Você está na página 1de 5

ROTEIRO DE ORIENTAÇÕES SOBRE A ENTREVISTA: Para aqueles que analisarão

as entrevistas, deve-se recordar a posição da Santa Igreja Católica sobre o assunto, que já se
posicionou de modo extraordinário, invocando autoridade de São Pedro e São Paulo e,
portanto, de modo infalível e irrevogável. Vide abaixo:

“Com autoridade que Cristo conferiu a Pedro e aos seus Sucessores, em comunhão com os Bispos –
que de várias e repetidas formas condenaram o aborto e que, na consulta referida anteriormente,
apesar de dispersos pelo mundo, afirmaram UNÂNIME CONSENSO sobre esta doutrina –
declaro que o aborto direito, isto é, querido como fim ou meio, constitui sempre uma desordem
moral grave, enquanto morte deliberada de um ser humano inocente. Tal doutrina está fundada
sobre a lei natural e sobre a Palavra de Deus escrita é transmitida pela Tradição da Igreja e ensinada
pelo Magistério ordinário e universal.”(Saudoso Papa João Paulo II em: Evangelium Vitae, n. 62).

Desta maneira, os palestrantes devem ter posição totalmente contrária ao aborto e, portanto, à sua
legalização quando proferirem sua oratória, especialmente no meio paroquial, pois seria um
escândalo permitir que sob o território Santo e Católico, chamassem um palestrante pró-morte.
Desta maneira, vamos analisar a afirmação do Santo Padre João Paulo II para explicar a extensão de
tal assertiva que somente veio a confirmar o que, desde o primeiro catecismo católico, Didaché, do
século I, proclama-se indubitavelmente, obedecendo a Deus, à reta razão e à filosofia:

“declaro que o aborto direito, isto é, querido como fim ou meio, constitui sempre uma desordem
moral grave, enquanto morte deliberada de um ser humano inocente”

Matar diretamente um inocente é sempre homicídio, crime << o aborto direto (...) constitui
sempre uma desordem moral grave>>. Um indivíduo só pode matar a outro em situação de legítima
defesa, e o outro deve, necessariamente, ser um agressor. Para um inocente, não se pode valer do
princípio da “legítima defesa”, porque se ele é inocente, não pode ser agressor e nem ter culpa de
nada do que possa vir a provocar na mãe.

Matar alguém supostamente como fim ou meio para salvar a vida de outra pessoa é homicídio e
criminoso << o aborto (...) querido como fim ou meio, constitui sempre uma desordem moral
grave>>. Além de ser um pensamento ignorante da parte do médico que o faz no intuito de “salvar a
vida da mãe quando ela está em risco de saúde”. A intenção boa não torna um ato, desordenado em
si mesmo, bom. Matar diretamente um inocente é sempre errado. Assim como não se pode matar a
criança para salvar a vida da mãe, não se pode matar a mãe para salvar a vida da criança. Se, para
salvar a vida de um paciente cardiopata, o médico matasse uma pessoa sadia e retirasse o coração
desta para transplantar no cardiopata, ele estaria matando uma pessoa como meio de salvar a vida
de outra e isto é um erro em qualquer nível ou estágio de vida em que se encontra um ser humano.
De qualquer modo, nunca o aborto é meio para salvar a vida de uma mãe. Exemplo: se uma mãe
tem um tumor no útero e está grávida e o médico abortasse a criança e NÃO retirasse o tumor do
útero da mãe, ele nunca salvaria a vida da mãe, porque o tumor continuaria lá. Neste caso, o médico
pode aplicar o Princípio da Causa com Duplo Efeito que consiste em: retirar o órgão doente, o
útero, tendo como efeito colateral secundário, negativo e não querido a morte da criança. Perceba
que o bebê não foi morto diretamente, mas de modo indireto. O bem obtido, entretanto, não foi
superior ao efeito negativo secundário, mas foi equivalente. Esse princípio só pode ser aplicado se o
efeito bom e principal derivar diretamente da ação boa (retirar o órgão doente) e não do efeito
colateral mau (a morte do bebê), visto que não será a morte deste que irá salvar a vida da mãe; se
não houver outros meios que possam preservar a vida da mãe e da criança, a não ser esta ação boa
que tem efeito colateral mau; se a intenção do médico for obter o efeito bom e não o mau e, como já
foi dito, se o bem obtido for maior ou equivalente ao efeito tolerável mau que se segue.
Entrevista com os palestrantes (profissionais de saúde, do direito, etc) sobre as questões
relativas ao Aborto: prezado(a) palestrante, a entrevista abaixo é um dado de segurança para
avaliarmos sua posição sobre tema tão polêmico. Algumas perguntas parecerão repetitivas, mas elas
servem apenas para averiguar se manterá um posicionamento coerente do início ao fim do
questionário. Agradecemos pela sua paciência e boa vontade.

1. Tendo como base os princípios fundamentais da Constituição Brasileira,


especialmente seu Art. 5º, caput, cláusula pétrea que institui o direito da
inviolabilidade da vida e a legislação do Código Penal em seus Artigos 124 – 128,
que definem o aborto induzido como um crime contra a vida; qual a sua
compreensão sobre a situação legal do país (vide artigos do Código Penal abaixo):
“DOS CRIMES CONTRA A VIDA – ABORTO INDUZIDO:
• Art. 124. Provocar aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque:
Pena – detenção, de 2 (dois) a 6 (seis) anos;
• Art. 125. Provocar aborto, sem o consentimento da gestante:
Pena – reclusão, de 3 (três) a 10 (dez) anos.
• Art. 126. Provocar o aborto com o consentimento da gestante: *
Pena – reclusão, de 1(um) a 4 (quatro) anos.
• Art. 127. As penas cominadas nos dois artigos anteriores são aumentadas de um terço,
se, em conseqüência do aborto ou dos meios empregados para provocá-lo, a gestante
sofre lesão corporal de natureza grave; e são duplicadas, se, por qualquer dessas causas,
lhe sobrevém a morte.
• Art. 128. Não se pune o aborto praticado por médico:
I - se não há outro meio de salvar a vida da gestante;
II -se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante
* ou, quando incapaz, de seu representante legal.”

( ) O aborto é crime em qualquer caso, visto que no Art. 128 está escrito que não se pune o
aborto e não que ele deixaria de ser crime quando a gravidez resulta de estupro ou quando há
risco de morte para gestante;
( ) O aborto é permitido no Brasil nos casos de estupro e risco de morte da gestante;
( ) Não tenho opinião formada sobre a questão jurídica, mas sou contra o aborto em qualquer
situação;
( ) Sou a favor do aborto quando resultado de estupro;
( ) Outra, qual?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

2. Em sua opinião, as leis brasileiras sobre o aborto:

( ) Não deveriam ser modificadas;


( ) Deveriam considerar o aborto punível em qualquer circunstância (por exemplo, no caso de
estupro);
( ) Deveriam deixar de considerar o aborto como crime em qualquer circunstância (ou seja,
legalizar o aborto);
( ) Deveriam ampliar as circunstâncias em que o aborto não é punido;
( ) Outra. Qual?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

3. Em sua opinião, você é contrário(a) ao aborto mesmo se:

( ) A mãe for HIV positivo;


( ) A gravidez for dita “indesejada” (antes ou depois do Matrimônio);
( ) A mulher não tem condições financeiras de ter o bebê;
( ) For diagnosticado anencefalia;
( ) O bebê tiver qualquer mal-formação congênita grave incompatível com a vida extra uterina;

Observações pessoais, se houver:


______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
____________________________________________________________________

4. Em sua opinião, o aborto em caso de mal-formação do bebê, incompatível com a


vida extra uterina:

( ) Nunca se justifica;
( ) Se justifica dependendo da mal-formação;
( ) Se justifica sempre;

Observações pessoais, se houver:


______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

Perguntas livres:

5. Para a ciência (embriologia e genética) a vida de um organismo humano começa


no momento da fecundação: quando o espermatozóide fecunda o óvulo. Você está a
par dessa informação? Defende-a?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

6. Você é contrário (a) à manipulação de Células-Tronco de Embriões Humanos?


Posto que, para se retirar as células-tronco dos embriões é necessário matá-lo?
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

7. Você é contrário (a) à eutanásia?


______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
Entrevista com os palestrantes (profissionais de saúde, do direito, etc) sobre as questões
relativas ao Aborto: prezado(a) palestrante, a entrevista abaixo é um dado de segurança para
avaliarmos sua posição sobre tema tão polêmico. Algumas perguntas parecerão repetitivas, mas elas
servem apenas para averiguar se manterá um posicionamento coerente do início ao fim do
questionário. Agradecemos pela sua paciência e boa vontade. (COM RESPOSTAS IDEAIS)
8. Tendo como base os princípios fundamentais da Constituição Brasileira,
especialmente seu Art. 5º, caput, cláusula pétrea que institui o direito da
inviolabilidade da vida e a legislação do Código Penal em seus Artigos 124 – 128,
que definem o aborto induzido como um crime contra a vida; qual a sua
compreensão sobre a situação legal do país (vide artigos do Código Penal abaixo):
“DOS CRIMES CONTRA A VIDA – ABORTO INDUZIDO:
• Art. 124. Provocar aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque:
Pena – detenção, de 2 (dois) a 6 (seis) anos;
• Art. 125. Provocar aborto, sem o consentimento da gestante: *
Pena – reclusão, de 3 (três) a 10 (dez) anos.
• Art. 126. Provocar o aborto com o consentimento da gestante: *
Pena – reclusão, de 1(um) a 4 (quatro) anos.
• Art. 127. As penas cominadas nos dois artigos anteriores são aumentadas de um terço,
se, em conseqüência do aborto ou dos meios empregados para provocá-lo, a gestante
sofre lesão corporal de natureza grave; e são duplicadas, se, por qualquer dessas causas,
lhe sobrevém a morte.
• Art. 128. Não se pune o aborto praticado por médico:
I - se não há outro meio de salvar a vida da gestante;
II -se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante
* ou, quando incapaz, de seu representante legal.”
(X) O aborto é crime em qualquer caso, visto que no Art. 128 está escrito que não se pune o
aborto e não que ele deixaria de ser crime quando a gravidez resulta de estupro ou quando há
risco de morte para gestante;
( ) O aborto é permitido no Brasil nos casos de estupro e risco de morte da gestante;
( ) Não tenho opinião formada sobre a questão jurídica, mas sou contra o aborto em qualquer
situação;
( ) Sou a favor do aborto quando resultado de estupro;
( ) Outra, qual?
O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA JÁ PERMITE QUE SE SALVE A VIDA DA MÃE
E DA CRIANÇA, QUANDO HÁ RISCO DE MORTE DA MÃE E/OU DO FILHO
DURANTE A GESTAÇÃO. O ABORTO COMO MEIO PARA SALVAR A VIDA DE
ALGUÉM É UM PENSAMENTO ERRÔNEO, VISTO QUE MATAR A CRIANÇA NÃO
SALVA A VIDA DA MÃE, PORÉM TRATAR O PROBLEMA DE SAÚDE QUE ELA
POSSUI. ESTANDO GRÁVIDA, DEVE-SE PROCURAR MEIOS TERAPÊUTICOS QUE
NÃO AGRIDEM O DESENVOLVIMENTO DO BEBÊ. A MEDICINA JÁ É CAPAZ DISSO.
9. Em sua opinião, as leis brasileiras sobre o aborto:
( ) Não deveriam ser modificadas;
(X) Deveriam considerar o aborto punível em qualquer circunstância (por exemplo, no caso de
estupro);
( ) Deveriam deixar de considerar o aborto como crime em qualquer circunstância (ou seja,
legalizar o aborto);
( ) Deveriam ampliar as circunstâncias em que o aborto não é punido;
( ) Outra. Qual? A CRIANÇA GERADA EM DECORRÊNCIA DO ESTUPRO NÃO TEM
CULPA DE TER SIDO CONCEBIDA. O CRIME É DO PAI, ELE QUE DEVE PAGAR
SEGUNDO REZA A LEI, É UMA GRANDE INJUSTIÇA PUNIR O INOCENTE PELO
CRIME DO PAI. A MÃE TEM A ALTERNATIVA PRÓ-VIDA DE DOAR A CRIANÇA PARA
UM CASAL QUE POSSA PROVÊ-LA DE CARINHO E AMOR. A MAIORIA DESSAS
MÃES, ORIENTADAS DE FORMA PSICOLÓGICA POSITIVA, DESENVOLVEM AFETO
PELO BEBÊ DURANTE A GESTAÇÃO E ELAS MESMAS O CRIAM, SABENDO QUE O
BEBÊ NÃO TEVE CULPA DO ESTUPRO, MAS O ESTUPRADOR SOMENTE.
10. Em sua opinião, você é contrário(a) ao aborto mesmo se:
(X) A mãe for HIV positivo;
(X) A gravidez for dita “indesejada” (antes ou depois do Matrimônio);
(X) A mulher não tem condições financeiras de ter o bebê;
(X) For diagnosticado anencefalia;
(X) O bebê tiver qualquer mal-formação congênita grave incompatível com a vida extra uterina;
Observações pessoais, se houver: SOU CONTRA O ABORTO EM QUALQUER CASO.
11. Em sua opinião, o aborto em caso de mal-formação do bebê, incompatível com a
vida extra uterina:
(X) Nunca se justifica;
( ) Se justifica dependendo da mal-formação;
( ) Se justifica sempre;
Observações pessoais, se houver: O BEBÊ MAL-FORMADO TAMBÉM É UM SER
HUMANO, UMA PESSOA QUE POSSUI DIGNIDADE E NINGUÉM TEM O DIREITO DE
MATÁ-LO. ELE TEM O DIREITO DE NASCER E MORRER NATURALMENTE.
Perguntas livres:
12. Para a ciência (embriologia e genética) a vida de um organismo humano começa
no momento da fecundação: quando o espermatozóide fecunda o óvulo. Você está a
par dessa informação? Defende-a?
SIM. DEFENDO-A. A CIÊNCIA JÁ CONSTATOU POR MEIO DE EXPERIMENTOS
VISTOS NO DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DE MAMÍFEROS E PELAS PROVAS
DA GENÉTICA QUE A VIDA DE UM ORGANISMO HUMANO COMEÇA NA
CONCEPÇÃO. NÃO É CONSTATAÇÃO RELIGIOSA, É FATO CIENTÍFICO.
13. Você é contrário (a) à manipulação de Células-Tronco de Embriões Humanos?
Posto que, para se retirar as células-tronco dos embriões é necessário matá-lo?
SOU CONTRÁRIO. O SER HUMANO NÃO PODE SER REDUZIDO A OBJETO DE
PESQUISAS COMO SE FOSSE “COBAIA DE LABORATÓRIO”. ALÉM DO MAIS, AS
ALTERNATIVAS TERAPÊUTICAS DAS CÉLULAS TRONCO-ADULTAS TEM OBTIDO
ÊXITO E SUCESSO SEM MATAR VIDAS DE INDIVÍDUOS HUMANOS.
14. Você é contrário (a) à eutanásia?
SOU CONTRÁRIO. A EUTANÁSIA É O ASSASSINATO DE UMA PESSOA IDOSA OU
GRAVEMENTE ENFERMA SUPOSTAMENTE PARA ACABAR COM O SOFRIMENTO,
MEDIANTE PEDIDO DO IDOSO OU DOENTE (SUICÍDIO), OU POR “AUTORIZAÇÃO
FAMILIAR”, OU “ACONSELHAMENTO MÉDICO”. COMO SOU CONTRA O
ASSASSINATO E O SUICÍDIO, POSTO QUE NINGUÉM PODE DISPOR DA SUA
PRÓPRIA VIDA, QUE É UM BEM INALIENÁVEL, NEM DA VIDA DE OUTREM, QUE É
ASSASSINATO, SOU CONTRA A EUTANÁSIA À PEDIDO OU À CONSELHO E A FAVOR
DA VIDA: DO USO DE CUIDADOS PALIATIVOS PARA DIMINUIR A DOR DO
PACIENTE E DE SE APLICAR CUIDADOS ORDINÁRIOS DE MANUTENÇÃO DIGNA
DO PACIENTE DURANTE SUA FASE TERMINAL ATÉ QUE A MORTE
NATURALMENTE LHE SOBREVENHA.