Reimpressão Oficial da UpToDate ® www.uptodate.

com © 2012 UpToDate ®
Imprimir

|

Voltar

Definição e estadiamento da doença renal crônica Autores Andrew S Levey, MD Lesley A Inker, MD, MS Editores de Seção Gary Curhan C, MD, ScD Richard J Glassock, MD, MACP Editor Adjunto John Forman P, MD, MSc Divulgações Todos os tópicos são atualizados conforme novas evidências torna-se disponível e nosso processo de revisão está completo. Revisão da literatura atual através de: fevereiro 2012. | Este tópico última actualização: 27 de março de 2012. INTRODUÇÃO - A definição e classificação de doença renal crônica (DRC) orientações foram introduzidas pelo Kidney Foundation Nacional (NKF) Kidney Disease Initiative Qualidade Resultados (KDOQI) em 2002, e foram posteriormente adotado com modificações menores, o internacional Doença Renal orientação grupo Melhorar Resultados Globais (KDIGO) em 2004 [ 1-3 ]. Essas diretrizes DRC mudou o conceito de doença renal de que de uma condição com risco de vida incomum que exige cuidados por nefrologistas para que de uma condição comum com uma gama de atenção gravidade merecendo por internistas gerais, estratégias e exigentes para a prevenção, detecção precoce e gestão [ 4,5 ]. As orientações teve um efeito importante na prática clínica, pesquisa e saúde pública, mas também gerou controvérsia substancial [ 6-11 ]. A definição mais recente e classificação da DRC será abordado aqui. Discussões referentes à epidemiologia da DRC, a triagem para doença renal crônica, avaliação de pacientes com DRC, visão geral da gestão da DRC, ea associação entre DRC e doença cardiovascular são apresentados em outros lugares. (Ver "Epidemiologia da doença renal crônica" e "Screening para doença renal crônica" e "Abordagem diagnóstica para o paciente com doença renal aguda ou crônica" e "Visão geral da gestão da doença renal crônica em crianças" e "A doença renal crônica e doença cardíaca coronariana " .) CONTROVÉRSIAS abordados pelas orientações NOVOS - Em 2009, KDIGO convocou uma Conferência de controvérsias para resolver áreas-chave de dados controvérsia e revisão em mais de 1,5 milhões de indivíduos de 45 coortes que foi montado pelo Consórcio Prognóstico CKD [ 12-16 ]. As controvérsias entre os seguintes foram discutidos: • • No caso de o limiar albuminúria para definir DRC continuar a ser de 30 mg / dia (ou equivalente)? No caso de o limiar GFR para definir DRC continuar a ser de 60 mL / min por 1,73 m2?

• •

Se a taxa de filtração glomerular (TFG) limite usado para definir DRC dependem da idade? Caso pacientes diagnosticados como tendo DRC ser testados com base albuminúria além de GFR?

Os participantes da conferência recomendada, por pelo menos uma maioria de dois terços, de que as definições anteriores e KDOQI KDIGO de CKD ser retido, mas que a classificação ser modificado para incluir a causa da doença e de teste albuminúria [ 12 ]. O raciocínio por trás dessas decisões é discutida nas seções que se seguem. DEFINIÇÃO e estadiamento da Doença Renal Crônica Framework e modelo conceitual - Concordamos com KDOQI e KDIGO que CKD é um grupo heterogêneo de doenças caracterizadas por alterações na estrutura e função renal, que se manifestam de várias maneiras, dependendo da causa ou causas ea gravidade da doença ( figura 1 ) [ 1,4 ]. Factores de risco para CKD incluem predisposição genética ou sociodemográfico, ou a presença de doenças que podem iniciar e propagar a doença renal. A insuficiência renal é o estágio final da doença renal crônica e é definido como a função renal severamente reduzida ou o tratamento com diálise. O termo "doença renal em estágio terminal" (DRT) geralmente se refere à insuficiência renal crônica tratados com diálise ou transplante. A lesão renal aguda (IRA) pode complicar a DRC e acelerar a sua progressão [ 17,18 ]. (Ver "A triagem para doença renal crônica", seção "Fatores de risco para DRC" e "Visão geral da gestão da doença renal crônica em adultos", secção "História natural da doença renal" e "Definição de lesão renal aguda (aguda insuficiência renal) " .) DRC é geralmente assintomática em seus estágios iniciais. Os sintomas aparecem em fases posteriores, em associação com complicações ( figura 1 ). Além de comumente reconhecidos complicações hormonais e metabólicas, tais como anemia e hiperparatireoidismo, complicações renais crônicos incluem um maior risco de toxicidade da droga sistêmica, doenças cardiovasculares, infecções, distúrbios cognitivos e função física prejudicada [ 19-22 ]. As complicações são mais prováveis de ocorrer em estágios posteriores, e pode levar à morte antes que a doença renal progride para insuficiência renal. As complicações podem também surgir a partir dos efeitos adversos da intervenções utilizadas para prevenir ou tratar a doença. (Ver "Visão geral da gestão da doença renal crônica em adultos", seção sobre "Tratamento das complicações de disfunção renal" .) Definição de CKD - Estamos de acordo com as orientações KDOQI e KDIGO que DRC é definida pela presença de danos nos rins ou diminuição da função renal para três ou mais meses , independentemente da causa ( tabela 1 ). A persistência do dano ou diminuição da função durante pelo menos três meses, é necessário distinguir DRC de doença renal aguda. Danos nos rins se refere às alterações patológicas, quer estabelecido através de biópsia renal ou de estudos de imagem, ou inferidos a partir de marcadores, tais como anormalidades do sedimento urinário ou aumento das taxas de excreção urinária de albumina. A função renal diminuída refere-se a uma diminuição da taxa de filtração glomerular (GFR), que geralmente é estimada (TFGe) utilizando a creatinina sérica e uma de várias equações disponíveis.

