P. 1
ABC Do Cordel

ABC Do Cordel

4.88

|Views: 12.880|Likes:
Publicado porGustavo Dourado
ABC do Cordel:
Seleta poética em cordel de Gustavo Dourado
Antologia dos principais textos em cordel do autor baiano.brasiliense
www.gustavodourado.com.br
www.gustavodourado.com.br/cordel.htm
ABC do Cordel:
Seleta poética em cordel de Gustavo Dourado
Antologia dos principais textos em cordel do autor baiano.brasiliense
www.gustavodourado.com.br
www.gustavodourado.com.br/cordel.htm

More info:

Published by: Gustavo Dourado on Feb 04, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/07/2014

pdf

text

original

ABC do Cordel Gustavo Dourado ABC é gênero antigo: Psalmus Abecedarius...

Desde Santo Agostinho: Língua gen vocabularius Poiesis anti-donatista: Perfectissimus Dicionarius...

Batalha de Fonteneto: Em ABC é narrada... Os netos de Carlos Magno: Narrativa na jornada... Versos trocaicos no canto: Três por quatro...Ritmada...

Cordel, corda, coração: Desde o tempo de Trancoso... Um nome que virou lenda: Com o ABC sentencioso... De Portugal de Camões: Ao Nordeste glorioso...

ABC narra façanhas: Histórias de cangaceiro... Biografias de santos: Canudos de Conselheiro... Padim Ciço...Lampião: E causos do mundo inteiro...

Bois fugitivos relata: Registros de valentia... Bichos, bodes, vacas, onças: A(u)tos de cidadania... Crítica à corrupção: Invenções, cosmologia...

Conta, narra e expressa: Desde o tempo de Nicandro: Poeta, vate, cantador: Que é do time de Leandro... Li ABC laudatório: Homero - Dante - Lisandro...

Na poesia do A.B.C: A sextilha nos enlaça... Versos em rimas simples: Hendecassílabo se traça...

Quadras, as mais antigas: Tercetos cheios de graça... Amizade...

Amizade se cultiva: Na Internet e na real... No concreto do dia-a-dia: No sonhos do virtual... Realidade-fantasia: Na aldeia sideral... Seja amigo e amiga: Pazen...solidariedade... Não há dinheiro que compre: A verdadeira amizade Cultive amor e carinho: Semeie a fraternidade... No bom relecionamento: Inexiste a falsidade... Bons amigos se confiam: Desconfie da inverdade... A mentira é ilusão: Busque a sinceridade... Amizade é coração: É cordial sentimento... O livro é bom amigo: Dinamiza o pensamento Amizade é coisa séria: Que não se perde ao vento... Dê a mão a um amigo: A uma amiga ilumine... Ame carinhosamente: A hipocrisia elimine... Ame com toda ternura: À amizade se destine... Bons amigos da poesia: Navegantes do real... Cosmonautas do eterno: Do espaço textual Amizade é alquimia: Nuniverso cordial...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Amor

Enamorar no dia-a-dia: Noite e dia namorar... No universo do desejo Conjugar o verbo amar Transmutar-se em alquimia: Num beijo se eternizar... Amor ser substantivo Que faz tudo transformar Guerra é falta de Amor Faça a Paz multiplicar Ame aqui-agora... sempre: Para a vida melhorar... Vê-se o Amor na Natureza É tão belo se amar... Vivencie amor e paz Deixe o coração sonhar... Ame a vida... Frutifique: O prazer nos faz voar... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Apocalipse... Gustavo Dourado Apocalipse desvela-se Faz-se a Revelação Decifro códigos das eras Em tempos de trans.formação Hecatombes e sinistros: Ecos de Revolução...

Tempestades, furacões Secas, fome, terremotos Terror, morte e miséria Tsunamis, maremotos Medo...Fundamentalismos: Dramas em fatos e fotos... Dia 11 de setembro As duas torres no chão Queda da New Babilônia Vi pela televisão Big Apple em chamas: Aeronaves na explosão... Princípio de um novo tempo: Agonia do capitalismo A miséria a sucumbir Sonhos de socialismo A besta-fera é uma praga: Mãe do imperialismo... Irã - Iraque - Israel Líbano e Palestina No Vale do Armagedom Mil batalhas desatina Pós-guerra do fim-do-mundo: Nova era se destina?! Demônios provocam guerras Devoram o ser humano Secam as águas dos rios Poluem o vasto oceano Falsos profetas deturpam Com mentiras, desengano...

Reina o Homem do Pecado A grande be$ta americana Perseguição ao islamismo Invade a terra iraquiana Quer dominar o petróleo Da nação iraniana... Bombas no Oriente: Líbano - Afeganistão Iraque sob domínio Golpe, terror, invasão Mil mentiras, grande farsa: A mídia da enganação...

Alta concentração de renda Provoca a vil pobreza Desmatamento, poluição Desrespeito à natureza O homem gera o ódio: Acaba toda a beleza... Alimentam o terrorismo Com a globalização Neoliberalismo e fome A falta de educação Analfabetismo crônico: Controle da multidão... Crimes de todo o tipo Império da violência Dinheiro na mão de poucos Dívida, subserviência Vivemos no submundo Sofremos na decadência... Apocalipse que vem: Para o mundo transformar Acabar a falsidade O sistema do explorar Onde todos possam ser: Sem vender e sem comprar... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Ano-Novo

Pra você tudo de bom: Saúde.. .Fraternidade Um Natal de harmonia: Luz... Solidariedade... Paz... Amor e Alegria: Sucesso e Felicidade... Um Ano-Novo de luz: Sua estrela vai brilhar Que tudo se concretize Possa a vitória alcançar Universe a fantasia: Realize o seu Sonhar...

Aquecimento Global

Terra em aquecimento : Mudança de temperatura Seca, fome, tempestades Terremoto na estrutura Furacões e maremotos: Morte, medo e amargura... Poluem de todo jeito: Sujam a atmosfera Desrespeitam a natureza O poder é besta-fera Global neoliberalismo: Capitali$mo: megera... Metano, gases, carbono: Petróleo e querosene Óleo diesel, gasolina: Salve o bioquerosene Biogás e biodiesel, use: Pare o verbo envenene... Chuva ácida...efeito estufa: Gera-se a calamidade T$unamis...hecatombe$ Tufões, fome, tempestade Enxofre, ácido sulfúrico: CO2...Insanidade... Queima de derivados: Petróleo em combustão Preservem a biosfera Chega de poluição É hora da biomassa: Tempos de preservação... Energia cinética dos rios: Eólica e hidroelétrica Energias renováveis Parem com a termelétrica

Usem agroenergia: Salve a bioenergética... A Terra está com câncer: Doente do coração... A natureza está ferida Deu ferrugem no pulmão Furacões e maremotos: Dores da poluição... Radiações...poluentes: Agricultura industrial Desertificação e degelo Devastação cultural Evaporação dos oceanos: Desrespeito ao natural... Diminuição da cobertura do gelo: Desaparecimento da calota polar Retração do gelo e da neve Cresce a radiação solar Mudança dos padrões climáticos: Aumento do nível do mar... Queimadas...desmatamentos: Poluentes na atmosfera Desastres e hecatombes Terror sob a nossa esfera Queimam a alma da Terra: Assassinam a biosfera... Mil desastres naturais: Os pólos a descongelar Aquecimento das águas Natureza a reclamar Prenúncio do Apocalipse: Ninguém pára pra escutar... Emissão de gases poluentes: Efeito estufa mortal Seca, fome, terremotos O homem provoca o mal Só progresso e consumismo Não preserva o natural... Fim da Floresta Amazônica: No aquecimento global Subida dos oceanos Em tsunami global

O homem gera a morte: Com a poluição letal... Nossa Terra pega fogo Em calor descomunal Desmatamento insano Muito incêndio florestal Efeito estufa, chuva ácida: O aquecimento é fatal... Gases de todo o tipo: Óxido nitroso no ar Muito dióxido de carbono Para nos incomodar Rareia o oxigênio: Nossa vida a esquentar... Protocolo de Kyoto: Bu$h nâo quis respeitar Jogam gás na atmosfera Sem ligar para o azar Poluem o mundo e o fundo: Oceano, terra e ar... Precisamos nos re.unir: Desaquecer átomos.fera... Evitar o con$umismo: Não adorar a Be$ta-feera... Abolir o ego.i$mo: Fluir amor zenova era... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------------------------------------------Auta

Auta de Souza Escritora Nasceu em terra potiguar Na pequena Macaíba Bom local pra se morar Trouxe ao mundo a Poesia Pra nossa vida melhorar... Nasceu em 12 de Setembro Pelo século dezenove Ano de 1876...

Tirei a prova dos nove Agora no Terceiro Milênio Que ninguém nos desaprove... Educou-se em Pernambuco No Colégio São Vicente Diz a Biobibliografia: A Poesia nunca mente Auta de Souza é História E será daqui pra frente... Religiosas francesas Foram suas professoras... Falava bem o Francês Aprendeu com as mentoras Dominava a Língua Inglesa Teve sábias preletoras... Sofreu com tuberculose No raiar da adolescência 14 anos de idade... Poesia e transcendência Publicou aos 17: Versos com clarividência... Na Revista Oásis Teve participação No Jornal "A República" Ativa colaboração Grêmio "Le Monde Marche" Letras em ebulição... Em Congresso Literário Seu nome foi destacado Na Revista "A Tribuna" Belo texto publicado Ida Salúcio - Hilário das Neves: Em pseudônimo letrado... Dhálias: Flores da Poesia Consagrada inspiração Jornal Oito de Setembro Em fértil elaboração Revista do Rio Grande do Norte Horto: Versos - seleção... A Tribuna - Número 10 Auta de Souza em criação Foi título em bom artigo De Alberto Maranhão:

-Mestre Zeferino ArrudaElogio em construção...

Prefácio de Olavo Bilac: O Horto foi editado. Por Arthur Pinto da Rocha O livro foi elogiado Auta de Souza em Paz: Um espírito iluminado... Impresso em A República O Horto em circulação 114 poemas Em boa divulgação Mil exemplares do livro Pra nossa população... Polycarpo Feitosa Sobre Auta escreveu Publicou em A República Profundo artigo teceu Horto entitulado Auta bem que mereceu... Auta ganhou novo artigo Na Revista A Tribuna, Por Sebastião Fernandes: Que a Poesia nos una... Ilumine a nossa vida Com luz do sol e da luna... Os passarinhos cantaram O Universo tremeu 07/02/1901... Auta de Souza faleceu Voou para o Infinito Pra encontrar o Galileu. .. Auta de Alta Poesia O Amor sempre concebeu Espírito diamantino Lá no céu amanheceu Transmutando a Poesia Com o Poeta Cecéu ... Cecéu é Castro Alves Poeta de envergadura Como Auta... um gigante

No Amor e na Ternura Poesia de alto nível De alta temperatura...

Auta foi-se aos 24 Também foi o Condoreiro Foram-se na mesma idade Para o mundo altaneiro Poetas universais: De luminoso candeeiro... Auta de obra eterna De alta concepção Aos 24 anos partiu Para outra dimensão... Por Cascudo elogiada E amada pelo Povão... O seu nome é destaque No Brasil de Sul a Norte Auta de Souza é sábia Que esclarece a morte Nos conduz à vida eterna Na luz do teletransporte... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Bol$a Mamata...

É golpe de todo tipo: Na internet e no real... Fantasmagoria literária: Assombram o textual... Mamam nas tetas da Viúva: Nepotismo leiteral... Tem muita gente sabida: Surrupiantes do Erário... Clientelismo, malandragem: Para além do dicionário... A maracutaia é surreal: Corrompe o vocabulário... Premiam de qualquer jeito: No emundo da lixeratura... Doam bolsas do E$tado:

Nem precisa de leitura... Jogo de cartas marcadas: Do nascer à sepultura... Julgam-se iluminados: Pervertem a comunicação... Komunicólogos - arrivistas Chega de descaração.... Os "deputados" literais: Sugam as mamas da Nação... Ressucitaram João Grilo: Macunaima e Cancão... Pedro Malazartes ataca No Planalto da Nação... 30 mil dobrões de ouro: Na lítera-corrupção... Mais um escândalo literário: Tem ares de Mensalão... Sanguessugas evampiros Chupam o nosso coração... Lá na Redação do Céu: Foi notícia de plantão...

Concursos, prêmios, medalhas: Perdem credibilidade... Nem precisa fazer prova: Ganha-se com facilidade.... Têm malandros premiados: Nos palácios da cidade... A velha ação entre amigos: Julgadores sem moral... Falta ética, compostura: Etc e coisa e tal... A comídia esconde o fato: Não aparece no journal... Falcatruas, bandalheiras: Parecem tudo normal... Salve São Graciliano: Façam um pelo sinal... Vade Retro Satanás: Eta gente sem moral...

Brincam com nosso dinheiro: O imposto é escorchante... Leio Finnegans - Ulisses: Rosa, Machado e Dante... O povo quer pão-cultura: Não ser mais signorante... Fabricam mi(n)tologias: Ídolos de pés de barro... PHdeuses de araque: Amam caviar e karro... Júri que nos desengana: Tão bisonho, tão bizarro... Será coisa de quadrilha?!: Prefiro a de São João... Em Drummond, me inspiro: Chega de conspiração... Respeitem a Coisa Pública: Basta à Corrupção... 30 moedas de ouro: Judas também ganhou... Por aqui esse preço: Muito se multiplicou... Chafurdam-se na lama podre: A arte se emporcalhou... Eu vou mudar de toada: Pôr a Ética no enredo... Cultivar a boa Estética: Esse é um bom segredo... Ficar de orelha em pé: Essa gente mete medo... É preciso ter vergonha: Para que se enganar?! Ética e eqüidade: No processo de julgar... Que a Justiça prevaleça: A coisa tem que mudar... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Estudantil

A UnB acordou: E saiu da letargia...

Estudantes despertos: Acenderam a rebeldia... Detonaram a corrupção: Que tomava a reitoria... Derrubaram os corruptos: Desejam a paridade... É preciso sangue novo: Ética-seriedade... Ter decência na docência: Em nova Universidade... Pra se resolver a cri$e: Arte-criatividade... Inovação-resistência: Persistência-Liberdade... Novo tempo - Nova Era: Amor-Solidariedade... Mudar o mundo tirano: Preservar a Natureza... Leitura é fundamental: A fome não é beleza... O povo quer estudar: Quer saúde sem tristeza... Lixeira...Luxo no Lixo: Verba da Educação... O dinheiro da pesquisa: Foi parar na contra-mão... Fazem a maracutaia: Cadê a licitação?!... O Movimento da UnB: Demonstrou maturidade... Talento e consistência: Ação-sensibilidade... Me lembra 68: Tempo que deixou saudade... A UnB desperta: Dá-me a felicidade... Gostei de ver a galera: Na luta e com vontade... Talento, garra e prazer: Mudam a sociedade... Honestino presente: Movimento Estudantil... Por mudança social:

Trans.formação no Brasil... Educação e Cultura: Mais arte, menos fuzil... Chega de vestibulárido: Acabe-se o elitismo... Educação para o povo: Chega de clientelismo: Basta à corrupção: Para que tanto abismo?!... Che, Lennon, Gandhi, Raul: Sociedade Alternativa... Os Hippies deram o sinal: Pra comunidade ativa... Chega de monetarismo: Pra alma não ser cativa... Capitalismo em cri$e: Mundo em ebulição... A Palestina invadida: África na escravidão... Fome, miséria e Aid$: É a globalização... É guerra pelo petróleo: Polititica monetária... A mídia ganha bilhões: Com a guerra publicitária... A educação incomoda: A elite reacionária... Esqueceram dos livros: Saboreiam caviar... A poesia foi pro lixo: A grana foi para o ar... Dinheiro pra educação: A coisa tem que mudar... Preservemos o Planeta: Cadê a Ecologia?!... Reforma Agrária urge: Terra, teto, fantasia... Aquecimento global: Põe água na poesia... Revôolução permanente: Marx, Nietzsche, Josué... Geografia da Fome: Paulo Freire é que é...

Darcy, Rosa e Anísio: Nessa gente tenho fé... Ciência-sabedoria: Ante o apocalipse... Sintaxe-cálculo-palavra: Subverte a elipse... Revelação para o ser: Claridade no eclipse... Continue-se o movimento: Consciência cultural... Poesia à flor da pele: No cordel transcendental... Naturezarte-poesia: Mudança educacional... ---------------------------------------------------------------------------

Francisico Buarque do Brasil

Francisco Buarque de Hollanda Arquiesteta da canção PoetÁs - composiator Banda em transe mutação Mestre de obra da Palávrea Infiniterna Construção... Ontem sonhei com Noel Lá na Vila, sim, senhor ... De repente, era o Chico, Médico, louco, cura-a-dor Lá na senda, Ismael Silva Ressurecto encantador?... Chico luz em Roda Viva Sol discreto e coerente Revoluxcionário da gema Poeta Transascendente Quem te viu, quem te verde Francisco, nos oriente...

Haja Chico ParaTodos Romancista - Escritor, Bossa - Samba - Carnaval Artista: Transforma - a- dor Tem a alma de Noel E verve de Cantador... Chico é puro bombom gosto Balada fina da bossamba Quintessência da Poiesis Francisco é nosso bamba Gera, pare, cria, inventa Para que o povo...lamba... Bebo o Cálice da Arte Em Canção Desnaturada Sorvo mel em Gota Dágua Na Taça da Madrugada Lá no Morro Dois Irmãos Faço Vigília à Luamada... Futuros Amantes sonham Em viver um grande amor, Beatriz, Joana francesa, O mundo desmancha em flor A foto da capa - Pedro pedreiro Voa sabiá...Acorda, amor... Humanista e solidário, Não quer seu povo cativo Desafiou a Dita Cuja Sempre crítico - proativo Simbólico, zen, recatado, Equilibrado e combativo... Vai Passar... Chi. Já Passou... Chame, rechame o ladrão Guri - Pivete; Assentamento Seres Levantados do Chão Jorge Maravilha - Calabar, Não se censura a criação... Chico desencanta AumBanda Primeiro Encontro, afinal Tem Mais Samba Lá no Morro Sonho de um Carnaval, Meu Caro amigo, cale-se, Beba o Cálice do Graal...

Samba choro marcha rancho Bossa nova antropical Rosa, Noel, Pixinguinha, Lalamartine seminal, Ismael Silva...Braguinha Sorver Chico ao natural... Lá na Estação Primeira Há Derradeira Estação Os Encantos da Mangueira... Ritmos de um Violão... Chico na voz da Poesia, Nos ecos de Jamelão... Retrato em Preto e Branco, Salve Chico, trovador, Vem Cartola, Clementina, Donga, Moreira, Senhor: Francisco Buarque de Holanda: Chico, nas asas do Amor... -------------------------------------------------------------------------------------------

Gerundiva

A demissão do Gerúndio: Deu polêmica oficial... Endorréia, gerundismo: É uma praga cultural... Que infesta a nossa língua: E o nosso tempo verbal...

O governo de Brasília:: No Diário Oficial... Demitiu o tal gerúndio: No Distrito Federal... Mas o sujeito é teimoso: E não some do jornal...

O fato ganhou a mídia: A imprensa noticiou... É uma piada da boa: O mundo se gerundiou... Dólar e telemerchandising: No gerúndio se enroscou...

É um vício de linguagem: Em qualquer repartição... No discurso, no artigo: Em concurso e redação... Na escola e na rua: Na favela e na mansão...

Gerúndio na boca do povo: Chacota já se tornou... Blá.Blá.Blá...nhemnhemnhem:

O fato se proliferou... Virou piada no céu: São Pedro me telefonou...

É gerúndio no Planalto: No Congresso Nacional... No telefone e na tela: O gerundismo é total... O gerúndio se abunda: É preferência nacional...

Tem gerúndio na tv: No jornal e na novela... A modelo gerundia: Gerundando-se magrela... Ouve-se tanto gerúndio: A alma da gente, gela...

Terá fim o gerundismo?! Com tanta ignorância... Teleanalfabetismo: Leitura sem importância... O Português não tem vez: Norma Culta, que distância...

Fazer e estar fazendo: Estar amando e amar... Ligar e estar ligando: Informando e informar... Gerúndio e Infinitivo: Cada qual tem seu lugar...

Negociando - providenciando: Ouve-se no dia-a-dia... Expressões inadequadas: Palavras sem sintonia... Culto à ineficiência: É voz da burrocracia...

Ligando nós estaremos: Documento prescrevendo... Todo mundo enrolando: Gerundismo pervertendo... A máquina não funciona: É o gerúndio corrompendo...

É uma praga virulenta: Haja contaminação... Vem da Língua Inglesa: Em erro de tradução...

Telemarketing e Intermídia: Fazem a divulgação...

Um basta ao gerundismo: Ao infinitivo vou voar... Tenho verbo, falta verba: Para poder participar... Estou "rezando" demais: Para a vida melhorar... ------------------------------------------------------------------------------------------Mulheres . . .

Ave, mãe, serena, camponesa: Mestra, carinhosa, companheira, Constrói, trabalha, harmoni(z)a: Professa, ensina, filosofa,ama: Procria, empreende, fantasia, Inspira, gera, sonha, realiza: Luz - Amor - Vida - Arte - Poesia... Maria...Edelzuíta, Marina, Mara, Mariá: Glória, Mércia,, Leila, Celina, Magdalena... Alice, Joana,Thaís, Olga, Auta, Mariah: Sarah, Lolita, Tarsila, Celita, Helena... Mari, Nísia, Thai, Dulcina, Minie, Ísis : Anésia, Edite, Teresa, Cristina, Lorena... Delasnieve, Vânia, Efi,Gênia.,Beth, Luana: Priscila, Lu, Silvane, Teka, Gladis, Regina... Gladys, Joyce,, Luiza, Sílvia, Laura, Deth: Calypso, Saramar, Nair, Benedita, Adelina... Eme, Lívia, Rose, Rosa, Mercília, Gena: Marineusa, Rosenna, Líria, Nadir, Livina... Alta, Themis, Jose, Audry, Dell, Melvin: Cherie, Lou, Alba, Alissa, Deth, Magali:

Violeta, Maylla, Minda, Arlene, Louise: Érita, Neila, Maggie, Erlene, Candy, Lili... Elba, Lou, Lu, Samantha, Dinabel, Ida: Cristine, Nildete, Val, Nira, Mora, Elci... Demi, Marta, Michele, Maruska, Shri,: Yoko, Moema, Jaci, Dadá, Elisabete... Clarice, Cecília, Edith, Carmen, Lia: Júlia, Iraci, Clair, Lis, Marcela, Gorete... Fani, Mercedes, Ulla, Mata, Fernanda: Oprah, Dafne, Marisa, Vick, Hildete... Lucinda, Anete, Kelley, Roselle, Madeleine: Hayat, Liege, Benita, Saravasti, Lina, Lynn... Edith, Deni, Judy, Cibele, Celine, Candice: Sheri, Ivy, Natasha, Kendra, Belle, Cyn... Felícia, Janete, Comélia, Rinete, Mauriene: Eugênia, Clemência, Ormezina, Marilyn... Iole, Ione, Dina, Diná, Dinália, Graciela: Monalisa,, Naura, Eleonora, Carine, Idalina... Lavonna, Naira, Gioconda, Geisa. Yoon: Larissa, Artémis, Macha, Ruana, Valentina... Rejane, Régia, Samíra, Nísia, Níris, Virgie: Semíramis, Henriqueta, Idelette, Ernestina... Míria, Mirian, Mírian, Miriam, Myrian: Nida, Loulie, Miréia, Ni, Evangeline... Nídia, Estefânia, Malva, Mita, Dalvina: Elisângela, Janet, Edwiges, Franceline... Leobina, Janet, Josiane, Inez, Dorothy: Zélia, Zaira, Ariane, Tália, Mi, Francine... Sinésia, Abiail, Flórida, Elzbieta, Isaura: Lauren, Cleusa, Frida, Shakira, Cleone... Floraci, Cassandra, Derminda, Penélope: Helen, Catherine, Paris, Britney, Ivone... Laurie, Sirena, Estela, Dolores, Dilma: Nicolette, Avril, Téti, Elle, Delsione... Marly, Leilah, Nélida, Lygia, Élida, Yde: Hellen, Ebe, Mena, Ellen, Nite, Audrina... Alícia, Shirly, Madonna, Rigobrta, Zeli: Guiomar, Rivanda, Zélia, Zita, Zeferina...

Zefa, Zila, Zema, Zena, Zildene Lindsay,: Érika, Érita, Violante, Letízia, Augustina... Augusta, Katherinne, Nivaldette, Laodicéia: Lupércia, Delminda, Tillie, Grécia, Marchette.... Eponina, Potira, Mamma, Daphne, Astréia: Aurizete, Joiedeve, Elcita, Carmélia, Zildete... Marie, Mari, Zupera, Belvedere, Asta, Tite: Lucie, Aurora, Cândida, Neuraci, Neurizete... Willa, Wilza, Eudora, Vilza, Noemize, Celeide: Naomi, Naiobi, Aléthea, Nahima, Albertina... Nárrima, Agnes, Cirlene, Cleone, Soleide: Cirlene, Camille, Ágatha, Vila, Andradina... Amparo, Zizeuda, Suzete. Carlane, Narcisa: Heilodora, Nágela, Fiona, Fiama, Agostina... Stella, Aurora, Aretusa, Ariadne, Afrodite: Tabitha, Charlotte, Ashley, Matto, Delfina... Clivânia, Vanda, Cícera, Vênus, Cabello Ernesta, Marilda, Marília, Adma, Livina Elvira, Roselis, Roseli, Palmerinda, Lori: Evani, Gilvânia, Valdete, Ilda, Durvalina, Delza, Dorvalina, Caridad, Celsa, Nazanin: Noeme, Noemise, Atília, Líbia, Faustina Marion, Adele, Adélia, Meireluce, Hebe: Neide, Nelda, Jove, Jovita, Carmosina... Gitana, Qi, Gilce, Gilze, Gilza, Chelsy: Natanry, Rejane, Olívia, Sibila, Firmina... Graciosa, Grace, Gracie, Greice, Graciete: Cleone, Cleonice, Cordélia, Urda, Ivone... Tillie, Ivonice, Ivonete, Natalina, Kate: Keila, Kelly, Kênia, Kélida, Cléa, Vlane... Hilda, Elke, Clare, Vanusa, Etérea, Etiene: Anica, Rani, Melisenda, Martina, Alane... Dayse, Mirita, Jussara, Almira, Dorotéia: Jacineide, Sinara, Vandeci, Helle, Kailane... Jurema, Maitê, Vanderli, Poliana, Keila: Deolinda, Verbênia, Vilani, Eltânia, Giane... Justina, Jezebel, Paulette, Maísa, Belvedere: Odila, Brasília, Odelita, Glauciene, Cassiane...

Clarinda, Claudete, Cinira, Danusa, Berenice: Valeska, Veruska, Belita. Irone, Marinalva Rúbia, Lane, Cibila, Iole, Medéia, Cristal: Ione, Ieda, Leda, Idalice, Julina, Lindalva,... Irani, Aglaia, Elaine, Cacilda, Guilhermina; Rommy, Ive, Ivone, Dilmene, Shi, Ninalva... Nora, Zanete, Guilma, Francilene, Cameron: Therèse, Ninon, Ilka, Elga, Mia, Lizete... Aglaeda, Dilza, Zeneide, Delza, Zana, Reinilta, Dinda, Nice, Alcina, Belisete... Golda, Nilda, Elsi, Amanda, Valquíria: Zeni, Ita, Iza, Neci, Dora, Bernadete... Ludmila, Taynara, Taiane, Tainá, Flávia: Fúlvia, Lisandra, Stael, Wendy, Zimina... Andy, Noreen, Florence, Florine, Jeannie: Kathryn, Xinran, Zetian, Julian, Agripina... Wang, Sherrie, Carlene, Bretanha, Marinez: Zhi, Jade, Caetana, Eugênia, Messalina... Salomé, Tamar, Edileide, Paloma. Chiang: Eneida, , Sancha, Amélia, Clayre, Manuela... Djin, Dina, Antoniete, Deusa, Safo, Betty: Zulmira, Cathy, Edelweiss, Tiye, Mariela... Gretchen, Rosidete, Tânia, Rosália, Riva: Gracyanne, Rosinete, Jeruse, Nair, Dédala... Tizuka, Noriko, Miho, Kiyomi: Murasaki, Nano, Sora, Fumiko: Ayako, Seiko, Minako, Nazuko, Mitie, Chieko, Leiko,Tomiko, Miki, Tomie, Yoneko, Kiyoko, Atiko, Hamasaki, Dorei Mitiko... Margot, Etiene, Vanja, Zoraide, Susie: Rogéria, Ricarda, Délia, Luzia, Ziyi, Soraia, Dhésika, Marllette, Nayara,: Zhang, Gong, , Nilzete, Rogéria, Amy Betânia, Sávia, Indiana,, Mariannita: Hillary, Natalie, Salma, Whoopy, Li ...

Marinete, Geane, Hortência, Analuce: Marilete, Dislene, Simone, Ivonete... Aglaide, Silmara, Rosani, Kauana: Gislene, Monique, Nicéa, Valdete... Carmelita, Lidiane, Nicélia, Zenaide: Anésia, Auriene, Lara, Canô/Deusdete... Lisieux, Jacinta,, Samille, Romênia, Raysa, Lucimeire, Thaila,. Nicelle... Laime, Mandy, Sophie, Nimara: Luisana, Altina, Jamie, Adrielle... Vanilda, Cibele, Auriana, Leide: Nilmara, Helenice, Ariana, Jucidele... Loíde, Vívian, Suziane, Libbie, Raiene: Raiane, Joelma, Odália, Tâmara, Leci: Zeila, Lavine,Virna, Magnólia,Tara: Laline, Magna, Lavínia, Enaile, Neci... Joanne, Malena, Marguerite, Constance: Melinda, Liv, Harriet, Brianna, Arli... Heliodora, Jaciara, Judite, Jádria, Solimar, Deda, Jupira, Theodora, Petra, Adilina... Maga, Açucena, Min, Sâmia, Guinevere: Magalona, Maia, Elfi, Zenália, Carmina,,, Nise, Zéfira, Yara, Zi, Tasha, Filomena: Rute, Sâmia. Hillary, Zildete, Perolina... Francisca, Bethânia. Nara, Thai, Anete: Anédia , Dalva , Elza , Áurea , Nell, Corina, Margareth, Patrícia Daniela, Débora, Rita : Cláudia , Eunice, Dulce, Georgette, Carolina . . . Lana, Cássia, Diann, Emília, Ivete, Marlene: Rosa, Nana, Creusa, Qi, Gal, Severina . . . Vânia, Meire, Luce, Lene, Ava, Tânia: Ísis, Emma, Mel, Ollie, Isabel, Odete... Jane, Jandira, Inês, Janete. Deise, Linda: Nanci, Tina, Anita, Telma, Eva, Dete... Ilma, Andréa, Irma, Andréia, Egle: Renata, Virgínia, Iva, Lua, Rubinete... Aríete, Ítala, Ítaca, Karya, Zelma: Sâmara, Jandira, Jalmira, Lucilene:

Cauane, Tiffany, Jacira, Taiane,: Jucidélia, Jussiara, Tauane, Darlene... Bernardine, Patsy, Vládia, Sulimar: Kimberly, Juciara, Almira, Marilene... Gilna, Nélia, Déa, Iolanda, Marieta: Florisbela, Marisa, Sheine, Cristiane: Adrienne, Una, Zinah, Yona, Débora: Luma, Lícia, Gláucia, Lídia, Eliane... Eliana, Elaine, Eliete, Elisa, Elizete: Lisa, Lizza, Lisie, Liza, Elisana, Elane... Deusa, Ísis, Cleópatra, Nefertiti, Nefertari: Vasti, Makaeda, Hatshepsut, Leopoldina... Antonieta, Lucrécia, Elizabeth, Estefânia: Bakwa. Vitória, Mayor, Nehanda, Joaquina... Nandi, Urraca, Ginga, Beatriz, Siamandini: Dulce, Mafalda, Ausenda, Múnia, Catarina... Adelaide, Onega, Manuela, Matrona, Gaia: Dulce, Sandra, Leonor, Matilde, Amália... Josefa, Mécia, Filipa, Luísa, Tiye, Sofia: Bertranda, Mafalda, Nunila, Berengária... Alberta, Ximena, Quichilda, Constança: Amélia,Guinevere, Inês, Sancha, Rosália... Matilde, Nzingha, Janaína, Zaida: Paraguaçu, Auria, Eneca, Iemanjá... Iansâ, Oneca, Berta, Alice, Isabel: Ingeborg, Bona, Françoise, Naná... Emília, Josefina, Batilde, Caterina: Isabela, Octávia, Genoveva, Eloá Llilibeth, Zeralda, Sallie, Siblian, Astid: Niinibeth, Kayonga, Khadidja, Viviene... Marizete, Marleide, Marione, Marileide: Aishwarya, Peggy, Yifat, Jaide, Jucilene... Darte, Bing, Pri, Rochelle, Dill, Agbany Yolanda, Metinee, Roselin, Cila, Selene... Vandira, Rani, Fani, Antonina, Larissa: Ivoneide, Ivonete, Ivanice, Ivane... Devanir, Reini, Marileide. Marizete: Carmita, Rosi, Odália, Odessa, Cleane...

Juci, Geíse, Geralda, Afonsa, Lindacy: Sari, Marione, Gina. Palesa, Nivone... Nota 1000 às mulheres: Por tudo o que elas são... A Mulher é Natureza: É a beleza em ação... A Eternidade é Mulher: Num infinitom coração... --------------------------------------------------------------------------Oscar Niemeyer O mestre da arquitetura Em eterna construção: Forma, leveza, ternura Harmonia e elegância: Simetria na estrutura... Ano 1907: No belo Rio de Janeiro Nasceu Oscar Niemeyer Um gigante brasileiro Arquiteto universal: Comunista por inteiro... Em 1934: Termina a graduação Escola de Belas Artes Deu início à profissão Com o amigo Lúcio Costa: Floresceu a criação... Le Corbusier presente Na arte niemeyeriana Ministério da Educação: Fluiu arte soberana Edifício-sede da ONU: Influência corbusiana... Volumes espetaculares Leveza na estrutura Vocabulário barroco Modernismo na cultura Estética da linha reta: Evolução na arquitetura... Oscar Niemeyer Soares: Sol do Rio de Janeiro

É nome internacional Famoso no mundo inteiro Expoente da Arquitetura: Na arte – um candeeiro... Neto de Ribeiro de Almeida Do Supremo Tribunal Amava a boemia Da terra do carnaval Sempre foi preocupado: Com a estrutura social... Aos 21 anos: Concluiu o secundário Casou-se com Anita Baldo O seu amor foi diário Em oficina tipográfica: Teve primeiro salário... Escola Nacional de Belas Artes: Arquiteto engenheiro Passou por dificuldades No terreno financeiro Sempre foi insatisfeito Com o sistema brasileiro... Trabalhou com Lúcio Costa No começo, estagiário Com Lúcio e Carlos Leão Não recebia salário Queria nova arquitetura: Foi pesquisador diário... Tempos de Estado Novo: De Getúlio presidente Agricultura no auge Industrialização crescente Gustavo Capanema no MEC: Um ministro experiente... Fez parceria com Lúcio Ernane e Jorge Moreira Reidy e Carlos Leão Uma equipe de primeira Ideário de Corbusier: Niemeyer na dianteira... Ministério da Educação: Modernismo Brasileiro Lúcio Costa com Oscar

Seu amigo e parceiro Portinari, Ceschiatti Burle Marx...Jardineiro... Feira Mundial de Nova Iorque: No Pavilhão Brasileiro Com Paul Lester Weiner O escritório parceiro A nova arquitetura: Conquistou o mundo inteiro... Edifício Gustavo Capanema No Rio é inaugurado Arquitetura modernista Entra na pauta do Estado O talento de Niemeyer: Pelo mundo é destacado... Em 1940: Atuação do destino O projeto da Pampulha Une Oscar a Juscelino O prefeito de BH: Era homem cristalino... O conjunto da Pampulha Nasce em Belo Horizonte Niemeyer aos 33 Faz brotar a sua fonte Crítica e admiração: Ao criativo hierofonte... Igreja de São Francisco de Assis Gera polêmica social A Igreja não benzeu A grande obra cultural O lobo de Portinari: Era um cachorro no mural... Arte no concreto armado Propriedade estrutural Forma, sinuosidade Mínimo traço nominal Projetos justificados: Renome internacional... Francisco Inácio Peixoto Dinâmico industrial Colégio de Cataguases Um projeto magistral

Residência e escola: Foi um marco cultural... Com jardins de Burle Marx De Portinari, o mural Mosaicos de Paulo Werneck Ornamentos sem igual Sete anos de trabalho Do mestre primordial.. Filiou-se ao PCB: O famoso partidão Lenine, Revolução Russa Stalin na programação Segunda Guerra/Guerra Fria: O povo no coração... Universidade de Yale: Convite pra lecionar Teve o visto negado E não pôde viajar Devido a visão política Não deixaram lecionar Ano 1947: Reconhecimento mundial Projeto sede da ONU Alcance internacional Niemeyer a se expandir No cenário universal... Foi à União Soviética: Contatos no Politburo Além da Nomenklatura: O regime era duro Kremlin e Sputnik: Gagárin viu o futuro... The Work of Oscar Niemeyer: Nos EUA é editado Por Stamo Papadaki O livro foi publicado Seu trabalho se projeta: É nome reverenciado... São Paulo – 400 anos: Obras no aniversário Conjunto do Ibirapuera Embelezou o cenário No edifício Copan:

Um toque revolucionário...

Constrói a Casa das Canoas Em nosso Rio de Janeiro A paisagem é divina Patrimônio verdadeiro Niemeyer nos ilumina: Camarada, companheiro... Ano 1956: Eleição de Juscelino Faz um convite a Niemeyer Uma mudança no destino Pra dirigir a Novacap No cerrado cristalino... Brasília, sua obra-prima: Com Lúcio e Juscelino Israel na dianteira Brasília em seu destino Palácio da Alvorada: No coração planaltino... Urbanismo modernista: Hierarquia viária Corbusier prenunciou Com sua mente visionária Niemeyer edificou A urbi revolucionária... Prédios em blocos afastados: Grande área verdejante Sur les Quatre Routes Uma cidade radiante Aos estudos de Hilberseimer Tem aspecto semelhante... Catetinho foi um marco: O palácio de madeira Juscelino Kubitschek Teve a verve pioneira Oscar, Lúcio e Bernardo: Brasília é de primeira... Flui o Palácio do Planalto E o Congresso Nacional Da Ermida o pôr do sol Logo depois da Catedral

Rodoviária nos Eixos: Escala monumental... Ano 1963: Amplo reconhecimento Instituto Americano de Arquitetos Destacou o seu talento Torna-se membro honorário: Glória ao conhecimento... Prêmio soviético de paz: Por Prêmio Lênin conhecido Niemeyer se amplifica Tem o nome distinguido Homem de sabedoria Consciente e destemido... Pós-construção de Brasília: Niemeyer foi lecionar Universidade de Brasília Para bem coordenar A Faculdade de Arquitetura Até o Golpe Militar... Socialismo sonhado Ficou só na utopia A elite se sobrepôs Comanda a burguesia Os pobres foram expulsos Para outra freguesia... Em 1964: Para Israel viajou Muitas mudanças à vista O Golpe se anunciou Em primeiro de abril: A Ditadura se implantou... Depuseram João Goulart: Exilaram Juscelino Interromperam o sonho Abortaram o destino Brasília sobreviveu: Ao tremendo desatino... Veio o obscurantismo: Censura e repressão AI-5 e tortura Terror, fome e depressão A miséria e a fome:

Estagnaram a Nação... O medo nos foi imposto A liberdade acorrentada Frieza e opressão Decadência na estrada Ocaso do pensamento: Prenderam a madrugada... O Brasil entrou em crise: A UnB foi invadida O carnaval ficou triste Sem samba na avenida Niemeyer foi-se embora: Para arquitetar a vida... Auto-exilou-se na França: Nos tempos da Ditadura "Endurecer se preciso for: Mas, sem perder a ternura" Lênin, Marx, Che, Fidel: Revôolução na arquitetura... O povo quer moradia: Pra melhorar o destino Brasília foi aventura Um momento diamantino JK, Lúcio e Oscar: Foi um sonho de menino... No começo era o ermo: Parecia o fim do mundo Não tinha nada em Brasília Só tinha o Riacho Fundo Paranoá e Mestre D`Armas: Céu azul muito profundo... O Plano Piloto de Lúcio Tinha muita qualidade O mestre do urbanismo Fez o plano da cidade Volume e espaço livre: O traço com liberdade... Brasília foi um momento De coragem e aventura Otimismo e vontade Arrojo da arquitetura Lúcio Costa e Niemeyer Em alta temperatura...

Memorial JK: Monumento a Juscelino Polêmica com os militares Foice e martelo no tino O símbolo do Comunismo Prenuncia o destino?! Progresso para o Interior: De Brasília a utopia... Crescimento exagerado Miséria no dia-a-dia Desvirtuaram o Plano: Detonaram a Poesia... Multiplica-se a cidade Faz-se a re.construção Evite-se o descontrole Parem a poluição A Capital da Esperança: Reclama mais atenção... Integração com a natureza: Era o plano original Pilotis nas construções Da Capital Federal Esplanada, Três Poderes: Não se vê nada igual... Excesso de automóveis: Provoca a dependência Detrimento do pedestre Trânsito em turbulência Brasília cresceu demais: Dói a nossa consciência... Cidades da periferia Fora do planejamento Grave problema humano Desemprego, atormento O povo invadiu o espaço: Transgrediu o monumento... A cidade explodiu: Cresceu, se agigantou Águas Claras, Taguatinga Ceilândia se projetou Gama e Samambaia: Brasília se multiplicou...

Em Ceilândia, o Nordeste: A Casa do Cantador Único projeto de Niemeyer Fora do centro gestor Brasília em outros eixos: O povo é renovador... As satélites surgiram: Houve a necessidade O povo se instalou Usou a criatividade Não podiam expulsar Os construtores da cidade... Urbanismo modernista: Hierarquia viária Corbusier prenunciou Com sua mente visionária Niemeyer edificou A urbi revolucionária... O Cerrado ganhou alma: Pulsa grandiosidade Brasília é uma metrópole O tempo deixou saudade Niemeyer deu a essência: Arte – Multiplicidade... Minha experiência em Brasília Editado no Japão Rússia, França e Espanha Fizeram a tradução A forma na Arquitetura Com boa repercussão... Ano 1994: Conversa de Arquiteto Meu Sósia e Eu As Curvas do Tempo, incerto Minha Arquitetura, li: É um livro sempre aberto... Já no Terceiro Milênio O Complexo Cultural 91,8 mil m² No centro da Capital Biblioteca e Museu: Bem perto da Catedral... Ano 2007:

O ano do centenário Em Postdam, na Alemanha: Planifica um balneário Brasília homenageia: O mestre revolucionário... Oscar Niemeyer é gente: É homem de consciência Por toda a longa vida Manteve a coerência Escreveu bela história: Com a sua experiência... --------------------------------------------------------------------------Vladimiriana ABC de Vladimir Carvalho: Reluz cinematografia... Vou de Camões a Cascudo: Augusto dos Anjos, guia... Da Paraíba do Norte: O carbono da magia...

Betinha do Dr. Cloves: Mestra revolucionária... Nas aulas de Geografia: História da vida diária: Arte no Rio Paraíba: A verve vocabulária...

Cinema e Literatura: Zé Lins e Graciliano... Dostoiévski - Tolstói

Maiakovski - Ariano... Vladimir leu de Machado: Ao Grande Sertão Rosiano...

Aru...anda...Vladimir: Parceiro de Linduarte... Ita.baiano criator: Dínamo da Sétima Arte: Retrata além do Real: Ismo.logus que reparte...

Brasília - UnB: Via Fernando Duarte... Cabra Marcado para Morrer: Fortmann, irmão de arte... Vestibular 70, fórceps: Medici na...Torturarte...

Conterrâneo Velho de Guerra: Vlad em documentário... Dácia Ibiapina entrevista: Ás do Perpétuo Lunário... Vladimir visto por Walter: Pulsar do Imaginário...

Associação Brasileira de Cineastas: É membro associado... Sempre na linha de frente: Cineasta consagrado... Em diversos festivais: Seu nome foi premiado...

Bonequinho de O Globo: A Vladimir aplaudiu: O Engenho de Zé Lins: Nota máxima conseguiu... Sua obra é destacada: Seu nome repercutiu...

Cinemateca Brasileira(SP): Vladimir é conselheiro... Fundação Cinememória: Holofote...Candeeiro... Fundação Astrojildo Pereira: Foi presidente timoneiro...

Antes de inaugurar Brasília: Chacina monumental... Candangos eram jogados: Nas valas da Capital...

Vladimir ouviu o povo: Deu voz e vez ao social...

Boi do Teodoro, presença: Atua como conselheiro... Cidadão Honorário de Brasília: Sua arte é candeeiro... No Festival de Brasília: Vladimir é um luzeiro...

Conterrâneos Velhos de Guerra: A saga da construção... Visão dos trabalhadores: No planaltino sertão Massacre dos operários: Péssima Alimentação...

A irmandade fraterna: Vladimir-Walter Carvalho... Parceria solidária: Muito suor e trabalho: Amizade sempiterna: Não precisa de atalho...

Brasília, uma constante:

O resgate da memória... Filmografia candanga: Conterrâneos da História... Sangue, suor e ação: Verdade na trajetória...

Cinememória, Plano Aberto: Ensaios, diversidade... Pantasmas - Cinema e Vídeo: Docs da Realidade... Militância sociocultural: Voz da Universidade...

Assistente de Coutinho: Geraldo Sarno, Jabor... UnB na trajetória: Prêmios, distinções e dor... Vladimir foi perseguido: Pelo regime ditador...

Brasília: A Construção: Fomiséria nordestina... Mais Valia...Mão-de-obra: O lucro que desatina... Poética cinematográfica:

Cinemágica cristalina...

Coragem e Ousadia: Poética experimental... São Saruê interditado: Proibido no Festival... Censura à criação: Ao pensamento cultural...

A luta continua,Vlad: Fica a integridade... O seu nome é legenda: Exemplo de honestidade... Visionário-pensador: Prima pela qualidade...

Borinage - Joris Ivens: Documentário em ação... O Homem de Areia: Foi grande revelação... Arte, fome e miséria: Operário em Construção...

Criador éticorreto: Faz cinema de primeira...

Amor às causas populares: Dialética verdadeira... Apoiou Dona Elisabete: E a João Pedro Teixeira...

A cabeça sempre erguida: Alta credibilidade... Sobressai em Vladimir: Além da criatividade... A sua luta permanente: Talento e sinceridade...

Brota o cinema direto: Ele dá tiro certeiro... Universa os camponeses: Filma o homem brasileiro... Fotografa com a alma: Nem precisa de roteiro...

Com o mano Walter Carvalho: Uma eterna parceria... Cabra Marcado para Morrer: Com Coutinho ele cria... Vladimir em prosa e verso: Flamengol a cada dia...

Aruanda é um marco: Direção de Linduarte... Vladimir com o seu talento: Iluminou com a sua Arte... Prenúncio do Cinema Novo: Glauber - Anselmo Duarte...

Brasília Segundo Feldman: Ecos da fotografia... Athos, greve, Perseghini... Memória da utopia... Cinema documental: Vladimir nos alumia...

Chacina da Pacheco Fernandes: Foi um massacre brutal... GEB – Tropa de Elite: Nas vilas da Capital... Vladimir investigou: Buscou o fato real...

Autoritarismo em cena: Tortura e repressão... Pensamento acorrentado:

Na Capital da Nação... Vladimir na UnB: Voz da Comunicação...

Badernaço 86: Fogo na burrocracia... Candangos discriminados: Jogados na periferia... Sem-terra, sem-teto, há fome: Crimiséria à luz do dia...

Cineasta, documentarista: Mestre, ativista, professor... Romeiros da Guia em cena: Vladimir pesquisador... Nosso Vertov dos Sertões: Poetás...transmuta-a-dor..

A Pedra da Riqueza de alguns: Cosmogônico tungstênio... O Sertão do Rio do Peixe: Tem o toque de um gênio... UnB – Barra 68: Um tempo heterogêneo...

Barro vermelho e suor: Na pirâmide da história... Consciência Coletiva: Sempre em sua trajetória... A terra sempre presente: O rebuscar da memória...

Colega de Caetano Veloso: No Curso de Filosofia... Primórdios dos anos 60: Universidade da Bahia... Prenúncio do Cinema Novo: Glauber e sua alquimia...

Alta concentração de renda: Provoca a violência... Fome e êxodo rural: Torturam a consciência... Vladimir documentou: Com sua clarievidência...

Barro, terra, Caruaru:

Arte de um nordestino... Zé em Campina Grande: Inspirou-se em Vitalino... Morte e Vida Severina: Cinema como destino...

Cabra Marcado Para Morrer: Filmagem interrompida... Golpe de 64: Reviravolta na vida... Vitória de Santo Antão: No Rio, repórter da vida...

A voz do povo presente: Rapsodo cultural... O Cinema de Cordel: Além do bem e do mal... Óperas documentais: A Paisagem Natural...

Brasília: Cinema Candango: Matéria, registro, fato... Vladimir 70, um marco: Retrospecto cinemato...

Atirar "Pedras na Lua": Nas "Pelejas do Planalto"...

Cria, recria, traduz: Em multitemporalidade... Depoimentos orais: Forte musicalidade... Recortes, cenas de arquivo: Narra-a-dor...diversidade...

Vladimir herdou do pai: Formões, goiva, ferramenta... Escultura na madeira Esculpe a alma sedenta Xilogravuras do ser: Arte que nos orienta...

O seu pai o mestre Lula: Poeta...Entalhador... Homem dos 7 instrumentos: Moveleiro...Escultor: Transmitiu a Vladimir: A quintessência do Amor...

