Você está na página 1de 1

Acrdo do Supremo Tribunal de JustiaAcrdos STJAcrdo do Supremo Tribunal de Justia Processo:96B817 N Convencional:JSTJ00032541 Relator:COSTA SOARES Descritores:CONTRATO DE CONCESSO CONTRATO

INOMINADO CONTRATO DE AGNCIA CONTRATO DURADOURO DENNCIA ABUSO DE DIREITO N do Documento:SJ199706050008172 Data do Acordo:05-06-1997 Votao:UNANIMIDADE Referncia de Publicao:BMJ N468 ANO1997 PAG428 Tribunal Recurso:T REL LISBOA Processo no Tribunal Recurso:1247/95 Data:16-05-1996 Texto Integral:N Privacidade:1 Meio Processual:REVISTA. Deciso:NEGADA A REVISTA. rea Temtica:DIR CIV - TEORIA GERAL / DIR OBG. DIR PROC CIV - RECURSOS. Legislao Nacional:CCIV66 ART10 ART245 ART258 ART334 ART405 ART761 N3. CPC67 ART664 ART676 ART678 ART680 ART684 N3 ART690 N1. DL 178/86 DE 1986/07/03 ART24 ART28. Jurisprudncia Nacional:AC STJ DE 1993/05/04 IN CJSTJ ANOI T2 PAG78. AC RP DE 1994/10/18 IN CJ ANOXIX T4 PAG212. Sumrio :I - O contrato de concesso comercial exprime-se por uma relao contratual duradoura, entre o produtor e o distribuidor, em que o concessionrio actua em nome e por conta prpria, obrigando-se a promover a revenda de produtos, em princpio com exclusividade, que constituem objecto mediato do contrato, na zona a que o mesmo se refere. Por sua vez, o concedente obriga-se, no futuro, a celebrar com aquele sucessivos contratos e a fornecer-lhe os meios necessrios ao exerccio da sua actividade. II - Trata-se de contrato inominado (atpico), a reger-se pelas disposies no excepcionais do nominado que lhe fique mais prximo que o de agncia, regulado pelo Decreto-Lei 178/86 de 3 de Julho. III - A denncia de contrato renovvel, findo o decurso do prazo (legal ou convencional), nunca um modo de lhe pr termo; obsta, sim, a que ele se renove. O que lhe pe termo a expirao do prazo. IV - Para haver abuso de direito, necessrio a uma contradio entre o modo e o fim com que o titular o exerce e o interesse ou interesses a que o poder nele consubstanciado se encontra adstrito.