P. 1
Sistema Nervoso Central - Completo

Sistema Nervoso Central - Completo

|Views: 15|Likes:

More info:

Published by: Professora Tati Naffah on Mar 04, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/17/2014

pdf

text

original

ANATOMIA SISTEMA NERVOSO

Durante a evolução do ser vivo vimos que os primeiros neurônios surgiram na superfície externa do organismo, tendo em vista que a função primordial do sistema nervoso é de relacionar o animal com o ambiente. Dos três folhetos embrionários: ectoderma, mesoderma e endoderma, o ectoderma é aquele que esta em contato com o meio externo do organismo e é deste folheto que se origina o sistema nervoso.

Sabe-se que a formação da desta placa e a subseqüente formação do tubo neural. situado acima do notocorda. . tem importante papel à ação indutora da notocorda e do mesoderma. formando a chamada placa neural.O primeiro indício de formação do sistema nervoso consiste em um espessamento do ectoderma.

permanece com calibre uniforme e constitui a medula primitiva do embrião. que dá origem á medula do adulto. além de elementos não pertencentes ao sistema nervoso. a parte caudal. ou arquencéfalo. enquanto a crista dá origem a elementos do sistema nervoso periférico. . que dá origem ao encéfalo do adulto. A parte cranial. Desde o inicio de sua formação.O tubo neural dá origem a elementos do sistema nervoso central. torna-se dilatada e constitui o encéfalo primitivo. o calibre do tubo neural não é uniforme.

No arquencéfalo distinguem-se inicialmente três dilatações, que são as vesículas encefálicas primordiais denominadas: prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Com o subseqüente desenvolvimento do embrião, o prosencéfalo dá origem a duas vesículas, telencéfalo e diencéfalo. O mesencéfalo não se modifica, e o romboencéfalo origina o metencéfalo e o mieloncéfalo.

O telencéfalo compreende uma parte mediana. As vesículas telencéfalicas laterais crescem muito para formar os hemisférios cerebrais e escondem quase completamente a parte mediana e o diencéfalo. . A parte mediana é fechada anteriormente por uma lamina que constitui a porção mais cranial do sistema nervoso e se denomina lamina terminal. da qual se envagina duas porções laterais.

o infundíbulo. as vesículas ópticas. um ventral. que forma a neurohipófise. que formam a retina.O diencéfalo apresenta quatro pequenos divertículos: dois laterais. . um dorsal. que forma a glândula pineal.

.

Divisão do sistema nervoso com base em critérios anatômicos e funcionais .

.

e a medula é localizada dentro do canal vertebral. No encéfalo temos cérebro. O encéfalo é a parte do sistema nervoso central situado dentro do crânio neural. cerebelo e tronco encefálico.O sistema nervoso central é aquele localizado dentro do esqueleto axial (cavidade craniana e canal vertebral). o sistema nervoso periférico é aquele que se localiza fora deste esqueleto. O encéfalo e a medula constituem o neuro-eixo. .

.

O componente aferente conduz aos centros nervosos impulsos originados em receptores periféricos. informando-os sobre o que passa no meio ambiente. O componente eferente leva aos músculos estriados esqueléticos o comando dos centros nervosos resultando em movimentos voluntários. ou visceral. Apresenta um componente aferente e outro eferente. .Pode-se dividir o sistema nervoso em sistema nervoso da vida de relação. O sistema nervoso da vida de relação é aquele que se relaciona com organismo com o meio ambiente. ou somático e sistema nervoso da vida vegetativa.

Este componente eferente é também denominada de sistema nervoso autônomo e pode ser dividido em sistema nervoso simpático e parassimpático. O componente eferente leva os impulsos originados em centros nervosos até as vísceras.O sistema nervoso visceral é aquele que se relaciona com a inervação e com o controle das vísceras. . O componente aferente conduz os impulsos nervosos originados em receptores das vísceras a áreas especificas do sistema nervoso.

TECIDO NERVOSO O tecido nervoso compreende basicamente dois tipos de celulares: os neurônios e as células glias. revestimento ou isolamento e modulação da atividade neural. Células Glias: compreende as células que ocupam os espaços entre os neurônios e tem como função sustentação. . Tem a função básica de receber. Neurônio: é a unidade estrutural e funcional do sistema nervoso que é especializada para a comunicação rápida. processar e enviar informações.

.

Neurônios: são células altamente excitáveis que se comunicam entre si ou com outras células efetuadoras. dentritos e axônios. usando basicamente uma linguagem elétrica. . A maioria dos neurônios possui três regiões responsáveis por funções especializadas: corpo celular.

.

São três os tipos de neurônios: sensitivo. sendo conhecido como neurônio eferente. Um neurônio sensitivo conduz a informação da periferia em direção ao SNC. Portanto. o sistema nervoso apresenta três funções básicas: . Os neurônios sensitivos e motores são encontrados tanto no SNC quanto no SNP. motor e interneurônio. Um neurônio motor conduz informação do SNC em direção à periferia. sendo também chamado neurônio aferente.

Função Sensitiva: os nervos sensitivos captam informações do meio interno e externo do corpo e as conduzem ao SNC. Função Integradora: a informação sensitiva trazida ao SNC é processada ou interpretada. Função Motora: os nervos motores conduzem a informação do SNC em direção aos músculos e às glândulas do corpo. levando as informações do SNC. .

