MECÂNICA DE VEÍCULOS LEVES

MOTOR FIAT – FAMÍLIA FIRE
(1.0 – 8V E 1.3 – 16V)

2005

© 2005. SENAI-SP
Motor FIAT – família FIRE (1.0 – 8v e 1.3 – 16v) Publicação organizada e editorada pela Escola SENAI “Conde José Vicente de Azevedo”.

Coordenação geral Coordenador do projeto Organização do conteúdo

Luiz Carlos Emanuelli José Antonio Messas Júlio César Potigo Ulisses Miguel

Editoração

Teresa Cristina Maíno de Azevedo

SENAI

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Escola SENAI “Conde José Vicente de Azevedo” Rua Moreira de Godói, 226 - Ipiranga - São Paulo-SP - CEP. 04266-060

Telefone Telefax E-mail Home page

(0xx11) 6166-1988 (0xx11) 6160-0219 senaiautomobilistica@sp.senai.br http://www.sp.senai.br/automobilistica

2

3 16V 16 Cabeçote Motor FIRE 1.3 8V 15 Fasagem do Motor FIRE 1.3 8V 18 Cabeçote Motor FIRE 1.SUMÁRIO Características / Inovações Bloco do Motor Árvore de Manivelas Pulverizadores de óleo / Cilindros 5 7 9 10 Êmbolos / Biela 11 Posição de Montagem do Conjunto Biela / Pistão 12 Bloco Inferior 13 Pino do Êmbolo 14 Fasagem do Motor FIRE 1.0 16V e 1.3 16v 19 Passos para Remoção e Reparação do Cabeçote Superior 20 Sistema de Lubrificação 21 Sistema de Arrefecimento 22 Volante dos Motores FIRE 23 Lista de Ferramentas Utilizadas nos Motores FIRE 24 3 .0 8V e 1.0 16v e 1.0 8V e 1.

Tabela de Torque dos Motores FIRE 25 Evolução dos Motores FIRE (Flex e Hp) 26 Alterações do Motor 1.3 8V 32 Ficha Técnica Motor FIRE 1.0 16V 30 Ficha Técnica Motor FIRE 1.0 8V 28 Ficha Técnica Motor FIRE 1.3 16V 34 Referência Bibliográfica 36 4 .3 8V Flex 27 Ficha Técnica Motor FIRE 1.

Hoje após 16 anos.0 litro e 1. consegue-se uma maior aproximação entre os dois eixos e uma câmara de combustão mais compacta o que traz como benefício o aumento na velocidade de queima. A utilização do plástico permite obter menor rugosidade na parede interna do coletor o que proporciona melhor fluidez no ar de admissão para enchimento do cilindro e uma menor temperatura no coletor.MOTORES DA FAMÍLIA FIRE 1. tornando-se um grande avanço tecnológico para a época. maior rendimento termodinâmico e conseqüente melhoria nas emissões. chega ao Brasil a terceira geração do motor FIRE com cilindradas de 1.16V O primeiro motor FIRE Mille surgiu na Itália em meados de 1984.0 . 1. Com o comando de descarga acionado diretamente por uma polia de força do motor. Palio Weekend.3 .0 .8V / 1. Siena.3 litros significando uma verdadeira revolução. Os motores da família FIRE se aplica nos veículos:Palio. Comando de Admissão/ Descarga Mais próximos propicia um menor ângulo entre válvulas.3 . Bloco Inferior Composto de alumínio com mancais sinterizados.8V. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS • • • • • Menor consumo Torque em baixa rotação (curva de torque plana) Menor peso (cerca de 20% de redução) Mais compacto (tamanho reduzido) Menor número de componentes (manutenção) INOVAÇÕES APLICADAS NOS MOTORES FIRE Coletor de Admissão Fabricado em plástico. 5 . Doblô. Uno e Fiorino. Permite uma estrutura mais rígida diminuindo a rumorosidade do motor.16V / 1. Strada.

215 com tratamento superficial em jateamento de esferas.Nova Biela Fabricada em aço SAE-1008 liga ML. um melhor rendimento e melhoria na partida a frio. Junta de Cabeçote Metálica resiste altas temperaturas e a altas pressões. temos uma melhora no arrefecimento.fundida em uma única peça e posteriormente fraturada permitindo montagem mais precisa. Admissão Com sistema cross flow admissão e descarga realizados em lados opostos. 6 . Característica . Com isto.

BLOCO DO MOTOR Etiqueta de código de barras IDENTIFICAÇÃO DO BLOCO A etiqueta de código de barras tem como finalidade fornecer informações dimensionais e características de fabricação do bloco. 7 . Observação A etiqueta de código de barras só terá utilidade para motores novos (que nunca tenham funcionado).

713 a 51717mm 10.09.709mm 2.705 a 51.07.07.51.92541-OK 8BK 00 – 1.07.51.3 8v BBAA.classe 1.51709 a 51713mm 3.10.10.09.10.Exemplo 01 – BBAA – 22111.07.classe dos cilindros ABC ( normais ) ou abc ( majoradas ) 22111-classe dos mancais fixos.0 16v 01 – 1.0 8v 03 – 1.fim milesimal de cada mancal 8 .3 16v 02 – 1.

25mm e 0. e a presença de quatro letras maiúsculas para quando os diâmetros dos mancais das bielas forem STD e minúsculas para quando os diâmetros forem minorados para 0. ou Hrc maior 48 Moentes 01 classe normal + 01 classe minorada Munhões 03 classes normais + 03 classes minoradas (vermelha/azul/amarela) Encosto axial 01 classe normal + 01 classe minorada Permite retifica de 0. 05 mancais fixos Dureza de 280 a 320 Hb.50mm 9 .127mm. CARACTERÍSTICAS DA ÁRVORE DE MANIVELAS • • • • • • • • Ferro fundido nodular (tipo b) Temperada por indução 04 contrapesos.ÁRVORE DE MANIVELAS Existe uma marcação numérica de três algarismos no primeiro contra peso da árvore de manivelas referente ao fim milesimal de cada mancal fixo.

CARACTERÍSTICA DOS PULVERIZADORES • • Pressão de trabalho 1.1 bar. para que possam ser utilizados no novo motor.PULVERIZADORES DE ÓLEO Tem como finalidade promover o arrefecimento da cabeça do êmbolo e permitir a lubrificação do pino. Montado sob interferência atrás das bronzinas de mancal.0 bar ± 0.20mm e de 0. 10 . CILINDROS Os cilindros são usinados diretamente no bloco e permitem retíficas de 0. Observação Na substituição do motor parcial. deve-se remover os pulverizadores do motor velho e verificar o bom funcionamento da válvula (mola esfera) de cada um deles.40mm.

pois poderá inutilizar a mesma de forma irreversível • Os parafusos da biela recebem torque angular e é recomendável sua substituição toda vez que efetuar a desmontagem da biela.010 mm. Observação O êmbolo do motor Flex 1.ÊMBOLOS Os êmbolos (pistões) são fabricados em três classes normais dimensionais A. Observações • Nunca montar a capa invertida em relação à biela. sendo que as variações de uma classe à outra é de 0.3 8V contém uma camada de grafite na região da saia o que contribui para prolongar a vida útil da peça. BIELA A biela é fundida em uma única peça e posteriormente fraturada. B e C. 11 .

oposto ao cano de água. 12 .POSIÇÃO DE MONTAGEM DO CONJUNTO BIELA / PISTÃO Lado de admissão Lado de escape Cano de água. a seta na cabeça do êmbolo deve ficar voltada para o lado da polia e o número do cilindro gravado na biela. ESQUEMA DE MONTAGEM BIELA / PISTÃO PARA MOTORES FIRE É O MESMO PARA TODAS AS VERSÕES Como referência.

Observação • • Existem 2 pinos guias para manter a perfeita centralização do bloco inferior. Entre o sub-bloco e o bloco do motor utilizar loctite ultra black.BLOCO INFERIOR O bloco inferior é de alumínio fundido em uma única peça com apoio para as bronzinas em aço sinterizado. 13 . O aperto do bloco inferior deve se iniciar do centro para as extremidades em “X”. inicialmente pelos parafusos de 10mm e posteriormente pelos de 8mm.

Teste a fixação do pino na biela conforme ferramenta de tração. Observação • • • Para montagem do pino deve-se aquecer a biela a temperatura de 240ºC.PINO DO ÊMBOLO O pino do êmbolo é do tipo fixo. 14 . A desmontagem do pino de pistão deve ser feita na prensa.

Com auxílio de um apalpador com relógio comparador ajuste exatamente a posição dos pistões no PMS.FASAGEM DO MOTOR 1.8V Para executar a fasagem corretamente siga os procedimentos a seguir: • Posicione o virabrequim de forma que os pistões 1 e 4 fiquem próximos do PMS.0 . TENSIONAMENTO DA CORREIA Tensione a correia utilizando a ferramenta do tipo balança com o cursor deslocado a 70mm da origem. Observação Certifique-se que a polia do comando de válvulas esteja solta durante a operação. 15 .3 . • Retire a tampa traseira do comando de válvulas e encaixe a ferramenta padrão nº 60353113. de forma que o rolamento gire no sentido antihorário.8V / 1. sem o peso adicional.

mas somente uma é correta. • A posição incorreta não causa nenhum dano. 16 .0 . Observação • Existem duas posições na árvore de manivelas que os êmbolos se alinham na mesma altura.3 . a cada 180º. Introduza as ferramentas de nivelamento. ou seja.16V / 1. porém o motor não entra em funcionamento.16V Para executar a fasagem corretamente siga os procedimentos a seguir: • • • Retire as velas do primeiro e segundo cilindros. Esse nivelamento ocorre no momento em que a ferramenta do segundo cilindro subir e a do primeiro descer. Gire o motor no sentido horário de forma a obter o nivelamento das ferramentas. • Retire os dois tampões existentes nas laterais do cabeçote superior e introduza as ferramentas de fasagem dos comandos.FASAGEM DO MOTOR 1.

tensione a correia através do rolamento tensor até atingir a tensão máxima. Gire o motor duas voltas no sentido horário para que a correia se acomode. 17 . Confira novamente a fasagem introduzindo as ferramentas nos comandos. Ajuste o tensionamento da correia através do rolamento tensor de forma que as marcas 2 e 3 do rolamento fiquem alinhadas. Retire as ferramentas dos comandos de válvulas. • • • • • Aperte a polia do comando de válvulas com o torque recomendado.TENSIONAMENTO DA CORREIA • Com a polia do comando de válvulas solta.

8V Na reparação de cabeçotes dos motores 8 válvulas devemos observar que: • • • Utilizam tuchos mecânicos.3 .8V / 1. A folga axial está contida no último mancal de apoio do comando de válvulas. Devido à simetria da face do cabeçote é importante atentar para correta posição da junta com as devidas inscrições “ALTO” e “LADO DO VOLANTE”. 18 .CABEÇOTE DO MOTOR FIRE 1.0 .

0 . Na montagem das engrenagens traseiras dos comandos de válvulas de admissão e escapamento devemos observar a inscrição “ASP” no corpo da engrenagem de admissão e a inscrição “SCA” no corpo da engrenagem de escapamento. Engrenagem do lado da admissão 7. Árvore de distribuição do lado de escapamento 5. Árvore de distribuição do lado de admissão 4.16V 1.16V / 1. Tucho hidráulico Na reparação de cabeçotes dos motores 16 válvulas devemos observar que: • • Utilizam tuchos hidráulicos. Polia do comando da distribuição 2.3 . 19 .CABEÇOTE DO MOTOR FIRE 1. Engrenagem do lado do escapamento com dispositivo de recuperação de folga 6. Anel retentor 3.

Os bujões laterais permitem a colocação da ferramenta de fasagem para a soltura do parafuso das engrenagens. 3. 5. A ferramenta representada na figura tem como finalidade conter os tuchos durante a remoção do cabeçote superior. Soltura dos parafusos das engrenagens (rosca direita). 20 . Travamento dos comandos em posição de fasagem. 2. 6. Remoção dos comandos. 4.PASSOS PARA REMOÇÃO E REPARAÇÃO DO CABEÇOTE SUPERIOR 1. Área de contenção da folga axial.

2. • Tipo de óleo lubrificante: semi-sintético ou sintético que atende a norma ACEA 3 (Selênia 20 ou PERFORMER) e normas de serviço API SL e ACEA A3-96 21 . CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA • Capacidade total (com filtro) Motor 8V .3 litros Motor 16V .7 bar a 100ºC.SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO O sistema de lubrificação é do tipo forçada. Esse sistema é composto por uma bomba de engrenagens e um filtro de óleo (200ml) do tipo full flow com válvulas de retenção e segurança. a 4000 rpm .maior ou igual a 0.maior ou igual a 4 bar a 100ºC.7 litros • Pressão de trabalho a 1000 rpm (marcha lenta) .

Pressão de trabalho a quente . .liga a 96°C . Temperaturas de acionamento do eletroventilador Sem ar condicionado .1ª velocidade é ligada a 96ºC e desligada a 91ºC.1. 22 .4 litros.2ª velocidade é ligada a 100ºC e desligada a 95ºC.5. Temperatura de abertura da válvula termostática .87°C. • Tipo de aditivo do radiador: líquido à base de Monoetileno Glicol que atende a norma “FIAT 55523/1” na proporção de 30%.1 a 5. Com ar condicionado . desliga a 91°C. CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA • • • • Capacidade total .4 bar.SISTEMA DE ARREFECIMENTO O sistema de arrefecimento é do tipo circulação forçada por uma bomba radial centrífuga com rotor semi aberto acionada pela correia dentada.

8V / 1.8V / 1. 23 .16V. • • Os parafusos do volante devem ser substituídos em toda desmontagem. devendo-se aplicar trava química nos parafusos. os tópicos acima devem ser observados rigorosamente. • O corte na chapa de fixação deve estar voltado para o pino guia da árvore de manivelas.3 .0 . 1. o furo do volante deve coincidir com o pino guia da árvore de manivelas.0 .VOLANTE DO MOTOR FIRE 1. Os furos de fixação do volante são passantes.3 . Observação Devido ao balanceamento do volante e virabrequim.16V Na montagem do volante no motor deve-se observar os seguintes tópicos: • Posição do volante em relação à árvore de manivelas.

24 . Ferramenta para desmontagem das válvulas FIRE 1. 1.0 . Ferramenta para fasagem do comando FIRE 1.8V / 1.0 8v nº 60353113. Ferramenta para remoção do comando de descarga nº 60353090.0 8v.3 16V. 1. Chave de vela para motores FIRE nº 60353094. Ferramenta para travar os comandos do motor FIRE 1. Ferramenta para segurar os tuchos do cabeçote superior nº 60353085.3 16v nº 1860787000 + 1860790000. Ferramenta para travar o volante do motor com o cambio no lugar nº 60353105.3 16v nº 1860985000.0 8V nº 1860895000. Ferramenta para guiar retentor da bomba de óleo nº 60353104.16V • Ferramenta para determinar posições dos pistões FIRE 1.0 8v nº 60353114. Ferramenta para centragem do disco de embreagem nº 1870447000. Ferramenta para guiar retentor do volante nº 6353087.3 . Ferramenta para determinar PMS do motor FIRE 1. Ferramenta para guiar retentor de escape nº 60353084. Ferramenta para tencionar correia dentada FIRE 1.16V E 1. Ferramenta para soltura do cabeçote superior nº Ferramenta para soltura do cabeçote inferior nº 60353095 Ferramenta para travar o volante do motor sem o cambio nº 1860846000. • • • • • • Ferramenta para colocação do selo do bloco do motor nº 60353117036.0 16v.0 16v e 1. 1.0 16v.0 . Ferramenta para tensionamento da correia dentada motor FIRE 1.LISTA DE FERRAMENTAS DOS MOTORES FIRE 1.0 16v nº 1860992000. • • • • • • • • • Ferramentas para colocação do retentor do comando de válvulas nº 60353086. • • • • • Ferramentas para desmontagem das válvulas FIRE 1.0 16V .

8 2.0 2.5 4.0 (m8) 2.0 + 90° + 90° 1.0 + 90° 12.4 1.0 0.16V VALORES EM KGM • • • • • • • • • • • • Cabeçote inferior ao bloco Cabeçote superior Cárter Bloco inferior ao bloco do motor Capa das bielas Coletor de admissão ao cabeçote Coletor de escape ao cabeçote Volante do motor ao virabrequim Bomba de óleo ao bloco Polia do virabrequim Engren.0 8.0 (m10) TABELA DE TORQUES FIRE 1.0 .5 (m7) e 0.0 .9 (m6) 2.TABELA DE TORQUES FIRE 1.0 + 90° 2.16V / 1.0 para material 12R Polia do eixo de comando 2.5 2.0 12. posteriores/ eixo comando adm. / esc Polia / eixo comando de válvulas 2.3 – 8V VALORES EM KGM • • • • • • • • • • • • • Cabeçote ao bloco Tampa de válvulas Cárter Mancais do eixo de comando de válvulas Mancais fixos do virabrequim Capas das bielas Coletor de admissão ao cabeçote Coletor de escape ao cabeçote Volante do motor ao virabrequim Bomba de óleo ao bloco Polia / virabrequim 10.0 2.0 + 1.0 (m8) 1.5 4.0 25 .0 (m6) 4.0 + 1.0 + 90° + 90° 1.0 + 90° (m10) e 3.0 + 40° 1.0 para material 10R 7.8V / 1.0 + 90° 1.4 1.5 1.3 .

00 70.2 9.2 10. 71/5500 11.0 .8 11.8V 65CV Pistão O topo do pistão modificado a fim de aumentar a taxa de compressão de 9.80 70. 42°/ 1° com levantamento de 9mm.0 80/5500 70/5750 55/5500 67/5250 65/6500 Gas. Coletor de Admissão Conta com dutos mais curtos e área de secção maiores visando ganho de potência.90 10.1/2250 9.1/3250 11.80 70.3 8v 1.3 16v 1.5/2500 11.00 70.80 78.3 8v Flex 70. 3°/ 31° esc.00 70.90 64. Comando de Válvulas Eixo passa do diagrama de asp. 26 . 70/5500 Alc.90 64.0 11.6/2250 EVOLUÇÕES DO MOTOR FIRE 1.0 8v 1.90 78. Coletor de Descarga Aproximando-se o catalisador do motor diminui-se o tempo de aquecimento da sonda visando menor emissão atendendo a norma Tier 1 (close coupled).0 8v HP 1.EVOLUÇÃO DOS MOTORES DA FAMÍLIA FIRE (FLEX E HP) Motor Diâmetro do Cilindro Curso do pistão Taxa de Compressão Potência cv/rpm Torque Kgm/rpm 1.4/2250 11.5 9.6/4000 9.0 16v 1.5/1 para 11/1.6/4000 8.90 78. 31°/ 3° com levantamento de 8mm para o eixo com diagrama de asp.90 64. 2°/ 41° esc. Sistema de Injeção Adoção do sistema de controle de torque.

27 .0 8V 65cv e 1. Observação As mudanças sofridas em ambos os motores 1. Guias de Válvulas Recebeu tratamento contra desgaste devido ao menor poder de lubrificação do álcool.8V FLEX Pistão Topo modificado alterando a taxa de 9. Coletor de Descarga O mesmo coletor de descarga do motor 1.8:1 para 11:1.0 8V 65cv (coletor de descarga + catalisador). Comando de Válvulas Eixo passa para o mesmo diagrama de válvulas do motor 1. Sede de Válvulas Recebeu tratamento contra corrosão e desgaste devido ao menor poder de lubrificação do álcool.3 .3 8V Flex receberam peças que são específicas não devendo ser intercambiadas com motores anteriores a modificação.0 8V 65cv.ALTERAÇÕES DO MOTOR 1.

0 .8V 28 .FICHA TÉCNICA FIRE 1.

FICHA TÉCNICA FIRE 1.8V (CONT.) 29 .0 .

16V 30 .0 .FICHA TÉCNICA FIRE 1.

FICHA TÉCNICA FIRE 1.16V (CONT.) 31 .0 .

8V 32 .3 .FICHA TÉCNICA FIRE 1.

8V (CONT.3 .) 33 .FICHA TÉCNICA FIRE 1.

16V 34 .FICHA TÉCNICA FIRE 1.3 .

3 .) 35 .16V (CONT.FICHA TÉCNICA FIRE 1.

Literatura eletrônica. 36 . MultFiat. Motores FIRE.REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA FIAT.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful