Você está na página 1de 1

5

MANUEL DA NOBREGA

Nascido em Portugal em 1.517, foi um grande estrategista da catequese,

chefe da missão religiosa enviada ao Brasil. Chegou na Bahia em 1549 e aí fundou

a Casa de Água dos Meninos, em São Vicente fundou a Confraria do Menino Jesus,

o ensino nestes colégios é anterior ao Ratio Studiorium, participou também criação

das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Defendeu a liberdade dos índios e

empenhou-se na organização dos aldeamentos. Seguia a interpretação do Concílio

de Trento contra a tese da servidão natural do índio, afirmava que as leis dos índios

eram legais, mas estavam corrompidas por abominações, devia prevalecer sempre o

cristianismo.No Diálogo sobre a conversão dos gentios, composto por ele, destacava

que os índios eram humanos porque tinham vontade, inteligência e memória, suas

abominações decorriam de práticas depravadas e não da natureza e o meio para

ensinar-lhes a fé seria através de exemplos visíveis. A evangelização pressupunha a

universalidade do Deus de Roma, para Manuel da Nobrega o índio estaria

condenado se não lhe fosse imposta a doutrina católica defendida pela monarquia

portuguesa.

Nas cartas que enviou a Roma, por determinação de Frei Inacio de Loyola,

escreveu sobre os índios (suas culturas),colonos (imoralidade sexual e político-

econômica) governo(medidas administrativas, econômicas e militares dos

governadores) e sobre o clero (ignorância e maus costumes dos padres

regulares,conflitos com bispos,etc). Nesta cartas revelou informações importantes

sobre o Brasil.