.

agentes químicos liberados por um neurônio. o GABA e as endorfinas. através de suas terminações axônicas. Ou seja. A comunicação ocorre por meio de neurotransmissores. passandolhes informações.Sinapses Os neurônios. onde estão armazenados os neurotransmissores. Os locais de tais contatos são denominados sinapses. no qual encontramos as vesículas sinápticas. os neurônios comunicam-se uns aos outros nas sinapses – pontos de contato entre neurônios. a serotonina. Outros neurotransmissores do SNC incluem a epinefrina. Os neurotransmissores mais comuns são a acetilcolina e a norepinefrina. entram em contato com outros neurônios. .

capacitam o organismo a perceber as variações dos meios interno e externo.É o sistema mais complexo e mais organizado do corpo humano. São os sistemas envolvidos na coordenação e regulação das funções corporais. a difundir as modificações que essas variações produzem e a executar as respostas adequadas para que seja mantida a homeostase (o equilíbrio interno do corpo). juntamente com o sistema endócrino. O sistema nervoso. .

ou seja. controlam todos os fenômenos inconsciente. estendendo-se da base do crânio ao cóccix. Estão dispostos em duas colunas centrais situadas imediatamente ao lado dos corpos vertebrais. . Possuem função motora e sensitiva. não voluntários. a salivação. o calibre dos vasos sanguíneos. 12 pares cranianos + 31 pares de raízes espinhais. o diâmetro da pupila. Os nervos autônomos transmitem impulso que regulam o funcionamento das vísceras.Os nervos cérebro-espinhais são ao todo 43 pares.

ocorre de forma involuntária. sendo formado pelo encéfalo e pela medula espinhal. . muitas funções do sistema nervoso dependem da vontade (caminhar) é um ato voluntário e muitas outras ocorrem sem que se tenha consciência delas (a secreção de saliva). O sistema nervoso central é a porção de recepção de estímulos. de comando e desencadeadora de respostas.Desta forma. O sistema nervoso é dividido em duas partes fundamentais: o sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP).

.A porção periférica está constituída pelas vias que conduzem os estímulos ao sistema nervoso central ou que levam até aos órgãos efetuadores as ordens emanadas da porção central. sendo formado pelos nervos cranianos e espinhais. pelos gânglios e pelas terminações nervosas.

em movimentos. Os neurônios são formados por três partes: corpo celular. célula capaz de captar estímulos externos como: calor. por exemplo. axônio e dendritos . frio e dor e conduzi-los através do organismo sob forma de impulso nervoso.Neurônio Unidade básica do sistema nervoso. bem como de transmitir os estímulos internos. transformando-os.

.

. uma estrutura bastante especial. O sistema nervos periférico é basicamente uma série de nervos que se prolongaram do SNC para se distribuir para o resto do organismo. Poderíamos chamá-lo de "braços" do sistema nervoso central. desempenha o papel que distingue o homem dos demais seres. Podemos também dividir os nervos periféricos em dois grupos: cérebro-espinhal e Autônomo.Além de tudo isso. O sistema nervoso central (SNC) é composto pelo encéfalo. o córtex cerebral. que está contido no interior do crânio e pela medula espinhal que está contida no interior do canal vertebral. Para estudo anatômico o sistema nervoso pode ser divido: Central e Periférico.

Bulbo .Divisão do Sistema Nervoso Sistema nervoso central (SNC) .Mesencéfalo .Cerebelo .Ponte .Cérebro .Encéfalo .Tronco Encefálico .Medula Espinhal .

Terminações Nervosas .Espinhais .Cranianos .Gânglios .Nervos .Sistema nervoso periférico (SNP) .

Simpático .Eferente (SN autônomo) .Aferente .Eferente Sistema Nervoso Visceral .Divisão Funcional do Sistema Nervoso Sistema Nervoso Somático .Aferente .Parassimpático .

.

.

. A pia-máter é a mais fina e está intimamente aplicada ao encéfalo e a medula espinhal. Elas são. aracnóide-máter e pia-máter. protegidos pelo crânio e pela coluna vertebral Esta proteção é reforçada pela presença de lâminas de tecido conjuntivo. sendo que no crânio está associada ao periósteo da face interna dos ossos. as meninges. A duramáter é a mais espessa delas.SISTEMA NERVOSO CENTRAL Formado pelo encéfalo e pela medula espinhal. de fora para dentro: duramáter.

. da qual partem fibras delicadas que vão a pia-máter.Entre a dura e a pia-máter está a aracnóidemáter. cerebelo. mesencéfalo. onde circula o líquido cérebroespinhal ou líquor. sendo estes três últimos conhecidos em conjunto como tronco encefálico. o qual funciona como absorvente de choques. A aracnóide-máter é separada da pia-máter pelo espaço subaracnóideo. formando uma rede semelhante a uma teia de aranha. O encéfalo é dividido em cérebro. ponte e bulbo.

.

como o hipotálamo e o tálamo. ocupa praticamente toda a caixa craniana.O cérebro é o mais volumoso órgão do SNC. contendo centros para interpretação de estímulos e centros que iniciam movimentos musculares. Armazena informações e é responsável também por processos psíquicos altamente elaborados. pesa cerca de 1200g. determinando a inteligência e a personalidade. regulam o equilíbrio hídrico e a pressão sanguínea . Responde pelas funções nervosas mais elevadas. Outras regiões do cérebro.

.

.

formando núcleos. a substância cinzenta forma um eixo central contínuo envolvido por substância branca. . Na medula.No cérebro e no cerebelo a estrutura geral é a mesma: uma massa de substância branca. revestida externamente por uma fina camada de substância cinzenta. enquanto no tronco encefálico a substância cinzenta central não é contínua. apresentando-se fragmentada.

o que se chama de substância branca constituída.A medula espinhal é formada por trinta e um segmentos. Um corte de qualquer área do SNC permite reconhecer áreas claras e escuras que representam. cada um dos quais dá origem a um par de nervos espinhais. predominantemente. Atua como um caminho pelo qual passam impulsos que vão ou vem do encéfalo para várias partes do corpo. por fibras nervosas mielínicas e substância cinzenta constituída por corpos de neurônios. .

.

.