Uma discussão sobre as limitações da estimativa da TFG, incluindo os problemas associados ao uso da creatinina sérica em pacientes que não estão em estado estacionário (como pacientes hospitalizados) e aqueles com geração de creatinina diminuído, é apresentada em outro lugar. (Ver "Avaliação da função renal" .) Um aspecto importante da definição é que os critérios são objectivos e pode ser determinado por meio de testes laboratoriais simples. Identificação de pacientes com DRC pode ser feito sem a identificação da causa subjacente e sem consulta com um nefrologista. No entanto, muitos pacientes devem, nas circunstâncias descritas a seguir, ser encaminhado para um nefrologista ou outro especialista com experiência na avaliação e manejo de pacientes com DRC, a fim de identificar a causa da doença renal crônica e fornecer recomendações para terapias para reverter a doença renal, progressão lenta, ou complicações deleite. (Ver "O encaminhamento para um especialista" e abaixo "encaminhamento tardio ao nefrologista de pacientes com doença renal crônica" .) Danos nos rins - lesão renal inclui alterações patológicas no rim nativo ou transplantado. Danos nos rins é identificado na maioria dos casos pela presença de um dos seguintes marcadores clínicos ( tabela 1 ): • Albuminúria - Na prática clínica, a albuminúria é o marcador mais freqüentemente avaliados de dano renal. Albuminúria reflecte permeabilidade glomerular aumentaram a macromoléculas [ 23 ]. A albuminúria pode refletir doença renal primária ou envolvimento renal na doença sistêmica. Em particular, a albuminúria pode representar disfunção endotelial generalizada, como pode ser visto com hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia, tabagismo, obesidade, e outras desordens. Embora um certo número de métodos de medição diferentes têm sido utilizados para avaliar e definir a albuminúria ( tabela 2 ), relação albumina-à-creatinina (ACR) em uma urina "spot" de duração indeterminada tem muitas vantagens [ 24,25 ]. O limiar geralmente aceite para um ACR anormalmente elevado é de 30 mg / g (3,4 mg / mol) ou maior. (Ver "Medição de excreção urinária de proteínas" e "Microalbuminúria em diabetes mellitus tipo 1" e "Microalbuminúria em diabetes mellitus tipo 2" e "Avaliação de proteinúria isolada em adultos" e "Visão de proteinúria grave e síndrome nefrótica" ). Nós concorda com a recomendação KDIGO que albuminúria acima desse limite, independentemente da causa, deve ser considerado parte da definição de DRC. Indivíduos com urina ACR> 30 mg / g (ou equivalente) têm um risco significativamente aumentado para todas as causas e mortalidade cardiovascular, doença renal terminal, AKI e progressão da DRC em comparação com aqueles que têm um menor ACR ( figura 2 e figura 3 ), mesmo quando eGFR é normal [ 12,14-16 ]. Como um exemplo, os indivíduos com um ACR de 30 a 300 mg / g (3,4 a 34 mg / mmol) ou equivalente e uma TFGe de 90 a 105 mL / min por 1,73 m2 tinha uma 11 vezes maior risco relativo para doença renal terminal do que aqueles cuja EGFR foi semelhante, mas cuja ACR era inferior a 30 mg / g. No KDOQI e definição KDIGO, o valor limiar para anormalmente elevado de urina ACR (30 mg / g ou mais) é aplicado aos adultos de todas as idades, homens e mulheres, e todos os grupos raciais e étnicos, apesar das diferenças na taxa de excreção de creatinina por

sexo, idade e raça. Quando esse limite único foi aplicado a uma coorte de base populacional nos Estados Unidos, a prevalência de albuminúria foi significativamente maior nas mulheres em comparação com os homens [ 26 ]. Embora as concentrações de albumina na urina foram semelhantes, as mulheres apresentaram menores concentrações de creatinina na urina. Assim, os limiares específicas do sexo do ACR que melhor predizem um 24-horas a excreção urinária de albumina de 30 mg ou superior (≥ 25 mg / g para as mulheres e ≥ 17 mg / g para os homens) têm sido utilizados em alguns estudos [ 27 ]. No entanto, estamos de acordo com a recomendação KDIGO usar um limiar albuminúria comum para todos os adultos, devido à facilidade de aplicação generalizada. Taxa de excreção de albumina em uma coleta de urina cronometrada pode ser utilizado para a confirmação quando as circunstâncias clínicas necessitam de uma medida mais precisa.

Anormalidades do sedimento urinário - anormalidades do sedimento urinário como o vermelho ou moldes de glóbulos brancos pode indicar a presença de lesão ou inflamação glomerular tubular. (Ver "O exame de urina para o diagnóstico da doença renal" .)

Anormalidades de imagem - dano renal pode ser detectada pela presença de anormalidades de imagem, como rins policísticos, hidronefrose, rins e pequenas e ecogênica. (Ver "Avaliação Radiológica da doença renal" .)

• •

Anormalidades patológicas - Uma biópsia renal pode revelar evidências para glomerular, vascular, ou doença túbulo-intersticial. Transplante renal - Pacientes com histórico de transplante renal são assumidos ter danos nos rins ou não têm documentado alterações na biópsia renal ou marcadores de lesão renal.

Diminuiu GFR - GFR é geralmente considerada como o melhor índice da função renal em geral, e declínio GFR é a marca de doença renal progressiva [ 28 ]. TFG medido varia em indivíduos normais, por idade e sexo ( figura 4 ) [ 29 ], a ingestão de proteína e, possivelmente, por raça-etnia, embora a magnitude das variações raciais não são bem conhecidos. Com base em alguns medições de desminagem em pessoas saudáveis e em pessoas com doença renal, o limiar amplamente aceite que defina uma TFG diminuição é inferior a 60 mL / min por 1,73 m2; insuficiência renal é definida como uma TFG <15 mL / min por 1,73 m2 ou tratamento por diálise ( tabela 1 ). Concordamos com KDIGO que um TFG medido abaixo deste limite deve ser considerado parte da definição de DRC. TFG pode ser medido diretamente utilizando a depuração de marcadores de filtração exógenos como a inulina ou iotalamato [ 30 ]. No entanto, estes métodos de medição são complexos de implementar. Assim, na prática clínica, GFR é tipicamente

