P. 1
PROJETISTA DE TUBULAÇÕES - PETROBRAS

PROJETISTA DE TUBULAÇÕES - PETROBRAS

|Views: 208|Likes:
Publicado porLuis Barbo

More info:

Published by: Luis Barbo on Jan 30, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/06/2013

pdf

text

original

PROJETISTA DE TUBULAÇÃO

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE TUBOS E MATERIAIS UTILIZADOS
© PETROBRAS - Petróleo Brasileiro S.A. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610, de 19.2.1998. É proibida a reprodução total ou parcial, por quaisquer meios, bem como a produção de apostilas, sem autorização prévia, por escrito, da Petróleo Brasileiro S.A. PETROBRAS. Direitos exclusivos da PETROBRAS - Petróleo Brasileiro S.A.

ALVARENGA, Silas. Processo de Fabricação de Tubos e Materiais Utilizados / CEFET CAMPOS. Rio de Janeiro, 2008.

PETROBRAS - Petróleo Brasileiro S.A. Av. Almirante Barroso, 81 - 17° andar - Centro CEP: 20030-003 - Rio de Janeiro - RJ – Brasil

I-TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS ............................................................................................. 10 1.1. Definição de tubo ......................................................................................................... 10 1.2. Critério de classificação das tubulações ...................................................................... 11 1.3. Aplicações de tubos ..................................................................................................... 12 1.4. Exercícios .................................................................................................................... 16 II-MATERIAIS ........................................................................................................................ 17 2.1. Materiais utilizados na fabricação de tubos .................................................................. 19 2.1.1. Aço com teor de carbono até 2 .............................................................................. 20 2.1.2. Aço liga ................................................................................................................................. 21 2.1.3. Teor de carbono acima de 2% - Ferro fundido ....................................................... 23 2.1.4. O cobre e outras ligas não ferrosas ....................................................................... 24 2.2. Fatores de influência na seleção de materiais para confecção de tubos....................... 24 2.3. Especificação de material para tubos de aço ................................................................ 26 2.3.1. Aços Carbono ........................................................................................................27 2.3.2. Aços Ligados ......................................................................................................... 27 2.3.3. Aços de alta resistência e baixa liga (ARBL) .......................................................... 29 2.4. Principais propriedades dos materiais para os tubos .................................................... 29 2.4.1. Tubos fabricados em Aço carbono ........................................................................ 31 2.4.2. Tubos fabricados em aço inoxidável ...................................................................... 32 2.4.3. Tubos fabricados em ferro fundido ........................................................................ 34 2.5. Recomendações e normas aplicadas a tubos de aço em geral .................................... 35 2.5.1. Recomendações para os tubos fabricados em aço- liga sem costura .................. 36 2.5.2. Recomendações para os tubos mecânicos - sem costura .................................... 36 2.5.3. Recomendações para os tubos de aço - carbono tipo com costura, preto e galvanizados 36 2.5.4. Recomendações para os tubos eletrodutos tipo alvanizados ..................................37 2.6. Principais normas de aplicação de tubos existentes no mercado ................................. 38 2.6.1. Normas utilizadas para fabricação de tubos para troca térmica .............................40 2.7. Exercícios ..................................................................................................................... 41 III-PROCESSOS DE FABRICAÇÃO DE TUBOS .................................................................... 42 3.1. Descrição dos processos de fabricação de tubos ......................................................... 43 3.1.1. Fabricação de tubos com costura .......................................................................... 44 3.1.2. Processo de fabricação de tubos sem costura ....................................................... 52 IV-Ligações entre tubos e tipos de acessórios ...................................................................... 59 4.1. Ligações por conexões rosqueadas ............................................................................. 60

4.1.1. Conexões rosqueadas .......................................................................................... 61 4.2. Ligação de tubos por meio de solda

.......................................................................

4.2.1. Ligações soldadas pelo processo topo a topo ................................. 4.2.2. Ligação por soldagem de encaixe ............................................. 4.2.3. Ligação de ponta e bolsa ... ........................................................................ 4.3. Ligação flangeada ........................................................ 4.3.1. Classificação dos flanges.............................................. 4.3.2. Junta para ligações flangeadas ................................................ 4.3.3. Remoção e instalação de juntas ......................................... 4.3.4. Outros acessórios da tubulação .......................................... V-ISOLANTES........................................................... 5.1. Peculiaridades do isolante térmico ............................................. 5.2. Isolante térmico a frio .................................
o " " .........................................................■ ■ ■ • ■ ................... ■ . i ................................................... , .

5.3. Isolante térmico a quente ......................

..................................... ■ ............................................................ 5.4. Isolamento Acústico .................................... 5.5. Pintura das tubulações industriais ....................................... 5.6. Exercícios ............................................ Vl-Controle de qualidade na fabricação de tubos ............................... 6.1. Qualidade na fabricação de tubos .................................... BIBLIOGRAFIA .................................................................

5.3.1. Normas que regulamentam a espessura de isolante térmico ...........................

.......................................................

APRESENTAÇÃO Os processos de prospecção, de produção e de refino de petróleo, bem como o armazenamento e transporte de derivados, de um modo geral, são, deveras, variados e complexos. Não é, entretanto objeto deste trabalho tratá-los em sua totalidade e profundidade, mas apenas apresentar as suas peculiaridades e, a partir daí, conceituar alguns dos processos de fabricação de tubos e os respectivos materiais neles empregados de modo genérico, visando a fornecer ao projetista de tubulação uma visão geral sobre o específico processo de fabricação de tubos e os respectivos equipamentos, assim como os acessórios envolvidos em uma tubulação, de modo a subsidiar as atividades de planejamento e projeto de obras na indústria do petróleo. A importância dos fluidos no mundo atual é inquestionável. O escoamento e manuseio de sistemas polifásicos tais como lamas, suspensões, leitos fluidizados e misturas líquidos-gases, requerem muita consideração, por parte dos profissionais envolvidos, quer seja, com projetos, montagem ou manutenção de tubulações, assim como dos envolvidos com a operação de sistemas de produção, independentemente da área de atuação. Neste foco, o profissional de projeto de tubulações deve possuir um perfil de saber fazer assim como, deve encontrar-se atualizado nos métodos, técnicas e procedimentos estabelecidos, visando à qualidade e à produtividade dos processos industriais, relativos ao projeto da tubulação. O projetista de tubulação poderá exercer suas atividades profissionais na indústria, em atividades de projeto de tubulações e em serviços de prestação de mão-de-obra qualificada para a área da indústria, possibilitando assim a sua inserção no mercado de trabalho e/ou a empregabilidade, além de uma melhoria da qualidade do serviço prestado. Na perspectiva de uma sintonia com os argumentos acima expostos, este módulo II do Curso Projetista de Tubulação, intitulado Processo de Fabricação de Tubos e Materiais Utilizados, constituído de seis unidades curriculares planejadas para execução em 60 horas/aula, foi elaborado de maneira a levar o participante a apreender os conhecimentos pertinentes ao tema e, a partir das competências adquiridas, desempenhar de maneira satisfatória as suas novas atribuições nas áreas de atividade relacionadas com os processos de prospecção, produção e refino de petróleo. Espera-se que, ao estudar estas seis unidades curriculares, o participante consiga entrelaçar o prazer de descobrir novos conhecimentos à leitura deste material didaticamente proposto.

por parte dos profissionais envolvidos. na instalação. unidos em seqüência. requerem muita consideração. suspensões. em Jerusalém. filtros de linha e purgadores que devem ser instalados . com projetos.Conduto de forma cilíndrica. montagem ou com manutenção de tubulações. Tubulação . Sendo assim.Termo que se refere a todos os acessórios. e continua existindo nos dias atuais. Definição de tubo Desde o início dos tempos o transporte de fluidos. A importância dos fluidos no mundo atual é inquestionável. O escoamento e manuseio de sistemas polifásicos tais como lamas. foi construído o primeiro sistema subterrâneo de abastecimento de água. tem sido uma das necessidades do homem. 1.C. por desconhecimento e talvez por não haver a necessidade de se utilizarem outros fluidos além do vento e de água.I – TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS Ao longo das diversas eras vividas pela humanidade. curvas. Havia tubulações nas ruínas de Babilônia e Pompéia. válvulas. podendo ser fabricado de vários materiais. Idade média e Renascença. Há 1000 anos a. o uso de tubos para transporte de fluido é de tempos remotos. na manutenção ou mesmo por parte dos operadores de sistemas de produção. com a finalidade de transportar fluido. no projeto. quer seja.Conjunto de tubos. o homem não se mostrou interessado pelos fluidos que hoje conhecemos. assim como na China Antiga. principalmente o da água. quer seja. Idade do ouro. derivações. É um assunto que merece a atenção criteriosa. Tubo . que assegura a circulação de um fluido ou de um produto pulverulento numa instalação. Como se vê. onde também foram empregados tubos de bambu numa rede de gás natural para iluminação. sendo que esse tipo de material não atendia às necessidades das novas técnicas. como ligações. Idade da pedra lascada. de parede constante. esse transporte era feito por meio de tubos de vegetal. No início. bronze. independentemente da área de atuação. leitos fluidizados e misturas líquidos-gases. Tubulação industrial . o homem teve de pesquisar outros tipos de materiais para a construção de tubos que atendessem às necessidades mais recentes. ferro. assim como dos envolvidos com a operação de sistemas de produção. Há cerca de dois séculos e meio antes de Cristo uma rede de esgoto foi construída na índia. tal como bambu e outros.1.

. Tais critérios são: > Tipos de áreas de aplicação -> Existem nas instalações industriais as áreas de processamento e a chamada área externa. Fazem parte da tubulação de fabricação as seguintes tubulações. Tubulações de utilidades. Tubos de instrumentação -> Destinados a transportar sinais pneumáticos e hidráulicos. Eletrodutos -> São tubulações destinadas às aplicações na área elétrica para proteção de condutores elétricos. com características distintas.2. Tubulações de instrumentação. por meio de impulsos. Exemplo é a Tubulação de fabricação que integra os setores produtivos nas fábricas. 1. baseadas em norma específica para tal. destinadas ao transporte de fluidos auxiliares.para garantir o transporte adequado dos fluidos a pontos distintos de um processo. Tubulação de troca térmica -> Destinadas ao uso em caldeiras ou trocadores de calor. São elas: * * * * * * * Tubulação de condução -> Destinadas ao transporte de fluidos. Tubulações de coleta de condensado ou de efluentes da planta industrial. destinadas a transmitir. Tubulação de uso estrutural -> Destinada à montagem de estruturas mecânicas de suportações estruturais em geral. Tubulação de uso mecânico -> Destinadas às peças mecânicas de modo geral. Isso permite separar as tubulações de fabricação em categorias. São elas: * * * * > Tubulações de processo. Tubos de exportação e produção de petróleo -> destinados ao transporte de óleo com características especiais e próprias da área petrolífera. sinais para os operadores dos sistemas de comando. Critério de classificação das tubulações Diversos critérios são utilizados para classificar as tubulações de uma determinada instalação industrial. destinadas às finalidades básicas da indústria. Tipo de serviço realizado -> Esta classificação permite separar em sete categorias as tubulações com finalidades definidas entre si.

Tabela 1. Aço-liga Ferro forjado. Monel Chumbo. > Materiais de fabricação -> Estes são especificados de acordo com a sua composição química e as propriedades mecânicas que cada um deles deve possuir. Titânio. temperatura e composição do fluido. A Tabela 1. o que dificulta a classificação com clareza da categoria do tubo.1.> Condições de operação -> É uma classificação pouco utilizada por depender diretamente de fatores tais como pressão.Principais materiais utilizados na fabricação de tubos Aços-inoxidáveis Tubos metálicos Ferrosos Aço-carbono. Ferro fundido Não ferrosos Cobre. Fenólicos . Poliésteres.1 abaixo apresenta os principais tipos de materiais usados na fabricação de tubos. Zircônio Tubos não metálicos Materiais plásticos Cloreto de polivinil (PVC) Polietileno. Acrílicos Acetato de celulose Epóxi. Latões. Cobre-níquel.

nas alimentícias. Ebonite.3. nos produtos derivados de petróleo. São empregados nas atividades de produção de petróleo e gás natural. bem como em refinarias e indústrias químicas. Concreto asfáltico. Concreto armado Diversos Porcelana. líquidos. A figura 1. * Aço do tipo 25 Cr 35 Ni Nb * Aço tipo 20 Cr 32 Ni Nb. Os tubos utilizados para este fim são fabricados com os seguintes materiais: A figura 1. pastosos ou gasosos. Vidro Tubos de aço revestido internamente com Zinco. colunas. A seguir algumas composições de aços aplicados na construção de tubulação de troca térmica. utilizados como condutores de materiais sólidos (granulados ou particulados). Elastômeros (borrachas).1 mostra uma tubulação de condução aplicada em um gasoduto Tubos de troca térmica . petroquímicas. nos gasodutos e nas redes de gases. 1. Aplicações de tubos Tubos de condução . etc. Porcelana etc. coletores de fornos e em caldeiras. onde são aplicados os tubos de troca térmica.2 mostra uma coluna e coletores para fornos.São elementos vazados. normalmente de forma cilíndrica e seção constante.Cimento amianto. Barro vidrado. com garantia de estanqueidade e resistência a pressões internas ou externas.São tubos fabricados pelo processo de centrifugação e utilizados em serpentinas. nas indústrias farmacêuticas. . manifolds. Plásticos.

 A norma ASTM A 209 exige a utiliza Cao de tubos de aço .3. Tais normas garantem a aplicação do material certo a cada utilização da tubulação. Figura 1. superaquecedores de caldeiras e trocadores de calor.5 mm.4 e 12.  A norma ASTM A 213 exige a utilização de tubos de aço inoxidável sem costura em caldeiras.  A norma EEMUA 144 exige a utilização de tubos em cobre . algumas normas utilizadas na indicação de material utilizado para a fabricação das tubulações dos trocadores de calor.  A norma ASTM A 333 exige a utilização de tubos de aço carbono em serviços em que se operam baixas temperaturas. Os tubos dessa linha para aplicações industriais atendem às normas ASTM A 252 Gr. São elas:  A norma ASTM A-249 exige a utilização de tubos de aço inoxidável com costura em trocadores de calor. aquecedores e condensadores. ASTM A 139 e a ASTM A 135 Gr.3.níquel para serviços severos com a presença de sais. A seguir.liga sem costura em caldeiras e superaquecedores de caldeiras.2.  Camisa metálica de aquecimento. Tubos de uso mecânico .Os tubos utilizados na fabricação de trocadores de calor são fabricados seguindo normas pertinentes. 1. A e B. com costuras. e segue a composição especificada pelo fabricante e atestado por meio de ensaios de recebimento pelo consumidor. caldeiras.São produzidos em aço carbono. Podem ser utilizados em:  Estacas de fixação de plataformas. ASTM A 134. pelos processos ERW -LONGITUDINAL (solda por resistência elétrica) e SAW HELICOIDAL (solda por arco submerso) DN 150 a 2500 mm e espessuras de parede entre 4.  Estruturas (elementos mecânicos). .

A espessura de parede nesses tipos de tubo é constante e a fabricação é feita por conformação. Aplicação naval.  Aplicação automotiva.  Cilindros hidráulicos.Tubos de uso mecânico Tubo de uso estrutural . O fechamento é feito por soldagem de resistência elétrica ou por solda de arco submerso. Figura 1. a partir de tiras de material que são gradativamente curvadas até a forma desejada.3 . .  Aplicação ferroviária.

Nota: os tubos para condução de fluidos podem ser fabricados por meio de três processos distintos:  SAW Longitudinal com formação U . considerando . os eletrodutos metálicos tipo rígidos.Cite três das aplicações gerais dos tubos em uma indústria. São tubos usados para:  Revestimento de poços de petróleo ou água. externamente.São tubos fabricados em aço inox.4 .  SAW Espiral com formação contínua. e são conhecidos como tubos OCTG (Oil Country Tubular Goods) e respectivos acessórios. no sentido longitudinal revestidos de pintura interna e. A 778. em águas ultraprofundas e em ambientes ácidos. .E. são especificados de acordo com sua "bitola".4.De acordo com o estudo. 1.Figura 1. Tubos de instrumentação .O .10 e B 36.Como são classificados os tubos quanto à área de aplicação? 3 . com esmalte de cor preta ou de superfície externa galvanizada. o que é tubo? 2 .São tubos de aço cuja fabricação pode ser com ou sem costura.Como pode ser classificada a tubulação. Exercícios 1 . A 409.  Tubos condutores de fluidos.  Tubos estruturais para jaquetas e torres de perfuração offshore. nas normas ASTM A 312. Tubos de exportação e produção de petróleo .São tubos usados para revestimento de poços.  ERW Longitudinal em linha contínua. São de alta resistência à corrosão e a impactos e ideais para aplicações severas.se o tipo de serviço utilizado? 4 . conforme ANSI B 36.19. usados em eletricidade.Exemplo de estrutura tubular Eletrodutos . Comercialmente.

combinações de elementos classificados como metálicos e não metálicos. cerâmicos e polímeros. assim como qualquer outra substância ou matéria. com a exceção notável dos metais alcalinos e alcalino-terrosos. constituem a maioria dos elementos da tabela periódica.  Materiais semicondutores: possuem propriedades elétricas que são intermediárias entre aquelas apresentadas pelos condutores elétricos e pelos materiais isolantes. é formada por elementos químicos sendo. Alguns metais bem conhecidos são abaixo listados:  Alumínio.  Prata. descrito como um aglomerado de átomos.  Materiais cerâmicos: são compostos situados entre os elementos metálicos: são. Um metal. existem três outros grupos de materiais importantes na engenharia: os compósitos. normalmente. de fato. geralmente. .  Materiais polímeros: compreendem os materiais comuns. Vale lembrar que os não-metais são mais abundantes na natureza do que os metais. Adicionalmente a essas classificações básicas. os referidos materiais sólidos são classificados em seis grupos principais. metais. em que os elétrons da camada de valência fluem livremente. A maioria dos metais é quimicamente estável. Assim sendo. a saber:  Materiais metálicos.II – MATERIAIS Os materiais sólidos têm sido convenientemente agrupados em três classificações básicas. os semicondutores e os biomateriais.  Ferro.  Materiais compósitos: consistem de mais de um tipo de material. compostos de plásticos e borrachas. de determinado tipo.  Biomateriais: são empregados em componentes destinados à implantação no interior do corpo humano para fins de substituição de partes do corpo doente ou peças danificadas. de caráter metálico.  Ouro. mas estes últimos. e têm sido de composição desenvolvida pela engenharia.  Cobre.

que não possui algumas das principais propriedades dos metais como o brilho e a ductilidade.  Latão (cobre e zinco). além do carbono. Titânio. dá origem ao metal puro. materiais puros não reúnem todas as qualidades necessárias para uma determinada utilização técnica. ao longo dos anos. aumento da resistência à temperatura. o metal combina . Composto de materiais sólidos Liga metálica .  Duralumínio (alumínio e cobre.  Bronze (cobre e estanho. Geralmente. por exemplo. No ferro. cobre. a esta camada de óxido é dado o nome de ferrugem. contudo. podendo ainda conter outros elementos). Alguns. são classificados como aços especiais. Quando os aços possuem elementos de adição que acrescentam características especiais ao aço. aumento da resistência à dureza e aumento da resistência à tração e outras características. Eis os exemplos abaixo:  Aço (ferro. no entendimento dos mecanismos de falhas dessas aplicações e no desenvolvimento de novos materiais para aumentar a segurança e a confiabilidade dos processos. os elementos silício e o manganês. o molibdênio. quando expostos ao oxigênio. níquel e. Os elementos enxofre e fósforo encontram-se também presentes como impurezas.  Zinco. Como os metais possuem a característica de se oxidarem. e. em alguns casos. A forma original da maioria dos metais encontrados na natureza é combinada ao oxigênio. além dos elementos existentes nos aços normais. alumínio. tungstênio. As mais conhecidas formas de minerais metálicos são a bauxita (alumínio) e a hematita (ferro). boro e outros. como aumento da resistência à corrosão. depois de purificada. Praticamente todos os aços contêm. o ouro e a prata. os elementos cromo.  Urânio. carbono e outros). vanádio.se com o oxigênio formando um óxido. . dois elementos metálicos. A indústria petroquímica vem. Aços inoxidáveis contêm. podendo ainda conter outros elementos).Liga é uma mistura. trabalhando em conjunto com seus fornecedores de tubos e caldeiraria. que contém. com propriedades específicas. podem ser encontrados na forma pura como a platina. Os aços especiais podem conter os elementos: cobalto. ao menos.

contribuiu para uma revolução tecnológica. possibilitando atingir temperaturas de operação por volta de 1100 °C. 2. e os super duplex e o recurso tecnológico da utilização de ligas com adição de alumínio nos aços refratários. de tenacidade etc. A partir de então. Materiais utilizados na fabricação de tubos Como já mencionado. ou seja. observa-se uma melhoria no processo produtivo. sem perder de vista o meio como estes materiais devem ser ligados (processo de soldagem). produzida nas usinas siderúrgicas. o Carbono (C). surgiram os aços inox duplex. uma aplicação específica para os fornos de pirólise. A fabricação deste tipo de tubo se faz pelo processo de fundição por centrifugação. Esse elemento. O desafio. Comercialmente. para a obtenção em menor quantidade. de temperabilidade.  Aços ligados: os acréscimos de elementos de liga específicos (Cromo (Cr). Portanto. diversas propriedades. Silício (Si). sejam elas de resistência. Níquel (Ni). todo aço produzido pode ser dividido em 2 grupos:  Aços não ligados: São aqueles que não possuem nenhum elemento de liga (p. Níquel (Ni). a estrutura e as propriedades dos aços dependem do teor de Carbono ou da presença ou não de elementos de liga (aços ligados) neles contidos. isto é. o que permite melhor desempenho dos equipamentos. pelo refino do ferro gusa (obtido em altos-fomos pela transformação do minério-de-ferro). é a fabricação de equipamentos e materiais (ligas de aço) que suportem altíssimas temperaturas em torno de 800°C. O uso de materiais especiais para fabricação de tubos. Neste caso. Molibdênio (Mo).1. Cromo (Cr).A tecnologia do uso de ligas metálicas na composição de tubos de caldeiraria para as indústrias no setor de fabricação proporcionou melhoria nas operações. o aço é uma liga ferro-carbono. na maioria das vezes. em sua composição química constam predominantemente Ferro (Fe). conforme a sua aplicação. produziram-se tubos com parede com capacidade de poder suportar temperaturas de valores entre 1000° e 1100°C. Como avanços tecnológicos. Molibdênio (Mo) etc). etc).ex. tanto para tubos quanto para caldeirarias. de resistência à corrosão. irá aumentar ou diminuir a resistência do aço. principalmente. pela redução direta do minério. Estas ligas ferrosas são conhecidas como aço. o que leva à produção de tubos conhecidos como tubos fundidos e centrifugados. conforme o seu teor percentual. além de Manganês (Mn). de elasticidade. As usinas siderúrgicas têm evoluído com a produção de materiais cada vez mais "ligados" adquirindo maior domínio na elaboração de fórmulas que atendam à cada necessidade. conferem ao aço. Fósforo (P) e Enxofre (S) e. Tungstênio (W). Vanádio (V). . tais como aço-duplex e ligas de aço. pela refusão de sucatas e.

com. produtos de caldeiraria.br Características principais do aço Cor acinzentada carbono Peso específico 7. Grande maleabilidade e fácil soldagem.aquanex.1 .1.Aplicação do aço carbono em relação ao teor de carbono Fonte: www.008% até cerca de 2. peças comuns de Peças especiais de máquinas e mecânica. como molas e cabos.15% Chapas.br TEOR DE CARBONO (C) APLICAÇÃO DO AÇO MALEABILIDADE E SOLDABILIDADE DO AÇO 0.As ligas terrosas são.2 apresenta os usos gerais dos aços em função de seus teores de carbono (C). Ferros fundidos. fios parafusos.Características do aço carbono Fonte: www.40 a 0.1.60% 0.1.50% . As características principais do aço carbono estão relacionadas na tabela 2. Tabela 2. o silício (Si). motores.0%. Tabela 2. o fósforo (P) e o enxofre (S) resultantes dos processos de fabricação. além de certos elementos residuais. Maleável e soldável Muito difícil soldagem Não se solda. 2. tubos.2 . bem como a maleabilidade e soldabilidade dos mesmos.0% e raramente superior a 4. estirados. Peças de grande dureza e resistência.02 a 0.com. como o manganês (Mn). com teores de carbono (C) acima de 2. Barras laminadas e perfiladas. em princípio.15 a 0. tubos. 0.0% de carbono (C). divididas em dois grupos: * * Aços.aquanex.Ligas terrosas .8kgf/dm3 Ponto de fusão 1350a1400 oC Maleabilidade Boa Ductibilidade Boa Tenacidade Boa Usinagem Ótima Soldabilidade Ótima A tabela 2.60 a 1.30% 0. com teores de carbono (C) até 2.0%. Aço com teor de carbono até 2% Liga ferro-carbono (aço ligado) contendo geralmente de 0.

a pesquisa e a experiência levaram à descoberta de aços especiais. etc.2. quando ligados com alguns outros elementos metálicos. silício (Si). Os aços adquirem passividade (estado de certos metais que não reagem na presença de agentes oxidantes fortes por terem a superfície recoberta por um filme inativo). pois é o mais eficiente de todos. Os elementos de liga mais usuais são: níquel (Ni).3 .Aços ligados Fonte: www. Os aços inoxidáveis são. Conseguiram-se assim aços-liga com características tais como. até 22% de níquel (Ni) e frequentemente pequenas quantidades de outros elementos de liga como níquel (Ni). fundamentalmente.com. Tabela 2. cobalto (Co). o molibdênio (Mo) e o alumínio (Al). mediante a adição e a dosagem de certos elementos ao aço carbono. A tabela 2. embora possa igualmente resistir à ação de outros meios gasosos ou líquidos. cromo (Cr). contendo de 12% a 26% de cromo (Cr). Aço liga São aços que recebem a adição de um ou mais elementos de liga no processo de fabricação. por resistir à corrosão atmosférica. de fato.aquanex.4 apresenta os elementos de liga comumente empregados pela indústria e seus efeitos.br Elementos de liga Efeitos .com.1. conforme a finalidade a que se destinam.br AÇOS LIGADOS Até 5% de elementos de liga De 5% a 10% de elementos de liga Acima de 10% de elementos de liga Baixa liga Média liga Alta liga Aço inoxidável Caracteriza-se. em menor grau. elasticidade.aquanex. Tabela 2. o silício (Si). molibdênio (Mo) e alumínio (Al). A tabela 2. resistência à tração e à corrosão. manganês (Mn).Fonte: www. o elemento mais importante. vanádio (V). bem melhores do que as do aço carbono comum. O cromo (Cr) é. Efeitos dos Elementos de Liga Devido às necessidades industriais.Elementos de liga usado em um aço liga . tungstênio (W). aços de alta liga.4 . o cobre (Cu).3 abaixo relaciona os aços ligados.2. portanto. dureza. quando empregado em teores acima de 10%.

Emprega-se geralmente com cromo. No processo de tratamento termo-químico Alumínio (Al) chamado nitretação. O silício (Si) favorece a formação de um tipo particular de ferro fundido conhecido como ferro fundido cinzento. dureza. sem perda de ductilidade.Desoxida o aço. a resistência à tração.3. E considerado como impureza. Enxofre (S) Fósforo (P) E um elemento prejudicial ao aço. Torna o aço mais duro e tenaz. Enfraquece a resistência do aço. O manganês. É geralmente adicionado aos aços com outros elementos. Na fabricação. a dureza. quando adicionado em quantidade conveniente. manganês (Mn). Teor de carbono acima de 2% .1. Molibdênio (Mo) Sua ação nos aços é semelhante à do tungstênio. Vanádio (V) Melhora. combina-se com o nitrogênio. O Tungstênio (W) tungstênio aumenta a resistência ao calor. enxofre (S) e fósforo (P).Ferro fundido Os ferros fundidos são ligas de ferro (Fe) e carbono (C) com alto teor de carbono. as impurezas do minério de ferro e do carvão (coque). possuem de 3% a 4% de carbono em sua composição. mantendo-o dúctil. e eleva os limites de elasticidade e de fadiga. Foi um dos primeiros metais utilizados com sucesso para dar Níquel (Ni) determinadas qualidades ao aço. elevado Cromo (Cr) limite de elasticidade e boa resistência à corrosão em altas temperaturas. Os ferros . a resistência à ruptura e o limite de elasticidade. E um elemento purificador e tem o efeito de isolar ou suprimir o magnetismo. Em teores elevados torna o aço frágil e quebradiço. Cobalto em associação com o tungstênio aumenta a resistência dos aços ao calor. nos aços. E considerado como impureza. Silício (Si) 2. O cromo confere ao aço alta resistência. favorecendo a formação de uma camada superficial duríssima. no limite de resistência e na soldabilidade. Em média. deixam no ferro fundido pequenas porcentagens de silício (Si). Manganês (Mn) aumenta a resistência do aço ao desgaste e aos choques. A temperatura de fusão dos ferros fundidos é de cerca de 1200°C. Sua resistência à tração é da ordem de 10 a 20 kgf/mm 2. Carbono (C) Cobalto (Co) A quantidade de carbono influi na dureza. O níquel aumenta a resistência e a tenacidade do aço.

4. mas apresentam vantagens para instalações que trabalham em condições próximas da pressão e temperatura de 20°. Os tubos de diâmetro até 2" são muito usados em instalações de ar comprimido. Para instalações muito longas e. São ainda mais leves do que os condutos de cobre.1. Ressalta-se que os tubos em alumínio e suas ligas são muito leves e apresentam uma boa resistência à oxidação. água e óleos. nas seguintes categorias:  Ferro fundido cinzento ou lamelar  Ferro fundido nodular ou dúctil  Ferro fundido maleável ou branco  Ferro fundido temperado  Ferro fundido especial Nos ferros fundidos.fundidos classificam-se então. contudo. quase sempre. exceto ácidos e álcalis. Modernamente. muito resistentes à corrosão e de manipulação mais econômica e simples. em alguns casos. Os ferros fundidos podem substituir os aços. O cobre e outras ligas não terrosas Os tubos fabricados em cobre são mais dispendiosos do que os de aço. Existem ainda condutos em duralumínio e outras ligas de cobre-alumínio. ou em barras. quando o diâmetro exterior não excede os 22 mm. refrigeração. Fatores de influência na seleção de materiais para confecção de tubos . Podem ser fornecidos em rolos. exceto para o transporte de água quente. como nas redes de distribuição de água e aquecimento central. menor resistência ao deslizamento. vapor de baixa pressão. que apresentam boa resistência química. segundo quantidade do carbono presente. o PVC tem vindo a substituir o cobre no primeiro caso. em ferro fundido. devido à maior capacidade de amortecer vibrações. o polietileno também tem vindo a ser cada vez mais utilizado em detrimento do cobre. No aquecimento central. em geral. devem ser recozidos ou endurecidos. mais adequados. 2. e podem ser consideravelmente modificadas pela adição de elementos de liga e tratamentos térmicos adequados.2. em razão do poder lubrificante do carbono livre em forma de grafita. é preferível usar tubo em rolo recozido devido à facilidade de o curvar. em muitas aplicações. 2. as estruturas e os elementos deslizantes de máquinas são construídos. Os tubos de cobre são mais leves do que os de aço. em especial de traçado sinuoso. melhor estabilidade dimensional e. Por exemplo. as propriedades mecânicas são inferiores às dos aços.

tecnicamente decisivos em um projeto. a tubulação deverá ser suficientemente resistente para suportar o peso do fluido. civis. coeficiente de expansão térmica. Assim sendo. Resistência ao escoamento do fluido -> É também um fator de relevância. diretamente. deverá ser preservado na sua integridade. à vibração. mecatrônicos. Certamente enfrentarão. Não é possível projetar uma tubulação sem medir as reais condições de instalação assim como a sua manutenção. estrutura cristalina. ao choque. mecânicos. é a tubulação quem deverá apresentar uma superfície interna apropriada ao escoamento. É importante saber quais são os critérios adotados para selecionar um determinado material entre tantos outros. na prática.Em qualquer segmento da engenharia. à temperatura e à radiação podem ser encontradas com relativa facilidade em livros e tabelas-padrão. algum problema de engenharia que venha a envolver a avaliação do desempenho ou as propriedades de algum material em condições de uso. Devem-se caracterizar quais as condições de operação a que será submetido o referido material. Fator Estrutural -> Estruturalmente. por se tratar de uma variável que proporcionará à tubulação um incremento de carga extra. à dureza. no que se refere à variável pressão. em alguma ocasião. mas. tendo em vista que o tubo é o elemento responsável pelo transporte do fluido em questão. propriedades físicas e químicas (ponto de fusão. etc). químicos ou eletrônicos. Propriedades mecânicas (resistência à tração. também às cargas externas e aleatórias. Custo e facilidade para instalação -> São fatores de grande significado. à fadiga. agredirá o material do tubo e. se depararão com a necessidade de escolher um material apropriado para determinada aplicação. reatividade química. para um escoamento fluídico. Vale lembrar que é de fundamental importância saber usá-las adequadamente. certamente. não basta simplesmente o tubo estar dimensionado à carga do fluido. condutibilidade elétrica e térmica. saber como esses valores foram determinados e quais as limitações e restrições quanto ao seu uso. levantar as propriedades requeridas para tal aplicação. Visto que. etc) e demais informações sobre resistência à corrosão. densidade. Os fatores abaixo são relevantes para definir o tipo de material a ser empregado na fabricação de um determinado tipo de tubo: Tipo de fluido -> É um dos fatores decisivos e de grande importância por ser o elemento que. . tais como ventos e chuvas.

O limite de resistência deverá ser tomado na curva característica (temp. diferenças entre partes deformadas a frio. pois o tempo de vida útil de uma tubulação garantirá o transporte de fluido por períodos longos o que certamente é o objetivo de toda e qualquer linha . x resistência) de cada material. O limite de resistência diminui com o aumento da temperatura de um modo geral (para T > 200 C).  Anodo-catodo: o componente anodo-catodo é constituído de duas peças metálicas de materiais diferentes. próximas ou distantes.  Diminuição do limite de resistência. A corrosão mais comum é a corrosão eletroquímica caracterizada pelo transporte de cargas elétricas por meio de um eletrólito em um meio favorável. irregularidades microscópicas e pode disparar o processo de oxidação do material. Cumpre lembrar que a falta de pelo menos um dos componentes bloqueia o processo de corrosão. diferenças de tratamento térmico. diferença entre estados de tensões.Condições de temperatura e de pressão -> A temperatura de operação é também fator decisivo para definição do tipo de material que será utilizado na fabricação de tubo. ligas metálicas diferentes. Resistência à corrosão -> Define-se como corrosão a deterioração sofrida por um material em consequência da ação química ou eletroquímica do meio. A corrosão química é devida ao ataque de produtos químicos sobre os materiais metálicos. Efeitos provenientes da temperatura de operação podem ser:  Fluência (deformação lenta e progressiva ao longo do tempo quando submetido ao esforço de tração sob alta temperatura) ocorre em função da temperatura. uma da outra e pode disparar o processo de oxidação do material. Durabilidade -> A durabilidade de uma tubulação é um fator que todo o projetista deverá considerar. Essa diminuição é pouco acentuada no intervalo 0 . aliada ou não a esforços mecânicos.  Circuito metálico: é a continuidade metálica unindo o anodo ao catodo. é necessário que o sistema seja constituído dos quatro componentes listados a seguir. soluções aquosas ácidas ou alcalinas. duas regiões distintas da mesma peça metálica.250 C e mais acentuada para temperaturas superiores a 250 C. pode disparar o processo de oxidação do material. geralmente aquoso.  Eletrólito: qualquer condutor elétrico tal como umidade. diminui com o aumento da temperatura. tais como: metais diferentes.  Alteração do módulo de elasticidade (Módulo de Young). A diferença de potencial entre o anodo e o catodo pode se originar de inúmeras causas. Pode surgir e ser decisivo para diminuição da vida útil da tubulação. Para que se inicie o processo da corrosão. ou ainda. provocando a sua oxidação. ou do mesmo material.

associado à média resistência a frio no estado forjado (ferrítico-perlítico). pois o que resolve ter um material muito bom e não ter disponibilidade no mercado para produção da tubulação? Tal projeto se torna inviável. ferramentas de impacto. 2. Portanto. chapas para estampagem. recozido ou normalizado.É aplicado em situações que exigem ductilidade elevada. Aços Carbono A maior quantidade de aço consumida pertence à categoria dos açoscarbono. bem como com as técnicas de processamento dos materiais. quando combinados com elementos de liga e cementados. Ex. engrenagens. é de vital importância. o estado de fornecimento pode ser laminado a quente. Disponibilidade do material -> A disponibilidade do material em que a tubulação é fabricada. são utilizados em situações que exijam alta resistência (obtida mediante têmpera) mantendo ainda alguma dutilidade. pinos. por exemplo.3. pois o baixo carbono é necessário para evitar formação de martensita que ocorre no resfriamento subsequente à soldagem. fios para arames lisos e farpados. b) Aços de médio carbono (entre 0. 2.São aplicados em produtos forjados.3 e 0. pois possuem dutilidade a quente (para forjamento). maior será a sua habilidade e confiança para fazer a seleção mais sensata desses critérios. Pode ser aplicado em situações que envolvem exigências quanto à soldabilidade. temperado. Os aços de baixo carbono.3%) . são aplicados quando se necessita combinar resistência ao desgaste (dureza superficial) com tenacidade (no núcleo). ou telas. Isto se deve ao baixo custo. 4320. Pode-se estabelecer a seguinte subdivisão dos aços-carbono para fins de sua aplicação: a) Baixo carbono (abaixo de 0. isto certamente agregará ao seu saber condições que o colocarão em posição de destaque dentro da sua função de projetista de tubulação. é importante para ele deter conhecimento de fatores e procedimentos abordados para este fim. Quando combinados com elementos de liga.de produção e que resultará em lucro para a empresa que tem a tubulação instalada.1. etc. tais como eixos. tubos. Neste caso.). Apesar de o projetista não ser o responsável direto por esta escolha. em relação aos aços ligados e à ampla gama de propriedades que pode ser obtida mediante variação do teor de carbono e do estado de fornecimento (encruado.5%C) .3.: AÇOS 8620. A temperabilidade é . Especificação de material para tubos de aço Saber especificar corretamente um material para ser usado na fabricação de um tubo não é tarefa fácil. quanto mais familiarizado estiver o profissional com as diferentes características e propriedade estrutural dos materiais.

Aços de média liga -> São aqueles em que o somatório dos elementos de liga esteja entre 5% e 10%. Resistência ao desgaste. também são utilizados para fins de obtenção de dureza elevada. em torno de 500°C. são os aços Hadfield. O alto limite de escoamento é obtido mediante encruamento ou. 8640. Elevar a dureza de camadas nitretadas pela formação de nitretos de alumínio ou cromo. Aços Ligados O uso de elementos de liga geralmente é feito com as seguintes finalidades:  Aumentar a profundidade de tempera (temperabilidade). 2. Mo2C.5%Mo.5% C) . através de carbonetos primários (VC. são os aços inoxidáveis. Ni. tais como molas e vergalhões de concreto. São aplicados para os seguintes fins: Aumentar muito a temperabilidade: aplicado em peças grandes que devem ter alta resistência no núcleo. São aplicados em situações que envolvem elevada resistência mecânica em temperaturas elevadas.São utilizados nos casos em que se exigem elevados limites de escoamento. Exemplo deste tipo de aço é:  Aços tipo H. Tais como os aços para trabalho a quente (matrizes). Mo. ATENÇÃO! OS AÇOS DE BAIXA LIGA SÃO OS MAIS CONSUMIDOS DENTRE OS AÇOS LIGADOS. São aços com a seguinte composição química: (0. Ex: eixos e engrenagens de caminhão. Os aços ligados são classificados em três categorias: Aços de baixa liga -> São aços cuja soma dos elementos de liga é inferior a 5% e têm a finalidade de aumentar a temperabilidade e a resistência ao revenido.  Introduzir propriedades especiais tais como:    Resistência à corrosão. 1. Aço 4340. Facilitar a transição (atenuar a queda de dureza) entre o núcleo e a superfície e aço cementado.2. mediante têmpera.  Aumentar a resistência ao revenido (isto é. Mn e Si. WC) como no caso de aços ferramentas.3. se na presença de elementos de liga.obtida mediante emprego de elementos de liga. 5%Cr. Quando combinados com elementos de liga. são os aços-ferramenta (rápidos). Há ainda casos onde se exige resistência ao impacto . 1%Si). c) Aços de alto teor de C(acima de 0. Os elementos típicos são: Cr. evitar o amolecimento entre 300°C e 550°C). visando evitar descascamento.3%C. Resistência a quente.

devidamente selecionados.25%V e 1%Mo. Por exemplo: os aços-carbono possuem baixo custo e elevada resistência mecânica. os aços ARBL (alta resistência e baixa liga) apresentam resistência entre 300 e 700 Mpa. 5%Cr. superiores aos aços de baixo carbono. São aços que podem ser aplicados para diversas finalidades. Principais propriedades dos materiais para os tubos A escolha de um material para determinada aplicação deve-se às propriedades que ele possui. tais aços possuem elevada temperabilidade sendo aplicáveis em: Matrizes de recorte Estampagem.85%Si. Alguns desses aços são: * * * Aço4340. 0. Aço4320.3. tendo sido desenvolvidos para elevar a relação entre resistência e peso. Aço8620. após a têmpera.3. (devido ao resfriamento ao ar atmosférico) sendo recomendados para manutenção de precisão dimensional. Aços de alta resistência e baixa liga (ARBL) São identificados como aços cujas normas AISI-SAE não os classificam como aços ligados.25%Si. mas sua resistência mecânica é inferior ao aço carbono. visando à aplicação em estruturas móveis. Elevada resistência mecânica e ao desgaste (aços D6: 2%C. 12%Cr. 0.4. Os mesmos apresentam baixas distorções.3%Mn. 0. 0. embora sejam vulneráveis à corrosão.75%W) sendo aplicáveis em matrizes para forjamento e estampagem. . são os aços ferramentas para trabalho a frio temperáveis ao ar. Dessa forma. 2.6%Mn. 0. em que haja: Elevada resistência à oxidação (aços inoxidáveis. 2. e o teor de carbono situa-se abaixo de 0. Já os materiais plásticos.3%. %Cr>12%). Lâminas de tesouras. A soma de elementos de liga geralmente não ultrapassa o percentual de 2%. Apesar de conterem elementos de liga adicionados para fins de obten ção de resistência mecânica e resistência à corrosão atmosférica. Exemplo deste tipo de aço-ferramenta é o aço com 1% C.associada com elevada dureza. Aços de alta liga -> São aqueles em que o somatório dos elementos de liga seja > 10%. possuem elevada resistência química a determinadas substâncias. 0.

como tração e a compressão. Veja a tabela 2.Principais propriedades dos materiais .br Propriedades Resistência mecânica Elasticidade Definição Propriedade que permite que o material seja capaz de resistir à ação de determinados tipos de esforços. Capacidade de o material se deformar quando submetido a um esforço. e manter uma parcela da deformação quando retirado o esforço. Baixa resistência aos choques. podemos ainda listar diversas outras propriedades qualitativas e quantitativas. Resistência do material à penetração. Capacidade de o material se deformar quando submetido a um esforço. Capacidade de o material conduzir calor. que devem ser levadas em conta para selecionarmos corretamente um ou mais materiais a serem utilizados. à deformação plástica e ao desgaste. Temperatura na qual o material passa do estado sólido para o estado líquido.5 que relaciona as principais propriedades dos materiais.Fonte: www. Quantidade de matéria alocada dentro de um volume específico. Tabela 2. Capacidade de o material conduzir a eletricidade. Tubos fabricados em Aço carbono De acordo com as propriedades da tabela 2.5.com. Resistência do material à passagem de corrente elétrica Capacidade de o material resistir à deformação causada pelo meio no qual está inserido Plasticidade Ductilidade Tenacidade Dureza Fragilidade Densidade Ponto de fusão Ponto de ebulição Dilatação térmica Condutibilidade térmica Condutibilidade elétrica Resistividade Resistência à corrosão 2.aquanex.5 . Capacidade de o material se deformar plasticamente sem romper-se Quantidade de energia necessária para romper um material. Temperatura na qual o material passa do estado líquido para o estado gasoso Variação dimensional de um material devido a uma variação de temperatura.4.1. e voltar à forma original retirando este esforço. são tubos fabricados com liga ferro-carbono .Além da propriedade mencionada.

gasodutos e outras aplicações industriais. . As principais características do aço carbono são eles: * * * Baixo custo. Tabela 2.2. X60. Aplicações gerais em água. K55. denominados "tubos de aço inoxidável".br Processo de fabricação Com costura API5L A. 5" 20" SIM SIM Long.Características dos tubos de aço carbono .6 . processos.Fonte: www. B.6 mostra as características gerais de certos materiais usados na fabricação de tubos em aço-carbono. X42. D ASTM A285 A. X55. B e A25. Direção da solda Aplicações API 5LX API 5LS API5A ASTM A106 ASTM A120 A. além de certos elementos residuais. gasodutos e outras aplicações industriais. X60. 5" 80" SIM NAO Helic. óleo e gás. Long. o silício (Si).008% até cerca de 2. X56. X70. Excelentes qualidades mecânicas. X65. B. B. Oleodutos.0% de carbono (C). C 16" SIM NAO e Helic 2. A tabela 2.5. Tubos para revestimento de poços de petróleo Tubos de alta qualidade para aplicações gerais e serviços de alta temperatura Tubos de baixa qualidade para aplicações gerais. gasodutos.aquanex. Facilidade de soldar e de conformar. o fósforo (P) e o enxofre (S) resultantes dos processos de fabricação.com. Tubos de alta resistência para oleodutos.que pode conter de 0. ASTM A134 A. A. X42. MaX.4. B e C 1/8" 24" NAO SIM 1/8" ASTM A283 16" SIM SIM Long. 2" 64" SIM SIM Long 1/8" 64" SIM Sem costura SIM Long Oleodutos. como o manganês (Mn). minerodutos. X46. J55. Diâmetros Norma Graus Min. X52. X40 e X52. os tubos fabricados em aço inoxidável são os produtos de fabricação mecânica. C. Tubos fabricados em aço inoxidável De acordo com as propriedades da tabela 2.

aquanex. além de terem alto emprego na fabricação de componentes de veículos e aplicações estruturais diversas. ocorre principalmente por processo TIG sem metal de adição. o qual pode ser realizado na própria máquina formadora ou em forno contínuo fora da linha de formação e.1 . Diversos testes são realizados durante a fabricação de tubos inoxidáveis com costura. A soldagem para tubos com costura. Acabamento.Fonte: www. a saber:  Com costura: o termo "com costura" faz referência ao produto tubular obtido a partir da aplicação de um processo de soldagem para a união de duas bordas. Após as etapas descritas. o tubo passará pela etapa de decapagem e passivação. Calibração. Destacam-se os seguintes: . como são mais conhecidos. a maioria das normas aplicadas exige um tratamento térmico de solubilização. em aços inoxidáveis.com. que são as seguintes:     Soldagem. Figura 2. a seguir. os quais variam de acordo com as exigências de normas. Os tubos de aço inox.1 ilustra este tipo de tubo. podendo se aplicar também o processo ERW (Eletric Resistance Welding).São utilizados em praticamente todas as indústrias de processo. provenientes de bobinas de lâminas soldadas a frio ou a quente. Aplicadas na largura adequada ao diâmetro final do tubo. as matérias-primas básicas são tiras inoxidáveis.br No caso dos tubos com costura. A figura 2.Tubos de aço inox com costura . plasma ou laser. Essas tiras são então encaminhadas para uma máquina formadora e passarão pelas etapas produtivas de formação. podem se apresentar ao mercado consumidor de duas formas. tais quais os tubos de aço-carbono. Corte.

7 abaixo mostra as características e aplicações gerais de aços inoxidáveis da norma ASTM séries A 249 e A 270. objeções técnicas tenham sido colocadas devido à presença de um cordão de solda longitudinal ao tubo. A 269. 3/4" 6" Sim Long. TP316L. Embora por algumas décadas. TP304H. Augusto Cury) Tabela 2. sobre-aquecedores. TP304L. Ensaios mecânicos. TP316. Ensaio pneumático. Ensaios de corrosão.Características dos aços inox ASTM séries A 249. Reflexão! "Se o tempo envelhece o seu corpo. ASTM A 249 TP304.     Ensaio de Eddy Current. devido aos avanços tecnológicos observados nos processos de fabricação. mas não envelhece a sua emoção. TP304L.TP321. portanto maior facilidade em se obter assepsia. destacam-se:        Menores custos Maior disponibilidade de produto no mercado Menor tempo de manufatura do produto Maior variedade de diâmetros e espessuras de parede disponíveis Tolerâncias dimensionais mais estreitas Obtenção de tubos com diâmetros elevados Melhor acabamento superficial do tubo.7 . hoje em dia. os tubos com costura representam a grande maioria do consumo mundial de tubos inoxidáveis. Ensaio hidrostático.TP347 ASTM A 270 TP304. A 270 e A 312 Fonte: livro tubulações industriais Norma Graus Diâmetros Processo de Fabricação Min. TP316. Dentre as vantagens apresentadas pelos tubos com costura. você será sempre feliz" (Dr. Max. Com costura Tubos para caldeiras. TP316L 1" 4" Sim Long. TP310S. trocadores de calor e condensadores. A tabela 2. Tubos para aplicações em indústrias Direção Da solda Aplicações . P317L.

e temperatura ambiente e sem grandes esforços mecânicos. os tubos fabricados em ferro fundido são passam por processos de fundição e centrifugação. em serviços de baixa pressão.com. Seguem as normas EB-43 e P-EB-137 DA ABNT e são testados para pressões de até 3 Mpa. Tubos fabricados em ferro fundido De acordo com as propriedades da tabela 2. mas seu custo é baixo. figura 2. seguido de trefilação a frio.2. Apresentam ótima resistência à corrosão do solo. pretos e galvanizados são produzidos segundo as normas pertinentes ao trabalho a que se propõem a executar.5. São pouco resistentes. e. 2. São usados para água. Cr ou Ni ao ferro fundido nodular aumenta a resistência mecânica.br 2. Recomendações e normas aplicadas a tubos de aço em geral Tubos de aço carbono com costura. São padronizados pelo diâmetro externo de 2" a 48" com as extremidades lisas.5. flange integral ou ponta e bolsa. A adição de Si.Fonte: wvw. conhecida como tarugo.steelpipe.Tubo de aço sem costura . Figura 2. denominado "pilgering". que será submetido a um processo de extrusão a quente.4. o tubo alcança as suas dimensões finais.3. são obtidos a partir de uma barra maciça. água salgada e esgoto. por meio de processo de redução a frio. São as seguintes as normas: .alimentícias e farmacêuticas  Tubos de aço inoxidável sem costura.2 . gás.

com extremidades biseladas ou roscadas com ou sem luva. sem costura trefilados a frio. ASTM-A-179: .para tubos de aço para serviços em baixa temperatura. ASTM-A-53: . maior 1 1/2" ± 1% Peso do revestimento de zinco: . frio.10%. Peso do revestimento de zinco: Norma ASTM > de 550 g/m2 e no mínimo 490 g/m 2 em qualquer extremidade do tubo. para permutadores de calor e condensadores. podendo atingir diâmetros de até 660 mm. Aço: Grau A ou B.para condução de fluidos diversos e outros fins.TUBOS de aço-liga. trefilados a Tolerâncias: parede: máximo de 12. fornecidos com certificado de qualidade.esta norma é similar a NBR5590.5% abaixo da parede nominal especificada. Estes tubos fabricados em aço liga sem costura seguem as normas de aplicação.0. Diâmetro: até 1 1/2"+ 0. 2. para permutadores de calor ou condensadores.liga sem costura Os tubos produzidos aço liga são fabricados pelo processo de extrusão. API-5L: Tubos de aço carbono para condução de produtos petrolíferos e outros fins. sem costura. Para condução de fluidos com exigências especiais. grau A ou B. São tubos com costura fabricados de aço de baixo carbono. . perfuração ou mandrilagem. Aço grau A.para tubos de aço baixo carbono. sem especificação de análise. em comprimentos de fabricação. ASTM-A-210: .para tubos de aço carbono.para tubos de aço carbono. São tubos produzidos com e sem costura em aço: Estado de fornecimento: idem ao ASTM-A-120. .para emprego em alta temperatura. biseladas ou roscadas com ou sem luva. Estado de fornecimento: pretos ou galvanizados. fornecido com certificado de qualidade. Estado de fornecimento: pretos ou galvanizados. com extremidades lisas. sem costura para caldeiras de alta pressão. ASTM-A-333: . ASTM-A-106: . fornecido com certificado de qualidade.1.5.ASTM-A-120: . Estado de fornecimento: idem ao ASTM-A-120. sem costura. a partir de tarugos de aço.8 mm. B ou C. Recomendações para os tubos fabricados em aço . que são as seguintes: ASTM-A-199 .4 mm. para caldeiras e superaquecedores. em comprimentos de 4 a 8 metros. ASTM-A-192: .

sistemas fluidodinâmicos e em operações onde são exigidos alto grau de precisão e boa qualidade de superfície.tubos de aço-liga ferrítico. sem costura.W.R. Estado de fornecimento: pretos. soldadas por resistência elétrica à alta freqüência produzidos pelo processo "THERMATOOL" sem o elemento de adição.tubos de aço-liga.  NBR6591 -ASTMA513(TIPO1)  DIN 2394-NBR 5599 NBR 8621 2.5. para caldeiras.3. para emprego em refinarias. para empregos em alta temperatura. superaquecedores e permutadores de calor.tubos de aço carbono ou liga para emprego em baixa temperatura. ASTM-A-335 . Recomendações para os tubos de aço carbono tipo com costura. máquinas. soldadas por resistência elétrica à alta freqüência (E. produzidos pelo processo de formação em calandra ou prensa. preto e galvanizados Estes tubos são produzidos com vários diâmetros e são encontrados no comércio com as seguintes características:  Com diâmetros de 1/4" até 6": com solda longitudinal.  Com diâmetro entre 8" até 16": com solda Longitudinal.5. sem costura. Recomendações para os tubos mecânicos sem costura Os tubos do tipo mecânico sem costura são aplicáveis em conjuntos estruturais mecânicos.) produzidos pelo processo de formação contínua. ASTM-A-213 . com inspeção por ultra-som. nas instalações de "Craking". mecânicos sem costura para serviços gerais. 2.2. sem costura. Todo produto que serve de matéria-prima para outro tem normas a serem seguidas. ASTM-A-334 . em comprimento de fabricação ou cortados em medidas exatas. São as seguintes normas e as aplicações devidas:  ST-52->tubos trefilados e laminados. com extremidades lisas.tubos de aço-liga ferrítico. de acordo com sua especificação. .  Com diâmetros nominais de 18" até 24": com solda Longitudinal por arco submerso. já que a qualidade passa ser um fator importante.ASTM-A-200 .

acabamento esmerado e ainda. com extremidades biseladas ou roscadas com ou sem luva. Os tubos de aço-carbono.1 mm para diâmetros maiores. Estes tubos são produzidos segundo as seguintes normas:  ABNT-EB 341 (NBR 5597) E ANSI C. Estado de fornecimento: pretos. em comprimentos mínimos de 6 metros. ou do tipo galvanizado são produzidos de acordo com as seguintes normas:  DIN-2440 (ABNT-NBR-5580)->Tubos de aço carbono para condução de fluidos. para caldeiras. ou fixos.2. múltiplos. Estado de fornecimento: pretos.12. em comprimentos de fabricação.5.1 = NPT com Tolerâncias: até . Estado de fornecimento: pretos ou galvanizados. sob consulta prévia. com extremidades lisas.  ASTM-A-134/139 ->Tubos para condução de fluidos. 6 mm para diâmetros menores.1 com rosca: padrão "americana" ANSI B. gás ou vapor. propiciando assim. .4.Tubos de aço carbono fabricados para uso geral.  ASTM-A-178 -Tubos de aço carbono. Estado de fornecimento: idem ao DIN-2458 com certificado de qualidade. com ou sem luva. soldados por resistência elétrica. biseladas ou roscadas. com extremidades biseladas em comprimentos de fabricação. ou aproximados.80. cozedores e câmaras de vácuo de usinas de açúcar.  ASTM-A-214->tubos de aço carbono.  ASTM-A-226 . recozidos extremidades lisas. Estado de fornecimento: pretos ou galvanizados. 2. soldados por resistência elétrica.  API-5L -»tubos de aço carbono para condução de produtos petrolíferos e outros fins. afastando os riscos de avarias na capa protetora dos condutores. Estado de fornecimento: idem ao DIN-2458 com certificado de qualidade. para caldeiras e superaquecedores de alta pressão. serpentinas. para permutadores de calor.5%. do tipo preto. fornecidos com certificado de qualidade. Estado de fornecimento: idem ao DIN-2458 com certificado de qualidade. secadores. Aço: grau A ou B.Tubos de aço carbono. descendo a ±. com costura. comprimentos de 6 metros. Aço: grau A. tal como evaporadores.  DIN 2458 . peso dos eletrodutos: ± 10% espessura da parede: diâmetro: ±1. os conhecidos eletrodutos são fornecidos com rebarba interna totalmente removida ao longo do seu comprimento. soldados por resistência elétrica. Recomendações para os tubos eletrodutos tipo galvanizados São fabricados especialmente para instalações elétricas que requerem alto grau de segurança. Ensaio hidrostático: 40 kg/cm2 (570 PSI).

Fonte: www. NOTA IMPORTANTE! Uma norma técnica é um documento de uso comum e repetitivo. ABNT-EB 342 (NBR 5598) com rosca/padrão "inglesa" .6. serviços. padronizar formas. cocefel. Esta é a definição internacional de norma.6 mm para diâmetros maiores. sistemas de gestão.br Norma ANSIC80. de desempenho. Ou são. Principais normas de aplicação de tubos existentes no mercado Deve ser realçado o aspecto de que as normas técnicas são estabelecidas por consenso entre os interessados e aprovadas por um organismo reconhecido. 2. estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido que fornece regras. Elas podem estabelecer requisitos de qualidade.BS 2.8 . mas também podem estabelecer procedimentos. enfim. As normas técnicas são aplicáveis a produtos. para a promoção de maior economia global. A tabela 2. processos.Normas de aço comercial . fixar classificações ou terminologias e glossários. como os métodos de ensaio. mostra algumas normas. tipos. seguidas as normas em vigor no mercado. definir a maneira de medir ou determinar as características. as quais são utilizadas comercialmente para especificação de tubos conforme as suas várias aplicações. e. Tabela 2.1 Aplicação comerciai do aço Eletrodutos de aço . no seu uso ou mesmo na sua destinação final). usos. Peso dos eletrodutos: ± 10% Diâmetro: ± 0.8. Usualmente são estabelecidas explicitamente pelo cliente. Acrescente-se ainda que são desenvolvidas para o benefício e com a cooperação de todos os interessados. visando à obtenção de um grau ótimo de ordenação em um dado contexto. pessoal. aos mais diversos campos. de segurança (seja no fornecimento de algo. levando-se em conta as condições funcionais e os requisitos de segurança. diretrizes ou características para atividades ou para seus resultados. simplesmente.10%. descendo a ± 0. em particular.com.2 mm para diâmetros menores.1 = BSP tolerâncias: espessura da parede: até . dimensões.

2. o material aplicado na fabricação destes tubos deve seguir às normas correlatas.com. Tubos com costura. soldados por resistência elétrica.água. revestimento e bombeamento para poços petrolíferos com exigências especiais. abaixo. utilizados em altas temperaturas em torno de 750°C. aparelhos e reservatórios. para condução de fluídos.API 5 A API 5 AX API5B API 5LX Tubos de perfuração.A 178 ASTM A 226 NBR 5585 Aplicações Caldeiras Caldeira de alta pressão e superaquecedor Trocadores e condensadores . Tabela 2. sem costura para emprego a altas temperaturas.9 . calibres e inspeção de roscas para casing. seguem normas específicas.petrobras. Tubos de aço carbono. ASTM A-120 Tubos de aço pretos ou galvanizados para condução de fluidos e outros fins BS-1139 BS-1387 BS-6363 DIN1629 DIN 2441 EB-383 EB-639 NBR-5580 NBR-5585 Tubos de aço para andaimes e fins estruturais Tubos com costura .aptos para dobras a frio. revestimento e bombeamento para poços petrolíferos com exigência especiais. o que gera a necessidade de consultar as normas próprias para cada aplicação.9. para fins estruturais. gás .br Normas ASTM . Tubos de aço carbono. os tubos.Utilização dos aços . Normas utilizadas para fabricação de tubos para troca térmica Em função da sua aplicabilidade na indústria. tubing e line-pipe. Tubos de perfuração.6. Teste hidrostático até 50 kg Tubos de aço para fins estruturais Tubos de aço carbono sem costura para tubulações. Tubos para condução de produtos petrolíferos com exigências especiais ASTM A-106 Tubos de aço carbono.Fonte: www. Pressão 50 kg Tubos de aço ferrítico. para permutadores de calor.1. Tubos de aço carbono. relaciona algumas destas normas utilizadas na fabricação de tubos de troca térmica. Dobra a frio. Especificação de roscas. A tabela 2. Na fabricação de tubos para troca térmica é necessário que o material utilizado possua resistência a temperaturas e. para condução. sem costura. sendo assim.

Exercícios 1. 2.  Maior ou menor facilidade de conformação e de trabalho.  Necessidade ou não de alívio de tensões. Sem costura alta pressão Sem costura permutadores e condensadores Sem costura caldeira ATENÇÃO! Para a solução do problema da escolha dos materiais. a experiência é indispensável e insubstituível.  Comparar economicamente os diversos materiais selecionados. levando em conta todos os fatores de custo. para ser reconhecido como bom para a fabricação de uma tubulação de gás. Na análise de custos dos materiais devem ainda ser levados em consideração os seguintes pontos:  Resistência à corrosão (sobre espessura de sacrifício). corrosão. Resumindo. embora nem sempre conduza à solução mais econômica.7. nível de tensão etc. Quais são esses .  Selecionar o grupo mais adequado para o caso tendo em vista as condições de trabalho.NBR 5596 DIN2458/DIN 1628 DIN2458/DIN 1615 ASTM A 106 EB 334 EB 338 ASTM A 179 ASTM A 192 ASTM A 199 ASTM A 209 Super aquecedores Para alta performance Sem requisitos especiais Sem costura para altas temperaturas Altas temperaturas Caldeiras e superaquecedores Sem costura.  Quanto ao custo de uma tubulação. é aquele que já foi usado por alguém nas mesmas condições de trabalho. deve ser considerada a relação custo / resistência mecânica. trocadores. Os materiais sólidos são classificados em seis grandes grupos. Exemplo: o material. pode-se indicar a seguinte rotina para seleção de materiais:  Conhecer os materiais disponíveis na prática e suas limitações físicas e de fabricação. Seguir a experiência é a solução mais segura.  Maior ou menor dificuldade de solda.

As dimensões das tiras se apresentam com grandes variações. já que este tipo de matéria-prima é altamente susceptível de sofrer processo de oxidação. Aqueles tubos que. vindo assim a comprometer a sua aplicação. no seu processo de fabricação. Os tubos produzidos com aço laminado a frio devem ser submetidos a cuidados especiais. isto é. III-PROCESSOS DE FABRICAÇÃO DE TUBOS O tubo de aço é um dos produtos siderúrgicos mais versáteis e pode ser aplicado desde a indústria moveleira até às obras de infra-estrutura. Cite cinco tipos de metais. pois tendem a amarelar. A largura de uma tira corresponde ao perímetro do diâmetro do tubo a ser produzido. podendo dessa forma produzir tubos com diâmetros de até 762 mm. Cite cinco principais propriedades dos materiais. o mercado dispõe hoje de dois tipos de tubos. os tubos devem ser armazenados e transportados sempre de modo a evitar a umidade. são utilizadas várias formas de soldagem. Diante disso.grupos? 2. Defina material metálico. como já mencionado.W. sem costura e tubos soldados do tipo com costura. 4. e a mais freqüente é a do processo E. Com base no processo de fabricação.R. utilizam laminados a quente correm menores riscos com . O que é liga metálica? 5. como já mencionado no capítulo anterior: tubos inteiriços. (Solda por Resistência Elétrica) com alta freqüência. 3. Quais são os fatores que influenciam na escolha de um determinado material para ser empregado na fabricação de um determinado tubo? Cite pelo menos quatro fatores. Tiras de aço laminado a quente compõem a matéria-prima dos tubos com costura. 6. Para formar o tubo.

mas não melhora a resistência à corrosão ou à oxidação. os tubos são estirados a frio. VOCÊ SABIA? Cromo: melhora a resistência à corrosão e à oxidação. Já para os casos em que se necessita de resistência ao calor e à fluência. com resistência à tração variando de 35 a 50 kgf/mm2. É importante frisar que. além de aumentar o limite de escoamento. sem que a sua qualidade seja prejudicada. como resistência à tração. o tempo de exposição não deve ser prolongado. utilizam-se aços-liga na sua fabricação.10% a 0. o procedimento é adicionar os elementos molibdênio ou molibdênio e cromo em pequenos teores. aquelas em que não são exigidas pressões e temperaturas elevadas. para aplicações mais comuns.  Melhorar certas propriedades mecânicas.se o aço com baixo teor de carbono (0. normalmente. que seja resistente à corrosão e à oxidação. No processo de fabricação de tubos.  Produzir diâmetros muito pequenos. Molibdênio: melhora a resistência à fluência a elevadas temperaturas. 3. Descrição dos processos de fabricação de tubos A fabricação de tubos pode ser executada por meio de vários processos. Obviamente. quando é desejado um tubo para aplicação em elevadas temperaturas. Se tomados os devidos cuidados. . Os valores mais elevados de resistência mecânica são obtidos no estado encruado pelo estiramento. os tubos podem ser armazenados e transportados em condições normais. nos tubos provenientes do mesmo lingote.  Melhorar o acabamento superficial. até mesmo a céu aberto. Além dessas informações. com os seguintes objetivos:  Produzir paredes mais finas.1. utiliza . isto é. é maior nos tubos de menor diâmetro.  Obter tolerâncias dimensionais mais rigorosas. O teor máximo é de 1%.relação à oxidação.25%). O teor máximo encontrado nesses produtos tubulares é de 9%. a resistência à tração e à dureza. A resistência à tração. devido à conformação mecânica mais intensa a que são submetidos.  Produzir formas diferentes da circular.

Esta denominação veio de muito tempo. Os processos de fabricação para obtenção do produto final. Os processos de fabricação de tubos são:  Processo de fabricação de tubos com costura . que acaba formando o tubo. Por extrusão. tem as indicações próprias em função das vantagens ou desvantagens que cada processo proporciona ao produto. este tipo de processo não é muito utilizado. a solda é elétrica contínua. é um processo que consiste em perfurar com um mandril o tarugo metálico amolecido que vai formar o tubo e logo a seguir comprimi-lo com um êmbolo acionado por uma prensa. Fabricação de tubos com costura Os tubos "com costura" recebem esta denominação de maneira errônea. O lingote é perfurado longitudinalmente a frio e as paredes são forjadas ao rubro contra um mandril. além de pressioná-lo fortemente.1. que são os tubos. no entanto. 3.W. é um processo que consiste em passar um lingote aquecido entre dois rolos de um laminador oblíquo que. São elas listadas abaixo e discriminadas adiante.   Por fundição. obrigam-no a deslocar-se girando na direção de um mandril cônico. o que confere excelentes características aos produtos.sendo que cada um deles. o processo de fabricação é realizado por meio de solda longitudinal sob E. variam de acordo com a norma a que o referido tubo vai se .Nesse processo os tubos são produzidos por quatro maneiras diferentes. de modo a formar um cilindro. (Solda por Resistência Elétrica) com alta frequência. pela ação de um martelete. As variações deste processo serão discriminadas a seguir  Processo de fabricação de tubos sem costuras .Nesse processo os tubos são produzidos soldando-se as bordas de uma chapa dobrada longitudinalmente ou em espiral.  Por laminação. Hoje. é um processo aplicado principalmente na fabricação de tubos de ferro fundido. pois esse material. quando o processo utilizava baixa frequência (50 ou 60 hz) o que proporcionava ao produto uma aparência de material "costurado". teve o nome consolidado tal como a marca "xerox". Este processo garante a homogeneidade entre a matéria-prima e a solda. Geralmente.R. sendo empregado para a produção de tubo de paredes muito grossas.  Por forjamento. sendo realizada automaticamente por arco submerso ou com proteção de gás inerte.1.

para serem preservados do efeito de amarelar.  ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e outras. devem ser armazenados e transportados sempre evitando . o tipo de aço utilizado é normalmente fornecido segundo especificações normatizadas conforme listado abaixo:  ASTM (American Society for Testing and Materials). É necessário cuidado especial com tubos produzidos com esta matéria-prima.Bobina Laminada a Quente: Estas bobinas. o que pode causar sérias consequências na utilização final do produto. Estas bobinas são produzidas normalmente em espessuras abaixo de 2. Os tubos podem ser armazenados e transportados em condições normais até mesmo em céu aberto (por pouco tempo) sem ter sua qualidade prejudicada. Vale lembrar que são também denominadas de BG (Bobinas Grossas). ferrugem).00 mm e não se faz uma tolerância dimensional tão restrita quanto as do tipo BF. Quando for necessária uma espessura menor da BQ e uma melhor condição dimensional pode . Quando os tubos de condução são zincados a quente (galvanizados a fogo como são popularmente conhecidos). neste caso.00 mm e possuem melhor tolerância dimensional e acabamento.  AISI (American Institute of Steel and Iron). Os tubos produzidos por esse processo. Este processo também é utilizado para se obterem espessuras não fornecidas pelas Aciarias.se fazer uma relaminação a frio da chapa. é altamente susceptível de oxidação (corrosão.  DIN (Deustaches Institute for Normuns). SAIBA MAIS! A matéria-prima utilizada para fabricação de tubo com costura. BQ . é adquirida em forma de bobinas. ao contrário das anteriores. como já mencionado. quando a espessura for superior a 5.Bobina Laminada a Frio: Estas bobinas têm como característica possuírem uma cor clara. que são classificadas em dois grandes grupos: BF e BQ. Devido a seu processo de fabricação ser maior que as BQ. possuem uma cor escura e são menos susceptíveis de oxidação. pois.00 mm. A produção dessas bobinas é normalmente em espessuras acima de 2.  API (American Petroleum Institute). as chapas relaminadas a frio são chamadas de RL.  SAE (Society of Automotive Engineers). seu custo final torna-se maior. . não existe a preocupação com a superfície do tubo. Os tubos devem ser produzidos em uma variada gama de matérias-primas.se a umidade. BF . Para atender a tal necessidade.submeter ao ser fabricado.

. São eles:  Ensaio eletromagnético: Através de correntes parasitas testa-se o tubo quanto a descontinuidades.  Expansão mecânica a frio (etapa "E" da fabricação). por UOE É assim conhecido pelas etapas de dobramento das chapas até a formação do tubo.1 mostra as etapas deste processo.  Soldagem automática interna e externa por arco submerso (SAW .  Ensaio hidrostático: Consiste em testar o tubo a uma determinada pressão hidráulica para garantir a estanqueidade do tubo.Submerged Arc Welding).  Testes Hidrostáticos. tais como alargamento.  Prensamento da chapa plana gerando a forma de "U" e posterior prensamento gerando a formação do "O". A verificação da qualidade da solda e/ou do produto final pode ser feita por meio de ensaios.Deve . Não garante a estanqueidade.se apenas tomar pequenos cuidados quanto ao seu armazenamento. A figura 3. flangeamento etc. Processo de Fabricação de tubos com costura.  Ensaios não-destrutivos.  Ensaios dimensionais.  Ensaios Destrutivos: Durante o processo de fabricação são realizados vários ensaios mecânicos destrutivos em amostras retiradas durante a produção. porém é admitido como o teste opcional ao hidrostático na maioria das normas de condução devido à sua grande velocidade de execução. As etapas são:  Prensamento da borda da chapa. no qual os tubos não passam por qualquer tratamento de alívio de tensões.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->