O cerebelo está situado na região posterior e inferior do cérebro. Suas funções estão relacionadas com a motricidade: atua como coordenador dos movimentos da musculatura esquelética. Sem ele os músculos perdem a tonicidade. na manutenção do equilíbrio e do tônus muscular. . as contrações tornam-se fracas e não há mais coordenação motora. gerando perda de equilíbrio estático e dinâmico do corpo. O tronco encefálico. além de ser a origem de dez dos doze nervos cranianos. é sede de várias funções ligadas ao controle das atividades involuntárias e das emoções. formado por substância cinzenta e branca.

A maior parte do encéfalo corresponde ao cérebro. a foice do cérebro. os lobos frontal. portanto. Os hemisférios podem ser divididos em lobos. . occipital. correspondendo cada um aos ossos do crânio com que guardam relações. unidos por uma ponte de fibras nervosas. os hemisférios cerebrais. o corpo caloso e separados por uma lâmina de dura-máter. constituído por duas massas. os sulcos que delimitam giros. temporal e parietal. Na superfície dos hemisférios existem depressões.

.

Três faces: súpero-lateral (convexa). e inferior ou base do cérebro (irregular). occipital e temporal. repousando anteriormente nos andares anterior e médio da base do crânio e posteriormente na tenda do cerebelo. medial (plana). .Cada hemisfério possui : Três pólos: Frontal.

.

Sulcos e Giros Quando o tamanho do encéfalo aumenta rapidamente. a região cortical se enrola e se dobra sobre si mesma. . que delimitam os giros cerebrais. Como resultado. a substância cinzenta do córtex aumenta com maior rapidez que a substância branca subjacente. Portanto. a superfície do cérebro do homem e de vários animais apresenta depressões denominadas sulcos. A existência dos sulcos permite considerável aumento do volume cerebral e sabe-se que cerca de dois terços da área ocupada pelo córtex cerebral estão “escondidos” nos sulcos.

Sulco Central: separa o lobo parietal do frontal. O sulco central é ladeado por dois giros paralelos. os dois sulcos mais importantes são o sulco lateral e o sulco central. Sulco Lateral: é o sulco que separa o lobo frontal do lobo temporal. e outro posterior. . giro póscentral. enquanto as situadas atrás deste sulco relacionam-se com a SENSIBILIDADE.Em qualquer hemisfério. giro pré-central. anterior e posterior. Ele é subdividido em ascendente. As áreas situadas adiante do sulco central relacionam-se com a MOTRICIDADE. um anterior.

.

Outro sulco importante situado no telencéfalo. . que separa o lobo parietal do occipital. é o sulco parieto-occipital. na face medial.

que é o único que não se relaciona com nenhum osso do crânio.Os lobos cerebrais recebem o nome de acordo com a sua localização em relação aos ossos do crânio. Portanto. A divisão dos lobos não corresponde muito a uma divisão funcional. . exceto pelo lobo occipital que parece estar relacionado somente com a visão. occipital e o lobo da ínsula. parietal. temporal. pois está situado profundamente no sulco lateral. temos cinco lobos: frontal.

.

.

.

Lobo Frontal .

.

Giro Frontal Médio: localiza-se entre o sulco frontal superior e inferior. Neste giro se localiza a área motora principal do cérebro (córtex motor). . Giro Frontal Superior: localiza-se acima do sulco frontal superior. Giro Frontal Inferior: localiza-se abaixo do sulco frontal inferior. O giro frontal inferior do hemisfério esquerdo é o centro cortical da palavra falada.Giro Pré-central: localiza-se entre o sulco central e o sulco pré-central.

.

Lobo Temporal

Lobo Temporal Sulco Temporal Superior: inicia-se próximo ao pólo temporal e dirige-se para trás paralelamente ao ramo posterior do sulco lateral, terminando no lobo parietal. Sulco Temporal Inferior: paralelo ao sulco temporal superior é geralmente formado por duas ou mais partes descontinuas.

.

Giro Temporal Médio: localiza-se entre os sulcos temporal superior e o temporal inferior. Giro Temporal Inferior: localiza-se abaixo do sulco temporal inferior e se limita com o sulco occípito-temporal. .Giro Temporal Superior: localiza-se entre o sulco lateral e o sulco temporal superior.

.

Lobo Parietal .

Sulco Intraparietal: geralmente localiza-se perpendicular ao sulco pós-central (com o qual pode estar unido) e estende-se para trás para terminar no lobo occipital.Lobo Parietal Sulco Pós-central: localiza-se posteriormente ao giro pós-central. . É paralelo ao sulco central.

.

curvando em torno da extremidade do ramo posterior do sulco lateral. . É no giro pós-central que se localiza uma das mais importantes áreas sensitivas do córtex. Lóbulo Parietal Superior: localiza-se superiormente ao sulco intra-parietal. a área somestésica. curvando em torno da porção terminal e ascendente do sulco temporal superior.Diferentemente dos outros lobos. descrevem-se dois giros: o giro supramarginal. o lobo parietal apresenta um giro e dois lóbulos: Giro Pós-central: localiza-se entre o sulco central e o sulco pós-central. e o giro angular. Lóbulo Parietal Inferior: localiza-se inferiormente ao sulco intraparietal. Neste.

.

Lobo Occiptal .

.Lobo Occipital O lobo occipital ocupa uma porção relativamente pequena da face súpero-lateral do cérebro. Os principais sulcos e giros desse lobo são visualizados na face medial do cérebro. onde apresenta pequenos sulcos e giros irregulares e inconstantes.

Lobo da Ínsula .

é denominado de límen da ínsula. A ínsula tem forma cônica e seu ápice. e dirigese no sentido antero-inferior. Sulco Circular da Ínsula: circunda a ínsula na sua borda superior. . voltado para baixo e para frente.Lobo da Ínsula O lobo da ínsula é visualizado afastando-se os lábios do sulco lateral. na porção superior da ínsula. Divide a ínsula em duas partes: giros longos e giros curtos. Sulco Central da Ínsula: parte do sulco circular.

.

Giros Longos da Ínsula: estão localizados posteriormente ao sulco central da ínsula. Giros Curtos da Ínsula: estão localizados anteriormente ao sulco central da ínsula. .

