Você está na página 1de 16

Aprovar_32V.

qxp 13/10/2008 16:29 Page 1


Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 2

Guia de Profissões
Administração
esponsável por garantir o bom fun- pelo planejamento de estraté-

R cionamento das organizações, o


administrador pode atuar em áreas
distintas como finanças, recursos humanos,
gias e pelo gerenciamento do
dia-a-dia da companhia e gere
recursos financeiros, materiais e
logística, qualidade de processos e gestão humanos. Conduz as relações
de produção. Planejar, organizar, coordenar entre a empresa e os funcio-
e controlar: essas são as quatro funções prin- nários, cuida dos processos de
cipais da administração, as quais sempre an- admissão, de treinamento e de
dam lado a lado. O curso superior em Admi- demissão. Organiza planos de
nistração forma profissionais aptos a identifi- carreira e programas de benefí-
car os principais enfoques necessários para cios.
a gestão das organizações. Outra possibilidade é atuar no
O administrador precisa ter mais que vonta- controle dos estoques de maté-
de; precisa de um conjunto de habilidades e ria-prima e de insumos, geren-
de um perfil compatível com a profissão: ciando os processos de com-
liderança, facilidade em lidar e em gerenciar pra. No setor financeiro, opera ampla, esse profissional se faz necessário
várias atividades ao mesmo tempo, boa nas áreas de custos, de orçamentos e de em todo tipo de empresa (fabril, comercial,
capacidade de análise, raciocínio abstrato, fluxo de caixa. Pode envolver-se, ainda, com serviços, agronegócio etc.) e em prati-
organização, criatividade, facilidade com nú- a publicidade e com o marketing. O admi- camente todas as áreas, desde a comercial,
meros e cálculos. Ele precisa ter pensamento nistrador trabalha em diversos setores - de passando por logística, financeira e com-
sistêmico, apresentar senso crítico, ser hospitais, fábricas e escolas a organizações pras, até recursos humanos.
observador e detalhista, pois o profissional não-governamentais, empresas públicas e
trabalha em praticamente todos os departa- aquelas dedicadas ao comércio eletrônico. O CURSO NA UEA
mentos de uma organização. É responsável Se apresentar perfil empreendedor, pode O curso de Administração da Universidade
gerir seus próprios negócios ou atuar como do Estado do Amazonas (UEA) visa formar
consultor especializado em assuntos rela- profissionais para atuar no serviço público –
cionados à administração organizacional. municipal, estadual ou federal – e, ainda,
O administrador atual, multiqualificado, em organizações públicas não-estatais.

Índice polivalente, generalista, deve exercer funções Com sede na Escola Superior de Ciências
muito mais abstratas e intelectuais, implican- Sociais, na avenida Castelo Branco, 504,
do cada vez menos trabalho manual. Exige- Cachoeirinha, o curso é oferecido em Ma-
se deste Administrador capacidade de diag- naus com 45 vagas para o turno vespertino
nóstico, de solução de problemas, de intervir e com 45 vagas para o noturno.
HISTÓRIA no processo de trabalho, de trabalhar em A estrutura curricular de Administração
equipe, de auto-organizar-se e de enfrentar Pública contempla disciplinas de formação
Grandes projetos para a Amazônia
situações de constantes mudanças. básica e instrumental (conjunto de conhe-
................................................... Pág. 03 cimentos necessários aos conceitos de
Durante o curso, os alunos conhecem os
(aula 187) principais métodos e instrumentos que pos- Administração); disciplinas de formação pro-
sibilitem os melhores resultados na gestão fissional (conhecimentos que dão identidade
BIOLOGIA financeira, de mercado, de pessoas e de à profissão) e disciplinas eletivas e comple-
Bioenergética ............................ Pág. 05 clientes, entre outros. Uma resolução do mentares. Viabiliza a capacitação do profis-
Ministério da Educação - MEC, datada de sional, que deverá atuar como um instru-
(aula 188)
2005 e que passou a vigorar em 2007, mento de modernização e de valorização
MATEMÁTICA estabeleceu que as linhas de formação es- das atividades administrativas.
Geometria analítica .................. Pág. 07 pecíficas nas diversas áreas da Adminis- O regime acadêmico do curso é composto
tração não podem constituir uma extensão por oito períodos, em sistema de créditos,
(aula 189) ao nome do curso. Isso significa que as com carga total de três mil horas. O período
várias ênfases ou habilitações de Adminis- de realização é de, no mínimo, quatro e de,
QUÍMICA no máximo, sete anos letivos. Disciplinas
tração, como Administração Financeira ou
Reações orgânicas II ................ Pág. 09 de Recursos Humanos, devem constar como Planejamento Governamental, Ciência
(aula 190) apenas no projeto pedagógico do curso. Política, Administração Municipal, Políticas
Em geral, os dois primeiros anos são ocu- Públicas, Comunicação Integrada, Econo-
PORTUGUÊS pados com disciplinas básicas, como Mate- mia do Setor Público e Ética nas Organiza-
Dificuldades da língua .............. Pág. 11 mática, Estatística, Direito, Sociologia, Con- ções compõem a grade curricular do curso.
(aula 191) tabilidade e Informática. No terceiro, come- O administrador formado pela UEA terá
çam as matérias específicas, como Logís- conhecimentos necessários à adequada
HISTÓRIA tica, Finanças, Marketing e Recursos Huma- fiscalização e ao acompanhamento das
nos. O curso dura, em média, quatro anos, atividades administrativas públicas –
Os anos 1990 e sua relação com o Brasil e o dia-a-dia não se limita às aulas expo- governamentais e não-governamentais –
................................................. Pág. 13 sitivas. O aluno cria e analisa casos fictícios bem como à condução de tais atividades,
e apresenta seminários. Algumas escolas submetendo sua ação ao amplo controle da
(aula 192) sociedade civil. Com esses profissionais
exigem uma monografia de conclusão de
curso, além do estágio supervisionado. capacitados para enfrentar as novas
Referências bibliográficas ...... Pág. 15 demandas geradas pelo desenvolvimento
O campo de trabalho é promissor: cerca de
metade dos cargos de uma empresa é social, econômico, político e tecnológico, o
voltada para funções administrativas. Como Estado poderá oferecer melhores serviços à
a atuação do administrador é bastante sociedade.

2
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 3

Nessa época, as importações não tinham limites,


História com apenas 5 restrições, estabelecidas no
Decreto-Lei 288/67 (que permanecem até hoje):
Professor Francisco MELO de Souza
armas e munições, fumo, bebidas alcoólicas,
automóveis de passeio e artigos de perfumaria,
cuja importação só poderia ser feita mediante o
Aula 187 pagamento de todos os impostos. Do leite em pó
holandês ao cristal da Bohemia ou à gravata
Grandes projetos para a Amazônia italiana, tudo era vendido livremente no comércio
Em 1953, Getúlio Vargas criou a Superintendên- da cidade, com permissão de serem levadas,
cia do Plano de Valorização Econômica da Ama- como bagagem acompanhada de passageiro
zônia (SPVEA), a fim de promover o desenvolvi- saído de Manaus, seis unidades de cada produto 01. (UEA-2006) O milagre brasileiro tinha pon-
mento da produção agrícola e pecuária, além de importado de uso pessoal, o que tornava a tos positivos e negativos, como a despro-
promover a integração da região à economia viagem um grande atrativo.
porção entre o avanço econômico e o retar-
nacional. Segundo dados da Junta Comercial do Amazo-
nas, só em 1967, foram registradas 1.339 novas damento ou mesmo o abandono dos pro-
Em 1957, visando atender à idéia de desenvolver
a região amazônica, foi criada a Zona Franca de empresas, oferecendo, pelo menos, o dobro gramas sociais pelo Estado.
Manaus, uma área de livre comércio com isenção desse número em novas oportunidades de traba- A respeito dos projetos do milagre brasi-
fiscal. lho aos amazonenses.
leiro, assinale a afirmativa incorreta.
Em 1966, no governo Castelo Branco, a SPVEA Essa fase inicial durou até 1975, quando o Gover-
foi substituída pela Superintendência de Desen- no Federal baixou o Decreto-Lei Nº1.435, modifi- a) obedecendo aos princípios da Doutrina de
volvimento da Amazônia (SUDAM), órgão res- cando o artigo 7º. do Decreto-Lei Nº 288/67, alte- Segurança Nacional, o governo procurou
ponsável para dinamizar a economia amazônica. rando a alíquota do Imposto sobre Importação no
ocupar os espaços vazios, promovendo as
A SUDAM seria o órgão responsável em coorde- internamento de mercadorias para o território
nacional. As importações foram limitadas em US$ agrovilas para assentamento de trabalhado-
nar, supervisionar, elaborar e executar projetos
de outros órgãos federais. Para isso, tinha pode- 300 milhões, divididos entre o comércio e a res, especialmente nordestinos.
res de criar incentivos fiscais e financeiros espe- indústria, que, a partir de então, teria de praticar b) A regulamentação da SUFRAMA – Superinten-
ciais para atrair investidores privados nacionais e índices mínimos de nacionalização em seus dência da Zona Franca de Manaus – visava a
estrangeiros. produtos.
criar um centro industrial, comercial e agro-
Foi a partir da SUDAM que os setores agrícolas, Com novas pressões da indústria nacional, o
pecuários, indústrias de bens e de mineração comércio da ZFM importa apenas os produtos pecuário para capitalizar a Região Amazônica
passaram a ganhar maior dinamismo. que ainda não são fabricados no Brasil, como e gerar empregos.
Nesse mesmo ano, o Banco de Crédito da Ama- medida de proteção à indústria instalada em c) Os governos militares aceleraram o desenvol-
zônia foi transformado em Banco da Amazônia outras regiões do País, com reflexos na emer-
vimento econômico por meio de um modelo
S.A. (BASA). gente indústria da ZFM, que também tem de
cumprir índices de nacionalização em seus concentrador de renda, cujo impacto foi
Zona Franca de Manaus e SUFRAMA
produtos. atenuado pela expressão do emprego.
Em 1957, no governo de Juscelino Kubtschek, foi
No final dos anos 70, vêm a liberação das viagens d) A Zona Franca de Manaus foi criada para ser
criada a Zona Franca de Manaus no contesto da
ao exterior e a permissão para entrada no País de
Guerra Fria como parte do Projeto de contenção um complemento das industriais eletrônicas
bagagem procedente do exterior até 100 dólares.
do avanço do comunismo. acessórias da indústria automobilística.
Começam as dificuldades do setor comercial da
Em 1967, no governo de Humberto de Alencar e) A Transamazônica é um exemplo malsucedi-
Zona Franca de Manaus, que, a partir de então, só
Castelo Branco, foi criada a Superintendência da
recebe consumidores em determinadas épocas do de aplicação do PIN – Plano de Integração
Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), no
do ano, com grandes promoções. Durante toda a Nacional, porque não foi concluída, e o que
contexto da expansão do capitalismo pela Ama-
década de 80, o setor comercial promove pacotes
zônia. restou dela foi retomada pela selva.
turísticos para atrair visitantes, e a SUFRAMA
Nesse período, com uma série de incentivos fis-
organiza Feiras e Exposições de Produtos da 02. A respeito da luta ideológica e dos conflitos
cais especiais para integrar a Amazônia ao res-
Zona Franca de Manaus em várias capitais
tante do País, diminuindo as desigualdades re- sobre terra e trabalho nas últimas décadas
brasileiras como forma de divulgar o produto local
gionais e o vazio econômico e demográfico que na Amazônia, é correto afirmar que:
e captar novos investimentos. O número de
a área então apresentava, a Zona Franca de
empregos gerados, nessa época, atingiu a casa a) A igreja Católica interveio nas questões am-
Manaus teve como objetivos:
dos 80 mil. bientais e na luta política e territorial no Norte
1. Instalar no interior da Amazônia Ocidental um
Nos anos 90, veio a abertura do mercado brasi-
programa de desenvolvimento Industrial, somente após o sucesso dos empates que
leiro ao produto estrangeiro. O País inteiro passa
Comercial e Agropecuário; pretendiam proteger a floresta, para não se
a importar de tudo um pouco, com alíquotas do
2. Gerar emprego e renda na Amazônia
imposto de importação bastante reduzidas. Para comprometer com fracassos.
Ocidental, propiciando um efeito multiplicador
adequar o regime fiscal e de importações da b) A Igreja admitiu as comunidades eclesiais de
na economia regional.
Zona Franca de Manaus à nova política industrial
3. Buscar a ocupação econômica da Amazônia base e as Comissões Pastorais da Terra, soli-
e de comércio exterior do Brasil, o Governo
Ocidental e suas regiões fronteiriças; e, dária à militância, embora alguns padres
Federal deu nova redação ao § 1º do art. 3º e aos
4. Atenuar as desigualdades existentes entre as
art. 7º e 9º do Decreto-Lei Nº 288/67, com a adotassem posições mais emocionais e me-
duas amazônias e as demais regiões do Brasil.
sanção da Lei Nº8.387, de 30 de dezembro de nos pastorais como a recusa de batismos e
Setor Comercial 1991. Os efeitos nas atividades comerciais e no
de missas em terras de certos fazendeiros.
O setor comercial foi o primeiro a fortalecer-se com turismo doméstico foram devastadores, com
a reformulação do projeto Zona Franca de Manaus, muitos hotéis e estabelecimentos comerciais c) A Igreja, apesar da associação com o Estado
estabelecida pelo Decreto-Lei nº 288/67: nos tradicionais fechando as portas e demitindo fun- e de sua secular aliança com o latifúndio, não
primeiros anos, logo após sua reformulação, a Zona cionários, o que reduziu o número de empregos conseguiu impedir a formação de órgãos
Franca funcionou como um grande Shopping para 30 mil. sindicais no seu interior, como as comunida-
Center para todos os brasileiros. O Governo O novo século iniciou com esse quadro pouco
Federal, à época, não permitia importações nem a des de base e as pastorais da terra.
alterado, com pequenos períodos de aquecimen-
saída de brasileiros para o exterior. A Zona Franca to e outros de retração. d) A fragilidade dos seringueiros e ambientalistas
funcionou como uma válvula de escape para as Setor Industrial amazônicos deve-se à sua obstinação em
pessoas de melhor poder aquisitivo, que encon-
Os primeiros projetos industriais da ZFM come- recusar apoios e participações de pessoas e
travam em Manaus as novidades importadas de
çaram a se implantar em 1969, embora o marco de instituições de cunho político e sindical.
todo o mundo. Por conta dessa corrida às compras,
do setor industrial seja o ano de 1972, com a e) Os seringueiros e os ambientalistas distingui-
a cidade ampliou seus serviços, ganhou hotéis de 4
inauguração do Distrito Industrial. O começo não
e de 5 estrelas, um aeroporto internacional e atraiu ram-se por seu nacionalismo e pela recusa
foi diferente de outros lugares: importava-se o
investidores das mais diversas procedências. aos apoios político-ideológicos.
produto acabado, em partes e com peças
desagregadas para montagem do produto final

