;;



montricót
G-NOVO GUIA DAS TRICOTEIRAS
VOCABULÁRIO COM AS EXPLICAÇÕES
PARA CADA PONTO
ANTES DE TRICOTAR
Vocês devem estar familiarizadas com tudo que irio precisar : material e -
fios. Vocês devem entender o vocabul6rio técnico e aprender a faze, uma
amostra para evitar erros nas proporções e decepções quanto ii aparência
do ponto escolhido e também ler a explicação de.se ponto.
o MATERIAL DA TRICOTEIRA
1) o estojo para agulhas.
21 Pares de agulhas com diAmetros variados.
3) Agulhas de 2 pontas em Jogos de 5.
41 ! Agulhas circulares.
5) A agulha au)(iliar.
6) Alfinete dh segurança auxiHar.
7) O porta-novelo.
8) Os carretéis para o jacquard.
9) Um metro de costura.
10) Uma slIcola para transportar ou guardar o tra·
balho.
OS FIOS
Existe um grande número de variedade de fi os
que diferem pela aparência, espessura e. princi-
palmente. pela origem das fibras que entram na
sua composiçio: naturai s ou sint6licas.

O VOCABULARIO
AGUlHAS DE TRtcO - Sio os acessórios indis·
pensáveis para a execução de um trabalho tricota·
do. Podem ser compridas, curtas e de diimetros
diversos, desde as bem f inas at6 as agulhas bem
grossas ou giganles para trabalhos ultra-rápidos.
As agulhas de tricO têm uma ponta numa das ex-
tremidades para manipular os pontos com mais
f.cilid.de; • Oulra extremidade 6 terminada por
um. bola que impede os pontos de cairem e so-
bre a qual o dilmetro da agulha 6 geralmente in·
dic.do. A agulha direita permanece na mio direi ·
ta e a agulha esquerda na mio esquerda.
AGULHA AUXILIAR - É uma .gulha curta com
duas pontas, na qual são colocados os pontos à
espera para fazer çordas. tranças e pontos cruza-
dos.
AGULHAS DE DUAS PONTAS - São vendidas
em jogos de 5 agulhas e do usadas para tricotar
em clrculoldecotes, meias, luva8, el c ... ).
ACRESCENTAR UM PONTO - Acrescentar um
ponto 6 fazer um aumento. Mas o t ermo " acres-
centa," II usado principalmente quando o aumen-
to , formado de muitos pontos e é feito de uma
VI;-, quandO estes pontos novos slo intercalados
4 enll!!! duas frentes do trabalho (decote das cos-
tal), ou quando sio colocados no fim da agulha
(mangas quimono). Ver aumentos, pigin. 8.
ALONGAR UM PONTO - Ver pagina 6.
ALTERNADAMENTE - Esse termo 6 usado quan-
do uma operação deve ser feita ora dum. manei·
ra. ora de outra. Por exemplo: diminui r alternada·
mente, cada 4 e 6 carreiras.
ASTERISCO - Ver pigina 8.
à ESPERA - Ver pigina 8.
AUMENTO - Ver página 8.
FIO - Ver página 11 .
CRUZAR - Os pontos slo cruzados quando dese·
j a-se obter un:t efeito mail decorativo. Ver pigina
".
ATRÁS DO TRABALHO - É o avesso do trabalho.
A 2'. carreira e todas as pares dos diferentes pon-
tos ficam habitualmente no avesso do tr.balho.
fRENTE DO TRABALHO - É o direito do traba·
lho. A 1'. carreira e tod.s .s Impares dos diferen·
tes pontol ficam habitualmente no direito do tra-
b.lho, elÇ1to indicação contrária.
OIMINU Q - Ver pigina 12.
DIREITA - É a parte do trabalho que fica i direita
d. tricotelra, qu.ndo o trabalho II col oc.do frente
a ela, com o direito para cima.
AMOSTRA - Ver pigina '4.
DIREITO DO TRABALHO - Ver frente do traba·
lho.
JUNTOS - Às vezes , necessário tricotar vários
pontol ao mesmo tempo (juntos) para obter diml·
nulções. ou pontos fantasia.
AVESSO DO TRABALHO - Ver atrás do trabalho.
Alf1NETE AUXIlIAR - É um grande alfInete de
seguranç., no qu.1 os pont"s ã espe-
r., quando as diferentes p.rtes do tr.balho de·
vem ser executadas, uma após a outra.
AO PUXADO- Ver pigina 15.
ESQUERDA - É a parte do trabalho que fica ã es-
querd. da tricoteira, quando o trab.lho á coloca-
do na frente dela, com o direito para cima.
TlRAR UM PONTO SEM fAZER - Ver pigina 15.
GRAFTlNQ - Ver página 16.
LAÇADA - Ver página' 6.
JUNcÃo DE DOIS AOS - Ver página 18.
SOLtAR UM PONTO - Ver pigina 23.
BORDA - Ver página 19.
PONTO- Ver página 21 .
MONTAGEM DOS PONTOS - Ver página 24. ,
MONTAR PONTOS - Ver página 27 e 29.
BAINHA - Ver página 27
REMATAR - Ver página 30.

,


,-
CARREIRA - Ver página 30.
REMAlHAR - Ver página 23 e 30.
LEVANTAR PONTOS - Ver página 30.
PONTO PERDIDO - Página 23.
VOLTAR EM • - Voltar em • significa que preci -
sa recomeçar 8 operação a partir do asterisco.
REPETlR DE .. A" - Repetir de· a . , geralmente
seguido pel o numero de vezes, significa que pre-
cisa recomeçar a trabalhar seguindo as indica-
ções delimitadas pelos asteriscos, e isso o núme-
ro de veles indicado em seguida.
VOLTAR OU VIRAR O TRABALHO - Para voltar.
vira-se o trabalho e tricota-se no avesso, depois
de ter tricotado no direito ou inversamente, no di -
reito, depois de ter tricotado no avesso.
MATE (SIMPLES OU DUPLO) - Ver página 32.
TERMINAÇAO - Ver página 32.
VOLTA - Ver página 33.
TORCIDO - Ver página 33.
TRtcO EM CiRCULO - Ver página 33.
TRtcO PLANO - Ver página 33.
COMO LER AS INDICAÇOES
Sempre acrescentar ao número de pontos indica·
dos para a montagem, 1, 2 ou 3 pontos em cada
extremidade da agulha, para as bordas.
Em tricô, uma carreira indica o número de pontos
que ficam sobre uma mesma agulha. A volta no
avesso dõ trabalho, feita sobre uma segunda agu·
lha, representa uma segunda carreira. No caso do
tricô circular, com três ou quatro agulhas, a carrei·
ra é formada por uma volta completa. A carreira
de montagem não conta como carreira.
A 1'. carreira (indicada como 1', carr.1 é, conse-
qüentemente, aquela Rue é tricotada sobre a car-
reira de montagem. É lexceto indicações contrá-
rias) a primeira no direito do trabalho. Todas as
carrei ras Impares indicam o direito do trabalho e
todas as pares indicam o avesso. Nunca mencio,
namos os pontos de borda.
O número de pontos incluído entre dois asteris·
cos l -I deve ser repetido quantas vezes for neces·
sário para conseguir um certo tamanho. Ou seja,
precisa montar um múltiplo desse número, mai s
os pontos de borda.
1.- exemplo: - m.; 3 1. - , significa: montar um
múltiplo de 6 (vamos dizer 66 pontos), mais 1 p.
de borda no inIcio e 1 no fim, ou seja: 68 + 2
,.. 68 p. Na execuçáo de certos pontos, somos
obrigados a acrescentar alguns pontos ao conjun-
to para a simetria geral dos motivos.
Assim, os ponlOS indicados antes ou depois do si·
nal - , e necessários por razões decorat ivas, são
acrescentados ao lotai formado pelo múltipl o do
número delimitado pelos asteriscos.
2.- .. emplo: losangos pespontados. ,.. carr.: 4
m,; - 11. ; 7 m. - ; 1 1. ; 4 m. significam que é preci-
so montar um múltiplo de 8 (1 + 7), mais 9 pon·
tos (4 + 1 + 4) sem contar os pontos de borda.
Esta explicação é também válida por uma razão
técnica, notadamente no caso das laçadas (que
n60 são contadas no cálculo de pontos a serem
montados),
3.- exemplo: - 4 m.; 2 p. jUnlos; 1 laç. - ; 4 m, sig-
nifica: montar um múlliplo de 6 (4 + 21. mais 4 p.
no fim, O sinel de repetiçjo suplement.r .. é usa-
do cada vez que um grupo idêntico de pontos, dis·
postos do mesmo modo, deve ser repetido várias
vezes durante a carreira, entre •• explicaçõe. en-
tre os 2 •• te,lsco.,
4.- exemplo: • 5 m.; 1 laç.; 00 1 m; 2 p. juntos em
tricô; 1 1. 00 (2 v.1, etc ...
A AMOSTRA
A amostra é muito importante, com efeito permi .
te:
• Verificar se sua maneira de tricotar é igual ii da
amostra, geralmenle forroecida no início de uma
receita de tricô.
• De comparar, corrigir, seguir sem problemas a
receita e de executar com sucesso o modelo no
tamanho esr:olhido.
• Permite também modificar as expl icações exis·
tentes ou estabelecer, vocês mesmas, explica-
ções para um modelo desprovido de receita, tra-
balhando a partir de uma amostra e de um mal·
do,
• Fazer uma amostra de pelo menos 10 cm x 10
cm, no ponto principal indicado e com as agulhas
usadas para a execução do trabalho.
• Tricotar sem puxar o fi o, segurando·o com leve-
za, mas também sem afrouxar demais.
• Se a amostra for menor Que a fornecida na re-
ceita, isso demonstra que vocês tricotam aperta-
do. Fazer uma outra amostra, usando agUlhas
mais grossas.
• Se a amostra for maior que a da receita, isso
prova que vocês tricotam frouxo. Fazer uma ou-
t'a amostra, usando agulhas mais finas.
PONTOS DE BASE
Ponto mele
Dir e ito em meia,
avesso em tric6.
Ponto tricô
Tricotar todu II
c.,r. em meia.
B.rr. 111
1.' can.: ' meia, tri-
c6 ' Repeti r de '
até " Z.' Cln.: tri-
CO!., acompanhan-
do o p . Rep e ti r
lempre essas 2
carro
1.' carr.: ' 2 mela,
2 tric6 ' . Repetir
de • até , ' . 2.'
eur .; tricotar
liconl pa nhando· o
p. Repeti r sempre
essas 2 car, .
ABREVIAÇÕES
lum. aumenlar ou
aumentadOI: V. ve-
ns : Ilç. laçada ;
dim. diminu ição;
novo novelos; ali .
agulha: carro carrel·
ra ; m. meia; 1. tri o
c6; p. ponto; rem.
remltar ou remala·
dOI; 1ric. tr icotar
ou tricotados ;
corr. correnlinha;
em ceotfmetro:
'UI\:. aUlCili'r. Ó
,
;
VOCABULARIO
CARREIRA
O que chamamos de " carreira representa OS pontos reunidos numa só agulha. No tr icO circular. a carreira
é chamada de " volta",
ALONGAR
Alongar um ponto é enrolar o fio várias veles em valia da agulha direita. antes de introduzi -Ia no ponto que
vai ser tricotado. Na carreira seguinte. o comprimento duplo ou triplo do fio enrolado alongará o pontO na
mesma proporção.
ÂNGULO TRICOTADO NO MESMO
SENTIDO
Neste canlo em ponto tricO (ou em qualquer outrO pon-
la diferente daquele usado para o fundol. limita- se a cal -
cular (com uma amostra, se for necessário) a altura da
tira horizontal que deve ser idêntica â largura da tira ver -
tical. Em ponto tricO. isso é obtido nicotando para a tira
vertical um número de pontos igual ao numero de bar-
ras da lira horizontal.
ÂNGULO COM DIAGONAL EM PON-
TO TRICO
Nos 5 pontos, cujo ponto do meio forma o início do
canto. tricotar no direito do trabalho: 2 p. juntoS, 1 m ..
2 p. juntos, pegando os p. por três. No avesso. sendo
Que todos os p. s ~ o !rico em meia para formar o POnto
tricO. tric. o p. do meio em tricO.
ÂNGULO COM DIAGONAL FURADI -
NHA
NoS 5 pontos cujo p. do meio forma o inicio do canto.
tric. no direiTO do trabalho: 2 p. juntos, 1 laç .. 1 m .. 1
la"., 2 p. Juntos, pegando-os por tr6s. No avesso, sendo
Que todos os p. são tric. em meia para formar o ponto
tricO, tric. os 5 p. do seguinte modo: 2 p. juntos em
meia (1 p. e 1 lac.), 1 1.. 2 p. juntos em meia.
ÂNGULO PARTINDO DA PARTE IN-
TERNA
Este canto é tricotado ce dentro para fora e pode ser
começado levantando os p. das bordas (ver pêg. 311.
O canto é obtido fazendo um aumento i nvi slval de cada
lado de 1 p. , formando costur a. Se. por e. emplo. temos
11 p. cujo p. do meio ficaré no canto. tric. ao seguinte
modo: 1." carr. : 4 m .. 1 m. introduzindo a ag. na parte
superior do ponto seguinte da carro anterior, 3 m., 1 m.
introduzindo a ag. no p. Que fica abaixo do ultimo destes
3 p .. 4 m. 2." carr.: 5 m .. 1 m. introduzindo a ag. na
parte superior do p. seguinte da carro anterior. 3 m., 1
m. introduzindo a ag. no p. Que fica abai. o do ultimo
destes 3 p .. 5 m. Continuar deste modo até conseguir
a lêH'gura desejada e rematar .
DOTRICÔ
ÂNGULO FURAOINHO
OA PARTE INTERNA
PARTINOO
E&te canto ~ começado de dentro, ist o t , partindo dum
quadrado ou dum f811ngulo la executado. ~ obtido fa-
zendo um aumento intercalado de cada lado de 1 p.
Usando o mesmo exemplo dos 11 p. cujo p. do meio
ser' o eixo do canto. tric. do seguinte modo: 1,- carr.:
5 m .. 1 Bum. tricotando em meia. o fio entre 2 p., 1
m., 1 Bum., 5 m. 2,- carr.: em tric6. 3,- carr,: 6 m ..
1 Bum., 1 m., 1 .um., 6 m. Continuar deste modo até
obter a largura desejada a rematar.
ÂNGULO VIRAOO
Este canto é trabalhado na largura do remale. por exem-
pl o. em 12 p. O con torno é feito do seguinte modo: 1.·
carr.: 12 m. 2 ,- carr. : 11 t " deixar 1 p. a espera. virar.
3,- carr.: deixar o fio atrh do Ir,balho. t irar 1 p. sem
fazer em 1. (fig. B), 10 m. 4 .· carr. : 10 t ., deixar Outro
p. ti espera. Conllnuar deixando 1 p . • mais à espera,
em cada carr, par e lir ando sem fazer o 1.
8
p. das carro
ímpares atê a 21 .- carro (lemos l a p. Ii espera na ag.1.
lirar 1 p. sem fazer em I .. 1 m. 22.- carr . : 1 t .. deil(ar
1 p. à espera. 23.- carr. : 1 m. 24,0 carro: 1 I .. "!ric. jun·
lOS em I. O 1.· p. à espera e o lio eSlicado abail(o do
p. seguinte (fig. Cio virar ". 25.· carr,: tirar 1 p. sem lazer
em t., 1 m, 28.- carr,: 2 I, e recomeçar de " até ". Pegar
em cada carro IriCO. 1 p. a mais na ag. esquerda, alé ob-
ler novamente os 12 p. do inIcio.
ÂNGULO VIRAOO FURAOINHO
Este canlo !fig, AI ê também trabalhado na largura do
Slguinle modo. usando s e ~ p r e o el(emplo de 12 p, 1,-
carr.: 12 m. 2.- carro: 11 t .. • tirar 1 p. sem fazer em
1. . passar o fio atrás do trabalho (fig. Bt retomar o p.
sem fazer na ag. asquerda e deid-Io II espera; virar ".
3,- carr.: colocar o lio novamente atràs, contc' nando
o p. à espera (fig. CI. 11 m, 4,- carr , : la I. e recomoçar
de " até ". Continuar deiundo 1 p. II espera, a mais.
atê a 23,- carro. 1 m. 24,0 carro: 21., virar. 26,- carro:
2 m. 28.- carr. : 3 t" virar, Pegar em cada carro tricO,
1 p. a mais na ag .. até obter nova menta os 12 p, do
inicio, Em seguida continuar em p. meia atê o canto se-
guinte.
8
ASTERISCO
Este sinal convencional em forma de estrela · é usado nas i ndicações pafa delimitar uma parte do tex.to que
deve ser repetida. evitando deste modo alongar inutilmente as receitas.
À ESPERA
OS pontos à espera são aqueles que são dei .. ados numa agul ha sem porque é preciso primeiro
terminar um lado de um decole. ou uma manga. etc. alé retomar o outro lado do decole ou até reunir os
p. do corpo da roupa com os p. da manga. etc.
AUMENTO
Um aumemo lou um ponto suplementar) é um ponto acrescido durante o trabalho. hislem vArias t ipos de
aumentos. Todos os aumentos apresentados aqui são ex.aculados !lU ma caueira Ino direito ou no avesso) e
seguidos por uma carreira simples. tricotada no avesso quando os aumentos foram feitos no direito. É o Que
é designado por " aumentos executados cada duas carreiras", Os aumentos duplos são fe itos seguindo o mesmo
principio Que os simples, mas sio geralmente separados por um ponto Que forma o eixo do aumento duplo.
São usados cada vez Que é necessério ter simetria, como, por exemplo, para as pences, etc.
AUMENTO PEROLAOO SIMPLES
Tricotar um ponto em meia pegando-o como de costu-
me, depois, sem deixá-lo cair da agulha, trazer o fio na
frente do trabalho, tricoté-Io uma segunda vez em tricO
e pOr O fio novamente atrás do trabalho, para prosse-
guir. Este método forma ao mesmo tempo um fur inho
e uma espessura.
Efeito de aumento simples perolado, executado de cada
lado dum trabalho, A simetria é obtida fazendo o aumen-
to num terceiro ponto e partir do inicio da carreira (á
direita). começando a tricotar o ponto em meia e no ter-
cei ro ponto antes do fim desta carrei ra (á esquerda), co-
meçando a tricoté-Io em tricO.
AUMENTO BARRADO SIMPLES
Tricotar um ponto em meia, pegando-o do modo habi -
tuai, depois, sem deixé-Io cai r, tricoté-Io novamente em
meia, :nas pegando-o por trás. O cr uzamento do fio for-
ma uma pequena barra horizontal (dando nome ao mé-
todo). cujo efeito decorativo pode ser usado numa su-
cessão regul ar e simétrica de aumentos,
Efeito de aumento simples barrado, executado de cada
lado de um trabalho. A simetria é obtida fazendo o au-
mento no terceiro ponto a partir do in1cio da carreira
(A direi t a) e no quarto antes do fim desta carreira (A es-
Querde).
AUMENTO LEVANTAOO SIMPLES
levantar com ii agulna direita ii parle Stlperior do pomo
da carreira Que precede aquela que está sendo tricotada.
em forma de V. e no qual se encahlil o ponto da carreira
atual; vicotá-Ia em meia. antes do ponto. e. depois. tri-
cotar este ponto normalmente em meia. Pode-se tam-
bém levantar ii parle superior de um ponto da carreira
anterior. ti esquerda do ponto que acaba de ser tricota-
do, ou depois.
Efeito obtido com um aumento simples levantado. situa-
do de cada lado de um trabalho. A. simetria é conseguida
fazendo o aumento a b a i ~ o do terceiro ponto. ii partir do
inicio da carreira (II direita). antes de tricotá-lo e abaillo
do terceiro ponto. antes do fim desta carreir a (ã eSQuer-
da). depois de tricoll!-lo.
AUMENTO MEOIANO SIMPLES
Nesta quarta fórmula. um ponto é tricotado em meia.
dentro do ponto da carreira anterior. depois um ponto
em meia no ponto normal. Par a tricotar um ponto da
car reira anterior, depois de ter tricotado o ponto normal .
nllo dej,(ar cair o ponto meia da agulha esquerda. antes
de nicotar o pomo inferior.
Efeito de aumento simples mediano. execu t ado de cada
lado de um trabalho. A simetria é conseguida fazendo
o aumento abaixo do tercei ro ponto. a partir do inicio
da carreira (ii direita). depois de tricOlé-lo e abaixo do
terceiro ponto. antes do fim desta carreira (ii esquerda).
antes de tricotar este ponto.
AUMENTO INTERCALAOO SIMPLES
Com a agulha esquerda. levantar o fio horizontal que f i-
ca entre dois pontos. reunindo-os. Depois tricotar um
ponto em meia no fio de trés, o Que cruzarà o fio resul -
tando num ponto torcido. Evita- se deste modo a forma-
çllo de um furinho no lugardo aumento.
Efeito obtido com um aumento simples intercalado si-
tuado de cada lado de um trabalho. A simetria é conse-
guida f azendo o aumento no fio hor izontal Que fica de-
poi s do terceiro ponto, a parti r do inIcio da carreira (ii
direita) e antes do ter ceiro pont o do f im desta carreira
(ii esquerda).
VOCABULÁRIO DO TRICÔ
9
/
10
AUMENTO FURADINHO POR LAÇA-
DAS
Este aumento é usado nas mangas ragUl . no do
beba ou com os pontos rendados. Consisle em umB la-
çada formando um ponto syplementar. tricotado como
tal na carreira seguinte e 01'10 compensado por uma di-
minuiçlo.
Efeito obtido por um aumento furadinho por laçadas. de
cada lado dum uabalho. A simetria é conseguida fazen-
do uma laçada. depois do terceiro ponto a part ir do inI-
cio da carreira (ê direita) e antes do terceiro ponto. do
fim desta cerreira lã esquerda).
AUMENTO PEROLADO DUPLO
Dos Irls pontos do meio, tricotar o primeiro em meia.
depois em tricO; o segundo em meia (eixol e o terceiro
em meia, depois em tricO. Na carreira seguinte. nicotar
Iodai os pontos em tricO. O 8umaMO continua sendo
feito no ponto que precede e no ponto que segue aquele
do meio.
AUMENTO BARRADO DUPLO
O primeiro aumento é feito tricotando em meia o pOntO
que precede o ponto que foi escolhido como eixo do
aumento duplo. depois tricotando novamente eSle pon-
to por trás. Repetir estes aumentos no ponto seguinte.
Na cerreira seguinte. tricotar todos os pontos em tricô
Os aumentos seguintes são sempre e)l.ecutados no pon-
to do eixo e no ponto que precede.
AUMENTO LEVANTADO DUPLO
Tricotar primeiro um ponto meia na parte superior do
ponto da carreira amerior, abeixo do pontO que formará
ei)l.o; em seguida tricotar este ponto em meia, pegan-
por Irés para evitar um furinho; depois tr icotar no-
vamente um pontO meia no mesmo ponto da carreira
anterior.
AUMENTO MEDIAIIIO DUPLO
Nos Irls pontos cujo segundo representa o eixo dos au-
mentos. tricotar primeiro um ponto meia; abaixo deste
ponto. fazer um ponto meia no ponto que precede; de-
pois tr icotar um pOnl O mel/'!eixo); em seguida um pon-
tO meia abailto do ponto seguinte !no ponto da carreira
anterior! e finalmente este ponto. o terceiro, em meia.
VOCABU..ÁRIO DO TRICÔ
FIO
Chamamos de fio as duas parles da l inha Que formam o ponto: uma eSlé situada na fren te da agulha. II outra.
8lrh.
AUMENTO INTERCALADO DUPLO
lel/antar com a agulha eSQuerda o fio horizontal à direi -
ta de um pont o destinado a formar o eixo dos aument os,
tricatar o lia de três desta tinha para torci -lo, depois o
próprio POnlO. Repet ir 8 mesma apereçla com o 'io ho-
r izontal Que fica ii esquerda do ponto cenlral . O aumen-
t o intercalado luradinho é executado sem torcer o li a.
AUMENTO FURADINHO DUPLO
Fazer uma laçada antes do ponto destinado a f ormar o
eil(o do aumento, tr icotar este ponto em meia, depois
fazer uma segunda laçada. anles de continuar a carreira.
Na carreira seguinte. tricotar os pontos e as laçadas, co-
mo sendo pon tos.
CASA EM ROUPA DE
Este tipo de casa, Que pode também servir como ilhós
para passar um cordlo numa roupa de baixo ou numa
roupa de criança, é bem fácil de lallr. No direito do tra-
balho, fazer uma l açada e tricotar 2 pontos junt os. No
allesso. tricotar o ponto assim obtido e a laçada separa-
damente. Em seguida casear o orif lcio para dar mais l ir-
meza.
CASAS HORIZONTAIS
As casas slo executadas rematando alguns
pontos no direito do trabalho. Na vol ta. isto é. no alllS-
SOo o mesmo número de pontos é montado novamente.
depois a carreira é continuada normalmente. preci so
tomar em conta. determinandO sua posi.:;lo numa l i ra.
a tenslo Que será exercida pelos bOiões. Para Que estes
sejam bem centralizados, é preciso colocar as casas a
dois ou três ponlos, .ê esquerda do meio da tira (pilra
as mulheres) e á direita (para os homens).
CASAS VERTICAIS
As casas lIenicais slo executadas deixando ã espera o
número de pontos necessário para situá-Ias na sua posi-
çlo. Trabalha- se o número de carreiras necessário para
atingir a altura desej ada; depois tricota- se nos pontos
.ê espera o mesmo número de carreiras antes de reunir
nOllamente todos os pontos numa mesma agulha. As
casas de tricõ. Qualquer Que seja seu sentido, slo casea-
das como as casas de
11
12
DIMINUiÇÃO
Uma diminUIção é a ellmll'lação de um pont o. duram. o tr.balho. Existem ... árias maneiras de faler dirninuiçõe
como existem várias maneiras de lazor aumentos. Como estas ultimas, as diminuições slo executadas nun
carreira. sendo ii carrfura seguinte simples. iSlo e. slo feitas cada duas carreiras.
DIMINUICÃO SIMPLES
NO DIREitO DO TRABALHO
Inclinada para li esquerda: tirar um ponto sem fazer em
meia. tricotar o leguint. em meia. Com ii agulha esquer-
da. rematar o ponto sem fazer da direita par a ii esquerda.
sobre o ponto !ricotado.
Para evitar que o ponto rematado seja maior que o pon-
to tricotado, esta diminuição. pode ser feita do seguinte
modo: tirar dois pontos sem laz8r em meia. lazer uma
laçada 8 rematar 0$ dois pomos sobre esta laçada.
Pode- se tambt'lm tr icotar dois pontos juntos em meia
pegando por trás. mas deste modo os dois pont os ser60
torcidos. o que reSYl tará numa diminuiçlo levemente
em relevo.
lnctinllda para a direita: pegar dois pontos juntos. intr o-
duzindo a agulha direita. da esquerda para a direita, pri-
meiro no segundo, depois no primei ro ponto e tricoté-
101 juntOI em meia.
NO AVESSO DO TRABALHO
Incli nada para a esquerda, no direit o do trabalho: com
a agulha esquerda, retomar o úllimo p. da ag. diralta .
. -
Ramatar o segundo ponto da agulha esquerda sobre o
primeiro e pOr novamente ute ponto na agulha direita.
Incl inado para a direita, no direito do trabalho: pegar
dois pontos juntos, intrpduzindo a agulha direita, primai-
ro no pri meiro ponto. depois no segundo e tr icoté-lol
juntos em tricô.
,
VOCABULÁRIO DO TRICO
Uma diminuiçlo dupla elimina dois POnlOS duma vez. ~ usada nos eh.vloos. na poma dum decole em V, como
também nos pontos furadinhO$ ou rendados. A escolha de um ou de outro método é determinada pelo eleito
decorativo desejado, que contribui em grande parle para a belela do ponto.
DIMINUICÃO DUPLA
NO DIREitO DO TRABALHO
Inclinada psrl a esquerda: tricotar Ires pontos juntos em
meia. pegando- os por !rés. isto é . introduzindo a agulha
direita. da direita para a eSQuerda. primeiro no primeiro
ponto. depois no segundo e finalmente no terceiro. Dei
KSI cair os Irês POntoS de uma vez da agulha esquerda
Inclinada para 8 direita: !ficotar Irês pontos juntos em
meia. pegando-os pela fre nte. iSlo é. introduzindo a agu
lha direitl. da esquerda para a direita. primeiro no tercei
ro, depois no segundo e finalmente no primeiro ponto
D e i ~ é los cai. , os t.êsduma vez dI! agulhll eSQuerda
Sobreposiclo para a eSQuerda trata- se de um mate du-
plo tirar um ponto sem fazer em meia, tricotar juntOS
em meia os dois pontos seguintes, depois com a agulha
eSQuerda, rematar da direita para a esquerda, o ponto
sem fazer sobre o ponto obtido. Este ponto forma o eixo
dll diminuído dupla.
Sobreposiclo para a direita: tirar um ponto sem faze.
em meia. tricotar o ponto do meio em meia e rematar
o pomo sem fazer sobre ele; pegá-lo na agulha eSQuerda
e rematar por cima. da esquerda para a direita. o segu,' ·
do ponto desta agulha. Colocar nOvamente o ponto do
meio na agulha direita.
No sentido vertical : lirar dois pontos sem fazer ao mes-
mo tempo em meia. isto é, introduzir a agulha da direila
para a esquerda. primeiro no segundo .. depois no primei
ro ponto. nicotar o ponto seguinte em meia e remat!!r
os dois pontos sem fazer sobre o ponto tricotado.
13
/,
14
A AMOSTRA
DIMINUICÃO DUPLA
NO AVESSO DO TRABALHO
Sobreposiçllo para a eSQuerda no direito: tricotar dois
pontos juntos em tricO. O ponto obtido é o ponto do
meio da diminuição dupla. Pegá-lo novamente na agu-
lha esquerda e rematar por cima. da eSQuerda para a di-
reit8. o segundo ponto desta agulha. POr novamente o
ponto do meio na agulha direita.
Sobreposição para a direita no direito: tirar um ponto
sem fazer em tricO e tricotar o seguinte Ido meio). Tirar
um ponto sem fazer em meia e retomá-lo com a agulha
esquerda. virando-o (t orcido). Retomar também o ponto
do meio e rematar o ponto torcido sobre ele. Pôr nova-
mente o ponto do meio na agulha direita e rematar o
ponto sem fazer sobre ele.
Cada uma t8m uma maneira pessoal de esticar seu fio e de apertar seu ponto. É por esta razao que a maioria
das indicações mencionam número de pontos e de car reiras. acompanhados das medidas respec',ivas. para uns
e outras. em cen trmetros. OutraS fornecem o número de pontos e de carreir as contidos num quadrado de 10
cm de lado. Este último método parece-nos preferível ao outro. porque permite combinar as dimensões deseja-
das de uma maneira bem mais precisa.
Conta-pontos
Em todo caso é in-
dispensável tricota.
um quadrado nao de
10 cm masde 12 cm
no minimo. para nllo
ser all apalhada nos
seus cálculos peloS
pontos de monta-
gem. das bordas e de
terminacao que. sen-
do trabalhados dife-
rentemente dos ou-
tros. nllo podem ser
calculados do mes-
mo modo. Par a isso.
basta acrescentar 8
ou , O pontos ao nú-
mero indicado para a
amostra do modelo.
Em seguida alfinetar
este pequeno qua-
drado sem esticá-lo
em nenhum sentido
e pôr em cima um
conta-pontos {como
o da fotol.
,
,


VOCABULÁRIO 00 TRIC6
FIO ELÁSTICO
Achamos necess6rio aconseln6-t. um metodo simples que consiste em passar o fio elástico através dos pont os
do tricO terminado. Para isso, basta virar 8 malha no avesso e passar o fio entre os pontos com uma agulha
de tapeçaria, de modo Que nAo Ipareça no direi to. Pode-se fazer deste modo algumas voltas. pusando. para
terminar, 8 extremidade do fio eltistico na borda.
FIO PUXADO
Pode acontecer que seja necesdrio conar um tricO hori -
zontalmente, sej a par. 810n96-10 ou par. encurté-Io. ou
ta mbjm para levantar pontos. permit indo tricotar nova-
mente uma pane g8sta ou rugada: ou também paf'
transformar a pane inferior de uma roupa, acrescentan-
do uma barra ou uma aba. A melhor maneira de proce-
der com toda segurança (descri ta aqui) consiste em pu-
xar um fio. Na altura desejada, na borda direi ta, puxar
um fio sem arrebent á-lo. Pegá-lo na mio direita e puxar
levemente no comprimento de toda carreira. com a aJu-
da da mão esquerda.
o tricO ficará franzido. Quando toda a carreira estiver in-
teiramente franzida, conar o fio esticsdo do lado da bor-
da esquerda. Deste modo, o trabalho estará conado.
Com uma agulha fina. levantar os pontos para tri cotá-
los ou rematá-los. segundo você deseje; refazer uma
parte gasta ou encurter ume melha comprida demais .
FRANZI DO
O f ranzido é muito fecilmente conseguido com auman-
tos ou diminuições. Com o primeiro método dá-se mais
volume acima de uma cintura, no punho de uma manga.
etc. Tratando-se de aumentos ou diminuições, a propor-
ci o a ser observada' ancontrada através de um cálculo
baseado nes di mansões da parta ampla dum lado, e
aquelas da parte estreita de outro l ado. Querendo acres
centar ou tirar a metade ou o terço duma l argura dada,
acrescenta-se ou supri me-se a metade ou o terco dos
pontos i niciais. Estes aumentos ou estas diminuicões
deverão ser separados por intervalos regulares.
TIRAR UM PONTO SEM FAZER
Consi ste em fazer passar um ponto da agulha esquerda para a agulha di reita sem tricot á lo Em certos casos
(mencionados na receita) podem ser obri gadas a passar o pont o em sent ido contrário.
GRAFTING
É o nome ori ginal inglês de um método para unir doi s pedaços de tricõ com uma carreira de pontos refei tos,
usando uma agUlha de tapeçaria, formando costura invisível. Este processo é, empregado para unir as duas
partes de uma vista no direito da gola ou para fechar as extremidades de uma t ira tricotada em viés e dobrada
em dois (ver no verso). l'
LAÇADA
GRAFTING
do pont o me>i e :os ponto. lolto •• lo retomado,
um por um, com um movimento de .... i ... 6m da agulha.
como esd mo.trldo no desenho la lado. A carreira de
gfafting , repr.,entada em cinza -escuro par. destacar
8 carreira de pontos refeitol.
GRAFTING
AvllSSO do ponto maia : os pontOI .10 retomados de
bailio par. cima como indicI I 'gulha no desenho la
lado. depois da cima para baixo no sentido da seta. Po -
de-se tamWm vlr.r o Ifsbalho. fazer o grafting em meia
com mail facil idade.
GRAFTING
Ponto trlcc1 : IQul precisa falir trAs movimentol. O.
ponto. Que " apresentam em tricô do retomado. em
meia como Indica I agulha. Em leguida precisa fazer 01
dois movimentol mOltrado. peles .eta. par, r.encon-
trar a po.iclo inicial.
GRAFTING
a . rr. : aqui também precisa combln.r 01 dois método.
par. retomar o. pontos em meia a em tricô. contando
o número de pontos de cade tipo. Somttnte as berras
tricotadas no mesmo sentido podem ser reunidas fa ci l-
mente.
Fazer uma laçada II lançar (pa"sar o fio) sobre ou em volta da agulha direita. antes-de tricotar um ponto. Uma
laç.cla acrescenta um ponto aos do trabalho em curso se for tricotado uma vez na carreira seguinte. e muitol
pontol. se for tricotado muitls vezes na clfrelra seguinte. (Por uma razio uicnica. tricota-se 1 m. , 1 t ., 1 m.,
etc. allernadameNe.) A nllo acrescenta ponto, se for compensado por uma dimlnuiç./lo. esta podendo
ser executada na parte lisa do trabalho, ou pegando-a Junto com o ponto saguinte,. Oe qualquer forma. o papel
da laçada II decorativo. ou quando for ma um furinho. ou quando remalada sobre v'rios pontos ela pareça reuni -
16 los enlfe al .

VOCABlJlÁRIO DO TRICÔ
Existem d ri ol t ipos de laçadas. ist o é. vai ria. maneiras de passar o fio sobre a agulha. Aconselhamos prestar
a maior alenç.!lo, quando eSludar um ponto.
LACADA EM MEIA
DEPOIS DE UM PONTO MEIA
(o fio encontra-SI 81th do trabalho).
Antes de um ponto mala. Passar o fio delt's para frante.
embaixo dI agulha direita, II pudi-lo novamente por ci -
ma desta agulha. Em seguida introduzir II agulha di reita
no ponto leguinte a tricotá· lo em meia do modo habit ual
Antes da um ponto tric/) . Passar o fi o da trés para
frente, em baixo da agulha di reita; pasdi -Io novamente
pa ra !rIi., por cima desta agulha . 8 trul-Io pare a frenll,
por baixo (ou saja uma volta completa). Tricotar o pomo
segui nte em tricO da manei ra habitual.
DEPOIS DE UM PONTO TRICO
(o fio ancontra-se na Irantedo trabalho).
Antes de um ponto meie. Passer si mplesmenle o fio da
frenle para ués. sobre a agulha direita. Em seguida intro-
duzir a aguha direita no ponto segui nte e t ricotá-lo em
meia da maneira habilual.
Antes de um ponlo tricÔ. Pusar o fi o da frente para t rês
sobre a agulha di reita. e trazl -Io para" frente. por b"i Ko
(ou seja uma volte complela). Em seguida introdulir a
agulha direita no ponto seguinle e tricolj -l o em tricO
da manei ra habitual.
LACA DA EM TRICO
DEPOIS DE UM PONTO MEIA
(o fio ancontra-se 8trés do trabalho).
Antas de um ponto meia. Passar o fio de trés para frente.
sobra e agulha di reita. e pasd-Io novamente para trés.
por bai .o (ou seja uma vol te completa). Em seguida. i n-
troduzir a agulha direita no pont o segui nle e t ricolj -Io
em meia da manei ra habitual.
'.
VOCABULÁRIO DO TRICÔ
JUNÇÃO
Antes de um ponto tricO. Passar simplesmente o fio de
trés para 8 frente, sobre a agulha direita. Em seguida in-
troduzir 8 agulha direita no ponto seguinte e I riCOlti-l o
em tri cO: (I laçada é formada quando deixar cair o pomo
da agulha esquerda.
DEPOIS DE UM PONTO TRICO
Antes de um ponto meia. Passar o fi o da frente para trés.
debaixo da agulha direita; truA-lo novamente para a
frente. por cima desta agulha e p8s$é-lo novamente pa-
ra trés. por baixo (ou seja. uma volla completa). Tri cotar
o ponto seguinte em meia da maneira habitual.
Antes de um pont O tricO. Passar o fio da frente para trés,
debaixo da agulha direita e tr.8d-lo para a frenle. por
cima desta agulha. Tricotar o ponto seguinte em tric6.
A laçada é formada quando deixar cair o ponto da agu-
lha esquerda.
LAÇADA DUPLA OU MÚLTIPLA
Para fazer uma laçada dupla (ou tripla, etc." amola-sa
o fio uma ou mais vazei suplemantares em volta da agu-
lha direita, no mesmo sentido que pare uma leçada sim-
ples.
NOTA - Esta e)lpresslo , raramente usada; habitual -
mente nas e)lpl icaç6es de um ponto ou na receita de
um modelo mencionam-se: duas laçadas, trlls laçadas.
etc ....
Quando se começa um novelo porque o anterior est6 terminado, é preciso reunir estes dois fios interrompidos.
Adotamos o termo junç.!o, praferindo-o a ligaç.!o. det)lando a este último seu sentido técnico.
JUNÇÃO DE DOIS FIOS DE LÃ
Em princIpio, a junç.!o de dois fios de IA deve ser escon-
dida na borda e, conseqQentemente, ser feita na e)lt re-
midade de uma carreira, mas pode acontecer, por razões
de economia, que seja obrigada a começar um novo no-
velo durante uma carreira. Em -todo caso. de modo al -
gum estas fios poderiam ler amarrados, mesmo que seja
com um n6 de tecerAo, como numa trama. Pelo contrá-
rio. cada um deles (o do novelo e o do trabalho) serio
divididos, e dois dos seus fios seri o reunidOI para f or-
mar um s6. com a mesma espesiWla que a do fio primiti -
vo. Com o fio obtido, tricotar alguns pontos, deixando
soltos os dois fios l ivres no avesso do trabalho. Depois
da acabar o trabal ho. elas ser.!o passados em um ou
dois pontos, com uma agulha de tapeçaria, para rematá-
, .
los. Nunca cortá -los rentes, porque eles aparacenam no
direito do trabalho.
SOLTAR
um ponto. dei.6-lo cair de propósito, para obter um desfiado .
BORDA
Trilando-se de um tecido ou de um tricO. I definiç'o é • mesma. A borda é • beirada dlreila ti eSQuerda de
um pano, cujo primeiro fi ultimo fio da urdidura tv.nical) slo rematados ti fill8dos pela volta do fio da trama
(horilOntal). No tricÔ. como no caso de um tecido. 8 passagem deste fio efelua· se alternadamente da direita
para. esquerda I da esquerda par •• direita.
BORDA EM CORRENTINHA
É um método francts. Esta borda Que forma uma corren-
tinha. cujos elos representam duas carreiras. é usada
Quando é preciso levantar pontos pIra continuar trico-
tando num outro sentido (Ver : levantar pontos. pág. 31).
No direito do trabalho : lir.r em meia, sem tricotá-lo.
o primeiro ponto da carreira ti tricotar em meia o úl t imo
pomo desta carreira. No ave .. o do trabalho : tirar em
tricO. sem tricottHo. o primeiro ponto da carreira e trico-
tar em uicO o último ponto desta carreira.
Método alemlo - Primeiro: esta borda' comecada no
l im da primeira carre ira. NAo tricotar o último ponto que
licou na agutha esquerda. mas passtHo para a agulha
direita antes de virar. Segundo: virar o trabalho. depois
tricotar o primeiro ponto normalmente em meia. se lor
uma carreira em meia. ou em tricO se for uma carreira
tricO.
Método inglês · No direito do trabalho: tirar sem lazer
o primeiro e o último pOntO da carreira. Virar. O fio en-
contra-se na frente. entre o primeiro ponto e o segundo.
No avesso do trabalho: tricotar este primeiro ponto em
tricô. o último ponto desta carrei ra também' tricotado
em tr icO.
BORDA EM CORREIIITINHA
PARA ENCRUSTAÇAO
No direito do uabalho: tirando o primeiro ponto em
meia. tricotar o segundo em tricO. Continuar a carreira
em meia. mas tricotar o penúltimo pOnto em tricO e tirar
o último em meia. Virar. No avesso do trabalho: tricotar
todos os pontos em tricO.
. ., I,' I'!t'i

If''': t,:"
,
pi ,h., .. ,',.t.,tl"": ,"
r .. ';t
.. .. t n."J'l"',!" .• ..
"., .... ,.' .....

.. ,
•••• .a
•• -1. V(', ... "I
(
"'-lo
' -. ,'" A .-1...: '" "." i .
'fair',"",,-' ,!1".-, .', ,I.';
--4 " "rl',.,_,< .'
"--I'lt:' oI'f").>,., I',t, , ..
"t', r "" I't " ,. fI'-,. I
" "'J,I
"'1' . 19
20
BOROA EM CORIIENTINHA
EM PONTO TRICO
O f io encon tra- se na frente do trabalho. Tirar sem fazer
o primeiro ponto de cada carrei ra em tricô. Em seguida
passar o tio pare três do trabalho. embaix-o da agulha
direita. e tricotar todos os POnlOS da carreira em meia
BOROA OE COSTU RA
1'1 mais simples. aquela Que as principiantes devem
aprender primeiro. Basta trieal/Ir em meia o primeiro e
o úl t imo ponto das carrei ras em meia e em lfic6. o pr.
meiro e o ultimo ponto das carreiras em tricO
EnttB a borda em correntinha e a borda perolada. ga-
nhou este nome em consequência da possibilidade Que
ela oferece de reunir as várias pecas de umil roupa com
uma costura lIeKlve1. 8lIBcutada com lia de lã A. foto ao
lado mOStra. ao mesmo tempo. a aparência da borda e
a maneira de reunir duas bordas para costura com um
fio de Iii Este deye ser esticado o mlnimo posslyeL oara
deixar a costura com a mesma elasticidade QUP para o
tricO.
BOROA PEROlAOA SIMPLES
O principio das bordas chamadas " peroladas" é aquele
do ponto tr icO do Qual é a borda normal Mas elas slio
também usadas freQüentemente, com o pon' O meia e
geralmente cada yel Que nlio é preciso leyantar os pon·
tos da borda, para um efeito decoratiyo ou técnico de
terminado. A borda perolada é executada. tirando sem-
pre em meia o primeiro ponto sem tricotá- to, e tricotan
do sempre O ul timo oonto em meia (isto em IOdas as
carreiras no direito e no ayesso do trabalho).
BOROA PEROlAOA OUPlA
Peger em mele, por trés sem tricotá-lo, o primeiro ponto
da carreir a. mas guardando o f io embaixo da agulha e
8trh do trabalho: depois tricotar em meia o ponto se-
guinte. Para terminar a ... arreira. tricot ar os dois ul timas
pontos em meia, Esta borda é. ao mesmo tempo. reSis-
tente e regular, permit indo dobras bem perfeitas para to-
dos oa trabalhos Que são destinadOS a ser costurados
ii má<;:Jina. É também usada para impedir Que enrolem
os trabalhos em pomo meia. teis como grayatas. echar
pes, etc
-
BOROA FORMANOO BIQUINHO
No direilo do trabalho, o lia enCOntrando-se atr:'s. Tra
lA-Ia para a frente e "iCOl ar 0$ dois primeiros pontOS
juntos, passando o fio sobre a agulha direi t a. Forma-se
uma lacada Que é por uma dimlnuiclio
VOCABllÁRIO 00 TRICO
Com o fio na frente. No avesso do trabalho. Passa-lo
para Irh li tricotar juntos os dois primeirOI pontos em
tricÔ, fuendo puser o f io sobre • agulha esquerda.
Quando deixar cair o. pontos tricotados d. agulha es-
Querda. ficara formada uma laçada Que ser' compensada
por uma diminuíclo.
PONTO: a bale fundamental do 1fabalho tricotado é uma alca apertada por um n6. Que lorma o pnmeiro
ponto do trabalho. Os seguintes encaiJ!8m-se aos pomos de montagem Que do trieOlados. t irados sem fazer.
alongados. cruzados, virados, rematados. elc.
Um ponto Que tenha sido tricotado em meia ou em
tricÔ' formado por dois fios.
- o l io da frente, chamado também de fio da direita ou
primeiro lio.
- o fio de Hás, chamado também de l io da esquerda
ou segundo lio.
PONTO ALONGADO
Um ponto alongado pode ser feit o sem fundo liso e re-
petido em toda ou parte de uma carreira. formando um
furi nho do tipo fio desfiado. ou também. uma vez pronto.
ser pUSado sem fazer durante varias carreiras em meia.
na frente dos fios h'or izontais Que reünem antra si o pon-
tO antarior com o seguinte. alé o momenlO em Qua aSle
mesmo ponto Idepois de uAs ou Quatro carreirasl for por
sua vez triCOtado.
Pode ser executado simplesmente enrolando o fi o duas
ou mail vezes em volta da agulha direita. destinada a
ser Introduzida num ponto. para formar um novo !fig.
alou também torcido com o f io como esta Indicado na
f ig. b. Elles pontOI alongados slo tricotadol normilll-
mente. uma só vez. na carreira seguinte
PONTO CRUZADO A ESQUERDA
NO DIREITO DO TRABALHO
Sobre uma carreira em mel a: introduzir a agUlha direitill
no f io da frenta do segundo ponto da agulha eSQuerda.
pusando por tras do primeiro pont o e Iricota-Io em
mela. Em seguida Iricolar o primeiro ponto am meia a
deixillr cair os dois pontos da agulha eSQuerda
Sobre uma carreirill em lricO: passar sem tricota-los O!j
doíl primeiros pontos dill agulha esquerdill. para a agulhill
direita. Pega- los novillmente sobre a agulha esQuerda
seguindO a seta Uig. aI. Oeste modo os dOIS pont os esta·
rao cruzados. No avesso tricota-l os normalmente {fig
bl
22

• .tIl. r '1
,
" •. \, t
.. '\, \,

. \'\" .
,. \
,. I . .
PONTO CRUZADO A DIREITA
NO DIREITO DO TRABALHO
Sobfe uma caueira em meia. 8 agulha direi ta
no fio da freme do segundo ponto da agulha esquerda,
passando na frente do primeiro ponto. e tricotá-lo em
meia (fig. a). Tricotar depois o primeiro ponto em meia
(fig. bl e deixar cair os ponlOS da agulha esquerda.
Sobre uma carreira em tric6, i ntrodu:dr e agulhe direita
no fio da frente do segundo ponto da agulha eSQuerda.
passando na "ente do primeiro porua (fig. 81 II tri cotá-lo
em tricÔ. Tricotar depois o primeiro ponto em tricO (fig.
b) e deixar cair os dois ponl OS da agulha esquerda
Você encontrarA os pontos executados com malhas CI U-
ledes nas páginas 7 1 e 72.
PONTO DUPLO
NAo confundi, com " dois pontos junt os" ou " um ponto
tricotado duas vezes" Para fazer um ponto duplo. inlrO-
duzir a agulha direita no meio do ponto situado IIblliJto
do pont o II 39' tricotlldo e fazer um ponto mela (fig. aI.
O ponto tricotado parece um ponto tirado sem fazer (f ig.
b). Consequentemente, n/lo se podem fller dois pontos
duplos consecutivos. O ponto duplo é. muitas vezes,
executado numa carreira tricO.
PONTO MEIA
Com o f io atrés da agulha direi ta. Introduzi -fa da esquer-
da para a direita no primeiro ponto da agul ha esquerda.
entre o lio da Irente e o lio de trés. embaillo desta agulha
Il ig. a). Trazer o fio de três para a frente. em bailio. depois
sobre a agul ha direi ta e passar esta alca do pon-
tO, deixar'ldo-o cair em seguida da agulha esquerda Ifig.
b). •
PONTO MEIA TORCI DO
Com o fio aulis da agulha direita. Introduzi-Ia da direita
para a esquerda. no pri meiro ponto da agulha esquerda.
entre o fi o de trtis e o fio da frente. embaixo desta agulha
(f ig. aI. Trazer o fio de trés para frente. embaixo. depois
sobre s agulha direita. e passar esta alça através do pon-
to. deixando-o cair em seguida da agulha esquerda (fig.
b).
?ONTOTRICO
Com o l io na frente da agulha direi t'ã,:'introduzi-Ia da di-
reha para a esquerda, no primeiro ponto da agulha IIS-
querda, entre os dois fios e por cima desta agulha (lig.
a). Panar o fio. sobre depois embaixo da agulha direita
e passar esta alça alravés do pont d, deixar'ldo-o cair em
seguida da agulha esquerda lfig. bl .
t



VOCABULÁRIO DO TRICÔ
PONTO TRICO TORCIDO
Com o fio na frente da agulha direita, introduzi -ta da es-
Querda para a direita. a!rés da agulha esquerda. no pri
meiro ponto desta agulha e colocar a agulha direita no-
vamente na posiçlio normal. torcendo o l io de irés mg.
a). Trazer o fio por cima. depoi s por baixo da agulha di -
reita. e passar esta alca através do pontO, deixando-o
em seguida cair da agulha eSQuerela (liS! . b).
TIRAR UM PONTO SEM FAZER EM
MEIA
Introduzir a agulha direita. da esquerda para a direita. no
primeiro ponto da agulha esquerda. como para tricotá-lo
em meia Basta retirar a agulha esquerda do PO"IO para
Que este passe para ii agulha direha
TIRAR UM PONTO SEM FAZER EM
TRICO
Introduzir a agulha direita. da direita paril a eSQuerda. no
primeiro ponlO da agulha esquerda c ..... ",,) para tricotá-lo
em uicO. Basta retirar a agulha eSQuerda do ponto para
Que eSle passe para a agulha direita
PONTO SOLTO
Para soltar um ponto. basta deixa-lo cair da agul ha es-
Querda. sem pegá-lo na agulha direi ta (Iig. a). O pOnlO
sollO formará deste modo uma linha luradinha até a car-
reira de montagem. Se desejar parar este ponto sollO
num lugar determinado. pracisa laler antes um pilnlO
S4Jplementar. no lio intercalado da carreira na Qual a li-
nha luradinha deve parar (fig a e b).
PONTO PERDIDO
Para apanhar um ponto perdido li preCISO um pouco de
cuidado e ateneAo . Antes de pegar com lima agulha
de croché ou de tricO o lio horizontal dos pontos que
escaparam. tomar cuidado para Que o ponto que sobr ou
seja colocado na frente. se for um ponto meia. e atrés
tratando- se de um ponto tricO. Observar no avesso do
trabalho a Sl.Jcessão dos lios para nAo inverter sua or-
dem.
"
('
~
~ ~ - ~ ~
~
..
-



-


"

,
~
-

,
• • •

PONTO PRESO POR TRAS
Pegar um ponto por trés li tricotar em tricO !ou em meia
modo a torcê-lo
dependendo do casoi o l io de tr éS do ponto, de
23
ALÇA
PONTO REMATADO
Para rematar um ponto, introduzir I agulh. eSQuerda no
penúl timo ponto da agulhe direita. par. peg6-lo II PIIÂ-
lo da direita P"I • esquerda por cima do úl t imo ponto
(fig. a' . Proceder elta,emente do mesmo modo pare re-
matar um pont o tricO (fig. bl . Par. remalar virlo. pon-
tOl, repetir 8118 operaçlo Quantas vele' lar naces.trlo.
Damos o nome de alca (plr. diferenciar dos ponto,) 101 elamentol duma correntinh. d. borda, da terminaçlo
ou de montagem. levanter ponto • • na realidade. quer dizer levantar aleIS. Esla. correspondem, no CISO de
uma termio.clo ou de uma montagem, I um ponlO. Mas no CISO de uma borda, a uma ou du •• cerrelral,
se ela for peroleda OU em correrllinha.
MONTAGEM DOS PONTOS
Tem doi. significados, podendo ser o conjunto dOI ponto. mOflladOllObr. uma agulha, OU. manalr. de monti-
los. Oe qualquer m.neir •. II: o ponto de partida de um Irab.lho. A mont.gem serve de b.se p.r. tricot.r •
primei ra carreir •.
MONTAGEM SIMPLES
N ... m. ag ... lh •. f.zer um. prlm.rr •• rgol •• pert.d. por
... m nó como .. t6 indic..::lo nlS fig. c . g. P.g.r •• g ... lh.
n. mio eSQuerd.; depol, com. mio dltelt. que segure
o fio do nov.lo. contin .... r o. Ir" primeiros movim.ntos
que form.m • Mg ... nda .rgot • . cotoc.ndo-. sobre •• gu-
lha. Repetir . oper.cJo q .... nt •• vezlS lor nec .... rlo p.-
r' obter o numero desejado de pontos !IIg. b). Este mon-
tagem. bem "e.rvel, II: .conselhada q .... ndo II: preciso,
em seguuid., I.,v.nt.r pontOI para tricot.r em sentido
contririo.
MONTAGEM
SOBRE UMA AGULHA A ITALIANA
O comprimento do p.d.ço de 110 Q .... fica na mio ....
q ... erda, d ... r.nte • mont.gem, corresponde 8 pelo me-
nOI trls v.zes a I.rgura d. montagem terminad •. O fio
d. dir.i,. vem do novelo. ~ .quele com o Qu.1 II trlcot • .
Fio. segurado pelos trls ultimos dedos da mio esq ... erd.,
pusa sobre o poleg.r. o indicador. A mio direita segu-
ra um. ag ... lh. e estlt. o fio.
-
Depois. II: preciso virar 8 mio esq ... e ~ a de modo que
o fio .ind. esticado. vindo do polegar. cruz. o fio vindo
do novelo, p.ssando por cima.

VOCABlLÁRIO DO TRICÔ
Com a mio direita passar a ponta da agulha na frenle
do fio esquerdo II Introduzi-Ia na argola. passando 81th
do fio do novelo.
A mio eSQuerda abaixa li argola: com II mio direita, lan
cer o fio do novelo em volla da agulha, passando por
baixo. como para tricotar um ponl O em mela
Com a mio esquerda rematar a argola por cima da agu-
lha II do fio lancado. depois puxar o tio da esquerda, pa,.
apertar o n6 formado em volta do lio do novelo. Desle
modo, obtemos o primeiro ponto da monl8gem.
Estas cinco operaç6e1 sio repetidal QUintas vezes for
preciso par. montar pontos "a agulha. Podam também
ler usadas p8fl lormar o ponto iniciai de todas III mon-
tagens, ma$, plr. I morllagem simplel e 8 montagem
com duas agulhas, ••• gola 6 formada somente a slguo$
centlmetrOI da •• tremidade do fio da esquerda.
MONTAGEM TRICOTADA
COM DUAS AGULHAS A FRANCESA
O primeiro ponto é feito como pa,a a montagem sobre
uma agulha, fazendo primeiro es cinco operações e)(pl i·
cada. acima. Depol. de fazer o primeiro ponto na extre-
midade do fio de montagem. pegar a agulha com a mio
eSQuerda. In"oduzi, a agulha di'elta, da elquerda para
a direita. neste primeiro ponto. O fio da dlre;1I é o fio
do novelo e está esticado sobre o indicador da mio di·
reita. Enrolar o fio em volta da agulha direita. p a s ~ n ­
do"'O por baixo da agulha, como para tricotar um ponto
meia.
Com a agulha direita. pUllar o fio e"avél do primeiro
ponto. sem tirá-lo da agulha eSQuerda.
25
26
Uma segunda argola. ou panlO. uté formada. É preeis,)
passa-l a par. I agulha esquerda. no sentido certo. para
coloca-Ia ao llIdo ct) primeiro ponto
Introduzindo a agulha esquerda. da direita para a eSQuer -
da. debai.o do 1'0 superior deste ponto II sobre a aglllha
direita. eSlaremos novamente na posiclo Iniciai Com a
mão direita p u ~ a r o fio para apertar ii base do pomo e
terminé-Io
Estas operações devem ser repelidas QUintas vezes lor
necessári o par. montar os pont05 desej&dos na agulha
MONTAGEM TRICOTAOA
COM OUAS AGULHAS A INGLESA
Na montagem ti inglesa. comecar U8l8menle do mes
mo modo Que na montagem é fran ces., para lormar o
primeiro ponto. Que II colocado na agulha eSQuerda 80
IlIdo do ponto iniciai Em seguida retnar 8 agulha dlrelll
deste ponto
Temos, conseQuentemenle dois pontos maMados lado
a lado na agulha Isqulrda. IntrodUZir a agulha dlrllla en
tre estes dois primeirOS pontos esticar o fio do novelo
no indicador da mio direita. Inroli-to em volta da agu
lha dirlita. passando-o por bal"o da agulha como para
tricotar um ponto em mela
Trazer o fio com a agulha di reira, através do intervalo
entre os dois pllmelros pontos para formar o terceiro
colocar este terceiro pontO na agulha eSQuerda Repetir
as duas operacOes aCima
o (,Itimo ponto da montagem {d d:rc'!a I'a agulhai nao
é "arecido com os anteriores Deve sempre se, triCOtado
na primeira carreia. QualQuor Que sela o tipO de borda
adotado
MONTAGEM EM QUATRO AGULHAS
A monlagflm em Quatro agulhas ou em circulo pode SI.
fella em uma só agulha pala comeca. {neste caso os
pontos 510 ,epa.tldos nas agulhas na pflmei.a voita do
tlic6) ou desde o iniCIO nas Quat.o agulhas. escolhendo
QualQuer um dOI métodos indicados acima. Em todos
os casos. é preciso toma. o cuidado de pu"" o fiO na
all lculaclo das agulhas Além di sso, será prudente
Quando nicOUIf as primeiras carrellas. deslocar 05 pon
105, avancando-os de dOIS ou 116s pontos cada vez. para
a agulha segulflll . Ivitando uma demarcacão oue o
afrou"amlnto do fio plovocaria neste lugar se nao se
l omar essa precauclo
VOCABULÁRIO DO TRICÔ
MONTAR PONTOS
MOnlar pontOI 6 formar argolas com um fio qualquer e enfiá- Ias umas '0 lado das OUltiI!l$ numa agulha de
trlcO. Ea,u .,gol ... io chamadas de pontoa.

BOLAS
EIUIS bola. alo formadas de ,,6r101 flol enrolado. em
volt. di agulh • . Introduzir I agulha direila no primeiro
ponto da .gulha esquerda. como pafa trieOlã-lo em
mell. puur um ponlO e coloei-Io na agulha eSQuerda
IrICal.ndo em seguida um pomo meia neSI8 ponto. Re-
peli' •• 'al opetlcOes trls vezel plr. ter quatro pOntOS
na agulhe direita. Dahlat cair o ponto Iniciar da agulha
e$Querda, depois fematar IUcessivamente sobre o 4 "
ponto, primeiro o 3.", depois o 2 . , finalmeme o 1.· , Oei
lUlr Inllo somente um ponlO na agulhe.
BAINHA
O papel d4I uma balnh. nlo' unlcamenle de lornar. borda de um lIabalho ou de uma roupa perfeita e resistente,
mas também de dar-lhe mais firmeza. Impedindo-o deste modo de enrolar, H for tricotado em ponto meia.
por elllmplo
Para comacar o trabalho, usar a montagem simples
( p ~ g . 241. Tricotar alguma5 carreiras em ponto meia. até
a altura desejada para a bainha: depois. no aV8550, trico-
tar uma carreira am meia, ESla carreira em tricl). no di-
raito do trabalho, é Que marcar' o lugar da dobra da bai
nha, tornando a beirada perfeitamente relmnn. Depois
de terminar o trabalho, dobrar a bainha e COSturar um
por um, 01 pontos da montagem com cada ponto tricO
correspondente
Pode fIzer uma bainha igual. dePOil de tarminar o traba-
lho, levantando os pontos da montagem (montagem
I.mples, p6g. 24) que marcarlo a dobra. e sua falta de
elasticidade impedir' qualquer deformado da beirada
SAo tr icotados am ponto meia até a altura desejada
Nlo remaI6-lo5. ma5 C05tur'-IOI diretamente sobre ca-
da ponto trlcO correspondente. fazendo-os ca., um por
um da agulha
BAINHA OENTE OE GATO
EI,a bainhl 6 destinada lO en.ovll do b e ~ e a todos
os trabalhos a05 quai5 H dlseja dar uma te.minacAo
fla. rvel . podendo adaptar-H a linhas curvas. se for ne
cessario, o que el<plica seu 1,110 para acabar golas. gor-
ros. meias. etc
Depois de algumas carreras em ponto meia (largura da
bainhai , tricotar ' 1.- cerro: o 1 mo. 1 lac " , (direito do
trabalhol . Z.- earr.: o 1 t. (a lae. da earr anterior), 2 p
juntos em t (avesso do trabalho l O, depois continuar em
pontO mela Depois de terminar o trabalho. dobrar a bal
nha na carreira das diminuic;6es. formando deste modo
o dente pontudo que dâ seu nome a asta borda, depoIS
COsturar um por um os pontos de montagem. com cada
ponto !f icO cO<lespondente
27
POSiÇÃO DO FIO A FRANCESA
BAINHA EXTENSlvEL PARA BARRA
1/ 1
Montar sobre uma agulha. mais grossa de dois numeros
Que aquelas destinadas a tncotar a barra. a metade dos
POnlOS necessários ao IricO. mail um pOnlo. Ex.: para
tricotar em 100 pontos com agulhas de 2 1/2 mm,
montar 51 pontos (50 + 11 sobre agulhas de 3 1/ 2 mm
Montar estes pontos da maneira a mais simples (ver
pago 24). Tricotar nestas agulhas grossas. que chamare-
mos A, cinco carrei ras em ponto meia. comecendo com
uma carreira em trlcO. depois deixar os pontos a espera.
levanlar os pontos de montagem com uma agulha fina
B. como é mostrado na fig. anterior. Dobrar a bainha.
colocando o 8\1eSSO do ponto meia, dentro e com IS
duas agulhas A e B uma contra 8 ou tra. Tricotar no direi-
to do trabalho com 8 segunda agulha B. · 1 m. da agu-
lha A. passar o fio na frente do trabalho. 1 t da agulha
B. colocar o f io novamenle alras " Recomecar de " até
", até Que todos os pontos estejam tricotados e f iQuem
na agulha B
Continuar o trabalho em barra 1/ 1. nas agulhas B. aban
donando as outras,
Nota: para facilitar a passagem do ponto mela para o
ponto barra, podem levantar todos os pontos da bainha
dobrada numa 56 agulha aUlCiliar. al tarnando os pontos
da montagem e aQueles Que acabam de seI tr icotados.
Um elbtico redondo pode seI passado com facilidade
numa bainha tubular o Que é recomendado para as bor-
das das meias.
BAINHA VERTICAL
Jma bainha vertical, i sto é. debruando as vistas de um
blusAo, um casaco, um manlO. etc impede estas bor-
das de se deformarem, Se fOr larga. serve de remate
O procedimento é o mesmo Que para uma bainha hori·
lontaL comecada sobre pontoS levantados na carr eira
de montagem Iver pég. 27 3· fig I Mas aQui traia- se
de uma borda
Chamamos esta p05lclo do lio "II francesa mas na re alidade nAo é desconhecida em OUIrOS palses prinClpal-
menl e nos ocidentais
POS IÇÃO DO FIO
A posiçio do lio na rr cio é muito importante, Dela dependem a regularidade dos pontos e a rapidez do trabalho
2 b M n ...... "Mne: ",no, j ti, O" .. "i , .. .. A" ,.1 ' .... i,. " C;
-
-
Primei ro movimento: o novelo de IA, sendo cOl ocado a
direita da mio direita. pOr O l ia s:>bre o dedomlnimo para
passá-Ioenl re este e o enular. Esta primeira positão as-
segure o deslizamenlo do fio e. consequen temente. ii ra
gularilacAo da sua tensAo durante o trabalho.
Segundo moviment o: com um segundo movimento.
passá-lo por ci ma dos dedos alé a extremidade do indi-
cador. cujo papel é de enrolar o fio em vol t a da agulha
direita.
Tercei ro movimento: ii fot o 80 lado mostra claramen te
como os três ui l imos dedos da mlio direita mantém II
agulha. dobrando- se nela. O dedo médio II o anular slio.
na realidade. pontos de apoio. enqUanto o mínimo serve
para manter ii agulha Que será empurrada pela polegar
a medida do trabalho.
A mio direita colocada horizontalmente aci ma da agu-
lha que é dirigida pelo polegar e apoiada na segunda
falange do dedo médio. Estil agulha é i ntroduzida em um
pont o: em seguidil com a ajuda do indicador. o l ia é en-
rolado em volta dela. para fazer o ponto seguinte. Este
gesto deve ser leito sorr>ente pel o dedo e perto da agu-
lha. a mão permanecendo tão imóvel Quant o lar passi-
veI. TraIa- se de adquirir velocid.:lde com economiil de
moviment o.
A mão eSQuerda lermlnilré o movi mento rematando o
ponto jé formado sobre o fio. para terminar o ponto tra-
balhado.
POSiÇÃO 00 FIO Ã SUIÇA
Esta posição do tio chamada ã sulca. é na real idade
aquela usada na Europa central. Algumas variantes exis-
lem nos balçis. na Rússia e no Oriente.
Primeiro movimento: o novelo de lã estando colocado ã
esquerda da mão esquerda. pOr O fio sabre o dedo ml ni-
mo para passá-lo entre este e o anular Esta primeira
posicão assegura o deslizament o do fio e. consequente-
mente. a regulari zacão de sua tensão durante o traba-
lho.
VOCABULÁRIO DO TRICÔ
29
REMATAR
Segundo movimento ' com um segundo movimento,
passâ-Io por cima dos dedos até a e_uem idade do ind,-
cador. cujo papel e de esticar o lia destinado a ser preso
pela agulha direita. depois de passar alravés do ponto
Terceiro movimento: a foto ao lado mostra a mão direi
ta. colocada horizontalmente a,cima da agulha. O dedo
da mio eSQuerda deve permanecer perto da agulha
mantida por eSta mão. ficando esta o mais imóvel possi
vel. Como para a pos'cão à francesa. precisa adquirir ve
locidada pela economia de movimento. O gesto de pe
gar o fio e passé-Io auaves do ponto seré e_acutado pe-
la mio direita. com uma agulha de crochê. a mão es
Querda ajudando someme com um leve movimento
Rematar um ponto é introduzi r a agulha esquerda no penultimo ponto da agulha d"e'ta para Degé lo e passé-l0
(remataI! da direita para a eSQuerda. por cima do ul timo Podem também no caso de urna d"nonuic:lo duola
rematar um ponto da f"t(11'erda para a direita sob,e a agulha esquerda
LIGAÇÃO
Em um ponto de tr icô_ chamamos a ligacão a parte do mOtivo cuja repeticão formaré um desenho completo
Consequentemente a ligacão esté localizada onde o mOllvo se Interrompe antes de comeca, o seguinte Esta
ligacão não e sempre ,etilinea (iSt o é. podendo COlresponder com uma oul/a hO"lontalmente ou vprllcalmf"ntel
neste caso, segue uma I,nha Queb.lKfa a parte superior de um motivo seguinrln na n"r II' 1111""0' do an,er,or ou
II direita de um motivo_ compCando II e5Qul'rrla daQuela Que fica aCima
CARREIRA
Uma calleira e o conjunto de pontos retinidos numa só agulha A primelfêl Cêllle"a é aquela Que sucede os
pontos de montagem a primeira a ser tricotada A prime"a carreira e todas as carreir as impares do tri cô estlio
habitualmente no direito do trabalho se nenhuma ra1iio técnica ou decorativa obrigM a comeca, pelo avesso
REMALHAR
Se aquela Que tr icota (geralmentfl uma principiantel.deillêl escapar um Ponl0 e só SE' dé con ta do ocorr,do
depois do ponto ter chegado lrês ou Quatro carrellas aba,xo p'ecisa remalhá lO com um" "qulha d,. Clorhl'!
ou de tri cô. pa.a atingll sua próp. ia cane"" (ver POntO perdldol
-------------------------------------
LEVANTAR
levantar pontos tou pegA-Ias rovamenrel consiste em pegar sobre uma agulha. os DOnf OS rematados. seia
duma montagem. sela duma tf'rminacão sejll duma borda para poder continuar a t"cola, alonqando o trabalho
30 po' b a i ~ o . por c'ma ou de lado
VOCABU...ÁRIO DO TRICÔ
Sobre uma carreira de montagem ou de terminaçAo: se
os pontos dacorrentinha slo muito apertados.levantA-los
cm uma agulha fina. Tricotar a primeira carreira acom-
panhando o ponto. com as agulhas normaIs do tricO.
Nenhum tUfinho pode lormar- se, sendo Que. ao contrá-
rio de uma correnlinhe de borda. aquela de montagem
ou de tarminaçao é formada por uma alça para cada
ponto do IricO.
Sobre uma borda parolada: os pontos de uma borda pe-
rolada slo raramente levantados. durante 8 execuçio de
uma malha. sendo que. quando uta operaçlo est A pre-
vista. é preferlvel faler bordas de correntinha. En tretan-
to. pode acontecer Que você tenha que lazA-los numB
malha antiga ou num trabalho execullldo em ponto ui·
eil . Neste caso. levantar um por um todos os fios. reu-
nindo as " perOlas. " e tricotã-Ios no decorrer do trabalho.
Sobre uma correntinha de borda, ã direita do n icO. no
avesso; a agulha de cima para baixo e da es-
querda para a direita. em cada fio interno da correntinha
(fig. ai, começando por baixo. Virar o trabalho no direito
e tricotar em meia os pontos levantados. pegando- os
pela frente para cruzar os fios lIig. b)
Sobre uma correntinha de borda à esquerda do tr icO. no
avesso: introduzir a agulha de cima para baixo e da es-
querda para a direita, em cada fio interno da correntinha
(fig. aJ. começando por cima. Virar o nabalho no direito
e nicotar em meia os pontos levantados. pegando-os
por Irãs. para cruzar os fios Ifig. b).
Em principio. é preciso tomar em conta que cada alca
da correntinha corresponde a duas carreiras do tricO. A
parte representada aqui pela II escura tem conseqüen-
temente tendência a apertar. a a parte mais clara.
Para prevenir este incoveniente, usar agulhas mais
grossas para nicotar os pontos levantados. ou fazer au-
mentos cada duas alcas de borda. ou seja. tricotar uma
alca em meia e a seguinte uma vez em meia e urna vez
em tricO.
RETOMAR
-
Retomam- se os pontal deixados ii espera por uma qualquer. ou sollos. carI ando um tr icO depois de puxar
um l ia. As vezes é usado. por extensâo, falando em levantar pontal de uma termi naclo. de uma montagem
ou de uma borda. mas o termo é impróprio.
,
3
32
MATE
Termo técnico designando uma diminuÍ(:ão fei ta segui ndo o mesmo p"ncíp'o Que 05 pontos rematadoS.
TERMINAÇAo
MATE SIMPLES
Ê simplesnen!e uma diminl.lIcio Incli nada. eSQuerda
no direito do trabalho: tirar um pontO sem fuer em
meia, tricotar o ponto seguinte em mela e remalar o
ponto sem lazer sobre o ponto tricotado com ii agulh1l
eSQuerda.
MATE DUPLO
Trata- se de uma diminui cAo dupla com elello de sobre
posidla para a esquerda. no direito "'a, umpontosem
fazer em meia. tricolar os dOIS ponlOS Sflgumles tuntOS
em meia e remiH81 o ponlO sem 1<118' sobre o pont o
obtido. com a agulha eSQuerda
DeSigna a borda em pontoS remalados Que termina um Irabalho P •• a terminar um trlCO exiStem várias maneiras
de rematar ou parar os pontos. Se Quiser conservar Ioda sua elastICidade 8 um deCOle. um punho et c como
é geralmente o caso. nio apertar a terminacio Aconselhamos Usai o segundo método descll10 a b a l ~ o PorQue
ele permite toda fleXibilidade a uma borda virada
TERMINAÇAo A FRANCESA
Tricotar dois pontos depois rematar o primeiro sobre
o segundo. Sobra um pontO na agulha di reita Tricotar
novamente um ponto e rematar o oonto reStante sobre
8ste. Tomar o cuidado de !flcotar em meia os oont O"1o
meia e em tricÔ os pontos IflCO
TERMINAÇAo ELASTICA
Tricotar dois pontOS. depois rematar o ptlmerro sobre o
segundo mas guardá-lo na agulha esquerda Trrcotar o
ponto seguinte e deixar cal! o ponto rematado da agulha
esquerda s.Jmente depois de fhrmar o novo DOntO. re
comecar a operacio.
TERMINAÇAo A INGLESA
Tricotar juntos em meia. os dois pOl'ftOS (prrmeiros). pe
gando- os por tras. ReSultará um ponto na agulha dlfelta
Colod-Io novamente na agulha eSQuerda e tflcolá-Io
com O seguinte como os dois primeiros e aSSim por
diante
TERMINAÇÃO EM VIÉS
Para evitar a formaçlo de uma " escada", devido ao des-
locamento das carreiras, nas terminaçOes feitas rema-
lindo 05 pontos por grupos, como num ombro, basta
deiur de tricotar o últ imo ponto da carreira ti virar logo
o 1r8balho: tirar sem fazer o primeiro ponto da agulha
esquerda ti rematar. sobre este parlla, &Qual. Que 1'110
loi tricoladoTricot8r depois o ponto seguinte da agulha
esquerda, para COOlinulr 8 rematar normalmente. A pri-
meir. apetecia ê leita no IV8SSO. par. o ombro esquer-
do. ti no direito, para o ombfo direito.
TERMINAÇÃO EM VIÉS
Cada duas carreiras, deÍllar • espera o número de pomos
• serem rematados, t r . ~ . r o lia plr •• frente. tirar um
ponto sem fller. passar o 110 novamente para IrAs" re-
tOmlr o ponto na agulha eSQuerda, sem tr ico,i-Io. Virar.
Quando todos os p. estiverem t es.per • . remalili -Ios de
uma vez. o que resultar. numa terminado perfeita.
TORCIDO
VOCABU.ÁRIO DO TRICÔ
Um ponto torcído é um ponto virado. E conseguido pegando-o por três, para tricota-lo em mela, o que cruzara
os liol.
VOLTA
Significa Iodai os pontal de uma carreira distribuídos em varias agulhas. colocadas em circulo, para tr ICotar
em circulo, Consequentemerue, uma volta corresponde a uma carreira de tricO plano.

TRICO PLANO
Este termo designa pontal colocados numa só agulha e triCOtados com uma outra Esta f6rmula obriga a progre-
dir alternadamente, da direita para a esquerda e da "$Querda para a direita. em relado ilIlocallnçlo no uabalho.
Necessita de duas bordas e pode ser semelhante ilI fab(icado de um tecido, Entretanto, e ~ i s t e uma diferença
proveniente da técnica do tricO, tal como' praticada atuAlmente e que obriga a vIrar O Irabalho no lim de
cada carreira, de modo que se trabalha no direito e no avessu. Esta condido acarreta consequ'ncias importan-
tes em ,elaçlo ilI interpretaclo dos pontos de tricO os Quais de lem entlo ser tr icotados num sentido, ou em
outro, se quiser obter o efeito determinado.
TRICO EM CIRCULO
No tricO em circulo, os pontos de uma carreira são geralmente rapartdos o'''Qualro agulhas colocadas em
circulo e tricotados com uma quin ta agulha. O trabalho sendo sempre uecutado no direito e no mesmo seruldo.
da direita para e esquerda. a progrelÃo segue uma espiral inin terrupta, na medida tm que o trabalho empreendI-
do nlo necessite de uma mudanca de técnica. Esta técnica elimina as bordas (o . consequentemente, as costuras.
Enllm, ela obriga a considerar a interpretaçlo de um ponto sempre em rela060 ao direito, e produz um leve
deslocamento na junclo, no fim de cada volta. Este ultimo termo designa uma carreira circulor, Ou seja. em
quatro agulhas. .:
34
PONTOI
Df A
TRICO
Em certos pontos. tivemos de reunir os
números das carreiras, para evitar a re-
petição de carreiras i dênticas. Aconse-
lhamos .5 nossas leitoras copiá-Ias. es-
tabelecendo a ordem de sucessão. Sal-
vo contrária. recomeçar sem-
pre na 1. carreira. Verifi que na ptigina
99 as abreviações.
PONTO MEIA (também conhecido como pont o
Jérseil.
Esse nome origina-se da ilha de Jersey na Qual , desde
tempos anligos. as esposas dos pescadores tricotavam
com aSII ponto os suéteres dos seus maridos.
1,- ca": em meia. 2 ,- CIIrr.: em fricO.
AVESSO DO PONTO MEIA
É o avesso do ponto meia êlpj'e5emaclo acima. Par.
cu!ar o avesso do pont O meia, fazer : 1,- carr.: em IriCO
2,- Cl rr.: em me ia.
PONTO MEIA TORCI DO
1.· carr. : lrie. todos os p. em meia. introduzindo a eg.
no fio de trh. 2.· cerr. : toda em tricll .
PONTO MEIA ENVIESADO
1.· cerr. : 1 eum. em meia (depoil de borda), nic. em
tricll o número necessário de p" 2 p. juntos em mela
(com o p. de borda) 2.· can.: toda em tricll .
-.
PONTO MEIA DUPLO
Em toda. aa ca,.. .: · 1 m.; passar o fio para a frente.
tirar 1 p. sem fazer em t.; passar o lio para trás · .
Not e : a partir da 2.· carro em meia o. p. sem lazer
e tirar sem fazer os p. tricotado. da carro anterior.
PONTO TRICÔ
Todas as can 510 tricoladas em mela Se pagar os p.
por tr" , el. toma· se indeform ..... 1.
PONTO DE GOMOS
1," carr. : em meia, 2." carr .: em tricô 3 ," cano em
mela 4," carr. : em meia S." carr. : em trlc6. 6." carr. :
em mela
BARRA 1/ 1
1," carr.: · 1 m 1 t • 2 ," carr o a Iodas a. pa,es: Inc.
acompanhando o p. meia sobre mela. IrlCO sobre tricO
BARRA 2/ 2
1," ca,r . : · 2 m .. 2 I • 2," carr. " tod • • a. p8r81: Ifle
acompanhando o p. meia sobre meia e trocO sobre triCÔ
BARRA ACHATADA
1." cart. : " 7 m., 3 1' 2.· cerr. a toda • • • carr. p8r8'
tlle acompanhando o p.
BARRA COM PONTOS SALIENTES
1,· carr. : - 3 m , lirar 1 p sem fazer ern I • 2,· carr.
em I. 3." carr. : como ii ,. carr 4," ca". : como a 2°
ean e aSSim por diante
BARRA COM PONTOS SEM FAZER
1," 2 I., 1 m., lIral 1 p_ sem laler 1 m . • 2 ."
carr. : • 3 I" 2 m •. Recomecar na , • carr
BARRA INGLÊSA
Em um número par de p 1.' carr.: em mela 2.' carl. :
• 1 m., 1 p. duplO (ver pég. 22) • Terminar com 2 m
Repetir .emp' ••• ta 2 ," ca" ,
:. I
';A .
. ,

.-,
r
, .
- .'
>.1; •
, ' ,.' "
A ;



ii I
.1 '; ' , .
... ., r .. '\:" ·

,
,

. . ;-' ; ' ," ..
- .


• • • .
' .. , - ,
.- r'
" . - I
..
,
.. 9' t'
.
,
35
l6
BARRA I NGLÉSA SIMULADA
Em um número de pontos dlvislvel por 3. 1.· eau. : • 2
m . 1 I. ", 2,- carro e todas as carro seguintes : Como
aI·.
PONTO DE SULCOS
Em um número de pontos di"islvel por 4 L" c arr. : •
Jm., I, "2."carr.: · 2m., lt 1m "
BARRA TORCIDA
É tricot ado como a barra normal , mas pegando semp.e
os p. meia por trés.
BARRA PEROLADA
Em um número de p. dl"is!vel por 5. maiS 2 P . mais
os p. de borda. 1." c arr. : " 2 t .. 1 m . lt 1m · 2
1. 2 .· carr.:2m., · 3t . 2m ·
BARRA TRICO
Em um número de p. div.s!vel por 6 mais os p. de borda
1," carr.: · 3 m .. 3 t. · 2," carr. : em meia
BARRA CORTADA
Em um número de p. divislvel por 7, mais os p. de borda
1," carr .: • 2 p. a esquerda !ve. pág 21 ). 3
m., 2 I. ", 2 ," carro a toda s 8S pares: • 2 m" 5 I •
3 ," carr. : · 1 m., 2 p cruzados. 2 m , 2 t • 5 ," carr.:
• 2 m .. 2 p cruzados. 1 m" 2 (. ", 7 ," carr. : · 3 m .
2 p cruzados. 2 t. ' .
BARRA FURADINHA
Em um numero de pontOs divisível por 6 m81S 2 p. , ,"
carr.: • 2 t " passar o lia para trtls. tirar \ p. sem fal er
em t.. !fie. 1 m. sem deixer cair o p. da 8g. esquerda.
rem. o p. sem fazer. sab.e o p. meia tr icotado e tric. no·
vamente o p. da 8g. esquerda. em meiJ. pegando-o POI
Irés; no. 2 p . seguintes ; passando II 3g . por Iras do
1." p. , uic. o 2.° em meia. pegando-o por t.<!is. depOI S
fazê-lo passar por cima do 1 .. e Irie esse 1 .. p. em mela
"; 2 t. 2.· car • • : • 2 m .. 4 t. ' ;- 2 m Repelir sempre essas
2 C8f.
BARRA DE CAÇA
Em um número de p. divi , ivel por 1 I , mais 4 p" ma l$
os p. de borda. 1.· Clr •. : • 4 I "" 1 m. torcido. 1 I
" 13 v.). 1 m. torcido ", 4 I 2 ," carr .: 4 m., • 1 \ .00
1 m. torcido, 1 I."" (3 v.l . 4 m. ",
BARRA OBLIQUA
Em um numero de p. divislvel por 4, mal' os p. de borda
1," ca,r, : · 2 m., 2 I ", 2," ca".: · 1 m., 2 t . 1 m
• l ," ce" ,: • 2 I .. 2 m . • 4 ," ca,r,: · 1 t .. 2 m., 1 I

BARRA OIAGONAL
1," carr.: • 2 m., 2 lo " , 2 ," carr o e toda, .5 petes :
acompanhando o p. 3," carr.: • 1 m , 2 I .. 1 m. " , 5,"
ca".: · 2 I., 2 m. ", 7," carr.: • 1 t 2 m .. 1 1. ", 9 ,"
carr.:comoa '·carr.
BARRA QUEBRADA
Em um número de p. divisivel por 6. mais 01 p. de borda
1," • l ." cerr.: · 4 m., 2 t. ", 2 ," carro • toda ••• per •• :
acompanhando o p. 5,".7, " carr.: · 2 m., 2 I., 2 m
·9,".11," carr.: o 21., 4 m. "
BARRA EM ESPIRAL
Em um numero de p. divislvel por 6. mais os p. de borda.
"", 2," e 3," carr. : · 3 m., 3 1 . • 4,".6," cerr.: · 1
I., 3 m., 2 I. ", 5, · , 8 ,", 14," e 17 ," cerr.: acomp8nhendo
o p 7 ,".9," carr.: · 1 m., 3 t ., 2 m. · 10,· , 11 ,".
12," can.: • 3 I .. J m. ", 13," • 15." c.rr.: • 2 1. , 3
mI' " 115 .". 18."carT. :
o
2m., 31., 1m. ' .
BARRA EM CHEVRONS
Em um número de p. divislvel por 12. mais os p de bor-
da 1." cem.: ' 21 .. 2 m. , 2 I.. 1 m . 2 c. 2 m .. 1 I. '
2." c.rr .• todas as par.s : acompanhando o p. 3."
carr.; · 1 ' , 2 m., 2 I., 3 m . 2 t ., 2 m O 6." carr.: '
2 m . 2 1., 2 m , 1 1 .. 2 m., 2 t., 1 m, 07, ' carr,: 0 1
m .. 2 t .. 2 m., 31 , 2 m .. 2 L '
BARRA PESPONTADA
Em um numero de p. divisfvel por 10. mais os p. de bor-
da. 1." carr,: ' 3 I .. 1 m .. 3 1. , 3 m • 2." . 3," carr. :
acompanhar o p. 4," carT. : em mela
PONTO DE ARROZ
l ."c.rr.: • 1 m .. 1 t . ' . 2." carr.: como a 1. •. mas desen·
conlr.ndo 01 p 0$ p. meia sobre os p. tr icO e
os p. lrlcO sobre os p. meia.)

,
_ri.
, ,I
, '




..
r'
• •



. ,
"
,
,
",

,
,
, i ,
J
.. '
,H', .
,
..

. ,
,
,
, j', •
..


"
..
, '
..
.'
..
• •

• •

,
"
, •
,
.'
,
"


. ,
, .
, .
,

. ' . . , "
, .' , (' /'.'

: '
,
, "
,.
,
,- . -/ f.' ,.1 I'
:.',' " /" l • -
',), ;,
•• I • ) ,. , • •
,
..
. . , ' .'
. J I'· J :
"
"t, ti I
,
o. '" ..' 'I
... " . '
,- y) \dJ j, :-J" ".,
.... ,", r'" ': "íV
'
1" '" ';":" f. /' ;_ ,
I
' I ". .'
,.. \ 1) .. ', , /'1 . 1 .. ' , " \"',
, , .
38
PONTO DE AREIA
L" carr.: em meia. 2." can .: · 1 m" 1 t • Recomecar
na l .· carr,
PONTO ANDALUZ
1," carr.: em meia. 2," carr.: em tricô l ," carr.: • 1
m .. 1 t. " 4," carr.: em tr icO. Recomecar na 1." cem
PONTO ANDALUZ DUPLO
I ," cerr , 8 todas 81 Imperes : em meia 2," carr. • 2
m . 4 1. ' , 4 .·carr.:3L, ' Zm 4\ ' , 2m 1 t Recome
ca. na 1," caff .
SALPICADO SIMPLES
Em numero de p. diyi slvel por 4 maIs os p. de borda
' ," carr,: ' 3 mO, 1 1. ' , 2." ca,r. e todas 85 paras : em
tr icO. 3 ," II 7 ," carr.: em meia 5," carr o 1 m • 1 t
3m. ' , II .. 2m.
SALPICADO DUPLO
Em um número de p. divisível por 5 mais os p de borda
I ," cerr ,: ' 3 L 2 m ' , 2." carro e todas 85 parei . em
tricO 3 ," carr. ;' 1 1. , 2 m .. 2 \ . •
PONTO PESPONTADO OBLIQUO
Em um número de p. divisl vel por 5, mais os p. de borda
1," cerr,: • 4 m .. 1 \. ", 2 ," carr.: • , t .• 1 m .. 3 t •
3 ." carr.: · 2 m .. 1 t.. 2 m. ' . Cont inuar deSlocandO de
1 p. em cada carr,
CHEVRON PESPONTADO
Em um numero de p, divislvet por 8, mais os p de borda
1." carr.: " 1 13m, ", 2,' carr.: • 1 m .. 5 11 m
1 1. ". 3." carr,: ' 2 m., 1 I., 3 m .. 1 11m ". 4.' carr.:
• 2 I .. 1 m .. 1 I .. 1 m , 3 \. "

CHEVRONS TRINCADOS
Em m número de p. divis(ve( por 18, mais os p. de borda.
1.' carr. : · 1 m .. 2 1. , 2 m., 2 1.. 1 m .. 1 t. ". 2." carr,:
• 3 m., 2 1, . 2 m., 2 1., 1 m., 2 1.. 2 m., 2 I" 2 m . •
3." • 4." carr.: continuar deslocando de 1 p para a es-
Querda. em cada carro
TRAÇADO OBLIQUO
1.' carr. : • 6 m .. 2 I, ". 2,' carr, : • 1 12m. 5 t "
3.' carr,: • 4 m., 2 I .. 2 m • 4,' carr. : • 3 I .. 2 m
3 1. ". 6." carr.: · 2 m .. 2 t. . 4 m. ", 6 ," carr.: em Ir icO


TRAÇADO HORIZONTAL
Em um numero de p divisl llel por 10. mais 0$ p de bor
de. 1," carr. : · 4 m .. 6 t. · 2 ," carr, e tod ••• s par •• :
em tricô. l ,". 7," carr. : em meia 5," cur.: · 5 t ., 4
m . 1 t •. o.
TRAÇADO VE RTICAL
Em um numero de p. dlvisl".t por 6, mail 01 p. de borda
1,· , l ," II 5," clrr . • 3 m .. 1 I. torcido. 2 m. ", 2 ,",
4," • 6." carr.: • 2 I .. 1 m. torcido. 3 I • 7 ,", 9 ," •
11." cerT.: · 1 I. torcido, 5 m ", 8 , " 10,".12," carr.:
• 5 I., 1 m. torcido ",
PONTO DE GRADE
Em um numero de p. divillvel por 8, mais 01 p de borda
1," cerr. : • I 1 .. 7 m ", 2 ," e 8 ," carr, : • 1 m .. 5 I.,
1m., 1 I. ", 3 ," • 7 ," urr, : • 2 m .. 1 I .. 3 m., 1 L, I
m • 4 ," . 6," carr. : • 2 t .. 1 m I I . 1m .. 3 I • 5,"
carr. : o 4m., II., 3m ",
LOSANGOS PESPONTADOS
Em um número de p. divl.lvel por 12. mais 2 p maiS
os p. de borda. I ," car,. : · 6 m., 2 t ., 4 m ", 2m. 2,"
e II ," carr. : 2 I., . .. 2 I., 2 m. - 12 II I. 4 I • 3," e
5," c.rr,: • 2 m, 2 t.. 6 m .. 2 I, " 2 m 4," c.rr, : 2
m,, " IOI .. 2m, · ,
LOSANGOS SALPICADOS
Em um número de ponlos divililvel por 6, m.ili Oli p, de
bord •. 1.".6." carr, : ' I m., I I .. 4 m ". 2," carr, e
toda. a. par •• : .companhar o p. 3." can. : • 1 I .. 1
m .. ll .. 3m. " 7," al' ," carr, : '4 m., 11 , 1 m '
9." carr.: · 3m .. ll .. 1 m .. l I. ' .
PONTO DE LAJOTAS
Em um numero de p. divi.lvel por 8. mail os p. de borda
1." e 16," carr, : " 1 1. 6 m .. 1 1. ", 2." carro e toda.
a. para. :.comp.nhar o p. 3.".13." carr . : · 1 m .. 1
L, 4 m., 1 t ., 1 m • 6.".11." carr. : · - 2 m . I t
-(2v.l. 2m. " 7 ," . 9 ," carr. : " 3m, 2t 3m, '
17," carr, : recomeçar na 1." carr,
3.
40
PONTO OE DAMAS
Em um número de p. divislvel por 12. mais OS p. de bor -
da. 1," carr.: · 2 m., 5 I .. 2 m., 3 t. · 2 ," carr o e todas
as par.s: acompanhar o p. 3," e '9," carr.: · 1 t 2
m 3 t" 2m., 21., I mI l. ' 5,". 17,· carr.: · 2
\',2 m. '1 .. 2 m .. 21., 3m, " 7 ,". 15,·carr. : · 1
m .. 2 1 .. 3 m., 2 t. , 2 m., 1 t . 1 m ". 9 ," e 13 ." carr .:
• 2 m., 2 t .. 1 rn .. 2 1. . 2 m .. 3 I • 11 ." carr.: · 1 I
2 m" 31 .. 2 m., 4 1 ".
LOSANGOS ENTALHADOS
Em um numero de p. divisl vel por 14. maIs os p de bar
da L" carr.: ' <lO 1 1., 1 m .... (4 v), 6 m • 2," carr o
e toda. a. pares : acompanhar o p 3,' e 15," carr o
o oe 1 m .. 1 I, DCI (3 vJ. 4 m .. 1 1. . 3 m • 5," e 13,"
carr.: " 2m., ll , lrn_.l l ,, 4m , lt 1m 112
m. · 7 ." II " ." carr.: • 3 m . 1 to 4 m. 00 1 \ . 1 m
00 (3 vI ", 9 ." carr. : • 6 m .. 00 1 mIl .... (4 vI •
LISTRAS SALPICADAS
Em um nlimero de p. divis1vel por II , maIs 5 p .. mais
os p. de borda. 1." carr. : 5 m • 1 mIl. 1 m 1 t
1 m I L 5 m • 2." carr.: • 6 t 1 m 1 t 1 m 1
tlm. · . 51.
PONTO DESENCONTRADO 11 I
Em um número de p. divislvel por 6 maIs 4 p maIs
OS p. de borda. 1.· , 3.". 5.", 7 ," .9." car r.: · 4 m 2
t. ' . 4 m. 2." carr, e todas a. pare. : em tricô. 11 ,",
13,", 16,", 17," • 19 ," carr ,: 1 m .. . 2 1., 4 m • 2
t., I m. 2 1." cau.: recomeçar na 1," cau.
PONTO QUADRICULADO 2 E 2
1." carr,: • 2 m .. 2 I. ' . 2. " carro ti toda s as pares
acompanhar o p. 3," carr . : • 2 I., 2 m, ' 5," cau,: reco
meçar na I " carr,
PONTO DE MASSA
1," carr. : em meia, 2 ." carr.: em mela. 3," carr.: · 1
m., 1 I. • 4 ." cau. : lriC. acompanhando o p 5." car' ,
recomecar na 1." carr
PONTO ENTRELAÇADO
Em um número de p dlvisivel por 6 maIs os p de borda
1,"" 7 ," carr, : em mela 2." ti 8 ." carr. : em triCÔ 3,"
.5," t:art .: • 1 m . 4 I .. f m . • 4 .".6." carr . : • 1
1,, 4 m., 1 t. · , 9 ." . , 1. " carr.: · 2 t 2m 21 ' 10 ,"
e12." carr. : · 2m . 2t., 2m ' .
42
, o::.l . • r:. r.. r
· r. r. .,.. r r ~
· - r' '" ,.. ... r
• # \ -5-1' ti " . # , ,.
· I": I: r r:. .r •
C ~ . -r. r.
PONTO GRANITÉ
1.· c.a" . • toda •• s Imp.r •• : • 1 I .. passar o lio par'
Irás, tir.r O p. seguinte sem fazer, Irazer o fio novamente
p.'. a fre nte ", 2,- ca,r. e toda •• s carro par.': em
nicb.
BARRA FLEXlvEL
Em um númerO de p. divlslvel por 3. mais 05 p. de borda
1.· ce".: • , m.; 1 m. sem deixá-to cair da 8g. esquerda.
passar o lio para 8 frente, para !fie. juntOI em I. o p.
que nlo caiu e o p. seguinte: passar o lio novamente
p.r. trás ' . 2,- carr. : em tricô. .
OVOS DE FORMIGA
Em um número de p. di",].I..,.' por 4. mais 01 p de borda
1,- cerr.: · 2 m., tirar 2 p. sem luer em 1. ", 2," can. :
• 2 I., 2 m. ", 3 ," carr.: ' tirar 2 p. sem fazer em I., 2
m. ", 4 ," carr.: • 2 m .. 2 t " . Recomeça r n8 L" ClrL
TRIGO GERMINADO
Em um número par de p. 1.· . 3.· . 7.· • 9.· ce" .: em
meia. 2.- carro • Ioda. a. par •• : am uic6. 5.- carr.:
• 1 m .. 1 p. duplo Iln uodUlir a ag. no p. seguinla da
catl. anlerior, 'lar pé-;. 221 • . 11 .- carT.: • 1 p duplo,
1 m, ' . 13.· carr,: racomeçar na 1,- carro
PONTO DE ALVÉOLOS
1." carr.: em meia. 2." carr.: em meia. 3 .· carl.: • 1
m., 1 p. duplo ' (ver pago 22) . 4." carr,: • levanulI,
com a ag, direita, o 110 do p. que se desmanchou na carro
anlerior (com a execuçlo do p. dupla) e trlcola-Io em
meia, junl O com O p. acima dele ; 1 m, " 5," carr.: •
1 p. duplo; 1 m. " 6 ," carr.: · 1 m.; com a ag, dlreil8,
levantar o 110 do p. que se desmanchou na carr, anterior
(com a eltecuçlo do p. duplo) e tricotá-lo em maia. junlO
com o p. acima dele " Repetir sempre a 3,", 4,", 5" e
6." carro
PONTO GRANITÉ
COM PONTOS SEM FAZER
Em um mimaro de p. divislvel por 4, mais 2 p I ." e
3," carr.:( avelso do trabalho) " 1 m .. 1 I, ' . 2 ," carr.:
• 1 I., pasur o lia para Iras. tirar 1 p. sem lazlr em m.,
2 m., 1 lae .. rem. o p. sem fazer sobre 05 2 p, e a laç
", 1 I .. I m, 4, " carr,: 1 I .. 1 m., • I L, "o alral, tirar
1 p. sem fazer em meia, 2 m., 1 laç. , rem o p. sem faze r
(como na 2 • carr.l "
PONTO DE FAVO
Em um numero par da p. 1,· • 3,· carr.: em mela. 2."
carr.; • 1 m., 1 p. duplO (ver pág. 22) ' 4." carr.: •
1 p. dupla, 1 m " 5," carr .: ,ecomeçar na 1," carro
,
PONTO DE CESTOS
Em um número de p. divislvel por 9, mail 6 p .. mais
01 p. de borda. 1,- , 3,-.5," ca".: · 6 1., 3 m. ", 6
t. 2.· ca" . • toda. II pIrai : tric. acompanhando o p.
7,".9," ca".: · 6 m .. 3 t. . , 6 m. 11 ," ca". : recomeçar
na 1," carro
AS JANELAS
Emum n(lmeto de p. divi&lvel por 12. mais o. p. de bor-
da. 1," • 11." ca".: • 2 m .. 6 L. 4 m. ", 2 ,· ca". a
to da • • 1 Plr •• : It ie. acompanhando o p. 3 .· , 5 .· . 7.·
• 9 ," ca".: • 2 I., 6 m., 2 t.. 2 m. ", 13," Clrr.: em
mal • . 14.· CI,r.: em trlcõ. 15.· carr.: recomacar nl I ,·
Cltr.

TRIÀNG ULOS..sALPICADOS
Em um numero de p. divlslvel por 12, mail 01 p. de bor-
da. 1," carr.: • 6 m., 1 t .. 5 m. ", 2," cI,r.: · 4 I., 3
m . 5 I. ", 3," carr.: • 4 m., 5 t., 3 m. ", 4," CI,r.: •
2 t ., 7 m .. 3 1. ", 5," • 2 m .. 9 I .. 1 m. " , 6," •
12,· ca".: em trlcO. 7.· carr.: o 1 1 .. 11 m. · , a ,·clrr.:
• 1 m., 9 I., 2 m . • , 9,- cerr,: " 3 I .. 7 m" 2 I, . , 10,-
c.",: · 3 m" 5 I .. 4 m. ", 11.· c.rr, : · 5 t .. 3 m .. 4
t. " ,
FOLHAS SALPICADAS
Em um número de p, div!s!vel por lO, meis os p. de boro
de, 1,- , 3 ,", 4." • 16,· cerr.: em tricO, 2." ce",: em
mel. , 6,· cerr,: " 5 1. , 5 m, . , 6 ," c.". : · 1 m" 5 t ..
4 m. · , 7 ," Clrr.: · 3 I" 5 m .. 2 t. ", 8,· c.rr,: · 3 m ..
5 I" 2 m . • , 9. " ce",: • 1 I., 5 m .. 4 I . •. 10," c.rr.:
1m mli •. 11 ,· cerr.: " 1 m., 5 I., 4 m . • , 12." CI".:
• 3 I .• 5 m., 2 1, ". 13,· cerr,: · 3 m., 5 I .. 2 m. ". '4."
cerr.: " 1 t., 5m .. 4 1. ", 15.·c.rr.: " 5 m .. 5 1. " ,
PONTO DE ARROZ DUPLO
1,· Clrr.: " ' !fi .. 1 1. · , 2." c.rr, I tod • • •• plrlS: IriC.
Icompenhendo o p, 3.· cerr.: " 1 L. I m . • ,
LINHAS GRANITÉ
Em um número p.r di p, 1." cerr,: em mell, 2,· Clrr.:
2 p. Jun los 1m mlll dur.nte. Clrr. lod • . 3." cerr.: IriC,
2 p, em p. " vu pele frente I 1 VII por Ir's), 4."
Clrr.: 1m vlcO.
.# "" . ' ".,. ,
-j: j )':í JÍ.:,t
# ,y)/Jlj/)HijJI
, ,Ú . "i,l..- '1 t
'-"
4 '
GRANITE VERTICAL
1.' . 3.' • 5.' cert.: • com o fio na Ireme, tirar 2 p sem
'&ler em L, passar o fio sobre. ag .. 2 m lo fio lorma
1 fac·) " , 2,", 4,".6," carr. : · 2 L, Ide.. juntos em meia
o p. 8 a laç... pegando-os por trb. 1 m. ", 7 ,",9,". 11 ,"
ca". : • 2 m .. com o fio na Irenl8. tirar 1 p. sem fazer
em 1., 1 laç.; com o fio atrás. ti,.r 1 p sem luer em
,ricO ' . 8 . ", 10. · • 12.· cau.: • 1 m., 2 p. juntOS em
meia, pegando-os por três. 2 I. ",
o ENXAME
Em número de p. divislvel por 4, mais os p. de borda.
1.", 2.", 5.", 6,· , 8.", 11.", 12,".'4," urr. : · 2 L.
2 m. ", 3 ," . 9 ," carT.: · 2 t .; com o fio ne Irente tirsr
2 p. sem lazer em t. ", 4,".10." ca"' . : com o fio atrãs.
tir., 2 p. sem fazer em I .. 2 m. ' . 7.· carr. : • 2 t. , Iric..
juntOS em meia. os 2 fios das carr o anteriores. o p. se-
Oulnl8, 1 m. ' . 13.' cau.: • 2 t., 1 m., 1 m. com 2 fios
como na 7.' carro •. 15.' carr.: recomecar na 3.' carro
BARRA INGLÊSA OESENCONTRADA
Em um numero par de p. 1.' e.rr.: em meia, 2. ' , 3.' ,
4.' e 6.' Clrr.: • 1 m., 1 p. duplo •. 6.' , 7.' , 8 .' e 9.'
c.rr. : " 1 p. duplo, 1 m. ". 10.' Clrr.: recomeçar na 2,·
carr.
NOTA · Na 6.' elO.' earr. o p. duplo' executado pegan-
do lamb6m o lio caldo da carr. Inlerior.
GRADE
Em um numero de p. divisivel por 6, mais os p de boroa
1.' e 3.' earr.: " 2 t .. 2 m .. 2 t, ", 2.' Clrr. e todas
IS pares : tr ic. acompanhando o p 5,' carr.: • pOr 2
t. numa ag. IUlulllr colocada atrts do trabalho, 1 m., tric.
2 t, noS p . .. espera na ag. aU.lmar, pôr 1 p. numa ag.
au.lili.r na frente, 2 t., tric. em meia o p . .. espera na
ag. auxil iar ". 7.' Clrr, : recomeçlr nl 1,' carr., deslocan-
do de 3 p.: começar com 1 m" • 4 t .. 2 m . •
TRELIÇA
Em um número de p. divislvel por 7, mais 5 p mais
os p. de bonla. l .' carr, e todal.1 Imp.rel : · 5 1.. 2
m. torcidOI ", 5 1. 2.' carr. e todl l II parei : 5 m., "
2 t. torcido .. 5 m. ". Depoil de terminar o trabalho, reu-
nir as b.n.s 2 a 2, com um. agulha de tapeç.ri., desen-
contrando cada 10 ou 12 carr,
BOLAS
Sobre um fundo em p. meia liso, fazer boi .. separadas
por intervalos regulares Icada 12 p,l e desencontradas
Icada 12 can.). do seguinte modo: trie. 5 m. em 1 p .•
peg.ndo-o, alternadamente, pela Irenle e por Irts, vjrar;
fazer 4 carr, em p. meia nesses 5 p. ; depois. com a a9,
e&Queroa, rem. sucessivamente os primeiros p. sobre o
5.' , começando pelo 1.' p. mais prÓllímo.
44
SMOCKS
Em um numero de p dlvlsivel por 6 m,lts 2 r maiS
0$ p. de borda. 1," c.rr. : 2 L • 4 m. 110 p. seguinte
(alternadamente. 1 Vai pela IIeme. 1 vez por tras), 2 1.
1m .. 2 1 ", 2 ,".4," ca".: · 2 mil . 2 m., 4 m
enrolando o fio 2 vezes em volta da 8g (para cada p.'
", 2m 3,".6." ca".: 2 1 • trie. 4 m deixandO cair
em cada p. 8 laç. $4Jplementar da carr anterior. 2 I 1
m. 2 I. ' 6," carr. : · 2 m . 1 1 .. 2 m . 4 p. juntOS em
t. ", 2 m. 7," c.rr.: 2 I • 1 m , 2 I., 4 m. no p. seguinte.
2 I. ", 8 ,".10," carr.: · 2 m.; (f ie 4 m enrolando o
fio 2 vazes para cada p 2 m 1 t ", 2m 9 ," • 11 ,·
carr.: 2 I., • 1 m .. 2 I. 4 m., c!eutando cair. em cad.
p., a laç. suplementar d. cerr anterior. 2 I • '2, " carr.:
• 2 m .. 4 p juntos em IrlCO. 2 m" 1 1 ", 2m Para o
ponto da 1," 1010 . depois de terminar o trabalho.
reuni' as barras 2 ii 2 com uma 8g. de tapecaria. cada
12 carr.
A 2." fOl o fi do avesso do ponlO da 1." porflm
serT' reunir as barras com I ag, de tapeçlrrl
FAVO OE MEL
Em um numer de p d,v",vel por 4 1." Clrr .. • 2 peru
ladOS 6 dlreila 2 p cruzados é esquerdl {ver Iflc",CI
pég. 21 e 221. 2 ." Clrr. I todls I' CI" . pIre • . em tll CO
l ." Clrr. : • 2 p. cruzados é esquerda. 2 p cruzados é
direila •
NINHO DE VESPAS
Em um numero de p. dlvi.ivel por 4 mail o. p. de borda
1." carr .; · com o lio Itrés. tl r.' 2 p. sem Iller em !fiCO.
2 p. cruzados é eSQuerda {ver p6g 21) • 2 ." carr.: •
com o fio na frenle. tirar 2 p. sem fuer em tr icO. 2 p.
cruzado. 6 direita Iver pAg 221 ' l ." ca rr.: em mela
4." Clrr .: em !ricO 5." c a".: recomecar na 1 "carr • des
locando de 2 p.
BOLAS VERTICAIS
Em um numero de p. divislvel por 8 mi is 3 p . mais
os p. de borda ' ." Clrr.: · 3 m 2 t.. !ric. 4 p. no p .
.. guint. ( 1 1..1 m 1 t . I mirem 04"p dalg direi ·
la. sobre os 3 outros. O l· sobre 2 e o 2" sobfe 1
2 I, " 3 m 2." Clrr.; 3 1 .. • 2.., 'c. 2 - 1 •
l .· e 4 ." carr ,: tr ic. acompanhando o p
BOLAS OBLIQUAS
Em um numero de p dlv"lvel POI 6 1.' c arl .: • 2 m
1 bola {tric. 6 m. em , p., pegando alternadamente
pela frente e por liAs. rem 5 desles p sobore o 6 °1. 3
t " 2." carro a toda. I' pare. : tll C. acompanhando o
p. l ." Cllt.: · 1 I .. 2 m , 1 bola. 2 t ' Continuar desto-
cando lempre de 1 P .. para e esquerda
,

Il0LAS OESENCONTRAOAS
Em um numero de p. di vislvel por 6, mai s os p. de borda.
1.· • 3.· ce" .: em meia. 2.· ca,r, : em tr icO. 4.· carr.:
• 4 1., 1 bola 12 t. .. virar. lir., 1 p. Mm luer. 1 m.,
Virar, tir.r 1 p. Mm fazer, 1 I . .. 13 v.ll o, Cada 4 can.,
desl ocar de 3 p.
OS CALlCES
Em um número de p. divisivel por 8, mais 01 p de borda.
1,· , 2,",3,".4," carr.: · 4 m., 4 t. ", 5," arr.: 4 t.,
pOr 2 p. numa 8g. aUllm., colocada na ftenle do Iraba-
lho. tr le. 01 2 p. seguintes em maia. depois os 2 p. da
8g. auxiliar · , 6,· ca".: recomeçar n. 2," carr., acompa-
nhando o p.
OS PINGENTES
Em um numero de p. divislvel pOr 6, mai s 1 P .. mais
o. p. de borda. I ,· carr. : • 4 m., 2 I . " , 1 m. 2 ,", l ,"
a 4.· carr.: tric. acompanhando o p. 5.· ca".: • Introdu-
zir a ag. direila depois do 4," p., pu •• r o lia. 1 m., 2 L,
J ffi . " , 1 -:no 6," carr.: 1 t., • 3 L. 2 m., 2 p. junlOS em
1. ' . 7.- , 8.- , 9. - e 10.- carr.: uic.. acompanhando o p.
11 .· ca".: recomeçar na S.- carr., deslocando de 3 p ..
iSlo li. começando com 3 m" in troduzir a ag. direita, elC.
AS GUIRLANOAS
Em um numero de p, divislvel por 10, mais os p, de bor-
da. 1.- carr.: · 3 I" 5 m" 2 1. · , 2 .- e 4.- carr.: · 2
m., 5 13m ' . 3.- carr.: • 3 L .. 1 aum. intercalado
em meia lecldolver pago 9), 1m .. 3 p JuntOS em tricO,
I m., I aum. Intercalado. 2 I.· .
AS ARGOLAS
Em um numero de p. divislvel pol 8. ma is 4 p .. mais
os p. de bolde 1. - ca".: • 4 1_, 2 m cruzados a eaquerda
Iver pég 21). 2 m, cruzados à direita (p6g. 22) . , 4 I .
2.- caIr. e Iodas a. pares : IIIC. acompanhando o p. 3 ,-
e 5 ,· ca",; • 4 I .. 1 m., 2 t.. I m. " 4 t.
AS CORRENTES
Em um numero de p. divi slvel por 7. mais 4 P . mais
os p. de borda. 1.- e 3 .-carr.: • 5 t" I m" I 1. · , 4 t.
2.- carro e Iodas as pares : !fic, acompanhando o p, 5.-
a 7. ·carr,: " 4t.. 1 m .. 1 t., 1 m. ", 41.
45


-.


-#
,
-'
, ' .
,
.-


,

"
,

-
, ,
,

,
• •
"

,


,

,.'
' .

,
• •


"
I . /" J .')
~ ,l t' .1' I ~
,) . ,I.' I' .}" ,-
~ , . , I J' I ~ .}' .
,,' " I" l' ,
" " f r - .(
," - ',",'
46
,.
_.

• •

_.

• I





,
-
,

,

,

I
I' ./'

,
••
,
I I

PONTO TELA
Em um numero par de p. ' .• cau.: . , m passar o 110
par •• frente. Inlr 1 p. sem faze, em I .. passar o fiO para
trãs" 2,- carr. : · 1 t. pISSlr o lio para ub, IIrar 1 p
sem fazer paSlar o fio para a frente"
PONTO MEIA TELA
Em um numero paI de p. 1," carr.: • 1 m . passar o 1'0
par. I fl enle. lirar 1 p sem fU8r em L passa, o tio pl18
Ir" ", 2," . 4," carro : em tricO. 3," carr.: • com
o fio n8 frent8. tirll 1 p. sem f,zer em tricO. com O 1' 0
atrill, 1 m ",
PONTO DE BARRA TECIDA
Em um numero Impar de p. 1," carr.: · 1 m" passar o
fio pari' Irent8, tlrlr 1 p. sem lazer em t traUI o 1'0
novamente paf' Irh " , 1 m 2.· carr .: em tr iCÔ
BARRAS CORTADAS
Em um numero de p. divislvel por 6. mais os p. de borda
1 .• carr. : " J I .. lirar I p. sem laZlr em Irlc6. passaI o
fio pala Ir". I m .. passar o lio para a lreme lIral I P
sem laZlr em t. ". 2.· carro a toda. a. pa, • • : " 3 I
J m. " 3 .· carr.: " J I .. 1m .. lio nalrenle. mar 1 p
sem faler em lI ic6, Iio atrb, I m. "
GRÃO DE PÓ
Em um núme,o per de p I ,· Clrr.: · 1 I passar o 110
para 11115 Ilr.r I p sem lazer eml passar o 11 0 paraalre nle
• 2 ," Clr" e toda. I. pa, •• : em IfIc6 3 ,· Clrr,: ' fio
allb. li,a, 1 p sem I'le, em L, fio n.l,ente, 1 I ".
OLHOS DE PERDIZ
Em um número pa. de p, 1.· carr.: " I m . ' Irar I P
sem fazer em 1, ", 2 ," carr o e toda. a . pare. : em Iric6
3.· carr,: " lirar 1 p. sem fazer em I., 1 m. "
PONTO TECIDO QUADRICULADO
Em um número de ponlOS dlv.slvel po, 12 mal' os
p de borda 1,", 3.' 5," 7,",9." ca",: " 9 m passar
o fio p.ra • Irente, ' Ira, 3 p sem lazer em I" passar o
l io para ",. ". 2.· ca,r, e toda ••• pI' •• : em triCÔ
11 ,· " 13,· • 15," c.rr.: • 1 m., 110 na frenle, tira, 3
p. sem taze, em 1., fio allb, 1 mO, tio na "ente, tirar J
p. sem fazer em I .. fio at rb , 1 m , lio na frente, tirar 3
p, sem tarcl em I .. fio alr65 ' ,
FUNDO TECIDO HORIZONTAL
Em um número de p, dNislvel por 3, ma il 1 P . m' ls
01 p, de bord • . 1.· CIH.: em meia. 2.· ca,r,; • 1 m
tirar 2 p. 11m f.zer em I. ". 1 m. Recomeçar n. 1 • c."


-
PONTO TECIDO OBLIQUO
Em um numero de p. divislvel por 4, mais os p. de borda.
1," carr.: • 3 m., passar o lia par •• frente. tirar 1 p.
sem faler em I .. passar o lia para tré. ", 2," carr. ' tod ••
•• par •• : em tricO. 3 ," an.: · 2 m .. lio na lenl8. tirar
I p. sem fazer em t ., fio IIrãs. 1 m . •. 6.· carr. : • 1 m,
lia na frente. tirar 1 p. sem lazer em I., lio atrás, 2 m.
1 ," carr o : . fio n.lrente. tirar 1 p. sem lazer em
1 .. ',oatr8S. 3m ·
PANO DIAGONAL
Em um numero de p. divlsl ... el por 4, mais 2 p., mais
01 p. da borda. 1.· carr.: • 2 m., plHar o fio para ii
frenle. tir.r 2 p. sem luer em t ., plSsar o lia par. trás
", 2m. 2," afr. 8 toda. a. pare. : em !ricO. 3," carr.:
lio na Irente. tirar 1 p. sem fazer em 1., lia 8Ir.', • 2
m., fio na frenle, tirar 2 p. sem fazer em L. fio atrés ' ,
1 m. 5," carr.: fio na 'rlnla. t ir.r 2 p. sem falir em L,
lio alrAs, • 2 m., 'fio na frenle, tirar 2 p. sem fazer em
I., fio atrás •. Continuar deslocando de 1 p. cada 2 carro
PONTO PENEIRA
As fotos ao lado apresentam dois aspectos deste p. tri-
cotado:
A) Com agulhas um pouco mais granas.
B) Com ag. normais.
Em um número parda p. l .-carr. e todas as Impares :
em meia. 2.- carr.: o 1 m., lirar 1 p. &em fazer em t.
o . Terminar com 2 m. 4,- c.rr.: 2 m,, · tirar 1 p. &em
fazer em I., 1 m . •
PONTO CRUZADO
Em um numero par da p. 1.- carr.: lia aliás, lirar 1 p.
sem fazer em t ~ 1 m .. 1 laç" rem. o p. Mm fazar. sobre
o p. meia e a laç . •. 2.- c.rr, • todas as pares : em IricO.
ESle ponto Iam tendlncia a enviesar, evilar usá-lo para
trabalhos grandes .
PONTO CRUZADO DESENCONTRA-
DO
Em um número par de p. 1.- carr.: · t irar 1 p. sem fazer
em t .. 1 m" 1 Iaç., rem. o p. sem fazer, sobre o p. Ir ic.
e a laç . •. 2.- carr o e todas ai pare. : em tr icO. 3.- carr.:
1m., • lirar 1 p. sem fazer em I., 1m., 1 laç., rem. o
p. sem lazer, sobre o p. trie. e a laç.", 1 m. Este ponlo
tem tendlncia a enviesar. evilar usá-lo para trabalhol
grandes.
PONTO CRUZADO oBLlauo
Em um número de p. divislvel por B, meis os p. de borda.
1.· carr.: • 2 p. cruzadol A eSQuerda ltlrar 1 p. sem fazer
em l , 1 m .. 1 laç. , rem. o p. sem fazer sobre o p. meia
e a laç.' (2 v.1, 4 m . • . 2.- carro e todas ai par.s : em
Ir icO. 3.· c.rr. : • 2 m., 2 p. cruZadOI • eSQU.rda (2 v.1.
2 m . •. Continuar desl ocando de 2 p. para a eSQuerda,
cada 2 carro 41
I' '
,
, '
"
H
; .
"
. ' ,
, "
I'
I '

, .
..

, •
, ,
. '
,.
, t'
, ,
"
48
• . \l'/ , . ,
"
.- ,
"1.

, '
, . ,
V
"
I I I\.
,
;.;' ,,"
" .. .I '
. \. . ,
PONTO DE GRAMA
Em um numero de p. di..,lslvel por 5. mais os p. de borda.
1,- carr. : · 3 m .. tirar 1 p. sem fazer em 1. , 1 m., llaç..
rem. o p. sem lazer lobre o lrie . .. ti laç . •. 2.· ca" .:
em tricô.
DIAGONAIS EM RelEVO
Em um numero de p. divlslvel por 6, mais 01 p. de borda.
1.· C.H.: • 1 t., 2 m. cruzados' direita, 2 m. cruzados
• esquerda, 1 I . • (ver pago 22 II 211. 2.· carr . • tod,,1
•• par •• : tr ie. acompanhando o p. 3,· carr. : · 2 m. cru-
ZadOI • direit • • 2 m. cruzados' eSQuerda. 2 I. " . 6,·
urr.: contlnuer deslocando de 1 p. para I direila.
LISTRADO oBLlauo
Em um número de p. divislvel por 7. mais 01 p. de borda.
l ,· carr. : · 3 m., " 2 m. cruzado.' direil •. 2 m. crun-
do •• lf!Querde .... . (ver pago 22 ti 21). 2.· cerr . • toda.
a. par •• : em tr ice . 3 ,· c.rr.: · 2 m., recomeçar de-
ai' " , 1m . •. Continu.r deslocando de 1 p. par. I direi-
ta. Começar a terminer I 5.' . 9." carr., etc., com 1 m
OS BAMBUS
Em um numero de par de p. 1.· c,,,.: ' 1 laç. em m ..
2 m., rem. I laç. sobre o. 2 m. ' . 2." caH . • toda • ••
plr •• : em trice.
BARRA CRUZADA
Em um numero de p. divi.lvel por 5. mais 2 p, 1,"ca".:
• 2 I .. 2 p. cruzados' direita (ver pág, 221. 1 m. " 2
t. 2 ." Clrr,: 2 m .. · • 1 I" tirar 2 p. sem fazer em t .. 2
m. · . 3,' carr,: ' 2 I., 2 p. CHIZadOI' esquerdl (ver pág.
211. 1 m.· , 21, 4," carr.: 2 m., · J L, 2m. ' .
BARRAS GEMINADAS
Em um numero de p. divi.lvel por 7, mail 3 p" maia
oa p. de borda. 1," Clrr.: · 3 m., - Ilrar 1 p. sem fazer
em L, I m. 1 IIÇ. · , I I. rem. o p. sem fuer $Obre o Iric.
e a laç. - (2 v.1 " 3 m. 2." Clrr.: 3 m .. . 4 I., J m."
OS BARBANTES
Em um numero de p. divialvet por J, mail 1 p. 1.' ca".:
• 1 m .. lirar 1 p. sem fazer em I. 1 m., pegar o p. sem
fazer com a ag.esquerda depois tricotá-lo em mela. 2.'
carr.: 1m u ice.
PONTO CRUZADO FURADINHO
Em um numero de p. divll lvel por 3. mail 1 p. 1.' c.r,.:
Ino IveslO) • 1 t .• 1 taç:;i p. junlos em I. ", 11. 2."
ca". : 1 m .. . lirar 1 p. sem lazer, 2 m., rem. o p. sem
fazer lobre 01 2 m.· . 3." clrr. : · 2 I., 1 laç. · , 1 1. 4.
ca".: • Ilrar 1 p. sem lazer, 2 m., rem. o p. 18m fazer
$Obre os 2 m . •. 1 m. I .' Clrr. : 1 I.. • 1 laç., 2 I. ' .
S. ' çarr.: recomeçar na 2." carro Esle ponlO tem tend'n-
eia a envielar, evitar 1,116-10 para trabalhoa grandes.
ARGOLINHAS
Em numero de p dlvIs1vel por 4 mais 2 p .. mais os p
de borda 1 ," ca". : · 1 m I I. ' 12 v.l. 1 m , 1 1. 2 ."
cetr . • tod •• aI par •• : IIIC. acompanhando o p. 3 ,"
ea".: · I p Imercalado !trre. I m no lio Que
lica entre o p de borda II o p. seguinte), 1 mil., 1
m rem. o p Inlercalado SObr. estes 3 p 1 I • 1 m
1 I 5," cal' :: 1 mil ' 1 p. intercalado. 1 m . 'I
1m .. rem o p imareelado SObre estls J p , 1 I • 7 ,"
carr.: ,acorneear na 3 • ca"
GRÃO DE OLMO
Em um numero de p dillisivel por 4, ma.s os p. de borda
1," c;: arr. e tode. a. Imper., : em meia 2 ," carr. : ' 1
laç .. 2 I .. rem. a laç. sobfe este. 2 p., 2 I. • 4 .' carr . :
• 2 I., 1 laç., 2 t. rem a laç. sobre estes 2 p. ",
TREPADEIRA
Em um numero de p div;sl"., por 6 1," carr.: • tirar
1 p. sem lazer em t . 2 m .. rem o p. sem fuer sobre
os 2 m , 3 m • 2," carr.: · 4 t .. 1 I.ç .. , 1. ' 3 .- carr. :
• 3 m . I lrar 1 p. sem fazer em I .. 2 m .. rem, O p. sem
lazer sob,e os 2 m. · 4 .- carr.: · 1 t .• 1 lac .. 4 t. ".
meça, na 1 - caH
PONTO VAZADO
Em número da p. drvisrvel por 3, maiS os p de borda
1,- carr.: lavesso do trabalho) em meia 2.- carr.: • tric
em meia 3 p. Juntos 1010 deld· los cair da ag esquerda!
depois tric. o 1 o desles p. em m Idelulo cair da ag
esquerda! e em seguida IfIC os 2 ultimos p, Juntos em
m . • 3.- carr, am lIicO 4 .- carr.: em meia
PONTO DE TULE
Em um número Impar de p. 1.
0
carr.: 1m .. • 1 laç,. 2
m, " 2.
0
carr,: 1 t .• • 3 I .. rem, da direita para a esquer -
da, o \.0 p, da ag, direita sobre os 2 úl l imos · , 3,- carr. :
• 2 m .. 1 lac, ", 1m 4 .- carr,: • 3 t .. rem da direita
para a eSQuerda o 1· p. da ag direita sobre os 2 úl timos
" 1 t ,
BARRATORCIDA{1'
Em um numero de p divislvel por 9 maiS 3. mais os
P. de borda 1.- carr.: • 3 m.," 2 p. cruzados 8 di,ella
(I,ie. o 2· em mela depOIS o 1 o, .. 13 v,l · 3 m 2.°
carr.: em IricO
CORDA DE FURINHOS
Em um número de p dlvislvel por 5. maiS 3 p mais
os P de borda 1.° Clrr, : • 1 I , 1 m tor cido. 1 t " 2
m ' . 1 I , 1 m !Orcido. 1 1, 2 ,° carr .: 1 m . 1 I torcido
1 m • 2 I .. 1 m .. 1 t, torcido. 1 m • 3.° carr.: • 1
L. 1 m. torcido. 1 I .. 1 m. 1 lac. 1 m. ' . 1 I. 1 m torcido.
1 I . 4 ,° Clrr. : 1 m .. 1 I lorcido, 1 m • 3 t .. 1 m., 1
t. l orcido, 1 m . • 5 ," Cl rr .: • 1 '-, 1m torcido, 1 1. , 3
m. Rem. o 1 o p sobra os 2 seguintes ' 1 I ., 1 m torci-
do, 1 I , Recomecar na 2 " carr.
49
· '.

- I J
..
,

, '
.,
I'
·1,


,
,
,
· ,.
,
;1,

I ' .. ,
,

,
• •
p,

· ,
... "

.,
....
'. )
,
,
.".
"'1
... :.

I ,
".
-I /

,', I

· •
,,---

I ' ..

,
• • •

-"

..

. " ,.

./
,.



f'
'\ '


,.
50

'
I' • ;"',,'
, . ,
.,


••

,
"
(
,
I,


,
"I'

, .
....
,
• 'F

,

.!
."'" :


...
,
• •
u •

/ ". ,

' ..
,
,


;/
/

,/
I '
I '1
I'
"
,

,
, "
"


,
• (i-
,


.., ,




-
PONTO DE ESPINHA
Em um número de p. dlvlllvel por 4, mais os p. de borda.
1.· carr. : • 2 p. cruzados III direita lide. primeiro o 2."
p. em mela, depoil o 1."" 2 p. cruzados III esquerda (trie.
primeiro o 2." p. em meia, pegando-o por trtis. depois
a 1."1 -, 2," carr.: em mela.
PONTO DE ARESTAS
Em um número de p. divisivel por 8, mais 4, mai s 01
p. da borda. 1.· carr. : • 4 m .. - 2 p. meia cruudos •
direlt • • 2 m. cruzado. III eSQuerda" • . 4 m. (ver pég.
22.211. 2," carr.: em meia.
PONTO DE SULCOS
Em um númaro de p. divislvel por 4, mais 0$ p. de borda.
1." carr. : • 1 laç, 4 m . •. 2." ur,. a tod • • • 1 par •• :
em tric6. 3,- carr. : • 1 laç., no. 3 po .. guinte .. !rico
primeiro o 30· em mela, passando na frente dOI 2 ou-
trol, depoil Juntol em meia, o 20· e o l o· ; no. 2 .. guin-
te., trie. O 20· em maia por Ir.t .. depoil o l o" em meie
· 0 6 ,a ce"o! recomeçar ne 30
a
cauo
BARRAS ONDULADAS
Em,J,l!"A nümero de po divillvel por 9
0
mais 5 p. mais
0:1 po de borda. 1. a " 5 t., 2 m. cruzados .t direita
2 m. cruZadOI .t eaquerde "o 5 I. (ver p.tg 22 e 2110 2."
e toda I a i pare. : !rico acompanhando o p 30"
5 t., 2 m. CruZ.adOI.t esquerda. 2 m. cruzados
.t dlreila .. , 5 to
CORAÇÕES
Em um número de p. divislvel por 4 mail 05 p. de borda
La • fio au". lirar 2 po sem fazer em I. ui c. o
4.· p. em mela, pegando-o por u.ts; depois o 3.· po em
mela "o 20" fio na hente, tirar 2 p. sem fnar em
I.; Irie. o 40· po em L. depoil o 3 ° tambêm em t ° 3 0"
ca". : em mela. 4 ." carr . . em n icO.
CORDAS
Em um número de p dtvisivel por 6. mais 4 p mais
os p. de borda. 1." carr. : 4 I .. ° 2 mo. 4 I. 0 . 20" ca" .:
.. 4 mo, 2 p. crUladOI em t. (Ific o 2· P em I depoiS
01·) ", 4m
PONTO DE ESTEI1fA (I)
Em um número par de p. 1. " ca". : " passar a ag dire ita
alr.t. do l o· p. , depoll !ric. o 20° p. normalmente em
mela, sem deid-Io cair da ag. eaquerda; em seguida !fico
o ' 0° am meia ". (delxar &air 01 2 po da ag. eSQuerda' 2 ."
a carr.com 1 t °nol 2 p. lNIguinlel. [fic
02.· p. em t . depoil o 1.· 0 . terminar a carro com 1 I.
COROA GRANITÉ
Em um numero de p. divislvel por 8. mai, 2 p., mais
os p. de bord • . 1.· un.: • 2 m., 2 p. Cf"uzado. ti direi tll
(3 v.) . , 2 m. 2 ,* Clrr . • toda • • 1 pi t e. : em tricO. 3,-
carr.: • 2 m., oe CroZllt 3 m .. (lric. o 3.· , depois o 2.·
e o 1.°; deixar cair os 3 p. da ag . • $quero.TIl II.) *, 2
CORDA TORCIDA
Em um numero de p. divislvel por 8. mais 3 p .. mais
os p. de borde. 1,- carr. : · 3 I., 5 m . • , 3 t. 2,* cerr,
e t odes .1 per • • : Irie. acompanhando o p. 3.· cart .:
• 3 L . 1 m., .. deixar 1 p. aei;pef. na &g auxiliar coloclI-
de alras. 1 m., Irie. em m. 01 p . • espera" (2 v.I · , 3
t.. 5.· carr.: • repetir de .. até" (2 v.I, 1 m . • , 3 t. 7 ,*
carr.: recomeçar na 3.- carro
CORDA DE DOIS PONTOS
Em um número de p. divi.lvel por S. mais 3 p" mais
01 p. de borda. l ,- carr. : • 3 t., 2 m . • , J t . 2,*, 3,-
a 4,* carr.: nlc. acompanhando o p. 5,* carr.: • 3 L.
cruzar 2 p. ti direita hric. o 2.- p. em m .. depoil o 1.-
p. em m. e deld· los cair luntOI da ag. esquerdal •. 3
t. 6." carr.: recomeçar na 2.· carro
FUNDO TORCIDO
Em um nümero de p. divisivel por 3, mais 1 p. .• mais
olR' de borda. Mesmal indiceçõel que para a corda de
d011 pOnlOI. mas separando a. cordas somente com 1
••
CORDA SIMPLES
Em um numero de p. di ... isl ... el por 7. mail 01 p. de borda.
1." carr. : " 3 m .. 4 1. ".3 I. 2.-. 3." . 4 .- cerr.: Iric.
acompanhando o p. 5.· u rr.: " 3 L. deixar 2 p . • espera
numa ao. aluliriar colocada na Irente do trabalho. 2 m ..
uic. o. 2 p. ' espera em m. ", 3 t. 6." carr.: como a
2.- carro 7.· carr.: recomecar na L" carro
SERPENTINAS
Em um nümero de p. divi'l ... el por 7 , mais 3 p .. mais
os p. de borda. 1.· carr.: ". 31.. 4 m . • , 3 t. 2.· , 3.-
• 4.- Qrr.: tric. acompanhando o p. 5.· carr. : " 3 I ..
p6r 2 p. numa ag. au.Uiar colocada auãl do trabalho.
2 m .. nic. em m. os 2 p. da eg. au_iliar ". 3 I. 6.", 7.· ,
8.", 9." • 10.· clrr.: tric. acompanhando o p. 11 •
Cl rr.: " 3 1.. pOr 2 p. ' espera numa ag. au_i1iar colocada
na Irenle do trabalho, 2 m .. Irle. em m. 01 2 p. da ag.
au.iriar · , 3. 1. 12.· u rr.: tric. acompanhando o p. 13.·
Cl rr.: recomeçar na 1.- carro
CORDA EM ESPIRAL
Em um nümero de p. di ... lslvel por 9. ma il 3 p .. mais
01 p. de borda. 1.· carr.: " 3 I .. 6 m. ". 3 t. 2.". 3."
. 4.· ca".: Irie. acompanhando o p. 5.· Clrr.: · 3 m ..
p6r 3 p . • eipera numa 1 ag. lu.iliar colocada alrts do
ttabalho. 3 mo, Iric. o. 3 p. da ao. au_iliar ". 31. 6.· ca,.. .:
recomeçar na 2.· carro
-
5
52
COROA TRANÇADA
Em um número d. p. divi."'.1 por 9. mais 3 p.,
ma il 01 p. d. borda. 1,- carr.: · 3 I , 6 m ", 3 12,"
cau . • t oda' 81 par • • : nico acompanhando o p. 3 ,"
carr.: • 3 \ .. por 2 p. ti espera numa ag colocada
atrás do trabalho. 2 m . lrie. em m os 2 p. ti espera
2 m ", 3 I. 5," carr.: • 3 I .. 2 m por 2 p ti espera
numa 8g au .. ilia, colocada na frente 2 m IrIC. em m
0$ 2 p • espera · . 3 I 7 ,e ce".: recomecal na 3 • carr
CORDA FANTASIA
Em um numero de p divislvel por II maiS 3 p. , ma.s
os p. de borda. 1," carr.: · 3 t B m • 3 t. 2,", 3 ,"
e 4 .· cau.: lrie. acompanhando o p 5.· carr.: 3 m. pôr
2 p . • espere numa 8g. eVIl!liar. co'oceda 81rés do Ilabe
l ho. 2 m .. \rico em m os 2 p. da IIg aUkiliar: pOr 2 p
ti espera numa 8g. au .. i'ia, na Irente, 2 m. , Ide. em m
os p. ti 85p8rll ", 3 I 6," carr.: nico acompanhando o
p. 7 .· cafr .: recomeçar na 1." Clrr.
TRANÇA DE QUATRO
Em um número de p. dlvil!vel por 23 mais 5 p., ml'S
os p, da borda 1," I S." Clrr.: · 5 I., 18 m ", 51 2."
Clrr. I todls as pares: Iric, acompanhando o p. 3 ,"
carr ,: ' 5 I,. Da pOr 3 p. numa a9 aUlliliar colocada 8lrh
do Irabalho, 3 m .. Idc em m, os p da 89 IUlliliar Da (3
v,I · . 51 7 ." carr. : SI 3m Da pOr 3p numaa9 aUllillar
colocada na'renle 3 m Iric, em m os 3 p. da a9 auxl '
lIar"(2vl. 3 m · . 5 I
AS ONDAS
Em um numero de p dlvisivel por 7 ma.s os p de borda
1." CI". em meia 2 ." . • toda s as pires : em IricO
3." Clrr, ' pO, 2 p .• espera num. a9 aUlliliar colOCada
alras do Ir.balho. 2 m tric. em m os 2 p da a9 aUllililr
3 m.· S." carr.: em meia 7 ." carr .: · 2 m .. pOr 2 p .li
espera numa a9 aUXIliar na Irenle 2 m IflC em m os
2 p • eSpera 1 m· 9 ." Cl rr,: em meia 11 ." carr., reco·
mecar na 3" carr
VENTO DE AREIA
Em um numero de p. dlYlslvel por 12 mais os p de bor
da 1." carr.: em meUI 2 ," carr, e toda . I ' plrl' em
IricÓ. 3 ." Clrr.: • pór 3 p é espera numa a9 aux.l.ar
colOCada na frenle do Irabalho, 3 m \fIC os 3 p a espe
ra 6 m • S." carr.: em meia 7 ," carr.: • 6 m pór
3 p a espera numa a9 aUlliliar alrh. 3 m IflC, os 3
p. da a9 a .. x.lia; · B." Cl rr.: em Iricó 9 ," Clrr .; recame
c,r na 3 " carr
GUIRlANDAS
Em um numero de p dw.s.vel por 12 maIS 4 p mais
os p d;t borda 1." Cl rr .. 4 I • 2 m, 4 I • 2.". 3,",
4 .", ' a 5." ca". : tric. acompanhando o p 6 ." carr.: 4
m • lia na frente, Ilrar 2""p sem em I "A alras
4 m. · 7." carr. : 4 I , • pór 2 p. numa e9 auxiliar coloca
da na 'renle do trabalho, 2 I I lac IflC juntOS os 2
p. da ag auxiliar em m. pegando 01 por trás pOr 2 p
numa a9 aUlliliar atrás 2 p JunlOS em m I
lac. Iric, os 2 p. da a9 aux,har em I 4 I • 8 ." ca".
4m · 21 . 1 ml0rcido.2t 1m tor cido. 21 4m
COROAS DESENCONTRADAS
Em um número de p dl\ll,lvel por 4 , mais 2 Po, mais
OS p. de borda. 1," e 3," clrr. : · 2 m., 2 I. " 2 m. 2 ,"
e 4," Clrr. : 2 I • 2 m , 2 t. ", 5," Cl rr. : ' 2
;Ii esquerdl, 2 I. ", 2m. cruzados. eSQuerda. 6, · , 8,",
10," e 12," Cl rr. : lrie. acompanhando o p. 7," e 9,"
can . : · 2 I., 2 m ", 2 t 11 ," can . : · 2 I .. 2 m. cruzados
;Ii esquerda " , 2 I
CORDA EM BARRA
Em um número de p. dl..,i,rvel por 4, mJis I p. , maiS
OS p de borda 1,".3," clr •. : · 1 t ., 1 m. 1 I . 1 m
", 1 I. 2 ,", 4," e 6 ," Clrr. : lrie. acompanhando o p. S,"
CI". : • 1 t .. 3 p. cruzados .ii direita (sem deid-Ios cai.
dI ag., lrie. o 3' p em m., o 2," em I e o L" em m ..
deixa. cli. os 3 p. da 8g I ", 1 I
CESTA TRANÇADA
Em um número de p. dlvlslvel por 4, me is 05 p. de borda.
1," Clrr. : em mel • . 2 ," Clrr. e toda . ai p.rIS: em tricO.
3,", 7,", '1.· .. etc.: 2 m. , • pO. 2 p. numa Ig. auxiliar
colocada alrês do Iraba!ho, 2 m .. Iric. os 2 p .• espera
em m, ", 2m S.". 9 ,". 13.", elC.: • pOr 2 p. numa ag.
auxiliar colocada na Iranle, 2 m .. lriC. os 2 p. é aspera
em m "
SEMENTEIRA
Em um número de p diviSÍvel par 4, mais 1 p .. mais
os p de borda 1." e 5." ca rr. : • 2 m .. tirar 1 p. sem
laler em I .. I m. ". 1 m. 2 ," • 8." carr. : ll ' 1 I .. lirlJr
, p. sem I.zer em t,. 2 1. ' . 3 ," carr . : pOr 2 p. ' espera
numa ag .uxiliar colOCada IIrês do trabalha, tric. em
m o p. Que loi lirado sem lazer durante 2 carr .. depois
os 2 p da .g auxll1ar. 1m ", 1 m, 4," e 8 ," carr.: em
IricO. 7 ," Clrr, : 1m ' I m .. deixar o p. sem f.ler sobre
uma ag. aUlliliar colocada na frente 2 m tric, o p. sem
faler em m . •
AVEIA
Em um numero de p, divlllve' por' 9, mais 6 P .. mais
os o, de borda. 1," ca" . : 6 m" . .. lirar 1 p. sem fazlr
em I .. 4 m tirar 1 p. sem I.zer em 1., I m, - (2 v.I,
S m, · . 2 ," carr.· em IricO, tirando sem laler os p sem
fazer da carro anterior 3." carr. : fi m., • - pOr o p. sem
fazer numa &g auxmar colocada na frenle 2 m. tric. em
m o p. II espera. pOr 2 p. na ag, auxiliar colocada atrlls
, m .. depois os 2 p. da ag. auxiliar, 1 m .. (2 v.l, S
m • Recomecar na 2· carr
BARRA ENROSCADA
Em um numero de p. diviSÍvel por lO, mais 3 p .. maiS
os p. de borda I ," carr, : · 3 I . 3 m .. I 1. 3 m. · . 3
I 2.· cerr. : lric . acompanhando o p 3," carr,; • 3 1 ..
lia atrás. tirar 1 p. sem faler em 12m. 1 1-.2 m .. llrar
I p. sem fazer em I . • , 3 I 4," ca" : 3 m .. • fio na frenle,
lirar I p sem fazer em I .. 2 I .. 1 m 2 I li,ar 1 p. sem
lalar em 1. , 3 m • 5." CI" . : · 3 I .• pOr O p sem fazer
numa ag auxiliar colocada na Irente, 2 m tric. em meia
o p. é espera. 1 1. , pOr 2 p. II espera numa ag. auxi'"
colocada 8ub. ,rico em meia o p. sem filzer. depois os
2 O II espera · 6 ,· ca" . : recomecar na 2 " carro 53
54
DIAGONAIS DE PONTOS DEITADOS
Em um numero par de p 1," cer,,; • introduzir III ag.
direita entre o 1.- e o 2 o p e pUlla, I p sem deíd-Io
cair da 8g" tirar o 1," p sem faler em mel., tric. 02 ·
p em meia ", 2 ," ca" .: 2 I .. • 2 p. juntos em 1_. 1 I.
o 3 ," ca". : recomecer na l' carr deslocando de I p
BOLHA DE PONTOS DEITADOS
Em um numero de p dilltsivel por 3. mais 1 p. , maiS
os p. de borda 1, " ce". : I m , • • ntroduzl' a 8g direita
entre o 2 o e o 3 o p. e PUIIa' 1 p.; sem deidl -to cair da
ag .. trie. 3 m • 2," carr. : 1 t •• • 2 I 2 p junl05 em
•••
CÉLULAS
Em um numero Impar de p. 1," carr. : 1 m., · Int rodulir
a 8g. direita entre o L" e o 2,- p e pUllar 1 p sem deid
10 cair da ag., !rico 2 m • 2, " carr o • tod •• 8. pa,el ;
1 I., • 1 t.. 2 p. juntos em I ' . 2 I 3 .· carr. : recomecar
na 1," carr., deslocando de 1 p.
ViRGULAS
Em p. divisfvel por 4, mais 1 p., mais os p de borda
1," e.rr. : em meia, 2, " carr . : em tflCO 3." carr. : " 4
m . passai 3 p. da ag diretla para a ag esquerda inuo-
dUlir a ag. direila depoil delle. 3 p. e pu.ar 1 p e relO-
mar os 3 p. na ag. dtretta · , 1 m. 4." carr. : • 3 t.. tric
junlOs em 1. ,0 p. e a lac da carr anterior ' 1 t
BARRA DE PONTOS ALONGADOS
Em um numero de p. divislvel por 8. mais 4 p, mais
os p. de borda. 1." ca" . : • 4 t.. 4 m. alongados (inlrodu-
zir a ag. normalmente no p" enrolar o lia 3 veles em
volta da ag. direita. anles de pud-Io através do pJ •
4 I. 2." ca" . e todal a. parei : 4 m . • fio na fre nle.
lilar sem f a ~ e r em I. os 4 p. da cafl anlerior. det.al'ldo
cair as laç., 4 m, " 3, " ca". : • 4 t fio atrás, tirar sem
fazer em t. os 4 p. alongados . , 4 I 5," car' ,: recomecar
na 1." calf. e tric. os p. alongados enrolando o lio 3
vezes em VOlt .. da ag. direila
CAMPO FLORIDO
Em um número de p dtvtsivel por la, matS os p de bor-
da, 1,". 3.", 7." e 9." carr. : em meia. 2.", 4.", 8." e
10." ca". : em meia 5." ca". : • introduzO! a ag dtreita
no 3· p da ,. cafl e n r o ~ r o fio em lIolta da ag e
pultar 1 p alongado, ;} m . formar um 2.· p. alongado
no mesmo P .. 3 m . fOlmar um 3· p. alongado no mes,
mo p. 5 m.· 6." carr. : • 5 t . Iric. juntos em I .. o 3·
p. alongado com o p seguinte. I t,. \ftc. jUnlos o 2·
p alongado com o p. segúlnte. I 1,. tliC juntos 01 ,0
palongado com o p. segutnte ' 11." catr . : recomecar
na 5· carr o de!';Iocando de 5 p
CHEVRONS PARA ROUPA OE B E B ~ I I }
Em um número de p. dill!slvel por 13, mais os p. de bor-
da 1.-. 3,- CI". : • lI ie:. 2 m. no 1.
8
p (pela Irente e
por Irh). 4 m., 1 mate duplo. 4 m .. 2 m. no üttimo p
' . 2.· ce". : em tr icô. 4 .· CI".: em mela.
CHEVRONS PARA ROUPA OE B E B ~
1111
Em um numero de p. divisl .... 1 por 10, mais 9 p. , mais
os p. de borda 3 cerro em p. Iticll. depois: 1, " .3," cerr. :
• 1 Ilc. 3 m . 3 p. juntos em m., 3 m .. 1 IlIç. 1 m . •
2.· ce". : em l(;c6. 4.· ce" . : em mei •.
CHEVRONS PARA ROUPA OE B E B ~
II II}
Em um numero de p. dlvi.1v,1 por 7. mais os p. de borda
1,"C8" .: 02"I . l mate duplo. 2m llaç ", 2 ,·Clrr.:
° 61., I II1C · ,
CHEVRONS PARA ROUPA DE B E B ~
IIV}
Em um número de p. dlvislvel por 8, mais os p. de borda
1," Clrr. : · 1 m., 1 lum. levlntado (ver pég. 91. 2 m ..
2 p. junlOs em meie pegando-o. por !rh. retomer O p.
obtido. com e Ig. eaquerda rem. o p. seguinte sobre este
p., da esquerda PIre II direill . colocá-lo no .... amenle na
ag dir.lta, 2 m., 1 aum. I ..... antado •. 2.- carro • todas
a. par •• : em tdcll.
CHEVRONS PARA ROUPA DE B E B ~
IV)
Em um numero de p. di .... i.l .... el por 8. mais 1 p .. mais
os p. de borda 1. - carr. : • 1 m .. 1 lac. 2 m .. 1 mate
duplo, 2 m .. 1 laç . •. I mo. 2.- carr . • toda. a. par •• :
.m Iriell. 3.- catt. : · 1 mo, 1 laç., 2 m .. 3 p. juntos.m
to, 2m .. llaç. · , lm.
CHEVRONS PARA ROUPA OE B E B ~
IVI}
Em um numero de p. dl .... '.I .... el por 13, mais 1 p .. mais
os p. de borda. 1.- carr.: • 1 mO, I lac .. 4 m .. 2 p. jlJntos
em m .. 1 mate slmpl •• , 4 m., 1 laç . •. 1 m. 2. - carr .
• toda.a. par •• : em tdcll.
CHEVRONS PARA ROUPA DE B E B ~
IVII }
Tric. 3 carr, am p, trlcO lsempre am m.tal. depois come-
cer o desenho, Em um num.ro de p. di .... isí ..... 1 por 9, mais
os p de borda 1.- carr. : · " 2 p Juntos em m .. Ilac .
.. 12 .... . 1. 1 m , .. I laç. 2 p junlos.m m, pegando-os
porlrá! .. 12 .... ,I · 2.·carr. : .mlriell
AS ONDAS
Em um numero de p. di .... lsi ..... 1 por 11. 1. - carr. : em
meia 2.- carr. : .m trlcll, 3 .· carr. : . ... 2 p. juntOS em
t . •• 12 .... .1, oe 1 aum, intercalado Ilric. em m. o fio hori -
lontal .nlr. o p_ anterior e o seguinte!. 1 m .... 13 .... . 1.
I aum. intercalado .. 2 p junlos em t 00 12 ..... 1 • 4 .-
carr. : em tdcll.
55
56
AS PLUMAS
Em um numero de p dlvISi,,!!l por 7 1. ' car. . • 1 I
2 P juntos em I 1 lae 1 m 1 lae 2 p ,untos em
tIl ' 2 ." Cllrt ., em nlcõ JOCBrr emme,a 4" carr
em tric6
OS ANCINHOS
Em um numero de p dlvls;"el por 1 O mais os p de bo'
da 1." II 3 ." CHrr . em mela 2 ,' CiI" • 1 t 1 m 5
p alongados torcidOs Ilntrodul" II IIg no D como para
1';COI3-lo em mela enrolar o fio uma l' vel em vollo.1
da ponta das 2 IIg depOIS uma 2' vel na ag direita
para termonar
p (ver P 211
tOlcidos I m
normalmente passando o 1'0 iI"avés (lo
1 m 2 I • 4' cau . • 3 p alongatln'io
31 1m2 p alongados !o. -odos '
PONTO MOIRÉ
Em um numero par de p I' II 3 • c arl • !lia' 1 p
sem laler em 11m I lae rem o p sem fale. sobre
o Ir,e e a lae • 2 ' c.", II to das as pares em t/tcó
5 ." carr. em me ,a
QUAORICULADO FURADINHO
Em um numero de p d'\',s,vel por 5 mais 3 p
asp de borda 1.· c 8" 3m ° 21 3m ' 2" car!
• J t 1 m 1 lac 1m ' 3 t 3' c ano 3 m • 1 1
1 m 1 t 3 m • 4' carr • 3 p luntOs em 11m
1 lac 1 m lac 1 m • 3 o IU"toS em t 5' ca ..
em 1 o !rIC 1 m 1 lac 1 m • I t 3 o lunto'
em t 1 t em \ o trlC 1 m 1 la!; 1m ' 6" carr
• 3 I "O auas IlIal 1 p sem em mim lsem
de ixai call da a9 eSQuelda O "0 do o da call anlerlO"
rem o p sem fan', sobre o o ta.. depo's lroC Ilmll
em t o f.o oue fiCOU na 89 E'!.Qllro,da com o p Sl'gUOllIl'
• 3 '
CORRENTE PEROlADA
Em numero de o d.vls'vel or, 4 ma's 2 p ma's
os o de borda 1.", 3 ." e 5 ." c.srr (avesso do t'.Ibalhol
• 2 m 2 I • 2 m. 2' 1\ 4 ° carr o 2 I • 2 m 2 t
• 6 " can 21 • I ma tes,mples 2 1 •
GRÃO
Em um nume,o de p d,yis,yel po, 4 l' can • 3 t
no p seguinte IIic 1 m 1 ta, 1 m • 2 " " 3 " ca ll
tric acompanhando o p 4 .° carr o • 3 p em 1
3 m • 5 .° carr o em tricÔ 6' cair em mela 7' can
recame, ar na 1 • ca" d.:slocando de 2 Il
BARRA PERFURADA
Em um número de p. divl slvel por 6. ma;s 1 p .. mais
os p. de borda. 1.- carr.: 1 I . ' 1 m .. 1 l ae" 3 p. junt os
em t., 1 lac., 1 m., 1 I ' . 2,-. 3.· • 4.· ce".: trie. acom-
panhando o p
OS CHOCALHOS
Em um nlimero de p divislvel por 5. 1.· ce" . : • 3 m
2 t. ", 2.· carr o e toda •• 1 par •• : Irie. acompan hando
o p. 3," car,.: .rie. acompanhando o p 5," carr.: • 1
laç., 1 mate duplo. 1 Il ç .. 2 t •
PONTO REVERSfVEl
PARA ROUPA DE
Em um número da p. di visrvel por 4. mais 3 p" mais
o p. de borda. 1,".3.· ca".: 1 I .. . 3 m " 1 1. ", 2 m.
2,·.15." carr. : Ide. acompanhando o p. 4." carr. : 2 p
JuntOI em t. • • 1 laç., 1 m., 1 laç., J p. Juntos em m .
• , 1 18(;., 1 m 5,".7," ca".: 2 mO, • 1 I .. 3 m. ", 1
t. 8 .· carr.: 1 m., 1 'sc .. . 3 p. juntos em I .. 1 laç., 1
m .. 1 'ac. \ 2 p. Juntos em t ,
PONTO FURADINHO VERTICAL
PARA ROUPA DE
Em um número de p divisl val por 5. mais os p. de borda.
,.. Clrr.: • 2 m" 2 p, juntOS em t ., 1 lac .. 1 m, ' . 2,-
ar'. e tode. e. pere. : om tricO. 3,- • 7.- cerr.: em
me la. 5.- ce".: · 3 m 1 lac .. 2 p junto. em t, '
SALPICADO FURADINHO
Em um número de p. divislvel por 10, mais os p. de bor,
da. 1,- e 3,- cer, ,: • 2 p, juntos em m., 1 lac., 1 m.,
I lac .. I mate simples, 5 m, . , 2,- .4,- cerr. : • 7 t"
tirar I p, sem fazer em I .. 2 t . • , 5.- e 11 .- carr, : em
ma la 6,- e 12,- carr,: em Ir icO, 7,-.9,- cerr , : · 5 m ..
2 p, juntos em m., 1 lac .. 1 m .. 1 lec., I mate simples
•. 8.· e 10,- cetr,: • 2 I., lirar I p sem faler em I .. 7
, .
AJUR
Em um nümero par de p. 1,- , 2.- e 3,- carr.: em tricO
4, - cerr. : (direito do trabalho) • I lac .. ti rar 1 p. sem
fazer em m. 1 m., rem o p sem faler sobre o p. tric .

AJUR HORIZONTAL
1, -, 3,-, 5.-, 7,· , 9,' e 10.- cerr.: em meia. 2,· , 4.-,
6.- e 8.· carr,: em tricO. 11 ,- carr.: · 1 lac, 2 p. juntos
em t. ' . , 2,· can ,: em mela,


.'

,
' .

l
• ,

,f, .
,
"',


.V
,
,
.. ,


!

t



. '


,.
,
,
. • . ,'
...
• •
.... 0"";/
· ... t,,,,,,.··
, t. t." ,t I • " .1 •
""'6 J/'
;' I; :<//'
,
'I' ,.' ,
•.•• ",.,t. ,.'," II
.,_. ) ,I,.;." . 'j'l' ,f, .
I ' I • ..
• ,( ',. j
.. '.
','
'.'J' -,. ....... .... ,
" .. ;" ..r" 4 ..
, ,', '; ' .... ,.
, ,. ,.. ;". Ai
't .11 \iI • '\ 'I
;, ,.,r,,,,.;,,.r..r, ... *;
.,., .. '')'t' ':t '
• _', , "r" .,
... -"".'" -' f".;.-..... J' ;'.,
. . " ..'
57
58
AJUR HORIZONTAL EM BARRA
Em um numero de p. dIvisível POI 6, mal$ I p maIS
os p de borda 1." car r o 1 m • 3 m 2 p juntOS em
m 1 lat 1m · 2," II 5 ," carr o em "ICO 3 , " e 6 ,"
carr.: em meia 4 ." C811 .: ' 4 m, 2 p junt os em m
Ilat_ ' , lm
ENTRELAÇADO
Em um numero de p. divislv81 pOI 7 mais os D· de borda
1." Cll tl .: · 2 m .. 2 p juntos em m llae 3 m, • 2."
earr.: • 1 t 2 D· juntos em I pegi'lOno os por trés 1
lae 1 I. 1 lac. 2 p juntos em I 1 I • 3 ," carr o •
2 p juntos em m 1 lac_. J m 1 lac. 1 mate simples
• 4. " .8," carr .: em tricO, 5." carr.: • Ilac 1 male
Simples 5 m. · 6," carr.: 1 lac., 2 D juntos em I 2
1 2 D· juntos em , pegando os Dor Irés, 1 lae 1 I •
7 o" ca, r .. • 2 m 1 lat 1 mate simples 2 p junlQS em
m 1 Ise 1 m •
AJURES oBLIQuas (I I
Em um niJmero par de p I ." Cln. 1m ' Ilac. 2 p
juntos em m • 1 m 2." carr o em tricO J ," carr 2
m • 1 lac. 2 D juntos em m • 4," Cll rr . em tricô
JACINTO DO CAMPO
Em um numero de p. dlvlsivel por 6 mais 2 p maIs
os p de borda 1," carr.: (avesso do t.abalhol , m •
5 P juntos em t no p. "guinte uic. 5 p. (1 meia 1
tricô. 1 meia 1 IflCÔ, 1 meial ' 1 m. 2, " e 4." carr.
em tr Icô 3." carr ,: 1 m • no p. segui nte n ic, 5 p
5 p. juntos em I • 1 m 5." carr., mtrodu!!. a 8g no
p pe.a \f iCaI<' lo em mele. mas enrol8r 3 veles o 110
em volte da eg., antes de lalê lo passar neste p. (durante
a ceff toda) 6." cerr.:tric_ ceda p em mela pegando
somente 1 fio e deixando cair os 2 OUIIOS
AJURES OBLIQUaS (I II
Em um numero de p dlvls;vel por 9 melS os p de borda
L " car r.: o 4 m 1 aum, Inte.calado, 2 p iuntos rem
o p. do aum, SObre o p. Oblido, 1 aum. Intercalado. 3
m • 2." cerr o e todas e. par es em tfl CÔ 3.· cerr o
o 3 m .. 1 aum intercalado, 2 o juntos lem o o do aum
soble o o obtido. 1 aum tnlelcalado 4 m • Conttnuar
deslocando de I p para a dlle;ta
AJURES OBLIQUaS (111 1
Em um numelO par de p. 1,° carr ,_ 1 m I t o Ilac .
1 m 1 t • (depois do p. \fICÔ o lio estA na frenle !fICO
tando o p meia seguinte e passando o fio sobre a ag
uma lac Sf'ré fOrmada) 2." carr .: o 1 m tric, juntos em
t o p !ficõ segurnte e o l ia da lac da ca •• anleflO' 1
lac, ' 1 mIl 3." carr ., I m 1 t • llac. IfIC Juntos
em m o fio da lac da ca" anterior com O o mela se
guinte 1 I • Recomecal na l • cal!
LISTRAS
NHAS
HORIZONTAIS FURAOI -
Em um número par de p. 1.· t 6.· ca" .: em meia. 7.·
. 9,- carr. : · 1 laç.. 2 p. juntos em m. ", 8 ,- . 10,-
carr. : · 1 lac., 2 p. Juntos em I. ", Estes 2 p. Juntos do:
o '0-, a dim., o 2.· , a taco da carro anterior.
FURINHOS DE PONTOS REMATA-
DOS
Em um número de p divlslva' por 4, maia 01 p. de borda.
1,- carr.: em mela. 2,- ca".: · 4 t •• I lac. ", 3,- CI".:
• 1 laç .. dei u r cair a 'ac. da carr . anUlriOr. tir.r 1 p. sem
taler em m .. 3 m .. rem. o p. sem falar sobre eSles :l
p. ' . 4.· carr. : em nicO.
AJUR SIMPLES EM BARRA
Em um numero de p. divl'lvat por 6, mais 2 p .. mais
o. p. de borda. 1.· ce" . : • 2 I .. 2 p. junto. em m .. 2
lac., , mate simples ' , 2 t. 2 ,- carro a lod • • a. pat • • :
2 m., • 1 t.. 2 p. na. laç_ da carro anterior I ' m., 1 t.),
11 .. 2 m. ", 3,· carT. : · 2 t. , 4 m. ' , 2 1.
AJUR DUPLO EM BARRA
Em um número de p. di1lislvel por 7. mail 2 p" mais
01 p. de borda. 1.- CI" . : • 2 I .. 2 p. Jun to. em m .. 1
lac .. 1 m .. 1 laç.. 1 mate simples · , 2 t, 2.- carr, e toda s
a. pere. : 2 m .. • 5 I" 2 m . •. 3 .- clrr.: Iflc. acompa-
nhendo o p.
PÓNTO DE CROQUÉ
Em um n"mero de p. divislvel pOf I I , ma" o. p. de bor-
da. ' .- carr. : · 3 I., lirar 1 p. sem faze r em I" 3 l . I
m.. 1 'ac., 2 p. junlo. em m .. 1 m . •. 2. · e 4.- CI". :
• 4 I .. 3 m., 1 t. , 3 m. · , 3,- Clrr,: · 3 I .. lirar 1 p, sem
fazer em 1_, 3 I .. 1 m .. 1 male simples. 1 laç" 1 m, . ,
CORDA GRANITÉ (II)
Em um número de p. divlslvel por 7, mais os p. de borda,
1,- carr.: · 1 m .. 1 I .. 1 m., oo 1 taç .. 2 p. juntos em
m, pegando-os por Ir.s .. (2 v.l ' . 2,- carr, : . .. 1 lac ..
2 p_junlosemt, -(2 v_I, 1 m., lt. 1 m, · ,
PONTO DE ESTEIRA (II)
Em um número par de p., mais os p. de borda. 1.- carr, :
• !fie. o 2.- p. em m .. enrolando o fIo duas vezes em
volta da ag .. depois Ide. o 1.- p. nOfmalmenle. deixar
cair 01 2 p. da ag. esquerda •. 2.- carr. : l irlr 1 p. sem
luer (para deslocar), • trie. o 2,- p. em I. (aquele que
nlo linhalac. dupla na carro anteriOf), enrolando 2 vezes
o fio em volt a da ag" dapols Ifle. o 1,- p. em l normal-
menle. deiur cair os 2 p. da ag, esquerda · .
J:'Ú (
. 1") ,
,',' I I, -:.
I
c·J ... ·JiJl{ "1'"
: -- '" , -
" . 1 '-:". I f -
.' ' - 'R -I .- , - 1 ... . ... ..I
I 't ,..,.' I !'" I .
... >, .

59
60
",' . \
I I " f . , I' ..
.. J. ,' .. . .' .• • '"
' , f. '/J/ I';';"" ,r'
, /f."
, J ,
t .,. ,
'" . ','.,.J;
.4). -.r I I _>; ,'
' .J. j , "ç:" ,
'),J, ' .f .-:tr;/i-'i".I .
",,Ii, -' 'u' " .'
. ' ir !I. 1", I' /,
,',,( I), ' I, ). . ..
• ( I' J..
. ' , ' . .. " .
RENDA EM BARRA
Em um numero de p divislvel por 7 mais 2 p 1.· ca".
lavesso do Irabalho)2 I . ' 1 lac , 1 mate simples. 1 m
1 mate simples. Ilae 2 I. ' 2.- cau. e todas as peres
• 2 m .. 5 t. ", 2m. J .- carr.: 2 I. • 1 m 1 18c I male
duplo. 1 IlIç .. 1 m . 2 I. •
AJUR SIMULANDO BORDADO II I
Em um numero de p divisível por 3. maiS 2 p maiS
os p. de borda. 1,- cerr.: • 2 I., 1 lac . 1 m 1 lat •
2 I. 2.· carr.: lfic. acompanhando o p., e as lat em uiel!
3,- cart. : tfie. acompanhando o p 4,- cart . 2 m . • 3
p. junlOS em I .. 2 m •
AJUR SIMULANDO BORDADO 111 1
Em um número de p. divjsivel por 9. mais 2 P . mais
OS p. de borda. 1.' carr.: " 2 1. , 1 mate SImples. 1 lac_.
3 m., 1 laç .. 2 p. Juntos em m ". 2 I. 2." carr. e Ioda,
a, par •• : 2 m " 7 t . 2 m ". 3." carr.: • 2 t 2 m.
1 laç., I mate duplo I lac .. 2 m. ". 2 t
AJUR SIMULANDO BORDADO 1111 1
Em um número de p. divislvel por 6, mais os p de borda
I ." parr.: " 2 t •• 1 lac .. 1 mate simples. 2 p junto, em
mo. 1 laç_ ". 2." carro e Iodas as catr. pares' 4 I 2
m " 3,"carr . : " 2t 4m"
AJUR SIMULANDO BORDADO I IVI
Em um numero de p divislvel por 4, maIs 1 p maIS
os p. de borda 1," carr.: 1 m • llac 3 m llac
1m " 2." carro e toda. as pares . em trlCO 3," cerr .:
lm, " lm Imate dupl02m "
AJUR SIMULANDO BORDADO IVI
Em um número de p. dlvislvel por 13, mais os p de bor
da. 1," carr.: " - 2 p. Juntos em m .. 1 lac. - (2 v.).
1 m., 1 laç .. - 2 p Juntos em m ... (2 v.!, 2 m 1 lae
2 p. Jun tos em m .. 1 lac. · 2." carro e todes as pares
em tricO 3." carr.: " "" 1 lac .. 2 p juntos em m ... (2
v,l. 1 lac .. 2 m . ... 2 p. Juntos em m ... (2 v). I lac
1 m., 1 lac .. 2 p. juntos em m •
PONTO DE DIABO
Em um numero de p divisível por 3. maIS 4 p mais
os p. de borda 1." carro a iOdas a. Impar •• em I, ic()
2." carr.: 1 m " 1 lac 3 m . rem O l' P "\Cme os
2 seguintes " 4,' carr.: " 1 lac .. 3 m .. rem o I • P sobre
os 2 seguintu ", 1m 6." carr. : 2 m . • I lac" 3 m
rem, o 1 .. p, lebre os 2 Sfiguintes ". 1 lae 2 p Junl Os
Este ponto tem tendAncia a enviesar, evitar de us,Ho
para trabalhOs grandes.
RIO SIMPLES
Monlar um número qualquer de p. 1.- Cln. : 'em cada
pJ inlroduzir • agulha par. Ir,balhar em m .. m .. enrolar
o tio 3 veusem VOl18 da agulh. em luglr de um • • antes
de terminar o p. 2.· carr. : !rlc. todos os p. em 1. . usando
o fio da fr.nte • deixando cair os 2 outros. FIzer 8 C8rr
em p. meia
RIO SIMPLES COM PONTO TRICO
Monlar um número qualQuer de p. D. 1. - ' 4,- c.rr. :
em meia. 5 .· CU, . : !rlc. todOlOS p. em m .. enrolando
o fio 2 V8Z8' em volta da 8g. 6.- C8rr. : lric. todos os
p. em m .. c.ir um dos fios dos p.
RIO SIMPLES COM PONTOOE ARROZ
Número [mp., de p. D. 1.- • 8 ,- c.rr. : • 1 m.; 1 I
. : 1 m. 7.- c.,r, : I;ontinu.r em p. de arroz. enrolando
o fio 2 vu •• em volta d. 8g. 8.· c.n . : continuar dei •• n-
do cair um dos 2 fios, enrolados na as.
RIO TORCIOO
Monllr um número Qualquer de p. , ,- , 3,- , 6,- , 7 0· •
cln. : em maia. 2. a, 4. a, 8.· . 8 .· cln . : em {ricO. 9."
Clrr.: tric. lodol os p. em m .. enrolando o fio uma vez
em volta daI pontas das 2 ag .. em seguida . • volla da
ag. direita. para !fico normalmente {ver p alongado. pág
2 ' I. 10." cen. : IriC. Iodos os p. em 1. . deill,ando cair o
2· fio enrolado em volla da ag. esquerda.
RIO TORCIOO OUPLO
Montar um número QualQuer de p.
1.", 3.",5.", 7 ." cerT. : em meie. 2. ", 4.", 6 ." cert. : em
IriCO. 8. " clrr. : (evesso do Irabalho) tric. Iodos os p. em
m .. emolando o fio duma Vil em vol la da ponta das 2
eg.; em seguida. 1 vez enrol81 normalmente em valia
de ag. dlreila (ver p. elongado. pAgo 2 1). 9 ." carr. : como
a 8." carr. 10 ." CIrr. : tric. Iodos os p. em m . del.ando
ceir o 2.· fio enrolado em volta da ag. esquerde 11 .·
cerr. : recomecer na L" carr
PONTO TURCO
Número par de p. Todal aI cerr . : · 1 lae 1 mate s.m
pies •.
PONTO OE BOLSA
Número par de p. Toda. 81 carr. : · 1 lac.; 2 p JunlOS
em t . • •
.", "\'1 ' " '. I
. "1 " Jd' " J ' I 'I' '.
• Ii ..
, " I • • . 1 " . 1 II II J 01 ,I I I ' " I' "
... ,." " "1"'" "I I '"
"tl""'I/.'\ 1""'/1
"
",.1.,,,
"/ II ...... , ' ., / ,/11 "/1', "":
'!:; .. f'fl':'\n'\,
,t""""., .", '!('(' '(' "I ,\1. ,
. I I III . ,."
" ' t 'tlJ r" " I 'I'I'I'J'
,'I . " IJ " ' 1" ; "II , (' I I}li t, 1:. 1: i
J , dd.,
./D, , . 1
,
I
)-)"' r
l
)


·
)
)

,
)
,
)

,
,

.'
62
FURINHOS VERTICAIS (I)
Numero de p. divisfvel por 6. mais 3 p mais as bordas.
1," earT.: • 3 t : , lac., 1 mate duplo 1 lac ' 3 I 2 ,"
carr.:3 m.: " 31 , 3m '
FURINHOS VERTICAIS (II )
Número de p divisivel por 3 mais as bordas
1," C." ,: • 1 lae. 1 p. sem fazer em t 2 m rem o
p. sem sobre os p IfIC. · 2," cerr.: em tfl CÔ
FURINHOS VERTICAIS (III)
Número de p. d,visivel POI 3. mais as bordas.
1." carr .: · 1 m. ; 1 18c.; 2 P juntOS em m ", 2 ," carr.:
• 1 m . 1 18e .. 2 p. juntos em m la lac d. carr antaflo,
e o p seguintel ' RecomeçaI sempre na 2· carr
FURINHOS VERTICAIS (IV)
Número de p. dlvis;yel por 4 mais as bordas
L" carr. : • 1 m . 1 laç. , 1 p. sem fazer em t 1 m
I ". 2," cerr,: • 1m 1 I !rico juntos em m a lac. e
o p sem fazer pegando-os por trãs 1 t. •
FURINHOS VERTICAIS (V)
Número de p. divisl .... , por ti . mais 2 p mais as bordas
1," CIIrr. : • 2 I 2 p juntos em m., 1 I.c., 2 m, • 2
1. 2 ," urr.: 2 m., ' 2 p juntoS em L; llac_ 2 12m

FURINHOS VERTICAIS (VI )
Número de p divisfve' POI 4 maIS as bordas
1,- c arr,: • 2 m 1 lac_ 1 male simples ' 2,- call .:
• 2 I 1 lac_ 2 p juntos em I . •
PONTO RENDADO

Número de p divislvel por 4, mais 2 p,. maIS as bordas.
1,- ca".: 2 m_ • I male simples, 2 l&c 2 p juntos
'!m m. · 2,- c all. e todas II' pare s : em 'ricO, Iric, 2
as lac. (pala franle e por trasl _ 3.- carr .: • 1 male
simples 2 lac 2 p. juntos em m. · 2 m
OLHO DE GATO
Numero de p. divisfve' pOl 4. maIs 15 bOfdas,
1.- cair. : 2 t , • 1 lac 4 p. juntos em I • 2 I 2, - carr. :
2 m • 1 m na lac. da cal"anleliol 1 mIl
1 m ' . 2 m_ 3 .- carr.: am meia 4 ,- ca" ,: recomecar
na 1 - carr,
-
FURINHOS EM CÉLULAS (I)
Numero de p. divislvel POf 4. mais IS bordas. 1.-
1 'aç.; I male duplo; • 1 Isc- 1 m.; 1 leç.; 1 mlla duplo
" 1 laç.: 1 mo, 1 laç. 2." ceu. ii toda. a. par •• : em
tricô. 3 ,- Clrr.: 1 lac.; 2 p. junlos; · 1 laç.; 1 mate duplo;
1 lac.; 1 IT' " 1 lac_ 1 male duplo.
FURINHOS EM CÉLULAS (II)
Número par de p.; &g n.- 5 II &g. nO 2.
1.- c arr. : (d reilO do Ir,balho). Ag n,· 5. ' 1 m torcido.
1 t. · 2.· carr.: Ag n." 2 : 0 \ m , II '
FURINHOS EM CélULAS (III)
Montar um numero Qualquer de p
1.· ce". : em Clice. 2. · cerr.: • 1 m.; 1 p. intercalado
(no fio horizontal. ligando o L " 80 2.· p meia) . Rem.
o p meia sobre o p. intercalado'
FURINHOS TIPO ILHÓS (I)
Numero de p dl/lslvel por 4, mais es bordas..
1." carr.: ' 2 m, 2 laç.; 2 m • 2 ," carr. : · 2 p. ;unlol
em t 1 m 'I.: 2 p. juntol em I ", 3 .- Clrr.: ' , laç.:
4 m , 1 18c. · 4, " carr.:· 1 I.; 2 p. em t (2 v.l:
1m, "
FURINHOS TIPO ILHÓS (II)
Número de p. divisIVel por 4, mais as bordas.
1," carr,: em meia 2 ," catr. : " 4 1. ; 1 11c, dupla "; 4
I 3," carr,: " 2 p,junlOs 12 v.l: 2 m oa 11c, dupll {peglr
I 2' lac, por lr"I·; 2 p, junlos (2 v.l. 4 ," can,: 1 I"
• 1 IIC, dupll 4 I, "; 1 11c. dupll 1 1. 5, " carr,: 1 m ..
• 2 m na lac. dupl a; 2 p, junlOS 12 v.1 ' 2 m nl IIC,
dupla; 1 I. !fIlar sempre a laç. dupla entre os 2 grupos
de 2 p junlOS di clrr. anlerior). Recomecar na 2," carr,
FURINHOS TIPO ILHÓS (III)
Nümero de p, divlsivel por 5, mais as bordas.
1," carr, : " 3 m., 1 Ilç.' 2 p junlos ' 2 ," Clrr, a todas
a. paras : em Irice 3 ," Clrr ,: 1 m ' 1 laç,; 2 p Juntos;
3 m, " 5," catr,: 4 m,: ' 1 IIÇ,; 2 p, juntos: 3 m. ".
7 ," carr,: 2 m ; ' I laç.' 2 p. funtos; 3 m. · , 9," c arr, :
• I lac,; 2 p, juntos; 3 m "
FURINHOS OESENCONTRADOS (I)
Numero de p dlvlslvel por 6 ma" I P .. mais as bOrdas.
1,", 3,", 5,", 7," 9," , 11 ,"c:a",: ' 1 m 2 p·luntos em m,;
1 laç" 1 m" 1 laç .. 1 male Simples ' ; I m, 2 ," ca",
" toda. a s pa' as : em tticõ. 13 ,", 15,", 17, ", 19,", 21 ,",
23 ," carr,: • 1 m,; I lac. I mate simples: 1 m,; 2 p.
Juntos em m.; 1 IIÇ, ", 1m,

l' '-, .... , 1
" .. .. II ·.i II ,"
• , ,I , ''"1< " ' , ' I '
• I " " \." :' ... tl ("
, . 'J .'. ai , r .
j.,.,I I" ,,, .'\' jl '
" •.. J, •.
"', 1" ," ,1)1 '" '1'
, , _ Iw I" /-
,',,' '1,1 '
" " t ... • ' :; \ ,,,,' 1
' ,\I ''' . " 1
1
.",1 {'I' , i.r
t ,'t I' ,I
I
64
PONTO SALPICADO
Número de p. divlslvel por 4.
1.0 c.rr.: · no 1.. p .. faler '" m.; 1 laç.; 1m ' 3l·
2 ," Cl rr.: • 3 p. JuntOI em I.; 3 m. ", 3,· c,,, .: • 3 I
no 4,· p. fuer ." m.; 1 lac. : 1 m:' ", 4 ," CI" .: · 3m
3 p. jurllos 1m I. ",
PONTO ASTRAKAN OU TRINDADE
Número de p. dlvlsrvel por 4. mlls .1 bordu.
1,· CI,r.: o no 1,·p, lue, '" m.: 1 I .; 1 m. "; 3p. juntol
em L ", 2,· c.rr. 8 tod •• II Plt •• : em lricO. 3,· clrr .:
• 3 p. Jun lO' em I.; 3 p. no p. seguinte (1 m .. 1 I .. 1
m.l°,
MOSCAS EM QUADRADO
Numero de p. dlvl.rvll por 4 .
I ," • 3," c.rr. : em mei • . 2," Cl rr . • tode"1 plr •• :
em trlcO. 6," cerr. : · 2 m.; 2 p. cruzados' esquerda (ver
pjg. 21 J; .. 1 lac. ; f8m. o 2." p. da 8g. dite!!l . lobr. o
1,·p . •• 18ç. "12v.) ",
PONTO DE PLUMETlS
Numero de p. divlsr"lr por 12. mais3 p., mei ••• borda • .
1,· , 3·, 6,", 9, ", " ,", 13," ca".: 1m mel • . 2,· carro
a tod •• II per ••. : em trlcO. 7.- carr. : • 9 m.; .. 3 p
;unto!; om 1. : sem daid·lor cair da ag. elQuerda. trabe-
• Ihj· lol novamente juntai em m .. depoil mail uma vez
e ~ . ~ : .. deixot cair 01 p. da ag. esquerda. Fica 1 p. em
r .. lsvo e. na ag. direita, 3 p . •• •. , S- CI" .: • 3 m.: reco·
mecar de .. ate .. ; 6 m . •. 23.· caH.: como a 7 " carr
FUNDO COM MOSCAS
Nümero par de p. 1.· I 5.· CI".: em tricO.
2.- clrr.: " 1 m.; J p. no p. seguinte (1 m.; 1 I .. 1 m.)

3.- Cl rr. : " 3 m.; 1 t. ". 4.- carr.: · 1 m.; J p. juntai
em l o. e.- clrr.: • 3 p. no 1.· p.: 1 m · . 7 ." ce".:
• 1 t.: 3 m. o. 8,- carr.: • 3 p. juntos em t 1 m •
BARRA COM MOSCAS
Nümero de p. dlvlllvel por 9, mais as borda ..
1." Clrr.: 1 no aveno) • 5 t.; 4 m. ". 2.- I 4." CI".:
• 4 t .; 1 m. no 110 Intercalado. pegarldo-o por Ir"; 2
p. Juntos em m.; 1 m.: 2 p. junlOs em m .. pegerldo-ol
por tr": 1 m. no lia intercalado. pegando·o por Ir" •
3.- carr.: · 5 t.; 3 p. JunlOs em l , J p. em 1 p •
5." cart. : • 5 L; 3 p. em 1 p 3 p. junlOS em I • e ."
CI",: recomecar ne 2.- catr.
-
BARRAS VARIADAS
Nümero de p. divillvat por 19, mail" borda ..
1." cerr.: • 5 t.; 2 m.; 5 I . ~ 1 m.; .... 2 m. cruzadol t
direita" 13 v.) · . 2 ." CI".: · 1 t.; " 2 t. cruzados j direlte
"(3 v.l: 5 m.: 2 I. cruzados' direita. 5 m . •
OS POSTIGOS
I'. umefo de p. divis! .... 1 por 12. mais as boljes.
1.' , 3,", 5," clrr. : • 6 m.; '" 2 t .; retoma- estes 2 p.
na eg. esquerda; fio at," ; recclod-IOI 1'18 81. direita 00
(3 v.1 o. 2.' carr . • tod •• 8. pauli : em tricÔ. 7.' carr.:
• recomeçar de ..... 00 13 v ,l; 6 m. ",
AS ESCADAS
Numero de p. di ..,1s!vel por 5. mais a. bordas.
L" carr. : (avesso do trabalho); • 2 I.: '" 1 lum. Itie. o
p. em m., pegando-o pela Irente ti em teguida por ués
oco 13 v. ) " , 2 ,' carr. : • 00 2 p. jUl1l01 em m. torcido
(3 v,); 2 m. ", 3;" C8rr. : · 1 1. ; recomeçar como na I"
Cl tr. da ... 116 ""' 3 v.l; 1 t. ' . 4.' cau.: · 1 m.: recomeçar
como na 2,' carr.: de .. al\' .. 13 v.): 1 m. ", ContinUIII"
deslocando de 1 p. par •• direita.
AS ESCALAS
Numero de p. div;.!vel por 8. mais 1 p., mal. as bordas.
1," . l ,' clrr. : · 5 m.; 110 na frente; 3 p. sem em
I. 0; 1 m. 2," clrr.: 1 I., • fio 8"6' , 3 p. sem fller em
t.: 5 1. ". 4.".8.· cerr.:em tricO 5.".7." cafT. : I m._
" 110 na frenle: 3 p. sem fller em I.: 5 m. ". 8.· carr.:
• I.: fio alras, 3 p. sem Iller em I. . , I I.
,
-
OS FRASCOS
Numero de p, dlvl.lvel por 6. mal. as bordaI.
1.· carro a toda. e . carro Impera. : Ino avesso) " 2 1. :
1 m.: 2 1. : 1 m. ". 2.· , 4,· . 6.", 8." cerr.: · I 1. : 2 m.;
1 I.; ... fio na frente: 1 p. sem fazer em t.: I t.; 1 lac.:
rem. o p. sem fazer sobre o p. e II laç . ... ". 9.· .. 11 .· ..
13.", 15." carr.: como a I .· carro lQ.· , 12. · . 14.", 16."
carr.: " I I.: recomeçarde" at' " : 11.: 2m. ".
CASCA DE TARTARUGA
Numero de p. divi.lvel por 6, mal. as bordaI.
1. ' carr.: (no avelso) " I lac.; 3 m.; rem. a lac. sobre
e.tes 3 p.; 3 p. sem faler em t. ". 2." carr. : em meia.
3." carr.: " 1 laç.: 3 m.: rem. a laç. sobre estes 3 p.:
3 I . " . 4." carr.: • 1 m.: levanler o fio da Irenle do p.
sem faler da I." carr.: colod-Io na eg. eSQuerda e tr ic.
em m .. com o p. segulnle: 4 m. ' . 5." cerr.: recomeçar
na I." carr .. deslocando de 3 p.
PONTO DE REDE
Numero de p. dlvl.lvel por 4. mal. 2 p .. mail 81 bordaI.
1." carr.: " 1 m.: " com O lia na Irente, 3 p. sem fazer
am t.: 1 laç.. paliando o lia por cima do. p., sem fazer.
a enrolaOOo-o 1 vez na eg. " ": 2 m. 2." . 8." carr.:
am IricO. dehumdo cair as laç. alrâs do. p .. 1110 t , no
direito do trabalho. 3." a 7.· carr : em meia. 4." e 8."
carr.: am Ir icO. 5." cerr.: 2 m.: " com a ag. esquerda.
levanlar o fio da Iaç. da L" carr.; tricot6-la em m. com
o p. 5ei.uinle: em seguida lazer de ... ate ... como na
1.' carr. ".
'11' í ': t
,Ir ., 'I"l·f "
· .. · .. Pil{,·,·.:tt
,,', .• "
' ". 'r'r '
." , "TI-
.• ', #, '\;ti ;'1
:'/'f' "1' ,I, 'I'
",{ 'H
,
,\,. ",
1,',\, ,J .. , ,
'
"'"v't-{ .i I'J. ,
" "'1' •
','11' '.
,
••
COROAS
Número de p. divis!vel por 9 mais 5 p .. mais bordas
1 ." e3," C.".: 00 1m.; 1 1. .... ,2 v.l; 1 m.; " I m torcido
2 I .. 1 m, torcido: 0<1 1 m. 1 t. 0<1 (2 v.L 1 m ", 2 ,",
4 .", 6 ," CilH.: • DO 1 m.; I I ..... (3 v.l: 2 m.; 1 \. " , ....
1 m. ; ' 1.
00
(2 v.); 1 m. 5 ," carr.: DO 1 m : 1 I .... 12
v. ): 1 m.: • , lae. em 1. ; 1 m.; 2 t.; 1 m ; rem. II lat
sobre c s4 p.; oo 1 m. l1.
00
(2v,1,1 m. · ,
AS ONOAS
Numero de p. diviSível por 6. mais as bordas.
1.", 3 ,", 5," carr.: · 4 I.: 2 m. ", 2 ,", 4,· , 6," carr.: ·
2 t.: 4 m. o . 7.· carr.: • 2 I .. colocar 2 p. na eg.
atrAs do trabalho: 2 m.; frit. em t 0$ p, da 8g.
o. 8 .• carr.: • 2 m.: 2 t.; 2 m. ' . 9.· tau.: recomecar
na 1." cair " deslocando de 2 p,
PONTO OE CANASTRA
Número de p. di ... isl ... el por 4, mais as bordas.
1." • 3 ," carr.: ' 3 m.; ! p. sem fuer em \. (lrlo atrés)'
2," carr. : • 1 p. sem fazer em I. (fio na frente) 3 l "
4 ." • 8 ." carr.: am maia. 5." a 7." carr.: " 1 m.; 1 p
sem fazer em t, Uio alrh) 2 m. ". 6 ," carr. : " 2 l ; 1
p. sam fazer em t. tfio na frenle); 1 I "
TORRE EIFFEL
Número de p, dil/',il/el por 8. mah; as bordas
1." carr, : " 1 lac,: 2 p , Juntos am t. : 6 t ", 2,", 4," e
6 ," carr.: • 7 m,; 1 t, " . 3 ," 5.".7." cerr.: · 1 m.; 7
t. " , 8 ." e 18." cerr. : em trl cO. 9 ." carr. : " 4 t.: I lac,:
2 p, juntos em t. ; 2 t. " , 10.". 12.". e 14." carr,: ' 3
m,; 1 t. ; 4 m. " , 11 ,", 13." e 16," carr, : ' 4 t " 1m
3 t. " ,
COLUNAS HINDUS
Número de p. dil/lsll/el por 4, mais 1 p., mais as bordas,
1." ceH.: tal/esso do Irabalho) 1 m, " Introduzir a ag,
direita nos 3 p. seguintes, para Irabalhtl-lhos Juntos em
I .. ma, nllo deld -Ios cai r da ag. esquerda e trabalhá-los
novamente 1 vu em m, e 1 I/ez em 1. . \ m, " , 2 ." cerr.'
em trice.,
PONTO CYTlSA
Número de p, dil/islvel por 5, mais 2 p" mais as bordas,
1." carr,: 2 t. ; " com o fio M frenle. I p sem fazer em
I .; com o fio atrh, 2 p, Juntos em m,: rem. o p. sem
fazer sobre o ponto obtido. I lac, dupla em m.: 2 t. ",
2 ," carr.; "_ 2 m,: tdc, a leç:. dupla em 1. . pegando-a nor-
malmenle: depois uma 2," vez em t. pegando- a por trás,
1 I . " : 2 m. 3 ." carr , : 2 l , • 3 m.; 2 I , " . 4 ," ca". : acom-
panhando o p.
AS OGIVAS
NOmero de p. dl,"i"".1 por 8. mail 3 p., mail as bordas.
1.- • 3 ,- cerr. : • 1 laç. ; 1 dim. dupla 12 p. junto. em
m. pegandO-OI por trh; recolocar nl ag. uquerda o p.
obtido; tlim. o p seguinte sobra este p. e coloei-Io na
ag. diteital: 1 lac.; 5 m. ", Terminar com 1 laç.; 1 dim.
dupla. I 'ae. 2,- Clrr . • toda • • s plr •• : em IriCO. 6,-
ca". : · 3 m.; 1 laç.; 1 mate simples; 1 m.; 2 p. juntos
em m.; 1 laç . • , Terminar com 3 m. 7,- Cltr . • 1 'aç.;
1 dim. dupla; 1 loç.; 1 m . • , Terminar com ' laç.; 1 dim.
dupla; 1 fa c. 9 .· carr.; recomeçar na 1,* carro
AJUR EM ANGULO (I)
Numero de p. dill l slve' por 10, mai s 3 p.
1,* carr. : 1 p. de borda (sempr. em m.l · 1 m.; 1 lac.;
3 m.: 1 mate duplo tI p. sem fazer, trlc. 2 p. Juntol, rem.
o p. sem fazer): :) m.; , lac. "; , m.; 1 p. de borda. 2,-
carro a toda. I. pare. : em !rIcO. 3.· CI". : 1 p. de bor-
di, " 2 m.; 1 I l ç . ~ 2 m.; 1 mlle duplo; 2 m.; 1 Ilç.; 1
m. ' ; 1 m.; 1 p. de borda. 6 ,· CI,r,: 1 p. de borda; 2
p. Juntos em m.; • 1 laç.; 1 m.; 1 laç,; 1 m.; 1 mate
duplo; 1 m,; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.: 1 mate duplo". Terminar
com 2 p. JuntOI a 1 p. de borda. 7.· CI". : recomeçlr
nl l .· cltr.
AJUR EM ÂNGULO (II)
Númlto de p. diviltvel por la. mail ai bordai.
1.· Clrt. : 1 laç .. 3 m. ; 1 mate duplo; 3 m.; 1 laê.; 1 m.
' . 2.· cI,r. I todal II par •• : em tric6.
3.- Cl rr. : • 1 m : 1 leç.: 2 m.; 1 mate duplo; 2 m;: l-
Ilç.; 2 m. ' .
IS.· car,. : " 2 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 male duplo; 1 m.; 1
laç.; 3 m. ' .
7.- clrr. : " 3 m.; 1 laç.. ; 1 mate duplo; 1 laç.: 4 m. ".
AJUR EM ANGULO (III)
Numero de p. do desenho: 9.
Repet ir o mot ivo com Inlervelo. regula,el ; o fundo sen-
do em ponlO mell . ou lamb4im Icrescantlndo ai indiCI-
çOel 1 m. a direlll e 1 a esquerdl do mot ivo. com um
fundo am IVesSO do p. meil , am p. trlc6 ou am p. de
. r r ~ 1.· Clrr. : • 4 m.; 1 laç.; 1 male slmplas; 3 m. ".
2.· carr . • toda s •• p.r.s: em ttic6. 3.- ca,r. : · 2 m.:
2 p. JunlOS em '''.; 1 11ç.; 1 m.; 1 Ilç.; 1 mlte slmplel;
2 m. · 6.· CI". : " 1 m.; 2 p. Junto. 1m m.; 1 11ç.; 3
m.; 1 Ilç.; 1 mlltl simplel; 1 m . •. 7.· CI". : " 2 p. juntOI
em m.; 1 tIÇ.: 5 m.; 1 laç. ; 1 mlte Ilmplel ".
AJUR F. M ÂNGULO (IV)
Numero de p. divisf I por 12. mal. IS bordas.
1.· cart. : • 3 m. 1 I ; 1 mate I lmplel; 2 m.; 2 p. Juntos
am m.; 1 laç. : 1 m.; laç.; 1 mate sfmple.·.
2." Clrr • • toda. a piras: em tr ic6. 3." Clrr. : " 1 m.:
2 p. junto. em m.: Ilc.; 1 m.; 1 11ç.: 1 mlta simples;
1 m.: 2 p. junto. m.: 1 Ilç.; 1 m.; 1 laç. ; 1 mlte
simple. ' . IS.- CI,r . • 2 p. juntOI em m.: 1 leç .. 3 m ..
1 tl ç.. 1 mlte simp s; 2 p. Juntos em m.; 1 leç.: 1 m ..
l 1eç.; 1 mate simples ". ' 7
'R
AJUR EM ÂNGULO IVI
Numero de p. divislvel por 8. mai s 1 p .. mais a borda
Tric. 8 carro em p. ele .rrOL 1, " arf. 60 deMrtho : • 1
m.; 1 lacada, I mal. simples: 3 m.; 2 p junlol em m
lacada ", 1 m. 2, " CIIn. ' toda. II plr •• : em lric6. 3,"
carr.: " 2 m.; lacada. 1 male simples' 1 m .. l p. juntos
em m.; lacada, 1 m.", 1 m 5, · carr.: .. 3m lacada 1
mate duplo: lacada; 2 m."; 1 m.
AJUR EM ÂNGULO IVII
Numero de p. divl.lver por 8. mais 1 p., mais a borda
1," eMr.: " 5 m.: 'acada; 2 p. juntos em m .. 1 m .. 1
m. 2 .· CII,r . • toda. II p.r •• : em tricô. 3. " ce" .: .. 3
m.: 2 p. junlOI pegado. por Irás; I.cada. 1 m . 'acada
2 p. junlOI em m. 0: 1 m. 5," carr.: , m.; .. 1 m .. 2
p. lunlol pegados por trás, raçada, 3 m.; lacada. 2 p
junt ai em m. " , 7," CI".: " racada: 2 p. juntai em m
pegados por Ir.,; pór novamente, na 8g. eSQuerda, o p
obtido II rem. o 2,· p. sobre o mesmo; retomé-Io nova-
mente na ag, direite; laçada, 5 m. ", 1m. 9 ," carr. : "
1 m.; 2 p. em 1 p. 11 m. e 1 LI: 6 m. ", 1 m. 11 ," Clrr,:
" 2 p. juntos 1m m.; 4 m.; lacada: 2 p. juntos em m
1 m. ": 1 m, 13." carr.: recomecar na 3" carr
LOSANGOS EM AJUR III
NúmelO de p, divislvel por 16, mais a borda.
1 , ~ clrr.: " 6 m,; 2 p. luntosem m,: tacada, 1 m .. lacada
2 p, juntos em m.; 5 m. ". 2 ," carro a todas a. par • • :
.m meia, 3 ." carr.: " 5 m.; 2 p. juntos em m I.cada
J m. ; tacada . 2 p, Juntos em m.· 4 m. " !S,", 7 .". 9,"
e 11 ," carr.: continuar deslocando de 1 p, iii dlreila e
iii esquerda, 13, ' carr.: " 1 m lacada 2 p juntoS em
m.: 11 m .. 2p ;untosem m ; lacada " 15.", 17.", 19.",
21 ,".23." carr,: deslocar de 1 p. ii direita e ii eSQuerda
LOSANGOS EM AJUR 1111
Numero de p divlslvel por 8. mais a borda. Tr ic. 1 carr
em m.; 2 carr, em L: 1 carl em m, 2 carl em t. L"
a 9 ," carr, do dasenho : " 3 m.; lacada; 1 matoa simples
3 m, ", 2." carr, • toda. a. para. : em tflCl! 3." .7,"
carr,: " 2 m,; " lacada; 1 mate simples -12 v i 2 m
". 5." carr,: " 1 m., " tacada , 1 mate simples" 13 v I
1 m. ". Trlc. 2 can em t. ; I Cilrr em m 2 carr em I
e recomecar no inicio.
QUADRADOS EM AJUR
Número de p divl.lvel por 15-:-mil lS a borda.
1." Çl'" a Ioda. a.lmpar •• : lavesso do Ifabalholem
tricl!.
2,", 4,", 8." a 8 ," ça,r,: " 8 m.: "Iacada 1 mate Simples
-14v.I ",
10,", 12.", 14.", e 18," Ç8" .: · -tacada . 1 mate sim
pies 0014 v.l: 8 m. ".
TRIÂNGULOS EM AJUR
Numero de p. divi'lvel por II , mais 5, ma l, a borda.
1.- ce".: • 3 m . ... lacada, 1 mate simples" (4 \I ) •
5 m. 2.· clrr. I toda. IS pI"' : em tricO 3.· CI" .: •
4 m.; .. lacada. 1 male simples" (3 v_I; 1 mO 5 m
5," urr. : • 5 m.; .. 'acada 1 mala simpl.s" (2 vI .
2 m. ' ; 5 m. 7. · Clrr.: • 6 m.; lacada 1 mate s.mpl.s
3 m. · 5 m Aecomeca, na L" carr .. deslocando de 5
p.
CORDAS COM PONTOS DESFIADOS
Numero de p. divi.!..,el por 9. mais a borda
L" urr.: • 4 I.; 2 m, cruzados.li direita (ver pjg 221
3 I . • ,
2 ," CI".: • J mIl.; 1 p. intercalado, 1 t 4 m •
3.". 5.", 7.", .9."cI" .: o4 1.: 3m.; 3t. °,
4,"8,".8,·CI" .: ° 3m. 31 .. 4 m. ",
10. "cI".: o 3m., ll.; solt.r 1 p., ll.; 4 m. ",
BARRAS ALTERNADAS
Número de p. divisível por 8. mais a borda
1," • 3," urr.: avesso do Irabalho_' 3 m, com o fio
na Irentl, 1 p. Mm luer em I,' 3 m .. 1 I •
2 ," Clrr.: • 1m.; 3 t .• com o fio na frente. 1 p sem
fazer em I.; peglndo-o por nás; 3 I . •.
4 .-ca".: " 1 m 3t. : 1 m.: 3!. · .
XADREZ
Nümero eH p. per 8. mais 5 mais I borda
l ,-.S,- ca". : " 5m.: 3 1. ": 5 m.
2 ," •• ,· CI",:51., · 3m .. 51 ".
3 ," carr.: " 5 m , 1 I. laçada; 2 p juntai em t • 5 m
6." • 12," Clrr, : em nicO. 7. " e 11 ," ca",: " 1m3
t.; 4 m. "; 1 m.: 3 I,: 1 m, 8 ." ela." ca".: 1 I.; 3 m.:
1 t.; " 4 1. : 3 m.: 1 I. ". 9 .- clrr.: " 1 m.: 1 t.: lacada .
2 p. juntai em 1. . 4 m. "; 1m .. 1 t.: lacada 2 p juntos
em t .; 1 m.
PONTOS CACTUS
Numero de p. div;llvel por II , mais I bordl
1. " CI". : " , m.; lacada , 1 mate simples; 8 m • 2."
ca". e todl' a. parei : em tricô. 3 ," clrr.: " 2 m.; taca-
da: I ml le simples; 7 m. ". 5," ca".: • 3 m.; lacada
1 mate slmplu; 6 m. ".
7.- carr.: " 1 m,: 2 p. Juntos em m.; lacada 1 m
1 mate limple., 5 m, • . 9.· carr ,: • 2 p. Juntai em m ,
lacada: 3 m.; lacada: I mlte simples, 4 m ", 11 ," Clrr.:
" 1 m.: 2 p. juntai em m,; lacada. 1 m.: lacada, 1 male
simples. 5 m. " 13." CI".: " 2 p. juntai em m.; lacada.
3 m.: lacada, 1 mate simples: 4 m. · 15," carr.: · 2
m., lacada: 1 mlte duplo, lacada 6 m. ". 18.- carr. : em
nicO. Essas 16 carro formam fil eira de motivos. 01 mOli .
vos de cadl fileira seguinte seria colocadol desencon·
trados dOI p. da fileira anterior; para isso, fazer o primei-
ro mate simplu de cada nos 2 p. do meio dos
6 p. meil que separam os da liIeira anterior
69
FURINHOS EM ZIGUEZAGUE
Número par de p 1,- carr .: 1 m I t . • 1 lac 1 m
1 t •
2 . *, 4 ,*, 6, *, 8 ,- , 10.- c arr . : · 1 m , 2 P Junt os em t
1 lac_ · 1 m.; 1 I. 3, - , 5, -, 7 ,- , e 9 ,- carr . : 1 m. 1
t ., • 1 lac .. 2 p junlOs em mil. · 11.*, 13,* , 15,· ,
17, -, 19,* carr. : 1 m.: 1 t · 1 mate simples 1 Jae.
I t . • , 12,· , 14,· , 16.- , IS,· , 20,* carr. : · 1 m 1 lac.
tírar, sem fazer em m a lac. da carr anterior e o D se
guinte, colocâ los novamente na ag esquerda e tri cotá
los juntos em L * , 1 m 1 t. 21.* carr. . 1 m 1 t •
1 Jae. 1 male simples 1 I • 22.· carr . recomecar na
2 • C3rr
PONTO DE ESCAMAS
Número de p divisível por 7 mais 4 p mais as bordas
1.· carr .: 2 m • 1 lae 1 male Simples 5 m • laç.
2 p juntos em m. 2 ,* carr o e t odas 8S pares : em tr lCO
3,* carr. : 2 m • 1 laç. 1 m. 1 mate simples 4 m
• 1 lac. 2 p juntos em m 5,- carr .. 2 m • 1 lae.
2 m., 1 mate simples 3 m • 1 lac· 2 p juntos em
m. 7 .- carr .: 2 m.; • 1 lac. 3 m 1 mate Simples 2
m. · 1 laç: . 2 p juntos em m 9 .- carr. : 2 m • 1 lac.
4 m .. 1 mate simples 1 m • 1 lac. 2 p juntos em
m. 11 .- carr .: 2 m • 1 lac. 5 m 1 mate simples ·
1 lac. 2 p. juntos em m Este p tende a enVIesai canse
Quentemente eVitar usá- lo para trabalhos grandes
PONTO DE SAMAMBAIA
Número de p divisível por 29 maIs as bordas
1.- carro • 1 m. 1 mate dupl o. 9 m. 1 lac. 1 m. 1
laç 2 t . 1 lac .. 1 m. 1 l ac. 9 m t mate duplo · 2. -
carr o e todas as pares : · 13 t 2 m 14 t • 3 .- carr.
• I m. 1 mate duplo 8 m. I lac. 1 m 1 lac 1 m
2 I-. 1 m 1 taco 1 m. 1 lac .. 8 m 1 mate dupl o ·
5.- carr.: • I m. 1 mate duplo 7 m 1 laç. 1 m. 1
lae. 2 m 2 t 2 m 1 lac 1 m 1 lae 7 m 1 mate
duplo · 7.- carr .: • 1 m .. I mate duplo 6 m. 1 lac
1 m. 1 taç 3 m 2 t 3 m 1 lac. 1 m 1 lae 6 m
1 mate duplo · 9 .- carr. • I m 1 mate duplo. 5 m
1 lac. 1 m 1 lac <1 m 2, <1 m 1 lac. 1 m 1 lar
5 m 1 mate dupla ·
-
TRICO T
TRICO TUNISIANO HORIZONTAL
Número qualquer de p.
1 ,- carro (avano); · 1 p. sem falIr em m.: ll.c. · , Repe-
tir em c1lda p. IIslo ê, tirar o 1,- p. sem tazer, trazer o
fio para. frente, entre as ag .. e tirar Mm lazer o p. se-
guinte; • • passar o fio por cima da 8g. e par •• Irenle
novamente; tlr.r sem lazer o p. seguinte "I.
2.- arr. : 1 m. ,. Trie. 2 p. juntos em m .. pegando· o.
por trb • (1110 • . Inlroduzir a 8g. por trb de última laç.
e do último p. sem lazer. da carro antariO!", triCOlando-os
junto.).
TRICO TUNISIANO VERTICAL
Numero qualquer de p.
1.- carr. ' avesso): · , laç.; 1 p. sem fazar em m. · tiSlO
t . com o fio na frer. . ., 8 passando por ci ma de Ig., tirar
1 p. sem fazer em m., passar o lio novamente par. I
Irenll, entre 81 19.; tir ar 1 p. sem fazer; o 110 por cima
de eg . • nov,mente para. frente, etc.l: nlo elquecer
• última laç. 2.- an.: • 2 p. juntOI em m. pegando-ol
por U.tl • (iIIO t o Introduzir a ag. au.tl do p. sem fazer
e da ulliml laç., e uicol.t-los juntol). Segura!' bem I I
11ç:, nOI MUI luglr' I, com o polegar e o Indicador el-
Querdo.
PONTO TUNISIANO
HORIZONTAL SIMULADO
Numero par de p.
.
1,- clrr. 11 ... 11501: · com o fi o na frente. lirar 1 p. sem
fazElr em L; 1 11ç: . (passar o fio por ci ma di 19. direita
e do p. sem Illerl, 1 m.". 2 .- an.: • 1 m.; tric. junlos
em m., o p. sem lazer da carro anlerior e I Ilç. peglndo-
01 por Ir.tl •. 3,- Clrr. : • 1 m.; com o fio na frenle. 1
p. sem fller em t., 1 laç. " 4 .- Clrr. : · uic. lunlos em
m .. o p. sem fazer da carr. anterior e I laç. pegando-os
por Irál : 1 m. ".
PONTO TUNISIANO
VERTICAL SIMULADO
Numero par de p,
1.- clrr. II ... easo do Irabalhol: ' 1 IIÇ, em m .. I p. sem
fller em L: 1 m. · . 2,- arr. : • 1 m., uic. jUnlOI em m ..
o p. seguinte e allç .. pegando-os por Ir.tl ".
ZIGUEZAGUE EM RELEVO
Numero de p. divi.!vel por 21. mais as bordas.
1,- e 6.- cerr.: • 6 m. ; " 2 p. eruzado, i direila (ver
pig. 221: .. (4 v.l; 7 m. ' . 2.- 4.- • 6.· Cltr,: em IricO.
3,- • 7,- cerr.: • 7 m.; .. 2 p. cruzadOI .II direita" 14
v.l; 6 m. ". 8.- 10.- • 14.- cltr. : • 7 L, .. 1 p. sem
fazer em I.; 1 I. " 14 v.l: 6 L ", 9.- • 13." CI" .: • 6
m.; .. 2 p. cruZadOI i esquerda I ... er pig, 211 - 14 ... .1:
7 m' "' I"·'16."c:.arr.: ·7 m.: - 2p. ctUladosi
81Querda-(4 v.l : 15 m, · . 12." an. : · 6 I.; - 1 p. sem
faler em t.; 1 L - 14 v.); 7 I. ' . 115." arr.: em !ficO.
17.- cltr .. ecomeça' na 1.- carro

---
OS PONTOS DOS
Os pontos rendados, tipo ajur, como os que apresentamos aqui, terão um
efeito mais bonito se forem executados utilizando um fio mais fino.
GARRAS DE LOBO
Em um número de p. divisível por 1S, mais 9 p. 1,'
c, ''' .: 1 p. de borda; 1 m.; • 1 laç.; 1 male simples Ili -
rar 1 p. sem faler ; trie. o p. seguinte; rem. o p. se!"
fazer sobre o trie. l: 1 laç.; .. 1 m.; 2 1. ; .. (4 v .); 1 m.;
1 laç.; 2 p. juntos em mei a; 1 laç.; 1 m . • ; terminar a
carro com 1 laç.; 1 mate simples; 1 'aç.; 1 m.; 2 t.; 1
m.; 1 p. de borda. 2," ca,r . • tod .. as par ••• eguln-
t • • : !ric. acompanhando o ponto; as laç. serão tric.
em tricÔ. 3,' c.rr.: 1 p. de borda; 2 m.; 1 laç.; • 1 ma-
te simpl es ; 1 laç.: - 1 m.; 2 t. - (4 v.); , m.; 1 laç.; 2
p. íuntos em meia; 1 laç.; 3 m.; 1 laç. * ; terminar 8
carro com 1 mate simples; 1 laç.; 1 m.; 2 t. ; 1 m.; 1 p.
de borda. 5.' carr.: 1 p. de borda; • 1 m.; 2 p. juntos
em meia; 1 laç.; 1 mate simples; 1 laç.; .. 1 m.; 2 p.
junt os em tricÔ - 14 v.l; 1 m.; 1 laç.; 2 p. juntos em
meia; 1 laç.; 1 mate simples "; terminar a carro com
1 m.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 mate s imples ; 1
laç.; 1 m.; 2 p. juntos em triCÔ; 1 m.; 1 p. de borda.
7.' Clrr.: 1 p. de borda; 2 p. juntos em meia; , 1 laç.;
1 m.; 1 laç.; 1 mate simples ; 1 laç.; - 1 m.; 1 t." (4
v.l; 1 m.; 1 laç.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 m.; 1
laç.; 1 mate duplo (tirar 1 p. sem fazer ; Iric. 2 p. jun-
tos ; rem. o p. sem fazer sobre o p. obtido) ' ; termi -
nar a carro com 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 mate simples; 1
laç.; 1 m.; 1 t. ; 1 m.; 1 p. de borda. 9.' carr.: 1 p. de
borda; 1 m.; • 1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1 mate s imples; 1
laç.; 1 m.; .. 2 p. junt os em meia " (4 v.l; 1 laç.; 2 p.
juntos em meia; 1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1 m. ' ; terminar
a carro com 1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1 mate simples; 1 laç.;
1 m.; 2 p. juntos em meia; 1 p. de borda. 11.' carr.: 1
p. de borda; , 1 m.; 1 laç.: 1 mate simples ; 1 m.; 2 p.
Juntos em meia; .. 1 laç.; 1 mate simples - (2 v.l; 1
m.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 2 p. juntos em meia;
1 laç.; 1 mate s imples; 1 m.; 2 p. juntos em meia; 1
laç. ' ; terminar a carro com 1 m.; 1 laç.: 1 mate s im·
pies; 1 m.; 2 p. juntos em meia ; 1 laç.; 1 mate s im-
ples; 1 laç.; 1 mate simples ; 1 p. de borda . 13.' c.rr.:
1 p. de borda; 2 m.; , 1 laç.; 1 mate duplo; 1 laç.; 1
m.; 1 laç.; 1 mate s imples ; 1 laç.; 1 mat e duplo ; 1
laç.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 male
duplo; 1 laç.; 3 m. ' ; terminar a carro com 1 laç.; 1
mate duplo; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 mate simples; 1
m.; 1 p. de borda. 15.' carr.: 1 p. de borda; 1 m.; 2 t.;
1 m.; 2 t.; 1 m.; 1 laç.; • 2 p. juntos em meia ; 1 laç.; 1
m.; 1 laç.; 1 mate simples; 1 laç.;" 1 m.; 2 t." (4 v.J;
74 1 m ' , la c.:' lerminar a ca rro com 2 p. Juntos em
meia; 1 laç.; 1 p. de borda. 17.' carr.: 1 p. de borda;"
, m.; 2 t. 00 12 v.l; 1 m.; 1 laç.; • 2 p. juntos em mela;
1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1 mate s imples; .. 1 m.; 2 t. 00 (4
v.l; 1 m.; 1 laç. ' ; terminar a carro com 2 p. juntos em
meia; 1 laç.; 1 m.; 1 p. de borda. 19.' clrr.: 1 p. de
borda; .. 1 m.; 2 p. juntos eni tricO .. (2 v.l; 1 m.; , 1
laç.; 2 p. junt os em meia; 1 laç.: 1 mate simples; ,
m.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 mate s imples ; 1
laç.; repetir de " até " (4 v.l; 1 m. ' ; terminar a ca rro
com 1 laç.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 mate Sim-
ples ; 1 p. de borda. 21 .' carr.: 1 p. de borda ; .. 1 m.;
1 t. 00 12 v.l; 1 m.; 1 laç.; • 2 p. juntos em meia; 1 laç.;
1 m.; 1 laç.; 1 mate duplO; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 mate
s imples; 1 laç.; repetir de .. ate " (4 v.l; 1 m.; 1 laç
' ; terminar a carro com 2 p. junt os em meia; 1 laç.; 1
mate s imples: 1 p. de borda. 23.' carr.: 1 p. de borda;
1 m.; 2 p. juntos em meia; 2 p. junt os em r'1eia; 1
laç.; , 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1 m.;
1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1 mate s imples ; 1 laç.: 1 m.; .. 2
p. juntos em meia " (4 v.l ; 1 laç. ' ; terminar a carr
com 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 2 m.; 1 p. de borda.
25.' c.rr.: 1 p. de borda; 1 m.; 2 p. juntos em me ia; •
1 laç.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 mate simples; 1
m.; 2 p. juntos em meia ; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 mate
simples ; 1 m.; 2 p. juntos em meia; - 1 laç.; 1 mate
simples " (2 v.l; 1 m.; 2 p. junt os em meia ' ; termi·
nar com 1 laç.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 mate
simples ; 1 m.; 1 p. de borda. 27.' c.n.: 1 p. de borda;
2 p. junt os em meia; , 1 laç.; 2 p. junt os em meia ; 1
laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 mate dupl o; 1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1
mate duplo; 1 laç.; 1 m.; 1 laç. ; 1 mate simples: 1
laç.; 1 mate dupl o ' ; terminar a carro com 1 laç.; 2 p.
juntos em meia; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 mat e simples ,
1 p. de borda. 28.' carr.: como a 2.' carro e volta r II 1.'
carro
,
-
,


,
"




• •



,

,
< ,

I


,

"

'e






• •
• • ,

,


, •
,

• •

• • •
,

,
• •
· ,


' .
, •

,

<-







,


· '.
,



"" ~


• • •











• • •

\ ~ ~ . "

· '
" I •


, ~ •

"

,
, 'l ..
• ·
- . ~
~


,
"
• • •
.'
,

,
• •
. ' •
• •
,




• •
,

,

OS MEIOS LOSANGOS
Em um numero de p. divisível por 12, mai s 1 p. l ,'
carr.: 1 m.; 2 p. juntos em meia; • ., m.: 1 laç.; 1 m.;
1 laç.; 3 m.: 1 mate simples; 1 m.; 2 p. juntos em
meia ' ; 3 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 3 m.; 1 mate sím·
pies: 1 m. 2,' urr.: 5 m.; 3 I.; 3 m.; • 6 m.; 3 1. ; 3 m.
• 2 m. 3,' c.rr.: 1 m.; 2 p. j untos em meia; • 2 m.: 1
laç.; 3 m.; 1 laç.; 2 m.; 1 male simples; 1 m.; 2 p. jun.
101 em meia ' ; 2 m.; 1 'aç.; 3 m.; 1 taç.; 2 m.; 1 mete
simples; 1 m. 4,' U".: 4 m.; 5 t.; 2 m.; • 5 m.; 5 t.; 2
m . • ; 2 m. 5.' urr.: 1 m.; 2 p. juntos em meia; • ,
m.; 1 laç.: 5 m.; 1 'aç.; 1 m.; 1 mate .Imples; 1 m.; 2
p. Juntol em meia ' ; 1 m.; tlaç.; 5 m.; 1 laç.; 1 m.; 1
male simples; 1 m. 6,' urr.: 3 m.; 7 t .; 1 m.; • 4 m.: 7
I.; 1 m. ' ; 2 m. 7,' carr.: 1 m.; 2 p. juntos em mei. : •
1 laç.; 7 m.; 1 laç.; 1 mate simples : 1 m.; 2 p. juntos
em meia " ; 1 laç.; 7 m.; "aç.; 1 mate s imples, , m.
8.' urr.: 2 m.; 9 t.; • 3 m.;9 t. ' ; 2 m. I .' carr.:2 p. jun-
tos em maia ; 1 laç.; " 9 m.; "aç.; 1 mate duplo; llaç. ";9
m.; 1 laç.; 1 mate simples. 10.' CI".: em meia. 11.'
carr.: , m.; " 1 laç.; 3 m.; 1 mate simples; 1 m.; 2 p.
juntos em meia ; 3 m.; 1 ' aç.; 1 m. " . 12." carr.: " 2 t.;
PONTO DE PALMEIRA
Em um numero de p. divisível por 1 a, mais a borda.
1.' CI".: no avesso do trabalho; , 6 t.; 6 t. enrolando
o fio 2 vezes em volta da ag.; 6 t. ". 2.' carr.: ' 6 m.;
.. tirar os 3 p. seguintes sem fazer deixando cair o fio
suplementar de cada p.; retomar estes 3 p. na ag. es·
querda e tricotill · lOl> juntos 1 vez em triçO, 1 vez em
mei. , e mais 1 vez em trícO .o; repet ir de .. até - nos
3 p. slguintes; 6 m. ' . 3.' carr.: em tricO. 4.' CI".: " 4
m.; 2 p. juntos em meia ; 1 m.; 1 aum. em meia (l e·
vantar o fio horizontal que fica entre 2 p, e tricotl!i -Io
em meia); 2 p. juntos am meia ; 1 mate simples; 1
aum. em meia; 1 m., 1 mate s imples ; 4 m. ' . 5.'
carr.: " 8 t.; 2 aum. !tevantar o fio horizontal que fica
entre 2 p. e tricotá · lo 1 vez em tricO e 1 vel em
meia); 8 1. ' . 6.' clrr.: ' 3 m.; 2 p. juntos em meia ; 2
m.; 1 aum. em meia ; 4 m.; 1 aum. em meia: 2 m.; 1
mate simples ; 3 m. ' . 7.' , 9.' • 11.' carr.: em tricO. ' .'
clrr.: ' 2 m.; 2 p. Juntos em maia ; 3 m.; 1 aum. em
meia ; 4 m.; 1 aum. em meia; 3 m.; 1 mate simples; 2
m. ". 10.' clrr.: ' 1 m.; 2 p. juntos am meia ; 4 m.; 1
aum. em meia ; 4 m.; 1 aum. em meia; 4 m.; 1 male
simples ; 1 m. ". 12.' carr.: " 2 p. Junlos em meia ; 5
m.; 1 aum. em meia ; 4 m.; 1 aum. em meia ; 5 m.; 1
mate simples' . 13.' carr.: • 3 t. enrolando o fio 2 ve·
zesam volta da eg.; 12 t.; 3 I. enrolando o fio 2 vezes
em volta da ag. ". 14." clrr.: ' trabalhar de - até - co-
mo na 2.' carro em 3 p.; 4 m.; 1 aum. em meia; 1 ma·
te simples ; 2 p. Juntos am meia; 1 aum. em maia ; 4
m.; traba lhar de .. até " como na 2.' carro em 3 p. ' .
15.' carr.: am tricO. 16.' Clrr.: • 1 mate simples ; 1
aum. em meia ; 1 m.; 1 mate simolas ; 3 m.; 2 p. cru·
9 m.; 1 1. ' ; 1 t. 13.' CI" .: 1 m.; , 1 m ; 1 laç.; 2 m.; 1
mate simples; 1 m.; 2 p. Juntos em meia ; 2 m.; 1
laç.; 2 m. ". 14.' clrr.: " 3 t.; 7 m.: 2 t. " ; 1 t. 15.'
CI" .: 1 m.; " 2 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 male si mples ; 1 m.;
2 p. juntos em meia 1 m.; 1 laç.; 3 m. ". 16.' carr.: "
4 t. ; 5 m.; 3 t . ' ; 1 t . 17. ' carr.: 1 m.; , 3 m.; 1 laç.; 1
mate simples; 1 m.; 2 p juntos em meia; 1 laç.; 4 m
' . 18.' cur.: " 51. ; 3 m.;'\ t. ' ; 1 t . 19.' carr.: 1 m.; '4
m.; 1 laç.; 1 mate duplo; 1 laç.; 5 m. ". 20.' clrr.: em
meia. 21.' clrr.: volta r II 1.' t a rr.

,
.,- o
• <




• • •
,

,

• •
,




• •



• •




• •

· '








. ,/ ~ •
• •
,


.'
..
' .


"



• •

• • • • •

• •





• • • •



• • •
• •




,







• •

• •


• •


,


• •
• • •
'.
• •



zados (passar a ag. na fre nte do 1.' p., tflC. o 2.' p.
em meia por cima do ".. depois tric. o 1.' em meia);
3 m.; 2 p. juntos em meia ; 1 m.; 1 Bum. em meia ; 2
p. luntos em mei a ". 17.' clrr.: " 1 aum. e m meia ; 16
t .; 1 aum. em mera ' Inesta carro quando os 2 lum.
sio formados a partir do mesmo fio, Irle. este fio 1
vel em trieO \1 1 vez em meia , como na 5.' carr.). 18."
carr.: " 2 m.; 1 aum. em meia ; 2 m.; 1 mate simples;
6 m,; 2 p. juntos em meia ; 2 m.; 1 aum. em meia ; 2
m. ' . 19.' , 21.' .23.' carr.: em tr ieO. 20." carr.: ' 2 m.;
1 aum. em meia ; 3 m.; 1 mate simples; 4 m.; 2 p lun·
tos em meia ; 3 m.; 1 aum. am meia ; 2 m. " H .'
urr.: ' 2 m.; 1 aum. em meia ; 4 m.; 1 mate SI mples;
2 m,; 2 p. juntos em meia ; 4 m.; 1 lum. em mei a ; 2
m. " 24.' clrr.: " 2 m.; 1 aum. em meie ; 5 m.; 1 mate
simples ; 2 p, junt os em meia ; 5 m,; 1 aum. em meia;
2 m. ". 25.' urr.: como a L' carro 26.' c.rr.: ' 2 p. lun-
tos em meia; 1 aum. em meia; 4 m. (repel ir de .. até
00 em 3 p. (2 v,l como na 2.' carr.l; 4 m.; 18um. em
meia ; 1 mate simples •. 27.' urr.: em tricO. 28.' urr.:
voltar à 4.' carL
"
7.
PONTO LUA
Número de p. divillvel por 10. mais 4 p .. mais 85 bordas.
1,- .9,- carr. (avesso do trabalho): 4 L: • 6 m.: 4 I .
0 , 2 ,- ca".: · 1 laç.; 2 p. juntos em m. pegando-os por
Irb: 2 p. juntos em m.; 1 taç.; 2 t. ; " J p. no p. seguinte
11 m.: 1 L; 1 m.l" 12 v.l; 2 t. " ; 1 laç.; 2 p. lunl05 em
m., pegando-os por Iras; 2 p. junlOI em m.; 1 'aç. 3 ,",
5,", • 7," ce,.,.: 4 I.; • 2 m.; 6 L; 2 m.; 4 L ", 4 ," •
6 ," cat'r.: • 1 laç.; 2 p. lunl os em m .. pegando-ol por
!rés; 2 p. juntoS em m.: 1 laç.; 2 t.; 6 m.; 2 I. 0; 1 laç.:
2 p. jUnlos em m .. pegando-ol por Irás: 2 p. lu nlas em
m.: 1 lac. 8, " carr.: · 1 laç.; 2 p. /unI05 em m .. pegando-
01 por tr" : 2 p. Juntos em m.: I taç.; 2 1. : .. J p. juntos
em m. "' 2 v.l: 2 L 0; 1 laç. : 2 1). lun105 em m., pegando-
05 por Irb; 2 p. Juntos em m.; 1 laç. 10,· cerr.: • 1
laç.; 2 p. Junl os em m., pegandO-OI por Ir6s; 2 p. junl Os
em m,; 1 Iaç. ; 6 I. " ; 1 laç.; 2 p: junlOs em m, pegando-os
por Ifb; 2 p, junlOS em m.; 1 laç,
AS AMPULHETAS
Número de p. di ... is, ... el por' 2. mais 4 p., mais as bordas.
1,", 7 ," .13," carT, (a ... esso do Irabalhol : o 1 m.; " 2
1. cruzados ii direita h ric. o 2.· p. em t.; em seguida o
I ,·) - ; 9 m,; o 1 m.; 2 1. cruzados ii direita; 1 m. 2."
.8." c.r,, : 2 m. cruzados ti direita; 2 m. cruzados ti es-
Quema o; Bt.; " 2 m. cruzados ii direila; 2 m. cruzados
ii esquerda" ". 3 ,", 6 ,", 9 ," .11 ." can.: " 4 I.; B m.
a; 4 1. 4 ," elO." c.rr, : 4 m.; °8 t .; 4 m. a. 8." .12,"
car,, : 2 m. cruzados, esquerda; 2 m. crulldos • direita .
• 8 t. : - 2 m. cruzados ii eSQuerda; 2 m. cruzados' direi -
lã" a . 14." .28 ." ca,r.: em IriCO. 15.", 21 ," • 27."
car, . : a 7 m.; recomeçar como na 1.° carr o de" ai'"
3 m. 0; 4 m. 18." .22." carr. : 4 1.; · 2 t.; recomeçar
como na 2." carr .. de" ai' - ; 6 t. 0. 17.". 19,",23."
.25." ca" , : 0 6 m.; 4 I.; 2 m. "; 4 m. 18."e24." c.r, . :
4 t .; o 2 1. ; 4 m.; 6 I . •. 20. " • 28. " ca". : 4 I.; • 2 I.:
recomecar como na 6.· carro de " at' " ; 6 I. o . 29."
carr. : recomeçar na 1." carro

QUEDA DE FOLHAS
Número de p. di ... isl ... el por l a . mais 6 P .. mais as bordas.
1." c.r,, : 1 m.; 1 Iaç. ; · 3 m .. 1 male duplo; 3 m .. 1
Iaç. ; 1 m.; , laç. o; J m.; , male simples. 2," carro e
toda. a. par • • : em !ricO. 3. " carr, : 2 m.; I laç. ; • 2
m.; 1 mate duplo; 2 m.: 1 laç.; 3 m.: 1 lac. ". 2 m.; I
male simples. 5." car, . : 3 m.; 1 lac.; • 1m ; I mate
duplo: 1 m.; 1 laç.: 5 m.: 1 laç . • . 1 m.; 1 male simples.
7." ca".. : 4 m.; 1 laç.; • 1 mate duplo; I lac.; 7 m.; 1
laç. 0: I male simples. 9 ," c"m . : 1 mala simples, J m
, laç.; • 1 m.; 1 laç.; 3 m.; 1 male duplo; 3 m.; 1 lac_
0; 1 m. 11." ca"' .: 1 mille simples. 2 mO, I laco, 1 m
° 2 m.; 1 laç.; 2 m.; 1 mate duplo, 2 m.; 1 'ac_: 1 m
0; 1 m. 13," carr. : 1 malriimples, 1 m .. 1 lac .. 2 m ,
° 3 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 male dup! o; 1 m .. 1 lac .. 2 m
0; 1 m. 15." ca".: 1 mate simples; 1 lac.; J m.; · 4 m
1 laç. ; 1 mate duplO; 1 'aç.; 3 m. 0; 1 m.
,
DIAMANTES " A.JDURÉ"
Numero de p. divillvel por 10, mais ai borda ..
1,-.9,- carr. : · lllc.; 1 mlte simple.; 1 m.; 2 p. juntos
em m.; 1 'IÇ. dupla; 1 maIl simples; 1 m.; 2 p. juntos
em m.; 1 laç . • (uta laç . •• do inicio da carro slo. na
iunçlo, ligadas por 1 laç. dupla), 2 .· CI" . • lod •• IS
par •• : em nicO. 3," 1::lrr. : · 2 p. juntOI em m.; 1 'aç.;
6 m.; 1 laç. ; 1 mate simples ", 5," carr. : • 1 m.; 2 p.
juntOI em m.; 1 laç.; 4 m.; 1 'aç. ; 1 mate simples; 1
m . • , 1," CIIrT. : · 2 m.: 2 p. juntos 1m m.; 1 'Iç. : 2 m.:
1 laç. ; 1 mate simpl •• ; 2 m . • . 11.· carr. : • 3 m.: 1 laç. ;
1 mlll simples; 2 p. JuntOI em m.; 1 I,c. ; 3 m. ", 13.·
Clrr, : • 2 m.; 1 laç.; 1 mlll simples; 2 m.; 2 p. Junlos
em m.; 1 laç. ; 2 m.", 16," Clrr.: · 1 m.: 1 laç.: 1 m81e
almpl .. ; 4 m.; 2 p. JuntOI em m.; 1 laç.; 1 m . • ,
FURINHDS EM CACHOS
Número de p. divi.lve' por 8. mais I' bordaI.
1." cerr. : · , laç.; , m. torcido; ' laç.; ' mate simples;
5 m . •. 2." U". : • 4 t.; 2 p. juntOI em 1. , pegando-os
por tra.; 3 I. o . 3." c.rr.: • I laç.; I m. lorcldo; , laç.;
2 m.; ' mate simpl .. ; 3 m. ". 4." urr. : · 2 I.; 2 p. junlOs
em 1., pegando-ol por Ir"; 5 l •. 6." CMr, : · 1 m. torcI-
do; 1 lato; 4 m.; 1 mate simples; 1 m.; 1 laç. o. 15.· urr. :
• , I.; 2 p. junlo. em L. pegando-ol por !t"; 6 L • .
7." c.rr. : " 5 m.: 2 p. Junto. em m.; 1 lato; 1 m. torcido;
1 laÇo o. 8." urr. : • 3 t.; 2 p. juntoa em 1. ; 4 t. o. 9."
c.rr.: o 3 m.: 2 p. Juntoa em m.; 2 m.; 1 laç.; 1 m. torci-
do: I laç. o. 10." cerr.: • 5 t.; 2 p. juntoa em t.; 2 t.
o. 11 ." carr.: o 1 laç.; 1 m.; 2 p. juntOI em m.; 4 m.;
1 laç.; 1 m. torcido. o. 12." carr.: °6 t.; 2 p. Juntos em
L: 1 L 0 .
VelAS
Numero de p. dl"Isl"el por 12, m.ls 6 p .. mala aa bordas.
1." carro : . t m.; 1 laç.; 1 mate simples: 7 m.; 2 p.
JuntOI em m.; 1 laç. o; 1 m.; 1 Iaç. ; 1 mlle simplel; 3
m. 2." carr o e todal.a p. res : em tricô. 3," cerr. : o 1
m.; 1 laç.; 1 m.; 1 mate simples: 5 m.; 2 p. juntOI em
m.: 1 m.: 1 I. ç.: · 1 m.: 1 laç.; 1 m.; 1 mate limple.;
2 m. 6." carr.: o 1 m.; I laç.; 2 m.; 1 mate simples;
3 m.; 2 p. JuntOI em m.; 2 m.; 1 laç. 0; 1 m.; 1 laç.:
2 m.; 1 male si mples; 1 m. 7." carr.: • 1 m.; 1 I. ç.:
3 m.; 1 mate simples; 1m.: 2 p. juntos em m.; 3 m.;
'laÇo 0; 1 m.; 1 laç.; 3 m.; 1 mate simples.
9.· carr. : o I m.; I laç.; 4 m.; I m.le duplo; 4 m.: 1
laç o; 1m.; 1 laç.; 5 m. O. 11.·' 19," c.rr. : limos
I p. a mail , que' preçlso diminuir no 11m da 1.0 carr.,
quando recomeçar o desenho. 11 ." c.rr. : • 4 m.; 2 p.
Junto. em m.; 1 laç. ; 1 m.; 1 laç.: 1 male .impl .. ; 3
m. 0; 4 m.; 2 p. JuntOI em m.; 1 laç. ; I m. 13." carr, :
o 3 m.; 2 p. junto. em m.; 1m.; 1 laç.; 1 m.; 1 laç. :
, m.; 1 mate simple.; 2 m. o; 3 m.; 2 p. junlo. em m.;
1 m.; 1 laç. ; 1 m. 16." cel1". : • 2 m.; 2 p. juntOI em
m.; 2 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 11ç. ; 2 m.; 1 male simples; 1
m. 0; 2 m.; 2 p. junto. em m.; 2 m.; 1 Ilç.; I m. 17."
carr. : • 1 m.: 2 p. Juntoa em m.; 3 m.; 1,laç.; 1 m.; 1
laç.; 3 m.; 1 mate simples 0; 1m.; 2 p. junto. em m.;
3 m.; I laç.; 1 m. 19." c.rr. : 1 mlle simples; 4 m.; 1
laç.; 1m.; • 1 laç. ; 4 m.: , p. sem faler; 2 p. JuntOI em
m.; rem. o p. sem fazer sobre 01 2 p. tric. Juntos; 4 m.;
I laç. ; I m. o.

-
,
7
78
BOTÃO DE ROSA
Numero de p. divi.l ... el por 8. mail.' bordas luma 89
de crocnt). 1," • 3," carr.: · 4 mim. torcido. 3 m
", 2,".4," carr.: · 3 I., I I. torcido; 4 t. ", 5 ," clrr.:
· 2 m .. pegar I 8g. de (foch' e introduzi la no 100 nOfl '
lOl'l1al, entre 0 4 · p. e o p torcido da 1 • carr, •• 1 lac
na agulha. pu .. , par. l ormar uma Isc comprida repem
2 vlles; 1 lac:. na ag .. par. reunir as 3 laç. Passar este
p .. par. a 8g. direha .. , 2 mim. torcido. 2 m Inuoduzir
O erochl no fio horizontal, entre o p torcido e o p se-
guinte, e t r a ~ l h a , de .. alt! - ; 1 m • 6," carr.: • 2
p. juntOI em 1. ; 2 t.: 1 I. torcido; 2 I.: 2 p. juntos em
I.; 1 1. ", 7," e.,r.: · 1 m torcido, 3 m. 4 m. no p. se·
guinte Ip.gando-ol alternadamente pela f,enle • por
Irãsl. Reunir .'lea 4 p. com a ag de crochA Passar o
p. obtido par. I Ig. esquerda e tricotá-lo em 1. ; 3 m.
' . 8." ala." carr.: · 7 I.; 1 I. torcido ' 9." carr.: · 1
m lorcido; 7 m. ' . 11 . " carr.; • ' ·m. torcido. 2 m Intro-
dl,llir Ilg. da crocn' no fio norizom.1. entre o p torcido
e o p. seguinte d. 7.' carr o e tr.balh.r de 00 até 00. et c
eSt. c.rr. desencontra os motivos.
AS PINHAS
Numero de p. divis!ve! por 19. mais 9 p mais as bordas
1." carr.: • 1 laç.; 7 m 1 mate Simples: 2 p juntos
em m.; 7 m.; 1 l. ç .. 1 m • 1 laç .. 7 m , mate Simples
2 ." carr.: 2 p. Juntos em t . 6 I. 1 l.ç.; 1 t. • 2 t. ; 1
laç.; 6 t •. 00 2 p. Jun tos em I. 00 12 v.l: 6 1. ; , laç.; 1
I. ". 3." carr.: • 2 m.: 1 laç .. 5 m , mate simples; 2
p. Juntos em m.; 5 m' , laç. 3 m • 2 m.: , laç 5 m
1 mata simples. 4 ." carr.: 2 p junlOS em t., 4 I 1laç.
3 t.; • 4 1.; , I.ç.; 4 t .; 00 2 p. juntOS em I 00 (2 11./.
41.: 1 laç.: 3 t ' . 5." carr.: • 4 m 1 lac.; 3 m.; 1 male
simpl .. : 2 p, junlos em m 3 m.; 1 laç.; 5 m • 4 m ..
I 'aç.: 3 m.; ' mlle simples. 6." carr.: 2 p. juntOI em
t .; 2 t .; 1 laç.; 5 t . • 6 I.; 1 laç.; 2 I.; 00 2 p. juntos em
1.
00
(2 v 1. 2 t I laç.: 5 t • 7 .' carr.: · 6 m. l1aç.:
1 m . 1 mata Simples 2 p juntos am m , m 1 laç
7 m • 6 m .. I laç.; 1 m I mlle Simples. 8 ." ca".:
8 t .. 1 laç .. 00 2 p. juntos 2 p. juntOI em I., 1 laç. 7 t
eml
00
(2yJ IIac7t *9." carr.: " 8m l lac
1 mlle Si mples I lac 7 m 1 mata Simples ' 8 m
1 lac. , m iO. " carr.: 1 t I Jac 7 I.: 2 p juntOs em
t * 2 t 7 I . I laç.; 1 t 1 lac· 7 I . 2 p. jumos em
t. · 11 ." carr .. • 2 p./unlosem I 7m ' Iac· 1m
1 II C.: 7 m 1 male Simples " 2 p ,untOS em m 7
m 1 lac.; I m 12." carr.: 2 I .. 1 I. C·. 6 I. 2 p juntos
em t.: • 2 p. juntOS em I .. 6 t.; 1 I. C· 3 I.; 1 laç.: 6 I ..
2 p junlos em I '13." c." .: • 2 p. jun tOs em m 5
m 1 tac .. 5 m 1 Jac 5 m 1 mate simplel • 2 p.
juntOS em m .. 5 m.: 1 lac J m. 14." carr.: 4 t llac.
4 I.; 2 p. junl OS em I.; • 2 p Jun lOI em t.; 4 I .. 1 lac.
7 I.; 1 lac.; 4 I 2 p. junlOs em t ' 15." carr.: • 2 p
juntos em m .. 3 m., 1 lac·; 9 m 1 laç.; 3 m 1 male
simples ' , 2 p junlos em m. 3 m 1 laç .. 5 m 16."
carr.: 6 I.; 1 laç .. 2 t 2 p Juntos em t .. • 2 p juntos
em I .. 2 I : 1 laç.; 11 I.: 1 laç.: 2 I . 2 p. lu mos em I.
• 17." carr.: " 2 p junlos em mim 1 lac.. 13 m
, laç.; I m 1 male Simples ' 2 p luntOS em m 1
m , 1 lac·; 7 m 18." carro 8 I 1 laç 2 p junlOI em
I . • 2 p junlos em I : 1 lac .. 151 1 laç. 2 p jun lOI
em I. ' 19." carr.: " 1 '11 ... (esle p maia do inicio da
carr se encomra em cada ligaçlo. é o p. sobre o qual
o p sem lazer de 1 male Simples é rem Este mate sim
pIes estli "a c.valo·· sobre ii ligaçio. I lac .. 7 m.: 1 mate
simples. 8 m.; 1 lac . 1 p sem faze i ' !fie 1 P e rem
o p sem I'IIzer sobre o' p tric. 1 lac 7 m 1 me le sim
pIes. 20." carr .: 2 p junt os em t 7 I • I lac 1 I
lIac. 71 : 00 2 p JunlOs em 1
00
12 vI 7 I I lac 1 1
OLHOS OE LINCE
Número de p. divisfvet por 8. mais 6 p., mais as bordas.
"", 3,", 11 ,- carr.: em tricO. 2,", 10.", 12," carr.: em
meia. 4 ," carr. : 5 t.; • 1 t.; 2 p. sem fazer em t.; 5 t.
"; 1 I. 6," carr. : 1 m.; • 5 m.; 2 p. sem fazer em t ; 1
m. ", 5 m. 6 ," carr. : 51.; · '1.; 2 p. sem fazer em L:
5 t. "; 1 t 7," car,. : 1 m.; • 1 mate simples; 1 laç.; 2
p. juntos em m.; 1 m.; 2 p. sem fazer em t ; 1 m. "; 1
mate simples; 1 laç.; 2 p. juntos em m.; 1 m. 8," carr. :
2 t .; 2 t . na laço da cerro anterior ( 1 t.; 1 t.
por trãsl: 1 1. ; • , t .; 2 p sem fazer em 1. ; 2 t.; 2 t. na
laç. da carro anterior; 1 I. "; 1 t. 9,' ce".: 1 m.; • 5 m.;
2 p. sem fazer em 1. : 1 m. " ; 5 m. 13," CIIrr.: 1 m.; •
1 m.; 2 p. sem fazer em t.; 5 m. "; 1 m.: 2 p. sem fazer
em I.; 2 m. 14," carr. : 2 I.; 2 p. sem fazer em t.; 1 t .,
• 5 1. : 2 p. sem fazer em I.; 1 t. "; 1 I. 15," carr. : 1
m.; • 1 m. ; 2 p. sem fazar em t .; 5 m . • ; 1 m ; 2 p. sem
lazer em I.; 2 m. 18.- carr. : 2 t.; 2 p. sem fazer em I.
1 lo; o 2 p. juntos em t.; 1 laç. Tric. 1 t., colocá-lo nova-
mente na ag. esquerda. Com a agUlha direila, rem. o p.
seguinte sobre este p .. da esquerda para a direita. depois
passá-lo novamente para a eg. direita, 1 1. ; 2 p. sem fa-
zar em t.; 1 I. - ; 1 t. 17,- carr. : 1 m.; o 1 m.; 2 p. sem
lazer em 1. ; 2 m. ; 2 m. ne 'aç. da carro anterior (1 m.:
1 m. pegando-o por Iráa); 1 m. o; 1 m.; 2 p. sem lazer
em t.; 2 m. 18. - carr. : 2 I.; 2 p. sem fazer em I.; 1 I.;
· 5 t.; 2 p. sem fller am L: 1 t. o: 1 I.
OSALAMARES
Nümero de p. divislvel por 6. mais 3 p .. na cen. monta
gem Desde ai." cerr . .Iorne-se um numero de p. divislvel
por 8. até o lim do mOlivo (mais 3 p., mais as bordas).
L " carr. : J t.; " I t.; tric. ) p. no p. 5tluinte (1 m.; I I.;
1m.); 4 I . •. 2.". 4.- , 6.-, 8.", 10.· carr. : o 4 m.; 3 I.:
I m. o; 3 m. 3 .-, 5.-, 7.-, 9 .- carr.: 3 I. : • 1 1.71 m.:
I I.; 1 m.; 4 t. ". 11 .- carr.: 31.; " 1 t.; 3 p. cruzados
(deiler 2 p. 6 espera ne eg. aUlilier. alrás do Irabalho._
Tric. o 3.- p. em m., depois o 2.· p. da ag. aux. em t
e sem deixá-lo cair da ag., Iric. o 1.. p. em m.l; 4 t. ".
12." cerr. : • 3 m.; 2 p. cruzados (pOr o 1.- p. na ag.
auxiUar, na frenle do trabalho; Iric. o 2." em I.; em segui -
da o p. de ag. aux. em m.l ; 1 m.; 2 p. Cr\,l zados hric.
o 2.- p. da ag. esquerda em m. e sem deixá-lo cair da
ag .. Iric. o 1.0 p. em t.) "; 3 m. 13.- carr . : 1 m.; 1 1. :
o 2 p. cruzados (tric. o 2.· p. da eg. esquerda em m. e
sem deixá-lo cair da ag .. Irlc. o 1.° em 1.) ; 3 I.; 2 p. cruza-
dos (passar o 1.° p. para a ag. auxiliar, na frente do tra-
balho. tric. o 2." p. em I.; em seguide o p. da ag. 8UX.
em moi ; 1 I. o: 1 m. 14.- carr. : · 3 p. cruzados (colocar
2 p. na ag. auxiliar. na frenle do trabelho: tde. o 3.- p.
em t.: em seguida o 2.· p. da ag. au)(. em m. e o 1.-
em t.); 5 m. o; 3 p. cruzados como i6 foi explicado. 15."
carr. : 2 t.; o 2 p. cruzados (colocar o 1.0 p. na ag. aUlli-
liat. na frente do trabalho; tric. o 2.· p. em I.; em seguida
o p. da ag. aUll. em m.); 3 I.; 2 p. cruzados (tric. o 2.°
p. em I.; em seguida o p. da ag. aux. em m.); 3 I.; 2
p. cruzados (Irie. o 2." p. da ag. eSQuerda em m. e sem
deilá-Io cair da ag. esquerda. IrlC. o 1.° p. em li: 1 I.
o: 1 I. UI ," cerr. : 3 m.; o 2 p. cruzados (tric. o 2." p.
da ag. eSQuerda em m. 8 sem deixá-lo cair da ag .. !fie.
o L" p. em m.); 1 m.; 2 p. cru:ados (colocar o 1.0 p
na ag. auxiliar, na frente do trabalho, tric. o 2." p. em
I., depois o p. da ag. aux. em m.); 3 m. ". 17." carr. :
3 t.; o 1 t.; 3 p. cruzados (colocar 3 p na ag. auxiliar
alrh do trabalho. Tric. o 3.· p. em m.; em seguida o
2.· da eg. au)(. em t. e sem deixá-lo cair da ag .. tric. o
1." em m.l ; 4 I . •. 18. ", 20.", 22,". 24.-, 26.· c arr. : "
4 m.; 3 1. ; 1 m. o; 3 m.
19.·, 2 1.", 23.· , 26.· carr. : 3 t.; o 1 t.; 1 m.; 1 t.; 1
m.; 4 I. ". 27." carr. : J t.; " 1 I.; 3 p. juntos em m.;
4 I. ". Continuar em avesso do ponto mela (1 carr. em
1. : 1 carro em m.I, até a altura desejada, para separar as
fileiras de motivos. umas das outras.

,
-
80
CHEVRONS TECIOOS
HORIZONTALMENTE
Numero de p. divislvel por 10. mais as bordas. 1.- •
11 . · cerr.: ' 1 m .. pôr o fio para a Irenle. lirar 3 p. sem
fazer em I., pOr O fio para Irlis, 2 m., pOr o fio para a
frenta, tirar 3 p. sem fazer em t. ; 1 m. ", 2,-.10,- carr.:
• "" fio alrh, 3 p. sem fazar em t. ; fio na Irente. 2 I-
00(211'.) ", 3 ,".9,- cerr.: "fio na !rente. 1 p. sem lazer
em t .; fi o altés, 2 m.; fio na ftente, 3 p. sem fazer em
l ; fio alth; 2 m.; fio na fre nte, tirar 2 p. sem faze r em
t. ", 4 ,- • 8 ," carr.: • fio 8lrés. 1 p. sem fazer em I.;
fio na frente 2 t.; l io atrás, J p. sem fazer em t .; fio
na frente, 2 I .. fio atrás. 2 p. sem fazer em t. ", 5," •
7.· ce".: • 00 com o lia na frente, 3 p. sem fazer em I.;
com o fio 81th. 2 m."" (2 v.) " , 8," carr. : . ... 1 L. fio
illré .. 3 p. sem fazer em t.; fio na frente, 1 t. 00 (2 v.)
•. 12," • '4.· cerr. : em IriCO. 13." carr.: em mela.
PONTO OE CERES
Numero de p. divislvel por 10, mais as bordas ( 1 ag. <.Ie
crochl ). L" • 3 ." carr. : °St. ; fio alrh, 1 p. sem lazer
em I., fio na frenle, 4 I . • . 2-.• e 4 ." ca" .: • 4 m.; fio
nalrente. 1 p. sem fazer em I.; fio alrás. 5 m. 0 . 5." carr. :
· 3 I.; 5 m.; 2 1. · . 6 ." carr.: · 2 m.; 5 I.; 3 m. · . 7."
carr.: · 3 1. - inl roduzir a ag. de croch' no p. sem fazer
da 4." carr.; fazer uma laç. na ag.; pu.ar o p. (2 v.l; reunir
os 2 p. e colocar o p. que resultou na ag. direila - ; 5
m.; rep!lir de 00 até 00; 2 I • • • 8 ." carr.; • 2 m.: 2 p.
junlOs em I.; 3 l ; 2 p. juntOS em t.: 3 m. ". 9 ." carr. :
" 5 t.! 1m.; 4 I. " . 10.· carr. : em meia. 11 ." carr. : r e c o ~
meçar na L" carr., desencontrando o motivo, Isto é : "
fio atras: 1 p. sem fazer em I .; 9 t. ". Na 17." carr.: lazer
a lolha esquerda do 1." mOlivo, depois de 3 m. Conti-
nuar com 5 t. Fazer a folha direita do 2.° motivo, 2 m ..
elc.
FÚCSIA
Numero de p. divislvel por 8. mais a borda. 1." carr. :
" 7 t.: 1 m.: 1 laç. ". 2 ." carr.: " 2 1. : 7 m. ". 3." carr. :
" 71.; 2 m.: 1 laç. ". 4 ." carr.: " 3 t.; 7 m. ". 6." carr.:
" 7 I.; 3 m.; 1 laç. ". 6." carr . : " 4 t. ; 7 m. ". 7." carr.:
" 7 I.; 4 m.; 1 laç. ". 8 ." carr.: " 5 I.; 7 m. ". 9 ." carr.:
" 7 I.; 5 m.: 1 laç. 0 . 10." carr.: °6 I.; 7 m. ". 11."
carr. : " 7 t.; 6 m.; 1 laço 0 . 12." carr. : • 7 I.: 7 m. ".
13." carr.: · 7 I.; 5 m.; 2 p. junlos em m. 0 . 14." carr.:
" 2 p. junlOs em t. ; 4 1. ; 7 m. 0 . 15.· carr.: " 7 t.: 3
m.; 2 p. juntos em m. 0 . 18." earr.: " 2 p. junlos em
I.; 2 I.; 7 m. ". 17." carr. : " 7 t.; 1 m .. 2 p. Junt os em
m. ". 18." carr.: " 2 p. juntos em t.; 7 m. ". 19." carr.:
" 3 t.; 1 m.; I laç.; 4 :. ". 20 ." carr. : °4 m: 2 I.; 3m.
°21 ." catr. : · 3 I.; 2 m.; 1 laç.; 4 I. ° 22." carr.: " 4
m.: 3 I.; 3m. ". 2 3." earr.: " 3 I.; 3 m.; Ilaç.; 4 I. ".
24.· carr.:" 4 m.; 4 I.; 3 m." . 26." carr.: " 3 1.;4 m.: 1
laç.; 4 1. ". 28." carr.: ° 4 m.; 5 I.; 3 m. 0 . 27 .· ca".:
" 3 1.; 5 m.; 1 laç.; 4 I. ". 28." carr.: ° 4 m.; 6 t .; 3 m.
".29.· ca" . :- 3 t.: 6 m.;1 laç.: ...... ...,.· . 30." carr. : " 4 m.;
7 1.; 3 m. ". 31 ." carr. : "3 I.; 5 m .. 2 p. junlosem m ..
4 I. ". 32.· carr.: " 4 m.; 2 p. Junlos em 1. ; 4 1. : 3 m.
". 33." carr. : " 3 1. ; 3 m.; 2 p. juntos em m. ; 4 t. ". 34. ·
carr.: · 4 m.; 2 p. junlOs em }.; 2 I.; 3 m. ". 36." carr. :
3 I.: 1 m: 2 p. junlos em m; ' 4 I. · . 36." carr.; · 4 m.;
2 p. junlOs em I.; 3 m. ".
OS CHOCALHOS
Número de p. di .... !srv,! por 14. mais 81 bordas.
' .•• Ii,- ce". : • 2 I.; 3 m. torcidos: 4 t.; 3 m. lorcidos:
2 t • • . 2.· • e . · ca".: • 2 m.; 3 I. torcidos; 4 m.; 3
t. torcidos; 2 m . •. 3 .· cau.: • 2 I.; 3 m. torcidos; 4 I.;
1 ~ ç . ; 1 mlll duplo; 1 taç.. : 2 t. ..... carr.: • 2 m.; 1
I.; 11. torcido; 1 t ; 4 m.: 3 I. torcidos; 2 m. *, 7 ,* urr.:
• 2 t.; 1 laç. ; 1 mate duplo: , rac.; 4 I.; 3 m. torcidos;
2 t ,* 8 ,* carr. : · 2 m.; 3 t. torcidos: 4 m.: 1 L; 1 t. lorei·
do: lt.; 2m, - ,
AS LINHAS OE FOLHAS
Número da p. divialvII por 7. mais 6 p., ml la IS bordas.
1,* clrr. : 6 t ; • 1 11ç. : 1 m.; 1 Il ç.; 6 t . • , 2,* car,. :
· 6 m.: 3 l * ; 6 m. 3 ,* CI". : 6 I.: • 1 m.: 1 Ilc.; 1 IT\- :
1 taç. ; 1 m.; 6 I. *, 4,* c.rr, : • 6 m.; 5 t . *; 6 m. 5,-
clrr. : 6 t .; • 2 m.; 1 raC. ; 1 m.: 1 11ç. ; 2 m.; 6 t. . , 6 ,-
.rr. : ·6 m.; 7 t. *; 6 m. 7 ,* CIIrr.: 6 t.: · 3 m.; 1 r. c. :
1 m.; 1 Ilç.; 3 m.; 6 t. . , 8 ,- carro: - 8 mo; 9 L - ; 6
m, 1 ,* carr, : 6 I,; • 1 mlte Ilmplu; 5 mo; 2 p, juntos
em mo; 6 L - , 10,- cerro: - 6 mo; 7 t, - ; 6 m, 11 ,- Clrr, :
6 to; • 1 mlle simples; 3 mo; 2 p, juntOI em mo; 6 I,
e , 12,* Clrr,: - 6 mo; 5 t, · ; 6 m, 13,- Clrr,: 6 t,; · 1
mlte si mplel; 1 mo; 2' p, junt ol em mo; 6 t, · , 14,- Clrr,:
- 6 m,; 3 t, . ; 6 m, 16,* ca", , : 6 t. ; • , mll e dupl o;
6 t · , le,*, 18,* a20,* carr o: em meil , 17,- e1 9 ,: carro:
em trlcO,
PONTO HOLANOtS
Número de p, d!vll lve! por 16, mlil II bordas.
1,* carro: - 5 m,;· 2 p, juntOI em m. ; 1 laç.; 2 m.; llaç.;
1 mate I lmplu; 5 m. - . 2,- Clrr, : - 4 L; 2 p. junlol em
t.; 1 lle-; 4 L; 1 laç.; 2 p. juntos em I.; 4 t, *. 3.* ca", . :
e 3 mo: 2 p, juntOI em m.; 1 laç. ; 6 m.; 1 laç.; 1 mlle
simplu ; 3 m. - , 4 ,* carro: • 2 t.; 2 p. juntOI em to: 1
tIÇ.; 4 L; 1 IIÇ,; 2 p, juntos em L; 2 to; 1 laç.: 2 p. juntos
am L; 2 L *. 5,* carr, : • 1 m.; 2 p. junt os em m.;
1 laç. ; 5 mo: 1 Ilç.; 1 mlte limples; 3 m.; 1 laç.; 1 mate
sl mplel: 1 m . •. e ,* Clrr,: - 2 p. juntos em t. ; 1 Iac. :
6 t.: 1 laç,; 2 p, junlol am L: 4 L; 1 11ç.; 2 p. juntos
em I, - , 7,- carr.: • , p. sem fizer em to; 1 m.; 1 laç.:
1 mlte s implll; 4 m.; 1 lle. ; 1 mlte 11m pies; 2 m.: 2
p. Juntol em m.; 1 lae. ; 1 m.; 1 p. sem fizer em L *,
8,* ce",.: • 3 1. : 1 Il ç.; 2 p. Junl ol 1m 1. ; 3 1. ; 1 lac.:
2 p. JuntOI em 1. ; , t.; 2 p, Ju ntOI em t.; 1 laç,; 3 I. *.
9,- carr, : · 1 lae. ; 1 mate l implel; 2 m.; 1 laç.: 1 mate
si mplll; 4 m,; 2 p. Juntol 1m m.; 1 Il ç.; 4 m . •. 10,-
carr,: - 1 II Ç,; 2 p, Juntos 1m t.; 3 t.; 1 11e. ; 2 p. junto.
em t.: 2 t.; 2 p. JuntOI em to; 1 llç.; 5 I. - , 11 ,- carr.:
- , 11e- : 1 mlle slmplll; 4 m.; 1 11ç. ; 1 mlte si mples;
2 p, Juntol em m,; 1 IIÇ,; 6 m . •. 12.* ce", . : • 1 laç. ;
2 p, Juntos em to: 2 to; 2 p. Junt os em t.; 1 Il ç.; 1 I.;
2 p. sem fizer em 1. : 1 l ; 1 lac.; 2 p. Junl os em 1. ; 4
1. · . 13.* carr, : · 1 Il ç.: 1 mate si mples. 1 m.; 2 p, JunlOs
em m.; 1 IIÇ,; 2 m.; 2 m. cruzados. direita; 2 m.; 1
laç.: 1 mlte si mplel; 3 m. - , 14,* carr, : · 2 t.; 2 p. junl Os
em l ; 1 II Ç,; 4 l ; 1 laç,; 2 p, Juntos em to; 2 t. ; 1 laç. ;
2 p. Junt os em t.; 2 t , · , 16.- carr,: · 1 m.; 2 p.junlol
em mo: 1 II Ç,: 5 m.; 1 Ilç. ; 1 mlte . imples; 3 m.; 1 laç.;
1 mate simplu ; 1 m. - , I e , * carr,: • 2 p. juntos em
t.; 1 laç. ; 8 L: 1 laç.; 2 p. JuntOI em t. ; 4 I,; 1 II Ç,; 2
p. juntOI em t. • . Recomeçar ne 7,· cerro
-
,
PATAS DE URSO
Número de p. divisível por 23, mais as bordas.
1.- carr.: • 2 m.; 4 t.; 1 m.; 4 1. ; 1 m.; 4 1. ; 1 m.; 4 I.; 2 m. · . 2 .- carr o e todas as pares : acompanhando
o p. 3.- carr.: • 1 m.; 1 laç.; 1 m.; 2 t .; 2 p. juntos em t.; 1m.; 4 t.; 1 m.; 4 I.; 1 m.; 2 p. juntos em t.;
2 1.; 1 m.; 1 laç. ; 1 m. ' . 5.- carr.: • 2 m.; 1 laç.; 1 m.; 3 t.; 1 m.; 2 t .; 2 p. junlOs em 1. ; 1 m.; "2 p. juntos
em 1. ; 2 1.; 1 m. ; 3 1.; 1 m.; 1 laç.; 2 m . •. 7 .- carr. : • 3 m.; 1 laç.; 1 .m.; 1 t .; 2 p. juntos em I.; 1 m.; 3
t.; 1 m.; 3 1. ; 1 m. ; 2 p. junl0S em t.; 1 1. ; 1 m. ; I laç. ; 3 m . •. 9 .- carr. : • 4 m.; 1 laÇo; 1 m.; 2 1. ; 1 m.:
1 1. : 2 p. junt os em t.: 1 m.; 2 p. junlOs em 1. ; 1 t.; 1 m.; 2 t.; 1 m.; 1 laÇo ; 4 m. ". 11 .- carr. : · 5 m.; 1
laç.; 1 m.; 2 p. juntos em I.; 1 m.; 2 1. : 1 m.: 2 t.; : 1 m.; 2 p. juntos em t.; 1 m.; 1 laç.; 5 m. ' . 13.-
carr. : • 6 m.; 1 laÇo; 1 m.; 1 t.; 1 m.; 2 p. juntos em t.: 1 m.; 2 p. juntos em t .; 1 m.; 1 t.; 1 m.; 1 laç.;
6 m . • .
PONTO DE CÓRDOBA
Numero de p. div!sivel por 34. mais as bordas.
1,- , 5.- , .9.-carr. : · 3 m.; 2 p. juntos em m.; 4 m.; 1 taç. ; 21.; 00 2 m.; 1 laç.; 1 mate simples 00 (3 \/.1:
2 t.; 1 laç. ; 4 m.; 1 male simples: 3 m. ". 2 ,-, 6 ,-. 10,- carr. : · 2 t.; 2 p. juntos torcidos em I.; 4 t.; 1 laç.;
1 t.; 2 m. ; 00 2 t. ; 1 laç.; 2 p. juntos em I . .... (3 \/ .1: 2 m.; I t.; 1 laç.; 4 t.; 2 p. juntos em t.: 2 I. " ,
3 ,· , 7,-.11. - carr. : ' 1 m.; 2 p. juntos em m.; 4 m.; 1 laç.: 2 m.; 2 I.: 00 2 m.; 1 laç..; 1 mate s imples
DO 13 \/ .1; 2 t.; 2 m.; 1 laç.: 4 m.; 1 mate simples: 1 m. ", 4.", 8." • 2 .· carr. : • 2 p. juntos em I. torcidos;
4 I .; 1 laç.; 3 t.; 2 m.; 00 2 t.; 1 laç.: 2 p. juntos em t. DO (3 \/ .1: 2 m.; 3 1. : 1 laç.; 4 t .; 2 p. juntos em t.
". 13,· , 17," .21." carr. : • 1 13ç.: 1 mate simples; 2 m.; 1 laç.; 1 male si mples; 2 t.; 1 laç.; 4 m.: 1 mate
simples; 6 m.; 2 p. juntos em m.; 4 m.; 1 laç.; 2 t.: 2 m.: 1 laç.; 1 mate slmptes; 2 m . •. 14.- , 18.- • 22.-
carr.; • 1 laç.; 2 p. juntos em I.; 2 I.; I laÇo ; 2 p. junlOs em I.; 2 m.; 1 I.; 1 laç.; e 4 1.; 2 p. JunlOs em
t.: 4 t .; 2 p. Juntos em I. torcidos; 4 I.; 1 laç.; 1 L; 2 m.: 2 I.; 1 laÇo ; 2 p. junlos em L; 2 I. ' . 15.- . 19.-
.23.- carr. : · 1 laç.; 1 mala simples: 2 m.; 1 laç. : 1 mate simples; 2 L: 2 m.; 1 laç.; 4 m.: 1 male simples;
2 m.; 2 p. junlos em m.; 4 m.: 1 laç.: 2 m.; 2 t. ; 2 m.; 1 laç.: 1 male s i m p ~ s ; 2 m . •. 16.- , 20.- ti 24.-
carr. : • 1 laç.; 2 p. junlOs em t. ; 2 1. ; 1 laç.;. 2 p. juntOS em t.: 2 m.; 3 t. : 1 laç.; 4 I.; 2 p. junt os em I.; 2
82 p. juntos em t. torcidos; 4 I.; 1 laç.; 3 t.; 2 m.; 2 1. ; 1 laç.; 2 p. juntos em t.; 2 t. ' .
,
• •

CONCHAS DE PEREGRINO
Numero da p. divl.!"er por 19. mais as borda ..
1,-.2,- clrr.: Em meia. 3 ,- carr.: · 1 m.; 2 laç. : 2 p. juntos em t. pegando-os por Irh; 13 m.; 2 p. Juntos
em L; 2 lac:. ; 1 m. *, 4,- ce".: · , m.: 2 p. n .. laç. 11 m.; 1 1.1: 15 m.: 2 p. " .. Iaç. ( ' t.; 1 m.' 1 m. *,
5,- aS.* carr.: Em meia. 7 ,* carr.: · 1 m.; " 2 laç.; 2 p. junto. em L. pegando-os por trh" (2 v.); 11 m.;
.. 2 p. 11,11'1101 em 1. : 2 laç . .. (2 \/ .): 1 m . • , 8 ,* carr.: . .. 1m.; 2 p. n .. laç. (1 m.; 1 I.) " 12 v.); 13 m.;
.. 2 p. n .. laç. II 1. : , m.l; 1m . .. 12 ".) . , 9 ,* carr .: Em meia. 10.* ce" .: • 6 m.; .. 2 lae:. ; 1 m. " 114
\/ .): 5 m. * , 11.* carr.: • 1 m.; " 2 raç.; 2 p. lunlos em L, pegandO-Ol por Iri." 12 v.l: 2 laç. Alongar os
15 p. seguinte .. deixando cair lodlS .5 laç. QUI se encontram nos intervllos. a Irieot6-los todOI juntOI em
I.; .. 2 lae:. ; 2 p. juntos em I. peglndO-ol por trás" (2 v.l; 2 tIC.; 1 m . •. 12.- CI".: · " , m.; 2 p. nu
tlC. (1 t.; 1 m.l" (3 v. l: 1 m.: " 2 p. nllllc. (' m.; , t.l; , m. " (3 v.) •.
FOLHAS DE MACIEIRA
Em um número de p. divlllvel por 19, mail 2 p" ml is os p. de borda. 1.- , 3 .- , 6.- e 1 .- carr.: 1 m., • 1
mate $implu; 3 m.; .. 1 Ilç .. 1 mate sl mpl .... (2 v.); 1 IIC.; 1 m.: 1 lac.: .. 2 p. juntOI em m .. 1 lac . ..
(2 11'.); 3 m.; 2 p. JuntOI em m. - ; 1 m. 2 ,- clrr. I todas IS Plr •• : em n icO. 9 .- carr. : 1 m.; • 1 mate simples;
2 m.; .. 1 I.c .. 2 p. juntos em m . .. (2 v.); , taç.; 3 m.; 1 laç. ; .. , mate simples, 1 IIC' .. (2 11' .); 2 m.; 2
p. juntOI em m . • ; 1 m. " .- carr.: 1 m.; • I mate simples; 1 m.; " 1 IIC" 2 p. Juntos em m. 00 (211' .); ,
1ac.; 5 m.; , Ilc.; .. 1 mate simples, 1 lac . .. (2 11'.); 1 m .. 2 p. juntOI em m. - ; 1 m. 13.- carr,: 1 m.; • 1
mlte simple.; .. , Ilc .. 2 p. Juntos em m . .. (2 11'.) ; , 11ç. ; 7 m.; , lac.; ... , mato simples, 1 11ç. .. (2 v.1.
2 p. juntos 1m m. -; 1 aum. em m. 15.- carr. : tlrlr 1 p. sem fazer; • 1 m .. rem. o p. sem fazer sobrl'! o p.
meil ; .. 1 Ilç .. 2 p. Juntos em m . .. (2 11'.); 1 11ç.; 3 m.; 2 p. JuntOI em m.; 4 m.; , lac.;" , mlte simples.
1 IIC. " (2 v.1. t irar' p. sem fazer -; 1 m .. r.m. o p. lem,flzer sobre o p. mei.: 1 m-J 7 .- , 19,- , 21.-.23.-
carr. : 1 m.; • "'Iac., 2 p. juntOI em m . .. (2 v.); , laç. ; 3 m .. 2 p. juntos em m.: , mlte simples; 3 m.: 1
lac.: .. 1 mlte t.imple, 1 leç. .. (2 v.); , m. -; 1 m. 25.- carr.: 1 m.; • , m.: - 1 laç.. 1 mate simples"
(2 v.); , 11ç.; 2 m.; 2 p. juntos em m.: 1 mate simplel; 2 m.: .. 1 laç .. 2 p. juntei em m . .. (2 v.); 1 laç.;
l ~ . -; 1 m. 27.- carr.: 1 m.: • 2 m.; - 1 laç., 1 male simples .. (2 v.I; , llç.; ) m.; 2 p. Juntos em m.;
mi" simpl .. ; , m.; 1 laç. ; .. 2 p. juntos em m., , laç. - (2 v.); 3 m. - ; 1 m 29.- carr.: 1 m.; • 3 m.;
1 laç .. , mate simples .. (2 v.); , laç. ; 2 p. juntos em m.; , mate I lmples; , lac.; ... 2 p. Juntos em m ..
IÇ. " (2 v.); 4 m. -; 1 m. 31 .- clrr.: , m.; · 4 m.; " 1 laç .. 1 mate simplos- (2 v.); 1 taç.: 1 mate simples;
;.; 00 2 p. Juntos em m .. , laç. - (2 v.): 3 m.; 2 p. Juntos em m. - ; 1 m. 83
84
PONTO TRANÇADO
Em um numero de p. múltiplo de 8. 1,".3," e.rr. : ·
6 t.; 2 m . • , 2," • 4,· cerr. : • 2 I.; 6 m. ", 6,' • 7,"
Clrr.: 2 m.; • 2 L; 6 m. 0; 2 1. ; 4 m. 8 ," • 8 ,' arr.:
4 t. ; ' 2 m.; 6 L 0; 2 m.; 2 L
QUADRADOS SALPICADOS
Em um número de p. múltiplo ele 6. 1.' . 3 .", 6 ,". 13.' .
15," • 17," Clrr.: em mei • . 2,", .... . 8,", 14,' , 18," ,
'8," an. : em tricO. 7. ", 9,". " ," carr.: · 3 m.; 3 t.
", 8 ,", 10.' • 12," Clrr.: 1m tricO. 19,", 21.° • 23,"
cerr.: · 3 t.; 3 m. ", 20.", 22,". 23,' Clrr.: em tricO.
P0II'TO MEIA LISTRADO
l ,' 3,' c.IIH. : em meie. 2,' CI". : em Ir lcO . .... CI".:
1m tricO no IVISIO do trabalho.
P0II'TO SALPICADO
EM QUADRADINHOS

Em um número de p. múltiplo de 6. 1,' • 3," CI".: •
2 I.; 4 m. " , 2. " c.IIn' • • toda ••• Plr •• : em trice. 5,"
.7.·cI".:3m.; o 2 L; 4m. o; 2 L 1 m.
-
TRI ANGULOS SÁLPICADOS
Em )Jm número de p. múltiplo de S. ' .' carr.: • 1 m.;
4 I. ", 2," c.lirr.: • 3 m.; 2 t. ", 3," C.rT.: • 3 m.; 2 t.
m.; 4 L -.
,
LOSANGOS SALPICADOS
Em um numero de p. múltiplo de 10. 1.· arr. : • 9 m.,
I t. ", 2 ," • 8 ," cerr.: 2 m.; • 7 L; 3 m. 0; 7 I.; I m.
3,".7,· arr.: 2 t.: · 5 m.; 5 t. 0; 5 m.; 3 t. 4,·.6,·
cerr. : 4 m.; • 3 1. ; 7 m. 0; 3 t.; 3 m. 5," cerr. : 4 I.; •
1 m.; 9I, o; 1 m.; 51.
ZIGUEZAGUE
Em um numero de p. múltiplo de 10. L" cerr. : · 5 m.;
1 t.; 1 m.; 1 t.; 1 m.; 1 t " , 2 ,".10," cerr.: · , t.;
1 m.: 1 I.; 1 m.; 1 I.; 1 m.; 4 t. ", 3 ,· • 9 ,· cerr.: •
3 m.; 1 t.; 1 m.; 1 1. : 1 m.; 1 t.; 2 m. " , 4 ,·.8," cer,.:
· 3 t.; , m.; 1 t.; 1 m.; 1 t ; 1 m.; 2 t. ", 5,".7," carr. :
• 1 m.; 1 I.; 1 m.; 1 t. ; 1 m.; 1 t.: 4 m. ", e,· cerr. :
• 1 m.: 1 t.: 1 m.; 1 lo ; 1 m.; 5 1. ",

PONTO WAFFLE
Em um numero de p. multiplo de 3. L" • 3.· cerr.: •
2 m.: 1 t. ", 2," cerr. : • 1 m.: 2 1. ", 4 ,· cerr.: em meil .
BARRA TRIANGULAR
Em um número de p. mültiplo de 4. 1.· ce". : em tric6.
2," • 8 ," carr. : • 1 t ; 3 m. ", 3," .7," cerr, : · 2 I,
2 m, · , 4, - e',- cerr,: · 3 t ; 1 m, · , 5,- cerr, : em meie
PONTO AZULEJO
Em um número de p. múhiplo de 5. 1,- Clr,. I tode.
e. Implre.: em mei • . 2,-, 4.- e e .- CI". : · 4 I.; 1 m.
· . 8.- urr,: em mel. , 85
a.
AS TARTARUGAS
Em um numero de p. mültlplo de 6. mail 1 p. , ," carr.:
• 1 m.: 1 Ilç.; 1 mil. ,imples: 1 m.; 2 p. junto.; 1 lac.
0; 1 m. 2 ," carro I toda. II par •• : em Ifit6, trabalhando
todo. os p. I 15 laç. 3 ," • 9 ," Clrr.: • 2 m.; 1 IIC.; 3
m.; 1 lac.; 1 m. ", , m. 5 ," carr. : 2 p. ju nt os . • 1 laç.
1 mail si mplas: 1 m.; 2 p. JuntOl; 1 laç.; I mate duplo
", Terminar com 1 mate limpl ••. 7," clrr. : • 1 m.; 2
p. juntol; 1 taç.; 1 m.; 1 I.c.; 1 mail simple. o . 1 m
" ," carr. : · , m.; 2 p. Junto. ; 1 laç.; 1 mata duplo:
1 lac.; 1 mata simples 0; 1 m.
CHEVRONSFURADINHOS
Em um número de p. mültiplo de 6. mll i, 2 p. da bord • .
1," carr.: • 1 lac. : 2 m. 2 p. juntol; 2 m . • 2 ," •• ,"
e.". : em tricO. trabalhando os p . • as laç. 3.· Cln. : •
2 m.; 2 p. junlOl; 2 m.: 1 laç. o.
AJ·UR DE PONTOS CRUZADOS
O ajur , feito em 2 carr., separades por clrr." •• em p
meia, sendo QUI a ull ima desla. ê feita em ave"'O, no
direito do Irabalho. 1.- cen, : · 1 m., enrolar a I. 2 vezea
em volta da ag. dlreila · . 2," carr. : · Pôr 3 p. numa ag
auxil iar, deixando cair as laç.: \f ie. o. 3 p seguinle. em
meia, deixando cair as Iillç. ; depoia os 3 pl;la ag.auxiliar·
BARRA COM AJUR
Em um numero de p. mull ipl o de 4. mais 2 p. de borda
1." cerr. : - 3 m.: 1 1. · . 2." cerT.: \fie. acompanhando
o p. 3," carr. : · 1 lac : 1 mlle duplo; 1 lac.; I I • 4."
ean. : " 1 m.: 3 1. - .
QUADRICULADO DE AJUR
Em um numero de p. muJliplo de 12. mais 6 p 1.", 3.",
6.- .7.- cerr.: - 6 m.; ·- 2 p. junlOS. I laç. - (3 v.1
"; 6 m. 2.- , 4." • e ." earr. : • 6 L; - 2 p. junt o. em
t .. 1 'aç. - (3 v.l - ; 6 t. 8 ." earT. : em tr icO. trabalhando
os p. e as laç. Recomeçar na L" carr .. deslocando de
• p.
BARRA FURAolNHA
Em um numero de p. múltiplo de 4. 1.· • 3.· CIIT. : •
1 m.: 3 t * , 2,*, 4 ,*.15,* Clrr.: · 3 m.; 1 L · , 5,* ClrT. :
• 1 m.; 2 p. JuntOI em 1.; 1 laç.; 1 t • .
LOSANGOS EM AJUR
Em um número de p. multiplo de 10, mail 1 p .. mais
, p. de borda' direita. 1.· urr. : · 1 lac.; 1 mlte simples;
5 m.; 2 p. JunlOI; 1 laç.; 1 m . • , 2 ,- Clrr, I toda • • ,
p.r •• : 1m IrlcO. 3,* cerr. : · 1 m.: 1 laç. ; 1 mate simples:
3 m.; 2 p. JuntOI; 1 laç. ; 2 m . • , 5 ,* CI". : • 2 m.: 1
laç.; 1 mate simples; 1 m.: 2 p. junlOI: 1 r.ç.: 3 m. *,
7 .· Urr. : • 3 m.; 1 lac;:. ; 1 mlte duplo; 1 laç. : 4 m . •
9 ,* cerr.: · 2 m.; 2 p. juntOI; 1 laç. ;lm.; I lac ; lm.; 1
mlta slmpl •• ; 3 m . •. 11 .· ce". : • 1 m.: 2 p. junt aI;
1 laç.: 3 m.: 1 laç. ; 1 mate slmpl •• ; 2 m . • , 13,* Clrr. :
• 2 p. juntOI: 1 laç. ; 5 m.; 1 laç.; 1 mlte simples; ~ m.
* , 115 .• cerr. : Irle. o 1.* p. junlo com o p. de borda, •
1 11c;. ; 7 m,; , laç.; , mate duplo · (te,minl' a carro com
, mlte almples).
PONTO DE DIAMANTE
Em um número pa, de p. ' .• CI". : em mell . 2." Clrr. :
em IrlcO. 3.- carr.: 2 p. Juntai em mell. durante Ioda
I carro 4 .- carr. : · 1 m.; levlnllr o 'lo que IIgI este p.
la p . .. "uinta a IrlC016-lo em meil •.
PONTO TURCO
ENVIESADO A ESQUERDA
Em um númaro plr de p. 1.· carr. : em mail. 2 .- carr. :
1 t .; " ' laç.; 2 p. Juntos em t., peglndO-OI por 1r6. ";1 t
3.- clrr. : 1 m.; " 1 mlte I lmplu. 1 11c;. " ; 1 m. 4 .- carr. :
recomeClr nl 2." Clrr.

,

(
,
,

I

J


"


,


,

1


"

I -




,
<
I


,


,
-
,
..
• •

I
~ ' J
1
• ,
-.


,

J
,
,
,

,
..
.' ,
-.
"

,



,
,

-

8 7
88
PONTO TURCO SIMULADO
Em um numero plr de p. 1,- ~ I ' T . : 1 m.; • 1 laç.. 2 p.
Junto. em m. - ; 1 m. Aep41lir sempre .,11 Clrr. no direito
II no IV.'SO do tr,balho.
A.JURS EM ÂNGULO (VII)
Em um número d. p. múltiplo de 10, mlil os p. de bol -
di. 1,- CI".: · I laç.; 1 mate simpl.' ; 8 m . • . 2.· QIT.
• toda • •• Plr •• : em n icO. 3,- clrr. : • t m.; 1 ' I Ç. ;
1 mlte limpl •• ; 5 m.; 2 p. Junto. ; 1 Iaç. -, 5,- carr.:
• 2 m.; 1 laç.; 1 m.te simpl •• ; 3 m.; 2 p. juntOl: 1 laç.. :
1 m . • , 7 ,- Clrr.: · 5 m.; 1 laç.; 1 mil •• impl. '; 3 m.
- , 9 ,- clrr.: • 3 m.; 2 p. juntOl: 1 Ilç.; 1 m.; 1 laç. ; 1
mlte almple.; 2 m. -, 11 ,- etlrr.: • 2 m.: 2 p. Junt o.:
1 laç. ; J m.; 1 tIÇ.: 1 mate fimpl •• ; 1 m. - ,
BARRA DE PONTOS REMATADOS
Em um número de p. múltiplo de 3. 1.· cair.: (no Iyesso
do Ir,balhol • 2 I.; 1 m. tr icotado no fio Que r. úne o
último p. t. com o p. seguinte: 1 m. - , 2 ,- c.rr.: • 1
L; lirar 1 p. Mm fazer em l ; 2 m.; rem. o p. sem lazer
sobre 01 2 m. · .
-
PONTO TURCO
ENVIESADO A DIREITA
,
Em um númaro per de Jf. 1.- c.rr.: em meia. 2.- ~ " " . :
1 t.: • , laç. ; 2 p. 'untai em l . ; , t. 3.* ca .... . : 2 m.;
• 1 laç. ; 2 p. Junto. am m. -. 4.- carr. : 2 t.; • 1 laç. :
2 p. Junto. em I. -. !i.* ca".: 1 m.; · 1 laç.: 2 p. JUnlOS
em m. - ; 1 m. Recomaçar na 2.- carro
OS SINOS
Em um número de p. divi.lvel por 8, mlls o. p. de borda.
1,-, 3 ,-" 5,- CII1' .: · 4 m.: 4 L . , 2 ,- Clr,. "tod ••••
par •• : Irle. acompanhando o p. 7,- C." .: · 2 t. cruzados
III esquerda; 2 L cruzados III direi ta; 4 m . • . 9.· , 11.· •
13,- can.: · 4 L; 4 m. · , 15,- CII'1'.: · 4 m.; 2 t. cruzados
III esquerda: 2 t. CfUudos ii direha - ,
BARRA TRIANGULAR
Em um número de p. divi.lv.' por 16. mal. os p. de bor·
da. l ,-" 9 ,- carr.: · 3 m.; 1 L; 4 m.; 3 1. ; 4 m.; 1 I.
· , 2,-" 8,- CIIrr.: • 2 m.; 3 1. ; 3 m.: 3 1. ; 2 m.; 3 I.
· , 3,- ,,7,- carr.: • 3 m.; 3 1. ; 2 m.; J t.; 2 m.; 3 I.
· , 4,-" 5,- carr.: • 4 m.; 1 1. ; 3 m.; 1 I.; 4 m .. ; 3 t.
· , 5,* carr.: · 3 m.; 13 t. . , 10,- Clrr.: · 5 1. ; 3 m.; 8
, ..
PONTO OE MOSAICOS
Em um número de p. divisível pOl" 20, mais os p. de bor-
da. 1,*, 5,*.9,* carr.: · 2 m.; 2 l · , 2 ,* can. " Ioda'
I' par.' : Iric.. acompanhando o p. 3,*" 7,* ca,.... : 2
m.; 2 l ; 2 m.; 2 t.; • 4 m.; 2 t.; 2 m; 2 t .· , 2 m, 11 .· ,
15,·.19.· c.rr, : · 2 I" 2 m. · . 13,· .17." c.rr.: como
a 3." .7." carr,
PONTO OE RETÂNGULOS
Em um nÚm.ro d. p. dlvlsfvel por 6, mal. o. p. de borda.
,." c.rr. e toda. a. Imp.r •• : em maia. Carr. p.r •• d.
1.· • 12.· : " 3 m.: 3 t. ". C.rr. pare. d. 1 • . " .. 2 ... · :
"31.; 3m. ".
PONTO OE CORRENTE
Em um nuúmero de p. divi.lvel por 1" . mais 3 p .. m. r.
o. p. de borda. 1.". 3.· e 5.· cerr.: em meia. 2.", • .•
a I .· cerr.: em Ir1<:6. 7.· e 13.· c.rr.: " 3 m.: 11 I. ";
3 m. 8.".1 • . " c.rr.: Irie. acomp.nhando o p. 9." cerr.:
• 3 m.; 2 t.: 7 m.; 2 L . ; 3 m. 10.· c.rr.: " 5 m.; 7
L; 2 m. "; 3 m. 11 .·c.tr.:lrie. .comp.nhandoo 1'. 12.·
cerr. : " 3 1. ; 2 m.; 7 I.; 2 m. "; 3 L 15." c.rr.: recomeçar
n. 1." carro e deslocar de 7 p . • partir da 2 1." clrr .. trico-
tando. como na 7." carr., mal começando com: 7 L; ·
3 m.; 11 I . " . etc.
89
90
PONTO OE CESTA
Numero de p. divi slvel por 9. mais 2. mais 81 bordas.
l ,".7,oe&,r, : · 2 I . 7 m ", 2 t 2,", 8,".8," çerr . :
Em tricO. 3,".5," e.rr.: · 2 I .. 3 m:; 1 t.: 3 m ", 2
I. 4 ,· carr.: 21 . · 2 \.; 1 m.; 1 \.; 1 m.; 4 1. ·
GODRONS
Número de p. dlvislvel por 12. mais as bordas. 1," • 3,"
cerr. : Em meia. 2 ," • 4 ," cerr . : Em tricO. 5". 7 ," cerr.:
3 m.; · 6 1.; 6 m. 0: 6 I.; 3 me,", 8 ," cerr. : Acampa-
"", ndo o p.
- PONTO TIPO SOALHO
Número de p. divislvel por 20. mll l S as bordas. 1." , IS ,"
e 9 ," CI". : • 2 1.; 2 m.; 2 I , 2 m., 2 t 10 m • 2,"
c arro • Iode ••• Plr •• : Acompanhando o pJ," • 7,"
carr. : · 2 t.; 2 m.: 2 t. ; 2 m.; 12 I. ", II ,' , 16," .19 ,"
cerr. : · 10 m.; 2 t. ; 2 m. 2 t 2 mO, 2 1. ' 13,".17 ,"
cerr. : " 12 t.; 2 m.; 2 t.: 2 m 21 ·
TABULEIRO DE XADREZ
Número de p divislvel por 12. mllS 1 o·. m'l$ 81 bordai.
1,", 3 ,".15," ce". : · 7 m.; 5 1. " , 1 m. 2 ," Clrr, I todl'
I' plrla : Acompanhando o p 7,", 9 ,".11." carr,: 1
m,; " 51.; 7 m. · ,
CESTO DUPLO
Número d. p. dlvislvel por 18, mlll 1 p., mal' II bordas
1.", 3.", 5," .7." urr, : I I , " 1m.; 11 .. ; 2 m 9 I
2 m.; 1 I.; 1 m.; 1 I, ". 2 .", 4 ,", e,o . 8." Clrr,: 1 m
" 1 I,; 1 m , 13 L; 1 m,; 1 1_; 1 m, ", 9 .", 11 ,", 13.'
• 15," Clrr, : • 5 I,; 2 m.; I I.; 1m.; 1 I.; 1 m.; I I
2 m" 4 I . • 1 1, 10.", 12,", 14," • 1e." Clrr.: • 7 I
1 m,; 1 I,; 1 m., 1 I.; 1 m., 61, " , 1 I
AS ESCADAS
Número de p. di visivel por 18. mais as bornas.
1 ," ti 3," elrr. : · 15 m.; 3 t " , 2 ," c.rr. ti tod •••• pl-
r •• : acompanhando o p. S." . 7 ," Clrr. : · 3 m.; 15 I.
°, 9 ," , " ," Clrt. : · 3 m.; 3 I.: 12 m. " , 13," . ,5,"
cln. : • 6 t.; 3 m.; 9 1. ", 17," .19," Cl rr .: · 9 m.; 3
1.; 6 m. " , 21 ," , 23,· CI" ,; 0 12 t.; 3 m.; 3 1. ",
PlISSADD COM TRIÂNGULOS
Número de p. divislvel por 10, ma i, as bordas.
I ," carr. : • 2 l : 8 m. ", Z," • 12," Cl rr.: • 7 1. : 3 m.
", 3," ti 11 ," Clrr.: · 4 t.; 6 m. ", 4 ," ti 10," Cl rr.: ·
5 I.; 5 m. ", 5 ," • 9," CI,r, : · 6 I.; 4 m. ", 6 ,".8,"
Clrr. : · 3 t.: 7 m. ", 7 ," carr.: · 8 1. ; 2 m. ",
PONTO TRICO EM RETÂNGULOS
Número da p divislver por 14. mai s a. bordas
' •• ti 5.· ca". : em IrlcO. 2.· cerr. ti toda. IS pa, •• :
e m maia 3 ," Clrr.: · 7 m.; 7 I. ' 7," cerT. : · 7 L; 7
m. ",
BARRA COM CORDAS
de p divislvel por 10, maIs 8' bordas.
1," Cltr . • 3 m.; 1 I.: 2 m.: 1 1 .. 3 m. o. 2." cerro e Iodas
es pere. : acompanhando o p. 3." cerr. : • 3 m .. 1 t..
2 m. cruzBdos li eSQuerda Iyer p'g 21): 1 1 3 m o
BARRA 2/ 2 QUEBRADA
Número de p. diYlslyel por 4 . mail II bordas
1.", 2.", 3 .· , 4 .· , 5.· , e 6 .· Clrr. : · 2 m.: 2 I. o
7 .", 8.", 9.", 10.". 11 ." 1 12." carr. : · 21.: 2 m •
LANÇAS
Numero de p dIYis!YII por 6. mais 3 p., ma is 8$ bordas.
1." e 5." cerr. : · 3 m.: 1 I.: 1 m , 1 I. o; 3 m. 2. · carro
e Iodes e. peres : acompanhando o p. 3." carr. : 1 m ..
o 1 2 m.; ". 1 1
M
1 m. 7." cerr. : · 1 I.: 1 m.; 1 I.
3 m. o. , I.: 1 m.: 1 I
J I " "-t.. .:' I -4 . ,
J
>; J;. t ' J; ',',
" ' f i ,.
,
'\ ! ' , . 1. .' ,
,' I , I' • ., I .'L '
, . • 'I'" /. I.JI ,>
, 'j ,'" .' /0 1 ... ,. "
I :.1 ... ····' ,
., J' J.', ',,/ "
, .... '... , ' " ,
9 1
92
BARRA DE CHEVRDNS
Número de p. divislvel por 12. mais as bordas.
1," carr.: • 3 m., 5 I., 3 m., 1 \. ", 2," carT. a tod ..
as plr.s: acompanhando o p. 3 ," carr. : 1 I ., • 3 m
J I. 0; 3 m.; 2 t . 5," carr. : 2 1. ; • 3 m I t ., 3 m :)
I. · ,3m.; 11 .. 3m 3\.31. 7," ca". : · 31. 5 m .. 3 I
m. ", 9 ," carr. : 1
2m " JI. lm
m ' 3 •. 3m. ' . 3. 2m ,,' " . carr.
1m 3t.3m
OS EIXOS
Número de p. dil/lsIl/el por 6. mais 2 p .. mais as bordilS.
1," e 3," ca". : ' 2 14m. 0: 2 I. 2," carro e todas as
pares: acompanhando o p. 5 ,".7," carr.: 3 t., • 2 m
4 \. °; 2 m.: 3 t. 9 ."carr.:em tricO 10.' Cllrr.:em meia
PONTO TRICO ALTERNADO
1.· ... 2.· . 3,", 4 ,", 5,", 8,". 8,· carr.:cm meliJ 7," carr.:
em tricO
BARRA TRIANGULAR
Número de p. dlyjslvel por 5. mais as bordas.
1," carr.: em meia. 2, " carr.: · I m. 4 t ", 3 ," ca" ..
• 3 m.; 2 1 • 4 ," carr. : " 3 m , 2 1. ' 5 ," carr. : · 1
m . 4 t. ", 6,' carr.: em mela
TWEED
Número de p. d""slvel por 4, mais as bordas,
1," e 2 ." een. : " 2 m.; 2 t. ". 3," earr.: em mela 4 ."
earr.: em t!içO. S." e 6." earr,: " 2 m. 21 " 7." eafl ,:
em Ir;eO, 8 ." eerr, : em meia,
GOMOS DESENCONTRADOS
Número de p. divislvel por 20. mais as bordas.
1,".3."eerr . : " 10t.; 10m. ", 2."e4."cerr.:acompa·
"hando o p. 5," eel'T, :em meiill .6 ," e 8 ." eert,:" 10m
10 t. " 7 ," e 9 ." ee,r.: aeompanhando o p. 10," cerr ,:
em tricô.
I
I
I
I
I
I
I
I
LOSANGO
Nümero de p. mültiplo de 6, mail 2 p.
, ,- c:.u. : • 2 p. CfUladOI' direl!alpasS3r. eg. na frente
do 1,- p., trie.. o 2.· 1m m.; depois 01 . -em m. I deixa-loI
cair juntOI da Ig. l; 4 m. ' . 2 p. cruzado •• dir •• t • • 2,"
urro a toda •• 1 PIN •• : am [deli. 3," urr, :1 m.; · 2 p.
cruzado •• esquerda (pu .. , I eg. lU" do 1," p. ; ,ri<;.
o 2," em m.; depois o 1," tamb41m em m.; deid- loI cair
juntOI da 89.1; 2 m.; 2 p. Cn.lladOI • direita "; , m. 5,"
clrr. : 2 m.; · 2 p. cnlHldo •• Isquerda; 2 p. cruzadoa
i diraita : 2 m. ", 7," Clr,. : 2 m. ; · , m.: 2 p. cruzado,
i dirai .. : 3 m . • . 9 .· CII1' . : 2 m.; • 2 tl- cruzados' direi-
ta; 2 p. cruzados' Isquerda: 2 m. ' . 11 .· carr. : 1 m.:
• 2 p. cruudo ... direita : 2 m.; 2 p. cruzadol • es-
querda . : 1 m. 13. · cerr. : recomeçar na 1.. carro
BARRA TORCIDA (II)
Numero de p. muttip40 d. e.
1.· cerr. : • 2 t .; 2 p. cruzados .. esquerda (pauar a ag.
Itrtl do 1.- p.: tric. o 2 - p. 1m m.: depoil o 1.- p. e
deid· lol cair juntOI di ag.l . 2 m . •. 2 .- Cln-. e tõdu
., plr.' : tr,bllhar acompanh.ndo o p. 3.- CI,r. : • 2
L: 1 m.: 2 p. cruzadol 6 esquerda; 1 m . •. 6 .- Cln-. : ·
2 I.; 2 m.: 2 p. cruzadol6 esqulrdl · .
PONTO LISTRADO
, 1.- , 3.- I 6.- CI". : 1m meil. 2 .-, 4 .- I 6.- Clrr. : em
lfic6. 7 .- carr. : peglr o p. QUI IIlnCOnlril emblixo do
1.- p., 11Th do "abalho, I coloc6· lo na ag. UQuerdil:
Iricolá· lo em m., JunlO com o 1.- p., peOilndo-ol por
lTás..COnlinult do mlsmo modo, durlnle Ioda a Clrr . • . -
cerf. : 1m Ir1c6. 9 .- • 10.- cerr. : 1m mlia
BARRA COM CORDAS
NUm.ro de p. mulliplo dI 5.
1.- Clrr.: - 4 I,; 1 m.; montar 2 p. 1m seguida •. 2 .-
Clrr.: • 3 I.: 4 m . •. 3.- Clrr. : • 4 I.: 3 p. JunlOS 1m
m. · . 4.-Clrr. : · l t.: 4m. -,
PONTOS CRUZADOS
9
94
PONTO TRANÇADO
' .• Clrr.: • 4 m.: 2 t • • . 2.· Clrr . • tod •••• par •• : traba-
lha. acompanhandO o p. 3 .· c.rr.: • pOr 2 p. 1'11 8g. IU)li-
liar com 2 ponta., Itrti do trabalho. 2 m.; em se9ulda
os 2 p. da I; IU)lHi" em m.; 2 1 ", 5," Clrr. : 2 I., •
2 m.; PÔ' 2 p. na ag. auxili ar It,aS do trabalho, 2 m
em seguida 01 2 p. da Ig. auxiliar em I • . 4 m.
7," CI".: • 2 t.; pO, 2 p. na Ig. au_mal na frente do
nlbelno; 2 m., em seguida os 2 p. d. Ig. au. ilia. em
m. ", 9 ," clrr.: 4 m.; · pOr 2 p. na Ig. auxil iar 118 frente
do trabalho' 2 t.: depois 0$ 2 p. da 8g. auxiliar em m .
2 m. ", 2 I. Recomecar na 3," CIU.
CORDAS SEPARADAS
Numero da p multiplo de 8.
1.0 CI".: • 5 I., 3 m. " , 2," I toda. aI p.r' l •
3 I.; 5 m. ", 3," carr.: " 5 1.: 1 p. sem lazer. 2 m 1
lac.; passar o p. sem faze" sobre 01 2 p e BS II' •
LISTRAS G
Numero par de p. 1,", 3," .5," Clrr.: em mela
2 ." e 4 ." carr.: em tricO 6 ." carr.: CII C. 2 p. jUnlOS em
m .. em coda a carro 7." car, .: cric cada .,. da carr ance'
rior. uma vel em m.; uma vez em c 8." ca".: em !riCO
PONTO FANTASIA
Numero de p dlvislvel por 6 mai s 5 p,
1." a 3," carr.: em meia. 2, ".4." ca",: em Ir lCO 5,"
ce".:" 5 c .. 1 lec.; 1 mO, 1 leç • 5 I. 6 ." ce".: 5 m
· 3 t .; 5 m • 7." ce,r.: • 5 13m ' 5 I. 8." carr.
5 m.; • 3 p. lunlOS em I.; 5 m •
TRICÔ EM CíRCULO
Sa ... 1/ 1 TORCIDA
Numero par de p. Toda, II volt •• : ' 1 m. lorciclo. 1 I

PI RULITO
Número de p. divl.I .... 1 por 11 .
1.· volta : " ' male simples: Sm., 1 laç.; 3 m. ", 2.· \/ol t . :
em mei • .
FLAUTA
Numero de p. dlv" l"" pOl'
torcido. . .. 3 1. ; 2 m
17 1,·vO/UI : · 1 lac. : 2 m
torcidos" (2 v.). 1
m,'1 simples 3 m. -2 ·volt. : o '.ç.; 1 I., " 2 m. to rCI -
dOI; 3 t . .. 12 v.l. 1 m. torcido, 1 mlUI si mples, 3 m
", 3 ," volt. : 0' laç., 2 I.; '" 2 m. lorcidos; 3 I. 0<1 (2 v.l.
I mate simples. 3 m. ", 4 ," volt. : ' I.c.: '" J L; 2 m.
torcidos -'2 v.l; 2 1. ; I ma" simoles. 3 m. " , 5," volt. :
• 1 'aÇo ; 1 m. torcido: .. 3 t.; 2 m. torcidos" (2 v.l:
1 t.; 1 mate simples; 3 m. " , 6 ," volta : • 1 'IC.; ~ m
torcido,; .. 3 I.; 2 m. torcidos - (2 \/ . ): 1 mate simpl ••.
3 m. ", 7 ," volt. : • 1 'aç. ; 1 I.; .. 2 m. torcidos; 3 I .
.. (2 '1.1: I m. torcido. 1 mate simple.; 3 m. ". Rlcome-
c,r na 1." catr.
CAMPANELLA
Nômero di p. dlv;slve' por 5. 1. " volta : " 2 I.; 1 m. lorCI
do 2 1. 7 laç. ". 2." volta : • 2 I. 1 m torcido. 2 I ..
7 m. lorcidos 3 ." volta : " 2 1.: 1 m lorcido. 2 t
5 m. 2 p junlOs em m. ". 4 ." volta : 2 I .. 1 m
torcido. 2 1.: 4 m . 2 p. junlOS em m ". 5 ."
v o l ~ : • 2 1.; 1 m. torcido; 2 1 .. 3 m.; 2 p. JunlOs em
m. ". 15." volta : " 2 I.; 1 m. torcido: 2 I.: 2 m.: 2 p. juntos
1m m. ". 7 ." volta : " 2 t.; 1 m. torcido; 2 I.; 1 m.: 2
p. juntos 1m m. ". 8 ." volta : " 2 1. : 1 m. torcido: 2 I .
2 D. juntos em m " 9 ." volta : " 2 I .. 1 m. torcido. 1
I. 2 p. juntos 1m L"
ESPIRAIS DE FURINHOS
Nô mefO de p. d ivislvel por 12.1 ." volta : " 3 I.; 1 1.ç ..
4 m.: 2 p. junlOI 1m m.; 3 m. " 2." v o l ~ : " 3 t.; 1 m
1 laç.· 4 m.; 2 p. junl OS 1m m.; 2m. ". 3 . " volta : "3 I ..
2 m , 1 laç.: 4 m.; 2 p. juntol 1m m.; 1 m. ".- 4. " volta :
" 3 1. ; 3 m.; 1 lac.; 4 m.; 2 p. juntaI 1m m. ". S." volta :
recomecar na 1.· volla.
, ,
• •


,



, ,

,

, ,

,



,
,
• ,


,
,

,

,


, •






,

~
,
,
• •

,


' .

,

,



• ,
9



I
OSPONTOS
Os pontos gigantes são obtidos com fios bastante grossos 8 compactos. dan-
do uma aparência acolchoada ao trabalho. Além de bonitos e de grande efei-
to, são tricotados rapidamente com agulhas supergrassas. São os preferidos
par •• execução de colchas e mantas.
BARRA FANTASIA
Em um numero de p. divi. /vel por 3, mais 1 p. 1,'
c.." .: IvelSO do trabl lho, em IrICO. 2.' Cl rr.: I t • • 2
p. cruzadOI • d ireita lpllser I Ig. direita na Irente do
1.' p., trie. o 2," em mei •• depois o 1," em meia II deI-
d · lol cllr juntOI da .g . • Iquerd. ); 11. ' ; voltar ti 1,'
c.rr .
BARRA PEROLADA
1,' c.rr.: com um •• g. groll' (por ,x., n.- 7), em
PONTILHADO BICOLOR
Em um número par de p. 1,' urr.: com lio claro, • 1
m.; 1 p. sem fazer em tricO - , 2,' c.rr.: fio claro, • ti·
meia. 2,' carr.: com uma .g. f ina (por ex., n.- 31. 1 P
de borda (sempre em meia); • 1 m. trie. na carro infe·
rior (introduzindo •• g. no f io hori zontal que passa
n. frente do p.); 1 t • • , Repet ir sempre estas 2 carro
rar sem fazer em ulcb o p. sem f.zer d. carro anl. -
ri or; fio alrb; 1 m.; fio na frente . , 3,' c.rr.: com fio
escuro • • tirar 1 p. sem f.zer em tricô; 1 m . • , 4,'
carr.: • 1m.; fio n. frente; tirar 1 p. sem fazer em tri -
cô. fio .lth • .
98
PONTOS EM LÃ MECHA
Os pontos apresentados aqui sio em li dupla mecha. para 8S futuras mamãe
que procuram idéias de cobertas par. berço. Sio fotografados em li mais fina
e explicados nas pégin.s indicadas entre parlnteses. Procurar nas péginas cor-
r.spondentes.
PONTO DE ALVÉOLOS Ivor p6g. 42).
PONT.O GRANITt VERTlCAllvor pág. 43).
PONTO TRICO Ip6g. 35) E PONTO DE ESTEIRA Ivor p6g. 50) .
OS PINGENTES (p6g. 45).
PONTO SALPICADO (p6g. 641.
OS MARZIPÃS
Em numero de p. di'lil lv81 por 6. ma is 01 p. de bord • . 1,- clrr.: " 2 t . 2 m., 2 t. · , 2," ca" . • tod •••• par.' :
trie. acompanhando o p. 3," carr.: "1t .. 2 m. cruzados li direita (ver pjg. 221. 2 m. cruzadOS" esquerda (pjg.
21 1. 1 t. ". 5.· cerr. : • 2 m. cruzados" direitl, 2 m., 2 m. cruzadol li esqUlrd. ". 7." cau.: em mel • . 9.·
carr.: .. 2 m. cruzados ./I esquerda, 2 m., 2 m. cruzados li direita ". 11 ." ca".: " 11 .. 2 m. cruzado. Ii esquerda
2 m. cruzados" direita. 1 t. ". , 3 recomeçar na 1 ,. clrr.
99
OSPONJOS
Est as fantasias em relevo formadas por motivos de pontos alongados po-
dem cobrir a totalidade do trabalho ou somente parte dele, enfeitando peiti-
lhos. bolsos e outros detalhes.
TRIÂNGULOS EM PONTOS
ALONGADOS
1,' CIII1'.: • 5 t .;" 1 m. enrolando o fio 2 vezes em vot ·-
ta da .g.; 1 t ... (5 v.l: 3 t . ' , 2,' un.: tric. os p. m ~ i .
em meia II deixar cair II laç. suplementar; passlnCto
o fio n. frente desse. p. 3,' , 7,' 11,' 15,' 1',' • 23,'
c.l1'.: tric. os p. tricô em tric6 II tirar os p. mela sem
fazer em tricO II passando o fio alr' •. 4,' , I ,' , 12,' , 1a,' ,
20.' • 24,' CIIrr.: trie. os p. meia em meia II ti rar sem
fazer 01 p. tri cO. passando o f i o par. II frente. 5,'
carr.: • 5 t.; 1 m.; .. 1 t. ; 1 m. enrolando o fio 2 vezes
.. (3 v.l; 1 t. ; 1 m.: 4 t . " ' ,' , 10.' , 18,' • 22,' carr.: co-
mo II 2,' carro tric. em meia o 1.- e o últ imo p. sem fa·
zer d, cada trilngulo. 9.' CIIrr.: ' 7 1. ; 1 m.; 1 1. ; 1 m.
enrolando o fio 2 vezes em volta da ag.; 1 t.; 1 m.; 6
t. ' . 13.' CIIrr.: 2 t.; ... 1 m. enrolando o fio 2 vezes ; 1 t .
.. (2 v.); • 3 t.; 1 m.; 4 t. ; ... 1 m. enrolando o fio 2 ve·
zes; 1 t. - (5 v .) ' . 14.' CIIrr.: como a 2.' carro tric. o 1.'
e o último p. de cada trilngulo em meia. 17.' CIIrr.: 2
t.; 1 m. enrolando o fio 2 vezes; 1 1. ; 1 m.; • 9 t.; 1
m.; 1 t .; ... 1 m. enrolando o fio 2 vezes ; 1 t. - (3 v .); 1
m. ' . 21.' CIIrr.: 2 t.; 1 m.; • 13 t .; 1 m.; 1 1. ; 1 m. enro·
COROAS EM PONTOS ALONGADOS
No avesso dó p. mela. 1.' CIIrr.: ' 10 I.; 2 m. enrolan·
do para cada p. o fio 2 vezes em volta da ag.; 1 t.; 2
m. enrolando o fio 2 vezes ' ; 10 t. 2.' carr.: • 10 m.;
fio na frente; tirar 2 p. se m fazer em tric6, deixando
cair as laç. suplementares; fio atrás; 1 m.; fio na freno
te; ti,ar 2 p, sem fezer em tricO deixando cair as laç,
suplementares ; fi o atrb ' ; 10 m. 3.' • 4.' CIIrr.: tric.
acompanhando o p. e tirando sem fazer am tricO, os
p. sem fazer da cerro anterior, com o fio passando no
avesso. 5.' CIIrT.: 8 t.; • pôr 2 p. numa ag. auxil ia' co°
locada atrás de tra balho; tric. 2 m. dapois os 2 p. da
ag. em meia, enrolando o fio 2 vezes; 1 1. ; pOr 2 p.
num. ag. auxiliar colocada na frente ; tric. 2 m. enro·
lando o fi o 2 vezes, depois os 2 p. da ag. auxili ar em
100 meia; 6 t. ' ; 2 t. I .. carr.: voltar 6 2.' c.rr.
lando o fio 2 vezes; 1t.; 1 m. ' . 25.' CIIrr.: 5 t.; . ..
m. enrolando o fio 2 vezes; 1 t ... (5 v.); 3t.; 1 m.; 4
' . 21" carr.: como a 14.' carro Voltar 6 3.' carro

Quando um ponto' muito rendado. ele se torna mais bonito se for tricotado
com uma li fina. Menos· rendado o ponto. mais grossa pode ser a li usada.
PONTO " CLAIRETTE"
Em um numero de p. divisível por 10, meis 3 p., mlis
01 p. de bordl . , . - el" . : 2 p. juntos em mell , • 1 IIC.,
3 m., 1 laç., trie, o p. seguint l uml vez em mell , 1 vez
em mei l torcidl. 1 Ilç .. 3 m .. 1 11ç. , 1 mlte duplo •.
Terminar I Clrr. com 1 ml te duplo. 2.- eerr . • todal
II CI". pl r.s: sm tric6. 3 .- CI". : 2 p. juntos em meia .
• I laç. , 3 p. JuntOI em m .. 1 Ilç .. 2 p. JuntOI em meil,
I laç. . I mate simples. 1 laç" p6r 2 p. sem fazer na ag.
direita, I m., rem. os 2 p. sem fazer sobre o p. meia,
I lac., 1 mate duplo . , terminar com 1 mate simples.
5.- eerr.: 3 m., • 2 p. juntOI em meia, 1 h'ç .. 1 m., 1
laç., 1 mate simple .. 5 m. ". terminlr com 3 m. 1m vez
de 5. 7 .- carr. : 2 m., • 2 p. juntOI em meil , 1 II Ç., 3
m. 1 IIÇ., 1 mlte Ilmples, 3 m. ", terminar com 2 p.
juntos. em vez de 3. 9.- eerr.:3 p. Juntos em me ll , · 1
Ilç .. 1 m., 1 lac. , 3 m .. 1 laç., 1 m., 1 laç" t irlr 2 m .
sem 'uer. 1 m., rem. os 2 p. sem fIzer sobre o p. meia.
colOClr o p. novamente nl Ig. Isquerdl e paUlr os 2
p. seguintel sobre este p., colocar o p. novlmente nl
Ig. direita •. Termlnlr com 1 11ç. , 1 m., 1 11ç. , 3 m .. ,
'aç .. tirlr 2 p. sem fazer, 1 m., rem. os 2 p. 11m fazer
sobre o p. mela. " .- CI",: 1 m., • 2 p. JuntOI em meia,
I laç.. 1 m. I Ilç .. 1 mate duplo, I 11ç., 1 m., 1 11ç.,
PONTOS OE FOLHAS
Em um número de p. múltiplo de 10, mais I p., mais
4 p. de borda. 1.- clr,. : 2 p. de bordl, " 3 m., 2 p. juntos
1m meia, 1 laç., 1 m., 1 laç. , 1 mate simples, 2 m. ".
Tlrmi nar com 1 m. e 2 p. de borda. 2.- , 4.- , 8.- 8.-
clrr.: em tric6. 3 .- clrr. : 2 p. de borda, • 2 m., 2 p.
Juntos em meia, 1 laÇ., 3 m., 1 lac., I mata sim pias, 1
m . •. Tarminar com 1 m. e 2 p. da borda. 5 .- Clrr. : 2
p. de borda, • 1m., 2 p. Juntos em maia, 1 laç. 5 m.,
1 ' I Ç., 1 mlta simplal •. Tarmlnar com 1 m. a 2 p. de
borda.7 .- eerr. :em meia. 9 .· Clrr. : 2 p. de bordl, e m .. "
Ilvantar uml IlcI alongadl em Cadl um dos 6 funnhos
(para iS$O inuodYzir a ag. direitl no 1.- lurinho da S.-
carr., enrolar o fio em volta da ag. e puxar para a Irente
do Irabalho uma alCI alongada Que ficará na ag., Intro·
duzir a ag. no 1.· turlnho da 3.- carr., enrolar o fio em
lIolta da ag. e puxar uma al ça Ilongada Que ficar. na
ag. lna Irente, cont inuar deste moela em cada um dos
4 lurinhos segulntas), tric. 01 10 p. seguintas em meia
"; terminar com uma alca alongada 1m cada um dos 6
últimos lurlnhos, 5 m., 2 p. de borda. 10 .- clrr.: 2 p.
de borda, 5 1., depois tri c. Juntas em tric6 .. e alças
alo ngadas e o p. seguinte . • 9 I., tr ic. juntas em lric6
.. e al cas alongadas e o p. seguinte "; terminar com
5 I. e 2 p. de borda. 11.- CI" . : am meia. 12.- 14.-.
1S.- , 1S.- , 20.- eetr.: em uic6. 13.- CI". : 2 p. de boro
di, • 1 m., 1 laç., 1 mate simples, 5 m., 2 p. Junto. em
meia, 1 laç. "; terminar com 1 m., 2 p. de borda. 15.-
eerr. : 2 p. de borda, • 2 m., I laç" 1 mate simples, 3
m., 2 p. juntos em meia, 1 fac. , 1 m . •. 17.- Clrr.: 2
p. di borda, - 3 m., 1 IIÇ., I mat. si m pie., 1 m .. 2
.. \: - ..... .
.. ";,;',. . .. '.' t' -, '
...... - :., !II " 1,\. " . .' ·l .. ' 1& ' .. . ", '.
.. . " ". ,-".-
• '. -'i .. _ ... , .
. ' '., .,. . ··'. r ,
" .
, . . .
- .
,. -- ".
, .. ','. ,
. ."
"
. " 'I
... I : ' _1 ._1
. -. '. " . . ,1 1j .•..• •. -t :,' .' .
. •. ". ', .
.... , .. .. ,.- .. ,
" ' . . . . i .
,
.
: fI .'. .

" . ., .;a . •
... ", ......
. - . ." . ' . .
.. ' . '" '. .' }

• . , ;, . •• "
• -. . )o .. . . .
- '. .
" ..

"
'; It
':' , ..
" "-
• • ••
- I


I mlte simples, 1 m. 12,- CI "' . : em mela. 13 .- clrr.:
-recomeçar na 1.- carro
p. Junto • • m meie, I liçA m. · . 19.- clrr.: em tricl! .
21 .- Clrr. :2 p. de bordl, 1 mO, lelllntlr uma alça alonga-
di em Cadl um dOI 3 lurinho. seguln"I, · 10 m., levan-
uma Ilca alongada em Cadl um d., . furlnho s segui nt • •
. , 2 p .. de borda. 22.· eerl ': 2 ;:. de bordl. tric. em tr lc6
IS 3 alças atongadas e o p. triclI .. gui nle . • 9 L, trlc.
junto. 1m u ic6 as e alçlS alongada. e o p. seguinte · ,
2 p. de borda. 23.- Clrr. : em meia. 24.- clrr. : em tr ic6.
2 5,- carr. : reco mecar • 1." carro 101
102
EM LISTRAS
...
EMTRICO,
OS "CHEVRONS"
Existem driol m'todos pare fazer 01 "chevrons" em tri -
cil. com Ils da cor.1 variadas.
EM JACaUARD
~ preciso u •• r um pequllnO novelo pare Clda listra II
deslocar de um ou doi. pontOI, em cada carreira, ou is
VU!!. com intervalos malor.s, dependendo de inclina-
cio desejada para as li.trll (11. Elia m6todo é usaclo
plr' 01 grandes "eh.llro"," que enfeitam o. decota.
em ' V ' de certos pul6varl' esporte. Este método nio
apr.senta nenhuma diflculdade: é .6 seguir o gráfico ou
O desenho queclriculedo qUI acompanh, II axpUcaç6e.
do modelo (21.
As listras do formadas de carreiras inteiras de uma mesma cor; as .mudanças de cor sio feitas no inicio ou
no lim das earreiras, Existem dois modos bem distintos de trabalhar, conforme desejarmos " chevrons" com
ponta para cima, ou com ponta para baixo.
P.ONTA PARA CIMA
O efeito de "chevron," 'conleguido com aumento. du-
plo. feitos no melo do tricô, ger.lmente c.d. duas c.r-
reiras. As etapas do trab.lho "o Quase .s mesm •• Que
pa,. o tricO em vlh, isto " pracisa sempre colocer o
trebalho, dur.nte su. execuçio, sobre um molde feito
nas medidas deseJedas.
Começando depol, da barra ou pela carreira de monta -
gem. , preciso tricotar a metade de um. c. rrelr • . faze r
um .umento de c.d. I.do do ponto centr.l ; tricotar
m. is .Igun, ponto. e vir.r. delx.ndo 01 outros pontos
• espera. Na c.rreira em tricO (.vesso). tirar o primeiro
ponto 'em lazer enio f.lIr .umento no melo. Tricota r
algunl ponlOS do segundo ledo, deix.ndo • espera o
melmo número de pontOI Que per. o primeiro. Em cada
cerrelra em meie (direito), continuar fazendo o .umento
duplo no meio, retomando IImpre algun, pontos do
I.do esquerdo; em c.d. c.rrelr. no avesso, pegar o
mesmo número de pontos elo I.do direito.
Quando toelos os pontos do começo foram retomado,.
contlnu.r 01 .umento, do melo. "lendo de c.da lado
do trab.lho as dimlnulç6es necessári as p.r. seguir o
contorno do molde.
Qu.ndo todo o trabalho e"á numa só .gulh •. natural-
mente fica deformado. Por esta rado. , necessário parar
no melo de uma c.rreira; o trabalho e".ndo assim divi-
dido em duas .gulhas, ele retoma sua forma primitiva.
para poder enlio IIr coloc.do sobre o molde. Quando
a ponta do "chevron" chega..' .Itura do decote. di vidir
O tr.b.lho em dois e terminar c.d. I.do separ.d.mente,
em senlido opo,to, um do outro.
,
,

COM A PONTA PARA BAIXO
Para fazar " chellfons" com I PC"" dirigida pari bailio,
precisa substituir os aumentos do meio por diminuiç6es.
Neste caso. o trabalho ola é começado no meio. mas
separadamente de cada lado. Pafa isso. começar trico-
tendo somente alguns pomos. sobre os pontos do ini·
cio; virar o trabalho; tirar sem fuer o primeiro ponto,
lIoltar no II/esso. fazendo no fim da carreira (borda direi -
ta) os aumentos necess'rios par. seguir o molde. Em
cada carreira do direito. tricotar alguns pontos a mais
dos pontos' espera e cont inuar trabalhando deste
modo ati retomar. metade dos pontos. Terminar a car-
reira com os pontos restantes, para chegar' outra 8)1.·
Iremidade do tric6; fazer o mesmo trabalho. em sentido
conlr'rio ao primeiro pedaÇO. Quando todos os pontos
foram retomados, tricotar carreiras intairas, fazendo, em
cada carreira do direito, uma diminuiçto dupla nos trls
pontos do meio. NAo se esquecer de fazer, nas bordas,
os aumentos necesdrlos .
EM ZIGUEZAGUE
Combinando os dois métodos, conseguem-se " che-
vrons" em ziguetague, Precisa fazer, alternativamente,
aumentos duplos e diminuições duplas em cada mudan-
ça de inclinaçAo.
Depois das bordas dos lados. é preciso começar a for-
mar cada triAngul o de " chevrons", dirigido para cima,
Para isto, tricotar a metade dos pontos de um "che-
vron"; fazer um aumento de cada lado do ponto do
meio; tricotar mais um ou dois pontos; virar o trabalho
• e voltar no avesso. tirando o primeiro ponto sem fazer.
Depois do ponto central . tricotar o mesmo numero de
pontos Que temos antes deste ponto. Virar novamente
o trabalho, para fazer mais uma vez os aumentos do
meio no direito do trabalho e retomar mais uns pontos
dos que estão â espera, etc. Ouando os pontos do " c h e ~
vron" forem todos relomados, cortar o fio e fazer os ou-
tros triAngulos do mesmo modo, alé o fim do trabalho,
deillando cada vaz, os triAngulos prontos â aspera.
Ou'ando todos os triAngulos estiverem prontos, tricotar
em todos os pontos, continuando a fazer aumentos du-
plos no aho de cada triAngulo. NAo se esquecer de fazer,
para compensar, diminuições duplas no meio da separa-
çAo enue ales, Nas bordas, fazer os aumentos e diminui -
ções necessárias, para seguir o molde.
103
As cordas, ou tranças, são muito usadas e apreciadas como elementos entre
01 mais decorativos do tricô, especialmente no famoso tricô irlandês. A base
é sempre um cruzamento de pontos, e as múltiplas possibilidades destes cru-
zamentos permitem efeitos yariadissimos.
A CORDA CLÁSSICA
Elas são e)(ecutadas em um numero par qualquer de
pontos tricotado. em ponto meia (- uma carreira em
meia; uma carreira em triCÔ-I,Para cruzar este. pon-
to., pÔr a metade deles numa terceira agulha (uma
agulha curta com dulS pontas com o mesmo nume·
ro que IS usadas no resto do trabalho ou mesmo
uma agulha levemente mais cuna 6 recomendada)
para deid-Io •• espera; colocar e.ta agulha na tr.n-
t. do tr.tMlho para um cruzam.nto par •• nquerda
(foto 1 I.
104
- Para um cruum."to par. a diraltot, colocar e.ta agu-
lha atr" do trabalho (foto 2); tricotar a segunda me-
tade dos ponto., em seguida tricotar 01 ponto. que
foram dei)(ado. ti espera na terceira agulha. Esses
cruzamento. 18rlO repet ido. regularmente a cada
quatro, seis, oito carreiras ou mais e podem at6 ser
repetidol cada dues carreIras para cordas bastante
torcidas. Para que as cordas apareçam mais em rele·
vo, tricotá·las sobra um fundo em avello do ponto
meia (- uma carraira triCÔ; uma carreira maia . ), ou
.omente amoldurã·'as com um ou dois pontos triCÔ
da cada lado,
,

,
,

CORDAS TRANÇADAS
Podem imitar tranças de Irb OU quatro ramifi cações
ou It6 mal •. - Par. trAs ramificaçOes de tr6. ponto.
cad. uma, 6 preciso tricotar nove pontol em ponto
meia, com cruzamentos repet idos. distAncias regula-
rea:
1,· cruz.m.nto: pOr 01 tr6. primeiro ponto. num •
• gulha auxil iar colocada 8tr6s do tr,belho; tricot.r
01 Ir6. pontos seguint •• ; depois 01 tr6s pontos d.
agulha ,uxili,r e finalmente os tr6. últimos pontOI.
2," CfUumento: tricotar Ir6. pontos: pôr 01 tr6s pon-
101 seguinte. na agulha auxm.r colocada na frente
do Ir.bllha; tricot.r 01 tr •• pontol I.gulnt'" depois
01 trll. ponto. d •• gulha auxiliar. Repet ir este. dois
cruiimentol. .ltern.ndo-os c,d, quatro, seis, oito.
c.rreir •• ou mai •.
Par. quatro rami f icações. tricot.r doze pontOI em
ponto mel. , de modo a ter Ir61 ponto. por ramifiu ·
ç60.
1." cruumento: • por tr6$ pontol na agulha auxiliar
colocada n. frente do trabalho; tricotar 01 tr6s pon·
to. legulntel. depoll 01 Ir61 pontOI da agulh. auxi·
liar • . Repet ir de " at6 " mail um. vez.
2.· CNumento: tritot.r tr6. pontOI; pOr tr61 ponto.
n •• gulha auxiliar colocada atr's do Irab.lho; Irico·
tar 01 tr61 pontOI seguintes, depois 01 tr61 pontos
d. agUlha .uxil i.r e finalmenle 01 tr6. úhimol pon·
to • . Repet ir e.te. doi. cruzamenlOI • • hernando-o. ca·
da qu.lro, seil , oito c.rreira. ou m. il .
CORDA DUPLA
Oues cordes podem ser colocadal um. ao lado d.
oulra e cruz.das em sentido contr'rio. Exemplo com
dues cordes de leil ponlol. Em cada cruzamento,
pOr Ir61 pontOI numa agulha auxlli.r coloc.da atr'.
do trabalho, tricotar 01 tr6. pontol .eguinles, depoil
01 tr61 pontOI da .gulha auxiliar; pOr Ir61 pontol na
agulha auxiliar colocad. na frente do trabalho, trico·
tar 01 tr6. pontol seguintes, em leguida tricot.r o •
tr6s pontol da agulha auxiliar.
CORRENTE TORCIDA
01 cruz.mentol podem ser colocados irregul armen.
te. Exemplo: uma corrente torcida .m cat orze pon.
tos. 1.· urr.: 41. ; 6 m.; 4 1. 2.' urr. ' tod •• II p,,,, :
trlc. Icompanh. ndo o p. 3.' urr.: 4 I.; pOr 3 p. na ag.
auxili.r colocada alrh do trabalho, lriC. os 3 p. se·
guintes em meia, depois os 3 p. d •• g. auxil iar .m
. 4 " 7' l' I' - mela e I . . e . urr.: como • .. . urr.: como a
3.' . 11 ,' urr.: 3 t.; pOr 1 p. na ag. auxili.r coiceada
atr'l do tr.balho; Iric. os 3 p. seguinle. em meia, de·
pois o p. da .g. auxll i.r em tricô; pOr 3 p. n •• g . • uxi.
Uar colce.da na frente do Ir.b.lho; tric. 1 I., depoll
01 3 p. d. ag. auxili.r em mel. ; 3 t. D. 13.· • 23.'
urr.: ttic. tod .. as carro Impares do seguinte modo:
3 I.; 3 ",.; 2 1. ; 3 m.; 3 t. 25.· cerr.: 3 I.; pOr 3 p. na ag.
auxili.r coloc.da na frente do Ir.balho; Iric. 1 1. , dl!l'
poil 01 3 p. da ag. auxil iar em mei. ; pOr 1 p. n. ag .
• ux illar colocada atrá. do trabalho; tric. 3 m., depoil
o p. da ag. auxili.r em tricO; 3 I. 27.' cerr.: voUar 6 3.'
carro
105
CORDA ONDULADA
Às vezes torna-se necessário usar duas .guln.s auxi-
li,res, exemplo em 15 p. formando os cruzamentos
na 5,' carr., depois cada 16 carro 1,' urr.: 3 t.; 9 m.; 3
t . 2,' urr. I tod •• •• p8'": 3 m.: 9 t. ; 3 m. 1,' CNU'
mente ln, 5,' c.rr.): Irie. 3 1.: pôr 3 p. na 1,' Ig. auxi·
Iier colocada atrá, do trabalho. depois 3 p. num. 2.-
ag. auxili.r colocada na frente ; Iric. os 3 p. ,seguintes
em meia, depois os 3 p. de 2.' ag. luxilier • os 3 p.
d. 1,' ag. auxilier; 3 t . 2,' cruumento (na 21 ,' UI".) :
3 t .; pôr 3 p. n. 1,' ag. luxili., colocada atTb do tr"
balho, 01 3 p. seguintes na 2,' ag. auxlli . r colocada
também atrás do tr.belho; tric. os 3 p. seguintes em
mei • • depois os 3 p. da 2.' ag. auxilier fi os 3 p. da 1,'
ag. luxiliar; 3 t. Repetir estes 2 cruzamentos ceda 16
carro
CORDA QUADRICULADA
o movimento das cordas pode ser usado para moti-
vos muito mail largol, deslocando 01 pontol que for-
mam as cord" a conseguindO "sim uma grande va-
ried.de de delenhos, dependendo d. maneira de cru-
lar e deslocar estes pontol. Exemplo de desenho em
29 pontos. 1,' urr.: 1 m.; 1 t.; 3 m.: • 4 t.; 6 m . • (2
v.l; 31. : 1 m. 2." urro • tod.s .s Plr .. : tric . • compa-
nhando o ponto. 3." urr.: 1 m.; 1 t.; 3 m.; • 4 t.; pOr
3 p. num. ag. auxiliar colocada na frente do trab. -
lho; tric. 3 m., depois os 3 p, da ag. auxiliar em meia
• (2 v.l; 3 t.; 1 m. 5." urr.: 1 m.; 1 t.; • pOr 3 p. na ag.
auxiliar colocad. n. frente do trabllho; tric. 2 1., de-
pois os 3 p. da ag. auxiliar em mel. ; pOr 2 p, na ag.
auxiliar colocada atris do trabalho; tric. 3 m .. depois
os 2 p. da .g. auxiliar am tricO • (2 v.l; pOr 3 p. na ag .
• uxili.r colocada n. frente do trabllho; trie. 2 t., de-
pois os 3 p. da ag. auxiliar em meia: , 1. : 1 m. , ."
carr.: 1 m.; 3 t.; • pOr 3 p. na ag. auxiliar coloc.d.
alris do trabalho; lrie. 3 m., depois 05 3 p. da ag . • u-
xilia, em meia; 4 t . • (2 v.l; 3 m.; 1 1. ; 1 m . • .' urr.: 1
m.: , t.; • pOr 2 p. na ag. auxiliar colocada atril do
trabalho; Irie. 3 m., depois os 2 p. da ag. auxiliar em
triel!; pOr 3 p. na .g. auxili.r colocad. na frente do
trabalho; tric. 2 t., depoil os 3 p. da ag. auxiliar em
meia· (2 v.l; pOr 2 p. na ag. auxiliar colocada atris
do trabalho; trie. 3 m., depois os 2 p. da ag. auxiliar
em tricO; 11.; 1 m. 11." u lr.: voltar' 3.' carro
106
. .
-
OTRICO
o tricô irlandês nunca sai da moda! Ele não é caracterizado por um ponto
em particular, mas por motivos variados e pelas infinitas combinações des-
tes motivos que são tricotados sobre um fundo em avesso do ponto meia.
o TRICÕ IRLANDÊS
Cada ponto irland6s , uma IInociaçio de motivos coo
locadol simetricamente de c,d, lado de um painel
centr,l que pode ler formado por:
• uma corda ou um motivo trançado mais ou menos
I.rgo II maia ou menos trabalhado que sobress,i do
fundo em av ••• o do ponto meia (. 1 carro tdell ; 1
carro meia - , .
. uma 'argur. em ponto fantasia que .pr.sent. habi:
tualment. um certo relevo.
Os motivol uI.dol par. as laterai, do geralmente
motivol dispostol em linhas.
Corda fantasia
Sio clb,leol : 10llngol, ponto liguezague simple.
ou duplo; elo.; etc.
Sio f.nta. ll: a corda com n6s, as espigas. as folha • .
etc.
Dependendo do numero de ponto. nece.s6rio pari I
execuçio da frente ou dls costas de uma roupa. a di-
vido dos ponto. ser' feita a panir de um plinel cen-
Ira i, depois do. motivo. laterais, e finalmente .e .0-
brarem ponlO' na. extremidades. este. ser60 tricota·
dos em ave.so do ponto meia, em ponto de arroz ou
de trigo. A pan;r dos virios mot ivos apresentados
abaixo podem·.e criar associações diversas ou tam-
bém seguir IS disposições que propomo • .
elos corCla com nos
I I I I111111
elos p. de arell
I I
• I . 20m .
61. lm.: 2t. 8m. 21. ·'m. 11. °21. 21.
PONTO DE AREIA
Em um número Impar de p. 1.' Clrr.: • 1 m.; 1 t . • ; 1
m. 2.' Clrr.: no avelSo do trab.lho, toda em meia.
Voltar61 .'carr.
OS ELOS
Executado em 8 p. 1.' Clrr.: 8 m. 2.' Clrr.: 8 t. 3.'
Clrr.: plIr 2 p. 6 e.pera numa ag. auxiliar colocada na
frente do trabalho: tric. os 2 p . • eguinte. em tricõ. de-
pol. 01 p . • espera em meil ; plIr 2 p . • espera numa
ag. auxililr colOClda atris do trabalho: trie. o. 2 p.
segulnl" em meia. depois os 2 p . • espera em triOO.
4.' • I .' Clrr.: 2 m.; 4 t.; 2 m. 5.' Clrr.: 2 t.: 4 m.: 2 t.
7.' CIIrr.: pôr 2 p . • e.pera numa ag. auxiliar colocada
alrb do trabalho; trie. o. 2 p . • eguinte. em mela. de·
pois os p. t espera em meia: pôr 2 p. t "pera numa
ag. auxiliar colocada na frente do trabalho: Iric. O. 2
p. seguinte. em meia. depois o. 2 p . • espera tam·
bém em meia. I .' carr.: 8 t. Voltar iI.' carr.
CORDA COM NÓS
É executada em 1 p. I .' Clrr.: 1 m. 2.' Clrr.: 1 t. 3.'
CI".: 1 m. trlcotando·o 3 vezes (pegando o lio da
frente, depol. o 110 de tris e novamente o fio da freno
te). 4.' Clrr.: lrie. o. 3 p. juntos em tricO. Voltar iI.'
ca".
CORDAS FANTASIA
- Executado em 20 p. 1.' , 3.' • 5.' Clrr.: 20 m. 2.' clrr . •
tod ... s par .. : 20 t. 7.' Clrr.: pôr 5 p. " e.pera numa
ag. auxiliar colocada atris do trabalho; trie. em meil
os 5 p. seguinte., depois o. 5 p . • espera; pôr 5 p . •
esperl numl Ig . • uxil iar .colocada na frente do trabl-
rho; lric. os 5 p . • eguintei em mei • . depois o. 5 p . •
espera também em mei • . 9.' • 11.' Clrr.: 20 m. Oe-
pois da 12.' c.rr., voltar' 1.' carro
107
CORAÇOES

CORDA

FOLHAS
,
TRANÇA
I ' .
ESPIGAS ZIGUEZAGUE SIMPlI
108
AMPUlHETAS ZIGUEZAGUE DUPLO' MOSCAS

• •

,
,
,

, , I
,
CORDA FANTASIA elOS
10 9
Ir'" i' " ,, '
2.' p. 51. lm. 2.t.lt.
ZIGUEZAGUE SIMPLES
E execut ado em 8 P. 1.' can.: 6 I.; 2 p. cruzados' di ·
rei ta Ipassar na frente do '.0 p. da ag, esquerda e tric.
o 2." p. em meia, depois o 1.' p. em triCÔ). 2.' urr. e
todas a. tric. acompanhando o p. 3.' un.: 5
t. ; 2 p. cruzados' direita; 1 t. 5,' un.: 4 t.; 2 p. cruza·
do. à di reita; 2 t. 7.' urr.: 3 t.; 2 p. cruzados' direi ·
ta; 3 t. ' .' un.: 2 t.; 2 p. cruzados' direita ; 4 t. H .'
urr.: , t. ; 2 p. cruzado. à direita ; 5 I. 13.' urr.: 2 p.
cruzados à direita; 6 t. 15.' U".: 2 p. cruzados à es·
querda (tric. o 2.' p. da ag, esquerda em tricô pusan·
do alr" do 1.' p.; tdc. o ' ." p. em meia): 6 1. 17.'
urr.: 1 t.: 2 p. cruzado. à esquerda: 5 I. 19.' un.: 2
t.; 2 p. cruzados à esquerda; 4 1. 21.' urr.: 3 t.; 2 p,
cruzadol' esquerda; 31. 23.' urr.: 4 t.: 2 p. cruzados
à esquerda; 2 t. 25.' urr,: 5 t.; 2 p. cruzados 111 esquer·
da: 1 1. 27.' urr,: 6 I.; 2 p. cruzados 111 esquerda. De-
pois da 28.' carr., ... oltar' L' carro
ESPIGAS
Executadas em 18 p. 1.' un.: 5 t.: 2 p. cruzados 111 Hi -
reita Itric. o 2." p. da ag. esquerda em meia, passan·
do na frenle do 1." p.: depoisl ric. o ' .' p. em meial : 1
I.; 2 p. cruzados 111 direita; 1 L; 2 p. cruzados " esquer'
da (pa, .. r atrh do 1." p. da ag. esquerda e lriC. o 2.'
p. em meia, depois o lo" p. em meia); 5 I. 2.'
urr.: 5 m.; 2 I. lorcidos (pegando·os por Ir") , 1 m.;
2 I. torcidos ' (2 .... ): 5 m. 3,' urr,: 4 t.; 2 p. cruzados
111 direita; 1 m.; 1 I.; 2 p. cruzados 111 di reia; 1 I.; 1 m.;
2 p. cruzados' esquerda; 4 I. 4.' can.: 4 m.; depois '
1 t. torcido; 1 m . • (2 ... .1: 2 t. torcidos ' 1 m.; 1 1. lorci·
do' (2 .... ); 4 m. 5.' can.: 3 t.; depois 2 vezes 2 p. cru·
zados' direita: , t.: 2 p. cruzados' direita: 1 1. : 2 ... e-
zes 2 p. cruzado .... querda: 3 1. I .' carr.: 3 m.; , 1.
torcido; • , m. e 2 t. torcidos ' 13 .... ); 1 m.: , I. torci ·
do; 3 m. 7.' urr.: 2 t.; depois 2 ... ezes 2 p. cruzados'
direita ; 1 m.; 1 1. ; 2 p. cruzados' di reita; 1 1. ; 1 m.; 2
... ezes 2 p. cruzados' esquerda; 2 I. I ,' urr.: 2 m.; •
1 I. torcido e 1 m . • (3 ... . ); 2 I. torcidos ; • 1 m. e 1 I.
torcido ' (3 .... ); 2 m. ' .' can.: 1 I.: depois 3 ... ezes 2 p.
cruzados à direita: 1 I.; 2 p. cruzados â direita : , t.;
l lguezilgue SImples
"'" ""1
18 D. lm. 21. 1m. Bm. lm. lt.l l.
depois 3 ... ezes 2 p. cruzados à esquerda; 1 I. 10.'
can ,: 1 m.; • 1 I. lorcido e 1 m . • 12 v .); • 2 t. lorci·
dos ; 1 m . • (2 .... 1; 2 I. torcidos; • 1 m. e 1 I. lorcido •
(2 .... ); 1 m. 11.' can.: 3 ... eze. 2 p. cruzados â direita ;
1 m.; 1 t.; 2 p. cruzados â direita ; 1 I.; 1 m.; 3 ... ezes 2
p. cruzados â esquerda. 12.' can.: • 1 t. lorcido e 1
m . • 14 ... . ); 21. torcidos; • 1 m. e 1 t. torcido' (4 v.).
13.' can.: 1 I.: 3 vezes 2 p. cruzados' direita; 1 t.; 2
p. cruzados' direita ; 1 I.; 3 ... ezes 2 p. cruzados' es·
querda; 1 t. 14.' can.: 1 m.; • 1 t. lorcido e 1 m . • (2
v .); • 2 t. torcidos e 1 m . • (3 v .); • 1 t. torcido e 1 m.
• (2 v.l. 15.' carr.:. 2 t.; 2 ... ezes 2 p. cruzados â direita ;
1 m.; 1 t .; 2 p. cruzados à direita ; 1 t. ; 1 m.; 2 vezes 2
p. cruzados' esquerda; 2 I. 11.' carr.: 2 m.; • 1 t . lor·
cido e 1 m . • (3 .... 1: 2 t. torcido; • 1 m. e 1 t. tOrci do'
13 v .); 2 m. 17.' can.: 3 t.; 2 vezes 2 p. cruzados à di ·
reita; 1 I.: 2 p. cruzados à direita : 1 t.; 2 ... ezes 2 p.
cruzados à esquerda; 3 t. II.' can.: 3 m.; 1 1. torcido;
1 m.; • 2 t. torcidos e 1 m . • (3 .... 1: 1 t. torcido; 3 m.
" .' urr.: 4 t. : 2 p. cruzados à direita ; 1 m.; 1 t.; 2 p.
cruzados' direita; 1 t.; 1 m.; 2 p. cruzados à esquer·
da ; 4 I. 20.' carr.: 4 m.; • 1 I. torcido e 1 m . • (2 v.); 2
t. torcidos: • 1 m. e t 1. torcido' (2 ... . 1: 4 m. 21,'
carr.: 5 I.; 2 p. cruzados à direita ; 1 I.; 2 p. cruzados à
direita : 1 I.; 2 p. cruzados à esquerda; 5 I. 22.' carr.: 5
m.; 2 I. torcidos; 1 m.; 2 t. torcidos ; t m.; 2 I. torci·
dos ; 5 m. 23.' carr.: 6 I.; 1 m.; 1 t.; 2 p. cruzados â di·
, reita; 1 1. ; 1 m.; 6 I. 24.' un.: 6 m.; 1 t. torcido; 1 m.:
2 I. torcidos; 1 m.; 1 I. torcido; 6 m. 25.' carr.: 8 t.; 2
p. cruzados â direita ; 8 1. 21.' urr.: 8 m.; 2 I. torci ·
dos; 8 m. 27.' carr.: 18 t. 21.' urr.: 18 m. Vollar à 1.·
carro
TRANÇA
É executada em 24 p. 1.' • S.' carr.: 24 m. 2.' UJr, •
tod.s as p.res: 24 t. 3.' carr,: • p6r 3 p. numa ag, au·
xiliar atr's do trabalho, trie. os 3 p. seguintes em
meia, depois QS 3 p. à espera em mela • (4
v.). 7.' carr.: 3 m.; • p6r 3 p. numa ag. auxiliar na freno
te do trabalho; Iric. os 3 p. seguintes em meia, de-
pois os 3 p. à espera em meia' (3 v.l; 3 m.
Depois da 8.' Clrr., voltar' 1.' carro
blrr. perol.d. lorcid. •• foth .. pOnto .,rOl
o o
" .
, . ,
... 18 p.
41. 3D. 31. em. 31. 3p. 5 p. , p. , p.
" .
PONTO DE ARROZ
1.' can.: • 1 m.; 1 t . • . 2.. carr.: como ai .' carro mas
invertendo os p. (os meia sobre os I. e os tricô sobre
os moi.
BARRA PEROLADA TORCIDA
Executada em 3 p. 1.' un.: 1 m. torcido; 1 I.; t m.
lorcido. 2.· carr.: 3 I.
"0
FOLHAS
- Executadas em 1 p. 1) carr.: 1 laç.; t m.; , laç. 2.'
carro • tod.s a. tric. os p. e IS laç. em Iricô. 3.'
carr.: 1 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; , m. 5.'
urr.: 2 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 'aç.: 2 m. 7,' carr.: 3 m ; 1
laç.; 1 m.; 1 laç. ; 3 m. ' .' urr.: 1 m.; 1 male simples
(tirar 1 p. sem fazer, tric. o p. seguinle em moia e
rem. O p. sem fazer sobre o tric.); 1 m.; 1 laç.; 1 m.; 1
laç.; 4 m. 11.' carr.: t m.; 1 mate simples ; 1 m.; 1
laç.; 1 m.; 1 laç.; 5 m. 13.' c.rr.: 1 m.; 1 mate sim·
pies; 8 m. 15." c.rr.: 1 m.; 1 mate simpl .. ; 7 m. 17.'
c.rr.: 1 m.; 1 mate simples; 6 m. 19.' c.lT.: 1 m.; 1
mate simples ; 5 m. 21." c.rr.: 1 m.; 1 mate simples ; 4
m. 23." c.rr.: 1 m.; 1 mate simples; 3 m. 25." carr.: 1
m.; 1 mate simples; 2 m. 27. c.rr.: 1 m.; 1 male sim·
pies; 1 m. 29.' c.rr.: 1 m.; 2 p. juntos em meia. 31."
c.rr.: 2 p. juntos em meia. 32." CIIrr.: 1 t. 33.' CoIrr.: 1
I. 34." CIIIT.: 1 m. 35." c.lT.: ... oltar a 1.' çarr.
CORDA
É eICecutada em 6 p. 1.' a 3." c.rr.: 6 m. 2.' c.rr. a to-
das .s par .. : 6 t. 5.' c.rr.: pór 3 p. a espera numa g.
auxiliar colocada na frente do trabal ho; tric. os 3 p.
seguintes em meia, depois os 3 p. à espera também
em meia. 7.' c.rr.: ... oltar a 1.' carro
CORAÇOES
Executados em 18 p. 1.' c.rr.: 6 t.; cruzar 2 p. a direi-
ta (pór 1 p. à espera numa ag. auxiliar colocada atr's
do trabalho; tric. 2 m. depois o p. à espera tambem
em meia); cruzar 2 p. à esquerda (pór 2 p. à espera
numa agi .uxiliar ,<olocada na frente do trabalho;
tric. 1 I., depois os 2 p. da ag. auxiliar em meia) ; 6 I.
2.' c.rr. a todas as par .. : Iric. acompanhando o p.;
os 2 p. Que delimitam os coraç6es sio tric. em tric6;
os p. Que ficam de Clda l.do dos corações do tric.
em meia e os p. da parte inlerna dos coraçôes, em p.
de arroz. 3.' carr.: 51., cruzar 2 p. à direita Iricotando
o p. à espera em tricô; 1 m.; 1 t. ; cruzar 2 p. a "Quer·
da lricotando o p. à espeta em meia; 5 t. $.' carr.: 4
t.; cruzar 2 p. a direita (o p. à .. pera em meia); • 1 t.
e 1 m . • (2 v.); cruzar 2 p. à esquerda (o p. cruzado
em tricô) ; 4 I. 7.' c.rr.: 3 t.; cruzar 2 p. à direita (o p. à
espera em tricô); • 1 m. e 1 I . • (3 ... .); cruzar 2 p. à es-
Querda (o p. cruzado em meia) ; 3 I. 9.' c.rr.: 21. ; cru-
zar 2 p. a direila (o p. à espera em meia); • 1 t. e 1 m.
, (4 .... ); cruzar 2 p. à esquerda (o p. cruzado em trio
cOI; 2 t. 11.' c.rr.: 1 1. ; cruzar 2 p. à direita (o p. à es·
pera em tricô;) ' 1 m. e 1 I. ' (5 .... ); cruzar 2 p. à es·
Querda (o p. cruzado em meia ); 1 I. 13.' carr.: cruzar
2 p. à direita (o p. à espera em meia); • 1 I. e 1 m . •
(6 v.); cruzar 2 p. à esquerda (o p. cruzado em tricô).
15.' c.rr.: 2 m.; • 1 m. e 1 t . • (7 ... . ); 2 m. 17." carr.:
pór 2 p. à espera numa ag. auxiliar colocada na freno
te do trabalho; Iric. os 2 p. seguinles em tricl! e os 2
p. a .. pera em meia; • 1 m. e 1 t . • (5 .... ); pór 2 p. a
espera atr's do trabalho; tric. os 2 p. seguint .. em
meia, depois os 2 p. da ag . • uxil iar em tricO. 19.'
carr.: 2 1. ; cruzar 2 p. a esquerda como na 17.' carr.;
• 1 m. e 1 t . • (3 v.); cruzar 2 p. à direita como na 17.'
carr.; 2 t. Depois da 20.' carr., voltar à 1.' carro
pontos cruzados -
.. , . i !
.mptJlhelas
ziguezague duplo !
! p. trigo moscas
! ! ' ! !
2 p.
23 p. 2p. 41 .. 16 p. 41. 2p. Sp. 2p. 21.
PONTO DE TRIGO
1.' c.rr.: 1 m.; 1 I. 2.' carr.: 1 m.; 1 t. 3.' carr.: 1 1.; 1
m. 4.' carr.: 1 t.; 1 m. (os p. sio invertidos cada 2
carr.). Voltar à L' CIIrr.
PONTOS CRUZADOS
Sio executados em 2 p. 1.' carr.: Iric. em meia o 2.'
p. da agi esquerda passando na frente do 1.' p .. de-
pois tric. o 1.' p. em meia. 2.' CIIrr.: 2 t. Voltar à 1.'
carro
MOSCAS
Execut.das em 1 p. 1.' c.rr.: tric. 6 m. em 1 p., pegan-
do-o altemadamente pela frente e por tr's. Rem. 5
desses p. sobre o 6.' 2.' CIIrr.: 1 t. 3." carr.: 1 m. 4.'
carr.: 1 t. Voltar a l.'carr.
ZIGUEZAGUE DUPLO
É eICeculado em 16 p. 1.' carr.: 61. ; 4 m.; 6 t. 2.' carro
a todas as ~ ' " : tric. acompanh.ndo o p. (os p. for·
mando o ziguez.gue em tric6; de cada I.do em meia
e na parte intema em p. de trigo). 3.' carr.: 5 t.; cru-
z.r 2 p. à direita (pór 1 p. num •• g. 'UICili.r colocada
IIr's do lrabalho; tric. o. 2 p. seguintes em mela e o
p. à espera em tric6); cruzar 2 p. à esquerda (pór 2 p.
numa ag. auxiliar colocada na frenle do tr.b.lho;
tric. o p. seguinte em Iric6. depois os 2 p. de ag. auxi·
liar em meia); 5 t. 5.' carr.: 4 I.; cruzar 2 p. à direita (o
p. à espera em meia); 1 1. ; 1 m.; cruzar 2 p. à esquer-
da (o p. cruzado em Iricô); 4 I. 7.' ca".: 3 t.; cruzar 2
p. à direita (o p. a espera em meia); • 1 t. e 1 m . • (2
... .1; cruzar 2 p. à esquerda (o p. cruzado em IfÍc6); 4
I. 9.' car,.: 2 I.; cruzar 2 p. à direita (o p. à espara em
meia); • 1 I. e 1 m . • (3 v.l; cruzar 2 p. à esquerda lo
p. cruzado em Iricô) ; 2 t. 11.' c.rr.: 1 t.; cruzar 2 p. à
direita (o p. à espera em meia); • 1 I. e 1 m . • (4 ... .1;
cruz.r 2 p. à esquerda (o p. cruzado em tricô) ; 1 t.
13.' urr.: cruzar 2 p. à direita (o p. à espera em
meia); , 1 t. e 1 m. ' 15 v.); cruzar 2 p. à esquerda (o
p. cruzado em tric6). 15.' CIIrr.: cruzar 2 p. a esquerda
(o p. cruzado em tric6); • 1 m. e 1 t. • (5 ... . ); cruzar 2
p. à direita (o p. à espera em Idc6). 17.' CIIrr.: 1 t .; cru·
zar 2 p. a esquerda (o p. cruzado em tric6); • 1 m. e 1
I . • (4 v.); cruzar 2 p. à direita (o p. à espera em tric6;)
1 t. 19.' c.rr.: 2 t.; cruzar 2 p. à esquerda (o p. crula·
do em tric6) ; • 1 m. e 1 I . • (3 v.); cruzar 2 p. à direita
(o p. à espera em tric6); 2 t. 21.' carr.: 3 t.; cruzar 2 p.
à esquerda (o p. cruzado em tricO); , 1 m. e 1 t. ' (2
... . 1; cruzar 2 p. i direita (o p. à espera em tricô); 3 t.
23.' CIIrr.: 4 t .; cruzar 2 p. à esquerda lo p. cruzado
em tricô); 1 m.; 1 t.; cruz.r 2 p. à direita (o p. à espa·
ra em tricô) ; 4 t. 25.' CIIrr.: 5 t.; cruzar 2 p. 6 esquerda
(o p. cruzado em tricô) ; cruzar 2 p. à direita (o p. à es·
pera em tricô); 5 t. Voltar à 2.' carro
AMPULHETAS
Cad, moli ... o e executado em 6 p. Para Que 01 moti·
... os sejam dispostos simetricamente, montar 23 p.
Imúlt iplo de 6 + 5 p.). 1.' carr.: 2 t.; 4 m. no p. se-
guinte lalternar 1 p. pela frente e 1 p. por tr's); 2 1. ; li·
rar 1 p. lem fazer. ;l.' a 4.' carr.: 1 I.; 2 m.; 4 m. enro·
lando o fio, para cada p .. 2 vezes em ... olta da ag., 2
m. 3.'.5.' carr.: 2 t.; 4".,. deixando cair a cada p . •
laç. suplementar da carro anterior; 2 I.; tirar 1 p. sem
fazer . • .' carr.: 1 1.; 2 m.; 4 p. juntos em tric6; 2 m. 7.'
carr.: 2 I.; tirar 1 p. sem fazer ; 2 I.; 4 m. no p. seguin.
le. I .' • 10.' ca" .: 4 m. enrolando para cada p., o tio 2
vezes em ... olta da ag.; tm.; 1 1. ; 2 m. 9.' . 11.' carr.:
2 t.; tirar 1 p. sem fazer ; 2 I.; 4 m. deiICando c.ir a ca·
da p. a laç. suplemenlar da carro anlerior. 12.' carr.: 4
p. Juntos em Iricl!; 2 m.;·1 I.; 2 m. Voltar a 1.' carro
11\
MOTIVOS
-
IRLANDESES
Na Irlanda mais precisamente na ,lha de Aram OS oes
cadores usam pulOveres Que eles mesmos tricot am Ca
da familia de pescadores é lCIenlll lcada pela combinação
de motivos Que f ormam ii malha
O If1cO irlandês nio é um poruo, milS uma combinação
tradicional de motivos sobre um fundo em avesso do
POMlO mel. Um pulOver e formado por uma larga lIril
central. ladeada de ambos os lados por cordas e pontos
c'l,Ilados.Q mesmo desenho é repel ido nas mangas.Os
motivos slo sepa,«!o$ anue $1, Por Pon tos em avesso
Ou direito do ponto mel •
TIRA CENTRAL .j. (PULOVER FEMININO)
• 1 • 1 • 4
• 1 • 1 •
L " PONTOS CRUZADOS Executados em 2 p 1.-
carr p8 .. lr ii ag. au,s do 1." p.. luc . o 2.- p.
em mal. , por tris . depOIS o 1,- p .; del.i·
los cair luntos da ao. e5querda. 2. " carr o passa. it iI'q
na hente do 1 ' P Ifl C o 2 o p em HICÓ depOIS o 1
p em I de.d los cau IUIHOS da .. q eS<lue.da Rcpel"
:.emp,e essas 2 ca ..
2 ," TIRA FANTASIA E em 6 pt.. e 3."
ca ff 6 m 2," ca.r. fi Ioda s as pa.es 6 I 5." car,
po" '1 p numa 0191.111101 COlocada dUal> r .. r n II
:.e.!Ulnle em m dl!pO'l> os 2 p da aq aUluhdr pór 1 p
numa aq au.,lml colocitcla na !renle , .. c em mil I,) Ol>
2 Il <,equm'e<; dCI)O'l> \. I) da aq av - IIId' 7 •
e 9" caro . comoaS ' 11· c an 6m 13 ' ca"
reCOnl(l\ ... ' "" 1 call
3,· ZIGUEZAGUE E er" 14 p i , ' carr.
3 I '1 m 9 I 2.· cau, e toda s as pa.es I"C acompa
nhaodo o p 3,' carr o 3 I cru/ar 2 p a esquerda !pó.
2 P sobre a aq ;lu.,har COlocada na f,enle I"C 1 I
depOIS 2 P da a9 au.,I!!" em me,a) 8 t 5." c an. 4
I Clllia, '1 P â eSQuerda 7 I 1 .' carro 5 I c,u/3, 2
p a esquerda 6 I 9 .' carr ,: 6 I c.u/ar 2 p a eSQuerdol
S I II ,' carr 7 I cru/ar 2 p ii eS<l\1Clela 4 t 13."
112 ca" S I "'e no p seguInte 1 t e 3nles de lu
3
2

Ci'" ela aq esquerda III C em mela 1 vel no fiO de lIa
1 V81 no l,a da toenle 1 vel 1\0 1'0 de Ila$ e 1 ve
no l, a (Ia "el1le
c a".: 3 m 2 I
2 I tnua, 2 p , IOSIluer(1jt 3' ,.
3m 51 5m 15.· ca", 51 I
alIas passaI os 5 p segUIn teS para, ag dI/eu a D
gillldu Ol> JuntoS cm mela fale, 1 lae e rem "\lC8
s.vamente Os 5 p sem la/e. sobre a Iilc 2 I Cfl,U
2 p a (1"e.la 11)01 1 D na ilQ aUXIliai <-alocada alfa
'flC 2 m depOIS o P dil ay au .. 11/1I em t I 3 t 11
carr . 1 1., c ruza. 2 p . a d"eI1ll , . I, 19." c au 6
cru/ar 2 p a dllella !i I 21
dlfella 6 I 23." carr o 4 t
• carr o 5 I CIUlif 2 p
cru/a, 2 p a dI/leia 7
25,' c afl . 3 I cru/a, 2 II a dllella 2 I IflC 5 ve/f
o p segulnle como na 13' car! 5 I Na 26, ' cau
Iflc!im 51 3m 213m 27 ,' c aIr 31 CrUI
2 P 11 eSQuerda 2 luntos os S o seguin teS (
mo na IS"carr 51 29,· c all. fecomecarnaS'caff
4 ,' CORDA E em 16 p 'IOcolados em
mela Na 5,' c arr o • pór 4 p na ag au. ,har coloca
na fren te ' "C 4 fi . depOIS 0$ 4 P da ag au.,l,ar ·
vI Na 11 ." ca". Ifle 4 P pO, 4 o na aq ,'alhar CO
cada alias IflC 4 P depOIS Os 4 p da a9 ,)U.,haf
os 4 ui " mos II Hep.lI11 eSlel> crUlamen,os cada 6 c.
I vel como na S' caff e uma vel como n,) I 1 • ca,
TIRA CENTRAL
2
• 1 • 3
1,· PONTOS CRUZADOS - Slo U:8CU tadOS em 2 p
L" C8". : fio atr's. passar a ag direita na frente do 1·
P !rie. o 2· em meia. depois troe o 1 · p em mela
del.a-Ios cai, juntos da IIg eSQuerda 2, ' CI".: "O na
Irente PISSlr II ego na frente do 1 • p., lrie. o 2 o em
trlCO, depois o 1 ' . deid-I os cair juntos d. 8g eSQ\Jerde
2,' CORDA FANTASIA - e.ecul llde em 8 p. 1,' •
5," ce,r.: 8 m. 2,' cerr . • toda. I' p.r • • : 8 I 3:' ca" ,:
pOr 2 p • espera numa 8g auxiliar. colotllde na frente
do Irabllho, 2 m . Irie. em m os 2 p da 8g luxiliar
pOr 2 p ã espera numa 8g auxHlar. colocada avãs dO
trabalho. 2 m . tri<:. em meia os 2 p. di 89 lux,har 7 ,'
t au.: pOr 2 p. à espera 11th. 2 m., tric.. em meia 0$
2 p ... espera pOr 2 p. II espera fI. frente, 2 m., IflC.
em meia 05 2 p . .. espera 9,' Clrr.: vollar • L' cart
3," lOSANGOS ENTRELAÇADOS · 510 execu tados
em 16 p. 1." Clr,.: 2 m., 4 I., 4 m., " 1 .. 2 m. 2 ." carro
e toda. a. pare. : Iric, acompanhando o p. J ." e 19'."
Clr, . : 2 m . 4 1. ; pOr 2 p. numl Ig, colocada
anh do nabalho; tric. os 2 p. seguintes em meia. depois
0$ 2 p. da a9 auxiliar também em meia. 4 I .. 2 m. 5."
cart.: 2 p esquerdl !pOr 2 p • espera numa
19 auxiliar. colocada na Irenle do trabalho, 1 I .. tllC os
.j. (PULOVER CRIANÇA)
• 1 • 2
• 1 • 4

l P da ag em me,al. 2 I 2 P crulados é direita
IpOr 1 p • esperl atrás. 2 m 'flC o p • espera em
U. 2 p cru,ados á eSQuerda 2' 2 p crUlados.ll dlfe'ta
7 ." Clrr.: 1 I 2 p cruzados á eSQuerda 2 P CIUladOS
é dlfella 2 I, 2 p. CluladOS á esquerda 2 o crUlados
â direi' a, 1 t 9." e 13." carr .. 2 I cru/Ir 4 O como
na 3" calf 4 t cruzar 4 p como na 3" cau 2 I 11 ."
CI". : 2 14m .. 4 I , 4 m .. 2 I 15." carr. ' I 2 p
cruzados. di,ella, 2 p cruzados ti eSQuerda 2' 2 O
cruzados. dlfella. 2 p cruzados. eSQuerda 1 I 11"
Clrr, . 2 p cruzados ã dlre'la 2 I 2 o crulados & eSQuer
da 2 p crulados & dlfella. 2 I . 2 p cruzados é eSQuerda
21 ." car, .: recomecar na 1 " ca"
4 ." PONTO EM V • E elleculado em 12 P L" carl.
4 t crUlar 4 p como na 3' cau da co,da lanlasla 4
\. 2." CI,r , e todl. I' pares : III C. acompanhando o P
3." ca". 3 t . 2 p cruzados â dl,e'la 20 t'" rUIN1os á
esquerda (Ver ellphcacAo no ponlO an,erior 13 ,5,"cI" ,
2 I . 2 p. cruzados li direi Ia. 2 I 2 p crulOOos à es
Querda, 2 I 7 ." cI",: 1 I 2 O cru 'adas á dlfel,a 4 I 2
p. eSQuElrda. 1 I 9 ," cau.: 2 p cruzados
& dirella, 1 I cruzar 4 p como na I " cer! 1 t 2 p
CruladOS • esque.da 11 ." ca .. , ,ecomeca. na 3 " cau
.j. TIRA CENTRAL
.j.(PULOVER MASCULI NO)
3
• •
2
• •
L " PONTO OE TRIGO • 1 m .. 1 I . • desenconlrar
cllda 2 ca"
2." COROA . E em 6 p lriC. em p meia Na
5" ca" , depois cada 8 ca" .. pOr os 3 primeirOs p numa
ag aUlIiliar colocada na frenle do Irlbalho. ' "C os 3 p
seguintes. deoois os 3 p da ag luxihar
3." PONTO ASTRACÃ · 1. " Cl rr.' em IIICO. 2 ." cerr.:
• 3 p juntOS em 1 1m.; 1 t . emlis 1 m. nop segulnle
• 3 ." ca".: em IIICO 4 ." CIU.: · 1 m, : 1 t . e mlis 1
m. em 1 p 3 p juntOs em t • Repet ir sempre eSlas
4 carr
4 ." TIRA DE LOSANGOS E em 14 p L"
el", : 5 1. : 4 m , 5 t 2 ." ea,r. e todls e . pires: Ir ic.
4
• •
1
acomoanhando o p 3." eerr . 5' pOr 2 p numa a9
aUAiliar colocada na frente '"C os 2 P seguinteS em
me,a. d .. oo.s os 2 p da ag aUXIliar também em mela
5 I 5," e., ,,.: 4 1 CIUla' 2 p li direita (pOr I p na a9
coloc.:da atrh 2 m depOIS o p da a9 aUlI.liar
em me'al crUl a 2 p • eSQuerda !pOr 2 p numa aq
lIar colocada na ""nle I I depo's os 2 P dI a9 au.,ha.
em melaI. 4 I 7 ." ear' ,-:..3 t rrUlar '1 O ã dlle' 18 1 I
1 m cru/ar 2 p "eSQuerda 3 I conllnua. destacando
os p. des le modo. \fic os P do mela. em p dI' -"90
31é obler 10 p no me,o. Em seguK1a cruzar os p em
santlClo COnlr.rIO. tlle sempre o p isolado em '"ÇÓ
Quando 05 4 P do m&.o estiverem em mel1l. reeoml)ça'
na 3 " carr
IRLANDÊS N.· 1
Montar 33 p. mail a. bordas. 1,' CIIIT.: 1 p. de borda;
4 t.; 1 m.; , 1. ; 2 p. cNzadOI à esquerda (p •• ,.r I ag.
direita atr6. do L" p., trie. o 2. " em meía, sem doido
lo cair da ag. esquerda, tric. o 1." p. em meia e doid-
101 cair juntol da ag. esquerda); 1 1. ; 1 m.; 2 t.; 1 cor-
da (- tir.r 1 p. lem fezer em trlcO; 1 m. ; 1 laç.; 1 m.;
rem. o p. sem fazer sobre 01 2 p. e II Ilç .• ); 1 t.; f.·
zer no p. seguinte: 1 m.; 1 laç.; 1 m. torcido; - (inf-
cio de folha) . 1 t .; 1 corda (voltar de .. Ilé - ): 2 t. ; 1
m.; 1 t.; 2 p. cruzadol • esquerda; 1 t. : 1 m.; 4 t. : , p.
de borda. 2.' CIIrr . • todu .. pai'" .... 1',' CIIn. In-
d u .. : tric. acompanhando o p. 3,' CIIIT: 1 p. de bor-
da : 4 t.: 1 m.; 1 I.; 2 p. cruzados. esquerda; 1 t. ; 1
m.; 2 I.; 3 m.; 1 t .; 1 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 t.;
3 m. ; 2 t. ; 1 m.; 1 t.; 2 p. cruzados à esquerda; f 1.; 1
m. ; 4 1.; 1 p. de borda. 5.' carr.: 1 p. borda; 4 1. ; 1
m.; 1 1.; 2 p. cruzados AI esquerda; , t.; , m.; 2 t.; ,
corda; , 1.; 2 m.; , laç.; 1 m.; 1 laç.; 2 m.; 1 1.; 1 cor·
da ; 2 1.; , m.; 1 1. ; 2 p. cruzados AI esquarda; 1 t.; 1
m.; 41.; , ' p. da borda. 7.' carr.: 1 p. de borda; 4 1. ; 1
m.; , 1.; 2 p. cruzados AI esquerda; , 1.; 1 m.; 2 t.; 3
m.; 1 t.; 3 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 3 m.; 1 1.; 3 m.; 2 t. ;
1 m.; 1 t.; 2 p. cruzados AI esquerda; 1 t.; 1 m.; 4 1.; 1
IRLANDÊS N.· 2
1.' carr.: 1 p. de borda: 1 m.; tirar 1 p. sem fazer em
tricO; 3 m.; 5 p. de arroz too 1 t.; 1 m. oo !2 v.); 1 1.; de·
sencontrar em cada carr.l; 16 m.: 5 p. em p. de ,rroz;
1 m.; t irar 1 p. sem f.zer em tricO; 3 m.; 1 p. de boro
da. 2.' carr.: 1 p. de borda; 3 t.; tira r 1 p. sem faler
am tricO: 1 t.; 5 p. em p. de arroz; 16 t.; 5 p. em p. de
arroz; 3 t.; lirar 1 p. um fazer em tricO; I 1. ; 1 p. de
borda. 3.' carr.: 1 p. de borda; 1 m.; 2 p. cruzados AI
esquerda Ipa .. ar a ag. direila I1rb do 1.- p .. tric. o
2.- p. em meia sem deid ·lo cair da ag. esquerda;
tric. o 1.- p. em meia e deixar cair os 2 p. da ag. es·
querda ); tirar 1 p. sem fazer em tricO; 1 m.; 5 p. em
p. de arroz ; oo pOr 2 p. numa ag. auxi liar colocada
114
p. de borda. I .' carr.: 1 p. de borda; 4 1.; , m.; 1 1.; 2
p. cruzados ii esquerda; 1 1.; 1 m.; 21.; 1 corda; 1 t.;
9 m.; 1 1.; 1 corda; 21.; 1 m.; 1 1.; 2 p. cruzados AI es·
querda; 1 1.; 1 m.; 4 t.; 1 p. de borda. 11.' carr.: 1 p.
de borda; 4 1.; 1 m.; 1 1.; 2 p. cruzados AI esquerda; 1
1. ; 1 m.; 2 t.; 3 m.; 1 I.; 3 m.; 1 mate duplo !Ii,ar 1 p.
sem fazer. tric. os 2 p. seguintes junlos, rem. o p.
sem fazer sobre o p. obl ido); 3 m.; 1 I.; l m.; 2 I.; 1
m.; 1 t.; 2 p. cruzados ii esquerda; 1 t.; 1 m.; 4 t.; 1 p.
de borda. 13.' carr. : 1 p. de borda; 4 I.; 1 m.; 1 t .; 2 p.
cruzados AI esquerda; 1 t. ; 1 m.; 2 t.; 1 corda; 1 I.; 2
m.; , male duplo; 2 m.; 1 t .; 1 corda; 21. ; 1 m.; 1 1. ;
2 p. cruzados AI esquerda; 1 1. ; 1 m.; 4 t .: 1 p. de boro
da. 15.' carr.: 1 p. de borda; 4 t.; 1 m.; 1 t.; 2 p. cruza·
dos AI esquerda: 1 t. : 1 m.; 2 t. ; 3 m.; 1 t .; 1 m.; 1 ma·
te duplo; 1 m.; 1 t.; 3 m.; 21. ; 1 m.; 1 t. ; 2 p. cruza·
dos AI esquerda; 1 t .; 1 m.; 4 1. ; 1 p. de borda. 17.'
carr.: 1 p. de borda; 4 t .; 1 m.; 1 t.; 2 p. cruzados AI es·
querda ; 1 t.; 1 m.; 2 t .; 1 corda; 1 t.; 1 mate dupl o; 1
t .; 1 corda; 2 t .: 1 m.; 1 t.; 2 p. cruzados' esquerda;
1 I.; 1 m.; 4 t.; 1 p. de borda. " .' carr.: 1 p. de borda;
4 m.; 1 t.; 1 m.; ·2 t.; 1 m.; 1 t.; 2 m.; 3 t.; 3 m.: 3 t.; 2
m.; 1 t.; 1 m.; 2 t.; 1 m.; 1 t.; 4 m.; 1 p. de borda. 19.'
carr.: 1 p. de borda: 4 t .; 1 m.; 11.; 2 p. cruzados AI es-
querda ; 1 t .; 1 m.; 2 t.; 3 m.; 3 t .; 3 m.; 21. ; 1 m.; 1 t.;
2 p. cruzados AI esquerda; 1 t .; 1 m.; 4 t .; 1 p. de boro
da. 20.' carr.: como a 18.' cerro Voltar AI 1.' carro

alrh do trabalho: tric. os 2 p. seguintes em meia, de·
pois 01 2 p. AI espera também em meil ; pOr 2 p. AI es-
pera na frante do trabalho; tr ic. 01 2 p. seguintes em
meia, depoil os 2 p. AI espera também em meia " (2
.... . ); 5 p. em p. de arroz; 1 m.; 2 p. cruzadol AI esquer'
d,: ti" , J p. em triCÔ; 1 m.; 1 p. de borOa.
4.' carr.: 1 p. de borda; 1 1. ; tirar 1 p. sem fazer em tr io
c6; 3 t.; 5 p. em p. de arroz; 161.; 5 p. em p. de IrrOI;
1 t.; tirar 1 p. sem falW em tricO; 3 t.; 1 p. de borda.
5.' carr.: 1 p. de borda; 1 m.; t irar 1 p. sem fazer em
tric6; 2 p. cruzadol ii direita (pa .. ar I ag. direita na
frente do 1.- p.: tric. o 2.- p. em meil lem dei xa-lo
cair da ag. esquerda; depois, tr ic. o 1.- p. em meia e
deid · los cair juntoslda ag. esquerda): 1 m.; 5 p. em
p. de arroz; 3 p. cruzados AI esquerda; .. (pOr O 1.' p.
AI espera na frente do trabalho; tric. os 3 p. seguintes

em me ia. depois tric. o p . • es pera tamb'm em
meia); 3 p. cruzados 6 direita (pôr 3 p. t espera numa
eg. auxiliar colocada atrás do tr.balho; trie. o p. se-
guinte em meia, depois os 3 p. ii espera também em
mei.) .. (2 v.); 5 p. em p. de arroz; 1 m.: tir.r 1 p .
IRLANDÊS N,' 3

Montar 30 p. mais os p. de borda. 1.' CIIrr.: 1 p. de .
borda, 3 t .; 5 p. em 1 p.; (1 m. ; 1 1. ; 1 m.; 1 t. ; 1 m.l;
3 t .; 1 m.; .. 2 t.; 2 m. - (3 v.l; 2 t. ; 1 m.; 3 t. ; 5 m.;
em 1 p.; 31. ; 1 p. de borda. 2.' , 3.', 4.'. 5.' . . ... .... 9 .. .
12.', 13.' • 14.' CIIn.: tric. acompanhando o p. (na 2.'
carr., tric. em tricô os 5 p. em 1 p.l. 7.' carr.: 1 p. de
borda; 3 t.; 5 m.; 3 t .; pOr 4 p . • espera numa ag. au·
xiliar colocada atris do trabalho, tric. os 4 p. seguin-
tas acompanhando o p.; depois trie. os 4 p. da ag. au-
xiliar I8mb6m acompanhando o p.; pOr 4 p. numa
ag. auxiliar colocada na frente do trabalho. tric. os 4
p. seguintes acompanhando o p., depois 01 4 p. da
ag. auxili ar I8mb6m acompanhando o p.; 3 1. ; 5 m.;
3 t .; 1 p. de borda. 10-' CIIn.: 1 p. de borda; 3 m.; 5 p.
juntos em tricô; 3 m. ; 1 t.; .. 2 m.; 2 t ... 13 v.l ; 2 m.; 1
1.; 3 m.; 5 p. juntos em tricô; 3 m.; 1 p. de borda. 11.'
.em fizer em tric6; 2 p. cruzado. à direita; 1 m.; 1 p.
de borda. IS,' ~ r T . : 1 p. de borda; 3 t.; tir.r 1 p. sem
fazer em lric6; 1 t. ; 5 p. em p. de .rroz; 16 t .; 5 p. em
p. de .rroz; 3 1. ; tir.r 1 p. sem f.zer em tricô; 1 t; 1
p. de borda. Volt'r à 1,' carro
ca".: 1 p. de borda; 7 t. ; 1 m.;" 2 1. ; 2 m." (3 v.) ; 2
\. : 1 m.; 7 I.; 1 p. de borda. 15,' çtrr.: 1 p. de borda; 3
t .; J p. em 1 p. (1 m.; 1 t .; 1 m.): 3 t .; 1 m.; .. 2 t .; 2
m ... (3 ... . ); 2 t .; 1 m.; 1 t .; 3 p. em 1 p.; 3 t .; 1 p. de
borda. 115,' urr.: .rie. acompanhando o p., tricotando
em tricO os 3 p. em 1 p. 11.' carr.: 1 p. de borda; 3 t.;
3 m.; 3 t .; pOr 4 p. ii espera numa a9. auxiliar coloca-
da atril do trabalho, tric. 01 4 p. seguintes acompa-
nhando o p., depois os 4 p. da ag. auxiliar tamb6m
acompanhando o p.; pOr 4 p. ii aspera numa ag. auxi ·
liar colocada na frente do trabalho; trie. os 4 p. se-
guintes acompanhando o p., depois os 4 p. da ag. au-
xiliar tamb6m acompanhando o p. ; 3 t.; 3 m.; 3 1.; 1
p. de borda. 1'.' carr.: 1 p. de borda; 3 m. ; 3 p. jun-
tos em tricô; 3 m.; 1 I.; .. 2 m. 2 I ... 13 v.l ; 2 m.; 1 I.;
3 m.; 3 p. juntos em tricô; 3 m.; 1 p. de borda. 19.'
CIIn,: 1 p. de borda; 7 t.; 1 m.; .. 2 t .; 2 m ... (3 v.l; 2
I. ; 1 m.; 7 t. ; 1 p. de borda. 20.' CIIn.: tr ie. acompa-
nhando o p. 21.' can.: voltar' , .. carro
115
116
IRLANDÊS N.' 1
É executado em 86 p. 1,' un.: 21 t. ; 5 m.; • 4 t.; trie.
l p. no p. seguinte (1 m.; 1 t. ; 1 m.' • (6 '1,1; 4 t.; 5
m.; 21 t. 2,' u n .: 3 m,; • trie. 3 p. em 1 p. (1 m.; 1 t,;
1 m.); 3 p. Juntos em tricÔ ' (4 v.); 2 m.; 5 t.; • 4 m.;
3 1 . • (6 v.); 4 m.; 5 t. ; 2 m.; • 3 p. Juntol em tricô;
lrie. 3 p. em I p . • (4 v.); 3 m. 3,' UIrr.: 21 t.: 5 m.: • 4
1. ; 1 m.; , t. ; 1 m . • 16 v.): 4 1.; 5 m.; 21 t. 4,' arf.: 3
m.; • 3 p. juntos em tricô; lrie. 3 p. em 1 p . • (4 v.) ; 2
m.; 5 t. : • 4 m.; 31. • (6 v.l; 4 m.; 5 1. ; 2 m,; • tric. 3
p. em 1 p.; 3 p. juntol em t ricO • (4 v.l; 3 m. 5." CIIfT.:
21 t.; cruzar 5 p. (pôr 2 p. num. eg. auxiliar colocada
nl frente do trabalho; lrie. 3 m.; depois 01 2 p. da ag,
euxili'r também em mele) ; • 4 t. ; 1 m.; 1 1.; 1 m . • (6
v.); 4 t.; cruzar 5 p.; 21 t. I ,' carr.: como a 2,' carro 7,'
urr,: como I 3,' carro I .' carr,: como ti 4,' carro 9.'
urr.: como a 3.' carro 10.' urr.: como a 2.' carro 11 .'
urr. : como a 3.' carro 12.' urr.: como a 4.' carro 13.'
urr.: como a 5.' carro 14.' urr.: como a 2.' carro Conti·
nuar os vários pontal dos 26 primeiros e dos 26 úl ti·
mos p. como anteriormente. Nos 46 p. do meio fazer,
a 11.' urr.: ' 4 t. ; cruzar 3 p. e direita (pÔr 2 p. numa
ag. auxiliar colocada atrás do trabalho, tric. 01 3.' p.
em meia; depois 01 2 p. da ag. auxiliar sendo que o
1,' em tricÔ e o 2.' em mela) · (6 v.l; 4 t. Da '8.' a 28.'
carr., tric. II carr o paru acompanhando o p. 19.'
un.: 3 t. ; , cruzar 2 p, a direita (paliar a ag. na freno
te do 1.' p., trlc. o 2.' em meia, depois o 1.' em tricO,
delxá·lol cair juntos da ag. esquerda) ; 1 t.; cruzar 2
p. a esquerda (pór 1 p. na ag. auxili ar colocada na
frente do trabalho, trlc. o 2.' p. em tricO, depois o p.
da ag. auxiliar em mela); 2 t. ' (6 v.l; 1 t. 21 .' carr.: 2
1. ; , cruzar 2 p. ti direita; 3 t. ; cruzar 2 p. ti esquerda'
(6 v.l; 21. 23.' urr.: 2 1. ; 1 m.; • 5 t. ; cruzar 2 p. ti es·
querda tricotando os 2 p. em meia ' (5 v.l; 5 t.; 1 m.;
2 1. 25.' urr.: 2 t.: • cruzar 2 p. ti esquerda; 3 t.: .cru·
zar 2 p. ,. direita ' (S·v.l; 2 t . 27.' carr.: 3 1. : • cruzar 2
p. ti IIquerda ; 1 1.: cruzar 2 p. ,. direita ' 16 v.l; 1 t.
21.' urr.: como a 17.' carro 30.' , 32.' , 34.' , 315.' , 3a.' .
40.' urr. : ' 4 m.; 3 1. ' (6 v.l; 4 m. 31.' , 33.' , 35.' , 37.'
39.'.41.' urr.: ' 4 t.; 1 m.; 1 t.; 1 m. ' (6 v.l: 4 t. 42.'
un.: • 4 m.; 3 p. juntai em tricô ' 16 v.l: 4 m. 43.'
ca".: em trlcO. 44.' ca".: em mela. 45.' Clrr.: voltar à
1.' carro tomando o cuidado de formar o. cruzamen·
to. cada 8 carro
-
,
IRLANDÊS N.· 2
PONTOS EMPREGADOS - 1,- PONTO MEIA: • 1 carro
em meia, 1 carro em tdei) -: 2." PONTO DE TRIGO: •
1 m.; 1 t. 0; desencontrar o p. cada 2 carr.: 3.· BAR·
RA TORCIDA· é tri cotada em 2 m.; na 3,' carro depor.
cada 2 carr .• cruzar esses 2 p.: pass.r 8 ag. n8 frente
do 1,· p., trie. o 2,' em meia, depois o 1," também em
meia fi deid·los cair juntos da 8g. esquerda. 4," COR·
DA FANTASIA · É tric. em 12 p. em p. meia, na 3,'
carro • cruzar 6 p. (pôr 3 p. num. 8g. auxiliar coloca-
da na frenle do trabalho; tric. os 3 p. seguintes. de-
pois os 3 p. da .g. auxiliar)' 12 v.l. Na 7,' carr.; tric. 3
p.; cruzar 6 p. ; !ric. 3 p. Continuar em p. mei a cruzan·
do os p., cada 4 carr . • ltem,"do. 1 vez como na 3,'
c.rr. II 1 vaz como na 7.' carro
~ executado em 93 p. 1,' Q".: 12 p. em p. de trigo: 2
t. ; 2 m. par. um. corda torcida ; 2 t.; 12 m. para uma
corda fantasia; 2 t.; 2 m. para uma barra torcida ; 2 t.;
21 t.; 2 t. ; 2 m. para uma barra torcida ; 2 t.; 12 m. p.-
ra uma corda fantasi. ; 2 t.; 2 m. para uma corda toro
cida; 2 t. ; 12 p. em p. de trigo. 2.' carr.: tric. 36 p.
.companhando o p., depoil tric. 3 p. em 1 p. (1 m.; 1
t.; 1 m.l; 4 t.; • tric. 3 p. em 1 p.; 1 t. • (6 v.l; 3 t. ; trlc.
3 p. em 1 p. e 36 p. acompanhando o p. 3." carr.: 12
p. em p. de trigo; 2 t. ; cruzar os 2 p. da corda torcid.;
2 t. ; cruzar os 12 p. da corda : 2 t.; cruzar os 2 p. da
corda torcida; 2 t.; 37 t.; 2 t.; cruzar 2 p.; 2 t .; cruzar
os 12 p. da corda; 2 t.; cruzar 2 p.; 2 t. ; 12 p. em p. de
trigo. 4.' ~ r r . : tric. 36 p. acompanhando o p.; 3 p. jun-
tos em tricô: 3 p. em 1 p.: 3 t.; • 3 p. juntos em tricO;
3 p. em 1 p . • (5 v.l; 3 p. juntOI em trlc6; 3 t.; 3 p. em
1 p.; 3 p. juntos em tric6; trie. 36 p. acompanhando o
p. S.' carr.: 12 p. em p. de trigo: 2 t.; cruzar 2 p.; 2 t.;
12 m.; 2 t.; cruzar 2 p.; 2 t .; 35 t.; 2 t.; cruz.r 2 p.; 2
t. ; 12 m.; 2 t. ; cruzar 2 p.; 2 t.; 12 p. em p. de trigo. I."
carr.: trlc. 36 p. acompanhando o p.; 3 p. em 1 p.; 3
p. juntol (tric. sempre elses 3 p. em tricô) ; 3 p. em 1
p.; 31. ; • 3 p. juntos ; 3 p. em 1 p . • (4 v.l; 3 p. juntol :
3 t. ; 3 p. em 1 p.; 3 p. juntol ; 3 p. em 1 p.; !rico 36 p.
acompanhando o p. 7.' c.rr.: 12 p. em p. de trigo; 2
t.; cruz.r 2 p.; 2 t.; 3 m.; cruzar 6 p.; 3 m.; 2 t.; cruz.r
2 p.; 2 t. ; 37 1. ; 2 1. ; cruzar 2 p.; 2 t. : 3 m.; cruzar 6 p.;
3m.; 2 t.; cruzar 2 p.; 2 t.; 12 p. em p. da trigo. Conti-
nuar trabalhando nos 36 primeiros p. enol 36 ultl -
mos p. como anteriormente; nos p. do meio f.zer, I."
CMT.: • 3 p. juntos; 3 p. em I p . • (2 v.l; 3 t.; • 3 p.
Juntos; 3 p. em 1 p . • (3 v.l; 3 p. juntol; 3 1. ; • 3 p.
am 1 p.; 3 p. juntol • (2 v.). ,." carro I tod .. ai ImPII'
,.. ... "Int": em tricO. lO." carr.: • 3 p. em 1 p.; 3 p.
juntos' (2 v.l; 3 p. em 1 p.; 3 t.; • 3 p. juntos; 3 p.
em 1 p . • (2 v.l: 3 p. juntos; 3 t.: • 3 p. em 1 p.; 3 p.
juntos' (2 v.l; 3 p. em 1 p. 12.' carr.: • 3 p. juntos; 3
p. em 1 p . • (3 v.l; 31. ; 3 p. Juntos ; 3 p. em 1 p.; 3 p.
Juntos ; 3 t. : • 3 p. em 1 p.; 3 p. juntos ' 13 v.l. 14.'
carr.: • 3 p. em 1 p.; 3 p. juntos' (3 v.l; 3 t. ; 3 p. em
1 p,: 3 p. juntOI; 3 p. em 1 p.; 3 t.; • 3 p. juntOI: 3 p.
em 1 p . • (3 v.l. 11.' can.: • 3 p. juntol; 3 p. em 1 p. '
12 v.l: 3 p. juntOI; 3 t.; • 3 p. em 1 p.; 3 p. Juntos' (2
v.l; 3 p. em 1 p.; 3 1. ; • 3 p. juntos; 3 p. em 1 p . • ( ~
v.l; 3 p. juntos. 11.' Clrr.: ' 3 p. em 1 p.; 3 p. juntos '
(3 v.l; 3 t.; • 3 p, em 1 p.; 3 p. juntos ' (3 v.l: 3 p. en"
1 p.; 3 t. ; • 3 p. juntol; 3 p. am 1 p . • (2 v .). 20.' Clrr:
3 p. juntos; 3 p. em 1 p.; 3 p. junto' ; 3 t.; " 3 p. em 1
p.; 3 p. juntos' (4 v.l; 3 p. em 1 p.; 3 1. ; 3 p. Junt os; :
p. em 1 p.; 3 p. juntos. 22." Cln.: 3 p. em 1 p.; 3 P
juntos; 3 t.; • 3 p. I!((l 1 p.; 3 p. Juntos ' (5 v.l; 3 p
em 1 p.; 3 t. : 3 p. juntos; 3 p. em 1 p. 24.' c.lrr,: volta
t 4." tarr.
,
1
1 •
2

3

1,- PONTO OE TRIGO - Em 13 p. • 1 m.. 1 t •• 0;
deseflcontrar cada 2 cen.
2 ,- ESPIGAS - 1' carr.: 9 m. 2 ," carr.: 9 t. 3" carr.:
pOr 3 p. numa 19- aUlli l iar, colocada al rils; 1 m.; depois
uie. os 3 p. da 8g. IUllilia, em meia; 1 m.; pOr 1 p. na
ag auxiliar, colocada na fr8me; Irll:. 3 m., depois o p.
da 8g. auxiliar em meia. 4.' ca".: 9 t. Repetir 58mpt&
estlS 4 carr o
3 ,' PONTO TRANÇADO • executado em 14 p., lrie.
TIRA CENTRAL

2

1
• 2
em barra 2/2. Na 5," urr.: • pôr 4 p. na itg. luxm.r
colocada na frente; t,ie. 2 m.; passar 01 2 t. da Ig. aUlli-
liar novamente plr •• 8g. esquerda; tricota-los em lrieO,
depois 01 últimos 2 p. da Ig. auxiliar, 1m meia ' ; 2 I.;
RepIIlir de • ate ' . Na 11 .' ce".: n ic. 2 m.; 2 t.; pOr 4
p. na 1Ig. luxiliar colocada atrAs; 2 m.; pusar nOl/lmen-
te 01 2 t. par •• iIg. e5Querda.; Iricota-lol em tricO: !fico
os 2 últimos p. da 1Ig, auxiliar em meia: 2 L; 2 m, Repe-
t ir estes cruzamentos ceda 6 carr" alternando uma vez
como na 5 ," carro e uma vez como na 1 1." carro
TIRA CENTRAL

1

1," BARRA CRUZADA - L" carr, , " 2 t ,; 2 m, ", 2,"
a 4," carr,: tric, acompanhando o p. 3," ca",: 2 \. : 2
p, cruzados (passar a 119, atr" do 1." p .. trie. o 2," am
meia, pegando-o por trtis: depois o 1,- em meia; deid -
los caír juntos da eg, esquerda). Repet ir sempre eS11l
4 carr,
2," PONTO FANTASIA - 1." .. 24 p. em meia, 2,"
carr.etoda. as para. :em IricO. 3,"carr,: · pOr 2 p,numa
"8
2

1

1
ag, aUlliliar, coloc.da na frenle: tric. o. 2 p. seguint6s
em mala, depois 01 2 p, da ag. auxiliar também em meil :
pOr 2 p. na ag, atris, \tie. os 2 p, se-
guintes em meia: depoil os 2 p, da 8g, auxitiar também
em mela ", 5," carr,: em meia, 7,· carl' ,: " pOr 2 p, numa
ag, luxiliar colocada avis: tr ie. 2 m., depois os 2 p, da
ag, luxiliar em mela:)l'Õr 2 p. na ag, luxiliar colocada
na frente: !rie. 2 m" 01 2 p, da ag auxiHar em
meia ", 9." carr,: recomeçar na 1," carr,
-


Seu lugar de origem é a pequena ilha de Aran, a oeste da Irlanda, onde, des-
de tempos remotos, depois de muitas gerações, cada família de pescadores
pode ser identificada pelos seus pulôveres, personalizados por uma determi -
nada combinação de motivos. Ainda hoje estes pulôveres são freqüentemen-
te tricotados pelos próprios pescadores de Aran, depois de terem terminado
de consertar suas redes.
o PUlÔVER TRADICIONAL
É executado com a li natural origin6ria do pais. Trico-
tado numa .6 peça. sem costura, .ua forma é cilfndri-
ca. V6rio. moti ... o. di. postos em tiras formam a fren-
te e as co.ta •.
A tira centr,1 tem largura aproximadamente igual à
do decote. E: geralmente tricotada em ponto trança-
do, ponto de alvéolos ou em retevo que sobressaem
do fundo em a ... esso do ponto meia. Muitas vezes ela
é limitada de cada lado por uma corda.
A. tirai I.t.ral. que ficam de cad. lado da tira cen-
trai 110 um pouco mail estreit ... 01 pontos clássi-
COI: losangol, ziguezague limplel ou duplo, ponto
de corrente, ou ponto fantas ia; folhai, espig.s. cor-
d.s com n6s, etc ... 110 coloeado. em motivo. linea-
res venicai •. A tir. central reduzida e as tiras laterais
sio tambem reproduzidas nas mangas. Voe6 encon-
tra as explicaçõe. de todo. esses pontos e motivos
nesta re ... ista, e poder6 cri.r combinações originais e
diferentes.
A EXECUÇÃO
É iniciada pela divi do do. ponto. necessários para a
frente e as costal de uma malha, panindo da tira cen-
trai, depois das tir .. laterais. No caso de sobrarem ai-
gun. pontos em cada extremidade, estes 510 tricota-
dos em avesso do ponto meia, am ponto de arroz ou
de trigo. Sua forma cillndrica 6 obtida por um siste-
ma alternado de pontOI deixados à espera e pontos
levantadol. É começado pelo decote que pode ser
~ e n t e ao pelcoço ou alto e virado, tricotado em circu-
lo (figura 11; uma tira para os ombros em tricO plano
é acrescentada de cada lado (figura 2). Em seguida, a
frente 6 trabalhada também com duas agulhas até a
2
3
altura da cava (fi gura 3), aslim como as COitas (figu-
ra 4). Pontol do acrescentados entre 01 doil peda-
ços para a parte debaixo dos braçol. O trabalho é
continuado em circulo, para formar o corpo (figura
5). As mangas lio também tricotadas em circulo, le·
vantando 01 pontOI das bordas das ca ... as, da carrei-
ra de montagem da pane deba ixo dos braços e reto·
mando 01 pontol à espera das tirai do. ombros, cu-
jo desenho ser6 continuado na frente das mangas (fi-
gura 6) .
4

~ .. " .

6
NOSSOS CONSELHOS
Para a carreira de monfllgem da gola, que deve ter
elasticidade, usar de preferaneia uma da. tr6s monta·
genl seguintes: tubular, exten.I .... 1 ou fl.xlvel, que
são adequadas lomente p.ra barra 111 . A carreira de
terminaçio tambem de ... e ter uma c.n. elasticidade;
conseqüentem.nte ad'onselhamol a bainha extensl·
'lei para barra 111.
119

OJACQUARD
, • Fio. cruzados
3 - Fio, ~ ••• do. IIr6, CIO. pontol
Ino ponto mel. ,
5 - Fios p •• u dos ne frente do, pontol
120 (no IV"'O do ponto mlil'
.. - Fio, pal"lto, Itr'. do,' pontol
(no po!'to mel. )
,
6 - Fio, pe,.,dol n. frente cio, pontOI Ino ." .... 0
do ponto mei. )
PARA CADA MOTIVO. SUA TtCNICA !
o JACQUARO
Existem vários tipos de jacquard. e para cada um deles usamos uma técni -
ca diferente.
MOTIVOS DISSEMINADOS SOBRE UM FUNDO LISO
Usar um pequeno novelo de lã ou simplesmente alguns metros de fio
para executar cada motivo.
Se os motivos têm uma largura de somente alguns pontos, o fio usado
para o fundo passa atrás destes. mas precisa cruzar os dois fios no inicio
e no fim dos motivos (fig. 1 e 21. Tomar o cuidado de não puxar demais
o fio do fundo, quando recomeçar o trabalho depois de terminar um moti -
vo, para não franzir este último.
Se os motivos são grandes e o fio do fundo for deixado solto. este ficará
preso quando se for vestir a malha; é preciso passá-lo no avesso, entrela-
çando com os p. do motivo. sem deixá-lo aparecer no direito do trabalho.
O fio do fundo é colocado no indicador da mão esquerda. a agulha direita
passa uma vez embaixo deste fio. antes de tricotar um ponto do moti vo;
outra vez por cima para o ponto seguinte. etc. (fig. 3 e 4 para o direito
do ponto meia. fig. 5 e 6 para o avesso do ponto). Somente o fio do
motivo passa através dos pontos.
DESENHO COM DUAS CORES NA MESMA CARREIRA
Não é necessário usar pequenos novelos para cada um dos moti vos. mas
um novelo para cada cor.
Se os motivos são pequenos, o fio que r'ião é usado é simplesmente pas-
sado atrás dos pontos do motivo (fig. 2i .
No caso contrário, temos que passar o fio do fundo entrelaçando nos
pontos do motivo, como já foi explicado acima (fig. 3, 4. 5 e 6).
MOTIVOS GRANDES OU DESENHOS COM VARIAS CORES
Quando se trata de grandes superfícies, mesmo só com duas Cores, a lã
do fundo não acompanha a lã do motivo no avesso, porque i sso aumenta-
ria demais a espessura do trabal ho. Ainda mais quando os mot i vos têm
4, 5 ou mesmo mai s cores na mesma carreira.
Temos Que usar pequenos novelos para cada motivo ou fios compridos
para cada elemento do desenho. Tomar o cuidado, em cada mudança de
cor, de cruzar os fios (fig. 1) para evitar a formação de furinhos no traba·
lho.
Outra precaução a ser tomada é que o ponto da carrei ra anterior não
seja nem frouxo demais nem apertado demais, para conseguir um traba-
lho bem regular.
BORDADOJACQUARD
Em certos jacQuards, como os da Escócia ou os desenhos noruegueses,
certos desenhos têm largura de um só ponto. ~ então aconselhável fazer
- o desenho substituindo este ponto com um ponto da cor seguinte, mas
tri cotando-o em tricô. Uma vez terminado o trabalho, cobrir estes pontos
de substituição com um ponto corrente, executado na cor prevista e com
uma agulha de tapeçaria. '
' 21
3
122 S
o JACQUARD BORDADO
Para elte bordado em ponto de malna, trabalhar d.
direita par. a esquerda: introduzir 8 agulha de tape-
çaria no avaslO do trab.lho, pUIClndo-. par. o direi-
to. n. base do primeiro ponto •• er bordado. depois
- introduzi-I. di direita plr. 8 esquerda debaixo do.
doi. fios do ponto .dm. (foto 11 do ponto que ast.
sendo bordado; em seguida. introduzir. agulha no-
vamente na bIS' do ponto que está sendo bordado e
f.z!·I. s.ir na base do ponto (foto 2) que segue o ulti·
mo ponto tr,b.lhado; voltar em - , Bordar des.e mo-
do todas a. malhas necessérias plr. um. mesma
carreira; depor. , no último ponto, introduzir 8 agulha
nl base desse ponto 8 f.z6-18 .alr n. bISe do ponto
que fie. acima (fOl0 3). Virar o tr.balho e bordar no-
v.ment. da direita par. 8 esquerda voltando em • •
ma. Introduzindo a agulha da direita para a esquer·
da debaixo dOI dois fiol do ponto .b.lxo (foto 4) da-
quele que está .endo bordado. Continuar desse mo-
do seguindo o gráfico, que indica o númaro de pon-
to., formando o motivo (foto 5 - barra do TI. Bordar
as letras M.T (foto 61.
2
4
6
,




Qualquer que seja a técnica adotada para formar o
jacquard. 8 e)(plicaç60 dum motivo jecquard é forne-
cida por um gráfico Quadriculado; cada Quadradinho
no sentido da largura representa uma malha (ponto)
ti cada linha de Quadrados no sentido da altura repre-
senta uma carreira.
Para fazer este desenho, escolher um símbolo para
cada cor usada no desenho j acquard ti dispor esses
vários sim bolos, seguindo o siesenho; os quadrados
sem marcação representam o fundo.

Para executar o desenho jacquard apresentado num
gráfico, basta decifrá-lo da direita para a esquerda,
para as carreiras Imperes que ficam no direito do tra·
balho. e da esquerda para 8 direita, para as carreiras
pares trabalhadas no avesso do trabalho. Para os Ira-
- balhos em circulo, a leitura do gráfico será sempre
' feita da direita para a esquerda, o que, para um dese-
nho complicado com mudanças de cores em cada
carreira, facilitar.t a leitura do gr.tfico e conseqüente-
mente a eKecução do desenho jacquard,

Ao lado dos jacquards tricotados e bordados existem
alguns derivados do jacquard. Com efeito, a utiliza-
ção de duas ou mais cores para executar esses pon·
tos justifica seu apelido de j acquard.
Exemplo de gr.tfico com 8 legenda dos slmbolos.
EE
"" O
-
"" C
cor B
,

cor A
123

124

..
, 'i"\
;tf ",.: ,.'
1
'\
.
... ",,' ,
II'

,
- f\'
N
••


\,

',<
'
'

,
1, i"
\ '
, .
\
"
'''''I

f "
li "11 ,
'll
.4",." ' f.t('t.-.
t\í",·"
' "

125

mosaICOS
a serpente
o pelicano as gregas
'"
~
c
. ~
'"
'"
'" '"
{:
c
E
'"
'"
'"
c
~
c:
c:
{:
'"
"
., c:..
'"
c
Cl.
126


o medalhão


os losangos pedras de calçada



127
130

~
>
.-
>
w
~
o
u
,
o
w
'"
-
&
o
w
~
o
u
w
'"
,
."
,
o
132

,
,
133
C!) vermelho o branco
f!} branco O azul
C!J preto O verde
I!I cinza O amarelo
.
l!lI azul O branco
(!] vermelho O branco
-
13'
l1li vermelho!!J preto
8 branco O verde
I!l branco O azul
l1li verde t;] vermelho
O branco

I!J vermelho fi!l amarelo
8 branco
[!J verde O amarelo
(!] marrom (!] verde
l1li branco O laranja
-
,
135
136
DE GALINHA GRANDE
Numero de p. muhJplo de 7. 1.°.3,. cerr. : 3 p azul
• t p. branco; 5 p. n ul " ; , p. branco. 3 p. azul. 2,"
c.rr.: Tric. acompanhando o p. 4," c.rr. : 4 p. Il\ll • 1
p. branco, 6 p. I l ul 0; 1 p. branco, 2 p. azul . 6 ,· c.rr.:
tric. acompanhando o p. 6," C'rT.: • 5 p. branco; 2 p
I zul •. 7.· ClrT.: · 1 p. branco: 1 p. azul ; 3 p. brInco;
2 p. azul ", 8 ," c.rr. : 2 p. lZul; · 4 p. br.nco; 3 p. Ilul
0; 4 p. branco; 1 p. IZUI. 9," c.rr. : 4 p. lZul ; · 1 p. bran-
co; 6 p. azul o; 1 p. branco; 2 p. nul . 10," clrr.: tric.
acompanhando o p.
DE GALINHA
Número de p. múltiplo de 4. 1,· c.,r.: em meia.: 2 p
branco: • 1 p. verde; 3 p. branco "; 1 p. verde; 1 p. bren-
coo 2," c.rr. : em tricO: · 1 p. br.nco; 3 p. verde ", 3,"
c.rr.: em maia: o lp. branco: 3 p. lIerda " , 4," c. rr.:
em tricO: 2 p. branco; o lp. verda; 3 p. branco 0; 1 P
verde; 1 p. br.nco.

de p. mul llplo de 4. 1." c.rr.: " 2 p. Ilul: 2 p.
br.nco • . 2." c.rr,: 1 p Ilul : • 2 p branco: 2 p, Ilul
•. 2 p. branco; I p. IZul. 3.' C'".: 1 p. br.nco: • 2 p,
.zul , 2 p. branco · . 2 p. lzul ; 1 p. br.nco. 4." Clrr.: ·
2 p. branco: 2 p. azul · ,
PONTO TELA TRICOLO R
Numero par de p. 1." Clrr.: amarelo · p6r o fio na Irente
do Irabalho: 1 p, .em Iller em I.; pasllr o fio p. r. Irb.
1 m. · . 2," clrr.: brinco," P6r o fio Itr'. do trlbllho,
1 p. 11m fuer 1m t , : pllllr o fi o pera I fr.nte, 1
t .". 3," c.rr.: verde como. L" carr, 4." ca".: .m.relo
como I 2." c.,r. 6. " CI".: br.nco como a L" carr e ."
el".: verde como I 2." calT,
-
PONTO MEIA EM QUADRADINHOS
Número de p, multiplo d( 4. 1." elrr.: • 2 p. verde; 2
p, vermelho ". 2." Clrr.: IriC . • companhando o p, 3. "
CI".: · 2 p. vermelho; 2 p. verde · , 4." cI".: lrie, . com-
penhando o p.
r
r
LOSANGOS DE JACaUARo
Número de p. mul1iplo de 8, mal. 7 p. L" urr. : 3 p.
Im.relo; • 1 p. lrul; 7 p. ama rel o "; 1 p. 111,11: 3 p. am. ·
relo. 2," ce" • • tode. II ~ r •• : trabalha, 1m tric6
.com!)llnhando as cor ••. 3 ,".15," carr. : 2 p. l-nlrelo;
• 3 p. nul; 5 p. amarelo "; 3 p. azul ; 2 p. Im.relo. 5 ,"
• 13," Clrr.: 1 p. I m.ral o; • 5 p. nul : 3 p. amarelo 0 ,
S p. alui : 1 p. Im.relo. 7,". " ," clrr.: · 7 p. l zul ;
1 p. amarelo 0; 7 p. n ul. 9 , " carr.: em mela toda em
811,11.
FLOR- oE-LlS
Número de p. múltiplo de 6, mar. 3 p. 1.".3," carr. :
3 p. nul ; · 1 p. brinco: 5 p. azul ' . 2.' carr. : 1 p. branco:
• 3 p. I zul ; 3 p. branco 0; 2 p. azul. 4 ,".6," urr.: 2
p. al ui ; ' 1 p. branco; 5 p. azul" ; 1 p. branco. 6 ," Clrr.:
2 p. branco, • 3 p. I zul ; 3 p. branco "; 1 p. azul.
TRANÇA BICOLOR
Com 18 p. 1," • 3," carr. : 1m meia.: • 3 p. Izul ; 3 p.
vermelho ' 12 v.l : 6 p. I zul . 2.- clrr . • tod.s .. plr.s:
am lricO, acompanhando as cor.s. 5 ,- Cltr. : em meil :
3 p. azul; • pOr 01 3 p, vermelho na a9. aUMi li ar na fr ente
do trabalho; 3 p. azul ; em seguida o. 3 p. da ag. aux,
am vermelho · 12 v.); 3 p. azul. 7 .- carr,: em meia,
acompanhando ai corei. 9 . - carr. : em meia · pOr 3 p.
azul na a9. auxiliar Ilrás do trlbalho ; 3 p, Izul ; em segui -
da 01 3 p. cUI ag. auxiliar em vermelho · 12 v.); pOr 3
p. nl 19. lU" do trabalho ; 3 p. azul ; em seguida o. 3
p, da a9. aux. em azul . Recomeçar na 2,- Cl n,
PONTO MEIA BICOLOR
Número de p. múlt iplo de 6, mais 3 p, 1.- ca" ,: Em
mail : 4 p, vermelho ; · 1 p. brlnco; 5 p_ vermelho • .
1 p. branco; 4 p. vermelho. 2 ,- carr,: em l riCO; · 3 p.
vermelho; , p, branco; 1 p. vermelho; 1 p. bri nco . ;
3 p_ vermelho. 3 .-.5,- carr. : vermelho. em meia, 4.-
e a . - c.". : vermelho em lriCO.
PONTO COM LOSANGOS
Numero de p. mult lplo de 6, mal. 1 p. 1. - • 7 .- ca". :
Em mail : · 1 p. azul : 2 p. verde · ; 1 p. azul
2 ,- • a ,- CI,r,: em trieO: 1 p. vereie; • 1 p. azul; 3 p
verda; 1 p. azul ; 1 p. verde - . l ,- . 5 ,- carr,: em meia:
• 2 p.verde;' p. azul ; 1 p. vereie; 1 p_ azul ; 1 p. verde
-; 1 p. verde. 4. - carr,: em trlcO: - 1 p. azul; 2 p_ verde
- ; , p_ azul . Apó. a 7.- carr. , querendo continuar os mo-
tiVOS, recomeçar na 2.- ca".. Pera tarmlnar o desenho
com lit tra. como na foto, fazer: 8 .- • 10.- carr.: em
IricO, verde. 9 .- .11.- carr.: em mell. azul . 137
I
r

139
14 0
LOSANGOS REBORDADOS
Número de p. múlt iplo de 8. mais 1 p. 1," CI,r.: em
meia:" 1 p. verde: 7 p. azul "; 1 p. verde. 2 ," II 8 ," carr.:
em tric6: • 2 p. varda; 5 p. azul ; 1 p. verde "; 1 p. verde.
3.",5," II 7 ," ca".: em maia: acompanhando as corea.
4 ," can. : em lricO: • 3 p. verde: 3 p. azul : 2 p. verde
"; 1 p. verde. 8 ," urr, : em lricO: , p. verde : · 7 p. alui :
1 p. lIerde •. 9 .· CI"' .: recomeçar na 1," carr .. deslocan -
do 01 4 p. Começar I carro com: 4 p. azul ; • 1 p. verde;
7 p. azul · . etc. O. pontol branCOI slo bordados depois
de terminar o trabalho.
PONTO DE HASTE NO PONTO MEIA
O fundo II em pomo meia branco. 1," clrr.: no av •• so
do trabalho, com o fio de ccr: fio na frente: • 1 p. Iam
fazer, 1 laç . • Ia tlÇ. de cor pess. por cima do p . • am
fizer, branco). 2," ca rr.: no direito do trabalho, com I
li branca; • pagar juntos a t.ç. II o p. Imb.b.a de eg.
esquerde e trlc . Juntos em m. ". Recomeçar tempre es-
tas dulS carr., conando o fio no fim de cada carro
PONTO TWEED REBORDADO
Numero de p. muhlpl o de 6 . maia 2 p. 1.- ca".: em
meia: 2 p. verde; - 4 p. azul; 2 p. verde -. 2.- C'U'.: em
tricO: " 2 p. verde; 4 p. azul - ; 2 p. verde. 3.· • 7 ," carr.:
em meia: 2 p. nul ; • 1 p. verde; 2 p. azul : 1 p . verde:
1. p. alui ". 4 ." carr.: em IriCO, Ioda em azul. 6. " cerr.:
em meia: 3 p. alui ; • 2 p. verde; 4 p. azul "; 2 p. verde;
3 p. alui . e.- carr.: em IriCO: · 3 p. alui ; 2 p. verde; 1
p. azul "; 2 p. azul . 8 . " carr.: em IricO: toda azul. Quando
terminar o trabalho, bordar 1 p. branco no melo de cada
quadrado azul. A Illague envieleda no avesso do traba-
lho.
ZIGUEZAGUE REBORDADO
Numero de p. muhlplo de 17. 1." carr.: em mela: • 12
p. azul ; 3 p. verde; 2 p. azul ". 2 .", 8 . ", 10.", le.· , 1 8 . ~
e 24." ca rr.: em tricO: • 2 p. alui ; 2 p. verde; 13 p. azul
". 3." e 11." carr.: em meia : " 13 p. alui ; 1 p. verde;

3 p. alUI. 4 .· , 11 .", 12.", 14.", 20.· , 22." carr.: em tricO:
" 1 p .. alul ; 2. p. verde ; 14 p. alui ". 15 .", 13.- a 21 .-
carr.: em mela. " 14 p. azul; 3 p. verda ". 7 . · carr.: em
meia: " 14 p. alui ; 2 p. verde; 1 p. alui ". 9 ." aI' ."
carr.: em mela: " 12 p. azul ; 3 p. verde; 2 p. alui·. '5.-
a 23.· carr.: em meia. " 15 p. azul ; 1 p. verde; 1 p. alui
•. 19.- carr.: am mela : " 13 p. alui; 2 p. verda; 2 p.
azul ". Quando terminar o trabalho, bordar o. zigueu-
gulS com II branca e com ag. de tapeçaria.
-
DENTES DE SERROTE
O fundo' am ponlo mela prato. 1." carf.: " 1 p. de cor;
3 p. preto ". Passar o fio que nio está sendo usado atráa
do trabalho 2. · ca".: 1 p.,de cor; " 1 p. preto; 3 p. de
cor ". Coner o fio preto. 3 .· carr. : toda com fio de cor.
4 . " ca rr.: " 3 p. de cor; 1 p. preto ". 5 .- carr.: 2 p. preto;
" 1 p. de cor; 3 p. praIa ".
f
PONTO DE REDE
Numero de p. múltiplo de 8 , mais 4 p.
1.· clrr.: 3 m. verde: • 2 m. vermelho: 8 m. verde • .
1 m. vermelho.
2,* carr.: 1 m. V8rmelho (dei .. , o fio atr" do trabalho);
• 6 t. verda: 2 m. vermelho (deixar O fio lU" de. traba-
Iho) * ; 3 t. verde.
3 ,* urr.: pegara fio vermelho que •• t6 na frante It pas-
se-Ia par. Ir", embaixo da Ig. IIquartll : trlc. 1 m. ver-
melho: • 6 m. verda: 2 m. vermelho, pegando o fio ver-
melho passado nl carro anterior · ; 3 m. verda.
4 .· carr.: 3 t. verda; passar o fio vermelho embaixo da
Ig . •• querda • filar : • 2 m . ... ermelho Idalxa, o fio luê.
do trabalho): 6 t . ""rde - ,
5,* carr.: recomeçar na 1.* catr., pegando o fio passado
com o. 2 p. vermelho.
BARRA BICOLOR
fazer tintos nov810s pequenos da 11 qUintai I' l istr ••
de cora. usada •.
1.· cau. : • 2 t . rosa; 2 m. vermelho o . Cruzar 01 fios
em clda mudanÇl de cor, sempre no a\leslO do traba-
11'10. 2.· carr.: - 2 t . vermelho: 2 m. rosa · .
LISTRAS FANTASIA
Usar ag. de 2 pontas. ESle uabalho , execulado em
ponto mela do seguinte modo: 3 carr. verde; 2 carro .
branco; 1 carro elul ; 1 carro branco; 1 carro azul ; 1 carro
de : • 1 p. arul ; 1 p. branco . ; em seguida 2 carro de bran-
co. Rec;omeÇlrdesc!e o inicio.
FITAS
O lundo , em ponto meia branco; luer uma fab.a veni -
cal do ugulnte modo: 1 p. prelo; 2 p. verde; 1 p. prelo:
2 p. alui ; 1 p. prelo; 2 p. verde; 1 p. pfllO: 2 p. verde:
1 p. prelo. Fazer um pequeno novelo para cada cor e
crUlar os fios em cada mudanÇl de cor. Para a fa lu hori-
lonlal lazer: 1 carro prelO; 2 carr. verde: 1 carro preto:
2 carr. alui ; 1 carro prelo: 2 carro alui ; 1 carro prelo; 2
carro verde: 1 carr, prelO.
LOSANGOS FANTASIA
Numero de p. múltiplo de 14.
1.- cerr.: • 1 t . amarelo; 1 m. amarelo: 1 t . amarelo:
1 m. preto: 9 m. amarelo; 1 m. preto -. 2.- carro e to das
as peres : em amarelo: • 11 r.; 3 m. -. 3. - carr.: • ,mafe-
lo: 1 t .: 1 m.: 1 t.: 1 m. amarelo e 1 m. prelo; 7 m. ama-
relo; 1 m. preto; 1 m. amarelo • . 6.- ca rr.: • amarelo:
1 t .: 1 m.: 1 t .; em uguiela, 2 m. amarelo; 1 m. preto:
5 m. Imarelo; 1 m. preto: 2 m. amarelo - : etc.
Ter um fio preto par. cada listr. enviesada e torcl-lo
com fio do fundo em cada mudança de cor. Terminado
o trabalho. paliar 1 fio de II preta em todos 01 p. t.
no melo de cadl fa ixa de 3 p.
,
','
,
...
.' , ' ,
~
,{

;;\
' .. '-
, ..
.,:,
~
• •
',-
,:.
.'
"
o ,.
"i;
~ ....

..;:,
~

o:>.
:t:
.".
......
'.
>: · ,
_"
....
'.'
,,'
"
.. '
'S
' , ~ .
' »
"
'R
,
,
...

, .
"
"
, ~ , '
.'

li'
,

, .. ... ... i"
••
..'
,'\
o,
"
o
S }c,.
~ .
, ,
"
~
{ .
~
--
'.'
~
· ,
..
"
'K'
~ ~ .
~
~ ,
~
, , ~ .
,..,

" '
14
o jacquard reversível
No caso deste ponto, o avesso vale o direito. A base deste jacquard é o pon-
to mei a duplo, tricotado com agulhas de duas pontas. Tricotar alternadamen-
te duas carreiras no direito (no fim da primeira carreira, recomeçar no inicio
da carreira sem virar o trabalhol e duas carreiras no avesso, mudando de cor
a cada duas carreiras.
OS QUADRICULADOS
Em um numero de p. divislvel por a, mais 4 p. , .'
a rr.: em branco; - ... fio atrés, 1 m.; fio na frente, ti ·
rar 1 p. sem fazer " (4 v. l; .. fio atrás, tirar 1 p. sem 'a·
zer ; fio na frente, 1 t ... (4 v.l - . 2.' u rr.: em ferru·
gem; voltar ao inicio da carr.; . .. fio atrás, tirar 1 p.
sem 'azer; fio na frente, 1 I ... (4 v.l; .. fio atrás, 1 m.;
lio na frente, tirar 1 p. sem fazer '" (4 v.l ' . Virar. 3.'
elrr.: em ferrugem, como aI .' .... clrr.: em branco.
como a 2.' Da 5.' ii 8.' carr.: como da I.' à 4.' carro , .'
carr.: em ferrugem, como a L' carL 10.' carr.: em
branco, como a 2.' carro " .' carr.: em branco, como
aI .' carro 12.' carr.: em ferrugem, como a 2.' carro Da
13.' ii IS.' clrr.: como da 9.' II 12.' carro Voltar II 1.'
carro
OS TRIANGULOS
Em um número de p. múltiplo de 12, menos 2. , .'
carr.: em branco; . .. lio alràs, 1 m.; fio na frente, ti·
rar 1 p. sem fazer " (5 v.l; fio atrás, t irar 1 p. sem fa·
zer; fio na Irenle, 1 I . • . 2.' carr.: verde-escuro; reco-
meçar trabalhando no inicio da carr.; . .. fio atrás, ti·
far 1 p. sem fazer ; fio na frente, 1 t ... (5 v.l; fio atrás,
1 m.; fio na frente. tirar 1 p. sem fazer .· ; virar. 3.'
carr.: verde-escuro, como a'.' carr. 4.' Ul rr.: em bran·
co, como a 2.' carro 5.' ca".: em branco; fio atrh, t i·
rar 1 p. sem fazer ; fio na frente. 1 t.; . .. fio atrás. 1
m.; fio na frente, tirar 1 p. sem fazer " (3 v.l; .. fio
atrás, tirar 1 p. sem fazer; fio na frente, 1 I ... (3 v.1 • .
I .' a rr.: voltar ao inicio, com o fio verde·escuro; fio
alrás, 1 m.; fio na frente, tirar 1 p. sem fazer ; . .. fio
atrás. tirar 1 p. sem fazer ; fio na frente, 1 t ... (3 v.l; ..
fio atrtis, 1 m.; fio na frente, tirar 1 p. sem fazer " (3
v.1 - . Virar. 7.' ca" .: em verde-escuro, como a 5.'
carro 8.' Ul rr.: branco, como a 6.' carro ' .' carr.: em
branco; .. lia attés. tirar 1 p. sem fazer; fio na frenle,
1 t. .. (2 v.l; • fio atrh, 1 m.; fio na frenle, tirar 1 p.
sem fazer ; .. fio atrás. tirar 1 p. sem fazer ; fio nl freno
te, 1 t. .. (5 v.1 • . l O.' clrr.: em verde·escuro, voltar
ao inicio; .. fio atrás. 1 m.; fio na frente, tirar 1 p.
sem fazer " (2 v.l; • fio atrás. tirar 1 p. sem fazer ; fio
na frenle, 1 1. ; .. fio atrás, 1 m.; fio na 'rente, t irar 1 p.
sem fazer " (5 v.1 . ; virar. 1, .. u rr.: em verde·
escuro. como I 9.' carro 12.' clrr.: em branco, como a
10.' carr. Para conti nuar os triêngulos uns acima dos
outros, repet ir sempre essas 12 carro Para dispO·los
desenconlrados, continuar do seguinte modo, 13.'
Ulrr.: em branco, como aIO.' carro começando sem·
pre as carro do lado onde o fio foi deixado. 14.' Cl rr.:
em verde-eacuro, como a 9.' carro IS.' carr.: em ver·
de· escuro, como I 10.' carro IS.' clrr.: em branco, co-
mo a 9.' carro 17.' Ulrr.: em branco, como a 6.' caH
" .' Clfr .: em verde· escuro, como a 5.' carro 19.'
a rr.: em verde·escuro, como a 6.' catr. 20.' carr.: em
branco, como a 5.' carro 21.' a rr.: em branco, como
a 2.' carro 22.' carr.: e m verde·escuro, como aI .' carro
23.' a rr.: em verde escuro, como a 2.' carro 2C.' C1rr.:
em brinco, como a 1.' carro 25.' carr.: voltar AI 1.'
urro
. .
TRICO REVERSIVEL
Neste ponto, um tral'lalho tricotado e seu forro pode·
rio ser trabalhados simultaneamente. Para obter es·
se resultado, trabalhar do seguinte modo: com ag.
142
......
de duas pontas, lirar sempre os p. sem fazer em tri o
c6. Montar um número par de p. e alternar sempre
duas ca rreiras numa das faces e duas carreiras na ou·
ua. 1.' c.rr.: em 'errugem, • 1 m. ; pass.r o fio na
frente, t irar 1 p. sem fazer e passar o fio para trés •
2.' cur.: voltar no inici o da carro anterior e trabalhar
com o fio rosa : • fio atrás, t irar 1 p. sem fazer ; fio na
frente, 1 t . • ; virar. 3.' carr.: em rosa . como aI .' carr
C.' arr.: em ferrugem, çomo a 2.' carro Repetir sem-
pre estas 4 carr., verificando que os fios s ~ a m bem
cruzados no fim das carro

São uma forma simplificada de jacquard e não são representados por um
gráfico. Os conselhos sobre a tensão dos fios que se cruzam atrás do traba.
lho. fornecidos para o jacquard. são também válidos nestes pontos.
GRÃO DE OLMO BICOLOR
Em um numero de p. divisível por 4, maís os p. de
borda. 1,' carr.: ' 2 m. com o fio cru, 2 m. ferrugem
' . 2.' carr.: • com o fio cru, ... fazer 1 laç.; 2 t .. rem. a
laç. sobre esses 2 p .... ; com o fio ferrugem, repet ir
de ... até .... 3.' carr.: ' 2 m. ferrugem: 2 m. cru' . 4.'
carr.: com O fio ferrugem, .. fazer 1 laç.; 2 1.; rem. a
laç. sobre esses 2 p. -; repetir de .. até - com o fio
cru.
CESTA TRANÇADA BICOLOR
Em um numero de p. divi sível por 4. mais os p. de
borda. 1.' carr.: • 2 m. verde; 2 m cru ' . 2.' carro 8 to-
das a. par •• : em tricO acompanhando as cores. 3.' ,
7.' • 11.' carr.: ' pór os 2 p. verdes numa ag. auxitiar
colocada atrb do trabalho; !ric. 01 2 p. seguintes em
meia com o fio cru e depois os 2 p. da ag. auxiliar
em verde ' . 5.', 9.' • 13.' urr.: 2 m. verde; • pór os 2
p. -verdes seguintes numa ag. auxiliar colocada na
frente do trabalho; tric. os 2 p. seguintes em meia
com o fio cru, depois os 2 p. à espera em meia, com
o fio verde ' ; 2 m. cru.
PONTO ALTERNADO TRICOLOR
Em um numero de p. divislve! por 14. mais os p. de
borda. 1.' urr.: em meia, com o fio rosa. 2.' cerr.: ' 7
m. branco; 7 t. rosa ' . J.' carr.: ' 7 m. rosa; 7 t. bran·
co ' . 4.' urr.: • 7 m. ferrugem, 7 I. rosa ' . 5.' carr.: '
7 m. rosa; 7 t . ferrugem ' . 6.' urr.: • 7 t, rosa; 7 m.
branco ' . 7.' carr.: • 7 t . branco; 7 m. rosa ' . 8.' cerr.:
' 7 I. rosa; 7 m. ferrugem ' . 9.' carr.: • 7 I. ferrugem;
7 m. rosa ' . 10.' carr.: voltar à 2.' carro
PONTO FLAMÊ TRICOLOR
Em um numero de p. divisível por 6, mais 5 p. 1.' •
J .' c..rr.: em verde-claro,.em meia. 2.' • 4.' carr.: em
verde-claro, em tricO. S.' carr.: • 5 t. verde-escuro;
com o fio branco, fazer I laç., 1 m .. 1 laç. ' ; 5 I. ver-
de-escuro. 8.' carr.: 5 m. verde·escuro; • J t . branco;
5 m. verde-escuro ' . 7.' ce".: • 5 t. verde-escuro; 3
m. branco ' ; 5 I. verd9'.escuro. 8.' cerr.: 5 m. verde-
escuro; , J p. juntos em tricO branco; 5 m. verde·
escuro ' .
143
• • •
,

''/ ''/
',/
-
7,

"

,
.

'J
'.t

..
..

'.
.-

, .,
..
..
'\I
"

. ~
,.
.;.
',i
..,
"ti
' .
..

,. • •
. ,
,
'.f
.,
....
"J
..
-
. ~


, ,
ti
, .
..
, •
-'



ir

,
1/'
,
,
,
"
, .
I
"
144 .i
': "
, /
,...
,
~ . .'
.'
'.
,



• •
'.I
;...

,
,
-
--
:lo
..

· ,
',/
.. ~ ~
..

- - ..
., ,
)t
';.I
• !
• •

• •
... ..
,
• .,
, -
-
'.I.
:.I
.,
...
';
-
• •
'<O ~
,
'.f
. .(
....
:.-
~
~ -

-,

.. '
"
"
I.
1/
, .
, ,
' .
li
J
\1
"
"
, , ,
· ,
,
Ir
,
J
,

j I
I
,/
I

;; ~ I
./
' /
· ,
, ,
,
.,
'I
"
./
-

-

,
..,.


-

,
,
PONTO TELA BICOLOR
1." Cl rr. : ,.curo · fio na frente, 1 p. sem fuer em I.;
fio IIr", 1 m. · .
2 ,· CI". : escuro · fio alr". 1 p. sem fazer em t.; fi o
na f,ente, 1 t. · .
3 ," CI".: claro: como I 1." clrr. 4," Clrr. : cl aro: como
12,· carro
PONTO MEIA-TELA BICOLOR
' . • CI" .; escuro: • 1 m.; fio ne frenta, , p. sem fazer
em t .. fio IIr" ", 2," CI".: escuro: em tri c6. 3," Clrr.:
claro: 1 m.: • 1 m.; fio na frente; 1 p. sem fuer em t.;
fio .Irb "; , m. 4 ,· Clrr, : claro: em tricO.
PONTO DE CRUZ BICOLOR
1,·.5," Clrr.: escuro: em meia. 2," .6," CI".; escuro,
em meia. 3 ," Clrr,: claro · 1 m.; 1 p. sem fuar em t .
"; 1 m. 4 ," Clrr.: cl.ro: • 1 m.; fi o na frente; 1 p. sem
fuar em I.; fio .trás 0; 1 m. 7.· CI" .: como a 3.", deslo-
cando de 1 p. 8 ," catr.: como a 4.", deslocando de 1
p.
pt DE GALINHA SIMULADO
1,· carr.: escuro: · 1 p. lem lazer em I,; 2 m. ". 2.· carr.:
elcuro: em Incil, 3." Clrr,: claro: · 2 m.; 1 p. sem fazer
em I . •. 4 ." carr.: cl aro 1m Incil.
-
OLHO DE PERDIZ BICOLOR
1." Cltr. : escuro: " 1 p. l em fazer, 1 m. ".
2." Clrr. : escuro. emllncil. 3." carr.: cl aro: • 1 m.; 1
p. lem lazer ". 4 ." CI". : cl aro: em Incil.
PONTO "TWEED"
Em um número de p. múltiplo de 3. 1,' urr,: fio cla-
ro; • tir.r 1 p. sem fi zer em tricô; 2 m. ' . 2." ca".: fio
ct.ro; em meia. 3,' urr.: fio escuro; ' 2 m.; tir.r 1 p.
sem f'zer em trietl ' , 4,' CIIrr.: f io escuro; em mela.
OS BANQUINHOS
1,' urr.: fio claro; em tricO. 2,' cur.: lio escuro; • ,
m., fio na frente; tir.r 1 p. sem fizer em tricO, fio
Itr's ' , 3.' urr.: fio escuro; em lric6. 4,' CI".: ' io ele,
ro; 1 m.; • 1 m., fio na frente ; t ir.r 1 p. lem f' zer em
IricO, fio atrás ' ; 1 m. Este ponto 6 o Ivesso do pon-
t o meia-I.I • .
LISTRAS PONTILHADAS
Em um número Imper de p. 1,' clrr.: lio escuro; 1 I.;
• fio Ilrb, tirar 1 p. sem f,zer em tricO; fio n. frente,
1 I. " 2.' urr,: fio cl. ro; 1 m.; • fio na frente, ti rar 1 _
p. sam f,zer em tricO; fio at rás, 1 m. -. 3.' CIIrr.: fio
claro, como a L' carro 4.' CIIrr.: fio escuro, como a 2.'
carro Este ponto é o avesso do ponto de tala bicolor.
PONTO GRANITE
Em um numero ímpar de p. 1.' • 5.' c.rr.: fio e.curo;
em mei • . 2.' CIItr.: fio claro; • 1 m.; tir.r 1 p. sem fa.
zer em tricO . ; 1 m. 3.' CIIrr.: fio claro; • 1 m., fio na
frente; t irar 1 p. sem fazer em tricO, fio atrb . ; 1 m.
4.' •• .' urr.: fio e.curo, em meia. I .' urr.: como a
2.' carr., d e s l ~ n d o de 1 p. 7.' urr.: como a 3.' carr.,
deslocando de 1 p.
PONTO TECIDO BICOLOR
Usar ag. de 2 pontas. 1.' carr.: fio escuro. em tricO.
Voltar ao inicio da agulha. 2.' carr.: fio claro; • 1 t.; t i.
rar 1 p . • em fazer em tricO • . 3.' CIIrr.: fio escuro, em
mei a. Voltar ao infci o da ag. 4.' carr.: fio claro; • 1
m.; tirar 1 p. sem fazer em tricO • .

" "

.-

-
0 0




,






-
• •
....
c
• •
• •

c
-


• •
"
• •
• •
"
• •

• •


4
,
• •

• •



..
'.
• •



• "


• •

.-
• • •
c
*

..
• •

-
C
o
00
• •

• •


"o
..
• • • •

• •


"
.. • •




14!
AS DIAGONAIS BICOLORES
Em um numere de p. divislvel por 12. 1," urr.: bran·
CO; • 6 m.; 6 t . • 2,' CIIrf.: branco; 1 1.: • 6 m.; 6 t . • II
terminar com 6 m.; 5 I. 3,' urr.: verde; " m; • 6 t ; 6
m ' ; terminar com 6 t., 2 m . • ." carr.: verde; 3 t.; • 6
m.; 6 t. ' ; terminar com 6 m., 3 t. 5,' carro I tod ••• 1
c.lrr. a.gulnt .. : continuar alternando sempre 2 carro
branco II 2 carro verde II deslocando II diagonais de
1 p. plr. I direita no direito do trabalho II de 1 p . •
esquerda no aves 10.
O PONTO DE LADRILHOS
Em um numero da p. div!a"'_1 por 6, mais 2 p. de bor-
da. 1.' carr.: laranj. ; 1 p. de borda; 1 m.; • tir.r 4 p.
sem fller em tric6; 2 m. ' ; terminar com 4 p. sem fa-
zer; , m.; 1 p. de borda. Z,' c.rt.: laranja; 1 p. de boro
da ; 2 t.; • lir.r 2 p. sem fazer ; 4 t. ' ; terminar com 2
p. sem fazer, 2 t. . 1 p. de borda. 3.' CMT.: laranja: em
meia. 4,' carr.: laranja, em tricô. 5.' ~ r r . : ferrugem; 1
p. de borda; t irar 2 p. sem fazar; • 2 m.; tirar 4 p.
sem fazer ' ; terminar com 2 m.; 2 p. sem fazer ; 1 p:
de borda. I .' ~ r r . : ferrugem; 1 p. de borda; t irar 1 p.
sem fazer; , 4 t.; tirar 2 p. sem fazer ' ; terminar com
4 t.; ti rar 1 p. sem fazer ; 1 p. de borda. 7.' ~ r r . : ferru-
gem em meia . • .' ~ r r . : fe rrugem, em tricô. 9.' c.rr,:
branco, como a 1.' carro 10 .. ~ r r , : branco, como a 2 ..
carr, 11 ,' c.rr.: branco. como a 3.' carro 12.' ,arr.:
branco, como a 4.' earr. 13.' ~ r r . : verde, como a 5.'
earr. 14.' carr.: verde, como a 6.' earr. 15.' carr.: ver-
de, como a 7.' earr. 11.' ~ r r . : verde, como a 8.' carro
Voltar' '.'earr.
- .
OS GRAOS DE CAFE
Em um número de p. divi.fvel por 'O, mais os p. de
borda. 1.' carr.: cru; 1 p. de borda; 4 m.; • 1 mate du-
plo; 7 m. ' ; 1 mate duplo; 4 m.; 1 p. de borda. 2.'. 4.' •
. ... 10.'. 12 .. . 11.' carr.: cru, em triOO. 3 .. carr.: cru; 1
p. de borda; 2 m.; • 2 p. juntos em meia ; 1 m.; 1 ma-
te simple.; 3 m. ' ; terminar com 1 mate . imple.; 2
m.; 1 p. de borda. 5.' carr.: ferrugem; 1 p. de borda;
tirar 3 p. sem fazer ; • no p. seguinte, t ric. 5 p. 1- 1
vez em meia, 1 vez em tric6 - 12 v.1 e mais uma vez
em meia); tirar 5 p . • em faze r ' ; para terminar, t irar 3
p. sem fazer, em lugar de 5 e 1 p. de borda. I.' ~ r r . :
fe rrugem; 1 p. de borda ; fio na frente, t irar 3 p . • em
fazer ; • tric. os 5 p. seguinte. em meia. fio na frente,
tirar os 5 p. seguintes sem fazer ' ; terminar com 5
m.; lirar 3 p. sem 'azer; 1 p. de borda. 7.' • 15.' ~ " . :
cru, em meia. 9.' carr.: cru; 1 p de borda; 1 mate sim-
pies; ' 7m.; I mate duplo ' ; terminar com 2 p. iUI'I lOS e lp.
de bordl,'1."Urr.:cru;,..,.de borda.; 1m.; '1 melte snu-
pies ; 3 m.; 2 p. luntos em m.; 1 m' ; 1 p. de borda.' 3.'
carr.: ferrugem; 1 p. de borda; 3 p. no p. seguinte (1
m .. 1 t .. 1 m.l; , tirar 5 p. sem fazer; 5 p. no p. seguin.
te ' ; tirar 5 p. sem fazer ; 3 p. no p. seguinte ; 1 p. de
borda. 14.' carr.: ferrugem; como a 6 .. earr., tirando
sem fazer os p. cru e tric. em meia 01 p. ferrugem.
17.' carr.: voltar' 1.' eerr.
146

AS FLORES DE LíRIO
Em um número de p. divisl vel por 4, mais os p. de
borda. Montar os p. com o fio verde. 1,' • 2,' CIIr,.:
verde, em meia. 3,' CI".: ferrugem; 1 p. de borda; •
3 m.; ti r.r 1 p. sem fazer em tricô, dei xando o fio
atrás do traba lho ' ; 1 p. de borda. 4,' urr.: fer(u·
gem; 1 p. de borda; • fio na frente, t irar sem fazer
em lfie6, o p. sem razer da tarr. anterior; fio atr6. , 3
m. ' ; 1 p. de borda. 5,' urr.: cru; 1 p. de borda; 1 m.:
• t ir.r 1 p. sem fazer em tric6, deixando o fio eub
do trabalho; 3 m. ' ; terminar com 1 p. sem fazar; 2
m. e 1 p. de borda. I .' Ulrr.: cru; 1 p. de borda: 2 m.;
• fio n. frente t irar 1 p. sem fizer em tric6; fio .Ira.,
3 m. ' ; terminar com 1 p . • em fazer ; 1 m.: 1 p. de
borda. 7,' Ulrr.: verde, como I 3,' carro I ,' urr.: ver-
de, como I 4,' carro t .' CIIrr.: ferrugem. como IS,'
c.rr. 10.' CIIn.: ferrugem, como a 6.' carro 11.' CIIn.:
cru, como a 3.' carro 12.' can.: cru, como a 4.' carro
13.' CIIrr.: varde, como a 5.' carro 14.' CIIrr.: verde. co-
mo a 6.' CIIrr. 15.' CIIrr.: voltar' 3.' carro e repet ir as
12 últ imn CIIrr.
OS TIJOLOS TRICOLORES
Em um número de p. divislvel por 6, mais 2 p. de bor-
da. 1.' CIIrr.: laranja : 1 p. de borda: • tirar 3 p. sem 'a·
ler em tric6: 3 m. - : terminar com 3 p. sem fazer, 3
m .. 1 p. da borda. 2.' CIIrr.: taranja; 1 p. de borda; - 3
m.; paliar o fio na frente (i sto é, no avello do traba-
lho); tirar 3 p. sem fazer - ; terminar com 3 m.; tirar 3
p. sem faler; 1 p. de borda. 3.' CIIrr.: verde; 1 p. de
borda; - 3 m.; tirar 3 p. sem faler - ; terminar com 3
m.; t irar 3 p. sem fazar ; 1 p. de borda. 4.' CIIrr.: ver-
de; 1 p. da borda: • fio na frente, lirar 3 p. sem faler ;
3 m. *: terminar com 3 p. sem faler ; 3 m.; 1 p. de
borda. 5.' CIIrr.: ferrugam; 1 p. de borda; - t irar 3 p.
sem fazer ; 3 m. - ; terminar com 3 p. sem fazer ; 3 m.:
1 p. de borda . • .' CIIrr.: ferrugem; 1 p. de borda; • 3
m.; fio na frente, t irar 3 p. sem fazer' ; terminar com
3 m., 3 p. sem fazer, 1 p. de borda. 7.' CIIrr.: laranja; 1
p. de borda; • 3 m.: 3 p. sem fazer *: terminar com 3
m.; 3 p. sem fazer ; 1 p. de borda. I .' CIIrr.: laranja, co-
mo a 4.' carro 9.' CIIrr.: verde. como a 5.' carr. lO.'
CIIrr.: verde; como, 6.' arr. 11.' CIIr,.: ferrugem, co-
mo a 7.' carro 12.' CIIrr.: ferrugem, como a 4.' carro
U .' CIIrr.: taranja. voltar à 1.' carro
147
,-
,
-
"
...
-
,-'
....

-.
.- ••
...
. ....
.. '
.. ,
....
I'

, t
_4
N°'

,A'
.....
.:'
" ..

....


,
J
l
/I
,
• , ,
r /I t
,
l II
,
;


,
<I

,
, t


.-

I
4
,
i" ..
,

M

-
I


,
J!

,
.. '
, ..
.'
..
t":
r:

/
....
y
!'"
..-:
.1
'4

II

t
• •
,

,
It
/I


(
,

!o' •.
....
....
,

..,

...
-
I li
J I
I
I
A

i
- •
( .
f
,
\ .
-
-
...
• •
' ,
,-
.to'

l
r

,
,

-
NINHO DE VESPAS
Em um número par de p. 1,' 'Irr.: fio escuro; en
meia. 2,' carr.: lio escuro; em meia. 3,' carr.: fio ela
ro; • 1 p. duplo; 1 m. ' , 4,' clrr.: fio claro; em meia
5.' 'I" .: ti o escuro; • 1 p. duplo; 1 m. ' . 6,' clrr.: fi,
escuro; em meia. Voltar à 3,' cerro
PONTO TRICÔ "TWEEO"
Em um número par de p. Us.r Ig. de 2 pomes. 1.'
elrr.: fio escuro; • 1 m.: t irar 1 p. sem fazer em tf lel
' ; volt.r ao inicio da 8g. 2." carr.: fio cl aro; • t irar 1 p
sem fazer em tricô; 1 m ' . 3 .. carr.: fio escuro; • tir,.
1 p. 111m fazer em tricô; fio atrai ; 1 m; lio na frente:
' ; vol tar ao inici o da Ig. 4,' carr.: fio claro; • 1 m.; fio
na frente; tir.r 1 p. sem fazer em tricô; f io atrasO. 5.'
carr.: fio elcuro; • t irar 1 p. sem fazer em tricO; 1 m.
' ; voltar ao inicio da ag. 6.' calT.: fio cl aro; • 1 m.; t i-
rar' p. sem fazer em tricO ' . 7.' C8IT.: fi o escuro; • 1
m.; fio na frente; t irar 1 p. sem fazer em trioo; fio
atrás - ; voltar ao inrcio da ag. I .' urr.: fio claro; • ti -
rar 1 p. sem fazer em IricO; fio alrás; , m.; fio na Iren·
t e • .
PONTO ABAJUR
Em um número de p. múltiplo de 4. 1.' .3.' cur.: fie
claro; em meia. 2.' • 4.' carr.: f io claro; em tricO. 5.'
carr.: fio escuro; • 3 m.; introduzir a ag. direita no p.
da ,.' carr.;com fio claro, pUlIU 1 p.; 1 m.; rem. o p.
que foi puxado, sobre o meia ' . 6.' • I .' caM' .: fio es-
curo; em tricO. 7.' carr.: fio escuro; em meia. Voltar'
5.' carro com o fio cl aro e deslocando de 2 p.
PONTO DE AREIA BICOLOR
Em um número Impar de p. 1.' carr.: f io claro, em
mei • . 2.' carr.: fio cI.ro, em t doo. 3.' carr.: fio escuro;
1 m.; • t irar 1 p. sem fazer em tricO; 1 m. ' . 4.' carr,:
fio escuro; • 1 m.; fio na frente; t irar 1 p. sem fazer
em t .; fio IIrás ' ; 1 m.
PONTO BICOLOR
Em um número par de p. 1 .. carr.: fio escuro, 1 m.; ,
1 m.; t ir.r 1 p. sem fazer em tricO ' ; 1 m. 2.' carr.: fio
escuro, 1 m.; • fio na frente, tirar 1 p. sem fazer em
tdoo; fio atrb, 1 m. ' ; 1 m. J.' carr.: fio claro, 1 m.; •
t irar 1 p . • em fazer em tri cO; 1 m. ' ; 1 m. 4.' carr.: cla-
ro, 1 m.; • 1 m., fio na frente; t irar 1 p. sem fazer em
tricO, fio atrás ' ; 1 m.
LISTRAS VERTICAIS DESENCONTRADAS
Usar 8g. de 2 pontas. 1,' , 5,'. I ,' (lrr,: fio escuro; • 1
m.; tir.r 1 p. sem fezer em !rie6 ' ; volt.r lO infcio da
ag. 2.', e,' • 10,' clrr.: fio cl.ro; • tir.r 1 p. sem f'zer
em tricO; 1 m. ' , 3,'.7,' urr.: fio elCuro; tric. os p .
• scurol em tricO II tir.r lem fIZer 01 p. claro • . Voltar
ao inIcio d. Ig. 4,' .... c.rr.: fio cl.ro, trie. 01 p. cla,
ros em tric6 II tir.r lem f. zer 01 p. escuro •. 11 ,' clrr.:
fio escuro, lrie. os p. elcuro. em mel. e tirar sem f,-
ler os p. cl.rOI, depoi, de ter colocado II II na frente
do trabalho. 12,' clrr.: fio claro, lrie. 01 p. cl.rOI em
meia II tlr.r sem fazer os p. escurOI, depois de ter coo
locedo o fio na frente do trabalho. Voltar â 1,' clrr.,
destocando de 1 p.
PONTO DE CESTA BICOLOR
Usar eg. de 2 pont ... Em um número de p. múltiplo
de 4, ma l. 3 p. I ,' u,r.: fio e.curo. - 3 m.: 1 laç.: 1
m. - : 3 m.; voltar ao inicio da .g. 2.· can.: fio claro; -
3 m.; deixar cair a laç.; tirar 1 p. sem fazar em tricO
- ; 3 m. 3.' can.: fio claro; • 3 m'i fio na frante: tirar 1
p. sem fazer em tricO; fio IIr" : 3 m. Voltar ao inl·
eio d. ag. 4.' carr.: fio e.curo; 2 t,; - 1 laç,: 4 t. - ; 1
laç.; 1 t. 5,0 can.: fio claro: 1 m.: - deixar cair a laç. ; ti·
rar 1 p . .em fazer em tricO; 3 m. - ; deixar cair a "IÇ.;
tirar 1 p. sem fazer em tricO; 1 m. I.' carr.: fio claro; 1
m.: • fio n. frente. lirar 1 p. sem fuer em tricO; fio
IIrh, 3 m. - ; fio na frenle. tirar 1 p . • em fazer em trio
cO; fio .tr6 •• 1 m.
PONTO DE ARROZ BICOLOR
U.ar ag. de 2 ponlal. Montar o. p. com o fio escuro.
1.' c.rr.: fio claro; - 1 m.; tirar 1 p, 11m fazer em tricO
- ; voltar ao inicio da ag. 2." carr.: fio escuro; - 1 I. '
no. p. claro. ; 1 m. no. p. escuro ••. 3.' carr.: fio cla·
ro; lirar o. p. meia sem fazer e trlc. o. p. IricO em trio
cO, Volt.r .0 inicio da .g. 4.' can.: fio escuro; • 1 1.
no. p. alcuro. e 1 m. no. p. claro. - ,
AS ESCADAS BICOLORES
Em um número de p. múlt iplo de 6, ma il 5 p. ,.-
carr.: fio claro, 2 m.: • lirar 1 p . • em fazer em tricO: 5
m. - ; tirar 1 p. sem fazar; 2 m. 2.' carr.: fio claro. em
tricO tir.ndo sem fazer, os p. sem f.zer da arr. anle-
rior. 3 .. carr.: fio escuro; • 5 m.; tirar 1 p. sem fazer
em tricO - ; 5 m. 4." can.: fio escuro; • 5 m., fio na
frente ; tirar 1 p. sem fazer em tricO. fio atth - ; 5 m.
Volt.r " 1." carro
PONTO DE FACHADA
' .". 5." , ." • 13.' can.: fio escuro; em meia. 2.', . ... 10.'
• '4.' can.: fio escuro, em meia. 3.' can.: fio claro; •
3 m.; tirar 1 p . • em fazer em tricO •. 4.', I .', 12.' • , . ..
carr.: fio cl.ro. em tricO. tirando sem fller o. p. escu·
rOi da carro anterior. 7.' carr,: fio claro, 2 m.; - tirar 1
p, .em fazer em tricO; 3 m. - ; tirar 1 p. sem fazer em
tricO; , m. " .. c.rr,: fio claro, 1 m.; - tirar 1 p. sem fa.
zer em tricO; 3 m. - ; tirar 1 p. sem 'azer em tricO; 2
m. 15." c.n.: fio claro; • tirar 1 p. sem fazer em tricO;
3 m . • ,
o
"'.k o".
VI.) ...,. '-i ..
.... ." ...
'N ......... ,..;
10Jr .. .... ""u ... .
. "!» .. .. , ,
..,. .. M ..,..
... +'J ...
-" , -. -. .. _ .. ,.-
, ..... ..
, .... -.... . ,. . -.
". .. --". -.. ,.
., ........ " ..........
, _ , _ r - _
.. . .. .. .. .. .. .. .. .. -
.. ",""". ....... ..
" ................... ..
.... , ... "" ... , .
. " .......... , .. .
.. . ". .. -. . .
.. .. " ............. ..
"",,,..,. ..
.... _ ............... 'la ...... ...
. .. "."'. -
.. , -.. , .... -........
r. . .. "" . _ _ _ ..
.. .. .. ............. -
, .... _ ..... . ...
" ..... -., ........... .
.. -
."ill. 'ftn-. 'CKl\ .ftA< IÔ ·
Kbb n.b _
M; ....
"'a; "
_ ••
I -h»,
14!
150
A
EM TRICO, OS BICOLORES
Na mudança de cor tomar o cuidado de não puxar o fio que passa no avesso
do trabalho. Se ele for esticado demais. o tricô ficará ondulado e perderé sua
elasticidade.
PONTO DE VI ME
Em um número de p. divisivel por 8, mais os p. de borda.
1,- , 2,- • 3,- c.rr.: Im.relo, em m. 4,- Cltr.: br. nco.
I p. de borda, • tir.r 1 p. sem fazer em t ., 6 t . • nrol.ndo
o fio du., Vll'S em volt. d •• g., tirar 1 p . • em fazer
em t . • , 1 p. de bord • . 5 ,- Clrr.: brinco. 1 p. de borda
tir. r 1 p. sem fller, colOClr OS p. seguinte. n. eg. direill .
deixando cair 01 fiol suplementare. de c.ci. p. Relom. r
astes 6 p. na .g. esquerda, cruzt-los. t ric. em m. por ci -
mi dos 3 primeiro • • começando pel o 4,- p .. depois o
5,-, o 6 ,- , Em seguida tric. o 1.- P .. o 2 .- ti finalmente
a 3,-, lir.r 1 p. sIm fazer . , 1 p. de borde. 6 ,- clrr.:
branco, 1 p. de borda, • Ilrar 1 p. sem em I .. 6
I., lirar 1 p. sem fazer em I . • , 1 p. d. borda . 7." carr,:
branco. 1 p. d. borda, • Ill1Ir 1 p. sem fazer, 6 m., tirar
1 p. s.m fal.r . , 1 p. d. borda. 8 ." carr.: amar.l o, 1
p. d. borda · lric, 1m t . o p. s.m faz.r da clrr. Intlrior,
introduzlndo a ag. no p., por baixo dos fios esticados
luh do Irabalho, 6 t., 1 I. lnlrodutindo I ag. no p. e
por blixo dos fios esticados atrh do Irabalho . , 1 p. ele
borda por baixo dos fios eslicados IU'S do trlbllho. 9 ."
carr.: amarelo, .m I. Recom.çar na 4." carr., Iniciando
com 1 p. d. borda, • 3 I., tirar 2 p . •• m fu.r, 6 I. enro-
lando o fio 2 vel.s em voltl da Ig., .tc. T.rmlna r a carro
com 3 I. para qUI os motivos fiqu.m d.sencontrados.
PONTO NINHO OE VESPAS
Em um nÚm.ro de p. divisi ... . 1 por 8. mli. 2 p., mais
os p. d. borda. 1." e 2." cerr.: branco, .m meia. 3.",
S." I 7 ." Clrr.: aNI, 1 p. d. borda, · lira r 2 p. sem 'ulr
em I., 6 m . • , t.rminar a Clrr. com 2 p. Mm fIlar. 1
p. d. borda. 4 .· , e .· , 8 .", 12.". 14." I 115 ." Clrr.: 'Iul ,
1 p. da borda, " tlrlr 2 p. sem faler .m I., 6 I . • , 1 p.
d. bordl. 9." I , O." Clrr.: branco, em meia. 11.·, 13.·
a 15." clrr.: 1 p. d. borda, 4 m., • Ilra r 2 p. sam
fu.r am I .. 6 m . • , I.rmlnar e carro com 4 m., 1 p. de
borda. Recomeçlr na 1.· cerro
PONTO DA CHINA
Em um número de p. divlsivel por 4, mai s os p. d. borda.
1." carr.: uul , .m I. (avesso do trebalho). 2." carr.: liI's .
• 3 m .. tirar 1 p. s.m fller am t . • . 3 ." Cl rr .: li"s, •
com o fi o nl frant., lirlr 1 p. sem fuer .m I., com o
fio a:r' • . 3 m . • . 4 ." cerr.: branco, • , m., t irar 1 p . •• m
fu.r em t., 2 m . • S." Clrr.: branco, " 2 m .. com o
fio nl frantl , tirl' 1 p:""ilm 1IIIr 1m t ., com O fio
.tr'S, l m. · . 6 ." carr.: lzul. como I 2." Cltr. 7 ." carr.:
alUI. como I 3." clrr. 8 ." CI".: lilb, como I 4." Clrr.
9 ." CI".: IiIb. como I 5." Clrr. 10." cerr.: brInco, como
a 2." carro 11 ." Clrr.: brr)'lco, como a 3." carr. 12." cerr.:
alui , como a 4 .· carro 13." Clrr.: azul, como a 5." carr
14." Clrr.: vol lar. 2." carro
PONTO TWEED BICOLOR
Em um número de p. divlslvel por 4, mais 1 p., mais
os p. di bord • . 1.· branco. em t . (avesso do traba-
lhaI. 2," ctllT.: marinho, 1 p. de borda, • com o fio na
Irenta tir.r 1 p. sem fazer em t ., com o fio IUlII, 3 m.
' . com o fio na tir.r 1 p. sem fazar em t ., com
o fio Ilrb, 1 p. de bord • . 3 ," carr .: marinho, 1 p. ele
borda, tir.r 1 p. lem fazar em t., • 3 I., 1 p. sem fazer
em t. " 1 p. da borda. 4 .· CI"' .: branco, 1 p. de borda.
o 2 m .. com o fio na frente, tirar 1 p. sem fazer em ! .,
com o fio a.r", 1 m. " 1 m., 1 p. da borda. 5, " can.:
recomeçar na 2," carro
PONTO DE CORDÃO PASSADO
Em um número de p. divisível por 4 mais 01 p. de bord • .
1,", 11 ," . 2 1." CI,.,.: branco, em m. 2," . 12," carr.:
branco, em t. 3 ," • 13," carr.: Izul , 1 p. de borda, •
3 m., tir.r 1 p. sem laz8r em t . ", 1 p. de bord, . 4 ," •
14," carr.: Izul, 1 p. da borda, ' com o fio na frente,
tirar 1 p, sem falar, com o fio aub. 3 m . • , 1 p. de borda.
5,- • 15.- can' .: brInco, em m. 6,- e 1 IS , - carr.: branco,
em t . 7.- • 9.- carr.: Imarelo, 1 p. de borda, 1 m" •
tirar 1 p, sem fazer, 3 m, . , terminar a carro com 2 m.,
I p. de borda. 8 .- . 10,- carr,: amarelo, 1 p, de borda.
2 m" • com o fio au's, tirar 1 p. sem fazer. com o fio
na frente, 3 m . • , terminlr a carr, com 1 m .. 1 p, de
borda. Da 17 .- ' 20.- can' .: vermelho, recomeçar da 7,"
ate a la,· carro Da 21 ." ' 36." ca rr,: recomeçar da .. ..
ate a 16." carr., com as mesmas cores.
PONTO DE GRINALDA
Em um número de p. divislvel por 7, mars 2 p" mais
os p, de borda. 1,' • S.' ca",: azul-claro, em m, 2.' e
6, ' carr.: alul-claro, em t . 3.", 4.' , 7,' e 8 ,- Cl rr,: azul -
eacuro, am m. 9." ca".: azul-claro, 1 p. de borda, • 3
m" paSAr a eg. direita na frante do p. seguinte e inuo-
duzi -Ia pela frente do trabalho, no p. segui nte da 1." carro
em p. tricO, pu.ar 1 p. alongado tric. em m. o p., na fren-
te do QUII foi plssada e ag" tirar 1 p. sem fIzer, 2 m.,
pu.ar outro p. alongado no mesmo p, Que o 1.- . , termi -
nlr com 2 m., 1 p. de borda. 10 ,' Clrr.: azul-claro, I
p. de borda, 2 t., • 2 p. juntos em t . lo p. e o p. levanta-
doI, 1 t" tirar sem fazer, o p, sem fazer, passando o fio
na frente, 1 t., 2 p. juntos em t., 2 t . • , Recomaçar na
1.· carr.
PONTO CRUZADO
Em um número de p. divisfvel por 3, mais 1 p., mais
os p. de borda. 1,' c:arr,: vermelho. em m. 2,- carr.: ver-
melho, 1 p, de borda, • 1 aum. Intercalldo luic. am t .
o fio esticado enlre 2 pj, 2 t. · , 1 p. de borda. 3.' ca".:
vermelho, 1 p. ele borda, • 3 m., rem. o 1,- destes 3 p"
sobre 01 2 outros · , 1 p. de borda, 4 .' carr.: alUI. 1 p.
de borda, · 2 t ., 1 aum, intercalado em t. · , 2 t , 5 ,· carr.:
azul. 1 p, de borda, • 3 m" rem. o 1.- destes 3 p . • , 1
m., 1 p, de borda. Recomeçar na 2." carr., Iniciando e
terminando a carr, com 1 t .
15\
'52
PONTO TRICOLOR
Em um numero de p. di .... isivel por 4. mais 1 p_ 1,'
urr.: amarele 1;l. de borda; • 3 m.; firar 1 p. sem la·
ler em tr icO ' ; 1 p. de borda. 2,' urr.: amarel o; 1 p
de borda; • fio na frenle, t irar 1 p. sem fazar em tr io
cO; fio atth. 3 m. ' ; 1 p. de borda. l ,' urr.: verde ; 1
p. de borda; • , m.; tirar 1 p. sem fazer em trl cO; 2
m. ' ; 1 p. de borda. 4,' carr.: verde; 1 p. de borda; •
2 m. (fi o na Irenla); tirar 1 p. sem fazer em tr icO (fIO
8uh); , m. ' ; , p. de borda. Continuar sempre eSI.s
4 carr., alternando 2 carr. vermelho, 2 carro amarelo e
2 carro verde.
BARRA INGLESA BICOLOR
É tric. com fig. de 2 pontas, em um numfl'O ímp8' d8
p., mais os p. de borda. I ,' urr.: laranja; 1 p. de bor-
da: • 1 t .; tirar 1 p. sem fazer em tric6; 1 laç. ' ; 11. ; 1
p. de borda. 2 .. carr.: verde; recomeçar no inIcio da
1,' carr .. sem virar o trabalho; fuer 1 p. de borda; fio
na frente ; t irar 1 p. sem fazer em tricl! ; , fazer 1 laç.
tricotando Juntos em meia o p. seguinte e a laç. da
car[. anlenor; fio na frenle. lira r 1 p. sem fazer em tri -
cl! ' ; 1 laç.; 1 p. de borda. Virar o trabalho. 3.' cerr.:
laranja; 1 p. de borda; tric. junlos em meia o p. le-
guinte e a laç. da carL anterior; , fio na frenta. tirar'
p. sem fuer em tricÔ; fazer 1 laç. tricolando juntos
em meia o p. seguinte e a laç. da carr. anterior ' . 1 p
de borda. 4.' urr.: sem virar o trabalho. recomeçar
no inicio da 3.' carro com o fio verde a fuer , p. de
borda; fio na frente ; , tirar' p. sem luer em trlcl!; ,
laç.; Iric. JuntOI em 'ricÔ o p. segulnle e II laç. da
carro anterior ' ; lira r 1 p. sem fazer em tricl!; , laç.; ,
p. de borda. Virar o trabalho. 5.' cerr.: laranja; , p. de
borda; IriC. junlOs em tricÔ o p. seguinte e a laç. da
carro anlerior; , t irar' p. sem fuer em tri cl! ; 1 laç.;
Iric. junlos em t ricl! o p. seguinte e a laç. da carro an-
terior ' ; , p. da borda.
PONTO BICOLOR
DE CORDAO PASSADO
Em um número de p. divilível por 6. mais 1 p I .'
urr .: varmelho; direito do trabalho; em mela 2.'
clrr .: vermelho; avesso do traba lho; em tri cl!. 3.'
carr.: amarelo; 3 m.; ' tirar' p. sem fuer ; 5 m. ' ; ter-
minar com 1 p. sem fazer e 3 m. 4.' cerr.: amarelo; 3
m.; , tirar sem luer o p. sem lazer da carro anterior;
5 m. ' ; terminar com 1 p. sem fazer e 3 m. 5.' cerr.:
amarelo; 3 I.; , t irar sem lazer o p. sem luer da carr
anterior; 51. ' ; terminar com 1 p. sem fazer e 3 t . 6.'
ce".: amarelo; como a 4.'carr. 7.' carr.: vermelho; to-
da em meia. 8,' cerr.: vermelho; toda em tricÔ. 9.'
ce".: amarelo; , t irar 1 p. sem fuer ; 5 m. ' ; termi·
nar com' p. sem lazer. 10,' carr.: ' tirar o p. sem fa ·
zer da carr, anlerior ; 5 m, ' ; terminar com 1 p. sem
fuer . " .' urr.: amarelo: ' tirar 1 p. sem fazer; 5 I
' ; terminar com 1 p. sem fazer . 12.' Clrr,: amarelo;
como a '0.' carro '3,' carr.: voltar' L' carro
,

-
..
OSMOTIVOS
PATCHWORK
Podem ser cheios, compactos, rendados, f uradinhos ou em relevo, os moti-
vos "patchwork" (de retalhos) são utilizados especialmente para realizar tra-
balhos decorativos. Juntando-os combinam-se motivos, formam-se mosai -
cos ...

.... "L t
f ' .. -.,:- . ,- .. ... ..
• ... . '" Ao· ... '* •. •• '
• ", ........ ...... " ... f
...... • ••• li
. ...... . "." .
.. .. . . . .. . . .,
•. .-. . '" . ..
.- .'.. .., . -#. , .... -
--I _e ", ., • ..
....... ,. .... . _ .... .-:.
4fIJ ..... - ... ... • - ........... ....
,-\... '-
A .. ." P .......... .
... ... \.', .s*: :. -....
,. .:" .. "
.. • : I ...... ... . ... .:...... .. "..
" ., c. .. ....-,. ..
, . .... .
.A:!. •• ' • .-.... •
,. ..... .. ' .
. ' ..... ..,..,
..
. '"
lOSANGO COM
MOTIVOS FANTASIA
Montar 3 p. 1,' urr.: 3 m, 2," UfT.: 1 1. : 1 laç.; trie. 6
m. no p. seguinte trabalhando do seguinte modo: •
tric. uma vez o fio de frente e uma vez o fio de trás •
(3 v.l; 1 laç.; 11. 3," carr.: 2 m.; 6 t.; 2 m. 4,' carr.: 1 t. ;
1 laç.; 1 t. ; 6 m.; 1 t.; , laç.; 1 t. 5," ca".: 3 m.; 6 t.; 3
m. S.' arf.: 1 t.; 1 laç.; 2 t.; tirar 5 p. sem fazer em trio
cO; tric. o 6.· p. em meia pegando·o por trás e rem.
os 5 p. sem fazer sobre o tric.; 2 t. ; 1 laç.; 1 t. 1.'
arr.: 9 m. 8." arr.: 1 t.; 1 laç.; 1 t.; 1 laç. ; 1 t. 9.'
arF.: 11 m. 10.' a rF.: 1 t.; 1 laç.; 1 t. ; 1 bola; 5 t. ; 1
bola; 1 1. ; 1 laç.; 1 t. 11 .' arr.: 3 m.; 6 t.; 5 m.; 6 t.; 3
m. Continuar fazendo os motivos de bolas como ano
teriormente, aum. sempre cada 2 carro 1 p. a 1 p. de
cada borda. Colocar os mot ivos desencontrados, dei-
xando sempre 5 t. entre eles e tric. 3 carr. em avesso
do p. meia ent re as fileiras de motivos. Quando hou·
ver 5 motivos numa fileira , continuar os aum., for·
mando em cada nova fileira 1 motivo a menos, até
ter somente um mot ivo. Na última carro desse moti·
'010, nio fazer os aum. das bordas, continuar com 1
carro meia no avesso e depois em p. tricô, formd'ndo
cada 2 carro 1 mate simples (t irar 1 p. sem fazer, tric.
1 p., rem. o p. sem fazer sobre o tric.) a 1 p. da borda
direita e 2 p. juntos a , p. da borda esquerda, até aca-
barem os p.
ESTRELA DO MAR
Montar 6 p. em 3 ag. de 2 pontas. 1.' volt. : ' 1 laç.; 1
p. ' (6 v. ). 2.' volt. : 12 m. 3.' volt. : ' 1 laç.; 2 p. ' . 4.'
volt.: 18 m. 5." volt. : ' 1 laç.; 3 p. ' . S.' volt.: 24 m.
1.' volt. : • 1 laç., 4 p. ' . 8.' volt. : JO m. 9.' volt. : ' 1
laç. ; 5 p. ' . 10.' volt. : 36 p. 11.' volt. : • 1 laç., 6 p. ' .
12.' volt. : 42 m. 13.' volt. : ' 1 laç., 7 p. ' . 14.' volt. :
48 m. 15.' volt. : • 1 laç., 8 p. ' . 16.' volt. : • 1 m., 1
laç., 1 mate simples, 6 m. ' . 11.' volt. : ' 1 laç., 9 m.
' . 18.' volt. : ' 1 m., 1 laç., 2 p. juntos, 1 laç., 1 mate
simples, 5 p. juntos ' . 19.' volt. : • , laç., 10 m. ' . 20.'
volt. : ' 1 m ... 1 laç., 2 p. juntos " (2 '01.1 ; 1 laç.; 1 ma·
te simples; 4 m. ' . 21 .' volt. : ' 1 laç.; 11 m. ' . 22.'
volt. : ' 1 m.;" 1 laç., 2 p. juntos " (3 '01 .1; 'Iaç.; 1 ma·
te simples; 3 m. ' . 23.' volt. : ' 1 laç.; 12 m. ' . 24.'
volt. : ' 1 m.; .. 1 laç.; 2 p. juntos " (4 v.); 1 laç.; 1
mate simples; 2 m. ' . 25.' volt. : ' 1 laç.; 13 m. ' . 26.'
volt. : • 1 m.; .. 1 laç.; 2 p. juntos " (5 v.); 1 laç.; 1
mate simples; 1 m. ' . 211' volt. : • 1 laç.; 14 m. ' . 28.'
volt. : • 1 m.; .. 1 laç.; 2 p. juntos " (6 '01.1; 1 laç.; 1
mate simples ' . 29.' volt. : ' 1 laç.; 15 m. ' . 30.'.31.'
volt •• : em tricô. 32.' volt. : ' 1 laç.; 2 p. juntos em tri o
cô ' . 33.' volt. : ' fazer ,1 t. e 1 m. na laç. da volta an·
terior; 1 t. ' . 34.' volt. :- em tricô. 35.' volt. : rem. os
p. 1
HEXÁGONO DE FOLHAS
Montar 144 p., repart i·los em 4 ag. a trie. em circulo.
1,' , 2,' • 3,' volt • • : em meia. 4.' voha: • 1 m.; 2 p. jun-
tOI em mei. ; 18 m.; 2 p. juntos em meia; 1 m . • (6
'1.) . 5,'.6,' voltas: em mei a. 7,' volta: • , m.; 2 p. jun-
101 em tricO; 16 t. ; 2 p. juntos em Iric6; 1 m . • (6 ".I,
8,' • 9,' volt a. : • 1 m.; 18 t. ; 1 m . • (6 v.). 10,' volta: •
154
QUADRADO DE DIAGONAL
PONTOS EMPREGADOS - 1,' PONTO TAlCO. 2,' PON·
TO MEIA (ver p. de base na pãg. 5). 3.' PONTO fAN-
TASIA . ,.' carr.: • 2 p. juntos: 1 laç. ' . 2,' carr.: em
meia. 4,' BOLAS - Trit. 5 p. em , p. (uma vez em
meia, uma vez em tricô. etc.); vi r.r; fazer 4 carro em
p. meia n ..... 5 p. depois com a 8g. esquerda rem.
sucessivamente 01 primeiros p. sobre o 5,', começan-
do pelo mail próximo.
EXECUÇÃO - Montar 71 p. fi lrie. como segue: 1,'
car,.: 34 m.; 3 p. juntos em meia pegando-o. por
t rtis; 34 m. 2.' c.ln.: em meia. Continuar tric. cada 2
carro os 3 p. do meio Juntos em meia pegando·os por
trtis. Depois de 4 carro em p. tricO, fazer 6 carr. em p.
meia, 6 carr. em p. tricô; 10 carro em p. fantasia; 4
carro em p. tricô; depoil 8 carro em p. meia, fazendo
na S.' carr.: 4 p., uma bola, 5 p., uma bota e 5 p.; 8
carro em p. tri cO; 6 c.rr. em p. meia e te rminar em p.
tricO .t6 acabarem os p.
QUADRADO PONTILHADO
Montar 4 p .. reparti-tos em 4 ag. e tric. em circulo
sempre em meia. 1.' vott. : • 1 taç.; 1 p. ' ; repet ir em
cada ag. 2.' volt. : ' 1 p.; 1 m. torcido lpegando-o por
trás) ' . 3.' volta: • 1 laç.; 1 p.; 1 laç.; 1 p. ' . 4.' votta:
• 3 p.; 1 m. lorcido ' . 5.' volt. : • 1 laç.; 3 p.; 1 laç.; 1
m. torcido ' . e.' volta. todas .. par .. Hgulnt .. : em
meia tricotando o ult imo p. de cada ag .. em meia toro
cido. 7.' votta: • 1 laç.; 5 p.; 1 laç.; 1 m. lorcido ' . 9.'
volta: ' 1 laç.; 7 p.; 1 laç.; 1 m. torcido ' . ,' .' volta: •
1 taç. ; 3 p.; 1 laç. ; 1 mate du plo; 1 laç.; 3 p.; 1 laç.; 1
m. Jorci do ' . 13.' volta: ' 1 laç.; 2 p.; 2 p. juntos; 1
laç.; 3 p.; 1 laç.; 2 p. Juntos torcidos; 2 p.; 1 laç.; 1 m.
torcido ' . 15.' volt. : • 1 laç.; 5 p.; 1 I.ç.; 1 m.te duo
pio; 1 taç.; 5 p.; 1 taç.; 1 meia torcido ' . 17.' volta: •
1 laç.; 15 p.; 1 laç.; 1 m. torcido ' . 19.' volta: • 1 laç.;
17 p.; 1 laç.; 1 m. lorcido ' . 2' .' volt. : ' 1 laç. e 2 p.
juntos torcidol ' . 22.' volta: rem. frOUltO, sem aper-
tar.
1 m.; 2 p. juntol em meia; 14 m.; 2 p. juntol em
meia; 1 m. ' . A partir desta votta e nas voltas seguin.
tes, repetir lempre de ' até' 16 v.). ".' . ,2.' volt .. :
em meia. 13.' volta: ~ 1 m.; 2 p. juntos em tricô; 12
t.; 2 p. juntai em tricO; 1 m. ' . '4.' volt. : ' 1 m.; 7 1.;
1 laç.; 7 t.; 1 m. ' . '5.' volt.: ' 1 m.; 7 t.; 1 m. 7 1.' 1
m. ' . ,e.' volt. : • 1 m.; 2 p. juntos em tricO; 5 t.; 1
taç.; 1 m.: 1 laç.; 5 I.: 2 p. juntos em tricO: 1 m. ' . 17.'
volta: ' 1 m.; 6 1. ; 3 m.; 6 I.; 1 m. ' . 'I .. volta: • 1
m.; 6 1. ; 1 laç.: 3 m.; 1 taç.; 6 t.; 1 m. ' . '9.' volta: ' 1
m.: 2 p. juntos em tricÔ; 4 t.; 5 m.; 4 1. ; 2 p. junlos
em tricô; 1 m. ' . 20.' vott. : • 1 m.: 5 t.; 1 I.ç.; 5 m.: 1
taç.; 5 t.; 1 m. ' . 21.' volta: ' 1 m.; 5 t.; 7 m.; 5 t.; 1
m. ' . 22.' volta: ' 1 m.; 2 p. juntos em tricO; 3 1. ; 1
taç.; 7 m.; 1 laç.; 3 t.; 2 p. juntos em tricO; 1 m. ' . 23.'
votta: ' 1 m.; 4 1. ; 9 m.; 4 t.; 1 m. ' . 24.' 'tolta: ' 1
m.; 4 I.; 3 m.; 1 mate duplo Itirar 1 p. lem fazer, tric.
2 p. Juntai, rem. o p. sem fazer sobre o male); 3 m.;
4 1. ; 1 m. ' . 25.' volta: ' 1 m.: 2 p. Juntos em tricO; 2
t.: 7 m.; 21. : 2 p. juntos em tricO; 1 m. ' . 2e.' volta: •
1 m.; 3 1.; 2 m.; 1 mate duplo; 2 m.; 3 t.; 1 m. ' . 27.'
volt. : • 1 m.; 3 t.; 5 m.; 3 t.; 1 m. ' . 21.' 'totta: ' 1
m.; 2 p. juntos em tricO; 1 1. ; 1 m.; 1 mate duplo; 1
m.; 1 1. ; 2 p. juntol em tricO; 1 m. ' . 29.' volta: • 1
m.; 2 t.; 3 m.; 2 t.; 1 m. --. 30.' volta: ' 1 m.; 2 t.; 1
mate duplo; 2 t.; 1 m. ' . 31.' votta: • 1 m.; 2 p. juntos
em tricO; 1 m.; 2 p. juntos em tricO; 1 m. o . 32.' '41'01·
ta: em meia. 33.' votta: tric. os p. 2 a 2. 34.' vott. : em
meia. 35.' vott. : tric. os p. 2 a 2, depois cortar o fio,
passá·lo nos p. restantes e franzir o centro do hexá-
gono.
QUADRADO IRLANDÊS
PONTOS EMPREGADOS · 1," PONTO DE AlVEOLOS
• 1,' c.rr.: 1 t .; • 2 m.; 2 t . ' . 2,' c.rr. a tod •• as par.s:
tric. acompanhando o p. 3,' c.rr.: 1 t. ; 1 m.; • cruzar
1 p. ii esquerda (pOr 1 p. numa ag . • uxili ar colocada
na frente, lrie. 1 t ., depois o p. da eg. auxili ar em
meia) ; cruzar 1 p. II direita (passar. ag. na frente do
1," p., Irie. o 2," em meia, depois o 1," em tri(6) ' ; 1
m. 5,' CIIrr.: 11.; 1 m.; 1 t .; • 2 m.; 2 t. ' ; 2 m.; 1 t.; 1
m. 7,' C",.: 1 t .; 1 m.; • cruz.r 1 p. ii direita : cruz.r 1
p. à esquerda ' ; 1 m. 9,' c.rr.: voltar ii , ." carro 2,"
QUADRADO COM 4 FOLHAS
Execuçio • Enrolando o fio em volta do polegar, for·
mar um anel II tric. 16 p. dentro desse anel , tricotan·
do uma vez em meia, uma vez em tricO • repanindo
estes p. em 4 lIg. Continuar em circulo. 1,' volt. : em
maia. 2,' yotta: em mei • . 3.' volt. : • , t. : 1 I.ç.: .. ,
m., 1 laç. " 13 v.) • 14 v.l. 4.' volt. : • 1 I.; 1 laç.; 1 I.; 2
m.; 1 laç.; , m.; 1 laç.: 2 m.; 1 t.; 1 laç . • . 5.' volta: •
1 1.: 1 laç.; 2 t.; 3 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 3 m.; 2 t. ; 1
laç. ' . I .' volta: • 1 t.; 1 laç.; 3 t.; 4 m.; 1 laç.: 1 m.; 1
laç.; 4 m.; 3 t. ; 1 I.ç. ' . 7.' volt. : * 1 I.; 1 laç.; 4 I.; 5
m.: 1 laç.; 1 m.: 1 laç.; 5 m.; 4 t.; 1 laç. *. I .' volt.: '
1 t.; 1 laç.; 5 t.; 6 m.; 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 6 m.: 5 t.; 1
laç. ' . 9.' volta: ' 1 t. : 1 laç.; 6 t.; 7 m.; 1 laç.: 1 m.; 1
laç.; 7 m.; 61. ; 1 laç. *. 10.' volta: • 1 I.; 1 laç.; 7 t.; 2
p. juntOI em meia pegando,ol por tr"; 13 m.; 2 p.
junlos em meia; 7 t.; 1 laç. ' . 11.' volt.: ' 1 1. ; 1 laç. ;
81.; 15 m.; 8 t. ; 'Iaç. ' . 12.' volt. : • 1 I.; llaç.; 9 t .; 2
p, juntos em meia pegando-ol por trál; 11 m.: 2 p.
junlos em meia; 9 I.; 1 taç. ' . 13.' volta: ' 1 1. ; 1 laç.;
10 t.; 13 m.; 10 t .; 1 laç. ' . 14.' volt. : • 1 1. ; 1 laç.; 11
1.; 2 p. juntol em meia pegandO'OI por trás ; 9 m.; 2
p. juntol em meia; 11 t.; 1 laç. ' . Continuar diminuin·
do desse mesmo modo, cad. 2 voltas, a folh. do
meio e continuando f.zando, nos cantol, 1 laç. de ca-
da tado do p. Iricô, ale sobrarem lomante 3 p. na
ponta da folha. 24.' volta: * 1 t. ; 1 laç.; 21 1. ; 3 p. jun.
tos em meia pegando·os por trál ; 21 I.; 1 laç. *. Em
seguida, fazer 3 voltas, tric. todOlOS p. em tricô, en·
tre as taç. dos cantol. N. 27.' volt •• temOI 4S I . entre
es laç. Em seguida para o remate, IriC. sempre enlre
as laç. 2 ... volt. : em meia, tric. juntol o p. do meio
da cada lado com o p. anterior, para obtar na 29.' vol·
ta, 50 p. entre as laç. e 01 cantOI. 29.' volta: • 1 t.; ..
, laç.; 2 p. Juntos em meia " (25 v.); , laç. *. 30.' vol·
t. : em meia forma ndo sempre as laç. dos canto • .
31.', 32.' • 33.' volta. : em tricÔ. Repet ir IS 5 ultimas
vollas, mail I' v.1 e rem.
CORDA DUPLA - 1.' a 3.' carr.: • , 1. ; 8 m.; 1 t. ' . 2.'
c.rr. a tod .. a. p.,u: tric. acompanhando o p. 5.'
urr.: • 1 t.; pÔr 2 p. nu ma ag. aUKi1!ar colocada
alrás ; Irie. am meia 01 2 p. saguintes, depois os 2 p.
da ag. aUKiliar; p6r 2 p. na ag. aUKiliar colocada na
frante, tric. em meia 01 2 p. seguinles, depoil os 2 p.
da ag. aUKi!iar; 1 t. ' . 7.' ca" .: voltar ' 1.' carro 3.-
CORDA FANTASIA · 1.', 3.' a S.' c.rr.: ' 1 t.; 8 m.: 1 t.
* . 2.' c.rr. a todal a. pa'.I: tric. acompanhando o p.
7.' carr.: * 1 t.; p6r 2 p. numa ag. aUKiliar colocada
alrAs, tric. 01 2 p. laguintes am meia, depois o. 2 p.
da ag. aUKlliar; pôr 2 p. na ag. aUKiliar colocada na
frente, tric. em meia os 2 p. seguintes, depoil os 2 p.
da ag. aUKitia" 1 I. *. 9.'.11.' carr.: ' 1 1. ; 8 m.: 1 t.
' . 13.' carr.: ' 1 I.; pôr 2 p. na ag. auxiliar colocada
na frente; trie. os 2 p. seguintes em meia, depoil 01
2 p. da ag. auxiliar; pÔr 2 p. na ag. auxitiar colocada
atrás, Iric. 01 2 p. seguintes em meia, depoil 01 2 p.
da ag. auxiliar; 1 I. *. 15.' a 17.' carr.: ' 1 t.; 8 m.; 1 t.
' . 19.' carr.: voltar' 7.' earr. 4.' PONTO FANTASIA -
1.'.3.' carr.: 5 t .; • 4 m.; 4 t . ' ; 1 t. 2.' carr. ' tod'l
•• par •• : tric. acompanhando o p. 5.' c.rr.: 1 t.; • cru·
zar 4 p. (pôr 2 p. num. ag. auxiliar coloc.da na freno
te. tric. 01 2 p. seguintes em meia, depoil os 2 p. da
ag. auxiliar); 4 I. ' ; cruzar 4 p.; 1 I. 7.' carr.: 1 t.; ·4
m.; 4 t. ' ; 4 m.; , t. 9.' carr.: 51.; • cruzar 4 p.; 41. ' ;
...
EXECUÇÃO · Montar"79 p. e Iric. 1 carro no avello do
leguinte modo: • 1 m.; 8 t.; 1 m. ' (4 v.! ; 1 m.; • 2 t .;
2 m . • (9 v.l; 1 t.; 1 m.; continuar Irabalhando em p.
de alvéolo. nos 39 p. e em cordas duplas nos 40 p.
leguintes, durante 49 earr. Em seguida, Iric. 40 p. em
cordas fanlasies e 38 p. em p. fantas ia durante 42
carro e rem.
155
106
OSPONTOS
ENTRELACADOS
Lisos ou bico lares, eles formam um trançado tão perfeito que é difícil acredi·
tar assim à primeira vista que o trabalho foi realizado numa peça só.
A l6<:nica dOI entrelaçados' s imples, apelar do efei-
to final ser alpellcular. Par. executar 01 entrelaça-
dos, basta observar algumas regras que apras.nta-
mos em seguida:
1,· - Usar de prefer6ncia o ponto mei a, que realça o
efeito de trançado.
2.- • C o m ~ r por uma fileír. de tri Angulos, tendo ca'
da um, na base, um número definido de pontOI. EI-
s •• l, iln"uIOI de basa determinaria I largura e o
comprimento dOI tetAngulOI II se' ''!m formados em
seguida.
3,- • Executar sucessivamente •• filei r •• de r.tl ngu-
101. Cada t.tAngulo •• rá formado 8 pani r de pontos
levantados {largural • tricotados (comprimento) jun·
tando·o. 6 medida do trabalho, atravês de diminui·
çõe., ao. ponto. 6 e.pera que seguem a borda na
qual o. pontos foram l evantados.
4.- • Terminar formando uma fileira de tril ngulol . pa·
ra preencher o. intervalos formado. peta ultima fil ei·
ra de retlngutOI.
•• • •
~ . . .. ,
• •



. . ,
,


01 entrelaçados podem lef lisos ou bicolor ••. A re-
ceita IfIguinte permite ,xecutar entrelaçados bicolo-
res (v.r foto ao lado); esta mesma receita pode .er
executada usando uma .6 cor.
Em um número de pontos di"isl .... 1 por 12. por exem·
pio 48 p .. trabalhar do .eguinte modo:
Montar 48 p. com O fi o cor A II fazer 4 trl6nyulol de
base: • lrie. 2 t .; vir.r, tric. esses 2 p. em mela; vir.r,
Irie. 3 t . (pagar esse 3.' p. na 8g. esquerda ); vir.r, trie.
3 m.; vir.r, tri c. 4 t .; virar, tric. 4 m. II assim por di an-
te. de modo I obter 12 p. n8 .g. direit • . Deixar ess ••
p. II esper • . Sem cortar o fio, vo11ar em " ,
Um. vez obt i do. 01 tri6ngulos de bale. usar O l io cor
B (" I. tr ic. 2 m.; virar, tr ic. 2 t .; virar; 1 Bum. no 1," p.,
1 mate simples (tir.r 1 p. lem fazer, tric. 1 p" rem. o
p. sem fazer l obre o Iric.l; virar, tric. 3 I.; virar, 1
aum. no 1." p., 1 m .. 1 male l imples; vi,ar, Iric. 4 I. e
assim por diante. alé acabarem 01 p. cor A. do 1."
Irllngulo; deixar 0.,2 p. cor B obl idost elpera.
" lev.ntar 12 p. no lado esque,do do 1." triAng ulo. vi·
r.r e tric . .. sei 12 p. em tricO; virar, vic. 11 m., I ma-
te l imples (o 12." p. levantado e o 1." p. do tritngulo
seguinte I; virar. trlc. 12 t.; virar, tric. " m .. I mate
si mples; vi rar, trlc. 12 I. e assim por diante, até acaba -
rem 01 p. cor A do trilngulo seguinte.
Voltar em " (2 v. l levantando os 12 p. no lado e.quer-
do de cada um dOI 2 triAngulos seguintel.
levantar 12 p. no lado asquerdo do último trilngul o;
virar, tric. 2 p. junto. em tricO; 10 I.; virar: tric. 1 1 m.:
vir.r, tric. 2 p. Juntol em tricO. 9 I.; virar. tric. 10 m. e
essim por diante, at6 l obrar ~ o m e n t e I p.
levantar em leguida a esse p .• tricotando em t ricO,
11 p. com o fio cor A, na borda do trilngulo obt ido;
virar. · Iric. 12 m.; virar, tric. I' 1. ; 2 p. juntol em tri-
cO (ou leja o 12." p. e o 1." dos p. I espera do ret ln·
guio seguintel; virar, tri c. 12 m.; virar. tric. 11 I .. 2 p.
juntos em trlcO a assim por diante, at6 acabarem os
p. tor B. lavantar 12 p. no lado do rellnguto s8gul n-
le, tricotando,ol am IricO. Voltar em • (3 v.l.
Pegar o fio cor B a repet ir o trabalho a part ir de "
Depoil de ler tricotado o número de. ejado de retln-
gutol cor (81, terminar com o fio cor A, Irabalhal'tlo
do leguinte modo: " levantar 11 p. co", o fio A. no
lado do trilngulo obt ido: virar, tric. 12 m.: virar, IflC.
2 p. juntol em tricO; 9 t.; 2 p. juntos em tricO (o 12.'
p. e o 1." do rellngulo seguintel ; virar, tric. 11 m.: vi·
raro tric. 2 p. juntol em tricO. 8 t .. 2 p. juntol em tricO;
virar, 10 m.; virar e assim por diant e, al 6 sobrar 1 p.
Voltar em ,. (3 v.) .
-
,
I!
OSPONTOS
Os pontos que chamamos de "cheios" são aqueles formados por motivos re·
guiares e bem compactos. De preferência, usa-se um fio de grossura média
par. que o trabalho não se torne pesado demais. São ideia is para a execu-
ção de casacos, jaquetas e também para formar palas ou corpetes nos vesti -
dos.
, 58
AS CESTAS
Em um número de p. divi.!v.,1 por 10 + 1 p. + 1 p.
de borda de cMl lado. 1,' CIIIT.: 1 p. de borda; 4 t .; •
fio atr's, tir.r 3 p. sem fazer em tricô; fio na frente, 7
t. . ; t.rminar com 3 p. sem fuer em tricô. 4 t., 1 p.
de borda. 2,' CIIIT.: 1 p. de borda; 4 m.; • nOI 3 p.
sem 'Izer, trie.'" t..,' laç." (3 v.l; 7 m. ' ; terminar
com 4 m. em VIZ de 7 e 1 p. de borda. 3,' CIIIT.: 1 p.
de borda; 4 t.; • deixar o fio na frente, tir.r o. 3 p . •• -
guintes .em flzer,deixandocair as laç.: 7 1. . : termi·
nar com 4 t. em vez de 7 e 1 p. de borda. 4.' urr.: 1
p. de borda: 4 m.; • 3 t.: 7 m . • ; terminar com 4 m.
em vez de 7 e 1 p. de borda. 5.' urr.: 1 p. de borda; 4
t.: . .. , m.: tric. o fio horizontal entre 2 p. em meil ..
(2 v.l: 1 m.; 7 t . • ; terminar com 4 t . e 1 p. de borda.
I .' urr.: 1 p. de borda; 4 m.; , 5 t .; 7 m. ' ; terminar
com 4 m. e 1 p. de borda. 7.' urr.: 1 p. de bordl : 3 t.:
, 2 p. juntol em meia; .. 1 laç. ; tric. em mela o fio ho-
rizontal entre 2 p.: 1 Ilç.; 1 m ... (3 v.l ; , laç.: tric. em
meia o fio horizontal entre 2 p.: , laç.; 1 mate lim·
piei;' 5 t . ' : terminar com 3 t .; 1 p. de borda. 8.' carr.:
1· p. de boda; 3 m.; 'fio na frente ti,ar 9 p. sem fazer,
deixando cair 81 laç.: 5 m. ' : terminar com 3 m. e 1
p. de bordl. t .' Clrr.: 1 p. de bordl ; 2 t.; • 2 p. juntai
em meia; 7 m.; 1 mate simples; 3 t. . ; terminar com
2 I. e 1 p. de borda. 10.' urr.: , p. de borda; 2 p.lun·
tal em meil; • 9 t .; 3 p. juntos em meia . ; terminar
com 2 p. juntai em meia: 1 p. de borda. 11.' Clrr.: 1
p. de borda; fio atr" , t irar 2 p. sem fuer em tric6; ,
7 I.; t irar 3 p. sem fIzer em IricO ' ; terminlr com 2 p.
sem fazer em trlcO e 1 p. de borda. 12." Clrr.: 1 p. de
borda; .. 1 t.; 1 Ilç ... (2 v.l; • 7 m.; trabalhar de " até
.. (3 v.1 e para terminar, !ric. de .. até " (2 v.1 em vez
de 3; 1 p. de borda. 13.' Clrr.: 1 p. de borda: fio na
frente, t irar 2 p. sem fazer em tricO, deixando cair ai
laç.; • 7 t .; deixar o fio na frente, tirar 3 p. sem fazer:
deixando cair 81 laç. " ; terminar com 2 p. sem fazer
em tricO como no inicio e 1 p. de borda. 14.' urr.: 1
p. de bordl; 2 t .; , 7 m.; 3 t. ' ; terminar com 2 t . e 1
p. de borda. 15.' Clrr.: 1 p. de borda; 1 m.: tric. em
meia o fio horizontal entre 2 p.; 1 m.; " 7 t.; .. 1 m.;
Iric. em meia o fio horizontal entre 2 p ... (2 v.l; 1
m." ; termin3f com 1 m.: tric. o fio horizontal entre 2
p.; 1 m. e 1 p. de borda. 11.' Clrr.: 1 p. de borda; 3 I.;
" 7 m.; 5 t . • ; repelir de' até"; terminar com 3t. e 1
p. de borda. 17,' clrr.: 1 p. de borda; .. 1 m.; 1 laç.:
tric. em meia o fio horizontal entre 2 p.; 1 laç. .. (2
v.) ; • 1 mate Ilmples; 5 I.; 2 p. juntai em meia ; .. 1
laç .. tr ic. em meia o fio horizontal entre 2 p.: 1 laç.; 1
m ... (3 v.l; 1 laç,: tric. em meia o fio horizontal enlre
2 p.; 1 laç . • ; terminar com 1 mate l imples ; 5 t. ; 2 p.
juntos em meia ; tric. de .. a .. (2 v.l; 1 p. de borda.
18.' Clrr.: 1 p. de borda; fio na frente, t irlr 5 p. sem
fIzer, deixando cllr ai l a ~ 5 m.; fio na frente tirar
9 p. sem fner como os anteriores' ; terminar com 5
p. sem fazer como no inicio e 1 p. de borda. 19.'
Clrr.: 1 p. de borda; 4 m.: • 1 mate simples; ~ t.; 2 p.
juntos em meia: 7 m. ' : terminar com 1 mate .im·
pi .. : 31. ; 2 p. junto. em meia; 4 m. e 1 p. de borda.
20.' urr.: 1 p. de borda: 5 t. ; , 3 p. juntos em meia ; 9
t . • ; terminar com 5 t .; 1 p. de borda. Voltar à 1.' carro


,
I
OS ESPOROES
Em um numero de p. divi. r .... el por 6, mais 1 p., mai s
2 p. para as bordas da ada I.do. 1,' CIIn.: em mei • .
2,' can.: em tricô. 3.' carr.: em meia. 4,' carr.: avesso
do trabalho; 2 p. de borda; ' 11.; 5 t . alongados, enro-
lando par. cada p., o fio 2 veles à volta da 'g, ' ; ter·
minar com 1 t . e 2 p. de borda. 5.' carr.: di rei to do tfa-
balha; 2 p. de borda; 1 m.; • cruzar os 5 p. alonga·
dOI, tirando-os sam fazer II depoi s passando-os par.
a 8g. direita. esticando-ol (dej,(8r cai r IS laç.l: colo-
car novamente 01 5 p. na 8g. esquerda, introduzir a
ponta da 8g. direita, no 5,' p. al ongado, passá·lo por
cima dos 4 p. anleriores e tricotá-l o em mei. ; pegar
0 4,' p. e fazer o mesmo trabalho; Irie. o 3,' p. normal·
mente em meia; cruzar 0 1 2 ültimos p. restantes, tri-
cotando o 2.* em meia por trás do 1."; depois o 1."
em meia e deixá· los cair juntos da ag. eSQuerda tric.
o p. seguinte em meia mas introduzindo a ag., 3 carro
abaixo 0; 2 p. de borda. S.' carr.: em tricô. 7.' carr.:
em mei a. 8,' carr.: como a 4.' carro ma.
com 3 p. alongados (depois dos 2 p. de borda ) e te,·
mi nando com 1 t.; 3 p. alongados e 2 p. de borda. , .-
carr.: 2 p. de borda; 3 p. cruzados ; 0' m. introduzin·
do a ag. 3 ca". abaixo; 5 p. cruzados 0; termina r
com 1 m. introduzindo a ag. 3 carro abaixo; 3 p. cruza·
dos e 2 p. de borda. lO.' carr.: em tricô. 11 .' carr.: em
meia. Voltar à 4.' carr.
AS ABELHAS
Em um numero de p. divisível por 10, mais 2 p. de
borda de cada lado. ,.. • 3.' carr.: 2 p. de borda ; , ,
t.; 9 m. 0; terminar com 1 t., 2 p. de borda. 2.'. 4.'
carr.: tric. acompanhando o p. S.' carr.: 2 p. de boro
da; ° 1 1. ; 2 p. juntos em meia; 5 m.; 1 mate simples
"; terminar com 1 t., 2 p. de borda. 6.' carr.: toda em
tricô. 7.' carr.: 2 p. de borda;" ' m.; 2 p. juntos em
meia; 3 m.; 1 mate simples 0; terminar com' m. e 2
p. de borda. a.' clrr.: como a 6.' carr. 9.' carr.: 2 p. de
borda; , m. introduzindo a ag. 3 carro aba ixo; 1 laç.;
, 5 m.; , laç.; 1 m. int roduzindo a ag. 3 carL aba ixo;
1 laço "; terminar com 5 m.; 1 laç.; 1 m. introduzindo
a ag. 3 carro abaixo; 2 p. de borda (nesta carro aum. ,
p. que permanecerá até o fim do trabalho). 10.' ca".:
2 p. de borda; 1 m.; tric. 2 p. na laç. ou seja 1 m. e 1
m. torcido (pegando-ói)or trás); ° 5 t .; tric. 2 m. na
laç.; 1 m. no p. seguinte; 2 m. na laç. seguint e ' ; ter·
minar com 5 t., 2 m. na laç., 1 m., 2 p. de borda. 11.'
ca".: 2 p. de borda; 5 m.; • 1 1. ; 9 m. ' ; terminar por
1 1. ; 5 m.; 2 p. de borda. 12.' carr.: 2 p. de borda; 2
m.; 3 t .; • , m.; 31. ; 3 m.; 3 t. ' ; com' m. e
31.
159
60
OS ZIGUEZAGUES EM BARRA
Em um número de p. divislvel por 6, mais os p. de
borda. 1,' c.rr.: 1 p. de borda; . .. 2 p. cruzados â es-
querda (passar 8 8g. direita atr" do 1.- p" lrie. o 2.'
p. em meia torcido sem deid·l 0 cair da ag., depois
lrie. o L' p. em meia e deixar cair os 2 p., .. (2 v.l; 2 t .
' ; 1 p. de borda. 2,' cur.: 1 p. de borda; • 2 m.; no
grupo de p. cruzados, trie." 1 1. ; 1 m." 12 v., '; 1 p.
de borda. 3,' urr.: 1 p. de borda; • 1 1. ;" 2 p. cruza-
dos â esquerda .... (2 v.); , t. ' ; 1 p. de borda. 4,' ca".:
1 p. de borda; • 1 m.; no grupo de p. cruzados. trie ...
1 I.; 1 m .... (2 v.l; , m. ' ; 1 p. de borda. 5,' Rn.: 1 p.
de borda; • 2 t .; .. 2 p. cruzados ii esquerda " 12 \I .)
' ; 1 p. de borda. 6,' ca".: 1 p. de borda; • trie. nos p.
cruzados '" , I.; 1 m." 12 v.); 2 m. ' ; , p. de borda.
7,' un.: 1 p. de borda; • trazer o fio par. o direito do
trabalho a tirar 3 p. sem fazer em tricô, sem puxar o
fio que pasSl sobre os p. sem fazer, trazer o fio nova-
mente atras; 1 m.; fio na fra nte, tirar 1 p. sem fazer
em tr ic6; fio atrãs, 1 m. ". 8.' carr.: 1 p. de borda; " 1
t. ; fio 81rb, t irar 1 p. sem fazer em tricO; fio na fren-
te, 1 t.; fio elrás tirar os 3 p. seguintes em tricO; fio
ne frente "; 1 p. de borde. 9.' Clrr.: como a 7.' carro
10.' carr.: como a 8.' carro 11.' carr.: 1 p. de borda; "
2 t. ; .. 2 p. cruzados' direita (passar a ag. direita na
frente do 1.' p., lric. o 2.- p. em meia sem deixA-l O
cair da ag.; dapois tric. o ,.. p. em meia a deixar cair
os 2 p.l" (2 v.1 - ; 1 p. de borda. 12.' carr.: 1 ~ . de bor-
da ; ' tric. nOI p. cruzados " 1 m.; 1 t . "(2 v.l ; 2 m. ' ;
1 p. de borda. 13.' cart.: 1 p. de borda; " 1 t.; .. 2 p.
cruzados' direita " (2 v.l: 1 t. ' ; 1 p. de borda. 14.'
carr.: 1 p. de borda; , 1 m.; tr ic. nos p. cruzados " 1
m., 1 t." 12 v.l ; 1 m. ' ; 1 p. de borda. 15.' catr.: 1 p.
de borda; ' .. 2 p. cruzados' direita " (2 v.l; 2 t . ' ; 1
p. de borda. 18.' carr.: 1 p. de borda; , 3 m.; 1 t .; 1
m.; 1 t . ' ; 1 p. de borda. 17.' carr.: 1 p. de borda; • 1
m.; pOr o fio na frente e tirar 1 p. sem fazer em tricO;'
fio atrãs, fller 1 m.; fio na frente. tirar 3 p. sem fazer ;
fio atrh ' ; 1 p. de borda. 18.' carr.: 1 p. de borda; ,
fio atrãs, t irar 3 p. sem fazer em IrlcO; fio na frenle, 1
t .; fio atrás, t irar 1 p. sem fazer em tricO; fio na freno
te, 1 I. ' ; I p. de borda. 19.' Clrr.: como a 17.' carro
20.' carr.: como a 18.' carro Voltar' 1.' carL
A CORDA COM NÓS
Em um número de p. d ivisrvel por 16, mais I p .. mais
os p. de borde. 1.' , 3.'.5.' carr.: 8 I.; , 1 m.; 15 I. ' ; 1
m.; 8 I. 2.' carro I todas II par.s: tric. acompa nhan-
do o p. 1.' catr.: 8 t.; , tric. 3 m. no p. meia (1 vez o
fio da frente, 1 vez o fio de trãs e 1 vez o fio da fren-
le); 15 t. ' ; tr ic. 3 m. no p. meia; 8 t. 9.' carr.: 8 I.; , 3
m.; 15 I. " ; 3 m.; 8 1. 11.' carr.: 8 t.; ' tric. os 3 m. jun.
tOI em meia ; 15 t. ' ; tr ic. os 3 m. juntOI em mei. ; 8
I. 13.' carr.: 7 t.; tr ic. 3 m. no p. segui nte; , 1 t .: Iric. 3
m. no p. seguinte; 13 t.; lric. 3 m. no p. seguinte ' ; 1
t. ; lric. 3 m. no p. seguinte ; 7 I. 15.' Clrr.: 7 t.; 3 m.; ,
11.; 3 m.; 131.; 3 m. ' ; 1 1.; 3 m.; 7 t. 17.' catr.: 1 t.;
tric. os 3 rn. juntos em meia ; , 1 1.; tr ic. os 3 m. jun.
tos em meia : 131. ; tric. os 3 m. juntos em meia ' ; 1
t .; Iric. os 3 m. juntOI em meia : 7 t. 19.', 21.' • 23.'
ca".: como a 1.' carr. 25.' CI" : vol tar ' 1.' carL
'.
,
f
,
,

,

,

,
t


ASAMENDOAS
Em um número de p. divi.!vel por 4, mai s 1 p. 1,"
carr.: 2 t.; • lrie. 3 p. no p. seguinte (1 rn .. 1 t., 1 m.);
3 t. ' ; na úhima repetiç60, terminar com 2 t.. em vez
de 3. 2.' c.rr. e tod •• II per •• : em tricO. 3,' • S.'
ce".: 2 I.; • 3 m.; 3 t . ' ; terminar com 2 t ., em vez de
3. 7,' cer, ,: 2 1. ; • 3 p. juntos em meia pegando-os
por trás ; 3 t. ' ; terminar com 2 I .. em vez de 3. 9.' •
" .. car,.: em meia. 12,' cur.: em tric6. 13,' urr.: vai·
taril.'carr.
AS BORBOLETAS
Em um número de p. di ... !.!"el por 16, mais 11 p.,
ma is o. p. de borda. 1,' , 3,' , 5,'.1.' ce".: em meia .
2,' , . ... 6,'. a .. carr.: 1 p. de borda; • 11 m.; tirar 5 p.
sem fazer em tricO ' ; terminar com 11m. e 1 p. de
borda . ... carr.: 1 p. de borda; • 13 m. ; Iric. o p. se-
guinte em meia pegando 80 mesmo tempo os 4 fi os
horizontais dos p. sem fazer ; 2 m . • ; terminar com
11 m.; 1 p. de boroa. 10.' urr.: em tr icO. 11.' cerr.:
voltar à 1.' ca rro
AS CERCAS
Em um número de p. divisível por 14. 1.', 3.' • 5.'
Clrr.: avesso do Irabalho; * 4 1. ; 6 m.; 4 I. ' . 2.'. 4.'
Clrr.: em meia . 6.' cerr.: ' 3 m.; 1 t.; 6 m.; 1 t.; 3 m.
· . 7.' cerr.: * 2 I.; 1 m.; 8 1. ; 1m.; 2 I. ' . 8.' cerr.: ' 1
m.; 1 1. ; 10 m.; 1 t.; 1 m. ' . 9.' cerr.: ' 1 m.; 12 I .. 1
m. ' . 10.' cerr.: ' 1 m.; 1 I.; 10 m.; 1 1. ; 1 m. * . 11.'
cerr.: * 2 t. ; 1 m.; 8 t.; 1 m.; 2 t. ' . 12.' ce".: 3 m.; ,
1. ; 6 m.; 1 I.; 3 m. ' . 13.' cerr.: voltar à I.' carro
-
,
"
OS PONTOS FANTASIA
Estes pontos formam desenhos variadíssimos, diferentes e são utilizados
em todo tipo de malhas que tenham uma forma simples e cor lisa ou discre-
ta. porque o enfeite já está no ponto ... Os três primeiros pontos nesta pági-
na têm motivos de fios alongados.
o PONTO CERZIDO
1,' • 3.' carr,:' • 2 m.; com o fio na frente, tirar 2 p.
sem fazer pegando·os em tricll; passar o fio nov. ,
mente atrás - , 2,' carl' . • toda. a. paru: em tricO. 5.'
CIIrT.: em meia. 7,' . 9,' CIIrT.: • com o fio na frente, ti ·
rar 2 p. sem fazer em tricô: com o fi o atrás, 2 m. ' .
11,' carr.: volt.r • 1,' carro
ENFILEIRADOS
Em um nümero de p. divisfvel por 4, mais 01 p. de
borda. 1,' • 3,' carr,: 1 p. de borda; • 2 t.; 1 m.; ti r.r 1
p. sem faze, em tricO ' ; 1 p. de borda. 2,'.4,' urr.: 1
p. de borda; • tir.r 1 p. sem fazer em tricô; 3 t. "; 1 p.
da borda. S.' e.rr.; 1 p. de borda ; " p.ssar •• g. direi·
t. na frente do. 3 p. seguintel e introduzi·la no p.
sem fazer, como para tricot' ·lo em meia, depois no
1.- dOI 3 p. tricotadol e fazer 1 m. em cada um dei'
sei 2 p., deixando cair da ag. esQuerda somente o 1.-
p.; depois tric. 2 m. e o p. sem fazer em meia ' ; 1 p.
de borda. 6.' urr.: tod. em tricô. 7.' carr.: voltar !li 1.'
carro
O PONTO DE ESPIGAS
Em um número de p. divislvel por 14, mail 01 p. de
borda. 1.' urr.: aveaso do Irabalho; • 3 m.; 11. enra.
lando o fio 2 vezel em '1011. da ag.; 6 t.: , I. enrolan-
do o fio 2 vezes em volta da ag.; 3 m. ". 2.' carr.: di·
reito do trabalho; • 3 t.; pOr o p. l eguinte numa ag.
auxilar, deix.ndo cair as laç. e colocando-a na frente
do tr.balho, tric. 01 3 p .. seguinte. em meia, depois
colocar novamente o p. alongado na 'g. esquerda e
t ri cot' ·lo em mei. ; pOr os 3 p. seguintes' espera nu·
ma ag. auxiliar colocada atr's do trabalho. pegar o p .
• eguinte deixando cair as laç. e tricot'-Io em meia:
trie. 01 p. li espera em meia; 3 m.' . Repetir sempre
estu 2 c.rr.
162


,.

o PONTO DE TELHAS
Em um número de p. divislvel por 4. 1,' . 2,' cerT.: •
2 m.; 2 t. ' . 3,' carr.: • 2 m.; 1 t .; 1 eum. em meia
(tric. em meia o fio horizontal entre 2 p.l : 1 t. " 4,'
carT.: • 3 m.; rem. o 1,' m. sobre os 2 outros; 2 t. "
5,' elIrr.: voltar à , .. carro deslocando em 2 p., isto é.
começando com 2 t .
O PONTO GRANITÉ
Em um número de p. dillisrvel por 4, mais 2 p., mais
os p. de borda. 1,' caIT.: em meia. 2,' urr.: 1 p. de
borda; • 21. ; llaç.; 2 m.; rem. alaç. sobre os 2 m. ' ;
2 t. ; 1 p. de borda. 3,' urr.: em meia. 4,' carr.: 1 p. de
borda; • 1 laç. ; 2 m.; rem. a laç. sobre os 2 m.; 2 I. ' ;
terminar com 1 laç.: 2 m.; rem. 8 taç. sobre os 2 m.:
1 p. de borda. 5,' arr.: voltar à 1,' carr o

O PONTO RENASCENÇA
Em um número de p. divisivel por 8, mais 2 p. 1,' , 2,' ,
3,' . 4,' CIIrr.: em meia. 5 .. ca".: • 2 m.; 6 t . ' ; 2 m. 6,'
arr.: em meia. 7.' carr.: " 2 m.; 1 t. ; 4 t . enrolando
para cada p., o fio 2 vezes em volta da ag.; 1 t . " ; 2
m. 8.' c.n.: 2 m.; " 1 m.; passar na ag. direita sem fa-
zer os 4 p. seguintes, deixando cair um dos 2 fios; pe·
gá·los novamente na ag. esquerda e tricotá·los jun·
tos alternadamente. 1 vez em meia. 1 vez em tricO. 1
vez em mei a e mai s 1 vez em tricO, para obter nova·
mente 4 p.; 3 m. " . 9.· "ClI rr.: " 2 m.; 6 t. " ; 2 m. 10.'
carr.: em meia. n .· c.".: voltar ii L' carr o
,

163
164
"
EM TR:CO,OS PONTOS CHEIOS
Estes pontos são perleitos. sendo bem encorpados. para a execução de peças
grandes como mantôs. casacos, pulôveres. Conseqüentemente. toma-se inút il
trabalhar muito apertado.
PONTO DE MARISCOS
Em um nlimero de p . divislvel por 6 mail 1 p de borde
1," • 6," cln. : em meia 2 ," Cllr •. : 1 p de borda ' I
I .. 5 I enrolando o fio 2 lIel es em \/01'8 da 8g • 1 t
1 p de bordl 3 ,· carr.: 1 p de borda. 1m ' !irai sem
fi zer OS 5 p seguin t es. colocando-os na.g direita e del-
IIlndo cei. um dos 2 fios da linha enrolada, relom" I S
les p. ne .g. esquerda e tricotá,los juntos. 1 lIez em
meia, 1 lIez em nicO. 1 lIel em meia . 1 lIel em t ri cO
e mais I vu em meie enrolando ceda vu. o fio duas
vues em \/olte de Ig. (obtemos nOVlmente 5 p,l: I m
" 1 p. de borde . 4 ," Clrr.: 1 p. de borde, • 1 1, 5 m
deixando cair um dos 2 fios da linha enrolada ", I I
1 p. de borde. 6 ,· Cl rr.: 1 p de borda. 4 I " 5 p enro
lando duas vezes o fio em volta da ag . 1 I " 3 t 1
p. de borda 7 .· Clrr,: 1 p de borda. 3 m_. " 1m Iraba
Ihar 05 5 p. segulnles, como loi indicado pari a 3 " CI "
". 4 m . 1 p. de borda 8 ." carr.: 1 p. de borda 4 t
• 5 m. deixando cair um dos 2 lios da linha erUOI&da
1 I " 3 1_, 1 p de borda 9 ." catr .: recomecar na 1·
car,
PONTO ENVIESADO
1." Clrr.: emlricO 2 . · cI".: 1 p.deborda, " 1 p cr uu
do é diraita. plsslndo a ag dl,eila na Iranla do 1 • P
IriC. o 2· em meia. sem deixa-lo cair da ag esquerda
depois o 1· p em meia e deixa-los cair juntOS da ag
esquerda " 1 p de borda 3 ," cerr,; 1 p de borda 1
I .. • cruzar os p como na 2· carr mas IricOl8ndo-os
em tricO " 1 I , 1 p de borda Recomecar na 2· cafl
PONTO X
Em um número de p divislvel por 8 mais 1 p. de borda
1,· cerr , : em meie. 2 ." Clrr,; 1 p. de borda, ' 6 I enro-
lando o lio duas vezes em volta da ag . 2 m " 1 P de
borda, 3 ,· Cln,; 1 p de borda . • 2 m.; Ctutar os 6 p
5eguinles (1lrar sem lazer 6 p .. colocando·os na ag direi
ta, deixando cair o fio suplementar de cada p retoma r
e51es p na ag esquerda e crud-Ios 'ric em meia por
cima doi 3 primeirOI, começando pelo 4 · depois o 5·
e 06· Tric am seguida o 1·, o 2·, depois o 3 · .1 ' 1
p. de borda 4 ." CI",: 1 p de borda, 2 t 2 m • 6 t
anrOlando o lio duas veles em volta da ag 2 m " 4
t . 1 P de borda 5,· CI"i: 1 p de borda. 4 m. " 2 m
crutar os 6 p seguinles ' . 4 m 1 p de borda 6 • CI"
recomecar na 2 • ca"
o PONTO DE TELHAS
Em um número de p. divisível por 4. 1,' . 2,' carr,: •
2 m.; 2 t. " 3,' CIIrr.: • 2 m.; 1 t.; 1 aum. em meia
(Irie. em meia o fio horizont al entre 2 p.) ; 1 t. ' . 4, '
carr.: • 3 m.; rem. o L' m. sobre os 2 oulros; 2 t . ' .
5,' urr.: voltar à 1,' carro deslocando em 2 p .• isto é,
começando com 2 t.

O PONTO GRANITE
Em um número de p. divisível por 4, mais 2 p., mais
os p. de borda. 1,' carr.: em meia. 2,' c.lrr.: 1 p. de
borda ; • 2 t.; 1 laç.; 2 m.; rem. 8 laç. sobre os 2 m. ' ;
2 I.; 1 p. de borda. 3,' CIIrr.: em meia. 4,' urr.: 1 p. de
borda ; • 1 laç.; 2 m.; rem. a laç. sobre os 2 m.; 2 1. ' ;
terminar com' taç.; 2 m.; rem. a laç. sobre os 2 m.;
1 p. de borda. 5,' carr.: voltar à 1,' carr.

O PONTO RENASCENÇA
Em um número de p. divislvel por 8, mais 2 p. 1.', 2,' ,
3,' .4,' carr.: em meia. 5 .. carr.: • 2 m.; 6 t. ' ; 2 m. 6,'
carr.: em meia. 7.' c.rr.: • 2 m.; 1 t. ; 4 t. enrolando
para cada p., o fio 2 vezes em volta da ag. ; 1 t. *; 2
m. 8.' urr.: 2 m.; • 1 m.; passar na ag. direita sem fa-
zer os 4 p. seguintes, deixando cair um dos 2 fios; pe-
gá-los novamente na ag. esquerda e tricotá-los jun-
tos alternadamente, 1 vez em meia. 1 vez em tricO, 1
vez em meia e mais 1 vez em tricô, para obter nova-
mente 4 p.; 3 m. ' . 9 ... ·tir' .: • 2 m.; 6 t. ' ; 2 m. 10.'
urr.: em meia. 11 .. c.rr.: voltar ê 1.' carro
,

'63
,
AS GRADES
Em um numero de p. di"i,I",.1 por 8 mais 7. L " Clrr.:
1 m. , 1 t ., • 3 I .. 5 m. 0; 4 I., 1 m. 2 ," clrr.: 1 t ., 4
m.; • 5 I .. 2 laç. (enrol.r o fi o de II dun vezes em vol t a
da a9.1, 3 m. 0; 1 m., 1 t . 3 ," CI,r,: ' m., ' t.: • 3 I ..
deiur ce ir • leç. dupla. com I Ig. direita pegar o
p . • egulnte sam lricOI6-lo, formando um p. alongado
(dei.lr 8'11 alça na Irente cio trabelhol . trie. 4 m. depoi s
retomar .stl alça, como 1 p. IricO II colod-'. na ag
direi" sem nicoI' -I. 0; 4 t ., lm. 4 ," urr.: como I 2,'
carro 5," Clrr.: como I 3," Clrr. 8 , " carr.: como I 2."
carro 7 ," Clrr.: como I 3," c.rr. 8 , " cerr.: 1 t ., 4 m.; ·
5 t ., 3 m. 0; 1 m., 1 1. 9 ," cerr.: 1 m.; • 5 m., 3 t . 0;
6 m. ' 0," carr.: 6 I.; • 2 'aç. (como na 2 ", carr.); 3
m., 5 I. "; 2 laç., 1 I. '1 ," carr.: 1 m.; · deixar ceir a
laç. dupla ; pYllar o p. par. formlr uma alça, dil+xi-la o.
frente do tre bllho, 4 m., retomar I alça (como oa 3 ."
carr.!, 3 t . o; deh,ar cair a laç. dupll , formar a alça, 4
m" ratomar a alça, 1 m. 12 ," carr,: como a I O." carr,
13.· Clrr .: como alI." Clrr. 14." Clrr.: como aIO.·
PONTO TRICO BARRADO
1.· ClrT.: ayesso do uabalho, o 3 m., 1 laç., I p, sem
fazar o . 2 ," urr .: am mela pegando Juntos, por trb, o
p, sem fazer e a laç. que o precede,
PONTO RIZOTTO
Ponto Indeformável. podendo ser usado dos dois l&dos.
Em um numaro par da p. 1,· , 3 .", e 5 ," carr. : em mela.
2 .· Clrr.: 1 p. de borda, o tric. 2 p. Juntos am uicô; de-
pois, sem deld-Ios cair da ag. esquartla, Iricol' -los no-
vamenle Junt os em meia ". 1 p, de bortla . 4 . " carr,: 1
p. de bortla, 1 I., o trlc. 01 2 p, legulntes juntos em t .;
depoil, sem deld-lol cair da ag, esquertla, tricOt' -105
novamente em m. o , 1 t ., 1 p. de borda, 6 .· carr.: reco-
meçar na 2 .· carro
PONTO FRANZIDO
• Com as ag. finls uic. 6 carro em p. tricô, • plssar pari
as ag. grossas e tric. 6 carro em p. meia duplicando o
nClmero de p. na 1." carro (tri c. em m. duas vezes c&da
p .. peglndo 1 vez o fio da frante e o 1 vez o fio de Irb)
Pegar oovamente as ag. finas fi trlc. 6 carro em p. tricô,
tri c . 01 p. juntol 2 a 2 duraote I 1." carro ".
carro 15." Clrr,: como a lI." carr, 16." carr,: 6 t.: · 3
m .. 5 t . "; 1 t . 17, " carr.· vol t ar. 1." carro
165
ASCORDAS
Um dos motivos mais c".sicos do tricô e que nunca sai da moda, quando
usado em pulôveres e cardigãs, é o das cordas (ou tranças' . As cordas po-
dem lef executada. em uma ou duas cores, destacando-se sobre un fundo
em avesso do ponto meia ou intercaladas com motivos mais complexos, co-
mo no caso das malhas irlandesas.
166
OS LOUROS
Em um numero de p. di ... i,f..,el por 18, mail 2 p., mai,
01 p. da borda. 1,' c.I".: 1 p. da borda; 2 p. cruzado.
" direita (trie. o 2," p. da eg. esquerda 11m mei a pas·
sando na frente do 1," p . • am deid ·lo cair d. ag., de-
poil trie. o 1," p. em meia e deixar cair os 2 pJ; ·4 t .;
1 'aç.; 5 m.; 1 laç.; 1 mate simples; 1 m. torcido; 4 t.;
2 p. cruzadol à direita . ; 1 p. de borda. Neltll carro
.um. 1 p. que ser' rem. na 7," carro 2." UI", • tod • •
•• per": tric. acompanhando o p. e as laç. em triell.
3.' urr.: 1 p. de borda : 2 p. cruzados 6 direita: °4 t.:
1 laç. 1 m.: 1 mate simples; 1 t.: 2 p. juntos em meia;
1 m.; 1 laç.: 1 t.; 1 m. torci do; 4 1. : 2 p. cruzados à di·
relta 0; 1 p. de borda. 5.' urr.: 1 p. de borda; 2 p. cru-
zados 6 direita; o 4 1. : 1 laç.: 1 m.: 1 mate simples; 1
t.; 2 p. juntos em meia; 1 m.; 1 t.; 1 m. torci do: 4 t.: 2
JI'. cruzados à direit a 0; 1 p. de borda. 7." ca".: 1 p. de
borda: 2 p. cruzados 6 direita; ° 4 t.; 1 laç.: 1 m.; 1
laç.; 1 mate simples; 1 t.; 2 p. juntos em meia; 1 t .; 1
m. torcido; 4 t.; 2 p. cruzados à direita o; 1 p. de bor-
da. I .' urr.: 1 p. de borda; 2 p. cruzados 6 direita : 04
t.; 1 laç.; 3 m.; 1 laç.; 1 mate duplo; 1 t.: 1 m. torci-
do: 4 1. ; 2 p. cruzados à direita 0; 1 p. de borda. '0.-
urr.: como a 2.' carr. 11.' c.rr.: voltar à , .' carro

A CORDA AMARRADA
Em um número de p. divislvel por 10. mais 2 p. , .'
c.rr.: ° 2 t .; 2 m.; 2 t.; 4 m. 0; terminar com 2 t. 2.'
urr . • todas as par .. : tric. acompanhando o p. 3.'
c.rr.: como a I ." carro 5." carr.: °1 t.; 4 m.; 2 t.; 2 m.;
1 t. o: terminar com 1 t.; 1 m. 7.' c.rr.: como a 5.-
carro I ." c.rr.: o 1 t.; pôr 2 m. à espera numa ag. auxi·
liar colocada atrh do trabalho; tric. 2 m .. depois os 2
p. à espera em meia ; 2 t.; 2 m.; 1 t. 0; terminar com
1 t. e 1 m. ,'.' c.rr.: tric. acompanhando o pont o.
13." c.rr.: o 2 t.; 2 m.; 2 t.; 4 m. ' ; terminar com 2 t.
15.' c.rr.: tric . • companh ando o ponto. 17.' c.rr.: ° 2
t.; 2 m.; 2 t.; pôr 2 p. à espera numa ag. auxiliar colo-
cada atrés do tra balho; tdc. 2 m.; depois os 2 p. 6 es'
pera em mela 0; terminar com 2 t. 19.' carr.: t ric.
acompanhando o ponto. 20.' c.rr.: como a 2.' carro
21.' carr.: voltar à 5.' carro
,


OS ARCOS AJURADOS
Em um número de p. divisrvel por 20. mail 2 p. ,.-
CIIrr.; • 2 t.; 8 m.; 2 I.; 8 m . • ; terminar com 2 t. 2,'
CIIrt . • tod .. •• fM''' : trie. Icompanhando o ponto.
l ," Ulrr.! • 2 t .; 8 m.; 2 t.; 1 m.; .. 1 mate simples li 1
laç ... f3 v.l; 1 m . • ; terminar com 2 t . 5 .. urr.: • 2 t. ;
8 m.; 2 t.; .. 1 mate simples; 1 laç ... (3 v.l; 2 m. ' ; ter·
minar com 2 t. 7,' CIIrr.: • 2 1. ; 8 m.; 2 t.; 1 m .. 1 ma-
te simples. 1 'aç." (2 v.l; 3 m. ' ; termin.r com 2 t.
I ,' carr.: . .. 4 p. cruzados t direita (pôr 2 p. 111 espera
numa Ig. luxiliar colocada atr., do trabalho. trie. os
2 p. seguintes em meia, depois os 2 p. 111 esper • • tam·
~ m em mei.) ; 4 p. cruzados 111 e.querda (pôr 2 p. à
'sper. num. I g. auxiliar colocada na frente do traba-
lho. trie. 01 2 p. seguintes em meia, depois 01 2 p. 6
'lp.r8, t.mbém em meia) -; 2 t .; repet ir de .. . ..
maia (1 .... ); 2 t . • ; 2 t. 11.' c.n.! · 2 t.; 1 m.;" 1 mate
simples e 1 I.ç." (3 ... . ); 1 m.: 2 t.; 8 m . • ; termin.r
com 2 t. 13.' CIIn.: • 2 1. ; .. 1 mate Simples e 1 laç ...
(3 .... ): 2 m.; 2 t.; 8 m . • ; termin.r com 2 t. 1$.' CIIn.: •
2 t.; 1 m.: .. 1 mate simples; 1 I.ç ... (2 ... . ); 3 m.; 2 t.;
8 m . • ; terminar com 2 t. 17.' CIIn.! · 2 t. ; 4 p. cruza·
do. a direite; 4 p. cruzado •• esquerd.; 2 t.; 4 p. cru·
zados' direita; 4 p. cruzados a esquerda . ; terminar
com 2 t. " ." CIIn.: como. 2.". " ." CIIn.: ... oh., • 3."
.. rr.
OS CORAÇÕES TRANÇADOS
Esta corda é executada em 12 p. 1." CIIn.: 4 1. ; 4 m.: 4
t. 2." CIIn . • tod.s .s p.,..: tric. acompanhando o
ponto. 3." CIIrf.: 4 1. ; 4 p. cruzados (pOr 2 p. numa ag.
auxiliar colocada na frente do trabalho, tric. os 2 p.
seguintes am mela, depois os 2 p. da ag. auxiliar,
lambem em meia); 4 I. 5." CIIn.: 3 I.; cruzar 2 p. a di.
reita (pOr 1 p. numa ag. auxiliar colocada atrás do tr.-
b.lho; tric. 2 m., depois o p. da ag . • uxil i.r am tricÔ):
cruzar 2 p. a esquerda (pOr 2 p. num •• g. auxili.r co-
locada n. frente do trabalho, tric. 1 t., depois os 2 p.
da ag. auxiliar, em meia): 3 1. 7." CIIrf,: 2 I.; cruzar 2
p. a direit.; 2 I.; cruzar 2 p. a esquerda; 2 1. 9.' CIIrf.:
1 t. : cruzar 2 p. a direita; 4 1. ; cruzar 2 p. a esquerd.;
1 t. 11.' CIIn.! ... oltar a 1." carf.: mas alternar um mot i-
"'0 coloc.ndo na 3." carro a ag. auxiliar na frente e um
moti ... o colocando na 3.' carro a ag. auxil iar atrás do
trabalho.

167
168
OS ELOS
Tric. em 6 p. t ,' , 3.', 9.' , 11,' , 13,'.15.' urr.: 2 m.; 2
t. ; 2 m. 2,' , 4,' , 10.' , 12,' , 14,'. " ,, c.rr.: 2 1. ; 2 m.; 2 I.
5,' C,,,.; pÔr 2 p. à espere numa 8g. aUlCiliar colocada
alr" do trabalho; pOr 2 p. à espera numa 8g. auxili ar
colocada na frente do trabalho; trie. os 5,- e 6,- p. jun-
101, em tricO; trie. em meia 01 2 p. AI espera na fren-
te; uic. junto •. em meia, os 2 p. ii espera atrás . . ..
cerr.: 4 I. 7,' urr.: 4 m. I ,' CIIfT.: pOr 1 p. 6 espera na
frente do trabalho: pOr 2 p. t espera atrás do traba-
lho: tric. o 4,- p. em tric6. formando 1 .um. (trie. o p.
tricO 2 vezes : 1 vez introduzindo I 8g. no fio d. fren-
te ti 1 vez no fio de trásl; uic. em meia os 2 p. à espe-
r. IIrh: tric. em tricO o p. t espera na frente, forman-
do 1 .um. em tric6, como 8)(plicado anleriormellte.
17,' cerr.: voltar i!I L' carro
OS CRUZAMENTOS DUPLOS
elta corda 6 executada em 24 p. ' .' urr. : 2 m.; 8 t. ;
pôr 2 p. numa ag. auxiliar colocada alr'l do traba·
lho; tric. 01 2 p. seguintes em meia, depoil 01 2 p. da
ag. auxiliar, também em mela; 8 t.; 2 m. 2,' cln . • to-
d •••• plr": tric. acompanhando o ponto. 3.' un.:
• cruzar 2 p. para a esquerda (pôr 2 p. numa ag. auxi·
liar colocada na frente do trabalho; tric. 2 t. , depoil
0.2 p. da ag. auxiliar em mela); 4 t. ; cruzar 2 p. i!I di ·
reita (pôr 2 p. numa ag. auxil iar colocada atr's do tra·
balho; tric. 2 m., depois os 2 p. da ag. auxili ar em tri o
c6) • 12 v.l. 5.' un.: • 2 t.; cruzar 2 p. para a esquer-
da; cruzar 2 p. para a direita ; 2 lo' 12 v.l. 7.' urr.: • 4
t.; cruzar 4 p. como na 1.' carr.; 4 t . • 12 v.) 9.' urr.: '
2 I.; cruzar 2 p. para a direita ; cruzar 2 p. para a e.-
querda; 2 t . • f2 v .). '1 .. urr.: • cruzar 2 p. para a di-
reita ; 4 t.; cruzar 2 p. para a esquerda ' 12 v.l 13.'
clrr.: voltar à 1.' carro

-
,

BARRA TRANÇADA
Esta corda é executada em 18 p. 1,' c.lrr.: 1 t .; 1 m.;"
2 t ., 2 m ... f3 v. l; 2 t .; 1 m.; , t. 2,' CIIrr.: 1 m.; 1 1.; 2
m.; ... 2 I.; 2 m. to f3 v,); 1 t. ; 1 m. 3 ... S.' R,r.: como
a L' carro 4,' • S.' CIIrr.: como I!I 2,' carro 7,' carr.: 1 t. ;
pOr 4 p. à espera numa ag. auxili ar colocada 81rh do
trabalho; trie. os 4 p. seguintes dessa modo: 1 m.; 2
I.; 1 m .• depois traba lhar 01 4 p. à espera, acompa·
nhando o ponto; pOr 4 p. à espera numa ag. aultill llr
colocada na frenta do trabalho, Irlc. 01 4 p. seguint es
acompanhando o ponto. depois 01 4 p. à espera, tam·
b ~ m acompanhando o ponto; 1 t . I ,' ç,lrr.: como I 2,'
carro 9,' CIIrr.: como a 1.' cerro 10,' CI".: como. 2.-
cerro 11 ,' clrr.: vollar à 1,' carro
BARRA TORCIDA BICOLOR
Esta corda é executada em 28 p. (Não esquecer da
cruzar cuidadosamente 01 fiol II cada mudança de
cor.) 1.' CIIrr.: rosa; fazer 6 t. ; 6 m.; passer para o fio
verde, cruzer 2 p. a direita (passar a ag. direita na
frente do 1." p. da ag. esquerda; tri c. o p. seguint e
em meia, depois, sem deixá·lo cair da ag .. tric. o 1.·
p. em meia e deixar cair os 2 p. da ag. eaquerda) e 2
p. cruzados à esquerda (passar a ag. direita atrás do'
1." p. da ag. esquerda, tric. o p. seguinle em mela, de-
pois, sem deixá·lo cair, tric. o 1.· p. em meia e deixa r
cair o. 2 p. da ag. esquerda); passar novamenta para
o fio rosa e fazer 6 m.; 6 t. 2.' CoIrr . • toda. a. par •• :
lric. acompanhando o p. 3.' carr.: com o fio r018, 6 1.;
uma corda â direita (pOr 3 p. â espera numa ag. auxi·
liar colocada alr" do traba lho; tric. 3 m.; depois os 3
p. da ag. auxiliar, também em meia); com o fio ver·
de, tric. 2 p. cruzados a direita; 2 p. cruzados a es·
querda; com o fio rosa, 1 corda a esquerda (pOr 3 p.
â espera numa ag. auxili ar colocada na frente do tra-
balho. tric. os 3 p. seguintes em meia, depois os 3 p.
da ag. auxili ar, também em mela); 6 t. 5.'.7.' carr.:
como a 1.' carL 8.' carr.: como a 2,' carro 9.' carr.: vol-
tar à 3.' carro
,
_____________________________________________________________ 169
FANTASIAS
Estes pontos são usados para malhas arejadas e leves e deveriam ser execu-
tados com fios relativamente finos. pois seu efeito depende a,cima de tudo
do fio utilizado. São ideais para trabalhos mais delicados e macios, como blu-
sas elegantes de verão. "liseuses" e roupinha de bebê.
AS BARRAS AJURADAS
Em um número de p. divi.rvel por 5, mail 2 p., mais
o. p. de borda. 1,' carr.: 1 p. de borda; 2 t.: • 1 laç.: 2
p. juntol em mail torcido (pegandO' OI por trés); 1
m.; 2 t. " ; 1 p. de borda. 2,' CII'r.: 1 p. de borda; 2 m.;
• 1 laç.; 2 p. lumos em meie torcido; 1 1. ; 2 m. " ; 1 p.
de borda: repetir sempre estas 2 c.rr.
AS LINHAS AJURADAS
QUEBRADAS

Em um numero de p. di ... isl .... , por 12, mais 1 p. 1.'
urr.: em mei • . 2,' urr.: em mei • . 3,' CIItT.: • 2 m.; 1
'aç.:" 1 m.; 2 laç.;" (2 v.l; 1 m.; lleç.; 1 m. ' ; 1 m.
4,' carr.: tric. 01 p. em meia e deiur cair el laç. 5.'
urr.: 1 m.; 2 laç.; 1 m.; 1 laç.; 1 m.; - 2 m.; 1 laç.; ..
1 m.; 2Iaç." (2 v.); 1 m. ; 1 laç.; 1 m . • ; terminar com
2 m.; 1 laç.; 1 m.; 2 laç.; 1 m. I.' carr.: como a 4.'
carro 7.' urr.: voltar ii 3.' carro

AS TULIPAS
Em um número de p. divisível por 13, mail 01 p. de
borda. ' " urr.: em tricO • direito do trabalho. 2.'
urr.: em meia . 3.' carr.: 1 p. de borda; 6 t. ; • no p. se·
guinte, tric. 6 p. em 1 p. , ou seje: 1 t.; 1 m.; 1 t.; 1 m. ;
1 t.; 1 m.; 12 t. - ; nico 6 p. em 1 p.; 6 t.; 1 p. de borda.
4." carr.: 1 p. de borda; 6 m.; - 6 t.; 12 m . • ; 6 t.; 6
m.; 1 p. de borda. 5.' urr.: 1 p. de borda; 6 t.; • 6 m.;
12 t. - ; 6 m.; 6 t.; 1 p. 'de borda. I .' carr.: como a 4.'
carro 7.' carr.: 1 p. de borda; 2 p. juntos em tricO (2
v.l ; 2 t.; • 2 m.; 1 laç.; 2 m.; 1 laç.; 2 m.; 2 t.; 2 p. jun-
tos em tricl! 14 v.l; 2 t. - ; 2 m.; 1 laç.; 2 m.; 1 laç.; 2
m.; 2 t. ; 2 p. juntos em tricO (2 v.I; 1 p. de borda. I ..
urr.: 1 p. de borda; 4 m.; • 8 t.; 8 m. - ; 8 t.; 4 m.; 1
p. de borda . • ." carr.: 1 p. de borda; 2 p. juntol em tri o
cO 12 v.); - .. 2 p. juntos em meia ; 1 laç.; 1 m.; 1 laç .
.. ; repetir de .. a .. mais 11 v.); 2 p. juntol em meia ; ..
2 p. juntos em tr:cO " (4 v.l - ; terminar com 2 p. jun-
tOI em tricO (2 v., em vaz da 4 V.; 1 p. de borda. 10.'
170
,
urr.: 1 p. de borda;- 2 m.; • 9 t.; 4 m. - ; 2 m.; 1 p. di
borda. 11." carr.: voltar ii 1.' carro
OS ENTRELAÇADOS AJURADOS
Em um número de p. divislvel por 13, mais 1 p. 1,'
carr.: • 2 m.; 1 mate simples: 4 m.; 2 p. juntos em
meia; 2 m. ; 1 laç.; 1 m.; 1 laç. ' . 2." carro • tod •• ••
p., .. : trie. os p. ti as laç. em tricÔ. 3,' ce".: • , laç.; 2
m.; 1 mate simples; 2 m.; 2 p. juntos em meia; 2 m.;
1 laç.; 3 m. " 5.' carr.: • 1 m.: 1 laç.: 2 m.; 1 mate
simples; 2 p. juntos em meia; 2 m.; 1 laç.: 4 m. " 7,'
urr.: • 1 laç.; 1 m.; 1 laç.; 2 m.; 1 mate simples ; 4
m.; 2 p. juntos em meia; 2 m. ' . 9,' carr.: • 3 m.; 1
laç.; 2 m.; 1 mate simples; 2 m.; 2 p. Juntos em
meia; 2 m.; 1 laç. ' . 11,' carr.: • 4 m.; 1 laç.; 2 m.; 1
mate simples; 2 p. juntos em meia; 2 m.; 1 laç.; 1 m.
" 12,' carr.: em tricÔ. 13,' C8rT.: voltar à I ,' caH.
O PONTO PERFURADO
Em um número de p. divislvel por 3. mais os p. de
borda. 1,' carr.: avesso do trabalho; 1 p. de borda; "
1 m.; 2 t. "; 1 p. de borda. 2.' ca".: direito do traba-
lho; 1 p. de borda; • 1 m.; 1 laç.; 2 p. juntos em meia
' ; 1 p. de borda. 3.' ca".: 1 p. de borda; , 1 1. ; tric. a
laç. em meia; 1 t. ' ; 1 p. de borda. 4.' carr.: T p. de
borda; , 1 m.; 2 p. juntos em meia; 1 laç. ' ; 1 p. de
borda. 5.' ca".: 1 p. de borda; • tric. a taç. em meia;
2 1. ' ; 1 p. de borda. Voltar à 2.' carro

O PONTO FANTASIA
Em um número de p. divistvel por 12, mais 2 p. 1.'
carr.: 1 m. ; , 1 mate simples; 3 m.; 1 laç.; 21. ; 1 laç.;
3 m.; 2 p. juntos em meia ' ; terminar com 1 m. 2.'
ca".: 1 m.; , 2 p. juntos em tricO; 2 t.; 1 laç.; 4 m.; 1
laç.; 2 1. ; 2 p. juntos em tricO torcido (pegando-os
por Irás) ' ; 1 m. 3.' ca".: 1 m.; , 1 mate simples ; 1
m.; 1 laç.; fi t.; 1 laç.; 1 m.; 2 p. juntos em meia ' ; 1
m. 4.' carr.: 1 m.; • 2 p. juntos em tricO; 1 laç.; 8 m.;
1 laç.; 2 p. junlos em tricO torcido ' ; 1 m. 5.' ca".: 1
":I.; • 1 I.; 1 laç.; 3 m.; ~ . juntos em meia; 1 male
simples; 3 m.; 1 laç.; 1 "["; 1 m. 6.' carr.: 1 m.; , 2
m.; 1 laç.; 2 t.; 2 p. juntos em tricO torcido; 2 p. jun-
tos em tricO; 2 t.; 1 laç.; 2 m. "; 1 m. 7.' carr.: 1 m.; "
3 t.; 1 laç.; 1 m.; 2 p. juntos em meia; 1 mate sim-
ples ; 1 m.; 1 laç.; 3 I. ' ;, 1 m. 8.' carr.: 1 m.; "4 m.; 1
laç.; 2 p. junlos em IricO'1orcido; 2 p. juntos em tricO;
llaç.; 4 m. ' ; 1 m. 9.' carr.: voltar 6 L' carro
171
172
OSPONJOS
De fato, •• t es pontos parecem realmente renda formando desenhos de to·
lha., flora •. .. E, como a rendai eles devem ser escolhidos para trabalhos deli ·
cados • requint ados. Os pontos são bastante elaborados e portanto aconse-
Ih'vais .ó •• tricotei r •• mais experientes.
OS BAIXOS·RElEVOS
Em um número de p. dl ... !.f". ! por 8 + 1 p" mais os
p. de borda. 1," urr.: 1 p. de borda; • 1 m.; 1 laç.; 1
mate simples; 3 m.; 2 p. JuntOI em mela; 1 laç. 0; 1
m.: 1 p. de borda. V ctln' • • toda. a. trlc. os p.
• a. laç. em tricô. 3,' ctln',: 1 p. da borda: • 2 m.: 1
taç.; 1 mate simples: 1 m.; 2 p. juntol em maia; 1
' aç.; 1 m. 0; 1 m.; 1 p. de borda. 5,' CII".: 1 p. de bor-
da; • 1 m.: 1 laç.; 1 mata . Imples; 1 laç.; 1 mate du-
plo: 'Iaç.; 2 p. juntol em mala; 1Iaç. · ; 1 m,; 1 p. d.
borda. 7," c.".: 1 p. de bord.; • 2 m.; ll.ç.; 1 m.te
simples ; 1 m.; 2 p. juntos em mei.; 1 I.ç.; 1 m. 0; 1
m.; 1 p. de bord • . ' .' cerT,; 1 p. de bord. ; , 3 m.; 1
laç.; 1 mate duplo; 1 I.ç.; 2 m. · ; 1 m.; 1 p. de bord • .
11,' cerT.: 1 p. de bord. ; • 1 m.; 2 p. juntos em meia ;
1 m.; 1 laç.: 1 m.: 1 laç. ; 1 m,; 1 m.le simples . ; 1
m.; 1 p. de bord., 13,' I 15.' ce".: como a 11 .' carro
17.' ce".: 1 p. de borda; , , m.; 1 laç.; 1 mate sim· .
pIes; 3 m.; 2 p. Juntos em mei. ; 1 laç . • ; 1 m.; 1 p. de _
bord • . " " ce".: 1 p. de bord. ; • 2 m.; 1 laç.; 1 mate
simples; 1 m.; 2 p. Juntos em mei. ; 1 laç.; 1 m . • ; 1
m.; 1 p. de bord., 21.' cerT,: 1 p, de bord. ; • 1 m,; 1
laç.; 1 mate simples ; 1 laç.: 1 mate duplo; 1 'aç,; 2 p.
Juntos em mela; 1 laç. ' ; , m,; 1 p. de borda. 23.'
cerT.: 1 p. de borda; • 2 m.; 1 laç.; 1 mate simples ; 1
m.; 2 p, Juntos em mela ; 1 laç.; 1 m, ' ; 1 m.; 1 p, de
borda. 25.' ce".: 1 p. de borda; , 3 m,; 1 laç.; 1 m.te
o PONTO PENACHO
Em um numero de p. divislv.1 por II , mais os p. d •
borda. 1.' , 3.' • 5.' cerr.: 1 p. de borda; • 2 p. Juntos
em meia ; 3 m.; 1 laç.; 1 m,; 1 laç,; 3 m,; 1 mate sim-
ples ' ; 1 p. de borda. 2.' cer, . I todal ai p. r.l : em tri o
c6. 7.' ce, r.: 1 p. de borda; , 2 p. juntos em m.ia; 2
m.; 1 laç.; 3 m.; 1 laç,; 2 m,; 1 mate s imples ' ; 1 p.
de borda. 9.' cerT.: 1 p. de borda; • 2 p. juntos em
meia ; 1 m.; 1 laç.; 5 m.; 1 I.ç.; 1 m.; 1 mate simples
. ; 1 p. de borda. 11.'.13.' cerr.: 1 p. de borda; , 2 p.
juntos em mela; 1 laç.; 1 m,; 2 p. juntos em meia; 1
laç.; 1 m,; 1 laç.; 1 mate Simples; 1 m.; 1 laç.; 1 mate
aimples· ; 1 p. de borda. 15.' c.rr.: 1 p. de borda; • 2
p. juntos em mei.; 1 m.; 1 laç,; 5 m.; 1 laç.; 1 m.; 1
mate simples ' ; 1 p. de borda. 17.' cert.: 1 p. de bor-
d.; • 2 p. juntol em meia ; 2 m.; 1 laç.; 3 m,; 1 laç,; 2
m.; 1 mate simples ' ; 1 p. de bord • . 19.' cerr.: voltar
81.'carr,
.....-, ./. . ......
',0,
l' ,''' •

..
••. ' •• '
.' ". •.•
... , .. , .
• •. ,., •. ' .• ,4.··t
, .
, .
,

•. " :; ..
· "." , "' . ..,. ., ..
-.".... .,' .' .
.. t. . .'
• ,. .:,.. • • f
f.' l" .,"". 0.
't tIl '/ "
. I. .'. . ,
,'.,'..;' ••.. ! l . •
• .... ','," "'I' '.' .'".
t .... , : ...... , .....
. '.. . . ' . . . .'
'" •••• L' ',,-° 0 , ,
duplo; 1 laç.; 2 m. ' ; 1 m.; 1 p. de borda. 21.' carr.:
em tric6. Estas 26 c.rr. const ituam o desenho que for-
m. um entremeio, que pode ser executado sobre um
fundo am p. meia .
..-, ' " p ".- "".; ..
I ,' ..... '.".' o" I fI-
, ..... ,.. .... " .. " ' ... -
.. .. ', _:_ f .. " .;. : •• ,
...... .. .
.... :.; ...... .. .. ; .... .
• . - ...... " . -. t ••
... • ..... - • l - , .....
........ t'; ., ll' r.· ..
f ... '.' - :' •• '1'...... I
.. •• .. .. • t
. ' .. '.. . .. ..
r
··."" '.J.,} . ... ,./
, ...... ," '.-"
" .... ( "' ...... . .
'" ," . • '. , _ .. r ,' , ' 4" .... .
,
. '"
,." • I'" .. "A' ,o.'
l ..• 16 .".; . .... ',tI.
, ... ,.'" .•.
..
... ,." ti ; •• • ' ..
, t " I •• ' ... -1
lIfI " . !. ro', ..
• .. ..-, fI - •
• 'J ... l ..• ,.,.
,. . .... . -
,!, ... ,I .' '. _:. ,
- . .
..... -. -....... ,.... . - .
to "r-; .. • •
lf " . , .... ... :. .. , ., t

. ir" •....
.... . ..... / ' ...... .. "" .
_., O. , .. , .. ....
•. ' .. . ,. ..
, •• . . ...
"',.. '" .,... .... ' . .,. -
.. to. ... . ... _ '.
. . .. -
",' fi .. _.1 .. .. ;. , •
• I
, .. · · ., · .....
- .....- ',.
•.• ' .
. "" . ,".
.... _. .. .. . , .
., - ..
. . . .•. '. ..
,o. ...- .-
'., tI .' ...
• • •


I
,
AS FONTES
Mot ivo em 15 p., mais 1 p. 1,' c.rr.: 1 m.; • 1 laç.; 1
m.; 1 malllsímples; 1 t .; 2 p. junto. em meia; 1 m.; 1
laç.; 1 t.: 1 mate simples; 1 t.; 2 p. juntol em meia ; 1
laç.; 1 m.; llaç.; 1 m. ' ; repetir de' at6 ' , 2,' carr.: 1
1.; • 41.: 1 m.: ti.; 1 m.; 3 t. ; 1 m.; 4 t . ' ; repetir de'
até' . 3,' urr.: 1 m.; • 1 laç.; 1 m.; 1 mata simples; 1
1. ; 2 p. juntol em meia ; 1 m.; 1 t.; 1 mate duplo: 1
laç.; 3 m.; , laç. ; 1 m. ' ; repet ir de • até " Nesta
Clrr., diminue 1 p. que •• r. 8um. na 5,' cerro 4,' urr.:
11.; - 6 t. : 1 m.; 2 t.: 1 m.; 4 t. - ; repet ir de - Ité - . S.'
carr.: 1 m.; - 1 laç.: 1 m.: 1 laç.; 1 mate simples: 1 t.:
-2p.junlosemmeia- (2 v.I; 1 Ilç.; 5 m.; , laç.; 1 m. - :
repetir de - Ité - . , .. carr.: 1 1. : - 7 t.; , m.; 1 1.; 1 m.;
5 I. - : repetir de - até - . 7" carr.: 1 m.; • 1 laç. ; 3 m.;
1 laç.; 1 mlle duplo; , t.; 1 laç.; 1 m.; 1 mate sim-
ples ; , t. ; 2 p. juntos em meia: 1 m.; 'Iaç.; 1 m. · ; re-
petir de ' até ". '" carr.: 1 t.; • 31.; 1 m.; 31.; 1 m.; 7
t. - . • .' carr.: 1 m.; • , laç.; 5 m.; 1 I.ç.; 1 mate sim-
ples ; 1 m.; 1 male simples; , 1. ; 2 p. junlOS em meia;
1 m.; 1 laç.; 1 m. - ; repetir de • até ' . 10 .. c.n,: 1 t.;
· 31. ; 1 m.; 2 t.; , m.; 8 I. " ; repetir de' até' . Voltlr
i , .. carro
AS OGIVAS
Em um numero de p. divislvel por 6, mais os p. de
borda, e desde a 3.' carro o ponto é formado em 8 p.
1 .. carr.: 1 p. de borda; • j m.; 1 laç.; 5 m.; 1 laç. ' ; 1
p. de borda. 2.' carr. e toel . 1 .1 p.r.s: tric. os p. e II
Ilç. em tricÔ. 3 .. urr.: , p. de borda.; • 2 m.; 1 laç.; ,
mate simples; 1 m.; 2 p. juntol em meia ; 1 laç.; 1 m .
• , m.; , p. de bord • . 5.' Clrr.: , p. de borda; • , 1. ; 2
m.; 1 Ilç.; , mate duplo; 1 laç.; 2 m. ' ; , t.; 1 p. de
borda. 7.', • .', 11.', 13.' • 15.' c.rr.: 1 p. de borda; • 1
1. ; 1 mate simples ; 1 m.; 1 Ilç.; 1 m.; 1 I.ç. ; 1 m.; 2
p. junlos em meie ' ; 1 t. ; 1 p. de borda. 17.' carr,: 1
p. de borda; , 1 m.; 1 Ilç.; 1 mate simples; 3 m.; 2 p.
juntos em meia; 1 Ilç. "; 1 m.; 1 p. de bordl . ,. ..
urr.: em triel!. 19.' carr.: voltar i 3.' carro
-
,

1 7::
174
A A
EM TRICO, PONTOS PARA O BEBE
Os pontos para o enxoval do bebê não devem ser complicados. as várias peças
do guarda-roupa devem ser simples e leves. Um motivo grande só poderá servi r
co mo enfeite.
OS FURINHOS INTERCALADOS
Em um número de p. divislvel por 6, mais os p. de borda.
1 ," 3 ,", 5,".7," carr.: 1 p. de borda, · 1 laç., 1 mate
duplo, 1 laç., 3 m. " , 1 p. de borda. 2 ." carro 8 todlS
a. carro lrie. os p. e as laç., em t . 9 .", 11 .", 13 ,"
115," cur.: , p. de borda. · 3 m., llaç., 1 mal. duplo.
I laç . • , 1 p. de borda. 17 ," c a rr.: recomecar n8 L" carro
PONTO DUPLO
1 ," Clrr.: · 1 r;n. , 1 t . ", 2," e 4 ," cerr.: em I. 3 ," carr.:
· 't., lm. ",
PONTO BARRA AMARRADO
Em um número plr de p. 1 ," c lrr.: · , m .. 1 I. " 2 ,"
Clrr.: !rie. acompanhando o p. 3." • 2 p. no p.
meia (uic. em m .. 1 v. o fio d. frenle, depOis 1 vez o
'd. , "
'· . " ' 2
10 e tr S . t.. . c.rr.: trlC. untos em t.. os •
I .; 1 m . • ,
PONTO DE CROaUÉ
Em um número de p. divis!\lel por 11 , mais 2 p., mais
os p. de borda. 1," Clr,. : I p. de borda . • 1 laç., 2 p.
juntos em m .. 1 laç., 1 mlte simples, 3 m., 2 p. junt os
em m., 1 laç., 2 m. " ; terminar com 1 laç., 2 p . juntos
em m .. 1 p. de borda. 2 ,- cer,. I todls , s c lrr. p.t •• :
2 ffi .. . 1 lioIÇ., 2 p. juntos em 1., 9 t . • , 3 ," cl rr.: • 1
htç., 2 p. juntos em m., 1 laç., 1 m" I mate simples.
1m., 2 p. juntos em m., 1 m., 1 laç., 2 m. "; terminar
com 1 laç., 2 p. Juntos enT4'n. 5," Cl rr.: • 1 laç., 2 p.
jun,,,s em m., 1 m., 2 p. juntos em m .. , laç., 1 m .. 1
laç., 1 mlle simples. 3 m. 0; terminar com 1 laç., 2 p.
juntos em m. 7 ," Clrr.: • 1 laç., 2 p. juntos em m .. 1
mate simples, 1 m., 1 laç" 1 m., 1 laç., 1 ffi .. 1 male
simples. 2 m. 0; terminal cóm 1 laç., 2 p. junlOS em m.
9.- carr.: racomaçar na l .- carr.
,
PONTO DE CADEIA
cm um número d. p. divi,Jye' por 4. 1 ," carr.: • 2 m
2 t . ", 2 ." cerr.: • 2 m., 1 t .. 1 laç., 1 I. ", 3 ." CI".:
• 3 m., 2 I. ", 4 ," ca".: • 2 m .. 3 I. ". 5 ," carr.: • 1
• m., 2 p. JuntOI em m., 2 I. ", 6." Clrr.: • 1 m .. 1 laç.,
1 m .. 2 t . ", 7 ." Clrr.: • 2 m., 3 1. ". 8 ." carr.: • J m ..
2 t. ". 9 ," clrr.: • 2 m., 1 t ., 2 p.)untos em t. ", 10."
c,,,.: r.comeÇIJr na 2." carf.
PONTO PIQUÊ BICOLOR
Em um nlimaro de p. divisrvel por 6. mal. os p. de borda.
Monllr 01 p. com o fio escuro. 1," can.: claro. 1 p. de
borda, • 3 m., IIr.r 1 p. sem lazar em t •. 1 m., tir.r 1
p. ,em '1IIr em t. ", 1 p. de b o ~ . 2 ." carr.: claro, 1
p. de bord. , fio n. frente . • tir.r 1 p . • em luer em t "
fio .tri •. 1 m .. fio n. frente, lir.r 1 p. sem fuer em t .•
J t. ", 1 p. de borda. J ," carr.: escuro, 1 p. de borda .
• tlr.r 1 p. sem luer em t ., 1 m., tir.r 1 p. sem faz. ,
em t ., 3 m. ", , p, de borda. 4 ." carr.: e.curo. 1 p. de
borda, " 3 t ., tirar 1 p. sem fezer em t .. fio lU", 1 m ..
fio nl frenle. tirar 1 p. sem fezer em I. ", 1 p. de borda.
PONTO DE ROSEIRAS
Em um numero de p. divisível por 8. mais 1 P .. mais
os p. de bord • . 1." carr.: 1 p. de borda. , m .. " ".ç ..
2 m., 1 mlle duplo. 2 m .• , IIÇ., , m. ". 1 p. de borda.
2 ." carro e toda. a. carro par •• : IrlC. os p. e as laç. em
t . 5 .".7." ca".: 1 p. de borda. 2 p. juntos em mo, "
2 m .• 1 IIIÇ., I mO, , laç .. 2 m., , mate duplo "; terminar
com 1 mate simplas, , p. de borda.
FURINHOS EM V
Em um numero de p. divislvel por 12, mais os p. de bor-
da. 1." carr.: em m. 2 ." cart. a toda. a. carro pare. :
em t . 3 .· carr.: 1 p. de borda. " 7 m .. , laç., , mllte
simple., 1 m . 2 p. junlos em mO, 1 laç. ", 1 p. de borda.
5." ca".: , p. de borda. " 8 mO, 1 laç., 1 mail duplo,
'Iaç .. l m. ". 1 p. de bordl. 7 .· cart.: em m. 9 .· carr.:
1 p. de bord • . " , m , 1 Ilç .• , mail .imple •. 1 m .. 2
p. juntos em m .. 1 Ilç .. 6 m. ". 1 p. de bordl. 11 ." CIIrr.:
1 p. de borda. " 2 m .. 1 laç .. , mlle duplo. 1 laç. , 7
m. ", 1 p. de borda. 13." carr.: recomeçar nl 1.· carro
175
PONTO DE LAJOTAS
Ef!' um m.imaro de p. di vi sfvel por 10. Começar e ter -
minar ai carr o com 1 p. de borda. 1,' clrr.: • 1m.; 1
'aç.; 1 mate sImples (ti,ar 1 p. sem fazer , Iric. o p. se-
guinte, rem. o p. sem fazer lobre o Irie.); 5 m.; 2 p.
JuntOI em meia ; 1 laç. " 2,' urr. e tod •••• pIre. :
uic. todos 01 p. em tricô. 3,' clrr.: • 2 m.; 1 laç.; 1 ma-
te simples; 3 m.; 2 p. juntos em meia; 1 laç.; 1 m. "
5,' CI,r,: • , m.; 1 laç.; 1 mate simples; 1 laç.: 1 mate
simples; 1 m.; 2 p. juntol em meia; 1 laç.; 2 p. juntos
em mei.; 1 laç. ' . 7,' c.ln.: • 2 m.; 1 laç.: 1 male si m-
ples; 1 'aç.; 1 mate duplo (t irar 1 p. sem fizer, lrie. 2
p. juntol. rem. o p. sem fazer sobre o p. obtido) ; 1
laç.; 2 p. juntos em meia ; 1 laç.; 1 m. ' . 9,' arr.: • J
m.; 2 p. juntOI em meia ; 1 'aç.; 1 m.; 1 laç.; 1 mate
simples; 2 m. - . 11.' carr.: - 2 m.: 2 p. juntos em
meia: 1 I.ç.; 3 m.; , I.ç.; , m.te . imples ; , m. - . 13.'
carr.: -' m.; 2 p. juntos em meia ; , laç.; 2 p. Juntos
em mei.; 1 laç. ; , m.; 1 I.ç.; , m.te sim pie.; 1 laç.;
1 meta .Imples - . 1S.' urr.: - ' m.; 1 laç.; 2 p. juntos
em meia ; 1 I.ç.; 3 m.; , I.ç.; 1 m.te .imples; 1 laç.;
1 mate duplo - ; termin.r a carro com 1 mate simples.
Voltar à 1.' c.rr.
PONTO DE ARCA
Em um numero de p. div •• rvel por 10, m. is os p. de
borda. 1.', 3.' • S.' carr.: , p. de bord. ; - 1 m.; 1 laç.;
2 p. JuntOI em mei. ; 5 m. ; 1 mate limples (l ira r 1 p.
sem f.zer, tric. o p. seguinte, rem. o p. sem fazer so·
bre o trlc.); 1 I.ç. - ; 1 p. de bord • . 2.' can . • toda. as
par .. : tric. em tricO. 7.' cerr.: , p. de borda; - 1 m.; 1
laç.; 3 m.; 1 mate duplo (ti rar' p. sem fazer. tric. 2 p.
Junlos. rem. o p. sem fazer sobre o tric.); 3 m.; 1 laç.
- ; 1 p. de bord • . 9.' cerr.: 1 p. de bord. ; - 2 m.; 1
laç.; 2 m.; 1 mate duplo; 2 m.; 1 I.ç.; 1 m. - ; 1 p. de
borda . .11 .' cen.: 1 p. de bord. ; - 3 m.; 1 t.ç.; 1m.; 1
m.te duplo; 1 m.; 1 laç.; 2 m. - ; 1 p. de borda. 13.'
carr.: I p. de borda; , 4 m.; 1 I.ç.; 1 mate duplo; I
I.ç.; 3 m. - . 15.' cerr.: voltar à 1.' carL
PONTO WAFFEl
Em um numero de p. divislvel por 4. ma is 2 p. I .'
cerr.: 1 p. de bord. ; I I.ç.; - , m.te . imples ; 2 p. Jun·
tos em meia; 1 I.ç. dupla ' ; terminar com 1 mate
simples ; 2 p. juntos em mei, ; 1 I.ç.; , p. de borda.
2.' carr.: 1 p. de borda; !rico • l.ç. em mei.; 2 t.; -
tric . • laç. como 1 m. torcido (pegando-o por trá.) e a
2.' I.ç. em meia ; 2 I. - ; termin.r tr ic . • laç. em meia II
, p. de bord • . 3.' ca".: 1 p. de borda; - 1 t.; 2 p. cruz.·
dOI. direlt. (p .... r a ag. direita na frente do I .' p ..
trlc. o 2.' p. em mela, sem deld-Io c.ir d. ag. eSQuer-
da , depois Iric. o 1.' p. em meia e deixar cair os 2 p.
da ag. eSQuerd.); 1 t. - ; 1 p. de bord • . 4.' cerr.: , p.
de borda; • 1 m.; 2 t.; 1 m . • ; 1 p. de borda. S.- urr.:
I p. de borda; • 2 p. juntos em IDeI.; I l.ç. dupl. : I mate sIm·
pies ' . I p. de borda. e.' cen.: 1 p. de bord. ; - 1 t.; tric.
a laç. dupl • . corno na 2.' c.rr.: , t . - j , p. de borda.
7.' carr.: 1 p. de !Jorda; , m.; - 2 t .; 2 p. cruzados à di-
reita - ; terminar com 2 t.; 1 m.; 1 p. de borda. a.-
cerr.: 1 p. de borda; 1 I.; 2 m.; • 2 t.; 2 m. - ; terminar
176 com 1 t.; 1 p. de borda. 9.'carr.: vollar à 1.' carL
NOVOS
MOTIVOS,
OUTROS
PONTOS
.A
EM TRICO
PONTO DE ARGOLAS
Tllba.h •• com o lio duplo 1.- Clrr .: no avesso em
meia 2 ," carr .: 1 m • 1 m nAo deIxá lo ca" da 89
esquerda, panar o rio na Irente. enrofá· lo em vOlt' do
polegar esquerdo para lo-mar 1 argola de 4 cm ap'QII!
madamente. pOr O tio atrás III tric. novamente o p da
ag. esquerda em m deixá-lo cair da 89 esquerda. laça
da. rem 2 p da i'tI direita sObre a laç. 1 m, ' 3,· carl.
em meia 4 ," carro como II 2", desencontrando os p
iSl0 • . comr"çaf • carr com 2 m 5 ," carr .: recomeça!
na L " C8' (. Quando terminar o Irabalho. passar uma 19
em todos os p . de uma Cln_ P'JlIá-los par. c.ma e cortá
los contra. 8g ESCOl/II todos os fios oe bailio par.
eima. em segUIda escovar cada parte delllndo os fios
par. baixo. Em segUida mOlhar tom água morna cada
peça. tomando o cuidado de molhar 8 base d05 fio" "
pentear o trabalho .ind. ümido Deixar seC'f
"

o TRICÔ DAS
Um grande número d. canhota. aprende a tricotar • maneira da. destras.
AI que não querem se contrariar encontram aqui I técnica que lhe. indicará
como pegar o fio par. montar seus pontos.
Encontrario também como tricotar em meia e em tricô, assim como o modo
de terminar um trabalho.
A montagem dOi pontol, lObre os quais .. tricota •
prim. ,. ~ ~ r • • pode .. feita com um. ou dual
agulh ••.
COM UMA AGULHA
Form., o primeiro ponto a um. certe distAncia da
ponta do fio. Elte comprimento deve corresponder
pelo menol a três vezel a largura da carreira de mono
tagem terminada. Montar 01 pontol com o fio livre,
o fio que vem do nov,lo.
1,-) fazer um nó como se '16 no desenho; introduzir
•• gulha n •• rgol. e .perta, o nó (desenhOI A. 8).
A·e
2.-) Pegar a agulha com I mio esquerda a pUUf o
polegar direito no fio que ficou livre. O fio que vem
do novelo pessa no indicador direito. Esticar o fio e
mantA-lo, fazendo-o passar sob o médio, d.poi. '0-
bre o anular e mlnimo da mio direita (desenho CI.
o
3.") Fazer girar a mio direita para a direita. d. modo
• oblar um cruz.mento do fio que rod.ia o polegar
direito, par. formar uma .egunda .rgola (d.senho
O). Introduzir •• gulh. n.ssa argol. (d.s.nho E) •
com el. o fio estiado no Indicador, atr.vé.
d ....
E
Auim ~ formado um novo ponto. Soltar o fio do po-
reg.r (desenho F).
" 8
F
4.") P .... r novamenta o polegar da mio direita so-
bn o flo (des.nho O).
G
Repetir .ucessivamente esSll operações ilustrad ••
pelo. desenho. O, E. F, O. para formar cada um do.
ponlo •• eguintes.
Com DUAS AGULHAS
1.") Fazer um nó (ver de.enho A da montagem com
um •• gulha), introduzir a agulha na argola e apertar
o nó.
2.") Pegar a agulha na mio direita. introduzir a agu·
lha eaquarda, da frente para trá., neasa argola. Pas·
aar o fio em volta da agulha esquerda. passando-o
por "".0 d. agulha (d.senho H).
H
3.") Puxar o fio com a agulha .squerda. através d •• r·
gola que s •• ncontr. na agulha direite; formsr ... Im
um novo ponto. que fiará na agulha esquerda (de ••
nho II.
I

,P) Introduzir a agulhtl direittl. da frente Ptlftl trá •.
ne.se ponto. d.ixá-Io escorregtlr dtl tlgulhtl e.quer-
da. par. retomá·lo ntl tlgulhtl direita (de •• nho J). Re-
petir suces.iv.mente as opertlções ilu.tradas pelo.
desenho. H.1. J, ptlra formar c.d. um do. ponto. se-
guintes.
J
N. urrei" de ponto •• uim montado., pode .. trico-
.. , • primeira urrei,. em ponto mel. ou .m tric6,
ot.I em virio, pontos fent.sI., obtkto. pete combln.-
çio d .. , .. ponto. d. be ...
Opontomelll
P) r:eg.r a .gulh. com os ponto. montado., com •
mão direittl, o fio se encontrtlndo .I,h do tr.balho
(desenho K).
K
2.") Introduzir a .gulha e.querda no prlm.lro ponto,
enlre o fio d. frente e o fio de Irás, por btllllo dtl .gu-
Ih. direlt. (desenho l).
L
3.0' EnrOlar o fio em volttl dtl ponta d •• gulh. esquer-
dtl , ptlsundo·o por b.lxo, depois :cbre .... . gulh.
{des.nho. MI e pUlltlndo-o tltraves do ponto que se
M
d.ixa cair da tlgulha direita (desenho N e O). Obtem·
se um ponto mei • . Repetir suce .. ivtlment. as opera·
çóe. ilustr.das pelos desenhos l . M, N e O par. for-
mar c.dtl um do. pontos meia . eguinte •.
N
NoAO conselho
PrMt. atençio ,.,. que cede ponto. tricoter ..
encontre perto d. pon" d •• gulh. dlreit., p.r.
que o mnmo po ... escorreg.r f.cllm.nt. d ....
egultt..
o ponto trica
1.") M.nter •• gulh. com o. pontos montado., com
ti mio dlreittl. O fio se encontrtl no direilO do tr.ba·
lho (desenho P).
o
2.") Introduzir. agulh. esquerda no primeiro ponto,
dtl esqu.rd. p.r. a direiltl, de trás para I frente e em·
btlillo d •• gulh. direita (desenho a).
p
3.".) Enrol., o fio. volt. da pónttl dtl tlgulh. e. que,-
-dil , pas •• ndo-o embeixo, depois IObr . ..... gulh.
R) .
o
TrtlZA-lo .trtlv" do ponto que se deixtl escorregar d •
• gulhtl direita (desenhos S, T e UI; obtemos um pon·
to tric6.
Repelir .uces.iv.mente IS opertlçóes Ilustradas pe.
lo. desenho. a, R, S, TeU ptlr. form.r c.d. ur,' do.
ponto. triOO .eguintes.
Par. termln.r um tricõ, • preciso rem.t.r o. ponto.,
com 'Iude cM duas .gulhas. Est. operllÇJo ch.m.· ..
"rem.t.r o. pontos." --
ftM'n.ter o. ponto.
Tricotar do;. ponto. em meitl ; introduzi r •• guthtl di·
reita no segundo pont0.ldtl tlgulh. esquerda; remat á
lo sobre o primeiro pomo.
Repetir até re.t.r .omenle um ponto. Curt.r o fio, fa
zA·lo pasur no último ponlo e tlpert" r.
17
os
,
Toda. I' t ricoteira. experientes sabem que só o conhecimento técnico de ba·
.e nio blsta; é preciso conhecer também alguns truques, ou artes, que per-
mitam resolver 01 pequenos problemas que podem surgir durante o traba-
lho. consertar alguns erros ou esquecimentos que pOisam acontecer. Afi-
nai. ninguém é perfeito!
No CISO de uma malha listrada em tricO, em vez de
cortar 01 fiol no fim das Iistr.I, palai-IOI n.1 bor-
daI. Na hora de fazer 01 ac,bamentel, dissimulA·los
n81 cOltura. ou nu borda., ou f'zer com um. agu-
lha de tapeçaria um ponto de chulel' por clm. d.
borda. par ••• gur6·loI.
As mei .. resistiria mail .0 u.o. reforçando-as n.
ponta • no calcanhar. P.r. is.o, ul.r nesses lug.r.l,
juntamente com 8 16, um fio de algodio par. cerzir,
tricotando com o. doi. fio. juntos.
Remendar as pontas das maias e das luvas usando
resto. lã, mi' esm,o sendo d ..... r E mi oda, .
e as cnanças .car o encanta as e ter me ••• e uvas
personalizadas.
As meias perm.necerão m.i. esticad .. n. perna, se
.e p ... arem .Igumas fileiras de fio I"ex na. primei·
ra, carreir .. da barra d .. bordas, ou t.mbêm mono
tando as barras com montagem tubular, podendo a.·
.im p .... r posturlormente el6stico redondo.
Para tricotar umll corda com quatro ponto., para IS
mais prátic .. , nlo li necellárlo pOr (I' p. numa agu
lha auxiliur. Boste passar e. arulh. pele frente ou por
trás do. doi. primeiro • .,K)ntos e tricotar os dois se·
guiot('. u ticando-o. ligpir.ments.
Par. lormar (IS • • , uma agulha auxili.r li bastan·
te incOmoda. Sub.titui-I a por um pas,a·cadarço, ;.,.
roduzlndo·o no trab.lho. Ele .erve tambêm p.ra
ontar 011 pontos
Na .u. biblioteca c .. eir. , tenham um bloco de .nota·
çOe., no qu. l vec •• mencionarão cada malha que
executarem. Marcar a lã usada (marc. e espe:;su.a),
modo de con.ervaçlo de.ta II (segundo as indica-
çOe. da etiqueta), o numaro das agUlhas de tricO ou
de croeh. u.adas, enfim. todas as ob.ervaçOe. que
po.sam 1M utel. para o dib em que voe" tenham
que alon,ar ou tran.formar uma malha, por exem·
pio.
Para. .!vitar IlHO. numa parada do trabalho, especial-
mente no cas;) de motivos ajurado. , marc.r a carreio
ra cOlre.pondente.
Par. um pequeno conseno numa malha, li nfIG..&sá·
rio ter lã com a me.ma cor e textura. P.ra ilSO, quan·
do .e termin.r um trebalho em triCÔ ou em croc..hl.
in.erir na. costura. dOi I.do. e das mang •• , se fo·
rem comprld .. , utl". ou duas agulhadas de li. Elas
est.,Io , .1.1. di.po.içlo em caso de necesaidade, ,
o que li 'TIo!' itr,port.n,!!.. com exat.mente II
cor ql.. e '" n. lllhll , me"mn .endo levemente desbota·
dll por lavII'gen. repot idas.
As para um certo modelo .ão ger'lman-
te fcrnecidas em vário', tamanho • . P.ra facil itar a lei·
tura. cercar de verm" tio o. numeros corre.ponden·
tes ao tam.ni'lo escolhido. 1 .. 0 evitará hesitllçoe. e
erro. pOll rVI ii.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful