P. 1
Cistos Da Boca de Interesse...

Cistos Da Boca de Interesse...

5.0

|Views: 10.506|Likes:
Publicado porOdontoUniCastelo

More info:

Published by: OdontoUniCastelo on Mar 07, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/18/2013

pdf

text

original

Cistos da Boca- Uma Abordagem Histo-clínicoPatológica Prof.

Attilio Lopes de Interesse do CirurgiãoDentista Um Estudo Sucinto dos Cistos de Retenção
(mucoceles), rânulas, Cistos Intra-Òsseos, Cistos Cistos de Tecidos Moles , Cistos Periodontais, Cistos Erupcionais e Outros, que podem ser encontrados nos lábios e na cavidade própria da boca, de interesse da Odontologia.

A Vida Própria do Cisto
Um cisto tem vida própria: típicamente, ele se desenvolve por expansão, lentamente, assintomático. Uma vez iniciado o processo Cistos de desenvolvimento, ele se expande por osmose, isto é, o conteúdo do interior do cisto é hipertônico em relação ao líquido tissular circundante. A expansão do cisto comumente cessa quando houver um equilíbrio osmótico entre o

Vemos acima um cisto periodontal em que, por sorte, os limites da lesão foram preservados durante a

Uma Classificação Concisa dos Principais Cistos Cisto de retenção de do Complexo Maxilo-Mandibular Glândulas Salivares Mucocele Rânula Cistos Cistos Odontogênicos Cisto Radicular (Periapical) Cisto Dentígero Vemos aqui um Ciosto de Erupção preparado Cisto Periodontal Lateral descalcificado de um “cisto Cisto Gengival do Recém- dentígero”, isto é, nascido formado por um dente não Queratocisto Odontogênico Continua erupcionado. Cisto Odontogênico

Continuação da Classificação Simplificada Cistos Não Odontogêncios dos Cisto “Glóbulo-Maxilar” Cisto Naso-Labial Cistos da Cisto Mandibular Mediano Boca Cisto do Canal Naso-Palatino
Pseudocistos Cistos Cisto Osseo-Aneurismático Cisto Òsseo-Aneurismático Simples Cisto Òsseo-Estático Defeito Òsteo-Periosteo Focal na Medula òssea Cistos de Tecidos Moles do Pescoço Vemos acima um Cisto Branquial pequeno cisto Cisto Dermóide linfoepitelial na mucosa
do ventre da língua de um homem de 63 anos.

O tratamento dos cistos cirúrgico
Tres tipos diferentes de revestimentos epiteliais internos de cistos. Todos resolvidos com cirurgias.

é sempre

Cistos

Cistos de Retenção do Fluxo Salivar “A Mucocele é o nome genérico Mucocele” que se dá à retenção pós
traumática do fluxo de saliva de uma ou de numerosas glândulas salivares. Cistos Comumente após uma mordida acidental ou em conseqüencia do espessamento da saliva pelo aumento da mucina em sua composição. Acomete qualquer glândula salivar em qualquer parte da cavidade própria da boca e o

Mucocele s A mucocele aparece

mais freqüentemente no lábio inferior, mas pode aparecer nas mucosas palatina, na bochecha e onde quer que hajam glândulas salivares acessórias menores, exceto quando se encontram no soalho da boca, como veremos a

Cistos

A “Rânula” ou Cisto de Retenção do Soalho da Boca Recebe o nome

de “Ranula” o cisto de retenção localizado no soalho da boca, em alusão ao coachar das râs, que imitam a o modo de falar das pessoas portadoras desses distúrbio.

Cistos

Cirurgia de Marsupialização de Cisto (Rânula)

Cistos

Rânula é o nome particularmente dado aos cistos de retenção de saliva localizados no soalho da boca (obstrução mecânica do ducto submandibular).

Cistos Odontogênicos
Os cistos odontogênicos compreendem uma razoável gama de lesões císticas de origem no órgão dental. Os mais comuns são: o cisto radicular ou periapical, o cisto dentígero ou cisto de erupção, o cisto periodontal lateral, o cisto gengival do recém nascido, o queratocisto Cistos odontogênico e o cisto odontogênico calcificante Abaixo: Cistos radiculares (periapicais) (COC).

Os Cistos Radiculares (ou Periapicais) Os cistos radiculares (porque se referem às
raizes) são, de longe, os mais comuns na região oral e perioral. Têm sido designados também como cistos periodontais apicais ou simplesmente cistos periapicais. Surgem a partir de um granuloma periaipical e a lesão Cistos obtém seu revestimento epitelial por meio da proliferação de pequenos fragmentos do epitélio odontogênico (restos epiteliais de Malassez).

O Cisto
É também conhecido como “cisto folicular” e é o segundo tipo mais comum de cisto odontogênico. Por definição, um cisto dentígero deverá estar associado com a coroa de um dente não irrompido ou em desenvolvimento, uma vez que o termo “dentígero” significa “formado ou contendo dentes”. O cisto abarcando a coroa do dente não erupcionado está Cistos também aderido ao dente, através da região cervical, o que ajuda a diferenciar este cisto do cisto primordial.

Dentígero

Cisto Periodontal
Pode ser definido como um cisto de desenvolvimento não inflamatório, não queratinizado, ocorrendo adjacente ou lateralmente à raiz de um dente. A maioria dos cistos periodontais laterais e cistos Cistos gengivais do adulto ocorre na região de prémolares e caninos mandibulares, com uns poucos casos nas áreas dos incisivos.

Lateral

Cisto Gengival Pré Erupcional da Infância
Também chamado cisto eruptivo é um tipo de cisto folicular e envolve os tecidos moles por cima de um dente em erupção. Raramente são vistos e é mais freqüente envolverem os dentes decíduos e molares permanentes das crianças. O cisto se manifesta como um inchaço azulado, liso e indolor em redor da coroa envolvida. Cistos Os achados na fase pré-eruptiva, em geral transitórios, desaparecem coma mudança da dentição. Somente em casos extraordinários se requer uma intervenção cirúrgica.

Cistos Não Odontogênicos: Cisto Glóbulo-Maxilar Outrora este tipo de cisto foi considerado um cisto fissural, com a teoria ligada è inclusão epitelial em uma linha embrionária deCistos fechamento e posterior degeneração cística.

Evidências mais recentes revelam, entretanto, que a derivação deste tipo de cisto é provávelmente do epitélio odontogênico localizado

Cisto GlóbuloMaxilar

Cistos entre os incisivos e o canino

maxilares. Segundo Cawson, pesquisas mais recentes ainda têm indicado que a maior parte deles, possivelmente, se origine de cistos periodontais. O tratamento é cirúrgico, com a interrupção da pressão osmótica

Cisto NasoLabial
Tem sido imprecisamente denominado “cisto naso-alveolar”. Mais precisamente representa um cisto de tecido mole sem Cistos envolvimento do alvéolo, de onde a preferência pela designação de cisto naso-labial. O tratamento é cirúrgico e, em casos sem complicações, este procedimento tem pouca morbidade associada a ele. Raramente recidiva.

Cisto NasoLabial

Em cima: cisto naso-labial em uma mulher de 45 anos. O Cistos crescimento se nota perto da união da asadireita do nariz e da maxila. Em baixo, um cisto naso-labial com a parede colapsada.

Cisto do Canal NasoÉ também conhecido como “cisto do canal incisivo”, e pode estar localizado no canal naso-palatino, preferencialmente a uma degeneração cística de restos epiteliais na linha de fusão das prateleiras palatinas. Cistos

Palatino

Cisto ÓsseoAneurismático
É classificado como um “pseudocisto” porque aparece radiograficamente como uma lesão cistóide, porém microscopicamente Cistos não existe nenhum revestimento epitelial. Representa, antes, uma lesão benigna do osso que pode surgir na maxila, mandíbula ou em outras partes ósseas do corpo. Felizmente a incidência é muito pequena (cerca de 4% de todas as lesões òsseas), segundo informa Pindborg

Cisto Dermóide
È um termo bastante impreciso que se refere a lesões císticas atribuídas ao desenvolvimento. Pode ocorrer em muitas áreas
Cistos do corpo e, quando se manifesta

na cavidade própria da boca, aparecem geralmente na parte anterior do soalho, em um dos lados da linha mediana. A incidência desse tipo de cisto na cabeça é muito pequena, respondendo a cerca de 2% de

Cisto Dermóide
Em cima: preparo histológico de uma peça de cisto dermóide: no meio: Cistos cisto dermóide na língua e em baixo, peça cirúrgica da lesão vista em cima, na língua.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->