3
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 4

por operários amazonenses para atender ao planejada preservando-se áreas verdes em


mercado nacional. O Amazonas precisava criar proporção às áreas construídas, para que o equi-
empregos para evitar que os amazonenses líbrio ecológico seja mantido.
migrassem para outras regiões, e a Zona Franca Planos de Integração
era, justamente, o projeto de desenvolvimento
concebido pelo Governo Federal para ocupação Em junho de 1970, o governo federal adotou o
racional da região, por brasileiros. Plano de Integração Nacional (PIN); em julho do
Para adequar-se à nova ordem, a indústria local mesmo ano, o Instituto de Nacional de
ainda nascente teve que substituir alguns com- Colonização e Reforma Agrária (INCRA).
ponentes e insumos importados por similares Em 1971, criou-se o Programa de redistribuição
produzidos no Brasil. A Zona Franca de Manaus, de Terras e Estímulo à Agroindústria do Norte e
sob o pretexto de harmonização com o parque Nordeste (PROTERRA). E, entre 1971–78,
01. A criação de indústrias na Região Norte, industrial brasileiro, só podia produzir bens que construíram-se as várias rodovias importantes:
sobretudo em Manaus, está ligada à (s): não fossem produzidos em outras regiões. Os Transamazônica, Perimetral Norte, Cuiabá-Santa-
a) Presença de matérias-primas minerais e índices mínimos de nacionalização eram progres- rém e Manaus-Caracarai (BR–174).
vegetais. sivos, o que possibilitou o surgimento de uma Em 1974, foi criado o Programa de Pólos Agrope-
b) Oferta de abundante mão-de-obra espe- indústria nacional de componentes e de insumos cuários e Agrominerais da Amazônia (POLA-
cializada. em várias regiões, sobretudo no Estado de São
c) Necessidade do mercado consumidor local MAZÔNIA).
Paulo, de forma que, no final da década de 80,
em expansão. Em 1994, foi criado o Plano Estratégico do
para cada dólar gasto com importações, a ZFM
d) Obras de infra-estrutura básica, como estra- Desenvolvimento do Amazonas (PLANAMAZÔ-
comprava o equivalente a quatro dólares no
das de ferro e usinas hidroelétricas. NIA), o qual projetava suas atividades até o ano
mercado nacional. Alguns produtos, como tele-
e) Política de incentivos fiscais estabelecidos 2000, estimando investimento na ordem de US$
visores em cores, alcançaram índices de 93% de
pelo Governo Federal. nacionalização; outros 100%, como as motocicle- 3,14 bi, os quais seriam cinco prioridades: 1)
tas de 125cc. Meio Ambiente; 2) Infra-estrutura; 3) Distrito
02. Quanto à política para o setor industrial
Na década de 80, a economia brasileira sofreu as Industrial e ZFM; 4) Formação de recursos
adotada pelo governo do Brasil a partir
conseqüências de fenômenos externos como a humanos; 5) Desenvolvimento de Pesquisas
dos anos 1990, pode-se afirmar que levou
à (ao): desvalorização do dólar americano, a valorização Científicas.
a) diminuição dos gastos públicos. da moeda japonesa e o excesso de protecio- Terceiro Ciclo
b) abertura da economia para o mercado mun- nismo nas economias industrializadas. Tudo isso
Consistiu num programa, desenvolvido no gover-
dial, reduzindo as restrições às importações. restringiu as perspectivas de exportações,
no Amazonino Mendes, de reestruturação da
c) criação de uma política favorável aos provocando o desequilíbrio do balanço de paga-
economia do Amazonas. Esse Programa
investimentos externos no País. mento, que, associado a fatores internos como a
econômico pretendia dar prioridades para o setor
d) privatização das empresas estatais. queda do poder aquisitivo do povo brasileiro e a
inflação, resistiu a todos os planos econômicos primário (agricultura).
e) crescimento econômico da região e à
distribuição de renda através da geração de implementados nos diversos Governos no A Greve dos Metalúrgicos de 1985
empregos. período e fez com que o Brasil entrasse nos anos A conjuntura política brasileira dos anos oitenta foi
90 em grave processo de recessão. marcada por movimentos contestatórios contra a
03. Todas as alternativas relacionadas à Ama-
Implantação do DI ditadura militar e organizações sindicais, que
zônia são verdadeiras, exceto:
a) A Amazônia constitui um espaço econômi- O lançamento da pedra fundamental do Distrito faziam grandes mobilizações pelo Brasil inteiro, a
co, social e político pouco estruturado e Industrial, no dia 30 de setembro de 1968, reu- exemplo do ABC paulista, em que aparecem
potencialmente gerador de novas oportuni- nindo, no ato, o Superintendente Floriano Pache- vários líderes sindicais e políticos, tais como Luiz
dades. co e o Governador do Estado Danilo Duarte de Inácio Lula da Silva. Foi nesse período que várias
b) A diversidade biológica ímpar da região lhe Mattos Areosa, marcou também a aprovação do correntes políticas, ideológicas, trabalhistas e
confere, atualmente, grande valor tendo em primeiro projeto industrial para instalar-se na setores da Igreja, como a Pastoral Operária,
vista o desenvolvimento das biotecnologias. ZFM: o da indústria Beta S/A, fabricante de jóias criaram o Partido dos Trabalhadores (PT) e a
c) A região apresenta focos de modernidade, e de relógios, que funcionou até meados da Central Única dos Trabalhadores (CUT).
exemplificados pela presença de uma zona década de 90. Em fevereiro de 1984, ocorreu a eleição para a
franca e de grandes projetos de mineração. Os trabalhos de infra-estrutura começaram no
diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos. Nessas
d) A disputa pela posse da terra envolvendo final de 1969, com a instalação das redes de
eleições, a chapa PUXIRUM, tendo como direto-
posseiros, fazendeiros, extrativistas, garim- energia elétrica, água e esgotos, além da
res Ricardo Morais – presidente, Simão Pessoa –
peiros, índios, mineradoras e madeireiras abertura da malha viária. Todas as obras foram
vice, “Chico Fera” – tesoureiro, Alberto “Gordo” –
continua intensas. feitas com recursos próprios. Em 1972, o Distrito
recebe a primeira indústria, a CIA – Companhia segundo tesoureiro, Ana Maria – secretária, Élson
e) As taxas de investimento, de ocupação e de
Industrial Amazonense, ocupando uma área de Melo – secretário, José Magno – secretário.
produção regionais são elevadas, mas o
45.416 m², para produção de estanho, e, logo em Após a eleição, a primeira grande batalha sindical
valor da terra se mantém baixo.
seguida, a Springer, para produção de aparelhos ocorreu na campanha salarial, e a nova diretoria
04. A Amazônia atravessa uma nova fase de re- de ar condicionado. provocou a primeira convenção coletiva. Mas,
organização espacial. Isso ocorre porque: O Distrito possui estação de captação e de trata- depois de uma série de discussão com represen-
a) As atividades econômicas regionais se mento de água, rede de esgotos sanitários e de tantes das empresas, que duraram 13 dias, não
estabilizam em torno da população para a telecomunicações e sistema viário com 48 km de houve acordo entre as partes, e o resultado foi a
industrialização. ruas asfaltadas e com manutenção própria. A deflagração da greve no dia 1 de agosto de 1985.
b) O crescimento dos centros urbanos diminuiu área dispõe de hospital, creche, centro de trei- Os representantes das empresas ameaçaram
pelo aumento da produtividade no campo. namento do Senai, entidades das classes em- entrar na justiça e pedir a ilegalidade da greve e
c) Os impactos dos investimentos públicos e presariais e trabalhadoras, escolas de tecnologia, demitir os operários por justa causa, caso não
privados transformaram a região, modifican- centros de pesquisa, hotéis de 4 estrelas, pistas
do intensamente a organização espacial nos houvesse o retorno das atividades. As condições
apropriadas para caminhadas, para cooper, para conjunturais foram analisadas por vários setores
últimos trinta anos. ciclismo, quadras de esportes e áreas de lazer,
d) A presença dos grandes projetos propor- que estavam envolvidos no movimento e
bares, restaurantes e shopping center.
ciou a valorização da mão-de-obra regional resolveram convocar uma Assembléia Geral para 7
Os lotes são vendidos às empresas a preço sim-
e o aumento da qualidade de vida no de agosto de 1985. Nessa Assembléia, decidiu-se
bólico, com prazo de 10 anos para pagamento.
campo. pelo retorno das atividades.
Em 1980, a SUFRAMA adquiriu uma área de
e) As atividades econômicas desenvolvidas na 5.700 ha, contígua à do Distrito já ocupado, para Apesar das reivindicações não serem alcançadas,
região nos últimos dez anos garantiram boa expansão. Nessa área, já estão instaladas algu- naquele momento, os ganhos políticos para a
competitividade dos produtos amazônicos mas empresas, nos 1000 ha que receberam toda classe trabalhadora manauense foram enormes,
no exterior, com a criação, em todos os a infra-estrutura necessária à ocupação, havendo, pois, a partir desse momento, outras categorias
estados, das Zonas de Processamento de inclusive, áreas destinadas à construção de profissionais passaram a se mobilizar contra a
Exportação. conjuntos habitacionais para os trabalhadores. Da estrutura econômica que achatava o salário e
mesma forma que o Distrito menor, essa área foi promovia demissões em massas.

4
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 5

com a enzima coenzima A e passa a ser


Biologia denominado acetil-coenzima A (acetil-CoA).
Esse composto ingressa no ciclo de Krebs
Professor GUALTER Beltrão propriamente dito. Inicialmente, o acetil-CoA
une-se ao ácido oxalacético, formando o
ácido cítrico e a coenzima A, que permanece
Aula 188 inalterada e, dessa maneira, está pronta para
se unir a outro acetil. A partir daí, uma
Bioenergética seqüência de reações químicas ocorre, com
liberação de duas moléculas de gás carbôni-
RESPIRAÇÃO CELULAR AERÓBIA
co e produção de 3NADH2, 1FADH2 e 1ATP.
Mitocôndria Tal como NAD, o FAD — flavina-adenina-
01. (Puccamp 2004) Durante a digestão dos ani-
mais ruminantes, ocorre a formação do gás
É uma organela formada por uma dupla membra- dinucleotídeo — é um transportador de
metano (constituído pelos elementos carbono
na. A membrana externa é lisa, e a membrana hidrogênios muito importante no processo.
e hidrogênio), que é eliminado pelo arroto do
interna apresenta pregas que se aprofundam animal.
para o interior, formando as cristas mitocondri- Os ruminantes possuem o estômago dividido
ais. Sobre as cristas, há pequenas estruturas em quatro compartimentos, dois dos quais
denominadas corpúsculos elementares. possuem as bactérias cujo metabolismo libera
O espaço interno da mitocôndria é preenchido o gás metano. O capim ingerido por um boi
por uma substância fluida, a matriz mitocondrial. primeiramente sofre atuação
Além dessas estruturas, no interior da mitocôn-
a) das bactérias, que são, em seguida, digeridas
dria, encontram-se ribossomos livres, ácidos nu- durante as mastigações.
cléicos, DNA e RNA, grande número de enzimas b) do suco gástrico, que deixa o capim adequado
e grânulos. A presença de ácidos nucléicos e de para as bactérias.
ribossomos no seu interior permite a autodupli- c) de amilases pancreáticas e, depois, das secre-
cação. ções do duodeno.
Comparada às demais organelas, a mitocôndria é d) do suco gástrico, que é posteriormente
grande, o que permite ser observada ao micros- regurgitado para a atuação das bactérias.
cópio óptico. e) das bactérias, que, posteriormente, são digeri-
O conjunto de mitocôndrias recebe o nome de das com a ação do suco gástrico.
condrioma. c) Cadeia respiratória – Através da cadeia res-
piratória, que ocorre nas cristas mitocondriais, 02. (Puccamp 2005) Diversos organismos euca-
há transferência de hidrogênios transportados
riotos produzem álcool no processo pelo qual
obtêm energia. As reações químicas que
pelo NAD e pelo FAD para o oxigênio, forman-
levam à formação dessa substância ocorrem
do água. Quando é transportado pelo NAD, o
hidrogênio, inicialmente, é doado ao FAD, a) no núcleo. b) na mitocôndria. c) no citoplasma.
havendo liberação de energia. Nessas transfe- d) no lisossomo. e) no retículo endoplasmático.
rências de hidrogênios, há liberação de 03. (Puccamp 2005) O biodiesel resulta da reação
elétrons excitados, que, a partir do FAD, vão química desencadeada por uma mistura de
O mecanismo da respiração aeróbia
sendo captados por aceptores intermediários, óleo vegetal (soja, milho, mamona, babaçu e
A respiração aeróbia é o processo pelo qual a ener- denominados citocromos. Durante essas outros) com álcool de cana. O ideal é empre-
gia armazenada em moléculas orgânicas (glicose) é transferências, os elétrons perdem gradati- gar uma mistura do biodiesel com diesel de
liberada com a participação do oxigênio. vamente energia, que será utilizada, em parte, petróleo, cuja proporção ideal ainda será defi-
O processo de respiração aeróbia compreende para a formação de ATP. Se a energia fosse nida. Quantidades exageradas de biodiesel
três etapas básicas: glicólise, ciclo de Krebs e liberada de uma só vez, a célula não poderia fazem decair o desempenho do combustível.
cadeia respiratória. aproveitá-la, e o calor produzido poderia A utilização de combustíveis libera grandes
a) Glicólise – Consiste na transformação da destruir a célula, por isso a produção de quantidades de CO2 na atmosfera. Processos
glicose (açúcar de seis carbonos) em duas energia é feita em três etapas. biológicos que também liberam esse gás são,
moléculas de ácido pirúvico (piruvato), com por exemplo,
três carbonos. Essa quebra da molécula a) a respiração celular e a fermentação alcoólica.
ocorre no hialoplasma e é necessária para b) o ciclo de Krebs e a fixação de carbono.
que o composto possa penetrar na mitocôn- c) a fotossíntese e a fermentação.
dria e dar continuidade ao processo. A glico- d) a respiração celular e a glicogenólise.
se precisa da ajuda de um hormônio chama- e) o metabolismo aeróbico e a fotossíntese.
do insulina, que assiste o transporte pela
04. (Uerj 2004) Os compartimentos e as membra-
membrana plasmática. Para que ocorra a
nas das mitocôndrias contêm componentes
glicólise, são consumidos dois ATPs utilizados
que participam do metabolismo energético
para a ativação da molécula. O processo, dessa organela, cujo objetivo primordial é o
contudo, libera energia suficiente para que Na cadeia respiratória, cada NADH2 tem ener- de gerar ATP para uso das células.
sejam produzidas quatro moléculas de ATP. gia suficiente para formar 3 ATP, e cada No esquema a seguir, os compartimentos e as
Assim, no fim da etapa, há um saldo positivo FADH2, para formar 2 ATP. membranas mitocondriais estão codificados
de dois ATPs. Após a quebra da glicose, há pelos números 1, 2, 3 e 4.
liberação de hidrogênios, que serão captados
por uma substância chamada de NAD (nicoti-
namida adenina dinucleotídio), transfor-
mando-se em NADH2.
b) Ciclo de Krebs ou ciclo do ácido cítrico – Considere os seguintes componentes do
Antes de entrar no ciclo de Krebs, os piru- metabolismo energético: citocromos, ATP
vatos provenientes da glicólise sofrem perdas sintase e enzimas do ciclo de Krebs.
de hidrogênios e de carbonos; os hidrogê- Esses componentes estão situados nas estru-
nios são capturados pelo NAD e transforma- turas mitocondriais codificadas, respectiva-
dos em NADH2 e em gás carbônico (CO2). mente, pelos números:
Um outro composto resultante possui apenas a) 1, 2 e 4 b) 3, 3 e 2 c) 4, 2 e 1
dois carbonos e recebe o nome de ácido d) 4, 4 e 1
acético ou acetil. Em seguida, o acetil reage

5
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 6

Considerando que uma molécula de glicose envolvidas três substâncias orgânicas -


origina duas de ácido pirúvico, as etapas referen- ácido pirúvico, gliceraldeído e glicose -
tes à ativação do piruvato e ao ciclo de Krebs têm identificáveis nas estruturas X, Y e Z, a
seu rendimento energético duplicado. Rendi- seguir.
mento energético total obtido pela oxidação de
uma molécula de glicose no processo de
respiração aeróbia:
Total: 38 ATP
RESPIRAÇÃO CELULAR ANAERÓBIA
O processo de respiração anaeróbia ao qual será
01. (Puccamp 2005) Nas principais concen-
dedicada maior atenção é a fermentação.
trações urbanas do País, trabalhadores de
baixa renda percorrem grandes distâncias a Consideravelmente mais simples que a respira-
pé. Outros pedalam muitos quilômetros para ção aeróbia, ela consiste basicamente na etapa
Na etapa metabólica considerada, tais
usar uma condução a menos, deixando a de glicólise da respiração aeróbia já estudada.
bicicleta em estacionamentos próprios. Sendo assim, a fermentação é um processo no
substâncias se apresentam na seguinte
Para a contração muscular, é necessária a qual a molécula de glicose é degradada, com a seqüência:
formação de ATP, num processo que produz formação de duas moléculas de ácido pirúvico e a) X – Y – Z b) Z – Y – X c) X – Z – Y
CO2. Na célula muscular, parte do CO2 é a produção líquida de duas moléculas de ATP. De
produzido d) Z – X – Y
acordo com o tipo de transformação que sofrem
a) no citoplasma, durante a fermentação acética. 03. (Puccamp 2005) Em provas de corrida
as moléculas de ácido pirúvico, podem-se
b) no citoplasma, durante a síntese de glicogênio. de longa distância, que exigem resis-
distinguir, basicamente, dois tipos de fermen-
c) na mitocôndria, durante o ciclo de Krebs.
tação. tência muscular, a musculatura pode
d) na mitocôndria, durante a fosforilação oxidativa.
e) no cloroplasto, durante a fase escura da a) Fermentação alcoólica – Pode ser observada ficar dolorida devido ao acúmulo de
fotossíntese. na produção de pães e de bebidas alcoólicas. a) ácido láctico devido a processos anaeró-
02. (PUC–RS 2003) Responder à questão com O fermento utilizado para fazer pães é fungo bios.
base nas afirmativas a seguir, sobre a unicelular que realiza fermentação alcoólica. b) ácido láctico devido a processos aeró-
adenosina trifosfato (ATP). O CO2 produzido acumula-se na massa e faz bios.
I. O ATP é um composto de armazenamen- que ela cresça.
c) glicogênio nas células devido à falta de
to que opera como fonte de energia. b) Fermentação láctica – É o processo explorado oxigênio.
II. Todas as células vivas precisam de ATP na produção de iogurtes, queijos e coalhadas. O
para captação, transferência e armaze- d) glicogênio no sangue devido à transpi-
açúcar contido no leite é consumido no pro-
nagem da energia livre utilizada para seu ração intensa.
trabalho químico. cesso com a produção de ácido láctico, o que
e) sais e à falta de glicose devido ao
III. O ATP é gerado pela hidrólise de adeno- provoca o azedamento do leite.
esforço.
sina monofosfato (AMP+Pi+energia livre). Reação:
IV. O ATP é sintetizado a partir da molécula C6H12O6 → ácido pirúvico + 2ATP 04. (UFF 2001) Dois microorganismos, X e Y,
de glicose, por meio da glicólise e da mantidos em meio de cultura sob condi-
respiração celular.
Pela análise das afirmativas, conclui-se que Aplicação ções adequadas, receberam a mesma
quantidade de glicose como único subs-
a) somente I e II estão corretas. (Mackenzie) A equação simplificada a se-
b) somente II e III estão corretas. trato energético. Após terem consumido
guir representa o processo de fermentação
c) somente III e IV estão corretas. toda a glicose recebida, verificou-se que
realizado por microorganismos como o
d) somente I, II e IV estão corretas. o microorganismo X produziu três vezes
e) I, II, III e IV estão corretas. 'Saccharomyces cerevisiae' (levedura).
mais CO2 do que o Y.
A→ B+C
03. (UF–MG 97) Uma receita de pão caseiro utili- Considerando-se essas informações,
A, B e C são, respectivamente:
zada farinha, leite, manteiga, ovos, sal, açú- conclui-se ter ocorrido:
car e fermento. Esses ingredientes são mis- a) glicose, água e gás carbônico;
turados e sovados e formam a massa, que é b) glicose, álcool e gás carbônico; a) fermentação alcoólica no microorganis-
colocada para "descansar". A seguir, uma c) álcool, água e gás carbônico; mo X
bolinha dessa massa é colocada num copo d) álcool, glicose e gás oxigênio; b) fermentação lática no microorganismo X
com água e vai ao fundo. Depois de algum c) respiração aeróbica no microorganismo Y
e) sacarose, gás carbônico e água.
tempo, a bolinha sobe à superfície do copo,
indicando que a massa está pronta para ser Solução: d) fermentação alcoólica no microorganis-
levada ao forno. Letra B. A quebra da glicose feita pelos fungos mo Y
Com relação à receita, é correto afirmar que resulta na produção de álcool e gás carbônico. e) fermentação lática no microorganismo Y
a) a farinha é constituída de polissacarídeos, utili-
05. (UFRN 2000) Ana comprou uma lata de
zados diretamente na fermentação. Exercícios
b) a manteiga e os ovos são os principais alimen- salsicha cuja tampa se encontrava
tos para os microrganismos do fermento. 01. (PUCRJ 2006) O leite talhado é resulta- "estufada". Em casa, recomendaram que
c) a subida da bolinha à superfície do copo se do da ação de microrganismos que: ela voltasse ao supermercado e pedisse
deve à respiração anaeróbica. a) alcalinizam o meio, precipitando a lactose a substituição do produto, pois a salsi-
d) os microrganismos do fermento são protozoá-
do leite. cha poderia estar contaminada com a
rios aeróbicos.
b) acidificam o meio, precipitando as proteí- bactéria que causa o botulismo.
04. (Fatec 98) As células de nossos músculos nas do leite.
executam, em condições normais, a respira- c) reduzem a lactose do leite, transforman- Caso a salsicha estivesse contaminada,
ção aeróbica. Porém, durante um esforço do-a em gordura. o "estufamento" da tampa teria sido
muscular intenso, se o organismo não conse- d) oxidam as proteínas do leite ao aumentar causado por
gue fornecer gás oxigênio suficiente para a
a concentração de O‚ no meio. a) O2, resultante da respiração aeróbia das
respiração celular, as células musculares
trabalham anaerobicamente. Esse processo e) acidificam o meio, precipitando a gordu- bactérias.
anaeróbico provoca dor e sensação de quei- ra do leite ao torná-la solúvel em água. b) CO, resultante da fermentação bacteriana.
mação nos músculos devido ao acúmulo de: 02. (UERJ 2002) Em uma determinada eta- c) H2O, resultante da fermentação bacteria-
a) ácido lático. b) ácido ascórbico. pa metabólica importante para geração na.
c) ácido pirúvico. d) ácido acético. e) acetil-CoA. de ATP no músculo, durante a reali- d) CO2, resultante da respiração anaeróbia
zação de exercícios físicos, estão das bactérias.

