P. 1
Portfólio de Grupo UNOPAR 4º Semestre - Análise de Sistemas

Portfólio de Grupo UNOPAR 4º Semestre - Análise de Sistemas

|Views: 3.519|Likes:
Publicado poradsonhonori



Trabalho apresentado às disciplinas: Comunicação de Dados e Teleprocessamento, Ética e Responsabilidade Social, Seminário IV, Análise de Sistemas III, Linguagens e Técnicas de Programação III e Desenvolvimento Orientado a Objetos II da Universidade Norte do Paraná - UNOPAR



Trabalho apresentado às disciplinas: Comunicação de Dados e Teleprocessamento, Ética e Responsabilidade Social, Seminário IV, Análise de Sistemas III, Linguagens e Técnicas de Programação III e Desenvolvimento Orientado a Objetos II da Universidade Norte do Paraná - UNOPAR

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: adsonhonori on Feb 03, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF or read online from Scribd
See more
See less

09/17/2013

pdf

original

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO ANÁLISE DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS ADSON JOSÉ HONORI DE MELO GERISVALDO DA COSTA MACEDO

PORTFÓLIO DE GRUPO 4º SEMESTRE

Palmas 2012

ADSON JOSÉ HONORI DE MELO GERISVALDO DA COSTA MACEDO

PORTFÓLIO DE GRUPO 4º SEMESTRE

Trabalho apresentado às disciplinas: Comunicação de Dados e Teleprocessamento, Ética e Responsabilidade Social, Seminário IV, Análise de Sistemas III, Linguagens e Técnicas de Programação III e Desenvolvimento Orientado a Objetos II da Universidade Norte do Paraná UNOPAR Prof(s). : Márcio Chiaveli Paulo Nishitani Polyanna Gomes Sérgio de Goes Anderson Gonçalves

Palmas 2012

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................3 2 DESENVOLVIMENTO...............................................................................................4 3 CONCLUSÃO...........................................................................................................17 REFERÊNCIAS..........................................................................................................18

3

1 INTRODUÇÃO Esta produção textual interdisciplinar do 4º semestre do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem como objetivo aplicar e exercitar os conteúdos assimilados no período, elencando os diversos conceitos, técnicas e práticas das disciplinas. Abordaremos as possíveis ações éticas e não éticas entre os envolvidos no negócio. Mostraremos uma nova tendência de divulgação e comercialização de livros, os e-books ou livros digitais e como os aparelhos móveis têm ajudado nesse processo. Usando a UML montaremos o Diagrama de Implantação da empresa. Finalizando nosso trabalho construiremos a interface de tela com foco no cadastro de clientes, utilizando o Visual Studio.

4

2 DESENVOLVIMENTO

2.1 ÉTICA Ética é a parte da filosofia dedicada aos estudos dos valores morais e princípios ideais do comportamento humano. A palavra "ética" é derivada do grego, e significa aquilo que pertence ao caráter. Diferencia-se da moral, pois, enquanto esta se fundamenta na obediência a costumes e hábitos recebidos, a ética, ao contrário, busca fundamentar as ações morais exclusivamente pela razão. A ética também não deve ser confundida com a lei, embora com certa frequência a lei tenha como base princípios éticos. 2.1.1 AÇÕES ÉTICAS E NÃO ÉTICAS NA LOCADORA A prática da ética nas organizações requer convicção, vontade política e competências adequadas para tornar as ações empresariais concretas e objetivas, minimizando as resistências e as incompreensões. Podemos enumerar várias situações envolvendo o cliente e a empresa no que tange as ações éticas e não éticas que permeiam suas relações. Abaixo, relacionamos as ações éticas. O não cumprimento destas implica nas ações não éticas. Vamos a elas: a) Cliente que devolve seu livro em boas condições; b) Cliente que devolve seu livro dentro do prazo; c) Cliente que não subloca o livro para terceiros; d) Cliente que ressarce a empresa com novo exemplar em caso de sinistro; e) Cliente que não faz cópias (xerox) de obras; f) Empresa que mantém seus exemplares disponíveis e de forma organizada; g) Empresa que disponibiliza meios para acesso e pesquisa de

5

exemplares, facilitando a locação; h) Empresa que dispõem de vasto e atualizado acervo; i) j) Empresa que respeita as políticas de preços não abusivos; Empresa que cria programas de fidelidade para seus clientes; clientes; l) Empresa que investe e propicia um local aconchegante e agradável para seus clientes curtirem as obras; m) Empresa que investe em TI para facilitar o acesso on-line; n) Empresa que elabora programas de responsabilidade social; Observa-se que a prática da ética nas organizações, entre colaboradores e seus clientes, por caminhos formais ou informais, instala-se por referências, ideais de comportamentos e procedimentos que servem de guia, modelo e exemplo de ações ou atitudes tidas como aceitas ou recomendadas. As empresas devem ser justas com os clientes, tratá-los com respeito, valorizando-os, sem enganá-los, agindo de forma ética, sabendo de suas responsabilidades e cumprindo-as de maneira correta. Já os clientes devem cumprir com sua parte no processo, assim, estarão agindo com ética, correção e cidadania. 2.2 LIVROS DIGITAIS E OS APARELHOS MÓVEIS Um livro digital (livro eletrônico ou o anglicismo e-book) é um livro em formato digital que pode ser lido em equipamentos eletrônicos tais como computadores, PDAs, leitor de livros digitais ou até mesmo celulares que suportem esse recurso.

k) Empresa que treina seus colaboradores para bem servir aos

6

2.2.1 FORMATOS Os formatos mais comuns de e-books são o PDF, HTML e o Epub (Eletronic Publication - Publicação Eletrônica). O primeiro necessita do conhecido leitor de arquivos Acrobat Reader ou outro programa compatível, enquanto que o segundo formato precisa de um navegador de Internet para ser aberto. O Epub é um formato de arquivo digital padrão específico para e-books. 2.2.2 VANTAGENS A principal vantagem do livro digital é a sua portabilidade. Eles são facilmente transportados em disquetes, CD-ROMs, pen-drives e cartões de memória. Como se encontra no formato digital pode ser transmitido rapidamente por meio da Internet. Outra vantagem é o preço, até 80% menor que um livro impresso, quando não for gratuito. O livro digital não precisa entrar em filas de impressão em gráficas, como ocorre tradicionalmente. Assim, uma vez prontos para distribuição, basta entrar em redes on-line de venda e distribuição. 2.2.3 DIREITOS AUTORAIS Assim como um livro tradicional, o livro digital é protegido pelas leis de direitos autorais. Isso significa que eles não podem ser alterados, plagiados, distribuídos ou comercializados de nenhuma forma, sem a expressa autorização de seu autor. No caso dos livros digitais gratuitos, devem ser observadas as regras e leis que regem as obras de domínio público ou registros de códigos abertos para distribuição livre. 2.2.4 EQUIPAMENTOS MÓVEIS São aparelhos destinados à leitura de conteúdo como: livros, jornais e outros documentos em formato digital, por serem móveis e práticos, conquistaram as pessoas muito rapidamente, outra facilidade é que se conectam pela rede de celulares. Estes aparelhos foram decisivos na popularização e massificação dos livros digitais.

7

2.2.4.1 PDAs (Personal Digital Assistants) PDAs, handhelds, ou palmtop, é um computador de dimensões reduzidas, dotado de grande capacidade computacional, cumprindo as funções de agenda e sistema informático de escritório elementar, com possibilidade de interconexão com um computador pessoal e uma rede informática sem fios para acesso a e-mail e internet. Os PDAs de hoje possuem grande quantidade de memória e diversos softwares para várias áreas de interesse. Os modelos mais sofisticados possuem modem (para acesso à internet), câmera digital acoplada (para fotos e filmagens), tela colorida, rede sem fio embutida. Figura 1: PDA da Dell

Fonte: http://sartechnology.ca/sartechnology/PDA6.jpg

2.2.4.2 SMARTPHONE Smartphone (telefone inteligente, numa tradução livre do inglês) é um telefone móvel com funcionalidades avançadas que podem ser estendidas por meio de programas executados por seu sistema operacional. Os sistemas operacionais dos smartphones permitem que desenvolvedores criem milhares de programas adicionais, com diversas utilidades, agregados em sites como o Google

8

Play. Geralmente um smartphone possui características mínimas de hardware e software, sendo as principais a capacidade de conexão com redes de dados para acesso à internet, a capacidade de sincronização dos dados do organizador com um computador pessoal. Um smartphone pode ser considerado um telefone celular com as funcionalidades de um PDA. Figura 2: Smartphone

Fonte: http://4.bp.blogspot.com/-RHWFuWWgcbA/T6P9twMAAZI/AAAAAAAAbtQ/5R51ADOY3U/s1600/smartphone-apple.jpg

2.2.4.3 TABLET Um tablet, também conhecido como tablet PC ou, em português, tablete, é um dispositivo pessoal em formato de prancheta que pode ser usado para acesso à Internet, organização pessoal, visualização de fotos, vídeos, leitura de livros, jornais e revistas e para entretenimento com jogos. Apresenta uma tela sensível ao toque (touchscreen) que é o dispositivo de entrada principal. A ponta dos dedos ou uma caneta aciona suas funcionalidades. É um novo conceito: não deve ser igualado a um computador completo ou um smartphone, embora possua funcionalidades de ambos. Figura 3: Tablet

9

Fonte: http://2.bp.blogspot.com/-DgSZlan10U4/TefRH9UxlxI/AAAAAAAAAyc/sOVhKTPOR8/s1600/tablet.jpg

2.2.4.4 NETBOOKS Netbook é um termo usado para descrever uma classe de computadores portáteis tipo subnotebook com características típicas: peso reduzido, dimensão pequena ou média e baixo custo. São utilizados, geralmente, em serviços baseados na internet, tais como navegação na web, e-mails e leitura de e-books. Figura 4: Netbook Asus

Fonte: http://www.whala.com.br/wp-content/uploads/2009/04/asus-eee-netbook.jpg

2.3 UML – DIAGRAMA DE IMPLANTAÇÃO O diagrama de implantação é onde modelamos toda a infraestrutura

10

do ambiente externo. Normalmente é mostrado servidores neste diagrama. São valiosos porque modelam a plataforma de hardware para um sistema e identificam as capacidades do hardware que afetam o planejamento do desempenho e a configuração do software. Este diagrama não é específico do desenvolvedor, mas em uma equipe onde existe o responsável pela implantação do sistema, este deve estar preocupado com o hardware e a configuração em que o sistema deverá ser executado e a compatibilidade entre os dois. Devemos identificar os dispositivos e o ambiente que a aplicação deverá ser executada, se for possível utilize alguma ferramenta para descobrir a configuração adequada de hardware. Se a instalação ficar complexa crie mais de um diagrama, cada um focando em um determinado ponto da instalação. Para elaborar este tipo de diagrama podemos analisar o cenário formulando perguntas que servirão como base para a modelagem do diagrama: a) Quantos usuários terão acesso ao sistema? Resp.: oito. b) Como estes clientes se conectarão ao sistema, cabos ou wifi? Resp.: A princípio será usada uma rede cabeada, pois a Wifi demanda mais investimentos em segurança da informação. c) Haverá arquivos, Resp.: Os quais tipos de serviços (servidores), impressão, banco usuários de se dados, autenticarão antivírus, num backup? servidor de

arquivos/controlador de domínios. Terão serviços de impressão compartilhados neste servidor. Haverá um servidor de banco de dados separado para atender o sistema e o backup será automatizado. O antivírus será instalado no cliente e no servidor de arquivos. d) Qual a configuração mínima para as máquinas clientes? Resp.: Processador Dual Core de 2.0ghz, 2gb de memória, interface de rede e hard disk de 80gb.

11

e) Qual a configuração dos servidores? Resp.: Servidor de domínio com Intel Core Quad 3ghz, 1Tera de hard disk e 4gb de memória. Servidor de banco de dados com Intel Xeon 2.0ghz, 1Tera de hard disk e 8gb de RAM e unidade de backup.

Figura 5: diagrama de implantação

12

2.4 CADASTRO DE LIVROS Em Programação Orientada a Objetos, uma classe é uma estrutura que abstrai um conjunto de objetos com características similares onde é definido o comportamento de seus objetos através de métodos e atributos. Para nosso Formulário de Cadastro, usamos três classes, onde uma delas é abstrata e que merece atenção especial. A classe abstrata é composta da assinatura do comportamento, implementada somente em outras classes que a herdam e tem seu estado original sobrescrito através da função override. 2.4.1 ENTENDENDO O FORMULÁRIO Já com os atributos do banco de dados definido, começamos a trabalhar com a camada de visão - User Interface, onde temos quatro elementos textboxs e um DataGridView. O DataGridView lista todas as colunas da tabela Livro e uma vez acionado, preenche os textboxs com seus respectivos atributos. No caso da alteração do Estado do Livro, é feita pela textbox Estado e quando alterada aparece uma mensagem comprovando a alteração.

13

14

15

2.4.2 CÓDIGO FONTE
using System; using System.Collections.Generic; using System.ComponentModel; using System.Data; using System.Drawing; using System.Linq; using System.Text; using System.Windows.Forms; namespace BibliotecaUnopra { public partial class Form1 : Form { public Form1() { InitializeComponent(); } private void Form1_Load(object sender, EventArgs e) { povoa_grade(); } public void povoa_grade() { try { livroBLL livrobll = new livroBLL(); grade_livros.DataSource = livrobll.lista_livros_dal(); } catch (Exception erro) { MessageBox.Show("Erro na listagem de livros: " + erro); } } // fecha povoa_grade private void button3_Click(object sender, EventArgs e) { livroModel obj_livro = new livroModel(); obj_livro.Codigo = Convert.ToInt32(tb_codigo.Text); obj_livro.Nome = tb_descricao.Text; try { livroBLL livrobll = new livroBLL(); livrobll.gravalivroDal(obj_livro); MessageBox.Show("livro gravado com sucesso"); povoa_grade(); } catch (Exception erro) { MessageBox.Show("Erro ao gravar livros: " + erro); } } // fecha evento para gravar private void button4_Click(object sender, EventArgs e) { livroModel obj_livro = new livroModel(); obj_livro.Codigo = Convert.ToInt32(tb_codigo.Text); try { livroBLL livrobll = new livroBLL(); livrobll.excluilivroDal(obj_livro);

16
MessageBox.Show("livro excluido com sucesso"); povoa_grade(); } catch (Exception erro) { MessageBox.Show("Erro na exclusao de livros: " + erro); } } // fecha evento para excluir private void btGravarLivro_Click(object sender, EventArgs e) { livroModel obj_livro = new livroModel(); obj_livro.Codigo = Convert.ToInt32(tb_codigo.Text); obj_livro.Nome = tb_descricao.Text; obj_livro.Autor = tb_descricao1.Text; obj_livro.Status = tb_descricao2.Text; try { livroBLL livrobll = new livroBLL(); livrobll.atualizalivroDal(obj_livro); MessageBox.Show("Estado do Livro alterado"); povoa_grade(); } catch (Exception erro) { MessageBox.Show("Erro ao gravar de livros: " + erro); } } private void grade_livros_CellContentClick(object sender, DataGridViewCellEventArgs e) { } private void tb_descricao_TextChanged(object sender, EventArgs e) { } private void tb_descricao1_TextChanged(object sender, EventArgs e) { } private void tb_descricao2_TextChanged(object sender, EventArgs e) { } private void tb_codigo_TextChanged(object sender, EventArgs e) { } } }

17

3 CONCLUSÃO Vimos neste trabalho como as ações éticas e não éticas podem interferir na relação entre colaboradores e clientes e relacionamos várias situações sobre o tema. Mostramos como os e-books ou livros digitais vêm ganhando espaço no mercado e como os aparelhos eletrônicos móveis contribuiram para massificar este novo conceito de leitura. Aprendemos mais sobre o diagrama UML de implantação, suas particularidades e a melhor forma de trabalhar com esta poderosa ferramenta, bem como a importância destas no desenvolvimento de artefatos de software. A parte prática de programação do trabalho foi abordada na criação da tela com foco no cadastro de clientes, desenvolvida no Visual Studio, bastante interessante e importante para assimilarmos o conteúdo interdisciplinar ministrado durante o semestre. É com enorme satisfação que entregamos nosso portfólio de grupo para apreciação dos professores, procuramos transformá-lo num documento prático e objetivo, abordando os conceitos ministrados e absorvidos no 4º período do curso de Análise de Sistemas da UNOPAR.

18

REFERÊNCIAS MEDEIROS, Ernani Sales. Desenvolvendo software com UML 2.0: definitivo. São Paulo: Pearson Makron Books, 2004. TANAKA, Simone Sawasaki. Análise de sistemas III. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. CALDEIRÃO, Denise Morselli Fernandes. Ética e responsabilidade social: RH/Denise Morselli Fernandes Caldeirão, Thiago Nunes Bazoli, Nádia Brunetta. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. WIKIPÉDIA, Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89tica. Acesso em: 02 out. 2012. WIKIPÉDIA, Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Livro_digital. Acesso em: 02 out. 2012.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->