.

Resumo dos Giros da Face Súperolateral do Cérebro .

. onde se continua já no lobo temporal. o lóbulo paracentral. com o sulco do cíngulo e o sulco marginal. contorna o tronco e o esplênio do corpo caloso. com o sulco do hipocampo. que delimita. do qual é separado pelo giro do cíngulo. e o sulco subparietal. Sulco Paracentral: Destaca-se do sulco do cíngulo em direção á margem superior do hemisfério.Lobo Frontal e Parietal Na parte medial do cérebro. Sulco do Cíngulo: tem seu curso paralelo ao sulco do corpo caloso. porção final do sulco do giro do cíngulo que cruza a margem superior do hemisfério. existem dois sulcos que passam do lobo frontal para o lobo parietal: Sulco do Corpo Caloso: começa abaixo do rostro do corpo caloso. Termina posteriormente em dois sulcos: ramo marginal do giro do cíngulo. que continua posteriormente em direção ao sulco parieto-ocipital.

.

Giro Frontal Superior: já foi descrito acima. Na parte anterior e posterior deste lóbulo localizam-se as áreas motoras e sensitivas relacionadas com a perna e o pé. Pré-cúneos: está localizado superiormente ao sulco parieto-occipital. Lóbulo Paracentral: localiza-se entre o sulco marginal e o sulco paracentral.Giro do Cíngulo: contorna o corpo caloso. É percorrido por um feixe de fibras. no lobo parietal. ligandose ao giro para-hipocampal pelo istmo do giro do cíngulo. no estudo da face lateral do cérebro. o fascículo do cíngulo. .

.

Sulco parieto-occipital: é o sulco que separa o lobo occipital do lobo parietal.Lobo occipital Sulco calcarino: inicia-se abaixo do esplênio do corpo caloso e tem um trajeto arqueado em direção ao pólo occipital. . Nos lábios do sulco calcarino localiza-se o centro cortical da visão.

.

É um giro complexo de forma triangular. no lobo parietal. Esse giro continua anteriormente com o giro para-hipocampal. Giro Occipito-temporal Medial: localiza-se abaixo do sulco calcarino. do lobo temporal. Adiante do cúneos. . temos o pré-cúneos.Cúneos: localiza-se entre o sulco parietooccipital e o sulco calcarino.

.

Sulco Colateral: inicia-se próximo ao pólo occipital e se dirige para frente.Face inferior . O sulco colateral pode ser contínuo com o sulco rinal. Na face inferior. que separa a parte mais anterior do giro para-hipocampal do resto do lobo temporal. onde continua com o sulco do corpo caloso e se dirige para o pólo temporal. . Sulco do Hipocampo: origina-se na região do esplênio do corpo caloso. Sulco calcarino: é melhor visualizado na face medial do cérebro. onde termina separando o giro parahipocampal do úncus. separa a porção posterior o giro para-hipocampal do istmo do giro do cíngulo.Lobo temporal Sulco Occipito-temporal: localiza-se entre os giros occipito-temporal lateral e occipito-temporal medial.

parte importante do sistema límbico. A porção anterior do giro para-hipocampal se curva em torno do sulco do hipocampo para formar o úncus. o istmo do giro do cíngulo. Giro Para-hipocampal: se liga posteriormente ao giro do cíngulo através de um giro estreito. Giro Occipito-temporal Medial: é visualizado também na face medial do cérebro. . giro para-hipocampal e o istmo do cíngulo. Assim o úncus. o giro para-hipocampal. Está localizado entre o giro occipito-temporal lateral. porém ocupa uma área significativa na face inferior. o istmo do giro do cíngulo e o giro do cíngulo constituem o lobo límbico. relacionado com o comportamento emocional e o controle do sistema nervoso autônomo.Giro Occipito-temporal Lateral: está localizado na região lateral da face inferior do cérebro circundando o giro occipito-temporal medial e o giro para-hipocampal.

.

os sulcos e giros orbitários.Lobo Frontal A face inferior do lobo frontal apresenta as seguintes estruturas: o sulco olfatório. O resto da face inferior do lobo frontal é ocupada por sulcos e giros muito irregulares. profundo e de direção ântero-posterior. . que localiza-se medialmente ao sulco olfatório e continua dorsalmente como giro frontal superior. o giro reto.

.

Ao fim desse conteúdo. Como dito anteriormente. a divisão por lobos e sulcos é apenas para estudo. porém algumas áreas são específicas e bem localizadas. gostaria de ilustrar ainda uma imagem com algumas áreas importantes considerando o telencéfalo como um todo. pois o cérebro funciona como um todo independente dos lobos. tais como as indicadas na figura abaixo: .

.

epitálamo e subtálamo. O cérebro é a parte mais desenvolvida do encéfalo e ocupa cerca de 80% da cavidade craniana. . Ao diencéfalo compreendem as seguintes partes: tálamo. O diencéfalo é uma estrutura ímpar que só é vista na porção mais inferior de cérebro. todas relacionadas com o III ventrículo.DIENCÉFALO O telencéfalo e o diencéfalo formam o cérebro. hipotálamo.

.

o sulco hipotalâmico.III ventrículo É uma cavidade no diencéfalo. que se comunica com o IV ventrículo pelo aqueduto cerebral e com os ventrículos laterais pelos respectivos forames interventriculares. . ímpar. as paredes laterais do III ventrículo são expostas amplamente. verificase então a existência de uma depressão. que se estende do aqueduto cerebral até o forame interventricular. Quando o cérebro é seccionado no plano sagital mediano.

pertencem ao tálamo. a aderência intertalâmica. e as situadas abaixo. . as seguintes formações: quiasma óptico. Unindo os dois tálamos observa-se freqüentemente uma estrutura formada por substância cinzenta. que aparece apenas seccionada. situadas acima deste sulco. No assoalho do III ventrículo encontra-se.As porções da parede. de anterior para posterior. pertencentes ao hipotálamo. pertencem ao hipotálamo. infundíbulo. túber cinéreo e corpos mamilares.

.

.

que forma o teto do III ventrículo. é formada pelo epitálamo. com os plexos corióides dos ventrículos laterais. que se localiza acima do sulco hipotalâmico. onde se insere a tela corióide. as estrias medulares do tálamo. invaginam-se na luz ventricular. através dos respectivos forames interventriculares. que se dispõem em duas linhas paralelas e são contínuos. os plexos corióides do III ventrículo. . Saindo de cada lado do epitálamo e percorrendo a parte mais alta das paredes laterais.A parede posterior do ventrículo. A partir da tela corióide. muito pequena. há um feixe de fibras nervosas.

A luz do III ventrículo se evagina para formar quatro recessos na região do infundíbulo: Recesso do infundíbulo. na haste da glândula pineal. Recesso suprapineal. acima do corpo pineal. acima do quiasma óptico. A comissura anterior. a lâmina terminal e as partes adjacentes das paredes laterais do III ventrículo pertencem ao telencéfalo. Recesso pineal. . Recesso óptico. que une os dois hemisférios e dispõem-se entre o quiasma óptico e a comissura anterior. fina lâmina de tecido nervoso.A parede anterior do III ventrículo é formada pela lâmina terminal.

.

chamada massa intermédia (aderência intertalâmica). uma conexão de substância cinzenta. une as partes direita e esquerda do tálamo. com comprimento de cerca de 3cm. consiste em duas massas ovuladas pareadas de substância cinzenta. . organizada em núcleos. Em geral.TÁLAMO O tálamo. com tratos de substância branca em seu interior. compõe 80% do diencéfalo.

A extremidade anterior de cada tálamo apresenta uma eminência. o pulvinar. A extremidade posterior. . que participa da delimitação do forame interventricular. o tubérculo anterior do tálamo. apresenta uma grande eminência. consideravelmente maior que a anterior. que se projeta sobre os corpos geniculados lateral e medial.

.

.

ambos são considerados como uma divisão do diencéfalo denominada de metatálamo. e o lateral da via óptica.O corpo geniculado medial faz parte da via auditiva. .

A porção medial do tálamo forma a parede lateral do III ventrículo.A porção lateral da face superior do tálamo faz parte do assoalho do ventrículo lateral. cujo teto é constituído pelo fórnix e pelo corpo caloso. sendo revestido por epitélio ependinário (epitélio que reveste esta parte do tálamo e é denominada lâmina fixa). formações telencefálicas. .

.A fissura transversa é ocupada por um fundode-saco da pia-máter que. a seguir. compacto feixe de fibras que ligam o córtex cerebral a centros nervosos subcorticais. entra na constituição da tela corióide. A face inferior do tálamo continua com o hipotálamo e o subtálamo. A face lateral do tálamo é separada do telencéfalo pela cápsula interna.

.

como as de tato. frio e dor. vibração.Alguns núcleos transmitem impulsos para as áreas sensoriais do cérebro: Corpo (núcleo) Geniculado Medial – transmite impulsos auditivos. . Corpo (núcleo) Ventral Posterior – transmite impulsos para o paladar e para as sensações somáticas. pressão. calor. Corpo (núcleo) Geniculado Lateral – transmite impulsos visuais.

Os núcleos talâmicos podem ser divididos em cinco grupos: Grupo Anterior Grupo Posterior Grupo Lateral Grupo Mediano Grupo medial .

.

O tálamo classifica a informação.O tálamo serve como uma estação intermediária para a maioria das fibras que vão da porção inferior do encéfalo e medula espinhal para as áreas sensitivas do cérebro. . e as direciona para as áreas específicas do cérebro para que haja uma interpretação mais precisa. dando-nos uma idéia da sensação que estamos experimentando.

.Funções do Tálamo Sensibilidade. ou estado de alerta. Motricidade. Desempenha algum papel no mecanismo de vigília. Comportamento Emocional. Ativação do Córtex.

HIPOTÁLAMO Área relativamente pequena do diencéfalo. Trata-se de uma área muito pequena (4g). o hipotálamo. com funções importantes principalmente relacionadas à atividade visceral. o túber cinéreo. por suas inúmeras funções. . apesar disso. o infundíbulo e os corpos mamilares. Apresenta algumas formações anatômicas visíveis na face inferior do cérebro: o quiasma óptico. é uma das áreas mais importantes do sistema nervoso.

.

. Recebe fibras mielínicas do nervo óptico.Corpos mamilares: duas eminências arredondadas de substância cinzenta evidentes na parte anterior da fossa interpeduncular. Quiasma óptico: localiza-se na parte anterior do assoalho ventricular. que ai cruzam em parte e continuam nos tratos óptico que se dirigem aos corpos geniculados laterais. depois de contornar os pedúnculos cerebrais.

entre os corpos mamilares. . Infundíbulo: formação nervosa em forma de um funil que se prende ao túber cinéreo. No túber cinéreo prende-se a hipófise por meio do infundíbulo. contendo pequenos prolongamentos da cavidade ventricular. situada atrás do quiasma e do trato óptico. o recesso do infundíbulo.Túber cinéreo: área ligeiramente cinzenta.

.

O hipotálamo é constituído de substância cinzenta que se agrupa em núcleos. Percorrendo o hipotálamo existem, sistemas variados de fibras, como o fórnix. Este percorre de cima para baixo cada metade do hipotálamo, terminando no respectivo corpo mamilar. Impulsos de neurônios cujos dendritos e corpos celulares situam-se no hipotálamo são conduzidos por seus axônios até neurônios localizados na medula espinhal, e em seguida muitos desses impulsos são então transferidos para músculos e glândulas por todo o corpo.