1. (Ver "O encaminhamento para um especialista" abaixo). No entanto.73 m2 e um ACR menos de 10 mg / g.73 m2 e um ACR menos de 10 mg / g.1 (95% CI.73 m2. os riscos relativos para mortalidade cardiovascular entre aqueles que tinham uma eGFR entre 45 e 59 mL / min por 1.14-16 ]. Na prática de rotina.5) naquelas com mais de 65 anos.2 (95% CI.Em comparação com indivíduos que tiveram uma eGFR entre 90 e 105 mL / min por 1.8) naqueles com mais de 65 anos. Além disso. 1.0-1. doença renal terminal. 1. aqueles com uma redução de "isolado" na TFGe) foram 1. ou EGFR) a partir da concentração sérica de creatinina. Em uma meta-análise que incluiu cerca de 1.73 m2 ou mais. Como um exemplo. conforme mencionado abaixo.1-8.5). os riscos relativos para todas as causas de mortalidade entre aqueles que tinham uma eGFR entre 45 e 59 mL / min por 1.73 m2 são definidos como tendo DRC. doença cardiovascular.3 (95% CI.Em comparação com indivíduos que tiveram uma eGFR entre 90 e 105 mL / min por 1. AKI e progressão DRC em comparação com aqueles cuja EGFR é 60 mL / min por 1. um marcador de filtração endógena. os menores de 65 anos e 1. os indivíduos com um TFGe de 45 a 59 mL / min por 1. e progressão da doença renal foram semelhantes entre os maiores e menores de 65 anos [ 12 ]: • Todas as causas de mortalidade .73 m2 ou superior ( figura 2 e figura 3 ).2) naquelas com mais de 65 anos.1. as taxas absolutas de mortalidade cardiovascular foram maiores naqueles com mais de 65 anos. que não variam substancialmente com a idade.2). por conseguinte. aqueles com uma redução de "isolado" na TFGe) foi de 1. e relatórios eGFR levou ao aumento da detecção da DRC [ 32. as associações entre baixos níveis de EGFR com a incidência de morte. os menores de 65 anos e 1. por exemplo.Em comparação com indivíduos que tiveram TFGe de 60 mL / min por 1. tais como morte e doença renal terminal.73 m2 e uma urina ACR inferior a 10 mg / g tiveram um risco relativo de cinco vezes maior em comparação DRT do que aqueles com um ACR similarmente normal. • Estágio final da doença renal .6-7. O EGFR é agora relatado rotineiramente por mais de 75 por cento de laboratórios clínicos em os EUA sempre que a creatinina sérica é medida [ 31 ].6-3.2. os indivíduos que têm uma TFGe abaixo de 60 mL / min por 1. • A mortalidade cardiovascular . 0.4 (95% CI.73 m2 e um ACR menos de 10 mg / g (ou seja. sem uma elevação da albuminúria) ser encaminhada para atendimento por um nefrologista ou outro especialista com experiência em cuidar de pacientes com doença renal.Grande meta-análises também descobriram que as associações entre eGFR e eventos adversos.9 (95% CI. nós geralmente não recomendam que os pacientes que têm uma eGFR isolado diminuiu (por exemplo. mesmo se o ACR é normal [ 12. mas com uma TFGe de 60 mL / min por 1. 1. os riscos relativos para ESRD entre aqueles que tiveram uma eGFR entre 45 e 59 mL / min por 1.4-2. A creatinina sérica é medida freqüentemente (cerca de 280 milhões de vezes por ano em os EUA).73 m2 ou maior. doença renal terminal. os menores de 65 anos e 3.73 m2 e um ACR menos de 10 mg / g (ou seja.estimada (GFR estimado. Em . TFGe de 45 a 59 mL / min por 1.4 (95% CI. 1.5 milhões de indivíduos a partir de múltiplas coortes.33 ]. Limiares similares para os idosos .73 m2 foram 3. Estes indivíduos têm um risco significativamente aumentado de todas as causas e mortalidade cardiovascular.3).

Comumente utilizadas equações de estimativa são imperfeitos. juntamente com uma combinação de idade.73 m2. No entanto. para idosos. (Ver "Avaliação da função renal". embora nós não estamos recomendando essa estratégia neste momento.42 ].48 ]. idade e raça. a interpretação do EGFR deve ser influenciada pela probabilidade anterior de doença. sexo e tamanho do corpo como substitutos para os determinantes não-TFG da creatinina sérica.73 m2 em comparação com aqueles cuja EGFR foi maior do que ou igual a 60 mL / min por 1. secção "A cistatina C ' ). Uso de cistatina C e creatinina juntos permite estimativas mais precisas da TFG [ 43. TFGe isolado diminuiu em um indivíduo saudável é mais provável que seja um falso positivo do que em indivíduos com outros marcadores de danos nos . Ambas as equações usar o sexo. tanto em indivíduos mais jovens e mais velhos. Como todos os testes de diagnóstico.) A cistatina C é um marcador de filtração alternativa endógena que pode ter vantagens sobre creatinina para a estimativa da TFG porque os seus não-TFG determinantes são menos afetados por raça e perda de massa muscular. Há dados limitados sobre a associação de reduções isoladas no TFG com a morte e DRT em pessoas muito idosas (ou seja. No entanto. Uma discussão detalhada sobre as limitações da estimativa da TFG é apresentada em outro lugar. o risco relativo para todas as causas de mortalidade associadas com uma redução na TFGe é um pouco menor do que em indivíduos mais jovens. e as previsões mais precisas do risco [ 47. fornecendo estimativas da TFG que são geralmente mais baixas. e porque é mais preditivo de doença cardiovascular e mortalidade subseqüente [ 43-45 ]. raça.) A modificação da dieta na equação Estudo Renal Disease (MDRD) é o mais utilizado equação TFG estimando em os EUA [ 36 ]. a idade de 75 anos e mais velhos). Africano americano) versus não-negras. reduções TFG estão associados com outras complicações de DRC em tais pacientes. as taxas de absolutos de doença renal terminal foram mais baixos nos aqueles com mais de 65 anos. seção "Equações de Estimação" . TFG estimativa . (Ver "Avaliação da função renal" . 35 ]. e está substituindo a equação Estudo MDRD [ 37-40 ]. Em um estudo de 2272 indivíduos 80 anos de idade ou mais a partir da população em geral. e que podem ocasionalmente ser amplamente díspar de. a TFG medida. (Ver "Avaliação da função renal". e fornecer estimativas mais precisas da TFG medida de creatinina sérica isoladamente [ 30 .73 m2 [ 34 ].As várias equações TFG estimar o uso de creatinina sérica. e atribuir a raça como em preto (por exemplo. além de creatinina sérica. especialmente em um TFG> 60 ml / min por 1. Modificações das equações para outras regiões geográficas e grupos étnico-raciais têm sido realizadas [ 41. secção "Soro cistatina C" e "A doença renal crônica e doença cardíaca coronariana".46 ]. Assim. a anemia prevalências e hiperparatiroidismo foram significativamente mais elevada em aqueles cuja EGFR foi entre 45 e 59 mL / min por 1. a doença renal crônica Epidemiologia Colaboração equação (CKD-EPI) é mais preciso que a equação Estudo MDRD. mas os riscos relativos são semelhantes para mortalidade cardiovascular e doença renal terminal.contraste com a mortalidade cardiovascular.

