou eliminandoa poluição em seu desenvolvimento e não apenas na conclusão. começou-se a exigir que as organizações assumissem a reponsabilidade pelo seu processo fabril e estas se viram forçadas a aprimorarem seus métodos produtivos e tecnologias que reduzissem ao máximo a agressão ao ambiente e a sociedade nele inserida.A questão ambiental. Para Giannetti e Almeida (2006) quaisquer ações que visem à redução de uso de matériasprimas e energia e que minimizem a geração de resíduos. na medida em que maximiza a utilização das matérias-primas e dos materiais utilizados e. podem aumentar a produtividade trazendo benefícios em diversos âmbitos para a organização. Em 1995 o SENAI-RS foi escolhido pela UNIDO e UNEP. Introdução Considerando o atual panorama mundial de conscientização acercada escassez de recursos associadas com catástrofes naturais diretamente ligadas às ações do homem. uma notável reduçãonos custos do processo em geral.1. sendo que este valor deve ultrapassar o custo de fabricação da empresa. ainda traz retornos econômicos dentro de sua cadeia de valor. a de liderança por diferenciação ou a de enfoque (ou no custo ou em diferenciação). Sua adoção pode resultar. pode propiciar osurgimentode inovações tecnológicas significativas (LEMOS. Sendo assim. o que oferece alémde um retorno mais saudável ao ambiente. 2. esse programa teve a finalidadevoltada para as atividades de prevenção da poluição. a sociedade está cada vez mais se inserindo no contexto de desenvolvimento sustentável. reduz os custos com o tratamento de resíduos. que ao adotá-la acabar por assumir uma posição de responsabilidade socioambiental. e uma destas estratégias foi a Produção mais Limpa ou PmaisL. em uma vantagem competitiva sustentável para as empresas e para toda a cadeia de suprimentos a qual elas pertencem” (MEDEIROS et al. ambientais e econômicos. além de proporcionar um diferencial competitivo para a organização. (2007): “o modelo de PmaisL sugere a agregação de valor aos produtos e a geração de lucros. além de gerar novas oportunidades de negócios. 2007). Tendo a consciência da necessidade da busca desoluções definitivas para o problema da poluição ambiental. direcionaram as organizações para diversos sistemas que integrassem benefícios sociais. Como resultado. A busca por uma solução para as novas exigências do mercado..Paralelamente a isso. 1998). com isto. De acordo com Porter (1985). a PmaisL. a Produção mais Limpa oferece grande auxílio na gestão ambiental de determinados órgãos ou empresas. Por ser uma ferramenta voltada para as organizações. . para ser a instituição hospedeira do centro brasileiro de Produção mais Limpa e desde então vem utilizando esta metodologia. Segundo Medeiros et al. Referencial Teórico O conceito de Produção mais Limpa surgiu com o Programa CleanerProductioncriado pelaUnited Nations Industrial DevelopmentOrganization (UNIDO) em conjunto com o United Nations Environmental Programme (UNEP). uma vantagem competitiva surge pelo valor que uma empresa consegue criar para seus clientes. para que as empresas tornem-se competitivas precisam adotar uma dentre três estratégias genéricas: a de liderança no custo. desse modo.

decrescendo assim seus custos com riscos e prêmios de seguros. quando realizado corretamente. contribuindo para a inovação industrial e a competitividade. Vantagens da PmaisL Segundo o CNTL (2012)a PmaisL é uma ferramenta lucrativa por estabelecer um conceito holístico entre os interesses da organização e da sociedade. . Por ser um programa que visa fortalecer economicamente a indústria. c) Baixar os riscos aos trabalhadores. no controle da poluição. Incorporação dos conceitos ambientais no projeto e distribuição dos serviços. a implantação de um programa de PmaisLrequer monitoramento através de indicadores ambientais e deprocessosque.Contudo. De acordo com a CNTL (2012) o processo de implantação da PmaisL. se este pode ser vendido. materiais e processos que reduzam ao máximo a geração de resíduos e o reaproveitamento daqueles inerentes à produção. pode-se observar as possíveis aplicações da PmaisL nos diversos setores produtivos: Aplicações da PmaisL Processos de produção Produtos Serviços Conservação de matérias-primas e energia. no uso racional de energia. Fonte: UNEP (2012) Quadro 1 – Aplicações da PmaisL As vantagens ambientais da PmaisL são de evitar a poluição antes que ela seja gerada. eliminação de matérias-primas tóxicas e redução da quantidade de toxicidade de todas as emissões de resíduos. apresentam ótimos resultados relacionados à utilização ecoeficiente de recursos. isto é. d) Melhorar o conceito público da empresa produzindo benefícios sociais e econômicos intangíveis. com produtos e embalagens ambientalmente adequadas desde o planejamento do produto. Desta forma.1. 2. a PmaisL acaba por induzir inovações dentro da própria empresa através do estudo de tecnologias. No quadro 1 abaixo. na PmaisL as questões são de onde provém o resíduo. com consciência e entendimento sobre o impacto ao meio ambiente principalmente na eliminação de resíduos. b) Melhorar a eficiência do processo e a qualidade do produto. ou não. dos cuidados com a saúde e da limpeza do meio ambiente. isto é. pode proporcionar os seguintes benefícios: a) Baixar os custos da produção. Redução do impacto negativo ao longo do ciclo de vida do produto. nas formas de se livrar deles. se realizadoscorretamente. comunidade. Enquanto em uma gestão convencional de resíduos o enfoque se dá no destino dos resíduos. na melhoria da saúde e segurança do trabalho. prevenindo a poluição e acompanhada do objetivo de contribuir para a melhoria da situação ambiental de determinada região. consumidores de produtos e gerações futuras. proporcionando um íntegro entendimento do sistema de gerenciamento da empresa. desde a extração das matérias-primas até o produto final. de disposição final. por que são gerados e como eliminá-los ou reduzi-los na fonte. a PmaisL necessita de uma investigação do processo fabril considerando a utilização de materiais e energia.

2. No nível 3. Como se percebe. busca-se a otimização do ciclo produtivo interno da empresa.Diminuir os desperdícios implica em maior eficiência no processo industrial e menores investimentos para soluções de problemas ambientais. Processo de Implantação Para que a PmaisL seja implantada é necessário que todo o processo produtivo seja avaliado. 2007). No nível 2. são propostas medidas de reciclagem externa ou reaproveitamento em ciclos biogênicos. considerando o emprego dos recursos e sua eficiência.2. o que pode ser obtido por modificações no produto ou no processo produtivo (housekeeping. por fim. . Conforme proposto pela CNTL (apud ARAÚJO. a prática da PmaisL sugere e repercute no desenvolvimento e na adoção de tecnologias limpas nos processos produtivos (OLIVEIRA e ALVES. substituição de matérias-primas e modificações tecnológicas). o CNTL (2012) organizou um fluxograma destas oportunidades na Figura 1 abaixo: Fonte: CNTL (2012) Figura 1 – Níveis de aplicação da PmaisL No nível 1. 2002)as fases de implantação e as ações necessárias para operacionalização da metodologia do PmaisL estão descritas no Quadro 2 a seguir. Para facilitar a definição de prioridades na identificação de oportunidades da Produção mais Limpa num processo produtivo. são priorizadas as ações que buscam a redução da geração dos resíduos na fonte geradora.

Econômica e Ambiental Preparar plano de implementação de PmaisL Implementação de Implementar as opções de PmaisL Opções e Plano de Monitorar e avaliar Continuidade Sustentar atividades de PmaisL Fonte: CNTL (2012) Quadro 2 – Etapas de implementação da PmaisL 2. pois as políticas de incentivos impostas pelo estado são raridades. fortalecendo a empresa no seu nicho de mercado frente à concorrência. quando na realidade. dificuldade de manter e desenvolver centros de pesquisas dedicados ao conhecimento de tecnologias limpas e materiais alternativos. 2005) destaca: falta de comprometimento do governo na priorização de ações. mas sim uma estratégia orientada para aumentar o grau de utilização da matéria-prima. Há também o aparecimento de barreiras internas nas empresas como a preocupação econômica. Barreiras de implantação da PmaisL Como pode ser observada a diminuição ou extinção de dejetos no meio ambiente não é somente um programa a ser seguido por uma determinada organização. . falta de informações e desinteresse de gerentes que complicam a implementação de ações Produção mais Limpa. as organizações ainda acreditam que sempre necessitariam de novas tecnologias para a implementação de PmaisL. dentre as barreiras externas para o desenvolvimento de ações de PmaisL. devido ao elevado investimento inicial aliada à dificuldade de financiamento. aproximadamente 50% da poluição gerada pelas organizações poderia ser evitada somente com a melhoria em práticas de operação e mudanças simples em processos. o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA. com vantagens técnicas e econômicas.Etapas Planejamento e organização Passos Obter comprometimento e envolvimento da alta direção Estabelecer a equipe do projeto (ECOTIME) Estabelecer a abrangência da PmaisL Identificar barreiras e soluções Desenvolver o fluxograma do processo Pré-avaliação e Diagnóstico Avaliar as entradas e saídas Selecionar o foco da avaliação da PmaisL Originar um balanço material e de energia Avaliação de PmaisL Conduzir uma avaliação de PmaisL Gerar opções de PmaisL Selecionar opções de PmaisL Avaliação preliminar Avaliação técnica Avaliação econômica Avaliação ambiental Selecionar as opções a serem implementadas Estudos de Viabilidade Técnica. Entretanto. Segundo a UNIDO (2012). falta de interesse e participação limitada das indústrias na implantação de ações de PmaisL.3.

Devido ao já existente conhecimento de que os resíduos podem ser reutilizados como matéria-prima no processo fabril por parte da empresa. o que faz com que todo o produto seja utilizado. organizações não só como estratégia econômica e ambiental.Diferentemente da realidade atual. em uma empresa moveleira nacional de pequeno porte. mas sim como beneficiadora da saúde ocupacional e segurança dos trabalhadores. Fonte – CNTL (2012) Figura 2 – Antiga pistola de pintura . poltronas. Análise dos dados Durante o processo produtivo. a Produção Mais Limpa deve ser vista pelo governo.empresa utilizava o caneco de pintura convencional que possui um cachimbo de sucção do selador e verniz muito curto e localizado abaixo do bico de pintura. Isto fazia com que sempre houvesse selador e verniz residual dentro do caneco. entre outros. O principal problema a ser solucionado pela estratégia da Produção mais Limpa foi o alto consumo de verniz e selador durante o processo produtivo. Após a realização de um seminário de sensibilização realizado pela própria empresa realizou-se a troca da pistola de pintura utilizada anteriormente (Figura 2) por uma pistola de pintura com o caneco na parte superior (Figura 3). principalmente. a implementação da PmaisL na organização foi facilitada. A empresa atua no mercado desde 1998 e seu mix de produtos possui sofás. A partir disto foi realizado um levantamento das possíveis causas deste problema. Estudo de caso O estudo de caso foi realizado pelo CNTL em 2012. onde o selador e o verniz chegam aobico de pintura por gravidade.1. 3. sociedade e. modulados. 3.

4.000. Entretanto. tanto o verniz como o selador ficassem depositados nas paredes.386. é de fundamental importância o controle e avaliação contínua das ações tomadas naPmaisL. Dessa maneira. então. Conclusão No decorrer do estudo pode-se constatar que a principal ação ainda em falta para que as organizações passem a utilizar as estratégias de Produção Mais Limpa é conscientização de quea viabilidade de transformar os refugos reintegrando-os ao ciclo produtivo traz vantagens econômicas à empresa.o que acarretou num benefício econômico de R$ 1. bem como a vantagem econômica alcançada com esta técnica.386. Como observado no estudo de caso.00/ano. pois seráatravés do histórico de mediçõesem comparaçãoaos parâmetros determinados que fornecerãoas informações necessáriasaoEcotime a respeito da eficácia das técnicas impostas que a partir destas tomarão suas próximas decisões.00 recuperado 4 meses depois. sendo o investimento inicial de R$1. à concorrência e à sociedade. a implantação da Produção Mais Limpa no processo da empresa analisada gerouuma redução anual de 30% no consumo de verniz e selador.00. O benefício econômico para a empresa gerado por esta ação foi de aproximadamente R$ 1. Em contrapartida. Verificou-se.Fonte – CNTL (2012) Figura 3 – Pistola de pintura após a implementação do PmaisL Segundo o CNTL (2012) O investimento na compra da nova pistola foi de R$1. a efetividade da implantação das ações de PmaisLnas reduções de resíduos despejados no meio ambiente. o processo é initerruptamente avaliadocom o intuito de encontrar etapas do processo produtivo que devam ser melhoradas para adequá-las aos novos padrões determinados. valor recuperado 4 meses depois. o benefício ambiental anual foi uma redução de aproximadamente 30% no consumo de verniz e selador o que evitou que.cortina d’água e equipamentos reduzindo o envio destes para a estação de tratamento de efluentes. . melhorando assim o posicionamento da empresa frente ao mercado.000. bem como a manutenção da saúde da sociedade e meio ambiente.00/ano.

C. ferramentas e aplicações. nº 1. Acesso em: 10/11/2012. PORTER. Harvard Business Review. Porto Alegre: UFRGS.br/Ambiente/producao_limpa/documentos/pl_portugues. E. 1998.Disponível em: <http://www. D.br>. Produção mais limpa em confecções.pdf> Acesso em: 11 nov. Universidade Federal de Santa Catarina. 2012. Florianópolis. V.org>. PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Disponível em:<http://wwwapp. 2002.M. 2007. Disponível em: <http://www. C. Disponível em: <http://www. C. ______. além de estarem atentas àcontínua melhoria de seus processos. Acesso em: 10 nov.Disponível em: . 73. ALMEIDA. Revista Produção. 2012. A aplicação da metodologia de produção mais limpa: estudo em uma empresa do setor de construção civil.Green and competitive: ending the stalemate.unido. M.2005./abr. São Paulo. B.cetesb. Referências ARAÚJO. pp.A Produção mais Limpa como geradora de inovação e competitividade: o caso da Fazenda Cerro do Tigre. jan. 17.Acessoem: 09nov.sp. GIANNETTI. 2012. CNTL – Centro Nacional de Tecnologias Limpas. LEMOS. a questão ambiental deve ser entendida como uma oportunidade competitiva e que viabiliza o aumento da probabilidade de sobrevivência das organizações.org. LINDE..sistemafiergs. Dissertação (Mestrado). D. Escola de Administração da UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. ______. pp.org. v. et al.B. D. também possuem a capacidade de oferecer serviços e produtos que levem em consideração os impactos causados ao meio ambiente desde o início da sua cadeia de valor. Portanto. Organization. 1998. F.org/index. Dissertação de Mestrado. MEDEIROS.V. 2007.br/portal/page/portal/sfiergs_senai_uos/senairs_uo697/Como%20impleme ntar%20Produ%E7%E3o%20mais%20Limpa.gov.Ecologia industrial: conceitos.org. 109-128.php?id=o4460> Acesso em: 10 nov. nº 5.cntl. Porto Alegre. A. A. UNEP – United Nations Environmental Programme.unep. São Paulo: PNUMA. 134 p. Acesso em: 09 nov. v.Além disso.br/portal/page/portal/sfiergs_senai_uos/senairs_uo697/proximos_curso c/Produ%E7%E3o%20mais%20Limpa%20em%20Confec%E7%F5es. D. 2012.pdf>.sistemafiergs.Aplicação da produção mais limpa em uma empresa como ferramenta de melhoria contínua. 2012 UNIDO – United Nations Industrial Development <http://www.. CETESB.pdf>. Como implementar a produção mais limpa? Disponível em: <http://wwwapp. as empresasnecessitam demonstrar à sociedade que.F. Editora Edgard Blücher. 120-134. A produção mais limpa e o consumo sustentável na América Latina e Caribe. 2006.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->