Funções do Hipotálamo Controle do sistema nervoso autônomo; Regulação da temperatura corporal; Regulação do comportamento emocional; Regulação do sono e da vigília; Regulação da ingestão de alimentos; Regulação da ingestão de água; Regulação da diurese; Regulação do sistema endócrino;

EPITÁLAMO Limita posteriormente o III ventrículo, acima do sulco hipotalâmico, na transição com o mesencéfalo. Seu elemento mais evidente é a glândula pineal, glândula endócrina de forma piriforme, ímpar e mediana, que repousa sobre o teto mesencefálico. A base do corpo pineal se prende anteriormente a dois feixes transversais de fibras que cruzam um plano mediano, a comissura posterior e a comissura das habênulas, entre as quais penetra na glândula pineal um pequeno prolongamento da cavidade ventricular, o recesso pineal.

fechando assim o III ventrículo.A comissura posterior situa-se no prolongamento em que o aqueduto cerebral se liga ao III ventrículo. de cada lado. com as estrias medulares do tálamo. nas estrias medulares do tálamo e. A tela corióide do III ventrículo insere-se. posteriormente. considerada limite entre o mesencéfalo e o diencéfalo. . os trígonos da habênula. Esses estão situados entre a glândula pineal e o tálamo e continuam anteriormente. lateralmente. na comissura das habênulas. A comissura das habênulas interpõe-se entre duas pequenas eminências triangulares.

.

.

de aproximadamente 8mm de comprimento. . Comissura Posterior – é um feixe de fibras arredondado que cruza a linha mediana na junção do aqueduto com o terceiro ventrículo anterior e superiormente ao colículo superior. que se situa entre os colículos superiores. uma glândula endócrina.Trígono da Habênula – área triangular na extremidade posterior da tênia do tálamo junto ao corpo pineal. Marca o limite entre o mesencéfalo e diencéfalo.A glândula pineal secreta o hormônio melatonina.Melatonina é a promotora do sono e também contribui para o ajuste do relógio biológico do corpo. Corpo Pineal – estrutura semelhante a uma glândula. sendo assim.

.

relacionados com a regulação do comportamento emocional. Se localiza abaixo do tálamo. O subtálamo apresenta substância branca e cinzenta. caracterizada por movimentos anormais das extremidades.Exceto a comissura posterior. SUBTÁLAMO Compreende a zona de transição entre o diencéfalo e o tegumento do mesencéfalo. sendo a mais importante o núcleo subtalâmico. todas as formações do epitálamo pertencem ao sistema límbico. Lesões no núcleo subtalâmico provocam uma síndrome conhecida como hemibalismo. sendo limitado lateralmente pela cápsula interna e medialmente pelo hipotálamo. .

TRONCO ENCEFÁLICO Interpõe-se entre a medula e o diencéfalo. conecta a medula espinhal com as estruturas encefálicas localizadas superiormente. A substância branca do tronco encefálico inclui tratos que recebem e enviam informações motoras e sensitivas para o cérebro e também as provenientes dele. ou seja. . Dispersas na substância branca encontra-se substância cinzenta denominadas núcleos. que exercem efeitos intensos sobre a pressão sangüínea e a respiração. situando-se ventralmente ao cerebelo.

Na sua constituição entram corpos de neurônios que se agrupam em núcleos e fibras nervosas. que por sua vez. fascículos ou lemniscos. O tronco encefálico se divide em: bulbo. Dos 12 pares de nervos cranianos. se agrupam em feixes denominados tratos. . situado caudalmente. mesencéfalo e ponte situada entre ambos. 10 fazem conexão com o tronco encefálico. Muitos dos núcleos do tronco encefálico recebem fibras nervosas que entram na constituição dos nervos cranianos.

.

PONTE .

MESENCÉFALO .

BULBO .

MESENCÉFALO Interpões-se entre a ponte e o cerebelo. temos os dois pedúnculos cerebrais. É atravessado por um estreito canal. Ventralmente. . se dividem em uma parte dorsal. pertencentes ao diencéfalo. A parte do mesencéfalo situada dorsalmente ao aqueduto é o tecto do mesencéfalo. o aqueduto cerebral. à comissura posterior. a base do pedúnculo. o tegmento e outra ventral. do qual é representado por um plano que liga os dois corpos mamilares. que por sua vez.

Junto à sustância negra existem dois sulcos longitudinais: um lateral.Em uma secção transversal do mesencéfalo. Estes sulcos marcam o limite entre a base e o tegmento do pedúnculo cerebral. e outro medial. Do sulco medial emerge o nervo oculomotor. III par craniano. a substância negra. . vê-se que o tegmento é separado da base por uma área escura. sulco lateral do mesencéfalo. sulco medial do pedúnculo cerebral.

.

.

PONTE Parte do tronco encefálico interposto entre o bulbo e o mesencéfalo. . Lesões nessa estrutura podem causar graves distúrbios respiratórios. Situada ventralmente ao cerebelo e repousa sobre a parte basilar do osso occipital e o dorso da sela túrcica do esfenóide. A ponte tem um papel fundamental na regulação do padrão e ritmo respiratório.

que se penetra no hemisfério cerebelar correspondente. . Considera-se como limite entre a ponte e o pedúnculo cerebelar médio (braço da ponte) o ponto de emergência do nervo trigêmeo (V par craniano). Estas fibras convergem de cada lado para formar um volumoso feixe. o pedúnculo cerebelar médio.Sua base situada ventralmente apresenta uma estriação transversal em virtude da presença de numerosos feixes de fibras transversais que a percorrem.

