P. 1
Geografia B - Extensivo

Geografia B - Extensivo

|Views: 243|Likes:
Publicado porJuliane Coutinho

More info:

Published by: Juliane Coutinho on Feb 04, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/06/2013

pdf

text

original

Inclusão para a Vida

Geografia B
de certas áreas, normalmente expulsando ou exterminando (ainda, às vezes, escravizando) os índios que as ocupavam, e, com o tempo, expandiram o seu território e criaram neste novo mundo uma sociedade diferente, que um dia se tornou um Estado-Nação independente. A construção do Brasil, que durou vários séculos, teve dois aspectos principais: a criação de uma sociedade com cultura (valores e hábitos) e instituições próprias (especialmente o Estado ou poder público em todos os níveis e esferas); e a formação territorial, isto é, a forma de ocupação da terra e a sua delimitação por meio de fronteiras. Aspectos da colonização Um aspecto marcante na colonização de todo o continente americano - e, por extensão, do Brasil -, com exceção apenas de partes da América do Norte, foi servir para o enriquecimento das metrópoles (as nações europeias). De fato, o que alguns historiadores chamam de "sentido" da nossa colonização está nisto: ela foi organizada para fornecer ao comércio europeu açúcar, tabaco e alguns outros gêneros; mais tarde, ouro e diamantes; depois, algodão e, em seguida, café. E isso acarretaria algumas marcas à economia e à sociedade brasileiras que, em alguns casos, permanecem até hoje, por exemplo: povoamento mais intenso na faixa atlântica, onde se localizam os portos; utilização dos melhores solos para a produção de gêneros destinados à exportação, e não de alimentos para a população; formação de uma sociedade constituída principalmente por uma minoria de altíssimas rendas (que mantém ligações econômicas com o exterior) e uma maioria com baixas rendas, que serve como força de trabalho barata; dependência econômica em relação aos centros mundiais do capitalismo. Assim, a colonização do Brasil teve um caráter de colônia de exploração, o que significa que ela foi inserida na política mercantilista da época, servindo como uma das condições indispensáveis para que ocorresse a Primeira Revolução Industrial, de meados do século XVIII até o final do século XIX. Esse acontecimento marcou a passagem do capitalismo comercial típico da época moderna (séculos XVI a XVIII), em que o comércio era o setor chave da economia, para o capitalismo industrial. Localização O território brasileiro é cortado por dois círculos imaginários – o Equador, que passa pela embocadura do rio Amazonas, e o Trópico de Capricórnio, que corta os estados do Mato Grosso do Sul, Paraná e de São Paulo. O Brasil tem seu território assim distribuído: 100% No hemisfério Oeste. 7% No hemisfério Norte. 93% No hemisfério Sul. 93% Na Zona Intertropical. 7% Na Zona Temperada Sul (subtropical).

UNIDADE 1
CARACTERÍSTICAS GERAIS DO TERRITÓRIO BRASILEIRO
O TERRITÓRIO BRASILEIRO O Brasil, possuindo um território de 8.514.876,599 Km2, costuma ser considerado um ‗país continental'.

De fato, com uma das maiores extensões territoriais do mundo (quinto lugar), inclui-se entre os seis países que têm mais de 7 milhões de km2. A extensão do território brasileiro corresponde a uma parcela aproximada de 1,66% da superfície terrestre (cerca de 6% das terras emersas do globo). O território brasileiro ocupa, atualmente, cerca de 47% da área da América do Sul e está localizado em sua porção centro-oriental. Para ter uma ideia da imensidão do nosso país, podemos lembrar também que toda a Europa, a ocidental e a oriental (excluindo a parte europeia da Rússia), onde existem atualmente 39 Estados independentes, possui apenas cerca de 5,2 milhões de km2. Alguns estados do Brasil - como o Amazonas, o Pará, Mato Grosso ou Minas Gerais - têm cada qual uma área territorial superior à de inúmeros países europeus reunidos. A formação territorial do Brasil A ideia de descobrimento do Brasil foi muito comum, se ainda não o é. Era como se o país já estivesse "pronto" e faltasse somente alguém, um navegador português, que o encontrasse. Mas, se o Brasil somos nós, o povo - ou melhor, a sociedade brasileira, com sua cultura, território e instituições -, então é lógico que ele ainda não existia em 1500. O que havia era um espaço físico habitado por inúmeras sociedades indígenas, cada uma com um território diferente. Os colonizadores portugueses se apropriaram

Pré-Vestibular da UFSC

1

Inclusão para a Vida

Geografia B
oceânico. No segundo fuso horário brasileiro (menos três horas em relação a Greenwich), temos a ―Hora Oficial do Brasil‖ (Hora de Brasília).

Fronteiras Temos 15.719 km de fronteiras, feitas principalmente por rios e serras; o maior trecho é com a Bolívia – 3.126 km, e o menor com o Suriname – 593 km. O Chile e o Equador não têm fronteiras com o Brasil. No Leste, o país faz 10.959 km de fronteira com o Oceano Atlântico. Visualize essas e outras características do território observando o mapa abaixo:

Exercícios de Sala  1. (PUC-SP) Leia com atenção: "[...] a Amazônia se
destaca pela extraordinária continuidade de suas florestas, pela ordem de grandeza de sua principal rede hidrográfica e pelas sutis variações de seus ecossistemas, em nível regional e de altitude. Trata-se de um gigantesco domínio de terras baixas florestadas, disposto em anfiteatro [...]"
(Aziz AB'SÁBER In: Os Domínios de Natureza no Brasil, p. 65)

Esse trecho se refere ao domínio morfoclimático amazônico. Considerando a classificação dominante (e atual) do relevo brasileiro, é correto dizer que: a) A Amazônia é um imenso segmento territorial de planícies rebaixadas, produto de deposição de sedimentos. b) Embora apresente terras baixas, a Amazônia é constituída de planaltos na sua maior extensão, e apenas alguns pontos são realmente planícies. c) Há presença dominante de planícies, com pequenos segmentos de depressões nas margens dos maiores rios. d) Planaltos, depressões e planícies, formações de origens diferentes, equivalem-se em extensão, e estão, mais ou menos, na mesma faixa de altitude. e) Predominam as depressões, com a presença de planícies descontínuas no sul e ao longo da calha do Rio Amazonas, e uma formação planáltica ao norte. Fusos Horários Devido à sua grande extensão longitudinal, o território brasileiro é atravessado por quatro fusos horários, sendo neles a hora atrasada em relação à Hora de Greenwich. Entretanto, em junho de 2008 houve uma nova padronização do fuso brasileiro e, desde então, o país estabeleceu apenas dois fusos continentais e um

Pré-Vestibular da UFSC

2

Inclusão para a Vida 2. (UERJ) 4. (UFMG) Analise este fluxograma:

Geografia B

Queimadas na Floresta Amazônica

Indique dois problemas relacionados à segurança nacional e dois problemas de ordem socioambiental que ocorrem ao longo da faixa de fronteira indicada no mapa.

3. (UNICamp) A abelha, no Brasil, é um híbrido das
abelhas europeias ('Apis mellifera mellifera', 'Apis mellifera ligustica', 'Apis mellifera caucasica' e 'Apis mellifera carnica') com a abelha africana ('Apis mellifera scutellata'). Essa abelha, africanizada, possui um comportamento muito semelhante ao da 'Apis mellifera scutellata', em razão da maior adaptabilidade desta raça às condições climáticas do País. Muito agressiva, porém menos que a africana, a abelha do Brasil tem grande facilidade de enxamear, alta produtividade e tolerância a doenças.(Embrapa Meio-Norte,
http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Mel/SPM el/racas.htm, acessado em 05/09/2008.)

A partir da análise desse fluxograma e considerando-se outros conhecimentos sobre o assunto, é incorreto afirmar que a) a inflamabilidade da floresta decorre de ações humanas associadas, direta ou indiretamente, a causas naturais. b) a redução da cobertura florestal, ao comprometer a evapotranspiração, pode, a longo prazo, acarretar redução das chuvas. c) o aumento do número e da intensidade das queimadas na Amazônia pode tornar-se, num ciclo vicioso, um processo de retroalimentação. d) o fenômeno El Niño tem relação direta, mas favorável, com a redução das queimadas na Amazônia brasileira.

UNIDADE 2
OS CLIMAS DO ESPAÇO BRASILEIRO
CLIMAS DO BRASIL
Goudie, A. "The Human Impact on the Natural Environment". 6a ed., Malden: Blackwell Publishing, 2006, p. 69.

a) Calcule a distância, em quilômetros, de propagação da abelha africana entre o ponto de origem e a cidade de Fortaleza. Por que a propagação da abelha africana não avançou para a Patagônia Argentina e a Cordilheira dos Andes? b) A apicultura é uma atividade capaz de causar impactos positivos, tanto sociais quanto econômicos, além de contribuir para a manutenção e preservação de ecossistemas existentes. Aponte dois aspectos econômicos positivos trazidos pela apicultura, em especial para a agricultura familiar.

O CLIMA DO BRASIL Com a maior parte do seu território na Zona Intertropical do planeta, o Brasil é dominado por climas quentes – equatorial e tropical. Somente no Sul é que notamos a presença de clima subtropical, com ocorrência de geadas no inverno (podendo até ocorrer nevadas, pois os meses de inverno são úmidos no Planalto Meridional – do Paraná para o Sul). Entre os fatores que influenciam o clima, são destacados como influência direta:

Pré-Vestibular da UFSC

3

pois o Brasil possui uma extensão Norte-Sul superior a 4. M. tendo aproximadamente 92% do território na faixa intertropical e o restante na área subtropical.E. massa Tropical atlântica (mTa) e massa Polar atlântica (mPa) Fonte: SIMIELLI. massa Equatorial atlântica (mEa). 2003. pois o Brasil recebe influências da massa Equatorial continental (eMc). o que faz as temperaturas oscilarem com maior frequência que o restante do país. característica de algumas áreas. GEOATLAS.Inclusão para a Vida Geografia B a latitude. a altitude. as massas de ar.300 Km. especialmente do sul e do sudeste. São Paulo: Ática. onde há áreas com altitudes mais elevadas. massa Tropical continental (mTc). Pré-Vestibular da UFSC 4 .

2001.W. entre os estados de SP. com chuvas irregulares e mal distribuídas. Geografia do Brasil. J. São Paulo: Ática. Da mesma forma. sofrendo variações térmicas à medida que se afasta do Equador. É o clima mais regular do Brasil e o único que apresenta as estações claramente definidas. J. em grande parte. da evolução do tempo. SC e RS). 2001. 2001. esse clima tem suas temperaturas amenizadas pela altitude. São Paulo: Ática. Geografia do Brasil. Geografia do Brasil. FONTE: VESENTINI. . FONTE: VESENTINI. Ela sofre ação direta da mPa.Inclusão para a Vida Tipos Climáticos . Subtropical: é o clima característico da região ao Sul do Trópico de Capricórnio (Sul de SP. a água doce (. Geografia B VESENTINI. A atividade agrícola e o rendimento das colheitas dependem.W. PR.W. aproximando-se das características subtropicais do Brasil. J.Tropical Semi-Árido: caracteriza o sertão nordestino.) tem sua distribuição e seus estoques determinados.Tropical Atlântico: É característico do litoral brasileiro. é um dos importantes recursos naturais à disposição do homem e foi considerado matéria de interesse comum da humanidade por decisão da ONU em 1989.Equatorial: Quente e chuvoso. MG e RJ. O CLIMA COMO RECURSO NATURAL O clima. entendido como manifestação habitual da atmosfera num determinado ponto. é típico na região da Floresta Amazônica. Geografia do Brasil. J.W. São Paulo: Ática. São Paulo: Ática.. Tropical de Altitude: na região da Serra da Mantiqueira e Serra do Mar. FONTE: VESENTINI. .W. É um dos principais fatores responsáveis pela repartição dos animais e vegetais sobre o globo. com verão muito quente e invernos rigorosos. 2001. FONTE: VESENTINI. J. pelas condições do clima.. fundamentalmente. Geografia do Brasil. Pré-Vestibular da UFSC 5 . Se este for desfavorável. São Paulo: Ática. a produção poderá ficar comprometida. 2001.

( ) Influência da corrente marítima quente vinda do sul. 8788. (UFRGS) Observe o mapa de climas do Brasil e os três climogramas que seguem. de cima para baixo.F . p.F. e este. do comportamento do tempo. d) F . as grandes fornecedoras de energia para o consumo industrial. conforme eles estejam ou não relacionados a essas catástrofes.V.. (. 1998.. 3. principalmente para impulsionar as embarcações que... já no século XVI. Exercícios de Sala  1. São Paulo: Edusp..V . ROSS.V . b) F .F .) O vento. (. (UFRGS) A relação entre eventos meteorológicos e as características de ocupação do território resultou em catástrofes no estado de Santa Catarina em 2008.V. Geografia do Brasil. Geografia B Assinale a correspondência correta entre as localidades A. B e C assinaladas no mapa e os climogramas I. ( ) Chuvas torrenciais que geram deslizamentos de encostas.. c) V ... com vantagem de ser assim como os ventos e os rios.F. ( ) Combinação de frentes frias vindas do sul e massas de ar quentes e úmidas vindas do norte do país.F . J. conhecida como corrente das Malvinas.F . Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) os fatores a seguir. As características de seu clima preparamnas para essa importante função no mundo futuro. quando as limitações tecnológicas houverem sido superadas.V. (.. e a) V . II e III.) depende fundamentalmente do fluxo hídrico.) A radiação solar é também cada vez mais aproveitada para a geração de energia em escala industrial. nessa época. era utilizado como importante fonte de energia. (G1) Pré-Vestibular da UFSC 6 . e) F .V . A sequência correta de preenchimento dos parênteses. (. começavam a alargar os horizontes geográficos. S. ( ) Expansão da ocupação humana nas áreas de risco no btoma Mata Atlântica. L. uma fonte inesgotável e limpa. a) A (I) – B (II) – C (III) d) A (II) – B (I) – C (III) b) A (II) – B (III) – C (I) e) A (III) – B (II) – C (I) c) A (III) – B (I) – C (II) 2.V .) Captando o calor diretamente do Sol.V .Inclusão para a Vida A geração de energia hidrelétrica (..V .) áreas estão destinadas a se tornarem.