Como mencionado acima. Confirmando a cronicidade de dano ou diminuição da função . Quando a evidência de danos nos rins ou diminuição da função é primeiro aparente. Cronicidade podem ser documentados ou inferida. Aos três anos.73 m2 ou um ACR apenas acima de 30 mg / g [3. medindo diretamente TFG é desnecessária e EGFR é apropriado para diagnóstico.73 m2. estadiamento e gestão da DRC.066 indivíduos com medições repetidas de creatinina sérica separados por uma média de três anos. 891 destes indivíduos (76 por cento) ainda tinha uma TFGe reduzida. a repetição do teste é necessário em pacientes que têm uma ou TFGe ACR perto dos valores de limiar para a definição DRC (isto é.73 m2 de três anos. . no entanto. ou presença de múltiplos cistos A obtenção de medições repetidas dentro e fora do ponto de três meses Na prática clínica.000 indivíduos da população geral com um TFGe maior do que ou igual a 60 mL / min por 1.73 m2 na linha de base [ 53 ]. • Em outra coorte população geral de 18. Vários estudos têm demonstrado a importância da repetição do teste quando a evidência para cronicidade não estiver disponível no momento danos ou diminuição da função é reconhecida pela primeira vez [ 50-53 ]: • Em um estudo de cerca de 14. Em pacientes com estes valores limítrofes. duas semanas era de 54 e 73 por cento. 1169 (6.5 por cento) tiveram uma TFGe menos de 60 mL / min por 1.rins ou que tenham factores de risco para doença renal. um pouco abaixo TFGe 60 mL / min por 1. a confirmação da cronicidade pode ser obtido por um dos seguintes: • • • • • Revisão das medições passadas ou estimativas da TFG Revisão de medições anteriores de albuminúria ou proteinúria Revisão da vareta urina passado e exames de sedimentos Os achados de imagem. as diretrizes KDIGO exigir que o dano ou diminuição da função ser persistente por pelo menos três meses para fazer um diagnóstico da DRC. Na maioria dos casos. a persistência de uma ACR entre 30 e 300 mg / g ( 3.49 ].4 mg / mmol]). que tinha repetido medições do ACR após um intervalo de duas semanas. geralmente não é difícil avaliar a cronicidade. como determinar a elegibilidade para doação de rim ou o ajuste da dose de drogas tóxicas que são excretados pelos rins [ 35 ]. tais como volume renal reduzida e redução da espessura cortical. Confirmação de TFGe diminuiu medição da TFG (clearance de creatinina de marcadores de filtração ou exógena) é garantido quando as decisões dependem de mais conhecimento exato da TFG.434 mg / mmol) e uma ACR superior a 300 mg / g. Para os pacientes sem evidências de cronicidade. respectivamente [ 51 ]. O risco de subseqüentes eventos cardiovasculares adversos foi maior naqueles com TFGe persistentemente baixo do que aqueles cuja eGFR subiu para acima de 60 mL / min por 1. a repetição do teste é essencial para afastar doença renal aguda. ambas as variações biológicas e analítica da creatinina sérica e na urina de albumina pode resultar no diagnóstico de DRC não ser confirmado [ 25. Além disso.

a DRC é mais frequentemente descoberto como eGFR diminuiu durante a avaliação e gestão de outras condições médicas.TFG> 90 ml / min por 1. Na prática clínica.73 m2) foi subdividido em TFG etapas 3a e 3b para refletir mais precisamente a associação contínua entre menor TFG e risco de mortalidade e adverso os resultados nos rins ( figura 2 ).73 m2 G4 .TFG <15 mL / min por 1. (Ver "Visão geral da gestão da doença renal crônica em adultos" . a causa da doença renal tem implicações para a taxa de progressão eo risco de complicações ( tabela 4 ).TFG 30 a 44 mL / min por 1. Além disso.73 m2 G3a .) TFG .Identificar a causa da doença renal (por exemplo. GFR.GFR 45-59 mL / min por 1. Pode ser difícil para determinar a causa da doença renal.O objetivo do estadiamento da DRC é orientar a gestão.GFR 60-89 mL / min por 1. obstrução do trato urinário. toxicidade por drogas. Uma visão geral do tratamento de pacientes com acordo com o estágio da DRC é fornecido em outros lugares. (Ver "Abordagem diagnóstica para o paciente com doença renal aguda ou crônica" . incluindo a estratificação de risco para a progressão e complicações da DRC.73 m2 G3b . diabetes. e aumenta a albuminúria estratificação de risco para as complicações principais de DRC ( figura 2 e figura 3 e Tabela 4 ). e "muito alto" (anteriormente macroalbuminúria e faixa nefrótica) albuminúria ( tabela 3 ): . transplante renal.Estadiamento da DRC .) Causa da doença .GFR 15-29 mL / min por 1. Os pacientes que receberam tratamento com diálise são subgrupos de TFG estágio 5D para destacar a cuidados especializados de que necessitam. A estratificação de risco é usado como um guia para informar tratamentos adequados e da intensidade da educação e acompanhamento do paciente [ 1.4 ]. Albuminúria . Em pacientes que são diagnosticados com doença renal crônica usando os critérios descritos acima.As três fases albuminúria seguir definições familiares de "normal". doenças auto-imunes.O TFG (G-estágios) seguem o esquema de classificação original CKD ( tabela 3 ): • • • • • • G1 .73 m2 ou tratamento por diálise Como a classificação KDOQI original foi publicado. etc) permite uma terapia específica dirigida a prevenir novas lesões.73 m2 G5 . o estadiamento da DRC é feito de acordo com ( tabela 3 ) [ 12 ]: • • • Causa da doença Seis categorias de TFG (fases G) Três categorias de albuminúria (etapas A) Estadiamento pacientes com DRC de acordo com a causar. A avaliação dos pacientes diagnosticados com doença renal crônica é discutido em outro lugar. o estágio 3 da DRC (a TFG de 30 a 59 mL / min por 1.73 m2 G2 . "alto" (anteriormente microalbuminúria).

apesar de ambos pacientes têm TFG estágio G4. sem um valor de limiar aparente ( figura 2 e figura 3 ) [ 12 ].9 por cento dos pacientes com DRC . e podem estar em maior risco de complicações. e DRT em níveis mais elevados de albuminúria. O risco relativo para cada resultado é maior com mais GFR grave e as fases ACR ( figura 2 ). DRT. doença renal terminal (DRT). identificando aqueles com a doença mais grave que são.ACR 30 a 300 mg / g (3. com diferentes graus de risco de progressão para todas as causas de mortalidade.0 mg / mmol) A adição de albuminúria estadiamento com o estadiamento TFG é novo uma vez que o esquema de classificação original KDOQI foi publicado [ 1-3 ].• • • A1 . o proporção da população nos Estados Unidos com DRC (definida pelo EGFR e albuminúria) que cai nestas categorias de risco também é dado [ 8 ]: • • • Risco moderado (amarelo) . mortalidade cardiovascular.4 a 34. um paciente com uma TFG de 15 mL / min por 1. Um aumento do risco é também aparente com os níveis de urina ACR entre 10 e 29 mg / g ("alta normal" albuminúria). sugerindo que os níveis abaixo de 30 mg / g pode também garante uma maior atenção. um "mapa de calor" pode ser construída que divide os pacientes com DRC nas seguintes três categorias de risco gerais baseadas na probabilidade de desenvolvimento de rim futuro e complicações cardiovasculares (por exemplo.73 por cento dos pacientes com DRC Alto risco (laranja) . maior risco de progressão e complicações.4 mg / mmol) A2 . Finalidade para e as implicações da encenação DRC .ACR <30 mg / g (<3. ou que todos os pacientes do GFR mesma categoria e albuminúria terá o mesmo prognóstico.O sistema de estadiamento para DRC se destina a ajudar os clínicos no tratamento de pacientes com DRC.18 por cento dos pacientes com DRC Risco muito elevado (vermelho) . respectivamente.ACR> 300 mg / g (> 34. mesmo quando GFR é> 60 mL / min por 1. que alguém com uma TFG de 29 mL / min por 1. portanto. morte cardiovascular) ( figura 5 ). Como um exemplo. e lesão renal aguda.73 m2 provavelmente tem doença renal mais grave. de CKD. em seguida. apresentam diferentes riscos cardiovasculares embora ambos tenham hipertensão estágio 1. e albuminúria permite uma descrição mais completa do risco para os principais desfechos adversos da DRC.73 m2. consistente com o valor de limiar corrente para albuminúria (≥ 30 mg / g) como um marcador de danos nos rins . A comparação pode ser feita para a realização de hipertensão. Com base nestes resultados. Estadiamento albuminúria foi adicionado por causa do aumento gradual no risco de progressão da mortalidade. a progressão da DRC. Estadiamento de acordo com causa. dois pacientes com pressão sistólica normal de 140 mmHg e 159 mmHg. GFR.73 m2.0 mg / mmol) A3 . em 18 categorias distintas. Os pacientes com DRC já diagnosticados podem agora ser encenado de acordo com a causa da doença renal e. A DRC é encenação não pretende implicar que há TFG ou albuminúria limiares em gravidade CKD. independentes do EGFR. O aumento do risco é significativo para os valores de urina ACR ≥ 30 mg / g.