.

ou raiz motora do nervo trigêmeo. o VII e o VIII par craniano. Percorrendo longitudinalmente a superfície ventral da ponte existe um sulco. que aloja a artéria basilar. . e outra menor. uma maior. de onde emerge de cada lado.Esta emergência se faz por duas raízes. A parte ventral da ponte é separada do bulbo pelo sulco bulbo-pontino. o sulco basilar. ou raiz sensitiva do nervo trigêmeo. a partir da linha mediana. o VI.

que é a raiz sensitiva do VII par craniano. O VIII par craniano. emerge entre a ponte e a pirâmide do bulbo. emerge o nervo intermédio. o nervo facial. emerge lateralmente com o VIII par craniano.O VI par. O VII par craniano. emerge lateralmente próximo a um pequeno lobo denominado flóculo. o nervo abducente. o nervo vestíbulo-coclear. o nervo glossofaríngeo. . com o qual mantém relações íntimas. Entre os dois.

.

BULBO OU MEDULA OBLONGA O bulbo ou medula oblonga tem forma de um cone. cuja extremidade menor continua caudalmente com a medula espinhal. Como não se tem uma linha demarcando a separação entre medula e bulbo. . o que corresponde ao nível do forame magno. considera-se que o limite está em um plano horizontal que passa imediatamente acima do filamento radicular mais cranial do primeiro nervo cervical.

O limite superior do bulbo se faz em um sulco horizontal visível no contorno deste órgão. aparecem como uma continuação dos funículos da medula espinhal. . A superfície do bulbo é percorrida por dois sulcos paralelos que se continuam na medula. Estes sulcos delimitam o que é anterior e posterior no bulbo. que corresponde à margem inferior da ponte. Vista pela superfície. sulco bulbo-pontino. A fissura mediana anterior termina cranialmente em uma depressão denominada forme cego.

as fibras deste trato cruzam obliquamente o plano mediano e constituem a decussação das pirâmides. Na parte caudal do bulbo. .De cada lado da fissura mediana anterior existe uma eminência denominada pirâmide. Este trato é chamado de trato piramidal ou trato córtico-espinhal. formada por um feixe compacto de fibras nervosas descendentes que ligam as áreas motoras do cérebro aos neurônios motores da medula.

.É devido à decussação (cruzamento em forma de X) das pirâmides que o hemisfério cerebral direito controla o lado esquerdo do corpo e o hemisfério cerebral esquerdo controla o lado direito. Por exemplo: em uma lesão encefálica à direita. o corpo será acometido em toda sua metade esquerda.

Entre os sulcos lateral anterior e lateral posterior temos a área lateral do bulbo. os filamentos reticulares do nervo hipoglosso. formada por uma grande quantidade de substância cinzenta. Ventralmente à oliva. emerge do sulco lateral anterior. a oliva. onde se observa uma eminência oval. .

Do sulco lateral posterior emergem os filamentos radiculares que se unem para formar os nervos glossofaríngeo e o vago além dos filamentos que constituem a raiz craniana ou bulbar do nervo acessório que une se com a raiz espinhal. .

.

Localizam-se também o centro vasomotor e o centro do vômito. muito importante para a regulação do ritmo respiratório.No bulbo localiza-se o centro respiratório. . A presença dos centros respiratórios e vasomotor no bulbo torna as lesões neste órgão particularmente perigosas.

. o bulbo é muitas vezes chamado de centro vital. O bulbo é também extremamente sensível a certas drogas. Pelo fato de essas estruturas serem fundamentais para o organismo. Uma dose excessiva de narcótico causa depressão do bulbo e morte porque a pessoa pára de respirar.Em razão de sua importância com relação às funções vitais. você pode compreender a seriedade de uma fratura na base do crânio. especialmente os narcóticos.

Assim temos a medula espinhal dentro dos ossos. mais precisamente dentro do canal vertebral.MEDULA ESPINHAL Medula significa miolo e indica o que está dentro. A medula espinhal é uma massa cilindróide de tecido nervoso situada dentro do canal vertebral sem entretanto ocupá-lo completamente. .

No homem adulto ela mede cerca de 45 cm sendo um pouco menor na mulher. Cranialmente a medula limita-se com o bulbo. o filamento terminal. O limite caudal da medula tem importância clínica e no adulto situa-se geralmente em L2. . que continua com um delgado filamento meníngeo. aproximadamente ao nível do forame magno do osso occipital. o cone medular. A medula termina afinando-se para formar um cone.

.

pois ela apresenta duas dilatações denominadas de intumescência cervical e lombar. . Seu calibre não é uniforme. Estas intumescências medulares correspondem às áreas em que fazem conexão com as grossas raízes nervosas:o plexo braquial e lombossacral.FORMA E ESTRUTURA DA MEDULA A medula apresenta forma aproximada de um cilíndro. que inervam os membros superiores e inferiores respectivamente. achatada no sentido antero-posterior.

.

portanto. de fibras nervosas que entram ou saem destas áreas.A formação destas intumescências se deve pela maior quantidade de neurônios e. . A intumescência cervical estende-se dos segmentos C4 até T1 da medula espinhal e a intumescência lombar (lombossacral) estende-se dos segmentos de T11 até L1 da medula espinhal.

A superfície da medula apresenta os seguintes sulcos longitudinais, que percorrem em toda a sua extensão: o sulco mediano posterior, fissura mediana anterior, sulco lateral anterior e o sulco lateral posterior. Na medula cervical existe ainda o sulco intermédio posterior que se situa entre o sulco mediano posterior e o sulco lateral posterior.

Na medula, a substância cinzenta localiza-se por dentro da branca e apresenta a forma de uma borboleta, ou de um "H". Nela distinguimos de cada lado, três colunas que são a anterior, posterior e lateral. A coluna lateral só aparece na medula torácica e parte da medula lombar. No centro da substância cinzenta localiza-se o canal central da medula. A substância branca é formada por fibras, que sobem e descem na medula e que podem ser agrupadas de cada lado em três funículos: anterior, lateral e posterior.

Existem 31 pares de nervos espinhais aos quais correspondem 31 segmentos medulares assim distribuídos: 8 cervicais 12 torácicos 5 lombares 5 sacrais 1 coccígeo .

.

.