Nesses terrenos. quente e seca. conhecidos como Guiano e Brasileiro. Já nos terrenos Proterozoicos. Recôncavo Baiano e Maranhão-Piauí. a) A Frente Polar Atlântica. Levando em consideração os dados apresentados. principal área de instabilidade da América do Sul meridional. Nessas áreas são encontrados carvão. d) A massa Equatorial atlântica (mEa). muito bem representados pelas regiões mencionadas no texto. e) A massa Polar atlântica (mPa) tem como centro de origem o Atlântico Sul. (UFPR) Nesta terça-feira (15/09/09). Essa massa de ar é responsável pela precipitação de neve durante o inverno nas regiões serranas dos estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Esses terrenos são conhecidos como Bacias Sedimentares. Pré-Vestibular da UFSC 7 . estão as nossas principais jazidas minerais. a) A massa Tropical continental (mTc). Pantanal. geradora de chuvas em pancadas. A mTa atua durante todo o ano na Amazônia ocidental e. tem como centro de origem o Atlântico Sul. Geografia B 4. b) A massa Equatorial continental (mEc) é responsável pelo fenômeno conhecido como ―friagem‖ na Região Norte. Paranaica. é responsável pelas chuvas previstas no texto. provoca as chuvas orográficas em todas as demais regiões brasileiras. sendo as principais: Amazônica. c) As pancadas de chuva são típicas dos climas úmidos. por isso a previsão de pancadas de chuva. O texto acima refere-se à previsão do tempo para o dia 15/09/09. Sanfranciscana. tem como centro de origem o Nordeste da Amazônia. e) A massa de ar quente e úmida que se encontra sobre o estado do Mato Grosso do Sul corresponde à massa tropical continental. Nos terrenos cristalinos da era Arqueozoica. áreas de instabilidade que se deslocam pelo norte da Argentina devem chegar ao Brasil a partir da tarde e voltam a provocar pancadas de chuva no oeste e norte do RS. UNIDADE 3 GEOLOGIA E RELEVO DO BRASIL FORMAÇÃO GEOLÓGICA A formação geológica no território brasileiro é muito antiga (formada nas eras Arqueozoica e Proterozoica) e constituída por terrenos cristalinos (rochas magmáticas e metamórficas) e sedimentares. c) A massa Tropical atlântica (mTa). assinale a proposição correta. ou ―escudos‖. o aproveitamento econômico é pequeno. que afloram em cerca de 4% do país (em meio às áreas Arqueozoicas). b) As áreas de instabilidade são geradas por nuvens de desenvolvimento vertical. no oeste do PR e no sul de MS. Litorânea ou Costeira. d) O deslocamento da massa de ar tropical em direção a leste é que gera as áreas de instabilidade mencionadas no texto. no centro-oeste de SC. Os terrenos sedimentares são predominantes no Brasil. quente e úmida. realizada pelo Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. assinale a alternativa correta. conforme o mapa acima. boa parte recobrindo a base de rochas cristalinas.Inclusão para a Vida Sobre a dinâmica das massas de ar que atuam no território brasileiro no inverno e no verão. onde tem-se uma massa de ar quente e úmida. destacam-se os dois grandes ressaltos. petróleo e xisto. no verão. tem como centro de origem o Atlântico Sul. quente e úmida.

. uma vez que a atuação dos agentes internos é praticamente inexistente em nosso território. UNIDADES DE RELEVO O relevo brasileiro é de formação muito antiga e bastante erodida. concluída em 1995.Inclusão para a Vida Geografia B FONTE: MOREIRA. 11 Depressões e 6 Planícies. . Esquematicamente. o geógrafo Jurandir Ross dividiu o relevo brasileiro da seguinte forma: . Essa classificação. Assim. mas localizados em altitudes que variam de 200 a 500 metros. foi fundamentada com as pesquisas do Projeto Radambrasil. São Paulo: Ática. 2003. O Espaço Geográfico – Geografia Geral e do Brasil.Planaltos – terrenos irregulares (com acentuados aclives e declives) e com altitudes superiores a 200 metros.Depressões – terrenos com certa regularidade. Ele é moldado apenas por agentes externos. o relevo brasileiro está dividido em 11 Planaltos. Pré-Vestibular da UFSC 8 . predomina um terreno de altitude modesta (com média de 900 metros). I. Segundo essa classificação.Planícies – terrenos com certa regularidade (sem declives e aclives acentuados) onde prevalecem altitudes que variam de 0 a 200 metros.

Planícies e terras baixas amazônicas. Planícies Exercícios de Sala  1. (UNEMAT) Segundo Ross (1995). Nessa classificação. chuvas) e os rios. o nome dos dois biomas que ocorrem no Rio Grande do Sul.S. ventos. d) o gnaisse. caracterizados por elevada fertilidade natural e por isso muito utilizados nas atividades agrícolas. a) As depressões catarinenses circundam todas as serras. São Paulo: Edusp. b) as erupções vulcânicas do passado e os raios solares. b) A maior parte do relevo compõe-se de terrenos planos e altos. c) 1 – 2 – 1 – 1. que é uma rocha ígnea extrusiva da Bacia Sedimentar da Amazônia. (UFG) Segundo os geógrafos Aroldo de Azevedo (1948) e Aziz Ab' Saber (1956).ed. . onde se desenvolveu o cultivo de feijão. sendo subdividido em: Central. e) o diabásio. c) Entre os planaltos e as planícies aparecem as serras. c) o granito. b) o arenito. onde se desenvolveu a plantação de arroz. Planaltos . também chamadas de planícies costeiras. Geografia do Brasil.Brasileiro. é a) 1 – 1 – 2 – 1.(Org. .Planícies do Pantanal. o relevo brasileiro apresenta grande variedade morfológica.L. (UDESC) Sobre o relevo catarinense. a estrutura geológica que dá origem ao solo de terra roxa e a atividade agrícola historicamente nele desenvolvida são. onde se desenvolveu o plantio de laranja. Nordestino. decorrente. e) as intempéries e a ação antrópica.J. 4. O tipo de rocha. sobre os agentes internos. as unidades de relevo do estado. 1998. onde se desenvolveu o cultivo de café. existem algumas classificações mais tradicionais do relevo brasileiro. . e) 2 – 2 – 1 – 2.Inclusão para a Vida UNIDADES DE RELEVO DO BRASIL Geografia B d) Destacam-se dois importantes conjuntos de serras: a Serra do Mar e a Serra Geral.). Meridional. apresenta FONTE: ROSS. que é uma rocha ígnea intrusiva do Escudo Cristalino do Brasil Central. da ação de agentes externos. o relevo do Brasil é dividido da seguinte forma: Grandense A sequência correta de preenchimento dos parênteses. d) o clima (temperatura. 2. que é uma rocha sedimentar marinha da Bacia Sedimentar do Maranhão. 3. (UFRGS) A coluna da esquerda. b) 1 – 1 – 2 – 2. Os agentes externos que mais participam da formação do relevo são: a) abalos sísmicos e vulcões. de cima para baixo. no Planalto Meridional do Brasil destaca-se a ocorrência de solos de terra roxa. respectivamente: a) o basalto.Guiano (ou das Guianas) . que é uma rocha ígnea extrusiva da Bacia Sedimentar do Paraná.Planícies e terras baixas costeiras. d) 2 – 1 – 2 – 2. como a que foi realizada na década de 1960 pelo renomado geógrafo Ab‘Saber. assinale a alternativa incorreta. Associe adequadamente a coluna da direita à da esquerda. a da direita. a seguir. c) a erosão e umidade. MaranhãoPiauí e Uruguaio-Rio-Grandense. onde se desenvolveu o cultivo de pimenta-do-reino. Pré-Vestibular da UFSC 9 . e) As planícies são regiões predominantes do litoral. 2. que é uma rocha metamórfica bandeada do Escudo Cristalino Atlântico. algumas abaixo do nível do mar. Serras e Planaltos do Leste-Sudeste. 1 – Mata Atlântica 2 – Pampa ( ) Planície Costeira ( ) Depressão periférica ( ) Planalto Meridional ( ) Escudo Sul-Rio- Entretanto. principalmente.

. Pré-Vestibular da UFSC 10 . "Sociedade e Espaço: Geografia Geral e do Brasil". está localizada no Norte do país e abrange cerca de 50% da área total do país. que. mais ou menos. p.Complexo Pantanal: Trata-se de uma paisagem complexa. que também recebe o nome de floresta aciculifoliada. hidrológicas e fitogeográficas demarcadas pelo geógrafo brasileiro Aziz ab‘Saber. Cerrado: Essa formação surge em áreas de clima tropical típico do Planalto Central.Vegetações Litorâneas: São características das terras baixas e planícies do litoral. de mata densa e intricada (com milhares de espécies vegetais). Abordamos como vegetação original. pois esse é o primeiro elemento das paisagens que o ser humano modifica. mais ou menos. São Paulo: Ática. prevalecendo as xerófilas e cactáceas. a das dunas e das restingas. botânicas. Aí aparecem os manguezais. No lugar da expressão paisagem natural. a imbuia. . pois é uma mistura de outras formações vegetais brasileiras (cerrado. e perene. pedológicas.Floresta Atlântica: Conhecida também como floresta latifoliada tropical. . embora também apareça a erva-mate. Aproximadamente 96% de sua área original já foi dizimada pela colonização. Vegetação Original do espaço brasileiro UNIDADE 4 E 5 VEGETAÇÃO ORIGINAL E DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BRASILEIROS No Brasil. sempre verde. Está localizada entre o litoral e o interior do país. se refere ao relevo. ‗forma‘. climático. feita em 1970. ao clima tropical úmido. divide o extenso território brasileiro em seis partes muito distintas umas das outras. por causa da imensidão do território. Nela predominam os pinheiros (Araucária angustifólia). Apresenta vegetação pobre. Calcula-se que apenas 5% de sua mata original ainda permanece ―intocada‖. J.Campos: É um tipo de vegetação rasteira localizada principalmente no Sul do Brasil. existem várias paisagens vegetais. o cedro. numerosas faixas de transição (com elementos de dois ou mais deles. Essa classificação relativamente recente. amazônica e floresta atlântica). corresponde. . É uma floresta heterogênea. às áreas de clima subtropical.Inclusão para a Vida Geografia B Domínio Morfoclimático (‗morfo’ . As formações vegetais que prevalecem no espaço brasileiro são: . 1999.Caatinga: É uma vegetação típica do semi-árido nordestino. ou seja. Também denominado de savana.Mata de Araucárias: Essa formação vegetal. alguns geógrafos costumam utilizar a denominação de VESENTINI. nesse caso. DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS DO BRASIL Os Domínios Morfoclimáticos Brasileiros são regiões com diferenças gritantes entre as características climáticas. que não são classificados). São espécies típicas dessa floresta o pau-brasil. podemos reconhecer seis principais domínios e. com predomínio de arbustos e vegetação rasteira. a peroba e o jacarandá. a vegetação de praias. No Brasil. ou biomas. aproximadamente 45% de sua vegetação foi destruída.Floresta Amazônica: Também denominada de latifoliada equatorial. ‘relativo ao clima‘).corresponde. . W. 261. diversos tipos de canela. . cedros e ipês. entre eles.

d) Mata Atlântica. . a diminuição dos investimentos aplicados no replantio de florestas destinadas à produção desse recurso. com a inauguração de centrais regionais de vigilância de Manaus e Porto Velho. b) a baixa fertilidade natural dos solos do cerrado. I. . A floresta já perdeu 16. Com base nos conhecimentos sobre o tema. no mínimo. a retomada do crescimento econômico.a perda da biodiversidade e extinção de espécies. 2. [Adaptado de: ROSS. Apesar de esse número significar uma redução de 45% em relação ao ano anterior. . "Geografia do Brasil". a partir de 2004.expulsão de indígenas e posseiros. c) a vigência de um clima tropical seco e de altitude no cerrado. O fator que pode explicar tal semelhança fisionômica entre os dois tipos de vegetação é: a) a baixa umidade nos solos do cerrado. um dos mais graves refere-se à devastação da floresta Amazônica.Inclusão para a Vida DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS (Azis Ab’Saber) Geografia B Exercícios de Sala  1. a) Caatinga. pobres em cálcio e nutrientes em geral. na Amazônia. Para conter esse avanço. o projeto contará com 5 satélites.). com troncos de cortiça espessa e folhagem coriácea e pilosa. em 2002. 3. (UFG) Segundo uma reportagem do jornal O Globo (nov. J. São Paulo: Ática. Calcula-se que a cada ano ocorram. responsável por invernos mais chuvosos e verões mais quentes e secos. 7.008 km2 de floresta. causado pelas grandes queimadas. da região do semiárido nordestino.aumento de gás carbônico na atmosfera. o governo iniciou. muitas vezes lembrando a caatinga arbustiva densa. 25 radares. assinale a alternativa que corretamente identifica a formação vegetal diretamente afetada pela maior demanda de carvão vegetal em Minas Gerais. estão: . b) Cerrado. com árvores tortuosas e espaçadas. c) Campos Gerais. de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. ao mesmo tempo.3% de sua vegetação primária desde a década de 1970. (org. FONTE: MOREIRA. 2009). em geral muito ácidos. São Paulo: Edusp. com árvores com menor capacidade de captar e armazenar água do ambiente. as atividades do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam). 33 aviões e mais de 2. entre os meses de agosto de 2008 a julho de 2009 foram desmatados. O Espaço Geográfico – Geografia Geral e do Brasil. (FATEC) Os cerrados brasileiros são formados por árvores com aspecto xeromórfico. causando Pré-Vestibular da UFSC 11 . A ocupação da Amazônia Dentre os problemas ecológicos que ocorrem no Brasil.4 bilhão de dólares). d) o uso intensivo das queimadas como fator de manejo e controle do cerrado. 1996]. tornando a região mais seca. Dentre as consequências desse processo.empobrecimento dos solos da região. e) o extenso desmatamento do domínio dos cerrados para a produção de soja e gado.1 mil funcionários. teve como consequência o aumento da demanda de carvão vegetal para o abastecimento das indústrias siderúrgicas de Minas Gerais e. e) Mata de Araucária. (UEL) No Brasil. Ao ser concluído (no custo de 1. para eliminação de gramíneas. um desmatamento de 3 milhões de hectares. o desmatamento ainda origina diversos prejuízos socioambientais à Floresta Amazônica. 2003.

uma das maiores redes hidrográficas do planeta – metade de toda a água disponível da América do Sul -. em muitos trechos. Bacias hidrográficas brasileiras 4. A seguir trazemos um trecho do livro em que são descritas algumas características da vegetação do local de conflito: ―Embora esta não tenha as espécies reduzidas dos desertos — mimosas tolhiças ou eufórbias ásperas sobre o tapete das gramíneas murchas — e se afigure farta de vegetais distintos. Apesar disso. prejudicando as atividades turísticas. Apesar de todo esse potencial. tem uma extensa rede hidrográfica. comprometendo o calendário agrícola tradicional das populações. d) aumento da erosão eólica. Abriga. Em outros trechos. Geografia B UNIDADE 6 RECURSOS HÍDRICOS O Brasil possui a maior reserva mundial de recursos hídricos. além de extensas reservas de água subterrâneas. vistas em conjunto. d) presença da Floresta Amazônica. evolvendo penosamente em círculos estreitos. comprometendo a potencialidade agrícola. nossos rios apresentam um enorme potencial hidrelétrico. vegetação característica de regiões de clima subtropical. podemos deduzir que a paisagem do local em que ocorreu a Guerra de Canudos é caracterizada pela: a) presença da Mata Atlântica. b)presença da Mata de Araucária. Em nosso Pré-Vestibular da UFSC 12 . Euclides da Cunha faz uma descrição das características paisagísticas do local em que ocorreu a Guerra de Canudos. pois as depressões tornaram-se bacias sedimentares. assoreamento dos rios e desperdício são os principais responsáveis pela escassez de água. O Brasil. divergindo apenas no tamanho. o transporte hidroviário é pouco utilizado no país. O uso predatório dos recursos hídricos. em seu território. mas sub-utilizado em outras regiões. durante o primeiro capítulo intitulado ―A Terra‖. como a Amazônia. as suas árvores. e) diminuição dos níveis fluviais. bastante explorado no Centro-Sul do país em decorrência da concentração urbano-industrial. c) presença da Caatinga. semelham uma só família de poucos gêneros. poluição. alterando os usos e as apropriações econômicas dos rios. b) aumento da poluição do ar. quase reduzida a uma espécie invariável. grandes possibilidades de navegação. tendo todas a mesma conformação. vegetação litorânea de clima tropical de altitude. Tecnicamente. vegetação comum em regiões de clima tropical úmido. a mesma aparência de vegetais morrendo. e) presença de Mangues. c) diminuição da fauna. É que por um efeito explicável de adaptação às condições estreitas do meio ingrato. vegetação típica de regiões de clima tropical semiárido. (G1) No livro Os Sertões. a hidrografia brasileira apresenta os seguintes aspectos: Não possui lagos tectônicos. aquelas mesmo que tanto se diversificam nas matas ali se talham por um molde único‖.Inclusão para a Vida a) diminuição da fertilidade dos solos. dada a sua grande extensão territorial e a predominância de climas úmidos. As bacias hidrográficas brasileiras oferecem. em esgalhos logo ao irromper do chão. o país não está livre do problema da escassez de água. provocando chuvas ácidas que impedem o desenvolvimento da agricultura. vegetação muito presente em regiões de clima mediterrâneo. quase sem troncos. A partir desse trecho.

A partir daí. Em terras paraenses. A bacia do Paraguai. só há lagos de várzea (temporários. As principais bacias hidrográficas brasileiras são: Bacia do rio Amazonas: a maior bacia hidrográfica do planeta tem sua vertente delimitada pelos divisores de água da cordilheira dos Andes. que atravessa o Pantanal Mato-grossense.. No restante do país. tem importância econômica apenas regional. essa bacia é utilizada para escoar parte da produção de grãos (destaque para a soja) das regiões que banha. o Tocantins deságua no Golfão Amazônico. que nasce em Minas Gerais. permitem a dupla captação das cheias de verão. possibilitando a sobrevivência da população ribeirinha de baixa renda. Seu rio principal nasce no Peru. que possui foz em delta. Aquífero Guarani. maior reserva de água doce da América do Sul. SC e RS). um mar potável subterrâneo Denominam-se aquíferos as reservas de água subterrâneas que representam uma alternativa estratégica ao problema de falta de água. responsável pela drenagem de aproximadamente 7. No Brasil. GO . as bacias do Atlântico Leste são formadas pelo agrupamento das bacias do Paraíba do Sul. Doce. Bacias secundárias: o Brasil possui três conjuntos de bacias secundárias: Atlântico NorteNordeste. Ele é navegável em um longo trecho dos estados de Minas Gerais e Bahia. SP. MS. afluente do rio Paraná. caracterizando um regime misto (nival e pluvial). atravessa o sertão semi-árido mineiro e baiano. mesmo os que correm para o interior têm como destino final o oceano. e do rio Parnaíba. assim. Jequitinhonha. Elas foram agrupadas por sua localização geográfica ao longo do litoral. O rio Amazonas. Esse fato é explicado pela presença de afluentes de ambos os lados que. Por exemplo. muito comuns no Pantanal) e lagoas costeiras. O rio principal de cada uma delas tem sua própria vertente.. que é plana. que corre no centro da bacia. 9.. É o rio mais extenso (total de 7. Por apresentar longos trechos navegáveis. e passa a ser denominado Solimões da fronteira brasileira até o encontro com o rio Negro. Bacia do rio Tocantins: esta bacia drena. a irrigação em pequenas propriedades e em grandes projetos agroindustriais e a criação de gado. além de trechos importantes para a navegação. Contas e Paraguaçu. com destaque para a hidrovia do Tietê. PR. o principal deles é o aquífero Guarani. nos escudos dos planaltos das Guianas e Brasileiro. delimitando. formadas por restingas. com exceção do Amazonas. A bacia do rio Paraná apresenta o maior potencial hidrelétrico instalado do país. no Pará. O São Francisco é um rio bastante aproveitado para a produção de hidroeletricidade. 19 de maio de 1996. Pardo. A usina hidrelétrica de Tucuruí. uma bacia hidrográfica. A existência de muitos desníveis no terreno e o grande volume de água possibilitam a produção de hidroeletricidade. onde o clima é semi-árido.. a segunda maior do país.) Adaptado de Aureliano Biancarelli para o jornal Folha de São Paulo. como a dos Patos (RS) e a Rodrigo de Freitas (RJ). Paraguai e Uruguai – formam o rio da Prata. pelo planalto das Guianas e pelo planalto Central. como o Tietê. Já a bacia do Uruguai. O restante prolonga-se por Uruguai. que possui foz mista (delta e estuário). Atlântico Leste e Atlântico Sudeste. Argentina e Paraguai. Todos os rios brasileiros.2 milhão de Km2. (. portanto. Os afluentes do rio Amazonas nascem.) Esse verdadeiro mar potável subterrâneo estende-se por cerca de 1. desde que a barragem de Três Marias não lhe retenha muita água.5% do território nacional. Com exceção do rio Amazonas. MG. o maior potencial hidrelétrico disponível do país. Pré-Vestibular da UFSC 13 . (.5% do território nacional. O rio São Francisco. em sua maioria. que por sua vez deságua no mar (estuário do Prata). Seus três rios principais – Paraná. Todos os rios são exorreicos. aproximadamente.Inclusão para a Vida território.100 km) e de maior volume de água do planeta. Seus principais rios nascem no estado de Goiás e no Bico do Papagaio (TO). tornam-se rios navegáveis. possuem regime pluvial. onde atinge oito estados do centro-sul do país (MT. com o nome de Marañon. por estarem nos dois hemisférios (norte e sul). o rio Araguaia. dois terços dos quais em território brasileiro. em território argentino. recebe o nome de Amazonas. foi construída no rio Tocantins e atende às necessidades de consumo de energia do Projeto Carajás. é amplamente navegável. onde se localiza a ilha de Marajó. Ao caírem na bacia sedimentar. Predominam rios de planalto em áreas de elevado índice pluviométrico. possuindo. Há rios temporários apenas no Sertão nordestino. é totalmente navegável. Geografia B Bacia Platina (composta pela bacia do Paraná e bacia do Uruguai): o Brasil também é banhado pela segunda maior bacia hidrográfica do planeta. As bacias hidrográficas que os compõem não possuem ligação entre si. Uma pequena quantidade da água do rio Amazonas provém do derretimento de neve na cordilheira dos Andes. ao se encontrarem. os rios são perenes. todos os rios brasileiros que deságuam livremente no oceano formam estuários. Bacia do rio São Francisco: é uma extensa bacia hidrográfica. onde o Tocantins recebe seu principal afluente. com pequeno potencial hidrelétrico e poucos trechos navegáveis.

é correto afirmar: 4. por essa mesma razão.. b) Bacia do Uruguai. com canais definidos e fluxos perenes ou intermitentes que desembocam nos oceanos. C. Geografia B c) Independente do setor analisado. tornando o país detentor de uma das maiores reservas de água doce do mundo. Exercícios de Sala  1. e) A captação de água para consumo industrial só supera o volume captado para uso doméstico a partir de 1975. e a rede de abastecimento doméstico.. lagos ou em outros rios.." a) O setor agrícola apresenta os maiores volumes de captação de água. responda ao que se pede. o país já enfrenta problemas no que concerne ao abastecimento urbano de água potável (como no caso de São Paulo). 2. sofrendo um intenso processo de inundação durante as chuvas de verão. Bacia hidrográfica: 3. sub-bacia do Rio Paraguai. c) Bacia Platina.I. Muitos de seus rios destacam-se pela extensão. (UFC) Os rios são correntes naturais de água doce. fenômeno responsável pela denominação de Pantanal. Nessa condição. a) Caracterize o potencial das bacias hidrográficas do Paraná e do Amazonas para o abastecimento de água potável nos centros urbanos. (Mackenzie) ". considerando a atual distribuição geográfica da população sobre o território nacional. sub-bacia do Rio Paraná. largura.. sub-bacia do Rio Uruguai. sub-bacia do Rio Paraná.Inclusão para a Vida Fique ligado. o percentual de perda de água se manteve mais ou menos constante ao longo do século XX. A bacia hidrográfica a que se refere o texto é a: a) Bacia Platina. a perda de água por evaporação deverá superar o volume de água captado para uso industrial. Pré-Vestibular da UFSC 14 . b) Cite e explique dois impactos negativos decorrentes da utilização dos recursos hídricos da Bacia do Paraná. c) Aponte a maior e mais importante bacia hidrográfica do Ceará e nomeie os dois maiores açudes nela localizados. os rios realizam ações de transformação das paisagens e têm grande importância social. b) No futuro. Considerando os dados fornecidos pelos gráficos. (UEG) O Brasil é dotado de uma vasta rede hidrográfica. pois atravessa regiões de relevo pouco acidentado no pantanal mato-grossense e. além de conflitos no campo pela distribuição de água para as atividades da agricultura e pecuária. (UFSM) Analise os gráficos. d) Bacia do Paraná. as maiores perdas. sub-bacia do Rio Cuiabá. b) Aponte três situações de uso dos rios pela sociedade. Com base nestas informações. profundidade e volume de água escoado. Bacia hidrográfica amplamente navegável. Paulo Roberto Moraes. "Geografia Geral e do Brasil". a) Cite os processos associados aos rios a partir dos quais ocorre a transformação das paisagens naturais. o setor agrícola foi o que apresentou o menor crescimento na captação de água. apresenta pequeno potencial hidrelétrico. e) Bacia do Uruguai. Apesar desta realidade. d) Durante o período analisado.

Além dos fatores naturais. o aspecto social nordestino e o quadro econômico no Centro-Sul. Ela representa 6. No caso das regiões geoeconômicas brasileiras.8% do território nacional e possui. humanos e econômicos em seu território. definida pelo IBGE. A ocupação iniciou-se com a criação de gado para a produção de charque e de couro. Nordeste. É o caso do Pantanal MatoGrossense. Nordeste e Centro-Sul. áreas relativamente homogêneas são agrupadas em regiões. como ocorreu na fachada atlântica do país. REGIÕES GEOECONÔMICAS Região geoeconômica é a porção territorial que apresenta um mesmo quadro sociocultural e econômico./km2. vegetação. As características do clima subtropical não favoreceram o povoamento especulativo nessa região. humanos e econômicos. Considerando-se tais diferenças. consta dos Estados do Paraná. Com mais de 8. Santa Catarina e Rio Grande do Sul. essa divisão considera os limites dos estados.Inclusão para a Vida Geografia B UNIDADE 7 E 8 A DIVISÃO REGIONAL DO ESPAÇO BRASILEIRO E A REGIÃO SUL DO BRASIL AS REGIÕES DO BRASIL Região natural é a porção territorial que apresenta um quadro físico comum – relevo. Sudeste. quase sempre como conseqüência de um quadro físico comum. Sul e CentroOeste. clima.5 milhões de km2. em um densidade demográfica de 41 hab. humanos e econômicos. da Campanha Gaúcha ou do Sertão Nordestino. principalmente de italianos. 15% do total da população do país. Pré-Vestibular da UFSC 15 . mas só se efetivou com a imigração europeus do século XIX. desprezando os limites estaduais e privilegiando os aspectos geográficos mais marcantes na definição de tais áreas: o quadro natural na Amazônia. A divisão regional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) identifica cinco regiões no Brasil: Norte. são consideras a presença de três grandes complexos regionais no país: Amazônia. o Brasil apresenta diferentes aspectos naturais. ASPECTOS FÍSICOS E SÓCIOECONÔMICOS DA REGIÃO SUL A Região Sul do Brasil. Tal divisão leva em conta os aspectos físicos. hidrografia.

extração de petróleo. é correto afirmar que: a) a grande propriedade e a monocultura transformaram essa área em um dos grandes esteios agrícolas do País.... Pré-Vestibular da UFSC 16 .. de material elétrico. arroz e lã. o maior número de municípios entre os três Estados. no ano 2000. feijão. em virtude da proximidade com países do Mercosul. b) Quadrilátero Ferrífero . A alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto. Em 1970. c) 2. Referindo-se a essa região... Com base no gráfico. 2 e 3. 2 e 1. Diferente dos outros estados do Sul.. importante pólo metal-mecânico. c) Apenas III.5% do território nacional. milho. Associaram-se incorretamente as unidades desse Complexo às suas respectivas atividades econômicas em: a) Porção sul de Goiás . madeireiras.. a região Sul estava constituída por uma rede de aproximadamente 700 cidades... Nos últimos anos tem ocorrido um maior desenvolvimento das atividades primárias e secundárias..... comprovando o intenso processo de fragmentação de seu território.... esse mosaico passa a se compor de cerca de 1. 4. Entre 1970 e 2000. que atuam desde o início de século XX.. desde o início da década de 1980. em Santa Catarina o parque industrial não se concentra na capital. d) Norte do Rio de Janeiro e Espírito Santo .. as contaminadas pelos resíduos provenientes de abatedouros de porcos e aves são as de número .. e) Apenas II e III... . (G1) O Complexo Regional do Centro-Sul possui áreas que se individualizam em virtude do seu desenvolvimento econômico. A região Sul apresentou na última década um crescimento significativo no número de municípios dos Estados que a compõem. (UFRS) Observe o gráfico a seguir.. (G1) A região Sul representa 6. que mostra a evolução do número de municípios da região Sul no período de 1970-2000.exploração de minério de manganês. indústrias químicas. (UFRS) Alguns tipos de poluição das águas têm causas naturais.. d) 2.. a associação agriculturapecuária e a exploração direta da terra.. III. Quais estão corretas? a) Apenas I. indústrias mecânicas e de material elétrico também foram atraídas pelo estado. II. possui 15% da população brasileira e faz parte do Complexo Regional do Centro-Sul. Em Santa Catarina.. são feitas as seguintes afirmações. no RS. A produção agropecuária é muito diversificada: trigo e soja plantados no planalto. 3 e 2. Geografia B 2. a participação da região no total da produção industrial brasileira subiu de 11% para 18%. na ordem em que aparecem. O mapa a seguir mostra áreas em que ocorrem problemas que afetam os recursos hídricos dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. é a) 1..fabricação de automóveis e produtos químicos.Inclusão para a Vida alemães e eslavos. a indústria alimentícia e de vestuário. b) Apenas II. Com base nos dados apresentados no mapa preencha as lacunasdo texto a seguir. 1 e 3. b) 1. o principal parque industrial localiza-se em torno da capital. mas a maioria é causada pelas atividades humanas. couro e carne na Campanha Gaúcha. com indústrias alimentícias.. e) 3. c) Triângulo Mineiro . modernizaram-se graças aos capitais agroindustriais. I. batata. e as contaminadas pelos rejeitos oriundos de atividades mineradoras são as de número . sobretudo Blumenau e Joinville. No Paraná. 3 e 1. mas está disperso pelas áreas de colonização alemã. Exercícios de Sala  1. A produção industrial do Rio Grande do Sul está concentrada na região metropolitana de Porto Alegre secundada pela área de Caxias do Sul.cultivo de arroz e de soja.. d) Apenas I e III. fumo e outros produtos. As áreas do mapa em que os recursos hídricos são contaminados por efluentes com agrotóxicos derivados das lavouras de arroz são as de número .. 3. O Estado do Rio Grande do Sul tem. o policultivo.000 municípios. de transporte e automobilística. que introduziram formas novas de aproveitamento econômico do espaço: pequena propriedade. ao passo que.

d) a criação de uma significativa rede de transportes e a proximidade com o Sudeste contribuíram para o desenvolvimento do seu parque industrial. mortalidade infantil cai de 69.12 para 22. segundo Revisão 2008 da Projeção da População do Brasil. correspondia a 69.17 anos Em 2009.732. poderá chegar a 81. em 2009. nos últimos anos. passou. Geografia B UNIDADE 9 DEMOGRAFIA BRASILEIRA Estrutura da População Absoluta do Brasil Entre 1980 e 2009. esperança de vida ao nascer era de 73. 7 meses e seis dias).Inclusão para a Vida b) o meio ambiente subtropical favoreceu o povoamento especulativo como ocorreu na fachada atlântica do País. aumentou sua produção agropecuária e sua participação na economia nacional.12 para 22.29 anos em 2050. a esperança de vida ao nascer no Brasil alcançou os 73. c) a expansão da fronteira agrícola.47 óbitos por mil nascidos vivos A taxa de mortalidade infantil obteve importantes reduções no período: em 1980. ao longo de 29 anos.17 anos.60 anos (10 anos. 1980. Censo 2010: população do Brasil é de 190. Em relação a 2008 houve alta de 0. Assim. entre 1980 e 2009.31 anos (3 meses e 22 dias) e. Já a mortalidade infantil caiu de 69.47 óbitos por mil nascidos vivos.12 óbitos de menores de 1 ano para cada mil nascidos vivos e. esse indicador teve um crescimento médio anual de 4 meses e 12 dias e.47%0. para 22.694 pessoas Em 2009. alta de 10. desde Pré-Vestibular da UFSC 17 .

somente serão efetivados. III. (Mackenzie 2009) A Densidade Demográfica do Brasil Com base na tabela. o reduzido volume de população infantil nessas regiões. assinale a alternativa correta: a) Há uma estreita relação entre a diminuição das taxas de natalidade e o nível de desenvolvimento das condições de vida das populações. as taxas de mortalidade eram elevadas em virtude das precárias condições médico-sanitárias. da escassez de remédios e vacinas e da falta de infraestrutura nos serviços de saneamento básico. quando se projeta. maiores são os seus níveis de crescimento populacional. típicos do meio urbano. I. A diminuição da taxa de mortalidade. também indireta. a) Somente I e II estão corretas. Nas décadas de 1940 e 1960. diante das dificuldades do Brasil em industrializar-se nesse período. em virtude da lenta urbanização. e) Um dos fatores responsáveis pelos baixos níveis de produtividade econômica dos países subdesenvolvidos é. faz que países como a Índia. Atlas Geográfico Escolar. d) O fracasso de projetos como "cada família. b) Somente II e III estão corretas c) Somente I e III estão corretas. FONTE: IBGE. II. um filho". como acesso a métodos anticoncepcionais.Inclusão para a Vida Geografia B proporcional na produção de alimentos. 2004. III e IV estão corretas. e considerando o crescimento natural da população brasileira. a China e a Austrália experimentem índices cada vez maiores de crescimento populacional. (IBMECRJ) Sobre o crescimento populacional e as suas relações com a vida social e econômica. ocorreu de forma gradativa. entre outros. entre as décadas de 1980 e 2000. realmente. c) Quanto maior é o índice de crescimento dos países desenvolvidos. com a urbanização e com a industrialização. forma encontrada de permitir uma distribuição mais justa da riqueza nacional. IBGE: Rio de Janeiro. razão pela qual se prevê o fim da fome ao longo do século XXI. um crescimento natural baixo. e) I. sem dúvida. A partir da década de 1940. b) Observa-se que o aumento populacional vem sendo acompanhado de um aumento Pré-Vestibular da UFSC 18 . o declínio da taxa de natalidade teve relação direta e. Os fatores inibidores de natalidade. 2. Exercícios de Sala  1. observe as afirmações a seguir e assinale a alternativa correta. a partir da década de 2020. d) Somente I e IV estão corretas. II. 2ed. IV.

d) a acelerada urbanização. d) Nordeste Pré-Vestibular da UFSC 19 . em função do crescimento da expectativa de vida. (UEG) Geografia B De acordo com a análise dos gráficos acima. c) Sudeste. c) as duas últimas décadas apresentam. justificam o aumento da fecundidade no Brasil nas últimas décadas. respectivamente. b) as taxas de natalidade no mundo subdesenvolvido. 4.(UERJ) A transição demográfica que ocorre no Brasil gera diferenças socioespaciais entre as macrorregiões do país. b) Norte. uma redução do número de filhos por mulher e o aumento do porcentual de idosos. é correto afirmar: a) nas últimas décadas. De acordo com os mapas. têm apresentado elevada porcentagem em virtude da falta de políticas públicas de controle da natalidade. as menores proporções de população em idade ativa são encontradas na seguinte macrorregião brasileira: a) Sul. como no caso do Brasil.Inclusão para a Vida 3. associada ao processo de industrialização e ao ingresso da mulher no mercado de trabalho. o crescimento vegetativo e a expectativa de vida no Brasil têm aumentado progressivamente graças ao avanço da medicina.

Dos três subíndices que compõem o IDH. No subíndice de renda. houve mudanças nos dois indicadores. mas repatriada ao exterior. incluindo fluxos internacionais. em comparação com os dados recalculados para 2009. que contabiliza a renda conquistada pelos residentes de um país. entra a média de anos de estudo da população adulta. No subíndice de educação. como remessas vindas do exterior e ajuda internacional. para averiguar as condições da população em idade escolar. Ou seja. e excluindo a renda gerada no país. o IDH do Brasil mostra uma evolução de quatro posições. Mas seguindo a nova metodologia.Inclusão para a Vida Geografia B Em razão da mudança de metodologia. em vez da taxa bruta de matrícula passa a ser usado o número esperado de anos de estudos. o PIB (Produto Interno Bruto) per capita foi substituído pela Renda Nacional Bruta (RNB) per capita. RNB traz um retrato mais preciso do bem-estar econômico das pessoas de um país. Sai a taxa de analfabetismo. a Pré-Vestibular da UFSC 20 . não se pode comparar o novo IDH com os índices divulgados em relatórios anteriores. apenas o de longevidade não passou por alterações: continua sendo medido pela expectativa de vida ao nascer.

Inclusão para a Vida Geografia B FLUXOS MIGRATÓRIOS NO BRASIL Distribuição da PEA (População Economicamente Ativa) Pré-Vestibular da UFSC 21 .

83. no período 1940 . REGO. "Menino de engenho".Inclusão para a Vida Exercícios de Sala  Geografia B 1. ficaram todas no engenho. São Paulo: José Olympio. não deixaram a rua. fixados na Amazônia Ocidental. como elas chamavam a senzala". a) Aponte e explique uma determinação econômica deste fato. b) Descreva e explique uma conseqüência para o mercado de trabalho no país. fortalecido pela construção de Brasília. é correto afirmar que a região a) Centro-Oeste tornou-se o grande pólo de atração populacional entre 1940 e 1970. Analise os mapas dos movimentos migratórios no Brasil. em decorrência de sua expansão econômica. devido à mecanização das lavouras. b) O declínio da população rural acentuou-se significativamente a partir de meados dos anos 70. assinale a afirmativa incorreta. (PUCMG) Observe atentamente o gráfico e. p. (UFSC) "Restava ainda a senzala dos tempos do cativeiro. 3. a seguir. c) O ritmo de crescimento da população rural e urbana promoveu um desequilíbrio cada vez mais acentuado entre elas. As negras do meu avô. José Lins do. d) Norte recebeu migrantes nordestinos entre 1970 e 1990.2000. 2005. Pré-Vestibular da UFSC 22 . a partir da década de 70. d) O ritmo de crescimento da população total tornou-se superior ao da população urbana a partir de meados da década de 90. Sobre esses movimentos. c) Sul apresentou uma repulsão demográfica entre 1940 e 1970. (UNIFESP) Recente pesquisa divulgada pelo IBGE apontou um crescimento da participação de mulheres como chefes de família no Brasil. 2. 4. mesmo depois da abolição. b) Nordeste acolheu um significativo fluxo migratório no ano de 2000. a) O maior equilíbrio entre população rural e urbana verificou-se no final dos anos 60. Uns vinte quartos com o mesmo alpendre na frente.

A aceleração do processo de urbanização no Brasil ocorre a partir de 1940. 16. Pode ser a principal cidade de uma região (metrópole regional) ou de um país (metrópole nacional). Conceitos da Geografia Urbana Êxodo Rural – O processo de urbanização brasileiro apoiou-se essencialmente no êxodo rural. Em 1970. 04. Devido exclusivamente às questões econômicas. no ano de 2008 comemoraram o centenário de imigração no Brasil. 01. 02. diz respeito ao aumento da população que vive nas cidades e resulta apenas do crescimento natural ou vegetativo da população urbana. As principais aglomerações urbanas do Brasil recebem o nome de Regiões Metropolitanas. . Nesse modelo as cidades não se relacionam apenas com os centros maiores aos quais se subordinavam na antiga hierarquia urbana. resultando em desemprego e graves problemas sociais nas principais cidades do Brasil. em relação às demais regiões brasileiras. Por outro lado.879. “polis”=cidade) A palavra metrópole já designa as grandes cidades que exercem influência sobre extensas áreas geográficas vizinhas.a atração da força de trabalho para as cidades. Temos nesse modelo as metrópoles globais. A hierarquia urbana brasileira produz duas formas de avaliação: Modelo Industrial ou tradicional – Quanto maior o centro urbano. ao mesmo tempo em que acelerou o ritmo desenvolvimento econômico do país. ou seja. a concentração de negros é superior nas Regiões Sul e Sudeste. A modernização da economia atraiu mais de trabalhadores do que as novas atividades Pré-Vestibular da UFSC 23 .35% em situação urbana (160. apenas nove tinham mais de 90% de sua população vivendo em situação rural. No conjunto dos elementos brancos. como resultado da migração campo-cidade. Entretanto. Hierarquia Urbana . que se difundiram por todo o país e hoje são coordenadas a partir de diretrizes produzidas nos grandes centros nacionais e internacionais. o que refletiu a modernização econômica e no grande desenvolvimento industrial. 32.35% Já em 2010. influenciando as outras cidades de sua rede. Conurbação – Quando os municípios não apresentam limites físicos na malha urbana. 64.708 pessoas). A partir da análise do exposto no texto e com base nos seus conhecimentos. por sua vez. os portugueses constituem o grupo mais numeroso na formação étnica do Brasil. Os primeiros escravos negros chegaram ao Brasil somente com a cafeicultura. que pertencem à etnia amarela. sociais e políticas entre si. O mais completo deles é o Censo Demográfico. a maior parte da população já vivia na zona urbana. Entre os municípios. Os japoneses. um conjunto integrado de cidades que estabelecem relações econômicas. havendo uma ruptura com a hierarquia urbana tradicional.986 pessoas) viviam em situação rural. O elemento branco que participou da formação étnica do Brasil pertence ao grupo anglo-saxão. UNIDADE 11 E 12 A URBANIZAÇÃO DO BRASIL A urbanização corresponde à transferência de populações originárias das zonas rurais em direção as cidades. ou seja. contra 84. Atualmente são 23 regiões metropolitanas no território nacional.a repulsão da força de trabalho do campo. O IBGE faz diferentes levantamentos da população brasileira.Inclusão para a Vida Geografia B conseguiam absorver. possível graças a entrada em grande escala de capital estrangeiro no país. realizado de cinco em cinco anos. O êxodo rural envolve dois movimentos interligados: . no século XIX.65% da população (29. a introdução de indústrias baseadas num padrão tecnológico típico dos países desenvolvidos criou problemas sociais. assinale a(s) proposição(ões) correta(s). População urbana sobe de 81. apenas 15. Modelo Informacional – A implantação de modernos sistemas de transporte e de comunicações reduziu as distâncias e possibilitou a desconcentração das atividades econômicas. na tranferência de populações do meio rural para as cidades. Essas são áreas administrativas formadas pelos maiores municípios do país e os municípios a elas conurbados. A urbanização só ocorre quando a população das cidades cresce mais que a rural. 67 tinham 100% de sua população vivendo em situação urbana e 775 com mais de 90% nessa situação.25% para 84. O crescimento urbano.852.Esse conceito está baseado na noção de rede urbana. metrópoles regionais e os centros regionais. mais diversificada é sua infraestrutura econômica e maiores as possibilidades de coordenar os principais fluxos de mercadorias e serviços. Metropolização (“metros”= mãe. o único a colonizar o Brasil.

em média. em alguns municípios de Goiás e no noroeste de Minas Gerais. do Mato Grosso do Sul. que interligam até mesmo municípios situados em diferentes estados. Foram analisadas informações fornecidas pela rede de agências do IBGE sobre 4. e registros administrativos do próprio instituto. o Pré-Vestibular da UFSC 24 . A rede de Brasília influi no oeste da Bahia.75% (31. REGIÕES METROPOLITANAS BRASILEIRA IBGE mostra a nova dinâmica da rede urbana brasileira Existem no país doze grandes redes de influência. para fazer compras.953. essa distância é de 218 Km. de órgãos estatais e empresas. a população brasileira se desloca cerca de 49 km. no entanto. no sul da Bahia. da população brasileira 81. Por outro lado.959 pessoas) viviam em situação urbana e 18. Curitiba e Porto Alegre. Na rede de influência de Manaus. Entre os municípios. Fortaleza. As outras nove redes de influência são centralizadas por Manaus. e na Zona da Mata mineira.625 municípios. 1987 e 2000.845. Para freqüentar uma universidade. Mato Grosso.25% (137. A rede centralizada por São Paulo. Salvador. O Rio de Janeiro tem projeção no próprio estado. nota-se que. por exemplo. Belo Horizonte. também abrange parte de Minas Gerais. Recife. A atual configuração da rede urbana brasileira é comparada com estudos feitos pelo IBGE em 1972. 56 tinham 100% de sua população vivendo em situação urbana e 523 com mais de 90% Geografia B nessa situação. Rondônia e Acre.Inclusão para a Vida Em 2000. Goiânia. Entre os diversos dados comparativos coletados a respeito das 12 redes de influência. Belém. no Espírito Santo. 38 tinham mais de 90% vivendo em situação rural e o único município do país a ter 100% de sua população em situação rural era Nova Ramada (RS).211 pessoas) em situação rural.

O estudo Regiões de Influência das Cidades mostra as redes formadas pelos principais centros urbanos do País. da diversidade de atividades comerciais e de serviços. também estão no primeiro nível da gestão territorial. Metrópole – Manaus. das áreas de cobertura das emissoras de televisão. Juntamente com São Paulo. fortes relacionamentos entre si e. por sua vez subdivididos em dois ou três subníveis: 1. sendo referidas como destino.1 milhões (Belo Horizonte). constituem foco para centros localizados em todo o País. Curitiba. do judiciário. Metrópoles – Os 12 principais centros urbanos do País. com população variando de 1. Têm três subníveis: a. Com capacidade de gestão no nível imediatamente inferior ao das metrópoles. Tais redes. . Belém. Grande metrópole nacional – São Paulo. da oferta de serviços bancários. A oferta de equipamentos e serviços – informações de ligações aéreas. por grande número de municípios. c. no caso da Geografia B gestão federal. extensa área de influência direta. também se relacionam com o estrato superior da rede urbana. serviços de saúde e domínios de internet. Salvador. Goiânia e Porto Alegre. Pacientes percorrem. baseadas na presença de órgãos do executivo. com medianas de 435 mil habitantes e 406 relacionamentos).6 (Manaus) a 5. constituem o segundo nível da gestão territorial. o maior conjunto urbano do País. em Mato Grosso é de 112 Km. em geral. Para definir os centros da rede urbana brasileira. 2. da oferta de ensino superior. contra 41 Km na rede de influência do Rio de Janeiro.Inclusão para a Vida deslocamento médio. embora estejam no terceiro nível da gestão territorial. Metrópole nacional – Rio de Janeiro e Brasília. estabelecendo forte influência até mesmo entre cidades situadas em diferentes unidades da federação. e de localização das sedes e filiais de empresas. de grandes empresas e na oferta de ensino superior. As cidades foram classificadas em cinco níveis. como as metrópoles. têm porte e projeção nacional que lhes garantem a inclusão neste conjunto. Capital regional – são 70 centros que. buscam-se informações de subordinação administrativa no setor público federal. Pré-Vestibular da UFSC 25 . de deslocamentos para internações hospitalares. Capital regional C (39 cidades com medianas de 250 mil habitantes e 162 relacionamentos). com grande porte. respectivamente. para estabelecer a gestão empresarial. Recife. em 2007. para um conjunto de atividades. e da presença de domínios de Internet – complementa a identificação dos centros de gestão do território. com população de 11. com 19. b.8 milhões e 3. às vezes. e no primeiro nível da gestão territorial. Belo Horizonte. com medianas de 955 mil habitantes e 487 relacionamentos). Este nível também tem três subdivisões: Capital regional A (11 cidades. Hierarquia das metrópoles e centros tecem as redes de influência Foram identificadas 12 redes de primeiro nível. se sobrepõem à divisão territorial oficial. Fortaleza. Capital regional B (20 cidades.5 milhões de habitantes. 108 km em busca de atendimento médico. em média no país. Note-se que Manaus e Goiânia. têm área de influência de âmbito regional.2 milhões em 2007.

o que resultou na ampliação da área urbanizada e das distâncias no interior das grandes cidades. Centro local – as demais 4 473 cidades cuja centralidade e atuação não extrapolam os limites do seu município. com nove cidades no quarto nível e 16 não classificadas como centros de gestão. Ao mesmo tempo. Centro de zona A – 192 cidades. Subdivide-se em: a. multiplicaram-se os cortiços e as favelas (80% em regiões metropolitanas). têm população dominantemente inferior a 10 mil habitantes (mediana de 8 133 habitantes). em geral. respectivamente). Nas últimas décadas. que foram incluídas no conjunto final. Problemas ambientais dos grandes centros urbanos As grandes e médias cidades geralmente são mais poluídas que as pequenas ou que o meio rural. e seus relacionamentos com centros externos à sua própria rede dão-se. e b. servindo apenas aos seus habitantes. a alternativa foi procurar áreas mais afastadas. Soma-se a esse fato. e presença mais esparsa nas Regiões Norte e Centro-Oeste. Os acidentes de trânsito com milhares de feridos e mortos a cada ano. também é freqüente no Brasil. onde as condições de salubridade são precárias e o terreno é sujeito a deslizamentos e enchentes. Com presença mais adensada nas áreas de maior ocupação do Nordeste e do Centro-Sul. a abusos e impunidade dos motoristas e desrespeito do/ao pedestre e ciclistas. Tal número se deve ao descaso das autoridades. 235. dos resíduos e Pré-Vestibular da UFSC 26 . 4. veículos e pessoas. Em muitos casos. Centro sub-regional A – constituído por 85 cidades. a deterioração dos serviços populares de assistência médico-hospitalar. falta de transportes coletivos e de infra-estrutura urbana. têm índices bem altos no Brasil. Em relação aos elementos da análise. cada vez mais ouvimos falar em planejamento urbano. especialmente sobre a população mais pobre. A violência policial. dominantemente entre os níveis 4 e 5 da gestão territorial. A maior parte. como pavimentação. não havia sido classificada como centro de gestão territorial. e outras 107 estavam no último nível. os 802 centros acima do nível 5 abrangem 548 centros de gestão do território e 254 cidades com centralidade identificada a partir dos questionários. Centro sub-regional B – constituído por 79 cidades. essas iniciativas não serão suficientes. com medianas de 45 mil habitantes e 49 relacionamentos. mas três centros – Bragança (PA). a maior parte está classificada como centro de zona. o desemprego. da ação do tráfico de drogas e da falta de assistência às famílias pobres e vítimas da violência. estão subdivididos em grupos: a. Itapipoca (CE) e Afogados da Ingazeira (PE) – exercem o papel de centro sub-regional em sua região. exercem funções de gestão elementares. e b. Centro de zona B – 364 cidades. Para amenizar essas questões urbanas. se não houver uma participação democrática dos moradores. 5. têm área de atuação mais reduzida. com medianas de 23 mil habitantes e 16 relacionamentos. com medianas de 95 mil habitantes e 112 relacionamentos. frutos do crescimento do desemprego. entretanto.Inclusão para a Vida Geografia B 3. agravando o problemas do lixo. Predominam os níveis 5 e 6 da gestão territorial (94 e 72 cidades. Destas 254 cidades. Outro problema comum nas grandes cidades brasileiras é a violência. Centro de zona – 556 cidades de menor porte e com atuação restrita à sua área imediata. apenas com as três metrópoles nacionais. cresce cada vez mais o número de assaltos e assassinatos. com medianas de 71 mil habitantes e 71 relacionamentos. Isso porque nela se concentram as indústrias. luz. Os problemas sociais das grandes cidades Um dos problemas mais graves das grandes aglomerações urbanas é a habitação. Centro sub-regional –169 centros com atividades de gestão menos complexas. água e coleta de esgotos.

começou-se a estabelecer limites para as emissões de gases. Jorge J. 2. se o transporte público fosse mais eficiente. maiores seriam as disponibilidades da renda pessoal para outras atividades. Os esgotos urbanos. Tragédia ou descaso. Este texto analisa as recorrentes tragédias na região Sul do Brasil. cerca de 45 milhões de brasileiros não dispõem de coleta de lixo. b) A baixa tarifa do transporte urbano é um incentivo ao trabalhador. desabamentos de casas. cada morador da área urbana no Brasil gera 220 Kg de lixo domiciliar por ano. Além disso. automóveis. LOPES. fruto de estratégias de planejamento. e pelos espaços representados pelas planícies de inundação. p. com desmoronamentos. é correto afirmar: a) O elevado custo. d) A crescente preocupação com o planejamento urbano pelos órgãos oficiais do governo tem trazido melhorias na condução do tráfego e a diminuição dos custos na infraestrutura viária. Carência de áreas verdes – Estabeleceu-se internacionalmente que são necessários no mínimo 16m2 de área verde por habitante. 52-53. Há muitas cidades que não tem onde colocar o lixo que produzem. 2009. Isso intensifica a poluição do ar e torna mais restritas as opções de lazer da população. escritórios. Nos países em desenvolvimento. siderúrgicas e metalúrgicas são as que poluem mais intensamente atmosfera. contudo é mais grave nas cidades em que a concentração industrial ou de veículos é maior. Estes têm seus ciclos regulados pelos períodos de cheia e vazante. independentemente do tempo gasto para o deslocamento entre a casa e o trabalho. Disponível em: <www. incluindo o Brasil. óxidos de nitrogênio. monóxido de carbono. em média. usinas termelétricas.1% dos domicílios rurais. Luciana Maria. hoje são o ambiente típico dos automóveis. as usinas termelétricas. Se as condições fossem outras. Este termo encerra em si sua função: abrigar as águas do rio quando do seu natural extravasamento nas épocas de cheias. menor seria a parcela de renda que boa parte da população precisa reservar para compra e manutenção de um carro particular. os veículos automotores (automóveis. caminhões) são os maiores responsáveis pela poluição atmosférica nos centros urbanos. muitos dias por ano. do congestionamento. c) A qualidade do transporte coletivo urbano. (UFG) Leia o texto a seguir. Apenas nos anos 1990.5 m2 por habitante. o que resulta em ganho no orçamento no final do mês. caminhões. etc. Em 2000 eram recolhidos 52. O Atlas de Saneamento. geralmente. OKUBARO. mostra que menos de 20% do total de esgoto gerado no Brasil recebe tratameto. Um estudo do IBGE mostrou que. Os principais agentes poluidores são as indústrias. Refinarias de petróleo. são despejados sem tratamentos em rios que cortam a cidade.br/anteriores/03out2009/opiniao>. restaurantes e hospitais (que deve receber tratamento de coleta especial e incineração). e maiores seriam os recursos que o poder público poderia destinar para melhorar a qualidade de vida de uma população. Só os que. (Adaptado). como o dióxido de carbono.com. acaba por estimular a utilização do transporte coletivo. Neles perdem várias horas do dia. O automóvel. Acesso em: 3 out. existem apenas 4. ônibus). o aquecimento doméstico e a carvão ou lenha. De acordo com a análise do texto acima. do barulho. por exemplo. Pré-Vestibular da UFSC 27 . Os problema do lixos dos esgotos – O volume do lixo produzido por pessoa é muito grande nas sociedades industrializadas. etc. Geografia B Exercícios de Sala  1. às vezes. alguns anos de vida. incluindo lazer. dentre os principais problemas urbanos do Brasil temos: Poluição Atmosférica – A poluição do ar é causada pela presença de partículas sólidas em suspensão e de gases tóxicos. No fundo do vale o lençol freático aflora para formar os rios. fábricas de cimento e de produtos químicos.8% dos esgotos domiciliares da cidade e 3. menores seriam as demandas por investimentos públicos no sistema viário. Como conseqüência da poluição desses agentes temos o efeito estufa e as chuvas ácidas. com programas de catalisadores nos carros novos e filtros especiais em chaminés de fábricas. Dos resíduos recolhidos. do IBGE. mortes e centenas de pessoas desabrigadas. a queima de matas e. 2001. ocasionando a redução na qualidade de vida da população. dióxido de enxofre. os problemas de congestionamento das grandes cidades (ônibus. Com isso. em razão do seu padrão de renda. não podem almejar ter um carro sujeitam-se ao ineficiente sistema de transporte público.Inclusão para a Vida das emissões industriais.opopular. um condenado? São Paulo: Senac. poluindo-os intensamente e transformando-os muitas vezes em rios fétidos e ―mortos‖(sem peixes). Os efeitos da poluição atmosférica são ainda agravados com as inversões térmicas. a ação do poder público em favor do automóvel foi e tem sido tão eficaz que fica cada vez mais difícil para os moradores das cidades viver com um mínimo de conforto sem um automóvel particular. A poluição do ar manifesta-se praticamente em todos os grandes centros urbanos do Brasil. no entanto no Brasil isso é raro: em São Paulo. Temos uma média de 500 Kg de lixo anual por pessoa se somarmos isso a resíduos provenientes de indústrias. 13% são levados para aterros controlados e 10% para aterros sanitários. diminuindo o número de veículos nos grandes centros urbanos. (UEG) Invadindo espaços As cidades que antes serviam para abrigar os cidadãos.

devido aos mecanismos de controle impostos pelos traficantes e à rivalidade e aos choques entre quadrilhas baseadas em favelas diferentes (. corresponde mais diretamente ao seguinte processo socioespacial: a) hierarquização b) regionalização c) metropolização d) territorialização UNIDADE 13 E 14 INDUSTRIALIZAÇÃO NO BRASIL Estrutura industrial Existem três tipos principais de indústria: de transformação. (UERJ) Hoje. 2000. que vem ocorrendo nas últimas décadas. O fenômeno descrito no texto. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. d) Altas precipitações pluviométricas anuais que dificilmente são previstas devido ao uso de equipamentos meteorológicos obsoletos. em virtude de problemas decorrentes da urbanização. tornouse um tanto difícil. Essas atividades. além das indústrias de bens não-duráveis. e) III e IV. a industrialização brasileira se expandiu. c) Encostas íngremes que impedem a absorção de quantidade volumosa de água vertida em direção aos vales. Estão corretas apenas as afirmações a) I e II. instalaram-se paulatinamente os setores de bens de consumo duráveis. coube ao Estado o investimento em infra-estrutura de energia. II – Os problemas decorrentes da urbanização tendem a se agravar de acordo com a previsão do gráfico. tais como violência e desemprego. A partir de 1950. analise as afirmações a seguir.). podem ser divididas nos seguintes tipos: 3. Com a participação do capital externo. a partir de 1950. no que tange ao deslocamento de pessoas moradoras em uma delas para visitarem amigos ou parentes ou estabelecerem contatos O processo de concentração industrial no Brasil As primeiras indústrias a surgir no Brasil foram as de bens de consumo não-duráveis – alimentícias e têxteis. IV – A estimativa apresentada não considerou o retorno de grande parte da população urbana para o campo. e) Presença de solos profundos porosos que retêm água. formulando políticas específicas para favorecer a instalação dos diferentes setores industriais – com uma política energética e de financiamento. Geografia B associativos com pessoas residentes em outras.. tornando as enchentes inevitáveis. de bens intermediários e de bens de capital. petróleo. e implantação de indústrias pesadas (siderúrgica. I – As transformações ocorridas na estrutura urbana brasileira foram resultado de um rápido crescimento da industrialização que caracterizou o país na segunda metade do século XX. III – A tendência. por meio dos investimentos das multinacionais. o tipo mais comum e característico da atividade industrial. a interação espacial entre ―comunidades‖. político e econômico e suas repercussões na organização do espaço brasileiro. SOUZA. Marcelo Lopes de. com máquinas movidas a energia elétrica. extrativa e da construção.. já que os investimentos e o financiamento de melhorias na área rural têm sido ação comum nos últimos governos. As indústrias de transformação. eletricidade Pré-Vestibular da UFSC 28 .Inclusão para a Vida A explicação geográfica para essas tragédias pode ser encontrada no seguinte fato: a) Desvios dos leitos dos rios que direcionam o fluxo das águas em um mesmo sentido. d) II e IV. O Estado passou a atuar como agente planejador da economia. c) II e III. A economia agroexportadora cafeeira teve contribuição decisiva na geração de capital necessário para sustentar o processo de industrialização que surgia. é de que essa previsão não se realize. 4. provocando desabamentos de construções. b) Ausência de planejamento do uso do solo causando especulação imobiliária e possibilitando a ocupação de novos espaços sem fiscalização. (CESGRANRIO) Considerando o gráfico acima e o contexto social. e se tornam urgentes políticas de planejamento urbano e investimentos em infraestrutura urbana. metalúrgica. surgem no final do século XIX. A partir da década de 1930. no caso brasileiro. transporte e comunicações. ao mesmo tempo em que o Estado fomentava esse a vinda de imigrantes para o trabalho livre. b) I e IV. O desafio metropolitano: um estudo sobre a problemática sócio-espacial nas metrópoles brasileiras.

Entre os fatores que contribuíram para essa deseconomia de escala podemos citar: .2% da produção da América Latina e 2. O crescimento do comércio externo do Brasil tem proporcionado sucessivos superávits na balança comercial do país desde 2001. Geografia B A agroindústria é o destaque na Região Centro-Oeste.congestionamentos freqüentes no trânsito. de borracha e de papel. Atualmente.ampliação e reequipamento do parque industrial após a Segunda Guerra Mundial. Graças a sua proximidade geográfica e a densa rede de transporte e comunicações. No eixo Campo Grande-Goiânia-Brasília.instalação da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) de Volta Redonda. a Região Sul foi beneficiada com o processo de desconcentração industrial do Sudeste. No Nordeste houve a expansão das indústrias de bens intermediários dos setores químicos (Recife). ampliando as sua infra-estrutura e atividades econômicas. mercado consumidor. Minas Gerais. O eixo Porto AlegreCaxias do Sul e o parque industrial de Curitiba são destaque nesse processo. o desenvolvimento de Produtos. infra-estrutura. Desconcentração Industrial Por volta de 1970. as inovações tecnológicas. há destaque para as indústrias madeireira. depois de seis anos de déficits (1995/2000). Goiás. Bahia. etc). atraindo empresas dos setores mecânicos e elétrico por quase todo o estado. Amazonas. em 1946. É importante ressaltar que não foi tanto uma regressão da atividade industrial em São Paulo.incentivos de outros estados e municípios para atrair empresas (lotes baratos. O Brasil é o 9° Produtor de aço no ranking mundial. internacionalmente. como uma das mais competitivas do mundo. .terrenos demasiadamente caros.elevados custos para moradia. Em Santa Catarina as indústrias tradicionais se modernizaram. a modernização da agricultura e a formulação de políticas de desenvolvimento regional.a ocorrência da Primeira e Segunda Guerras Mundiais . transporte e alimentação (o que implica maiores salários). com destaque para as indústrias do setor de eletroeletrônicos. Santa Catarina. interessadas no amplo mercado dos países do Cone Sul. . isenção de impostos. Paraná e até Santa Catarina ganharam com essa concentração industrial. começou a ocorrer uma relativa desconcentração industrial no Brasil. A atividade industrial aproveitou uma série de condições favoráveis criadas em São Paulo pelo café: mão-de-obra. Minas Gerais. O BRASIL NA ECONOMIA GLOBAL A siderurgia brasileira é classificada. farmacêutica. o qual prosseguiu até por volta de 1970. Na Região Norte. considerando sua modernidade e quantidade de produção. sendo responsável por 50. Esse processo promoveu uma concentração industrial na Região Sudeste do Brasil.custos elevados de impostos. Três aspectos explicam essas mudanças: Pré-Vestibular da UFSC 29 . transportes e excelente sistema bancário. do setor óptico e as atividades industriais extrativas ligadas a riqueza mineral do Pará. O setor secundário foi o que mais se desenvolveu ao longo das últimas décadas. com decréscimo relativo de São Paulo e crescimento maior em outras unidades da Federação (Rio Grande do Sul. várias empresas nacionais e estrangeiras tem sido atraídas para a região. a expansão da Zona Franca de Manaus foi responsável pelo crescimento da atividade industrial.9% do total mundial. . petroquímico (Bahia) e de material elétrico. .Inclusão para a Vida e mineração). Processos e métodos gerenciais são fatores que influenciam na alta competitividade do parque siderúrgico brasileiro. eletricidade. .Plano de Metas (governo de Juscelino Kubitscheck) para o setor de energia e transporte. bem como a modernização das indústrias de bens de consumo. . mas um maior crescimento em outros estados. Mato Grosso e outras). Fatores fundamentais para impulsionar o desenvolvimento industrial do Brasil: .

Paraguai e Uruguai. Os chamados subsídios podem aparecer como empréstimos a juros menores. e abriu o mercado interno à importação reduzindo barreiras alfandegárias. considerando sua capacidade geradora de emprego. Com base nos conhecimentos sobre a participação do Estado no processo industrialização brasileira entre 1930 e 1980. o valor pelo qual a moeda brasileira é cotada em relação ao dólar. O Brasil e os principais blocos econômicos mundiais Nos últimos anos. d) Incentivou. (UEL) A partir dos anos de 1930. A instabilidade política e econômica da Argentina prejudicou temporariamente o crescimento do bloco. Até os anos de 1980. garantia de preços mínimos para cada safra e prioridades na compra da produção interna. o que barateia os produtos nacionais no exterior e encarece os estrangeiros no Brasil. construiu infraestrutura nos setores de energia. estatizou as empresas do setor de bens de consumo. Em 1996 o Chile e a Bolívia foram admitidos na qualidade de membros associados. b) caracterize o parque industrial da região Sudeste. transporte e comunicação e foi responsável pela criação da legislação trabalhista. A manutenção de uma faixa de câmbio adequada. que favorece as exportações e dificulta as importações. o aumento nas exigências de padrões de produção e qualidade para os produtos vindos de fora Com base no mapa acima e em seus conhecimentos. 2. redução de impostos. O Mercosul permitiu um salto no intercâmbio entre os quatro países membros (que passou de 8 para 28 bilhões de dólares). a indústria superou a agropecuária em termos de participação no PIB. ou seja. petróleo e gás natural e revogou a legislação trabalhista do período Vargas. assim. b) Priorizou o transporte ferroviário. A integração total do bloco dependerá da capacidade de ajustarem as tarifas alfandegárias às combinadas pelos atuais países membros. ao mesmo tempo em que diminui a participação relativa dos Estados Unidos nos intercâmbios externos do país. com o Tratado de Assunção. o Brasil intensificou seu processo de industrialização e. o mercado interno ao investimento especulativo estrangeiro nas áreas de securidade social. a queda do nível de atividade econômica brasileira. a formação desse bloco econômico visa estabelecer um livre comércio entre Argentina. A Integração do Espaço Brasileiro no Mercosul Geografia B Exercícios de Sala  1. privatizou as empresas estatais de geração e distribuição de energia elétrica. c) Estatizou a indústria de bens de consumo duráveis. abordando dois aspectos: o papel do estado e o mercado consumidor. por meio de privatizações. é correto afirmar que o Estado brasileiro: a) Investiu na chamada indústria de base. e) Abriu. (FUVEST) Barreiras à exportação As políticas protecionistas dos países desenvolvidos dificultam as exportações dos países em desenvolvimento. telecomunicações e finanças. facilitando a remessa de recursos financeiros para o exterior. Pré-Vestibular da UFSC 30 . ou seja. têm-se ampliado as relações comerciais do Brasil com a União Européia (UE) e com a Ásia. tais como estradas e hidrovias. o Estado atuou de forma decisiva nesse processo. é fundamental para bons resultados da balança comercial. investimentos no setor de infraestrutura de transportes. que gera recuo ainda maior nas importações. (UDESC) Estabeleça uma análise comparativa entre o contexto do processo da industrialização brasileira da década de 50 e final da década de 90. a) identifique o tipo de indústria predominante na região Nordeste. 3. Há ainda a cobrança de impostos mais elevados sobre os produtos importados e barreiras não-tarifárias. O Mercosul (Mercado Comum do Sul) Criado em 1991. por meio de parcerias. adotou legislação trabalhista mais rígida em relação àquela que vigorou Vargas. Brasil.Inclusão para a Vida a desvalorização do real. a adoção pelo governo de uma política mais agressiva para abrir novos mercados para as exportações brasileiras.

enquanto aqueles com mais de 1. cerca de 47% tinham menos de 10 hectares. os estabelecimentos com mais de 1. especialmente nas Regiões Nordeste e Centrooeste. Focalizando-se o número total de estabelecimentos. c) Apenas a proposição I é verdadeira. a) Apenas as proposições II e III são verdadeira. embora tenha diminuído em 2. Geografia B 4. 1995 e 2006. Assinale a alternativa correta. d) Apenas as proposições I e III são verdadeiras. Nos Censos Agropecuários de 1985.000 hectares ocupavam 43% da área total de estabelecimentos agropecuários no país. a presença da indústria de ponta de alta tecnologia nessa região e sua capacidade geradora de emprego. e) Apenas a proposição III é verdadeira.7% da área total. b) Apenas as proposições I e II são verdadeira. II – Existe uma maior densidade de meios de transporte nas Regiões Sudeste e Sul. considere as seguintes proposições: I – Na Região Norte do Brasil predomina o uso de hidrovias. 2. (G1) Com base na análise do mapa e em seus conhecimentos sobre a infraestrutura de transportes e circulação no Brasil. os cerca de 5. apenas.2 milhões de estabelecimentos agropecuários do país ocupavam 36.Inclusão para a Vida Considere. enquanto aqueles com menos de 10 hectares ocupavam. pelo maior dinamismo econômico dessas áreas em relação às demais regiões do Brasil. na sua análise. onde estão mais presentes.000 hectares representavam em torno de 1% do total. Em 2006. UNIDADES 15 e 16 AGROPECUÁRIA NO DO BRASIL Censo Agro 2006: IBGE revela retrato do Brasil agrário O Censo Agropecuário 2006 revelou que a concentração na distribuição de terras permaneceu praticamente inalterada nos últimos vinte anos.360 municípios. pela presença da Bacia do Rio Amazonas que possui muitos rios navegáveis. nos censos analisados. fato que pode ser explicado em parte. III – As ferrovias são hoje em dia o principal meio de circulação de mercadorias e de pessoas no Brasil.75% do território nacional e tinham como Pré-Vestibular da UFSC 31 .

sendo que o maior aumento ocorreu no Centro-Oeste (63. ou não possuíam o ensino fundamental completo (43%). enquanto Pará registrou maior crescimento (119. enquanto aquelas dedicadas à agricultura cresceram 19. etc. O rebanho bovino brasileiro era de 171. Os Critérios da Reforma Agrária Em 1993 o Congresso Nacional oficializou um critério de produtividade. Desde então.6%).000 hectares representavam em torno de 1% do total. Geografia B caracterizada pela concentração de terras em grandes propriedades rurais não se alterou nos últimos vinte anos. o que representou um aumento de 39% em relação ao Censo anterior. Mais da metade dos estabelecimentos onde houve utilização de agrotóxicos não recebeu orientação técnica (785 mil ou 56.4 milhões de cabeças.2 milhões de estabelecimentos. no qual. as propriedades com menos de 10 hectares ocupavam.4% desses estabelecimentos optou-se por sementes transgênicas. as propriedades com aproveitamento abaixo desse índice podem ser desapropriadas para realizar-se a reforma agrária. um índice de utilização de 80% da área aproveitável (já descontadas as áreas de reserva vegetal.Inclusão para a Vida atividade mais comum a criação de bovinos. enquanto os estabelecimentos com mais de 1. A classificação de uma propriedade em produtiva ou não-produtiva. em relação ao Censo Agropecuário 1995.6%). cerca de 47% tinham menos de 10 hectares.4%. Com crescimento de 88% na produção.). uma propriedade rural deve apresentar. A manutenção da desigualdade na distribuição de terras expressa-se na comparação das informações nos três últimos censos agropecuários: Na comparação entre 1985. Entre 1995 e 2006.3% dos estabelecimentos declararam utilizar irrigação.2%). sendo que 42.5% destes produtores ligavam-se a associações. excluindo-a ou tornando-a legalmente passível de desapropriação. Esses são alguns dos resultados do 10º Censo Agropecuário .6 milhões de cabeças em dezembro de 2006. apenas. Focalizando-se o número total de estabelecimentos. dá origem a discussões.8 milhões de hectares) da área total dos estabelecimentos rurais. totalizando mais de 80% de produtores rurais com baixa escolaridade. para ser considerada produtiva. Além disso. sendo que Mato Grosso do Sul reunia 20. sindicatos ou a cooperativas.69%).8% dos estabelecimentos agropecuários praticavam agricultura orgânica no país. nos censos analisados. 18. Os estabelecimentos que têm como atividade principal a cana-de-açúcar ou a soja ficaram com a maior participação no valor da produção agropecuária (ambos 14%).2006.7% dos produtores rurais responsáveis por estabelecimentos onde houve aplicação de agrotóxicos não sabem ler e escrever. 6. uma possível causa foi a criação de novas Unidades de Conservação Ambiental (crescimento de 19.7 milhão de hectares (1. Apenas 1. em todos os 5. A área total dos estabelecimentos agropecuários brasileiros diminuiu em 23. 1995 e 2006.7% (7.6 milhões de hectares) da área total em ambos os três censos agropecuários. mananciais. 15. que traz um perfil de aproximadamente 5. 2. A grande maioria dos produtores entrevistados eram analfabetos ou sabiam ler e escrever mas não tinham freqüentado a escola (39%). totalizando mais de 60 milhões de hectares. até mesmo na Justiça.7% não sabiam ler e escrever Havia mais de 1 milhão de crianças com menos de 14 anos de idade trabalhando na agropecuária.000 hectares concentravam mais de 43% (146. seguidos por aqueles que se dedicam à criação de bovinos (10%). sobretudo na região Norte (39. 77% dos ocupados tinham laços de parentesco com o produtor e 35. sendo que em 46. enquanto aqueles com mais de 1.7 milhões de hectares (-6. Trabalhavam em estabelecimentos agropecuários. maior levantamento sobre a estrutura produtiva do setor primário brasileiro. os estabelecimentos agropecuários registraram redução de suas áreas de florestas (-11%) e de pastagens naturais (-26.9% da população ocupada no país. A possibilidade de questionar em Pré-Vestibular da UFSC 32 . o que potencializa o risco de intoxicação e uso inadequado do produto.9%).7%).3%). no mínimo. a soja foi a cultura que mais se expandiu na última década.09% de área) e demarcação de terras indígenas (crescimento de 128. e aumento nas áreas de pastagens plantadas de 1.8%). Os resultados do Censo Agropecuário 2006 mostram que a estrutura agrária brasileira.564 municípios brasileiros.

algodão e milho. Vastas áreas de relevo pouco acidentado. Por isso. MG e toda Região Sul). Mas incluem até um possível aumento da produção agrícola de vários países africanos que ainda possuem expressivos estoques de terras disponíveis. condições edáficas e climáticas favoráveis. A Pecuária no Brasil O Brasil é o primeiro produtor de gado bovino do mundo.  Os problemas ambientais do meio rural Na área rural os problemas ambientais estão principalmente relacionados com as áreas que passam por um processo de modernização agrária. Em áreas de agricultura tradicional. geralmente ineficientes. os produtos exportados são. como o uso intenso de adubos químicos e agrotóxicos. Nos últimos anos.Inclusão para a Vida juízo a classificação feita pelo Incra permite que muitos latifundiários evitem ou retardem a desapropriação de suas terras. Com mecanização e introdução de técnicas ditas modernas. China. especialmente da China. são enormes. café. as ferrovias são quase sempre precárias e os portos. BRASIL. em grande parte. com um grande desenvolvimento da produção em alguns estados (SP. soja. a participação do Brasil no mercado mundial de bens agrícolas é de apenas 4% As vantagens comparativas do Brasil. recursos hídricos abundantes. O espaço agrário brasileiro passou por recentes transformações. o Brasil se tornou um dos maiores produtores e exportadores de commodities agropecuárias do mundo. o agronegócio é responsável por um terço do PIB. o desmatamento e o assoreamento dos rios são as questões mais relevantes. barreiras tarifárias e não-tarifárias) utilizados especialmente pelos países mais desenvolvidos. tabaco. suco de laranja. CELEIRO FUTURO DO MUNDO? Sob o comando do mercado internacional. Embora o volume de produção seja crescente. Internamente. Os conflitos no campo tornam-se cada vez mais agudos. antes de tudo. Atualmente é líder mundial na exportação de açúcar. Índia. 35% dos empregos e 40% das exportações. Estados Unidos. e da Índia. os maiores entraves estão ligados à precariedade da infra-estrutura viária (rodovias. Pelo menos metade da produção agropecuária é transportada por rodovias – e cerca de 75% delas estão em péssimo estado. especialmente nos aspectos naturais. representadas principalmente pela modernização das atividades (intensificação das produções) e pela ampliação das fronteiras agrícolas (extensificação das produções). Resultado: o preço dos produtos exportados fica menos competitivo. mas não só a essas. grande importador do Brasil. Gigantes territoriais como Rússia. Apesar de melhorias parciais. Mas nem tudo são flores. O país também possui o terceiro rebanho suíno do planeta. um mercado promissor. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO). as queimadas. sendo precedido pela China e EUA. Se a atividade agropecuária é responsável por aproximadamente 10% do PIB do Brasil. Há um cenário de aquecimento da demanda por alimentos por conta do crescimento econômico global e da população mundial. ferrovias. Os primeiros abrangem. os vários tipos de protecionismo (subsídios. cotas. o Brasil possui um estoque de 300 milhões de hectares de terras a serem utilizadas. Na criação de aves também é o maior produtor. de baixo valor agregado. portos). A agropecuária está na origem de uma cadeia produtiva ligada a um conjunto de atividades Pré-Vestibular da UFSC 33 . Austrália e Canadá possuem extensões bem menores de terras disponíveis Existe também um contexto internacional favorável para o Brasil nos próximos anos. agronegócio se expande e reorganiza os espaços produtivos no território brasileiro Geografia B industriais e de serviços que se denominam gronegócio. carne bovina e frango. pois um leque de obstáculos externos e internos limita a expansão das exportações. Está entre os maiores produtores de álcool.

está cada vez mais especializada na produção de grãos (especialmente soja).clubemundo. Além disso. a intensificação de novas tecnologias nas regiões mais desenvolvidas. Ao mesmo tempo. Hoje. ―empurrou‖ as atividades agropecuárias do cerrado para áreas florestais das franjas meridional e oriental da Amazônia. o que permitiu não só o aumento das exportações como também o abastecimento regular do mercado interno. destacam-se os que se verificam no médio vale do São Francisco (pólo fruticultor de Petrolina-Juazeiro) e nos vales do Açu (RN). Mais do que as qualidades e o crescimento da concorrência internacional. Há. a expansão da produção acelerou a destruição do ecossistema do cerrado. trabalhando conjuntamente com universidades e centros de pesquisas. Maranhão e Piauí e o desenvolvimento de projetos de irrigação em regiões do semi-árido. Acessado em 05 de março de 2009. mais de 17% da vegetação florestal original tenha sido destruída. dois fenômenos mais ou menos recentes modificaram o panorama regional: a expansão de grãos nos cerrados da Bahia. que perdeu participação na produção de grãos.com. por conta clima quente e seco. mas apresentou forte crescimento na produção de cana-de-açúcar. (UFPR) Os índices mínimos de uso da terra utilizados atualmente pelo INCRA para que ela cumpra Pré-Vestibular da UFSC 34 . máquinas. Nesse processo. A expansão nas áreas de cerrado só foi possível pelas transformações tecnológicas que permitiram a incorporação produtiva dessas áreas. ainda. manga. antes sujeito às variações sazonais da oferta. o crescimento das áreas ―conquistadas‖ pela irrigação em porções do semiárido nordestino. Demétrio.asp?id=1042&prod=1 > . nos últimos anos. a valorização do real perante o dólar encareceu as exportações. que hoje só possui cerca de 20% de sua cobertura original. FONTE:MAGNOLI .Inclusão para a Vida Geografia B Do ponto de vista ambiental. No caso da agricultura irrigada. equipamentos e serviços em geral. Disponível em: < http://www. que tem nas regiões Centro-Oeste e Nordeste sua maior extensão. especialmente em Mato Grosso. gerando uma extensa área de terras degradadas – o ―arco do desmatamento‖ – que se estende do oeste do Maranhão ao leste do Acre. A produção é realizada ao longo de todo o ano. dezenas de países impuseram embargo à carne brasileira. Aos efeitos positivos sobre a geração de renda e emprego nessas áreas somam-se as novas possibilidades de integração produtiva com a indústria. foi determinante a ação da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). impulsionando a demanda de insumos. O processo contribuiu para que.br/noticia_show. o que abriu caminho para o ressurgimento de focos de febre aftosa. Exercícios de Sala  1. O dinamismo nessas duas regiões tem implicações econômico-sociais e ambientais. mudanças estruturais aconteceram na agropecuária no Centro-Sul. a questão do controle fitossanitário que. hoje. A expansão da produção em padrões modernos e em regiões de baixa densidade demográfica exerce um forte efeito econômico sobre as atividades urbanas. a atividade de maior expressão é a fruticultura com destaque para uva. Nessas áreas. a região dos cerrados. Um dos melhores exemplos é São Paulo. foi negligenciado. mamão. A criação de infra-estruturas e os incentivos fiscais do governo foram fatores importantes para essa evolução. Esse processo de conquista de novos espaços. algodão e pecuária bovina. Acaraú (CE) e Parnaíba (PI). A asfixiante carga tributária e o baixo financiamento da produção e investimento em pesquisas são também obstáculos importantes. laranja e fruticultura. Na Região Nordeste. indicando uma opção pelos cultivos de maior valor agregado. A evolução espacial da produção agropecuária no Brasil apresenta três grandes movimentos simultâneos: o deslocamento da pecuária e das culturas de grãos e algodão para a área dos cerrados e região amazônica. Em 2005. são as deficiências internas que sabotam o sonho de transformação do Brasil no ―celeiro do mundo‖.

O debate sobre a atualização dos índices de produtividade mostra que. Entretanto. técnicoprodutivos e sobretudo políticos. na dinâmica da reforma agrária. 2 e 4 são verdadeiras. 2007. Rádio Agência Notícias do Planalto.900 kg/hectare de milho para que a propriedade seja considerada produtiva. segundo os dados do censo agropecuário de 1975 do IBGE. pois. A resistência à atualização dos índices de produtividade revela a manutenção do latifúndio. considere as seguintes afirmativas: 1. como uma estrutura produtiva que condena o campo à subutilização. (UFU) Analise os mapas apresentados e assinale a alternativa correta. pois mostra que esta deve ser implementada onde não foram alcançados altos índices de produtividade. c) Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras. basta produzir 1. (UERJ) Herdeiro do pampa pobre Passam às mãos da minha geração Mas que pampa é essa que eu recebo agora Heranças feitas de fortunas rotas Com a missão de cultivar raízes Campos desertos que não geram pão Se dessa pampa que me fala a história Pré-Vestibular da UFSC 35 . "Me engana que eu gosto": A não atualização dos índices de produtividade da terra no governo Lula. elevando os indicadores de produtividade. Ariovaldo Umbelino de. por exemplo. a) A incorporação das áreas do Sudeste e do Centro-Oeste na produção de trigo foi possível graças ao processo de resfriamento por que passa a Terra.Inclusão para a Vida sua função social foram elaborados em 1980. d) O desenvolvimento de variedades adaptadas ao clima tropical tem permitido o aumento da produtividade nas áreas do Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. levando-se em conta o nível técnico da agropecuária. Não me deixaram nem sequer matizes? 3. A expansão das áreas para agropecuária.) Geografia B 2. 26 mar. no estado de São Paulo. convergem aspectos legais. c) As condições ideais de produção de trigo são encontradas no Sul do Brasil. 3. 4. (Adaptado de: OLIVEIRA. d) Somente as afirmativas 1. a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira. E por que até agora esses índices não foram atualizados? Porque assim imóveis com baixas produtividades escapam da desapropriação e da reforma agrária. mostra que os índices de uso da terra não precisam ser atualizados. 2. b) A produção da região Sul do Brasil diminuiu em decorrência da entrada no mercado brasileiro de trigo importado da Europa. com base nos indicadores de produtividade das lavouras e dos rebanhos por hectare.150 kg/ha. A mudança dos indicadores da função social da terra ajuda a reforma agrária. Assinale a alternativa correta. 2 e 3 são verdadeiras. e) Somente as afirmativas 1. com temperaturas elevadas durante todo o ano e precipitação anual de 700ml. que teve sua origem na forma de repartição da terra realizada pelos portugueses após a conquista e se prolonga até os nossos dias. A respeito desse tema. a produtividade média do milho nesse estado na safra de 2005/6 foi de 4. pois ainda estão de acordo com as necessidades do campo. Hoje eles estão completamente defasados. b) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.

do carvão. mas não foi possível implantar a vitinicultura. Rio Grande do Norte e Amazonas. d) os maiores produtores de frutas tropicais da região e do país encontram-se em polos agroindustriais dos municípios pernambucanos de Juazeiro e Petrolina.Gás Natural Representando 3% da matriz energética brasileira. incluindo-se aí a energia muscular do ser humano até a energia nuclear. seguido de longe por Sergipe. uma vez que a indústria é a atividade econômica que mais consome energia. FONTES DE ENERGIA Pré-Vestibular da UFSC 36 . uma consequência socioespacial que caracteriza o atual mundo rural brasileiro é: a) a redução do processo de concentração de terras. c) a região é importante produtora de frutas. acréscimos. Por isso.Inclusão para a Vida Onde a ganância anda de rédeas soltas Herdei um campo onde o patrão é rei Tendo poderes sobre o pão e as águas Onde esquecido vive o peão sem leis De pés descalços cabresteando mágoas Se for preciso. suspensões. sol. A Natureza do Espaco. As principais fontes exploradas até hoje são as nãorenováveis.com. eram apenas as grandes cidades que se apresentavam como o império da técnica. objeto de modificações. b) a região tem clima úmido. do gás natural. essas fontes de energia estão espacializadas da seguinte forma: . No Brasil. São Paulo: Hucitec. na Bolívia. particularmente à localização dos recursos energéticos. apesar de várias tentativas. As fontes de energia são divididas em duas grandes categorias: Fontes não-renováveis: aquelas cujas reservas podem se esgotar. etc. e daí a região industrial de Porto Alegre no Rio Grande do Sul. o mundo rural. à viabilidade de utilização econômica de suas fontes e. energética utilizada no Brasil foi sendo ampliada e diversificada com o decorrer das atividades industrias. com chuvas bem distribuídas ao longo do ano. c) a ampliação do isolamento do espaço rural. Considerando a transformação mencionada no texto. os grandes produtores são Rio de Janeiro e Bahia. em São Paulo. característica favorável à fruticultura. Esse mundo artificial inclui. do urânio. 5. 1996. eu volto a ser caudilho Por essa pampa que ficou pra trás Porque eu não quero deixar pro meu filho A pampa pobre que herdei de meu pai Gaúcho da Fronteira e Vaine Duarte http://letras. Fontes renováveis: que podem produzir energia sem se esgotarem. A matriz A região do pampa. reflete a realidade rural brasileira e suas mazelas. d) a estagnação da fronteira agrícola do país. hoje. etc. Nesse estado outro gasoduto permite a importação do gás natural da Bolívia. O Brasil também importa gás natural da Bolívia através de um extenso gasoduto. 4. SANTOS. (Enem) Antes. M.br Geografia B O processo de industrialização envolve a produção e o consumo de produtos energéticos. porque a cultura não se adapta ao clima. Identifique o processo socioespacial que originou a estrutura agrária descrita no texto.terra. está muito subordinada a ela. à contabilização dos custos – aspectos essenciais do projeto de industrialização do país. como os rios. o que compensa o clima seco e o alto índice de insolação durante a maior parte do ano. como é o caso do petróleo. como demonstra a figura abaixo. que vai de Santa Cruz de La Sierra. b) o aumento do aproveitamento de solos menos férteis. cada vez mais sofisticadas e carregadas de artifício. marés. e) a diminuição do nível de emprego formal. (Unicamp) Com relação à fruticultura na região do Vale do São Francisco no Nordeste brasileiro. sobretudo. a Guararema. biomassa. Aponte também uma de suas causas e uma de suas consequências socioeconômicas. no Rio Grande do Sul. vento. A energia pode ser definida como capacidade de produzir trabalho. é correto afirmar que a) a região tem terras férteis e adequadas à fruticultura graças à inserção de projetos irrigáveis.

O carvão muito utilizado na geração termelétrica de energia. Na região sul ela representa 15% do total da região. respectivamente.Carvão Mineral Geografia B . E. a usina de Três Marias (rio São Francisco. As regiões Sul e Sudeste apresentam grandes empreendimentos hidrelétricos. A preocupação com o aproveitamento do carvão mineral é recente no Brasil. no baixo Amazonas e na bacia do Parnaíba. estão os estados do Rio Grande do Norte e da Bahia. cabendo aos geradores térmicos apenas 8%. e a usina de Itaipu (maior hidrelétrica do planeta. Na Região Nordeste destacam-se as usinasdo rio São Francisco. As refinarias estão próximas aos centros de consumo. sendo um poderoso argumento contra o uso da energia nuclear FONTE: SENE. principalmente na região vizinha ao estado do Rio de Janeiro (Bacia de Campos). localizada no rio Paraná). como por exemplo: o complexo Urubupungá (SP e MS) com as usinas de Jupiá e Ilha Solteira. Apenas parte do carvão catarinense é coqueificada e remetida para a Companhia Siderúrgica Nacional. a principal fonte são os poços submarinos da plataforma continental. GEOGRAFIA GERAL E DO BRASIL. cerca de 50% da produção é aproveitada para a fabricação de aço. com enorme potencial hidrelétrico. Hidreletricidade A fonte de energia renováveL mais utilizada no Brasil é a energia de origem hidráulica. No Rio Grande do Sul. mais de 60% são originários da plataforma continental. no rio Tocantins. 2003 Os dez maiores consumidores de petróleo Pré-Vestibular da UFSC 37 . Sergipe e Ceará também são outros destaques na produção nacional. a limitada produção nacional era obtida de poços terrestres. Do total produzido no país. Em seguida ao Rio de Janeiro.Petróleo Até a década de 1970. No norte destaca-se a usina de Tucuruí. O Brasil só aproveita 30% de seu potencial hidrelétrico. como Sobradinho. Moxotó e Paulo Afonso. pois temos a rede hidrográfica mais densa do mundo. em Volta Redonda (RJ). As reservas estão depositadas em terrenos sedimentares antigos. sendo que a Petrobrás detêm 98% dessa atividade em várias regiões brasileiras. Hoje.Inclusão para a Vida . construída para alimentar a produção de alumínio realizada na região de Belém e que fornece energia para outras regiões do Brasil. a maior parte localizada no Recôncavo Baiano. construídas como parte do projeto de desenvolvimento da região nas décadas de 1960 e 1970. Isso explica porque mais de 90% da potência instalada nas usinas provêm de geradores hidráulicos. Ela é abundante no Brasil. na borda oriental da bacia do Paraná. mas apenas o carvão do sul é explorado. São Paulo: Editora Scipione.

Dificuldades técnicas e ambientais restringem a utilização dessa fonte energética. palha. Essa usina entrou em operação em 1984. Sua utilização restringe-se ao setor de transportes. O biodigestor é o aparelho utilizado para o aproveitar o biogás. tem sido valorizado como combustível alternativo. o governo brasileiro começou a definir o Programa Nuclear Brasileiro. Biogás Trata-se do gás produzido a partir de matéria orgânica em decomposição (esterco. bagaço vegetal ou lixo) pela ação de certas bactérias. As maiores concentrações estão no município de São Mateus do Sul (PR). como a cana-de-açucar. Pré-Vestibular da UFSC 38 . tanto por parte de ecologistas. Álcool O álcool pode ser produzido de numerosos vegetais. A tecnologia existente é rudimentar para a geração de energia. onde foi instalada uma usina para processá-lo. que recebeu incentivos governamentais e desenvolveu tecnologia própria. localizada em Angra dos Reis (RJ). com o aumento dos preços do petróleo no mercado internacional. Xisto Betuminoso O aproveitamento econômico do xisto betuminoso consiste em separar o betume da rocha (hidrocarbonetos) e produzir petróleo a partir dele. apresentando grande produção em menos de dez anos. foi criado o Programa Nacional do Álcool (Proálcool). aproveitando muito pouco da intensa radiação solar que o território brasileiro recebe. A inviabilidade está no processo produtivo. pois exige grandes extensões de terra. Diante da perspectiva de esgotamento das reservas de petróleo e de carvão. Nos anos de 1970. Em média. Pelos riscos que representa. de cientistas e da sociedade civil. batata e cevada. o teor de óleo na rocha é inferior a 10%. A usina nuclear decorrente desse programa foi Angra I. Energia Solar No Brasil essa fonte de energia é muito utilizada para o aquecimento da água em habitações. esse projeto tem sido alvos de críticas.Inclusão para a Vida Geografia B OUTRAS FONTES DE ENERGIA Energia Nuclear No final da década de 1960. destinado a implantar no país a produção de energia atômica.

I. III. considere as afirmativas a seguir. assinale a alternativa incorreta.Inclusão para a Vida Exercícios de Sala  1. a) O campo de Jubarte será o primeiro. c) O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer que o modelo de exploração da camada pré-sal transforme o Brasil em um grande exportador de derivados. elevarão significativamente a quantidade de óleo existente em bacias brasileiras. se confirmados. a produzir óleo abaixo da camada de sal. Geografia B matriz energética nacional. (UDESC) Sobre as reservas de petróleo da camada pré-sal. é no litoral capixaba. d) Somente as afirmativas I. Apesar de ser na Bacia de Santos que estão sendo depositadas as expectativas de maior volume de reservas na camada do pré-sal. Assinale a alternativa correta. d) A Petrobrás realizou. ainda é pouco aproveitado. assim como o petróleo. entretanto a construção de barragens provoca graves impactos socioambientais. 54% da matriz energética brasileira. Com base no gráfico e nos conhecimentos sobre o tema. e) Somente as afirmativas II. 4. ainda na Bacia de Campos. (UDESC) Aponte as vantagens e as desvantagens para o Brasil de um eventual aumento da produção de energia nuclear. que se estende por 800 km desde o litoral do Espírito Santo ao de Santa Catarina. III e IV são corretas. também. (UEL) Analise o gráfico a seguir e responda à questão. II e III são corretas. Há 34 anos. (UERJ) 2. com forte participação na Pré-Vestibular da UFSC 39 . os governos do Brasil e da Alemanha firmavam programa de cooperação que previa a construção de oito centrais termonucleares. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. além de usinas de enriquecimento de urânio e de reprocessamento do combustível nuclear. no entanto. Gás natural e carvão mineral são. b) Somente as afirmativas II e IV são corretas. uma avaliação regional do potencial petrolífero do pré-sal que se estende nas bacias do Sul e Sudeste brasileiros. e) A Petrobrás e sócias identificaram indícios de petróleo em diferentes pontos na camada pré-sal. Além das irregularidades apontadas na reportagem. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. que o primeiro óleo será retirado desta formação geológica. Os volumes recuperáveis estimados de óleo e gás para os reservatórios do pré-sal. IV. colocando o Brasil entre os países com grandes reservas de petróleo e gás do mundo. as hidrelétricas são menos comprometedoras para o meio ambiente. II. As fontes não-renováveis representam. que valem mais que exportar o petróleo cru. 3. fontes renováveis. no Brasil. b) A grande vantagem do Brasil na exploração de petróleo da camada do pré-sal é que a Petrobrás é 100% estatal e única dona do petróleo existente na referida reserva. aproximadamente. o atual programa nuclear brasileiro tem como principal problema: a) risco de poluição ambiental b) inviabilidade da tecnologia adotada c) ausência de fontes de investimentos d) indisponibilidade de mão de obra qualificada Uma discussão frequente na mídia atual diz respeito às alternativas de geração de energia para o abastecimento da população e dos processos produtivos. Em comparação às termoelétricas e usinas nucleares. As condições brasileiras de clima e relevo originam um grande potencial hidráulico que.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->