Usando as definições atuais. Indivíduos que se enquadram na de baixo risco (verde) categorias têm DRC com base em marcadores de lesão renal que não albuminúria. (Ver "O encaminhamento para um especialista" abaixo e plano de acção da Clínica ' abaixo.56 ].Estas três categorias de risco gerais pode ajudar os médicos a decidir se quer ou não submeter seus pacientes a um nefrologista ou especialista com experiência no atendimento de pacientes com DRC. um paciente com doença renal policística autossômica dominante (ADPKD). (Ver "A doença renal crônica e doença coronariana" . o mapa de calor deve ser considerado no contexto apropriado: • Primeiro.6 por cento. doença cardiovascular e morte. detecção precoce e gestão por nephrologist não-médicos e agências de saúde pública [ 55.57 ]. Detalhes adicionais que descrevem a associação entre DRC e de risco para doença cardiovascular são apresentados em outros lugares. a prevalência da DRC nos Estados Unidos durante o intervalo de 1999-2006 foi de 11. Como os pacientes com DRC tem uma alta taxa de doença renal terminal. Aplicação das definições atuais para o idoso . Efeito das definições atuais sobre a prevalência da DRC . e desenvolver um plano de acção clínica. É possível que a associação entre o avanço da idade e inferior EGFR e superior a albuminúria pode ser devido a doença vascular.5 por cento (42 por cento em estágios TFG 1-2 e 58 por cento em estágios TFG 3 ) -4. o mapa de calor se aplica a pacientes que foram diagnosticados com doença renal crônica. ele é derivado de uma meta-análise em que cerca de 1. doença renal crônica é um alvo apropriado para a prevenção. Isto é similar à prevalência de outras doenças crônicas nãotransmissíveis. mas tem uma alta risco a longo prazo da DRC progressiva. • Em terceiro lugar.) IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA CLÍNICA E SAÚDE PÚBLICA . como diabetes (10. em vez de um processo natural de envelhecimento [ 57-59 ]. Se um paciente com doença renal crônica é encenada inicialmente como de baixo risco.A prevalência de doença renal crônica em pessoas com 70 anos ou mais de idade nos Estados Unidos é elevada (aproximadamente 45 por cento) [ 38. a graduação do risco apresentado no mapa de calor é utilizado para comparar pacientes com a mesma causa de DRC. Uma definição similar de categorias de risco proposto foi baseado na análise de um grande grupo no Canadá [ 54 ].) No entanto. que é diagnosticada por exame de imagem em uma idade jovem e que tem uma eGFR normal e sem proteinúria pode ser de baixo risco para o desenvolvimento de DRT no curto prazo. equivalente a cerca de 23 milhões de adultos [ 38 ]. Como exemplo. O fato de que os valores mais baixos do EGFR estão associadas com rim aumentado e as taxas de doenças cardiovasculares em idosos. isso não não quer dizer que ele ou ela vai ficar de baixo risco e não progredir ao longo das décadas seguintes.4 milhões) [ 55 ]. Essas pessoas geralmente não são identificados nos inquéritos à população. bem como indivíduos mais jovens não é consistente com a interpretação de que a diminuição eGFR com o . 23.5 milhões de indivíduos foram seguidos por uma média de cinco anos.A definição e classificação da DRC tem várias implicações importantes para a saúde pública e na prática clínica. • Em segundo lugar.

O sistema de estadiamento irá ajudar os médicos a determinar como e quão intensamente para tratar e monitorar pacientes com DRC estabelecidos. Em pacientes eleição terapia de substituição. estão em alto risco de progressão para doença renal terminal. Da mesma forma. a referência tarde para um nefrologista (isto é. o sexo. sexo. anteriormente maior nos pacientes idosos que nos jovens. um instrumento para prever o risco de progressão da DRC para DRT que a idade usada. tabagismo. Usando a classificação atual para atribuir prognóstico para os indivíduos . Vários estudos têm demonstrado . Como em diabetes. bem como outros fatores (por exemplo. é agora o mesmo para todas as idades.envelhecimento é "normal" ou "fisiológica". e nenhum foi universalmente adotado [ 61-65 ].Referral depende de padrões de prática. existem numerosas recomendações que propõem indicações para encaminhamento para nefrologistas. Como um exemplo. níveis de colesterol. que não são uniformes entre os sistemas de saúde ou regiões geográficas. Pacientes com eGFR gravemente diminuída requerem uma preparação para o possível início de DRT. a criação atempada de acessos vasculares para hemodiálise formação de diálise. o risco aumentado para os resultados de rim adversos para os indivíduos cuja albumina na urina-a-creatinina rácio situa-se entre 30 e 299 mg / g (3. e avaliação de doadores para transplante de preferência deve ocorrer. e.73 m2. Além de EGFR e albuminúria. sexo e EGFR e albuminúria. o limiar de pressão sistólica do sangue para a definição da hipertensão. Preparação envolve uma discussão sobre a terapia renal de substituição (diálise e transplante) e terapia conservadora para aqueles terapia não estão dispostos ou incapazes de se submeter renal de substituição. mesmo dentro dos países. poderia ser ferramentas úteis para ajudar a decisão de fazer guia para pacientes individuais. Em tais pacientes. Em vez disso. Os doentes em ou abaixo deste nível do EGFR já demonstraram que têm a doença renal progressiva. Como exemplo. idade.67 ]. Como resultado. Nós achamos que esses modelos são.4 a 34 mg / mmol) em mais velhas e adultos jovens não é consistente com a interpretação de que " microalbuminúria "é apenas um marcador de risco de doença cardiovascular aumentado. uma indicação de que é comum à maioria das orientações é que todos os pacientes com TFG gravemente reduzida (TFG estimada [eGFR] menos de 30 mL / min por 1. por conseguinte. hipertensão. em casa. raça. selecionar um valor limite para definir a doença deve equilibrar o risco de "rotular" os indivíduos de baixo risco em relação ao benefício da detecção precoce de indivíduos de alto risco. e outros). albuminúria e outros valores laboratoriais comumente medidos foi desenvolvida a partir de uma grande coorte de pacientes encaminhados à nefrologistas [ 60 ]. EGFR. eventualmente. Este modelo era mais preciso do que um simples modelo que incluiu apenas a idade. a causa da doença renal. Predição de risco mais preciso para um paciente individual pode ser realizado pelo desenvolvimento de risco de predição de instrumentos. Encaminhamento para um especialista . hipercolesterolemia ou. menos de três meses antes do início da terapia de diálise) está associada com maior mortalidade após o início da diálise [ 66. No entanto. ele sugere que o EGFR diminuiu em idosos é evidência de doença. devem ser considerados na estimativa do prognóstico. GFR estágio 4) devem ser encaminhados para co-gestão com um nefrologista.

