P. 1
As Festas Judaicas

As Festas Judaicas

|Views: 21|Likes:
Publicado porLuiz Lima Medeiros

More info:

Published by: Luiz Lima Medeiros on Feb 05, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/16/2014

pdf

text

original

TIPOLOGIA BÍBLICA

“Estas coisas são sombras do que haveria de vir, a realidade, porém encontra-se em Cristo” Colossenses 2:17

As festas judaicas
Origem em Levítico 23, Deus ordenou que Israel celebrasse sete festas, conhecidas como festas solenes do Senhor. Tratava-se de festas memoriais de seus grandes feitos entre os israelitas, para que eles não se esquecessem das maravilhas e dos milagres que Deus havia realizado pelo povo. Em parte elas também eram festas que se relacionavam com a agricultura, isto é, festas de ações de graças pela colheita. Além disso, elas têm um sentido simbólico-profético da salvação divina futura. Todas as sete festas tinham relação com serviço de sacrifícios e, portanto, com o Santuário do Tabernáculo e posteriormente com o Templo. Como o Templo não existe mais na atualidade, algumas dessas celebrações perderam o significado para os judeus. A grande questão é: Que festas são estas e porque são importantes? Quais suas implicações messiânicas e por quê o crente de hoje, precisa conhecer estas celebrações. Vamos de apresentar cada uma destas festas: a Páscoa, a Festa dos Pães sem Levedo, das Primícias, do Pentecoste, das Trombetas, da Expiação e dos Tabernáculos. Não queremos defender a celebração destas festas pelos crentes, mas informar sobre sua existência e de como podemos usar a história e os costumes de Israel para comprovar a “messiandade” de Cristo.

Festas da Primavera
Historicamente cumpridas durante a primeira vinda de Jesus. São quatro: 1ª Páscoa, comemorada no dia 14 do primeiro mês – abide - março/abril. Conceito:
Sacrificar e comer um cordeiro, junto com ervas amargas e pães sem fermentos, em todos os lares.

Propósito: Lembrança de como Israel foi liberto do Egito.

Jo 8.Motivação: O elemento mais importante do cordeiro pascal no Egito foi o sangue.” 1Co 5:8 3ª Das Primícias. A vida antiga e pecaminosa deve ser deixada para trás com pressa.29). e o sangue de Jesus tornou-se o sinal da salvação para nós que cremos nEle. “. Significado tipológico: João Batista chamou Jesus de cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (cf. Propósito: Lembrança de como o Senhor tirou os israelitas do Egito com pressa. trazer um holocausto e uma oferta de cereal. Para os israelitas o sinal do sangue foi sua salvação. realizada no dia 16 de abide. e sim com os asmos da sinceridade e da verdade.. Conceito: Comer pães sem fermento. .28).. Da justificação. Paulo disse que ele é a nossa páscoa (1Co 5.” (1Co 5:7) 2ª Pães asmos (sem fermento). vai do dia 15 a 21 do primeiro mês. Santificação. Jo 1. nem com o fermento da maldade e da malícia.Cristo nosso cordeiro pascal (nossa páscoa) foi imolado. Motivação: Comemorar a libertação da escravidão do Egito. realizar várias reuniões. Significado tipológico: Simboliza a nossa separação radical do mundo pecaminoso. que devia ser passado nas ombreiras e na verga das portas das casas. “Por isso celebremos a festa não com o velho fermento. apresentar ofertas designadas.7). Onde começava a contagem dos cinqüenta dias para o dia de pentecostes Conceito: Apresentar um feixe do início da colheita dos cereais como oferta movida.36 e Mt 11. O Egito é a ilustração do mundo idólatra e pecaminoso e o fermento fala da maldade e malícia. e ele mesmo prometeu a libertação a todos quantos crerem nele (cf.32.

porém. “Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos. Significado tipológico: Ressurreição.. as primícias. 4ª Pentecostes ou Semanas Conceito: Festa de alegria. ofertas obrigatórias e voluntárias. de repente. At 2:1. 1Co 15:20 e 23. Cada um. ao Senhor. Significado tipológico: Crescimento do Reino de Deus pelo poder do Espírito Santo.Todos ficaram cheios do Espírito santo.4. como de um vento impetuoso. na sua vinda. e encheu toda a casa onde estavam assentados.. estavam todos reunidos no mesmo lugar. veio do céu um som. Motivação: Os filhos de Israel tinham que oferecer pão assado e esta oferta instituída nesta data tinha como objetivo lembrar o povo de que todo o bom e perfeito dom vem de Deus. “ Ao cumprir-se o dia de pentecostes.. Propósito: Demonstrar alegria e ações de graças pela bênção divina da colheita. por sua própria ordem: Cristo. . sendo Ele as primícias dos que dormem.. 41. incluindo os primeiros frutos da colheita do trigo..Propósito: Reconhecer a generosidade de Deus na terra. Motivação: Mostra a gratidão que precisamos ter. os que são de Cristo.. depois. através dos dízimos e ofertas que entregamos a Ele.

Conceito: Dia de repouso. 9:9-14.. 10:1-10.Festas do Outono Serão cumpridas durante a segunda vinda de Jesus. jejum e sacrifícios de expiação pelos sacerdotes e povo. que hoje é o ano novo dos israelitas. Propósito: Purificar os sacerdotes e o povo dos seus pecados e purificar o Lugar Santo Motivação: Era neste dia que os pecados das pessoas eram cobertos por um ano diante de Deus. Profeticamente a purificação do santuário na segunda vinda de Jesus. 10 do sétimo mês – tisri. Conceito: Assembléia num dia de descanso. São três: 1ª Dia das Trombetas. e tem a ver com segunda vinda de Jesus e com o final dos tempos! 2º Dia da Expiação (Yom Kippur). Motivação: A Festa das Trombetas é também profética. pois é chegada a hora do seu juízo. A Festa das Trombetas é também profética. e tem a ver com segunda vinda de Jesus e com o final dos tempos! Significado tipológico: Anúncio do dia da expiação. no 1º dia do sétimo mês – tisri – setembro/outubro. Significado tipológico: Em Jesus temos um sacrifício expiatório perfeito Hb 9:24. e a expiação pelo tabernáculo e pelo altar. comemorados com sonidos de trombeta e com sacrifícios. Temei a Deus e daí-lhe glória.” Ap 14:7.. Dn 8:14 . Propósito: Apresentar Israel diante do Senhor para receber o seu favor.

3ª Dos tabernáculos ou cabanas. de 15-21 de tisri. Outra Festa Purim. conforme está escrito em Zacarias 14:9. todos os frutos já estavam no celeiro. Este será dia de vitória. dias 14 e 15 do décimo segundo mês – adar – fevereiro/março. habitar em cabanas e oferecer sacrifícios. dar graças pela produtividade de Canaã. Motivação: Alegrar-se diante de Deus pela benção da colheita. pelo trabalho concluído e pela salvação que lhes fora concedida. Propósito: Relembrar a viagem do Egito até Canaã. Então dava-se uma grande festa. Propósito: Relembrar Israel da sua libertação nacional nos dias de Ester. Era o fim e a realização de tudo o que desejava o povo. festa instituída na época de Ester. . quando Cristo reinará em poder e glória sobre a terra. festa e de dar presentes Motivação: Celebração pela obra de redenção que Deus fizera pelo seu povo. Conceito: Semana de celebração pelo fim da colheita. A última celebração santa ordenada por Deus aos Israelitas aponta para o reino milenar do Messias. Significado tipológico: O tema da festa é a última colheita que será para o reino de Deus. quando Cristo reinará sobre a terra. Acontecia após o dia do Juízo ter acabado. Conceito: Dia de alegria.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->