P. 1
Redes Parte 2 - Ondas, Informação e Sinal

Redes Parte 2 - Ondas, Informação e Sinal

|Views: 1.141|Likes:
Publicado portenentblueberry
Esta é a segunda de um conjunto de apresentações que fiz para a disciplina de Redes de Computadores, que lecionei na faculdade e na escola. Engloba a parte de ondas, sinal e informação. Fala sobre os teoremas de Nyquist, a Lei de Shannon, ruídos, interferências, ecos... Muita coisa! Espero que seja útil.
Esta é a segunda de um conjunto de apresentações que fiz para a disciplina de Redes de Computadores, que lecionei na faculdade e na escola. Engloba a parte de ondas, sinal e informação. Fala sobre os teoremas de Nyquist, a Lei de Shannon, ruídos, interferências, ecos... Muita coisa! Espero que seja útil.

More info:

Published by: tenentblueberry on Feb 28, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/13/2012

pdf

text

original

Fundamentos de Redes de Computadores

Ondas, informação e sinal
Prof. Ricardo J. Pinheiro

Resumo
Ondas O que são Tipos Elementos Sinal Analógico e digital Banda passante e largura de banda Geradores de distorção nos sinais Ruídos, atenuação e ecos Construção do sinal Taxa de transferência Conversão do sinal
Ricardo Pinheiro 2

O que são ondas?
Uma perturbação oscilante de alguma grandeza física no espaço e periódica no tempo. Propaga-se através de um meio físico
Ar, fios de cobre, tubos de vidro, vácuo, etc.

Não transfere matéria, mas energia.

Propagação da onda
Ricardo Pinheiro

Gráfico de uma onda
3

Tipos de ondas
Mecânica
Gerada por uma perturbação mecânica.

Eletromagnética.
Gerada por uma perturbação eletromagnética.

Tipos de ondas

Dente-de-serra

Triangular
Ricardo Pinheiro

Quadrada
4

Elementos da onda
Picos
Pontos mais altos.

Vales
Pontos mais baixos.

Ciclo de onda
Distância entre dois vales ou dois picos.

Amplitude
Nível máximo (positivo ou negativo) alcançado pelo ciclo.

Freqüência
Quantos ciclos ocorrem por unidade de tempo. Medida padrão: Ciclos/segundo, ou Hertz (Hz).
Ricardo Pinheiro 5

Elementos da onda
Período
Tempo gasto para ocorrer um ciclo.

Relação:
f = freqüência; T = período.

Comprimento de onda:
c = velocidade da onda (eletromagnética = 300.000 km/s; sonora = 1235 km/h) ; f = freqüência.

Fase:
Deslocamento do ciclo de onda.
Ricardo Pinheiro 6

Espectro eletromagnético
pm nm µ m mm m km

PHz

THz

GHz

MHz

kHz

Ricardo Pinheiro

7

Sinal
Definição
Seqüência de estados em um sistema de informação que codifica uma mensagem. Materialização da informação, na forma de impulsos eletromagnéticos.

Taxonomia de sinais
Tempo discreto – seqüências de valores definidos em instantes de tempo periódicos. Tempo contínuo – estado definido em qualquer instante de tempo. Digitais – só podem assumir valores discretos, enumeráveis, normalmente de um conjunto limitado de valores possíveis. Analógicos – podem assumir qualquer valor real.
Ricardo Pinheiro 8

Sinais analógico e digital
Analógico
Variação contínua de amplitude.

Digital
Variação discreta de amplitude.

Qualquer informação pode ser codificada e transmitida por um sinal analógico ou digital.
Ricardo Pinheiro 9

Banda passante e largura de banda
Banda passante
Intervalo de freqüências positivas que compõem o sinal.

Largura de banda
Diferença da maior para a menor freqüência da banda do sinal – tamanho da banda passante.

Ricardo Pinheiro

10

Geradores de distorção nos sinais
Causam distorções no sinal durante a transmissão. Interferências e ruídos
Quantidade medida pela equação S = sinal; N = ruído. Unidade mais aceita é o decibel: P=potência ; P0 = potência de referência.
Escala logarítmica Se P/P0 = 10, então PdB=10 dB. Se P/P0 = 100, então PdB=20 dB. Se P/P0 = 1000, então PdB=30 dB.

Ricardo Pinheiro

11

Geradores de distorção nos sinais
Tipos de ruídos
Ruído térmico (ou branco)
Provocado pela agitação dos elétrons no meio. Presente em todos os dispositivos eletrônicos.

Ruído de intermodulação
Sobreposição de freqüências no mesmo canal. Sinais com potência muito alta ou defeito.

Crosstalk
Condutores próximos que induzem sinais entre si.

Ruído impulsivo.
Não contínuo. Pulsos irregulares e com grandes amplitudes. Muito danoso em transmissões digitais.

Ricardo Pinheiro

12

Geradores de distorção nos sinais
Atenuação
Potência cai com a distância. Perda de energia por calor e por radiação. Queda logarítmica - decibéis/unidade de comprimento. Uso de repetidores para regenerar o sinal, desde que a atenuação não ultrapasse um máximo.

Eco
Efeitos parecidos aos gerados pelo ruído. Mudança de impedância gera reflexões de sinal. Uso de terminadores e transceptores de alta impedância para absorver os sinais e evitar a reflexão.

Ricardo Pinheiro

13

Construção do sinal
Todo sinal periódico pode ser escrito como uma soma de senos e cossenos de diversas freqüências (Fourier, século XIX)

Série de Fourier. Cada componente é um harmônico do sinal.
Ricardo Pinheiro 14

Construção do sinal
Conversão do sinal analógico

↔digital

Quanto maior a banda passante, mais harmônicos podem ser passados através do meio. Quanto mais harmônicos, o sinal recebido estará mais próximo do sinal original.

Ricardo Pinheiro

15

Taxa de transferência
Taxas de transmissão
Bps: bits por segundo. Bauds: número de intervalos de sinalização por segundo.

Teorema de Nyquist
Capacidade máxima de um canal sem ruído algum, dada a sua banda passante.

Lei de Shannon
Capacidade máxima de um canal com ruído térmico, dada a sua banda passante.
C = capacidade; W = largura de banda; S = pot. do sinal; N = pot. do ruído; L = no. de níveis usado na codificação.

Ricardo Pinheiro

16

Conversão de sinal

Ricardo Pinheiro

17

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->