P. 1
Resenha crítica do filme Piratas do Vale do Silício

Resenha crítica do filme Piratas do Vale do Silício

|Views: 6.094|Likes:
Publicado porMaria Lopes
Ética Profissional
Ética Profissional

More info:

Published by: Maria Lopes on Jan 09, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/18/2013

pdf

text

original

ÉTICA PROFISSIONAL

Nome: Maria Leonilda Lopes Goularte Turno: Noite Turma: 25 Nota: RESENHA CRÍTICA DO FILME PIRATAS DO VALE DO SILÍCIO Ambição e ética são „grandezas‟ indiretamente proporcionais e isso é demonstrado claramente no filme, quando Steve Jobs e Bill Gates movidos pela ambição de ultrapassarem todas as empresas de informática para alcançarem os próprios objetivos e obterem o status de primeiro lugar,violam a própria moral que visa o bem comum a todos. Criados por culturas diferentes, enquanto Bill Gates é de uma classe bem melhor que a do Steve, aquele possuiu uma família estruturada, foi bem educado, criado em um padrão consumista dos EUA, sem se importar muito com o próprio bem estar-físico. Já Steve foi adotado e percebe-se que por pessoas ao estilo hippie, ele possuía um lado mais zen, mais cuidadoso consigo mesmo, com ideais diferentes da „cultura morta‟ como ele mesmo se referia ao padrão dos EUA. Criado numa cultura em que fumar maconha dentro de casa era normal, enquanto no Brasil isso é ilegal. Steve com o seu jeito de querer mudar o mundo assustava ao padrão muito centralizado das grandes empresas estadunidenses. Como está representado no filme, os banqueiros eram preconceituosos em relação a ele, pelo modo em que se vestia, não autorizando empréstimos para que ele pudesse investir no seus projetos. E também quando o amigo dele foi apresentar o computador aos negociantes e eles recusaram crendo que as pessoas comuns jamais iriam utilizar a ideia. Havia muito preconceito das grandes empresas em relação aos pequenos criadores. Depois de todas as tentativas em vão o que restava era se não, fazer o que eles julgavam provável para alcançar o sonho de serem grandes. É aí que eles não mediram esforços em mentirem, roubarem e violarem todos os seus princípios morais. Nota-se o individualismo de Steve quando pensando somente no foco de ter status ele ignora a namorada grávida, justamente quem mais o apoiou durante o início da carreira, deixando a filha sem um pai para ajudar na criação. Também, quando ele humilha os seus colegas de trabalho na sua empresa, como se fosse superior a eles, assim tendo uma conduta profissional totalmente inadequada para o ambiente de trabalho. O pior de tudo são as 52hs seguidas em que um dos seus trabalhadores passou em uma atividade com o fim de alcançar a tão esperada perfeição que o Steve exigia

deles. Era como se não tivesse uma lei como a do Brasil que são 8hs diárias para trabalhadores assalariados. As pessoas sofriam por causa da falta de ética não imposta pelo Steve dentro da sua empresa, apenas pela ganância de querer ser o melhor. E ele não se deu por satisfeito, quando foi pedir à empresa Xerox para que mostrasse as ideias deles, pirateando assim o software da Xerox e introduzindo-o na Apple, a própria empresa, sem visar à perda de lucros da outra empresa. Como reação a tanta necessidade de afirmação de Steve, um dos seus empregados tentou agredi-lo tendo uma atitude moralmente reprovável, ao invés de tentar uma conversa em paz com o Steve. Se é que ele permitiria esse diálogo, já que sempre aumentava seu tom de voz para criticar o trabalho alheio, sem dar a chance de eles se explicarem. Bill Gates é o rei do oportunismo, está de “parabéns” nessa área. Esse sim possuía nenhum senso de moral mesmo, ele não media esforços em roubar o que era dos outros para alcançar seus méritos. No filme mostra claramente suas farsas, mentiras e estratégias para alcançar o sucesso. Ele ter ido à IBM vender um software que ele nem possuía em mãos ainda, foi muito sem caráter.Para complementar sua estratégia oportunista, ele enviou o amigo para comprar o software MS DOS de um criador anônimo do filme, pagando uma „balela‟ para o cara com o fim de obter lucros altíssimos depois em cima do software. Não se dando por satisfeito, ele não resistiu ao sucesso da Apple e por cobiça se infiltrou lá dentro na tentativa de roubar as ideias do Steve e na base da confiança, este fez a sociedade com o Bill e tudo isso por quê? Steve queria superar a IBM, tudo pela necessidade dele de sempre querer ser o melhor. Além do mais, Bill era totalmente indisciplinado, cometendo condutas ilegais como andar em excesso de velocidade, se apropriar de bens não pertencentes a ele, como aqueles tratores e inclusive bater no carro do amigo. Para mim, o Bill era um mimado tentando provar que mesmo ele fazendo tudo de errado, ele jamais seria punido. Mas também, fez tudo isso e no fim se tornou o cara mais rico do mundo. No término do filme ele traiu o Steve, revelando todas as falcatruas que fez para alcançar tamanha proeza. E inclusive, ele revelou os podres que o Steve também havia cometido. É verdade o Bill foi o mais esperto, ele já sabia de toda a verdade e tinha se antecipado ao roubo da Xerox, deixando Steve de “calças nas mãos”. Portanto, percebe-se que as atitudes dos dois personagens principais foram totalmente antiéticas, tanto que prejudicaram um ao outro e a todos que compactuavam com eles. Alcançaram o tão almejado reconhecimento e fortuna, já os seus funcionários pagaram o preço por tamanha falta de moral. No entanto, no fim do filme ficaram todos juntos e agora a Microsoft faz parte da Apple. Apesar de toda a falta de moral e ética dos personagens, tudo se resume a: “O sujo falando do mal lavado”. Não podemos dizer que nenhum deles está certo e que nenhum está livre de julgamentos, apenas pensar a respeito: “Aquilo que você planta, também colherá”.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->