P. 1
Idade Média Resumo Exercícios Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]

Idade Média Resumo Exercícios Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]

4.42

|Views: 38.687|Likes:
Publicado porMarcoAurélioGondim
Resumo sobre a Idade Média com 10 exercícios com gabarito. Ótimo para estudar!
Resumo sobre a Idade Média com 10 exercícios com gabarito. Ótimo para estudar!

More info:

Published by: MarcoAurélioGondim on Feb 19, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

05/10/2014

1 ORG. PROF.

MARCO AURÉLIO GONDIM HISTÓRIA

IDADE MÉDIA Introdução A Idade Média teve início na Europa com as invasões germânicas (bárbaras), no século V, sobre o Império Romano do Ocidente. Essa época estende-se até o século XV, com a retomada comercial e o renascimento urbano. A Idade Média caracteriza-se pela economia ruralizada, enfraquecimento comercial, supremacia da Igreja Católica, sistema de produção feudal e sociedade hierarquizada. Estrutura Política Prevaleceu na Idade Média as relações de vassalagem e suserania. O suserano era quem dava um lote de terra ao vassalo, sendo que este último deveria prestar fidelidade e ajuda ao seu suserano. O vassalo oferecia ao senhor, ou suserano, fidelidade e trabalho, em troca de proteção e um lugar no sistema de produção. As redes de vassalagem se estendiam por várias regiões, sendo o rei o suserano mais poderoso. Todo os poderes jurídico, econômico e político concentravam-se nas mãos dos senhores feudais, donos de lotes de terras (feudos). Sociedade Medieval A sociedade era estática (com pouca mobilidade social) e hierarquizada. A nobreza feudal (senhores feudais, cavaleiros, condes, duques, viscondes) era detentora de terras e arrecadava impostos dos camponeses. O clero (membros da Igreja Católica) tinha um grande poder, pois era responsável pela proteção espiritual da sociedade. Era isento de impostos e arrecadava o dízimo. A terceira camada da sociedade era formada pelos servos (camponeses) e pequenos artesãos. Os servos deviam pagar várias taxas e tributos aos senhores feudais, tais como: corvéia (trabalho de 3 a 4 dias nas terras do senhor feudal), talha (metade da produção), banalidades (taxas pagas pela utilização do moinho e forno do senhor feudal).

Economia Medieval A economia feudal baseava-se principalmente na agricultura. Existiam moedas na Idade Média, porém eram pouco utilizadas. As trocas de produtos e mercadorias eram comuns na economia feudal. O feudo era a base econômica deste período, pois quem tinha a terra possuía mais poder. O artesanato também era praticado na Idade Média. A produção era baixa, pois as técnicas de trabalho agrícola eram extremamente rudimentares. O arado puxado por bois era muito utilizado na agricultura. Religião na Idade Média Na Idade Média, a Igreja Católica dominava o cenário religioso. Detentora do poder espiritual, a Igreja influenciava o modo de pensar, a psicologia e as formas de comportamento na Idade Média. A igreja também tinha grande poder econômico, pois possuía terras em grande quantidade e até mesmo servos trabalhando. Os monges viviam em mosteiros e eram responsáveis pela proteção espiritual da sociedade. Passavam grande parte do tempo rezando e copiando livros e a Bíblia.

Educação, cultura e arte medieval A educação era para poucos, pois só os filhos dos nobres estudavam. Esta era marcada pela