Inervação das vísceras torácicas e abdominais. tórax e vísceras. Movimentação do globo ocular. percepções sensoriais da faringe. V-TRIGÊMEO mista VI-ABDUCENTE motora VII-FACIAL mista Controle dos músculos faciais – mímica facial. da laringe e da língua. Percepção gustativa . palato. Percepções sensoriais da orelha.Nervo craniano I-OLFATÓRIO II-ÓPTICO III-OCULOMOTOR IV-TROCLEAR sensitiva sensitiva motora motora Função Percepção do olfato. Percepções sensoriais da face. Controle da movimentação do globo ocular. faringe. Percepção gustativa . Controle motor da faringe. Controle da movimentação do globo ocular. Percepção auditiva. laringe e palato. Controle dos músculos da faringe. laringe. seios da face e dentes. Controle dos movimentos da mastigação. Percepção visual. IX-GLOSSOFARÍNGEO X-VAGO XI-ACESSÓRIO XII-HIPOGLOSSO mista mista motora motora . laringe. VIII-VESTÍBULO-COCLEAR sensitiva Percepção postural. dos músculos esternoclidomastóideo e trapézio. da pupila e do cristalino.

Com base na sua estrutura e função. . Já as ações involuntárias resultam da contração das musculaturas lisa e cardíaca. o sistema nervoso periférico pode dividir-se em duas partes: o sistema nervoso somático e o sistema nervoso autônomo ou de vida vegetativa. As ações voluntárias resultam da contração de músculos estriados esqueléticos. involuntário ou visceral.O conjunto de nervos cranianos e raquidianos forma o sistema nervoso periférico. que estão sob o controle do sistema nervoso periférico voluntário ou somático. controladas pelo sistema nervoso periférico autônomo.

Ele é constituído por fibras motoras que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos esqueléticos.O SNP Voluntário ou Somático tem por função reagir a estímulos provenientes do ambiente externo. O corpo celular de uma fibra motora do SNP voluntário fica localizado dentro do SNC e o axônio vai diretamente do encéfalo ou da medula até o órgão que inerva. .

O SNP Autônomo ou Visceral. excretor e endócrino. funciona independentemente de nossa vontade e tem por função regular o ambiente interno do corpo. controlando a atividade dos sistemas digestório. . Ele contém fibras nervosas que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos lisos das vísceras e à musculatura do coração. cardiovascular.

. onde o impulso nervoso é transmitido sinapticamente ao neurônio pós-ganglionar. O corpo celular do neurônio pré-ganglionar fica localizado dentro do SNC e seu axônio vai até um gânglio. um neurônio préganglionar e outro pós-ganglionar. O corpo celular do neurônio pós-ganglionar fica no interior do gânglio nervoso e seu axônio conduz o estímulo nervoso até o órgão efetuador.Um nervo motor do SNP autônomo difere de um nervo motor do SNP voluntário pelo fato de conter dois tipos de neurônios. que pode ser um músculo liso ou cardíaco.

O SN autônomo compõe-se de três partes: Dois ramos nervosos situados ao lado da coluna vertebral. estômago. total de 23 pares.formados por pequenas dilatações gânglios. . fazendo com que o sistema autônomo não seja totalmente independente do sistema nervoso cefalorraquidiano. o coração e os pulmões. Um conjunto de nervos que liga os gânglios nervosos aos diversos órgãos de nutrição. Um conjunto de nervos comunicantes que ligam os gânglios aos nervos raquidianos.

.

. Se o sistema simpático acelera o trabalho do estômago e dos intestinos. Um corrige os excessos do outro.O sistema nervoso autônomo divide-se em sistema nervoso simpático e sistema nervoso parassimpático. diminuindo o ritmo cardíaco. Por exemplo. se o sistema simpático acelera as batidas do coração. o sistema parassimpático entra em ação. o parassimpático entra em ação para diminuir as contrações desses órgãos. De modo geral. esses dois sistemas têm funções antagônicas.

. pelo aumento da pressão arterial. permitindo ao organismo responder a situações de estresse. Por exemplo. Já o SNP autônomo parassimpático estimula principalmente atividades relaxantes. estimula ações que mobilizam energia. entre outras. de modo geral. o sistema simpático é responsável pela aceleração dos batimentos cardíacos.O SNP autônomo simpático. da concentração de açúcar no sangue e pela ativação do metabolismo geral do corpo. como as reduções do ritmo cardíaco e da pressão arterial.

Os neurônios pós-ganglionares do sistema nervoso simpático secretam principalmente noradrenalina.Uma das principais diferenças entre os nervos simpáticos e parassimpáticos é que as fibras pósganglionares dos dois sistemas normalmente secretam diferentes hormônios. . O hormônio secretado pelos neurônios pósganglionares do sistema nervoso parassimpático é a acetilcolina.

Músculo e Pele Pulmões: brônquios Vasos sangüíneos Tubo digestivo: luz e Esfíncteres Fígado Rim Bexiga: corpo e Esfíncter Ato sexual masculino Glicose sangüínea Metabolismo basal Constrição. Dilatação e Constrição ou dilatação Dilatação Constrição moderada Nenhum Constrição Nenhum Diminuição do tônus e da Aumento do tônus e do peristalse e Aumento do tônus peristaltismo e Diminuição do tônus Liberação de glicose Diminuição da produção de urina Inibição e Excitação Ejaculação Aumento Aumento em até 50% Nenhum Nenhum Excitação e Inibição Ereção Nenhum Nenhum .Órgão Olho: pupila e Músculo ciliar Glândulas gastrointestinais Glândulas sudoríparas Coração: miocárdio e Coronárias Efeito da estimulação simpática Dilatada e Nenhum Vasoconstrição sudação Atividade aumentada e Vasodilatação Efeito da estimulação parassimpática Contraída e Excitado Estimulação de secreção Nenhum Diminuição da atividade e Constrição Vasos sanguíneos sistêmicos: Abdominal.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->