6
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 7

1º passo: agrupamos os termos em x e os ter-


Matemática mos em y e isolamos o termo independente
x2 – 6x + _ + y2 + 2y + _ = 6
Professor CLÍCIO Freire 2º passo: determinamos os termos que
completam os quadrados perfeitos nas variáveis
x e y, somando a ambos os membros as parce-
Aula 189
las correspondentes
Geometria Analítica
Circunferência e Cônicas
Equação reduzida da circunferência 3º passo: fatoramos os trinômios quadrados
Circunferência é o conjunto de todos os pontos perfeitos
(x – 3)2 + (y + 1)2 = 16 01. (USP) Os lugar geométrico dos pontos de
de um plano eqüidistantes de um ponto fixo,
desse mesmo plano, denominado centro da 4º passo: obtida a equação reduzida, deter- coordenadas (x; y), tais que
circunferência: minamos o centro e o raio y2+ (x–1)2 = 0 é:
a) a origem
b) duas retas concorrentes
Estudo das Cônicas c) um ponto que não é a origem
Parábola d) conjunto vazio
Assim, sendo C(a, b) o centro e P(x, y) um ponto Considere, no plano cartesiano xOy, uma reta d
e) uma reta.
qualquer da circunferência, a distância de C a (diretriz) e um ponto fixo F (foco) pertencente ao
P(dCP) é o raio dessa circunferência. Então: eixo das abcissas (eixo dos x), conforme figura 02. (USP) A equação da reta perpendicular
abaixo:
ao eixo das abscissas que passa pelo
Denominaremos PARÁBOLA a curva plana for-
mada pelos pontos P(x,y) do plano cartesiano, ponto médio do segmento AB, onde
tais que PF = Pd, em que: A(2, 3) e B é o centro da circunferência
PF= distância entre os pontos P e F
de equação x2+y2– 8x – 6y + 24 = 0, é:
PP’= distância entre o ponto P e a reta d (diretriz).
a) y = 3
b) y = 4
c) x = 4
d) x = 3
e) 3x + 4y = 0
Portanto (x – a)2 + (y – b)2 =r2 é a equação
reduzida da circunferência e permite determinar 03. (USP) Se M é o ponto médio do segmen-
os elementos essenciais para a construção da Importante: Temos, portanto, a seguinte relação to AB, e P é o ponto médio do segmento
circunferência: as coordenadas do centro e o notável: VF = p/2
OM, determinar a equação da circunfe-
raio. Equação reduzida da parábola de eixo hori-
Observação: Quando o centro da circunferência zontal e vértice na origem rência de centro P e raio OP.
estiver na origem ( C(0,0)), a equação da circun-
Observando a figura acima, consideremos os
ferência será x2 + y2 = r2 .
pontos: F(p/2, 0) – foco da parábola, e P(x,y) –
Equação geral um ponto qualquer da parábola. Considerando-
Desenvolvendo a equação reduzida, obtemos a se a definição acima, deveremos ter: PF = PP’
equação geral da circunferência: Daí, vem, usando a fórmula da distância entre
(x–a)2+(y–b)2=r2 ⇒ x2– 2ax+ a2+y2–2by+b2= r2 pontos do plano cartesiano:
⇒ x2 + y2 – 2ax – 2by +a2 + b2 – r2 =0
Como exemplo, vamos determinar a equação
geral da circunferência de centro C(2, –3) e raio Desenvolvendo convenientemente e simplifican- 04. Determinar a equação da tangente à
r = 4. do a expressão acima, chegaremos à equação circunferência x2 + y2 – 2x – 4y + 1 = 0
A equação reduzida da circunferência é: reduzida da parábola de eixo horizontal e vértice
pelo ponto P(–1; 2).
(x – 2)2 +(y + 3)2 = 16 na origem, a saber:
Desenvolvendo os quadrados dos binômios, y2 = 2px, em que p é a medida do parâmetro da
05. Determinar as equações das retas (t) tan-
temos: parábola.
x2–4x+4 +y2+6y+9 – 16= 0 ⇒ x2+y2– 4x+6y– 3 gentes à circunferência x2 + y2 + 2x – 3 =
Parábola de eixo horizontal e vértice no ponto
=0 (x0, y0) 0 e que passam pelo ponto P(5, 2).
Determinação do centro e do raio da circun- Se o vértice da parábola não estiver na origem e,
ferência, dada a equação geral sim, num ponto (x0, y0), a equação acima fica: 06. Qual a equação da parábola de foco no
Dada a equação geral de uma circunferência, (y – y0)2 = 2p(x–x0) ponto F(4,0) e vértice no ponto V(2,0)?
utilizamos o processo de fatoração de trinômio Parábola de eixo vertical e vértice na origem
quadrado perfeito para transformá-la na equação
Não é difícil provar que, se a parábola tiver vértice 07. Qual a equação da parábola de foco no
reduzida e, assim, determinamos o centro e o raio ponto F(6,3) e vértice no ponto V(2,3)?
na origem e eixo vertical, a sua equação reduzida
da circunferência.
será: x2 = 2py
Para tanto, a equação geral deve obedecer a
Parábola de eixo vertical e vértice no ponto 08. Qual a equação da parábola de foco no
duas condições:
(x0, y0) ponto F(0,4) e vértice no ponto V(0,1)?
– os coeficientes dos termos x2 e y2 devem ser
iguais a 1; Analogamente, se o vértice da parábola não
– não deve existir o termo xy. estiver na origem e, sim, num ponto (x0, y0), a 09. Determine a equação da parábola cuja
Então, vamos determinar o centro e o raio da equação acima fica: (x – x0)2 = 2p(y – y0) diretriz é a reta y = 0 e cujo foco é o
circunferência cuja equação geral é x2 + y2– 6x + Hipérbole
ponto F(2,2).
2y – 6 = 0. Sejam dados dois números reais estritamente
Observando a equação, vemos que ela obedece positivos a e c, tais que c>a.
às duas condições. Assim:

7
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 8

Consideremos dois pontos F1 e F2, tais que poderemos escrever:


d(F1,F2)=2c e seja um plano π passando por F1
e F2, com um sistema de eixos cartesianos Oxy, Observe que x – (-c) = x + c.
tal que F1 e F2 estejam no eixo x e a origem do Quadrando a expressão acima, vem:
sistema seja o ponto médio do segmento F1F2.
Dessa forma, F1=(c,0) e F2=(–c,0).
Com bastante paciência , desenvolvendo a
Vamos examinar o lugar geométrico dos pontos
expressão acima e fazendo a2 – c2 = b2 , a
P=(x,y) do plano π, tais que:
expressão acima, depois de desenvolvida e
|d(P, F1) – d(P, F2)|=2a < 2c
Nas condições dadas, é possível deduzir a simplificada, chegará a: b2.x2 + a2.y2 = a2.b2
equação mais simples que descreve o lugar Dividindo, agora, ambos os membros por a2b2
geométrico, obtendo: vem finalmente:
01. (UEMT) Dada a circunferência C da equa- x2 y2 x2 y2
––––
2 – –––– = 1, –––– + –––– = 1
ção (x–1)2 + y2 = 1 e considerando o pon- a b2 a2 b2 ,
to P(2, 1), então as retas tangentes a C em que b =c2–a2.
2
que é a equação da elipse de eixo maior horizon-
passando por P: Assim, podemos escrever a definição do lugar tal e centro na origem (0,0).
geométrico determinado pela equação que foi
a) Têm equações y = 1 e x = 2. Notas:
deduzida.
b) não existem, pois P é interno a C. 1) como a2–c2= b2, é válido que: a2–b2 = c2, em
Definição: Nas condições descritas acima, o
c) são ambas paralelas à reta y =1 que c é a abcissa de um dos focos da elipse.
lugar geométrico dos pontos P, tais que |d(P, F1)
d) Têm equações y = 1 (e só uma porque P – d(P, F2)|=2a é uma curva denominada 2) como a excentricidade e da elipse é dada por
está em C). hipérbole de focos F1 e F2, com distância focal 2c e = c/a , no caso extremo de termos b = a, a
c) Têm equações x = 1 e y = 2. e distância entre os vértices 2a. curva não será uma elipse, e sim uma
x2 y2 circunferência de excentricidade nula, uma vez
02. A equação da circunferência que passa O gráfico da equação –––– – –––– =1
a 2
b2 que, sendo b = a, resulta c = 0 e, portanto, e
pelo ponto (2,0) e que tem centro no
Observe que, neste caso, x não pode ser zero. = c/a = 0/a = 0.
ponto (2, 3) é dada por:
é o seguinte: 3) o ponto (0,0) é o centro da elipse.
a) x2 + y2 – 4x – 6y + 4 = 0 4) se o eixo maior da elipse estiver no eixo dos y
b) x2 + y2 – 4x – 9y – 4 = 0 e o eixo menor estiver no eixo dos x, a equação
c) x2 + y2 – 2x – 3y + 4 = 0 da elipse de centro na origem (0,0) passa a
d) 3x2 + 2y2 – 2x – 3y – 4 = 0 ser:
e) (x – 2)2 + y2 = 9
x2 y2
–––– + –––– = 1
03. A equação da circunferência que passa pelo a 2
b2
ponto A = (0; 2) e é tangente na origem da
reta r: y + 2x = 0, é: b b Aplicações
As retas r: y= –– x e s: y = – ––– x são chamadas
a) x2 + y2 – 2x – y = 0 a a
01. Determine a excentricidade da elipse de
b) x2 + y2 + 4x – 2y = 0 assíntotas à hipérbole.
equação 16x2 + 25y2 – 400 = 0.
c) x2 + y2 – 4x – 2y = 0 Elipse
Solução: Temos: 16x2 + 25y2 = 400. Observe
d) x2 + y2 + 4x + 2y = 0 Dados dois pontos fixos F1 e F2 de um plano, tais
e) x2 + y2 + 4x + 2y = 0 que a equação da elipse não está na forma
que a distância entre esses pontos seja igual a 2c
reduzida. Vamos dividir ambos os membro por
> 0, denomina-se elipse, à curva plana cuja
04. A equação da circunferência que tan- 400. Fica então:
soma das distâncias de cada um de seus pontos
gencia as retas x + y = 0 e x + y = 8 e x2 y2
P a estes pontos fixos F1 e F2 é igual a um valor –––– + –––– = 1
que passa pelo ponto (0; 0) é:
constante 2a , em que a > c. 25 16
a) 2 . x2 + 2y2 - 4x - 4y = 0 Assim, é que temos por definição: Portanto a2=25 e b2=16. Daí, vem: a=5 e b=4.
b) x2 + y2 - 2x - 6y = 0 PF1 + PF2 = 2 a Como a2 = b2 + c2, vem substituindo e efetuan-
c) x2 + y2 - 4x - 4y = 0 Os pontos F1 e F2 são denominados focos, e a do que c=3
d) x2 + y2 + 4x + 4y = 0 distância F1F2 é conhecida como distância focal
Portanto a excentricidade e será igual a:
e) n.d.a. da elipse.
e=c/a=3/5= 0,60
O quociente c/a é conhecido como excentricida-
05. A equação da reta tangente à circun- de da elipse. 02. Determine as coordenadas dos focos da
ferência (x – 4)2 + (y – 5)2 = 20 e que a Como, por definição, a>c, podemos afirmar que elipse de equação 9x2+25y2=225.
tangencia no ponto de abscissa 2 é: a excentricidade de uma elipse é um número Solução: dividindo ambos os membros por 225,
a) x – 2y – 4 = 0 positivo menor que a unidade. vem:
b) x + 2y – 4 = 0 e x – 2y + 16 = 0 2 – Equação reduzida da elipse de eixo maior
x2 y2
c) x + y – 2 = 0 e x – y + 16 = 0 horizontal e centro na origem (0,0). –––– + –––– = 1
Seja P(x, y) um ponto qualquer de uma elipse e 25 9
d) x + 2y – 4 = 0 e x – 2y + 4 = 0
sejam F1(c,0) e F2(–c,0) os seus focos. Sendo 2a Daí, vem que: a2=25 e b2=9, de onde deduzimos:
e) n.d.a.
o valor constante com c < a, como vimos acima, a = 5 e b = 3.
06. Determine a excentricidade da hipérbole podemos escrever: Portanto, como a2 = b2 + c2, vem que c = 4.
de equação 25x2–16y2– 400 = 0. PF1 + PF2 = 2.a Portanto as coordenadas dos focos são: F1(4,0) e
F2(–4,0).
07. Determine a distância focal da hipérbole
de equação 25x2–9y2 = 225. 03. Determine a distância focal da elipse 9x2
+25y2 – 225 =0.
08. Determine as equações das assíntotas da Solução: a elipse é a do problema anterior.
hipérbole do exercício 1. Portanto a distância focal, ou seja, a distância
entre os focos da elipse será:
09. Qual a equação da parábola de foco no
D= 4 – (–4) = 8 u.c (u.c.=unidades de compri-
ponto F(2,0) e vértice na origem? em que o eixo A1A2 de medida 2a é denominado mento).
eixo maior da elipse, e o eixo B1B2 de medida 2b
é denominado eixo menor da elipse. 04. Calcular a distância focal e a excentricidade
Usando a fórmula da distância entre dois pontos, da elipse 25x2 + 169y2 = 4225.

8
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 9

chamados de duros, e os produzidos com potas-

Química sa, moles.