2 influência da Igreja, ensinando o latim, doutrinas religiosas e táticas de guerras. Grande parte da população medieval era analfabeta e não tinha acesso aos livros. A arte medieval também era fortemente marcada pela religiosidade da época. As pinturas retratavam passagens da Bíblia e ensinamentos religiosos. As pinturas medievais e os vitrais das igrejas eram formas de ensinar à população um pouco mais sobre a religião. Podemos dizer que, no geral, a cultura medieval foi fortemente influenciada pela religião. Na arquitetura destacou-se a construção de castelos, igrejas e catedrais. As Cruzadas No século XI, dentro do contexto histórico da expansão árabe, os muçulmanos conquistaram a cidade sagrada de Jerusalém. Diante dessa situação, o papa Urbano II convocou a Primeira Cruzada (1096), com o objetivo de expulsar os "infiéis" (árabes) da Terra Santa. Essas batalhas, entre católicos e muçulmanos, duraram cerca de dois séculos, deixando milhares de mortos e um grande rastro de destruição. Ao mesmo tempo em que eram guerras marcadas por diferenças religiosas, também possuíam um forte caráter econômico. Muitos cavaleiros cruzados, ao retornarem para a Europa, saqueavam cidades árabes e vendiam produtos nas estradas, nas chamadas feiras e rotas de comércio. De certa forma, as Cruzadas contribuíram para o renascimento urbano e comercial a partir do século XIII. Após as Cruzadas, o Mar Mediterrâneo foi aberto para os contatos comerciais. As Guerras Medievais A guerra na Idade Média era uma das principais formas de obter poder. Os senhores feudais envolviam-se em guerras para aumentar suas terras e o poder. Os cavaleiros formavam a base dos exércitos medievais. Corajosos, leais e equipados com escudos, elmos e espadas, representavam o que havia de mais nobre no período medieval. Peste Negra ou Peste Bubônica Em meados do século XIV, uma doença devastou a população européia. Historiadores calculam que aproximadamente um terço dos habitantes morreram desta doença. A Peste Negra era transmitida através da picada de pulgas de ratos doentes. Estes ratos chegavam à Europa nos porões dos navios vindos do Oriente. Como as cidades medievais não tinham condições higiênicas adequadas, os ratos se espalharam facilmente. Após o contato com a doença, a pessoa tinha poucos dias de vida. Febre, mal-estar e bulbos (bolhas) de sangue e pus espalhavam-se pelo corpo do doente, principalmente nas axilas e virilhas. Como os conhecimentos médicos eram pouco desenvolvidos, a morte era certa. Para complicar ainda mais a situação, muitos atribuíam a doença a fatores comportamentais, ambientais ou religiosos. Revoltas Camponesas: as Jacqueries Após a Peste Negra, a população européia diminuiu muito. Muitos senhores feudais resolveram aumentar os impostos, taxas e obrigações de trabalho dos servos sobreviventes. Muitos tiveram que trabalhar dobrado para compensar o trabalho daqueles que tinham morrido na epidemia. Em muitas regiões da Inglaterra e da França estouraram revoltas camponesas contra o aumento da exploração dos senhores feudais. Combatidas com violência por partes dos nobres, muitas foram sufocadas e outras conseguiram conquistar seus objetivos, diminuindo a exploração e trazendo conquistas para os camponeses. EXERCÍCIOS (UEPA) Questão 1: “O Homem e o mundo”. O homem e o mundo De ciência avançada

3 O homem e o mundo Que mundo? De guerra, de terror. Onde a paz se faz ausente E a violência presente Que violência? Do campo? Onde morrem os lavradores. Da cidade? Onde o homem sofre horrores Mundo de ontem, devagar Mundo de hoje, apressado, Mundo de nets, sites, e email. Lenora Maria “Do campo? Onde morrem os lavradores. Da cidade? Onde o homem sofre horrores”. A compreensão da autora sobre campo e cidade, envolve visões de mundo que não apresentam espaços de negociação e de mediação entre os diversos grupos sociais que compõe o cenário urbano e rural em sociedades modernas. No entanto, estes espaços sempre existiram e revelaram ao longo da história diferentes formas de articulação e de negociação dos diversos sujeitos em situações adversas. Assim sendo, na Baixa Idade Média, os: A - vilões se mobilizavam a cada situação de sofrimento imposta pelos senhores, permitindo, deste modo, que lavradores e servos se livrassem facilmente das obrigações feudais, como a corvéia. B - mercadores itinerantes agiam coletivamente cada vez que os vilões tentavam impedir o acesso das caravanas nas vilas e cidades próximas as rotas marítimas, fortalecendo as guildas e corporações locais. C - mestres de ofício estimularam a criação das guildas, onde os mercadores podiam negociar os preços dos produtos locais e importados a serem vendidos nas feiras e nos mercados municipais localizadas nas principais cidades medievais. D - servos agruparam-se em associações criadas pela Igreja para defende-los da superexploração feudal decorrente da crise generalizada de produção provocada pela guerra, pela fome e a peste que assolou o Ocidente Medieval. E - camponeses experimentaram, no interior da sociedade feudal, as mudanças nas técnicas agrícolas introduzidas no campo após o Ano Mil; estas revigoraram produção e criaram novos espaços de ação destes sujeitos no mundo do trabalho medieval. (UFPA) Questão 2: A imagem abaixo é um fragmento da famosa Tábula Peutingeriana, que representa a região da península grega próxima à ilha de Rhodes (em latim Insula Rhodos). Desenhada no século XII d. C., esta tábula demarca as principais estradas romanas ainda em uso na Idade Média. Mas também de AIDS e fome

Mundo de pobres Mundo de ricos Mundo, imundo, sujo e poluído. Enfim ... Homem É este o mundo que tens Para nele viver, procriar e morrer. De que? De velhice, de doença, de fome ou mesmo vítima da violência.