Luís Martins de Carvalho: Foi artesão da madeira... Mecânico e escritor: A memória de primeira... Dominava a narrativa: E a arte moveleira...

Autor de móveis de estilo: Arquiteto sem universidade... Fábrica de móveis Lyon: Mais que uma faculdade... Um expert na madeira: Designer de qualidade...

Altar de Luís Martins: Cidade de Itabaiana... Fulge na Igreja Matriz: Da terra paraibana... Beleza de ornamentos: Aleluia...Amém...Hosana...

Foi um grande intuitivo: Tem sobrenome de madeira...

Homem de renascença: Na interlândia brasileira... Corbusier do Sertão Um artista de primeira...

Dona Mazé, professora: Sua mãe, grande mulher... Matriarca da família: Sábia, líder, chanceler Fazia tudo bem feito: É da estirpe de Ester...

Tirar o santo do pau: Os nós da vida desatar... Ser arrimo de família: Sobreviver e lutar: Ser guia e conselheiro: A vida documentar...

Rio Paraíba acidentes: Cabos, ilhas, promontório... Gostoso de aprender: Mutirão...Adjutório... Mão na massa na areia:

O rio era o diretório...

Walter Carvalho, seu irmão: Com ele O Tempo não Pára: Lavoura Arcaica - Janela da Alma: Central do Brasil na cara... Um Abril despedaçado: Incelência de luz clara...

Flexaret - Roleiflex: Cabo Branco, Tambaú: Sol nascente em João Pessoa: Lua, Boi - Bumbá, umbú... Pescadores da madrugada: Ecos do maracatu...

Imagem em movimento: Mágica em documentário... O Balão Vermelho na tela: São Saruê visionário... Cinemarte - Fotografia: Vate do imaginário...

Vladimira o céu azul:

Fotografa o grã sertão: Com instinto pioneiro: No Cerrado da Nação: Filma a epopéia candanga: Operário em construção...

Ferrenha ditadura Médici: Comandava a tortura... Guerrilha do Araguaia: Silêncio e amargura... Toda a mídia controlada: Cala a boca na cultura...

Festival do Filme Brasiliense: Grande realizador... Presidente da ABD(DF): Demonstrou o seu valor... Pólo de Cinema e Vídeo: Conselheiro-fundador...

Fundação Cinememória: Glauber e Pinto do Monteiro... Moviolas, fotos, cartazes: Luz cinema brasileiro... Câmeras e equipamentos:

Símbolos do mundo inteiro...

Desfilam na Cinememória: Bernadet e Honestino... Lampião e Maria Bonita: O universo nordestino... Dib Lutfi - Paulo Emilio: Zé Pereira Sivirino...

Vladimir... São Saruê: Retrateia Ariano... Engenha com maestria: Cinemais paraibano... Multiversoa imagens: Precursor glauberiano...

O filme A Bolandeira: No Chile - Viña Del Mar... Joris Ivens elogiou: Soube bem admirar... Lá na terra de Allende: Neruda a poemar...

Doutor Honoris Causa: Na sua terra natal...

Universidade da Paraíba: Deu-lhe título imortal... Foi uma bela homenagem: Pelo trabalho cultural...

Duas dezenas de filmes: Registro fundamental... Prêmio Margarida de Prata: A temática social... No coração do Brasil: É vanguarda cultural...

Cine Vladimir Carvalho: Mestre do documentário... Sua arte flui poesia: À luz do imaginário... Cinema – Verdade na tela: Sob um olhar solidário...

Expressa o não divulgado: Revela o não conhecido... Disseca a natureza mãe: Do sertanejo sofrido... Teatro, Nordeste, vida:

Seu cinema é destemido...

Linguimagem documenta: Retrata o Brasil real... Poética que nordestina: A arte do factual... Vladimir...São Saruê: CineCordel magistral...

Vladimir faz releitura: Da dor da sociedade... José Lins... José Américo: Sertã adversidade... Traduz com Graciliano: Autos da realidade...

Vladimir é persistente: Tem essência brechtiana... Sertanejo luminoso: Nasceu em Itabaiana... Cactus mandacaru: Da terra paraibana...

Teceu A Bolandeira: Entoou a Incelência...

Esculpiu A Pedra da Riqueza: Com verve e clarividência... O País de São Saruê: É arte de excelência...

Viu de tudo em Cinema: Na vida se inspirou... Em Vertov - Eisenstein: Cinearte projetou... Flaherty, Welles, Ivens: Com eles dialogou...

Militância coerente: Refletiu o comunismo... Marx, Lenine e Prestes: Combate ao capitalismo... Sonha com um novo mundo: Sem o analfabetismo...

Rio do Peixe, Paraíba: Drama e fotografia... José Américo de Almeida: Bagaceira em poesia... A Revolta de Princesa: Despertar da fantasia...

Presença em Aruanda: Com destaque no roteiro... Deu asas à criação: Seu olhar é um luzeiro... Assistente de Direção: Luz, farol e candeeiro...

João Ramiro Mello: Companheiro de estrada... Vladimirovski em cena: Sapiência na jornada... Substantivo concreto: Dia, Noite, Madrugada...

Repressão e Ditadura: O seu nome foi trocado... José Pereira dos Santos: Nome novo lhe foi dado... Cinemagia escultura: Em Vladimir integrado...

O Partido o escondeu: Transformou-se em santeiro... Era a clandestinidade:

De um grande brasileiro... Exílio na própria terra: Ditadura por inteiro...

Curtas de Humberto Mauro: Influência pioneira... Arraial de Saraceni: Na mesma linha certeira: José Américo de Almeida: Mote de A Bagaceira...

A sua genialidade: Ariano logo notou... Foi no Jornal do Commercio: Que o mestre o revelou... Da Paraíba para o mundo: Vladimir universou... Idos doa Anos 60: Vladimir e Ariano... São Saruê inédito: Visto em primeiro plano... Na Cinemateca do MAM: Deu-se o ato soberano...

Os dois juntos assistiram:

Foi no Rio de Janeiro... Ariano e Vladimir: São Saruê por inteiiro... Lançaram a epopéia: Vista perlo mundo inteiro...

Ganhou o prêmio dos prêmios: Thiago de Mello chorou...: Quando o Engenho de Zé Lins: Na Feira do Livro passou... Foi um momento marcante: Vladimir se emocionou...

Vladimir filma a história: Mira a realidade... Candangos e camponeses: A luta pela liberdade... Conflitos, fome, miséria: Sol... Solidariedade...

Glauber o denominou: Rosselini do Sertão... O Vertov das Caatingas: Apóstolo da Revolução... O Flaherty de Euclides:

Poeta da trans.formação...

O império do latifúndio: A busca da reforma agrária... Egoísmo e estupidez: De uma elite refratária... O lucro ganancioso: Fere a alma libertária...

Flaherty, o Homem de Aran: Deu-se a revelação... Realidade viva... Sonho: Mundo em contradição... Árida Serra Talhada: A terra de Lampião...

Casa Grande e Senzala: Refere-se a Itabaiana... Great Western Railway: Via férrea paraibana... Cruzar a linha do trem: Cair na vida cigana...

Troféu Abelin recebeu: No Festival de Gramado...

Pelo conjunto da obra: Foi bem homenageado... Vladimir reconhecido: Por tudo realizado...

Em festivais internacionais: Atuou como jurado... França, Alemanha e Cuba: Vladimir foi convidado... O seu nome é referência: Conselheiro consultado...

Trabalho...indignação: Aspereza da linguagem... Busca do desconhecido: Sapiência na filmagem... Voz das Ligas Camponesas: Ecoou em sua imagem...

Firme na interlocução: Crítica...reflexividade... Poética experimental: Pulsa criatividade... Coragem...Indignação: A memória da verdade...

História do Povo Nordestino: Cinema em trilogia... São Saruê, Conterrâneos: Zé Lins e sua alquimia... O Evangelho Segundo Teotônio: Palavras...Ideologia...

Revela-nos os excluídos: Despossuídos da cidade... Camponeses-Operários: Os dramas da sociedade... Radografias da vida: Arte - amor com liberdade...

Massacre dos operários: Nos tempos da construção... Vladimir buscou os fatos: Fez boa observação... Muitos foram dizimados: Registrou-se a informação...

Os tratores do Governo: Jogam barracos no chão... Ouve-se mestre Teodoro:

Boi Bumbá do Maranhão... Vladimir filma a história: Com sua cosmovisão...

Vladimir filmou Brasília: Na Ditadura Militar... Em Vestibular 70: Soube bem documentar... Vivia-se sob censura: Não se podia pensar...

Movimentos populares: Movimento estudantil... Fez Vestibular 70: No coração do Brasil... UnB - Barra 68: Cinema ato febril...

Zum-Zum, com os pés no futuro: O espírito criador do povo brasileiro... Pankararu de Brejo dos Padres: Quilombo, navio negreiro... Mutirão, Negros de Cedro: Cantigas do violeiro...

O Itinerário de Niemeyer: No galope da viola... Vila Boa de Goyaz: Para além da moviola... São Saruê, Aruanda: Vladimir é uma escola...

Vários prêmios conquistou: Em Brasília e Gramado... Foi objeto de pesquisa: Em teses de doutorado... URSS, USA, Europa Vladimir foi consagrado...

Tornou-se uma legenda: É destaque cultural... Critica e questiona: Busca o fato real... Vladimir filma o Ser: Na aldeia universal... -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Gustavo Dourado e Gustavo Fontele Dourado Palestra sobre "Cordel e cinema" Data: 24/10/2007

A Biblioteca Demonstrativa promove, no dia 24/10 (quarta-feira), às 15h, uma palestra com o escritor GUSTAVO DOURADO, sobre "CORDEL E CINEMA" e participação especial de seu filho GUSTAVO FONTELE DOURADO. Informações pelos telefones: 3443-5682 e 3244-3015. Professor, porta, cordelista, ensaísta, articulista, escritor, jornalista, pesquisador. Autor de 11 livros. Premiado na Áustria e recomendado pelo World Poetry Day e World Portal Libraries, ambos da Unesco. Dourado foi objeto de tese de mestrado na Universidade Federal de Ouro Preto e de doutorado na Sorbonne e na Universidade Federal da Paraíba. Sua obra(principalmente o Cordel) foi discutida em várias universidades do Brasil e do exterior: Sorbonne(Silvie Raynal), Manz(Wolf Lustig), UnB(Michelle Sampaio), entre outras. Faz parte do Grupo da Memória da Educação do DF(UnB/SEEDF). Organizou o livro 40 anos de Educação no Distrito Federal, com ênfase na experiência do educador Anísio Teixeira. O seu site www.gustavodourado.com.br, o blogue http://cordel.zip.net a antologia poética ww.ebooks.avbl.com.br/biblioteca1/gustavodourado.htm além de serem recomendados pela Unesco, aparecem com destaque no PageRank de páginas literárias do Google, Yahoo, MSN, Dmoz, Alexa e dos principais diretórios de busca do mundo. Foi entrevistado e/ou recitou poema/cordel na TV Globo (Jornal da Globo, DF TV), Globo News(J.10), SBT, Record, Band, CBN, Radiobrás/Nacional FM/TV, TV/Rádio Senado, TV Câmara , TV Brasília, TV UnB, Gazeta(SP). Foi entrevistado e/ou publicou texto/poema/cordel no Jornal do Brasil, Folha de São Paulo, Correio Braziliense, Jornal de Brasília, Jornal da Comunidade, Revista Excelência, Bric-a-Brac, JBN, Se7e, Cronópios, Yage, Xicoatl, entre outros. Faz parte de várias antologias poéticas. Participa de centenas de portais e sites na Internet. É verbete na Enciclopédia da Literatura Brasileira. Criou o portal Usina de Letras(1999), onde publicou gratuitamente milhares de autores do Brasil e de outros países. Foi presidente e é presidente emérito e conselheiro do Sindicato dos Escritores do DF. Presidente da Academia de Letras e Música do Brasil - Almub(2000/02). Presidente-Fundador da UBE-DF e representante da UBE-São Paulo. Membro efetivo da Academia de Letras do Distrito Federal, Academia Brasileira de Literatura, ATL, ALIPOL, AVSPE, ALI, ATDF e do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal. É pós-graduado em Educação, arte-educação, teatro, literatura e cultura popular, linguagens artísticas e gestão pública(ONU). Membro da Academia Internacional de Lutèce-Paris e da Academia Internacional de Cultura. Foi assessor de literatura do GDF(1995/1998), período em que coordenou o Fórum Permanente dos Escritores, Festival de Cinema, Poesia nos ônibus, Encontro com a Palavra, Classe Arte e organizou centenas de eventos culturais, recitais poéticos e lançamentos de livros em teatros, escolas, bibliotecas, cafés, bienais e feiras de livro. Criador da Estante do Escritor Brasiliense. Foi produtor cultural de bares, cafés e restaurantes, como o Café Belas Artes e a Livraria Presença, onde promoveu com Ivan da Silva, o célebre Almoço com o Escritor. Participou com autor, das Bienais do Rio e de São Paulo e de encontros na Bahia, Paraná, DF, Minas e Goiás,

coordenando por 4 anos consecutivos(1995/1998) o Real Expresso da Cultura, com a participação de dezenas de autores. Participou de centenas de palestras, recitais, encontros, debates, seminários e fóruns de literatura em escolas, universidades e faculdades. Seu trabalho literário foi elogiado por Antônio Houaiss, Drummond, Ferreira Gullar, Rachel de Queirós, Affonso Romano de Sant´Anna, Moacyr Scliar, João Antônio, Augusto de Campos, Haroldo de Campos, Darcy Ribeiro, Jorge Amado, João Carlos Teixeira Gomes, entre outros importantes nomes da literatura brasileira. Escreveu o Cordel do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, publicado no portal da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. Cordel para Mário Quintana, de sua autoria foi publicado no portal do Governo do Rio Grande do Sul. É Cidadão Honorário de Brasília e de Taguatinga.Foi convidado pela Presidência da República do Brasil para escrever um cordel para Ariano Suassuna (80 anos), que foi destacado na Intranet da PR/Palácio do Planalto, em 2007. --------------------------------------------------------------------------Gustavo Dourado --------------------------------------------------------------------------Cidade: Brasília Estado: Distrito Federal E-Mail para Contato: gustavo.dourado@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. Home Page: http://www.gustavodourado.com.br

Professor, poeta, cordelista, ensaísta, articulista, escritor, jornalista, pesquisador. Autor de 11 livros. Premiado na Áustria e recomendado pelo World Poetry Day e World Portal Libraries, ambos da Unesco. Dourado foi objeto de tese de mestrado na Universidade Federal de Ouro Preto e de doutorado na Sorbonne e na Universidade Federal da Paraíba. Sua obra(principalmente o Cordel) foi discutida em várias universidades do Brasil e do exterior: Sorbonne(Silvie Raynal), Manz(Wolf Lustig), UnB(Michelle Sampaio), entre outras. Faz parte do Grupo da Memória da Educação do DF(UnB/SEEDF). Organizou o livro 40 anos de Educação no Distrito Federal, com ênfase na experiência do educador Anísio Teixeira. O seu site www.gustavodourado.com.br , o blogue http://cordel.zip.net a antologia poética www.ebooks.avbl.com.br/biblioteca1/gustavodourado.htm além de serem recomendados pela Unesco, aparecem com destaque no PageRank de páginas literárias do Google, Yahoo, MSN, Dmoz, Alexa e dos principais diretórios de busca do mundo.

Obras:

Phalábora -1997. Valci Gráfica Editora, Brasília-DF Cordel do Corno - 1990. Da Anta Casa e Editora, Brasília-DF Linguátomo - 1991. Brindouro Edições. Taguatinga-DF Espejos de La Palabra/ Espelhos da Palavra.1999. Sindescritores/Sur Editores, Brasília / Montevidéu. Carmo Bernardes Imortal (versos de Amargedom).1996. Kelps Editora, Goiânia-GO Tupynambarbarie.1984/1987. Org. Márcia Macedo, Brasília/Rio de Janeiro, Yônix Editora Cordel - Torquato Neto - 1990 - Secretaria de Cultura, Brasília-DF. Coletivo de Poetas( Participação)- 1997/1998.Org. José Menezes Y Moraes,Brasília-DF Brasília: Vida em Poesia ( Participação)- 1996. Org. Ronaldo Alves, Brasília-DF Autores em Braille ( Participação) - 2001. Org. Dalila Pereira/ Dinorá Couto,BrasíliaDF Dicionário de Escritores de Brasília ( Verbete), de Napoleão Valadares Enciclopédia da Literatura Brasileira - Equipe Afrânio Coutinho/Rita Moutinho.( Verbete), Brasília-DF Transformação - UnB - 1981, Brasília-DF Coral da UnB - Cordel - 1981, Brasília-DF 6 posters e 6 postais de Poesia - Edição do Autor - 1980/2001, Brasília-DF 2 Adesivos Poéticos - 1983 - Brindarte - Lançamento no Restaurante Beirute - BrasíliaDF Catálogo de Escritores Brasilienses( Verbete) - Governo do Distrito Federal, BrasíliaDF Poesia de Brasília, Org. Joanyr de Oliveira ( Participação), Brasília-DF Cordel da Criatividade - 1986 - Hmal - Equipos - Rede Sarah, Brasília-DF Cordel da Castração (AIDS) 1989/1990 - Revista Víbora, Brasília-DF Guima Rosa - Revista Bric - a - Brac- 1992, Brasília-DF Pesquisa do Filme Castro Alves - Retrato de um Poeta, de Sílvio Tendler, Prêmio Margarida de Prata, da CNBB. Participação Poética/Entrevistas em Filmes e Vídeos de Maria Coeli, Márcia Macedo, Reginaldo Gontijo, Maria Maia, Vladimir Carvalho, George Jesus Duarte, UnB, Universidade Católica de Brasília, Grupo HUNDREDONE, Net, TV Mundial, Secretaria de Cultura do DF,Tva, Rede Globo, Tv Brasília, Tv Bandeirantes, Tv Câmara, GDF -TV, CLDF-TV, TV Apoio, Globo News, TV Nacional, TV Cultura,TV Gazeta, Fundação Bem-Te-Vi (de Tânia Quaresma), Ensaios Fotográficos, Querubins em Emergência/Visuaisônicos ( com Márcia Macedo, entre outros). Membro da AAAS - American Association For The Advancement of Science - 2001 -------------------------------------------------------------------------Amazônia do Brasil(1999) A Amazônia é nossa: É riqueza do Brasil... É preciso defendê-la: Com amor, míssel, fuzil Com o sangue brasileiro E o coração varonil...

É nossa a Amazônia: E também o Pantanal... Acorde Brasil, desperta: Os gringos estão no quintal... Cercam-nos de ponta-a-ponta: Com um vasto arsenal... O que fazem os políticos Além de mamar no erário?! Detonam os aposentados: Dinamitam o salário... Enquanto os gringos apossam: De nosso solo milionário... Há muito estão de olho: No nosso poder natural... Autoridades despertem: Olho vivo não faz mal... Não entreguem as riquezas: De nosso torrão natal... Criemos o movimento: Para o Brasil defender... Aqui nós temos de tudo: Para usar e pra vender... Só não pode é entregar: O território sem saber ... Mostram o mapa do Brasil: Sem Amazônia e Pantanal... Ensinam no Exterior: Que é tudo internacional: O que é deles tem valor: E o que é nosso? Propriedade mundial?!... Muitos deram a vida: Para o Brasil subsistir... É hora de persistência: Pra potência construir... Nosso povo é soberano: E precisa resistir... Amazônia Tupiniquim É nosso o Pantanal Rios, florestas, energia: Patrimônio nacional É riqueza do Brasil: Nada é multinacional...

Amazônia é do Povo: É tereno brasileiro... Nossa biodiversidade: Não pertence a estrangeiro... É riqueza do Brasil: Que é luz do mundo inteiro... Povoe-se a Amazônia: Com terra pra multidão... Desenvolvimento sustentável: Sem gringo na exploração... A terra é de nosso povo: Patrimônio da Nação... Terra para os Miseráveis: Famintos e flagelados... Levem-nos pra Amazônia:. Assentem-se os favelados... Nas fronteiras do Brasil: Pra defender nossos lados ... O Brasil não se divide: Nossa terra é integral... É tudo de nosso Povo: Nosso terreno total... O Brasil será um líder: No cenário mundial... Vamos educar o Povo: Nossa riqueza repartir... Dividir com a nossa gente: Que sonha com o devir... Amazônia Brasileira: Sempre agora e no porvir... --------------------------------------------------------------------------Gustavo Dourado

Pelos varais luminosos de Gustavo Dourado Poeta cordelista já com boa produção impressa quanto na internet, nesta divulga inúmeros cordelistas; vem desenvolvendo um trabalho digno de nota. Desde tenra idade na Bahia, de Recife dos Cardoso, sertão, região de Irecê, fazia versos. Há 32 anos radicado em Brasília. Versado na educação, folclore, educação, linguagem teatral e artística. Seu trabalho tem sido alvo da boa crítica literária e jornalística, não só brasileira mas da França e Alemanha.

No seu habitat travou conhecimento com o cordel e a cantoria, entre as bodegas, fumo, aguardente, jabá e doces. Conheceu inúmeros repentistas e cordelistas regionais e locais, o abóio dos vaqueiros, lavradores, tropeiros, de vários Estados do Nordeste em movimento migratório constante e do próprio irmão poeta. Tudo lhe somatizou para inspiração do seu magnífico trabalho. Gustavo Dourado é o poeta que representa a união da cultura popular com os novos meios de comunicação, a exemplo a Internet, na qual faz um trabalho esplêndido. Revitalizou o cordel e sua divulgação mais ampla. Hoje na Internet há poetas cordelistas de todos os Estados do Brasil publicando seus cordéis, muitos dos quais tinham dificuldades de editar seus trabalhos. Surge a figura do "cordelista internauta". Desta forma o público internauta tem hoje condições de garimpar os valores nesta área. Gustavo Dourado antes da Internet fazia divulgação em escolas, faculdades, centros culturais, anfiteatros, restaurantes, festas e quermesses, feiras de livros, palestras, encontros, debates, eventos e seminários. O autor produz cordéis de temas diversificados: -hilários, comemorativos, temas polêmicos, realistas, biográficos etc. Destaque-se o cordel para Ariano Suassuna, nos seus 80 anos do mestre de o Auto da Compadecida. Gustavo faz parte de uma ala de cordelistas que possui cultura erudita, formação universitária, especialização, mas se dedica ao Cordel, por gosto, opção, amor à arte. Finalmente não há fronteiras rígidas como tantos enfatuados intelectuais concebiam entre literatura popular e erudita. Aquela nasce desta, do cancioneiro provençal, medieval e mais recuadamente do livro da Sabedoria, dos Salmos e provérbios. Enfim de raízes seculares. Escritores a nível de Câmara Cascudo, Jorge Amado, Ariano Suassuna e tantos outros a valoriza, diluindo medíocres preconceitos. O cordelista aqui rapidamente comentado, enfim faz um trabalho de integração do cordel com a educação, com o teatro, naquela modalidade tão defendida pelos corifeus da educação democrática brasileira, como Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira, Paulo Freire, -este revolucionou a educação popular brasileira com métodos inovadores, a partir da realidade local do educando. O cordelista Gustavo Dourado, produz cordel de boa qualidade; defende a inovação, onde os fenômenos translinguistico das novas linguagens virtuais, digitextuais sejam cada vez mais estudadas e consideradas. O futuro envolvimento do cordel com outras manifestações da cultura, hoje ainda tênue, mas que tende a crescer- a música, cinema, artes plásticas, e assim transporá fronteiras, preservando o liame cósmico existentena cultura popular, pois mais autêntica do povo brasileiro. (05/05/2008) Texto por Maria do Socorro Cardoso Xavier Professora e escritora (Universidade Federal da Paraíba). "Parabéns, Gustavo Dourado, pelo cordel para Machado de Assis. Bela obra literária." (15/05/2008) ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS

"Gustavo Dourado Amargedom! Filho da poesia. Poeta da Bahia que canta no mesmo tom de Castro Alves". Rodolfo Coelho Cavalcante, Poeta cordelista Salvador. 06/07/1985 "Gustavo Dourado: Poeta com invenção na linguagem e permanente criatividade no verso. Excelente. Alma literária erodindo a língua". Jorge Amado. 30/06/91 "Todo elogio ou prêmio é sempre um beijo na boca, uma gratificante prova de amor. Mas o poema em cordel sobre o Festival de Brasília, criado por Gustavo Dourado, é mais do que isso - trata-se de uma celebração, a consagração do Cinema Brasileiro como objeto de seu amor. Todos nós, ausentes e presentes, de Paulo Emílio ao mais jovem cineasta do país, ficamos lhe devendo a certeza que ele nos dá de que vale à pena fazer o que fazemos. No fundo, é para isso mesmo que o fazemos, para sermos compreendidos e amados" (05/04/2008) Cacá Diegues ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ABC do Cordel Gustavo Dourado --------------------------------------------------------------------------ABC do Cordel ABC é gênero antigo: Psalmus Abecedarius... Desde Santo Agostinho: Língua gen vocabularius Poiesis anti-donatista: Perfectissimus Dicionarius...

Batalha de Fonteneto: Em ABC é narrada... Os netos de Carlos Magno: Narrativa na jornada... Versos trocaicos no canto: Três por quatro...Ritmada...

Cordel, corda, coração: Desde o tempo de Trancoso... Um nome que virou lenda: Com o ABC sentencioso... De Portugal de Camões: Ao Nordeste glorioso...

ABC narra façanhas: Histórias de cangaceiro... Biografias de santos: Canudos de Conselheiro... Padim Ciço...Lampião: E causos do mundo inteiro...

Bois fugitivos relata: Registros de valentia... Bichos, bodes, vacas, onças: A(u)tos de cidadania...

Crítica à corrupção: Invenções, cosmologia...

Conta, narra e expressa: Desde o tempo de Nicandro: Poeta, vate, cantador: Que é do time de Leandro... Li ABC laudatório: Homero - Dante - Lisandro...

Na poesia do A.B.C: A sextilha nos enlaça... Versos em rimas simples: Hendecassílabo se traça... Quadras, as mais antigas: Tercetos cheios de graça... -------------------------------------------------------------------------ABC da Maria... Maria Félix Fontele Nasceu em Tupiratins Antiga panela de ferro Lá no sertão dos confins No Bico do Papagaio: No Estado do Tocantins... Nasceu a 6 de julho Em um dia luminoso Tem a poesia no sangue O espírito numinoso Poetisa o jornalismo: Seu texto é valoroso...

Compositora...letrista Dedilha seu violão Faz poesia e romance Cronista de prontidão É contista e poeta: Poetisa a amplidão... Escreveu vários poemas Participou de festival Conhece todo o Brasil De Gramado ao Bananal De Manaus a Salvador Ao Distrito Federal... Maria é jornalista Redatora de primeira Escreve, revisa, edita Sempre está na dianteira Tem forte clarividência: Quintessência candeeira... Morou lá no Gurupi É cidadã tocantinense Fez estudos em Ceres Tem genes de cearense Gênese de italiana E verve brasiliense... Estudou lá em Goiânia Cursou Universidade Na Federal de Goiás Fez a sua faculdade O curso de jornalismo Com muita criatividade... Em Goiânia teve início O seu ato criativo Crítica...articulista Tem faro investigativo Cria com arte e paixão: O seu texto é sempre vivo... Nas Organizações Câmara Trabalho desenvolveu Foi o início de tudo Sua arte empreendeu Exercitou no Top News: O que na escola aprendeu...

Editou alguns jornais Várias revistas publicou Jornalista de renome Seu nome se consagrou No Correio Braziliense: Bom tempo coordenou... Trabalhou no Última Hora No Jornal da Comunidade BSBrasil...JBr Foi editora de cidade Editora executiva Respeitada na Cidade... Foi secretária adjunta Do governo distrital Agiu com desenvoltura No Distrito Federal Coordenou a Imprensa Com talento especial... Assessora de Imprensa Nunca vi outra igual Verdadeira formiguinha Com talento especial Onde ela trabalhou: Fez trabalho magistral... Na Escola de Governo Teve boa atuação Fez trabalho excelente Lá na pasta da Gestão Todos sentem a sua falta: Seu talento e expressão... É jornalista respeitada Por sua capacidade Sempre é requisitada Tem fonte de qualidade Tem força e liderança: Luta pela liberdade... Atuou em vários meios Sabe bem noticiar Tem faro para a notícia Bom olfato e paladar Sua mente é genial Sabe o fato elucidar...

Coordenou gabinetes Sabe bem assessorar Na Câmara Legislativa Soube bem coordenar Estruturou a Imprensa Para o povo informar... Fez um trabalho heróico Onde nada existia Resolve os problemas Com talento e fidalguia Mulher de dignidade Sem perder a valentia... Criou jornais, boletins Clipou o noticiário No Sete Dias da Semana: Famoso hebdomadário Com uma Equipe criativa Fez um jornalismo áureo... Foi no Jornal de Brasília Que mais tempo dedicou Excelência na política Muita gente projetou Colunista e redatora: Seu nome celebrizou... Na Fundação Mokiti Okata Atuou com devoção No Jornal JBN Fez boa dedicação Ministrou paz e johrei: Com amor no coração... Colabora em colunas No Webdomadário Escreve para a Internet No jornalismo diário Maria Félix Fontele: É nome em dicionário... Foi premiada na Áustria: Publicada em alemão Sua poesia é grandiosa Tem alta concepção Traduzida em espanhol: Tem a luz da criação...

Maria é mãe amada Amorosa e querida Por Gustavo e Elias Dedicou a sua lida Merece os parabéns: Por tudo o que fez na vida... --------------------------------------------------------------------------Alien... A mídia con$ome o ser Com propaganda e novela Aliena o pensamento Big Brother gere a tela Fomenta a inconsciência: Faz do sonho: triste cela... --------------------------------------------------------------------------Alterna...Ativa... Alternativa à frente Uma esfinge, uma quimera... Construção do novo tempo: Nova vida, nova era... Liberação do prazer Sem medo da Besta - Fera... --------------------------------------------------------------------------Amazônia do Brasil A Amazônia é nossa: É riqueza do Brasil É preciso defendê-la Com míssel e com fuzil Com o sangue brasileiro E o coração varonil... É nossa a Amazônia E também o Pantanal... Acorde Brasil, desperta Os gringos estão no quintal Cercam-nos de ponta-a-ponta Com um vasto arsenal... O que fazem os políticos Além de mamar no erário

Detonam a aposentadoria Dinamitam o salário Enquanto os gringos apossam De nosso solo milionário... Há muito estão de olho No nosso poder natural Autoridades despertem Olho vivo não faz mal Não entreguem as riquezas De nosso torrão natal... Cria-se o movimento Para o Brasil defender Aqui nós temos de tudo Para usar e pra vender Só não pode é entregar O território sem saber ... Mostram o mapa do Brasil Sem Amazônia e Pantanal Ensinam no exterior Que é tudo internacional O que é deles tem valor E o que é nosso? Propriedade mundial? Muitos deram o sangue Para o Brasil subsistir... É hora de persistência Pra potência construir Nosso povo é soberano E precisa resistir... A Amazônia é nossa E também o Pantanal Rios, florestas, energia Patrimônio nacional É riqueza do Brasil Nada de internacional... Amazônia é Brasil É tereno brasileiro Nossa biodiversidade Não pertence ao estrangeiro É riqueza do Brasil Que é luz do mundo inteiro... Povoe-se a Amazônia Com terra pra multidão

Desenvolvimento sustentável Sem gringo na exploração A terra é de nosso povo Patrimônio da nação... Terra para os Miseráveis Famintos e flagelados Levem-nos pra Amazônia ... Assentem-se os favelados Nas fronteiras do Brasil Pra defender nossos lados ... O Brasil não se divide Nossa terra é integral É tudo de nosso povo Nosso terreno total O Brasil será um líder No cenário mundial... Vamos educar o povo Nossa riqueza repartir Dividir com a nossa gente Que sonha com o devir... Amazônia Brasileira: Sempre agora e no porvir... --------------------------------------------------------------------------Amizade Amizade se cultiva Na Internet e no real No concreto do dia-a-dia No sonhos do virtual Realidade e fantasia: Na aldeia sideral... Seja amigo e amiga: Pazen...solidariedade Não há dinheiro que compre A verdadeira amizade Cultive amor e carinho: Semeie a fraternidade... No bom relecionamento Inexiste a falsidade Bons amigos se confiam Desconfie da inverdade A mentira é ilusão: Busque a sinceridade...

Amizade é coração É cordial sentimento O livro é bom amigo Dinamiza o pensamento Amizade é coisa séria: Que não se perde ao vento... Dê a mão a um amigo A uma amiga ilumine Ame carinhosamente A hipocrisia elimine Ame com toda ternura: À amizade se destine... Bons amigos da poesia Navegantes do real Cosmonautas do eterno Do espaço virtual Amizade é alquimia: Do universo cordial... --------------------------------------------------------------------------Amemo-nus Enamorar no dia-a-dia: Noite e dia namorar... No universo do desejo Conjugar o verbo amar Transmutar-se em alquimia: Num beijo se eternizar... Amor ser substantivo Que faz tudo transformar Guerra é falta de Amor Faça a Paz multiplicar Ame aqui-agora...sempre: Para a vida melhorar... Vê-se o Amor na Natureza É tão belo se amar... Vivencie amor e paz Deixe o coração sonhar... Ame a vida...Frutifique: O prazer nos faz voar... --------------------------------------------------------------------------Anhanguera

Bartolomeu Bueno da Silva: Pioneiro desbravador... O famoso Anhanguera: De Goiás foi fundador... Garimpeiro do Cerrado: Bandeirante de valor... Entre 1722 e 1725: Pelo Goiás viajou... De São Paulo ele veio: O Cerrado explorou... De Vila Boa a Brasília: Anhanguera garimpou... Capitão-mor dos Goyazes: Goiás Velho ele fundou... Em Três Ranchos, Catalão: As bases alicerçou... Minaçu, Luziânia, Cumari: O seu gen disseminou... Via Planalto Central: Silvânia e Cristalina... Em São João da Aliança: Formosa e Teresina... No Distrito Federal: Sobradinho-Planaltina... Três anos pelo mato: O seu gen disseminou... Conquistou a boa terra: Seu nome se elevou... Suor com ouro e cristal: Pelo Sertão derramou... Foi a Alto Paraíso: Nova Roma, Cavalcante... O Planalto no caminho: Água e ouro radiante... Pelas Colinas do Sul: Sertanista...Bandeirante... Passagem por Niquelândia: Vila Propício adiante... Cocalzinho, Pirenópolis: Nos Pirineus triunfante... Nos caminhos de Anápolis: Brilhou como diamante...

Mossâmedes em sua rota: Tem Goiânia em seu destino... Morrinhos e Caldas Novas: Vasto Sertão cristalino... Por Pontalina passou: Astro vesper matutino... Retornou para São Paulo: Via Ipameri - Catalão... A sua marca deixou... No Planalto da Nação... Hierofante do Cerrado: Anhanguera do Sertão... --------------------------------------------------------------------------Apocalipse... Gustavo Dourado Apocalipse desvela-se Faz-se a Revelação Decifro códigos das eras Em tempos de trans.formação Hecatombes e sinistros: Ecos de Revolução... Tempestades, furacões Secas, fome, terremotos Terror, morte e miséria Tsunamis, maremotos Medo...Fundamentalismos: Dramas em fatos e fotos... Dia 11 de setembro As duas torres no chão Queda da New Babilônia Vi pela televisão Big Apple em chamas: Aeronaves na explosão... Princípio de um novo tempo: Agonia do capitalismo A miséria a sucumbir Sonhos de socialismo A besta-fera é uma praga: Mãe do imperialismo... Irã - Iraque - Israel Líbano e Palestina No Vale do Armagedom

Mil batalhas desatina Pós-guerra do fim-do-mundo: Nova era se destina?! Demônios provocam guerras Devoram o ser humano Secam as águas dos rios Poluem o vasto oceano Falsos profetas deturpam Com mentiras, desengano... Reina o Homem do Pecado A grande be$ta americana Perseguição ao islamismo Invade a terra iraquiana Quer dominar o petróleo Da nação iraniana... Bombas no Oriente: Líbano - Afeganistão Iraque sob domínio Golpe, terror, invasão Mil mentiras, grande farsa: A mídia da enganação... Alta concentração de renda Provoca a vil pobreza Desmatamento, poluição Desrespeito à natureza O homem gera o ódio: Acaba toda a beleza... Alimentam o terrorismo Com a globalização Neoliberalismo e fome A falta de educação Analfabetismo crônico: Controle da multidão... Crimes de todo o tipo Império da violência Dinheiro na mão de poucos Dívida, subserviência Vivemos no submundo Sofremos na decadência... Apocalipse que vem: Para o mundo transformar Acabar a falsidade O sistema do explorar

Onde todos possam ser: Sem vender e sem comprar... --------------------------------------------------------------------------Aquecimento Global

Terra em aquecimento: Mudança de temperatura Seca, fome, tempestades Terremoto na estrutura Furacões e maremotos: Morte, medo e amargura... Poluem de todo jeito: Sujam a atmosfera Desrespeitam a natureza O poder é besta-fera Global neoliberalismo: Capitali$mo: megera... Metano, gases, carbono: Petróleo e querosene Óleo diesel, gasolina: Salve o bioquerosene Biogás e biodiesel, use: Pare o verbo envenene... Chuva ácida...efeito estufa: Gera-se a calamidade T$unamis...hecatombe$ Tufões, fome, tempestade Enxofre, ácido sulfúrico: CO2...Insanidade... Queima de derivados: Petróleo em combustão Preservem a biosfera Chega de poluição É hora da biomassa: Tempos de preservação... Energia cinética dos rios: Eólica e hidroelétrica Energias renováveis Parem com a termelétrica Usem agroenergia: Salve a bioenergética...

A Terra está com câncer: Doente do coração... A natureza está ferida Deu ferrugem no pulmão Furacões e maremotos: Dores da poluição... Radiações...poluentes: Agricultura industrial Desertificação e degelo Devastação cultural Evaporação dos oceanos: Desrespeito ao natural... Diminuição da cobertura do gelo: Desaparecimento da calota polar Retração do gelo e da neve Cresce a radiação solar Mudança dos padrões climáticos: Aumento do nível do mar... Queimadas...desmatamentos: Poluentes na atmosfera Desastres e hecatombes Terror sob a nossa esfera Queimam a alma da Terra: Assassinam a biosfera... Mil desastres naturais: Os pólos a descongelar Aquecimento das águas Natureza a reclamar Prenúncio do Apocalipse: Ninguém pára pra escutar... Emissão de gases poluentes: Efeito estufa mortal Seca, fome, terremotos O homem provoca o mal Só progresso e consumismo Não preserva o natural... Fim da Floresta Amazônica: No aquecimento global Subida dos oceanos Em tsunami global O homem gera a morte: Com a poluição letal...

Nossa Terra pega fogo Em calor descomunal Desmatamento insano Muito incêndio florestal Efeito estufa, chuva ácida: O aquecimento é fatal... Gases de todo o tipo: Óxido nitroso no ar Muito dióxido de carbono Para nos incomodar Rareia o oxigênio: Nossa vida a esquentar... Protocolo de Kyoto: Bu$h nâo quis respeitar Jogam gás na atmosfera Sem ligar para o azar Poluem o mundo e o fundo: Oceano, terra e ar... Precisamos nos re.unir: Desaquecer átomos.fera... Evitar o con$umismo: Não adorar a Be$ta-feera... Abolir o ego.i$mo: Fluir amor zenova era... --------------------------------------------------------------------------Cordel para Auta de Souza Auta de Souza Escritora Nasceu em terra potiguar Na pequena Macaíba Bom local pra se morar Trouxe ao mundo a Poesia Pra nossa vida melhorar... Nasceu em 12 de Setembro Pelo século dezenove Ano de 1876... Tirei a prova dos nove Agora no Terceiro Milênio Que ninguém nos desaprove... Educou-se em Pernambuco No Colégio São Vicente Diz a Biobibliografia: A Poesia nunca mente Auta de Souza é História E será daqui pra frente...

Religiosas francesas Foram suas preletoras... Falava bem o Francês Aprendeu com as mentoras Dominava a Língua Inglesa Teve sábias preletoras... Sofreu com tuberculose No raiar da adolescência 14 anos de idade... Poesia e transcendência Publicou aos 17: Versos com clarividência... Na Revista Oásis Teve participação No Jornal "A República" Ativa colaboração Grêmio "Le Monde Marche" Letras em ebulição... Em Congresso Literário Seu nome foi destacado Na Revista "A Tribuna" Belo texto publicado Ida Salúcio - Hilário das Neves: Em pseudônimo letrado... Dhálias: Flores da Poesia Consagrada inspiração Jornal Oito de Setembro Em fértil elaboração Revista do Rio Grande do Norte Horto: Versos - seleção... A Tribuna - Número 10 Auta de Souza em criação Foi título em bom artigo De Alberto Maranhão: -Mestre Zeferino ArrudaElogio em construção... Prefácio de Olavo Bilac: O Horto foi editado. Por Arthur Pinto da Rocha O livro foi elogiado Auta de Souza em Paz: Um espírito iluminado...

Impresso em A República O Horto em circulação 114 poemas Em boa divulgação Mil exemplares do livro Pra nossa população... Polycarpo Feitosa Sobre Auta escreveu Publicou em A República Profundo artigo teceu Horto entitulado Auta bem que mereceu... Auta ganhou novo artigo Na Revista A Tribuna, Por Sebastião Fernandes: Que a Poesia nos una... Ilumine a nossa vida Com luz do sol e da luna... Os passarinhos cantaram O Universo tremeu 07/02/1901... Auta de Souza faleceu Voou para o Infinito Pra encontrar o Galileu. .. Auta de Alta Poesia O Amor sempre concebeu Espírito diamantino Lá no céu amanheceu Transmutando a Poesia Com o Poeta Cecéu ... Cecéu é Castro Alves Poeta de envergadura Como Auta... um gigante No Amor e na Ternura Poesia de alto nível De alta temperatura... Auta foi-se aos 24 Também foi o Condoreiro Foram-se na mesma idade Para o mundo altaneiro Poetas universais: De luminoso candeeiro...

Auta de obra eterna De alta concepção Aos 24 anos partiu Para outra dimensão... Por Cascudo elogiada E amada pelo Povão... O seu nome é destaque No Brasil de Sul a Norte Auta de Souza é sábia Que esclarece a morte Nos conduz à vida eterna Na luz do teletransporte... --------------------------------------------------------------------------Arte Mundo em revolução Em mudança radical Nova forma de expressão: Intuição cerebral Arte-comunicação Sem exclusão social... Arte acorda o pensamento Dinamiza o cidadão Expressa e comunica Provoca a reflexão Visualiza o prazer Transmuta a educação... Arte é conhecimento: Reflexão – Vitalidade Pesquisa – Imaginação Cosmovisão – Diversidade Arte é experiência Forma – Multiplicidade... Cor-textura som e linha: Anti-Automatização... Paz, amor e liberdade... A alma em combustão... Fluir na arte do Ser: No vôo da imaginação... Desenvolver-se – Iluminar Formar e reconhecer Reagir-Modificar Avaliar e crescer

Debater-Dramatizar Revelar e transcender Valorizar sentimentos Fluir a percepção Compartilhar experiências Manifestar opinião Ter gosto e autonomia Espírito de investigação... Arte é confluência De essências culturais Princípios transformadores Bases educacionais Do processo criador Via temas transversais... Pluralidade cultural Faz-se na diversidade Gênero – Classe social Ocupação e idade Religião – Etnia Desejo e identidade... Arte exprime – Comunica Articula a criação Fomenta Inventividade Diversifica a produção Dinamiza o conteúdo Transforma a educação... Arte: livre expresão Luz! Espontaneidade Movimento – Invenção Vôo da sensibilidade Equilíbrio – Transvergência Fluindo criatividade... Os conteúdos da arte Devem sensibilizar Provocar o interesse Pro fazer: Catalisar Criticar – Sonhar – Viver Discutir e questionar... A construção da arte Passa pelo apreciar Com empenho e prazer Eternamente buscar

Preservar nossa cultura O patrimônio conservar... Arte da modernidade Vídeo e computador Telinforme – Multimídia Chipe – Byte – Transvisor Enter – Intra – Internet Multivirtual leitor... Arte é Cooperação Ação intelectual Pode ser do coletivo Do ser individual Projetando-se das raízes Ao espaço sideral... Arte eletroeletrônica Informática midial Arte onda celular Matemática – Quimical Arte digitalizada Realidade virtual... Arte no ciberespaço Internauta viajor Deletando a consciência Vídeo-Game: Furta-Cor Mixando o pensamento Nas ondas do televisor... O movimento é de síntese De concepção grupal Novo tempo na escola Com temática transversal Arte-Ação comunitária Novo padrão cultural... Tudo se relaciona Mundo em conexão Nossa aldeia global Universa a expansão A escola é o caminho Para nossa evolução... --------------------------------------------------------------------------Augusto dos Anjos

Augusto dos Anjos brilha No concerto universal Poeta cientificista Luz infinitesimal Cosmogônico-biológico Místico e transcendental... No Estado da Paraíba O vate Augusto nasceu 1884...20 de abril... O fato assim decorreu ... No engenho Pau-D´arco: Sua mãe o concebeu... Alexandre dos Anjos, pai A mãe, Córdula Carvalho... Os genitores do Poeta Deram a carta do baralho Nos doaram o Augusto Um Poeta sem retalho... Na Vila do Espírito Santo Augusto foi batizado... A 27 de fevereiro Deu-se o fato aqui narrado Em 1885: Fica assim historiado... Quarto de nove irmãos Augusto foi destacado Sempre leu desde menino... À leitura, sempre dado... Na bilblioteca do pai: Foi um leitor aplicado... No Liceu Paraibano... Estudou Humanidade Ano 1900... Deu asas à liberdade Sente o cheiro da poesia No calor da mocidade... No Almanaque da Paraíba Primeiro soneto publicado Foi aos 16 anos... O fato foi registrado... Dava-se o início De um Poeta inusitado...

Seu amigo Órris Soares Em sua vida presente Companheiro nos estudos Plantou a boa semente Amigo inseparável: Em um mundo incongruente... O poeta sofreu muito Um romance interrompido Teve um filho abortado Foi-se um amor perdido A mãe persegue a amante: Uma morte sem sentido... A cidade de Paraíba Era capital do Estado A futura João Pessoa Deu-lhe verso inspirado Colaborou em O Comércio Como poeta e letrado... Ano 1903 Entra para a Faculdade Faz Direito no Recife Vence a adversidade Cultiva o conhecimento Cresce em multiplicidade... Em 1907... Em Direito, bacharelado... Na Faculdade do Recife Junto com Gilberto Amado Na turma de Órris Soares Sempre amigo ao seu lado... 1907/1908 Dá aula particular... Suado seu ganha-pão: Duro para conquistar A sobrevivência é difícil: Nesse mundo de lascar... Do Liceu Paraibano: Foi nomeado professor Na área de Literatura Augusto era doutor Foi um mestre de renome De destacado valor...

Pronuncia conferência Sobre a escravidão No dia 13 de maio Data da libertação... Manchou a humanidade: A triste escravização... Ano 1909... A conferência se deu Ante o Governador A palestra ocorreu... O Poeta mostrou a face Do horror que aconteceu... Em 1910... Deu-se o seu casamento Com a sua conterrânea, Expressão do sentimento: De nome Ester Fialho: É o amor em movimento... Abandonou a Paraíba: Briga com o Governador Vai pro Rio de Janeiro Como eterno buscador Lá reside por 2 anos: Atua como educador... Na Capital do País Passou por dificuldade Morou na Avenida Central Da grandiosa Cidade Residiu em vários lugares: Tempos de adversidade... Em 1911 Perdeu o filho primeiro Que morreu setemesino Foi-lhe um tiro certeiro A dor do poeta é grande Sentiu abalo por inteiro... Na Escola Normal: Nomeado professor No Colégio Pedro II Foi mestre educador Substituiu a João Coelho: Lecionou com muito amor...

Em 1912 O livro Eu é lançado Em edição particular Por Odilon ajudado Que é irmão de Augusto: Livro bem patrocinado... No mesmo ano do livro A filha tem nascimento... O Poeta segue em frente Em constante movimento Lutou pra sobreviver: Apesar do sofrimento... Em 1913: De Guilherme, o nascimento Novo filho do Poeta: Mexeu com seu sentimento... Augusto Poeta Maior: Foi um ás no pensamento... Foi para Minas Gerais Nomeado Diretor Cidade de Leopoldina Um Poeta Professor... É o princípio do fim De um grande pensador... Chegou em Leopoldina Pra dirigir grupo escolar Escola Ribeiro Junqueira Pouco tempo a comandar Ano 1914... A gripe vai lhe matar... Acometido da gripe Vem uma pneumonia... Nosso poeta a sofrer Não conseguiu harmonia No dia 12 de novembro: Mudança de sintonia... Morreu o Poeta Maior: Pobre e desconhecido Um gigante na Poesia Em pouco tempo vivido Um dos melhores poetas Que eu tenho sempre lido...

Poeta incomensurável Transmutador da linguagem Um gênio da Poesia... Que deixou forte mensagem: Apocalítico e monumental: Cultivemos sua imagem... --------------------------------------------------------------------------Astronauta Brasileiro Vi pela televisão: O astronauta brasileiro Marcos subiu ao céu Em território estrangeiro Foi lá no Casaquistão: Visto pelo mundo inteiro... -------------------------------------------------------------------------Besta# Reinam be$tas poderosas: O homem a governar A besta capitalista Controla terra e mar Aliada de Satã: Faz a guerra prosperar... --------------------------------------------------------------------------De bloco em blocos Ganha vida o edifício De letra em letra: O verbo se faz ofício O bit encarna o byte O virtual se faz vício... Desbloqueia-se o verso No reverso do papel Revirtua-se os sonhos Lá da Torre de Babel A língua em multiblocos Universa-se hidromel... Bloconstrução se edifica Nos Blocos da Poesia Leilalquimiarquiteta Arquitexta a fantasia Multiverso-hipertexto Constrói la philosofia...

Blocos da Internet Obra de reengenharia De seres miluminados Bluminosa harmonia Sintonia do infinitom: Eternua sinfonia... Em Blocos se constrói A poiesis universal Nos blocos do dia-a-dia Tem suor e Carnaval Leila a publicar: Hipertexto digital... Em Blocos zenfinita-se Do concreto ao Cordel Abstranse surreal No verso do menestrel Reuniverso de estrelas Nas galáxias do papel... --------------------------------------------------------------------------Brasílíada Brasília surgiu a esmo?! Seu nome foi registrado Em 1822... Em artigo publicado Na Tipografia Rolandiana: Por oculto deputado... Deputado des.conhecido A Brasília o nome deu Aditamento à Constituição A História assim se deu Logo no primeiro artigo: Nossa Brasília: nasceu... Brasília era nome corrente Bonifácio persistiu Propôs a Nova Capital Preconizou: Anteviu O lindo nome de Brasília: Ele também sugeriu...

2 de outubro de 56 JK aqui desceu Com Lott, Lúcio e Israel O Cerrado percorreu Ernesto, Nélson, Balbino: O fato assim aconteceu... JK com entusiasmo Veio ao Planalto Central Trouxe Régis e Oscar Adentrou-se ao matagal Onde é o Catetinho: Raiz da nossa Capital... Na primeira comitiva: Veio Bernardo Sayão Governador Ludovico Deu apoio à construção O Altamiro Pacheco: Teve participação... Esteve lá no Cruzeiro Perto do Memorial Deixou a marca da luz No centro da Capital Café na Fazenda Gama: À vontade no quintal... Lúcio Costa rabiscou Ave-cidade-avião Pássarinho-borboleta Libélula em evolução Um vôo extraordinário: No Planalto da Nação... A cidade foi sonhada Por profetas, visionários Poetas a anteviram Muitos a preconizaram JK a construiu: 'Anjos' a eternizaram... Era um vale vastíssimo Torto, Gama, Bananal Vicente Pires: Riacho Fundo Bela Água Mineral Era o Sítio Castanho: Hoje é nossa Capital...

Havia fazenda de gado No meio do Planalto Central Um descampado sem-fim Cerrado monumental Agora é uma Alvorada: Nave do transcendental... Nascente de três bacias No Planalto da Nação Águas Emendadas é: As veias do coração As artérias de Brasília: Devem ter preservação... "Vale convexo" de Belcher: Rios Preto e Descoberto Talvegue do Santa Rita Na vastidão do incerto Criou-se o Paranoá: Na imensidão do deserto... O Lago Paranoá É o nosso Pantanal Linha D`água: Cota Mil É vida para a Capital 40 km de compasso: Aqüífero monumental... O Lago Paranoá Melhorou a umidade 5 km de largura 35 m de profundidade 600 milhões de m³ Banham a nossa cidade... Colosso da Arquitetura Urbi revolucionária...! Homem deitado e em pé: Congresso - Rodoviária Megalópolis do Planalto: Epopéia visionária... Cidade-mater do Brasil: Um orgulho nacional Feito Londres sertaneja Jerusalém Tropical: É a Roma do Cerrado: Ás do Planalto Central...

Brasília teve (têm) inimigos Ferrenhos adversários Venceu os seus oponentes Na saga dos operários Servidores bandeirantes: Persistentes visionários... Candangos e engenheiros Pedreiros e arquitetos Obreiros de uma Nação Futuro e destino incertos Sertanejos resistentes Desbravadores: honestos... Nova Capital do Brasil Comissão de Localização Marechal José Pessoa Comandou a Direção Ernesto Silva na Equipe: Saúde, Arte-Educação... 24 de setembro 1956 Novacap em ação Israel Pinheiro da Silva Engenheiro Bernardo Sayão Ernesto Silva, Íris Meinberg: São heróis da construção... Aos candangos da Brasília Rendo a minha homenagem Com suor, sangue e poesia Em um linda mensagem Construiram a nave-mãe: Em permanente viagem... Brasília hoje é um pólo Pulsa cri@tividade... Poesia à flor da pele Nas artérias da Cidade Os candangos são heróis: Bandeirantes de verdade... Há de tudo por aqui Espaço-multiplicidade Arquitetura inovadora Sonhos: engenhosidade A Capital do Brasil Dá asas à Liberdade... ---------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------CineCordel Culminou com os Lumière A epopéia da imagem O cinema trouxe a luz Inovação na mensagem Revolucionou o mundo: Em sua eterna viagem... Precursores do Cinema Nos idos da Antigüidade China, Índia, Egito, Grécia Ritmo...Luminosidade Imagens em movimento: O tempo deixou saudade... Euclides e Arquimedes Platão e Ptolomeu Pesquisaram a imagem Bem antes de Galileu Princípio da Câmara Escura: Leonardo concebeu... Sombras Chinesas no início Começo da evolução Mentor da Câmara Escura Da Vinci em criação A Câmera de Della Porta: Deu vida à invenção... Construtor da Câmara Escura Della Porta inovou Baseou-se em Da Vinci O futuro prenunciou Gen da foto e do cine: Nova era projetou... Lanterna Mágica de Kirscher Inversão da Câmara Escura Fantoscópio de Robertson Signo de nova leitura Imagem em travelling: Dinamizou a cultura... Cinema em projeção: Sombra chinesa, Zootrópio

O Revólver Astronômico Imprensa, Estroboscópio Câmara Escura, Fonógrafo, Fuzil, Foto, Fonoscópio... Fenacistocópio, Quinefonógrafo Os cronópios da imagem O médico no estetoscópio Da doença faz triagem Tem telescópio na trilha: Cinema em multiviagem... Kirscher e a Lanterna Mágica Robertson e o Fantascópio Edson fez a sincronia Deu luz ao Quinestocópio Louis e August Lumière: Os pais do Cinemascópio... Cinematógrafo dos Lumière Galileu no Telescópio Cinematógrafo de luz Deu imagem ao Macroscópio Cinemascope reluz: Muito além do Microscópio... Fritz Lang...Eisenstein Metrópolis...Encouraçado E o Vento Levou...O sonho Bem longe pra outro lado Cidadão Kane desvelou: Um poder endiabrado... No começo era difícil Ficava desfigurado Tudo era preto-e-branco Tremuloso e desfocado Cinema Mudo se via: Depois veio o Falado... Cinema é Sétima Arte: E pode ser a primeira Hollywood industrial Faz arte e pasmaceira Tem coisa de qualidade E também muita besteira... Os nomes de cineastas Projetam-se em minha mente Griffith, Welles e Glauber

Vi O Ovo da Serpente Bergman dissecou o gen De um mundo incongruente... Me recordo de Buñuel Fassbinder, Polanski, Saura Visconti, Herzog, Tarkovski Fiu ao cinema com Mara Quinema abre a cabeça E a dor da alma, sara... Nos tempos de cineclube Vi Godard e Pasolini Antonioni e Monicelli Bertolucci e Fellini Terra em Transe foi um marco: Não esqueço Rosselini... Os Pássaros de Hitchcock Voaram na grande tela Lá na Cidade de Deus: Às vezes A Vida é Bela... E na Central do Brasil: Vi Fernanda na janela... Revi Luzes da Ribalta E O Grande Ditador Tempos Modernos, difíceis Sonhos, desejos e dor No reino da besta-fera: Esqueceram do Amor... Ben Hur e Casablanca: A Última Noite no ar As Sandálias do Pescador Revi o Velho e o Mar Truffaut e Tavernier: Irmãos Coen a filmar... Laranja Mecânica no copo O Homem que virou suco Eles não usam black-tie O Cangaceiro, de trabuco Cinema passou dos cem: Jamais ficará caduco... Ang Lee, Shyamalan Greneway, Rob Marshall Deus e o Diabo na Terra do Sol Camus Orfeu no Carnaval

Dança com Lobos na estepe: Além do Bem e do Mal... Ran: Crepúsculo dos Deuses: A Um Passo da Eternidade O Circo...Lanternas Vermelhas: O Fantasma da Liberdade O Dia do Chacal...Ao Cair da Noite Ju Dou: Luzes da Cidade... Coppolla: Apocalypse Now O Poderoso Chefão Armagedonn...Limite Ciúme: A Conversação Beleza Americana: Terremoto...Tubarão... Ladrões de Bicicleta Duna...Tentação Proibida Amarcord, Oito e Meio E La Nave Va, A Doce Vida Rashmoon, Dersu Uzala ET e A Estrada Perdida... Trotta, Trier, Mazurski Luar sobre Parador O Carteiro e o Poeta Pelle, O Conquistador Morangos Silvestres...La Luna: Assim Falou o Amor... Fahrenheit 451: Assim Caminha a Humanidade Sociedade dos Poetas Mortos Drácula, A Marca da Maldade A Morte ao Vivo, A Terra Treme: Um Sonho de Liberdade... Uma Noite sobre a Terra Trágica Obsessão Ontem, Hoje e Amanhã: A Costela de Adão Cinderela em Paris: O Fundo do Coração... Aconteceu em Nova York Arsenal, A Palavra, Charada Scarface, Sétimo Céu Terra, Conversa Acabada

Alexandre Nevski, A Greve, Seduzida e Abandonada... A Grande Família, Judex Divórcio à Italiana... Brazil, O Filme: Amadeus Cabaret, Ronin, Moana Hair: Um Estranho no Ninho: Vi A Noite Americana... O Expresso da Meia-Noite Casanova e a Revolução Os Caçadores da Arca Perdida A Besta Humana, A Grande Ilusão Roma Cidade Aberta: O Império da Paixão... O Amor Não tem Sexo Adivinhe quem vem para Jantar? Je Vous Salue Marie Disque M para Matar Cyrano e d´Artagnan: O Show deve Continuar... Mi Hermano Fidel: O Último Imperador Zelig...Guantanamera Carne Trêmula...Matador O Céu que nos Protege: De Salto Alto: O Jogador... Subway...Os Miseráveis Diva...O Profissional O Eclipse...Betty Blue Now, Jesus de Montreal Mash, A Última Ceia: Sob o Domínio do Mal... O Último Tango em Paris O Anjo Exterminador A Fraternidade é Vermelha Assim Falou o Amor O Homem Que Sabia Demais: Bodas de Sangue, O Tambor... Prêt-à-Porter, Excalibur Cenas de um Casamento Morango e Chocolate Diva, O Arrependimento

O Selvagem da Motocicleta: Zero em Comportamento... Quanto Mais Quente Melhor O Pecado Mora ao Lado O Céu é Testemunha, Baby Doll A lista de Schindler: Silverado... O Enigma de Kaspar Hauser: Daunbailó ...Fitzcarraldo Vinhas da Ira, Rastros de Ódio Madame Bovary...Napoleão Lucrécia Bórgia...Viver a Vida Nascimento de Uma Nação A Honra do Poderoso Prizzi: Surpresas do Coração... Aguirre, Museu de Cera Platoon...Infidelidade... Era Uma Vez na América O Baile, A Bela da Tarde Cada Um Vive Como Quer: O Fantasma da Liberdade... O Pagador de Promessas Sonhos de Um Sedutor Juventude Transviada Assalto ao Trem Pagador Vi O Senhor dos Anéis: O Indomado...Aviador... O Conde de Monte Cristo Shakespeare Apaixonado Chinatown...Dr.Jivago Inimigo do Estado Potter...Guerra nas Estrelas: Super-Homem...Acossado... Todos Os Homens do Presidente Os Três Dias do Condor Alice Não Mora Mais Aqui Asas...Rocky, Um Lutador O Silêncio dos Inocentes: Uma prova de amor... O Grande Gatsby...Corpos Ardentes Júlia...E o Vento Levou Trama Macabra: Amantes do Perigo. A Dama de Xangai: muito amou

As Regas do Jogo...O Nome da Rosa O Dorminhoco... só sonhou... A Maratona da Morte As Odisséias da lida Do Oeste para a Fama O Destino Mudou sua Vida O Planeta dos Macacos Barbarella...A Corrrida... King Kong...Indiana Jones A Procura de Mr.Goodbar O Parque dos Dinossauros A Múmia: Johnny Guittar Matrix e Blade Runner As Horas...O Canto do Mar... Independece Day...Tabu A Dança da Borboleta Blow Up...Picpocket Baile Perfumado...Tieta Signos do Caos...Quarup: Oscar: bela estatueta... O Beijo da Mulher Aranha Onibaba e Zuzu A Noite dos Desesperados: A Peste...Carandiru Quinteto Irreverente: Sabrina...O Mundo de Apu... Aconteceu Naquela Noite: Cabra Marcado pra Morrer Morango e Chocloate Trágico Amanhecer Depois Daquele Beijo... 007, Amar, Beber, Viver... Spartacus...Moulin Rouge Jeca Tatu...Patriamada Deu a Louca no Mundo: Toda Nudez Será Castigada A Grande Arte...Barravento: Agonia...A Encruzilhada... O Passageiro - Profissão Repórter Short Cuts - Cenas da Vida O Bandido da Luz Vermelha Ralé...Tentação Proibida

Lolita...Atração Fatal Ray...A Estrada Perdida... M, O Vampiro de Dusseldorf Dr. Marbuse, o Jogador Daniel, Ser ou nâo Ser: Decálogo...Gladiador A Oitava Esposa de Barbazul: 9 1/2 Semanas de Amor... Boulogne e Joinville Disney e Pinewood Mosfilm e Babelsberg Barandow e Hollywood Paramount, Universal: Rever os filmes de Wood... Warren Beat, Mel Brooks Finc, Dern e Milford Whoopy, Ritchie, Holden Carmen, Liz e Redford Bogart, Fonda, McQuenn Demi e Harrison Ford... Spencer Tracy, Sharon Tate Liza e Charles Bronson Blanched e Redgrave Brancroft e Robertson Keaton, Dreyfuss, Young Holliday...Marsha Mason... Altman, Stone e Powell Woody e Brain de Palma Marlon Brando, Al Pacino Vê-se cinema com calma Cinema toca na alma Greta Garbo, Bette Davis: Kurosawa, Tornatori... Scorsese...Almodóvar Zhang Yimou, Zvyagintsev Jackson, Amenábar Michalék e Cameroon: Titanic a naufragar... Akin, Payne, Manuel Jacquet, Bob e Marshall Deus e o Diabo na Terra do Sol Grande Orfeu no Carnaval

Dança com Lobos na estepe: Missing...História Oficial... Robin e Morgan Freeman Nicholson, Fagundes, Niro Hanks, Gibson e Crowe Wayne errou o tiro Júlia, Audrey, Kim e Demi: Nas belas, meu olhar: miro... Meryl, Marlene, Winona Sônia, Morgana e Jessica Nicole, Susan, Angelina Olívia, Glenn e Rebeca Linda, Jodie e Bárbara: Sarah e Sandra em Meca... Helen, Deborah e Liz Dulcina, Grace, Julianne Neve, Liv, Catherine Não esqueço Adriane Maria, Nancy, Vanessa Linda, Liza, Cristiane... Merylin, Regina, Diane Rachel, Rommy e Marlene Cláudia, Marta e Sissi Vivian, Meg e Helene Gina, Emma, Kate, Lilian Faye, Famke e a Selene... Courteney, Vanessa, Glória Cacilda, Leila, Michelle, Mia, Jeniffer, Cameron Prazer de Emanuelle Judy, Natália, Marília Sharon, Julie e Isabelle... Shirley, Jim, Cortez Ziyi, Pike, Michael Kevin, Jeremy, Garcia Tony, Stênio e Jardel Abujamra e Santoro Steve, Clooney e Joel... Cinema é atuação Arte e criatividade Chaplin, Karloff e Quinn Cine.multiplicidade

Hopkins, Dean, Connery: A imagem nos invade... Murphy, Cruise, Reeves Cena transmultiteatral Kirk, Ford, Gable, Gere Mastroianni original Brigitte, Alain Delon: Em poesia provençal... Crowe, Pitt, Williams Autran, Harisson, Duvall Bogart, Cage e Hoffman Cinearte musical Gibson, Willis, Douglas: Cinemais transcendental... Clint Eastwood talentoso Bom cineasta e ator Os Indomáveis na tela: Menina de Ouro, em dor Momento de Decisão: De um artisa criador... Anchieta, José do Brasil A Ilha das Flores...Giramundo O Amuleto de Ogum: Adorável Vagabundo Rio Quarenta Graus: Em Impacto Profundo... Cinemarte transmuta-se: Romance...trama na tela... Suspense, comédia, drama Entre a Fera e a Bela... Western, cangaço, tragédia: Saudades do Sganzerla... Inventores do Cinema Os Lumière são História Revolucionaram o Mundo Cinematografaram a glória... Cinemagia universal: De infinitésima trajetória... --------------------------------------------------------------------------Condoreiro do Sertão Castro Alves Popular Poeta bem brasileiro

Telúrico...Espiritual Libertador altaneiro O Poeta dos Escravos Nosso eterno condoreiro Bardo sempre iluminado Sol Poeta Menestrel Trovador de alto brado Alquimista...Bacharel Repentista de primeira Foi precursor do Cordel... Na Fazenda Cabaceiras O grande Poeta nasceu No dia 14 de março A Poesia floresceu Em Mil 800 e 47 O Poeta apareceu... Cabaceiras do Paraguaçu De Muritiba, freguesia Comarca de Cachoeira No Estado da Bahia Surge Antônio Frederico Transmutador da Poesia Poeta de boa estirpe Nasceu no Interior Pai: Antônio José Alves Grande médico de valor Clélia Brasília, a mãe Mulher de fibra e amor... Aos 5 anos de idade A família se mudou Residência em Muritiba... Em São Félix...morou Na famosa Cachoeira Castro Alves...Estudou... José Peixoto da Silva O primeiro professor O poeta bem infante Sente a essência do calor Recebe do amado mestre A sinergia do Amor... Em Mil 800 e 54 A família em Salvador Lá na Rua do Rosário

Num sobrado encantador Lá morreu Júlia Feital Baleada pelo "amor"...

Mudou para a Rua do Paço Logo no ano seguinte Foi estudar no Sebrão Mui atento bom ouvinte Já gostava de Poesia Da alma: constituinte... No ano de 58 Vai pro Ginásio Baiano, De Abílio César Borges Asas ao Poeta Cigano Treme a terra...brame o mar: Multiversoteropolitano... Fixa moradia em Brotas Na Chácara da Boa Vista Castro Alves vive a vida Com a alma de ativista Surgem os primeiros versos Do monumental artista... Dona Clélia Castro Alves Falece em 59 É grande a emoção O Poeta se comove Grande baque na Família A dor à Poesia sorve... Em 1860 Mês setembro dia 9 Recita os primeiros versos O Uni Verso se move A estrela da Poesia Pelo céu se loucomove... Versos ao Doutor Abílio Criativo educador Ás do Ginásio Baiano Seu dinâmico diretor O Barão de Macaúbas Grande Mestre...Professor...

3 de Julho...1861 O Poeta a declamar Poema ao 2 de Julho Sua verve a consagrar O Poeta dos Escravos Poesia a nos libertar... Dr. Antônio José Alves Busca o amor novamente Maria Ramos Guimarães Para cuidar da semente Antônio e José Antônio Tem Recife pela frente... Ano 1862... A 25 de Janeiro Parte para o Recife O Poeta condoreiro Na Veneza brasileira Faz-se vate guerrilheiro... Publica no Jornal do Recife "Destruição de Jerusalém" Versos arrebatadores Uma poesia do além Poeta crítico altaneiro Além do Mal e do Bem... Surge Eugênia Câmara Teatro Santa Isabel Nasce o vate repentista Vigoroso menestrel O Amor queima a alma Como fogo no papel... "A Canção do Africano" Publica em " A Primavera" Maio...17... 1863... O Canto de uma Nova Era Poeta abolicionista Construtor da Primavera... Eugênio Câmara no lance Início de uma paixão O poema "Meu Segredo" Germina do coração Sofre uma hemoptise Sangue que vem do pulmão...

Primeiro ano jurídico Após a morte do irmão "O Futuro" ele redige Em Arte de depuração A Poesia toma forma Na luta da abolição... "Mocidade e Morte" É poesia de primeira "O Tísico" ele escreve Poesia na dianteira Sofre com o pulmão Dor profunda e verdadeira... Interrompeu os estudos Volta para Salvador Início de tuberculose Sofre o Poeta do Amor Tem o curso interrompido Nosso vate sedutor... Ao Recife ele retorna Com o Fagundes Varela Castro Alves condoreiro Poeta de vida bela Apesar do sofrimento Fez poesia para ela... Logo à lida retornou Ao Recife pra estudar Segundo ano jurídico O Poeta vai cursar Sociedade abolicionista Pra escravidão acabar... Declamou "O Século" Sessão comemorativa Amante de Idalina Vida sensual...ativa Sofria com a escravidão Da plebe negra cativa... Cria com Rui Barbosa Núcleo pela abolição Regueira Costa - Plínio Lima Companheiros de ação O Poeta dos Escravos Queria a libertação...

Lança o Jornal A Luz E ilumina o ambiente Com o Tobias Barreto Polemiza no Repente O conflito das idéias Faz germinar a semente... Compõe "Horas de Martírio" Na cela de um convento Lá fez o seu habitat Transmutou o sentimento Navegante do eterno Luminar de um movimento... Declamação de "Pedro Ivo" Teatro Santa Isabel Poesia diamantina Do famoso menestrel Castro Alves precursor Do Repente e do Cordel... Amante de Eugênia Câmara Teatrólogo - tradutor Cultivou a sua dama Com Poesia, fé, fervor Traduziu duas peças Dramaturgo de valor... Poesia de indignação Divulga em "O Tribuno" Versos "O Povo no Poder" Impressões de um aluno Ativista ator libertário Feito Giordano Bruno... Conclui o drama Gonzaga Ou a Revolução de Minas No povoado do Barro Poesias cristalinas É nome reconhecido Pelas plagas nordestinas... Na Rua do Imperador Dirigiu-se à multidão Crítica à arbitrariedade Do Sistema da Opressão Torres Portugal espancado: Protesta a população...

Teatro Santa Isabel: Do Gonzaga fez leitura Círculo de intelectuais Amigos da literatura Artistas e admiradores Castro Alves se estrutura... Em 1867 Volta para Salvador Deixa de vez o Recife Com Eugênia...Grande Amor Retorna à Boa Terra Bahia de Nosso Senhor... Se instala na Bahia Tem uma peça aprovada Recital ao 2 de Julho Em cena ovacionada No Teatro São João Tem poesia declamada... "O Livro e a América" Por Eugênia recitado Em benefício do Grêmio Com sucesso renovado O Poeta Castro Alves Tem seu nome elevado... Estréia da peça Gonzaga Dia de consagração... O Poeta é carregado Com louvor e devoção Coroado pelo povo Como às da criação... Apresentações do drama O Poeta é coroado Gonzaga traz-lhe a glória É muito bem representado Castro Alves cria fama É pelo povo respeitado... Após o drama Gonzaga Dedica-se a escrever "Sub Tegmini Fage" "Os Escravos" a tecer Na bela chácara Boa Vista Vai com Eugênia conviver...

Escreve várias poesias Vai ao Rio de Janeiro Acompanhado por Eugênia Vai cantar noutro terreiro Da Bahia para o Rio Em 8 de Fevereiro... Na Capital do Brasil Vai a José de Alencar Lê Gonzaga e poemas Ao escritor popular O criador de Iracema Soube bem recomendar... Diário do Rio de Janeiro Gonzaga: apresentação... A jornalistas e letrados E Notáveis da Nação É consagrado no Rio No calor da emoção... Alencar recomendou: Foi ouvido por Machado Que leu a peça e poemas E exaltou a nosso bardo Machado de Assis gostou E demonstrou seu agrado... Castro Alves fez sucesso No Rio foi glorificado Banquete de alto nível Seu nome: homenageado, Por Emílo Zaluar E pelo Poetariado... "Pesadelo de Humaitá" Recita à multidão Na sacada do Diário Toca a população O Poeta Castro Alves Alquimista da Paixão... Levou o Povo ao delírio Despertou o sentimento Coração de estudante Alma em vôo no firmamento Militante da Poiesis Nas ondas do movimento .

Viaja para São Paulo Com Eugênia e Rui Barbosa Terceiro ano jurídico Muita poesia e glosa Sabia o segredo do verso E o mistério da Rosa... "O Livro e a América" Recita em congraçamento Sua estréia em São Paulo No calor do movimento Arquivo jurídico e literário Promoveu o seu talento... No Teatro São José Triunfa em declamação Segundo Joaquim Nabuco Testemunha da ação Sua "Ode ao 2 de Julho" Recebeu aclamação... Com o poema "Pedro Ivo" Exalta a abolição Prenuncia a República Com fervor no coração Na Paulicéia Desvairada Faz sua Revôolução... Discurso a José Bonifácio Recita "O Navio Negreiro" Triunfa em sessão magna Com ares de condoreiro Prega contra a escravidão Pede o fim do cativeiro... Gonzaga faz sucesso No Teatro São José Poeta glorificado Escritor de muita fé Castro Alves luminoso Na Boa Terra do Café... Nos seus atos escolares O poeta foi aprovado Sucesso com a Poesia Na Escola, respeitado Reconhecido pelo Povo Que gostava de seu brado...

No dia 11 de Novembro Um fato desagradável Dizem que numa caçada Um tiro foi disparado Com uma bala na perna Foi ferido o grande bardo.. . É um fato muito estranho Que não dá pra entender Foi um ato complicado Não dá pra compreender É um fato muito estranho Que não dá pra entender Foi um ato complicado Não dá pra compreender É uma história esquisita Que é preciso esclarecer... No Quarto Ano jurídico Começa a estudar Com o problema no pé Agrava a dor pulmonar Tem a saúde agravada E não pode mais estudar... Tem a saúde abalada Vai pro Rio de Janeiro Luís Cornélio dos Santos Recebe o vate condoreiro Começa o sofrimento Do gigante brasileiro ... Teve um pé amputado Na mesa de operação Não pôde ser anestesiado Muita dor e emoção Para dominar os nervos Gracejou seu coração... "Corte-o, doutor"... O Poeta proferiu "Terei menos matéria" Castro Alves só sorriu Mesmo com a imensa dor O Poeta não desistiu... Teatro Fênix Dramática Com Eugênia... encontrou Uma ano de ruptura No período completou

Despediu-se de Eugênia Deu "Adeus " e embarcou... Foi embora pra Bahia Terra de São Salvador Segue para Curralinho Nas Terras do Interior Depois em Itaberaba Reconquista o Amor... No sertão renasce o vate Vive um sonho cristalino No amor...o platonismo No sertão diamantino Sonha com a bela Nídia Novo amor em seu destino... Seis meses no Sertão Na Chapada Diamantina Fazenda Santa Isabel Terra de Gente Fina Retorna a Salvador Pra mudar sua rotina... No retorno a Salvador Encontra admiradores... Cachoeira de Paulo Afonso Declamação com fervores O Poeta dos Escravos Com versos libertadores... Lança Espumas Flutuantes Expressão do Sentimento Obra-Prima de Um Mestre Gênio de um Movimento Estrela do Romantismo De Social Pensamento... Agnèse Trinci Murri Uma nova inspiração Sente-se arrebatado No enlevo da emoção Com a poesia "A Violeta" Transparece a paixão... Declama pela última vez No dia 10 de Fevereiro É o último ato público Do romântico brasileiro

Nossa expressão maior Vate...eterno condoreiro... Na noite de São João Agravou o seu sofrimento Sangrou com o Mal do Século Na alma, o padecimento Expirou em 6 de Julho E voou pro firmamento... Castro Alves é exemplo Para o povo brasileiro Amante da Utopia Realista...guerrilheiro Cantador da Primavera Nosso Poeta primeiro... --------------------------------------------------------------------------Cordel, Cangaço e Cinema... Vou do Cordel ao Cinema: Do Cinema ao Cordel... Cangaceiro...Repentista: Língua...Torre de Babel... Glauber e o Cinema Novo: Nos versos do menestrel... Glauber Rocha fez a síntese: Transposição da linguagem... Cinemagia sertânica: Cosmo.visão da imagem... Deus e o diabo nas telas: Além da Terceira Margem... Sertão em metamorfoses O Cabeleira...O Cangaceiro... Vi 'O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro'... Três Cabras de Lampião: No cinema brasileiro... Cangaço - A Lei do Sertão: O Homem que matou Corisco... Eterna luta pela terra: O Estado, a dor, o fisco... Presença do Lobisomem: Severino, Zé, Francisco...

Lampião - O Rei do Cangaço: Fez Benjamin Abrahão... Rufino - Antônio das Mortes: O conflito no Sertão... Corisco, Quelé, Silvino: Caatinga em ebulição... O massacre em Angicos: O bando envenenado... Bezerra e Zé Rufino: Crime a serviço do Estado... Antônio Pernambucano: E Riverão fuzilado... A Morte comanda o Cangaço: Nordestern brasileiro... Proezas de Satanás: Paulo Gill, tiro certeiro... Entre o amor e o cangaço: Terra em Transe no estrangeiro... Linduarte...Vladimir Saraceni...Arraial... Cabeças Cortadas na tela: Concepção genial... Cinema Novo - Galáxia: Transmutação cultural... O Pagador de Promessas: O Homem que virou suco... De parabellum na mão: Punhal, faca e trabuco... Cacá, Walter Lima Jr: Bahia, Rio, Pernambuco... Leon, Nélson e Joaquim: Luís Sérgio e Carneiro... Glauber na linha de frente: Do cinema brasileiro... Antropofagia plena: Cinema novo, guerreiro... Brinquedo Popular do Nordeste: Pedro Jorge faz brincar... O Pagador de Promessas: O cordel está no ar... Cuíca de Santo Amaro: A história a registrar...

Nordeste: Cordel, Repente, Canção: Tânia Quaresma-arte popular... Um Vaqueiro Voador: No Planalto a navegar... No País de São Saruê: Vladimir nos faz pensar... Catulo da Paixão Cearense: O sertão no pensamento... Cascudo e João Cabral: Severina-se o sentimento... Nísia e Josué de Castro: Paulo Freire em movimento... Morte e Vida Severina: Távora em O Cabeleira... José Américo de Almeida: Romance A Bagaceira... Retorno ao nosso passado: Com Gregório, Rui, Vieira... Gonzaga e Patativa: Ariano e Alencar... Jorge de Lima, Zé Lins: Leandro sempre a rimar... No Cinema do Cordel: Aqui vou Aruandar... Marcelo Coelho, Paulo Caldas: Lima Barreto em ação... Massaini...Zé Humberto: Macunaíma e Cancão... João Grilo na malandragem: Mestre Ariano no Sertão... Euclides, Rosa, Graciliano: Mário, Nélson e Raquel... Walter Salles, Rosemberg: Central, cangaço, cordel... Vidas Secas no Sertão: As Veredas de Babel... Virgolino Ferreira da Sliva: Do cangaço, imperador... Eterno Rei do Sertão: Foi um vate criador... Virou lenda, criou fama: Nos versos do cantador...

Jesúino Brilhante relampejou: Trovejou o Cabeleira... Tiros de Pilão Deitado: Ecos de Lucas de Feira... Vi Adolfo Meia Noite: Em Afogados do Ingazeira... Lucas Evangelista, José Gomes: Bravo Antônio Silvino... Sebastião Pereira da Silva: Sinhô Pereira, Severino... Cangaço, Cordel, Cinema: No sangue do nordestino... Menino de Engenho, O Auto do Sertão Vi Milagre em Juazeiro... Coronel Delmiro Gouveia: Jornal do Sertão ligeiro Tieta do Brasil, Viramundo: O cordel se fez luzeiro.... Mandacaru Vermelho, Prova de Fogo: Filho sem Mãe, Sangue de Irmão... O Primo do Cangaceiro: O Lamparina na escuridão... Entre o Amor e o Cangaço: Cangaceiros de Lampião... Nordeste Sangrento, Riacho de Sangue: O Cangaceiro Sanguinário... A Compadecida: Quelé do Pajeú: Cordel, cangaço, operário... Jesuíno Brilhante, Maria Bonita: Muito além do dicionário... O Cangaceiro sem Deus: Corisco, O Diabo Louro... Deu a Louca no Cangaço: No cordel tem um tesouro... Cinemagia flui a luz: Cinema reluz o ouro... Memória do Cangaço, Paulo Gil: A Saga do Guerreiro Alumioso... Dadá, A Musa do Cangaço: Li Pavão Misterioso... Lampião, A Fera do Nordeste: A Grande Feira é luminoso...

O Sertão das Memórias: As memórias do Sertão... As veredas da linguagem: Brotam em meu coração... Castro Alves, Jorge Amado: Canudos...Revôolução... Sangue Mineiro: Ganga Bruta, Humberto Mauro brasileiro Joaquim Pedro de Andrade: Brilha em Rosa o candeeiro... Garrincha, Alegria do Povo: Foi um cabra presepeiro... Maria Bonita, Rainha do Cangaço: O Último Dia de Lampião O Leão do Norte, O Último Cangaceiro: Vida, Paixão e Morte de Faustão... O Anjo Negro...Fogo Morto: O Cangaceiro Trapalhão... A Ilha das Cangaceiras Virgens: Os Trapalhões no Auto da Compadecida... As Cangaceiras Eróticas: Difícil é ganhar a vida... Pecado na Sacristia: Maria Bonita destemida... Pedro Bó, o Caçador de Cangaceiros: Lampião & Maria Bonita... Os Cangaceiros do Vale da Morte: O bando sai bem na fita... Kung-Fu contra as bonecas: Jumento, bode e cabrita... Ruy Guerra em Os Fuzis: O Quinze; Corisco e Dadá: José Araújo, Lima Barreto: Meu sertão de Ibititá: Coluna Prestes, Lampião: No sertão do Deus dará... O Santo Guerreiro de Canudos: Profecias de Conselheiro... Riverão Sussuarana: Ler o poeta-vaqueiro... A Guerra do Fim do Mundo: Foi daqui pro estrangeiro...

Brilha o cordel nas telas: Em Cannes, em Juazeiro... No Raso da Catarina: Na caatinga, no terreiro... Cinecordel na Internet: Nas telas do mundo inteiro... --------------------------------------------------------------------------CordelCiência...

A ciência do saber Para conscientizar O senso comum do povo Para nos orientar Clima, saúde e tempo Na ciência popular... O povo tem o bom senso Da ciência do saber A sabença popular Para bem sobreviver À fome e às doenças: Não se cura o Morrer... A morte campeia magra Devora a multidão A ciência tem o mote Mas não tem a solução Para se vencer a morte Precisa grande invenção... Arte...Tecnologia Mente criatividade Física e Biologia Química...multiplicidade A ciência se transmuta: Via universidade... Laboratório...pesquisa Técnica-experiência Cérebro-psicologia Psique-clarividência Eterna busca do ser: Nos mistérios da ciência... Plantas, ervas para a cura: Remédio para salvar

Chá, xarope, garrafada A crendice popular Superstição e desejo: A ciência a transmutar... Construções-arquitetura Cálculo - reengenharia Pirâmides fenomenais Templos da engenharia Muralha da China, um marco: Na ciência tem poesia... Alimentos-vitaminas Comida do dia-a-dia Agricultura - pecuária Criação e fantasia Sábios da antigüidade: Cosmos e filosofia... Medicina...panacéia A saúde pra curar Ratos de laboratorio Dados para pesquisar A doença da miséria: Temos logo que curar... O povo a passar fome Alto preço do alimento A ciência precisa Aliviar o sofrimento Descapitalizar o mundo: Dar luz ao conhecimento... Ciência para o saber Fim do analfabetismo Educação para todos Chega de tanto cinismo Desconcentre-se a renda: Que venha o Socialismo... A ciência é nossa luz Desperta a cosmogonia Gen cometa bactéria Vírus da cosmologia Física quântica e Tao: Zen...Cosmobiologia... Informática e chip: Bytes do computador Imagens do pensamento

Ondas do processador Rádio, Tv, telescópio: Ser telespectador... Internave...Internet Web a nos navegar Um mar de informações Dados para completar Janelas para o infinito: Conhecimento no ar... Clareza na escuridão A ciência ilumina Velocidade da luz Átomo e gasolina Gravidade...Evolução: Ciência diamantina... Cibernética...Genoma... Nanotecnologia Bioética...Biônica Flor da biotecnologia... Biodiversidade...Clima Natura...Ecologia... Ozônio a derreter: Aquecimento planetário Geleiras no oceano Fotos do Santo Sudário Ciência do sofrimento: Em meu webdomadário... Siderurgia...Locomotiva Automóvel...Avião Canoa...barco...navio Cultura e educação Ciência sem burocracia: Pra nossa população... Satélite-televisão: Astronave a orbitar Cosmonave...astronomia O homem a explorar Sempre na eterna busca: Não esquece de sonhar... Ciência...Sabedoria: A pedra filosofal Pesquisa-experimento: A procura do Graal:

Ciência da consciência: Para se vencer o mal... Lá no Lunário Perpétuo Sapiência salutar Fluem saberes do povo A cultura popular Consciência da ciência: No cordel tem seu lugar... Energia...Antimatéria Sonho...adversidade Multiversos paralelos Transeeletricidade Big-bang no infinito: Além da relatividade... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Corrupção Basta à Corrupção Chega de impunidade Suborno e concussão Ladroagem, falsidade Politicagem e canalhice Contra a Sociedade... Banqueiros e magnatas Marajás e tubarões Os políticos desonestos Em palácios e aviões Desviam o nosso dinheiro Com as vis corrupções... Maracutaias, falcatruas Tramóias, picaretagem A safadeza é geral Comanda a pilantragem A politicanalha surrupia Nas câmaras da sacanagem... Pilham o rico tesouro Assaltam o público Erário Roubam dos aposentados Congelam nosso salário

Milhares de picaretas A fazer do povo:otário... A Nação é enganada Pela corja de ladrões Prometem mil maravilhas Bem antes das eleições Depois que ganham o voto Fazem festas nas mansões... É roubo de todo tipo: Peculato, nepotismo Superfaturamento, desvios Furtos e clientelismo Mordomias, CC-5: Só se vê fisiologismo... Escândalos em todo canto: A gatunagem é geral Não se respeita o Povo Na traição eleitoral Surrupiam as Empresas E a Fazenda Estatal... São raposas depravadas Na porta do galinheiro Falsificam o orçamento Assaltam o financeiro Nosso povo a passar fome: Vai tudo pro Estrangeiro... Milhões de desempregados São vítimas da rapinagem Os juros são imorais Verdadeira sacanagem A riqueza é concentrada Pela alta bandidagem... O Imposto é escorchante Não dá mais pra agüentar Quem trabalha é lesado Não adianta reclamar O dinheiro desaparece Nos paraísos do além-mar... 50% de Imposto Paga o trabalhador É descontado na fonte Nada paga o fraudador

O Imposto é embutido No sangue de nossa dor... IPTU...IPVA CPMF letal CID e Previdência Imposto ditatorial Falta escola e emprego: Sobra fila no hospital... É preciso que ocorra Uma mudança total Séria Reforma Política Ação Educacional: Corruptos e corruptores: Em Presídio Federal... Reforme-se os parlamentos A política nacional... Câmaras e assembléias Executivo e tribunal Gente honesta no Poder: Para acabar tanto mal... Chega de malabarismos Roubos nas licitações As quadrilhas do orçamento As famosas comissões Cadeia para os corruptos: Corruptores...Tubarões... O Governo para o Povo: Sem canalha no Poder Mais escolas e empregos Mais salário e prazer... Um choque de Honestidade: Pra História subverter... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Direitos Humanos

Direitos Humanos sempre Devem ser prioridade Sociedade mais justa Com ação e liberdade

Com renda distribuída Mais solidariedade...

Educação para todos Consciência pra pensar Pelo fim da opressão Sem fome pra dizimar Direitos Humanos na prática Para a vida melhorar...

Poder sem corrupção Atuação popular Fim do analfabetismo Ética para governar Honestidade e justiça: Ao ser humano respeitar...

Direitos do Cidadão Direitos Fundamentais Cultura e alimento Respeito aos hominais Direitos humanos unidos Aos Direitos Sociais....

Vamos melhorar o mundo

A tirania acabar Desconcentre-se a renda Para o povo educar Consciência sem miséria É hora de transformar...

Direito à Comunicação Acesso ao conhecimento Democratização da mídia Liberdade ao pensamento Formação/Informação Em crescente movimento...

A economia vai bem?! O nosso povo vai mal A exclusão é uma praga Desestrutura o social Não à desigualdade Imposta pelo capital...

Mude-se! Transforme o mundo! Cultive a fraternidade Que a paz una o povo Desarme a humanidade Pelo fim da exploração

Viva a multiplicidade! --------------------------------------------------------------------------Drummondia-a-dia...

A Vida Passada a Limpo Casa: Morte do Leiteiro A Puta... A Morte a Cavalo A Palavra Minas por inteiro... Carlos Drummond de Andrade: Bom-DiaAmante brasileiro... Poeta do Meio do Caminho Para o que der e vier... Alguma Poesia: Infância Numa Cidadezinha Qualquer Carlos Drummond de Andrade: Quadrilha: Pintor de Mulher. .. Mundo Grande: Nudez bela... Esquecer para Lembrar... Os Ombros Suportam o Mundo: Sou Fã.zen.deiro do Ar... Boitempo a Rosa do Povo : Num Galope à Beira-Mar... José: Sentimento do Mundo... Vence o Medo, O Lutador... Os Mortos de Sobrecasaca Drummond vate-criador... Além da Terra...Além do Céu... Reconhecimento do Amor... Poema de Sete Faces Soneto da Perdida Esperança Desdobramento de Adalgisa... Poeta foi desde Criança... Confidências do Itabirano: Mãos Dadas:Boa Lembrança... Nosso Tempo: Claro Enigma No Correio...Indagação...? As Impurezas do Branco : Patrimônio - Comunhão... Estrambote Melancólico: Ao Redator de Plantão...

Menino Antigo...Elegia... O Retrato Malsim e Não... Os Cantores Inúteis na Noite: A Consciência Suja do Ladrão... A Paixão Medida de Maria: A Travessia da desilusão... Brejo das Almas...Amor... Tu? Eu?...Um Quarto Escuro O Quarto em Desordem Ficou: Amar - Amaro atrás do muro... Mineração do Outro e do Eu: De repente: o ouro impuro... A Metafísica do Corpo Amar...A Máquina do Mundo Qualquer Tempo: Falta Pouco Biblioteca Verde num segundo José, Nós... Maria, João... Carlos, Teresa e Raimundo... Vestido...Em Favor da Paz: Apelo a Meus Dessemelhantes... Prece do Mineiro no Rio: Lição de Coisas distantes... Discurso de Primavera: Chave de BHelôrisontes... Deu-se O Fim no Começo Canto Esponjoso da Arte Quase tudo: Igual-Desigual... O Outro... Corpo, A parte... Canção Amiga e Áporo: Aqui na Terra e em Marte... A Luís Maurício, Infante... Primeiro Conto: Legado... Os Últimos Dias na Memória... Viola de Bolso toca o gado A Carlos Drummond de Andrade: O Nosso Muito Obrigado... Reler a Falta que Ama Sonhar com a Vida Terna... Construir a Casa sem Raiz Lá no Fim da Casa Paterna: Carlos Drummond de Andrade: Poeta de Luz Eterna...

Amor...Um Sinal Estranho Amor tórrido, Amor brando Viver Amor e o seu Tempo Aqui-Agora... Até Quando? Não se Mate: Salve o Boi: Amar se Aprende Amando... --------------------------------------------------------------------------Educativa A Educação é tudo: Amplia o Conhecimento Faz do homem passarinho No imenso firmamento Nos conduz ao Infinito: Nas asas do Pensamento... --------------------------------------------------------------------------Érico Veríssimo... Érico Veríssimo escritor Romancista brasileiro Lá do Rio Grande do Sul Conquistou o mundo inteiro Filho da bela Cruz Alta: De um povo hospitaleiro... Em Cruz Alta ele nasceu Filho de Sebastião Sua mãe Abegahy Deu-lhe boa educação Ética e consciência Nas bases da tradição... 17 de dezembro 1905...o ano Érico veio ao nosso Mundo Aportou-se nesse plano Para ser grande escritor E um sábio ser humano... Aos três anos de idade Pela meningite é vitimado Por broncopneumonia Seu quadro foi agravado Por Olinto Oliveira: Érico foi bem medicado...

Salvou-se o bom menino Ainda era um infante A atuação do médico Foi fato determinante Érico sobreviveu Para viver triunfante... Ano 1912 No Colégio Elementar Venâncio Aires, de Cruz Alta Mais aula particular Com a mestra Margarida Também soube estudar... Em 1920 Porto Alegre no destino Colégio Cruzeiro do Sul Já não era mais menino Era um adolescente: Mui talentoso e ladino... Viveu em colégio interno De orientação protestante A Bíblia, Inglês e Francês A pesquisa era constante Estudou literatura Foi um aluno brilhante... Abandonou os estudos Ainda no Secundário Voltou à sua cidade Precisava de salário Trabalhou em armazém Foi professor e bancário... O pai foi farmacêutico Dinâmico trabalhador Tinha plano para Érico Estudar no Exterior Na University de Edimburgo De reconhecido valor... O sonho de Sebastião Não deu para realizar A Escócia era distante Muito longe de chegar O custo era muito alto Não dava para bancar...

Forte crise financeira No seio familiar Abegahy, mãe de Érico Pra fora foi trabalhar Para ajudar a Família Com a arte de costurar... Colégio Cruzeiro do Sul Érico lá foi estudar Cidade de Porto Alegre Terra boa para morar Foi estudante dedicado Soube o tempo aproveitar... Érico voltou a Cruz Alta É tempo de trabalhar Tarefas num armazém Soube bem executar Transferiu-se para um banco Para as finanças melhorar... Érico como bancário Dinheiro economizou Com suor e muito esforço Boa quantia guardou No negócio de farmácia O jovem se associou... Não deu certo a farmácia O comércio fracassou Na moça da vizinhança Érico logo reparou Mafalda Halfen Volpi Seu coração conquistou... Uma escola de inglês Érico Veríssimo criou Lá no fundo da farmácia O curso ele estruturou Reunião de estudantes: Muita gente contatou... Arte e Literatura Pesquisa e pensamento Encontro com formadores Leitura e sentimento Fomentava o escritor Despertava o seu talento...

Porto Alegre no caminho A Revista Madrugada Publicou alguns contos Em uma nova jornada Correio do Povo/Diário de Notícias Literatura na estrada... Em 1930 Em Porto Alegre foi morar Com escritores conhecidos Ele gostava de falar Mário, Augusto, Guilhermino Foi muito bom conversar... Secretário de Redação Em revista popular Na Revista do Globo Érico foi trabalhar Exercitou o pensamento Põs a alma pra criar... Na Revista do Globo Ocupou cargo importante Secretaria a Redação Um bom salário garante Casamento com Mafalda Em momento triunfante... Na Revista do Globo Fantoches ele publicou Ano 1932 Primeiro livro editou Com o romance Clarissa A crítica ele conquistou... Ano 1935 A filha Clarissa nasceu Lançou “Caminhos Cruzados” O “Graça Aranha” recebeu Ganhou Prêmio da ABL: O fato assim sucedeu... Prêmio Machado de Assis Cia. Editora Nacional Érico em primeiro lugar Música ao Longe sem igual A Vida de Joana D´Arc Saiu do prelo, afinal...

Luís Fernando Veríssimo Em nosso mundo nasceu Para ser bom escritor A verve do pai recebeu Pai e filhos escritores: O destino nos concedeu... As Aventuras do Avião Vermelho Depois “Um Lugar ao Sol” Primeiro livro infantil De um criador de escol A sua estrela brilhou: Floresceu tal girassol... Pelo clero conservador “O Resto é silêncio” é criticado São tempos de Ditadura Sente o terror do Estado Vargas comanda o Brasil Érico ficou incomodado... A Universidade da Califórnia O convidou como escritor Foi embora do Brasil Rumo ao Exterior Para residir em Berkeley E ser mestre professor... Mills College, em Oakland Honoris Causa Doutor Edição americana Para livros do escritor Traduzido em várias línguas: Conquista o público leitor... Lá nos Estados Unidos Conseguiu ter edição Olhai os Lírios do Campo Recebeu publicação “Caminhos Cruzados” na vida: “O Resto é Silêncio”, então... Autor lido em todo mundo Em alemão e inglês Espanhol...Italiano... Romeno e japonês Russo, sueco e tcheco Em indonésio e francês...

Foi traduzido em húngaro Na Polônia e no Japão Na Finlândia e na Holanda Em francês e alemão Na Noruega e Espanha E nas plagas de Milão... No retorno ao Brasil Fez livro de observação Sobre a vida americana Conseguiu publicação “A Volta do Gato Preto” Recebeu boa edição... A saga “O Tempo e o Vento” É sucesso do escritor 15 anos de trabalho Para expor ao leitor Famílias Terra e Cambará Conflitos, luta e dor... A série em três títulos: Tem na saga “ O Continente” Epopéia “ O Retrato” Boa leitura, consciente “O Arquipélago” nos ilha Nas tramas de sua mente... Organização dos Estados Americanos União Panamericana Departamento Cultural Na capital americana Ano 1953 Sucesso, poder e grana... Três anos em Washington De Clarissa, o casamento Com o americano David Jaffe Deu-se o congraçamento A família volta ao Brasil Pra reviver bom sentimento... Foi conhecer o México E toda sua magia Livro sobre a terra asteca Quetzal da Poesia Encantou-se com o que viu Tesouros da Arqueologia...

Sobre a terra mexicana Relatou as impressões Viajou para a Europa Um centro de criações Defendeu a Democracia Lá na terra de Camões... Ditadura Salazarista Comandava Portugal Teve choque de idéias Com o arcaico general Escreveu “O Ataque” Sobre o fato crucial... Reuniu em “O Ataque” Três contos magistrais Conto “Esquilos de Outono” Outros contos capitais A “Sonata” e “A Ponte” “O Arquipélago” é demais... Pela Editora Globo Na Coleção Catavento “O Ataque” é publicado Além de “O Tempo e o Vento” Érico bem criativo Narrador em movimento... Com Clarissa, em Washington Passa boa temporada Lá nasceram três netos O vovô pega a estrada Michael, Paul e Edward: Alegria na jornada... Ano 1961: Sofreu o primeiro infarto Dedicou-se à Trilogia Para ele um grande ato Érico foi um vate ativo: Fez a hora, tempo e fato... Escreveu a última parte De “O Tempo e o Vento” Revisou “O Arquipélago” Uma obra de talento Concluiu a Trilogia: Um grandioso evento...