Embora a maior parte dos detergentes seja des-
tinada à limpeza com água, existem alguns
Professor Pedro CAMPELO produzidos para limpeza com outros solventes,
como no caso dos óleos para motores, onde a
água não pode ser usada. Nesse caso, o sódio e
Aula 190
o potássio são substituídos por metais, como o
chumbo ou o cálcio.
Reações orgânicas II Os sabões e os detergentes possuem as mais
1. ESTERIFICAÇÃO diversas aplicações, que vão desde a limpeza
doméstica até a industrial. Sua tecnologia, pouco
Esterificação é uma reação química reversível na
desenvolvida até 1934, evolui bastante a partir 01. (Puccamp 93) Para completar corretamente
qual um ácido carboxílico reage com um álcool
dessa época, tornando sua produção altamente
produzindo éster e água. Essa reação, em tempe-
industrializada.
a afirmação a seguir, deve-se substituir X e
ratura ambiente, é lenta, no entanto os reagentes Y, respectivamente, por:
podem ser aquecidos na presença de um ácido “A essência artificial de abacaxi,
mineral para acelerar o processo. Esse ácido ca-
talisa tanto a reação direta (esterificação) como a
reação inversa (hidrólise do éster).
Abaixo, um exemplo de reação de esterificação
em que uma molécula de ácido propanóico rea- é um...X...derivado do ...Y...
ge com metanol formando propanoato de metila a) éter e etanal
e água. Fig. 1 - À esquerda: Óleo quente e álcalis concentrados b) aldeído e etanol
O são misturados. Aquecida com vapor, a mistura sofre um c) álcool e 1-butanol
H3C –– CH2 –– C + H3C – OH processo químico chamado de saponificação. Centro:
OH Salmoura fresca é adicionada à mistura, a fim de separar d) anidrido de ácido e ácido butanóico
da solução o sabão formado. No fundo do recipiente, e) éster e ácido butanóico
O acumula-se uma mistura de salmoura e glicerina,
H3C –– CH2 –– C + H2O chamada de Barrela. À direita: o sabão grosso é
O –– CH3 submetido à fervura para que todo o sal seja removido.
02. (Unesp 95) Sobre o aromatizante de fór-
2. SAPONIFICAÇÃO
Menos dura que os resíduos, sobrenada uma camada mula estrutural a seguir (fig.1), são feitas
de sabão puro.
as seguintes afirmações:
Saponificação é basicamente a interação (ou rea-
ção química) que ocorre entre um ácido graxo I) a substância tem o grupo funcional éter,
existente em óleos ou gorduras com uma base II) a substância é um éster do ácido eta-
forte com aquecimento. O sabão é um sal de nóico.
Fig. 2 - A molécula do sabão consiste em uma longa
ácido carboxílico e, por possuir uma longa cadeia cadeia de átomos de carbono e de hidrogênio (branco e III) a substância pode ser obtida pela rea-
carbônica em sua estrutura molecular, ele é capaz preto) com átomos de sódio e de oxigênio (azul e ção entre o ácido etanóico e o álcool
de se solubilizar tanto em meios polares quanto vermelho) em uma de suas pontas. Essa estrutura
molecular é responsável pela diminuição da tensão de fórmula estrutural (fig.2)
em meios apolares. Além disso, o sabão é um
superficial da água.
tensoativo, ou seja, reduz a tensão superficial da
água fazendo com que ela "molhe melhor" as Os sabões e os detergentes são compostos de
superfícies. A reação básica de saponificação moléculas que contêm grandes grupos hidrocar-
pode ser representada pela seguinte equação: bônicos, os grupos hidrofóbicos (que não têm
Éster de ácido graxo + Base forte → Álcool + Sal afinidade com a água) e um ou mais grupos pola-
de ácido graxo (sabão) res, os grupos hidrofólicos (que têm afinidade
No exemplo abaixo, a reação ocorre com a soda pela água). As partes não-polares de tais molé-
cáustica, sendo um processo muito usado indus- culas dissolvem-se em gorduras e em óleos, e as
trialmente e em nível doméstico. Os radicais R1, porções polares são solúveis em água. A capaci- Estão corretas as afirmações:
R2 e R3 representam cadeias carbônicas longas, dade de limpeza dos sabões e dos detergentes a) I, apenas. b) II, apenas. c) I e III, apenas.
características de ácidos graxos. depende da sua capacidade de formar emulsões d) II e III, apenas. e) I, II e III.
com materiais solúveis nas gorduras. Na emul-
são, as moléculas de sabão ou de detergente 03. (Fei 94) A oxidação energética do metil-2-
envolvem a "sujeira", de modo a colocá-la em um buteno produz:
envelope solúvel em água, a micela (Fig. 3). Partí-
a) propanona e etanal
culas sólidas de sujeira dispersam na emulsão.
b) etanal e etanóico
Se for utilizada uma base composta por Sódio
(Na), o sabão formado será chamado de sabão c) metil 2,3 butanodiol
duro. Se no lugar de sódio tiver Potássio(K), o d) propanona e etanóico
sabão passará a ser chamado de sabão mole. e) butanona, água e gás carbônico
Ao contrário do que se pensa, o sabão por si só
não limpa coisa alguma. Essa aparente contra- 04. (Fei 95) Um alcino por oxidação energé-
dição pode ser entendida quando se sabe que os tica dá origem a uma molécula de ácido
detergentes – entre os quais a forma mais etanóico e uma molécula de anidrido
simples e conhecida é o sabão – são agentes carbônico. Qual o nome desse alcino?
umectantes que diminuem a tensão superficial
observada nos solventes, permitindo maior con- a) 2-butino ou butino-2
tato dos corpos com os líquidos que realmente Fig. 3 – Interface da micela com um meio polar. Emulsi- b) etino ou acetileno
limpam. ficação de óleo em água por sabões. As cadeias hidro-
carbônicas não-polares dissolvem-se em óleo, e os gru-
c) 1-propino ou propino-1
O sabão é obtido fazendo-se reagir ácidos graxos pos iônicos polares, em água. As gotículas carregadas d) 1-pentino ou pentino-1
com óleos, numa reação chamada saponificação. negativamente repelem-se mutuamente.
e) 1-butino ou butino-1
Os ácidos graxos normalmente usados são o
Os sabões, mistura dos sais de sódio dos ácidos
oléico, o esteárico e o palmítico, encontrados sob 05. (Fei 95) O etileno sofre uma hidratação em
graxos em C12 e superiores, são ineficientes em
a forma de ésteres de glicerina (oleatos,
água dura (água contendo sais de metais mais meio ácido e posterior oxidação energéti-
estearatos e palmitatos) nas substâncias gordu-
pesados, especialmente ferro e cálcio). Os ca total. As fórmulas moleculares dos
rosas.
sabões são precipitados da água dura na forma produtos formados são, respectivamente:
A saponificação é feita à quente. Nela a soda ou a
de sais insolúveis de cálcio ou ferro (note, por
potassa atacam os referidos ésteres, deslocando a) CO2 e CH2O2
exemplo, o anel amarelado das banheiras). Por
a glicerina e formando, com os radicais ácidos
outro lado, os sais de cálcio e de ferro de b) C2H6O e CH2O2
assim liberados, sais sódicos ou potássicos.
hidrogeno-sulfatos de alquila são solúveis em c) CH2O e CH2O2
Esses sais são os sabões, que, passando por um
água, e os sais de sódio destes materiais, por d) C2H4O e C2H4O2
processo de purificação e de adição de outros
exemplo,
ingredientes, transformam-se nos produtos co- e) C2H6O e C2H4O2
CH3(CH2)10CH2OSO3–Na+(Lauril-sulfato de sódio),
merciais. Os sabões produzidos com soda são
conhecidos como detergentes, são eficientes

9
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 10

mesmo em água dura. Esses detergentes con- 3.2. Oxidação de álcoois secundários
têm cadeias alquídicas lineares como as gordu- Os álcoois secundários, diferentemente dos
ras naturais. Como são metabolizados por bacté- primários, são oxidados de apenas uma forma
rias nas estações de tratamento de esgotos, gerando sempre como produto uma cetona.
chamam-se detergentes biodegradáveis. Veja este exemplo:
Os sabões são feitos pela saponificação de gor-
duras e de óleos. Qualquer reação de um éster
com uma base para produzir um álcool e o sal de
ácido é chamada reação de saponificação. Um
subproduto da manufatura de sabões é a
glicerina, da qual se pode obter a nitroglicerina,
um poderoso explosivo. Durante a I e II Guerras
01. (UFMG 95) Considere as substâncias com Mundiais, as donas de casa guardavam o exces- 3.3. Oxidação de álcoois terciários
as seguintes fórmulas estruturais. so de óleo e de gorduras de cozinha e o Não ocorre a oxidação de álcoois terciários.
Com relação a essas substâncias, a devolviam para a recuperação da glicerina.
4. OXIDAÇÃO DE ALCENOS
afirmativa FALSA é
Os alcenos também sofrem reações de oxidação
que acontecem de três formas: oxidação branda,
oxidação energética e ozonólise.
4.1. Oxidação Branda
A oxidação branda (também conhecida como
hidroxilação do alceno) é uma reação feita com
agente oxidante que causa uma quebra na dupla
a) I e II são isômeros de posição. ligação do alceno e a entrada de duas hidroxilas
Os detergentes e o problema da poluição: Nos (OH) formando, assim, um diálcool. Um agente
b) II apresenta grupo metoxila. EUA, é ilegal a comercialização de detergentes
oxidante muito usado, nesse caso, é o permanga-
c) III é mais ácida de todas. não-biodegradáveis. No começo da década de
nato de potássio (KMnO4).
d) IV reage com NaOH(aq) produzindo um sal e 60, enormes quantidades de detergentes que
Veja o exemplo abaixo
metanol. continham cadeias alquídicas ramificadas esta-
vam sendo usadas. Esses detergentes não eram
e) todas apresentam a ligação C=O.
degradados pelas bactérias e apareciam na des-
02. (Fuvest 90) Na reação de saponificação carga dos esgotos nos rios, fazendo que, mesmo
os grandes rios como o Mississipi, se tornassem
CH3COOCH2CH2CH3+NaOH → X+Y, imensas bacias de espumas. 4.2. Oxidação Enérgica
os produtos X e Y são: Vários detergentes muito eficientes não espumam Na oxidação enégica, o agente oxidante "quebra"
em água. Embora os trabalhos de laboratório a molécula na dupla ligação e, caso se forme um
a) álcool etílico e proprionato de sódio.
tenham mostrado que o grau de formação de aldeído, ele é oxidado a ácido carboxílico. Os
b) ácido acético e propóxido de sódio.
espuma tem muito pouco a ver com a eficiência do agentes oxidantes mais comuns, nesse caso, são
c) acetato de sódio e álcool propílico. o dicromato de potássio (K2Cr2O7) e o
detergente, as donas-de-casas geralmente
d) etóxido de sódio e ácido propanóico. associam a espuma com a eficiência. Por isso, os permanganato de potássio (KMnO4).
e) ácido acético e álcool propílico. fabricantes freqüentemente adicionam agentes Veja o exemplo abaixo:
espumantes aos seus produtos.
03. (Fuvest 91) Em determinadas condições, 3. OXIDAÇÃO DE ÁLCOOIS
CH3COONa reage com NaOH produzindo
3.1. Oxidação de álcoois primários
Na2CO3 e CH4. Em reação do mesmo tipo, Em contato com agentes oxidantes, os álcoois Observação:
a substituição do reagente orgânico por primários reagem (oxidam) formando primeiro Sempre que um composto que tem a dupla
C3H7COONa irá produzir o mesmo sal e: um aldeído e, então, com o aldeído sendo oxida- ligação na ponta da cadeia sofre oxidação
do, um ácido carboxílico. Quando o produto da enérgica, um dos produtos que se formam é o
a) metano. b) etano. c) propano. ácido carbônico (H2CO3), que, por ser um ácido
oxidação de um álcool primário é um aldeído, ela
d) butano. e) pentano. é chamada normalmente de oxidação branda; instável, transforma-se em gás carbônico (CO2) e
por sua vez, quando o produto é um ácido carbo- em água (H2O).
04. (Fuvest 92) Deseja-se obter, a partir do xílico, é chamada normalmente de oxidação 4.3. Ozonólise
geraniol (estrutura A), o aromatizante que enérgica, porém esses nomes podem variar. A A ozonólise é a quebra de um alceno causada
tem o odor de rosas (estrutura B). oxidação de um álcool a aldeído ou cetona é pelo ozônio O3, gerando como produtos uma
também chamada de desidrogenação (ou seja, cetona e um aldeído. Essa reação deve ser
perda de hidrogênio). realizada na presença de água e de pó de zinco.
Observe o exemplo abaixo: A molécula do alceno é quebrada na dupla
ligação, e dois átomos de oxigênio (O) se
adicionam.
Veja o exemplo abaixo:
O símbolo [O] significa oxidação.
Para isso, faz-se reagir o geraniol com: A flecha apontando para baixo com o H2O na
a) álcool metílico (metanol). ponta indica a água, que foi produto da reação,
ou seja, a reação também gerou água, que foi
b) aldeído fórmico (metanal). O peróxido de hidrogênio (H2O2) é destruído pelo
retirada.
c) ácido fórmico (ácido metanóico). pó de zinco para que não reaja com o aldeído.
No esquema, os hidrogênios reagiram com o
d) formiato de metila (metanoato de metila). oxigênio do agente oxidante formando a água 5. COMBUSTÃO
e) dióxido de carbono. que foi retirada. Portanto diz-se que a oxidação é Combustão ou queima é uma reação química
um processo de “retirada de hidrogênio”. exotérmica entre uma substância (o combustível)
05. (Ita 96) Aquecendo, juntos, ácido benzóico Chamamos o processo inverso da oxidação de e um gás (o comburente), geralmente o oxigênio,
e etanol, podemos esperar a formação de: redução e é representado por [H]. Sendo assim, para liberar calor. Em uma combustão completa,
a redução de um ácido carboxílico gerará um um combustível reage com um comburente, e
a) Sal e água. b) Éter e água. c) Éster e água.
aldeído, e a redução deste gerará um álcool
d) Aldeído e água. e) Cetona e água. como resultado se obtém compostos resultantes
primário. (Veja o esquema geral logo abaixo.)
da união de ambos, além de energia, sendo que
Resumindo, temos que a oxidação branda de um
06. (Puccamp 93) Qual dos seguintes combus- álcool primário gerará um aldeído, e a oxidação
alguns desses compostos são os principais
tíveis NÃO liberará, pela combustão, subs- agentes causadores do efeito estufa. De uma
enérgica do mesmo gerará um ácido carboxílico.
tâncias nocivas à saúde do homem? Esquema Geral forma geral:
CxHy + (x+y/4)O2 → xCO2 + (y/2)H2O
a) Gasolina b) Gás natural c) Querosene Exemplos:
d) Hidrogênio e) Etanol CH4 + 2 O2 → CO2 + 2 H2O + calor
CH2S + 6 F2 → CF4 + 2 HF + SF6 + calor

10
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 11

a. ( ) É capaz que vai chover.


b. ( ) É provável que vai chover.
Português c. ( ) Você é capaz de muitas coisas.
d. ( ) É capaz que ela me perdoe.
Professor João BATISTA Gomes
e. ( ) É provável que ela não volte mais.

4. Através e por meio


Aula 191
O uso de através em lugar de por meio, por
intermédio é condenado pela norma culta da
Dificuldades da língua
língua escrita. Veja a diferença de signi-
1. A domicílio, em domicílio ficados:
a) A domicílio – Só pode ser usada com ver- a) Através – De lado a lado; atravessada- 01. (PUC) Assinale a alternativa em que se
bos que tenham o adjunto adverbial de mente; transversalmente. encontram preocupações estéticas da
lugar associado à preposição “a”: chegar, primeira geração modernista.
Através de – De um para outro lado.
ir, voltar, retornar. Função sintática da
expressão “a domicílio”: adjunto adverbial b) Por meio de – Por intermédio de; pelo a) “Não entram no verso culto o calão e o
de lugar. emprego de; mediante. solecismo, a sintaxe truncada, o metro
b) Em domicílio – Só pode ser usada com APLICAÇÃO 5 cambaio, a indigência das imagens e do voca-
verbos que tenham o adjunto adverbial de Julgue os períodos seguintes quanto à cor- bulário, a vulgaridade do pensar e do dizer.”
lugar associado à preposição “em”: entre- reção gramatical. b) “Vestir a idéia de uma forma sensível que,
gar, fazer (entregas, macumba, unhas), a. ( ) Ele fugiu através do mato. entretanto, não terá seu fim em si mesma,
dar (aulas, palestras). Função sintática da b. ( ) Ela chegou a este cargo através de mas que, servindo para exprimir a Idéia, dela
expressão “em domicílio”: adjunto adver- mim. se tornaria submissa.”
bial de lugar. c. ( ) Ela chegou a este cargo por meio de c) “Minhas reivindicações? Liberdade. Uso dela:
APLICAÇÃO 1 mim. não abuso. E não quero discípulos. Em arte:
Julgue os períodos seguintes quanto à cor- d. ( ) Através da vidraça, ela olha a rua. escola = imbecilidade de muitos para
reção gramatical. e. ( ) Entrei aqui através de ajuda.
vaidade dum só.”
a. ( ) Ele retornou a domicílio. 5. Súbita e subida d) Na exaustão causada pelo sentimentalismo, a
b. ( ) Ele retornou em domicílio. a) Súbita – Que ocorre ou surge sem ser alma ainda trêmula e ressoante da febre do
c. ( ) Fazem-se entregas a domicílio. previsto; repentino, inesperado. sangue, a alma que ama e canta porque sua
d. ( ) Fazem-se entregas em domicílio.
Exemplos: vida é amor e canto, o que pode senão fazer
e. ( ) Depois de um ano, ele voltou a domi-
Ele foi acometido de um mal súbito. o poema dos amores da vida real?”
cílio.
Naquela ano, uma paixão súbita tomou e) “O poeta deve ter duas qualidades: engenho
APLICAÇÃO 2 conta de mim. e juízo; aquele, subordinado à imaginação;
Julgue os períodos seguintes quanto à cor-
b) Subida – Em sentido figurado, significa este, seu guia, muito mais importante, decor-
reção gramatical.
a. ( ) Faz-se macumba em domicílio. que excede os outros; elevado, celso, rente da reflexão. Daí não haver beleza sem
b. ( ) Ele chegou a domicílio. excelso. obediência à razão, que aponta o objetivo da
c. ( ) Entregam-se flores a domicílio. Subida honra – Elevada, grande honra. arte: a verdade.”
d. ( ) Dão-se aulas particulares em domi- Exemplo:
cílio.
02. (UFES) Das obras abaixo, a única não
Tive a subida honra de cumprimentar o
e. ( ) Depois de morar dez anos em Brasí- escrita por Cecília Meireles:
papa.
lia, retornou ao domicílio. a) Mar Absoluto.
6. Maltrato e maus-tratos b) Retrato Natural.
2. Fazer com que ou fazer que?
a) Maltrato – Forma do verbo “maltratar” (tra- c) Vaga Música.
O verbo fazer é transitivo direto; por isso, não
tar com violência, com palavras rudes; tra- d) Lição de Coisas.
aceita preposição. A construção “fazer com
tar mal; receber mal. e) Poemas Escritos na Índia.
que”, embora comum em textos jornalísticos
e até literários, é condenada pela norma culta Exemplo:
Por mais que esteja com raiva, não mal- 03. (MACK) Romanceiro da Inconfidência é um
da língua.
trato crianças nem animais. longo poema que revê nossa época
APLICAÇÃO 3
b) Maus-tratos – Só existe no plural. Impo-
árcade. Seu autor é:
Julgue os períodos seguintes quanto à cor-
reção gramatical. sição de trabalho excessivo ou impróprio a) Mário de Andrade.
a. ( ) Isso fez com que os soldados recuas- ou abuso de meios corretivos ou disci- b) Oswald de Andrade.
sem. plinares a quem se acha sob autoridade c) Carlos Drummond de Andrade.
b. ( ) Isso fez que os soldados recuassem. de alguém. d) Cecília Meireles.
c. ( ) O protecionismo faz com que o mer- Exemplo: e) Vinícius de Moraes.
cado fique menos competitivo. Na cadeia, ela foi vítima de maus-tratos.
d. ( ) O protecionismo faz que o mercado 03. (MACK) Assinale a alternativa que não se
fique menos competitivo. 7. Em dias ou em dia? aplica à obra de Carlos Drummond de
e. ( ) Isso fez com que eu voltasse para o A expressão correta é “em dia” (invariável), Andrade.
interior do Amazonas. no sentido de sem atraso; pontualmente;
a) Participante da Semana de Arte Moderna, sua
bem informado; atualizado.
3. Capaz e provável poesia é típica representante da primeira
Exemplos:
O vocábulo capaz não é sinônimo de pro- geração modernista brasileira.
Quem está em dias com a prestação da casa
vável, possível. Veja a diferença: b) Em muitos poemas, apresenta seu desencan-
própria? (errado)
a) Capaz – Que tem capacidade; que tem Quem está em dia com a prestação da casa to em relação à vida.
competência ou aptidão; competente. própria? (certo) c) Morte do leiteiro é um poema baseado na
b) Provável – Que apresenta probabilidades problemática do dia-a-dia.
8. Sem fundo e sem fundos?
de acontecer; que tem aparências de ver- d) Extrai do mundo interiorano de Itabira o tema
dadeiro. a) Sem fundo – Sem suporte para susten-
para alguns de seus poemas.
tação; sem fundamento.
APLICAÇÃO 4 e) A Procura da Poesia é um poema em que o
Julgue os períodos seguintes quanto à cor- Exemplo: autor se preocupa com a própria confecção
reção gramatical. Não suspenda a caixa, pois ela está sem
da poesia.
fundo.

11
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 12

b) Sem fundos – Sem provisão em dinheiro. c) A persistirem os sintomas, procure um


Exemplo: médico. (certo)
Pagou a conta no restaurante com um Note que a preposição a (mas não a con-
cheque sem fundos. tração ao) pode indicar condição. Note,
ainda, que o substantivo “sintomas” é o
9. A prazo e a vista
sujeito do verbo “persistir”, impondo plural
A crase com as expressões “a vista” (com obrigatório.
pagamento imediato, a dinheiro) e “a prazo”
Veja construções em que, além de procurar
(com pagamento futuro, a crédito) não existe.
É uma questão de raciocínio lógico quanto um médico, convém procurar um professor
ao emprego do artigo. Raciocinemos. Na ex- de Língua Portuguesa:
pressão “a prazo”, não existe artigo. Nin- a) Ao persistir os sintomas, procure um
01. (UFAM–PSM–2008) Assinale a opção em
guém diz “ao prazo”, e isso é sabedoria po- médico. (errado)
que a forma verbal corresponde à
pular. Conseqüentemente, não se pode em- b) Ao persistirem os sintoms, procure um
seguinte estrutura: radical + vogal pregar artigo na expressão correlativa “a médico. (errado)
temática + desinência modo-temporal vista”.
+ desinência número-pessoal: 12. Cachorro-quente e cachorro quente
À vista de – Já a expressão “à vista de” (na
a) Cachorro-quente – Sanduíche feito com
a) conquistásseis presença de; diante) aceita crase com
pão e salsicha quente
b) convencestes naturalidade.
Formação: de cachorro + quente (compo-
c) entregava APLICAÇÃO 6
sição por justaposição).
d) reciclemos Julgue os períodos seguintes quanto à cor-
Plural: cachorros-quentes.
e) confabulou reção gramatical.
b) Cachorro quente – Cachorro cuja tempe-
a. ( ) Aqui, só vendemos móveis à vista.
02. (UFAM–PSM–2008) Assinale a opção em ratura, por alguma razão, está elevada.
b. ( ) Aqui, só vendemos móveis a vista.
que ambos os vocábulos são compostos Cachorro voluptuoso, ardente.
c. ( ) Compre tudo a prazo.
por justaposição: d. ( ) É capaz que ela não volte mais. Exemplos:
e. ( ) Num dos comícios das “Diretas Já”, 1. Cachorro quente esse seu. Não pode
a) pernalta, vaivém
tive a súbita honra de abraçar Tancre- farejar alguma cadela que fica queren-
b) aguardente, pernilongo
do Neves. do rebentar a coleira.
c) fidalgo, girassol 2. Cachorro quente aqui, na clínica, toma
d) passatempo, cantochão APLICAÇÃO 7
logo um banho de água fria; depois, é
Julgue os períodos seguintes quanto à cor-
e) planalto, boquiaberto medicado.
reção gramatical.
03. (UFAM–PSM–2008) Assinale a opção em APLICAÇÃO 9
a. ( ) Na cadeia pública, poucos escapam
que ambos os vocábulos exemplificam a aos maus-tratos. Julgue os períodos seguintes quanto à cor-
b. ( ) No passado, ele passou-nos um che- reção gramatical.
derivação parassintética:
que sem fundo. a. ( ) Boa parte dos jovens de hoje alimen-
a) emudecer, achatamento
c. ( ) Procuro sempre estar em dias com ta-se de cachorro quente.
b) deslealdade, alistar
todas as minhas prestações. b. ( ) Boa parte dos jovens de hoje alimen-
c) envergonhar, esfarelar d. ( ) À vista do que compramos, muitos ta-se de cachorro-quente.
d) enegrecer, infelizmente acharam que íamos casar. c. ( ) Ela ganha dinheiro explorando uma
e) desenvolvido, enfileirar e. ( ) Com ar grave, ele anunciou: “Temos banca de cachorro quente.
problemas à vista”. d. ( ) Ela ganha dinheiro explorando uma
04. (UFAM–PSM–2008) Assinale a opção em que o
banca de cachorro-quente.
pronome que exerce a função sintática de 10. A nível e em nível
objeto direto: A expressão “a nível” (ou “ao nível”) existe, 13. Ao encontro de e de encontro a
mas só pode ser usada para designar algo a) Ao encontro de – Exprime conformidade,
a) Nosso amigo vendeu bem todos os quadros
(normalmente líquido) que esteja “à mesma situação favorável.
a óleo que pintou.
altura”. Para designar, figuradamente, “altura Ela veio ao encontro dos meus anseios.
b) Amemos, jovens, a terra que nos viu nascer. relativa numa escala de valores” ou ainda (= Ele satisfez os meus anseios).
c) Gostei de descobrir em ti a pessoa solidária “situação, estado, plano”, só se pode usar a
b) De encontro a – Exprime oposição, cho-
que és. expressão “em nível”.
que.
d) Inocente que era, como ficou claro, foi logo APLICAÇÃO 8
liberado. Ela veio de encontro aos meus anseios.
Julgue os períodos seguintes quanto à cor-
e) Somos o que somos, não aquilo que pensa- reção gramatical. (= Ele contrariou os meus anseios).
mos ser. a. ( ) Agora, depois do escândalo público, 14. Protocolar e protocolizar
o caso será discutido a nível nacional. a) Protocolar – Só pode ser usado como ad-
05. (UFAM–PSM–2008) Assinale a opção
b. ( ) Agora, depois do escândalo público,
constante de período composto por jetivo; significa relativo ao protocolo, em
o caso será discutido em nível nacional.
coordenação e subordinação: conformidade com o protocolo, cerimo-
c. ( ) O problema será discutido a nível de
nioso, formal, convencional.
a) Coelho Neto disse que o que sobe por favor diretoria.
d. ( ) O problema será discutido em nível Exemplos:
deixa sempre um rasto de humilhação.
de diretoria. Ele é um indivíduo protocolar.
b) Sou contrário a que viajes neste tempo de
e. ( ) A cidade está ao nível do mar. Ela mantém, na empresa, um comporta-
apagão aéreo. mento protocolar.
c) De uma coisa tenho certeza: que é preciso 11. A persistirem os sintomas...
b) Protocolizar – Só pode ser usado como
sorte e raça para vencer na vida. Há três construções corretas de que se po- verbo; significa registrar ou inscrever no
d) Este rapaz não é somente um dos nossos dem valer os médicos, os farmacênticos e a protocolo.
melhores líricos, mas também um dos nos- mídia para fazer alerta quanto a sintomas
Exemplos:
sos bons violinistas. (indícios) de que uma doença persiste, ape-
Devemos protocolar ainda hoje toda a
sar da ingestão de algum remédio.
e) Começo declarando que meu nome é Seve- documentação. (errado)
rino, sou macérrimo e já completei mais de a) Se persistirem os sintomas, procure um
Devemos protocolizar ainda hoje toda a
médico. (certo)
meio século no último período carnavalesco. documentação. (certo)
b) Caso persistam os sintomas, procure um
médico. (certo)

12
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 13

Os satélites militares em órbita poderiam detectar

História o disparo de mísseis intercontinentais e acionar o


sistema ainda durante a sua rota.
Neoliberalismo
Professor DILTON Lima
Nos anos de 1980, países como Estados Unidos
e Inglaterra passam a adotar essa doutrina eco-
Aula 192 nômica que defende a absoluta liberdade de
Os anos de 1990 e mercado e uma restrição à intervenção estatal
sua relação com o Brasil sobre a economia, só devendo esta ocorrer em
setores imprescindíveis e, ainda assim, num grau
Derrocada do socialismo mínimo (minarquia).
A ordem que se estabeleceu com o fim da Guer- 01. (UFLA) Assinale a alternativa que caracte-
Características do Neoliberalismo (princípios
ra Fria e com a dissolução do socialismo real, básicos): riza CORRETAMENTE ações do governo
inicialmente no Leste Europeu, com a desintegra- Itamar Franco.
ção da URSS, e depois no restante do mundo, – mínima participação estatal nos rumos da
economia de um país; a) Criação de um plano de estabilização eco-
colocou em xeque a situação vigente a partir do
– pouca intervenção do governo no mercado de nômica que estabeleceu uma paridade
fim da Segunda Guerra Mundial, caracterizada
trabalho; entre a moeda local e o dólar.
pela bipolarização do mundo, sob o ponto de
– política de privatização de empresas estatais; b) Confisco da poupança e congelamento das
vista político-ideológico, que tinha como ex-
– livre circulação de capitais internacionais e contas bancárias acima de determinado
poentes os Estados Unidos, à frente do mundo
ênfase na globalização; valor.
capitalista, e a URSS, no comando do mundo
– abertura da economia para a entrada de c) Quebra do monopólio do petróleo e das
socialista. telecomunicações e alteração estratégica
A nova ordem é multipolar. Nela, o mundo está multinacionais;
– adoção de medidas contra o protecionismo do conceito de empresa estatal em prol do
dividido em áreas de influência econômica. As mercado externo.
alianças militares perderam o sentido, pelo me- econômico;
– desburocratização do estado: leis e regras d) Lançamento de um conjunto de medidas,
nos no que se refere à oposição ao bloco políti- como o aumento dos juros, com o objetivo
co-ideológico antagônico. Hoje, tem lugar a ex- econômicas mais simplificadas para facilitar o
funcionamento das atividades econômicas; de reduzir o déficit público.
pansão das alianças econômicas: União Euro- e) Convocação de uma nova Assembléia
péia, Nafta, ALCA, Mercosul, APEC. No contexto – diminuição do tamanho do estado, tornando-o
mais eficiente; Constituinte, caracterizada pela descentrali-
da economia globalizada, os blocos econômicos zação administrativa e financeira do Estado.
são um grande impulso para a otimização do – posição contrária aos impostos e tributos
crescimento econômico integrado. excessivos; 02. (PUCRS) Os impasses em torno da refor-
Se é possível identificar o início dessas transfor- – aumento da produção, como objetivo básico ma da Previdência Social, proposta pelo
mações, sem dúvida ele tem lugar em meados para atingir o desenvolvimento econômico; atual Governo Federal do Presidente, Luiz
da década de 1980, quando Mikhail Gorbachev – contra o controle de preços dos produtos e Inácio Lula da Silva, estão colocados
assumiu o poder na URSS. Ele entendeu serem serviços por parte do estado, ou seja, a lei da desde os anos 1980, quando o modelo do
necessárias mudanças no país. Essas mudanças oferta e demanda é suficiente para regular os Welfare State (Estado de Bem-Estar),
abrangeriam as esferas política e econômica. Era preços; defendido pelos .......... em vários países
também necessário acabar com a Guerra Fria e – a base da economia deve ser formada por da Europa, passa a sofrer forte concorrên-
abrir a economia do país aos investimentos empresas privadas; cia do modelo .........., implementado na
externos, com os quais se poderia reorientar a – defesa dos princípios econômicos do Inglaterra pelas administrações de
tecnologia, sofisticada no setor militar, para o capitalismo. Margareth Tatcher, visando à redução da
incipiente setor civil. Diante dessas neces- Críticas ao neoliberalismo participação do Estado nas políticas so-
sidades, Gorbachev deu início a um amplo A economia neoliberal só beneficia as grandes ciais e ao incremento das políticas eco-
processo de abertura política – glasnost – e de potências econômicas e as empresas multinacio- nômicas de superávit primário.
reestruturação da economia – perestroika. nais. Os países pobres ou em processo de a) sociais-democratas Neoliberal
O caos econômico, associado à instabilidade desenvolvimento (Brasil, por exemplo) sofrem b) socialistas Keynesiano
política, efeitos colaterais do processo de moder- com os resultados de uma política neoliberal. c) liberais Trabalhista
nização do país, levaram a URSS ao fim em 1991. Nesses países, são apontadas como causas do d) verdes Republicano
E, diante da necessidade de manutenção da neoliberalismo: desemprego, baixos salários, e) comunistas Monarquista
integração econômica das ex-repúblicas so- aumento das diferenças sociais e dependência
viéticas, visto que ainda não gozavam de auto-
03. (UFLAVRAS) “Na história recente da Amé-
do capital internacional. rica Latina (décadas de 80 e 90), a figura
nomia nesse setor para se inserirem no mercado Brasil: Anos de 1990 e início do século XXI
internacional, criou-se a CEI – Comunidade dos
dos “caras-pintadas” surgiu no contexto
Governo Fernando Collor político de dois países em particular, com
Estados Independentes, que tinha também como Fernando Collor de Melo pelo Partido da Recons-
atributo o monitoramento do arsenal da ex-URSS.
sentidos radicalmente diversos. Em um
trução Nacional (PRN) derrotou Luiz Inácio Lula deles, predominou o caráter militar-con-
A derrocada da União Soviética trouxe transfor- da Silva, candidato pelo Partido dos Traba- servador, e, em outro, o caráter estudantil-
mações no Leste europeu; países como Polônia, lhadores (PT) no 2.° Turno das eleições de 1989. contestador”.
Tchecoslováquia, Romênia, Alemanha Oriental e
Contou com o apoio da TV Globo para vender Os países em que se deram, respectiva-
Iugoslávia buscaram novas medidas que resol-
seu marketing político. Graças a isso, Collor ficou mente, tais movimentos foram:
vessem os tempos de crise que assolavam seus
conhecido como:
governos. a) Peru e México. b) EUA e Chile.
• Caçador de Marajás. c) Argentina e Brasil. d) Bolívia e Colômbia.
Guerra nas Estrelas • Defensor dos descamisados. e) Paraguai e Guiana.
Programa de Iniciativa de Defesa Estratégica • Messias.
(IDE), do presidente dos Estados Unidos, Ronald • Salvador da pátria. 04. (MACKENZIE) O confisco das contas
Reagan, anunciado em 1983, que consistia em • Amigo dos pobres. bancárias descontentou todos os setores
explodir, com um míssil teleguiado, outro projétil Um dia depois de assumir a Presidência, Collor da população. A inflação não foi controla-
nuclear em pleno ar. anunciou uma série de medidas que visavam da, e o desemprego cresceu. O serviço
Pela primeira vez desde que se iniciou a corrida reorganizar a economia nacional. Elaborado pela público desorganizou-se; a abertura para o
espacial, conseguia-se interceptar um míssil na equipe da ministra Zélia Cardoso de Mello, o capital estrangeiro e o fechamento de
alta atmosfera. Tornava-se possível explodir ogi- Plano Brasil Novo, mais conhecido como Plano Estatais faziam parte do plano e do gover-
vas atômicas no espaço, durante o curto interva- Collor, determinou: no, respectivamente:
lo em que elas se dirigem para o alvo. Era, afinal, • a extinção do cruzado novo e a volta do cru- a) Plano Collor - governo Collor de Mello.
a prova da viabilidade do projeto “guerra nas zeiro como moeda nacional; b) Plano Cruzado - governo José Sarney.
estrelas”, que prevê o uso do espaço cósmico • o bloqueio, por dezoito meses, dos depósitos c) Plano Bresser - governo Itamar Franco.
para a instalação de escudos defensíveis em contas correntes e cadernetas de poupan- d) Plano Real - governo Fernando Henrique
antimísseis. Seu papel inicial: proteger o território ça que ultrapassassem os 50.000 cruzados Cardoso.
e as instalações militares americanas contra os novos (50 cruzeiros); e) Plano de Metas - governo Juscelino Kubits-
mísseis balísticos intercontinentais do arsenal • o congelamento parcial de preços e de chek.
soviético. salários;

13
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 14

• o fim de subsídios e de incentivos fiscais; Os setores sindicais e alguns partidos políticos,


• o lançamento do Programa Nacional de entre eles o PT, opuseram-se parcialmente às
desestatização; determinações do Plano FHC, por entenderem
• a extinção de vários órgãos do governo. que o mesmo implicava um arrocho salarial. O
Os objetivos do plano eram: enxugar a máquina plano não fixou nenhuma norma para a conver-
administrativa do Estado, acabar com a inflação e são dos preços, mas os salários dos trabalha-
modernizar a economia. Sem dúvida, as medidas dores foram convertidos em URV com base na
causaram grande impacto e afetaram a vida da média dos quatro meses anteriores.
população em geral, dos trabalhadores aos
Às vésperas de o novo plano entrar em vigor,
empresários. Porém os resultados não foram
verificou-se intensa especulação de preços,
satisfatórios. Em julho de 1990, foram implemen-
especialmente aqueles ligados aos setores
01. (UNESP) Sobre a queda do muro de Berlim, tadas reduções nas tarifas alfandegárias, dando
oligopolizados da economia, o que aumentou
início à abertura internacional da economia
no dia 10 de novembro de 1989, é correto ainda mais o processo inflacionário.
brasileira.
afirmar que Eleições de 1994
Em março de 1991, o Tratado de Assunção criou
a) o fato acirrou as tensões entre Oriente e o Mercosul. O tratado tem por objetivo integrar as Após implantar o Plano Real, o ministro da Fazen-
Ocidente, manifestas na permanência da relações econômicas no Cone Sul. da, Fernando Henrique Cardoso, deixou o cargo
divisão da Alemanha. Fim da Era Collor para candidatar-se à presidência da República.
b) resultou de uma longa disputa diplomática, A administração federal teve, com ele, um estilo Fernando Henrique venceu as eleições no
que culminou com a entrada da Alemanha oligárquico e uma feição populista. Ironicamente, primeiro turno, com 54% dos votos válidos, con-
no Pacto de Varsóvia. provocou uma modernização política, que foi a tra 27% dados a Luiz Inácio Lula da Silva. O novo
c) expressou os esforços da ONU que, por causa principal de sua própria desintegração. presidente assumiu em 1.° de Janeiro de 1995,
meio de acordos bilaterais, colaborou para Collor, assim como Jânio Quadros e João Goulart, para cumprir um mandato de 4 anos.
reunificar a cidade, dividida pelos aliados. apostou em um apoio popular que substituiria o Governo de Fernando Henrique Cardoso
d) constituiu-se num dos marcos do final da apoio que ele não teve nos grandes partidos e no (1995–1998)
Guerra Fria, política que dominou as Congresso Nacional. Escudado nos milhões de
votos que recebeu, seu poder desmoronou-se Para amparar bancos em dificuldade, em novem-
relações internacionais após a Segunda
quando a opinião pública, motivada pelo bro de 1995, foi criado o Programa de Estimulo à
Guerra Mundial. Reestruturação do Sistema Financeiro Nacional
escândalo da CPI de Paulo César Farias, voltou-se
e) marcou a vitória dos princípios liberais e (PROER), que facilitou a fusão entre bancos em
contra o governo, e ele teve de confrontar-se com
democráticos contra o absolutismo prus- dificuldade. Por meio do PROER, o Banco
as fontes reais do poder no Brasil. Não foram os
siano e conservador. desacertos políticos e socioeconômicos, que Central assume a parte podre dos bancos
02. “... a periferia no Leste europeu já se sepa- aconteceram durante os 930 dias da era Collor, os quebrados, isto é, os créditos de difícil rece-
rou politicamente da União Soviética, sem responsáveis principais do colapso do governo. bimento e as obrigações duvidosas.
Pedro Collor, irmão do presidente, acusou a Os compradores ficam com a parte boa dos
qualquer melhoria previsível da situação
existência de um tráfico de influências dentro do bancos, isto é, clientes, agências e bens.
econômica. A RDA foi liquidada e incor-
governo, intermediado pelo empresário Paulo Além da defesa do real, o governo Fernando
porada à RFA. O processo de dissolução César Farias, tesoureiro da campanha presidencial Henrique busca equilibrar as finanças públicas
progride em toda a região...” de Collor e seu amigo pessoal. A repercussão das numa série de reformas constitucionais essen-
O principal acontecimento associado ao acusações pela imprensa resultou em uma ciais para garantir estabilidade econômica.
processo a que o texto se refere foi a: indignação popular sem precedentes. Esta se
Segundo Governo Fernando Henrique
a) criação da ONU. acentuou na medida em que a Comissão
(1988–2002)
b) extinção da CEE. Parlamentar de Inquérito (CPI), organizada para a
averiguação dos fatos, acabou por descobrir O governo FHC segue o chamado projeto neoli-
c) “Primavera de Praga”.
ligações entre o presidente e os envolvidos beral, cuja ênfase é a diminuição da intervenção
d) divisão da Iugoslávia.
diretamente nas negociatas que implicaram o do Estado na economia. Neste 2.° Governo, pre-
e) queda do “Muro de Berlim”.
desvio de milhões de dólares dos cofres públicos. tendem-se aplicar certas medidas para controlar
03. (Puccamp 93) “Desde a sua origem, foi um Em 29 de setembro de 1992, a Câmara de Depu- a inflação e modernizar o País; as medidas são as
Estado multinacional submetido à he- tados votou favoravelmente ao impedimento. seguintes:
gemonia da Sérvia. No seu interior, viviam Collor conseguiu apenas 38 votos em seu favor. Ajuste fiscal: limitação dos gastos do Estado na
croatas, eslovenos, montenegrinos e mi- Manifestaram-se a favor do impeachment 441 Economia de acordo com a arrecadação. Esta
deputados, mais de 100 além do número mínimo medida visa combater o déficit público.
norias macedônias e albanesas. Esses
previsto pela Constituição (Artigo 86) para Redução do tamanho do Estado: limitação do
povos enxergavam os sérvios como um
suspender o presidente e permitir seu julgamen-
novo poder imperial.” Estado na Economia. Esta medida visava à con-
to pelo Senado. Collor foi suspenso por 180 dias.
O texto anterior refere-se a tinuação da política neoliberal.
Com a suspensão de Fernando Collor, assumiu a
Privatização: venda de empresas estatais a gru-
a) Tchecoslováquia. b) Iugoslávia. Presidência o vice Itamar Augusto Franco.
pos que não se relacionam à atividade específica
c) China. d) Polônia. e) Albânia. Impeachment (1992)
do Estado. Esta medida visa entregar as
04. Mikhail Gorbatchev, após assumir o poder Afastamento do presidente Fernando Collor da empresas aos grupos estrangeiros.
em março de 1985, tomando-se secre- Presidência da República por estar envolvido em Abertura financeira: permissão para que as ins-
esquema de corrupção, roubo do dinheiro público tituições financeiras internacionais possam atuar
tário-geral do Partido Comunista da União
e formação de quadrilha. O presidente da Repú- em igualdade de condições com as do País. Esta
Soviética, desencadeou uma série de
blica Fernando Collor teve seus direitos políticos
mudanças para que a URSS ingressasse medida põe fim às restrições à entrada de capital
suspensos por 8 anos (cassação de mandato).
“no novo milênio de maneira digna, pró- estrangeiro no País.
Deveria retornar à vida política em 2000.
pria a uma grande e próspera potência”. Luiz Inácio LULA da Silva
Governo Itamar Franco
Nesse processo, os termos perestroika e O eleito
A convocação do senador Fernando Henrique
glasnost ganharam destaque, constituindo Oposição e guinada ao centro fazem o PT vencer
Cardoso para o Ministério da Fazenda resultou
a pedra de toque dessas mudanças. a primeira eleição presidencial. Após 22 anos de
na elaboração de um novo plano econômico. O
Perestroika e glasnost significam, respec- existência do partido, três derrotas e oito anos de
Plano FHC (letras iniciais do nome de seu cria-
tivamente: oposição quase sistemática a Fernando Henrique
dor), rebatizado posteriormente como Plano
Cardoso (com críticas ao modelo econômico e ao
a) reestruturação e abertura. Real, criou o URV (Unidade Real de Valor), um
indexador provisório da economia, que serviria legado na área social), o ex-torneiro mecânico Luiz
b) revolução e anistia.
como transição até que uma nova moeda – o real Inácio Lula da Silva, (PT), chega à Presidência da
c) imperialismo e abertura.
– entrasse em vigor. O real manteria paridade República.
d) reestruturação e monopartidarismo.
com o dólar e eliminaria a espiral inflacionária. O Lula venceu o economista José Serra, candidato
e) privatização e fechamento.
novo plano econômico não incluiu as soluções oficial, duas vezes ministro de FHC e uma das
conhecidas e já provadas insuficientes, como o principais lideranças do PSDB. Segundo o TSE
congelamento dos preços e de salários e de (Tribunal Superior Eleitoral), Lula obteve cerca de
confiscos. 53 milhões de votos – 61% dos votos válidos.

14
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:29 Page 15

Gabarito do Calendário
número anterior 2008
Aprovar n.º 31

Aulas 169 a 198


DESAFIO LITERÁRIO (p. 3)
01. C;
02. D;
03. D;
04. A;
O ALIENISTA
DESAFIO QUÍMICO (p. 5)
01. D; Machado de Assis
02. C; Capítulo X
03. B; A RESTAURAÇÃO
04. B; 1. Resumo
05. D;
“Dentro de cinco dias, o alienista meteu na Casa
DESAFIO QUÍMICO (p. 6) Verde cerca de cinqüenta aclamadores do novo
01. C; governo. O povo indignou-se”. Porfírio não sabia
02. C; o que fazer. “João Pina, outro barbeiro, dizia
03. B;
abertamente nas ruas que Porfírio estava vendido
04. C;
05. B; ao ouro de Simão Bacamarte”. Porfírio, às
06. B; pressas, expediu decretos extinguindo a Casa
Verde e exilando Simão Bacamarte. Em vão.
DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 7) Duas horas depois, João Pina subiu ao poder.
01. C;
02. A; Entrou na vila uma força mandada pelo vice-rei. A
03. C; ordem foi restabelecida. Isso marcou o grau
04. C; máximo de influência de Simão Bacamarte. O
alienista exigiu de imediato a captura do barbeiro
DESAFIO GEOGRÁFICO (p. 8) Porfírio e mais de uns cinqüenta e tantos
01. D; indivíduos que considerou mentecaptos. “Tudo
02. E; quanto quis deu-se-lhe”. Os vereadores,
03. D;
restituídos, entregaram ao alienista o colega
04. D;
05. B; Sebastião Freitas e o próprio presidente. Crispim
06. B; Soares, o melhor amigo de Bacamarte, também
foi trancafiado na Casa Verde.
DESAFIO MATEMÁTICO (p. 9)
“Daí em diante, foi uma coleta desenfreada”.
01. C; 02. D; 03. A; 04. B; 05. A; 06. B;
07. B; 08. A; 09. B; 10. D; 11. D; “— Onde é que esse homem vai parar? diziam os
principais da terra. Ah! se nós tivéssemos
DESAFIO MATEMÁTICO (p. 10) apoiado os canjicas...”
01. E; 02. C; 03. B; 04. B; 05. C; 06. A;
07. A; 08. B; 09. C; 10. B; “A vila inteira ficou abalada com a notícia de que
a própria esposa do alienista, D. Evarista, fora
DESAFIO FÍSICO (p. 11) metida na Casa Verde. Quando o padre Lopes,
01. C ; discretamente, interrogou Bacamarte sobre a
02. V, V, F e V;
esposa, ele “explicou-lhe que o caso de D.
03. C;
04. 3,3s; Evarista era de ‘mania suntuosa’, não incurável e
05. A; em todo caso digno de estudo”.
— Conto pô-la boa dentro de seis semanas,
DESAFIO FÍSICO (p. 12)
concluiu ele.
01. 6,6 x 10–25Å; 1,2Å;
02. C; O fato tirou ao ilustre médico qualquer suspeita
03. A; de interesses pessoais na captura de doidos.
04. B; “Ninguém mais tinha o direito de resistir-lhe —
menos ainda o de atribuir-lhe intuitos alheios à
PERSCRUTANDO O TEXTO (p. 13 e 14)
01. B; 02. A; 03. V, V, F, F e F; 04. V, F, V, V e V; ciência”.
05. V, V, V, F e F; 06. V, V, V, F e F; 07. E; Capítulo XI
08. D; 09. E; O ASSOMBRO DE ITAGUAÍ
DESAFIO GRAMATICAL (p. 14) 1. Resumo
01. B ; “E agora prepare-se o leitor para o mesmo
02. D; assombro em que ficou a vila ao saber um dia
03. C; que os loucos da Casa Verde iam todos ser
04. E; postos na rua”.
05. C;
O alienista mandara um ofício à câmara
EXERCÍCIOS (p. 14) informando que quatro quintos da população
01. F, V, F, F e V; 02. F, F, V, V e F; estavam aposentados na Casa Verde; que ele,
01. V, V, F, V e V; 02. F, V, V, F e V; Bacamarte, ganhara a convicção de que a
01. F, F, V, F e F;
verdadeira doutrina não era esta que estava
aplicando, mas o contrário desta; que à vista
disso ia dar liberdade a todos os reclusos da
Casa Verde “e agasalhar nela as pessoas que se
achassem nas condições agora expostas”; que
restituía à câmara e aos particulares a quantia
gasta com o tratamento, descontadas despesas
com alimentação, roupa, etc.
Itaguaí ficou assombrada. Os parentes e os
amigos dos reclusos encheram-se de alegria.
No meio do regozijo produzido pelo ofício de
Simão Bacamarte, ninguém atentou para a frase
final do quarto parágrafo.

15
Aprovar_32V.qxp 13/10/2008 16:30 Page 16

LÍNGUA PORTUGUESA REIS, Martha. Completamente Química: físico-química. São Paulo:


ALMEIDA, Napoleão Mendes de. Dicionário de questões vernáculas. FTD, 2001.
3. ed. São Paulo: Ática, 1996. SARDELLA, Antônio. Curso de Química: físico-química. São Paulo:
BECHARA, Evanildo. Lições de português pela análise sintática. Rio Ática, 2000.
de Janeiro: Fundo de Cultura, 1960. BIOLOGIA
CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionário de dúvidas da língua AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Conceitos de
portuguesa. 2. impr. São Paulo: Nova Fronteira, 1996. Biologia das células: origem da vida. São Paulo: Moderna, 2001.
CUNHA, Celso; CYNTRA, Lindley. Nova gramática do português CARVALHO, Wanderley. Biologia em foco. Vol. Único. São Paulo:
contemporâneo 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985. FTD, 2002.
GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. 13. ed. Rio de LEVINE, Robert Paul. Genética. São Paulo: Livraria Pioneira, 1973.
Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1986. LOPES, Sônia Godoy Bueno. Bio. Vol. Único. 11.a ed. São Paulo:
HOLANDA, Aurélio Buarque de. Novo dicionário da língua Saraiva. 2000.
portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. MARCONDES, Ayton César; LAMMOGLIA, Domingos Ângelo.
HOUAISS, Antônio. Pequeno dicionário enciclopédico Koogan Biologia: ciência da vida. São Paulo: Atual, 1994.
Larousse. 2. ed. Rio de Janeiro: Larousse do Brasil, 1979. FÍSICA
HISTÓRIA ALVARENGA, Beatriz et al. Curso de Física. São Paulo: Harbra,
ACUÑA, Cristóbal de. Informes de jesuítas en el amazonas: 1660- 1979, 3v.
1684. Iquitos-Peru, 1986. ÁLVARES, Beatriz A. et al. Curso de Física. São Paulo: Scipicione,
______ Novo Descobrimento do Grande Rio das Amazonas. Rio de 1999, vol. 3.
Janeiro: Agir, 1994. BONJORNO, José et al. Física 3: de olho no vestibular. São Paulo:
CARDOSO, Ciro Flamarion S. América pré-colombiana. São Paulo: FTD, 1993.
Brasiliense, 1986 (Col. Tudo é História). CARRON, Wilson et al. As Faces da Física. São Paulo: Moderna,
CARVAJAL, Gaspar de. Descobrimento do rio de Orellana. São 2002.
Paulo: Nacional, 1941. Grupo de Reelaboração do Ensino de Física (GREF). Física 3:
FERREIRA, Alexandre Rodrigues. (1974) Viagem Filosófica pelas eletromagnetismo. 2.a ed. São Paulo: Edusp, 1998.
capitanias do Grão-Pará, Rio Negro, Mato Grosso e Cuiabá. PARANÁ, Djalma Nunes. Física. Série Novo Ensino Médio. 4.a ed.
Conselho Federal de Cultura, Memórias. Antropologia. São Paulo: Ática, 2002.
MATEMÁTICA RAMALHO Jr., Francisco et alii. Os Fundamentos da Física. 8.a ed.
BIANCHINI, Edwaldo e PACCOLA, Herval. Matemática. 2.a ed. São São Paulo: Moderna, 2003.
Paulo: Moderna, 1996. TIPLER, Paul A. A Física. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e
DANTE, Luiz Roberto. Matemática: contexto e aplicações. São Científicos, 2000, 3v.
Paulo: Ática, 2000.
GIOVANNI, José Ruy et al. Matemática. São Paulo: FTD, 1995.
QUÍMICA
COVRE, Geraldo José. Química Geral: o homem e a natureza.
São Paulo: FTD, 2000.
FELTRE, Ricardo. Química: físico-química. Vol. 2. São Paulo:
Moderna, 2000.
LEMBO, Antônio. Química Geral: realidade e contexto. São Paulo:
Ática, 2000.