Você está na página 1de 1

7424-(72) Dirio da Repblica, 1. srie N.

252 31 de dezembro de 2012


SECO VI Proteo social e aposentao ou reforma

Artigo 76.
Alterao ao Decreto -Lei n. 100/99, de 31 de maro

O artigo 29. do Decreto -Lei n. 100/99, de 31 de maro, alterado pela Lei n. 117/99, de 11 de agosto, passa a ter a seguinte redao: Artigo 29.
[...]

1 A falta por motivo de doena devidamente comprovada no afeta qualquer direito do trabalhador, salvo o disposto nos nmeros seguintes. 2 Sem prejuzo de outras disposies legais, a falta por motivo de doena devidamente comprovada determina: a) A perda da totalidade da remunerao base diria no 1., 2. e 3. dias de incapacidade temporria, nas situaes de faltas seguidas ou interpoladas; b) A perda de 10 % da remunerao base diria a partir do 4. dia e at ao 30. dia de incapacidade temporria. 3 A contagem dos perodos de 3 e 27 dias a que se referem, respetivamente, as alneas a) e b) do nmero anterior interrompida sempre que se verifique a retoma da prestao de trabalho. 4 A aplicao da alnea b) do n. 2 depende da prvia ocorrncia de trs dias sucessivos e no interpolados de faltas por incapacidade temporria nos termos da alnea a) do mesmo nmero. 5 O disposto na alnea a) do n. 2 no implica a perda da remunerao base diria nos casos de internamento hospitalar, faltas por motivo de cirurgia ambulatria, doena por tuberculose e doena com incio no decurso do perodo de atribuio do subsdio parental que ultrapasse o termo deste perodo. 6 As faltas por doena descontam na antiguidade para efeitos de carreira quando ultrapassem 30 dias seguidos ou interpolados em cada ano civil. 7 O disposto nos n.os 2 a 6 no se aplica s faltas por doena dadas por pessoas com deficincia, quando decorrentes da prpria incapacidade. 8 As faltas por doena implicam sempre a perda do subsdio de refeio. 9 O disposto nos nmeros anteriores no prejudica o recurso a faltas por conta do perodo de frias.