Ano 1963: Da mãe...O falecimento Continuou na escrita Dinamizou o pensamento Érico... mestre alquimista Transmutou-se em sentimento... O Golpe veio a galope De tanque e metralhadora É Ditadura Militar Forte ação repressora Terror, medo e tirania Ém uma época opressora... O Golpe de 64 Abateu toda a Nação “O Senhor Embaixador” Dissecou a reação Luís Fernando se casou Em tempos de Repressão... Em 1965: Vai ao Rio de Janeiro “ O Senhor Embaixador” É lido no mundo inteiro Érico é um destaque No romance brasileiro... Fernando, Mariana e Pedro São netos do escritor Filhos de Luís e Lúcia Navegantes do Amor Érico Veríssimo no Rio Terra de mar e calor... Ganhou o Premo Jabuti Por “O Senhor Embaixador” Na categoria romance Érico é digno de louvor Fez visita a Israel Terra de Jesus - Salvador... Fez diário de viagem Da visita a Israel Na terra de Jesus Cristo De Maria e Daniel Na sagrada palestina De Arafat e de Raquel”...

Ano 1967: Lançou “O Prisioneiro” A Editora Aguillar Lá do Rio de Janeiro Publicou cinco volumes Sua obra por inteiro... “O Escritor Diante do Espelho” É autobiografia ... Na Coleção Aguillar Publicou a Trilogia “O Tempo e o Vento “ e outros E a prosa cheia de poesia... Ano 1968: É o Intelectual do Ano Juca Pato da UBE Destaque em primeiro plano Érico era um grande rio: Transformou-se e m Oceano... “Incidente em Antares” É romance grandioso Premiado pelo Pen Club Nosso escritor glorioso Fundação Moinho Santista Lhe dá prêmio valoroso... Sua obra é referência Ganha reconhecimento É destaque no Brasil Como mestre do talento Alquimista da palavra Em eterno movimento... Ano 1973: 40 anos de escritor Depoimentos literários Sobre o grande narrador “O Contador de Histórias”: De destacado valor... Em volume inicial Escreveu livro de memória O “Solo da Clarineta” Retratou a sua história Um escritor de primeira Nos deixou a sua glória...

O “Solo da Clarineta” Ficou livro inacabado Um infarto fulminante: Érico navegou alado Foi daqui para o eterno: Nos deixou forte legado... Ano 1975: Deixou o mundo humano A 28 de novembro Foi morar em outro plano Virou estrela do infinito: No Universo soberano... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Ernesto Cardenal Poeta que nos desperta: Ilumina o pensamento… Liberdade de Expressão: Essência do sentimento… Justiça e cidadania: Na raiz do movimento… Não à perseguição: Sim à solidariedade… Cardenal nos orienta: No espaço da liberdade… Poesia à flor da pele: Arte.Multiplicidade… Poeta e sacerdote: Sonho revolucionário… Basta à inquisição: Amor no cotidiário: Viva Ernesto Cardenal: No Webdomadário… Cardenal é um exemplo: Da América Latina… É do time de Neruda… Sapiência cristalina… Vate da Revôolução: Flui a luz diamantina… ---------------------------------------------------------------------------

É Carnaval... Serpentinas e confetes Pierrô, arlequim, colombina Samba, choro e marchinhas Frevo: transmistura fina Escolas de Samba, blocos: Multifesta flui divina... Abre Alas com Chiquinha No entrudo, teve origem Cordões pelas avenidas Balanço que dá vertigem A multidão se sacode: Manda embora a fuligem... Noel, Ary, Pixinguinha Jacob com seu bandolim Trio elétrico na folia Armandinho, um serafim Dodô e Osmar no ritmo: Salve o Senhor do Bonfim... Filhos de Gandhi e Ylê Alceu no maracatu Olodum, Carlinhos Brown Araketu...Curuzu Joãozinho Trinta, Jamelão: Maxixe, axé...lundu... Portela e Mocidade Mangueira e Beija-Flor Salgueiro e Imperatriz O samba é imperador Tijuca e Viradouro O Carnaval é sedutor... Caprichosos e Rocinha Imperio, Vila Isabel O samba fez escola Lá na terra de Noel Porto da Pedra, Estácio: Carnaval é puro mel... Banda de Ipanema, Momo Rainha do Carnaval No Cordão da Bola Preta: Pacotão monumental

Máscaras e fantasias Animam meu Carnaval... No Carnaval da Bahia Treme a terra em Salvador O Pelourinho pega fogo Axé, samba e calor Todo mundo na folia: Ritmo de paz e amor... Pernambuco se sacode No Galo da Madrugada Recife e Olinda pulam De dia e na noitada Frevo e Maracatu: Trio elétrico na estrada... Leandro de Itaquera, X-9 Os Gaviões na folia... Nenê de Vila Matilide Mocidade é fantasia Tatuapé, Casa Verde: Tem Vai-Vai na alegria Camisa Verde e Branco Unidos da Vila Maria Peruche e Tom Maior Rosas de Ouro: Poesia Tucuruvi, Águia de Ouro : No samba do dia-a-dia... Bailes em todo o Brasil Centro, Sul, Sudeste, Norte O Nordeste pega fogo Alma em teletransporte Carnaval é poesia: A vida ilude a morte... --------------------------------------------------------------------------Êxodo Vim de Ibititá – Irecê Lá nos con.fins do Ser Tao Bahia de Castro Alves: Com amor no coração Aterrissei em Brasília: Pra fazer revôolução...

Fernando Pessoa

---------------------------------------------------------------------------------------------------------FestBrasília

Cine.Cinem.ato.grafia Filmografia nacional Brasília além da política Transmutação cultural Paulo Emílio foi mentor Do famoso Festival... Tempos de efervescência: Fellini, Godard, Buñuel Movimento Estudantil CPC/UNE Cordel Prenúncio do Tropicalismo: Pós-Bossa Nova/Noel... Paulo Emílio Salles Gomes Foi o mestre precursor Professor da UnB De destacado valor Cleantho e Carlos Augusto Apoiaram o criador... Pós-golpe de 64: O quadro era indefinido UnB e CIEM Conhecimento atrevido Apesar da Repressão: O povo era des.temido... Ano 1965: Foi triste o Carnaval Veio a I Semana Etc e coisa e tal Apesar da Ditadura: Deu-se luz ao Festival... I Semana do Cinema Brasileiro: Foi o marco inicial

Rogério Costa Rodrigues Olívio e Geraldo Sobral Galante e Fernando Adolfo: Na equipe inicial... Guimarães Rosa na tela Ecos do Grande Sertão A Hora e a Vez de Augusto Matraga Era um tempo de ilusão Deus e o Diabo em luta: Sonhos de Revôolução... Roberto Santos de primeira Prêmio de melhor diretor A Hora e a Vez de Augusto Matraga: Filme, diálogo e ator Excelente argumento: Foi um filme vencedor... Fernanda Montenegro Tem seu público fiel No filme ´A Falecida´ Fez excelente papel A nossa melhor atriz: Destaco aqui no cordel... ´O Circo´ foi premiado Curta de Arnaldo Jabor Toda nudez será castigada Tudo Bem tem seu valor O Festival de Brasília: No Cerrado é uma flor... Tinha o Clube de Cinema: A Fundação Cultural Cine Brasília arrendado Por grupo empresarial Luiz Severiano Ribeiro Primórdios do Festival... W3 - Cine Cultura Paulo Sá Pinto em ação Elefante Branco no auge Fervilhava a criação Fernando na linha de frente Arte, estudo e emoção... Depois veio o Beirute Esquina brasiliense Cine, poesia, teatro

Política, arte circense Culinária das arábias Com tempero cearense... Cultura sempre presente Estava na ordem do dia Os quartéis estremeciam Com os ecos da poesia Glauber, Chico e Caetano: Vandré e sua alchemia... Paulo Gil, Roberto Pires Jurema Pena na tela Helena Ignez, Rex Schindler E muita gente na cela Romero Lago na censura: A tortura era esparrela... Ano 1967: Arte em ebulição Atuação da censura Pra frear a criação O Festival acontecia No Planalto da nação... A Semana se ampliou Ganhou corpo o Festival O evento cresceu muito Ganhou fama nacional O cinema brasileiro Tem um fórum sem igual... Cine Atlântida – Conic O público em reação Houve quebra de cadeiras Devido a proibição Nenê Bandalho vetado: Censura e Repressão... Gente de todo o Brasil Bahia, Rio de Janeiro Paraíba e São Paulo Ritmo bem brasileiro Cinema e literatura: Batucada no terreiro... Festas, tapete vermelho Luzes, câmeras, ação Hotel Nacional no auge Tempos de celebração

Hippies e roupas de gala: Prazer e badalação... Política cinematográfica E Política Cultural Piscina e movimento Cinema Novo e Marginal Meteorango Kid destaque: Vencedor do Festival... Dina Sfat, Guará Rodrigues Leila Diniz, Paulo José Joel, Kroeber e Darlene Grande Otelo e Zezé Glauber e Sganzerla Jabor, Nelson e André... Anos de chumbo e terror Festival interrompido 1972/73/74 Pensamento reprimido Os generais dominavam O nosso povo sofrido... Cinema em discussão: Performance glauberiana Anarquia criativa Em linguagem soberana Deus, Diabo, fantasia: Com sua verve baiana... Glauber inesquecível Lá no Hotel Nacional Ecos de genialidade: Na história do Festival... Artimanhas do Pereira João Grilo fenomenal... Entre os momentos marcantes: A noite do ´Nenê Bandalho´ A retirada de São Saruê Filme de Vladimir Carvalho Otelo em Macunaíma: Um grandioso trabalho... Presença de Bertolucci Bressane e Sganzerla Zé do Caixão emblemático Além da telenovela

AI-5, Honestino: O movimento na tela... Nélson Pereira dos Santos Filmou Fome de Amor Bressane com Cara a Cara Rogério bom criador O Bandido da Luz Vermelha: Demonstrou o seu valor... Assisti a muitos filmes: Vi Corisco e Lampião Vi o Baile Perfumado E senti grande emoção Nos tiros de Virgulino: Ouvi brados do Sertão... Vi de perto Bertolucci: Anecy, Odete Lara José Wilker, Paulo Autran E muita figura rara Beijei Márcia e Maria E quase da caso Mara... Além do Cine Brasília O Festival navegou Cine Atlântida e Karim A arte glorificou Lá na Sala Villa-Lobos: Muita gente festejou... Cineastas de renome Artistas de dimensão Dib Lutfi e Ratton Zé Dumont, Zé do Caixão Saraceni, Joaquim Pedro: Tantos nomes, lá se vão... Ruy Guerra, Cacá Diegues Domingos de Oliveira Calil, Leonardo Villar David e Nelson Pereira Vladimir e Pedro Jorge: André Luís Oliveira... Antônio Carlos Fontoura Joffilly, Lírio Ferreira Paulo Caldas, Sérgio Silva Dira e Marcos Palmeira

O Santo Forte de Coutinho Ana Beatriz Nogueira... Proezas de Satanás... A Casa Assasinada Todas as Mulheres do Mundo Uma Casa Muito Engraçada Bicho de 7 Cabeças Lavoura Arcaica...A Escada... O Judeu, Louco por Cinema Anahy e Miramar Glauber ´O Filme´ de Tendler Soube bem historiar Eu Me Lembro, Cabra-Cega Amor & Cia...Nobar... Alma Corsária, O Corpo Amarelo Manga, Tabu Vi A Cor do Seu Destino A Maldição de Sanpaku O Mágico e o Delegado Muito Prazer, Maracatu... O Homem do Pau Brasil Um Sorriso, Por Favor A Hora da Estrela, Anjos da Noite Sinistro, Filme de Amor... Kenoma, A Babel da Luz: Nos versos do trovador... Longa-metragem em 35 mm: Melhor Filme do Festival ´Baixio das Bestas´, Cláudio Assis Votos do Júri Oficial Um choque de realidade: Maracatu surreal... Helvécio Ratton talentoso: Levou a melhor Direção ´Batismo de Sangue´, um marco: Dissecou a repressão O terror da ditadura: E sonhos de Revolução... Maxwell Nascimento: Conquistou Melhor Ator Em ´Querô´ foi um destaque Demonstrou o seu valor

Melhor Ator Coadjuvante: Irandhir Santos: Com louvor... Baixio das Bestas sobressaiu: Melhor Atriz - Mariah Teixeira Melhor Atriz Coadjuvante Dira Paes é de primeira... Duas atrizes talentosas: Luzes da cena brasileira... Carlos Cortez premiado: Levou o Melhor Roteiro Mantovani e Bolognesi Querô, traço verdadeiro Colaboração efetiva: O cinema é um luzeiro... A Melhor Fotografia: Foi para Lauro Escorel ´Batismo de Sangue´ em foco Transcendência no papel Transmutação na imagem: Que reluz em meu cordel... Fred Pinto, por Querô: Melhor Direção de Arte A Melhor Trilha Sonora O Pupillo não reparte Baixio das Bestas de novo: Arteceu a sua parte... Louis Robin, por ´Querô´: Arrebatou Melhor Som Conquistou o Prêmio Dolby Comprovou talento e dom Licença para usar o sistema: Para o artista é muito bom... Prêmio de Melhor Montagem: Renato Martins voou... Com ´O Engenho de Zé Lins´ Vladimir nos encantou... Prêmio Especial do Júri: O Brasíl Vladimirou... Clarissa Campolina/Helvécio Marins Jr: Ganharam a Média-Metragem ´Trecho´ marcou presença Transmitiu bela imagem

O Prêmio Ctav recebeu: Fez uma boa viagem... ´O Homem-Livro´ de Anna Azevedo: Prêmio de Média-Metragem... Teve a Melhor Direção Registrou forte mensagem O livro é fundamental: Para se sair da margem... Na categoria Média: Aqui dou prosseguimento Leonardo Medeiros - Melhor Ator Registrou o seu talento ´A Vida ao Lado´ prossegue: Em contínuo movimento... Em ´Noite de Sexta, Manhã de Sábado´: Bohdana Smyrnova se projetou Prêmio de Melhor Atriz Com excelência levantou André Carvalheira, ´Dia de Folga´: Melhor Roteiro levou... Pablo Lobato, por ´Trecho´: A Melhor Fotografia Karen Harlen e Clarissa Deram asas à poesia Melhor Montagem por ´Trecho: Um momento de alegria... Agora vou navegar: Na via da Curta - Metragem Em 16 mm de sonhos Vôos e alunissagem Gê Martu Melhor Ator: É um mestre na mensagem... Guilherme Castro destacou-se: No Filme Terra Prometida Melhor Filme e Prêmio Ctav Abriu vasta avenida O cinema nos encanta: Ilumina a nossa vida... Filme ´A Volta Do Candango´: Levou a Melhor Direção Filipe Gontijo/Eric Aben-Athar Ganharam a premiação

A dupla ficou feliz: Haja vista a emoção... Gê Martu Melhor Ator: Sabe cortar o retalho Vários filmes pela vida Entre eles vi Borralho Gê merece a homenagem: Pela excelência do trabalho... Melhor Atriz Sarah Vasconcelos: Em Uma Vida e Outra trabalhou Melhor Roteiro, Santiago Dellape Em Nada Consta exercitou André Benigno, em Borralho: Melhor Fotografia conquistou... Marcius Barbieri com Vestígios: Recebeu Melhor Montagem Encontro com Milton Santos Mostra um mestre da linguagem Sílvio Tendler alquimista: Documentou a imagem... Encontro com Milton Santos: Prêmio Júri Popular Sílvio Tendler sempre um às Sabe muito bem filmar Na arte do documentário É um mestre a nos guiar... O Homem-Livro, de Anna Azevedo: Prêmio Júri Popular Curta-metragem destaque Soube o Ctav ganhar Cópia em 35 mm: Para bem se apresentar... Outros prêmios importantes: Cabem aqui destacar Prêmio Câmara Legislativa: Vladimir soube ganhar ´O ´Engenho de Zé Lins´: Exprime o mestre invulgar... Prêmio Câmara Legislativa: Para o Distrito Federal Em 35, Melhor Longa Vladimir foi magistral

Prêmio Quanta para o Mestre: Que transcende o literal... Cine Brasília é o templo Estrela do Festival Lá vi Glauber performático Com sua verve genial Vi Fernanda e Otelo Sylvio e Tata Amaral... O cinema brasileiro Aqui é valorizado Sem mordaça e viseira Do triste tempo passado O público é sua alma: Atento e apaixonado... Cineastas se revelam Surgem os novos atores Atrizes de alto nível Criativos produtores No Festival de Brasília: Fluem realizadores... O Festival de Brasília: É orgulho nacional Tem renome e prestígio E fama internacional Conquistou o seu lugar: No concerto universal... --------------------------------------------------------------------------Francisico Buarque do Brasil Francisco Buarque de Hollanda Arquiesteta da canção PoetÁs - composiator Banda em transe mutação Mestre de obra da Palávrea Infiniterna Construção... Ontem sonhei com Noel Lá na Vila, sim, senhor ... De repente, era o Chico, Médico, louco, cura-a-dor Lá na senda, Ismael Silva Ressurecto encantador?... Chico luz em Roda Viva Sol discreto e coerente

Revoluxcionário da gema Poeta Transascendente Quem te viu, quem te verde Francisco, nos oriente... Haja Chico ParaTodos Romancista - Escritor, Bossa - Samba - Carnaval Artista: Transforma-a-dor Tem a alma de Noel E verve de Cantador... Chico é puro bombom gosto Balada fina da bossamba Quintessência da Poiesis Francisco é nosso bamba Gera, pare, cria, inventa Para que o povo...lamba... Bebo o Cálice da Arte Em Canção Desnaturada Sorvo mel em Gota Dágua Na Taça da Madrugada Lá no Morro Dois Irmãos Faço Vigília à Luamada... Futuros Amantes sonham Em viver um grande amor, Beatriz, Joana francesa, O mundo desmancha em flor A foto da capa - Pedro pedreiro Voa sabiá...Acorda, amor... Humanista e solidário, Não quer seu povo cativo Desafiou a Dita Cuja Sempre crítico - proativo Simbólico, zen, recatado, Equilibrado e combativo... Vai Passar... Chi. Já Passou... Chame, rechame o ladrão Guri - Pivete; Assentamento Seres Levantados do Chão Jorge Maravilha - Calabar, Não se censura a criação... Chico desencanta AumBanda Primeiro Encontro, afinal Tem Mais Samba Lá no Morro

Sonho de um Carnaval, Meu Caro amigo, cale-se, Beba o Cálice do Graal... Samba choro marcha rancho Bossa nova antropical Rosa, Noel, Pixinguinha, Lalamartine seminal, Ismael Silva...Braguinha Sorver Chico ao natural... Lá na Estação Primeira Há Derradeira Estação Os Encantos da Mangueira... Ritmos de um Violão... Chico na voz da Poesia, Nos ecos de Jamelão... Retrato em Preto e Branco, Salve Chico, trovador, Vem Cartola, Clementina, Donga, Moreira, Senhor ... Francisco Buarque de Hoalanda: Chico, nas asas do Amor... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Festança

A Ciência do Folclore: Aprendi com o Cascudo... Patativa deu o mote: Ariano conteúdo... Vitalino esculpiu: Cartola nos disse tudo... Baião de dois:Farinhada A sagrada rapadura Bebo uma talagada Gole de cachaça pura Para cantar o Brasil: E os festejos da cultura... Conhecimentos e crenças:

Conjunto das tradições... Danças, ritmos e lendas: Fábulas...Superstições... Comidas e vestimentas: Mitos...Advinhações... São muitos ciclos festivos: Ano-Novo...Carnaval... Ciclo das Águas e do Divino: Sacro ciclo quaresmal... Ciclo junino e julino: Papai Noel no Natal... As doze noites festivas: Iniciam-se no Natal... O culto ao Sol Invictus: Antigo e tradicional... Vai até 6 de janeiro:Reis Magos universal Diversas festividades: Festas do Cristianismo... Divindades,santos, santas: Festejos do ecumenismo... Nosso Senhor, Nossa Swnhora: Procissões do sincrertismo... Os índios também celebram: Fazem os seus festivais... É festa de todo tipo: Festanças monumentais: Tem as festas evangélicas: E as festas orientais... Folguedos, bailes e cultos: Práticas devocionais... Tropos, autos, malhações: Votos sobrenaturais... Deuses, bruxas, orixás: Viagens transcendentais... Cultura e arte do povo: Cerimônias...Rituais Expressões do sentimento:

Desatam laços sociais... Lavam a alma da gente: Sonho, canto, festivais... Tantas festas populares: Lembranças e emoções: Carnaval sempre presente: Na marcha dos corações... Desfiles nas passarelas: Em dia brados foliões... Mani.fest.ações de rua: O Galo da Madrugada... Trio Elétrico da Bahia: No Cerrado a cavalhada... Catira...Cordel...Divino: Cateretê e congada... Juninas festas julinas: Sobressai o São-João... Quadrilhas, arrasta-pé: Fogos, fogueira, balão... Pamonha e milho assado: Festa boa é no Sertão... Música, teatro, dança: Sinônimo de alegria Uma lona colorida O palhaço que arrelia... Desde Maximus em Roma: O circo nos fantasia... Sociedade do Espetaculo: Des.Ilusão, malabar... Platéia - arqui.bancada: Gol na festa popular... Futebol circo moderno: A multidão a sonhar... Garrincha,alegria do povo: Fez a massa delirar... Driblava Zé e João: Era festa popular...

O anjo das pernas tortas: Soube carnavalizar... As palhaçadas da vida: Sonho televisionado... Bobo da corte moderno: O povo vive adestrado... Novelas do cotidiano: No mundo globalizado... Bailes em todo o Brasil Centro, Sul, Sudeste, Norte O Nordeste pega fogo Alma em teletransporte Carnaval é poesia: A vida ilude a morte... Abre Alas com Chiquinha No entrudo, teve origem Cordões pelas avenidas Balanço que dá vertigem A multidão se sacode: Manda embora a fuligem... Noel, Ary, Pixinguinha Jacob com seu bandolim Trio elétrico na folia Armandinho, serafim Dodô e Osmar no ritmo: Salve o Senhor do Bonfim... Carmen Miranda, Tropicália: Bumba-Meu-Boi sedutor... Maxixe, afoxé...lundu... O samba interlocutor... Todo mundo na folia: Ritmos de paz e amor... Sortes e adivinhas: Simpatia e acalanto... Pai-Nosso, Salve-Rainha: A festa é um encanto... Santo de cabeça pra baixo: Atrás da porta no canto...

Crisma, batismo de fogo: Dançar e pular fogueira... Asssar batata na brasa: Cantar a Mulher Rendeira... Baião de Luiz Gonzaga: Com forró a noite inteira... Latada, pamonha, canjica: Mel, cuscuz e macaxeira... Cachaça de alambique: Cana boa de primeira... Quentão, verso, cantoria: Pra curar a pasmaceira... Festival da Música Brasileira Festival da Nova Música Popular Festival Internacional da Canção O Cantador a declamar Alegria, Alegria: Vamos todos festejar... Dancei no Boi do Teodoro: Desfilei no Pacotão... Charles Preto na surdina: Perfilou na contra-mão... Cassetete da Polícia: Abaixo a Repressão... Cantigas...Contos... Brinquedos: Nos sonhos do dia-a-dia: Oktoberfest, micarê... Máscaras da fantasia: Joãozinho Trinta - Jamelão: Nossas festas têm magia... Amazonas Parintins: Caprichoso e Garantido: Cunhã Poranga e Pajé: Saci e boto atrevido... Gigante Juma - Curupira: Boitatá bem sacudido... Bumbódromo tupiniquim

ilha Tupinambarana: Mapinguari e Mãe-Dágua: A floresta nos irmana... Açai...Cupuaçú: Ecos da sussuarana... Dança a Mula-sem-cabeça Mãe-de-ouro na folia... Corpo-Seco, Pisadeira: Destranca a rua, Maria: Com as sete chaves da vida: Consagrada epifania... Nosso Senhor dos Navegantes: Linda Conceição da Praia... Fui à Pesca do Xaréu: No mar se via arraia... Na Festa de Iemanjá: Capoeira, mini-saia... Nossa Senhora do Rosário: Pirenópolis-Catalão... Goiás Velho e Trindade: Juazeiro no Sertão: Lampião e Padim Ciço: Reza de Frei Damião... Raízes culturais do Brasil: Questão de identidade... Círio e Aparecida: Interior e cidade... Procissão do Fogaréu: Festa...Multiplicidade... Candomblé Umbandaum: No Pelô o saravá... Mãe Menininha, a bênção: Iluminou Gantoá... Os orixás da Prainha: No Lago Paranoá... Ciranda, Cirandinha: Lia de Itamaracá... Serenata, romaria:

Seu Ioiô e Dona Iaiá: Pega-pega; esconde-esconde: Lá...aqui e cacolá... Parlenda, cantiga de roda: Trava-a-língua e tirana... Anedota e piada: Na casa da Mãe Joana: Tem chorinho e modinha: Lá na Vila Mariana... Mestre Salustiano se foi: Antônio Nóbrega ficou... O Quinteto Violado: A sua marca nos deixou... Na Afrociberdelia: Chico ciência cantou... No ritmo do improviso: Inácio da Catingueira... Cego Aderaldo na rima: Desafia Zé Limeira... Festa em Campina Grande: Xaxado...Mulher Rendeira... Repercutem os tambores: Oferenda a Iemanjá... Oxum, Xangô,Iansã: Oxóssi, Ogum, Oxalá... Macumbanda...Candomblé: Iaô...Ylê...Iaiá... Cristão e mouros em luta: A famosa cavalhada... Pastoril e seus cordões: Sebastião na congada... Zabumbas e maracás: Sacodem a caboclada... Nossa Senhora Aparecida: Festa da Boa Viagem... Santos Reis, São Benedito: Chegança...Camaradagem...

Pajelança...Uca-Uca: Nossos ritos de passagem... O Brasil se sassarica: Se sacode na noitada... Pula, dança e festeja: Pagode e marujada: Xoxoteia xaxaxando: Se remexe na lambada... Nas festas de hoje em dia: Tudo está muito mudado... Tem show e tecnologia: Se perdeu o rebolado... Saudade do forrobodó: No terreiro e no roçado... Nas noites de minha infância: Não tinha eletricidade... A luz era à luz da lua... Tinha estrelicidade... Dos festejos de menino: Lembro e morro de saudade... Nosso povo é sonhador: Deseja o essencial... Terra, amor, casa, comida: Trabalho, vida normal ... Quer a paz e equilíbrio E festejar o Carnaval... Valorização da Arte É ação de resistência A cultura é vital Pra nossa sobrevivência Livros, arroz e feijão Na festa da consciência. Pra você tudo de bom: Saúde...Fraternidade Um Natal de harmonia: Luz...Solidariedade... Paz...Amor e Alegria: Sucesso e Felicidade...

Um Ano-Novo de glórias: Sua estrela vai brilhar... Que tudo se concretize: Possa a vitória alcançar Universe a fantasia: Numa Festa Popular... ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Giro

Em Brasília inicio A minha pregrinação Pelas cidades do mundo Brasil...Afeganistão Roma...Meca e Paris New York e Cubatão... Brasília que é um marco De poder modernidade Me conduz à Babilônia Símbolo da antiguidade Bagdá...Jerusalém... A saudade a mim invade... Cidades do Oriente Ulan Bator Istambul Alexandria Marrakeshi Ramala Cairo Mossul Das cidades ocupadas Não esqueço de Cabul... Depois de tantas cidades Com pensamento profundo Vou a Pequim e a Tóquio Em menos de um segundo Vou parar em Shambhala Cidade de outro mundo ... Lá pras bandas da Mongólia No Deserto de Gobi Uma cidade encantada Dizem que tem ali Com tanto encantamento Procuro as que tem aqui...

Depois de tanta viagem Em terreno estrangeiro Vou à Cidade Maravilhosa Nosso Rio de Janeiro Vejo o Cristo Redentor Abraçar o mundo inteiro.. . Jamais irei esquecer De Irecê... Ibititá Do Recife dos Cardosos Bahia! Meu Shangrilá Da Chapada Diamantina Lapão...Tapiramutá... Na Terra dos Orixás Bahia de São Salvador Boa terra ...Boa gente Que cultiva Paz Amor Onde mora Iemanjá A musa do cantador... Em Salvador vou ao Mar À Ilha de Itaparica De lá pra Itapoã Vinícius me deu a dica Praia...Sol... água de coco Vou beber água na bica... Já que estou na Bahia Passo em Porto Seguro Na Costa do Descobrimento Vou derrubar todo muro... Construir no Oceano As cidades do futuro ... Vi São Paulo sem igual Nordestina, imigrante... Metrópole Universal Pós-moderna...Instigante Industrial...Planetária Cibernética...Triunfante Brasília é uma pérola Um cristal...Um diamante Obra-prima de JK De Alvorada radiante Por do sol monumental: Arquitetura deslumbrante...

Em Brasília tem jatinhos Tem palácios e mansão Muita riqueza e dinheiro Concentrada em pouca mão O povo já não aguenta A opulência que se ostenta Num mar de corrupção... Brasília é Patrimônio Cultural da humanidade Tornou-se uma Metrópolis Uma grandiosa cidade Vou-me pra Ibititá Buscar a tranquilidade... ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Glauberiana

Glauber Rocha é arquétipo: Do Cinema Brasileiro... Crítico-ator, jornalista: Cineasta candeeiro... Farol do Cinema Novo: Consagrado no estrangeiro... Nasceu em Vitória da Conquista: No alto ser.tão baiano... Tinha verve condoreira: Cinema em primeiro plano: Castro Alves em sualma: Foi poetás soberano... Ano 1939: 14 de março o dia... Glauber de Andrade Rocha: Iluminou-se na Bahia... Mahatma do pensamento... Verve da cinemagia... Glauber deu luz a Pátio: Continuou com Barravento... Do erudito ao popular: Deu asas ao pensamento... Romanceiro nordestino: Poética do sentimento...

Cordelo cinematográfico: Tansliteratura oral... Cantador onisciente: Deus-Diabo universal... Tem cego e cangaceiro: Além do sobrenatural... Filme, saga, cosmogonia: Crendices e heroísmo... Fepopéia populalma: Presença do mistic.ismo... Glauber flui dialelétrico: Crítico-experimentalismo... Melhor Direção em Cannes: Com o filme "O Dragão" Glauber Rocha condoreiro Vate da trans.mutação DeusDiabo trielétrico: Deu voz ao nosso Ser tão... Fez Pátio , A Cruz na Praça: Terra em Transe, Barravento Leão de Sete Cabeças Câncer, Claro, sentimento História do Brasil constante: Eldorado em movimento... Movimento do Cinema Baiano: Cine-realizador... Performático-dramaturgo: Roteirista e escritor... Atuou na produção: Brilhou como diretor... Deus e o Diabo na Terra do Sol: Marco do Cinema Novo: Glauberrante Cantador: Traduz a língua do Povo... Revôolução Quinematográfica: Glauber Rocha sempre louvo... Revisão Crítica do Cinema Brasileiro: Cinemagma-literatura... Politíca e conhecimento: Lutas, conflitos, ternura... Glauber falava com Deus: A lingua.gen da Lou-cura

Letícia e Mossa no Marrocos: Super-Paloma; Tatu-Bola... Vent´ D´Este... Rei dos Milagres: Jorjamado fez escola... Viagem com Juliet Berto: Cabeças Cortadas, degola... Cangaço, ser-subversão: Crítica ao Neocolonialismo... Oralidade.Imagetica: Folclore-Nacional ismo... Manifesto Estética da Fome: Antiimperialismo... CineCiência...Cordel: Riverão Sussuarana... Rosa, Graça e Rosselini: Religiosidade baiana... Flui em Idade da Terra: A verve glauberiana... Crítica ao Colonialismo cultural hollywoodiano: Estética do Sonho, permanente... Crítica ao Neocolonialismo tecnológico: Glauber críticoconsciente... Lampião-CorisConselheiro: Em Glauber clarievidente... Influência de Getúlio Vargas: Multinacionais na cena... A corrupção da mídia: Captou com a sua antena... Cordel-Kinema-poiesis: Desde o tempo de Helena... Lúcia, mãe ambilíssima: Deu a luz ao diretor... A verve glauberiana: Ela teceu com amor... Deus asas ao criativo: Glauber vate sol condor... Paloma seguiu o pai: Faz cinema de primeira... Daniel, Padro Paulo, Erik: Cineaerte candeeira... Ava Pátria Índia Yracema: Quintessência brasileira...

Glauberrando quinemagia: Glauber ser klarividente Glauber espírito tropicanto: Glaubeletro-louconsciente... Criautor de Pyndorama Socyal Kaosmovidente... Glaubrilhante primavera Lampião Nordeste gente Universol do sertão Universer reluzente Glaubaianagô - Oxossi Glaubebendo o solardente... Glaubeterno vanguartista GlauBrasil libert.ação Cangaceiro - repentista Cinema novo em ação Internacionarte plena Glaubérrima Revôolução... Glauber revoluzcionou: O Cinema Brasileiro... Busca a linguagem do povo: Terra em Transe no terreiro... A Idade da Terra solumina: Ser tão é o mundo inteiro... Glauber Rocha fez a síntese: Transposição da linguagem... Cinemagia sertânica: Cosmo.visão da imagem... Deus e o diabo presentes: Além da Terceira Margem... ------------------------------------------------------------------------------------------Golpe de mestre A mídia amamenta O pó-lítico tram.biqueiro Cria imagem collorida Para porco no chiqueiro Faz galo botar ovo E bode virar carneiro --------------------------------------------------------------------------Graça Graciliana... Graciliano é Nordeste É Sertão e desalento

Traz o Cárcere na Memória Vida seca e atormento Sofrimento sertanejo Mandacaru... sentimento... Das Alagoas para o Mundo Romancista sem igual Psicológico - Humanista Narra dor essencial Escritor de Quebrângulo Crítico sóciocultural... Graciliano primogênito De quinze, foi o primeiro No Sertão das Alagoas Veio ao mundo por inteiro Romancista magistral Sangue e alma de vaqueiro... Literatura seca, enxuta De aridez na paisagem Ilumina o pensamento Na ressequida imagem Graciliano transmuta O elixir na linguagem... Clássico - regionalista Solar, telúrico - universal Introspecto, inconfidente, Incomparável - genial Grande, lúcido, inteiro Além do Bem e do Mal... Linhas Tortas,Vidas Secas Sem água para molhar Sempre vasilha vazia Sem nada pra alimentar Minguada cuia na vida, Sem lagosta e caviar... Graciliano nos revela Pobreza mais injustiça Fomiséria brasileira Que dilacera a Justiça Morte e desnutrição: Elite q mui desperdiça... Caetés e Vidas Secas Memórias do Cárcere:brado Fez Infância e Dois Dedos

Insônia: voz do seco bardo... Alexandre e Outros Heróis , Angústia e São Bernardo... Histórias de Alexandre 7 Histórias Verdadeiras, Fez "Viagem" pelo mundo "Linhas Tortas", passageiras, Umas "Histórias Incompletas", Pelas plagas brasileiras... Miserável epopéia Vida seca, amarela, Angústia do cidadão Sofrido na esparrela Fome que mata homem Sem comida na tigela... Sempre espírito grandioso Perseguido, aprisionado, Apesar da amargura, Do coração transtornado, Foi bom diretor, prefeito, Honesto e sempre honrado... Paulo Honório - Sinhá Vitória Fabiano com coragem Madalena, Anita, Anália Luís da Silva, personagem Graciliano alquimista: Mestre Graça da Linguagem... Graciliano autor fecundo Em várias línguas traduzido Retrata o Brasil real Árido torrão ressequido, Homem - Terra, consciente, Jamais será esquecido... ------------------------------------------------------------------------------------------Har-Magedon

Pra começo de viagem Preciso me apresentar Sou poeta do destino Uma história vou contar

Da Guerra do Armagedon Que ao mundo vai transformar... Canto a guerra no repente Fim dos tempos a chegar A malícia da serpente Vem uma besta do ar Controle do Pensamento: Homens a escravizar... A guerra sempre existiu Da caverna ao avião O homem sempre brigou Por uma falsa razão Destruindo o semelhante Por prazer e por paixão... Refaço a visão do Apocalipse Do profeta São João A cidade dos remidos A musa da salvação O berço da eternidade A glória da perfeição... As profecias se cumprem Seria bom que se sentisse Os profetas predisseram Nostradamus bem que disse De Patmos profetizou O homem do Apocalipse... Treme a Terra, geme o Povo. Em tremenda desventura Terremoto em toda parte Aumenta a temperatura O terror faz a moeda Nos leva à sepultura... O tempo me preocupa É hora de meditar Virá um grande cometa Para tudo iluminar Uma chuva de meteoro Para nos amedrontar... Gafanhotos atacarão Guerra bacteriológica Vírus, fungos e doenças. E praga tecnológica

A Guerra do Armagedon: Em transe psicológica... Guerra-Ódio e amargura Desgraça e destruição O Terror invade a Terra Gerando medo e aflição A Guerra do Armagedon: Será a Grande Questão... Não se fala em Poesia Só se vê Corrupção Filhos desrespeitam os pais Cresce a prostituição Comanda a Ditadura: Com tortura e repressão... O povo a passar fome A miséria é total Em toda parte da Terra A desgraça é geral O petróleo sobe sempre: Tudo é mesmo desigual... Praga – doença e moléstia Terremoto a abalar Todo o globo terrestre Começa a se inundar Maremoto e furacão: Muita gente a matar... Reinam be$tas poderosas: O homem a governar Vem a besta americana Controlar terra e mar Aliada de Satã: Faz a guerra prosperar... Os problemas são gigantes: É nação contra nação Todo mundo está na luta Na Grande Rebelião Manda a besta do pecado: Enfeitiça a Multidão... Livros serão proibidos Guerra contra o Islão Desvirtuaram a Bíblia Na Nova Inquisição:

Conflitos no Oriente: Iraque – Afeganistão... O homem é reprimido Não se pode ser irmão A verdade proibida: Será grande a confusão Pra comprar ou pra vender: Tem que ter numeração... Morreu o deus de outrora: Tudo agora é diferente “Viva o Homem do Pecado”: Ouço a voz da pobre gente Adoram um Imperador: E a besta do Presidente... Criarão um mandamento Todos têm de respeitar Adorar a Satanás Pra viver e pra comprar Quem não tiver o sinal: Não precisa nem rezar... A Terra em grande dor Quem poderá nos salvar? É grande a exploração O pobre a massacrar O povo alienado: A imagem a adorar... Guerra fria imperial De russo e americano Conflito...espionagem Muito medo e engano O lucro e a mais valia Traz ao homem muito dano... Não existe comunista Democrata não nasceu O ser humano é ditador Só pensa no que é seu Consumismo e poder: Nosso homem se perdeu... A Verdade está presa Reina a hipocrisia A mentira é a moeda Comanda a putaria

Está tudo endiabrado: Desgoverno na orgia... Gente de sexo trocado Homem virando mulher É mulher que vira homem William que vira Ester Em mulher que era macho: Quem vai meter a colher?!. Homem com homem casado Ligado cangote e pé Tem tara pra todo lado Tem Maria que é Zé E tem Zé que é Maria Já tô ficando lelé... Cassino por toda parte Loteria e milhar Tudo aqui é diversão Jogo do bicho e de azar O desemprego crescente Faz o povo se virar... Os ricos estão mais ricos Muito gente a roubar Desfalcam o nosso Erário Sem ligar para o azar Exploram o dia todo Para o tesouro aumentar... Não existe mais verdade Só se vê demagogia O Terror a detonar Dia e noite...Noite e dia... A corrupção impera Explode a Democracia... A miséria se agiganta A fome se multiplica O pobre está na dança Cada vez mais se complica Ninguém liga para o povo: Nessa vida de titica... É chegado o momento Da grande desolação A batalha crucial: Uma louca confusão

A Guerra do Armagedon É caos e destruição... O mundo está com medo De enfrentar o temporal O homem está perdido No Pecado Capital Corrompeu o coração: Eis aí o grande mal... Ninguém teme o futuro Nem procura a Razão O Amor foi sepultado Está faltando o pão Só se deseja poder Neste mundo de ilusão... O desgoverno comanda O Estado está doente Liberdade só vai ter Pra se adorar a $erpente O sistema desumano: Oprime, mata e mente... Começou o Grande Império Reino da destruição Do engano e da miséria Medo e profanação O homem está perdido Na via da solidão... Foi aceso o estopim Lá nas bandas do Islão No Irã do Aiatolá: Iraque – Afeganistão Palestina e Israel Na Índia e Paquistão... Os dias estão contados Para o velho Reino Unido O Império Americano Prepara o seu gemido O Império Soviético Que também será vencido... Morre o velho “comunismo” A esgotar-se pelo mundo A Guerra do Armagedon Terá estrondo profundo

Sobreviverá a Luz: Morrerá o ser imundo... A Guerra do Armagedon: A intervenção de Miguel Perseguição ao Islã Conflito com Israel Palestinos na berlinda Na terra de leite e mel... O Brasil será potência? A Austrália, uma rainha. Países mediterrâneos Seguirão a outra linha A Europa dividida É a guerra que caminha... África a se rebelar A Ásia num só estouro EuroAmérica como centro Cantarola um novo agouro Bombas, guerras, invasões. Desgoverno de um touro... O último dos Papas Pietro será chamado O último da dinastia O final de um Estado Dá adeus ao Vaticano Será tudo transformado... O Papado mudará Da sede do Vaticano Um novo Papa reinará No continente americano Deve ir para o Brasil: Onde cairá o pano... A decadência da Igreja Veio com a Inquisição tornou-se um vasto Império Esqueceu a salvação O Brasil foi escolhido Pro fim da religião... Um colapso mundial Por causa da energia Falsos profetas prometem Paz, pureza e harmonia.

É o Reino do Anti-Cristo: A besta da hipocrisia... Surge a grande meretriz Babilônia, a grande musa. O caos se espalha na Terra A multidão fica confusa Sorve a taça de sangue: Que a Besta-Fera U.$.A Vive-se a confusão O Terror está no ar A TV mostra a guerra: O Horror a atacar Naves a explodirem Bombas a nos detonar... É a fome massacrante Multidões a dizimar Terroristas de plantão Prontos para pipocar A Guerra do Armagedon Será de arrepiar... Terá Bomba de Hidrogênio Raio Laser pra matar Bomba de Antimatéria Vai desmaterializar Terá Bomba de Neutrônio Pra tudo paralisar... A Terra fora dos eixos Em grande transformação Terremoto e hecatombe Maremoto e furacão Ondas gigantes no Mar E a fúria do vulcão... A Terra entrará em transe Tempestade a dizimar Gigantesca inundação Um dilúvio de matar Fogo, água e meteoro. Tudo vai se transformar... O egoísmo é tirano Faz o homem guerrear Usar o conhecimento Pra excluir e matar

Aprisiona a liberdade Tira o outro do lugar... A guerra surgiu tão logo Ao mundo o homem veio Um se julgando bonito O outro se achando feio Surgiu a luta ferina Partindo tudo no meio... Descobriu-se o armamento Primeiro que a Educação A estratégia da guerra Sempre teve promoção O mundo está doente Cheio de poluição... É a luta dos sistemas Ciência e Religião A política do mal Faz a espoliação Mata o povo de fome Com tanta corrupção... Geram medo nas pessoas Fazem a profanação É o credo diabólico A grande imposição Submetem tanta gente Com ódio e opressão... Caminhamos pro incerto Sinto medo e amargura Na frente a hecatombe Ao lado a sepultura Congelaram o Amor Petrificaram a ternura... Começou na Idade Antiga Primor da civilização Lá nas terras da Suméria Anunakis em ação De Babel à Babilônia: Instaurou-se a confusão... Tarsis era atlante Egito piramidal Fenícia dos navegantes Tiro era fenomenal

Nínive era colosso A mudança foi total... Tinha o Império de Mu Um povo adiantado De alta tecnologia Alta classe e rico Estado Foi para o fundo do Mar: Ficou tudo sepultado... Em Lemúria e Atlântida Tudo era colossal Maias, incas e astecas Era um poder magistral Tupis e peles vermelhas Foi um tempo sem igual... Foi-se um tempo de potência Tudo era diferente Vivia-se em plena festa Era um tempo caliente A injustiça comandava: Nos tempos de antigamente... Até que veio o Terror A desgraça foi geral Veio o grande dilúvio Numa inundação total A vingança dos deuses Contra o filho hominal... Escapou um cidadão Cujo nome era Noé Foi destaque entre nós Pois em Deus botava fé Redimiu a raça humana Que vive em marcha ré... Deu-se a continuidade Da espécie da ambição O homem se elevou E olhou pra amplidão Começou a guerrear E matar o seu irmão... Tinha Sodoma e Gomorra Pompéia e Herculano O fogo abrasou tudo Com a fúria de Vulcano

Tróia e Alexandria Sumiram no oceano... Cidades da Antigüidade Persepólis foi arruinada Alexandre pilhou tudo Foi grande a derrocada Karnac – Helicarnasso Sumiram na madrugada... Morreram hiperboreus Os loiros ocidentais Orgulhosos arianos Poderosos generais Nas águas dos oceanos Ao poder terão jamais... O egoísmo não morreu Faz o homem se matar Avareza e mentira O homem a enganar Usura e lucro fácil O homem a explorar... Surgiram novos impérios O poder se renovou Árabes e judeus Por tudo sempre brigou Na luta pelo poder A verdade se enterrou... A Pirâmide de Gizé, A Esfinge de valor Queóps e Miquerinos O instinto construtor O Rio Nilo a molhar Fez brotar a luz da flor... O homem não se contenta Com aquilo que ele tem Sempre quer aumentar O poder que não convém Para atingir a meta Não respeita seu ninguém... Homem escravo do homem Mania de ser superior Passa por cima de tudo Provoca medo e dor

A luta pelo poder Trouxe a morte do amor... Egito, Síria e Iraque Guerra no Oriente Médio Palestina perseguida Terror, ódio, medo, tédio O homem provoca o mal Para ele tem remédio?! Origem do patriarcado Do errante povo hebreu Conta a velha escritura Que o tempo concebeu Mostra a vida de Abraão O patriarca judeu... Dividiu sua família Expulsou a Ismael Teve um filho com Sarai Isaque, pai de Israel Tirou de um deu ao outro: A terra de leite e mel... Dividiram-se os irmãos Em tribos bem desiguais Foi em Ur da Caldéia As divisões raciais Do Iraque ao Egito: A confusão é demais... Ismael foi para um lado Para ter futuro incerto Era filho de estrangeira Não tinha destino certo Foi expulso pelo pai Para viver no deserto... Isaque foi abençoado Teve toda regalia Cresceu em sua mente Ego e megalomania Transmitiu aos descendentes O poder que possuía... Aí está o mistério É uma luta de irmão Árabes e israelenses Precisam de evolução

Buscar paz e tolerância Harmonia e comunhão... O conflito prosseguiu Com Jacó e Esaú O Jacó foi mais esperto Deixou pois o outro nu Enganou o primogênito Causou o maior rebu... Será no Médio Oriente No Estado de Israel A Guerra do Armagedon Uma batalha cruel Luta do bem contra o mal De Satã contra Miguel... Har-Magido é mistério No Megido há rebeldia Planície de Jezrael A morte da hipocrisia Na Guerra do Armagedon Morrerá a tirania... O homem não tem remédio É um eterno carniceiro Desde os tempos da caverna Tem mania de guerreiro A Guerra do Armagedon Abalará o mundo inteiro... O petróleo do Oriente Causará a confusão Árabe e israelense Nunca mais se unirão Na Guerra do Armagedon Vamos ver quem tem razão... Israel tremula e treme Por matar o redentor O rabi assassinado Mestre e consolador Até hoje é negado Por um povo sofredor... Crise no Oriente Médio Terror na Mesopotâmia Invasão tortura e morte Na terra da Babilônia

A Águia na invasão Gera dor medo e insônia... É tempo de ironia Do crente e do ateu O demo na gargalhada Nunca se escafedeu Atenta para o pecado O nobre e o plebeu... Judeus e palestinos Mesmo povo perseguido Eles dizem ser de Deus O povo bem escolhido E que a bela Jerusalém Será um reino remido... Judeus são discriminados Foram vítimas de racismo Sofreram lá na Europa Sob a égide do Nazismo Fazem com os palestinos As loucuras do fascismo... A Bíblia nos atormenta Com as suas profecias Vejo a deusa prostituta Nas horas contando os dias Babilônia com o vinho Enlouquece nas orgias... Vejo a Terra tremer Maremoto e explosão Grande Cidade atacada Por satélite e avião Tempestade e geleira Bomba, vírus, furacão... É o fim da religião A verdade se emperra Ateus, profanos e crentes Brigando na eterna guerra Todos na ambição De ter o planeta Terra... O Papa mudará Da Europa pro Brasil Tomarão o Vaticano Com bomba e com fuzil

O papa como é esperto Não quer perder o covil... Sai da Praça de São Pedro Em busca de outro lugar Deixa a vida de nobre Terá que modificar Novo tempo, nova era Novo homem vai raiar... Anti-Cristo, Falso Profeta Estão juntos pra brigar O falso Cristianismo Um dia vai acabar Ouvi um dia em sonho: Que o bem vai triunfar... O cordeiro apocalítico O sagrado redentor Prometeu a liberdade A Poesia e o Amor Eliminará da Terra: O sistema de Terror... Os selos já foram abertos Começa a transformação Vejo Gogue e Magogue O Demo na ebulição As duas bestas brigando E adorando o Dragão... A América belicista A Europa a reclamar A Rússia esfacelada Israel a se armar O Islã se elevando: A guerra está no ar... É a voz da profecia Em tempo de revelação Do mistério cabalístico Do profeta São João É o princípio da dor Vou fazer meditação... O capital faz a guerra Dilacera o amor Aniquila com a paz Tortura com sua dor

O Diabo nos engana Com seu ar de traidor... As ogivas a dançarem Bactérias no ar Os fungos e cogumelos Fazem o robô chorar Na Guerra do Armagedon O homem vai se transformar... *Poema apresentado em Brasília, no Festival Nacional de Cordelistas e Poetas Repentistas(1980) e gravado em entrevista pela antropóloga Silvie Raynal da Universidade de Sorbonne(Paris), em Brasília, agosto de 1980.

--------------------------------------------------------------------------Homens-Caranguejos Pobres homens-caranguejos, Comendo lixo e lama... Seres sem-terra, sem-teto: Vítimas da grande trama Tornam-se anões-gabirus: Sem escola e muito drama... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Ibititá Rochedo de Ibititá Da mamona:capital Pedra de Arrecife Lajedo fenomenal Na Lagoa de Anísio: Tomei banho matinal Na farmácia de Urbano O remédio para a cura Na feira de Ibititá Cuscuz, beijo e rapadura Terra do meu pai Ulisses Que me transmitiu ternura Nos bons tempos de Quelé: Artur e Manoel Quirino Catu, Padre e Alfredo Foi-se o tempo de menino

No açude do Rochedo: Vi o sol diamantino Gustavo te deu a base Antônio Cardoso criou Henrique,Gemi,Durval: Sebastião te amou Eufrásio,Arli,Abnaias: Chiquinho te abençoou Dourado, Cardoso, Silva, Matos Marques, Macedo, Oliveira Machado,Vilela, Bastos Pimenta, Gomes, Pereira Castro,Seixas,Azevedo São Famílias de primeira Benigno,Maria,Bahia,Chico Nena,Quininha,Vitória Arlinda,Deda,Ninalva Neusa,Cleo,Adi e Glória Ester,Leonor,Santa,Elzi: Ibititá tem História Rua, Gelo e Riacho Pedras Lisas:Canoão Em Recife dos Cardosos Fiz minha transmutação Rochedo de Ibititá: Princesinha do Sertão... ------------------------------------------------------------------------------------------Imprensa

A arte da impressão Surgiu lá no Oriente Desde a Antigüidade Da China ao Ocidente Egito, Índia e Pérsia De lá veio a semente... Suméria e Babilônia Fenícia, Afeganistão Hieróglifos egípcios Criativa construção

Do papiro à Internet: Imprimiu-se evolução... Biblioteca de Alexandria Foi momento fulgurante Foi um tempo glorioso E uma perda mui gritante Vítima da estupidez De um poder ignorante... Inquisição no caminho Barbárie medieval A Imprensa evoluiu Em um mundo surreal Quebrou mitos e barreiras Da escrita literal... Guttemberg iniciou: A nova fase da impressão Revolucionou o mundo A arte da criação Todos reverenciam O feito do alemão... Surgiu a tipografia Nosso mundo melhorou A Imprensa trouxe a luz O tempo se iluminou Melhorou a humanidade Nossa vida clareou... Avanço tecnológico: Era tudo manual Da impressão primitiva Ao sistema digital Tecnologia da Informação À criação virtual... A história da Imprensa Rima com adversidade O caminho foi difícil Na busca da liberdade Ética é fundamental Pra preservar a verdade... Reforma e Renascimento Pesquisa-investigação Crítica e conhecimento Censura...contradição

Conflitos e interesses Cadeia e libertação... Corrente de pensamento Veiculação da mensagem Da carta ao tal email Novas fomas de abordagem Papiro, papel, Web Do signo à imagem... Era da Informação Saber...Tecnologia Busca do conhecimento E nova tipologia É preciso reunir Ciência e sabedoria... Imprensa e propaganda: Marketing e publicidade O poder influencia Oprime a sociedade A informação é vigiada Pelos “donos da verdade”... Informação necessária Para o avanço social Na tv, rádio e cinema Na escrita digital Na leitura e no texto No livro e no jornal... Liberdade à Imprensa Sem censura e repressão. Com decência-honestidade Nas bases da informação Ética...Imparcialidade E a busca da exatidão... O jornalismo autêntico Expressa o bem informar Orienta a sociedade Ajuda a interpretar Não usa subterfúgios: Nem truques pra enganar... Liberdade ao pensamento Culto à sinceridade Com direitos e deveres Mais responsabilidade

Sem sensacionalismos Busque-se sempre a verdade... Jornalismo verdadeiro Usa a criatividade Informação coerente Foge da ambigüidade Sabe preservar a fonte Pratica a honestidade... É preciso ter cautela Com tanta publicidade Notícia não é comércio O mercado nos invade O negócio da notícia Conflitua com a verdade... Liberdade de atuação Na arte de informar Ganha o público leitor Com a notícia no ar No papel e no portal Alimenta-se ao pensar... A Imprensa pra ser livre Não pode se submeter Aos fetiches do dinheiro Aos encantos do poder A publicidade enfeitiça: Sabe bem subverter... Imprensa e propaganda Marketing e publicidade O poder influencia Oprime a sociedade A informação é vigiada Pelos “donos da verdade”... Conclamo aos jornalistas: Cultivem a seriedade Não se deixem enganar Pela vil futilidade Fiquem ao lado do Povo: Na dura realidade... Viva a Imprensa livre A serviço do social... Libertário-democrática Com ímpeto regional

Independente e ética: E que seja universal... --------------------------------------------------------------------------Ingmar Bergman... Ingmar Bergman se foi: Fica a obra genial... Lá na Ilha de Farö: Deu-se o ato final... Amorte, sua personagem: Fez o filme terminal... Dissecava o espírito: Arte-drmatização... Cinema psicológico: Que fez pouca concessão... Fotografava a alma: Mente- ser e coração... Infância...ávidamorte: Subversão da imagem... Dramangústia, sosilêncio: Reinvenção multilingua.gem... Fragmentação de histórias: Quntessência da mensagem... Crítico e reflexivo: Inquieto, inconformado... Rigoroso e metódico: Foi um ser apaixonado... Teceu a metalinguagem: Do silêncio fez seu brado... --------------------------------------------------------------------------Jackson do Pandeiro Filho de Alagoa Grande Da Paraíba do Norte Foi músico e engraxate E soube driblar a morte Navegante da Poesia Artista de grande porte... Desde a época de menino Queria ser sanfoneiro O instrumento era caro

Optou pelo pandeiro Foi em Campina Grande Baterista bem ligeiro... Embolada e repente Cantoria e faroeste Forró xote e xaxado Cangaceiro do Nordeste Correu campo e cidade Como um cabra da peste... De Campina a João Pessoa Nos cabarés a tocar... Dupla com José Lacerda Bem no ritmo popular Som na Rádio Tabajara Para o povo apreciar... De João Pessoa pra Recife Jackson foi trabalhar... Rádio Jornal do Comércio O seu nome fez mudar De Jack surgiu o Jackson De alcunha popular... Bravo José Gomes Filho Nosso Jackson do Pandeiro Do brejo paraibano Para o Rio de Janeiro Coco, zabumba e ganzá Todo ritmo brasileiro... ------------------------------------------------------------------------------------------James Joyce... Joyce Solúcido Criator Ulisses da Genscriptura MultiHomero Nave-Dante Narractor da Contextura Filho de Stanislau,John E de Jane, com ternura... "Retrato do Artista qdo Jovem" No Princípio JJ Concebeu Nasceu a 2 de Fevereiro A 13 de Janeiro, Ás, morreu Veio ao Mundo em Dublim E em Zurique-Suiça, feneceu...

Publicou os "Dublinenses" A edição alguém queimou Em Letras fou diplomado, No Belvedere estudou, Na Univercity de Dublim Parolangues - pesquisou... IrlanDeus Stephen Hero Música de Câmara,Poe:sia Finnegan's pra lá de Wake Ulissíada - Alchemagia Bruxo Tao Zen na Cabala Dinamante em Sinphonia... Inspirou Rosa Noigandres Feito Shakespeare Mhodierno Fanomelogopeico - Paideumãe Pound - Avgustom : Transeterno Navegalúmen além Galáxias Arquite(x)to Infiniterno... ------------------------------------------------------------------------------------------João Cabral de Melo Neto... Poética de João Cabral: Tem dureza e secura Lucidez e aspereza Tem rigor e amargura Obra que se sobressai: Em qualquer literatura... Sua poesia é concisa: Não rima com parcimônia A ins.piração resseca Na secura da amônia Supera o automatismo: Nos acordes da insônia... Poesia de pesquisa: Rara originalidade O rio que inunda a vida: Água-luz...Plasticidade Arquitextura do verbo: Verso em continuidade... Didatismo na poesia: Consciência criativa Universo expressivo

Poeta de voz ativa Pertinência na poiesis: Sua água é sempre-viva... Poesia contestatória: Germina criticidade Linguagem que se empedra Reesquece da saudade Língua em permutação: Obra em univocidade... É poesia transitiva: Tem sátira e virulência Pluralidade lingüística Remexe a consciência A inteligência ouve: Labuta com sapiência... Tem unidade temática O contexto cabralino Verso a serviço do homem: Direverso diamantino Pedra rocha de arrecife: No rochedo cristalino... Duvida?!...Indignação: Versarcasmo e malícia Homem sem-terra e sem-água: Subvive à vida fictícia Corre da fome e de deus E do terror da polícia... Estética autoritária?! Delinguagem transparente Dogmática na poesia: Poestética excludente A dúvida é uma constante: A in.certeza é permanente... Perscruto a estrutura Meta(eu)fórica alegoria Semiótica do sonho Versos de semiologia Cabraleio...Poe.sinto: Miro a plástica da Poesia... A Educação pela Pedra: Consciência da linguagem Signo, ícone, revisão: Nas esquinas da imagem

João Cabral de Melo Neto: Contexto e metalinguagem... Museu de Tudo...Pedra do Sono: Morte e Vida Severina... Quaderna e Duas Águas Antiode transnordestina Mil Paisagens com Figuras: A Vida a Morte nos destina... Psicologia da Composição: Auto do Frade...O Engenheiro Uma Faca só Lâmina reparte: Corta a alma por inteiro Serial...Terceira Feira: O Cão sem Plumas, candeeiro... Reler Os Três mal-amados: Crime na Calle Relator Auto de natal pernambucano: É Severina a nossa dor Dois Parlamentos...Agrestes: A Escola das Facas: desamor... Considerações sobre o poeta dormindo: Proemia e composição "A inspiração e o trabalho da arte": Joan Miró...Renovação Poemas...Poesia Completa: Sevilha andando...com João... Antologia Poética:Obra Completa Primeiros Poemas...Poemas Reunidos "Da Função Moderna da Poesia": "Prática de Mallarmé":Poemas Escolhidos O Arquivo das Índias e o Brasil: Bons textos devem ser lidos... A Poesia do silêncio: Transição e permanência Tecer manhãs e desejos: Na fôrma da consciência Transposição da linguagem: Em Cabral...é quintessência... Geometria e retórica: Crítica e contestação Uma poesia do menos Poema, quadro, canção

Poesia com coisas e cortes: Síntese:hipermutação... Inverso verso avêsso: Reverso do sentimento Semântica e contradição: Apedreja o pensamento A lâmina que corta a alma: Coração em desalento... Poesiarquitetônica: Geometrimatemática Papel, lápis e esquadro: Desenham sua gramática Versos de engenharia: Na estética da temática... Sarcasmo e contundência: Lucidez...Seriedade Grotesco e absurdo: Floresce sem piedade Virulenta amargura: Que resseca a crueldade... Poesia antropofísica: Cruel dramaticidade Construção e conteúdo: A crueza da verdade Cientista da poesia: Disseca a realidade... ´Solitude, récif, étoile...!´: Desafio à Malarmé O Cabral transconstruiu: Como Garrincha e Pelé Foi poeta rigor.osso: Que hibernou a sua fé... Metapoesia cabralina Imagens sobre imagens Fez poesia da poesia Setessilabou mensagens Estrofes de quatro versos: Na secura das viagens... Imagística e semântica: Morre a vida severina Sem melodia e canto Desencanto sem esquina

Referencia a criação Na poesia nordestina... João Cabral concretizou: Matéria e experiência Sua poesia é de risco Desbravou sã consciência Permutou conhecimento: Fez do verso uma ciência... ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Jorge Amado Jorge Amado pelo povo Romancista: artesão ... Bahianauta grapiúna Cacaueiro coração Navegante das palavras Transmutou em criação... Bom bahiano universal Romancista menestrel Pensador da liberdade Tem a chama do cordel No País do Carnaval: Merecedor do Nobel... Tem Cacau em seu destino Suor...comunicação... Verseia Jubiabá... No Mar Morto da ilusão Navegador da escrita Sempre em ebulição... Escreveu vários romances Sempre com criatividade Com os Capitães da Areia Mostrou inventividade Pelas Terras do Sem Fim: Visita a eternidade... Em São Jorge dos Ilhéus Piraginga Itabunarte Bahia de Todos os Santos É mentor de nossa Arte

Um escritor tão fecundo: Nem pelas bandas de Marte... Pela Seara Vermelha Flui o Amor do Soldado... O Cavaleiro da Esperança Está sempre ao meu lado... O ABC de Castro Alves Tenho todo decorado... A Luz no Túnel é paz Na Agonia da Noite... Os Ásperos Tempos continuam Fome, medo e açoite Nos Subterrâneos da Liberdade Jorge fez o seu pernoite... Gabriela Cravo e Canela Morenua linda flor Tieta do Agreste fruta Sereia do Mar do Amor Sol menino grapiúna Voa Andorinha Furta-Cor... Vejo o Gato Malhado E a Andorinha Sinhá... Com os Pastores da Noite Belo culto de Iemanjá... Sem A Bola e o Goleiro Futebol não haverá ... Farda Fardão Camisola de Dormir Tereza Batista Cansada de Guerra Dona Flor e seus dois maridos Pela eternitude... erra... Eu vou ler o Jorge Amado No mar e no pé da serra... Vivem os Velhos Marinheiros Em minha imaginação... O Capitão de Longo Curso Continua a sua ação... A dirigir o infinito navio Nas plagas da imensidão... A morte é irmã da vida E a morte é ilusão... Quincas Berro D´água vive No mar de minha criação

A morte de Quincas é vida Na Feira da continuação... Lenita foi o Princípio Amado e Edson Carneiro Junto com Dias da Costa I. Karl surge candeeiro E o Pais do Carnaval: É o seu livro primeiro... Brandão: O mar e o amor Ser Amado...Graciliano Aníbal, Lins e Rachel Sempre em primeiro plano Editado em 1941... Acho que não me engano... Jorge sempre instigante Fervor revolucionário Antifascista...Popular Romancista proletário Baianavegante audaz Criativista libertário... Homem de contínua ação Artista do horizonte... Combateu a Tirania Cavaleiro sempre avante... Com Prestes e Castro Alves... Sempre esteve adiante.. . Jorge! Artista do Povo ... MultiRevolucionário... Social e sempre ativo... Contra o ser reacionário... Jorge muito bem Amado... Teve o povo solidário... Poesia! Alma do Povo... Castro Alves...Jorge Amado Caymmi e João Gilberto. .. Telmo Padilha:vate alado... Jorge a nos iluminar... Com romance bronzeado... Jorge! Euclides da Cunha... Lima Barreto maltratado... Castro Alves profetizou Um povo a ser libertado

Jorge, Lamarca, Marighela A luta contra o E$tado... O impossível não há O que há é a ação Quincas, Gabriela, Flor Tieta e o Capitão Tocaia Grande na vida A Face Obscura da Razão... Jorge Amado...Dostoievski Pushkin, Tolstói , Gogol... Amado Goethe Balzac Escreviventes do Sol... Jorge, Joyce, Guimarães Escultores do Arrebol... Jorge bahiano arretado Cabra da Peste Nordestino Eterno Prêmio Nobel Pra mudar nosso destino É um dos grandes do mundo Amado escritor latino... Jorge frebordina ativo Com Zélia efervescente Casal sempre enamorado Pela luz do sol nascente... Engrandeceu o Brasil Do Ocidente ao Oriente... Jorge Amado sempre eterno ... Povo, sol e carnaval... É eterna juventude É orgulho nacional ... Romancista de primeira No oceano universal... ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Josué de Castro... O Profeta da Fome Josué lembra os Sertões O Quinze, a Bagaceira Vidas Secas-Lampião, Patativa, Zé limeira...

Repente-Cordel-Cangaço Xaxado... Mulher–Rendeira Josué mártir–guerreiro, A fome nos violenta, Tortura a população Desnutre desorienta. Fome de Educação... É oito ou é oitenta... Mestre da geografia Médico e pensador Diplomata e filósofo Cientista-escritor Homem público-honesto Inteligente-criador... Foste profeta da fome, Perseguido-exilado Embaixador em Genebra, Na ONU foi destacado... Por sua capacidade, Ao Nobel foi indicado... JK

Em 1902: JK aconteceu Veio ao mundo luminoso A todos surpreendeu No dia 12 de setembro: Em Diamantina nasceu... Filho de Júlia e João César O pai, caixeiro viajante A mãe, mestra-professora Sempre via adiante Oliveira/Kubitschek: Parceria triunfante... Ano 1910: Tinha 2 anos de idade... O seu pai João morreu: Aos 33 na mocidade Foi ao encontro dos deuses: Nos ares da eternidade...

Morre o pai de Juscelino João César de Oliveira O caixeiro foi-se desta Deixou crise financeira A família resistiu: Dona Júlia, candeeira... A saída era o estudo Ante a dificuldade Os tempos eram difíceis Tanta adversidade Sofrimento à for da pele: Na Diamantina cidade... Sala de aula em casa: Dona Júlia educadora Mulher de fibra e garra Ativa empreendedora Firme e determinada: Uma sábia professora... Juscelino era Nonô: Naná era sua irmã De sua mana querida Juscelino era fã Concluíram o primário: Construiram um amanhã... Juscelino estudioso Ativo, interessado Tinha saudade do pai Que foi homem viajado E concedeu a JK: Um caráter respeitado... Dona Júlia era discreta E muito admirada Mulher que deu exemplo Persistente e educada Deu aos filhos consciência: Para vencer na jornada... Dona Júlia era neta Do senhor João Alemão Jan Nepomusky Kubitschek Marceneiro, a profissão Natural da Boêmia: Homem de muita ação...

JK era aplicado Dínamo trabalhador Um menino de talento Vivo...empreendedor Criativo, responsável: Alegre...renovador... Ano 1914: JK no seminário Ginásio dos Lazaristas Início do secundário Um bom tempo que se foi: Luz do Perpétuo Lunário... Sem vocação eclesiástica Só queria estudar Três anos na escola Soube-se vocacionar Deseja a medicina: Sábia arte de curar... Bem antes dos 15 anos O seu curso concluiu Estudou por conta própria Na pesquisa progrediu Fez "exame por decreto": Boa nota conseguiu... Ser médico era o sonho Do futuro Presidente Buscava a meta com afinco Era um desejo consciente O sonho de Juscelino: Era ajudar a sua gente... JK com entusiasmo Se empenhou no secundário 12 exames no total Fez um esforço diário Educação encaminhada: Precisava de salário... Telegrafista dos Correios Concurso em Belo Horizonte 200 mil réis da mãe Colar de ouro foi fonte Momentos de dificuldades: Para ultrapassar a ponte...

89 candidatos na disputa: Foi décimo nono lugar Período de seis meses Ele teve que esperar Para saber do resultado: Foi tempo de amargar... Maio de 1921: Enfim a nomeação Telegrafista - auxiliar Conquistou a posição Depois de tanto sacrifício: Teve bonificação... Completou o secundário Viu um ciclo se findar Exames vestibulares Pra medicina cursar Realiza o seu sonho Estuda a arte de curar... Universidade de Minas Gerais: Ingresso na faculdade Passa e matricula-se Vence a adversidade Gol de letra ele marca: Rompe a dificuldade... Medicina e trabalho Um esforço permanente Dedicação aos estudos De um jovem consciente No caminho da vitória: Pensamento ascendente... Foi excelente aluno Criativo e dedicado Antenado com o mundo Vívido...bem informado Estudo e trabalho árduo: Exercício integrado... Ano 1927: Formou-se em Medicina Sempre em sua alma A terra Diamantina Preparava o futuro De conquista cristalina...

D. Júlia, mestra-mãe No baile de formatura Conheceu a moça Sarah A sua nora futura Mulher de brio e valor: Cultivava a ternura... Sarah Gomes de Lemos, Filha de Luísa Negrão E Jaime de Souza Lemos Gente de alto escalão Enamorou de JK: Uma sábia decisão... Ano 1928: Foi nomeado professor Na Faculdade de Medicina Comprovou o seu valor Na Santa Casa de Misericórdia: Fez exercício de doutor... 3ª Enfermaria da Clínica Cirúrgica Fez o médico treinamento Teve um bom desempenho Demonstrou o seu talento Homem de luta e fé: Foi um ás no sentimento... Formado em Medicina Trabalhou como assistente Com o Dr. Júlio Soares Medicou a muita gente Sociedade em consultório: JK seguia em frente... Cursos e estágios na Europa Para se especializar Na área de Urologia Decidiu-se trabalhar Paris, Viena e Berlim Para se aperfeiçoar... Abril de 1930: Para a Europa viajou Com Maurice Chevassu JK muito estudou Fez estágio e pesquisa Experiência conquistou...

Ao retornar da Europa Novas funções assumiu Trabalho na Santa Casa Ao nosso povo serviu O antigo consultório: Juscelino reassumiu... Caixa Beneficente da Imprensa Oficial Como médico atuou Seguia firme com Sarah Da querida enamorou Preparava o casamento: Para Sarah se entregou... Casou-se com Sarah Lemos A mulher de sua vida Ano 1931 JK firme na lida Uniu-se à sua amada: À companheira querida... Ano 1931: Em dezembro, o casamento Foi no dia 17 Um grande acontecimento Sarah uniu-se a Juscelino: Em luminoso sentimento... À Força Pública de Minas: Juscelino é convocado Ano 1932 O conflito estava armado Para ingressar na Polícia: JK foi convocado... Gustavo Capanema: Secretário do Interior Comandante da Polícia Homem de grande valor Deu apoio a Juscelino: Na carreira de doutor... Médicos e professores Servidores do Estado Constituição em pauta Nosso Brasil conflagrado No corpo médico da tropa: JK fez "doutorado"...

09 de julho de 1932: Brasil em ebulição JK no corpo médico Radical transformação 4 meses debatalha Conflito e revolução... Revolução Constitucionalista Juscelino é convocado Para atuação no "front" Na defesa do Estado Trabalho no corpo médico: Foi servidor destacado... 4 meses de conflitos Constante conflagração Muito tiro no caminho Morte e bala de canhão São Paulo e Minas em luta: Pela Constituição... Atuou em Passa Quatro No Túnel da Mantiqueira O conflito foi intenso Na região da fronteira Momento de turbulência: Em nossa terra brasileira... JK realizou Contatos fundamentais Com Eurico Gaspar Dutra, Coronéis e generais Com Benedito Valadares: Laços institucionais... Eurico Gaspar Dutra, Na época era coronel Foi Ministro da Guerra Comandou bem o Quartel Foi Presidente da República: Destacou-se no papel... Juscelino exerceu A medicina com louvor Lutou na linha de frente Foi um tempo sofredor Violência e conflito Em momento de terror...

Benedito Valadares Foi nomeado interventor No Estado de Minas Gerais Cargo de governador JK foi secretário: Foi grande o seu labor... Secretário de Governo Por Valadares escolhido Dezembro de 33 Na política é inserido Começou a trajetória De um político destemido... Impressionou a todos Com o trabalho permanente Priorizava o público Era atento e consciente Ganhou nome na política: Conquistou a sua gente... O contato com o povo Fazia diariamente Atendia com atenção Sempre calorosamente Ganhou fama e prestígio: Cresceu politicamente... Outubro de 34 JK se candidatou Em votação expressiva: Seu nome se agigantou Foi eleito deputado: O povo lhe consagrou... Por toda Minas Gerais Alta popularidade No Partido Progressista Prestígio e vitalidade Deputado Federal: Em nome da sociedade... Deputado por 2 anos Do PP foi Secretário Dedicou-se à política Trabalho prioritário Pelo interior de Minas: Multiatitudinário...

Ano 1937 Estado Novo implantado Getúlio Vargas se impõe Deu um golpe de estado Os mandatos são extintos: O Congresso foi fechado... Nova estrutura de poder Prevaleceu a ditadura O mandato de Juscelino Foi parar na sepultura Retorno à medicina: Pelos caminhos da cura... 1940 - Prefeito de BH Por Valadares convidado Sob o Estado Novo JK foi nomeado Era a Ditadura Vargas: Tudo estava controlado... 16/04/1940: À política retornou Prefeito de BH JK se projetou A sua nomeação: O "Minas Gerais" publicou... Mesmo na prefeitura Continuou a clinicar A tarefa era árdua Soube bem executar 1º Secretário do PSD: Dinamismo ao governar... Foi prefeito democrático Em várias áreas trabalhou Fez muito por BH A cidade embelezou Centenas de obras públicas: À cultura incentivou... Assistência aos proletários: Construiu e restaurou A Avenida Afonso Pena JK pavimentou Dezenas de avenidas: Juscelino asfaltou...

Abriu grandes avenidas: Contorno...Tereza Cristina Avenida da Pampulha Veia Belohorizontina Av. Silviano Brandão: Pedro II na esquina... Prolongou a Amazonas: Realizou terraplanagem Muitas pontes construiu Fez sua grande viagem Integrou toda a cidade Escreveu linda mensagem... Desenvolveu Belo Horizonte: As águas canalizou Fez saneamento básico Muito ele realizou Telefone e luz subterrânea: No subsolo plantou... Planejada por Oscar A Pampulha projetou Uma grande inovação Em BH incorporou Símbolo da modernidade Com Niemeyer arquitetou... Em 1945: Abandonou a medicina Era prefeito e médico O filho de Diamantina Um dínamo trabalhador: Garimpou bem sua mina... Juscelino ou Bias Fortes?! Na disputa no Partido Para o Governo de Minas Seu nome foi submetido Por três votos a mais: JK foi escolhido... "Energia e Transporte" : Foi o tema principal Realizações em BH Grande diferencial Foi eleito e aclamado Bom cacife eleitoral...

Ano 1950: JK Governador Vargas na Presidência Pelo voto do eleitor Carlos Lacerda atuava: Como forte opositor... 3 de outubro de 1950 Eleito Governador Capacidade e dinamismo Demonstrava o seu valor JK bem informado: Honesto e trabalhador... Fez trabalho grandioso Atuação exemplar Desenvolveu o Estado Em mandato popular Minas Gerais progrediu: Viu a vida melhorar... Minas estava estagnada Sem o desenvolvimento Juscelino era ativo Ele esbanjou talento Lutava pelo progresso Em constante movimento... Construiu várias estradas Fez industrialização Deu asas à CEMIG Gerou iluminação Energia primordial: Via eletrificação... Metalúrgica de Mannesmann Indústria da siderurgia Além do agropastoril Estradas e energia Integração econômica: Base da democracia... Construção de rodovias Escoamento da produção Tráfego pelo interior Boa comunicação 3087 km de estradas: JK foi campeão...

Produção agropecuária Suporte ao crescimento FRIMISA/FERTISA Empresas em movimento Educação e saúde: Forte desenvolvimento... 120 postos de saúde Apoio ao cidadão 1.100.000 novos alunos Impulso à educação 137 prédios escolares Para a população... 37 praças de esportes Biblioteca Municipal Faculdades de Medicina Conservatório musical Escola de Belas Artes Boa expansão cultural... Pavimentou o caminho Ao Governo Federal Base para a Presidência Trabalho monumental Uniu-se a João Goulart: Deu fomento ao social... Ano 1954: Getúlio se "suicidou" O Brasil sofreu um golpe O País quase parou JK estava pronto: A sua hora chegou... Com a morte de Getúlio Desenhou-se o sucessor Juscelino estava pronto Foi um bom governador No caminho a Presidência: Deu asas ao sonhador... Ano 1955 Foi eleito Presidente A República engrandeceu Uma escolha inteligente JK é um destaque: Orgulho de nossa gente...

"50 anos em 5": Trabalho/responsabilidade Confiança popular Deu a estabilidade Teve apoio miltar E força da sociedade Partido Social Democrata Partido Trabalhista Brasileiro Oposição da UDN Luta no país inteiro 500 mil votos de frente: Botou ordem no terreiro... Sofreu forte oposição De Juarez e Ademar Plínio Salgado e Lacerda Tentaram incomodar Para abortar o golpe Teve apoio militar... Lott lhe foi fiel Sua posse garantiu Juscelino foi um líder Em tudo sobressaiu Democracia e progresso Por 5 anos se viu... A oposição golpista Gerou instabilidade O general Teixeira Lott Deu a estabilidade Garantiu a JK: A governabilidade... Ano 1956 Empossado na Presidência A República conquistou Momento de excelência Rosa e o Grande Sertão: Bossa Nova...Quintessência... Ideologia desenvolvimentista: Indústria e economia "Plano de Metas" em ação Produção - autonomia JK subiu o nível: Deu luz à democracia...

Progresso em seu governo Aumento da produtividade "50 anos em 5" Tempo de criatividade Desenvolvimento autônomo: Com prática da liberdade... Desenvolvimento econômico-social Cultura em movimento Dinamismo no Governo Ação e investimento A construção de Brasília: Com o FMI, rompimento... Meta-síntese: Brasília 30 metas em ação Indústria de automóveis Progresso na construção Estradas por todo o País: Ligando a grande Nação... Brasília foi inaugurada Patrimônio Universal Juscelino realizou A obra monumental Esteio da arquitetura No cenário mundial... Brasília sua obra-prima: Pérola da engenharia Catedral dos novos tempos Universal cosmovia Pérola da Nova Era: Galáxia da fantasia... JK passou a faixa A 31 de janeiro Ano 1961: Seu feito foi altaneiro Juscelino Kubitschek: Diamante brasileiro... Jânio Quadros o sucedeu Logo depois renunciou 7 meses de mandato O cargo abandonou JK defendeu Jango O Brasil se conturbou...

João Goulart na Presidência: Gerou crise miltar JK foi a Paris Para em maio retornar Candidato a senador: A Goiás representar... Outubro de 1961: Foi eleito Senador Manteve o dinamismo Atuante, inovador Viaja constantemente: Fica perto do eleitor... Aliança para o Progresso: Cargo de coordenador Organização dos Estados Americanos Reconheceu o seu valor Operação Panamericana: Empenho do Senador... Ativista do progresso Pela América Latina Elevar o modo de vida: Era a meta cristalina Juscelino Kubitschek: Ouro de Diamantina... Três anos no Senado Fez política constante Juscelino Kubitschek Enxergava adiante Sua meta era o povo: O progresso sempre avante... JK 65: Era o grito popular Um sonho interrompido Pelo golpe militar O direito foi riscado: Não se pôde mais votar... Educação e Agricultura: Para o Brasil melhorar A ditadura dominou Deixou tudo estagnar O país retrocedeu No governo militar...

O Brasil foi estuprado Por comando repressor Derrubaram o presidente Cassaram o senador O Congresso foi fechado Silenciaram o eleitor... Ditadura a caminho: Golpe civil-militar Juscelino foi cassado Obrigado a se exilar Foi-se embora do Brasil: Aqui não pôde ficar... A fome continuou Miséria pra todo lado O Brasil estava triste O povo ficou calado Liberdade acorrentada: Nosso país espoliado... João Goulart foi deposto Em seguida exilado Teve o dedo americano No golpe anunciado Era o império do terror: Nosso povo massacrado... Ano 1964: O poder foi usurpado Dia primeiro de abril O país desgovernado Para a nossa tristeza: O Brasil foi golpeado... 8 do junho do 1964 Juscelino foi cassado Perdeu todos os direitos Teve que sofrer calado Foi embora do Brasil: Pra não ser assassinado... Sofrimento no exílio Supressão da liberdade Ditadura e opressão Extermínio da verdade O Brasil acorrentado: JK deixou saudade...

Academia Mineira de Letras: Eleito e empossado "Meu caminho para Brasília": Foi o livro publicado Candidato à ABL: Deram a vaga ao Bernardo... Ano 1976 Um fato estranho aconteceu Em "acidente" fatal O presidente faleceu Pareceu premeditado O ato que aconteceu... Via Dutra Km 165 Um "acidente" fatal Foi fechado por um ônibus Um crime descomunal Encerrou-se a trajetória De um homem sem igual... Juscelino Kubitschek: Nome que reluz na História O Brasil dele se orgulha Pela grande trajetória Nosso eterno Presidente: Nos ilumina com glória... ---------------------------------------------------------------------------

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Kiss Kiss Kissinger

Kiss Kiss Kissinger, um marco: Nos idos da Ditadura... Argemiro (Jimi) Figueiredo: Em alta temperatura... Rebelião na UnB:

Mudanças na estrutura...

Ano 1981: Quase globalização,,, Ditadura Econômica: Brasil em transformação... Novo tempo, nova era: Sonhos de Revôolução...

O Capitão Azevedo: Era o interventor... Repressão ao Movimento: Com censura e terror A UnB sitiada: Pelo $istema opressor...

Vivia-se sob censura: Estado Militar-Policial... Repressão contra o Saber: Apartheid Cultural... O protesto anti--Kissinger: Foi um ato genial...

Muitas dúzias de ovos: Arremessadas no tirano...

Ki$$inger representava: O Império vil-insano... Golpes, tortura, miséria: Pavor latino-americano...

Henry Kissenger detido: Pela massa estudantil... Vaias, ovos e protestos: No coração do Brasil... Fugiu em um camburão: Fou um ato varonil...

Kiss Kiss Kissinger real: Além do documentário... Rebeldia estudantil: Movimento visionário... Legião de criadores: Beijo no vocabulário...

O protesto repercutiu: Deu no Jornal Nacional... Em tvs do mundo inteiro: Manchete em telejornal... Os ovos da desobediência: Voz do Planalto Central...

Foi instante glorioso: Digno de Honestino... Che Guevara em ternura: Deu sorriso cristalino... Registrei para a história: Em meu cordel nordestino...

Lima Barreto Ano 1851: Lima Barreto nasceu No dia 13 de maio No mundo ele apareceu Pra ser grande romancista: O fato assim sucedeu... Rua Ipiranga, 18 Lá no Rio de Janeiro Nasceu Afonso Henriques Um escritor verdadeiro Nosso profeta crioulo: Um autêntico brasileiro... Herói do cotidiano Foi um dândi criador... Pensador irreverente Um genial escritor... Mestre da Literatura Crítico e bom gozador... Foi um homem revoltado Contra toda opressão Combateu a tirania Com forte rebelião

Tinha grandiosidade: Buscava a renovação... Filho de João Henriques e da mãe Amália Augusta Uma vida de batalha De conflito e labuta Esteve sempre adiante: É um exemplo de luta... Ano 1887: Da mãe, o falecimento... Freqüenta a escola pública Em busca de conhecimento... O execício do saber... Desenvolve o pensamento... À Abolição da Escravatura Assiste junto com o pai Vê o fim da escravidão: Que muito tarde se (foi) vai Miséria, dor e sofrimento: Passa o tempo e não se esvai... Abolição pela metade... Pois faltou a estrutura Negro sem alimento Mal herdou a sepultura Sem casa... se favelizou: Na pobreza que perdura... Em 1889: A Ré Pública é proclamada O seu pai é perseguido Tem repressão na estrada Transtorno e desemprego Mil loucuras na jornada... Em 1890: Recebe prêmio escolar Obra de Louis Figuier Boa de se apreciar Sobre as grandes invenções: Excelente pra estudar... Ano 1891: Vai para o Liceu Popular Lá na bela Niterói O Lima foi estudar

Bom momento tem na vida Muito livro a pesquisar... Ano 1895: No Ginásio Nacional Aprovado nos exames Conhecimento integral É Lima no bom caminho: Saber é fundamental... Ano 1896: Lima é matriculado No Colégio Paul a Freitas Nos exames: aprovado. Prepara-se para a Politécnica Aos estudos...Sempre dado... Ano 1897: Entra no Curso Geral Da Escola Politécnica Faz um curso essencial... Em Física é aprovado... Quase perdeu no total... Ano 1900: Estuda com dificuldade... Uma carreira complicada: Cresce em personalidade Mestre Oto admira Com devota intensidade... O seu professor Licínio Trata-o com preconceito É grande o azedume: Ser preto não é defeito Negra é a linda noite No firmamento perfeito... Licínio sempre o reprova Em Mecânica Racional Além da Racionalidade Mecanicismo brutal Lima Barreto é perseguido Por um conceito brutal... Jornalismo Universitário Em A Lanterna...Colaboração Jornal A Quinzena Alegre: Com Bastos Tigre na edição...

Muda pro Engenho Novo: Tem nova reprovação... Adeus Ilha do Governador Lima no Engenho Novo O seu pai ficou mui louco Com a vida de estorvo Deu-se em 1902: Já transmito para o povo... Continuidade aos estudos Pseudônimo Rui de Pina Colabora no Kalisto Com a sua escrita fina E também no Tagarela Com arte diamantina... Ano 1903: Lima Barreto é concursado Nomeado amanuense Depois é efetivado Em 28 de outubro: No cargo é empossado... Rua Boa Vista, 76 É mudança novamente Vai para Todos os Santos Novo tempo, nova gente... Tira pedras do caminho: Pra plantar nova semente... Ano 1904: Começa nova redação Romance Clara dos Anjos Dá-se a iniciação Lima Barreto estrutura Novo texto em construção... Os subterrâneos do Morro do Castelo Reportagens sem assinatura Lima Barreto segue em frente Com vasta literatura Vive duro na miséria Mas não perde a ternura... Ano 1906: Licença pra tratamento Tem a saúde abalada Sente dor no pensamento

Desafio para a alma Em tempo de sofrimento... Ano 1907: Na Revista Floreal Participa da Fon-Fon Em registro literal... Memórias do Escrivão Isaías Caminha...legal... Ano 1909: Recordações do Escrivão Isaías Caminha firme... Em portuguesa edição... Lima Barreto conquista Espaço e publicação... Na Primavera de Sangue Atua como jurado... Novamente a doença(1910) O pensamento é abalado... Tratamento de saúde: Pra melhorar seu estado... Triste Fim de Policarpo Quaresma Escreve com devoção Ano 1911: Escritura em ação Asas à Literatura Na Capital da Nação... Aventuras do Doutor Bogóloff Licença pra tratamento Ano 1912: Dói na mente o pensamento Um eterno vai-e-vem: Um constante movimento... Ano 1913: Faz mudança novamente De uma rua para outra Não é muito diferente Lima Barreto... um dândi: Desencanta a serpente... Crônica no Correio da Noite Diária colaboração... Sociedade dos Homens de Letras Ativa participação

Alcoolismo e hospício (1914): Não é brincadeira...Não... Ano 1915: Colaboração na Careta... Nos folhetins de A Noite Experiencia a caneta Publica Numa e a ninfa Com Lima não tem retreta... Triste Fim de Policarpo Quaresma Em livro é publicado... Viagem a Ouro Fino(1916) Lá em Minas... do outro lado Reinovador e criativo: Um vate experimetado... No Semanário Político ABC(1916) Pra escrever é convidado... Lima Barreto é crítico Articulista tarimbado Romancista universal: Combativo e revoltado... Ano 1917 Lima é internado Hospital Central do Exército Para tentar ser curado Não se cura a Lou.cura De um gênio inspirado... Do livro os Bruzundungas Prepara os originais... Candidata-se à Academia À senda dos imoratais... Inscrição desconsiderada... Lá!...Só as letra$ cambiai$... Recordações do Escrivão Isaías Caminha Sai em segunda edição... Numa e a ninfa em livro Recebe publicação Ano 1917: Lima em boa promoção ... Ano 1918: Publica um manifesto Colabora na Imprensa Em sua linha de protesto

Manifesto maximalista Ao Lima...Eu não contesto... Do cargo de amanuense Pede pra se aposentar Submete-se à junta médica Para o examinar... É considerado inválido: Ao serviço público/militar... Ao Hospital Central do Exército... Barreto é recolhido... Logo é aposentado Para não morrer desvalido O salário é quase mínimo... Um herói!... ter sobrevivido ... Vida e morte de M.J.Gonzaga Envia a Monteiro Lobato... Outro grande escritor... Que o Brasil é muito grato... Homem empreendedor... Uma liderança de fato... Abandona o ABC... Depois de se aposentar O ABC fere a raça negra Em artigo impopular O preconceito era forte: Era um tempo de lascar... Publica Gonzaga de Sá Candidata-se à Academia Perde a eleição(1919) Pra gente da burgue$ia Pobre ali não tem vez Tem que ser da fidalguia... No Careta e no Hoje Faz-se collaborador O problema é o hospício Que submete o escritor... Lima Barreto sofria: Num mundo espoliador. .. Segunda vez no hospício Tirania de doutor... Como tratar a loucura De um gênio criador?

Não seremos todos loucos? Como ser um julgador? Ano 1920 Até 2 de fevereiro Internado em hospício Que mais parece chiqueiro Quem escreve vira louco Nesse mundo brasileiro... Preterido pela Academia Como ser livro do ano? Esse mundo acadêmico Me parece meio insano Quem é bom é rejeitado Ou será que eu me engano? Seu livro Gonzaga de Sá Merecia ser premiado O que fazer pra mudar? O que se perceber errado? As mazelas continuam: O ser humano é ultrajado... Histórias e sonhos em livro De repente é publicado Originais de Marginália Ao editor é repassado Para a sua análise crítica Pra ser lido e divulgado... Ano 1921 Viagem a Mirassol... Bom momento em sua vida Muita garoa e luz do sol No Estado de São Paulo: Passa vida de escol... O livro Gonzaga de Sá Ganha menção honrosa É um reconhecimento Por qualidade na prosa... Lima Barreto Nota 10 Nas rimas de minha glosa... Candidata-se novamente À Academia Brasileira Retira a candidatura Por não ter eira nem beira...

Para não perder o tempo Com bobagem e asneira... Do livro Gonzaga de Sá Sai uma nova edição... Na Revista Souza Cruz Faz uma publicação De O Cemitério dos vivos: É a morte em construção... Na Revista Souza Cruz: Uma conferência escrita... Reescreve Clara dos Anjos Se consola na birita... Os originais de Bagatelas: É mais um texto que grita... Originais de Feiras e mafuás Entrega ao editor...(1922) É o Francisco Schettino... Que foi um batalhador Sempre apoiou Barreto: Jornalista e escritor... Parte de Clara dos Anjos O capítulo O Carteiro Em O Mundo Literário Publicou por derradeiro Foi-se embora deste mundo Lá pro além estrangeiro... Ano 1922 Dá-se o falecimento Do grande Lima Barreto Mestre e ás no pensamento Homem que fez história Criou fato e movimento... Lima Barreto está vivo Deve ser recuperado Combateu a tirania Imposta pelo Estado Por isso por muito tempo: Mantiveram-no ocultado... Registrou a opressão Que esmaga o ser humano Sua obra foi bloqueada Por um poder tão insano

Que esconde o que é bom: Lima resurge Oceano... Foi um marginalizado Pelo sistema opressor Que tiraniza a arte E provoca muita dor Mas não se pode matar: A alma de um mestre escritor... Retratou a hipocrisia O mundo da falsa aparência Semelhante a Machado: Tem obra de consistência... Só que Lima foi além: No limiar da consciência.. . Retratou o subúrbio O morro e a favela Praças e botequins Nos abriu uma janela Mostrou a realidade E a dureza nada bela... Reportagem e testemunho Na crítica do cotidiano... Igualdade para todos Era sonho, meta e plano... Um cronista social... Pra ser lido todo ano... Teve a palavra cassada O pensamento reprimido A expressão violentada Mas sempre foi um atrevido Lima Barreto merece Por nosso povo ser lido... Lima Barreto é exemplo De coragem e ação... Um herói da resistência Contra a espoliação... É um dos nossos pilares Da grande Revôolução... --------------------------------------------------------------------------Leitura... Ler é ato essencial A leitura é ciência

Desanalfabetiza o Ser Desperta a clarividência Leitura é alquimia: Nos leva à quintessência... --------------------------------------------------------------------------Livro... Livro livra e fortalece Agiliza a sapiência A leitura nos liberta Libera a consciência O livro nos faz voar Nas asas da transcendência ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Loa a Lualuará

Fernando Brant em Travessia Rosa e Milton Nascimento... Garimpeiros da Pá...Lavra Trans.mutam o Sentimento Das Minas...Das AlteRosas Veredas do Firmamento... Claudya Uirapuru zencanta Quintessência escultural Exprime o fino da bossa Com Elis e Baden Powell Destacou-se em Evita Estrelua musical... Heikki Saramanto da Finlândia Músico internacional Da Academia de Sibelius Ao Montreux Jazz Festival Suomi Simphony New York Em Show no Carnegie Hall... Nenen e Kiko entoam... Ao som de Juarez Moreira Branteia na Poesia...

Sarmanto à Brasileira Alquimagia da música: Soa Cláudya de Oliveira... Loa a Lualuará Ao nosso Luar do Sertão Sereia das águas do sonho No carrossel da paixão Rosa...Maria, Mariágua Nonada...Cosmovisão... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Lorca

Gran poeta español Vate extraordinário Federico García Lorca Criativo visionário De inspiração divina: Menestrel universário... Federico García Lorca Da província de Granada Poeta multiluminado Amante da madrugada Filho de Federico Rodriguez E de Vicenta: mãe amada... Nasceu em Fuente Vaqueros Era vate granadeiro Em 1898: Veio ao mundo por inteiro Pra ser poeta do povo: Criativo condoreiro... Sofreu grave enfermidade Aos dois anos de idade Sobreviveu o menino Pra ser ás da liberdade Um cantador popular: E amante da verdade... Aprendeu primeiras letras Com a sua mãe querida. Mestre Antônio Espinosa Inspirou a sua lida

Nos mistérios da leitura: Lorca embarcou na vida... São irmãos de Federico Francisco, Conchita, Isabel No Colégio de Almería Estudou o menestrel Venceu a enfermidade: Registro aqui no cordel... Mudou-se para Granada Para melhor se preparar Sagrado Coração de Jesus Estruturou-se o pensar Lorca buscou o saber: Para na vida se elevar... Ano 1914: Universidade de Granada Estudos e amizades Dinamismo na jornada Almagro, Burín, Montesinos: Noite, dia, almadrugada... Filosofia, Letras e Direito Cursou na Universidade Soriano, Barrios, Ortiz Cultivaram lamizade Cristobal, Guarnizo, Pizarro: Paz, amor, fraternidade... Ismael de La Serna: Foi fraterno companheiro Estudou guitarra/piano Nosso vate condoreiro Tem alma de cantador: Espírito de guerrilheiro... 1916 - 1917 Sentiue o calor da musa Vem os primeiros poemas A transpiração bem usa Lorca poeta gitano: Bom poeta não se escusa... Centro Artístico de Granada Publica em seu Boletim Centenário de Zorrilla Lorca poeta serafim

Primeiro trabalho literário: Lorca: princípio sem fim... Fez viagens de estudos Para várias regiões Castela, Andaluzia Galícia e seus rincões Pela Espanha afora: Fez circunavegações... El malefício de la mariposa Estréia no Teatro Eslava Direção de Gregorio Martinez O poeta se burilava Bailes de La Argentinita: Federico se encantava... Depois da marcha a Madrí Amizade com Buñuel Orueta e Pepín Bello Lorca: ator-menestrel Pensador e dramaturgo: Na vertente do cordel... Decorados de Mignoni Figurinos de Barradas Viagem pela Espanha Muitos sonhos nas estradas Zujaira, Granada, Madrí: Transmutou-se nas jornadas... Primeiro Libro de Poemas Em El Sol é comentado Por Adolfo Salazar O livro é destacado Análise de "Um Poeta Nuevo": En un artículo titulado... Roda, Alamagro, Marchesi Maria Luísa e Gabriel Emílio Prados, José Mora Dedicação no papel Cienfuegos e Ortiz: Sem esquecer Buñuel... Idos de 1921 Lorca fez publicação Balada de la placeta Poesia flui do coração

Poetas Espanhóis Contemporâneos: Lorca em contestação... Juan Ramón Jimenéz: Textos de Lorca publicou Em sua revista Índice Juan a Lorca divulgou. Noche e Suíte dos Espelhos: Lorca ao povo apresentou... El jardin de las morenas Por Jiménez: destacado Lorca escreve Canciones É um canto de alto brado O poeta granadeiro: É um nome eternizado... Publicou "El Cante Jondo" Canto andaluz primitivo Manoel Angeles, Manuel de Falla Apoio ao Lorca sensitivo Poema del cante jondo: É um cancioneiro vivo... "Fiesta para los ninos": Por Federico preparada Pelo amigo Manuel de Falla A festa foi apoiada Em 1923: Lá na terra de Granada... Cervantes e Strawinsky Debussy e Rafael Hermenegildo Lanz: Mais Albéniz y Pedrell Auto de los Reyes Magos: Com Laurita e Isabel... Licenciou-se em Direito Na Universidade de Granada Junto com Gullermo Torre Conclui dura jornada Federico García Lorca: Constelação da alvorada... El mundo lírico de García Lorca Analisado por Melchor Publicado em Madrí: Lorca cada vez melhor

Simpático e altruísta Mágico como Melchior... Amizade com Prieto: Que foi poeta-pintor Finalizou Canciones Consolidou-se escritor El Romancero Gitano: Principia com amor... Produziu Dona Rosita Aperfeiçoou a linguagem El linguage de las flores Lorca traz boa mensagem O poeta se construiu: Ampliou a sua imagem... Concluiu Mariana Pineda Na grandiosa Granada Correspondência com Guillén Bons escritos na estrada Com a família Dali: Passou boa temporada... Ode a Salvador Dali Na Revista de Occidente No Ateneu de Valladolid Lorca ganhou um presente Fez leitura de poemas: Sempre vate consciente... Recitou poesia viva Em Valladolid, no Ateneu Versos do "Romancero" Canciones também leu Declamou o Cante Jondo: O fato assim sucedeu... Francisco de Cassio crítico: Fez resenha em jornal No El Norte de Castilla Fez análise literal Lorca ganhou espaço: Na viagem cultural... La sirena e el carabinero Saiu na Gaceta Literaria Publicou Viñetas flamencas Viveu lida libertária

Lorca eterno viandante: Quintessência visionária... Publicou suas Canciones Em Ediciones Litoral Dedicou a seus amigos Uma poesia sem igual Lorca fez sua História: No universo literal... Federico genialma: Simpático e sedutor Expressiva efusão De um poeta trovador Caudaloso...Originário: Luminoso En.Cantador... Cultivou luz e pureza Alegria, liberdade Lorca fluiu fantasia Jorrou criatividade Amor-arte-transcendência: Poesia da fraternidade... Lorca vate impetuoso Clamoroso, cambiante Mágico, misterioso Inspirado, triunfante Mítico e fabuloso: Infineterno diamante... Não se mata la justiça A poesia não se rende Lorca conquistou o mundo Um poeta não se prende Não se mata o pensamento: Arte não se repreende... O Fascismo é uma chaga Que oprime a humanidade A poesia nos liberta Voa com a liberdade Lorca encantou-se pássaro: Nas plagas da eternidade... Em Lorca sinto Cervantes Baudelaire, Gil e Camões Bach, Mozart e Chopin Em suas mágicas canções

Góngora, Quevedo, Goethe: Lorca nas transmutações... Poesia, prosa e teatro O Poeta empreendeu Casa de Bernarda Alba A Quimera amanheceu El Romancero Gitano: Yerma nos concebeu... LLanto por Ignácio Sanchez Mejias: Teatro, poesia e prosa Retabeillo de Don Cristobal La Zapatera Prodigiosa Poética da infinitude: Dramaturgia primorosa... Los Titeres de Cachaporra Amor de Perlimplin com Belisa Poeta em Nueva York Mariana Pineda nos avisa Poema del Cante Jondo: Lido em Granada e Pisa... Libro de Poemas, El Publico: El malefício de la mariposa El Paseo de Buster Keaton En su jardin la raposa Lorca poeta transeterno: Inscreva-se em sua lousa... Asi que pasen Cinco Años La Doncela, El Marinero y El Estudiante Primeras Canciones, Poemas Sueltos Lorca sempre irradiante Bodas de sangre na alma: Ser poeta multiamante... Divan da Tamarit Os Cantares Populares Seis Poemas Galegos A ressoar pelos ares Doña Rosita La Soltera: Nas ruas, cafés e bares... Impresiones Y Paisages El Canto Primitivo Anadaluz Cartas e Otras Páginas À poesia no conduz

Lorca nos mares da vida: Aos uni.versos de luz... Entrevistas e Declaraciones Poesia de arrepiar Estampilla e Juguete Lorca a nos fazer sonhar Obra - prima encantadora: Faz Lorca ressucitar... O poeta não morreu Está em encantamento Não se mata a poesia Lorca é puro sentimento Vôo célere pela vida: Nas ondas do pensamento... --------------------------------------------------------------------------Lúcio Costa Lúcio Ferreira Lima Costa: Na França ele nasceu Arquiteto e urbanista Ao mundo surpreendeu O Plano Piloto de Brasília: Mestre Lúcio concebeu... 27/03/1902: Em Toulon, o nascimento O Brasil, sempre no sangue Corpo, alma e pensamento De formação pluralista: Dínamo do sentimento... No Reino Unido e Suíça: Lúcio Costa estudou Em Newcastle e Montreaux: O gênio se preparou... Em 1917: No Brasil se fixou... Escola Nacional de Belas Artes: Neoclássico...neocolonial Isso foi por pouco tempo Flui bom tempo cultural Corbusier no caminho: Criador primordial...

Com Gregori Warchavchik Estabeleceu parceria Primeiro projeto modernista Novo traço em sinfonia Na Escola de Belas Artes: Modernidade nascia... Ano 1932: Lúcio Costa diretor Na Escola de Belas Artes Demonstrou o seu valor Foi professor de Niemeyer: Arquiteto inovador... Ano 1936: Processo de criação Corbusier no Brasil Modernidade em ação Conferências e debates: Arte em ebulição... Ministério da Educação e da Saúde: Edifício revolucionário Em plena ditadura Vargas Lúcio Costa visionário Carlos, Ernani e Affonso: Oscar no vocabulário... Feira Universal de Nova Iorque: Co-autor do pavilhão O Brasil representado Lúcio / Oscar inovação O mundo reverenciava: Dois gênios da criação... Plano Piloto de Brasília: Sua obra monumental Fenômeno da arquitetura Ganhou fama mundial Lúcio Costa com Brasília: Tornou-se internacional... Lúcia Costa deu a luz Concebeu a capital Feito Deus plantou Brasília: Cidade piramidal Com JK germinou A urbis universal...

Brasília nasceu do sonho: Tornou-se realidade No coração de Pindorama Nasceu a grande cidade Magalópole do Cerrado: Orgulho da brasilidade... Pós - Brasília, novos planos: Dinâmica vitalidade Urbanismo permanente Pelo bem da humanidade Lúcio Costa foi cristal: Brotou luminosidade... Maria Elisa Costa: Lúcio Costa nos deixou Duas filhas preciosas O grande Lúcio procriou Maria Elisa e Brasília: Nosso arquiteto projetou... Palácio Gustavo Capanema Park Hotel São Clemente Parque Guinle, em Laranjeiras Terra boa, sempre quente Projeto da Casa do Brasil: Jockey Club, efervescente... Casa do barão de Saavedra: Residência Hungria Machado Representação da Rússia: O atual consulado Lúcio conquistou a gloria: Tem o nome eternizado... O arquiteto e a sociedade contemporânea: Registro de uma vivência Lúcio Costa foi um gênio: De humilde sapiência Arquitetou a primavera Com sua clarividência... O seu nome é uma lenda É exemplo legendário Brasília, obra de arte: Toque revolucionário Lúcio Costa ilumina: Com seu toque visionário...

Entre as obras de Lúcio Cabe aqui destacar Brasília, a obra-prima: Vem em primeiro lugar Patrimônio mundial: Onde o céu é como o mar... ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Machado de Assis: Bruxo do Cosme Velho Joaquim Maria Machado de Assis: Do Morro do Livramento... De um moleque baleiro: A Gênio e ás no talento... Mago da Literatura: Luzeiro do Pensamento... 21/06/1839: Deu-se o seu nascimento... Veio ao mundo no Rio: Na Quinta do Livramento... Mestre Machado de Assis: Expressão do pensamento... Francisco José de Assis: Maria Leopoldina Machado... Genitores do Escritor: Mestre, acadêmico, letrado... A gênese do romancista: Tenho comigo anotado... Bem pequeno ficou órfão: De sua mamãe querida... Foi-seu o pai logo depois: Uma machadada na vida... Maria Inês, a madrasta: Deu-lhe amor, pão e guarida... Não podia estudar: Nem teve acesso à escola... Era vendedor de bala: Para não pedir esmola... O preconceito era grande: Ainda não havia bola... Sacristão de Lampadosa: Aprendeu latim-francês...

Estudou o alemão: O idioma inglês... Se estivesse por aqui: Falaria até chinês... Garoto pobre-mulato: Na Capital Federal... Época de febre amarela: Mínima era industrial... Tudo era importado: O Brasil era quintal... Padre Silveira Sarmento: Incentivou a Machado... Um menino inteligente: Logo se tornou letrado... Para sair do sofrimento: Da triste vida de gado... Veio de família pobre: Persistente e esforçado... Teve aos 16 anos: Um poema publicado... O livreiro Paula Brito: Contratou nosso Machado... Londres ditava a moda: Imperava a escravidão... Fabricaram a dívida externa: A capital submissão... E Machado no cenário... Fluía arte e criação... Publicou o soneto era "Ela": Que grande coisa não era... Na Marmota Fluminense: Deu asas à quimera... Foi caixeiro e vendedor: E um revisor bem fera... Na Marmota Fluminense: Começou a escrever... Era 1855: Como pude perceber... Até 1861: Colaborou pra valer... Ano 1856: Tipografia Nacional... Manuel Antônio de Almeida:

Influência natural... Até 1858: Aprendizado literal... Tornou-se ajudante: Do Diário Oficial... Registro em periódicos Sua obra inicial... Trabalhou em Ministério: Foi primeiro-oficial... Colaborou na Imprensa: No Correio Mercantil: Diário do Rio de Janeiro: Machado a mais de mil... Jornal da Tarde, O Globo: Na Capital do Brasil... No Jornal das Famílias: E na Revista Brasileira... Na Gazeta de Notícias: Sua prosa de primeira... Semana Ilustrada, O Cruzeiro: Machado na dianteira... 1866: Carolina chega ao Rio... (Irmã do poeta Faustino): Sempre foi mulher de brio... Foi na vida de Machado: Sol, poesia, amore mio... Ministério da Agricultura: Oficial de gabinete... Gostava de circular: Pela Rua do Catete: E no Largo do Machado: Bebia Café com Leite... Em 1869: Casou-se com Carolina... Machado, quase gago: Escritor de bela sina... Lutou contra o preconceito: E conquistou a menina ... Machado é Rio Antigo: Cosme Velho - Ouvidor... Na Rua dos Andradas: Exercitou o Amor...

Com a musa Carolina: Um romance alentador... Histórias da Meia-Noite: O livro Ressurreição... Morou na Rua da Lapa: Início da trans.formação... Na Rua das Laranjeiras: Deu-se a iniciação... Poesia, Americanas: A musa a lhe inspirar... Crisálidas foi o início: De um poeta a germinar... Gil, Job e Platão: Pseudônimos soube usar... Falenas...Ocidentais: Helena...A Cartomante... Histórias sem Data...Contos: Machado sempre adiante... O Alienista...Missa do Galo: Pulsa alto como Dante... Teceu a Mão e a Luva: A obra Iaiá Garcia... Fez os Contos Fluminenses: Estudou Filosofia... Histórias da Meia-Noite: Reflexos do dia-a-dia... A crítica de Araripe: Mostrou-se a má vontade... Machado ultrapassou: Toda a criticidade... Foi além e transmutou-se: Em ouro da imortalidade... Vitor de Paula...Job: Max e depois Lara... Publicou com vários nomes: Uma obra que não pára... Criativo e talentoso: Flui o gênio que Deus dara... República e Abolição: O grito da liberdade... Combate à escravidão: Ares de civilidade...

Época de Realismo: De nova sociedade .. Poesia nova, realista: Distante do Romantismo... Campanha abolicionista: Marx e o Comunismo... Machado além do Real: Bebeu no Naturalismo... 1878-79: Em Friburgo, temporada: Tratamento de saúde: Novo alento na jornada... Eis um novo escritor de obra: Prima...Vera - madrugada... Memórias Póstumas de Brás Cubas: Arte de lapidação... Texto de engenharia: Sentimento e emoção... Criatividade à flor da pele: Deu asas ao coração... Publicou Memórias Póstumas: Na Revista Brasileira... É um livro essencial: Que marca a sua carreira... Na Gazeta de Notícias: Foi cronista de primeira... Memórias saiu em livro: Destaque para Machado... Publicou Papéis Avulsos: Texto bem elaborado... Rua Cosme Velho, 18: Muito bem acomodado... Em Machado há ironia: Dúvida e questionamento... Capitu traiu ou não? A resposta voa ao vento... O Amor tudo ultrapassa: Revela-se o sentimento... Oficial da Ordem da Rosa: Por decreto imperial... Diretor de Viação: Várias Histórias, afinal...

Machado se consagrou: No cenário nacional... Fundou a Academia: Logo eleito presidente... Quincas Borba reflete: Um escritor sapiente... O romance Dom Casmurro: Eis um livro consciente... Cadeira 23: Da Brasileira Academia... José de Alencar, patrono: Machado o enaltecia... O mestre de Iracema: Machado sempre o lia... 13 comédias ligeiras: A verve de dramaturgo... Tu, só tu, puro amor: Foi além de taumaturgo... Fez Lição de Botânica: Um texto pra demiurgo... Velhas Histórias escreveu: Contos, Páginas Recolhidas Fez Poesias Completas: Suas obras sempre lidas... Vejo os seus personagens: Por praças e avenidas... 20/10/1904: Morreu a sua Carolina... Companheira solidária: Fraterna e diamantina... Amada de toda a vida: Uma perda repentina... Romance Esaú e Jacó: Fez-se a publicação... Relíquias de Casa Velha: Processo de elaboração... Em 1906: Teve a editoração... Relíquias de Casa Velha: Dedicou a Carolina... "Ao pé do leito derradeiro": Soneto de verve fina...

Uma pérola na poesia: Além da prosa cristalina... 1/06/1908: Pediu licença Machado... Para tratar da saúde: Estava debilitado... Memorial de Aires, romance: Foi o último publicado... 3h20, 29 de setembro: Morte do grande escritor... Em 1908... Foi-se embora o criador Saudado por Rui Barbosa: Magistrado e orador... Cronista - Teatrólogo: Poeta, crítico literário... Jornalista, pensador... Decifrou o dicionário... Shakespeare tupiniquim: Mestre do vocabulário... Ficou a obra-prima: Grandiosa, genial... Há muito influencia: A cultura nacional... Machado eternizou-se No cenário universal... 100 anos sem Machado: E ele sempre presente... Sua arte é escultura: Que orgulha nossa gente... É cânone da literatura: Do Ocidente ao Oriente... Seu romance transcendeu: Para além da dialética... É obra de bom calibre: Que equilibra a ética... É pedra filosofal Quintessência da estética... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Mãeterna...

Mãe é uma divindade... Fraternidade, harmonia É Poesia à flor da pele Majestade em sinfonia É multiverso aqui na Terra: Diamante...Estrela-Guia... Relembro de minha mãe Dia, noite, madrugada... Nossa mãe é luz eterna Estrela da Alvorada Salve a mãe de todo mundo: Mãe é natureza amada... Salve a mãe do mundo Mãeterna universal Dádiva do dia-a-dia Arte do transcendental Infinita natureza: Quintessência sideral... Mãeterna... Mãe é luz na plenitude É virtude cristalina É bênção do criador Que a beleza ilumina Sapiência que transmuta Eternidade feminina... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Mãe Mãe é flor da fantasia Que perfuma a realidade Multiestrela da poesia No universo da saudade Dádiva...graça de Deus: Luz...Solidariedade... Maeterna consciência Alicerce do Amor Encanto da natureza Divindade que é flor Bom sonho de noite-a-dia: Remédio que cura a dor...

---------------------------------------------------------------------------------------------------------Manuel Bandeira do Brasil Manuel, nossa Bandeira... Poeta pernambucano Arquiteto da Poiesis Do Recife: Sol Gitano... Vate do Multiuniverso De Pasárgada ao Oceano... --------------------------------------------------------------------------Mistelinguagem Ler escrever Pensar Os fenômenos da linguagem Expressar o sentimento Além da Terceira Margem Macunaíma concebendo A língua da mestiçagem... Produzir texto-contexto Língua da diversidade Do Oiapoque ao Chuí Pipoca a variedade Luso-Afro-Iorubá Pós-tupi: Modernidade... Lingua Portu: Guesa Errante Brasileira Universal Fonema fome poesia Gramática anti-social Dá-me vírgula e ponto Me dá locução verbal. Midiótica Mídia - Publicidade Eterno comercial Con$umismo da imagem Euniverso digital O efêmero na tela Surge o homo virtual... Reina a midiocracia A imagem nos invade Ratazanas monitoram

A nossa privacidade Os gorilas cibernéticos Sequestraram a liberdade... Informa e desinforma Conforma a nossa ilusão Deforma o pensamento Reforma a concepção Desativa o sentimento Expande a alienação... A mídia é um mercado Supermercado virtual Vende o corpo e a alma Dolariza o @nimal... Globaliza a miséria: É arapuca digital... O que será de nós? Com tanta banalidade Tédio, medo, terrori$mo Tonta virtualidade Internetv - computador: O que será da verdade? A mídia invade a alma O cérebro...o coração Subliminar controle Na tela da televisão Na ondas da Internet A mando do Grande Irmão... A míidia con$ome o ser Com propaganda e novela Aliena o pensamento Big Brother gere a tela Fomenta a inconsciência: Faz do sonho: triste cela... A mídia amamenta O político trambiqueiro Cria imagem collorida Para porco no chiqueiro Faz galo botar ovo E bode virar carneiro...

--------------------------------------------------------------------------Mulher...

Homenageio a Mulher E faço deferimento A mulher é nossa luz Estrela do pensamento Uma galáxia infinita: Nas ondas do firmamento... Sem mulher não tem História Nem vida nem nascimento... Da mulher nasceram deuses E o Deus do sentimento... Nasceu Buda, Jesus, Zeus: E muita gente de talento... A mulher é a semente Que germina a humanidade... Da mulher brota o homem Fecunda a sociedade... Sem mulher não se tem graça: Se tem mulher... há liberdade... Da mulher nasceu o Cristo, Gandhi, Lennon, Maomé, Santos Dumont, JK, Castro Alves e Pelé. A mulher faz a História: Com amor, trabalho e fé... Da Mulher tudo provém: Até mesmo a divindade Desconfio que o Deus Tenha feminilidade Na costela da mulher: Nasce a felicidade... No umbigo da mulher Germina a panacéia No olhar da Pitonisa Na boca de Almathéia Na coração do planeta: Palpita a alma de Rhéa...

Salve a mulher todo sempre Toda hora, dia e ano ... Na mulher eu me inspiro Na sereia do oceano Nas Amazonas dos rios: Mulher em primeiro plano... Nota 1000 às mulheres Por tudo o que elas são A Mulher é Natureza É a beleza em ação A Eternidade é Mulher: Num infinito coração... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Mulheres . . .

Ave, mãe, serena, camponesa: Mestra, carinhosa, companheira, Constrói, trabalha, harmoni(z)a: Professa, ensina, filosofa,ama: Procria, empreende, fantasia, Inspira, gera, sonha, realiza: Luz - Amor - Vida - Arte - Poesia... Maria...Edelzuíta, Marina, Mara, Mariá: Glória, Mércia,, Leila, Celina, Magdalena... Alice, Joana,Thaís, Olga, Auta, Mariah: Sarah, Lolita, Tarsila, Celita, Helena... Mari, Nísia, Thai, Dulcina, Minie, Ísis : Anésia, Edite, Teresa, Cristina, Lorena... Delasnieve, Vânia, Efi,Gênia.,Beth, Luana: Priscila, Lu, Silvane, Teka, Gladis, Regina... Gladys, Joyce,, Luiza, Sílvia, Laura, Deth: Calypso, Saramar, Nair, Benedita, Adelina... Eme, Lívia, Rose, Rosa, Mercília, Gena: Marineusa, Rosenna, Líria, Nadir, Livina...

Alta, Themis, Jose, Audry, Dell, Melvin: Cherie, Lou, Alba, Alissa, Deth, Magali: Violeta, Maylla, Minda, Arlene, Louise: Érita, Neila, Maggie, Erlene, Candy, Lili... Elba, Lou, Lu, Samantha, Dinabel, Ida: Cristine, Nildete, Val, Nira, Mora, Elci... Demi, Marta, Michele, Maruska, Shri,: Yoko, Moema, Jaci, Dadá, Elisabete... Clarice, Cecília, Edith, Carmen, Lia: Júlia, Iraci, Clair, Lis, Marcela, Gorete... Fani, Mercedes, Ulla, Mata, Fernanda: Oprah, Dafne, Marisa, Vick, Hildete... Lucinda, Anete, Kelley, Roselle, Madeleine: Hayat, Liege, Benita, Saravasti, Lina, Lynn... Edith, Deni, Judy, Cibele, Celine, Candice: Sheri, Ivy, Natasha, Kendra, Belle, Cyn... Felícia, Janete, Comélia, Rinete, Mauriene: Eugênia, Clemência, Ormezina, Marilyn... Iole, Ione, Dina, Diná, Dinália, Graciela: Monalisa,, Naura, Eleonora, Carine, Idalina... Lavonna, Naira, Gioconda, Geisa. Yoon: Larissa, Artémis, Macha, Ruana, Valentina... Rejane, Régia, Samíra, Nísia, Níris, Virgie: Semíramis, Henriqueta, Idelette, Ernestina... Míria, Mirian, Mírian, Miriam, Myrian: Nida, Loulie, Miréia, Ni, Evangeline... Nídia, Estefânia, Malva, Mita, Dalvina: Elisângela, Janet, Edwiges, Franceline... Leobina, Janet, Josiane, Inez, Dorothy: Zélia, Zaira, Ariane, Tália, Mi, Francine... Sinésia, Abiail, Flórida, Elzbieta, Isaura: Lauren, Cleusa, Frida, Shakira, Cleone... Floraci, Cassandra, Derminda, Penélope: Helen, Catherine, Paris, Britney, Ivone... Laurie, Sirena, Estela, Dolores, Dilma: Nicolette, Avril, Téti, Elle, Delsione...

Marly, Leilah, Nélida, Lygia, Élida, Yde: Hellen, Ebe, Mena, Ellen, Nite, Audrina... Alícia, Shirly, Madonna, Rigobrta, Zeli: Guiomar, Rivanda, Zélia, Zita, Zeferina... Zefa, Zila, Zema, Zena, Zildene Lindsay,: Érika, Érita, Violante, Letízia, Augustina... Augusta, Katherinne, Nivaldette, Laodicéia: Lupércia, Delminda, Tillie, Grécia, Marchette.... Eponina, Potira, Mamma, Daphne, Astréia: Aurizete, Joiedeve, Elcita, Carmélia, Zildete... Marie, Mari, Zupera, Belvedere, Asta, Tite: Lucie, Aurora, Cândida, Neuraci, Neurizete... Willa, Wilza, Eudora, Vilza, Noemize, Celeide: Naomi, Naiobi, Aléthea, Nahima, Albertina... Nárrima, Agnes, Cirlene, Cleone, Soleide: Cirlene, Camille, Ágatha, Vila, Andradina... Amparo, Zizeuda, Suzete. Carlane, Narcisa: Heilodora, Nágela, Fiona, Fiama, Agostina... Stella, Aurora, Aretusa, Ariadne, Afrodite: Tabitha, Charlotte, Ashley, Matto, Delfina... Clivânia, Vanda, Cícera, Vênus, Cabello Ernesta, Marilda, Marília, Adma, Livina Elvira, Roselis, Roseli, Palmerinda, Lori: Evani, Gilvânia, Valdete, Ilda, Durvalina, Delza, Dorvalina, Caridad, Celsa, Nazanin: Noeme, Noemise, Atília, Líbia, Faustina Marion, Adele, Adélia, Meireluce, Hebe: Neide, Nelda, Jove, Jovita, Carmosina... Gitana, Qi, Gilce, Gilze, Gilza, Chelsy: Natanry, Rejane, Olívia, Sibila, Firmina... Graciosa, Grace, Gracie, Greice, Graciete: Cleone, Cleonice, Cordélia, Urda, Ivone... Tillie, Ivonice, Ivonete, Natalina, Kate: Keila, Kelly, Kênia, Kélida, Cléa, Vlane... Hilda, Elke, Clare, Vanusa, Etérea, Etiene: Anica, Rani, Melisenda, Martina, Alane...

Dayse, Mirita, Jussara, Almira, Dorotéia: Jacineide, Sinara, Vandeci, Helle, Kailane... Jurema, Maitê, Vanderli, Poliana, Keila: Deolinda, Verbênia, Vilani, Eltânia, Giane... Justina, Jezebel, Paulette, Maísa, Belvedere: Odila, Brasília, Odelita, Glauciene, Cassiane... Clarinda, Claudete, Cinira, Danusa, Berenice: Valeska, Veruska, Belita. Irone, Marinalva Rúbia, Lane, Cibila, Iole, Medéia, Cristal: Ione, Ieda, Leda, Idalice, Julina, Lindalva,... Irani, Aglaia, Elaine, Cacilda, Guilhermina; Rommy, Ive, Ivone, Dilmene, Shi, Ninalva... Nora, Zanete, Guilma, Francilene, Cameron: Therèse, Ninon, Ilka, Elga, Mia, Lizete... Aglaeda, Dilza, Zeneide, Delza, Zana, Reinilta, Dinda, Nice, Alcina, Belisete... Golda, Nilda, Elsi, Amanda, Valquíria: Zeni, Ita, Iza, Neci, Dora, Bernadete... Ludmila, Taynara, Taiane, Tainá, Flávia: Fúlvia, Lisandra, Stael, Wendy, Zimina... Andy, Noreen, Florence, Florine, Jeannie: Kathryn, Xinran, Zetian, Julian, Agripina... Wang, Sherrie, Carlene, Bretanha, Marinez: Zhi, Jade, Caetana, Eugênia, Messalina... Salomé, Tamar, Edileide, Paloma. Chiang: Eneida, , Sancha, Amélia, Clayre, Manuela... Djin, Dina, Antoniete, Deusa, Safo, Betty: Zulmira, Cathy, Edelweiss, Tiye, Mariela... Gretchen, Rosidete, Tânia, Rosália, Riva: Gracyanne, Rosinete, Jeruse, Nair, Dédala... Tizuka, Noriko, Miho, Kiyomi: Murasaki, Nano, Sora, Fumiko: Ayako, Seiko, Minako, Nazuko, Mitie, Chieko, Leiko,Tomiko, Miki, Tomie, Yoneko, Kiyoko, Atiko, Hamasaki, Dorei Mitiko...

Margot, Etiene, Vanja, Zoraide, Susie: Rogéria, Ricarda, Délia, Luzia, Ziyi, Soraia, Dhésika, Marllette, Nayara,: Zhang, Gong, , Nilzete, Rogéria, Amy Betânia, Sávia, Indiana,, Mariannita: Hillary, Natalie, Salma, Whoopy, Li ... Marinete, Geane, Hortência, Analuce: Marilete, Dislene, Simone, Ivonete... Aglaide, Silmara, Rosani, Kauana: Gislene, Monique, Nicéa, Valdete... Carmelita, Lidiane, Nicélia, Zenaide: Anésia, Auriene, Lara, Canô/Deusdete... Lisieux, Jacinta,, Samille, Romênia, Raysa, Lucimeire, Thaila,. Nicelle... Laime, Mandy, Sophie, Nimara: Luisana, Altina, Jamie, Adrielle... Vanilda, Cibele, Auriana, Leide: Nilmara, Helenice, Ariana, Jucidele... Loíde, Vívian, Suziane, Libbie, Raiene: Raiane, Joelma, Odália, Tâmara, Leci: Zeila, Lavine,Virna, Magnólia,Tara: Laline, Magna, Lavínia, Enaile, Neci... Joanne, Malena, Marguerite, Constance: Melinda, Liv, Harriet, Brianna, Arli... Heliodora, Jaciara, Judite, Jádria, Solimar, Deda, Jupira, Theodora, Petra, Adilina... Maga, Açucena, Min, Sâmia, Guinevere: Magalona, Maia, Elfi, Zenália, Carmina,,, Nise, Zéfira, Yara, Zi, Tasha, Filomena: Rute, Sâmia. Hillary, Zildete, Perolina... Francisca, Bethânia. Nara, Thai, Anete: Anédia , Dalva , Elza , Áurea , Nell, Corina, Margareth, Patrícia Daniela, Débora, Rita : Cláudia , Eunice, Dulce, Georgette, Carolina . . . Lana, Cássia, Diann, Emília, Ivete, Marlene: Rosa, Nana, Creusa, Qi, Gal, Severina . ..

Vânia, Meire, Luce, Lene, Ava, Tânia: Ísis, Emma, Mel, Ollie, Isabel, Odete... Jane, Jandira, Inês, Janete. Deise, Linda: Nanci, Tina, Anita, Telma, Eva, Dete... Ilma, Andréa, Irma, Andréia, Egle: Renata, Virgínia, Iva, Lua, Rubinete... Aríete, Ítala, Ítaca, Karya, Zelma: Sâmara, Jandira, Jalmira, Lucilene: Cauane, Tiffany, Jacira, Taiane,: Jucidélia, Jussiara, Tauane, Darlene... Bernardine, Patsy, Vládia, Sulimar: Kimberly, Juciara, Almira, Marilene... Gilna, Nélia, Déa, Iolanda, Marieta: Florisbela, Marisa, Sheine, Cristiane: Adrienne, Una, Zinah, Yona, Débora: Luma, Lícia, Gláucia, Lídia, Eliane... Eliana, Elaine, Eliete, Elisa, Elizete: Lisa, Lizza, Lisie, Liza, Elisana, Elane... Deusa, Ísis, Cleópatra, Nefertiti, Nefertari: Vasti, Makaeda, Hatshepsut, Leopoldina... Antonieta, Lucrécia, Elizabeth, Estefânia: Bakwa. Vitória, Mayor, Nehanda, Joaquina... Nandi, Urraca, Ginga, Beatriz, Siamandini: Dulce, Mafalda, Ausenda, Múnia, Catarina... Adelaide, Onega, Manuela, Matrona, Gaia: Dulce, Sandra, Leonor, Matilde, Amália... Josefa, Mécia, Filipa, Luísa, Tiye, Sofia: Bertranda, Mafalda, Nunila, Berengária... Alberta, Ximena, Quichilda, Constança: Amélia,Guinevere, Inês, Sancha, Rosália... Matilde, Nzingha, Janaína, Zaida: Paraguaçu, Auria, Eneca, Iemanjá... Iansâ, Oneca, Berta, Alice, Isabel: Ingeborg, Bona, Françoise, Naná... Emília, Josefina, Batilde, Caterina: Isabela, Octávia, Genoveva, Eloá ...

Llilibeth, Zeralda, Sallie, Siblian, Astid: Niinibeth, Kayonga, Khadidja, Viviene... Marizete, Marleide, Marione, Marileide: Aishwarya, Peggy, Yifat, Jaide, Jucilene... Darte, Bing, Pri, Rochelle, Dill, Agbany Yolanda, Metinee, Roselin, Cila, Selene... Vandira, Rani, Fani, Antonina, Larissa: Ivoneide, Ivonete, Ivanice, Ivane... Devanir, Reini, Marileide. Marizete: Carmita, Rosi, Odália, Odessa, Cleane... Juci, Geíse, Geralda, Afonsa, Lindacy: Sari, Marione, Gina. Palesa, Nivone... Nota 1000 às mulheres: Por tudo o que elas são... A Mulher é Natureza: É a beleza em ação... A Eternidade é Mulher: Num infinitom coração... ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Na ra...

Nara Lofego Leão: Em Vitória re.nasceu... Ano 1942: Janeiro, 19, se deu... Cantora que ilumina: A sua voz transcendeu... Filha de Jairo e Altina: Irmã de Danuza Leão... Mudou cedo para o Rio: Teve aulas de violão... Com o Patrício Teixeira: Musical educação...

A musa da Bossa Nova: Morava em Copacabana... Ela é grande cantora: Como Elis, Dalva e Nana... Chiquinha e Carmen Miranda: Bethânia, Gal, Adriana... Reunia em sua casa: A elite musical... Bôscoli e Carlos Lya: Sérgio Mendes, Menescal... Parceria com Vinícius: Quintessência cultural... Com Açúcar e com Afeto: Nara sempre inspirou... Cantarolou O Barquinho: Com ela A Banda passou... Chico Buarque no caminho: Bom samba elaborou... . Comédia Pobre Menina Rica: Estréia profissional... Com Vinícius e Carlos Lyra: Deu um salto musical... Era 1963: Antes do golpe fatal... Depois do Golpe de 64: Espetáculo Opinião... Com João do Valle e Zé Keti: Recebeu consagração... Fez a crítica social: Ao terror da repressão...: Maria Bethânia com Carcará: Soube bem interpretar... Sucesso radiofônico: Um canto de arrepiar... Nara em processo de cura: Seu canto foi transmutar... Virou cantora de protesto: Movimento estudantil... UNE e CPC: Efervescência febril... Influenciou o Opinião: Nara cantava a mais de mil...

Em 1966: A Banda, no Festival... Música Popular Brasileira: TV Record, musical... Cacá Diegues e Paris: Tempo existencial... Do casamento com Cacá: Nasceu a filha Isabel Depois veio Francisco: Com nome de menestrel... Dueto com Chico Buarque: João e Maria no cordel... Tropicália ou Panis et Circensis: Tempo de Tropicalismo... Psicologia na alma: Vivia-se um grande sismo... Guerrilhas e festivais: Sacodem o Capitali$mo... Extensa discografia: Nara; Show Opinião... Nara;Opinião de Nara: Um Cantinho, Um Violão... O Canto Livre; Cinco na Bossa Vento de Maio, Nara Leão... Nara Pede Passagem: Ouvi Romance Popular... Liberdade, Liberdade: E Nasci Para Bailar... E Que Tudo Mais Vá Pro Inferno: Nara viveu para sambar... Abraços e Beijinhos e Carinhos Sem Ter Fim... Meus Amigos São Um Barato: Coisas do Mundo, enfim... Manhã de Liberdade brilhou: Para tu e para mim... Canta Dez Anos Depois: Brota o Meu Primeiro Amor... Meus Sonhos Dourados fluem: Garota de Ipanema é flor: Nara é pura poesia: Diz o Cristo Redentor...

. Com Açúcar, Com Afeto: Meu Samba Encabulado... Nara Canta en Castellano: Não perdia o rebolado... My Foolish Heart, Nara: Seu samba é cadenciado... Ano 1989: Nara Leão navegou... Foi do Rio para o eterno: A sua arte nos deixou... Foi-se encontrar com Elis: Vinícius no céu sambou... Nara nos deixou saudade: Sua arte enraizou... Está na alma da gente: Seu nome se eternizou... Lá das plagas do Infinito: Seu canto nos encantou... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Negricídio...

1.Os negros vieram da África no tempo da escravidão trabalhavam dia e noite na tortura e solidão era o maior sofrimento por um pedaço de pão... 2.Eles são discriminados devido a sua cor por terem a pele negra são tratados sem amor enriqueceram o branco com o sangue da sua dor... 3.O preconceito é cruel provoca a divisão a renda é concentrada devido à exploração os negros são maltratados e querem libertação.

4.Assinaram um papel para os negros libertar foi à princesa Isabel que procurou ajudar só que não deram terra para o negro trabalhar. 5.Eles viviam na senzala, hoje vivem na favela o desemprego é real a ilusão está na tela os negros querem urgente uma porta e uma janela. 6.A injustiça é tirana não se respeita a cultura os negros com sua arte expressam sua ternura capoeira, artesanato, música e literatura. 7. A pobreza continua com o analfabetismo o negro não tem acesso ao poder do consumismo o negro é uma vítima do ruim capitalismo. 8.Negros vivem na miséria: falta estudo e alimento sem dinheiro e emprego amargam no sofrimento querem melhorar de vida e expressar seu talento. 9.Para o negro melhorar: é preciso educação melhor divisão da renda mais arroz e mais feijão moradia e emprego e o fim da exploração. 10.É hora de acabar: o racismo, o preconceito negro é igual a branco ser negro não é defeito o negro é da natureza e por Deus ele foi feito...

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Nietscheana Filósofo assistemático Cultivou o aforismo Falo do grande Nietzsche, Crítico do cristianismo Foi destruidor de ídolos E do falso moralismo... Criticou a idolatria Foi filósofo do martelo Contra a hegemonia Do burguês e do castelo Sangrou o puritanismo Com a espada e o cutelo... O fim do cristianismo Previu com entusiasmo O autor do AntiCristo Foi Poeta do sarcasmo Criticou o egoísmo E deu asas ao orgasmo... Nietzsche foi implacável Combateu o platonismo Desestruturou o ícone Dilacerou o cinismo Deflorou a catidade Que dorme no moralismo... Filósofo transmutador Crítico bem rigoroso Disse: "Deus está morto"... Taxaram-no de perigoso. Anteviu uma nova era, Com instinto vigoroso... Combateu o niilismo Com sarcasmo e ironia Guerrilheiro do Amor, Do sexo e da poesia Ativista da verdade Contrário à hegemonia...

Nietzsche disse sim à vida Pensador da afirmação Errante na existência Navegador da solidão Guerra aos valores do tempo Rebelde da transformação Nietzsche amava Dioniso Entre os deuses, preferido Propagou novos valores Inverteu o estabelecido Sêmen da nova cultura Iconoclasta, atrevido... Filosofou o ser: vir-a ser Homem de questionamento Sempre ousado e destemido Foi um às no Pensamento Com destemor e ousadia Refloresceu o sentimento... Destoou da metafísica Enfrentou o dualismo Trangrediu a velha ordem A lógica do farisaísmo Nietzsche profeta cigano Luz do zaratustrismo... Sobre os donos da verdade Estremeceu como um sismo Cosmonauta do prazer Anti - falso-moralismo Subverteu o sistema Com fervor no criticismo... Criticou a religião E a religião da ciência Deu asas à consciência Foi um filósofo - condor Áspero com o platonismo Dionisíaco, no amor... A invenção do pecado Poluiu o sentimento Acorrentou a humanidade A cultura, o movimento Trepidou o coração Envenenou o sentimento...

Creação - destruição Sem refúgio em alguém Contínua transformação Pulsão cosmica, desdém Redenção in.existente Pra além do mal e do bem... Fez a crítica contundente, Ao cristiansmo, cáustico, Questionou toda verdade, Pensador transmatemático Concebeu o Anticristo. Em aforismo, catedrático... Filósofo da ousadia Questionou a cristandade A Vontade de Potência, Dá irmã, nasceu a fraude Germinou-se bailarino Na potência da vontade... Sem refúgio no além, Fez a tranvaloração Cristianismo e metáfísica, Na esteira da ilusão, Niilismo: céu - inferno Dualismo de Platão... A moral religiosa, Serve à dominação A idéia do pecado Propaga a castração Elimina o pazer Acorrenta a criação... O cabresto da religião Aliado à moral Controla o indivíduo Com a doutrina liberal Aprisiona o espírito Nas garras do capital... Deus "monótono-teísmo" do arcaísmo cristão Clerical Protestantismo A cruel doutrinação A verdade na fogueira, No fogo da Inquisição...

Apologia à castidade Ato antinatural... Reprime o ser humano do prazer essencial Amor é poesia pura Sexo é transcendental... Liberdade ao pensamento Prazer é fundamental Acreditemos na vida, Na poesia musical Deixe a alma dançar Num orgasmo sideral... Nísia Floresta Brasileira Augusta

Nísia Floresta, é exemplo Na luta pela liberdade Modelo para as mulheres No caminho da verdade Criativa, ás, inovadora Crítica da Realidade... Dionísia Gonçalves Pinto É o seu nome verdadeiro Contestadora, republicana Residiu no estrangeiro Sua luta pela Mulher Repercutiu no mundo inteiro Potiguar por nascimento, É cidadã universal Nísia Floresta, Augusta, Brasileira sem igual... Mulher de fibra e talento, Transformadora Social... Gen de Dionísio e Antônia, Nasceu lá no Papari Sítio próspero, cultivado Águas do rio Trairi, Lembra-nos Mestre Cascudo As origens de Poti... Multifacetada, abrangente, Positiva, luminária... Crítica, renovadora Fez pesquisa literária

Navegante da palavra, Consciente, igualitária Escreveu diversos livros Foi um marco na História Nísia merece os louros, Os altos píncaros da glória, Preparou caminhos-trilhas Para a Mulher ter vitória... Páginas de uma Vida Obscura Itinerário à Alemanha, Augusto Comte e Nísia Brasileira, Correspondência tamanha, Nísia, Mulher de fibra, Luminosa à montanha... A Lágrima de um Caeté, Criou Parsis e Le Brésil Dedicação de uma Amiga, Mulher de Alma Febril, Conselhos à Minha Filha... Nísia, estrela do Brasil... Fany ou o Modelo das Donzelas, Opúsculo Humanitário, 40 Pensamentos em Versos De sentimento solidário, Direito das Mulheres/Injustiça dos Homens Nísia... quão nobre itinerário... Passeio ao Aqueduto da Carioca, Brasil Ilustrado, Pranto Filial, Colaborou em vários jornais, Obra múltipla, monumental, Interveio na Realidade, Do Contexto Social... Nísia Floresta é um ícone Feminina, libertária.. Símbolo para as mulheres, Ativista, solidária, Todo o reconhecimento, À Nísia Revolucionária... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Noel Rosa: Poeta da Eterna Vila Noel é samba na alma É Poeta Universal Conheceu a alma humana Muito além do Carnaval Realista, épico, crítico: Eterno e intemporal... Influenciou Chico,Vinícius Cartola, Gil, Tom Jobim Caetano e João Gilberto Quase todo mundo, enfim Filósosfo do Samba é: Pôs o eu dentro do mim... Mais de 200 canções Noel Rosa nos deixou Poesia bem rebuscada De quase tudo, tratou Conversa de Botequim Em Noel, o ser,vôou... Ciúme, dor e solidão Drama, vida e desamor Noel é desconcertante Como artista:Um primor Estilista talentoso: Humanista, sonhador... Precursor da Bossa Nova Deus da Música Popular Dores, lutas, alegrias, Esperanças no pensar Fantasias e desejos: Nos delírios do amar... Leilão do Brasil...Quem dá Mais? Onde está a Honestidade? "Voltaste", "Maria Fumaça" Sofrimento e saudade "Negócio de Turco", Ladrão de Galinha": Amor-paixão: Morte, verdade... Peralta e humanista Irônico, provocador... Mulher, dinheiro, crise, Pôs no samba a sua dor

Canta os marginalizados: João Ninguém brota em flor... Pra que Mentir?..."Último Desejo" "Pra Esquecer" a dor do amor "Silêncio de um Minuto" "Festa no Céu": Um louvor "Queixumes" de um Poeta: De um coração sonhador... "O Orvalho vem caindo" Dança o "Gago Apaixonado" "Com que Roupa?,"Mulher Indigesta" "Cor de Cinza", ao meu lado "Meu Barracão", "Quantos Beijos": "Eu sei Sofrer", porém, calado... Noel Rosa sintetiza A criação popular Charme, astúcia e elegância Ironia em seu criar Compositor de primeira: Fez o samba prosperar... Incrível poder de síntese Vate, improvisador, Libertário e intuitivo Espontâneo criador Nos botecos e esquinas: Noel: Mestre encantador... --------------------------------------------------------------------------Nordestina-se

A cultura nordestina-se Transcende o regional Xaxado-maracatu Xote frevo carnaval Sanfona de Gonzagão: Forró-baião literal... Literatura de Cordel Improviso e embolada Ciranda, boi e reisado Praia, arte, luarada Lobisomem à meia-noite: Em busca da madrugada...

Carne de sol:baião de dois A sagrada rapadura Bebo uma talagada Gole de cachaça pura Para cantar o Nordeste Terra de amor e ternura... São João em Campina Grande Castro Alves condoreiro Ariano Suassuna-nos Cordelisa o Romanceiro Auto da Compadecida: Sucesso no mundo inteiro... Glauber Rocha cinearte Torquato em Teresina Mário Faustino traduz O raio da silibrina... João Gilberto Bossa Nova: Tem essência nordestina... Elba, Gal, Gil e Betânia Voz de Anísio Teixeira A arte de Caetano Repente de Zé Limeira Patativa do Assaré: Encanto da Mulher Rendeira... Na Chapada Diamantina Horácio...Manuel Quirino Irecê e Pai Inácio Morro do Chapéu cristalino Recife de Ibititá: Canarana me destino... Herói Zumbi dos Palmares Nísia Floresta vital Poesia de Auta de Souza Nunca ouvi nada igual Luís da Câmara Cascudo Folclorista magistral... Science e Chico Cézar Paulo Freire Educação Cangaço, Lucas de Feira Vaqueijada, Azulão Na peleja e na rima Malazarte e Cancão...

Asa Branca Acauã Petrolina Juazeiro Cordel do Fogo Encantado Um encanto brasileiro Quarteto Armorial Mestre Pinto do Monteiro Tem Quinteto Violado O Barro de Vitalino Mágico Antônio Nóbrega Tem sorriso de menino Ivanildo Vilanova: Um orgulho nordestino... Baião de Humberto Teixeira Cangaceiro Lampião Guerrilheiro nordestino: Imperador do Sertão... Amava Maria Bonita Com prazer e emoção... Feira de Caruaru Xangai,Tom Zé, Elomar Zé Ramalho Avohai Corisco a sapatear Inácio da Catingueira Num galope a beira mar... No sertão de Piritiba Raul Seixas Caculé Na América Dourada Joao Dourado e Quelé Lá na Terra do Feijão: Vou plantar capim guiné Cego Aderaldo no verso Apodi e Borborema No sertão do Cariri Ouvi o canto da ema Penedo e Xique-Xique São Francisco, que poema... No Raso da Catarina Ararinha ao natural... Paulo Afonso cachoeira Um salto fenomenal No Lago de Sobradinho Água como o Pantanal...

Xilogravura de Borges Raul Seixas a cantar Geraldo Azevedo galopa Lenine a nos misturar Zeca Baleiro embala Graciliano no ar... José Lins e Zé Américo Rachel a romancear Jorge Amado frebordina Grapiúna a namorar Enamora Gabriela: Janaína reina o mar... A cultura nordestina É orgulho nacional O Nordeste é um primor É uma terra sem igual Eu canto a minha aldeia: Na seara universal... --------------------------------------------------------------------------O ano que continua... Foi um ano muito louco: E o povo preocupado... Ditadura...AI-5: Tempo Militarizado... Generais de 5 estrelas: Comandavam o Estado... 1968: Foi um marco na história... Falava-se em Socialismo: Mudança de trajetória... Aquarius...Libertação: A nova era de glória... Aprendi a enxergar: As vozes da ideologia... Um movimento rebelde: Mudou nosso dia-a-dia... Tropicalismo em voga: Festivais...Filosofia... Ouvi Chico...Caetano: Gil, Bethânia e Gal... "Pra dizer que não falei das flores": Era o grito geral....

Canto, cinema, poesia: Com um toque surreal... Rádio de Havana...Moscou: Os discursos de Fidel... Botafogo-campeão: A leitura do cordel... Poesia à flor da pele: Encantador menestrel... Falava-se de Jean-Paul Sartre: De existencialismo... Simone de Beauvoir: Teoria e criticismo... Glauber e Cinema Novo: Anti o Imperialismo... Marx era obrigatório: Dialética, leninismo... Começo da Ecologia: Livros sobre trotskismo... Movimento Estudantil: Comuna e Anarquismo... Em maio de 68: Eu estava na Bahia... Morava em Irecê: Iniciava em poesia... Ouvia rádio à noite: E estudava de dia... Era ligado em Repente: Gostava de cantoria... Acompanhava no rádio: Os ecos da rebeldia... Ainda era menino: De pouca coisa sabia... Parentes estudavam fora: São Paulo, Rio de Janeiro... Ouvia-se muitas histórias: Sobre o fim do mundo inteiro... Besta-Fera...Anti-Cristo: E um dragão aventureiro... O nosso povo dizia: Que o mundo ia acabar... Mulheres de mini-saia: Começavam a se mostrar...

Homens cresciam o cabelo: Ficavam sem barbear... Che, Lennon, Gandhi, Raul: Sociedade Alternativa… Os Hippies deram o sinal: Pra comunidade ativa… Chega de monetarismo: Pra alma não ser cativa… Foi um ano magistral: De luta, arte, energia Movimento planetário: Leitura e rebeldia É ano que continua: Vivo em nossa fantasia... --------------------------------------------------------------------------Oriente-se Cidades do Oriente: Ulan Bator...Istambul Alexandria...Marrakeshi Ramala Cairo Mossul Das cidades ocupadas: Não esqueço de Cabul... --------------------------------------------------------------------------Paraí$o dos Banco$ Banqueiros lucram bilhões: O Povo vive na esmola... Eles vivem no deleite: Por aqui falta escola Os ricos comem caviar: Os pivetes cheiram cola... Desemprego e Miséria: Sofrimento...Desengano O pobre a passar Fome: Sempre entra pelo cano Lucro e Mais Valia: Atos de um poder insano... --------------------------------------------------------------------------Paulo Freire Paulo Reglus Neves Freire Foi um ás da Educação

Em Recife...Pernambuco Deu-se a concepção Veio ao Mundo Paulo Freire Pra fazer renovação... 1921...19 de setembro Nasceu o gênio educador Paulo Freire, mestre célebre Revolucionário professor Um destaque universal De pensamento inovador... No Colégio Oswaldo Cruz: Em Recife estudou Ainda era aluno: A língua experimentou Criativo e analítico: Sempre o verbo pesquisou... Em 1946 Em Direito se diplomou A profissão de advogado Ele nunca praticou Filósofo da Educação: A maestria professou... No SESI de Pernambuco Diretor de Educação Em 1954 Dirige a instituição Até 1957 Atuou na Direção... Universidade do Recife: Efetivo professor Doutor em Educação De destacado valor Em 1960: Eleva-se o Educador... Presença ativa na Escola Na vida educacional Cidade, Estado, País: Universidade Federal Movimento de Cultura Popular: Foi ativista cultural... Pesquisa no MCP Cultura e mobilização Tinha a alma do Povo

Apóstolo da Libertação Revolucionário criativo: Agente da transformação... Serviço de Educação Cultural Assume a Direção Integra a primeira turma Conselho de Educação Comissão de Cultura Popular É Paulo Freire em ação... Preside a Comissão De Cultura Popular Programa de Alfabetização Paulo Freire a comandar Surge o ´Método Paulo Freire: Para o homem libertar... Processo de Conscientização Realidade brasileira... Alberto Guerreiro Ramos IESB na dianteira Corbisier - Jaguaribe Freire e Álvaro Vieira... Paulo Freire...John Dewey Mannheim...Anísio Teixeira Barbu...Ortega Y Gasset Educação verdadeira Consciência necessária Para a pátria brasileira... Educação e atualidade Tese sobre Educação Em 1959: Pesquisa em edição Pensadores progresssistas Ontologia: Reflexão... Homem - Ser de relações Ação livre e criadora Realidade histórico-social Educação transformadora Consciência crítica do Ser: Visão empreendedora... Alceu Amoroso Lima Condições de existência Marcas da circunstância Em busca da transcendência

Maritain, Bernanos, Mounier Educação é sapiência... Paulo Freire pensador Desejava autonomia Sociedade equilibrada Com arte e democracia Mais justa e desenvolvida Com paz e soberania... No processo educativo Diálogo e reflexão Aprendizado e respeito Caminho pra formação Prática da democracia Pra melhorar a nação... Alfabetização de adultos Exercício da verdade Discussão de experiências Praticar com liberdade Ativar a consciência Luz-solidariedade... Despertar da consciência Prática da reflexão Fluem círculos de Cultura Diálogo na Educação Experiência de vida: Luta por transformação... Método de alfabetização Muito bem elaborado Movimento de Cultura Popular Pensamento estruturado Paulo Freire educador: Crítico e fundamentado... Centros de Cultura do MCP Destaca a alfabetização Recordo o ´Poço da Panela´ Campanha e divulgação SP - Rio Grande do Norte Paraíba...Educação... Experiência de Angicos Pelo Governo do Estado Lá na terra potiguar Pela Usaid financiado

Com boa publicidade O método foi divulgado... Método de alfabetização Pensamento estruturado Educação consciente Socialismo sonhado Utopia da Revolução Num Brasil espoliado... Cuba em Revolução Visita de Che Guevara Renúncia de Jânio Quadros Teatro de Odete Lara Bossa Nova é sucesso Tem arte da Carlos Zara... Paulo Reglus Neves Freire Foi um ás da Educação Em Recife...Pernambuco Deu sua concepção Veio ao Mundo Paulo Freire Pra fazer renovação... 1921: a 19 de setembro Nasceu o gênio professor Paulo Freire, mestre célebre Revolucionário educador Um destaque universal De pensamento inovador... No Colégio Oswaldo Cruz: Em Recife estudou Quando ainda era aluno: A língua experimentou Criativo e analítico: Sempre o verbo pesquisou... Em 1946... Em Direito se diplomou A profissão de advogado Ele nunca praticou Filósofo da Educação: A maestria professou... No SESI de Pernambuco Diretor de Educação Em 1954 Dirige a instituição

Até 1957 Atuou na Direção... Universidade do Recife: Efetivo professor Doutor em Educação De destacado valor Em 1960: Eleva-se o Educador... Presença ativa na Escola Na vida educacional Cidade, Estado, País: Universidade Federal Movimento de Cultura Popular: Grande ativista cultural... Pesquisa no M.C.P Cultura e mobilização Tinha a alma do Povo Apóstolo da Libertação Revolucionário ativo: Agente da transformação... Serviço de Educação Cultural Assumiu a Direção Integra a primeira turma Conselho de Educação Comissão de Cultura Popular É Paulo Freire em ação... Presidiu a Comissão De Cultura Popular Programa de Alfabetização Paulo Freire a comandar Surge o ´Método Paulo Freire: Para o homem libertar... Processo de Conscientização Realidade brasileira... Alberto Guerreiro Ramos IESB na dianteira Corbisier - Jaguaribe Freire e Álvaro Vieira... Paulo Freire...John Dewey Mannheim...Anísio Teixeira Barbu...Ortega Y Gasset Educação verdadeira

Consciência necessária Para a pátria brasileira... Educação e atualidade Tese sobre Educação Em 1959: Pesquisa em edição Pensadores progressistas Ontologia: Reflexão... Homem-Ser de relações Ação livre e criadora Realidade histórico-social Educação transformadora Consciência crítica do Ser: Visão empreendedora... Alceu Amoroso Lima Condições de existência Marcas da circunstância Em busca da transcendência Maritain, Bernanos, Mounier Educação é sapiência... Paulo Freire pensador Desejava autonomia Sociedade equilibrada Com arte e democracia Mais justa e desenvolvida Com paz e soberania... No processo educativo Diálogo e reflexão Aprendizado e respeito Caminho pra formação Prática da democracia Pra melhorar a nação... Alfabetização de adultos Exercício da verdade Discussão de experiências Praticar com liberdade Ativar a consciência Luz - solidariedade... Despertar do pensamento Prática da reflexão Fluem círculos de Cultura Diálogo na Educação

Experiência de vida: Luta por transformação... Método de alfabetização Muito bem elaborado Movimento de Cultura Popular Pensamento estruturado Paulo Freire, educador: Crítico e fundamentado... Centros de Cultura do M.C.P Ênfase à alfabetização Recordo o ´Poço da Panela´ Campanha e divulgação SP - Rio Grande do Norte Paraíba...Educação... Experiência de Angicos Pelo Governo do Estado Lá na terra potiguar Pela Usaid financiado Com boa publicidade O método foi divulgado... Método de alfabetização Pensamento estruturado Educação consciente Socialismo sonhado Utopia da Revolução Num Brasil espoliado... Cuba em Revolução Visita de Che Guevara Renúncia de Jânio Quadros Teatro de Odete Lara Bossa Nova é sucesso Tem arte da Carlos Zara... Tempos de ´Guerra Fria´ Pós-Revolução cubana Luta política interna Ao povo não se engana Radicalização política De Brasília a Havana... Golpe de 64 Um sonho interrompido Ditadura Militar Pensamento perseguido

Tirania no comando E nosso povo reprimido... População subalterna Reprimida, espoliada Paulo Freire prisioneiro Leva vida encarcerada Inquérito Policial-Militar Dia, noite e madrugada... Paulo Freire é exilado Vai para o Exterior Algum tempo na Bolívia Do Chile torna-se morador Criação e produtividade Do filósofo - educador... Paulo Freire na Bolívia Por pouco tempo ficou Foi-se embora para o Chile E por lá se radicou Até 1969: Foi no Chile que morou... Permanência lá no Chile Grande produtividade Conclui livro ´Educação Como Prática da Liberdade´ Retoma análises do passado: Desperta a criatividade... Educação de Jovens e Adultos Processo de alfabetização Analfabetos do Brasil Weffort fez introdução Perspectivas de análises Em ciência e educação... Elites conservadoras Provocam a reação Reprimem o pensamento E a conscientização Querem pela ignorância Manter a alienação... Paulo Freire laborioso Muita gente pesquisou Dewey, Barbu e Mounier Jaspers e Huxley estudou

Marcel, Ortega y Gasset Paulo Freire rebuscou... Aprofundou-se em Marx, Engels, Fromm e Althusser Sartre, Lukacs, Marcuse, Lênin, Debray e Freyer Goldman, Memm e Kossic E a dialética da mulher... Modos de coexistência Referência - Educação Sociedade de classes Busca da transformação A sociedade requer: Luta e transformação... Educação e Liberdade Análise do analfabetismo Causas e conseqüências Elite e conservadorismo Reação da burguesia Que oprime com fascismo... Povo no processo histórico No ensinar-aprender Tomada de consciência A Arte do Sobreviver Paulo Freire é a luz De um novo amanhecer... Icira em Santiago Escritório regional Educação de adultos Consultor especial No escritório da Unesco: Trabalho primordial... Universidade Católica Na andina terra chilena Governo Eduardo Frei Paulo Freire bem na cena Pedagogo do oprimido Paulo Freire é nossa antena... Foi aos Estados Unidos Como mestre convidado Para lecionar em Harvard Exercer pós – doutorado

Na Meca do capitalismo: Vai mostrar o outro lado... Viajou para Genebra: É consultor especial Conselho Mundial das Igrejas Ação educacional Um grupo de educadores: IDAC...Ação cultural... Democracia e crítica Análise...participação Conquista da independência Combate à colonização Países do Terceiro Mundo: Processo de emancipação... Interação cultural Papel da educação Colonialismo crônico Sobre a população Países em movimento Em busca da libertação... É tempo de anistia Paulo Freire retornou Em 1979... No Brasil ele chegou Em 1980: Ele de fato retornou... Instalou-se em São Paulo E começou a lecionar Na PUC e na Unicamp Novo tempo a despertar Faz militância política: Pra história transformar... Em São Paulo capital Secretário de Educação Governo Luíza Erundina Paulo Freire inovação Na Educação de Sampa Teve forte atuação... Professor convidado da USP Atividade intelectual Aulas e conferências Ativista cultural

Palestras e seminários Debate educacional... Município de São Paulo Secretaria de Educação Desafios...dificuldades Esforço para a construção Autonomia nas escolas Busca de um novo padrão... Alunos, pais, comunidades Envolvimento na gestão Interdisciplinaridade Processo de formação Movimentos populares: Fontes da revolução... Alicerçaram o Mova Para alfabetizar PUC, USP, Unicamp Paulo Freire a apoiar Buscava-se uma Educação De caráter popular... Reflexões e análises Na obra do professor Paulo Freire é exemplo Para o nosso educador Compromisso com o povo: Na alma do pensador... Liberdade e pensamento Pedagogia do Oprimido Pedagogia da Esperança Libera o ser reprimido O hábito da boa leitura Dá ao homem mais sentido... Cartas à Guiné-Bissau A Educação na Cidade Professora sim, tia não Mude-se a realidade Escreveu ´Cartas a Cristina´: Mostrou a veracidade... Educação e conscientização Dinâmica ação cultural Educación e cambio Lâmpada educacional

Política e educação Paulo Freire magistral... Extensión o comunicación? Educação e atualidade brasileira Acción cultural para la libertad Transformação verdadeira Paulo Freire iluminou A educação por inteira... Muitas teses e estudos Sobre o mestre criador Premiações no Brasil E também no Exterior É Doutor Honoris Causa Nosso eterno professor... Influenciou vários campos: Religioso e cultural Filósofo e acadêmico Pensamento social Sobressai com louvor No campo educacional... Paulo Freire libertário Um genial pensador Crítico...Revolucionário Verdadeiro professor Dedicação integral: Como mestre educador... --------------------------------------------------------------------------Pluridiversidade

Pluralidade sócio-cultural Com tanta diversidade Excluídos, negros, pobres Querem multiplicidade Justiça sem preconceito: Mais universalidade. Diálogo-reflexão Respeito-discernimento A plural diversidade Horizontal sentimento Informação - democracia À luz do desvelamento.

O grito dos excluídos Ouve-se de sul a norte Os sem-nada, deserdados Jogados à própria sorte Sem-escola, sem currículo São aprendizes da morte. Despertai o coração Pra solidariedade Pluralizai nossos sonhos Com amor-fraternidade Acordai os cidadãos Pra nova realidade. Vive-se a diversidade No ensinar-aprender Constrói-se a cidadania Na luta do sobreviver Brota da dor do silêncio A flor do amanhã:Ser. Sócio-antropologia Ética-multiplicidade Cultura-raça-etnia Resistência-liberdade Estímulo-sobrevivência: Despertam a sociedade. Caráter interdisciplinar Ética e meio ambiente Direitos de cidadania Diversidade presente Intercâmbio cultural: Renovação permanente. Respeito - entendimento Na organização social A busca da tolerância Democracia racial Contra a discriminação Democracia cultural. Complexa sociedade De ensino-aprendizagem Mudança de pensamento Reflexão e imagem Pensamento inclusivo Nova linha de abordagem.

Os processos são complexos, Fenômenos-interações Discussão-conhecimento Reformas e intenções Pluralismo...Diversidade Sacudindo as emoções. Valorizar a cultura É ação de resistência A cultura é vital Pra nossa sobrevivência Livros, arroz e feijão Alimentam a consciência. Na plural diversidade Olhar o regional Discutir com amplitude Os valores do local Quem canta a sua aldeia Tem caráter universal... --------------------------------------------------------------------------Poesia não tem preço A poesia não tem preço Não se rende ao Capital Fere os pés do $istema Não sai em Telejornal Muitas vezes ocultada... Na redação do jornal... --------------------------------------------------------------------------Poeta Negro...Cruz e Sousa...

João de Cruz e Sousa... Lá em Floripa nasceu Lá no antigo Desterro Poeta se concebeu... Filho de negros escravos No sofrimento viveu... Poeta incomensurável Está pra lá de Baudelaire Poeta além do infinito À frente de Apollinaire... De repente num relâmpago... Poeta Negro na maré. ..

Ano 1862 A 24 de novembro Nasce o grande bardo Do planeta novo membro Cruz e Sousa transcendeu De janeiro a dezembro... Por sorte foi instruído Teve boa educação Amparado por fidalgos Que lhe deram instrução... Pra sobreviver num mundo De ódio e escravidão... Foi muito hostilizado Humilhado e combatido... Sempre de cabeça erguida Altaneiro e destemido... Homem sábio e criativo... Em um mundo de bandido... O nosso melhor Poeta, Sílvio Romero destacou... Um dos melhores do mundo: Roger Bastide falou... Cruz e Sousa do Infinito... A Poesia extrapolou... Desejo, dor e sonho... Um vate extraordinário... Um vulcão da Poesia Foi além do dicionário Um símbolo pra todos nós: Poeta Multiatitudinário... Sincero e espontâneo Nobreza de sentimento Navegante das estrelas Foi um ás no pensamento... Que ilumina a Poesia Com a luz do encantamento... Poeta Negro messiânico De ressonância imortal Procurem em todo o Planeta Não se encontra outro igual Um gigante da Poesia: Um destaque mundial...

Escreveu Últimos Sonetos Faróis, Broquéis...outros mais... Nasceu em Santa Catarina Morreu em Minas Gerais Hoje vive no infinito... Nas plagas universais... --------------------------------------------------------------------------Quintanave Mário Quintana passarinho Traçou o próprio destino Colibri... Uirapuru Poeta foi desde menino Soneto, prosa e hai.cai: Um coração sibilino... Poeta livre libertário Não pertenceu a escola Na Poesia grande craque Não precisou de cartola Um Poeta verdadeiro: Não se prende em gaiola... Nasceu lá em Alegrete E foi alegre na vida Voou na infinitude No espaço...na avenida... Juventude em Porto Alegre Lá se deu a sua lida... A Rua dos Cataventos: Caprichoso no soneto Espelho Mágico criou No reflexo do quarteto Sua poesia tem a graça Do improviso de Hermeto... No chão:Sapato Florido O Aprendiz de Feiticeiro... Fez Inéditos e Dispersos Ecoou bem altaneiro Antologia Poética: Poesias por inteiro... Caderno H...Quintanares Apont. Hist. Sobrenatural A Vaca e o Hipogrifo Um Poeta sem igual

Prosa & Verso antologia Quintana é fenomenal... Chew Me Up Slowly Lá Na Volta da Esquina Esconderijos do tempo Poética bem cristalina Nova Antologia Poética: De arte diamantina... Foi poeta prosador Criativo jornalista Contou sonhos e histórias Atuou como cronista Tinha a alma de menino E coração de repentista... Literatura Infantil Pra lá de Pé de Pilão... O Batalhão das Letras Cartilha em ebulição Criança que lê Quintana Navega na Cosmovisão... Feito estrela - libélula O Poeta daqui voou Revive na Poetisfera Em anjo se transformou Foi-se do mundo cruel: Lá no céu se Quintanou... Poeta bem-humorado Fez a poesia canora Soube como ninguém Fazer sua própria hora Conquistou o infinito Pro eterno foi-se embora... Quintana nunca passou E jamais passar-se-á Poeta: Pássaro...Cigano "Cante lá que eu canto cá" Feito ave Patativa: Loa à lua...soluará Quintana pássaro menino Borboleta em arrebol Quintanares pela vida: Gen molécula de escol...

Anjo que inspira Poesia: Diamante como um Sol... --------------------------------------------------------------------------Raul Seixas...Oni.press.sente Maluco Beleza Pura Metamorfose Ambulante Mui Profundo - Raso - Largo Influência Transmutante Elvis - Beatles - Bob Dylan Luiz Gonzaga irradiante... Garimpeiro do Sentimento Raul à Jackson do Pandeiro Rspiritual e Pandialético Profeta e Guerrilheiro Louco - Sábio - Consciente Criativívido Carpinteiro Semenou Revôolução Trem das Sete - Som Expresso Rockordel - Xote - Xaxado Rap - Baião no Sucesso Navegou pelos Sertões No infintitom do Uni Verso --------------------------------------------------------------------------Rimbaudiana Rimbaud Poeta Inventivo Alquimista do Verbo Creador "Bateau - Ivre" texto-ícone Sinestésico pensador No "Soneto das Vogais" Foi além do ego-scriptor... O Poeta tudo pode Ouvir, prever, traduzir... Rimbaud de "Les Corbeaux" Implacável a produzir Some aos 19 anos Pra na África resistir ... "Uma estação no inferno " Em busca de "Iluminações" Obra-Prima geniarte Criativas invenções

Jean-Nicholas Arthur Rimbaud Vate de contradições... "La rivière de Cassis" "Memoire" transmutação "Bruxelles" que enleva "Ma bohème" ao coração Rimbaud Ser Universal Navegante da Paixão... Nasceu em 1854 O PoetAventureiro Morreu ao 30 e Sete Sem amor e sem dinheiro In.feliz e mal.tratado Um poeta verdadeiro... Dos 15 aos 19 ... Um Poeta visionário Foi mártir louco herói Ente extraordinário Nasceu a 20 de outubro O grande poeta áureo... Uma saga atormentada E uma vida rumorosa Infância de livros e fugas Entre a espada e a rosa Prodígio de Charleville Renovação primorosa... Um dos deuses da Poiesis Insubmisso...Ferino Talentoso e inventivo Daimoníaco e divino Poeta maldito viajante Pelas plagas do destino ... Evangelista do verso Luciferino...Glorioso Místico e mithológico Nubscuro theonebroso Binquieto trinstigante Almágico e fervoroso... "Mystique", "Fleurs", "Aube", Illuminations: Mensagem... Alquimagia fulgurante Ás vidente da linguagem

Relâmpago da Poesia Sempre em eterna viagem... Poeta inesgotável Criativo essencial Luminar da invenção Encantador literal Um gênio devora a dor Transmutador marginal... Rebelde...Zentusiasta Profeta e carpinteiro Demiurgo da Poiesis Taumaturgo aventureiro Alquimista do Uni...Verso Iluminou-se por inteiro... --------------------------------------------------------------------------Rosa

João Guimarães Rosa: Romancista universal Nas veredas do infinito Encantou o regional Sua aldeia é o sertão: Travessia natural... Magma, a primeira obra Pela ABL premiada Seleta de poesia: Post-mortem foi publicada Natureza primitiva: Tradição localizada... Magma... 1936: Depois veio Sarapalha Li "O Burrinho Pedrês": Gosto de chapéu de palha Augusto Matraga em Contos: A vida é uma navalha... Bem à maneira de Rosa: Contos vira Sagarana Belas estórias orais Que ouvi de uma cigana... Vaqueiros na longa estrada: A vida nos desengana...

Campeio em Corpo de Baile Pelas Noites do Sertão Manuelzão e Miguilim: Miguilim e Manuelzão... No Urubuquaquá do Pinhém: Às Veredas da Solidão... Sonhos no Campo Geral Uma Estória de Amor Luta e consagração Perda, alegria e dor Pobreza e encantamento: Transnatureza a flor... A Estória de Lélio e Lina Em busca da iluminação Moço e velha: amizade... Pelas plagas do Sertão Grivo em eterna viagem: Cara de Bronze em ação... Pedro Orósio em desafio: A morte sempre de tocaia Ouvir "O Recado do Morro": Não posso fugir da raia... Cundalini é a serpente: Em luta com a lacraia... Foi-se Grivo,Pedro e Dito: Agora é Dão-lalalão... No meretrício da vida Reina a prostituição O ciúme é uma foice: Que decepa o coração... Duas cunhadas urbanas Em drama de identidade Guardadas por fazendeiro É privação da liberdade... Buriti brota novela: De grande vitalidade... Política e mitologia Dor...Vingança pessoal Metafísica e poesia: Deus...diabo, bem e mal No Grande Sertão: Veredas... Epopéia universal...

O jagunço Riobaldo Atua como narrador Encanta-se com Diadorim Por quem morre de amor Anota um diálogo mágico Na voz do interlocutor... O interlocutor não fala: O narrador registra o ato Bandos se digladiam Pelos mistérios no mato Paralelismo e sonhos: Nos enigmas do fato... "Sorôco, sua mãe, sua filha" Nada e a nossa condição O Espelho...Famigerado Uma cidade em construção A Terceira Margem do Rio: Darandana no Sertão... No meio do rio:o homem Na canoagem da vida Primeiras Estórias ouço: A desilusão é comprida Nas margens do coração: Vive a alma destemida... Tutaméia: tuta e meia São as Terceiras Estórias Linguagem e narrativa Desenredo nas histórias Reinvenção do passado: Às futuras promissórias... Perdas e reconquistas Traição, peleja e dor Variação de enredos A velha trama do amor Umas Segundas Estórias: Vou pedir ao narrador... Tantas histórias eu conto: Meu tio o Iauretê... Tem onças na trajetória Relembro-me do Pererê... Poemas e pensamentos: Bom pra mim e pra você...

Ave, Palavra...Ave, Maria: Crônicas e ficções Rosa fez alquimagias: Cadernos de anotaçãoes... Pelas minas do universo: Mundo das transmutações... No Grã SerTao:Veredas Presença do Pentagrama Terceira Margem do Rio Romance,Poesia e Drama Riobaldo- Diadorim... Bis coito mia na trama ... Coragem, amor, oração Délivrance e destemor Não é nada e é tudo... Árdua epo.peia da dor Atravessia do destino: Vida e morte mais amor... Indecisão e coragem Medo e determinação Anagrama: Alchemia Processo de Iniciação De Barbazu a Siruiz Presente de Seô Habão... São Francisco Urucuia Trilhas do Grande Sertão A Canção de Siruiz Mexe com meu coração Realidade fantaseia Sonhos e caosmovisão... Joca Ramiro Zé Bebelo Hermógenes e Ricardão Medeiro Vaz jagunceia Garimpa veias do Sertão TetragrammAton: Osiris E o Signo de Salomão... Siruiz bem gateado Cavalga fenomenal Galopeia pela vida Com ares de maioral Cavalo bom é difícil: É cavalo magistral...

Conquista existencialma Rio Baldio no Caminho Redenção...Conhecimento Luz alquímica do vinho Renascimento Travessia Encontro do eu sozinho... Osiris enfrentou a Morte No Hades esteve Orfeu Riobaldo em seu cavalo No cosmos de Prometeu Odisséias pelos mundos De Pã...Ulisses...Teseu... Medeiros Vaz quer Justiça Joca Ramiro: Amizade Zé Bebelo na Política Do Sertão para a cidade A vida é um rio baldo Que impõe dificuldade... Diadorim é fascínio Mistério dual idade Dia-dor-(z)-im(ha) é luz Símbolo de afetividade Dia dóron Travessoa Veredas da Eternidade... Rosa travessia o tempo Nos buritis da mensagem Nos papiros da saudade Fez um Magma na linguagem. Transmutador das veredas: Além da Terceira Margem... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------São-João

São João arrasta-pé: Forró, fogueira, baião... Xote, xaxado e quadrilha... Foguete, bomba, balão... Caruaru-Campina Grande: São João bom é no Sertão... São João lá na Bahia: Na festa do interior...

Irecê, Ibititá... Cruz das Almas, Salvador... Em Recife dos Cardosos: Sanfona, paz e amor... Arraiá, queima de espada: Cará, milho, animação... Festa junina...joanina: No Brasil é tradição... Santo Antônio, São Pedro: O quente é o São João ... Sortes e adivinhas: Simpatia e acalanto... Pai-Nosso, Salve-Rainha: A festa é um encanto... Santo de cabeça pra baixo: Atrás da porta no canto... Crisma, batismo de fogo: Dançar e pular fogueira... Assar batata na brasa: Cantar a Mulher Rendeira... Baião de Luiz Gonzaga: Com forró a noite inteira... Latada, pamonha, canjica: Mel, cuscuz e macaxeira... Cachaça de alambique: Cana quente de primeira... São João é no Nordeste: Pra curar a pasmaceira... Mês de junho, 24: O Dia de São João ... É festa da cristandade: É antiga tradição... Até no Antigo Egito: Já tinha celebração...

Pular fogueira, dançar: Chuva de ouro e rojão... Sortilégio e buscapé: É bela a celebração... Pistolas de lágrimas no céu: Nas noites de São João ... Bandeirolas e balões:

Claridade no Sertão... Barraquinhas de comida: Mugunzá, licor, quentão... Balinha e amendoim: Como é bom o São João ... No São João de hoje em dia: Tudo está muito mudado... Tem show e festa em clube: Se perdeu o rebolado... Saudade do São João : No terreiro e no roçado... No São João de minha infância: Não tinha eletricidade... A luz era à luz da lua: Tinha estrelicidade... Do São João de menino: Lembro e morro de saudade... --------------------------------------------------------------------------Santos Dumont: O Verdadeiro Pai da Aviação(1873-1932) O Pai da Aviação: É o inventor brasileiro Alberto Santos Dumont E não tem pra estrangeiro Foi o primeiro a voar Visto pelo mundo inteiro... No ano de 1901 o prêmio Deutsche ganhou Do Aeroclube da França Com mérito ele conquistou De Saint-Claud à Torre Eiffel Santos Dumont bem voou... Voou em aeroplano O primeiro avião... É um fato consagrado Até por Filme e Comissão No ano de 1906: Foi visto pela Multidão.... O resto é papo furado Conversa pra boi dormir

Dumont foi o primeiro O mérito a conseguir Os tais Irmãos Wright: De catapulta!?: fazem rir... Dumont voou exclusivo 14-Bis e Demoiselle, Visto lá em Paris Até por mademoiselle Restabeleça-se a verdade O Pai do Avião:... é... Ele... Vivas a Santos Dumont Grande Herói Brasileiro Todo o reconhecimento Ao grandioso mineiro Que conquistou as alturas Por ter voado primeiro... ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Saramago

José de Sousa Saramago Foi mecânico...serralheiro Desenhista, funcionário Comunista timoneiro... Um ateu que crê na vida: Romancista, joalheiro... Mestre José Saramago: Dramaturgo e Escritor Poeta e jornalista Grande realizador... De Portugal para o Mundo:

Romancista...Criador... Em Azinhaga, nasceu: No Ribatejo,Portugal A 16 de novembro: Deu-se o ato natal Em 1922: Tornou-se um ser real... Ganhou o Prêmio Nobel Por sua Literatura... Prosador experiente Transmutou a escritura Buscou a Revolução: Sem perder sua ternura... Exerceu o Jornalismo Ao Pessoa sempre leu Romanceou o Poeta: Sua arte bem teceu... Muitos nele acreditam: Mesmo sendo ele ateu... Em 1946: Publica "Terra do Pecado" O seu primeiro romance: Aos 25...foi editado...

Teve início a carreira: De um escritor consagrado... "Flor silvestre dos escombros": Mago da Literatura Leu Camões, Eça, Vieira De Machado fez leitura "Poética dos Cinco Sentidos": Verve de poesia pura... Gil Vicente...Fernão Lopes: Saramago estudou... Camilo, Almeida Garret Sempre leu e pesquisou A boa prosa portuguesa: Saramago consultou... "Don Giovanni ou O Dissoluto Absolvido": O Canto da Ilha Desconhecida Cadernos de Lanzarote Nas artimanhas da vida Ensaios Sobre a Lucidez: Uma obra destemida... Manual de Pintura e Caligrafia Tem boa elaboração Memorial do Convento

E "Levantado do Chão" Ensaio Sobre a Cegueira: Clareia a nossa visão... O Ano da Morte de Ricardo Reis E "O Homem Duplicado" Todos os Nomes...A Caverna: Tenho sempre consultado... História do Cerco de Lisboa: Na estante está guardado... O Evangelho Segundo Jesus Cristo Toca o meu coração... Viagem a Portugal Desperta-me a criação Com "A Jangada de Pedra": Fiz longa navegação... Fez "Os Poemas Possíveis": "Provavelmente Alegria"... "Deste Mundo e do Outro": Fez da prosa a poesia "As Opiniões que o D.L teve": "In Nome Dei"...Fantasia...

Que farei com este Livro? "Objecto Quase"...Adiante A Noite...Os Apontamentos: "A Bagagem do Viajante"... "A Segunda Vida de Francisco de Assis": Saramago sempre avante... "O Ano de 1993": Saramago empreendeu... No Partido Comunista Ele nunca arrefeceu... Crítico do Capitalismo: Ao Homem não esqueceu... Preocupa-se com a Língua: É firme em sua mensagem Quer um Mundo bem melhor: Além da Terceira Margem... Saramago nos encanta: Com os mistérios da linguagem... ---------------------------------------------------------------------------------------------------------Sempre Mulher Mulher de Sempre Mulher de Dia-Noite Mulher do dia-a-dia Mulher do aqui-agora Mulher da Poesia... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------------------------------------------Sertões de Conselheiro Retorno ao longo do tempo Para poder recordar Dos Sertões de Conselheiro Com Euclides a narrar A Epopéia de Canudos Vou aqui rememorar ... Mestre Euclides da Cunha Jornalista e engenheiro Escritor de obra-prima E lida no mundo inteiro... Os Sertões é grande clássico Do pensamento brasileiro... Euclides era rigoroso Na elaboração textual Militar e engenheiro Jornalista social Da epopéia de Canudos: Fez registro magistral... O levante popular De Antônio Conselheiro Deu-se pelo descaso Do Governo Brasieliro. Ignorância e miséria: Tomam conta do terreiro... Chacina sem precedentes Sob comando estatal... Todo um povo massacrado Pela República tão brutal... Por uma elite opressora Corrupta e anti-social ... O masasacre de Canudos Retratou com evidência O Estado que assasina...

Desgoverno sem consciência... Os canhões contra os civis: É barbárie e truculência... Os Sertões é obra-prima: Monumento nacional... Retrata um episódio Histórico e crucial... O Estado contra o Povo: Um escândalo sem igual... A batalha foi sangrenta O povo contra o poder A República sanguinária Fez a História perverter Botou fogo e jogou água Para o crime esconder... Gemem as almas das crianças No local abandonado... Velhos e moribundos Todos vítimas do Estado Deu-se o bárbaro Holocauto De um povo martirizado... Ré...República criminosa Hecatombe no Sertão... Milhares exterminados Pelas mãos da repressão Do Estado que tortura E castra a Revôolução... Continua o mesmo drama No Brasil de Sul a Norte A miséria em todo canto Exploração em grande porte Fome, morte, espoliação: Paus-de-arara no transporte... Sertanejo sempre bravo Corajoso...combatente... Enfrentou com garra e fé O veneno da $erpente

O Estado autoritário Que massacra a sua gente... Canudos é um exemplo De um povo bem valente Forte por natureza... Sempre foi um resistente Contra as agruras da vida: De uma elite que só... mente... O Estado tudo fez Para a História esconder... Inundaram o local Para o fato perecer Mas a seca de repente: Faz tudo aparecer... Os massacres continuam Contra o povo sofredor Um povo que não se curva À miséria e a dor.. . Que quer novo Coneselheiro: Para ser seu Redentor... Povo que não quer esmola Quer saúde e educação Quer crédito para o plantio De arroz, milho e feijão... É um povo que só recebe: Imposto, fome, exploração... Um povo que não se verga À tirania do Estado... Que vive no sofrimento Faminto e espoliado: Um povo que não agüenta: A mísera vida de gado... É um povo sonhador Que quer o essencial Terra, amor, casa e comida Emprego e vida normal ... Que quer paz e equilíbrio Sem miséria no quintal...

A Insurreição Sertaneja Em Os Sertões é retratada Tudo está tão desigual Sofrimento na jornada... Um povo que passa fome Sem escola, sem mais nada... Euclides ecoou o Grito... Do sertanejo, o degredo Resgate-se nossa História Desenrole-se o enredo... Enalteça-se o Conselheiro: Um brasileiro sem medo... Os Sertões e sua gente Euclides nos demonstrou "O sertanejo é um forte" O mestre salientou... Foi além do científico: Ao sertanejo: humanizou... Mandacarus, xiquexiques... Gravatás, surucucu... Cactáceas e xerófitas Cascavel, jaracuçu... Cabeças de frade ao vento: As sombras dos pés de Umbú... O vaqueiro na paisagem Na caatinga: imperador... Espora e gibão de couro Gigante desbrava-a-dor No sertão tem seu destaque: Nos versos do cantador... Crianças abandonadas Sertanejos destemidos... O Estado sempre ausente Naqueles mundos perdidos... Um homem a resistir: Lá nos sertões esquecidos... Tudo continua igual

Pelas bandas do Sertão. .. O Povo a passar fome: Não recebe educação... Na espreita os Conselheiros: Pra nova rebelião... ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Távola

Artur da Távola se foi: O seu exemplo ficou... Cronista primordial: Sua arte eternizou... Foi-se Paulo ao além: Sua alma transmutou... Jornalista e político: Mandato de Senador... Foi destaque literário: Consagrado escritor... Ativista cultural: Luminoso criador... --------------------------------------------------------------------------Thiago de Mello...

Amadeu Thiago de Mello: Em Barreirinha nasceu... Estado do Amazonas: Thiago apareceu... Pássaro uirapuru: A natura o concebeu... Ano 1926: 30 de março o dia... O poeta veio ao Mundo: Nas asas da poesia... Amazônida universal: Fluiu paz e fantasia...

Na cidade de Manaus: Educação inicial...

Rumo ao Rio de Janeiro: Projeto educacional... Faculdade de Medicina: Quatro anos no total... Poesia à flor da pele: Na alma desde menino... Os mistérios da floresta: Coração diamantino... Amornauta do eterno: Solidário...Cristalino... Ditadura Militar: O Brasil encarcerado... Silêncio, tortura e dor: Coração dilacerado... Sonho desaparecido: Condor aprisionado... Longo exílio no Chile: De lá teve que mudar... Com a queda de Allende: A Ditadura Militar... Sanguinário Pinochet: Sorria ao torturar... A barra ficou pesada: Na América Latina... Selvageria, brutalidade: E a sanha assasina: Terror, morte, violência: Brasil, Chile e Argentina... Traduziu Pablo Neruda: Eliot e Cardenal... Foi traduzido em Cuba: Etc e coisa e tal... França, Chile, Inglaterra É bem lido em Portugal... Estados Unidos, Alemanha: Tradução em poesia... Em vários outros países: Sua voz é alquimia... Poeta Thiago de Mello: Versos em discografia... Os Estatutos do Homem: É um registro profundo... No "Mormaço da Floresta":

Naturezarte a fundo Tem poética em discos: Como "A criação do mundo"... Poeta Thiago de Mello: Telurbano...Lírico-social... O vate de Barreirinha: Navegantena natural: Amazônida cantador: Artista quintessêncial... Borges à Luz de Borges: "Silêncio e Palavra", poesia ... Narciso Cego ecoa: Vento Geral tem magia... Tenebrosa Acqua leio: O Andarilho desafia... A Manhã e Ponderações: Faz Escuro mas Eu Canto A Canção do Amor Armado Os Estatutos é encanto... Horóscopo para os que Estão Vivos: Vivendo no desencanto... Paulo Freire o nominou: Andarilho da Liberdade... De uma vez por todas: Vate da fraternidade... Amazonas, Pátria da Água: Pororoca da saudade... A luta pela justiça: Ética e dignidade... Amargou duro exílio: Dor, arbitrariedade... Caboclo suburucu: Flui a naturalidade... No coração da floresta: Um poeta a pulsar... Peixe-boi...Mapinguari... Curupira ao luar... Caipora na Hiléia: Nas ondas do Rio-Mar... --------------------------------------------------------------------------Psicotranse

Homem ser iluminado Ser interdimensional Parapsicologia é pesquisa Estudo experimental Em busca do desconhecido: Na senda do paranormal... Mil dimensões paralelas: Fé...Paranormalidade Percepção Extra-sensorial: Imaginação ou realidade? Clarividência-telepatia: Quase-morte é de verdade... Psicografia...Poltergeist Telestese...Regressão Mediunidade à flor da pele Telecinese e levitação Experiência fora do corpo: Sons da transcomunicação... Além dos cinco sentidos: Psicopictografia... Retorno às vidas passadas Via teledramaturgia Muitas curas milagrosas: Estranha xenoglossia,,, Outras vidas no caminho Percepção transcendental Hipnose...Precognição Reuniverso virtual Universons paralaxes: Acima do bem e do mal... Fé e Clari(e)vidência Imaginação: realidade Experiência fora do corpo Milagre...Paranormalidade Poltergeist agita o sonho: Um fantasma se evade... Há línguas desconhecidas E casas mal-assombradas Pressentimentos...Visões Cosmovisões nas jornadas Segredos das meias-noites: Mistérios das madrugadas...

Contatos interdimensionais Via trans.comunic.ação Dimensão mágica do homem Que ultrapassa a razão Mundo sobre.natural: Via quinta dimensão... Conceito de Parapsicologia Consulta à senda verdadeira Tem muito a se explicar Fantasia-se a vida inteira Navego pelo destino E vou sem eira nem beira... Curas, milagres e fé... Via Xamã...Feiticeiro... Benzedeira...Rezador Advinho...Curandeiro Clarivivência...Precoignição: De um eterno passageiro... Objetos que se movem Transmissão de pensamento Comunicação com os mortos Dimensões em movimento O mundo do inexplicável: A luz do conhecimento... Metapsíquica...Automatismo Psicocinesia...Clariaudiência Xenoglossia...Mediunidade Cinergia...Transconsciência Psicobiofísica...Telepsiquismo: O Ser.Tao da Consciência... Transe: Fenômenos Psi Uma nova percepção Navegações no futuro Ufo...Transcomunicação Vozes de outros mundos: Profecia...Intuição... Experimentos Psi Fenômenos extra-sensoriais Psicocinesia em pesquisa Essencias paranormais Existem outors sentidos: Nos mundos espirituais...

PÉS e EQM OOBE...RSPK EFC e Drop-in Micro e Macro PK Entre Fenômenos PSI Tem também o CPK... Fenômenos imaginários Psicointerferência Reencarnação – Vidas passadas Intervenção de outra freqüência O que haverá depois da Morte? Sobreviverá a Consciência?! Morte clínica...Quase -Morte Retorno da In.consciência Viagem no túnel do tempo: É fantástica experiência O retorno do Além: É obra da providência... Manifestações da psique Ação comportamental Dizem que depois da morte Há vida imaterial O ser humano alcança A senda espiritual... Psicotranse – Psicoterapia... Ciência...Espiritualidade... Conhecimento intuitivo Uma outra realidade A mente altera a matéria Energiza outra verdade... Antimatéria...Antitempo Hiperespaço da luz Buracos negros e fótons Vejo um quasar que reluz Seria homem ou ET: Aquele que morreu na cruz?! Logos da Parapsicologia: Teórica...Materialista... Explicação fisiológica Da realidade à vista... Experiência quantitativa Na Escola Espiritualista...

Escola do Espirito: Base extra-sensorial... Tem tradição regular Ação do paranormal... Segue a metodologia De linha transcendental... Raciocínio – experiência Análise – observação Bases da Escola Eclética De européia tradição Interpreta e revisa: Faz a classificação... Energia inconsciente: Modo não – intencional Causados por telergia Ação do poder mental Fenômenos para.psi.cológicos: Ultrapassam bem e mal... Psicologia e medicina: Estudo é essencial Religião e terapia... Mundos do espiritual A ciência a pesquisar O homem paranormal... Projeção da consciência Luzes...Parabiologia Estigma – transfiguração Parafísica – psicobiologia Influência psicológica: Nos rituais de magia... Conhecimento do porvir Uma herança ancestral Pregnose vem de longe De tempo imemorial Na relatividade de tudo: Hipertempo espacial... Paragnose – Profecia Mente em pressentimento Previsão à flor da pele Expressa o dom do sentimento Poderes secretos do homem: Despertam a luz do pensamento...

Fenômeno psicossomático Psíquica somatização Estado Emocional Alterado Possível abdução Raps...Triptologia: A alma em combustão... Parapsiquismo – predição Transe – mediunidade Comunicação automática Espírito-guia da verdade Sonhos precognitivos Vozes da imortalidade... Táquions transcendem a luz Em lampejos de velocidade É uma imagem mental De outra realidade Cosmovidência – Intuição: Sempre em busca da verdade... Rishis no samádhi Êxtase da liberdade Bem e mal...Treva e luz Tempo e eternidade Teias de aranha da vida: Morte em multiplicidade... Cérebro – mente humana... Universo impessoal Desde a Antigüidade Busca-se o fenomenal Desde a Pérsia e Babilônia:: Buscava-se o transcendental... Romanos e etruscos Gregos e indianos Cultuavam os espíritos Pesquisavam os arcanos... Deuses, mitos e profetas: Entre egípcios e ciganos... Psi.Alma e espíritos: Natureza do pensamento Psi.Gama...Psi.Kappa Matéria e comportamento Personalidades secundárias: Personificam o sentimento...

Para-psico-logia psique Ondeia no universal Nos paralelos do tempo Expende o ser mental Na logopéia da vida: De maneira magistral... Oriunda do psiquismo A mente humana a voar Visões da hipnologia Incorpora-se ao pensar Manifesta-se no tempo Fenomena-se no ar... Interferência psíquica: Dá-se a personificação Múltiplas personalidades E extra-percepção Terá vida após a morte? Existe reencarnação...?! O que haverá depois da vida? Realidade ou ficção?! Túnel de luz do destino Além da ima.gen.ação Corpo e alma em viagem: Via multi.dimensão... --------------------------------------------------------------------------Torquatiana Anjo louco renascente Anjo barroco cigano Netuno do oceano Sertanejo universal Torquato fenomenal És poeta soberano Desfolhaste a bandeira Da manhã luz tropical Estrela d'alva serena Vespertina musical Ritmaste a nova era Iluminando o carnaval. Combateste o arcaísmo O modismo, a opressão, Ao morrer eternizou-se Sem medo da repressão

Foste vítima da tortura Da angústia da razão Antropófago criativo Multi-artista criador Mago do tropicalismo Morreu de arte e amor Morreste abandonado Pelo sistema jogado Ne precipício da dor... --------------------------------------------------------------------------Tropicália.1968...

A alegria é a prova dos nove: Um poeta desfolha a bandeira... Pindorama, País do Futuro: Samba...Carnaval...Mangueira... É a mesma dança meu boi: Na Geléia Geral brasiliera...

Hélio Oiticica precursor: Criou o Tropicalismo... Com a obra Tropicália: O neoantropofagismo... Fonte: Oswald...Gullar: Popcreto...Realismo...

Móbiles...Parangolés:

Práxis...Neoconcretismo... A voz da periferia: Rosa...Joyce...Modernismo... Aspiro ao Grande Labirinto: Hélio fez o Sincretismo...

Mito da Miscigenação: Busca do Supra-Sensorial... Favela...Cara de Cavalo: Balas, capas, bananal... O folclore brasileiro: Na raiz do tropical...

III Festival da MPB: Com arranjos de vanguarda... Outubro de 67: TV Record na jornada... Medaglia, Cozzella, Sandino: Manifesto na estrada...

Ano 68: A 5 de fevereiro... Cruzada Tropicalista:

Via Rio de Janeiro.... Nelson Motta, Última Hora: Acendeu o candeeiro...

Morte de Edson Luís: Luther King assassinado... A Noite das Barricadas: Maio bem movimentado... Slogans do Anarquismo: Criticas ao velho Estado...

Bumba-iê-iê-boi... Cultura e Civilização... Batmacumbaiêiê... Iracema...Canecão... Paródias e ironias: Orgasmo...Liberação...

Reler Gregório de Matos: Mestre Antônio Vieira... Gonçalves Dias... Alencar Manoel Botelho de Oliveira...

Macunaíma...Cancão: Sarcasmo e Brincadeira...

Lunik 9...Mallarmé: Lixeratura...Tendência... Irene...Araçá Azul: Novos Baianos...Vivência... Raul...Chico...Roda Viva: A tropical sapiência...

Sociedade de Consumo: Nova Era Industrial... Sociedade do Espetáculo: Carnavalização global... Sátira erótico-política: Brasília...Planalto Central...

Jovem Gaurda...Banda...Bossa... Bandeira...Cabral...Iaiá... Garota de Ipanema: País do toma lá dá cá... Catulo da Paixão Cearense:

Camen Miranda dádádá...

Cultura Tropical Brasileira: A estética do precário... Literatura do lixo: Underground visonário... Op-Pop...Arte Povera: Marginal...Imaginário...

Jorge Mautner...Jorge Ben: Nosso País Tropical... Som Maracatu Atômico: Sonho existencial... Caos e Cosmos na Poesia: Movimento Armorial...

Dionísio...Eros...Narciso: Uma Nova Consciência... Me Segura que eu vou dar um Troço: Waly...Verbociência... Bondinho e Flor do Mal: Ecos de clarievidência...

Chacrinha...Buzina...Discoteca: Maracanã...Futebol... Morte e Vida Severina: Pau-Brasil...Caatinga-Sol... Gilberto Freyre...Darcy: Feira...Farinha...Farol...

Tropicalismo...Tropicália: Cultura...Nova Atitude... Caetano, Gil, Torquato: Musical sua virtude... Música Popular Brasileira: É arte com amplitude...

"Avesso da Bossa Nova": Na visão de Caetano... Tropicália, Gal, Tom Zé: Do Sertão ao oceano... Beat Boys, guitarelétrica: Mistura em primeiro plano...

Alegria, Alegria, Caetano: Domingo no Parque, Gil Soy Loco Por Ti América: Geléia Geral Brasil: Panis et Circensis: Suberbacana a mil...

Tropicália, Bat Macumba: Baby...Parque Industrial... Enquanto Seu Lobo Não Vem: Baião...Cordel...Carnaval... Mutantes...2001: São São Paulo...Musical...

Marginália 2...Lindonéia: Tom Zé e Nara Leão... Miserere Nobis, Capinam Mamãe, Coragem, Lampião... Torquato Neto...Piauí: Ecos da Revôolucão...

É Proibido Proibir: Objeto Não Identificado Divino, Maravilhoso:

Saudosismo bem cantado... Maestro Rogério Duprat: Ritmo experenciado...

Curso Intensivo de Boas Maneiras: Vou do Brás a Irará... Guerrilhas...Espaçonaves: Cante lá que eu canto cá... John Lennon e Che Guevara: Tropicália...Lá lá ia...

Pego um jato, viajo, arreebento: Bahia...Sampa...Rio de Janeiro... A Classe Operária vai ao Paraíso: Terra em Transe no Terreiro... AI-5..Terror, Ditadura: O Sonho Acabou...Dinheiro...

Santo Amaro da Purificação: Juazeiro... Salvador... João Gilberto e Caymmi: Dinamismo criador... Bossa Nova Tropicanto: Foi o ritmo precursor...

Panamérica...Louvação: Performance...Maracatu... Apocalipopótese...Zen: Banda de Pífaros...Caruaru... Happening...Casamento-Pop: Candomblé...Zumbi...Lundu...

Crítica à Cena Cultural: Raízes do Modernismo... Mário, Oswald, Villa-Lobos: Tropiantropofagismo... Pop-Rock...Ie-Iê-Iê: Beat...Beatles...Concretismo...

Polêmico desde o início: Vaia, crítica, confusão... Movimento Estudantil: Linha dura em ação... Alegria, Alegria: Na raiz da mutação...

Glauber em Terra em Transe:

Zé Celso em Rei da Vela... Espírito Oswaldiano: Hélio Oiticica na tela... Colagem...Alegoria: Estética na teletela...

Oswald de Andrade, presente: Modernidade...Oficina... Conversas e discussões: O vampiro na esquina... Hélio Oiticica...Torquato: Rio...Bahia...Teresina...

Abelardo Chacrinha Barbosa: Deu eco à irreverência... Em maio de 68: Tropicália na essência... Álbum coletivo manifesto: Revolução...Transcendência...

Crítica à boa aparência: Cabelo comprido ao vento: Em roupas extravagantes: Sem lenço...Sem documento....

Status quo provocado: Padrões em questionamento...

Geração Hippie em ação: Vozes da contracultura... Junho de 68: USP na Arquitetura... Torquato, Gil, Caetano: Nos Campos da Concretura...

Vaias, bombas e bananas: Gestos de hostilidade... Décio, Augusto, Haroldo: Poiesis...Plasticidade... Um Paideuma na Paidéia: Debate...Universidade...

Passaeata dos cem mil: Coro Abaixo a Ditadura... Busca pela liberdade: Endurecer com ternura... O ano que não terminou: Livro de Zuenir Ventura...

Tanques do Politburo: Thecoslováquia invadida... A Primavera de Praga: Abortada...Reprimida... Ocupação da UnB: Juventude agredida...

Conflito USP X Mackenzie: Congresso Estudantil... Encontro de Ibiúna: Com prisão de quase mil... AI-5 decretado: Com censura e fuzil...

Protestos...Manifestações: Conflitos e resistência... Subversão da velha ordem: Uma nova experiência... Viagens interiores: As luzes da quintessência...

Luta...Organização: Sonho e perseverança...

Arte...Coletividade: O desejo de mudança: O terror da repressão: Muito medo e esperança...

Guerrilha rural...Urbana: Greves do operariado... Alta concentração de renda: A repressão do Estado... Espoliação das Massas: Poder militarizado...

Glauber...Godard...Fellini: Nova Objetividade... Morte de Robert Keneddy: Marxismo...Vivacidade... Paz...Existencialismo: Prazer...Multiplicidade...

Corpo, sexo, movimento: A linguagem da loucura... Mística Metafísica Dialética: Arte...Poesia...Leitura... Teatro...Música...Prazer:

Mudança da estrutura...

Reivindicações...Desbunde: Dor...Ato Institucional... O povo amordaçado: Delírios no Festival... Polícia na UnB: E no Congresso Nacional...

Autoritarismo em voga: Fome, morte, nepotismo... A voz do povo cassada: Lucro do capitalismo... Mais Valia...Opressão: Tanques do Imperialismo...

Valores, dogmas, costumes: Tiveram questionamento... "É Proibido Proibir": Ecoava pelo vento... "Pra dizer que não falei das flores": Tortura, dor, atormento...

Movimento Feminista:

Liberdade Sexual... O ocaso do machismo: Uma agenda cultural... O grito dos excluídos: Pílula anticoncepcional...

Terra...Meio Ambiente: Choquelétrico...Ideologia... Paus-de-arara...Exílios... Guerras...Vã Filosofia... TV...Drama...Capoeira: Inflação e Carestia...

Presença de Sganzerla: Luís Carlos Maciel... Mística...Esoterismo: Nova Torre de Babel... Apocalipse...Profecia: Se oriente...Menestrel...

É preciso correr riscos: Desafinar o coro dos contenetes... Os Últimos Dias de Paupéria: Desvenenar as vis serpentes...

Despoluir o Planeta: Frutificar as sementes...

Experimentalismo estético: Vanguarda...Eletricidade... Pop...Folclore...Tradição: Bolero...Rumba...Saudade... Dodô e Osmar no Trio: Frevo e radicalidade...

Tropicalismo solar: Hélio Oiticica inflama... Móbiles...Intervenção... Rio e New York drama... Morro...Barraco...Terreiro: Pano, fogo, arte...Flama...

A Imaginação no Poder... Sonhar com o Impossível... Sondar o Incomensurável: Desejar o aprazível... Perseverança e Luta: Um novo mundo é possível...

A alegria é a prova dos nove: Um poeta desfolha a bandeira... Pindorama, País do Futuro: Samba...Carnaval...Mangueira... É a mesma dança meu boi: Na Geléia Geral brasileira...

Viva a Tropicália... --------------------------------------------------------------------------Ulisses Marques Dourado (15/03/1923 a 17/05/2006) Pai...Amigo Verdadeiro: A terra soube lavrar Em Recife dos Cardosos Fez a semente brotar Cultivou a esperança: Para a vida melhorar...

Deu asas à Família: No vôo do conhecimento Ulisses Marques Dourado Navega em meu pensamento Pássaro do Infinito... Voa na brisa do vento...

Ulisses foi um exemplo De fé e honestidade Seu nome é uma legenda Nos deixa muita saudade Foi-se encontrar com Deus No Reino da Eternidade... Poema recitado durante o sepultamento na Bahia 18/05/2006, às 17h30...

--------------------------------------------------------------------------Urbis Brasília que é um marco De poder modernidade Me conduz à Babilônia Símbolo da antiguidade Bagdá...Jerusalém... A saudade a mim invade... --------------------------------------------------------------------------Vincent Van Gogh Mestre Vincent Van Gogh Grande Artista sem igual Precursor do Expressionismo Colorista magistral Alquimista da pintura Mago da arte visual ... Nasceu em 1853 Em território holandês Não se adequava a padrões Não gostava de burguês Anatomia e perspectiva Pesquisava todo mês... Expressou com sua Arte A dor do trabalhador A pobres-desprivilegiados Deu o devido valor Dignificou o povo: Tão honesto e sofredor... Van Gogh Mestre criativo Artista de grande expressão Demonstrou o sofrimento Em que vive a Multidão Sua obra mostra a dor De nossa população... Luminar maior da Arte Um alquimista da cor Um poeta da pintura Fenomenal criador...

Transcendeu com o seu traço As artimanhas da dor... O episódio da orelha Na história é retratado Todo o seu sofrimento Em livros é destacado Quem nada não recebeu Hoje é sacramentao... Van Gogh é um exemplo De destaque e de valor Na época foi censurado Pelo sistema opressor O mesmo que hoje lucra Com a arte da sua dor... Não teve nenhum apoio Do esquema cultural O sistema que tortura O artista marginal Espolia os criadores Com Apartheid cultural... Van Gogh ser luminoso Vate profeta libertário Colore na eternidade Na tela do luminário Pinta o sete e o infinito Pelo cosmos visionário... --------------------------------------------------------------------------Vinícius...

Ave...Vinícius de Moraes Sob o signo da paixão Poeta do sentimento Do amor e da emoção Humano...espiritual: Poeta luz do coração... Tinha fôlego de romântico Perícia de parnasiano Espiritualidade simbolista E a alma de cigano... Rimbaud, Rilke e Camões: Amou em primeiro plano...

Libertário, modernista Com sarcasmo e ironia Sinfonia da Alvorada: Brasília em sintonia Samba, amor e Bossa Nova: Com os Orixás da Bahia... Amante juramentado Curtia a feminilidade 9 mulheres na Vida Foi cultor da Liberdade... Morreu de amor e poesia Vive na eternidade... Amores por noves fora: Soneto da Fidelidade... Parceiro de Tom Jobim: Arte e criatividade "Eu sei que vou te amar": Ganhou Imortalidade... Forma e exegese Pátria Minha...O Mergulhador Poemas, sonetos e baladas Para uma menina com uma flor Procura-se uma rosa, sempre: Para viver um grande amor... Cordélia e o Peregrino E Orfeu da Conceição Antologia Poética: Poesia do coração... Ariana, a Mulher: A Arca de Noé na mão... O Caminho para a distância Vinícius bem percorreu Rio, Europa e Bahia: Diplomacia de Ateneu Poesia que faz a hora Nosso Vino concebeu... No Orfeu do Caranval Sucesso fez por merecer Cannes e Marcel Camus: Hollywood...Novo Ser O poeta tinha asas: Voava o anoitecer...

Vinícius em parceria Baden Powell, Tom Jobim Carlos Lyra, Edu Lobo Francis Hime, som pra mim Pixinguinha e Toquinho: Vinícius: bardo serafim... Poemas, sonetos e baladas Incursão na Sétima Arte: Ninguém viu, ninguém conhece: Um filme que se reparte... Perdia-se na burrocracia: Que não valoriza a arte... "Marcha da Quarta-feira de Cinzas": Acabou nosso Carnaval... O que restou para nós? Um golpe duro letal O terror da ditadura Tomou conta do quintal... "Pobre Menina Rica" Foi um trailer musical Nara, Vinícius e Lyra Com Roberto Menescal Para viver um grande amor: Carinhoso...musical... Do mistério do amor: Foi alquimista da paixão Amante de primeira hora Cantador da emoção Vinícius, poeta sublime: Foi um ás na criação... Grande poeta da música Letrista e compositor Fez samba e bossa nova Sonetista – trovador... Telúrico sentimental Luminoso criador... --------------------------------------------------------------------------Vladimiriana ABC de Vladimir Carvalho: Reluz cinematografia...

Vou de Camões a Cascudo: Augusto dos Anjos, guia... Da Paraíba do Norte: O carbono da magia...

Betinha do Dr. Cloves: Mestra revolucionária... Nas aulas de Geografia: História da vida diária: Arte no Rio Paraíba: A verve vocabulária...

Cinema e Literatura: Zé Lins e Graciliano... Dostoiévski - Tolstói Maiakovski - Ariano... Vladimir leu de Machado: Ao Grande Sertão Rosiano...

Aru...anda...Vladimir: Parceiro de Linduarte... Ita.baiano criator: Dínamo da Sétima Arte: Retrata além do Real: Ismo.logus que reparte...

Brasília - UnB: Via Fernando Duarte... Cabra Marcado para Morrer: Fortmann, irmão de arte... Vestibular 70, fórceps: Medici na...Torturarte...

Conterrâneo Velho de Guerra: Vlad em documentário... Dácia Ibiapina entrevista: Ás do Perpétuo Lunário... Vladimir visto por Walter: Pulsar do Imaginário...

Associação Brasileira de Cineastas: É membro associado... Sempre na linha de frente: Cineasta consagrado... Em diversos festivais: Seu nome foi premiado...

Bonequinho de O Globo: A Vladimir aplaudiu: O Engenho de Zé Lins:

Nota máxima conseguiu... Sua obra é destacada: Seu nome repercutiu...

Cinemateca Brasileira(SP): Vladimir é conselheiro... Fundação Cinememória: Holofote...Candeeiro... Fundação Astrojildo Pereira: Foi presidente timoneiro...

Antes de inaugurar Brasília: Chacina monumental... Candangos eram jogados: Nas valas da Capital... Vladimir ouviu o povo: Deu voz e vez ao social...

Boi do Teodoro, presença: Atua como conselheiro... Cidadão Honorário de Brasília: Sua arte é candeeiro... No Festival de Brasília: Vladimir é um luzeiro...

Conterrâneos Velhos de Guerra: A saga da construção... Visão dos trabalhadores: No planaltino sertão Massacre dos operários: Péssima Alimentação...

A irmandade fraterna: Vladimir-Walter Carvalho... Parceria solidária: Muito suor e trabalho: Amizade sempiterna: Não precisa de atalho...

Brasília, uma constante: O resgate da memória... Filmografia candanga: Conterrâneos da História... Sangue, suor e ação: Verdade na trajetória...

Cinememória, Plano Aberto: Ensaios, diversidade... Pantasmas - Cinema e Vídeo: Docs da Realidade...

Militância sociocultural: Voz da Universidade...

Assistente de Coutinho: Geraldo Sarno, Jabor... UnB na trajetória: Prêmios, distinções e dor... Vladimir foi perseguido: Pelo regime ditador...

Brasília: A Construção: Fomiséria nordestina... Mais Valia...Mão-de-obra: O lucro que desatina... Poética cinematográfica: Cinemágica cristalina...

Coragem e Ousadia: Poética experimental... São Saruê interditado: Proibido no Festival... Censura à criação: Ao pensamento cultural...

A luta continua,Vlad:

Fica a integridade... O seu nome é legenda: Exemplo de honestidade... Visionário-pensador: Prima pela qualidade...

Borinage - Joris Ivens: Documentário em ação... O Homem de Areia: Foi grande revelação... Arte, fome e miséria: Operário em Construção...

Criador éticorreto: Faz cinema de primeira... Amor às causas populares: Dialética verdadeira... Apoiou Dona Elisabete: E a João Pedro Teixeira...

A cabeça sempre erguida: Alta credibilidade... Sobressai em Vladimir: Além da criatividade... A sua luta permanente:

Talento e sinceridade...

Brota o cinema direto: Ele dá tiro certeiro... Universa os camponeses: Filma o homem brasileiro... Fotografa com a alma: Nem precisa de roteiro...

Com o mano Walter Carvalho: Uma eterna parceria... Cabra Marcado para Morrer: Com Coutinho ele cria... Vladimir em prosa e verso: Flamengol a cada dia...

Aruanda é um marco: Direção de Linduarte... Vladimir com o seu talento: Iluminou com a sua Arte... Prenúncio do Cinema Novo: Glauber - Anselmo Duarte...

Brasília Segundo Feldman: Ecos da fotografia...

Athos, greve, Perseghini... Memória da utopia... Cinema documental: Vladimir nos alumia...

Chacina da Pacheco Fernandes: Foi um massacre brutal... GEB – Tropa de Elite: Nas vilas da Capital... Vladimir investigou: Buscou o fato real...

Autoritarismo em cena: Tortura e repressão... Pensamento acorrentado: Na Capital da Nação... Vladimir na UnB: Voz da Comunicação...

Badernaço 86: Fogo na burrocracia... Candangos discriminados: Jogados na periferia... Sem-terra, sem-teto, há fome:

Crimiséria à luz do dia...

Cineasta, documentarista: Mestre, ativista, professor... Romeiros da Guia em cena: Vladimir pesquisador... Nosso Vertov dos Sertões: Poetás...transmuta-a-dor..

A Pedra da Riqueza de alguns: Cosmogônico tungstênio... O Sertão do Rio do Peixe: Tem o toque de um gênio... UnB – Barra 68: Um tempo heterogêneo...

Barro vermelho e suor: Na pirâmide da história... Consciência Coletiva: Sempre em sua trajetória... A terra sempre presente: O rebuscar da memória...

Colega de Caetano Veloso: No Curso de Filosofia... Primórdios dos anos 60: Universidade da Bahia... Prenúncio do Cinema Novo: Glauber e sua alquimia...

Alta concentração de renda: Provoca a violência... Fome e êxodo rural: Torturam a consciência... Vladimir documentou: Com sua clarievidência...

Barro, terra, Caruaru: Arte de um nordestino... Zé em Campina Grande: Inspirou-se em Vitalino... Morte e Vida Severina: Cinema como destino...

Cabra Marcado Para Morrer: Filmagem interrompida...

Golpe de 64: Reviravolta na vida... Vitória de Santo Antão: No Rio, repórter da vida...

A voz do povo presente: Rapsodo cultural... O Cinema de Cordel: Além do bem e do mal... Óperas documentais: A Paisagem Natural...

Brasília: Cinema Candango: Matéria, registro, fato... Vladimir 70, um marco: Retrospecto cinemato... Atirar "Pedras na Lua": Nas "Pelejas do Planalto"...

Cria, recria, traduz: Em multitemporalidade... Depoimentos orais: Forte musicalidade... Recortes, cenas de arquivo:

Narra-a-dor...diversidade...

Vladimir herdou do pai: Formões, goiva, ferramenta... Escultura na madeira Esculpe a alma sedenta Xilogravuras do ser: Arte que nos orienta...

O seu pai o mestre Lula: Poeta...Entalhador... Homem dos 7 instrumentos: Moveleiro...Escultor: Transmitiu a Vladimir: A quintessência do Amor...

Luís Martins de Carvalho: Foi artesão da madeira... Mecânico e escritor: A memória de primeira... Dominava a narrativa: E a arte moveleira...

Autor de móveis de estilo: Arquiteto sem universidade... Fábrica de móveis Lyon: Mais que uma faculdade... Um expert na madeira: Designer de qualidade...

Altar de Luís Martins: Cidade de Itabaiana... Fulge na Igreja Matriz: Da terra paraibana... Beleza de ornamentos: Aleluia...Amém...Hosana...

Foi um grande intuitivo: Tem sobrenome de madeira... Homem de renascença: Na interlândia brasileira... Corbusier do Sertão Um artista de primeira...

Dona Mazé, professora: Sua mãe, grande mulher...

Matriarca da família: Sábia, líder, chanceler Fazia tudo bem feito: É da estirpe de Ester...

Tirar o santo do pau: Os nós da vida desatar... Ser arrimo de família: Sobreviver e lutar: Ser guia e conselheiro: A vida documentar...

Rio Paraíba acidentes: Cabos, ilhas, promontório... Gostoso de aprender: Mutirão...Adjutório... Mão na massa na areia: O rio era o diretório...

Walter Carvalho, seu irmão: Com ele O Tempo não Pára: Lavoura Arcaica - Janela da Alma: Central do Brasil na cara... Um Abril despedaçado:

Incelência de luz clara...

Flexaret - Roleiflex: Cabo Branco, Tambaú: Sol nascente em João Pessoa: Lua, Boi - Bumbá, umbú... Pescadores da madrugada: Ecos do maracatu...

Imagem em movimento: Mágica em documentário... O Balão Vermelho na tela: São Saruê visionário... Cinemarte - Fotografia: Vate do imaginário...

Vladimira o céu azul: Fotografa o grã sertão: Com instinto pioneiro: No Cerrado da Nação: Filma a epopéia candanga: Operário em construção...

Ferrenha ditadura Médici: Comandava a tortura...

Guerrilha do Araguaia: Silêncio e amargura... Toda a mídia controlada: Cala a boca na cultura...

Festival do Filme Brasiliense: Grande realizador... Presidente da ABD(DF): Demonstrou o seu valor... Pólo de Cinema e Vídeo: Conselheiro-fundador...

Fundação Cinememória: Glauber e Pinto do Monteiro... Moviolas, fotos, cartazes: Luz cinema brasileiro... Câmeras e equipamentos: Símbolos do mundo inteiro...

Desfilam na Cinememória: Bernadet e Honestino... Lampião e Maria Bonita: O universo nordestino... Dib Lutfi - Paulo Emilio: Zé Pereira Sivirino...

Vladimir... São Saruê: Retrateia Ariano... Engenha com maestria: Cinemais paraibano... Multiversoa imagens: Precursor glauberiano...

O filme A Bolandeira: No Chile - Viña Del Mar... Joris Ivens elogiou: Soube bem admirar... Lá na terra de Allende: Neruda a poemar...

Doutor Honoris Causa: Na sua terra natal... Universidade da Paraíba: Deu-lhe título imortal... Foi uma bela homenagem: Pelo trabalho cultural...

Duas dezenas de filmes: Registro fundamental... Prêmio Margarida de Prata:

A temática social... No coração do Brasil: É vanguarda cultural...

Cine Vladimir Carvalho: Mestre do documentário... Sua arte flui poesia: À luz do imaginário... Cinema – Verdade na tela: Sob um olhar solidário...

Expressa o não divulgado: Revela o não conhecido... Disseca a natureza mãe: Do sertanejo sofrido... Teatro, Nordeste, vida: Seu cinema é destemido...

Linguimagem documenta: Retrata o Brasil real... Poética que nordestina: A arte do factual... Vladimir...São Saruê: CineCordel magistral...

Vladimir faz releitura: Da dor da sociedade... José Lins... José Américo: Sertã adversidade... Traduz com Graciliano: Autos da realidade...

Vladimir é persistente: Tem essência brechtiana... Sertanejo luminoso: Nasceu em Itabaiana... Cactus mandacaru: Da terra paraibana...

Teceu A Bolandeira: Entoou a Incelência... Esculpiu A Pedra da Riqueza: Com verve e clarividência... O País de São Saruê: É arte de excelência...

Viu de tudo em Cinema: Na vida se inspirou... Em Vertov - Eisenstein:

Cinearte projetou... Flaherty, Welles, Ivens: Com eles dialogou...

Militância coerente: Refletiu o comunismo... Marx, Lenine e Prestes: Combate ao capitalismo... Sonha com um novo mundo: Sem o analfabetismo...

Rio do Peixe, Paraíba: Drama e fotografia... José Américo de Almeida: Bagaceira em poesia... A Revolta de Princesa: Despertar da fantasia...

Presença em Aruanda: Com destaque no roteiro... Deu asas à criação: Seu olhar é um luzeiro... Assistente de Direção: Luz, farol e candeeiro...

João Ramiro Mello: Companheiro de estrada... Vladimirovski em cena: Sapiência na jornada... Substantivo concreto: Dia, Noite, Madrugada...

Repressão e Ditadura: O seu nome foi trocado... José Pereira dos Santos: Nome novo lhe foi dado... Cinemagia escultura: Em Vladimir integrado...

O Partido o escondeu: Transformou-se em santeiro... Era a clandestinidade: De um grande brasileiro... Exílio na própria terra: Ditadura por inteiro...

Curtas de Humberto Mauro: Influência pioneira... Arraial de Saraceni: Na mesma linha certeira:

José Américo de Almeida: Mote de A Bagaceira...

A sua genialidade: Ariano logo notou... Foi no Jornal do Commercio: Que o mestre o revelou... Da Paraíba para o mundo: Vladimir universou... Idos doa Anos 60: Vladimir e Ariano... São Saruê inédito: Visto em primeiro plano... Na Cinemateca do MAM: Deu-se o ato soberano...

Os dois juntos assistiram: Foi no Rio de Janeiro... Ariano e Vladimir: São Saruê por inteiiro... Lançaram a epopéia: Vista perlo mundo inteiro...

Ganhou o prêmio dos prêmios: Thiago de Mello chorou...:

Quando o Engenho de Zé Lins: Na Feira do Livro passou... Foi um momento marcante: Vladimir se emocionou...

Vladimir filma a história: Mira a realidade... Candangos e camponeses: A luta pela liberdade... Conflitos, fome, miséria: Sol... Solidariedade...

Glauber o denominou: Rosselini do Sertão... O Vertov das Caatingas: Apóstolo da Revolução... O Flaherty de Euclides: Poeta da trans.formação...

O império do latifúndio: A busca da reforma agrária... Egoísmo e estupidez: De uma elite refratária... O lucro ganancioso: Fere a alma libertária...

Flaherty, o Homem de Aran: Deu-se a revelação... Realidade viva... Sonho: Mundo em contradição... Árida Serra Talhada: A terra de Lampião...

Casa Grande e Senzala: Refere-se a Itabaiana... Great Western Railway: Via férrea paraibana... Cruzar a linha do trem: Cair na vida cigana...

Troféu Abelin recebeu: No Festival de Gramado... Pelo conjunto da obra: Foi bem homenageado... Vladimir reconhecido: Por tudo realizado...

Em festivais internacionais: Atuou como jurado... França, Alemanha e Cuba:

Vladimir foi convidado... O seu nome é referência: Conselheiro consultado...

Trabalho...indignação: Aspereza da linguagem... Busca do desconhecido: Sapiência na filmagem... Voz das Ligas Camponesas: Ecoou em sua imagem...

Firme na interlocução: Crítica...reflexividade... Poética experimental: Pulsa criatividade... Coragem...Indignação: A memória da verdade...

História do Povo Nordestino: Cinema em trilogia... São Saruê, Conterrâneos: Zé Lins e sua alquimia... O Evangelho Segundo Teotônio: Palavras...Ideologia...

Revela-nos os excluídos: Despossuídos da cidade... Camponeses-Operários: Os dramas da sociedade... Radografias da vida: Arte - amor com liberdade...

Massacre dos operários: Nos tempos da construção... Vladimir buscou os fatos: Fez boa observação... Muitos foram dizimados: Registrou-se a informação...

Os tratores do Governo: Jogam barracos no chão... Ouve-se mestre Teodoro: Boi Bumbá do Maranhão... Vladimir filma a história: Com sua cosmovisão...

Vladimir filmou Brasília: Na Ditadura Militar... Em Vestibular 70: Soube bem documentar...

Vivia-se sob censura: Não se podia pensar...

Movimentos populares: Movimento estudantil... Fez Vestibular 70: No coração do Brasil... UnB - Barra 68: Cinema ato febril...

Zum-Zum, com os pés no futuro: O espírito criador do povo brasileiro... Pankararu de Brejo dos Padres: Quilombo, navio negreiro... Mutirão, Negros de Cedro: Cantigas do violeiro...

O Itinerário de Niemeyer: No galope da viola... Vila Boa de Goyaz: Para além da moviola... São Saruê, Aruanda: Vladimir é uma escola...

Vários prêmios conquistou: Em Brasília e Gramado... Foi objeto de pesquisa: Em teses de doutorado... URSS, USA, Europa Vladimir foi consagrado...

Tornou-se uma legenda: É destaque cultural... Critica e questiona: Busca o fato real... Vladimir filma o Ser: Na aldeia universal... --------------------------------------------------------------------------Desigualdade Tudo continua igual Pelas bandas do Sertão. .. O Povo a passar fome: Não recebe educação... Na espreita os Conselheiros: Pra nova rebelião... --------------------------------------------------------------------------Zé Ramalho Zé Ramalho da Paraíba: Transmuta-se em poesia Musica a seternidade Pulsoa luz, ser, fantasia. Apocalipsa...revela-se: Fazen:decifra a profecia... -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Cordel: Das Origens à atualidade Os Doze Pares de França, O Pavão Misterioso, Juvenal e o Dragão, Donzela Teodora, Imperatriz Porcina, Princesa Magalona, Roberto do Diabo, Côco Verde e Melancia, João de Calais, O Cachorro dos Mortos, A Chegada de Lampião no Inferno, Viagem a São Saruê… São livros do povo (alicerçado no pensamento do mestre Luís da Câmara Cascudo e deste poeta cordelista). Fontes da Poesia Popular do Nordeste do Brasil. Quintessências da Literatura de Cordel. Origens do Cordel Cordel. Vem de corda, cordão, cordial, toca o coração. Os folhetos eram expostos em cordões, lençois, esteiras, nas feiras, praças, portas das igrejas, bancas e nos mercados. Literatura de cordel, poesia de cordel, romance, folheto(s), arrecifes, abcs, "folhas volantes" ou "folhas soltas","littèratue de colportage","cocks" ou "catchpennies", "broadsiddes", "hojas" e "corridos"… São nomes que a poesia popular recebeu ao longo do tempo, na Europa e nos países latino-americanos. No Brasil, o termo cordel se consagrou como sinônimo de poesia popular. O cordel apresenta-se em narrativas tradicionais e fatos circunstanciais, em folhetos de época ou "acontecidos". As origens da literatura de cordel estão na Europa Medieval. Têm suas bases na França (Provença), do século XI e posteriormente na Espanha, Portugal, Itália, Alemanha, Holanda e Inglaterra. Chegou ao Brasil Colônia com os portugueses, depois incorporou a poética nativa do índio, a criatividade e o ritmo da poesia do negro e dos vaqueiros e tropeiros (o aboio). Tornou-se um ritmo sertanejo-tropical, integrando-se a outros ritmos como o baião, o xote, o xaxado e o forró. Ganhou uma característica especial com o advento da xilogravura, na ilustração das capas de milhares de folhetos. Polêmica e complexidade dos ciclos temáticos Os principais temas e ciclos do cordel (minha classificação) abordam vários assuntos: abcs; religiosidade; costumes; romances; história; heroísmo (façanhas); cavalaria (vaqueiros, bois, cavaleiros, tropeiros); valores, moral e ética; atualidades; circunstâncias; fatos e acontecidos; sociais e noticiosos, louvações; fantasias (fantástico maravilhoso); profecias, apocalipse e fim do mundo; biografias e personalidades; poder, estado e governo; política e corrupção; exemplos; intempéries e fenômenos da natureza (secas, inundações, maremotos, terremotos etc); crimes; coronelismo; cangaço, valentia, banditismo e jagunçagem(Lampião, Maria Bonita, Antônio Silvino, Corisco e Dadá, Sinhô Pereira, Jesuíno Brilhante, Quelé do Pajeú, Lucas de Feira); Padre Cícero(O Santo do Juazeiro); Frei Damião; Getúlio Vargas(Estado Novo, conquistas trabalhistas);Antônio Conselheiro(Canudos); Coluna Prestes e Revoltosos; Juscelino Kubitschek(construção de Brasília); Lula; televisão e cinema; ciência e tecnologia;

Internet; crítica e sátira; humor, obscenidade,putaria e sacanagem(pornocordel); terrorismo(atentados) e guerras; modernidade e contemporaneidade; desafios, cantorias e pelejas, entre outros menos conhecidos e ainda não catalogados etc. Classificação dos ciclos temáticos do cordel, por Ariano Suassuna:

1) "Ciclo heróico, trágico e épico; 2) Ciclo do fantástico e do maravilhoso; 3) Ciclo religioso e de moralidades; 4) Ciclo cômico, satírico e picaresco; 5) Ciclo histórico e circunstancial; 6) Ciclo de amor e de fidelidade; 7) Ciclo erótico e obsceno; 8) Ciclo político e social; 9) Ciclo de pelejas e desafios."

Mitologia e Trovadorismo…

A Literatura de Cordel, mais que centenária no Brasil (ultrapassou cem mil títulos publicados, segundo Joseph Luyten), tem suas origens ocidentais e pré-medievais, no universo poético de Provença, França, com os trovadores albigens (com destaque para Arnaud Daniel, Bertran de Born, Guiraut de Bornelh e Rimbaud Daurenga). http://pt.wikipedia.org/wiki/Provençal Entre os trovadores portugueses, precursores da Literatura de Cordel e do Repente, vêm-me à memória Martim Soares e Paio Soares de Taiverós, além dos célebres reistrovadores Dom Diniz e Dom Duarte. As influências sobre o cordel e a poesia popular contemporânea são multidiversas: desde a poesia mesopotâmica árabe-fenício-semítica, mediterrânea, hindu e persa, à poética egípcio - caldaica – hebréia – greco - latina e afro - indígena… Não se pode esquecer a influência bíblica (Salmos de Davi, Provérbios de Salomão, Cântico dos Cânticos, Apocalipse), do Lunário Perpétuo, enciclopédias, dicionários, almanaques, dos grandes livros religiosos e belos cânticos de todos os tempos, presentes nas diversas civilizações ao longo do processo histórico. Os chineses e indianos devem ter tido significativa influência nas origens e desenvolvimento da poesia popular, por sua antigüidade e por tantos escritos primordiais como os Vedas, Gita, Upanishads, Mahabarata, Ramayana, I Ching, o Zen e

o Tão – Te - King, via Confúcio, Lao-Tse, Buda, Krishna, Rama e outros sábios do velho e mágico Oriente, tão incompreendido pela cultura ocidental. A Poesia de Cordel demonstra a sua força e pujança na expressão ibero-lusitana - afro brasilíndia e galego - castelã… Sem esquecer da verve provençal e italiana (latina). Os romanos com suas epopéias fecundaram a semente da poesia ocidental, herdada dos gregos, etruscos, celtas, gauleses, bretões, normandos, nórdicos e dos povos bárbaros da antiga Europa, Ásia e África. Foi nesse espaço mitológico que surgiu a poética mágica de Dante e a verve inventiva do mestre Leonardo da Vinci e dos grandes artistas italianos. Entretanto, foi na Espanha de Quevedo e Cervantes (Quixote) e em Portugal de Pessoa, Camões e Gil Vicente, que o cordel ganhou feição popular e postura lítero-poética. É na poesia cavalheiresca e trovadoresca que o cordel se inspira e alimenta-se de forma histórica, principalmente a partir dos Doze Pares da França (que retrata os tempos do Imperador Carlos Magno), das gestas e epopéias, dos bardos, apodos, Templários, da Távola Redonda do Rei Arthur, de El Cid, O Campeador, dos cavaleiros e cruzadas e da obra monumental de Camões e Cervantes, ambos influenciados por Dante Alighieri e por toda a tradição popular da oralidade greco-latina-ibero-lusitana. Os trovadores foram os principais precursores e alicerces para a futura Literatura de Cordel nos países de língua portuguesa, principalmente no Nordeste do Brasil, a partir de Salvador-Bahia, dos portos marítimos e do Rio São Francisco, até chegar em Campina Grande, Caruaru e Juazeiro do Norte, onde criou raízes e imortalizou-se na verve dos poetas cordelistas e cantadores repentistas. Não se pode esquecer o papel do boi (ciclo do gado), dos bandeirantes, dos jesuítas José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, do negro (batuque, orixás, terreiros, candomblé), dos índios, caboclos, mamelucos, cafusos, mulatos, garimpeiros, aventureiros, lavradores, vaqueiros e tropeiros: disseminadores de costumes, falas e dialetos pelo vasto Sertão, da poesia regional e universal. Os poetas cantam a sua aldeia e desencantam os universos. A Literatura de Cordel foi enriquecida pela criatividade e maestria de Gil Vicente, Camões, Rabelais, Gregório de Matos, Bocaje, Castro Alves, Gonçalves Dias, Cervantes, José de Alencar, Tobias Barreto, Catulo da Paixão Cearense, Juvenal Galeno, Ascenso Ferreira, além da contribuição incomensurável dos trovadores provençais e do romanceiro medieval. Pesquisa, influências e confluências… O cordel ganhou o mundo por meio do estudo, pesquisa e divulgação de mestres,

leitores, amantes e pesquisadores da cultura popular, nomes como: Luís da Câmara Cascudo, Leonardo Mota, Manuel Diégues Jr, Ariano Suassuna, Rodrigues de Carvalho, Gustavo Barroso, Átila de Almeida, José Alves Sobrinho, Manoel Florentino Duarte, Rogaciano Leite, Jorge Amado, Glauber Rocha (pai do Cinema Novo), João Cabral de Melo Neto (Morte e Vida Severina), Rachel de Queiroz(O Quinze), José Américo de Almeida(A Bagaceira), José Lins do Rego(Fogo Morto), Graciliano Ramos(Vidas Secas), Mário de Andrade(Macunaíma), Sebastião Nunes Batista, Veríssimo de Melo, Sílvio Romero, Tobias Barreto, Vicente Salles, Alceu Maynard, Cavalcanti Proença, Roberto Benjamin, Carlos Alberto Azevedo, Hernâni Donato, Liêdo Maranhão de Souza, Téo Azevedo, Orígenes Lessa, Mário Lago, Américo Pellegrini Filho, Jerusa Pires Ferreira, Sebastião Vila Nova, Ruth Brito Lemos, Gilmar de Carvalho, Raymond Cantel, Joseph Luyten, Mark Curran, Paul Zumthor, Candace Slater, Ria Lemaire, Silvie Raynal, Silvie Debs, Martine Kunz, Ronald Daus,Silvano Peloso, Zé Ramalho, Soares Feitosa(Jornal de Poesia),Ribamar Lopes, José Erivan Bezerra de Oliveira,Fausto Neto,Teófilo Braga, J. de Figueiredo Filho, Eduardo Diatahy de Menzes, Francisca Neuma Fechine Borges, Antônio Augusto Arantes, Ruth Brito, Maria de Fátima Coutinho, Rodrigo Apolinário( Cordel Campina), Maria Edileuza Borges, Alda Maria Siqueira Campos, Alícia Mitika Koshiyama, Maristela Barbosa de Mendonça, Mª José F. Londres, Patrícia Araújo, Doralice Alves de Queiroz, Esmeralda Batista, Viviane de Melo Resende, Márcia Abreu, Assis Ângelo, A.M Galvão, V.M Resende,Shirlley Guerra, Maria Julita Nunes e tantos outros destaques do mundo culturaliterário. Renomados criadores das artes e da literatura brasileira foram influenciados pelo cordel. Saliento os principais que me recordo: Ariano Suassuna, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Jorge Amado, Graciliano Ramos, José Américo de Almeida, Rachel de Queiroz, Guimarães Rosa, João Cabral de Melo Neto, Manuel Bandeira, Dias Gomes, João Ubaldo Ribeiro, Orígenes Lessa, Cora Coralina, Carlos Drummond de Andrade, Paulo Freire, José Nêumane Pinto e tantos outros criadores significativos. Na música, além de Villa-Lobos, a presença do cordel é marcante em Luiz Gonzaga, Elomar, Zé Ramalho, Raul Seixas, Antônio Nóbrega, Quinteto Violado, Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Ednardo, Xangai, Fagner, Elba Ramalho, Belchior, Caçulinha, Mário Zan, Zeca Baleiro, Lenine, Chico Science, Chico César, Amelhinha, Juraíldes da Luz, Chico Buarque, Geraldo Vandré, João do Vale, Jackson do Pandeiro, Jorge Mautner, Tom Zé, Dominguinhos, Oswaldinho, Clodo, Climério e Clésio(Os Irmãos Ferreira do São Piauí e de Brasília), Sivuca, Zé Gonzaga, Marinês, Hemeto Paschoal, Pixinguinha, Cartola, Noel Rosa,Ary Barroso, Vital Farias, Genival Lacerda,Diana Pequeno, Roberto Correia, Nando Cordel, Cordel do Fogo Encantado,Castanha e Caju, Cegas de Campina Grande, Jorge Antunes, Anand Rao, Argemiro Neto, Genésio Tocantins, Paulinho Pedra Azul, Beirão, Waldonys, Robertinho do Acordeon,Zé Calixto, Arlindo dos Oito Baixos, Gérson Filho, Pedro Sertanejo, Furinchu, Chiquinho do Acordeon, Torquato Neto, Capinan, Pessoal do Ceará, Gilberto Gil, Jorge Mautner, Maria Betânia, Vinícius de Moraes, Milton Nascimento, João Gilberto e Caetano Veloso. Só para lembrar alguns nomes expressivos. A lista é quilométrica. Mitos e precursores

Convém ressaltar figuras de destaque, mistura de cordelistas e cantadores como o lendário "Zé Limeira", fabuloso e fantástico Poeta do Absurdo, de Orlando Tejo e o inesquecível mestre Patativa do Assaré, da Triste Partida e tantas chegadas… Há ainda os semeadores Ugolino de Sabugi(primeiro cantador que se conhece), Nicandro Nunes da Costa, Silvino Pirauá, Germano da Lagoa, Romano da Mãe D´Água, Cego Aderaldo, Cego Oliveira, Zé da Luz, Fabião das Queimadas, Zé de Duquinha, Caraíba de Irecê, Otacílio e Lourival Batista, Ivanido Vilanova, Pinto do Monteiro, Pedro Bandeira, Raimundo Santa Helena, Oliveira de Panelas, Azulão, Rodolfo Coelho Cavalcante,Franklin Machado Nordestino e Cuíca de Santo Amaro. São símbolos que me vem de repente à memória. Não posso esquecer de figuras místicas do universo sertânico do cordel: Lampião, Maria Bonita, Corisco, Antônio Silvino, Jesuíno Brilhante, Quelé do Pajeú, Lucas de Feira, Sinhô Pereira, Antônio das Mortes, os dragões da maldade, os santos guerreiros, beatos, jagunços, coronéis, cabras da peste, personagens glauberianos e cinematográficos… Presença no Brasil: do sertão às grandes cidades No Brasil, o cordel ganhou estatura poética na Região Nordeste do Brasil, pelas bandas do Polígono das Secas, Vale do São Francisco, Sertão do Cariri, dos Inhamuns, do Pajeú, Serra de Santana, Serra da Laranjeira, a mítica Serra do Teixeira (Olimpo da Poesia), Campina Grande (Capital do Cordel), João Pessoa, Vales do Jaguaribe, Parnaíba, Gurguéia; Chapada Diamantina, Chapada do Apodi,Serra da Borborema, Chapada do Corisco, Caruaru, Juazeiro do Norte, Crato, Crateús, Limoeiro, Recife/Olinda, Fortaleza, Salvador, Ibititá, Recife dos Cardosos, Lapão, Rochedo, Ibipeba, Canarana, Taguatinga, Águas Claras, Serra Talhada, Quixadá, Qixeramobim, Cabrobó, São José do Egito, Patos, Piancó, Umbuzeiro, Penedo, Aracaju, Oeiras, Picos, Imperatriz, Pedreiras, Catolé do Rocha, Monteiro, Sumé, Serra Branca, Bezerros, Surubim, Mossoró, Caicó, Aracati,Paulo Afonso, Feira de Santana, Juazeiro, Petrolina, Teixeira,Irecê/Jacobina, Barra, Morro do Chapéu, Bom Jesus da Lapa, Senhor do Bonfim,Uauá, Chorrochó, Maceió, Natal, São Luís, Cachoeira dos Índios, Terezina, Parnaíba, Belém, Ilhéus, Itabuna, Canindé, Arapiraca, Palmeira dos Índios, Ingazeira, Quebrângulo, Santarém, Ipirá, Irará, Canudos, Monte Santo, Sertânia, Jequié, Vitória da Conquista, Ibititá, Canarana, Lapão, Recife dos Cardosos, Pirapora, Anápolis, Montes Claros, Rio, São Paulo, Campinas,Diadema,Brasília /Ceilândia/Taguatinga/Gama e pela vastidão das metrópoles, dos campos, fazendas, roças, lugarejos, povoados, arraiais, arrabaldes, vilas, vielas, pés de serra e cidadelas da caatinga e do agreste. Francisco Chagas Batista publicou um folheto, no ano de 1902, em Campina Grande, que está catalogado na Casa de Rui Barbosa - no Rio de Janeiro. É registrado como o primeiro folheto de cordel brasileiro publicado. Muito outros anteriores, se perderam na poeira do tempo.

Por muitos desses caminhos andaram e foram lidos poemas dos vates - poetas fenomenais: O condoreiro Antônio Frederico de Castro Alves (uma espécie de precursor do cordel erudito e do improviso), Silvino Pirauá de Lima (o introdutor do folheto de cordel no Brasil, segundo Luís da Câmara Cascudo), Agostinho Nunes da Costa (um dos pais da poesia popular no Nordeste), Leandro Gomes de Barros (um dos principais cordelistas de todos os tempos, pioneiro-mor, publicou centenas de folhetos), Ugolino de Sabugi(primeiro cantador), Francisco Chagas Batista, Nicandro Nunes da Costa), Germano da Lagoa, Romano de Mãe D´Água, Manoel Caetano, Manoel Cabeleira, Diniz Vitorino, João Benedito, José Duda, Antônio da Cruz, Joaquim Sem Fim, Manuel Vieira do Paraíso, Romano Elias da Paz, Manoel Tomás de Assis, José Adão Filho, Lindolfo Mesquita, Arinos de Belém, Antônio Apolinário de Souza, Laurindo Gomes Maciel, Rodolfo Coelho Cavalcante, Francisco Sales Areda, Manoel Camilo dos Santos, Minelvino Francisco da Silva, Caetano Cosme da Silva, Expedito Sebastião da Silva, João Melquíades Ferreira da Silva, José Camelo de Rezende, Joaquim Batista de Sena, Gonçalo Ferreira da Silva, Teodoro Ferraz da Câmara, José Albano, João Ferreira de Lima, José Pacheco, Severino Gonçalves de Oliveira, Galdino Silva, João de Cristo Rei, Zé Mariano, Antônio Batista, José Alves Sobrinho, Manuel Pereira Sobrinho, Antônio Eugênio da Silva, Severino Ferreira, Augusto Laurindo Alves(Cotinguiba), Moisés Matias de Moura, Pacífico Pacato Cordeiro Manso, José Bernardo da Silva, Cuíca de Santo Amaro, João Martins de Athaide, Apolônio Alves dos Santos, José Costa Leite, Antônio Teodoro dos Santos, José Cavalcante Ferreira(Dila), Francisco Gustavo de Castro Dourado, Manoel Monteiro, Abraão Batista, J.Borges, Zé da Luz, Arievaldo e Klévisson Viana, Zé Soares, Zé Pacheco, João Lucas Evangelista, Amargedom, Joao de Barros, Zé de Duquinha, Carolino Leobas, Elias Carvalho, Zé Maria de Fortaleza, Audifax Rios, Adalto Alcântara Monteiro, Cunha Neto, Francisco Queiroz, Ary Fausto Maia, Toni de Lima, Bráulio Tavares, Téo Azevedo, Stênio Diniz, Josealdo Rodrigues, Antônio Lucena, Geraldo Gonçalves de Alencar, Hélvia Callou, Edmilson Santini, Eugênio Dantas de Medeiros, Jomaci e Jandhuir Dantas, Francisco de Assis, Paulo de Tarso, Francisco Morojó, Pedro Osmar, Geraldo Emídio de Souza, Olegário Fernandes, Zé Antônio, Pedro Américo de Farias, Marcelo Soares, Jair Moraes, João Pedro Neto, Francisca Barrosa, Lourdes Ramalho, Tindinha Laurentino, Maria da Piedade Correia - Maria Diva Guiapuan Vieira, Vânia Diniz, Lilian Maial, Vânia Freitas, Cora Coralina, José Leocádio Bezerra, Antônio Barreto, Antônio Vieira, BuleBule, Gutemberg Santana, Jotacê Freitas, Leandro Tranquilino Pereira, Luar do Conselheiro, Maísa Miranda, Marco Haurélio,Sérgio Baialista e diversos nomes recorrentes no fantástico cosmos cordelista. Poetas significativos do passado e da atualidade, entre tantos baluartes da Poesia Popular e do Romanceiro do Cordel.

Cordel na Internet Amargedom, Almir Alves Filho, Anízio Guimarães, Benedito Generoso da Costa, Daniel Fiuza, Domingos Medeiros, Francisco Egídio Aires Campos (Mestre Egídio), Gonçalo Ferreira da Silva, Guaipuan Vieira, F.G C.Dourado, Jesssier Quirino, Jandhuir Dantas, José de Souza Dantas, Lenísio Bragante de Araújo, Rubênio Marcelo.(Todos os

últimos citados são publicados constantemente na Internet). Divulgam seus trabalhos nas páginas da Web com relativa freqüencia e constantes atualizações. O cordel tem presença constante no mundo virtual. Além de centenas de cordelistas que divulgam os seus trabalhos na Internet, temos até a Academia Brasileira de Literatura de Cordel, com sede no Rio de Janeiro e composta por seleto quadro de acadêmicos de boa qualidade. Há pouco surgiu um dos melhores sites sobre o Cordel na Internet: O Cordel Campina, coordenado por Rodrigo Apolinário, em Campina Grande, Meca sertaneja da poesia popular e berço de célebres poetas e cantadores repentistas. O cordel subsiste, sobrevive, apesar das idiossincrasias, intempéries, dificuldades e antropofagias da Indústria cultural midiática, globalizante e da invasão cultural norteamericana... São imprescindíveis a divulgação na mídia e na web, distribuição eficiente, abertura de espaços e fóruns de discussão e de publicação de textos de cordel, de autores tradicionais e contemporâneos, para dinamização do movimento da Poesia Popular Universal… A Internet é um espaço primordial e dinamizador de nossa literatura popular. Cordel no Planalto Central do Brasil Quem quiser conhecer um pouco sobre a poesia popular e apreciar a minha criação em cordel, visite: http://www.gustavodourado.com.br/cordel.htm http://www.gustavodourado.com.br/patriciaaraujo.htm http://www.gustavodourado.com.br/CordelnaInternet.htm http://www.cronopios.com.br/site/colunistas.asp?id_usuario=32 http://www.gargantadaserpente.com/cordel/ http://www.triplov.com/poesia/gustavo_dourado/ http://www.vaniadiniz.pro.br/realese_gustavo_dourado.htm http://www.se.df.gov.br/gcs/file.asp?id=3744 (file.doc) http://www.gustavodourado.com.br/Cordel%20e%20cinema.htm http://cordel.zip.net/

Veja também: http://www.portaldocordel.com.br/cordelistaGustavoDourado.html http://www.eunaotenhonome.com.br/gustavodourado/blog/gustavodourado http://www.portaldocordel.com.br/doc/cordeisDown/60machadoAssis.pdf http://www.portaldocordel.com.br/doc/cordeisDown/01tropicalia.pdf http://www.portaldocordel.com.br/doc/cordeisDown/30guimaraesRosa.pdf

http://www.portaldocordel.com.br/doc/cordeisDown/04JorgeAmado.pdf http://www.jornalismo.com.br/gustavodourado http://www.ablc.com.br/ http://www.ablc.com.br/cordeldavez/cordeldavez.htm http://www.secrel.com.br/jpoesia/cordel.html http://www.camarabrasileira.com/cordel.htm

Gustavo Dourado, O Rei do Cordel, Onde Chegará? Por Vânia Moreira Diniz
Gustavo Dourado nasceu na Bahia, Recife dos Cardosos Ibititá (região de Irecê)/Chapada Diamantina/Baixo Médio Rio São Francisco e lá viveu durante 15 anos absorvendo a magia do sertão, em contato direto com a natureza que enfeitiçou seu espírito poético acrescentando ao talento com o qual nascera mais profundidade. Com o pai que o alfabetizou aos três anos pode colher informações importantes, ouvir histórias sobre a literatura de cordel que o apaixonou e criar dentro de si a poesia que mais tarde viria a extravasar fascinantemente. Em frente à energia silenciosa encontrou campo propício para nutrir o espírito de beleza e encanto, enriquecendo o talento ainda em formação, absorvendo a pujança de tudo que descobria ao redor. Aos 15 anos chegou à capital, quando Brasília ainda estava nos primeiros anos oferecendo seu encanto sedutor e exótico que conquistou a alma de artista do jovem. Na capital da república encontrou campo para seus sonhos e vontade de aprender cada vez mais buscando o conhecimento que seu talento ansiava poderosamente e começou a participar de todos os movimentos que como pintor de almas necessitava para transformar o artista nato naquele que viria a expandir essa arte em descrições poéticas, principalmente no cordel, estimulado pela pesquisa da Literatura brasileira e universal, particularmente pela história baiana e brasiliense e pelo folclore nas figuras de Lampião, Corisco, Padre Cícero, Canudos, coronelismo, Horácio de Matos, Manoel Quirino, Revoltosos/Coluna Prestes, Cordel do sertão nordestino.

Sua formação eclética iniciou-se na própria Universidade onde se infiltrou em todos os movimentos estudantis importantes. Autor de 9 livros expandiu em letras seu amor profundo pela terra e pelas pessoas em poemas e compondo a seu modo erudito e ao mesmo tempo pessoal e popular, conquistando os leitores que tiveram o privilégio de conhecer sua obra magistral. O seu livro Phalábora foi selecionado como livro-destaque pela ATL e pela Comissão Editorial Letras da Bahia e se destacou de formas diversas na cultura do país. A poesia do Poeta Gustavo Dourado é profunda e verdadeira pela própria essência que emana. Possui mensagem, lirismo, beleza e sabedoria. É poesia por si só. Bela e absorvente, sensível e fascinante. Basta ser lida. Nada passa despercebido a esse poeta que se destacou em todos os ramos da arte, como autor , declamador, improvisador e repentista participando de uma infinidade de recitais e sendo conhecido especialmente na capital da república como o “Rei do Cordel”. Nessa categoria literária sua fonte de talento não tem limites e se supera em versatilidade e competência, desde os temas mais corriqueiros aos mais importantes e complexos. Sua alma é exposta quando em versos de cordel, expõe sua alma humanitária falando de Direitos humanos: “ Direitos Humanos sempre Devem ser prioridade Sociedade mais justa Com ação e liberdade Com renda distribuída Mais solidariedade... E assim ele ressalta em cordel temas com extrema capacidade reconhecida seja em artes, cultura ou nas necessidades essenciais da humanidade. Precisavam todos sentir seu espírito, ler seus cordéis que são em quantidade imensa, muitos dos quais ainda inéditos e que Gustavo escreve com a facilidade do autor que sente sua obra e se sensibiliza com a humanidade sem deixar de abordar com objetividade as crises que o mundo atravessa. O Rei do Cordel, Gustavo Dourado (Amargedom), não se destaca apenas nessa importante categoria porque seu

talento abrange poemas, críticas, artigos, crônicas, peças teatrais, ensaios desde o mais envolvente até mesmo o erótico com classe e maravilhosa harmonia, em acordes perfeitos e melodiosos. Gustavo Dourado, que além de artista das palavras é professor, pós-graduado em gestão pública, foi presidente do Sindicato dos Escritores de Brasília e cuja versatilidade é impressionante e reconhecida, criando e coordenando no Distrito Federal atividades lítero-culturais e envolvendo os leitores e o público com seu dom que aumenta à medida que o tempo passa foi bastante influenciado pelos modernistas, concretistas, neoconcretistas, cordelistas, repentistas, experimentalistas e se aperfeiçoa a cada minuto de sua vida. A obra de Gustavo é extensa e compacta e o poeta irá cada vez mais longe, como o horizonte que lhe espera. Longe já se encontra pela extrema competência de seu trabalho e profundidade de talento mas onde chegará? Vânia Moreira Diniz 11-06-2007

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->