e albuminúria. A discussão do plano de acção clínica recomendada de acordo com o estágio da DRC é apresentada em outro lugar. recomendamos que. (Ver "Visão geral da gestão da doença renal crônica em adultos" . PLANO DE AÇÃO CLÍNICA .5 meq / L Difícil de manejar complicações de drogas Pacientes com idade inferior a 18 anos Hipertensão resistente Nefrologistas pode ajudar os médicos de cuidados primários e outros especialistas no diagnóstico e no tratamento de pacientes em todas as fases da DRC. identificação e tratamento para doença renal complicações relacionadas.73 m2.) Uso de UpToDate está sujeita à inscrição e Contrato de Licença . sugestões de tratamentos para retardar a progressão em pacientes que não responderam às terapias convencionais. Há menos consenso sobre o encaminhamento para os pacientes com maior eGFR. Estas funções incluem a determinação da causa da DRC. e preparação para diálise. os pacientes com DRC que atendam a um ou mais dos seguintes critérios estejam encaminhado para um nefrologista ou outro médico especializado no tratamento de pacientes com DRC: • • • • • Rácio albumina na urina-a-creatinina (ACR)> 300 mg / g (34 mg / mmol) Hematúria não secundária a condições urológicas Incapacidade de identificar uma causa presumida da DRC EGFR queda de mais de 30 por cento em menos de quatro meses sem uma explicação óbvia Difícil de gerir complicações como anemia exigindo eritropoietina terapia e anormalidades do metabolismo ósseo e mineral exigem quelantes de fósforo ou preparações de vitamina D • • • • Potássio sérico maior que 5. encaminhamento para outros especialistas adequados (por exemplo.69 ]. Baseado em parte. Como os pacientes com DRC correm o risco de um conjunto diversificado de eventos adversos (e não apenas insuficiência renal). as recomendações para terapia específica. as diretrizes atuais [ 62.68. GFR. os cardiologistas para aqueles com complexo DCV) também devem ser considerados. Tópico 16406 Versão 2.que os pacientes que são encaminhados para nefrologia tarde são menos propensos a iniciar a diálise com uma fístula funcionamento [ 63.63 ]. além de encaminhamento de todos os pacientes que têm uma eGFR inferior a 30 mL / min por 1.0 .Sugestões para o tratamento e acompanhamento dos pacientes que são diagnosticados com doença renal crônica varia de acordo com o estágio da DRC baseado em causa.

GRAPHICS .

Modelo conceitual para a doença renal crônica .

.

albuminúria e doença cardiovascular. Círculos verdes representam estágios da DRC. As setas horizontais apontando da esquerda para a direita enfatizam a natureza progressiva da DRC. Am J Kidney Dis 2009. Ilustração usada com a permissão da Elsevier Inc. Conceptual da DRC: aplicações e implicações.Este diagrama apresenta o continuum de progressão. Coresh modelo J. independentemente da causa (doença subjacente e patologia). . "CKD" é definida como a presença de um dano renal ou função renal diminuída por três meses ou mais. círculos do aqua representam potenciais antecedentes da DRC. incluindo complicações da TFG diminuída.Figura original modificada para esta publicação. De: Levey AS. os círculos representam lavanda conseqüências da DRC. Complicações podem também surgir a partir de efeitos adversos de intervenções para prevenir ou tratar a doença. desenvolvimento e complicações da doença renal crônica (DRC) e estratégias para melhorar os resultados. Stevens LA. 53: S4. progressão e remissão de DRC. e setas espessas entre os círculos representam o desenvolvimento. Setas tracejadas apontando da direita para a esquerda significa que a remissão é menos freqüente do que a progressão. Todos os direitos reservados. "Complicações" refere-se a todas as complicações da DRC.

drogas. Porque é baseado em doença subjacente e patologia. Além disso a anormalidades patológicas observadas em rins nativos.Definição e critérios para a doença renal crônica Definição Doença renal crónica é definida com base na presença de ambos os danos nos rins ou função renal diminuída para três ou mais meses. vasculite. Critérios Duração ≥ 3 meses.73 m 2 TFG é o melhor índice geral da função renal na saúde e na doença. doença de Fabry) Albuminúria como um marcador de danos nos rins (permeabilidade glomerular aumentaram. como definido por anomalias estruturais ou anormalidades funcionais que não diminuiu GFR Anormalidades patológicas (exemplos). microangiopatia trombótica) Tubulointersticiais doenças (infecções do trato urinário.73 m 2 é definido como insuficiência renal Diminuiu GFR pode ser detectada por correntes equações de estimativa de GFR. neoplasia) Doenças vasculares (aterosclerose. Marcadores de lesão renal podem refletir patologia. toxicidade de drogas) Doença cística (doença do rim policístico) História de transplante renal. • • • O TFG normal em adultos jovens é de aproximadamente 125 m ml/min/1. hipertensão. com base em creatinina sérica (estimado GFR) mas não por creatinina sérica sozinho Diminuição da TFG estimada pode ser confirmado pela taxa de filtração glomerular medido Danos nos rins. a razão de albumina na urina-a-creatinina . • • A avaliação clínica pode. independentemente da causa. doenças auto-imunes. comuns anormalidades patológicas incluem o seguinte: • • • • • Nefropatia crônica do enxerto (não-específicos achados de atrofia tubular. vascular e esclerose glomerular) Rejeição A toxicidade dos medicamentos (inibidores da calcineurina) BK nefropatia vírus Doença recorrente (doença glomerular. fibrose intersticial. com base na documentação ou inferência Comentar Duração é necessário distinguir crônica de doenças renais agudas. oxalose. TFG <15 ml/min/1. muitas vezes sugerem duração Documentação de duração normalmente não está disponível em estudos epidemiológicos Taxa de filtração glomerular (TFG) <60 ml/min/1. infecções sistêmicas. • • • • Doenças glomerulares (diabetes. obstruções. pedras. isquemia.73 2 .

Urina ACR> 2200 mg / g é acompanhada de sinais e sintomas da síndrome nefrótica (baixo soro edema. * • O normal de urina ACR em adultos jovens é de <10 mg / g. Valor de limiar corresponde aproximadamente aos valores de urina vareta de rastreio ou 1 +. ou refluxo vesicoureteral Massas renais ou rins aumentados devido a doenças infiltrativas Estenose da artéria renal Rins pequenos e ecogênico (comum em estágios posteriores da doença renal crônica devido a muitas doenças do parênquima) . albumina e colesterol sérico elevado). dependendo da concentração de urina Alta urina ACR pode ser confirmada por excreção urinária de albumina em uma recolha de urina cronometrada • • Anormalidades urinárias sedimentos como marcadores de dano renal. respectivamente. tomografia computadorizada e ressonância magnética com ou sem contraste. • • • • RBC lança na glomerulonefrite proliferativa WBC lança na pielonefrite ou nefrite intersticial Oval corpos gordos ou moldes graxos em doenças com proteinúria Cilindros granulares e células epiteliais tubulares renais em muitas doenças parenquimatosas (não específica) Anormalidades de imagem como marcadores de lesão renal (ultrasom. • • • • • • Rins policísticos Hidronefrose devido à obstrução Cortical cicatrizes devido a infartos pielonefrite.[ACR]> 30 mg / g). angiografia). alto e muito alto". 30-300 e> 300 mg são chamados de "alta normal. Urina ACR categorias 10-29. exames de isótopos.

113 mg / mmol. DOI: 10. A doença renal crônica. Lancet 2011. Tabela usada com a permissão da Elsevier Inc. .0 mg / g = 0.1016/S01406736 (11) 60178-5. Coresh J.* Relação albumina-à-creatinina (ACR) fator de conversão 1. Todos os direitos reservados. Reproduzido de: Levey A.

Categorias de albuminúria e proteinúria Normal para normal de alta AER (mg / dia) PER (mg / dia) ACR (mg / g) PCR (mg / g) Vareta de proteína <30 <150 <30 <150 Negativo para rastrear Alto 30-300 150-500 30-300 150-500 Traçar a 1 + Muito alta > 300 > 500 > 300 > 500 >1+ .

e semi-quantitativos varetas de nível em amostras spot de urina. Albuminúria e proteinúria pode ser medida usando taxas de excreção em coleções temporizados de urina. proteínas de baixo peso molecular e proteínas séricas. a razão de concentrações a concentração de creatinina em amostras spot de urina. Relações entre os métodos de medição dentro de uma categoria não são exatas. derivados de túbulos renais e do tracto urinário inferior. .Urina normal contém pequenas quantidades de albumina.

Urina taxa de excreção de albumina de 30 a 300 e> 300 mg / dia correspondem a alta (anteriormente "microalbuminúria") e muito alta (anteriormente "macroalbuminúria"). respectivamente. . Taxas de albumina na urina e excreção de proteína> 2200 mg / dia e> 3500 mg / dia são geralmente acompanhadas de sinais e sintomas de síndrome nefrótica (hipercolesterolemia hipoalbuminemia e edema).normais taxas de excreção de albumina e proteína são <10 mg / dia e <50 mg / dia. Em doenças maioria dos rins. albumina é a proteína predominante de urina. que compreende cerca de 60 a 90 por cento de proteínas na urina quando a taxa de excreção de proteínas é muito elevado. respectivamente.

mas AER e PER pode ser medida como um teste de confirmação. ACR <10 mg / g (<1. ACR e PCR são suficientes. A excreção de creatinina varia com a idade." . sexo. ACR 10-29 mg / g (1. raça e dieta. Em geral.3 mg / mmol) é considerado "normal alta. portanto a relação entre essas categorias é aproximado só.0 g / dia.1 mg / mmol) é considerado normal. para tomada de decisão clínica.albuminúria e proteinúria pode ser avaliado a partir de ACR e PCR. ACR e PCR são mais determinadas por medição repetida na primeira urina da manhã anulada. As relações entre AER e ACR e entre PER e PCR são baseados no pressuposto de que a taxa de excreção média de creatinina é de 1.1 a 3.

um "traço" resultado pode corresponder a "high-normal" categoria ou faixa de baixo da categoria "alta". Em particular. PCR: proteína / creatinina. PER: taxa de excreção de proteína. Para ACR e PCR. 76 (Suppl 113): S1. Kidney Int 2009. ou PER. para converter de mg / g de creatinina em mg / mmol de creatinina.mineral óssea e desordem (CKD-MBD). avaliação. tratamento e da doença renal crônica . AER. PCR. multiplicar por 0. KDIGO diretriz de prática clínica para o diagnóstico. ACR: albumina / creatinina. AER: taxa de excreção de albumina. prevenção. Testes rápidos positivos podem ser confirmados por ACR.113. . A relação entre os resultados de urina vareta e outras medidas depende da concentração de urina. Com base em dados atualizados de: Doença Renal: melhorar os resultados globais (KDIGO) CKD-MBD Grupo de Trabalho.Proteinúria pode ser avaliada a partir de sondas semi-quantitativos de urina.

Riscos relativos de maiores complicações da DRC de categórica meta-análise .

.

quer na urina ACR ou vareta.0 também são verdes. As estimativas de ponto para cada célula foram classificados de 1 a 28 (o menor RR tendo um número de classificação. eo maior número 28).98 por lesão renal aguda (IRA). Risco absoluto pode ser calculado multiplicando os riscos relativos em cada célula pela taxa de incidência na célula de referência. et ai. (. A mortalidade é relatada para as coortes da população em geral avaliando albuminúria como urina ACR. . e os números de classificação 22 a 28 são de cor vermelha.02 para a progressão da doença renal.). de Jong PE.5 para mortalidade por doença cardiovascular. Cada célula representa um risco relativo de uma meta-análise. os números Ranking de 15 a 21 são de cor laranja. Copyright © 2010. Para que o resultado da progressão da doença renal. os números Rank 9 a 14 são amarelos. duas células com RR de 1. 80:17. 0. Todos os resultados são ajustados para covariáveis e comparada com a célula de referência (Ref. Vareta * incluído (-. Coresh J.Resumo das categórica meta-análise (risco relativo ajustado [RR]) para coortes população em geral com albumina-à-creatinina (ACR).05. A definição. prognóstico e de doença renal crônica: a KDIGO relatório da Conferência Controvérsias. números em negrito indicam significância estatística em p <0. ≥ + +) Reproduzido com permissão de Macmillan Publishers Ltd: Levey AS. classificação. Kidney Int 2010. As categorias com números de classificação de 1 a 8 são verdes.04 para a insuficiência renal. As taxas de incidência por 1000 pessoas-ano para as células de referência são 7. ±. de 4.0 para todas as causas de mortalidade. Resultados renais são relatados para as coortes da população em geral avaliando albuminúria. e 2. deixando poucas células. como laranja) . +. Taxa de filtração glomerular estimada (EGFR) e albuminúria são expressos como variáveis categóricas. 0. Cores refletem o ranking de risco relativo ajustado.

