P. 1
Processo de Fabrico

Processo de Fabrico

|Views: 18|Likes:
Publicado porprofcm

More info:

Published by: profcm on Feb 04, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/28/2013

pdf

text

original

Módulo 3 - Introdução aos Processos de Fabrico Ciclo de vida dos materiais Condutibilidade

Comecemos por dividir o título para uma melhor perceção do tema. Material é uma quantidade de matéria em qualquer porção ou estado físico. Ciclo de vida é o conjunto de transformações que o material sofre desde a matéria-prima, passando pelo produto final, utilização e posterior reciclagem ou descarte. Os processos de produção e aplicação de materiais envolvem, obrigatoriamente, etapas comuns de transformação de matérias-primas, de aplicação durante o ciclo de "vida" do material e, ao fim deste período, de descarte, reutilização ou reciclagem. Existem dois tipos de ciclo de vida dos materiais: Ciclos infinitos - no caso de materiais que são reaproveitados totalmente por reciclagem. Ciclos finitos - no caso de materiais para os quais ainda não são conhecidas técnicas de reaproveitamento, sendo descartados no seu final de vida, culminando o seu ciclo.

reutilizado ou reciclado. Uma das partes importantes do ciclo de vida dos materiais é a fase de fabrico. partindo da matéria-prima passando pela aplicação de processos químicos e físicos até à obtenção do produto na sua forma final. Em seguida serão listados diversos processos de fabrico aplicáveis a metais. devidamente categorizados. O produto é colocado em serviço e posteriormente pode ser descartado. mediante as suas propriedades e características. os processos de fabrico em dois grandes grupos:  Processos de alteração de forma . à partida. poderemos dividir.o analisarmos o diagrama percebemos que existem várias fases no ciclo de vida do material. Desta forma.

3 Martelos de Queda 2.1 Processos de Deformação Plástica     o 2.1.2 Corte de chapas 4 Processos de Ligação Introdução Os processos de fabrico que envolvem alteração de forma da matéria-prima são os mais significativos na indústria de transformação.2 Fundição   2. a partir da qual se obtém a forma final da peça por remoção de material.4 Prensas 2.são processos através dos quais a forma final das peças é conseguida por deformação plástica ou por fusão e solidificação num molde.1.1.1 Processo de Fundição 3 Processos de Corte o o  3. por união de componentes mais simples de formas elementares.são processos através dos quais a peça final se obtém por adição de material.1 Corte por Arranque de Apara 3.1. .2.2 Equipamento usado nos processos de deformação plástica 2. isto é. Processos de Corte .são processos em que a matéria prima tem uma certa forma inicial. Processos de alteração de propriedades Tabela de conteúdo   1 Introdução 2 Processos de Enformação o 2.1 Classificação em função da temperatura de trabalho 2. Processos de Ligação . A alteração de forma pode ser implementada através de três grupos de processos:    Processos de Enformação .

5*Tf  Deformação a frio ou trabalho a frio..nos quais o material é trabalhado no estado sólido.Processos de Enformação Os processos de enformação dividem-se em dois grandes grupos:    Processos de deformação plástica . A escolha da temperatura de trabalho influencia aspectos como o comportamento mecânico das peças ou a economia do processo.onde o material em estado de fusão é vertido para um molde. é aquele que é executado na faixa compreendida (grosseiramente) entre 0. Esta classificação está relacionada com o quociente entre a temperatura de trabalho e a temperatura de fusão (Tf) do material. aquele que é executado entre a temperatura ambiente e 0. . chapas.) Fundição . Processos de Deformação Plástica Os processos de deformação plástica podem dividir-se em dois grandes grupos.. adquirindo a forma deste após solidificação. os processos de deformação plástica podem ainda ser classificados como trabalho a frio. atingindo a forma final pela deformação plástica de pré-formas iniciais (biletes.5 Tf. em função das matérias-primas que usam como base:  em massa:         Forjamento Laminagem Trefilagem Extrusão em chapa: Quinagem Estampagem Estiramento Classificação em função da temperatura de trabalho Em função da temperatura e do material utilizado. a morno e a quente. Existem essencialmente três tipos de deformação usados na prática:  Deformação a quente ou trabalho a quente.3*Tf e 0.3*Tf  Deformação a morno ou trabalho a morno. é aquele que é executado a temperaturas acima de 0.

Equipamento usado nos processos de deformação plástica As máquinas para efectuar os processos de deformação plástica podem ser classificadas primariamente pelo seu princípio de funcionamento. Podem ser de vários tipos:  Acção gravitacional   nos quais apenas o peso do conjunto corrediça superior . Estas máquinas podem ainda possuir movimento em ambas as metades da ferramenta. São máquinas capazes de fornecer forças elevadas e tempos de contacto curtos com o material a conformar. sob a forma de accionamento pneumático ou hidráulico. designando-se assim martelos de contra-golpe. Estas podem ser divididas em dois grupos fundamentais:   Martelos de Queda Prensas Martelos de Queda Os Martelos de queda foram as primeiras máquinas a ser usadas nos processos de deformação plástica. e uma base onde é fixa a metade inferior da ferramenta. São constituídos. nomeadamente no forjamento. essencialmente por uma estrutura onde se move uma corrediça.ferramenta é usado para gerar a energia para o trabalho de deformação plástica. na qual é montada a metade superior da ferramenta de conformação. . Com accionamento auxiliar  nos quais a queda por gravidade do conjunto corrediça superior ferramenta é potenciada por energia externa.

no âmbito de diversos processos de fabrico. a estampagem e o corte de chapa. As prensas podem ser classificadas por dois métodos:  Por tipo de accionamento  Prensas Mecânicas  Prensa de Biela-manivela "Prensa mecânica de biela-manivela." .Martelo de queda de duplo golpe para Martelo de queda para forjamento forjamento Prensas As prensas são máquinas destinadas a accionar ferramentas de conformação plástica e / ou corte. incluindo o forjamento.

Em consequência dessa cinemática.    Prensas mecânicas de fuso O princípio de funcionamento deste tipo de prensas é o seguinte: dois discos localizados verticalmente. só assim a prensa desenvolve a força máxima. a prensa mecânica não pode ser escolhida directamente pela capacidade indicada na placa de características da máquina. pois esta é a capacidade máxima da prensa quase no final do curso. efectuando assim um movimento rectilíneo vertical do martelo. Assim sendo. é aconselhável escolher uma prensa com uma força nominal 20% ou superior. para que a maquina não esteja nos seus limites. Vantagens e desvantagens das prensas de biela-manivela A cinemática do mecanismo de biela-manivela condiciona a forma como a entrega de força é efectuada. para uma determinada operação de conformação. Do exposto resulta que. Esta última tem por finalidade expulsar a peça acabada por gravidade. acima da força necessária. accionam um disco onde está acoplado um fuso. . tais como: Prensa de mesa Fixa Prensa com mesa Regulável Prensa com mesa Inclinável. A capacidade indicada na placa de características refere-se ao curso útil de operação com excentricidade ao máximo. a força disponível para o trabalho a efectuar não é constante ao longo de todo o curso de trabalho. por efeito de atrito. Existem diversos tipos de modelos de prensas.São denominadas assim porque o movimento é efectuado por excêntrico que utiliza a energia acumulada num volante giratório transferido para uma biela que por sua vez é ligado ao martelo da prensa.

sendo mais produtivas que as Prensas Hidráulicas que são mais lentas.  Prensa de dois efeitos: Constituída fundamentalmente por cilindros localizados na parte superior em que normalmente o cilindro central efectua a 1ª operação e os outros (normalmente dois ou quatro) efectuam a segunda operação. porem. Existem três tipos:  Prensa de um efeito: Constituída fundamentalmente por um cilindro que acciona o carro móvel da máquina.  Prensa de três efeitos: Constituída fundamentalmente por cilindros na parte superior e inferior normalmente o cilindro central efectua a 1ª operação e os outros (normalmente dois ou quatro) efectuam a segunda operação e na parte inferior.Prensa mecânica de fuso   Prensas Hidráulicas Prensa hidráulica Estas prensas têm como principal caratcerística o accionamento através de cilindros hidraúlicos. estas podem executar peças mais complexas e com estampagem profunda  Por tipo de construção . As Prensas devem ser escolhidas em função do tipo de trabalhos que vão executar isto dependerá:    Da quantidade de peças a executar Das suas dimensões Da forma construtiva da peça As prensas mecânicas são utilizadas para operações de corte. existe outro que efectua a terceira operação (almofada). dobragem e estampagem. São muito utilizadas na indústria automóvel. onde existem peças que necessitam por vezes de estampagem profunda.

no estado líquido. o que constitui um defeito da peça. Obter peças praticamente na forma final. Por outro lado. Processo de Fundição O objectivo do processo de fundição será reproduzir um modelo. Em muitos casos após a fundição. tais como aços. Em muitos casos. A peça produzida por fundição pode ter ou não as formas e dimensões definitivas. cada um destes componentes fundamentais do processo pode ser definido da seguinte forma: .. ou colo de cisne. Durante o processo de solidificação pode haver formação de porosidade. é vazado num um molde com formato e medidas correspondentes aos da peça a ser produzida. Obter peças com acabamento superficial razoável a bom. dado que a estrutura cristalográfica formada durante o arrefecimento é geralmente mais grosseira. ferros fundidos. como no caso da produção de peças complexas e com cavidades internas. as propriedades mecânicas de peças fundidas geralmente são inferiores às propriedades de peças conformadas mecanicamente.  Corpo em “C”.e. cuja obtenção por outros processos seria impossível. zinco. 6000 anos. forjada). Assim. magnésio e respectivas ligas. os processos de fundição apresentam algumas vantagens em relação a outros tipos de processos de fabrico. alumínio. pelo que deve ser evitado. De montantes Fundição Fundição é um processo de fabrico onde um metal ou liga metálica. a peça é maquinada para serem feitos ajustes dimensionais ou mesmo conformada plasticamente (i. de uma forma relativamente rápida e com reduzido desperdício. O processo de fundição aplica-se a vários tipos de metais. Obter peças de dimensões ilimitadas. para que as formas e dimensões finais sejam obtidas. pelo menos. ou economicamente inviável. através de um molde. É um processo conhecido há. ou na produção de peças muito grandes. A fundição permite:     Fabricar peças complexas. cobre.

O processo de fusão dá-se pelo aquecimento da matéria prima até atingir seu ponto de fusão. é necessária a preparação do molde.  Molde É conjunto ou montagem. essencialmente. na cavidade (negativo) para onde se irá vazar o metal em fusão. adquirindo a forma do molde. por forma a reproduzir o modelo. a matéria prima solidifica. . Após o arrefecimento. Existência de turbulência. como se verá. É a partir do modelo que se constrói o molde. este molde pode ser permanente ou nãopermanente. Bloco de motor V6 fabricado por fundição em areia. ou uma reprodução desta.  Modelo É a peça que se pretende fabricar. Dependendo do processo. Taxa de arrefecimento. As metodologias do fabrico deste molde são muito diversas. Consiste. Fluidez da liga. fundido para molde. Após derretida será veertida por gravidade ou injectada no molde.Vazamento de metal Exemplo de peças fabricadas por fundição em areia. Características do molde. que servirá para efectuar a operação de fundição. cuja função é receber o metal fundido. Antes da fusão do material. O processo de fundição pode dividir-se em 4 etapas:     Fusão do metal ou liga Vazamento num molde Solidificação da peça Remoção do metal ou liga solidificado do molde No processo de fundição devem ainda ser consideradas algumas variantes como:       Temperatura de vazamento. Contracção durante a solidificação.

Fundição em moldes permanentes  Os moldes são fabricados em materiais mais resistentes. Podemos considerar dois grandes grupos de processos: Corte por Arranque de Apara     Torneamento Fresagem Electroerosão Furação Corte de chapas     Corte por Arrombamento de Chapa Oxicorte Corte por Plasma Corte por Laser Processos de Ligação Os processos de ligação são aqueles pelos quais se obtêm peças ou componentes pela ligação de outras peças ou componentes. . Processos de Corte Os processos de corte são. sendo destruídos de seguida. Poderá ser uma ligação permanente ou não. processos em que a matéria prima se transforma no produto final por remoção de material. embora hajam dentro de cada um diversas variantes: Fundição em moldes não permanentes  Os moldes são construídos para fazer 1 operação de fundição.A fundição pode ser dividida em dois processos base. podendo ser abertos para retirar a peça. Desta forma podem fabricar-se grandes séries de peças. tal como o nome indica.

desde os primórdios até o início da industrialização se passaram longos anos sem grandes avanços. Trefilação. como: dobra. mais resistentes. as peças saem semi-acabadas e sofrerão ainda outra operação antes do seu uso. mais confiáveis. O processo consiste em um tarugo aquecido é colocado entre cilindros. 1. com o formato da peça desejada. a busca pela utilização de novos materiais. Augusto O processo de fabricação vem evoluído através dos tempos. geralmente a frio na qual a chapa é prensada para adquirir novas formas. mais econômicos.1 Moldagem – consiste na produção de peças a partir de um material no estado: líquido. pasta ou pó.um dos processos mais antigos da história. com a utilização do ar. 1. o metal é deformado para adquirir novas formas.Ou processo Mannesmann.Processo de fabricação consiste em forçar por meio de um embolo a passagem de um bloco de metal através de um orifício de uma matriz.    Fundição . Os principais processos de Moldagem são: Fundição. Iremos resumidamente abordar os principais processos utilizados hoje para obtenção de peças. Repuxamento. Mandrilagem.        . Laminação . através da aplicação de preção e temperatura. com a revolução industrial e a substituição do trabalho artesanal. Exemplos de processos de ligação:    Soldadura Rebitagem Aparafusamento Processos de Fabricação JLN. a incorporação de máquinas ao processo. Sinterização do pó . Extrusão . Sopro. Conformação. corte e usinagem. cones sem costuras. no entanto. Corte e Junção.consiste em transformar o pó de metais ou ligas metálicas em peças resistentes. Atualmente os resultados dos processos são cada vez mais preciso. Os principais processos de Conformação são: Laminação. inclinado entre si no plano horizontal e com movimento de rotação no mesmo sentido. consiste em aquecer o material até o seu estado liquido e despejar em uma forma.Processo de conformação mecânica no qual um lingote de metal e forçado a passar por meio de dois cilindros que giram em sentidos opostos. Sinterização do Pó.Outro processo de fabricação tem como processo a modificação de um corpo sólido por meio da deformação plástica. o melhoramento desempenho nos sistemas. é o processo no qual obtemos tubos sem costura. Forjamento .Processo de conformação a quente pelo martelamento ou prensagem. 2 Conformação . Estampagem e Forjamento. Repuxamento – processo que conforma chapas a frio em cilindros. Os principais processos mecânicos utilizados atualmente nas indústrias são os seguintes: Moldagem. tudo isso resultou corrida frenética pelo aumento da produção. o tarugo adquire um movimento helicoidal que o movimenta para frente. Extrusão. Trefilação – Processo de fabricação utilizado para obtenção de fios através do estiramento do material. Mandrilagem . Sopro – processo de modelagem de recipientes de vidro. utilizando combinação de rotação e esforço mecânico. e confiáveis. Estampagem – processo de conformação mecânica após o material ser laminado e adquirir a forma de chapa ele é trabalhado novamente.

Mandrilagem . etc.consiste no corte com a fresa. Vicente. Rebitagem – consiste em unir duas peças com auxilio de rebites. Soldagem – consiste em unir duas peças por meio da fusão de um eletrodo com as mesmas. geralmente empregado para dar acabamento e certas peculiaridades nas peças fabricadas. Tecnologia Mecânica – Processo de Fabricação e Tratamento. aula 5. 4.processo de alisamento por meio de mandril. Alberto. destinado a obtenção de superfícies as mais variadas. Junção . afiação limagem.Centro Paulo Souza. gerada por um movimento retilíneo da peça ou da ferramenta.    Parafusamento – consiste em unir duas peças com o auxilio de parafusos. É usada. Telecurso 2000. rasgos para chavetas. Aplainamento .consiste em dar acabamento e em alisar com perfeição uma peça. eixos etc. Outros processos: brunimento. é um processo por abrasão. Referências Bibliográficas. Chiaverini. brochamento. Os principais processos de corte são: Torneamento. C. Gaspar. destinado a obtenção de superfícies regradas. lapidação. Fresagem. no sento horizontal ou vertical. serramento. por exemplo. 1. Gordo. como no caso de pinos. Mandrilagem. Tecnologia Mecânica – Apostila 3˚ Ciclo de Técnico Mecânico . Nivea. Fresagem . etc. destinada a obtenção de superfícies de revolução com o emprego de uma ou mais ferramentas de barras. Corte – Processo de fabricação que consiste em retirar metal de uma superfície por meio de uma ferramenta. Trata-se de processo empregado especialmente em peças de madeira. polimento.      Torneamento . 1986. mediante o emprego de ferramentas multicortantes. Retificação . .processo de fabricação por junção consiste na união de uma ou mais peças.processo no qual se corta com o torno. 2ª ed. para obtenção de superfícies de revolução.processo de alisamento com plaina. para alargar e alinhar furos. Exemplos: engrenagens. Os principais processos de junção são: parafusamento. McGraw-Hill. vol. 3. Aplainamento e Retificação.1. rebitagem e soldagem. – SP. II.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->