4

Com base nos conhecimentos históricos e no que a figura indica sobre a Idade Média, é correto apontar como característica tipicamente medieval A - presença de estradas que interligavam Roma com o resto das cidades medievais como Rhodes. B - importância de lagos como o Alpaltidis, que servia para o transporte de mercadorias essenciais

5 ao intenso comércio medieval. C - existência de vários símbolos do poder absolutista, centralizado, medieval, tais como os castelos e as amplas propriedades já cercadas e delimitadas. D - existência de um poder centralizado na figura do Papa católico, que nesta época morava, em um destacado castelo na ilha de Rhodes. E - presença de grandes propriedades (feudos), demarcadas por rios e por castelos, símbolos da descentralização política medieval. (UNIFOR/CE) Questão 3: Considere o texto. Em São João (24 de junho), os camponeses de Verson, na Normandia (França), devem ceifar os prados do senhor e levar os frutos ao castelo. (...) No começo do inverno, pagavam a corvéia sobre a terra senhorial, para prepará-la, semear e passar a grade. Em Santo André (30 de novembro), paga-se uma espécie de bolo. Pelo Natal, galinhas boas e finas. (In: J. Isaac e A. Alba. História universal. São Paulo: Mestre Jou, 1967. p.33 -4) A análise do texto permite identificar que, durante o feudalismo, A - os senhores feudais proporcionavam vários presentes em espécie e em trabalho aos trabalhadores das reservas servil e senhorial. B - havia grande solidariedade entre os senhores feudais e os servos da gleba, demonstrada na troca de favores entre ambos. C - os camponeses deviam obrigações aos senhores feudais em parcelas da produção e prestação de serviços gratuitos na reserva senhorial. D - as relações comerciais entre os suseranos e os vassalos eram intensas, principalmente as realizadas no verão e no inverno. E - os trabalhadores eram livres para plantar e criar animais e vendê-los aos seus próprios senhores em determinados períodos do ano. (UECE) Questão 4: “O camponês nunca bebe o produto de suas vinhas, nem prova uma migalha do bom alimento; muito feliz será se puder ter seu pão preto e um pouco de sua manteiga e queijo...”. Fonte: HUBERMAN, Leo. História da Riqueza do Homem. 21. ed. Rio de Janeiro:LTC,1986,p.6. De acordo com o texto acima, assinale a alternativa verdadeira sobre as condições de vida dos camponeses medievais. A - Os camponeses, chamados de servos, exerciam a função de escravos, pois podiam ser vendidos juntos com as propriedades de terras. B - O sistema de deveres e obrigações sobre a posse da terra tornavam os servos livres para usufruir, como quisessem, de suas terras. C - A obrigação de trabalhar, sem pagamento, nas terras dos seus senhores, os colocavam numa vida miserável. D - Os sevos possuíam terras produtivas em abundância, mas não tinham liberdade e nem instrumentos de trabalho.

6 (UEPA) Questão 5:

LOYN, H. R. (Org.). Coração – Século XIV. In: Dicionário da Idade Média. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 1990. p. 81. A iconografia anterior está associada a uma importante instituição medieval. Trata-se da(s): A - Universidades; B - Igreja; C - Cavalaria; D - Corporações de Ofício; E - Monarquia. (UFPA) Questão 6: “Na civilização deste tempo [Medieval] o campo é tudo. Vastas regiões, a Inglaterra e quase toda a Germânia, não têm uma única cidade.” DUBY, Georges. Economia rural e vida no campo no Ocidente Medieval. Lisboa: edições 70, 1987, v. 1, p. 19. Sobre o universo do trabalho no campo no mundo feudal, é correto afirmar que: A - o camponês estava preso ao poder político e social centralizado pelo rei, o qual, de seu castelo, controlava, de forma absoluta, a vida e o trabalho de seus suseranos e vassalos; B - a servidão atrelada à terra e aos senhores feudais decorre do enfraquecimento das cidades pelas guerras e pelos saques que marcaram o fim do Império Romano; C - as cidades foram devassadas pela peste negra e os camponeses fugiram para o campo, tornandose servos dos senhores feudais; D - as cidades eram lugares perigosos e repletos de doenças e ataques, onde o comércio era insignificante, e o campesinato numeroso e marcado pela relação escravista; E - o camponês fugia para as cidades medievais, para escapar do domínio dos senhores feudais, que atacavam as cidades, fazendo-as alvo de guerra.

7 (UFPA) Questão 7:

Planta da cidade de Bruges (Braun e Hogemberg, 1572). No século XVI, quando foi desenhada a planta de Bruges, a cidade fortificada ainda preservava antigas características medievais. A iconografia anterior, portanto, revela uma cidade medieval: A - fortificada como um feudo, estabelecido sob o comando dos antigos suseranos belgas, constituído pelo castelo central e pelas residências dos servos medievais; B - murada e circundada por rios e pontes que facilitavam o estabelecimento do comércio emergente no final da Idade Média; C - com muros demarcadores do território urbano – modo diferenciador do espaço rural ocupado por camponeses pobres e também por comerciantes rurais; D - circundada pelos muros medievais, que dificultavam o crescimento populacional e social, conforme modelo do capitalismo emergente durante o período final da Idade Média; E - fechada entre rios e muros altos, que serviam para a proteção e segurança dos mercadores diante das invasões mouras e daquelas organizadas pelos escravos fugitivos do poder feudal. (EMESCAM/ES) Questão 8: Entre as características do feudalismo, sistema político social e econômico estruturado na Europa nos séculos IX e X estão: 1. A existência de monarcas poderosos. 2. A divisão territorial em glebas denominadas feudos e o vínculo de subordinação entre os indivíduos baseado na posse da terra. 3. O relacionamento entre os indivíduos do feudo com base em direitos e obrigações. 4. O apogeu do liberalismo econômico e grande atividade mercantil entre os diversos feudos e nações. Assinale: A - Se os itens 1, 2, 3 e 4 são os corretos. B - Se os itens 2, 3 e 4 são os corretos. C - Se os itens 1 e 4 são os corretos. D - Se os itens 3 e 4 são os corretos. E - Se os itens 2 e 3 são os corretos. (UFAM) Questão 9: Da Sociedade Feudal européia é correto afirmar que: A - Possuía uma estrutura social imóvel, não admitindo mobilidade entre as três camadas (guerreiros, sacerdotes e trabalhadores) que a estruturavam.

8 B - Foi marcada pela expansão dos preceitos religiosos cristãos e pelo fortalecimento da Igreja no Ocidente. C - Foi marcada pelo total desaparecimento das cidades e conseqüente concentração da população nos feudos. D - A concentração do poder nas mãos dos senhores feudais descentralizou a estrutura de poder e inviabilizou o surgimento de reinados e monarquias. E - A auto-suficiência dos feudos foi a principal responsável pelo desaparecimento do comércio, existindo este apenas em escala local. (UEA/AM) Questão 10: “O homem está na terra para servir ao Senhor” é a formulação básica da ideologia feudal que orienta a cadeia de dependências característica do sistema. Assinale a alternativa que corresponde corretamente a essa formulação: A - A coerção econômica e a violência eram os meios de subordinação do servo da gleba, pobre e fraco diante do senhor, que era, ao mesmo tempo, chefe militar e proprietário rural. B - O servo da gleba era um arrendatário que devia pagamento ao senhor pela utilização da terra, em produtos in natura, porque a circulação da moeda era nula. C - Embora pobre, o servo era um parceiro, pois ocupava a gleba e dividia a produção de sua parcela com o senhor. D - Os camponeses estavam sujeitos à jurisdição do senhor, a quem deviam obrigações e rendas em espécie; este, por sua vez, devia serviços a outro senhor, numa escala de dependência pessoal, que caracterizava o sistema. E - Enquanto a dependência entre vassalos e senhores era pessoal e juramentada diante da autoridade eclesiástica, a dependência do servo era econômica. GABARITO: questão 1: E - questão 2: E - questão 3: C - questão 4: C - questão 5: C - questão 6: B questão 7: B - questão 8: E - questão 9: B - questão 10: D

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->