Os riscos relativos de complicações graves de doença renal crônica contínua de meta-análise .

.

Círculos sólidos indicam significância estatística em comparação com o ponto de referência (p <0. Cada ponto representa o risco relativo de uma metaanálise.05). Taxa de filtração glomerular (EGFR) está expressa como uma variável contínua. o valor limite do EGFR para a actual definição de doença renal crônica (DRC). Todos os resultados são ajustados para covariáveis e comparado com o ponto de referência do EGFR de 95 mL / min por 1. Copyright © 2010. et ai. Resultados renais são relatados para as coortes da população em geral avaliando albuminúria. odds ratio Reproduzido com permissão de Macmillan Publishers Ltd: Levey AS . As três linhas representam urina ACR de <30 mg / g ou vareta negativo e trace (azul). de Jong PE. triângulos indicam não significância. 80:17.73 m 2 e ACR de <30 mg / g ou vareta negativo (diamante).73 m 2 . A definição. urina ACR 30-299 mg / g ou vareta 1 + positivo (verde). quer na urina ACR ou vareta. classificação.Resumo das contínua meta-análise (risco relativo ajustado (RR)) para coortes população em geral com albumina-à-creatinina (ACR). e na urina ACR> 300 mg / g ou vareta> 2 + positivo (vermelho). prognóstico e de doença renal crônica: a KDIGO relatório da Conferência Controvérsias. A mortalidade é relatada para as coortes da população em geral avaliando albuminúria como urina ACR. OR:. As setas vermelhas indicam eGFR de 60 mL / min por 1. Coresh J. . HR: razão de risco. Kidney Int 2010.

Os valores normais para a TFG em homens e mulheres .

.

Ilustração usada com a permissão da Elsevier Inc. New York 1969. Fisiologia do rim humano. As linhas contínuas representam o valor médio de GFR por década de idade.Reproduzido de: Wesson L.73 m 2 é o limite para a definição de doença renal crônica. . A TFG <60 ml/min/1.Os valores normais para a depuração de inulina são mostrados para os homens (painel A) e mulheres (painel B) de várias idades. com a GFR medida como a distância de urinária de inulina. Todos os direitos reservados. e as linhas tracejadas representam o valor 1 DP a partir do valor médio de GFR por década de idade. Grune & Stratton.

73 m2) > 90 60-89 45-59 30-44 15-29 <15 Normal ou elevada Ligeiramente diminuiu Condições Leve a moderadamente diminuída Moderada a grave diminuiu Gravemente reduzida Insuficiência renal (adicione D se tratados por diálise) Estágios albuminúria A1 <30 AER (mg / d) Condições Normal para normal alta (pode ser subdividido para predição de risco) Alto Muito elevada (pode ser subdividido em nefrótico e nãonefrótica para o diagnóstico diferencial de predição de gestão e de risco.Revisado classificação baseada em CKD TFG e albuminúria Estágios TFG G1 G2 G3a G3b G4 G5 TFG (ml/min/1.) A2 A3 30-300 > 300 .

estratificação e.A causa da DRC também está incluído na classificação KDIGO revisto. Am J Kidney Dis 2002. classificação. Dados de: National Kidney Foundation. K / DOQI diretrizes de prática clínica para doença renal crônica: avaliação. . 39 (2 Suppl 1): S1. mas não está incluído nesta tabela.

sexo masculino. radiográficos ++ + ++ + ++ + +++ Complicações Toxicidade de drogas ++ + ++ + ++ + + A exposição a drogas. fragilidade) ++ ++ ++ . albuminúria. doença do fígado Metabólica / endócrina + + DCV e mortalidade +++ ++ História idade. das doenças cardiovasculares. cognitivo.Relação do TFG. comorbidades Outros (impairment infecção. exposição à droga contraste. idade mais jovem Idade. raça negra. fatores de risco para DCV Idade. ea causa da doença renal com resultados futuros Medidas nos rins TFG Albuminúria Causar Resultados Resultados nos rins Aumento da albuminúria Progressão da DRC (TFG declínio crónica) A lesão renal aguda (declínio agudo da TFG) Insuficiência renal + + Outras medidas +++ +++ +++ +++ HBP HBP.

doença cardiovascular Cortesia de Andrew S Levey. MD. . DRC: doença renal crônica. CVD:.+ Indica a intensidade de associação das medidas renais para os resultados atuais e futuros. HAS: pressão arterial elevada. TFG: taxa de filtração glomerular.

Estadiamento de pacientes que se enquadram na definição de DRC .

.

73 m 2 e albuminúria <2000 mg / g). Cor de 12 células adicionais com diagonais marcas de hash é extrapolado com base nos resultados de uma meta-análise de coortes de DRC. vermelho: CKD.216-E964909E0D-3. lesão renal aguda.14] Opções de impressão Texto Referências Gráficos .com-187. classificação.4 . Os postos foram divididos em cinco resultados (mortalidade por qualquer causa. laranja: risco. A albuminúria é expresso como albumina-à-creatinina (ACR. morte cardiovascular. Inc. fator de conversão 1. significa números Rank 9 a 14 são amarelos. DRC muito alta).176. © 2012 UpToDate.4 Licensed to: Unimed Vitória | Suporte Tag: [ecapp1003p. Reproduzido com permissão de: Macmillan Publishers Ltd: Levey AS. Coresh J. DRC alta. Rótulos de colunas e linhas são combinados para ser consistente com o número de estágios da TFG e albuminúria acordado na Conferência de Controvérsias KDIGO em 2009.C20. insuficiência renal [estágio final da doença renal]. 80:17. DRC alta.Composite classificação para os riscos relativos de TFG e albuminúria em pacientes que se enquadram na definição de DRC. CKD moderado. amarelo: risco. prognóstico e de doença renal crônica: a KDIGO relatório da Conferência Controvérsias. de Jong PE.utd.184.64. CKD moderado. Cores refletem o ranking de risco relativo ajustado entre os indivíduos que têm uma causa semelhante de CKD (verde: baixo risco. Kidney Int 2010. muito de alto risco. vermelho: risco. A definição. O maior nível de albuminúria corresponde à faixa nefrótica albuminúria (aproximadamente> 2000 mg / g). et al. com média de números de classificação 15 a 21 são de cor laranja e média de classificação números 22 a 28 são vermelhos.113 mg / mmol). Verde: não DRC. Copyright © 2010. | Contrato de Subscrição e Licença | Lançamento: 20. amarelo: risco. As categorias com números médios de classificação de 1 a 8 são verde. ea progressão da doença renal) a partir de uma metaanálise de coortes de populações gerais e foram em média em cada uma 28 TFG e categorias albuminúria (TFG> 15 ml/min/1. laranja: risco. Todos os direitos reservados.0 mg / g = 0.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful