Você está na página 1de 22

Universidade do Minho-Escola de Ciências 2º Ano- Mestrado Integrado em Engenharia Civil

Electromagnetismo B 2011/2012

Dimensionamento de Sistemas Fotovoltaicos para Bombagem de Água

Professor: Joaquim Carneiro

Ana Margarida Ribeiro nº61876 Ana Carolina Alves nº61832 Ana Margarida Carcel Rei nº59919 José Ricardo Cruz nº51314 João Eira nº61827

Guimarães, Janeiro de 2012

Índice

Introdução..................................................................................................................... 3 Estimativa do fator de perda (o facto de perda corresponde ao K cablagem + regulador) 6 Radiação solar ........................................................................................................... 6 Radiação solar sobre uma superfície inclinada ........................................................... 7 Determinação da radiação solar incidente, I ( ) ................................................. 7

Cálculo da temperatura do módulo (Tm)..................................................................... 8 Rendimento do módulo, η.......................................................................................... 9 Fator de correção da temperatura, KT ....................................................................... 10 Número de Horas de sol equivalente, HS.................................................................. 10 Dimensionamento do sistema de bombagem de água (FVB) ....................................... 11 Cálculo da altura manométrica ................................................................................ 11 Seleção da bomba (potência da bomba) ................................................................... 13 Seleção do sistema fotovoltaico (potência do gerador) ............................................. 14 Energia produzida pelo sistema FV.......................................................................... 14 Utilização anual da potência de pico, FP .................................................................. 15 Tipologia do sistema gerador ................................................................................... 16 Custos ......................................................................................................................... 18 Conclusão ................................................................................................................... 19 Bibliografia ................................................................................................................. 20 Anexos........................................................................................................................ 21

2

iremos tratar de uma das suas aplicações mais recorrente. O rendimento de uma célula fotovoltaica é definido como a razão entre a potência da luz incidente e a potência elétrica disponível nos terminais. basta que o sistema seja corretamente projetado. [1] Bombeamento fotovoltaico A tecnologia da conversão da radiação solar em energia fotovoltaica é relativamente nova. Este procura substituir sistemas de poços com bombas submersas e motores em superfície. Existem diversas formas de se converter a energia solar e uma delas é através do efeito fotovoltaico que ocorre em dispositivos.Introdução A energia solar é o nome dado a qualquer tipo de captação da radiação proveniente do sol e posterior transformação em alguma forma utilizável pelo homem. que consiste na conversão da radiação solar em energia elétrica. Neste caso. bombeamento de água. É a fonte de quase todos os recursos energéticos da Terra. nomeadamente. [2] Gerador fotovoltaico O gerador fotovoltaico consiste em um ou num conjunto de módulos fotovoltaicos que por sua vez são compostos de células de material semicondutor. Estas são responsáveis pela conversão da energia através do efeito fotovoltaico. tendo como uma das vantagens. [2] 3 . que são chamados de células fotovoltaicas. Qualquer tipo de carga acionada por eletricidade é passível de alimentação via energia solar fotovoltaica. Os sistemas fotovoltaicos são de fácil transporte e instalação. O efeito fotovoltaico consiste na propriedade dos semicondutores de apresentarem uma diferença de potencial quando atingidos por feixes de luz. chamadas células fotovoltaicas. Esta opção surge como uma tentativa de minimizar perdas de energia e problemas de instalação e manutenção. a facilidade de ampliação do projeto em virtude do seu caracter modular e requere pouca manutenção. por poços do tipo tubular de pequeno diâmetro com uma bomba de localização submersa e de fabricação especial para utilização fotovoltaica.

como por exemplo: sombreamento. Quando é feita ligação em série.Módulo fotovoltaico Os módulos fotovoltaicos encontram-se eletricamente ligados entre si e funcionam como um único gerador de energia elétrica. que corresponde ao número equivalente de horas com radiação constante e igual a 1 kW/m2. [1] 4 . Facilidade de operação: adaptáveis às mais diversas fontes de energia. Economia: custos de aquisição e operação compatíveis com as condições de mercado. temperatura das células. de uma forma geral. Alto rendimento: transformação de energia com o mínimo de perdas. H q coisa). Quando ligada em paralelo. apresentam as seguintes características:     Resistência: adequadas para resistir aos esforços mecânicos provenientes da operação. inclinação. é necessários conhecer o comportamento da carga bem como o seu ciclo de utilização. nebulosidade. Para que o dimensionamento dos módulos seja feito de forma correta. dimensiona-se um sistema que permita o abastecimento de água ao longo de um ano. as tensões são somadas e a corrente permanece inalterada. dependendo da sua aplicação. [1] Bomba A bomba é o dispositivo que adiciona energia aos líquidos e tem como finalidade facilitar os movimentos dos mesmos. intensidade luminosa. As bombas. devido à projeção do que se encontra ao redor. Estes podem ser ligados em paralelo ou em série. as tensões nas células são iguais e as correntes são somadas. Deve ter-se em consideração todos os fatores que poderão influenciar na potência de saída dos painéis. de forma a que a energia total diária acumulada é mantida. Manutenção simplificada. Determinada a quantidade de irradiação diária (Wh/m2) e das características da fonte de água (fluxo Q VER e a altura manométrica total. Um fator de extrema importância é o número de horas de sol. etc.

Existe uma infinidade de tipos de bombas. Trata-se de uma bomba com pequeno volume e que é amplamente utilizada para o fornecimento de água a moradias ou então. com as seguintes características: Características elétricas Potência de pico (watt) Corrente máxima (A) Tensão máxima (volt) Temperatura normal de funcionamento P max I max V max NOCT 80 4. Estas bombas são normalmente as mais utilizadas em sistemas FVBB. Em sistemas de bombeamento fotovoltaico é comum utilizar-se um inversor conectado ao gerador fotovoltaico. visto apresentarem baixos custos de investimento. A corrente máxima DC desta bomba (Ibomba max) tem o valor de 4A. É um elemento importante quando se deseja otimizar a eletricidade gerada por módulos fotovoltaicos. está sujeita a algumas perdas inerentes ao sistema. Estre estas. Teve-se em conta que a capacidade do gerador fotovoltaico deverá alimentar as diversas cargas (neste caso.Inversores CC-CA Trata-se de um equipamento eletrónico que tem como função converter a corrente contínua do gerador fotovoltaico em corrente alternada. a pequenas quintas rurais. aquelas que têm maior expressão são as que se referem às perdas nas cablagens e as perdas no inversor (se o houver) e regulador de carga.a bomba submersível).5 (%/ºC) Dimensões Comprimento (mm) Largura (mm) C B Tabela1 – Características da bomba 1422 653 5 . porém neste sistema FVB será utilizada uma bomba KYOCERA SOLAR da série SD 12-30. bomba da série SD 12 – 30 O valor do rendimento da bomba (η bomba) tem o valor constante de 45%.9 45ºC Variação do rendimento com a temperatura d η/ dT -0.73 16. Serão adotados os módulos FV do fabricante KYOCERA SOLAR.

Coordenadas da região em estudo: Latitude: 41º22’33’N Longitude: 8º25’28’’W Estimativa do fator de perda (o facto de perda corresponde ao K regulador) Perdas nas cablagens = 3% Perdas no regulador de carga= 15% Rendimento (cablagens): η cabo = 0.8 25. Ta.97 Rendimento (regulador): η reg = 0.6 22.7 18. Meses Número de dias 31 28 31 30 31 30 31 31 30 31 Temperatura ambiente.1 9.8 25.6 21. I(0). ao longo dos diferentes meses do ano. (num plano horizontal) em cada dia. pode observar-se os valores da intensidade da radiação solar incidente por dia.85 Rendimento total: η FV = η cabo x η reg = 0.8245 cablagem + Radiação solar Na tabela que se segue. a temperatura ambiente.3 13.7 18.3 11.2 Radiação solar incidente. I(0) (KWh/m2/d) 2030 3000 4470 5620 6760 7830 7840 6820 5220 3470 Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro 6 . Ta(ºC) 9.

7 31 7445.124 30 6189.781 28 3304.742 7 .262 30 8623. Determinação da radiação solar incidente.6 16.é Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Nº dias I(βopt) 31 2235. Maximização da energia produzida no Inverno: Verão: A latitude do local em estudo é 41º22’33’’N. I( calculado de acordo com a seguinte equação: .6 10.728 31 8634. de onde se conclui que.7 2160 1720 4745 Tabela2 – Valores da intensidade da radiação solar incidente por dia.Novembro Dezembro Anual 30 31 13.11 31 4923. I ( ) A radiação solar que incide sobre a superfície com inclinação ótima. I(0) Radiação solar sobre uma superfície inclinada A inclinação dos painéis fotovoltaicos condiciona diretamente a energia que é produzida pelo sistema FVB.

Utiliza-se a seguinte fórmula: Onde: Tm – temperatura do módulo Ta – temperatura ambiente G(0) – radiação solar incidente NOCT – temperatura normal de funcionamento do módulo (ºC) A radiação solar incidente. é determinada a um nível de radiação incidente de 800 W/m2.959 31 1894.Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro 31 7511.357 Tabela 3 . uma parte da incidência solar absorvida não é convertida em energia elétrica.754 30 2378. A temperatura é um parâmetro importante uma vez que. mas também da temperatura.Valores da radiação solar incidente Cálculo da temperatura do módulo (Tm) O rendimento de uma célula solar depende da luminosidade. a partir da temperatura ambiente (T a). Deste modo. a temperatura de uma célula é sempre superior à temperatura ambiente. Além disso. G(0). A temperatura do módulo (Tm).152 31 3821.344 30 5749. estando as células expostas aos raios solares. de 20ºC. é calculada através da seguinte fórmula: NOCT= 45 8 . o seu aquecimento é considerável. mas em energia dissipada sob a forma de calor.

7 18.8 25.5833 90 71.8 25.5% sempre que a sua temperatura aumenta 1ºC.00833 34.71823 16.40208 32.20625 17.1667 217.74323 13.1 9.48021 28.6667 326.8 25.6 22.6 22.6 Tm 11.25 234.6 21.58333 125 186.6 10.5 144.3 13.00833 34. η )] Em que o rendimento do painel diminui 0.1 9.6667 284.7 18.6 η (Tm) 6.99531 36.7 18.12031 21.3 13.66667 Ta 9.48021 Ta 9.482651 -0.74323 13.3 11. Onde.99531 36.25 326. Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Nº dias 31 28 31 30 31 30 31 31 Tm 11.83958 Tabela 4 – Valor da temperatura do módulo (Tm) Rendimento do módulo.73846 -3.Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Nº dias 31 28 31 30 31 30 31 31 30 31 30 31 G(0) 84.3 11.01771 27.1667 281.10429 9 .48805 -3.724406 4.01771 27.2 13.20625 17.10007 2.8 25.4125 12.12031 21.40208 32.49688 22.33156 5.16686 -2.

060802 Tabela 6.042938 1.019911 0.20625 17.7 18.83958 21. HS O número de horas de sol equivalente (à radiação sola padrão de 1000 W/m2) é dado pela seguinte fórmula: 10 . consoante as condições impostas.99531 36. K T Deduzindo a equação do rendimento.74323 13.48021 28.01771 27.6 10.058969 1.6 -0.066284 1.49688 22.952599 0.00833 34.4125 12.83958 KT 1.71823 16.6212 1.982516 1.876573 Tabela 5– Valor do rendimento do módulo.71823 16.98799 0.2 13.12031 21.40208 32.960023 0.49688 22. o fator de correção de temperatura traduz-se em: Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Nºdias 31 28 31 30 31 30 31 31 30 31 30 31 Tm 11.039398 1.776935 4.Setembro Outubro Novembro Dezembro 30 31 30 31 28. Fator de correção da temperatura.011409 1. KT Número de Horas de sol equivalente.393813 5.4125 12.944958 0.Valor do fator de correção da temperatura.

A perda de carga ao longo de uma tubagem obedecia às seguintes condições é dada pela Fórmula de Flamant: =12+20=32 m.Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Nº dias 31 28 31 30 31 30 31 31 30 31 30 31 Hs 2. numa situação em que ocorre o bombeamento.378959 1. O rebaixamento corresponde ao decréscimo que ocorre no nível estático da água.30411 4.445262 8. por visualização do esquema Onde: 11 . O nível estático da água representa a distância do topo do poço à superfície de água no poço.Valor do número de horas de sol equivalente. quando este é bombeado do topo.923124 6.894357 Tabela 7. Hs Dimensionamento do sistema de bombagem de água (FVB) Cálculo da altura manométrica O nível de bombagem é a distância que corresponde à soma entre o nível estático de água.634742 7.511344 5.235781 3.749152 3.1897 7.821754 2. Este é dado por: ilustrado no enunciado do trabalho.623728 8. denominado rebaixamento.

Normalmente.8 m/s2) – Massa específica. Deste modo. Altura manométrica: Hm = h + FL Os reservatórios são usados para a água e utilizá-la durante o período noturno ou então nos dias em que o céu esteja muito nublado. os reservatórios armazenam uma quantidade de água equivalente a cerca de 3 a 5 dias de consumo. – Perda de carga Para o cálculo perda de carga.D – diâmetro da tubagem (m) Q – fluxo (m3/s) L – comprimento total da tubagem (m) FL – perda contínua de carga (m) K – coeficiente que depende da natureza do material e do estado de conservação das paredes internas da tubagem. . O procedimento utilizado para o dimensionamento dos sistemas FVB baseia-se na aplicação da seguinte equação: Onde: g – Aceleração da gravidade (g=9. A instalação hidráulica em questão é em PVC. utiliza-se a seguinte fórmula: 12 . o coeficiente K tem o valor de 0.0000824 Sendo.

é obtida por: Onde representa a eficiência da bomba (normalmente com valores entre 25% a 45% . corrente contínua) submersíveis. No processo de dimensionamento simplificado. mas em (Wh). perdas de 75% a 55%).ou seja. A energia fornecida pela bomba é calculada de acordo com a seguinte expressão: 13 . Obtém-se a seguinte expressão final: Seleção da bomba (potência da bomba) A energia hidráulica diária que é requerida para satisfazer as necessidades de consumo de água deve ser fornecida através da utilização de uma bomba. então. o tempo de operação de um sistema FVB corresponde ao designado “Número de horas de sol”. A energia fornecida por uma bomba. Será apenas considerado a utilização de bombas DC (DC. expressa em Wh.No âmbito das aplicações elétricas é conveniente não expressar a equação anterior em (J). HS. .

Mês Janeiro Fevereiro Março Nº dias 31 28 31 Edia(Wh/dia) 658.25 14 . queda de tensão nas cablagens entre o gerador e o regulador de carga e o efeito de sombreamento.4129 966. a ser instalada no gerador FV é obtida através de: Onde: .Potência nominal instalada no gerador FV η .3486 1413. E como o produto de 4 factores independentes: dia.Rendimento do gerador FV. pode expressar-se Onde: – Potência total instalada no gerador FV – Número de horas de sol equivalente – Fator de correção da temperatura η – Fator de rendimento que considera perdas energéticas associadas ao regulador de carga.Seleção do sistema fotovoltaico (potência do gerador) O gerador FV representa o componente do sistema FVB. Este fator está diretamente relacionado com as perdas energéticas associadas ao regulador de carga (15%) e com a queda de tensão (3%) nas cablagens utilizadas pelo gerador FV. PFV (W). que deverá fornecer a energia elétrica necessária para o acionamento da bomba. A potência. Energia produzida pelo sistema FV A energia diariamente produzida por um gerador FV.

9991 Tabela 8 .168 1560.76 43810.053 1067.2381 554.Valor da potência de pico por ano 15 .86 20557.97 Tabela 9 .6 33093.8 27057.555 2286. FP O valor da energia produzida anualmente é obtido através da soma dos 12 valores correspondentes à energia produzida mensalmente. (Wh/W) Mês Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Nº dias 31 28 31 30 31 30 31 31 30 31 30 31 Emês (Wh/mês) 20410.525 2031.22 46801.75 52305.544 685.Valor da energia produzida pelo sistema FV por dia Utilização anual da potência de pico.6 61261.51 2253.19 68595.14 17204.503 1976.Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro 30 31 30 31 31 30 31 30 31 1743.76 62978.29 69858.

e a corrente . NF O número de fileiras por módulo. Tipologia do sistema gerador A determinação da tipologia do gerador FV refere-se à quantificação do número de módulos FV e ao seu modo de ligação. máxima que atravessa cada fileira de módulos. do módulo. NS. em condições padrão: . NF. Determinação do número de módulos por fileira. . Note-se que a corrente que atravessa cada fileira do módulo é igual à corrente máxima de um módulo. e a tensão máxima Com isto. 2. (módulos ligados em série) resulta do quociente entre a tensão máxima DC de bomba. conclui-se que são necessários 2 módulos por fileira. conclui-se que é necessária uma fileira por módulo. Determinação do número de fileiras por módulos. 16 . 8760 é o número de horas total por ano. . NS O número de módulos por fileira. 1.Valor percentual da potência de pico: Onde. em condições padrão: Com isto. (módulos ligados em paralelo) resulta do quociente entre a corrente máxima DC da bomba.

Representação gráfica da disposição final dos paineis FVB.35 Volume de água consumido V(m3 /dia) 30 25 20 15 10 5 0 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Mês Gráfico 1 – Gráfico de comparação entre os volumes de água bombeada pelo sistema FVB e o perfil de consumo. ao longo de um ano e de cada mês. 17 .

o preço total será de 1273€. 18 . que é de 332. que forneceu alguns dados necessários sobre o custo e a potência do módulo. dos quais não obtivemos dados. conclui-se que são necessários três módulos. Foi também fornecida a informação de que cada módulo tem um custo de 421€ (com iva incluído). É de notar que a este custo acresceria o custo da bomba e tubagem.757 W. Sol R (Nogueira – Braga). Após a avaliação dos resultados obtidos para a potência de painéis. em vez dos dois módulos propostos inicialmente. e tendo em conta que no mercado actual só são comercializados módulos com 230 W de potência.Custos Para uma melhor constatação dos factos consultou-se a empresa especializada em montagem de sistemas fotovoltaicos. Visto que ter-se-á que utilizar três módulos.

entre outros. poder-se-ia executar este projeto. Assim sendo. 19 . Quanto ao dimensionamento foram avaliados alguns fatores que se distinguem pela sua influência no funcionamento do sistema: a influência da temperatura.Conclusão Este trabalho resume uma sequência de passos necessários para o dimensionamento de um sistema fotovoltaico para bombagem de água. de baixa voltagem e de corrente DC. já que foram obtidos dados suficientes para a realização de sistema fotovoltaico para bombagem de água. com a ajuda da empresa Sol R. que utiliza uma bomba solar submersível. Foi ainda possível. a utilização de valores médios relativos à radiação solar ou da temperatura. para a região de Braga. cujo funcionamento se baseia nas características da utilização da energia solar. visando particularmente o seu balanço anual ou mensal. obter o custo do sistema em questão.

larc. http://sol-r.php/contactos 20 .CEPEL – 2008 [2] FEDRIZZI.gov/sse/RETScreen Sol R – Comercio de renováveis. São Paulo – 1997 Surface meteorology and Solar Energy.Bibliografia [1] Grupo de Trabalho de Energia Solar .pt/index.nasa. Maria Cristina.Manual de Engenharia Para Sistemas Fotovoltaicos . http://eosweb. Fornecimento de água com sistemas de bombeamento fotovoltaicos.

Anexos 21 .

22 .