Você está na página 1de 117

eovah Mendes

I VI II Vil III VIII IV IX V X

TÁBUV5I¾\LEr

DOS PORÕES SOMBRIOS DO VATICANO.
EM

m PAPAS
A HUMANIDADE '

1 Do mesmo aut<

Os Piores Assass

Esta é uma obra polêmica e reveladora, fruto de anos de pesquisas junto a fontes da mais alta competência, um primoroso livro de cabeceira para o Verdadeiro Cristão, aquele que almeja ingressar no anúncio do Novo > seguramente liberto do pesado fardo ÖLMHLMlÜl·2fc` Ls Itil2i?LM'ii Ias seculares.

Mt

ISBN 85-87571-20-6

Jeovah Mendes

DOS PORÕES SOMBRIOS DO VATICANO.,

2a EDIÇA

x¿

TÁSÄ£JàlLEI*

Brasil 2000

br livrotecnico@livrotecnico.4675 Co-edição e Distribuidora /fèjjf£íwo Técnico Rua: Dom Joaquim.Fortaleza: Tábuas da Lei/ Edições Livro Técnico. editoração e tratamento de imagens Tupynanquim Editora (85) 248. Títulos CDU 262-13 DEDICATÓRIA Aos meus preciosíssimos filhos: Tennessee.. Eliziane e Ingrid.9494 . . 241 p.Fortaleza . livrotecnico.Fax: (85) 433. OBRA REGISTRADA N A BIBLIOTECA N A C I O N A L Proibida toda e qualquer forma de reprodução desta obra sem a devida autorização das Edições Tábuas da Lei . 2000.Ceará www. Jeovah Dos porões sombrios do vaticano. dedico esta obra como m o n u m e n t o em memória dos nossos nomes. Lívia.com. sobre detalhe da tela O Triunfo da Morte de Pieter Brueghel (1525-1569) Projeto gráfico. by Jeovah Mendes/ Edições Tábuas da Lei e Tupynanquim Aldeia Mídia & Tal S/C Ltda.br M538d Mendes.. Papas I. Textos e pesquisa Jeovah Mendes Ilustrações Eduardo Azevedo/ Klévisson / Arquivo do Autor Revisão e preparação de originais Max Krichanã Capa e conceito Jeovah Mendes e Klévisson Viana.9495 CEP 60110-100 . Margareth. 30 Papas que Envergonharam a Humanidade/ Jeovah Mendes.com. E r o n .Copyright © 2000. 54 .Aldeota PABX: (85) 433. 1.

que tantas ve%es me incentivou.AGRADECIMENTOS Minha primeira dívida de gratidão é com a madrinha Rachel de Queiroz. Que Cristo Jesus lhe restitua a saúde e a Pa%. E ao grande comunicador Jo Soares por ter aberto as portas de seu programa à minha pessoa. .

Bento XI (972-974) XI .Inocêncio IV (1243-1254) XVIII .Inocêncio VIII (1484-1492) XXVI .Leão X (1513-1521) XXVIII .Gregório XIII (1572-1585) XXX .Sixto IV (1471-1484) XXV .Paulo II (1464-1471) XXIV .Bento IX (1033-1045) X V .Bonifácio VII (984-985) XII .J o ã o XXIII (1410-1415) XXII ..Sérgio III (904-911) IV .Bonifácio VIII (1294-1303) XX . ) \ .Pio II (1458-1464) XXIII .Nicolau III (1277-1280) X I X .J o ã o XV (985-996) XIII .Leão VI (928-929) VII -João XI (931-935) VIII -João XII (955-964) IX .Pio XII (1939-1958) pg 11 pg 17 pg 19 pg 23 pg 33 pg 39 pg 45 pg 49 pg 57 pg 63 pg 69 pg 79 pg 85 pg 91 pg 97 pg 103 pg 107 pg 113 pg 121 pg 127 pg 137 pg 143 pg 149 pg 157 pg 161 pg 165 pg 169 pg 179 pg 183 pg 191 pg 197 pg 205 pg 219 .Inocêncio III (1198-1216) XVI .João X (914-928) VI .Paulo III (1534-1549) XXIX .Estevão VI (896-897 III ..Papisa Joana (855-857) II .Bento VIII (1012-1024) XIV .Alexandre VI (1492-1503) XXVII .Í N D I C E REMISSIVO PREFÁCIO APRESENTAÇÃO INTRODUÇÃO I .Lando (913-914) V ..Gregório IX (1227-1241) XVII .Clemente V (1305-1314) XXI ..Leão VIII (963-965) X .

nem sempre exercido còmó' as convenções exigiriam. por vários motivos.m>ergonharama Humanidade.. Outrossim. que permitam ao pensamento alçar vôo na busca de conclusões raras. de forma concisa c organizada. um polêmico e estarrecedot conjunto de fatos I lem ao estilo de seu irriquieto temperamento.. os descalabros cometidos por alguns dos homens que tiveram cm suas mãos o poder papal . pela primeira vez são documentados./s. Sempre em busca de confrontar-nos com assuntos mal esclarecidos ou de fazer emergir temas que outros escritores. em Dos Porões Sombrios do Vaticano. o autor vem desta vez vasculhar o profundo baú que guarda alguns detalhes pouco r\piorados da História da Religião. 30 Papas que I``. Como resultado. Para facilitar o acesso às fontes aqui mencionadas. Dirigincìo-se a um público igente e sequioso por encontrar novas angulações em antigos relatos. procuram > v¡tar. o leitor brasileiro encontrará abundantes referências bibliográficas em Português. o historiador pesquisou as obras mais diversas.PREFACIO O professor e historiador Jeovah Mendes. V I N C I T O M N I A VERITAS (bordão assumido pelo historiador) . durante muito tempo a Igreja obedeceu à tendência de ocultar suas falhas. iluminando recantos obscuros da memória da Humanidade ao selecionar informações obtidas m i viagens e visitas realizadas ao longo de aproximadamente vinte anos. que recentemente nos ofereceu i mstigante coletânea Curiosidades da Bíblia e da História: de Adão aos Nossos I `:. apresenta-nos agora. cegar os fiéis e esconder-se atrás de uma muralha de aparências.

por sua vez. Porém. as emoções complexas associadas ao refinamento dos sentidos. São Paulo 2000. para ela uma fonte vital de informações. u m status ainda mais especial. dificultando sua aquisição junto aos livreiros da época.aponta o necessário caminho a ser seguido. o vício. O que podemos extrair dessa imagem. Com a mesma perspectiva.. A partir de 1790. enfatizando que o rei ignorava a política e que seus planos de ação determinavam-se apenas pela necessidade de ampliar e manter seus prazeres — ou seja.. o relato da inocente noviça Nanna. 112. figura. ao invés. Entretanto. a partir da observação das imagens que decoravam as paredes do convento e também espreitando cópulas pelas frestas das portas. 175-6 e 255. T i d o s c o m o adversários perigosos pelos magistrados urbanos. mesclava-se ao catolicismo. Por fim. os quais u 12 Ì3 .. E m sua ficção.. vamos encontrar na obra pornográfica de Pietro Aretino — publicada entre 1527 {Sonnetti L·ussurìosì) e 1536 (Ragionamentt) —. para alimentar a pornografia. sons e cheiros. retratar sem disfarces a sociedade em que viviam. em termos de sexualidade. o olhar crítico do pornógrafo transformou-se naquele que melhor captava a realidade humana e a mostrava aos homens. e admitindo-se que os costumes soem refletir-se na literatura. depois de experimentar as frustrações do convento. (. enquanto as autoridades tratavam de restringir a ação ostensiva das meretrizes. disfarçado como livro de orações". a identidade entre papismo e tirania — tida como lugar-comum da expressão do século XVII —. Entretanto.. A invenção da pornografia . literariamente. existia. pp42-4. o julgamento de vários aristocratas venezianos.. que não a queriam ver.) um Hvro abarrotado defigurasdepessoas se divertindo nos modos e posturaspraticados pelasfreiras instruídas. o leitor ideal de Aretino era suscetível a toda visão. outorgaram-lhe. bem como as do leito matrimonial.obscenidade e as origens da modernidade (1500-1800). tais personagens tinham visão privilegiada dos hábitos dos demais e podiam. não sem razão tomada como a mais antiga das profissões. concebida àquela época? Levemos cm conta que homossexuais e prostitutas personificavam. destarte. vários autores transcreveram no decurso dos últimos 500 anos a afirmação de que.154-5. obter recursos suficientes para sustentar suas prostitutas. tanto na vida real c o m o na literatura..162. Nanna receberia de um amante ' Ver a coletânea organizada por Lynn Hunt. em sua experiência como freira em Veneza. Tematizando os excessos sexuais e o desperdício de rendas públicas. encontra-se sempre como referência em se tratando de controle sob a administração das sociedades. tendo seus sentidos literalmente 'bombardeados pela luxúria'. A prostituição. Os esforços empreendidos pela Inquisição e pelo Index para erradicar este tipo de literatura. * C o m o adendo. E m b o r a seu olhar não fosse exatamente pornográfico. 82. os p o e t a s satirizavam a retórica m o n a r q u i s t a . por exemplo. era frágil. viriam a estabelecer uma indissolúvel identidade entre catolicismo e absolutismo.. o clero católico sempre foi 'capat^ de qualquer coisa'. que eram difundidas pelos livros 'banidos'. e especialmente na França. que abandonaria seu pedestal social e passaria ao domínio de todos os homens. papismo e tirania puderam ser vinculados porque ambos se associavam à libertinagem sexual — que. ocorreria uma transformação na imagem da 'mulher-da-vida'. N a n n a faz sua opção pela prostituição.. 65... os primeiros eram perseguidos e até mesmo marcados a ferro quente (em cidades como Veneza). C o m o conseqüência. Era mais fácil identificar o Papa com o regicídio e o absolutismo. N u m a sucessão dos eventos históricos que misturavam sexo e religião. continuaram sendo domínio das elites durante todo aquele período. muito adequadamente. Nanna descreve de que m o d o iniciou-se nos prazeres do sexo.. por todos aqueles que intentam despojar de hipocrisia as suas mais elevadas crenças.. 75-7. S i m u l t a n e a m e n t e . em diversos níveis. Como oufs¿dersda sexualidade desenfreada. Editora Hedra.. E m b o r a os reformadores do Concilio de Trento combatessem a difusão pública das imagens lascivas e impróprias para as massas iletradas.

na pornografia do séc.a duquesa de Castiemaine. dirigida às prostitutas de Londres. requintado e restrito. o que colaborava ainda mais para a estranha proximidade entre os pecados do sexo e a religião... associada à imagem de uma mulher muito poderosa. tornados como representantes de uma religião idolatra e defensora dos direitos divinos da monarquia. enganando-os e traindo-os impiedosamente. Contudo.mostrou a trama do envolvimento da coroa com a citada instituição (Lyndal Roper. Pois a Igreja não lhes forneceu inúmeros desses cavalheiros?. rindo de sua impotência e zombando da adoração que tinham por ela . C o m o a ficção C( >stumeiramente segue a realidade. compondo uma efígie manchada por iniqüidades e encoberta pela máscara do Inquisidor. potencialmente. "Os interesses dos católicos e das prostitutas eram os mesmos". o Prof.. XVIII os homens de finanças. 14 15 . Tais relatos. 'segredos' vedados por séculos aos mortais comuns.. a face oculta dos que um dia ousaram manipular os desígnios da Igreja em usufruto próprio. Tal delírio era incensado pelos jesuítas... 1985. obscena e rica. vexando seus amantes. Jeovah Mendes mostra sem pejo. forneceriam as linhas de investigação que permitiram a reconstituição de muitas das histórias proibidas do Vaticano. levados aos tribunais por terem. em sua ofensiva integridade. O povo das ruas não ignorava que os homens que ocupavam o posto mais importante da Igreja movimentavam bordéis em Roma. pp 3-28). da recorrente h o m o s s e x u a l i d a d e e n t r e religiosos e da e x p l o s ã o i n c o n t r o l á v é l da concentração de evangélicos Brasil afora. quando se reacendem na mídia as polêmicas acerca da imposição do celibato aos sacerdotes. desempenhavam importante papel na configuração desse estereótipo. afinal. Via-se o destino das prostitutas como glamouroso. os bordéis eram descritos como 'Templos de Vênus\ as prostitutas como 'freirai ou 'devotas de Vênus' e o sexo afigurava-se como sacrifício ou um ato de veneração. Estes são fatos notórios. N o cerne desta cultura de poder corrupto. lia-se em carta supostamente escrita pela amante católica do rei Carlos II. um rei libertino era. tanto quanto os clérigos. Neste contexto. Neste século zero de um N o v o Milênio. que os confessores podem relevar".. A condessa esclarecia que "a opinião geral da Santa Mãe Igreja é de que os prazeres venéreos são pecados perdoáveis. N a mesma carta figurava a promessa da ampliação do número de teatros.uma mera prostituta . por vezes... eis os cenários e figurinos que ajudarão a entrarem em cena os temas deste livro. a condessa de Castlemaine. a prostituição apresentava-se como uma religião idolatra. a libertina expunha o mundo aristocrático ao ridículo.. Fluindo aos borbotões. History Workshop Journal. a relação de Carlos II com suas devassas amantes católicas . na década de 1630. por sua impecável assiduidade aos bordéis. Tudo isso instigou a tradição a referir-se à Igreja Católica como '`aprostituta de Roma'. Ao mesmo tempo em que as elites apreciavam este sexo 'variado1 e 'suntuoso'. Discipline and Respectability: Prostitution and the Reformation in Augsburg. que mantiveram viva a pornografia utilizada com fins políticos os que mais colaboraram para manter intacta uma imagem sem máscara da moral e do comportamento social daqueles tempos. enquanto eles a sustentavam. por meio dos quais difundia-se a libertinagem . a duquesa de Portsmouth e a duquesa de Mazarin . sexualmente devassa. a identificação da realeza com Príapo (o deus lúbrico) encorajava as alucinadas pretensões de monarcas (( omo o citado Carlos) de ascender à divindade. 19. contumazmente associada ao furor d o escândalo e capaz de estilhaçar a fachada angelical dos atos perversos. como que a garantir a libertação de almas aprisionadas. conservados anonimamente nos subterrâneos da História. copulado com uma estátua de Cristo. Igualmente. foram os políticos anglicanos. supostamente.foram. Entre exemplos clássicos.. seus clientes contavam-se entre os ricos. Tinha-se o catolicismo como uma religião que oferecia desculpas para que seus fiéis fizessem tudo o que lhes apetecesse. os bem-nascidos e os bem-relacionados..e também o catolicismo. um rei católico.

sendo (Graças a Deus!) um dos grande-. Gregório IX. a despeito dos muitos e muitos lustros de infames tentativas de fazer o lobo disfarçar-se em cordeiro. Ásia e África. entre os anos de 1208 a 1820. Mussolini e Franco . mas sim aqueles que padeceram sob a opressão do catolicismo.. o cineasta Orson Welles. foram responsáveis pelo extermínio de dez milhões de supostos inimigos do clero romano. durante a Segunda Guerra Mundial. até o desmantelamento do Tribunal do Santo Ofício por Napoleão Bonaparte. APRESENTAÇÃO (j?/ Max Krichanã Jornalista e professor de idiomas Fartamo-nos de ouvir através dos meios de comunicação. Inocêncio III. contrastadas à funesta e dolorosa perda do controle sobre as paixões humanas. É como nos diria entre dentes. encontra-se a omissão do Papa Pio XII diante do massacre de seis milhões e meio de judeus nas mãos dos agentes hideristas. Da mesma forma.. uma vez que nada sofreu. com suas cruzadas sanguinolentas e seus infames tribunais inquisitoriais. o apelo do Papa João Paulo II. Inocêncio IV. Papas da História. A atitu< li do eminente Pontífice é bastante louvável. Contudo.quando a diabólica Santa 16 17 . não tem as mãos manchadas de sangue.expondo a difusão de ideologias de 'oportunidades transcendentes.o trio infernal que fez sangrar 50 milhões de seres humanos nos campos de batalha da Europa. Pio IV. banhado no próprio suor e pisando a areia fofa que emoldura as tépidas águas verde-esmeralda das nossas praias: . Pio XII foi íntimo de Hitler. esfregando os olhos extasiados pela luz do sol alencarina. ficando sem efeito os rogos e as lágrimas do bom velhinho — que. sejam el< 1 1 rádio. o jornal ou a televisão. nos séculos passados. com a anuência e as bênçãos desse Papa das Trevas. felizmente. de 1939 a 1945. ao longo de sua trajetória tenebrosa e sanguinária. tão insensível quanto seus parceiros ditadores. embora saibamos que a atual geração nada tem a perdoar. aqueles mártires já nada mais podem perdoar.It's ali truelll Isto. pedindo perdã< i à Humanidade pela intolerância religiosa e crimes cometidos em nome dfl Igreja Católica. Pio V e Gregório XIII. o maior dos imperadores de França . Paulo III. Numa série de 'abacaxis' que a Santa Sé vem tentando 'descascar' neste final de milênio. pois estão mortos.

Como estes. c o m a i n t e n ç ã o de trazer a p ú b l i c o o n e c e s s á r i o conhecimento destes terríveis episódios históricos. durante visita a Roma. Quarenta anos após sua morte.. como alegado. muitos gostariam de apagar da memória universal. sete meses e quatro dias. Veio para Roma. considerados gravíssimas ofensas à coexistência humana. em uma das ruas públicas que conduziam à catedral de São Pedro: era i imagem de uma papisa. É . Esta fase negra da história humana tem início com . Joana assumiu o papado por artes diabólicas. 'Estou atôn¡lo\ disse Lutero. pois. Ficando grávida de um dos seus atendentes de confiança. de modo organizado. há diversos outros latos. que ocupe IU O trono papal por dois anos. Que os leitores sintamse livres. enganou a cúpula cardinalícia e assumiu o trono do Pescadoi dfl Galiléia como João VIII. atraindo a atenção de homens estudados (.) e sendofinalmenteescolhida como Papa. pois. foi leva tia a Atenas por seu amante com roupas de rapa%¡ tendo ela aprendido as ciências dos grego¡ tão rápido que ninguém a podia igualar. uma mulher que.i eleição da Papisa Joana "L·'Anglo¿s" — jovem de ascendência inglesa nasi ida em Mentz (Alemanha) por volta de 817 e falecida em 857 —. Segundo o historiado! I . INTRODUÇÃO Neste opúsculo o público leitor informar-se-á sobre a conduta imoral C i nminosa de 30 papas que guiaram os destinos da Igreja Católica Romana. outubro de 2000 JEOVAH M E N D E S A The CatholicEncyclopedia traz sobre o tema o seguinte resumo: "E>epoi¿ deL·eãoIV(847-855). o'JoãoInglês (L·Anglois) deMent%¦ ocupou o trono papal j>oi quase três anos. morrendo quase instantaneamente em conseqüência do parto"? Houve realmente um Papa-mulher? 18 19 . entre os anos 855 e 1958.Inquisição chegou ao seu final. quando moça. deu à luv^ duratìtt uma procissão de São Pedro para o L·ateran (L·atrão). para tirarem suas próprias conclusões. por Sixto V.' Como permitem que a estátua permaneça?'. Certo dia de 1517. p o r t a n t o . que. Uma vez que a mesma era objeto de desagravo pai a os papas.. conciso e metódico. sendo ele.awrence Durrell^. que este trabalho foi concebido. Fortaleza/CE. sendi i mulher. a referida escultura foi enfim removida. nenhum pontífice jamais passava por aquela rua. onde aperfeiçoou seus conhecimentos. Lutero notou certa estátua.

Papisa Joana. WOODROW. transformada nessa coisa ttm sentido que ela éhoje e que a levará cada vet^mais ao descrédito. de cuja existência ninguém duvidava. 10) "Sois agora. sendo o restante homens dignos e merecedores de todo o nosso respeito e admiração. se papas indignos como Sérgio III (cognominado Boca de Porco). A.Antes da reforma protestante. referiu-se a ela.. (Ap 20. Lawrence. que se entregaram à corrupção. sendo os demais homens santos e compromissados com a palavra de Deus. não se pode negar. tem plena consciência de que nada é. Babilônia. Bonifácio VII. vós todos os que praticais iniqüidades". O padre João Huss. Campos Porto. para encontros amorosos e bacanais).c Este autor não tem. porque Ele é a sublime perfeição e dará sempre ao homem o ensejo de saber que não está só. Como afirma o renomado escritor A. Alexandre VI. cuja boca se abriu para receber de vossas mãos o sangue de vossos irmãos". Então. Clemente V. mas ninguém questionou ofato de sua existência". A Igreja Católica e a Maçonaria. "Realmente. Record. 20 2] . Joana foi transformada no Papa Zacarias.i colocou num plano completamente oposto às coisas de Deus. aospoucos a Igreja Romanafoi perdendo sua espiritualidade. Salientamos que. (Ap 22. Ora. "Ali haverá choro e ranger de dentes". séculos após ela ter morrido. Leão VI. o Todo-Poderoso certamente dirigir-se-á aos celerados da História e perguntar-lhes-á: "Quefizestes? A vo% do sangue de vossos irmãos clama da terra a mim". malditos por sobre a terra. Ralph. tom a finalidade de poder governar de modo absoluto. (Lc 13. (Gn 4. chegando ao máximo de 30. ao procurar` integrar-se ao Estado. porque não poderia Clemente VII alterar este pequenino detalhe?. Embora abordando historicamente a grosseira imoralidade que existiu nas trajetórias de alguns papas. Recife. ao defender sua doutrina diante do Concilio de Constança. s/d. dos 265 papas da história da Igreja (João Paulo II incluído). e todo aquele que ama epratica a mentira''. Bonifácio VIII. Ela teve seu lugar entre os bustos talhados queficavam na Catedral de Siena... Campos. os assassinos. Assoc. os feiticeiros.. apartai-vos de mim. os impuros. muitos deles defensores zelosos do Evangelho e mártires do Cristianismo nos primeiros séculos da Era Cristã. não devemos olvidai i|ue a função do historiador e do pesquisador consiste em esclarecer a versai i dos fatos à luz da verdade. que expôs tantos erros da Igreja romanista. Evangelistica Ralph Woodrow. Sob pedido de Clemente VII (15921595). Benedito VIII. "O papado. (Gn 4.. cheia <lc dores.porque O tem a acompanhá-lo. 1966. alguns dosprimeiros pontífices foram verdadeiros mártires. PORTO. 12) "Fora ficam os cães. a presunção de arvorar-se em dono da verdade e palmatória do mundo — ao contrário. terá sempre o caminho Certo que a conduzirá a Deus. contas serão pedidas a esta geração". Rio de Janeiro. pois. João XI. sendo vulnerável aos mesmos vícios e fracassos desta vida.7) impunemente. Inocêncio VIU e tantos outros . mas ainda no rol dos culpados na Eternidade.. Mas a humanidade. Os papas canalhas e salafrários constituíram apenas uma minoria. Mas. ìmpertérritos na defesa do Cristianismo. 27-28) A 8 c DURRELL. João XXIII. depois de ligada ao mundo por um conúbio sacrilego. à volúpia. não desejamos causar a impressão de que todos os pontífices foram tão maus quanto os que mencionamos. ao luxo e à concupiscência. Rio de Janeiro. bispos e pelos próprios papas. João XII. chamado Zacarias. Segue a The Catholic Encyclopedia: "Nos séculos XIV e XV. sem se deter diante daqueles que distorcem ou adulteram a História para esconder seus crimes e ocultar suas próprias imperfeições. em todos os momentos```. 15) No dia do acerto de contas. muitos obrando desonestamente e outros cometendo adultério ou vivendo abertamente em pecado com mulheres de vida dissoluta (mantendo-as em haréns particulares. os idolatras. desiludida dos papas e de toda a hierarquia da Igreja Católica. que . João X. tivemos alguns que não souberam honrar as suas funções pontificais. espalhados por diversos lugares da Itália e no restante da Europa. Aurora. 1954. este evento era crido pelos cronistas. Alguns estudiosos têm questionado de que modo pôde o Papa Clemente VII 'transformar' uma Papisa chamada Joana em um Pontífice homem. Os papas abordados nesta obra figurarão não só nos arquivos da História humana. (Lc 11. escandalizaram a Igreja Romana e macularam a Sã Doutrina de Cristo (Mt 18. 51) E mais: "Não sei donde vós sois. foi heróico na virtude e na consagração das coisas referentes ao Evangelho" .11) E advertirá: "Sim. imperfeições e vicissitudes. portanto. eu vos afirmo. veio a derrocada geral. a Papisa era citada como personagem histórico. Por outro lado. a Religião dos Mistérios.

CAPITULO I JOANA ( J o a n a L'Anglois. de 8 5 5 a 857) 23 .

que. ela conquistou tão grande respeito e autoridade. Tendo governado durante dois anos. CPAD. nascida em 817 em Mentz. enquanto se dirigia para a Igreja de Latrão. sob a orientação dos mestres gregos. 8. após a morte de Leão IV. Record. que foi eleita Papa por unanimidade. chegando a Roma. sem p o m p a 1 2 DURRELL. Foi sepultada no Tibre. A Reforma Protestante. 1983. um mês e quatro dias. Lawrence. a Santa Igreja Católica Apostólica e Romana foi dirigida p o r u m papa-mulher.2 Segundo Martim. 1954. 27. p. p. ou Papisa: Joana L'Anglois. até mesmo no conhecimento das Sagradas E.scrituras. pelas suas doutas e engenhosas conferências e discussões. dirigiu-se a Atenas q u a n d o jovem em c o m p a n h i a de u m a m a n t e (o culto Frumêncio) e tantos progressos fez nos estudos. filho de Leão IV ntre os anos 855 e 857. certa ocasião. Sigisberto Gemblacense e Jean de Mailly). Rio de Janeiro. poucos encontrou que fossem capazes de rivalizar com ela. entre o Coliseu de Roma e a Igreja de São Clemente. por artes do diabo) Disfarçando-se de homem. ALMEIDA.A vida imoral da Papisa Joana com Floro. Ela chegou ao papado. segundo alguns historiadores (entre os quais figuram Martim Polomo (1278). 25 . Papisa Joana. Rio de Janeiro. foi surpreendida por trabalhos de parto e ali mesmo morreu. na Alemanha. Abrãao de. de ascendência inglesa.

eperguntava a si mesma a qual deles ofereceria a maçã. achava difícil acreditar que Deus houvesse colocado tantas coisas boas diante de nós simplesmente para podermos resistir a elas. quando via os belos cortesãos reunidos à sua volta numa festa. como I '/ii/io aconselhava.na maioria seus amantes e cortesãos -. Mais uma vitória assim e estou perdido'. a Papisa Joana lutou contra o demônio durante dois i in U`h `os. mais uma ve% a agitar-se-lhe nos seios. Tira inútil'. que a ambição sufocara. por sinal. ainda. que pune as fraquejas com o fogo eterno. Seguia as prescrições de São João. Joana estava acostumada. continuavamfirmes e belos como sempre?' "Muitas ve%es. granjeado grande soma de experiênáas.pensou. ilepois de uma noite sem sono.'' Com o último suspiro do Papa Leão IV (847 — 855). tida. Joana. comofaliam as atenienses nos festivais de Deméter.'prolongarabatalha'. e não se esquecia ile nenhuma droga medieval capa% de ajudá-la a sufocar e suprimir os desejos juvenis. tanto mais ardem. chamado Floro. Sentia chegado o canto do cisne da sua beleza. Já escolhera o seu conquistador. (Joana nãofiariacaso da impiedade e menos ainda receava o Tribunal Celeste.. transformando a residência dos pontífices em um covil de ladrões. sentia que outrasferas a espreitavam —feras não menos aterradoraspara as mulheres do que lobos e leopardos. de sua parte. Esse moço tinha vinte anos. arrancava três fios de cabelos brancos da cabeça fùfmosa. que tornavam a brotar-lhe no corpo quarentão. ao contar os seus soldados mortos. a gravide^ e a maldade — os três guardiães da castidade feminina. ou melhor. posição cobiçadíssima naqueles dias. quando o comando do Vaticano ficou à mercê dos caprichos das matronas e das meretrizes palacianas. para poder acudir sem perda de tempo à presença do papa ao primeiro sinal da sineta de prata. e ferve. começou. No entanto. (Se os homens fossem estéreis como as mulas e mudos como os peixes. o único filho gerado por ele. ou bebiapoções de nenúfares ou cabeças de alface. assustada. "Joana estava na grande encruzilhada de sua vida. como o monarca constituáonal diante de um decreto arbitrário. Reßro-me ã aproximação dos cabelos grisalhos e das rugas. recuava. em que as uvas que decoram a mesa não devem ser tocadas. era louro como um cão •da Lacônia e totalmente dedicado ao papamulher.nenhuma. surpreendia-se a chorar as oportunidades desperdiçadas. mulher inteligente. os que causaram sofrimento e os que causaram prazer)" Prossegue Durrell: "Tendo. Segundo Durrell. instalada à cabeceira da cama pontifícia. espraiava os olhospelafileirasdos ataviados j\dônis. e qual seria a melhor maneira de fa%ê-¿o. como os antigos atenienses. sobretudo quando os papas eram santos). ojejuador. como João VIII. I ispalhava sobre o leitofolhas de agno casto. como Dante quando encontrou o leão. creio que a ninguém aproveitaria a vigilânäa dessas três sentinelas). que. Mas ela. àquela altura. e o desejo. Depois de cada vitória obtida sobre a carne. ao defrontar-se com a derrota. que nomeavam e demitiam papas . que •o elevou à dignidade de camarista privado. fora entregue pelo próprio pontífice aos cuidados da papisa Joana. é a frase atribuída a ì`irro. posto que tivesse provado tantosfrutos proibidos. Mas temia o escândalo. no mesmo caldeirão borbulhante. o leopardo e o lobo na floresta. conservava os dentes alvos e ofuscantes. lembrando-se da gravidade de um ato tão temerário. pois quanto mais se procura i\:linguí-los. o sobrinho (pois em Roma os filhos dos papas se chamavam sobrinhos." "Mas tais desejos se parecem com a cal virgem. A Papisa Joana apaixona-se pelo jovem Floro Continua ainda Durrell: "Floro dormia no quarto contíguo à câmara apostólica. como Catarina ao passar em revista a sua guarda real. ao invés de entoar cânticos triunfais. Em outras ocasiões. a vida não era um banquete inglês. A partir de seu pontificado a Igreja Romana entraria numa fase de declínio espiritual. a pôr instantaneamente em prática as 26 11 . como brotam flores numa ruína. que Joana repetia a si mesma quando." "De qualquer modo.

onde te pôs a descrever círculos. Mas tão comuns eram as visões.suas decisões. ao rio daArcádia e não ao rio infernal. bem i amo a curiosidade. ao visitar o pastor látmico. saltando da cama. E o ícone do Crucificado caiu ao chão e espatifou-se — ao 28 29 . vampiro. obrigamo-nos a confessar que as coisas correram tão bem para Joana e Floro. os seus raios com nuvens. Precisava de mu pretexto que lhe permitisse. lá se quedou." "A escuridão aumentou-lhe o terror. para o quarto de dormir. Joana. que eles tinham esquecido de cobrir. Floro estendeu os braços. muito suavemente. pé ante pé. `ou-lhe nas mãos uma camisa rasgada e algunsfiosamarelos de cabelo." "Saiu no encalço da aparição que correu..dlura. fez-se misantropo e fileleno. Certa noite. Sendo esta uma narrativa puramente baseada em fatos históricos. como umfantasma. que ml)ria um coração vivo epulsante. mas fugiu. Byron abandonou o poema e a poesia e. muitos até bocejaram em seu nari^P 'Não obstante. d o Santíssimo Pulei. sem deixar de ser a criatura recatada que era. já não sat¿fiariam a Floro tais despojos. como Selene cobrira. Tinha o sangue espicaçado. de camisola. ao tornar em si. célere. caro leitor. \\iis em lugar de encontrar ossos. Mas não se atreveu a mordê-lo. estendeu ø /7. principiou. os fantasmas e os sonhos naquele tempo. até que. estender mais do que o pé aos beijos do jovem inocente. com exceção dos mochos e dos relógios. Abriu-se a porta suavemente. fantasma. como quepor obra da brisa e. corrupção.. Floro sentiu o suor molhar-lhe a camisola. um suor tão frio quanto as águas do Estige. à meia-noite. quando os seus ouvidos perceberam um leve roçagar. mais uma ve^¡ a aparição se avizinhou da cama. Tudo estava em silêncio na residência papal. Animada pela absoluta imobilidade do rapa% entorpecido. tomar emprestada alguma o b s c e n i d a d e o p o r t u n a do abade Casti. Mas. porém. a ela. enterrado num pântano de Missolungue. o Papa. A visão par eua ter lu^própria e. ao quarto em que dormia o escolhido sucessor de FrumêncioP "E quedava-se horas e horas a contemplá-lo. na noite seguinte. No dia seguinte. como o vôo de algum pássaro noturno. (Refiro-me. caminhando na ponta dos pés. suas mãos esbarraram numa pele suave e quente. A essa . ou do reverendo Rabelais. Nisso. Joana L·AngloisP Aqui.. reuniu coragem bastante para tocar-lhe a testa dormente com os lábios.. que se abeirava da cama. ou o movimento de alguma moça que corria para a primeira entrevista. naturalmente. aterrada. N ã o atinando com o m o d o de prossegui-lo. mas teve a impressão de que era uma nuvem branca e baixa. ao pé do leito. não traria lanterna na mão. por fim. O enredo talvez ganhasse com isso. /(a para agarrar ofantasma. o bom Floro anunäou aos amigos que uma visão noturna... depois de longa perseguição.. Mas agora se via um tanto quanto perplexa. quando lhe viu tremerem as pálpebras. Ele só conseguiu entrever vagamente as formas à lu^ do lume enfumaçado. para apimentar a história. após seu falecimento. prendendo o pé numa dobra do próprio i`cslido. O contato quente dissipou. que ainda assim logrou desvencilhar-se e escapar. após as necessárias confissões e explicações. Afinal. a lua saiu detrás das nuvens e brilhou em cheio sobre o rosto e os seios nus do Sereníssimo e Santo Pontífice João 1/III— ou melhor. cujas águas eram quentesj. nuvem. de uma feita. larvas. de pronto. As de São Pedro com certeza ficaram verdes de raiva. desesperado. a narrativa deve ser mesmo tão seca quanto a figueira estéril do N o v o Testamento.ficoutremendo na cama. retirando-se para ser. O criador de Don Juan possivelmente viu-se na mesma situação quando. provavelmente ficaram escarlates de vergonha. poder-se-ia. o frio medo que se instalara no sangue dojovem. que as faces da Virgem. caiu estatelada no chão. que a maioria dos ouvintes não manifestou surpresa alguma... para os nossos objetivos. a mordiscar com os lábios apele tenra do fruto proibido. Floro estava certo de que a aparição era algo inteiramente insólito e. incàpa^ de dormir. o visitara enquanto dormia. ou qualquer outro atributo clássico do vampirismo. ia. diante dajanela aberta. receosa de que pudessem ouvir-lhe os passos. a mão de seu herói pousou sobre o alvo seio da terceira ou quarta heroína — tão docemente embalada quanto a Arca no Monte Ararat. Muitas e muitas ve%es. escurecendo a lâmpada com as mãos.

de que < tão VIII era na verdade uma mulher disfarçada de homem — à exceção | ilo camarista Floro. quem me enseja o descanso?" (Sl 55. só naquele dia. como faz o trigo quando a chuva interrompe uma longa estiagem. nem o fogo. quase também l>assa mal. Concedeu-lha. fez-se ermitão. 30 . os cronologistas terão de contentar-se com a descrição de uma nuvem manchada de sangue. subitamente. Todos se deram conta. surgiu diante dos cortesãos e as suas mãos atribuíram bênçãos e favores a q u a n t o s a (o) r o d e a v a m . 4-5) Na manhã seguinte à noite tríplice a Papisa Joana. distribuiu quatro bispados. cjue n.. O chefe de toda a cristandade. Joana dirigiu-se à igreja.. incontinenti. pp.. que já a houvera descoberto. desejando aliviar um pouco a respiração do Papa João. comutou a pena de cinco condenados à forca e salvou vinte hereges da fogueira. os seus olhos procuravam inconscientemente os de Floro. a cúria romana decretou que a sacrílega mulher l >sse atirada às águas do rio Tibre. como abelha ao redor de uma flor. c/f. E enquanto executava todos esses atos. Lawrence.. Teve que ser amparada por •i IIS auxiliares — os quais ficaram chocados ao verem. Um dos diáconos. a fim de não contaminarem as sandálias pisando nas pegadas da imunda mulher-Papa. E ainda lamentou não possuir as cem mãos de Briaréu para centuplicar as suas caridades. o amante. a fim de receber os embaixadores do príncipe Ansegiso. Floro. Mais tarde. supostamente sagradas. quando os habitantes da Cidade dos Césares romanos esperaram. em vão. Op. conforme as palavras de Salomão.. ao passo que seu espírito voejava em torno de sua cabeça. foi três vezes mais comprida do que costumava ser — como quando Zeus gerou Hércules. 3 3 DURRELL.. ordenou dezesseis diáconos. como ocorreu à noite. N o dizer de outros.i sua bem aventurança ignorava ser o guarda das chaves do Céu uma mulher. não resta dúvida alguma de que teria acarretado um eclipse do Sol. o pressagio foi transferido para o dia seguinte. que circundou a lua. ao levantar as dobras da indumentária pontifícia. então. A e x u b e r â n c i a p a p a l foi imediatamente absorvida pelos rostos dos cortesãos. a Papisa contorcendo-se de dor pelo chão.. voou para o alto com indignadas batidas de asas. que pleiteava sua ajuda contra os sarracenos. Mas. que despontasse a Estrela d'Alva. mesmo porque. já estando grávida do mancebo camarista... seu secreto amor.. Aquela noite. nem o amor da mulherpodem ser saciados. Refeita do susto.6) Durante dois meses ela continuou a vogar como u m cisne sobre nin rio de prazer inextinguível. como o rei-profeta: "Quem me dá gsa¿ para voar entre as pombas. com efeito. Tivesse esse ato abominável sido cometido durante o dia. e os piedosos peregrinos. que ergueram as cabeças melancólicas mais uma vez. ou o Papa João VIII. ao presenciá-lo expelindo o rebento adulterino por entre as vestes. outros caminhos para chegar ao Latrão. foi instada poi alguns cardeais da alta cúria a participar de uma procissão de São Pedro para o Lateran (Laterão ou Latrão). E < assim foi feito. 128-32. juntamente com o seu Pipidião. acrescentou dois Santos ao calendário. a partir deste incidente. sob o peso da vestimenta papal (que ocultava-lhe a enorme barriga). passaram a utilizar. Acreditamos que a Papisa Joana não a tenha achado aborrecida. Passados il"iins meses. adorada pelo novo amante.passo que o anjo da guarda do Papa João VIU. Surpreendeu-se a repetir.?' (Pv 5. "Nem o inferno.

CAPITULO II ESTEVÃO VI (de 8 9 6 a 897) 33 .

o conformado Guido. responsável pelo encarceramento e morte de seis papas fantoches. desenterrou e julgou a carcaça de seu antecessor. encravado no coração da Itália e tutelado pelos mandatários lombardos e bizantinos. o Papa Formoso ntre os anos 887 e 897.Mancomunado com a amante Agiltrudes. Guido não passava de um mero boneco nas mãos de sua arrogante mulher. um frágil governante do ducado do mesmo nome.. servindo apenas para dizer sim a seus maquiavélicos desejos.. pressionado por sua tirana mulher. os Papas estiveram sob o c o m a n d o e a prepotência de u m a mesma mulher: Agiltrudes. Os motivos? Sempre os 35 . esposa de Guido de Spoleto. Madame de Spoleto manobrou o papado e colocou os Estados da Igreja sob sua influência. nomeando e demitindo prelados ao estalar de seus dedos. E m 887. Este ato deu início a uma década de terríveis conflitos entre a Igreja e a criminosa Agiltrudes.. pede ao Papa Estevão II que o coroe como imperador do ducado de Spoleto. Sob a influência desta mulher terrível sucederam-se nove papas em 8 anos.. três deles morreram na prisão e outros três foram assassinados 4 . tendo um governado 15 dias e outro 20 dias. quase todos eles seus amantes. que dele dispunha c o m o queria.

Álvaro. e declarou válidas todas as ordens concedidaspor Formoso. pp. ele foi considerado culpado de todas elas! Com isto. o sucessor do pontífice Formoso. em um Sínodo. História dos Papas.. por conseguinte. fosse novamente enterrado. os dedos que eram usados para dar a bênção pontifícia foram retalhados e se ii cadáverfoi jogado na rua.. a The Catholic Encyclopedia complementa que "o segundo sucessor de Estevão fie^ com que o corpo de Formoso.. Segundo Ralph Woodrow. Oito meses depois. Posteriormente. naqueles obscuros tempos. esta bestial mulher mandou desenterrar o cadáver de Formoso e entregou-o ao povão. N ã o satisfeita com toda esta barbárie. as decisões do tribunal de Estevão VT. morto em 896 por torturas e maus tratos infligidos por Agiltrudes. e o cetro do Santo Ofído lhe foi posto nos dedos descarnados da mão apodrecida!``. _E claro que nenhuma resposta foi dada pelo morto. O Papa Estevão VT adiantou-se e começou o interrogatório. dominada pela ira. foram r e p r o v a d o s p o r insuficiência genital e silenciosamente eliminados. Ele posteriormente anulou. Mauriœ. Babilônia: A Religião dos Mistérios . um Papa condenou outra'''. foi finalmente lançado ao rio Tibre. uma vez que os restos mortais do eminente pontífice ainda exalavam insuportável mau cheiro. Exatamente por ter criticado a vida imoral de seus muitos amantes. com todas as honras. Sérgio III. José Olympio Editora. o fedor do corpo enchia o local da . Assim. 36 37 \ .b "Enquanto o julgamento se desenrolava. NEGROMONTE. Ralph Woodrow Evangelistic Association. LACHATRE. atraindo enxames de moscas e varejeiras quando em exibição.i:jam.. ocasionando a censura dos habitantes de Roma e muita boataria. 5 Ela considerou inepta a maioria dos seus amantes. História da Igreja. 78. o corpo foi tirado do túmulo e colocado em um trono. EUA. Pe. Arrastado por uma carreta pe Is artérias de Roma. o T>oca '` WOODROW.. Formosofoi vestido com osricosparamentos 4 5 i/o papado. p.. que um monge havia tirado do Tibre. 1949... que o arrastou pelas ruas de Roma em execração. recebeu uma coroa no crânio pelado. João IX confirmou estes atos em dois sínodos.. o Papa Formoso foi jogado num calabouço e espancado por agentes a soldo de Agiltrudes. Neste desenrolar de fatos. Æi. Assim sendo.mesmos: impotência sexual e genitália inferior às dimensões exigidas por Agiltrudes. vindo a falecer. tssembléia. os brilhantes vestidos foram rasgados do seu corpo. Lisboa.106-7. pois o Papa Formosojá estava morto havia oito meses! Não obstante. diante de um grupo de bispos e cardeais. Rio de Janeiro. Ralph. p.. 1966.. Estevão VI e sua insaciável amante viviam explicitamente em pecado de adultério. "sì famosa história de um papa trazendo outro ajulgamento épuro horror. para divertimento da plebe. na Catedral de São Pedro. O único entre estes papas a satisfazê-la sexualmente foi Estevão VI. 1957..Antiga e Moderna. 68. instou seu amante Estevão VI a submeter o Papa Formoso a um rigoroso julgamento por parte de bispos e cardeais — todos 'meninos de recados' desta adúltera mulher. em relação às acusações que se lhe l. O episódio do julgamento do prelado ancião passou aos anais da História como Concilio Cadavérico. a coroa foi arrancada de sua Cabeça.

. João XII (imoral neto de Marózia). c/f. mas não conseguiu contê-las.. inclusive com o surgimento de alguns antipapas. Op. que recebia então a votação. Álvaro. em face de graves dificuldades políticas. Pe. A Igreja nunca legitimou este procedimento.? A Igreja Católica.. NEGROMONTE.8 / CAPITULO III SÉRGIO III (de 9 0 4 a 9 1 1 ) 7 8 Idem. cardeais e papas serem transformados em meros objetos de preferências sexuais. primeiro imperador da Alemanha. e coroou-o seu sucessor (962). por sua ve% havia conferido ordens sobre muitos outros clérigos. viu bispos. aprovou em um sínodo romano as deäsões de Estevão contra Formoso. fuga e assassínio de papas". que. filho de Henrique. a rivalidade entre os nobres italianos e o império germânico tumultuou a Igreja. p.de Porco' (904-911). "Nos primeiros tempos do Protetorado. exigindo uma das mais enérgicas lutas da Igreja para extirpar tal abuso. O novo imperador parecia bastante forte para dominar as desordens que agitavam a Itália.. embora a fórmula tivesse durado quase cem anos (967-1059). política que deu origem a ainda mais confusãd\. chamou em seu auxílio Otto I.. o Passarinhe¿ro.. 78. Por fim.. Comprometeu-se a proteger a Igreja. 36 39 . que durante mais de um século tremeu sob o comando das poderosas meretrizes de Roma (887-997). Sérgio e seu grupo deram um severo tratamento aos bispos consagrados por Formoso. pois o imperador apresentava o candidato. assim restabelecendo o Império Católico do Ocidente — agora o Santo Império Romano-Germânico.. porém a 'proteção' imperial constituiu-se em verdadeira dominação..

Marózia. teve início o período conhecido como governo dasprostitutas. que foi por ele perseguido e encarcerado. Manual Bíblico-Um Comentário Abreviado da Bíblia. I ¾te papa adúltero e fornicador não teve escrúpulos ao apossar-se da mulher do senador romano Teofilato e de sua filha Marózia. para o mesmo lascivo e devasso homem. " HALLEY. 686. 1995. amante da infiel Teodora I e de sua filha Marózia om o reinado do Papa Sérgio III.imbas exclusivamente. Sérgio III chegou ao sólio pontifício passando antes por cima do l adáver de um Papa anterior (Leão V. p. falecendo em conseqüência de maus tratos). que se apossaram do patrimônio de São Pedro e passaram a ditar normas a seus amantes. Henry H. sujando de Bangue a Cadeira de Pedro. Edições Vida Nova. transfigurados em marionetes a serviço de seus desejos e favores sexuais. vivendo . a partir de então. 41 .O Boca de Porco. domínio das meretrì·%es ou aindapornocraáa (904— 963) 9 : o papado era manobrado politicamente por rameiras. Os arquivos da Igreja Romana relatam sua vida de ostensivo | >ecado com sua amásia. que dele teve vários filhos ilegítimos (entre os quais o Papa João XI). além de transformar os labirintos do Vaticano em pontos de encontro amorosos entre ele e suas concubinas.

O senador Teofílato. 12 Sérgio I I I . 42 43 . o suficiente para entronizar e destronar papas.. c/f. 113. Op. cit. p. o Papa Teodoro II teve coragem para reabilitar a memória de Formoso e j o ã o X procurou remediar os excessivos abusos daqueles tempos agitados. parecia inspirar-se em Semiramis. p. Op. três morreram 1 na prisão e três foram assassinados. Ao sabor de interesses diversos. Idem. 96. no t 1 ri o período de 8 anos. p. O historiador italiano Barônio descreveu o Papa Sérgio como "monstro". 13 DURRELL. 76. Pe. teve seu cadáver desenterrado e entregue à populaça. foram conduzidos ao trono pontifício papas Indignos.. Ainda assim. um governou 15 dias e outro 20.10 Diz um historiador: "Durante sete anos este homem (.14 Aquela época. compartilhavam da corte com tal pompa e voluptuosidade que faliam relembrar os piores dias do antigo império1\11 Teodora I. enquanto sua concubina e sua mãe. assassinados.13 é a personificação da decadência espiritual da Igreja naquele período crítico da história humana. a infiel esposa de Teofílato. em Roma (896). Idem. depostos.. que p a s s o u à História c o m o Boca de Porco. mulher de Guido de Spoleto. por cultuar uma moral corrupta. WOODROW. Uma delas chegou a ser bastante poderosa. junto com a filha Marózia. Embora as maiores dificuldades do papado tenham começado no fim do século IX e terminado ao início do século XI. transformando o Palácio de Latrão em um covil de ladrões". foram de tal modo acentuadas no século X que este foi denominado como Século de Ferro. que por vários anos controlou os destinos da Igreja Católica. esposo de Teodora I. Lawrence.. semelhantemente a Semiramis.) ocupou a Cadeira de São Pedro. enquanto Gregoróvio definiu-o como um "criminoso aterrori%ant¿`'. sucederam-se ainda nove papas. p. por processos mais indignos ainda.. Álvaro. tais papas eram eleitos. assolado por guerras civis e religiosas entre os nascentes Estados europeus — especialmente a França e a Inglaterra. que o atirou ao rio Tibre. desistiu de concorrer com o poderoso rival. E m 887. as concubinas do Papa Sérgio "enchiam a cadeira do pontífice com suas imoralidades e seus filhos bastardos. as meretrizes tinham trânsito livre nos corredores do Vaticano. sentindo-se impotente para enfrentar o usurpador de sua esposa e filha. ao bel-prazer de seus caprichos: Agiltrudes. encarcerados I profanados depois de mortos — como o Papa Formoso. Guido de Spoleto constrangeu o Papa Estevão II a coroá-lo imperador: Principiava para a Igreja outra fase de desordens e escândalos. Op. 96. " NEGROMONTE. 96. Sob a terrível influência desta mulher. por haver incorrido na ira de Agiltrudes. que. 10 11 12 \ssim como cie. c/f.. Ralph. p.

CAPITULO IV LANDO (de 9 1 3 a 914) 45 .

HenryH. 11 HALLEY. assunto do próximo capítulo. cit. Op. criminoso e fornicador. que queriam o Trono do Pescador para nele perpetuar o amásio de Teodora II. pressionado e hostilizado por três mandonas da cadeira de São Pedro. o triunvirato da i ulelagem. além de notório corrupto. criminoso e fornicador urante o chamado governo das meretri·%es (887996). Para manter-se no comando da Santa Sé por este exíguo período. Teodora I. o Papa Lando teve que costurar humilhante acordo com as três meretrizes.15 O pontificado de Lando antecedeu o de João X. João X. Teodora II e Marózia. amante de Teodora II. destacando-se entre eles o terrível e asqueroso Papa Lando. Este papa encarnou o que mais de excrescente registrou-se nos anais da maldade humana.Corrupto. detentor de maléficos predicados morais. a Igreja Católica Apostólica e Romana s u p o r t o u u m a t e r r í v e l l e v a de p a p a s desmoralizados e manipulados por devassas madames. 686. Lando dirigiu a Santa Sé imprensado entre o martelo e a I »igorna. governando a Cadeira de Pedro p o r apenas u m ano — t e m p o suficiente p a r a cobrir a humanidade de vergonha e estremecer os santos em suas sepulturas. deixando para as gerações futuras u m péssimo exemplo como primaz da Itália e da comunidade católica Universal. 47 . p. ou seja.

anatas. Alguns anos antes. caso morressem naquela ocasião mundana. protetor das almas e superintendente do Purgatório. 16 16 NEGROMONTE. pagando o pedágio do santo coito. Alexandre VI e vários outros. A Igreja carecia naquele momento — como em tantos outros — do exemplo de u m h o m e m santo e zeloso da doutrina cristã. Lando era amante da boa comida e do bom vinho. Homens tão mal escolhidos como Lando não davam o exemplo da virtude. além de aquecedor das Santas Caldeiras. Houve momentos de indecisão e receio. que recuperasse a dignidade daquela divina instituição. apreciadoras de robustas genitálias. abençoado e referendado pelo 'generoso' pontífice. c/f. manchada pela impureza do pecado. pois o outro já fora castigado com uma morte trágica. sempre que lhe era permitido. A maioria dos pontífices que honraram seus títulos teve que sofrer pela liberdade da Igreja. João XII. ao lado de Teodora mãe e suas filhas. pp. ferida pelos escândalos e esclarecida pelos zelosos pregadores que surgiam. mas diminuído em virtudes!' O grande número de papas escandalosos e imorais enfraqueceu as estruturas doutrinárias e cristãs da Igreja. um tratamento mais suportável e menos severo. Teodora II e Marózia. Álvaro. . pedia uma reforma. Pascoal II padeceu no cárcere. o luxo e a carnalidade. restando apenas os maus costumes. Mas a própria consciência cristã. para que este rogasse a Santo Odilon.comprometendo-se a entregar a elas toda a renda da Igreja proveniente dos dízimos. Pe. já que haviam contribuído financeiramente com o Tesouro de São Pedro. digno de seu grande antecessor. ofertas e coletas e fazer vistas grossas para as suas aventuras sexuais nos corredores do Vaticano — que seguia sendo um antro de prostituição e roubalheira.. o grande São Jerônimo lamentara "que a igreja houvesse cresádo em riqueza e poder.80-2 e 87. como também não o fizeram Sérgio III. os amantes dessas rameiras intercediam junto ao Papa em exercício na ocasião. Urbano II foi refugiar-se na baixa Itália. nas mãos de Henrique V. Op. desfrutando estes prazeres. A ocorrência de bacanais e surubas nos luxuosos aposentos do Palácio de Latrão.

irmã de outra meretriz. m t e c e d e r a m as p r i m e i r a s c r u z a d a s . Sua irmã. c/f. desempenhando u m b o m p o n t i f i c a d o . João X governou a Igreja Católica por 14 anos. o Papa João X teve sua eleição apoiada por uma cortesã romana . em seu lugar.que rendia não só dinheiro. 17 para o ódio de Marózia. também já mencionada. mas também sexo e sangue. Ela atiçou ainda o fogo da intriga entre alguns de seus amantes e o Papa João X. 51 . as famílias ilustres da Europa matavam e morriam em defesa da Cadeira de São Pedro.. Op. se possível. frente aos i n ú m e r o s conflitos daqueles t e m p o s agitados que . no intuito de afastá-lo do poderoso posto . de quem já falamos no capítulo anterior -.Teodora II. p. como reserva de seus apetites carnais). J o ã o X m a n t i n h a u m u·lacionamento amoroso com Teodora II. Naquela época.Amante da prostituta Teodora II * o ano 914. a 'galinha dos ovos de ouro' da nobreza européia e outros "HALLEY. 686. um de seus amantes (nomeado papa pela depravada Marózia. HenryH. assentar Leão VI. eliminá-lo por assassinato para. ambas filhas do senador Teofilato e Teodora I. Marózia. que desejava afastá-lo da Cadeira de São Pedro ou. Leão VI tornouse praticamente um escravo no Palácio de Latrão.

o Trono de Pedro . estes mercenários criminosos destruíram inúmeros opositores de três césares. e de Marózia (capítulo III). Os dois arquitetaram vários planos. i | talhando o medo entre os civilizados. que. pois o mesmo. possuíam vários escravos. cercada por uma leva de povos semi-selvagens que viviam como intropófagos e vagavam por vastas extensões da Ásia e da África. os senhores leudais em toda a Europa disputavam com os papas a posse das terras. toda a Europa estava imersa em densas trevas. o Papa fornicador e adúltero. que utilizavam os crânios de Seus inimigos mortos como recipientes em que bebiam água e hidromel. era favorável à escravização total dos povos aborígenes para trabalhos Forçados nos campos do Velho Mundo. também pretendia assumir. A poliandra Marózia e seus cortesãos tramavam dia e noite a morte do Papa. sua concubina. João XI era filho adulterino do Papa Sérgio III. João X desejava evangelizálos c batizá-los. A mulher do senador Teofilato. Se Locusta ou o escravo Palas estivessem vivos. para mais uma sessão de sexo. Pelo contrário. o Boca de Porco. Teodora II ia constantemente aos aposentos de João X no Vaticano e o arrastava pelas vestes pontifícias para os macios colchões de seu luxuoso dormitório no Palácio de Latrão. na sua maioria. provavelmente enviados por sua irmã. Tais servos eram. I . João X temia o filho de Marózia. muitas vezes indo ao campo de batalha para resolver suas querelas. Teodora I. reforçou a segurança no Latrão e deu ordens aos guardas para afastar qualquer impostor ou penetra que ousasse aproximar-se da residência do Pontífice. Tibério. todos unidos para esmagar o odioso inimigo da prostituta e de seu filho João XI. pois Teodora tinha agentes pagos para proteger João de possíveis atentados de inimigos. i R H·cialmente na Itália. nenhum deu certo. fazendo correr rios de sangue sobre o solo do Velho Continente. Teodora II e João X encabeçaram a campanha l le alforriação dos escravos dos Teofilato. em pouco tempo. talvez a execução do Papa por envenenamento se tivesse consolidado. 52 53 .para isso esperando contar com o apoio de sua mãe. no primeiro século da Era Cristã. berço de seus ancestrais. jovens de boa linhagem étnica. bem como suas duas I ilhas Teodora II e Marózia. Nesta época. E m meados de 928. os quais eram Utilizados tanto para satisfazer suas necessidades materiais quanto as ïcxuais. Marózia e seu filho João XI preparavam uma conspiração para fazer João X esfumaçar-se para sempre da terra dos vivos. Nos meados do Século X. o dinheiro. A família dos Teofilato era possuidora de grandes latifúndios em várias partes da E u r o p a . enquanto muitos pobres pereciam pela fome.ipturados nas florestas da Escandinávia ou na G e r m â n i a dos Tcutônicos. João X. Por sua vez. Teodora II. Para evitar o pior. prosseguia seu primado felicíssimo da vida ao lado de Teodora II. Os vultosos lucros provenientes do arrendamento das terras da Igreja aos cavaleiros vassalos trouxe enorme prosperidade aos pontífices daquela época — como no caso de João X. Enquanto o casal gozava o tempo no Vaticano. ambas com as mesmas pretensões: o comando da Santa Sé e sua principal força alavancadora. trazendo-os para o aprisco católico e assim transformais is em filhos de Deus.. com dezoito anos.segmentos da elite mercantilista. para descontentamento de Marózia e de seus cortesãos. mesmo sabendo dos perigos que rodeavam o palácio pontifício. sem se importar com o resto do mundo. pois. Calígula e Cláudio. João X era a favor da cristianização e alfabetização desses pobres infelizes adoradores de totens. que dissipava o tesouro de São Pedro com sua concubina Teodora II nas bacanais palacianas do Vaticano. além de fazê-la feliz. Já Teodora II não tinha pressa em se desfazer do parceiro.. ainda arranjava outros amantes para complementá-la em suas fantasias eróticas. João XI. favorecendo o emprego ] de mão-de-obra escrava em suas extensas lavouras.

para as comemorações alusivas ao nascimento do Salvador Jesus. dormiam um letárgico sono. para empurrá-lo na garganta do Papa se preciso fosse. b a s t a n t e c a n s a d o s . Conduzindo embaixo das vestes um punhal cintilante. andando na ponta dos pés. Teodora. comprimindo-lhe a garganta e sufocando-lhe a respiração. cobriu o rosto do sonolento primaz da Itália. João X abriu os luxuosos salões da opulenta corte pontifícia e recebeu a alta elite européia da época. enquanto seu amante. 18 1 WOODROW. p.que iria governar a Igreja por apenas um ano. tantas vezes saqueados por essas ratazanas insaciáveis. O banquete festivo durou uma semana. veio a ressaca da grande festa: João X e sua concubina.. Ralph. Avançando a passos firmes e silenciosos. após entregaram-se mais uma vez aos apetites e prazeres carnais que o diabo tanto aprecia. entrou na residência pontifícia e chegou silenciosamente aos aposentos onde João e Teodora dormiam nus.i seu amante Leão VI . cochilavam displicentemente ao lado de suas armas. a amásia de João X. 54 55 . com resultados onerosos para os já exauridos cofres do Vaticano. como outrora Herodes Agripa I no anfiteatro de Cesaréia.. Marózia. ansiava um dia chegar a assumir o Trono de Pedro.. Leão VI. Com João X morto. Quando tudo passou. envenenado com arsênico.. vindo a falecer do mesmo m o d o que seu antecessor. nas mãos da prostituta Marózia. ela lembrando uma ninfa em dia de apoteose na morada dos deuses. tudo acontecendo exatamente como a ferina Marózia I irevira. o Trono de São Pedro passou agora a pertencer . com as duas mãos. porta seguinte à do dormitório do Pontífice. ainda sob os efeitos do vinho fermentado. Teodora II e o Papa João X encontravam-se luxuosamente vestidos (ele trajando resplandecente indumentária. Marózia apanhou um travesseiro e. de costas um para o outro. recolheram-se aos seus aposentos no Latrão e. levantou-se do leito do parceiro i dirigiu-se aos seus aposentos privados. continuando a dormir como antes. Op. O palácio papal estava vulnerável ao ataque do inimigo. em seus apetites carnais e voluptuosos. Marózia ocultou-se entre as várias cortinas e esperou pacientemente que sua irmã se levantasse e se dirigisse ao seu próprio quarto. Seus g u a r d a s . no instante da chegada de Zeus.aguardando pacientemente a ocasião propícia para o desfecho la(al. de causar inveja aos deuses do Olimpo. A noite avançava com suas tri vas aterrad( iras. Ité matá-lo por asfixia.). c/f. o Palácio de Latrão estava em festa. 96. N o natal de 928. Não é necessário dizer que só o que havia de melhor foi consumido naquela magna festa.. asfixiado também por um travesseiro.

CAPÍTULO VI LEÃO VI (de 9 2 8 a 929) 57 .

o havia conquistado. Durante 14 anos este infeliz viveu em Roma sob um regime de semi-clausura. para o n d e atraía os muitos 59 . Estes infestavam sua alcova palaciana. à disposição de sua amante — que o procurava para encontros amorosos e o mantinha estreitamente vigiado por seus criados. Marózia. quando Marózia soube que uma outra mulher. filha do senador romano Teofílato e de Teodora I. Seu curto papado findou também por asfixia. como poliandra e devassa que era. num dos vários palácios dos Teofílato. Leão VI chegou ao trono papal e a Igreja Católica Romana assistiu a uma interminável seqüência de assassinatos brutais e de abomináveis imoralidades. pelas mãos de sua amásia Marózia. mas ele permaneceu no sólio pontifício por apenas um ano.Um dos amantes da pol¡andra Marózia epois da supressão do Papa João X. localizada nos arredores de Roma. mais depravada do que ela. Marózia logrou designar seu amante Leão VI como sucessor do pontífice João X. para evitar que o varão se relacionasse com outras mulheres. sabia dividir bem seu tempo entre um amante e outro. concretizando um período de inigualável impiedade nos anais da História humana.

à espera de sua vez. à maré de seus caprichos. entregando-os à Igreja Católica em troca de garantias de vida eterna. juntamente com a mãe Teodora I e a irmã Teodora II. João XI. que arrastavam para os abismos infernais os pecadores não arrependidos — especialmente aqueles ricos e avarentos. sabia da conduta pregressa da amante com outros parceiros.pretendentes. de n o m e Alberico. foi fácil controlar. Marózia a u m e n t o u seu séquito de servidores sexuais. obrigando seus frágeis e desmoralizados amantes a rastejar debaixo de suas saias. que v. o qual ficou enclausurado em seus aposentos no Vaticano. P o r é m . Por essa época. A maioria dos cristãos daquele tempo acreditava piamente que o mundo acabaria no ano mil da nossa era — o que levou muitos a se desfazerem de seus bens. i nquanto Marózia usufruía os prazeres carnais com seus inúmeros ii >mpanheiros de vida mundana. eliminá-lo quando assim o entendesse.. Desta forma. toda uma corja de papas desmoralizados e subservientes. por alguns meses. O u t r o filho de Marózia.igavam desordenadamente pelas estradas e caminhos do Velho Continente. durante anos. a Santa Sé os mercadejava. T o d o s eles t i n h a m seus passos incessantemente monitorados. já que a Cadeira de Pedro era excelente 'vaca leìteim e todos desejavam ordenhá-la. pagos a preço de ouro. por toda a Eternidade. por esta prometida a seus devotos e fiéis seguidores. lobisomens. e n q u a n t o Marózia estivesse viva. distribuía indulgências a todos aqueles que estivessem dispostos a entregar seus bens à Santa (?) Igreja Católica. que se recusassem a doar seus bens para a Santa Madre Igreja. faziam-se os preparativos para as primeiras cruzadas da Igreja contra os sarracenos. antigos parceiros da mocidade. uma vez que ela mantinha ferrenho controle sobre os concorrentes. formavam uma espécie de Tñunvirato da Prostituição. Simultaneamente. Marózia. Estes queimariam então suas almas no Inferno.. deixando-se dominar pela influência do dinheiro e do poder. a velha rameira dispunha de uma rede de espiões e mercenários a seu serviço em toda a Itália e países circunvizinhos. dirigido por Marózia e outras meretrizes palacianas. por exemplo. facilitando a manutenção do poder em suas mãos. materializados em bruxas. Como os destinos da Igreja Romana estiveram. que vivia a mendigar aos pés de sua dona. 60 61 . Até mesmo os amantes da astuta meretriz eram vigiados. lotando-o à mercê de suas vontades numa das dependências do Palácio de Latrão — ou. deixando de lado. entre os quais o Santo Papa Leão VI. mulassem-cabeça e burras de padres. transformando o Vaticano numa espécie de potência religiosa detentora de direitos exclusivos sobre a alma dos homens. tal p r e t e n s ã o era praticamente impossível. E m meados do ano 929. mas continuava a partilhar do leito pecaminoso. Murmurava-se que toda a Europa encontrava-se infestada de demônios.. s o b r e t u d o em terras e ouro. N o exemplo.. o Papa Leão VI. Marózia ambicionava agora alçar ao Trono de São Pedro seu filho de dezoito anos. e nomear o amante para outra função. Através desse procedimento nada louvável conseguiu o clero acumular e n o r m e s fortunas. anunciando suas prédicas escatológicas temperadas por terríveis i m p r e c a ç õ e s c o n t r a os p e c a d o r e s . sob a tutela desta meretriz devassa. A corte papalina de Leão VI e seu antro de prostituição. ao sabor de seus próprios interesses econômicos.. Leão VI. também pleiteava o pontificado. sempre que surgisse a ocasião. além disso. E r a m s e g u i d o s I icneticamente por uma multidão de peregrinos penitentes.. quem sabe. abundavam em toda a Europa levas de pregadores Itinerantes. chantageando nobres e burgueses.

N o mês de novembro de 929. matando-o. Marózia conquistou mais dois amantes. em seguida. O Trono de São Pedro estava novamente vago. Essa era a substituta de Marózia na preferência do Santo Padre Leão VI. Enquanto isso. 96. o Santo Padre Leão VI. João XI também passou a viver maritalmente com a própria mãe. Op. A o descobrir a infidelidade de seu amante-Papa. transformaram o Vaticano em enorme posto de arrecadação pecuniária. 19 ÅUMIQ _ £APÍTULQLVÏI JOÃO XI (de 9 3 1 a 9 3 5 ) WOODROW.Utilizando-se destes artifícios os Teofílato. enclausurado em seus aposentos. Marózia convidouo para um encontro íntimo. submetêlos ao ritual da felação. Depois de embriagá-lo em seus aposentos no Vaticano. ainda mais depravada que Marózia! A História não declinou seu nome. Vingando-se de sua concubina. para melhor atender a seus insaciáveis instintos carnais. Como se tantas iniqüidades não bastassem. o suposto Sucessor de Pedro arranjou também uma amante. p. para ocupá-lo. Teodora II e Marózia. E mais: a mercenária rameira tinha por hábito despir vários homens em sua alcova para.. Ralph. Marózia nomeou seu filho João XI. tendo o Papa Leão VI como mero representante dos interesses econômicos da família. continuou mantendo no Vaticano. cit. que encabeçou um dos pontificados mais depravados e corruptos encontrados nos registros da História. sufocou-o com um travesseiro. o ponto alto da bacanal. mas acusou-a de praticar a sodomia e entregar-se aos pecados da carne com seus parceiros sexuais. na baixa zona do meretrício romano.. representados por Teodora I. 63 62 .

o Papa de apenas 18 anos.filho de sua algoz. promovendo D Gn (14. E m se tratando de d e v a s s i d ã o e p e r v e r s ã o sexual. com o Papa Sérgio III. 2) 65 . João XI. na conduta dissoluta. de Gomorra. a Bagôas (amante de Alexandre. o Grande). a Igreja passou a ser dirigida por João XI . o Boca de Porco -.Vivendo maritalmente com a própria mãe ¾^¾)¢ã¾ ecorrido pouco tempo do assassinato do Papa Leão VI. juntando suas concubinas e seus pervertidos amásios. 2 0 os quais g o v e r n a v a m os seus r e s p e c t i v o s r e i n o s incentivando a luxúria e o homossexualismo entre seus habitantes. inaugurando n o v a era de crimes e i m o r a l i d a d e s n o s corredores do Vaticano. a serviço da carnalidade e do mundanismo. João XI também equivaleu-se. de S o d o m a e Birsa. o n o v o Pontífice nada ficou a dever aos reis Bera. ao imperador romano Calígula e a Tigelino (parceiro de Nero). continuou a manter como grande prostíbulo o Palácio de Latrão (a residência oficial dos pontífices). N o pontificado de João XI as imoralidades e constrangimentos à Igreja não eram diferentes dos praticados em Sodoma e Gomorra nos dias daqueles reis efeminados e promíscuos da terra de Canaã. que realizavam tremendas orgias e bacanais palacianas. Marózia.

homicídios eprofanações". originando os maiores escândalos. Finalmente. tomando L·iutprandeo L·iber^Pontificalis(Uvro dos Pontífices) como autoridade. o Boca de Porco. 262. Aurora. que poderia ruborizar de vergonha as meretrizes Frinéia. Cleópatra e Messalina. João XI apareceu morto. Para Alberico. A. o Vaticano prosseguiu sendo o mesmo velho cenário de orgias e bacanais. 1957. engrossarem as fileiras da oposição ao seu prelado. ao opor-se a alguns inimigos de sua mãe. caso contribuíssem para os cofres da Santa Igreja Católica. Por volta de 934. utilizando dosagens controladas de veneno (arsênico). visando aumentar as receitas da Igreja. Ralph.unir financeira do Vaticano. com o nome de João XI. Os inimigos de João XI não lhe davam trégua.intermináveis festas sexuais para deleite de seu pervertido séquito de aliados. Sequioso de amenizar os protestos dos opositores. como nos dias de Teodora I. Era preciso deixar vago o notavelmente rentável Trono de Pedro. que reinava naquele tempo em Roma. A Igreja Católica e a Maçonarìa. A o assumir João XII o trono papal. ainda acorrentado ao tronco. sem que sua mãe Marózia pudesse fazer alguma coisa para tirá-lo daquela desumana prisão. um modo seguro de afastá-lo da Cadeira Pontifícia. instada a aceitá-lo como amante. sendo acusado pelos Cardeais epelos Bispos de viver em incesto com apropria mãe e ser cúmplice dos mais nefandos crimes de adultério. Martínho III e Agapito II. enfrentando a ferrenha oposição dos papas Leão VII.i •. o qual pleiteava o trono papal para seu filho João XII. que o torturavam pela fome e pela sede. Aspásia. assim.. foão foi atacado em seu castelo residencial e levado como prisioneiro por um grupo de condottieri (mercenários italianos que lutavam por dinheiro). Mas. que desejavam eliminá-lo do convívio dos vivos. Op. nas regiões baixas do Limbo. conspirando dia e noite para eliminá-lo na primeira oportunidade. João XI é pressionado pelo irmão Alberico. mil vezes mais devasso que seu tio João XI (o Pontífice mais salafrário do século X. Teodora II e Marózia. p. ameaçados por vários segmentos da oposição.. seufilhotornou-se Papa com a idade de dezoito anos. Os adversários o tinham eliminado aos poucos. em novembro de 935. do mesmo m o d o que seus inimigos o haviam deixado. N o ano 935. também filho de Marózia. na alimentação. p.. onde morreupor envenenamento" ?2 João XI era hostilizado por seus muitos inimigos. mas de todas as cidades da Europa. neto de Marózia. A primeira vítima de sua tara foi a própria mãe. Rio de Janeiro. Campos. afirmam que João XI erafilhonatural de Sérgio III. assunto do próximo capítulo). Através das intrigas de sua mãe. viu. PORTO. pois seus desatinos ultrapassaram todos os limites da tolerância humana. João XI foi vencido e colocado na prisão. "Sérgio III vivia abertamente com a cortesã Maro\ia. Foi jogado numa imunda masmorra. o afastamento do irmão João XI da Cadeira de Pedro era uma garantia à preservação dos interesses da família Teofilato. todos inimigos mortais dos Teofilato. para que fosse ocupado por seus opositores. 96. tiro. WOODROW. ele chegou à Cadeira de São Pedro. E m agosto de 935. acorrentado por pés e mãos a um pesado tronco de madeira. passou a cobrar impostos dos prostíbulos. inspirou mais outra era de devassidão total. prometeu-lhes o Paraíso. a tróica pecaminosa e sanguinolenta cuja poderosa influência manobrou o papado durante cerca de 30 anos. Ainda assim.. totalmente entregue à própria sorte. não só de Roma. 66 67 . c/f. que careciam de recursos capazes de reabilitar 21 22 . João XI.. Estevão VIII. Durante três meses João XI ficou entregue à cruel sanha de seus inimigos. João XII..21 E mais: A The CatholicEncyclopedia diz: "Alguns. seu irmão Alberico lutou durante vinte anos antes de finalmente conquistar a Cadeira de São Pedro para seu filho João XII.

CAPÍTULO VIII JOÃO XII (de 9 5 5 a 964) 69 .

Pe. 71 . Álvaro. c/f. e a corrupção moral em Roma tornou-se o assunto do ódio geral'. E m 6 de novembro.Violando virgens e viúvas e vivendo com a concubina de seu pai om a morte da prostituta Marózia. E m vez disso. 77. assassinato. 23 Mas fez eleger. a quem ele deixou o governo espiritual. simonia. Pediram-lhe que fizesse sua defesa por escrito.. respeitou os processos canônicos da eleição. por fim. João XII foi acusado de sacrilégio. seu filho Alberico (sob influência de São Odon. Mudou de nome. adultério e incesto. A The Catholic Encyclopedia descreve-o como "homem ordinário e imoral. Os seguintes quatro papas assim eleitos foram h o m e n s dignos.. perjúrio. cuja vidafoi tal que era chamado de cafajeste. pronunciou 1 NEGROMONTE. recusando-se a reconhecer a autoridade do sínodo. monge de Cluny). João XII.. seu filho de 18 anos João Otaviano. sendo outro dos mais indignos papas de toda a História. p. passando a chamar-se João XII. que tornou a manchar o trono papal com sua vida depravada. um sínodo composto de cinqüenta bispos italianos e alemães foi reunido na Basílica de São Pedro. Op. mas não mudou de vida.

cujo solo está encharcado com o sangue inocente dos mártires do cristianismo. 26 Alberico. um harém c o m dezenas de mulheres à sua disposição. Depois de usar e abusar de seus favores. João XII. que a recebia de braços abertos. Op. ¢m troca de favores sexuais e freqüência a orgias. enquanto seu rebento adulterino não hesitava em apossar-se de sua própria concubina. 9) HALLEY. A coleção católica da vida dos papas.2A O notável Luitprand. devidamente umedecidas com o santo sêmen do ungido Sucessor de Pedro. até mesmo sobre as tumbas dos Santos Apóstolos. 27 Defendeu também. E m 963. Era motivo de incessantes falatórios. O cardeal-diácono João teve sua mão direita arrancada. mulheres casadas ou viúvas — elas estavam certas de serem desonradas por ele. bispo católico de Cremona. João utilizou indiscriminadamente o cálice da Igreja. o Liber Pontificalis. c/f. pela tentativa de eleger outro Papa em seu lugar. Um alto paladino oficial perdeu o nariz e as orelhas. a venda de cargos eclesiásticos (a chamada simonià) e a comercialização das ossadas dos mártires cristãos. HenryH. pois o papa João não tinha qualquer respeito. mesmo que o mais aberrante dos crimes tivesse sido cometido. onde as submetia a sessões de sexo oral. paralisado por um ataque num ato de adultério". por parte de seus inimigos. Ralph.. < in ienas delas foram desvirginadas pelo Papa tarado e enviadas como (ivelhinhas. O bispo de Speyer foi chicoteado. fossem elas moças solteiras. prometendo-lhes ftinda. p o n d o . trazendo à Igreja Católica e aos seus The Catholic Encycloped¡a.a s à venda nas paróquias da Itália... naquela grande cidade. 25 Para cúmulo. bastando para isso tocar uma caveira de cristão e desde que uma quantia em dinheiro fosse endereçada à Igreja. explicitamente. o perdão desses atos pecaminosos. provocando a indignação e o ódio do povo romano. p. devolvia-a ao ultrajado pai. Baixou ainda um decreto determinando. 24 25 26 Para as donzelas de Roma. a quem quer que fosse. desejando-lhe boas vindas. nele b e b e n d o c o m suas c o n c u b i n a s o v i n h o da sua p r ó p r i a condenação. Ap (6. João XII oferecia riquíssimos presentes.sentença de excomunhão contra todos os participantes da assembl< ia. informa-nos: "Ele gastou toda a sua vida no adultério". escreveu: "Nenhuma mulher honesta ousava aparecer em público. oito dias após ter sido.27) 71 73 \ . Vingou-se de maneira sangrenta nos líderes da oposição. o bispo de Orleans definiu-o como "monstro da culpa. a preços exorbitantes. como lenitivo para suas aflições. ¡n WOODROW. como recompensa sublime. tal Papa cometeu sacrilégio em relação ao uso indevido dos objetos sagrados da Igreja — como o cálice e o hostiário. ao convento das monjas. cit. "João XII morreu em 14 de maio de 964.. costumava levar suas amantes a seus luxuosos aposentos. nas cercanias de Roma. 686. para serem admitidas (i mio noviças e posteriormente tornarem-se freiras.. impregnado de sangue e impurezas" e como "anticristo sentado no Templo de Deus".. Pedro e Paulo". a absolvição dos pecados e a garantia da salvação eterna. seu pai. Referindose a ele. de acordo com os boatos. João XII viveu amasiado abertamente com sua própria madrasta. em suas bacanais. 27 1Co(11.. João XII autorizou que seus ordenanças exumassem milhares de caveiras de supostos mártires dos cemitérios de Calixto e Marcelino.. Foi esta a época do maior tráfico e comercialização de supostas ossadas de santos mortos nas perseguições dos imperadores anticristãos. contemporâneo destes eventos.. op. era constantemente presenteado com valiosas peças de roupa banhadas a ouro e outros preciosos objetos. Igualmente a outros antes e depois dele. Fazendo jus a muitos de seus antecessores João XII mantinha.

Cozinheiros. encontrar. Caçadores. WOODROW... 74 75 . a seguir. a especialidade que cada um deles exercia nas esferas i spirituais e no panteão católico. Açougueiros. deu-se apenas um passo para que aqueles mesmos conceitos fossem incorporados aos interesses da Igreja de Roma. principalmente na Espanha. Dentistas. Donas de casa. maldição e anatematização e incineradas. sem a interferência daqueles atravessadores e supostamente a preços bem mais em conta. Santo Adriano (28 de setembro). as paróquias e capelas . tendo o cuidado de não vender ossos de hereges como sendo de cristãos. caso apresentassem tais defeitos. São Marcos (25 de abril). banqueiros. Ralph. I ' • elha Europa proviam monges devotos para atender e explicar. estaria ali o primeiro sinal de resquícios de heresia. Santa Cecília (22 de novembro). Comediantes. aos i i>tupradores de santos. São Hubert (3 de novembro). Muitos europeus inescrupulosos fizeram grande fortuna traficando caveiras humanas. Op. àquela época.papas enorme prosperidade material. (25 de agosto). "Havia deuses que presidiam cada momento da vida de um homem — deuses da casa e dojardim. João XII autorizara os bispos e clérigos a negociarem estes santos restos mortais por um valor o mais elevado possível. como a tabela abaixo nu istrará. São Genário. • WOODROW.. Santa Dorotéia (6 de fevereiro). alegando estarem vendendo uma autêntica relíquia de um determinado santo ou santa da devoção de algum católico fervoroso. Estucadores. Pedreiros. São Bernardo (20 de agosto). Atletas. berço do catolicismo arcaico e conservador. Pintores. grande quantidade de ossadas à venda. Chapeleiros. Eram então imediatamente encaminhadas ao Santo Papa para excomunhão. Santo Estevão (26 de dezembro). c¡t. Ralph.28 c o m o esta idéia das divindades associadas aos eventos cotidianos já se encontrava solidamente estabelecida na Roma paga. Op. Santa Apolônia (9 de fevereiro). Uma vez que os pagãos relutavam em abandonar seus deuses — a menos que pudessem encontrar correspondentes no cristianismo —. Tabeliães. São Bartolomeu (24 de agosto).. Marinheiros. Era comum em toda a Europa. Sant'Anna (26 de julho).. 28 ili usi s i deusas ganhavam novos nomes. A velha idéia lli deuses ligados a certas profissões e datas do calendário tem tinuado a crença católica romana em santos. Segundo Woodrow. São Lázaro (17 de dezembro). São Jerônimo (30 de setembro). Santa Bárbara (4 de dezembro). As ossadas tinham que estar em boas condições.. sem manchas e muito menos ferrugem. São Vi to (15 de junho). Fabricantes de velas. Bibliotecários. pp. Portugal e Itália. 31-3. Floristas. São Mateus (21 de setembro). São Lucas (18 de outubro). pp. Mineiros. 96-7. Músicos. Cantores.. Durante o pontificado de João XII. c¡t. da saúde e da doenfa". enrique* endo mais e mais o imoral fausto do Vaticano. São Sebastião (20 de janeiro). Mendigos. São Tiago (11 de maio).. Santa Marta (29 de julho). numa das fogueiras do Vaticano. São Gregório (12 de março). em paróquias e capelas. como santos. Temos até hoje padroeiros de datas e categorias profissionais: 29 Atores. São Brendan (16 de maio). Quem não quisesse comprar relíquias a vendedores ambulantes podia procurá-la nos ossários das capelas e p a r ó q u i a s da E u r o p a . da comida e da bebida.

Mulheres grávidas.31 seguintes problemas de saúder 3 1 [rtrite. São Eustáquio. Pedras na vesícula.Cirurgiões. Cegueira. Enchentes. São Roque. Dores de cabeça. São Vito. Migrantes. Doenças da pele. conduzindo sobre mulas e éguas cargas de ossadas acondicionadas em rústicos caixões de madeira. entre outras. nervos. São Mateus (21 de setembro). São Nicolau. bebedores de cerveja. raios e trovões. São Rafael. Fogo. Na gestão de João XII. São Denis. Surde^ São Cadoc. Amantes. São Jorge. A lord¿das de cachorro. Tentação. os vendedores de caveiras proliferaram em toda a Europa. São Tiago. Relâmpagos. São Ciríaco. Coletores de impostos. Gota. Velhas. São João de Deus. Santa Luzia. Santo Hilário. Santo Antônio. Dependência alcoólica. iam dois representantes do Papa. Doenças do peito. São Gerardo. Para achar coisas perdidas. São José. Das causas impossíveis. São Gervásio. São Colombo. SantAnna. Santa Ágata. Eram invariavelmente acompanhados por dois esqueléticos frades mendicantes. que garantiriam a salvação do Fogo do Inferno. Doenças dos pés. São Francisco de Assis. Problemas. Acompanhando a caravana. Santa Edwirges. no intuito de combater os . Santo Onofre. São Domenico. Santo Expedito. perdoai os nossos pecados'. descalços e tonsurados. Santo Antônio. Ibidem. Crianças. São Libério. São Cosme e São Damião (27 de setembro). Esterilidade. Para ter filhos. Santa Dimpna. Dos endividados. Insanidade mental. Santo André. Cãibras. São Lourenço. conclamando todos os pecadores a comprarem as santas relíquias. São Victor. Animais domésticos. Epilepsia. Doenças da garganta. Pobres. exclamando em coro uníssono: 'Santas Relíquias. D a mesma forma. Santo Blaso. 76 77 . Febre. ajoelhadas e cobertas por vestes negras. Santo André. trajando surradas túnicas nas quais ia desenhada uma cruz de Santo André. Os católicos romanos também têm santos ligados. Câncer. Centenas de pessoas postavam-se à beira do caminho. aos seguintes elementos e circunstâncias do cotidiano: 30 Mulheres estéreis. Santa Bárbara. São Peregrino. Para prender ladrões. São Lourenço. São Maurício. Santa Felicitas. os seguidores do catolicismo habituaram-se também a dirigir orações a certos santos. São Giles. l·/<ï/das de cobra. Para ganhar uma esposa. Doenças do coração. Santo Antônio. São Hubert. Para ganhar um marido. enquanto os dois salafrários monges Idem.

3 2 João XII morreu do mesmo m o d o que viveu . tais como pedaços de cru^ e ossos de santos. pego de surpresa e sob ameaça de ter seu corpo trespassado por uma lança. pp. numa tosca balança. Op. 96-7. Enquanto assim expunham as ossadas. "Coleções de relíquias. 33 CAPITULO IX LEÃO VIII (de 9 6 4 a 9 6 5 ) 32 33 CAIRNS. " · µ " ' - 78 79 . . Ao ser flagrado por um conde italiano num ritual de felação com sua esposa. tornaramse moda. ' a .... Earle E. Edições Vida Nova São Paulo 1992 ¤ 227 WOODROW. Ralph. sofreu um enfarte e morreu sobre o corpo da amante.. O simples olhar às 5005 relíquias de Frederico da Saxônia era tido como poderoso o suficiente para reduzir o tempo de uma pessoa no Purgatório por cerca " de 2 milhões de anos.i quantidade solicitada pelos fiéis .em pecado. ex-presas fáceis de suas investidas voluptuosas.suspendiam no ar restos de uma caveira. O Cristianismo Através dos Séculos.que piamente acreditavam estar. cit. ainda exalando um mau cheiro (le fazer < >s abutres vomitarem.. a garantia da salvação de suas almas.. naqueles pedaços de osso. < >utros dois auxiliares dos espertos frades pesavam. para a felicidade geral de centenas de mulheres.

durante muitos anos. nos negócios da Igreja.. Teodora II e sua protetora e confidente Marózia.n a d a m a i s . da parte de um monge a serviço da meretriz e assassina Marózia. Por baixo de suas negras vestes. Seu nome: Leão VIII. inadvertidamente. Leão VIII destacava-se por trajar indumentária negra e um capuz de formato cônico.Envenenando os inimigos de Marózia urante as gestões pontifícias de Agapito II (946-955) e João XII (955-964) houve uma pequena e quase imperceptível interferência política. n a d a m e n o s -. exercendo as funções de espião e agente secreto entre os corredores do Vaticano e as alcovas de Teodora I. para com ele atravessar o corpo daquele que fosse. escalado para morrer. chegando a aterrorizar não só as crianças como também as pessoas adultas. um indivíduo q u e foi . Este obscuro monge esteve. Marózia costumava servir-se sexualmente de seus amantes por pouco tempo. . trazia um punhal afiado e envenenado com arsênico. a serviço dos Teofilato. o | responsável pelo envenenamento dos inimigos e até amantes daquela terrível e assustadora mulher. logo se desfazendo deles e substituindo-os por outros. com seu aspecto grosseiro e asqueroso..

que. p. Assim. seu neto. 15 34 TRANQÜILO. quando a ocasião lhe fosse propícia. respondeu numa só voz: 'Salvaremos. que :iproximavam-se como um furacão irrompendo sobre os continentes asiático. XVII. apunhalá-lo traiçoeiramente. Com a morte natural de Marózia. hienas. agora finados. conduzindo-os para junto de Deus e deixando Marózia radiante de alegria. São Paulo. para que o mesmo facilitasse o acesso do Paraíso Celestial às almas de seus ex-amásios. e m o c i o n a d o pelas sensibilizantes palavras do Salafrário Pontífice. O santo padre. :K Biografia dos Papas. a Vaca leiteira' que atraía a cobiça dos nobres e burgueses da velha Europa. o Papa Sérgio III. o Pontífice hipócrita estendia as mãos sobre a i I >rosa gentalha. 1952. Idem. Antes de dispersar a crédula multidão.. em sua maioria integrada por rezadores de novenas. graças ao poder do Papa Boca de Porco. proclamava em altos brados: 'Salve ó Deus o Santo Papa. quem sabe. a boa Mãe dos aflitos'. milhares de pessoas de toda a Europa compareceram ao Palácio de Latrão. a partir de então. sequiosas de obter um passaporte para | eternidade. Caio Suetôn¡o. por ter conquistado para o Cristo de Nazaré outra leva de salvos e remidos do pecado.i Madre Igreja das investidas de Satanás'. penitenciando-se de seus pecados. 37. Sérgio a atendia. Ediouro. enquanto alguns se chicoteavam. Editora das Américas. s/d. em sangrento ritual de auto-flagelação. e ocupar a Cadeira de São Pedro. profundamente convicto da salvação de sua conturbada alma. A Vida dos Doze Césares. seu perdão para os pecados e o salvo-conduto para as almas que almejassem os santos céus.. 02 83 . que 'organizava' o assassinato de mais uma inocente vítima. prometendo-lhe escancarar os portões do Céu para os outrora parceiros de fornicação e adultério. no Vaticano. não deixando rastros que pudessem indicar seu paradeiro. o Santo Padre da tspada dos sarracenos! \ 35 Lnquanto isso. O monge criminoso vinha arquitetando uma maneira de envenená-lo ou. Rio de Janeiro. carolas devotos e pregadores itinerantes llém dos costumeiros vendedores de rosários e benzedores de velas.34 A meretriz assassina intercedia junto a seu amante. que viviam de alimentarse destes pobres infelizes. ó Virgem Mãe.p a r c e i r o s de M a r ó z i a d e s a p a r e c i a m sucessiva e misteriosamente. e 'Viva Nossa Senhora. A supersticiosa multidão. o Trono de São Pedro pôde finalmente ser ocupado pelo monge envenenador. espicaçada pelo fanatismo fi ligioso.. a quem quer que fosse. africano e europeu. Leão VIII lançou seu apelo los católicos de toda a E u r o p a . dizimando tudo que encontravam pela I icnte. habitatà& chacais. K peregrinos mendicantes. O s e x . decidiu fornecer gratuitamente. 36 Leão VIII morreu no ano de 965. Vol. o protetor das almaspenadas!' ou então 'Salve. Com a súbita morte de João XII (num ato de adultério em 964).entrando seus antigos parceiros na lista negra de Leão VIII. para que pegassem em armas e barrassem o avanço dos demoníacos turcos o t o m a n o s .. lobos e leões. O populacho. . Leão VIII tencionava assassinar o Papa João XII. A História indica que eram jogados nos precipícios da rocha Tarpéia.

CAPITULO X BENTO XI (de 972 a 974) 85 .

tão negro e ambicioso c o m o Judas Iscariotes. nasceram mais duas alas da oposição. sendo quase todos mortos nas masmorras do Castelo de Sant'Ângelo. Seu pontificado foi banhado no sangue dos seus adversários e concorrentes ao trono papal. Bento XI tinha dois fortes opositores: o burguês Crescêncio e o cardeal Franco. O segundo. seu c o n c o r r e n t e natural n o processo sucessório. que apoiavam os dois citados e repudiavam a permanência de Bento XI à frente da Igreja — tantas vezes vilipendiada por maus pastores e outros pseudo-sucessores do Pescador da Galiléia. vitimados pela fome e maus tratos infligidos pelos agentes deste suposto sucessor do Apóstolo Pedro. chefe de uma facção política que lhe era desfavorável. O primeiro. herdeiro de Caim e afilhado de Satã.Encarcerando os adversários e matando-os pela fome pós a morte do 'imundo' Papa Leão VTII. Com o acirramento da disputa. Naquele final de milênio. encontrava-se a Europa ameaçada por 87 . a Igreja pensou respirar aliviada. Mas em seu lugar foi eleito um não m e n o s salafrário e c r e t i n o : B e n t o X I . ao livrar-se deste terrível administrador que assolou a Europa e contaminou ainda mais o já impuro Vaticano.

n u m ato de sadismo. O Pontífice. que se auto-denominavam (( uno Guerreiros de Alá e Herdeiros de Maomé <t espalhavam o medo e o desespero entre os habitantes do Velho Mundo. aumentando-lhes o sofrimento. o que lhes foi negado.. Bento XI iniciou. que se preparava para desencadear macabra carnificina entre as fileiras de seus inimigos e opositores políticos. Franco puxou do bolso da sotaina um punhal envenenado e cravou-o na garganta de Crescêncio. 19) O perverso Papa ainda teve o descaramento de enviar monges à masmorra. Franco fez sinal ao carcereiro para que este se retirasse. encerrando-os nos imundos e obscuros calabouços romanos. além do privilégio de.hordas bárbaras vindas do Oriente Médio. ao saber do acordo. sentarem-se ao lado de Jesus. de Nossa Senhora e do castíssimo São José. escoltado por um carcereiro que trazia um archote. interna. no Céu. alegando estar a serviço da confissão e comunhão dos prisioneiros e trazendo como disfarce um cálice de ouro sob um pano escarlate. no teto da masmorra. sendo forçados a pedir a morte aos seus algozes. no intuito de penetrar no continente europeu. Ao aproximar-se de Crescêncio. do apoio não só da nobreza. ficando a sós com seu antigo parceiro político... os fiéis teriam o perdão de seus pecados e a isenção total do Purgatório. Naquele momento a Igreja precisava. Para atingir seus sinistros objetivos. levando milhares de pessoas a buscar proteção sob as saias do Papa. mas também de solidificar a 'aliança de sal entre eles e Deus. contra seus opositores reais e imaginários.em troca de uma vultosa soma em dinheiro e a doação do restante de seus bens para a Santa (!) Igreja. que permitia o escoamento do líquido. Como recompensa. e a segunda. enquanto famintas ratazanas roíam seus magros corpos malcheirosos e alquebrados pela tortura das correntes e da incômoda posição a que foram submetidos. Crescêncio e os homens de seu partido foram acorrentados a um pi sado i rouco de madeira. numa estreita cela que não lhes permitia I icarem eretos. para deter o avanço das tropas islâmicas que ameaçavam o Santo Império Romano Germânico e o reino das duas Sicílias. Bento contratou um grupo de condottieri (soldados mercenários) e determinou a prisão de Crescêncio e dos membros de sua facção política. uma guerra em duas frentes: a primeira. contra as hordas maometanas que investiam sobre pontos estratégicos do Mediterrâneo. no que foi prontamente atendido. N a seqüência deste comovente apelo. Subitamente. D u r a n t e meses Crescêncio e seus c o m p a n h e i r o s de infortúnio permaneceram naquela terrível situação. mais preocupado com seus inimigos c opositores políticos. O acordo foi aceito e suas cláusulas rigorosamente cumpridas pelos dois lados. mas também de toda a burguesia européia.. Bento X I . 89 ` \ . foi conduzido à presença de Crescêncio na prisão. pouco estava ligando para o povo. Mas o cardeal Franco. porém. para negociar a libertação dos detentos . mas apenas curvados ou de cócoras. para clarear aquelas obscuras galerias subterrâneas. uma canaleta ligada a um tanque de água salgada. cereais e ouro. mais que nunca. despertando mais e mais a cobiça do Papa. (Nm 18. sobre os corpos daqueles t o r t u r a d o s prisioneiros. objetivando organizar uma poderosa cruzada contra os incréus seguidores do Islã. animais. tentando veementemente sensibilizá-los a abrir os bolsos e contribuir com o que pudessem. Bento intimou os católicos. autorizou seus carrascos a instalarem. gota a gota. a Santa Sé recebeu rios de dinheiro e outras doações em terras. então. Bento cinicamente declarou que aquelas salgadas gotículas tinham a serventia não só de purificar os corpos daqueles pecadores.

já agonizante. A Campos. assumindo o nome de Bonifácio VII. 37 CAPITULO XI BONIFÁCIO VII (de 9 8 4 a 985) " PORTO. Consumado seu intento. entregues à inanição e à indiferença. logrou apunhalar e assassinar cruelmente o desumano Bento XI. 90 91 . o cardeal saiu dos subterrâneos e dirigiuse ao Palácio de Latrão. p. Franco tomou o lugar de Bento.que tombou.. c/f. 256. Seguia a Igreja Católica Romana sendo palco de sangrentas disputas entre nobres e burgueses pelo Trono de São Pedro. Prosseguindo seu plano de vingança. valorizada como sendo a 'galinha dos ovos de ouro' das elites daquela época. despedindo jatos da mi irtífera sangria. abandonados pelos guardas que o cardeal Franco havia subornado. ()s demais prisioneiros morreram posteriormente de fome. Op.

HenryH. O Papa não tinha escrúpulos. outros. massacrando. assassinos e ladrões — como no caso de Bonifácio VII.. Bonifácio VII tomou posse do tesouro do Vaticano com voracidade murídea e astúcia vulpina. J o ã o XIV. p. que para manter o poder subornou vários cardeais da cúria e pisou o cadáver de seu antecessor. imorais e fornicadores. c/f. Alguns. Op. infestados de ratazanas de batina. 93 . houve 38 HALLEY. A própria cúria romana não pôde coibir os desatinos desse pontífice larápio. enfraquecido pela fome e pela sede.o n u m terrível calabouço r o m a n o até que ele. 38 j o g a n d o . a Igreja Católica voltou a ter u m a péssima safra de indignos pontífices. pois estava totalmente comprometida com a roubalheira nos porões do Vaticano. "Embora muitos dos papas do período entre 800 e 1054 fossem corruptos ou incompetentes.Apossando-se da Cadeira de Pedro através de roubo e assassinato inte anos após a morte do adúltero Papa João X I I . enriquecendo a si e a seus familiares durante o pouco mais de um ano em que esteve à frente do sólio pontifício. sem piedade. ao fazer correr o sangue de seus concorrentes ao Trono de Pedro. ali findou seus dias. quem quer que fosse — amigos ou inimigos. ainda. 686.

p. João X V trouxe ao Vaticano outra era de corrupção. cit. WOODROW. o corpo de Bonifáciofoi exposto aos insultos do populacho. bem como de outras numerosas taxas'''. Earle E. As Decretais Pseudo-Isidorianas eram menáonadas como prova desta pretensão"'. arrastado pelas ruas da cidade e. do Dinheiro de Pedro (pago anualmente pelos leigos. enquanto seu sucessor. cit. De manhã. Op. impregnado de sangue e impurezas' e como 'anticristo sentado no Templo de Deus'. Após sua morte súbita em julho de 985. que também propusera a seus contemporâneos o loteamento do Céu em troca de vantagens financeiras. Nicolau 1. 97. Op. do direito de espólio (pelo qual a propriedade pessoal do alto clero era transmitida ao Papa. Earle E. foi um dos mais capazes desses homens.finalmente. devida com todaprobabilidade à violênáa.. Viveu por algum tempo na clandestinidade. p. Segue Woodrow: "Por mais de um ano. cit.. p.muitos lideres capazes. que também tiveram suas economias abocanhadas por ele. após a morte). e sobre os governantes temporais. Ruma suportou este monstro pisando o sangue dos seus predecessores. pp. o ímpio João XV. A The Catholic Encyclopedia diz que ele 'pontificou sobre João XIV(984) e jogou-o nas masmorras de Santo Ângelo. dando continuidade à obra de Bonifácio Vil. temendo a vingança de seu inimigos — os próprios cardeais —.41 Ao ver-se na posse do Tesouro de São Pedro. das anatas (que eram o pagamento do primeiro salário do ano ao Papa. 262. onde o desgraçado homem morreu quatro meses depois'.39 D e acordo com Woodrow. A. "As rendas papais eram obtidas através do arrendamento das propriedades pontificias. I lie sustentou por escrito e na prática a supremacia do Pontífice na Igreja.4 º Os inimigos de Bonifácio VII apossaram-se de seus bens. Op. só voltando a Roma para prender e matar de fome um dos seus piores inimigos. Mas a vingança foi terrível. Papa de 858 a 867. PORTO. do direito de iiì>astecimento (pelo qual os clérigos e seus dependentes tinham quepagar as despesas de viagem do Pontífice enquanto o mesmo estivesse em sua região). O bispo de'Orleans referiu-se a ele (e também a João XII e a Leão VIII) como 'monstro da culpa. 41 42 CAIRNS. Bonifácio VII fugiu para Constanfinopla. de parte do dignitário eclesiástico). Op. "O Papa Bonifácio Vil manteve sua posição através de uma desonesta distribuição de dinheiro roubado. em muitas regiões) e da renda dos cargos vacantes.. em parte roubados do Tesouro de São Pedro. clérigos compassivos removeram o cadáver e deram-lhe sepultamento cristão '. 163 e 201. em ///ateria de moral ou religião. Campos. lançado sobre a estátua de Marco Aurélio. como tilguém responsável pelo bem-estar do fiel. João X I V 42 39 40 CAIRNS.despido e coberto deferidas. cit. dividindo-os entre seus comparsas. preparava-se para saquear os dízimos e anatas. incluídas as ofertas e coletas destinadas ao sustento dos pobres de Roma. 201. dos diurnos pagos pelos fiéis. Ralph. que ajudaram a consolidar a obra de fortalecimento do papado. ? 4 95 .

CAPITULO XII JOÃO XV (de 9 8 5 a 996) 97 .

.¡ Cobiçoso. 98. dividida entre os 43 WOODROW. pedaços de madeira do barco de pesca do apóstolo Pedro. a capacidade de aliciar de um Simão e a ausência de escrúpulos de um Al Capone. ladrão e corrupto om o fim trágico de Bonifácio VII nas mãos de seus inimigos. . Ralph. restos de comida que alimentaram o pobre Lázaro (que comia das migalhas caídas da mesa de um rico). e m cuja p e r s o n a l i d a d e c o m b i n a v a m . Este indigno Pontífice transformou o Vaticano num feudo privado. distribuindo as finanças da Igreja entre seus parentes e ganhando para si mesmo a reputação de ser "cobiçoso de lucro imundo. João X V comandou a venda de preciosas relíquias pertencentes a diversos ícones do cristianismo. a a m b i ç ã o de u m J u d a s . a Santa Igreja Católica e R o m a n a passa a ser g o v e r n a d a p o r u m v i r t u o s o s e g u i d o r de M a m o n .43 N o ano de 990. pedaços de pano da túnica de Jesus. p.</t. objetivando aumentar as receitas da Santa Sé. de m o d o a d m i r á v e l . Op. começando por São José e seu equipamento de marcenaria — bem como os arreios que pertenceram ao jumentinho que conduziu a Virgem Maria e o menino Jesus ao Egito. e corrupto em todos os seus atos".s e ..

já naqueles obscuros tempos. amealhando fortunas para si e sua família. E m sua gestão pontifícia. 80-6. c/f. 44 45 p( rdendo apenas para o poderio financeiro do duque Guilherme de Aqu¡tânia . Imprensa Metodista. Op.o mesmo que doou terras para a construção do Mosteiro de (`luny. dava os melhores empregos para os seus familiares e vendia cargos eclesiásticos e outros objetos supostamente sagrados como perdão dos pecados e passaporte para os céus. uma pena da asa do Divino Espírito Santo. ou seja. pp. João X V também tirou vantagens materiais do povo que habitava aquela época de trevas e ignorância. foi enfim destronado no ano de 996. ALMEIDA. era simoníaco. abocanhando outra grande fatia de proventos para os já abarrotados cofres de sua p r o p r i e d a d e e de seus apaniguados aliados. quando tantas morriam. de Nero a Galério. 100 101 . 446. sendo humanamente impossível. por último..soldados romanos. há possíveis falhas quanto a seus nomes e atributos divinos. Utilizando os mesmos procedimentos de ) >ão XII. no século X. Tal procedimento dá-nos a entender que o Papa João XV tinha controle exclusivo sobre todos os santos do panteão católico. muitos deles de procedência duvidosa.. São Paulo. o Papa João XV apossou-se de vários cemitérios antigos . nas arenas. o Vaticano consolidou-se em sólida empresa multinacional de arrecadação do pecúnio sagrado. João XV. 1964. vários inimigos conspiravam diuturnamente para afastálo do Vaticano. determinar-se o nome exato de uma pessoa.. 44 Depois de arrecadar quantias astronômicas com a venda das supostas relíquias de origem divina.dois deles bastante conhecidos dos romanos. SCHAFF. a cabeça de foão Batista e. Como grande parte dos santos do martirológio católico proveio da tradição oral dos antigos romanos. David S. p. Enquanto João XV acumulava tesouros e mais tesouros para si e para os seus. Nossa Crença e a de Nossos Pais. além de nepotista. Abrãao de. o imoral neto de Marózia (que decretara a venda de caveiras < de supostos mártires cristãos).45 Este Papa teve a petulância de cobrar de cada fiel daquele tempo um imposto sobre invocação ou m e s m o intercessão dos santos. o de Marcelino e o de Lucila — onde concentravam-se os restos mortais da maioria dos mártires imolados nas perseguições dos imperadores de Roma. anonimamente.

CAPÍTULO XIII BENTO VIII (de 1012 a 1024) 103 .

Naquele início do século X. conhecido por Pietro Buccaporä (à semelhança de Sérgio III). Quanto ao Trono de Pedro. assunto mencionado nesta obra. durante décadas. outro seguidor de Mamon.Corrupção e suborno om grande número de papas e antipapas brigando entre si pela suposta Cadeira de Pedro. portentosos magnatas italianos que dominaram. a política. t o d o s eles c a n d i d a t o s ao p o n t i f i c a d o romano. que permaneceu como Papa por apenas três anos. composta por nobres e burgueses da elite européia — sedentos. b a l c ã o de i n e s c r u p u l o s a s negociatas entre corruptos e corruptores. fora antecedido por Sérgio IV. PMI¢ÌÍI¾ O Papa Bento VIII descendia da família dos Teofilato. fazendo entretanto um governo razoável e pacífico. a venda de funções consideradas sagradas pela Igreja de Roma — e o tráfico das milagrosas relíquias pertencentes aos mártires do cristianismo. a Igreja Católica Romana estimulava a venda a granel de cargos eclesiásticos para nobres. o Vaticano manteve-se um covil de s a l t e a d o r e s . o posto mais cobiçado naquelas obscuras eras. a escolha recaía sobre aquele que oferecesse mais à cúpula cardinalícia. o avarento. Bento VIII. 105 . ou seja. de dinheiro e poder. burgueses e príncipes vassalos — prática que se denomina sintonia. a economia e sobretudo a Igreja — naquele período atravessando a Era daPornocraãa. como sempre.

47 CAPÍTULO XIV BENTO IX (de 1 0 3 3 a 1045) 46 AT ALMEIDA. WOODROW.. C o m o descendente direto de Marózia. 101. 20). cit. que simbolizavam os diversos estágios que a alma teria de atravessar. Ao morrer. em 1439. o propinador (2 Rs 5. enquanto legiões de seus paroquianos continuavam roendo ossos. o Grande. Ralph. p. Bento VIII legou imenso patrimônio aos seus familiares e amigos. arruinando seus fiéis. no percurso entre o final da existência terrena e o pouco confortável Purgatório. benefício transformado agora na maior fonte de arrecadação do Patrimônio de Pedro.Bento VIII foi o responsável pelo fortalecimento do Dogma do Purgatório. naquele momento. 98. mas também o direito de não passar pelo Purgatório. doutrina idealizada por Gregório I. o Papa fazia distribuir velas de várias cores. 18) e de Geazi. cit. Bento também chegou ao papado através da corrupção e do suborno. e transformado em princípio de fé pelo Papa Eugênio IV (Gabriel Condulmaro) no Concilio de Florença. Op. de 1012 a 1024. Católicos de várias partes do mundo iam ao Vaticano para adquirir não só um lugarzinho no Céu. aliciando cardeais e príncipes da Igreja. Enquanto o sagaz Pontífice benzia e distribuía velas ao poviléu ignorante. (590-604). no período de sua gestão pontifícia. um arauto em altos brados conclamava os fiéis a adquirir a salvação de suas almas. Diante da imensa turba de devotos. Por doze anos a Igreja Romana suportou este negocista seguidor de Simão. Op. 106 107 . praticando toda sorte de nepotismos e fisiologismos. a mais imoral entre os Teofilato. o mágico (At 8. com suas temperaturas que chegavam no máximo a derreter chumbo. 46 O Papa que mais arrecadou dinheiro com a venda de favores relacionados com o purgatório foi exatamente Bento VIII. Abrãao de. em mãos do Santo Papa.. p. que aceitavam comer o pão que o capeta amassou e assou pessimamente.

O advento de sua morte acarretou novos desacertos e turbulências para a Igreja Romana. que transferiu o comando para um filho de Belial e afilhado de Caim — seu nome: Bento IX. p. João X I X — um endinheirado senhor da alta elite romana —. C o m e s t a a r t i m a n h a . c/f.. 109 . também adquiriu direitos sobre o papado. seu protetor. Op. Ralph. através de uma barganha de dinheiro 18 WOODROW. tempo suficiente para encher seus bolsos e dar ainda mais tranqüilidade à sua já equilibrada família. Segundo Woodrow. foi necessário que fosse passado por todas as ordens clericais em um só did\Aÿ. João X I X erguera uma estátua à deusa Fortuna.Assassino. 98. ou seja. "Bento IN foi feito Papa ainda jovem. tomando-a c o m o sua musa inspiradora e m o n u m e n t o ao deus do dinheiro (Mamon). com 12 anos de idade (alguns relatos di^em 20). nenhuma permissão ao matrimônio e toda prioridade ao vil metal. adúltero e ladrão eses após o passamento de Bento VIII. por vultosa quantia. Seu slogan era: 'Não ao casamento e tudo a Mamorì. fez seu p o n t i f i c a d o estender-se por oito anos. sinônimo de excrescência e aberração. herdeira de imensas fortunas. de 1024 a 1032. "Sendo ele um leigo.

muitos revestidos de ouro e pedras preciosas de valor incalculável em qualquer época da História.com aspoderosasfamílias que dominavam Roma". na terceira. brigando com Gregório VI Giovanni Graziano . berço do catolicismo universal. 51 Idem. Como conseqüência. tevefimuma longa era de papas medíocres. O rei Henrique III foi designado por Clemente II (1046-1047) para o ofício de Papa. 49 / arde de Motsleben I ìornburgf. 52 Idem. nenhum deles chegou talvez a tanta venalidade quanto este imoral e pseudo pontífice. roubou peregrinos sobre as covas dos mártires e tornou-se um criminoso medonho. em favor de Clemente II (Su¿dger. Op. por uma soma não-especificada de dinheiro. c/f. tantas vezes roubados por ele. Esse poderoso magnata assumiu a Cadeira de São Pedro com o nome de Gregório VI. e a corrupção tão pronunciada. 110 111 . não importava com quem. havendo então naquele momento três papas constituídos. Dos papas mencionados pelo autor ao longo desta obra. HALLEY. que assumiu a Igreja como Leão IX. então. que governantes seculares dominaram a Igreja. Ao perder a Cadeira de Pedro e não se dando por satisfeito.1" I [\c "cometeu assassinatos 6 adultérios à plena lu^ do dia. p. apossando-se de seus míseros. na segunda. cada qual alegando ser o Pontífice legítimo (dentre eles Silvestre III. O Sínodo de Sutri marcou..e o vendilhão Bento IX). que se organizaram em campanha para escorraçá-lo dos campos santos. Bento IX e Silvestre III foram depostos e Gregório VI obrigado a renundar. outro indicado por Henrique.tornouse tão comum. 50 Ibidem. vendilhão e simoníaco. quer fosse limpo. quer sujo. nos termos do programa de Cluny. E m 1045. O que lhe interessava era opecúnio. dois meses. seus cupinchas continuaram a espalhar o terror e o medo entre as levas de religiosos e penitentes do antigo império dos Césares. contra a vontade de todos os que queriam vê-lo bem distante de Roma e dos bolsos dos romanos. porém suados. recursos. Bento IX cometeu o ato mais indigno e escandaloso de todo o seu pontificado: a venda do trono papal a um portentoso comerciante italiano. O próprio Bento comandou a súcia de malfeitores no assalto a esses devotos intercessores das almas e fiéis pagadores de promessas. que ficou apenas dois meses no poder. que passou a atacar os peregrinos que visitavam os túmulos dos mártires cristãos nos cemitérios de Roma.5" A The Catholic Encyclopedia diz: "Bento IX foi uma desgraça para a Cadeira de Pedro". discípulo de Judas Iscariotes. também teve vida curta. o momento mais baixo do poder do papado na Idade Média'. em 1046. que guardavam objetos sacros e imagens dos santos do catolicismo. "Henrique III. recrutou. até que o povo o lançou fora de Roma". e nada mais. Henrique nomeou então seu primo. uma corja de bandoleiros mercenários. 686. secretamente. Bruno. após os quais foi expulso por Gregório VI. Simonia — a compra e venda do ofício papal . Bento IX e sua corja de salteadores não perdoavam sequer os relicários das igrejas e catacumbas romanas.52 Bento IX ficou 12 anos no poder. porque ele e seus sucessores eram homens dignos e interessados numa reforma. um ano. imperador do Santo Império RomanOj convocou então um Sínodo em Sutri. Foi entretanto reconhecido pelos peregrinos. na sua primeira gestão. "por que nenhum clérigo romano podia ser encontrado que estivesse livre da poluição da simonia e da fornicaçãd\51 Bento IX fazia qualquer negócio. HenryH. enquanto isso. "Com a ascensão deL·eãoIX. tentando dele se livrar. Mas Clemente morreu logo e seu sucess< >r. contanto que houvesse dinheiro envolvido.

. ' • • :• i : B . 53 p!l:¡!i!:觾l lllil¡ililïl . A¿ ¾w Sïj i:-. cit.. atraindo milhões de peregrinos para santuários supostamente santos . H2 113 . 164. p. Os túmulos dos mártires transformaram-se em perigosas armadilhas para os que visitavam as galerias subterrâneas da Velha Roma e eram presas fáceis desses meliantes seguidores de Gestas e Barrabás. que assalariava mensageiros da morte e da destruição. mas também do fanatismo religioso. Benedito e seus malditos salteadores lograram amealhar grandes fortunas.de 1 1 9 8 a 1216) 53 CAIRNS.. Bento IX e seus latrocidas comparsas embrenhavam-se nos esconderijos dos cemitérios e catacumbas romanos para assaltar e roubar os incautos romeiros e devotos visitantes.º século. vício e corrupção. potentados de um reino de crimes.li!!f : x • ' • > *Pr¿ Æ !¡¡ : A .. CAPITULO X V INOCENCIO III (Lotário de S e g n i .:?5¾¾í. herdados da concepção medieval da Igreja Romana desde os dias de Constantino Magno.1? i «Ä*. Earle E. Através destes vis expedientes. a Velha Europa continuava sendo terreno favorável ao cultivo não só do misticismo contemplativo.Os peregrinos ricos eram assaltados e mortos por grupos de bandoleiros a serviço deste infame Papa. .:. no 4. Op. chegando ao fim de suas vidas como nababos.dentre eles o de São Tiago de Compostela. na Espanha. Atravessando época de grandes diferenças sociais e profunda ignorância.

A seu ver. com suas sangrentas guerras. Nicola Aslan enfatiza: "Estando em guerra com vários barões e vassalos. conversões forçadas. a cruzada contra os albigenses. ao longo da trajetória da Igreja Católica. de Toulouse. cruzadas. D e s t e p o n t o de vista decorreram seus desentendimentos com Filipe Augusto. Inocêncio III foi o Pontífice que mais sangue derramou.Afogando a Europa no sangue de inocentes cristãos evangélicos apa de 1198 a 1216. Sua crueldade em nada ficaria a dever a genocidas como Genghis Khan. Dos 265 papas entronizados até o momento (incluindo João Paulo II). foi empreendida a quarta cruzada — que teve como único resultado a tomada e o saque de Constantinopla (1204). recebeu a visitado legado papal. pela qual também foi responsável. de que tivemos notícia pelos anais da História. Hitler. o Conde Raimundo VI. o enviado do Papa anunciou que seriam feitas a reconäliação e apa% com a condição de que as tropas reunidas servissem para a destruição dos 115 . os mais desumanos dos ditadores terrestres. Ainda por sua iniciativa. Stálin e Pol Pot. inquisições e autos-de-fé. da França. Inocêncio foi eminente teórico da teocracia pontificial. Apresentandose como mediador. o Papa era um intermediário terreno entre D e u s e os reis. trouxe muito mais benefícios aos Capeto do que à Igreja.

aventureiros e bandidos de todas as nações. combatiam primordialmente pela pureza da Fé.000 homens. t e m p o . estofos e mesmo domínios e castelos tomados aos albigenses. em Cours de Uttérature Française escreve. para isso. explicaria a inclemência da repressão a eles movida. banqueiros. como os Valdenses e os Albigenses. A própria heresia dos albigenses não foi a causa única. antes de morrer. de certo modo. teve início a Cruzada dos Albigenses. Durante todo o ano. como se a mesma fosse uma empresa puramente comercial. Uma multidão de prelados e de barões pôs-se então em marcha. Deste entrechoque constantemente dardejavam palavras amargas e cruéis. que feriam o poder de Roma e que pareceriam um escândalo em nosso tempo. diz Villemain.. entre a poesia e a pregação. História Geral da Maçonaria: Período Operativo. que na véspera havia injuriado o Conde de Toulouse. desde há muito tempo. uma luta entre o pensamento livre e o poder da Igreja. E m 14 de janeiro de 1208 . segundo alguns historiadores. Nicola. N o entanto os cruzados. Aurora. usurários e ricos mercadores adiantaram capitais. porque este não se mostrava zeloso em cumprir sua promessa de exterminar os súditos heréticos . Porém. mas também de fato. que foi julgada extremamente rendosa. ameaçando-o de arrebatar-lhe os domínios "que recebera da Igreja Universal' (a Católica. ao mesmo 54 \ Cruzados cristãos foram organizados não apenas para libertar Jerusalém. relativamente às conseqüências desse gesto de independência e soberania: "Então o sanguinário pacificador declarou-o ásmático e rebelde à Igreja. E m 21 de Julho de 1209. os mesmos direitos e as mesmas indulgências de que gozavam os cruzados da Terra Santa. a seguir desligando do juramento de fidelidade os súditos de Raimundo VI . o Conde Raimundo VI não quis darpa¿ ragem em seus I Istados para que seus inimigos matassem os seus próprios súditos". mas também para massacrar hereges. embora tendo assumido compromissos comerciais com os agiotas. chegaram a atingir a cifra de 500. obviamente). Já há muitos anos.mas. O Papa Inocêncio III patrocinou a carnificina e deu garantias de vida eterna a todos que participaram da santa matança. sob o comando de Raimundo de Toulouse — que se tinha finalmente s u b m e t i d o . que pretendia estender o seu domínio sobre toda a Cristandade. 106-8. Concederlhes-iam.tendo um pequeno vassalo do Conde Raimundo VI morto o legado Pedro de Castelnau. por sua vez. Reinava. Deveriam ser reembolsados com vinho. pp. O exército dos cruzados reuniu-se em Lião. os próprios santos se queixavam da conduta dos padres. i m p r e s s i o n a d o c o m as ASLAN. "Quem me darâ\ dizia São Bernardo de Claraval. Estamos no período mais alto da teocracia. A vida desordenada do clero fornecia copiosos elementos à amargura desta censura leiga. não somente de jure. os emissários do Papa p e r c o r r e r a m a França. lançando-lhe a anátema. "Não foi somente o assassinato aádental do legado o fator que produziu esta guerra funesta". "ver. pregando aos semi-bárbaros do n o r t e a c r u z a d a c o n t r a os heréticos do sul.albigenses. seguidos por vassalos. O Papa Inocêncio III. Para esta expedição. trigo. enviou a Raimundo uma carta cheia de insultos. depois escreveu à corte de Roma". Isto.5* Villemain. ÍÌ6 117 . a Igreja de Deus como era nos seus primeiros dias?' O Papa Inocêncio III escreveu então ao clero e à nobreza da França. mercenários. Tais tropas. para ordenar uma cruzada contra os heréticos. o f e r e c e n d o os seus Estados a qualquer católico que os quisesse conquistar.

Prossegue Niel: "No decorrer do massacre. Foi perguntado ao abade de Cister. no Céu. para que estes fossempoupados. o grande historiador da província do L·anguedoc.. que relembrou os dias das invasões bárbarai\ Os chefes católicos aplaudiram esta milagrosa vitória e cada qual exagerou o mais que pôde o número de vítimas. A maioria dos historiadores a considera apócrifa. sem escala. apóstatas e opositores da Igreja R o m a n a . Uma parte do exército seguiu-os. contudo.. que Nosso Senhor não deixará de nos trazer socorros e que. g a r a n t i n d o aos que executassem as matanças dos inimigos da Fé. comeremos nossospróprios-filhos''\55 Um grupo de defensores. passaram a tomar outras cidades da área. em seguida. Quatrocentas pessoas nesta cidadeforam queimadas vivas.000. Os cruzados assistiram à missa solene pela manhã e. Ibidem WOODROW.. da Virgem Maria e do castíssimo São José. um fato certo: o de que todos os habitantes foram mortos. Os católicos e outros fanáticos daqueles tempos acreditavam piamente que o Papa tivesse o poder de abrir e fechar os Portões da . sobre razões sentimentais. Reproduzida por um monge alemão. dando início ao massacre. c/f. mas os seus argumentos repousam. "Qualquer que seja a autoridade dos escritores que lhe negam a autentiádade. coloca-se uma árcunstânáa sobre a qual houve prolongadas dissertações. os cruzados repeliram finalmente os habitantes de Beziers e penetraram na cidade. Deus reconhecerá os seus?' Naturalmente esta frase foi violentamente controvertida. mulheres e crianças. sem aceitá-la 55 56 incondicionalmente. Foram até a cifra de 100. os habitantes da cidade recusaram-se com energia e responderam: "Re/atai aoL·egadoque a nossa ädade é boa e forte. não existe nenhuma prova histórica de que não tenha sido pronunciada.000 parece ser uma avaliação razoável. mas 30. não a coloca completamente em dúvida"'. mas a quem fora relatada. saiu em ataque aos aventureiros cruzados. Ela é. aqui também. Cesário Heisterbach. católicos. Existe... Intimados por seu próprio bispo a fazer a entrega dos heréticos. o privilégio de. o qual. todosforam confundidos neste gigantesco massacre. Arnaldo Amalrico teria respondido: Matai-os todos. 118 ÍI9 . quando bem entendesse.000 albigenses (protestantes) caíram em um só dia. Os homens que participaram do sangrento massacre receberam do Papa Inocêncio III a certeza de que iriam direto para o Paraíso. em 1211. Surpreendidos de início. Seus corpos foram amontoadosjuntos e queimados" ?1 Inocêncio III continuou incentivando o total extermínio de hereges. Neste cerco.providências tomadas por Inocêncio III —. de que maneira os heréticos seriam distinguidos dos católicos. ao contrário. Arnaldo Amalrico. faz o seguinte comentário: "Heréticos. em Æbigeois et Cathares. antes de nos entregarmos. burgueses célebres em todo o sul pela sua energia. legado do Papa. sentarem-se ao lado de Jesus. "Em L·avaur. cruelmente confirmada pelos fatos. estima-se que 100. A cidade foi saqueada e depois incendiada. desviando-se do purgatório. Salvação. Ralph. p.113. Op. o exército dos cruzados faz o cerco a Beziers. queimando durante dois dias. Fernand Niel. Idem. que não participara da cruzada. Ninguém escapou. é sem dúvidaprudente ater-se à opinião do beneditino Dom Vaissette. o governador foi enforcado e a esposa lançada dentro de um poço e esmagada com pedras.

CAPITULO XVI GREGÓRIO IX (Ugo. Conde de Segni .de 1227 a 1241) 11 2 .

dentre os quais os albigenses e os valdenses (ambos crentes evangélicos).Proibindo a leitura da Bíblia aos leigos e empilhando cadáveres de hereges e apóstatas om a morte de Inocêncio III. com o apoio de São Luiz (Luiz IX) da França. Honório III foi substituído por Gregório IX. dedicado a exterminar. pelo poder de seu mandato. São Paulo. alguns milhares de opositores do credo romano. XVII. seu sucessor H o n ó r i o III (Cencio Savelli) governou a Igreja Romana por um período de 11 anos — de 1216 a 1227 —. 123 . este uma besta-fera sanguinária e sedenta de violência. Gregório IX contava. numa época em que a satânica inquisição preparava o terreno para nele semear o pavor e a morte contra aqueles que se opunham à doutrina católica e aos vigários de Cristo na Terra — os papas. p. Editora das Américas. tendo exercido dignamente a função pontifícia. naquele momento. sem nenhum vínculo com o sistema pecaminoso e iníquo deste mundo. 222. 1952. com sua glória efêmera e seu injusto poder. ocorrida em 1216. filho da rainha Branca de Castela e inimigo mortal de quem quer que se opusesse à Santa Igreja Romana e ao representante 58 Biografia dos Papas. que praticavam um cristianismo quase nos moldes da primitiva Igreja Cristã. Vol.

Naquele ano. Em 1244. em caso de ataque do inimigo. (At 4. de seus interesses.de Cristo na Terra. exterminadas como pestilentas heréticas. integrada por milhares de bandoleiros mercenários. local considerado mais adequado para sua defesa. Op. entre si. 32) 59 HALLEY. devoto e seguidor de Belial. Gregório I X afogou a E u r o p a n o sangue daqueles inocentes seguidores do Salvador Jesus. igualmente. Gregório IX e seus sanguinários agentes faziam pilhas e mais pilhas de cadáveres de supostos hereges em vários lugares da França. p. Henry. vítimas do ódio e do fanatismo doentio deste insano Papa. a serviço não do cristianismo. E m Avignonet. todos os membros do infame tribunal inquisitorial foram massacrados pela turba revoltada. que autorizou a corja de assassinos a saquear os bens daqueles infelizes irmãos levando-os para si. e sim. Os habitantes de Albi e Toulouse. atacando os cínicos agentes de Gregório IX e matando vários deles. levantaram o estandarte da revolta e partiram para a revanche. Seus corpos mutilados e putrefatos permaneciam à margem das estradas e caminhos. o Papa. queda do albigensismo foi a principal medalha da inquisição'. deixando sobre o solo do Velho Mundo milhares de cadáveres insepultos destes humildes irmãos. os irmãos albigenses se refugiaram na montanha-fortaleza de Montségur. Cerca de 2. indignados com as maldades daquela súcia de criminosos. o infame Gregório IX organizou uma poderosa cruzada. a Igreja de Roma une suas forças às do rei Luiz IX e esmaga cruelmente os redutos protestantes. não sendo permitido pela Igreja Romana o sepultamento desses injustiçados irmãos. a i n q u i s i ç ã o c a ç o u os a l b i g e n s e s temanescentes. que nenhum delito cometeram para merecer tamanha maldade — pelo contrário. O último deles foi supostamente queimado na estaca em Languedoc. Ì24 125 . amaram com fervor seus semelhantes e viveram como os primitivos cristãos. A fortaleza de Montségur foi então ferozmente atacada pelos selvagens cruzados. cit. não sendo poupadas nem mesmo as inocentes criancinhas. O livro Medieval Heresy menciona: "A. que.58 Com o crescimento acelerado dos gru] > iS < evangélicos em várias partes da Europa. conseguiram tomá-la dos albigenses e passá-los no fio da espada.59 N o d e c o r r e r d o s a n o s . servindo de alimento a abutres e outros animais. em 1330. que tudo partilhavam. 689. todos pagos a preço de ouro e indultados em seus pecados por aquele Pontífice das trevas.000 homens e mulheres foram amarrados em estacas e brutalmente queimados por ordem de Gregório IX. apesar de sofrerem muitas baixas. especialmente naquele país.

CAPITULO XVII INOCENCIO IV (Sinibaldo Fieschi .de 1243 a 1254) 127 .

· • " . 13. sob a presidência do Papa Dâmaso. . vindo a falecer em seguida. 129 .```"¾.i^ vacância da Cadeira de São Pedro. Inocêncio ÈÊfti IV passa a dirigir o Vaticano. • • • • m v$rm Alguns anos antes de Agostinho. 284-6. o Sínodo Romano. Com a g*. pp. remeteu alguns cânones aos bispos da Gália (hoje França). Celestino IV (Goffredo Castiglioni) assumiu seu lugar por apenas 2 w / meses. após haverem recebido o batismo. Vozes.Aprovando o emprego da tortura o m a morte do sanguinário Gregório IX. • • : • • : .. deram sentenças injustas e exerceram a torturajudiciária'''.60 Vinte anos depois daquele Sínodo. Petróp¤lis. ocorrida em 1241.. declarando expressamente que "Não são livres de pecado os funcionários civis que condenaram pessoas à morte. ocorreu uma virada de 180° no pensamento do magistério pontifício da Igreja. . 1985. em 382. '•^. com u m JB¾^M¿¢ae«^^l ferrenho propósito no coração: introduzir ¾&o o e m p r e g o da t o r t u r a n o s t r i b u n a i s J¡¡r~~j inquisitoriais — que até então eram função exclusiva dos juizes leigos e não dos inquisidores religiosos. em sua epístola de n. declara: "Pediram-nos a opinião sobre aqueles que. O Papa Inocêncio I.º VI. . ` . tiveram cargos públicos e exerceram a 60 Brasil: Nunca Mais.' ed.

em 866. N o século seguinte.tortura. a Sicília de Frederico II e a França de Luís IX (São Luiz). como escreve o Papa Alexandre.apesar de. A reintrodução da tortura nos processos penais N o século XII.cujo crime único seria o de possuir crença religiosa distinta da que seus algozes entendiam como sendo a única divina e verdadeira. de Lactâncio. no entanto.aos olhos da nova teologia do poder . apele-se às testemunhas e exija-se o juramento sobre os Evangelhos. em lugar dos suplícios. mesmo com a suposta cristianização do império.impedir a justiça penal de seguir o seu curso 'normal'. significava . para esclarecê-los sobre questões dogmáticas e morais . que. TORTURA DA RODA E DO FOGO A Igreja Católica pede desculpas à humanidade por atrocidades como esta. uma vez que isso decorria da própria 'vontade' de Deus. Alguns achavam que a Igreja não devia reprovar o uso da espada no Direito Penal. considerando-se que o Estado. pois. acentuando que "a confissão deve ser espontânea. contava com um número sempre maior de funcionários cristãos. Com as invasões bárbaras. sedentos de sangue e represálias. ou aplicaram sentenças capitais. E. exigir que se mantivesse frente a ele a mesma atitude crítica de Tertuliano de Cartago. A esse respeito nada nos foi transmitido". o consentimento implícito às normas processuais romanas. 131 130 . o Direito Penal Ocidental retoma princípios do Direito Romano Imperial e reintroduz a tortura judiciária . Tinha início. pois a tortura não é admitida nempela lei divina e nempela lei humand\ Recomenda ainda que. a tortura diminui e as fontes conhecidas só retomaram o tema por ocasião da conversão dos búlgaros. como a Castella de Afonso X. de Agostinho e de todos os que sentiam de p e r t o a perseguição. afirmar o Decretum Gratiani: "A confissão não deve ser obtidapela tortura". representativa do furor dos inquisidores. banhavam-se em satânico prazer sempre que lhes fosse dado estender suas garras para triturar indefesas criaturas . especialmente nos dos Estados centralizados. antes de abraçar a fé cristã. à mesma época. a tortura passaria a fazer parte dos códigos processuais. A eles escreveu o Papa Nicolau I.entre as quais o costume que tinham. O Papa insistiu na supressão da tortura. após Constantino. de torturar os criminosos.

para desarticular os dedos. AMANJEDOURA Um dos métodos de tortura mais populares era o uso deste terrível aparelho. onde as maiores crueldades eram praticadas na pessoa dos condenados pela mesma instituição.AVIRGEM DE FERRO Espécie de contêiner oco. a pobre vítima sofria também as 'dores da alma'. e as chamadas 'Botas Espanholas'. VÔO DA MORTE Era um dos métodos de tortura infligidos pelos inquisidores. de costas. Usava-se enormes torqueses para arrancar as unhas ou ferros aquecidos ao rubro eram aplicados às partes sensíveis do corpo. para arrancar confissões dos acusados. em Lisboa. ed¡fíc¡o-sede do terrível tribunal. significava "Glória seja dada somente a Deus". Sentindo por todo o corpo as ardências decorrentes dos métodos bestiais e desumanos empregados pelos carrascos. Este instrumento de tortura era aspergido com 'água benta' e trazia uma inscrição em Latim que. Havia ainda o 'Parafuso de Polegares'. a serviço da Igreja Católica Romana. empregadas para esmagar as pernas e os pés. de tal maneira e sob tal pressão que a vítima era lacerada por seu abraço mortal. enquanto os algozes arrancavam-lhe pedaços de carne com tenazes em brasa. e esticado por cordas. trazia facas fixadas em seu interior. a mando dos inquisidores. em sua tradução. uma longa caixa dentro da qual o acusado era amarrado. Estas práticas ocorriam nos porões da Casa dos Tormentos. com o tamanho e a forma de uma mulher. pelas mãos e pés. Este processo deslocava as juntas e causava grande sofrimento. 132 133 .

tendo-se verificado que o processo não era assaz secreto e que isso era inconveniente para a Fé. Não se deve. não havendo outro recurso para se apurar a verdade. Esta trágica involução reflete-se na obra do maior pensador medieval. este foi o legado deixado por Inocêncio IV e seus celerados. com medo de incorrerem em irregularidades. inventam tormentos de tal modo cruéis que os acusados morrem durante a tortura ou acabam porperder alguns dos membros". de forma direta. Isto no princípio. Podem consultar-se Paulo. os eclesiásticos Ou o braço secular:' A esta indignação responde o frade italiano que comand< »u a Inquisição na região espanhola de Aragón: "Quando começou a estabelecerse a Inquisição.. Marcílio menciona 14 espécies de tormentos e acaba por afirmar que imaginou ainda outros. exceto em sua Expositio Super]ok "Sucede às ve%es que. Continua Inocêncio IV: "E porcerto um costume louvável aplicar a tortura aos criminosos. 134 135 . Como isso são coisas sabidas de toda agente. em 1252. achou-se que era mais cômodo e salutar atribuir aos inquisidores o direito de serem eles mesmos a infligir a tortura. Mas não menciona a tortura. não irei deter-me neste assunto. É o retorno oficial ao sistema penal romano. do Papa Inocêncio TV. ]á que o Direito Canônico nãoprevê particularmente este ou aquele suplício. por quererem vangloriar-se.61 Apesar das ressalvas. padres e bispos. às vezes. à flagelação dos filhos e dos servos e ao encarceramento. esses ladrões dafé cristã e dos sacramentos de Deus) a confessar os seus crimes e a acusar outros hereges seus cúmplices". fundado na auto-acusação e na confissão do réu. para descobrir a verdade. ele se refere à mutilação.sendo-lhes ainda outorgado o poder de mutuamente se relevarem das irregularidades e m que. o Papa Inocêncio IV aprova a legislação penal de Frederico II e. podem ser torturados. agindo segundo a justiça. sem ser preciso recorrer aos juizes leigos . ao tratar das injúrias contra as pessoas. p o r acaso. incorressem. é justa a aplicação da tortura. tem como frase introdutória:`"Tortura-se o acusado. que traz como título "Sobre a tortura'. Grilando. na qual esse Pontífice determina que devem os Magistrados obrigar com torturas os hereges (esses assassinos das almas. não obstante não ser recomendada sua aplicação. 61 Idem. Quem tortura. a adoção da tortura como prática sistemática de preservação da disciplina religiosa e passa a ser oficialmente aceita nos processos de heresia. Tomás de Aquino. Prossegue a Bula de Inocêncio: "De ordinário. mas a causa disso é a falta de conheámento humano". E m fins do século XIII. com o fim de ofa^er confessar os seus crimes". conforme a Bula Ad Extirpanda. fa^er uso de torturas inusitadas".etc. por religiosos. posteriormente. afim de revelar os próprios erros e acusar os outros. poderão os juizes servir-se daqueles que acharem mais aptos para conseguirem do acusado a confissão de seus crimes. não eram os inquisidores que aplicavam a tortura aos acusados. afim de se lhe poder tirar da boca toda a verdade". como sefa% com os ladrões e salteadores". em seu Ad Ext¿rpanda. quando um inocente ê acusadofalsamente perante umjui% este... a Igreja passa a admitil o uso processual da tortura: em 1244. o inquisidor recomenda: "Aplicar-se-lhe-á a tortura. Esse cuidado incumbia aosjuizes leigos. utilizam os nossos inquisidores cinco espécies de tormentos no decorrer da tortura.Simultaneamente. de Nicolau Emérico (1320-1399).L·ocato. A inquisição faz escola na arte de torturar A mais notória obra sobre o uso da tortura pela Igreja é o Manual dos Inquisidores. Tal posição inaugura. na parte moral de sua Suma Teológica (questão 64). aceita que uos hereges.. sem mutilação e sem perigo de vida. porém. mas reprovo veementemente esses juizes sanguinários que. Sobre o interrogatório do acusado. como a privação do sono (também referida e aprovada por Grilando e Locato). São Tomás admite pois que. mesmo sobre um inocente. O capítulo 5. o submete à tortura. na Igreja.

CAPITULO XVIII NICOLAU III (Gaetano Orsini .de 1277 a 1280) 137 .

Novíssima Enciclopédia Delta Larousse.A parte mais baixa do inferno oucos anos após o pontificado de Inocêncio IV. Editora Delta.62 A gestão de Nicolau III (nome ¡`ÿ~) assumido por Orsini) foi. O Papa utilizou a seguinte esperteza: todos os soberanos europeus. foi fácil transformar seus dois adversários de ontem em aliados de então. ao visitar o Vaticano. que sonhavam abocanhar as terras da Igreja espalhadas pela Europa. p. í í ^ v * v ¾ S î ^ í¾6^*f¦¿/Ä v º l t a d a a s questões litigiosas correntes entre dois ambiciosos monarcas europeus: Carlos de Anjou. Op. 1436. c/f. além de arcarem com as futuras cruzadas e guerras : s WOODROW.l982. vol. através de sua hábil diplomacia. 5. Ralph. p.. obtendo. com exceção de Carlos de Anjou e Rodolfo de Habsburgo passariam a ser tributários da Santa Igreja Romana. quase toda ela. 99. 139 . outras mais cessões territoriais para o Patrimônio de São Pedro. chamaria de "parte mais baixa do inferne?'`. e Rodolfo de Habsburgo da Alemanha. e s p e c i a l m e n t e aquelas localizadas d e n t r o de suas p o s s e s s õ e s territoriais. 63 Como Nicolau costumava agir tão astutamente quanto as raposas. da França. Rio de Jane¡ro. a Igreja Romana viu a Cadeira de Pedro ser ocupada por Giovanni Gaetano Orsini — a quem D a n t e Alighieri.

Op. cìt. ao lado de pervertidos como Calígula. aumentar em muito os territórios da Igreja e acumulou um verdadeiro tesouro em ouro. `I4I . não chegando a equiparar-se a um Inocêncio III ou mesmo a um Urbano VI (da primeira Cruzada). A população européia entrou em total desespero. E m relação ao aspecto moral de sua vida.. pois Ele é a sublime perfeição e dará sempre ao homem ensejo de saber que não está só.>ivja era uma constante nos conflitos com os Estados. Nicolau III chantageou sadicamente os apavorados católicos.que a Santa Sé possivelmente encetaria contra seus muitos inimigos. em verdade. em sua gestão. como também sua influência política sobre vários governantes europeus. às primeiras décadas do décimo século. O arrendamento das terras da Igreja gerava uma enorme receita para os cofres do Vaticano. prata e pedras preciosas para o Erário de São Pedro. que temiam a interferência papal em seus assuntos internos. o guarda-chaves do Céu e do Inferno. inutilmente sacrificadas. pelas almas que por lá fossem passar. acumulando tremenda fortuna. Enquanto isso.. várias concubinas. o Pontífice espertalhão encheu não só os cofres do Vaticano de ouro e pedras preciosas. os quais. com tremendos reflexos negativos para o Vaticano. que com ele colaboravam organizando encontros licenciosos. C o m seus estratagemas conseguiu. porque O tem a acompanhá-lo em todos os momentos'''`. em diversos mosteiros da Europa.como já vimos fazerem outros seus companheiros de batina -.M PORTO. para que ele mantivesse fechado somente este último — visando o bem das pobres almas e sossego das famílias enlutadas. não desmerecendo a indignidade de um monumento orgíaco. Dorífero e Esporo — um pecaminoso quinteto a serviço da pederastia e de Satanás. mesmo entregando seus bens para terem direito ao Céu aberto. E mais: Nicolau III ameaçou fechar o Céu a sete chaves e escancarar as salas do Inferno àqueles que se lhe opusessem em suas pretensões. < i que fazia <>s governantes seculares conflitarem-se com os papas (que 1 ilgavam-se no direito de se intrometer em questões que não lhes diziam 1 respeito). Nero e seus três almofadinhas. "Mas a humanidade desiludida dos papas e de toda a hierarquia da Igreja Católica terá sempre o caminho certo que à conduzirá a Deus. aumentando não só o seu poder econômico. Nicolau III também contribuiu bastante. com sua aberrante lascívia. um Pontífice mais diplomata que guerreiro. discretamente . milhares de fiéis em todo o território europeu puseram suas posses a serviço da Santa Igreja Romana e de seu paladino maior. p. Nicolau III. temerosa com tão grave ameaça. 266. nada temos a enaltecer. Desta forma. para o estado de decadência espiritual que a Igreja Romana vinha sofrendo desde a gestão de Sérgio III (o Boca de Porco). Tigelino. A. estando em jogo a salvação da própria alma. o que seria daqueles que morressem naquele período. como também os de seus parentes e amigos de rapinagem. caso Sua Santidade resolvesse cumprir a palavra? Como entrariam na Eternidade sem o passaporte do Santo Padre? Assim. Durante o período em que se manteve à frente do Trono de São Pedro. pois sua conduta lúbrica e fornicadora foi por demais divulgada. Campos. continuavam pressionados por esse suposto sucessor do Pescador — que lhes cobrava também o tributo do Purgatório. 140 A ¡ngercn< ia da l. este ambicioso pontífice financiava. era. terminando essas querelas em sangrentas batalhas e com a perda de milhares de vidas humanas. São Nicolau III. arvorando-se em guarda-chaves destas duas instituições de utilidade divina.

CAPITULO XIX BONIFÁCIO VIII (Benedeto G a e t a n o .de 1294 a 1303) 143 .

Quando este se apresentou em Aquila. Começava a nova era do Espírito. pp. Continua Gonzalez: "Celestino. sentou-se no chão e declarou ninguém seria capa·^ defia%ê-lo mudar de idéid\ • GONZALEZ. Celestino V (Pietro de M o r r o n o ) — que governou a Igreja Romana p o r apenas 5 meses. 145 .presentou-se diante dos cardeais. O ideal franáscano tinha penetrado em suas fileiras e alguns pensavam que o novo Papa deveria encarnar estes ideais. decidiu abdicar. despojou-se das insígnias papais. Edições Vida Nova. caso quisesse continuar vivo. sendo forçado a abdicar do trono papal e bater em retirada. Justo L A Era dos Altos Ideais. traiçoeiro e herético o n i f á c i o V I I I i n i c i o u seu p o n t i f i c a d o passando sobre o direito de seu antecessor. descalço e montado em um jumento. Vejamos o que diz Gonzalez: "Quando Nicolau IV morreu.Enganador. em que a Igreja seria dirigida pelo ideal monástico. São Paulo. os cardeais vaálaram na eleição. depois de um pontificado breve. foi eleito Celestino V. A. enquanto outros insistiam na necessidade de o Papa ser uma pessoa conhecedora das intrigas e ambições do mundo" ·65 Por fim. um franciscano do grupo dos 'espirituais'. 184-5. muitos pensaram que as profecias de Joaquim de Fiore estavam sendo cumpridas.

mas nenhuma delas também poderia ser dispensada. enganador e traiçoeiro. pp. pp. 68 69 GONZALEZ.. geralmente. E m sua bula Unam Sanctam. E m outras ocasiões. 37. Ele destinou Bonifácio (ao lado dos papas Nicolau III e Clemente V) às "partes mais baixas do inferno". outros endinheirados da panelinha de Bonifácio VIII e íntimos de suas maracutaias.. Bonifácio VIII. A Era dos Sonhos Frustrados. será julgada pela espiritual (.... Op.61 Conforme a The Catholic Encyclopedia. o ideal do papado onipotente chegou à sua expressão máxima: "Uma espada deve estar sob a outra. e morreu no XIV (1294-1303). e não pelos humanos (. a explosiva violência e ofensiva fraseologia de alguns dos seus documentos públicos". idolatria.. 1981. libertando o Papa do cativeiro.Seu sucessor.. que não eram poucos. Durante seu reinado. morte de Celestino V. a p a r e n t e m e n t e naqueles m o m e n t o s 'explosivos'.seu mais encarniçado inimigo. E m setembro de 1303. Todos os bens dos Colonna foram negociados com os Orsini. 146 147 . c/f. numerosas acusações foram trazidas contra o Papa Bonifáäo VIII.) mas se ela se aparta da suprema autoridade espiritual. grosseria e inatural imoralidade. sendo todo o seu pontificado um registro de maldades". etc. foi precisamente durante o reinado de Bonifácio que ficou evidenciado que a decadência do papado começara: Bonifácio VIII foi o inventor do Ano Santo. diremos e definimos o que é absolutamente necessário para a salvação de todas as criaturas humanas que estejam sob o Pontífice romano"?6 Mas apesar destas palavras de tão alto som.6* U m exemplo desta 'ofensiva fraseologia' seria sua declaração de que "go%ar e deitar-se carnalmente com mulheres ou com meninos não é mais pecado do que esfregar as mãos". Não é necessário insistir que todas as acusações trazidas contra ele poderiam não ser verdadeiras. Cultivava discordâncias também com Guilherme de Nogaret e tinha em Sciarra Colonna .) por outro lado. 99.. E m outubro de 1303. contudo.) admitem.. ameaça de perda da Terra Santa. ele professou 'ser ateu' e teria chamado Cristo de 'hipócrita'. Bonifácio veio a falecer. São Paulo. o poeta Dante Alighieri visitou Roma e descreveu o Vaticano como um "esgoto de corrupção". Woodrow nos fala a respeito: "Em conflitos com cardeais e reis. Justo L.. mas até mesmo modernos escritores católicos (.. então somente pode ser julgada por Deus. mas o povo italiano sublevou-se e expulsou os invasores franceses. "os historiadores católicos (. começou a treinai no século XIII. o Belo. Ralph. 41-3. mágica. Desta forma... 66 67 Embora procurando enfatizar alguns aspectos bons de Bonifá( i > < . Bonifácio VIII teve seus aposentos invadidos por Sciarra Colonna e Guilherme de Nogaret..) por isto. e a autoridade temporal deve estar sujeita àpotestade espiritual (. sendo esbofeteado e conduzido como refém a um quase secreto esconderijo para lá perecer. tinha encontrado um meio para se enriquecer com o dinheiro das nações católicas. simonia. Historiadoresprotestantes. dificilmente qualquer heresia. WOODROW. se àpotestade terrena se aparta do caminho reto. lhe seriam perdoadas. Idem.membro de uma poderosa família italiana que perdeu suas terras e foi obrigada a exilar-se logo depois da eleição deste ambicioso Pontífice . em decorrência dos maus-tratos recebidos de seus inimigos. arrogante e impiedoso. Edições Vida Nova. declaramos.) classificam-no entre os papas iníquos como um homem ambicioso.. 69 Bonifácio VIII viveu durante todo o seu pontificado em conflito com o rei francês Filipe IV. Idem.

de 1305 a 1314) 149 .CAPÍTULO XX CLEMENTE V (Bertrand de Got .

o que gerou terríveis confrontos entre italianos e franceses. Foi o primeiro Papa a instalar-se em Avinhão. a cobiçada Cadeira de São Pedro. Este pseudo-sucessor do Pescador da Galiléia presidiu o Concilio de Viena (1311-1312).Mantendo sua amante com o tesouro da Igreja o m a m o r t e de B e n e d i t o X I (Niccoló Boccasini). França. E m conseqüência desse distanciamento. A permanência dos papas em solo francês durou 70 anos — duração i d ê n t i c a à da e s t a d i a d o s j u d e u s na B a b i l ô n i a . Clemente V também passou à História como o responsável pelo início do chamado Cativeiro Babilônico. n o s dias de Nabucodonosor e Belsazar. Clemente V assumiu a Cadeira de São Pedro no ano de 1305 e personificou um dos pontificados mais escandalosos da história do papado. em que foi abolida a Ordem dos Templários. sob a tutela dos monarcas da pátria de Joana D'Arc e de Voltaire. pela primazia da posse da vaquinha leiteira-. ocorriam constantes atritos entre os pontífices nomeados por Roma e os indicados por Avinhão — um deles tido como Papa legítimo e o outro como antipapa —. o Belo) passaram a viver em Avinhão (Avignon). 151 . período em que os papas (a partir do rei francês Filipe IV.

voz de prisão a todos os irmãos da referida instituição. diz Charpentier. cumulando-o de honrarias e festas. ™ ASLAN. há longo tempo empreendido. mais que quaisquer outros. os Templários foram presos em toda a França. entabularam exemplar parceria. indicando os detalhados procedimentos para tanto. onde seria deliberada a organização de uma nova cruzada. por Filipe? "É possível". o Belo. domésticos e artífices. o rei Filipe prodigalizoulhe elogios. p. 152 153 . inclusive o grão-mestre Jacques e vários outros dignitários. a traiçoeira operação foi dirigida pelo chanceler Nogaret — e assim foram conduzidos para diversos conventos e prisões 150 homens. Bailios e senecais receberam cartas lacradas. E m 14 de setembro de 1307. autorizaria a confraria dos mercadores da Água de Paris a reconstruirse. escudos e elmos ricamente adamascados. O que chegou a nós do texto dessas instruções referese às acusações contra a Ordem do Templo formuladas aos ouvidos do rei — que dava. na abjeta forma de Bafomet. em u m dia predeterminado. 71 Idem. no intuito de se apossarem do espólio daquela rica instituição de formação militar e religiosa. não se sabendo quantos grandes torneses de prata — a carga de do%e cavalos robustos. A. de cuspirem no crucifixo. Saberia ele que a destruição desta estava desde logo em deliberação. e uma multidão de escravos o seguem. 71 E m 1307.< [emente V e Filipe IV. o que sucessivamente. 146. Os dois embusteiros conspiraram para a queda dos Templários com perfídia sem igual. E m 6 de junho de 1306 Clemente V. entre cavaleiros. J o h n Charpentier observou: "Parece um rei magnífico que retoma a posse do seu reino. Clemente V informava-o do seu desejo de ver associados Templários e Hospitalários. Filipe IV. O Grão-Mestre do Templo continuava sem de nada suspeitar. 13 de outubro de 1307. o Belo. c o m o r d e m de só abri-las quase u m mês depois. Nicola. os Templários foram acusados de se terem unido aos turcos e traído os demais cruzados —. enquanto o chanceler do reino Guilherme Nogaret prosseguia em seu trabalho de difamação. a arrestação dos Templários estava já minuciosamente preparada. c/f.. assim. montado sobre cavalos árabes.^`. como também de negarem a divindade de Cristo. a fim de organizar uma cruzada em conjunto com os reis da Armênia e de Chipre. Ao receber Jacques Molay em sua corte. de praticarem a magia negra e de lerem sacrificado crianças em honra ao diabo. sem que oferecessem a menor resistência. E m Paris.000 florins de ouro. senão decidida. em carta enviada de Bordéus. N a madrugada de uma sexta-feira.. assistiu à recepção de um novo cavaleiro no Templo.70 Ao escrever a Jacques de Molay pedindo-lhe que se dirigisse à França. como se aquele fora um príncipe de sangue real. Dizia ter resolvido deliberar com eles porque estes. Como estamos longe da austeridade de Hugo de Payns e de seus companheiros. 150. Sem aparente justificativa. Um exéráto de turcopoles. serventes. Op. aguardando o julgamento da Igreja. estariam melhor abalizados para oferecer-lhe opiniões úteis sobre o assunto. depois de tê-lo deixado para cumprir uma expedição longínqua. Ordenava ainda que os seus bens móveis e imóveis fossem apreendidos. lanças. grão-mestre dos Templários. ordenou aos grão-mestres do Templo e do Hospital para que viessem secretamente à França. N o princípio do ano. Os presos foram submetidos a interrogatório pelo inquisidor-geral Guilherme Imbert. e que assim fossem mantidos. perguntando-lhe também a opinião da Milícia. sendo a calúnia e o falso testemunho as principais artimanhas dessa maldita dupla das trevas.. tramaram ainda para obter a extinção da O r d e m Templária e o extermínio de seus líderes nas fogueiras inquisitoriais da Santa Sé. A este chamado atendeu Jacques de Molay. que entrou na França escoltado por 60 cavaleiros escolhidos entre os veteranos das cruzadas. sem exceção alguma. com eles trazendo seus mais fiéis cavaleiros. fizeram as outras confrarias. em Si tratando de corrupção e roubalheira.rrasta em suas bagagens sabres.

em relação à libra (que no tempo de São Luís. Sempre comfalta de dinheiro. divididos entre um rei e um Papa.7?l Entre alguns expedientes de que ele. tanto que "ninguém mais sabia quanto possuía".). o que é pior. do que as obrai da Terra Santa. figura a alteração do valor das moedas dezesseis vezes no decurso de dez anos. em sofrimentos espantosos. particularmente. Idem. "Clemente V deixou enormes riquezas e.Age etDans les Temps Modernes. não valia. mais Ibidem. para confiscar-lhes os bens. Tinha empreendido guerras desastrosas contra o rei da Inglaterra e os rendimentos dos bens da coroa não eram suficientes" . pois. o Belo) abolindo a Ordem dos Templários. que acompanhava o Papa por toda parte. 154 155 . que não tiveram outra alternativa: ou confessavam os crimes que lhes eram imputados oU seriam condenados à morte. Clemente não se preocupava muito com as finanças da Santa Sé.confessor do rei.. apesar de ser muito maisrico. suas próprias posses. A que outras conclusões mais poderíamos chegar? As citações são por demais eloqüentes. quando morreu. imaginosamente. Idem. a dos Templários. o que dele dizem os historiadores está longe de ser lisonjeiro. que lhe custava. O assunto se resume ao mesmo denominador: dinheiro! Como poderiam tão famélicos soberanos resistir à tentação de apoderar-se de tesouros assim atrevidamente guardados? P o r conseguinte. lançou mão para ampliar o tesouro real e. pp. René Gilles (L·es Templiers: Sont-ils Coupablesì) comenta: "VI crônica assegura que Brunissend custava muito caro a Clemente V e acrescenta que seus criados tinham adquirido uma espeäal habilidade em saquear todos aqueles que faliam a honra de hospedar o Tapa. afirmando: "SãoL·uísarrecadava de seus domínios o necessário para cobrir as suas despesas e além. moralmente falando. foi encontrado dinheiro em seus cofres.50 fr. para justificar o assalto de que foram vítimas. expulsou os judeus e fez condenar os Templários. o Concilio de Viena (França) confirmou a bula de Clemente V (submetid( > ao poder de Filipe IV.s e a história da I d a d e Média — e. por ordem do rei e com o consentimento do Papa Clemente.W Draper ÇHistoire du DéveloppementIntellectuelde l'Europé). compartilhando das homenagens prestadas ao Vigário de Cristo. Ibidem. em sua l·iistoire de Ia Civili%atión duM. 72 Morreram nos suplícios 25 Templários.passou o seu reinado a ter necessidade de dinheiro e a inventar meios para arranjá-lo. claro.. 145-9. Quanto a esta mulher.oyen. Além disso. E m 1311. não teve receio de escandalizar a I`j/ropapela sua munificência com relação à bela Condessa de Ta¡leyrand. e 'vora¦^como uma nuvem de gafanhotos'. 74 Com relação a seu comparsa. Louis Chochod ÇHistoire de Ia Magie et de ses Dogmes) escreve: "O Papa Clemente V — personagem oblíquo e devasso — mantinha com grandes despesas uma concubina. caiu a 6. o qual agiu sem mandai o regulai e empregando < rua brutalidade. D e acordo com o autor do livro O Vaticano. mas se acreditarmos em J. sua amante''. 75 Apesar de toda a lama que. Assim. a bela Madame Brunissend de Talleyrand-Terigord. E m 18 de março de 1314 procedeu-se à execução de Jacques de Molay — queimado vivo em Paris. o Papa Clemente V. Seignobos. Filipe IV. Ch. a isto r e s u m e . a dama e seu séquito quando viajavam? `. diriam. foi despejada sobre eles. durante séculos. traça um ligeiro retrato do rei Filipe IV. mais do que o rei` deT`rançd'. um fato é indiscutível: seus bens e seu dinheiro desapareceram. na ilha dos judeus.

CAPITULO XXI JOÃO XXIII (Baltazar de C o s s a .d e l 4 l O a l 4 l 5 ) 157 .

estando bem mais apto a exercer a profissão de um Barrabás ou de um Gestas. sodomita e criminoso o decorrer do Concilio de Constança (14141415). cinco p a p a s se digladiavam em combate hercúleo pela posse da Cadeira de São Pedro. B e n t o X I I I (Pedro de L u n a ) . não respeitou a decisão do Concilio de Pisa — que escolheu o cardeal Pedro Filareto. que dirigiu a Igreja de 1958 a 1963 e convocou o Concilio Vaticano II. atacou o rei Ladislau de Nápoles. Logo que João XXIII assumiu o trono papal. Antes de apossar-se do trono pontifício.. João XXIII. no intuito de assaltar aquela rica cidade. Clemente VII. Arcebispo de * Não confundir este infame antipapa com o sério João XXIII. mostrando que não se olvidara dos vícios de antanho. O Pontífice pirata ainda não havia renunciado.. como bom tirano que era.Adúltero. apesar da mudança de cargo. vigiando-a com mão de ferro e impondo-se politicamente sobre um conclave lá realizado. João XXIII exercia desenvoltamente o ofício de pirata e praticamente controlava a cidade de Bolonha (Itália). desta forma usurpando o direito dos demais cardeais de concorrerem à cadeira papalina e tomando-a para si. saqueando-a e fugindo em seguida do contra-ataque dos napolitanos. eram eles: Gregório XII (Ângelo C o r r e r ) . que o botaram para correr. à sua vida de ladrão e salteador. 159 . Alexandre V e João XXIII* (principal protagonista deste capítulo).

. Na primeira oportunidade que apareceu.76 Ao todo. montado um harém. Um destes'papas'. sodomitas. onde não menos de aumentas meninas tinham sido vítimas de sua lubricidadê`'`. ÌÓO 161 . o jogo e a usura.. Por tudo isso. com o nome de Alexandre V. c/f. cometeuperversidades com a esposa do seu irmão. preparou sinistra maquinação para finalmente eliminá-lo. roubo e assassinato! Uma legião de testemunhas depôs comprovando que ele havia seduzido e violado trezentas freiras. Por isso. totalmente adverso à vida e ao ensino de Cristo. Op. Milão. o Concilio condenou-o por cinqüenta e quatro crimes. 100. Boêmia. para o ministério papal. sodomia. inimigos de Deus e dos homens.. o Papa João fixou impostos sobre quase tudo — incluindo a prostituição. Woodrow diz o seguinte: "Durante o Concilio de Constança. João XXIII assassinou Alexandre V e sucedeu-o no trono pontifício. p. Seupróprio secretário. estiveram lá toda a manhã amaldiçoando uns aos outros e chamando seus oponentes de anticristos. adultério com casadas.. relações sexuais com virgens. simonia. Pregou contra o culto às imagens e outras idolatrias. Um registro do Vaticano oferece esta informação a respeito do seu reinado imoral: "Sua Santidade. incesto com santas freiras. da pior espécie. mostrando que na Bíblia não havia fundamentos para a existência do Purgatório. Pelo contrário. Ele era chamado publicamente de o diabo encarnada'. Foi (.de 1 4 5 8 a 1464) 1 WOODROW. ocupou seu lugar no Palácio de Latrão. foi queimado vivo em praça pública. Ralph. e todos os tipos de crimes sexuais. em Bolonha. cometeu outros hediondos crimes contra a religião. reitor da Universidade de Praga.João Huss (1373-1415). incesto.. ele tem sido chamado de "ornais depravado criminoso que já ocupou o tronopapal\77 PIO II ( E n e a Silvio Piccolomini .) totalmente devotado ao sono e outros desejos carnais. o poderoso Q G dos papas. CAPITULO XXII Desejoso de aumentar sua fortuna. demônios. Uma vez conseguido o seu intento. adúlteros. sendo por fim julgado e deposto pelo Concilio de Constança. três papas e algumas ve%es quatro. Niem. disse que ele havia.João XXIII. adultério. o Papa João. Idem. foi acusado por trinta e sete testemunhas (na maioria bispos epadres) defornicação.

os quais ameaçavam a Europa com suas hostes bárbaras e sua religião anticristã.Ensinando aos jovens as perfídias da sedução de mulheres om a morte do Papa Calixto III (Afonso Bórgia). na prática quase nada foi feito para impedir os abusos dos sarracenos contra os cristãos que visitavam Jerusalém e outros santos lugares de Israel. um h o m e m tão depravado quanto seus antecessores (os pontífices Sérgio III. ferozes adversários dos seguidores do cristianismo. avô do futuro Alexandre VI (Rodrigo Bórgia). a Igreja Romana elegeu Enea Silvio Piccolomini (Pio II) para o Trono de Pedro. 163 . que pontificou no período de 1455 a 1458. Clemente V e João XXIII). que ouvia. Pio II manteve-se quase que exclusivamente empenhado na organização de uma cruzada contra os turcos. Durante os seis anos de seu pontificado. Apesar da boa vontade de Pio II em combater os incréus seguidores de Maomé. por árabes beduínos e turcos otomanos. ocorrida cinco anos antes da ascensão deste Papa. não sem preocupação. Quanto aos predicados morais do Papa renascentista. João XII. na maioria. trouxe medo e apreensão à maior parte dos habitantes da Europa. A queda de Constantinopla. os relatos dos sobreviventes entre os peregrinos cristãos que eram massacrados e roubados por quadrilhas de salteadores — compostas. o Islamismo.

nada ficariam a dever a indivíduos como Tigelino, Dorífero, Esporo ou m e s m o um Caio César Calígula, famosíssimos nos anais da prostituição romana de seu tempo. Pio II não era um papa celibatário, mantendo várias concubinas com as quais se relacionava, gerando muitos filhos, apesar dos protestos de segmentos conservadores e contrários ao casamento dos tartufos de saia, que, ao longo dos séculos, insistiram na manutenção dos votos de castidade. Sua postura máscula e elegante atraia inúmeras varoas, que se deixavam levar por seus galanteios licenciosos e suas intenções lúbricas, nunca lhe faltando uma subserviente gazela nas suas secretas alcovas, distribuídas pelos espaçosos corredores do Vaticano. Este Papa fornicadör e sensual ensinava abertamente aos jovens vários métodos de atrair mulheres e mantê-las como meros "sacos de pancadas e de esperma" de seus abusos e caprichos. 78 E m sua gestão pontifícia, o ministério das vestais foi abolido e enaltecidas as virtudes de Vênus, a deusa do amor, do erotismo e da sensualidade, que passou a receber o culto e a aprovação de nobres romanos ligados ao renascentismo italiano do século XV, desejando enfatizar a grandeza da cultura latina e as tradições romanas de coloração paga. Figuras importantes da prostituição universal foram reabilitadas para servir como fonte de inspiração aos escultores e pintores daquele século dinâmico e inovador- destacando-se a nudez e o olhar malicioso de Frinéia, a poetisa de Safo e seu gineeeu de lésbicas, Messalina e o mancebo Caius Silius e, por último, as Valquírias do panteão teutônico. Woodrow afirma que "O Papa Pio II era considerado pai de muitos filhos ilegítimos. Elefalava abertamente dos métodos que usava para seduzir mulheres, encorajava os jovens afazer o mesmo e até oferecia-se para instruí-los em uma metodologia de auto-indulgênád`'`.79

Biografia dos Papas, p. 221. WOODROW, Ralph. Op. c/t, p.WO.

164

Colecionando mulheres e bens materiais
escandaloso pontificado de Pio II teve continuidade com o do italiano Paulo II, sobrinho do Cardeal Eugênio IV — este último elegeu-se Papa em 1431 e conduziu sua gestão até 1447, quando veio buscá-lo a morte. Paulo II foi, durante anos, um rico comerciante de jóias e artigos de ourivesaria, além de dedicado apreciador das atividades artísticas e culturais de seu tempo. Como já anteriormente mencionado, a eleição de um Pontífice dependia, muitas vezes, da influência política e do poder econômico de que viesse a dispor, não sendo levados em conta os predicados morais, éticos e comportamentais, fundamentais para a formação do bom caráter e postura coerente dos indivíduos. Entretanto, nem tudo era prostituição na corte papalina. Havia também homens santos, de conduta moral ilibada, que reprovavam aquela situação de decadência espiritual e esforçavam-se por uma mudança urgente na imagem da

Igreja.
Paulo II, como potentado do dinheiro, cresceu o olho para os negócios da Santa Sé e passou a articular, junto às altas esferas do Vaticano, os meios de ingressar na carreira eclesiástica. Nisto foi ajudado

167

por seu tio, o Papa Eugênio IV - o mesmo que queimou foana D'Arc em 1431, em Ruão (França). Não temos os pormenores da nego< i;ii.i entre Paulo II e a cúpula cardinalícia, concernentes à sua eleição para < > pontificado, mas de uma coisa temos certe2a: cada cardeal saiu, no mínimo, com os bolsos forrados por reforçada propina em dinheiro. Paulo II, ao assumir o trono de Pedro, mudou de profissão. Mas não de vida, continuando normalmente a manter concubinas nos vários haréns de sua propriedade, localizados em diversas regiões da Itália. O mais estranho de tudo é que a Cúria Romana tinha total conhecimento da vida pregressa do imoral Pontífice mas fazia vistas grossas, permitindo-lhe transformar-se num califa sensual, junto às suas viçosas odaliscas... Paulo II amava o dinheiro e as mulheres, principais ídolos de sua mundana existência, sendo a função papal apenas um trampolim para a locupletação de seu desejo desenfreado por poder político e satisfação carnal. D e acordo com o teólogo porto-riquenho Gonzalez, "Paulo II era um oportunista que, quando soube que seu tio Eugênio IV tinha sido feito Papa, decidiu que a carreira eclesiástica lhe prometia mais que o comerão a que se dedicava. (...) Seu interesse principal era acumular objetos de arte, em particular jóias e artigos de ourivesaria. Seu gosto pela pompa tornou-se proverbial. Ofato de agora ser Papa nãofe^ com que ele abandonasse suas concubinas, que a corte, ao que parece, reconhecia publicamente. Ele se dedicou a recuperar a glória da Roma paga, mandando restaurar os arcos do triunfo dos imperadores Tito e Sétimo Severo, como também a estátua de Marco Aurélio. Morreu ainL·jovem de apoplexia, em consequênäa de seus excessos sexuais, de acordo com cronista da época. Sua tiara papal valia mais que o preço de um palácio" .m

GONZALEZ,

Justo L Op. c/f., p. 149.

168

E m riqueza e pompa. com os césares.Um papa nepotista. Foi a fase áurea do nepotismo. do ágio e do suborno. a Igreja Romana atingiu outro ápice de sua corrupção e decadência espiritual. todos visando ordenhar a vaquinha leiteira da Santa Igreja: as finanças do Vaticano. em luxúria e entretenimento mundano. O pontificado deste a m b i c i o s o b i s p o de Roma voltava-se primordialmente para os interesses de sua família — especialmente seus cinco sobrinhos. corrupto e propinador a gestão papal de Sixto IV. Sixto IV rivalizou. beneficiando sobretudo os familiares de Sixto IV. Desta forma viviam de abocanhar as benesses que o sistema lhes oferecia. Os rateios entre os integrantes da cúpula cardinalícia do Vaticano incluíam não só o valor estipulado pela n o m e a ç ã o c o m o também vultosa propina em forma de ágio. representando-se como instituição de compra e venda de cargos eclesiásticos a quem quer que fosse — de preferência aos que pagassem mais. ele e os seus parentes sobrepujaram as antigas famílias romanas. do fisiologismo. quando não nomeados para postos relevantes da alta hierarquia da Santa Sé. quase todos eleitos cardeais. 171 . que eram em grande número.

B TORQUEMADA e seu circo de horrores O monge dominicano Frei Tomás deTorquemada (1420-1498) conduziu a cruel Inquisição Espanhola e sistematizou o uso de instrumentos de tortura para obter confissões. ~ · . c/f. fazendo da morte um meio de vida. Se não houvesse guerra. visando a obtenção de terras e outras vantagens para o suposto Tesouro de Pedro. e se d¿% quefoi em conseqüência deles que ele veio a morrer. por um sacerdote. chamada assim em sua honrã``. Outro deles. Conforme a análise histórica de Gonzalez. emparticular seus ánco sobrinhos. .81 "Seu sobrinho predileto. e lhe declarou guerra''. urdiu uma trama na qual um dos Mediei foi assassinado diante do altar. e o povo somente recebia o pão da pior qualidade. ele impôs a todos os territórios papais o monopólio do trigo. "(. Juliano delia Rovere. tinha vinte e seis anos quando foi feito cardeal. não haveria também perspectiva de dias melhores para os cofres da Igreja. Ibidem. Durante seu pontificado o nepotismo e corrupção chegaram a níveis nunca vistos. ]erônimo Riário. Sob Sìxto a Igreja se transformou em mero negado defamília... . que utilizava os representantes da Igreja como seus agentes plenipotenciários nas negociações junl<> às cortes européias. com o nome de Júlio II.riquezase honras para os sobrinhos do Papá". enquanto ouvia missa. o Papa excomungou toda a cidade de Florença.A conspiração e a guerra tornaram-se operações corriqueiras no dia-a-dia do governo deste Papa.„ fP sC¾£¾? ^K\-Í-:¶Í&½Wľ-'^ s ' «™#»~·» : :: S : : í.patriarca de Constantinopla e Arcebispo deFlorença. Mas apesar de tudo isto.•A A Ì72 l/3 . Justo L Op.. O melhor grão era vendido para encher as arcaspapais. A essênäa da suapolítica consistiu em enriquecer sua família. "SL·cto IVcomprou opapado. Seus vidos e excessos ficaramfamosos em toda a Itália. cujo único objetivo era conquistar territórios. fazendo-se eleger com base em promessas e presentes quefe^ aos cardeais. : 82 ` GONZALEZ. poucos anos depois. que nutria-se financeiramente dos resultados favoráveis das batalhas travadas com a sua conivência e incentivo. por ter violado a pessoa sagrada de um sacerdote.) Para manter esta política e a pompa de seus sobrinhos.. enforcando o sacerdote assassino. mais tarde ocuparia o o mesmo trono. Um destes. 149-50. pp. Toda a Itália se viu às voltas com guerras e conpirações. Quando os familiares e amigos do defunto se vingaram. Pedro Riário. a posteridade conhece Sixto IVcomo o mecenas que mandou construirá Capela Sixtina.

enquanto era obrigada a sentar-se nua. neste aparato diabólico. a punição é aplicad com um chicote de couro trançado. o cnute. A CASA DOS TORMENTOS Construída num subterrâneo. ocorreram . Nesta gravura vê-se o 'Suplício do Tronco'. tremiam mart¡rizadas as carnes dos hereges nus. onde o cheiro repulsivo do sangue humano e da carne queimada tornaram-se estigmas degradantes. Nesta estampa do século XVIII. 174 . V A CADEIRA INQUISITÓRIA A pobre vítima sofria indescritível agonia. mas visíveis a Deus . para ser interrogada.em segredo para os homens.O MÉTODO DO CNUTE Diante da frieza atroz dos Inquisidores. tinha todos os dispositivos para que os gritos lancinantes dos torturados não fossem ouvidos externamente.os mais abomináveis crimes cometidos na face da Terra. coberto de pregos afiados. `·> A PRENSA DE ESTICAMENTO Nos porões da tortura. local sinistro. rodeado de sombras. carregado de vibrações dolorosas e odiosas.

o prazer consistia em fazê-la sofrer uma dolorosa e lenta agonia.ARODAPARAO DESPEDAÇAMENTO Aqueles que tivessem a infelicidade de ser acusados de heresia pelos insanos inquisidores a serviço da Igreja Católica eram rotineiramente tratados com a máxima crueldade. A TORTURA DO REBENQUE A Inquisição não tinha interesse em eliminar a sua vítima. heroina dos exércitos franceses. Execrada publicamente como herética e feiticeira. Joana foi condenada e queimada viva em Ruão. que lhes dava seguramente um aspecto sinistro de ave de rapina e os tornava verdadeiramente hediondos. OS INQUISIDORES Ao presidirem os tormentos dos condenados. tornou-se mais uma das inúmeras vítimas da Inquisição. 176 Ì77 . Joana D'Arc (1412-1431). no ano de 1431. vestiam-se com longos hábitos negros e usavam um capuz ou chapéu em feitio de cone.

O TERROR DA ESTRAPADA Amarrada com mãos e pós às costas.de 1484 a 1492) 178 179 . O COLAR DE ESPINHOS Esta incômoda bijuteria fazia o pescoço. os ombros e a mandíbula gangrenarem. INOCÊNCIO VIII (Giovanni B a t t i s t a Cibo . os inquisidores não poupavam nenhuma parte do corpo. ACARDA Era usada para rasgara carne. as pernas ou as juntas da vítima eram despedaçados ou dilacerados pelos parafusos. que a Igreja Católica empregou nos tempos da Inquisição. a vítima era içada do alto de uma verga e precipitada várias vezes seguidas sobre uma fogueira. Este método de tortura. CAPÍTULO XXV O ESMAGA-JOELHOS Os braços. o que rapidamente causava septicemia e a morte da vítima. manteve-se como um espetáculo público por 500 anos e tirou a vida de milhares de pessoas inocentes.

. um lenitivo para suas mazelas espirituais. dos pobres ignorantes ou mesmo dos fanáticos alienados pelo ardor religioso.Corrupto. que muito lhe afligiam o corpo e a alma. buscando encontrar. O exemplo de Inocêncio VIII de lotear o Céu entre os devotos e admiradores rendeu-lhe bons dividendos financeiros e trouxe-lhe prestígio político e respeitabilidade perante os segmentos elitizados que o apoiavam. Seu principal passatempo consistia em visitar os muitos haréns que espalhara em pontos diversos de Roma — para onde se recolhia com suas concubinas e sua numerosa prole. mundano e mulherengo uinhentos anos antes das litigâncias em torno da questão de perdoar pecados em troca de dinheiro. 181 ) . especialmente os Mediei e os Bórgia. ambos detentores de grande parte da riqueza européia naquela tumultuada época. O l e i t o r f a c i l m e n t e e n c o n t r a r á aqui o u t r a s referências àquele embuste que serviu (e serve ainda hoje!) para tirar vantagens das viúvas. já vários papas haviam lançado mão da estratégia de venda de indulgências para mais facilmente encher os bolsos com o pecúnio arrecadado com a venda de moradas no Céu. em ambos.

ele multiplicou ofiíáos eclesiásticos e vendeu-os por vastas somas de dinheiro. Mas assim que se viu de posse da tiara papal.83 Prossegue Woodrow: "Inocênäo VTIIfoi eleito depois de haver jurado pelo que havia de mais sagrado que respeitaria os direitos dos outros cardeais. poderia ser considerada como uma tentativa de reformar a vida religiosa '.Woodrow afirma: " O Papa Inocênäo V7IIfoipaì de dezesseisfilhoscom várias mulheres.) Jì venda de indulgênáas transformou-se em um negóäo vergonhoso. Inocêncio quis livrar a cristandade de bruxas. declarou que o poder do Papa era supremo. através de uma bula — o resultado foi a morte de centenas de mulheres. 182 183 . nem mesmo deforma remota. /atem. cujo único crime era o de serem impopulares.101. que cumulou de honras e riquezas.85 P. (. p. Justo L Op. GONZALEZ. e que poria a Sé Romana em ordem. Ralph. c/f.APÍTULO XXVI ALEXANDRE VI (Rodrigo Borgia .d e 1 4 9 2 a 1503) 3 4 5 WOODROW.. Co/i/o numerosos outros papas... Op. Permitiu até touradas na Praça de São Pedra'`. Ele foi o primeiro Papa a reconhecer publicamente seus váriosfilhosilegítimos. c/f. sob a administração e a serviço de um de seusfilhos'''. e que por isso não preásava se sujeitar a nenhuma promessa. "Estafoi a única medida deste pontífice que. Franceschetto e Teodorina' dos dias de 'umajuventude licenáosa'.150. ou talvez um pouco excêntricas.. que não nomearia mais do que um da suafiamília. A The Catholic Encyclopedia menciona apenas 'dois filhos ilegítimos.84 E m 1484. p.

nenhum deles alcançou o nível de permissividade. que dirigiu a Igreja Romana de 1455 a 1458. depravação e lascívia atingido por Rodrigo Borgia. espoliá-las financeiramente e em seguida retirar-se apressadamente. Seu p o d e r o s o exército de mercenários tinha uma única finalidade: atacar cidades. objetos de manipulação d o p r ó p r i o pai. Três dos filhos de Rodrigo Borgia. de nacionalidade espanhola e n e t o d o Papa Calixto III. Seu filho César Borgia tinha fome de poder e sede de sangue.ou melhor. César. levando os frutos do roubo — como outrora fizeram Átila e suas hostes bárbaras. criminoso e amante da própria filha os trinta papas aqui historicizados. Giovanni e Lucrécia foram. Alexandre V I -. viveu toda a sua existência para o exercício da guerra. Alexandre VI escolheu o papado como trampolim para galgar os píncaros do poder político europeu. em toda a Europa. costurando alianças e acordos 185 . fazendo tremer as monarquias mais sólidas do Velho Mundo e tirar o sono dos grandes mandatários daquele t e m p o . . que os utilizava para desenvolver interesses econômicas. (Alfonso Borgia).Pervertido. perpetrando matanças sangrentas entre seus incontáveis inimigos. das trapaças políticas e das conspirações palacianas. durante muito tempo.

celebrando uma espécie de trégua que permitia a ambos prosseguir em sua senda de atrocidades. Enquanto isso suas concubinas. A.. o resto era facílimo. Alexandre era um homem forte e implacável. era só matar cada um que fosse nomeado e recolher os seus bens". em segredo. que vivia ¡ncestuosamente com a própria filha. este astuto seguidor de Maquiavel tinha as três principais virtudes animalescas de um político: sorriso de hiena. irmão de Giovanni e Lucrécia Borgia. mesmo se as descontamos. dado que desta forma. Op. pois tinha pouco apetite. 261-2. é corrupção 86 87 Jerônimo Savonarola (1452-1498) pregou contra a vida imoral do Papa Alexandre VI (Rodrigo Borgia). o papa estabeleceu relações. César Borgia (1475-1507). em banquetes que lhes ofereáa. Giovanni e Lucrécia Borgia.. em virtude de uma lei que ele próprio havia promulgado.. Mesmo nem sempre havendo inegável certeza da veracidade das piores histórias que se contam desta família — seus crimes múltiplos e seus incestos — o que restou. Ura assim que todos os cardeais nomeados por Æexandre VI eram escolhidos entre pessoas de fortuna. O Pontífice. Hipocritamente. N o comando da Igreja Romana.se.87 Enquanto toda a Europa tremia diante do avanço dos turcos. PORTO.. filho do Papa Alexandre VI. cheio de ódio. com o sultão Baiaceto. Conta-se que o povo dizia: "AlexandreJogafora as chaves.políticos pela via de conchavos matrimoniais entre o clã dos Borgia e as facções pró-Alexandre VI. "vendendo os cargos sagrados para se enriquecer. com o únicofimde lhes conquistar os bens (pois. esposas legais de alguns de seus subalternos. pp. Lucrécia Borgia. a Santa Sé era herdeira forçada de todos os prelados). que praticava em público todos os pecados capitais — exceto a gula. mandando-o à fogueira como herege. deram-lhe filhos que Alexandre reconheceu. Campos. os altares e até o Cristo. nomeando cardeais para envenená-los depois. cit. Alexandre VI adotou uma postura criminosa e parasitária. Com ele o papado chegou ao ponto culminante de sua corrupção. abraço de tamanduá e tapinha de leão. Os mais famosos foram César. E no fim das contas ele tem este direito. aplicando a lei que ele mesmo promulgara. pois os comprou". Lucrécia Borgia (1480-1519) filha e amante do Papa Alexandre VI. Idem I I 186 187 . resolveu livrar-se do monge incômodo.

pp. Rosa.. promoveu uma orgia de sexo no Vaticano que nãofoi igualada em terrível horror nos anais da história humana"?0 G¡ul¡a Farnese. com quem teve cincofilhos. L·ucréäa Borg¿a.. "Ele viveu em incesto público com suas duas irmãs e com sua própria filha. escandalizou a Itália. 43 anos mais nova que ele. antes de tornar-se Papa. enquanto cardeal e arcebispo.) Seu filho César.No dia de sua coroação.. estava de cama por causa da mesma doença — ou do mesmo veneno — e não pôde concretizar seus prq/etos" . de quem se di^_ que teve um filho. pp. e com afilha dela.8S -W Alexandre VI. 188 189 \ . que a historiadora inglesa Sarah Bradford descreveu como "úä¡mo amor da apaixonada vida de Rodrigo Bórgia". c/f. 150-1. Justo L ¤p..i<> sem limites. Alexandre morreu repentinamente — "Suspeitam os historiadores que depois de beber um veneno que tinha preparado para uma outra pessoa. Op. foi sua amante antes e depois de sua condução ao papado.101-2. Vano%%a Cattanei.) Em 31 de outubro de 1501.mil>u . "viveu em pecado com uma senhora de Roma. 3 Idem. Ralph.c . O relacionamento do papa com Giulia.89 Muitos consideram Alexandre VI como o mais corrupto entre os papas da Renascença. (. que tinha planos de se apoderar do papado quando o pai morresse.. ele designou seu filho — um jovem de temperamento vil e péssimos hábitos — como arcebispo de Valênáá" . WOODROW. (. Suas conspirações e suas guerras banharam a Itália em sangue e mancharam o papado de m o d o indelével. ä ä GONZALEZ. c/t.

CAPITULO XXVII LEAOX (Giovanni de Mediei .de 1503 a 1513) 191 .

o cargo de Arcebispo e.Passatempos voluptuosos e venda de moradas no Céu o m o e n v e n e n a m e n t o e a m o r t e de Alexandre VI (1503). membro de uma poderosa família de banqueiros florentinos (como Cosme e Lourenço de Mediei.. Uma de suas irmãs havia sido amante do Papa Alexandre VI — este aspecto vindo a facilitar a sua eleição para a Cadeira de São Pedro. finalmente termina a era dos pontífices imorais e fornicadores. nela permaneceu por apenas 2 meses. sendo eleito para a cadeira papalina o italiano F r a n c e s c o Todeschini Piccolomini. o de Cardeal. no momento de escolher o suposto Sucessor de Pedro.. aos 13. Leão X comprou. O trono papal foi então entregue ao também italiano Giovanni de Mediei. proporcionando à cidade de Florença poder e prestígio sem par. aos 8 anos de idade. Entretanto. adotando o nome Leão X. que passou a chamar-se Pio III. figuras exemplares do Renascimento). entre os altos escalões da burguesia européia — sequiosa como sempre de poder e cargos rentáveis (como 193 . os donos do vil metal acabavam por deter a palavra final.91 Através de expedientes infames como este. vindo a falecer em seguida. Usufruindo do privilégio de pertencer a uma família muito rica.

para posterior ressarcimento após a m o r t e .. um lugarzinho garantido.o de Cardeal e o de Papa). que permitissem a conclusão das obras inacabadas por seus antecessores de raposice... p. através de seus vorazes príncipes eclesiásticos. no Céu. Duas eram as fraquezas de Leão X: a caça ao javali e a promoção de festas sexuais regadas a álcool. alguns anos depois. foi ele quem açulou o movimento reformista iniciad< i em 1517 que tinha.. j WOODROW.. viria a assumir o pontificado romano. que poderiam figurar no Panteão dos Meliantes como meros inocentes. com o nome de Clemente VII . e. 103.. do outro.. sem esquecer alguns outros eminentes mandachuvas de Roma. Op. se comparados àquelas ratazanas abatinadas. D e Sérgio III (o Boca de Porco) a Alexandre VI. o privilégio de sentar-se ao lado da Virgem Maria.. 28). Leão X encontrou o tesouro do Vaticano em total bancarrota. Op. necessitava de mais recursos. no Vaticano. Leão X morreu em 1513 convicto de que. Henry H. ocasionando assim a divisão da cristandade ocidental entre católicos e protestantes..92 * Leão X passou aos anais da História como o Papa das IndulgênäetS\ em última análise. acompanhados po\ orgia e bebedeira"`. Giulio de Mediei foi o mesmo que se desentendeu com o adúltero Henrique VIII da Inglaterra. conversar com a jumenta de Balaão (Nm 22.691. Op. a Igreja Católica Romana.. indo captar fundos através da venda de indulgências (o perdão dos pecados). Diz a The CatholicEncyclopedia: "(Esse 91 mundan< > Pontífice) entregou-se sem restrições aos divertimentos que lhe eram jorneádos com pródiga abundânáa.i<> prazer (.. como Barrabás e Gestas. ao pôr-do-sol.. dos Gonzaga de Mâhtua. Para tanto. na segunda década do século XVI. r e c e b e n d o os seguintes benefícios: isenção total do Purgatório e do Inferno..já pesadamente sacrificados sob a volumosa carga tributária a eles imposta pela Igreja. Ralph. o monge agostiniano Martinho Luter< > e. c/f. escancarando as portas da Eternidade para quem quisesse investir qualquer quantia em vida. Leão X intentava prosseguir a construção da Basílica de São Pedro.) Gostava de dar banquetes e divertimentos caros. passear no jumentinho de São José pelos campos do Paraíso. 93 Leão X foi o único Papa que teve a coragem de vender abertamente 'terrenos' no Céu em troca de dinheiro. encontraria cada um daqueles a quem ele facilitara os meios de adquirir. pp. fazendo corar de vergonha em seus túmulos gatunos de renome na história. Ì94 195 `i . em vida. devido a um troca-troca de mulheres. As suas prioridades eram os assuntos relacionados ao poderio financeiro dos Mediei de Florença. dadas as constantes espoliações por parte de sucessivos papas corruptos — que violaram inescrupulosamentc i »l f cofres da Santa Sé e beneficiaram a si próprios no exercício de suas funções. p. ALMEIDA. por último. de um lado. rezar o terço em c o m p a n h i a de N o s s a S e n h o r a e dos demais Santos diariamente. onde o nome de Cristo em raramente pronunciado. 92 93 HALLEY. em troca do vil metal de Mamon. a ladroagem agiu sem restrições no papado. c/f. 58-65. Mas tais dificuldades financeiras não lhe diziam respeito: Leão X vivia nababescamente instalado em um suntuoso palácio no Vaticano. beijar o corpo chaguento de São Lázaro e os pés de Santa Maria Madalena. Abraão de. rodeado por uma corte licenciosa e lasciva. c/f... Outro Mediei. dos Montefeltro de Urbino. Ele foi possuído por um amor insanável . de Jesus Cristo e do castíssimo São José... Ao assumir o sólio pontifício. dos Este de Ferrara e dos Aragão de Nápoles. junto aos católicos da Europa .

CAPÍTULO XXVIII PAULO III (Alessandro F a r n e s e .de 1534 a 1549) 197 .

Junto a dois de seus companheiros. naquele momento. utilizando como armas as'falsasheresias de Lutero e Calvino — segundo eles. este Papa tornou-se conhecido como Paulo III. A Igreja Católica carecia. chamado Inácio de Loyola. Batizado com o nome de Alessandro Farnese. provenientes da Espanha. Paulo III recebeu no Vaticano a visita de um cavaleiro basco de 43 anos. mas também truculento e bastante disposto a enfrentar os protestantes que ameaçavam os alicerces da secular Igreja Romana. vinham eles a Roma em busca da aprovação da Companhia de Jesus por parte da Santa Sé — ou melhor. dois anticristos vindos do Inferno para destruir a Santa Doutrina do Salvador Jesus. a Santa (!) Igreja Católica transferiu o Trono de Pedro para um carniceiro cardeal italiano — comparável a Caim e a Genghis Khan. fundada com o exclusivo propósito de combater a Reforma Protestante encabeçada 199 .Queimando protestantes por prazer assados os turbulentos anos do pontificado de Leão X frente aos movimentos reformistas iniciados por Lutero no início do século XVI. Pedro Fabro e Diogo Laynez. da Ordem Jesuíta. Em 1534. de um Pontífice que fosse não só corajoso.

) Se eu for falso ou perfuro. depois que William foi traído por u m agente a serviço da satânica Santa (!) Inquisição. o laço. encontrai l( > no livro Congregaáonalde Relatórios.95 " (. por eles negadas. Sua imolação ocorreu na cidade de Antuérpia (Bélgica).362. Entre as incontáveis vítimas deste sanguinário Pontífice. anabatisl as. sem hesitar"..de 1545 a STOUFFER. muitas ainda em vigor em nossos dias. pelas dificuldades que enfrentou. Asmodeu.. Documentário: O Estado do Vaticano.. escalpar. Com este punhal molhado no meu sangue farei minha rubrica como testemunho1. podem. albigenses ou valdenses. Decretou ainda numerosas medidas para a disciplina eclesiástica. Ibidem.) Tudo farei para extirpá-los daface da terra..) e pelas entranhas da Santíssima Virgem. com o objetivo de intimidar a M 95 æ ação missionária dos pregadores evangélicos na Península Ibérica.. vejamos o conteúdo $ O Juramento dosJesuítas. capeta da morte e da destruição. superior da Ordem Geral dos Jesuítas (.) Quando não puderfa%er isso publicamente.) Farei arruinar. mesmo tendo queimado milhares de judeus. Sua sede de sangue nunca foi saciada. afa^erpicadinho dos protestantes que atravessassem seu caminho. afim de exterminar-lhes a raça". que da virtude maior tinha mesmo só o nome. protestantes e opositores políticos nas fornalhas do Santo Oficie > . 1992 ¤ 15 Idem. O Concilio de Trento. tendo condenado os erros protestantes e confirmado as doutrinas católicas. c o m o a polêmica obrigatoriedade do celibato aos sacerdotes. diante do Santo Papa. 200 201 . tendo durado 18 anos . o punhal e a bala de chumbo.por si só já uma perigosa arapuca. para dizimar as comunidades cristãs evangélicas da velha Europa e silenciar os inimigos do Vaticano. nem sexo... Farei arrancar seus estômagos e o ventre de suas mulheres e esmagarei a cabeça de suas crianças contra a parede.. cortar minhas mãos epés. São Paulo. Paulo III convocou ainda o Concilio de Trento. foi o mais longo e importante encontro de prelados católicos.. O espia seguiu-lhe os passos cautelosamente. não pouparei idade.. meu pai epìritual. usarei secretamente o veneno na châvena de chá... a corda de estrangular. em 1536.. Livraria Evangélica Reviver.. e que minha alma seja torturada pelos demônios para sempre no Inferno" ?b Paulo III foi o responsável pelo assentamento dos tribunais inquisitoriais na Espanha e em Portugal. em 1545. nem cor (. que diz: "Prometo.. e minha garganta de orelha a orelha. Inácio de Loyola e seus companheiros se comprometeram. minha barriga seja aberta e queimada com enxofre. figura o missionário inglês William Tyndale. morto na fogueira pelo crime de ter traduzido o N o v o Testamento do Latim para a língua inglesa. calvinistas.por Martinho Lutero no século XVI. (.`H "(. pelo teor dás decisões tomadas e influência gerada. estrangular e queimar vivos esses hereges. na presença de Deus e da Virgem Maria e de ti. estavam iodos votados ao extermínio.) Prometo e declaro que farei e ensinarei a guerra lenta e secreta contra os hereges (. até fazê-lo cair na armadilha da Santa Sé . presbiterianos. com a presença de 200 bispos. além de conceder indulgências plenas a quem 'descobrisse' um herege e o entregasse ao Tribunal do Santo Ofício para que fosse transformado em cinzas. à página 3. Paulo.. defender a doutrina contra os usurpadores protestantes liberais e maçons. A respeito. não sem antes sofrerem amargas sessões de tortura. não poupando quem quer que fosse — luteranos.o famigerado e satânico tribunal de sangue da Santa Sé. meus irmãos os soldados do Papa. Paulo III inspirava-se em seu mentor maior.

mas gerou frutos. bem como as carnes dos braços e coxas.). porque predisporiam as almas heréticas ao próprio salvamento das sombras infernais. Valendo-se da obra de John Wycl¡fT. humilhações e maus-tratos que a Inquisição fora sempre tão fértil em inventar. Entretanto. Luis de Carvajal e sua família são torturados pelo Tribunal da Inquisição no México. secretamente.. o que as vítimas padeciam era simplesmente tudo o que de mais indigno já foi dado ao gênero humano conceber. através da ação dos colonizadores. foi uma das milhares de vítimas de Paulo III. séc. a vítima confessava o que seus algozes desejassem. untá-las com azeite e chegá-las ao fogo lento. Esta grande obra sofreu intensa perseguição. 202 203 . este pavoroso suplício consistia em atrelar-se a vítima a um catre ou tronco e retalhar-lhe as solas dos pés. 1563. 221. afirmando os mandatários daquela execrável instituição que semelhantes tratos seriam. tal confissão significava a condenação à morte na fogueira. na mitologia paga. abri os olhos do rei da Inglaterra. ele acerbamente gritou: "Senhor. antes. deidades do dinheiro e da prosperidade.1" TORTURA NO CATRE Como revela a História. benemerentes. O pontificado de Paulo III teve reflexos negativos não só na América espanhola como também no Brasil.. mas torturavam até ao paroxismo do horror. Paulo III autorizou os sacerdotes e aventureiros exploradores a assarem os indígenas que se opusessem à conversão e ao batismo da 97 Biografia dos Papas. As vitimas sofriam vexames e insultos. Acossada em tais condições. os punhos eram retorcidos e deslocados. Entre os muitos dogmas então aprovados pela Madre Igreja encontravam-se "a missa pelas almas do Purgatório" e as duas 'visitas semanais da Virgem Maria' a essa instituição de utilidade penitencial (certamente com o fito de aliviar o calor das santas fornalhas. Tais calvários eram lentos e não matavam com rapidez. Antes de ser finalmente executado. homens cobiçosos e embrutecidos que obedeciam as diretrizes dos padres europeus e representavam os interesses dos mandatários da Espanha e Portugal — notórios seguidores dos mandamentos de Mamon e de Fortuna. pelos exasperados sofrimentos. Muitos outros suplícios atrozes eram também praticados. e as solas dos pés queimadas com tenazes em brasa. para sofrimento dos milhares de vítimas que fez durante séculos. 97 . detalhe de uma gravura de El Libro Rojo. traduziu para o Inglês o Novo Testamento e enviou centenas de cópias à Inglaterra. XVII... p.William Tyndale (1484-1536). após a morte. Os infelizes tinham as unhas e os dentes violentamente arrancados.

cruz de benzedor e ritual para amarração. que espalhavam não só o terror em alto-mar contra os navios mercantes. 53. Os sacerdotes católicos dispunham das principais ferramentas para a abertura e fechamento daquelas três instituições de procedência divina.de 1 5 7 2 a 1585) CRISTIANI. a única possuidora das chaves do Purgatório. 98 GREGÓRIO XIII (Ugo B o n c o m p a g n i . incenso. c o m o tantos o u t r o s antecessores seus. novos'. p. de haver contribuído. do Céu e do Inferno. di. como água benta. entre outras feitiçarias.ii(>min. que bem receberá os míseros seguidores de L·utero e Calvino"`.ulc>:.Os judeus. mas também a heresia protestante. Monsenhor."'. usando uma túnica denominada sambenito. Paulo III recomendara aos padres missionários. dizia o Santo Padre. à América Espanhola e ao Brasil.'i:nsl. "fechem asportas do Purgatório e as do Céu. com seus infames tribunais de inquisição e suas ardentes fogueiras.:* f:' . Flamboyant. "Para tais adversários". é retratado um condenado pela Inquisição Espanhola. ostensório. vestidos grotescamente e empunhando tochas. deixando abertas somente as do Inferno.. Nesta gravura francesa do século XVI. que não dessem tréguas aos inimigos de Roma àquela época — os huguenotes franceses e seus terríveis corsários. Breve História das Heresias. c o n v i c t o . enviando para qualquer dos três quem bem entendesse. enviados junto com os colonizadores ao Novo Mundo. defumadores. conservada na Biblioteca Nacional de Madri.98 CAPÍTULO X X I X Paulo I I I faleceu em 1549.. que servia'pãra diferenciá-lo dos demais cristãos. para o engrandecimento da Igreja Católica Apostólica Romana e para a ruína de seus opositores.„«i'`*`" '. . 204 205 . 1962.‰¾ Igreja de Roma. eram obrigados a suportar penitências públicas humilhantes.u>:.

n o m e dado aos crentes da França. pp. devido a ferimentos sofridos numa competição. agora o rei Francisco II. o rei Henrique II (que havia sucedido ao pai. milhares deles se reuniram em Paris. Entretanto. instigado pela família Guise. muitos membros do movimento pró-reforma dentro da Igreja Católica culminaram por aderir ao protestantismo. Por volta de 1560. Seu filho e herdeiro. renovou o edito que previa a pena de morte para os protestantes renitentes. Henrique II morreu algumas semanas mais tarde. 1997.Patrocinador da Matança de São Bartolomeu ansados de esperar por mudanças. que cada vez mais se tornavam ativistas. 99 DESPERTAI. por exemplo. Suas reuniões públicas eram fonte de provocação e antagonismo. para cantar salmos. em Paris. Tudo isso irritava os poderosos príncipes da Santa Igreja. bem como às massas de católicos. E m 1558. Francisco I) promulgou em junho de 1559 o Edito de Ecouen. Seu objetivo declarado era "erradicar a infame gentalha luterana"?9 Tal decisão desencadeou uma campanha de terror contra os huguenotes. Watchtower Bible and Trad Soc¡ety of Pennsy!vania e Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Instigado pelo cardeal Carlos de Lorena. numerosos aristocratas franceses e seus a p o i a d o r e s juntaram-se aos huguenotes. 5-9. durante quatro dias seguidos. 207 .

que reuniu teólogi ia católicos e protestantes e no édito publicado em janeiro de 1562. perto de Paris. em março de 1560 (segundo gravura de Périssin). Idem. a política de reconciliação de Catarina não agradava aos Guise. governou em lugar do irmão de Francisco (Carlos IX. qui contava somente dez anos de idade). simplesmente pelo fato de se E m 1567. com intenções pacificado 11 Contudo. era condenassem cidadãos professarem huguenotes. uma tentativa huguenote de sua mãe. que ceifou 6. 208 \ 209 . A Pa% de Amboise (assinada em março de 1563) concedeu aos huguenotes nobres certa liberdade para a realização de cultos em alguns lugares predeterminados. foi o estopim da segunda A execução dos conjurados de Amboise. de 1562 a meados da década de 1590. que mergulharam a França num horror de matanças mútuas. E m 1561. em dezembro de 1562. pôs fim à primeira guerra religiosa. As primeiras três guerras A chacina de Vassy desencadeou a primeira de uma série de oito guerras religiosas. (!atarina dl Mediei. que estavam decididos a erradicar o protestantismo. Catarina.000 vidas. seqüestrar o rei Carlos IX e 100 A satânica rainha francesa Catarina de Méd¡c¡ e seu filho Carlos IX. "a segunda guerra foipreãpitadapelo temor dos huguenotes de uma conspiração católica internacionaí\ diz The ÌS¡eu> Encyclopedia Britannica}m N a q u e l e t e m p o .Francisco II veio a morrer no ano seguinte e sua mãe. Os católicos ficaram furiosos e assim preparou-se o cenári< > para o triste evento que veio a ocorrer dois meses depois: o massacre de um grupo de protestantes num celeiro da aldeia de Vassy. E m b o r a houvesse também questões políticas e sociais em jogo. ela concedeu aos protestantes a liberdade de se reunirem para cultos fora das cidades. Entretanto. os principais algozes do sangrento episódio da Noite de São Bartolomeu. o banho de sangue tinha como motivação primária a religião. A Batalha de Dreux. conforme nos revelou a passagem da História. c o m u m que os magistrados católicos à forca. Catarina organizou um seminário em Poissy. algum tempo depois.

que faz o que sempre fez: saúda o vencedor. Estas quatro personagens foram os principais mentores do Massacre de São Bartolomeu. 2ll . que provocou a morte de 70 mil protestantes franceses em 24 de agosto de 1572. mas também do vulgo. vocifera injúrias junto ao patibulo do que morre mártir por ele. em que milhares de protestantes foram mortos pelos reis católicos franceses (gravura do Musée Cantonal des Beaux-Arts.Pio IV PioV ¾ ¾ Massacre da Noite de São Bartolomeu. Lausanne) Cardeal Carlos de Lorena Desenho em que é satirizada a cumplicidade não só do clero romano. sem perguntar de onde veio. nem para onde vai. quando esta passa cercada de pompas que o deslumbram. ou aplaude a tirania...

N a noite de 24 de agosto. sob a Paz de Amboise. os h u g u e n o t e s foram . os protestantes ameaçaram tomar medidas duras de retaliação. incluindo o porto de La Rochelle e um importante príncipe protestante (o almirante de Coligny) foi nomeado para o conselho do rei. nascido no Rio de Janeiro. O 101 Antônio José da Silva. Massacre na N o i t e de São Bartolomeu Cerca de um ano depois. E m uma reunião secreta. se assim se pode dizer. Depois de mencionarem uma batalha especialmente sangrenta em Saint-Denis. N u m subseqüente tratado de paz. Lá permaneceu durante sete meses. irrompeu a terceira guerra. do outro lado do Louvre. 212 213 . Miguel Servet (1511-1553) Uma das principais vítimas do sangüinário João Calvino. sua condenação à fogueira pela Igreja Católica iniciou a perseguição aos cientistas no séc. Antônio da Silva era judeu brasileiro. Ibidem. nos arredores de Paris.. quando saía do Palácio do Louvre a caminho de casa. os historiadores Will e Arid Durant escreveram: "Mais uma ve% a França se perguntava que religião era aquela que levava os homens a tal morticínio"}{)X Mais à frente. o jovem rei Carlos IX. Margarete de Valois — a 'rainha Margot'.. Furiosos. caso não se fizesse justiça rapidamente. recusaramse a cumprir os termos da paz. o almirante Gaspar de Coligny sobreviveu a um atentado em Paris. revoltados.. Teve. foi encarcerado em Lisboa. os sinos da igreja de Saint-Germain-LAuxerrois. Os católicos novamente se enfureceram.. a Paz de Longjumeau devolveu aos huguenotes a relativa tolerância de que eles já desfrutavam antes. sua mãe Catarina de Mediei e vários príncipes. em março de 1568. guerra. O duque de Guise e seus homens invadiram o prédio onde Coligny dormia. decidiram eliminar Coligny. e seu corpo foi mutilado. em 22 de agosto de 1572. XVII. ordenaram também a morte d e todos os protestantes que haviam chegado a Paris para assistir ao casamento do protestante Henrique de Navarra com a filha de Catarina. até que no dia 17 de outubro de 1739 veio a saber que seria executado no dia seguinte. Coligny foi morto e atirado pela janela.488 penitenciadas. Giordano Bruno (1548-1600) Filósofo e astrônomo. a sorte de ter sido garroteado antes de ser levado à fogueira. cerca de 140 pessoas foram queimadas vivas (20 em efígie) e 3. o 'Judeu' (1705-1739) Acusado de heresia pela Inquisição Portuguesa. contudo.. traduziam ou mesmo apenas possuíam a Bíblia entre seus pertences. em setembro. favorecidos com concessões ainda maiores: cederam-se-lhes cidades fortificadas. Assim. Só no Brasil. através das perseguições e execuções dos que liam. Os católicos. deram o sinal para o início do massacre.. Para evitar represálias.A religião da cristandade Incorreu em pesada culpa pelo derramamento de sangue promovido. entre 1721 e 1777.

a maioria dos historiadores assente em que foram pelo menos 50. tornou-se o rei Henrique IV. os parlamentares. em agosto de 1589. onde o povo. Dois meses depois do massacre da Noite de São Bartolomeu. Henrique de Navarra (protestante). os governadores e os capitães deram o exemplo — e as massas de católicos os seguiram. houve uma aliança de Henrique III (católico) com seu futuro sucessor.000.000 mortos. que trazia os dizeres: "O Papa aprova a morte de Colignj". Henrique de Navarra. clérigos católicos exortaram seus seguidores: "Matai a todos. até mesmo matavam.. Ibidem. ()nde excediam aos católicos em número.104 P o r m e i o de v i o l e n t a r e p r e s s ã o o rei. A ultra-católica cidade de Paris.. Mas como Henrique IV era huguenote. aos 23 anos de idade. destruíam imagens. Paris recusou submeter-se a ele. no massacre da Noite de São Bartolomeu. conhecida como a Guerra dos Três Henriques. `º2 Idem. Findaram assim as guerras religiosas francesas. Outras cidades também tiveram seus próprios banhos de sangue. "" Idem. declarou J o ã o Calvino. Ordenou também a cunhagem de uma medalha especial. para apoiar os católicos.duque católico bradava: "Mataia todos!E ordem do r«V'. Coroado em 27 de fevereiro de 1594. 104 Idem. comemorativa da matança dos huguenotes e autorizou a pintura de um quadro do massacre. em seu panfleto Déclaration pour maintenir Ia vrayefoy (Declaração para a manutenção da fé verdadeira). liderada por Henrique de Guise. saudou-o como rei. Assim. depois de mais de 30 anos em que católicos e protestantes periodicamente mataram-se uns aos outros.102 Ao saber da matança. pilhai. contudo. Alguns chegaram afirmar que as águas do Sena tingiram sé de vermelho com o sangue dos milhares de huguenotes assassinad< >s.m O rei francês morreu em 1574. Henrique IV baixou o histórico Édito de 105 Mais guerras religiosas Naquele ínterim. o Papa Gregório XIII ordenou uma cerimônia em ação de graças e enviou congratulações a Catarina de Mediei. As estimativas variam entre 30. a Santa Liga Católica. 105 Seguiram-se mais quatro guerras religiosas. contra Henrique de Guise (católico).1" . Os católicos formaram um governo de oposição. considerado conciliador demais c o m relação aos huguenotes. com o tempo. o líder d o protestantismo francês. Carlos IX alegadamente teve visões de suas vítimas e bradava para sua enfermeira: "Que mau conselho segui! O meu Deus.. Finalmente. Henrique entrou em Paris. "Deus não quer que nenhuma cidade ou pessoa seja poupada". o próprio Henrique III foi assassinado por um monge dominicano. cenas de horror continuaram a macular as rua8 de Paris.000 a 70. somos vossos pais. ele decidiu renunciar ao protestantismo e converteu-se à Fé católica. concedendo aos huguenotes plena liberdade de culto em toda a França. perdoai-me. "Umfato tão macabro quanto o próprio massacrê\ disse um historiador. e foi sucedido pelo seu irmão. E m Toulouse. a população católica continuava a ser instigada pelos seus líderes contra os huguenotes. totalmente cansado de guerras internas. Henrique III fez com que Henrique de Guise fosse assassinado. `·» Ibidem. E m 13 de abril de 1598. na oitava guerra. Henrique ganhou várias batalhas. deram início à quarta guerra religiosa.. revoltou-se e expulsou H e n r i q u e III.. A Santa Liga Católica organizou oposição armada. Contudo. "foi a alegria que ele suscitou"."" Daquela tl( > i • i até o dia 29 de agosto. crucifixos c altares em igrejas. mas quando um exército espanhol chegou à França. Nós vos protegeremos". c o m u m a c o r d o de paz assinado pelo rei H e n r i q u e I I I .. os huguenotes retaliaram. Henrique III. mas. A quinta terminou em 1576. 214 215 . em todo o país. Depois do massacre. que havia sido poupado 17 anos antes.

cit. perpetrada em agosto de 1572. concretizado naquela trágica noite de 24 de agosto. Os verdadeiros provocadores do Massacre de São Bartolomeu Depois da matança no celeiro de Vassy em março de 1562. o duque Francisco de Guise. Gaspar de Coligny . Segundo o Papa. 114.macabro sonho. chegou ao século XVII bastante diminuída em número. 216 2Ì7 . cit. A população protestante. A Igreja não descansou até que. contra os huguenotes.º 1 das divergências entre católicos e protestantes (huguenotes) e principal conspirador da carnificina de São Bartolomeu. acharam que o édito violava a promessa feita por Henrique de apoiar o seu credo. 1559-1565). levando a revoltas de camponeses. seqüestrada com exigência de resgate. tendo o Papa Gregório se deslocado em procissão à igreja de São Luís em sinal de gratidão a Deus e à Santa Virgem.Nantes. logo após o massacre daqueles irmãos. Seu comparsa de iniqüidades. Gregório XIII ordenou que a casa da moedapapal confecáonasse vários camafeus de metal comemorando o terrível acontecimento. Foram os precursores do que tem sido denominado orientação anticristã.108 Frutos das guerras E m fins do século XVI. ¤p. As moedas mostravam um anjo com a espada numa das mãos e uma cru^ na outra. Aparentemente. por seus protetores infernais. Cansados de toda a matança em Seu nome. corte papal recebeu a notíäa com imensa satisfação. com o horror nasfaces.. dadas as provocações e os insultos maquinados por um grupo de celerados criminosos dirigido e orientado pelo terrível cardeal de Lorena. no decorrer de seus mandatos. estava fugindo}09 As palavras Ugonottorum Stranges 1572 (que significam . 107 Entre 1562 e 1572. Op. saqueada. Antônio Chislieri (Pio V. que autorizava a liberdade de consciência e de culto aos protestantes. os católicos haviam vencido as Guerras Religiosas Francesas. o luäférico cardeal Carlos de Lorena.. ou devastada. pois concedia liberdade de consciência a todos.. pp. sendo ambos confortados. Mas. continue o imundo ainda sendo imundo. Idem. esses dois papas das trevas.. o Carniceiro deMeritidol. o edito foi "a pior coisa que se poder/d imaginar. o atiçador n. 124-28. ALMEIDA. a coisa mais terrível do mundd``'. p. Metade do teino fora sitiada. conspiraram silenciosamente nos corredores do Vaticano para o extermínio dos huguenotes e de seu principal líder.¿4 matança dos huguenotes 1572) foram inscritas naquelas moedas. diante de quem um grupo de huguenotes. 1565-1572). a cabeça do pastor Coligny foi enviada a Roma e recebida com grande alegria por Gregório XIII e sua cúpula satânica. sucessor do sanguinolento Pio V no Trono de Pedro. Luís XIV revogou o Édito de Nantes. Os soldados exigiam demais do povo. 106 "A. diabolicamente. muitos franceses se tornaram acessos a qualquer religião. Para tais iníquos. 11) Idem. Carlos. teria Deus abençoado tal vitória? Evidentemente. não. dizimada por sentenças de morte.). mais ou menos um século depois. WOODROW. continue o justo na prática da justiça e continue o santo a santificar-sê\ (Ap 22. iniciando nova perseguição. os ódios entre católicos e protestantes acirraram-se a tal ponto que as perspectivas de uma sangrenta guerra entre os dois lados eram iminentes. massacres. a prosperidade da França encontrava-se em declínio. em toda a França. presidente da Liga Católica francesa e o retalhador de carne humana Gregório XIII. as Santas Escrituras recomendam: "Continue o injusto fazendo a injustiça. Abraão de. celebrando uma missa em ação de graçaspor tão gloriosa matança. acompanhavao nessa maldita caminhada. irmão do duque de Guise (e provável conselheiro de Satanás nos assuntos demoníacos do Inferno. A corja de assassinos compunha-se dos seguintes malfeitorel¦ Giovanni Ângelo de Mediei (Pio IV. Há quem afirme que. exílios e retratações. desta vez ainda mais acirrada.106 Os católicos. Ralph.

de 1939 a 1958) .CAPÍTULO XXX PIO XII (Eugênio Pacelli .

os filhos de Israel. Durante a Segunda Guerra Mundial. a Guerra úncio na Alemanha. p o r renomados escritores. I n ú m e r a s o b r a s foram e c o n t i n u a m sendo publicadas. seria. contudo. secretário de Estado de Pio XI — a quem sucedeu em 2 de março de 1939. a partir de 1944. sobretudo judeus. definiu como dogma a Assumpção da Virgem Maria. Pio XII assistiu de braços cruzados ao morticínio de 6 milhões e meio de irmãos semitas diante do Moloch 221 .Filhote do nazi-fascismo e cúmplice da matança dos judeus na 2. que fechou os olhos para o sofrimento do povo mais perseguido de toda a História humana. é acerbamente criticado pela maioria dos historiadores e outros estudiosos devido à sua omissão durante o extermínio de mais de 6 milhões de judeus pelas tropas do sanguinário ditador Adolf Hitler durante a 2. a Grande Guerra Mundial. desde então. E m 1950. Pio XII. cardeal em 1929. Pio XII concedeu asilo a numerosos refugiados. a c u m u l a n d o n o v a m e n t e a função de secretário de Estado. N o plano doutrinai e disciplinar. de 1939 a 1945. criticado por seu 'silêncio oficial' diante das atrocidades nazistas. sobre o polêmico Papa de l·îitler. até hoje. Pio XII tornou-se. mostrou-se fiel à linha tradicional da Igreja Católica Romana. um Pontífice autoritário. Pio XII.

As provas são abundantes nos arquivos históricos da diplomacia do Vaticano nas últimas seis décadas do século XX. de 1933 a 1945. Esta cumplicidade auxiliou no fornecimento de passaportes falsos a assassinos como Adolf Eichmann. chegando a provocar äúmes na irmã do Pontífice na%i-fasästa. Mesmo assim no decurso da História. como pudemos constatar em inúmeras passagens desta obra. sua camareira e confidente de longos anos (antes e depois de sua eleição para o pontificado romano).hitlerista e nadaJez para ímpedí-lo — pelo contrário. perdendo em termos de duração no poder apenas para o Papa João Paulo II (que no ano 2000 completou 22 anos de pontificado à frente do Vaticano. 21. e também: "Não cobiçarás a casa do teu próximo" (Êx 20.. Rio de Janeiro. principalmente no que se refere à sua vida privada com uma possível amante. E não há quem possa negar que a Santa Igreja Romana conhece. Margareth Thatcher. caso a CORNWELL. os países mais poderosos da Terra) para desestabilizar 1. Imago Editora. ao afirmar que "a freira PasqualinaL·ehnert. São Paulo. ou seja. 2000. de 1939 ao ano 2000. `" ALMANAQUE ABRIL.. Ante Pavelic. bem como Portugal e Suécia). como ninguém. que acompanhou Pio XII até a morte. 108 e 127-8. nem sempre foi respeitado o direito do semelhante. que fugiram para países como Argentina. o plano era dividir tudo que fosse confiscado dos judeus entre o Reich nazista e o Vaticano. participando quase diariamente das decisões governamentais do ditador alemão. Alemanha ganhasse a guerra. François Mitterrand.110 Pio XII governou a Igreja Católica por 19 anos. que advertem: "Não furtarãi" (Êx 20. Helmut Kohl e Mikhail Gorbachev.. Esta opinião é expressada pelo historiador católico inglês John Cornwell. c o m c o m p r o v a ç õ e s d o c u m e n t a i s que envolvem autoridades seculares e religiosas de vários países simpatizantes. sendo atualmente reclamado judicialmente por parentes das vítimas do nazismo. que residiram em São Paulo.111 O polonês Karol Wojtyla (João Paulo II) foi recrutado pelo Grupo dos Sete (G-7. quando ausente da presença de seus bens. 222 223 . tal coisa não aconteceu. Pio XII também colaborou com Hitler na transferência do ouro roubado aos judeus para os cofres da Suíça (que entretanto mantevese neutra. hospedeiro de Joseph Mengele e Gustav Franz Wagner. a ele agradecidos pelos relevantes serviços prestados na derrocada do agonizante comunismo soviético). através da chamada Operação Odessa. cultivando excelente credibilidade não só entre os católicos do mundo. a freira alemã Pasqualina Lehnert. os mandamentos do Decálogo. tanto quanto a Santa Sé — favor/avel à ideologia nazi-fascista. mas também entre os grandes estadistas do século XX. 1995. Sua omissão é quase imperdoável. Walter Rauff.0 7 Pio X I I freqüentou o círculo íntimo de amizades de Hitler. filha da parceria entre a Santa Sé e três de seus devotos filhos: Hitler. pp. 499 e 556. por força de suas atribuições como Núncio de Pio XI durante a ascensão do Terceiro Reich teutônico. como Ronald Reagan. já que também foi cúmplice da fuga de vários criminosos de guerra nazistas para a América Latina.. Segundo a opinião crítica de alguns historiadores. 17). 15). O Papa de Hitler: A História Secreta de Pio XII. O tesouro permaneceu oculto nos bancos daquele país até bem recentemente. pp.." ed. John. Bolívia.fidelíssima governanta. que instituiu uma organização obscura de coloração nazi-fascista. Felizmente. Paraguai e Brasil — este último. Muita lama tem sido jogada na pessoa de Pio XII. apoiou a política e o programa de extermínio da raça judaica pelo governo do Terceiro Reich alemão. Mussolini e Franco. carnais ou platônicas"`. Klaus Barbie e tantos outros. Editora Abril. teria tido relações amorosas com esse Papa.

lldefonso Schuster, arcebispo de Milão e colaborador de Pio XII, repassou, entre 1929 e 1945, milhões de dólares para o governo de Hitier, através do agente secreto Guido Zimmer. O dinheiro enviado para a Alemanha serviu para acelerar o processo de dominação da Europa pelos exércitos do Führer. Mussolinifirmandoo Tratado de Latrão com altos funcionários da Igreja, obtendo o apoio do clero católico para a Itália fascista em 1929. A al¡ança-erttre"o Vaticano, Mussolini e Hitier foi selada no início dos anos 30, com a assinatura da Concordata Religiosa (1934).

Pio XI (1857-1939) recebe no Vaticano o ditador nazista Adolf Hitier, para consolidar o pacto entre a Igreja Católica e o Terceiro Reich.

Pio XII nos altos círculos do nazismo alemão em 1938, quando exercia a nunciatura apostólica.

A Ideologia nazista adotou um 'cristianismo positivo', que juntou todas as religiões na igreja do Novo Reich. Poucos lhe opuseram resistência. Nas fotos: dois bispos católicos (acima), e um bispo evangélico (ao lado), fazendo a saudação hitlerista a figurões da alta hierarquia governamental da Alemanha. Lamentavelmente, tanto Católicos quanto Protestantes apoiaram o nazi-fascismo.

Hitier e Cesare Orsenigo, núncio apostólico do Vaticano no dia de aniversário do ditador, em 1939.

A freira Pasqualina Lehnert, fidelíssima governanta que acompanhou Pio XII até à morte, chegando a provocar ciúmes na irmã do Pontífice nazi-fascista. Segundo o livro O Papa de Hitier: A História Secreta de Pio XII, do católico inglês John Cornwell, a referida freira teria tido relações amorosas com Pio XII, carnais ou platônicas.

/
224 225

0 pseudo socialismo do leste europeu, começando poi sua l e m II.M.II. i Pi ilônia, que se desvencilhou das garras do Urso Vermelho e deu 11 1 H >ntapé inicial para que as repúblicas da URSS lhe seguissem o exempl< > c` apressassem o rompimento com o Bloco de Moscou e seus arrogantes ( amaradas. A maioria dos católicos do mundo talvez ainda não tenha claramente percebido a brilhante jogäda^do^poderoso G-7, no que se referiu à escolha de João Paulo II para o trono papal em outubro de 1978. A estratégia consistiu em buscar reforços para melhor desferir o golpe de misericórdia no moribundo comunismo soviético, já combalido pelas iniciativas de Mikhail G o r b a c h e v (as f a m o s a s glasnost -transparência e perestroika—1&constxu.ç2.0), pondo fim à Guerra Fria entre russos e americanos no raiar da década de 90. A nomeação de um cardeal do mundo comunista para o comando supremo do Vaticano era de muita importância para atenuar as tensões do bloco da chamada Cortina de Ferro e abrir os canais de negociação entre Ocidente e Oriente, no intuito de extinguir a corrida armamentista que nutria a Guerra Fria e dar início à tentativa de coexistência pacífica entre as duas maiores superpotências. A visita de João Paulo II à Polônia, sua terra natal, visou otimizar a eficiente cruzada mundial em favor do fim das divergências ideológicas entre soviéticos e americanos, possibilitando a abertura da Rússia aos países de economia capitalista, como realmente temos visto acontecer, )oão Paulo II colaborou, assim, de modo relevante na destruição do c o m u n i s m o soviético, c o n f o r m e intenção do G-7, t r a z e n d o o capitalismo selvagem, c o m a n d a d o pelos Estados Unidos e seus principais parceiros, para uma posição unilateral e privilegiada - ou seja, cantando de galo sozinho... O que dirá dele o futuro?...

226

•. brios do Vaticano :m ÏAI'A\IJIII ¡NVll·:i,uNliAMM A IIIIMANIHAIH

'

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ALMANAQUE ABRIL Editora Abril, São Paulo, 1995. ALMEIDA, Abraão de. A Reforma Protestante. Editora CPAD, Rio de Janeiro, 1983. ANDERSON, Roy A. Revelações do Apocalipse. Casa Publicadora Brasileira, Talui. 1988. ASLAN, Nicola. História Geral da Maçonaria: Período Operativo. Aurora, Rio de Janeiro, s/d. Biografia dos Papas. Editora das Américas, Vol. XVII, São Paulo, 1952. Brasil: Nunca Mais. Vozes, Petrópolis, 1985. CAIRNS, Earle E. O Cristianismo Através dos Séculos. Edições Vida Nova, São Paulo, 1992. CORNWELL, John. O Papa de Hitler: a História Secreta de Pio XII. Imago, Rio de Janeiro, 2000. CRISTIANI, Monsenhor. Breve História das Heresias. Livraria Editora Flamboyant, 1962. DESPERTAI! Revista da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, EUA, 1997. D 'OLIVEIRA, Ernesto Luiz. Roma, a Igreja e o Anticristo. Empresa Editora Brasileira, São Paulo, 1930. DURRELL, Lawrence. Papisa Joana. Record, Rio de Janeiro, 1954. ESTEPE JR., W.R. João XXII e o Papado. Casa Publicadora Batista, Rio de Janeiro. GONZALEZ, Justo L. A Era dos Altos Ideais. Edições Vida Nova, São Paulo. GONZALEZ, Justo L. A Era dos Sonhos Frustrados, vol.5, Edições Vida Nova, São Paulo, 1989.

229

WHAREY. Säo Paulo. Santo André. Henry II.Um Comentário ibrcviado da Bíblia EdiçÕes Vida Nova. Rio de Janeiro. Casa Publicadora Brasileira. Manual Bíblico . Imprensa Metodista. Pe. TRANQÜILO. Livraria José Olympio Editora. O Grande Conflito. 1966. Anita. Babilônia: A Religião dos Mistérios . David S. Os Grandes Líderes . Editora CPAD. São Paulo. Álvaro: História da Igreja. Livraria Evangélica Reviver. STOUFFER. 1971. Thiago. Aníbal Pereira dos. Maurice.César Borgia. 1957. A Igreja Católica e a Maçonaria. Editora Pioneira. 230 . Lisboa. Ediouro. Nl·`AÌROMONTE. 1981. Rl·`IS. s/d. Nossa Crença e a de Nossos Pais. Alcides Conejeiro. ^- II \Nl·`.'). O Santo que Anchieta Matou. São Paulo.// // / /. SC `HAFF.)¦ John. 1988. 1994. Caio Suetônio. Ralph Woodrow Evangelistic Association.RES. Rio de Janeiro. WHITE. 1998. São Paulo. História dos Papas. Rio t/c Janeiro. A Vida dos Doze Césares. Rio de Janeiro. P( >RTO. 1973. Aurora. Livraria Evangélica. EUA. 1873. Helen G. I K `IIATRE. A Inquisição e os Instrumentos de Tortura da Idade Média. 1964. História dos Judeus em Portugal. 1992. Paulo. WOODROW. N()V¡NSKY. Documentário: O Estado do Vaticano. Ralph. Rio de Janeiro. São Paulo. s/ d. Compêndio de História Eclesiástica. I `I``. Edições Caminho de Damasco. 1949.Antiga e Moderna. Nova Cultura. Campos. A. São Paulo.