P. 1
Salmo 139 - Estudo

Salmo 139 - Estudo

|Views: 16.280|Likes:
Publicado porELI ROCHA SILVA

More info:

Published by: ELI ROCHA SILVA on Feb 13, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC or read online from Scribd
See more
See less

07/08/2013

SALMO 139 I – O DEUS ONISCIENTE 1 Senhor, tu me sondas, e me conheces. “Tu me sondas e me conheces (yada)”.

O salmista tem consciência de que Deus sabe tudo a seu respeito. O Senhor penetra até o íntimo do ser. As sondas petrolíferas vão até os lugares mais profundos em busca de petróleo, pois não o acharia na superfície. Assim (Muito mais!) o Senhor nos examina e nos investiga, minuciosamente. 2 Tu conheces o meu sentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Deus sabe quais têm sido as nossas atividades diárias. Ele não precisa estar perto para conhecer todos os nossos pensamentos; a distância não limita a sua atuação. Nós, nem grudados ao nosso cônjuge saberemos o que ele pensa. 3 Esquadrinhas o meu andar, e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos. “Esquadrinhas o meu andar, e o meu deitar”. Espalhar, compassar (v.t. Medir a compasso. / Dispor simetricamente; traçar com exatidão, joeirar (v.t. Agitar (o trigo) numa joeira, para separá-lo do joio. / Fig. Escolher, separando o bom do mau; selecionar). Deus conhece cada passo que damos (antes de os darmos). Ver Lc 22.31 e Dn 12.4. “Conheces (sâkan) todos os meus caminhos”. Todos eles Lhe são familiar. Tem informação sobre todos eles. Nenhum caminho escapa à visão do Senhor. Trata-se de um conhecimento pessoal, próximo, íntimo (Ec 12.14). 4 Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces. Antes mesmo de começarmos a falar qualquer coisa, Deus já sabe, já conhece (yada). Presciência divina: conhecer antes. 5 Tu me cercaste em volta, e puseste sobre mim a tua mão. Nada que diga respeito a nós escapa do conhecimento do Senhor. Por nos conhecer bem, conhecer os nossos caminhos, Ele mesmo nos protege (Dt 33.27): “Deus está acima, abaixo e adiante de Seu povo, como um refúgio eterno” (Bíblia Anotada Pg. 284). 6 Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim; elevado é, não o posso atingir. Por mais que nos esforcemos, nunca atingiremos o conhecimento completo das coisas sobre Deus (Is 55.8,9 Jó 42.3 Sl 131.1). II- O DEUS ONIPRESENTE 7 Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? Jonas pensou que podia fugir da presença de Deus (1.3). 8 Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também. Deus não está limitado ao tempo ou ao espaço; do ventre do abismo Jonas orou ao Senhor (2.2). 9 Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar,

10 ainda ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. 11 Se eu disser: Ocultem-me as trevas; torne-se em noite a luz que me circunda; 12 nem ainda as trevas são escuras para ti, mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa. Nada está encoberto aos olhos do Senhor. As coisas feitas na escuridão o dia a declarará. Para Deus não existe nada às escondidas. III – O DEUS CRIADOR 13 Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. O homem é produto do ato criador de Deus. Por criá-lo, Deus tem sobre ele todo o direito. A palavra para formaste (criaste), na maioria dos textos onde aparece tem o sentido de comprar. Criados ou comprados, somos Dele. “Entreteceste-me”, nos faz lembrar o tecelão, que tece fio a fio. No caso aqui, pele sobre pele, nervo sobre nervo, músculo a músculo. Foi uma delicada criação (NLIT - New Living Translation). 14 Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. O salmista ressalta o modo maravilhoso, assombroso, que nos faz reverentes diante de Alguém com tal capacidade criativa: Deus. 15 Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e esmeradamente tecido nas profundezas da terra. Hoje, já conseguimos enxergar a imagem (ultrassonografada) dos ossos, mas não os vemos de fato. Mas o Senhor sabia que eu estava lá. Estava sendo esmeradamente tecido. Com todo o cuidado e habilidade no oculto foi formado (No ventre da mãe). 16 Os teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no teu livro foram escritos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles. “A substância ainda informe (golem, embrião)”. O Senhor já me via, antes mesmo que a ultrassonografia pudesse me captar. Como embrião, eu já existia de fato. Assim pensa o salmista. Já havia um plano para a vida de Davi, como há para nós (“No teu livro foram escritos os dias...quando ainda não havia nenhum deles”). IV- O DEUS DIGNO DE SER EXALTADO 17 E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grande é a soma deles! 18 Se eu os contasse, seriam mais numerosos do que a areia; quando acordo ainda estou contigo. Todo esse conhecimento prévio de Deus, sobre cada pessoa, deixou o salmista maravilhado, mas incapaz, pequeno diante Dele:

“Se eu os contasse...”. Certamente não conseguiria contá-los: “Contaria, contaria, sem jamais chegar ao fim” (Bíblia Anotada). V – O DEUS QUE INTERVÉM 19 Oxalá que matasses o perverso, ó Deus, e que os homens sanguinários se apartassem de mim, O salmista não entendia como o ímpio ainda sobrevivia: “Tomara, ó Deus, desses cabo do perverso”. Será que às vezes também não oramos assim? E os perversos das nossas famílias (se os há!), gostaríamos que recebessem o mesmo tratamento, ou queremos que se convertam? 20 homens que se rebelam contra ti, e contra ti se levantam para o mal. São homens que não temem a Deus. O salmista “explode em veementes denúncias contra aqueles que praticam perversos esquemas sob a máscara do ‘nome’ que tomam em vão” (Texto escrito em 1953 em The New Bible Commentary). Extremamente atual 55 anos depois. 21 Não odeio eu, ó Senhor, aqueles que te odeiam? e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? O salmista aborrecia os que aborreciam a Deus. Ele não tinha nenhuma intimidade com os zombadores do Senhor. 22 Odeio-os com ódio completo; tenho-os por inimigos. “Para mim são inimigos de fato” (B.Anotada). VI – O DEUS QUE SONDA O CORAÇÃO 23 Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; No início de seu poema, o salmista sabe que Deus o sonda; mas, agora ele mesmo pede para que seja sondado. Ele queria que Deus controlasse as suas emoções. Pede para ser provado e conhecido em seus pensamentos. Ele quer subordinar-se totalmente ao Senhor. Quer estar à mercê de Deus. 24 vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno. Nós nos conhecemos muito pouco. Será que não há em nós alguma perversidade acalentada; alguma ira camuflada, e devidamente alimentada? É possível que o salmista tenha concluído que exagerou ao falar dos inimigos do Senhor, que por empatia, eram seus também. O que importa de fato para o salmista maravilhado, era a contínua presença de Deus em seu caminho. Pr. Eli da Rocha Silva

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->