Você está na página 1de 1

Art.

53 - A criana e o adolescente tm direito educao, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exerccio da cidadania e qualificao para o trabalho, assegurando-se-lhes: I - igualdade de condies para o acesso e permanncia na escola; Il - direito de ser respeitado por seus educadores; III - direito de contestar critrios avaliativos, podendo recorrer s instncias escolares superiores; IV - direito de organizao e participao em entidades estudantis; V - acesso a escola pblica e gratuita prxima de sua residncia. Pargrafo nico - direito dos pais ou responsveis ter cincia do processo pedaggico, bem como participar da definio das propostas educacionais. Art. 54 - dever do Estado assegurar criana e ao adolescente: I - ensino fundamental, obrigatrio e gratuito, inclusive para os que a ele no tiveram acesso na idade prpria; Il - progressiva extenso da obrigatoriedade e gratuidade ao ensino mdio; III - atendimento educacional especializado aos portadores de deficincia, preferencialmente na rede regular de ensino; IV - atendimento em creche e pr-escola s crianas de zero a seis anos de idade; V - acesso aos nveis mais elevados do ensino, da pesquisa e da criao artstica, segundo a capacidade de cada um; Vl - oferta de ensino noturno regular, adequado s condies do adolescente trabalhador; Vll - atendimento no ensino fundamental, atravs de programas suplementares de material didtico-escolar, transporte, alimentao e assistncia sade. 1 - O acesso ao ensino obrigatrio e gratuito direito pblico subjetivo. 2 - O no-oferecimento do ensino obrigatrio pelo Poder Pblico ou sua oferta irregular importa responsabilidade da autoridade competente. 3 - Compete ao Poder Pblico recensear os educandos no ensino fundamental, fazer-lhes a chamada e zelar, junto aos pais ou responsvel pela frequncia escola. Art. 55 - Os pais ou responsvel tm a obrigao de matricular seus filhos ou pupilos na rede regular de ensino. A Constituio consagra o direito a educao gratuita, dever do Estado, tratase de um direito subjetivo publico, tem o Estado que garantir a matricula em escola publica e excepcionalmente, em particular atravs da concesso de bolsas. A iniciativa privada tambm foi contemplada com relao ao ensino, dentro desse contexto. A CRFB/88 indica no artigo. 209 a liberdade do ensino a iniciativa privada, desde que sejam observados as condies elencadas.