P. 1
Papel Das células Gliais Na Memorização e AprendizagemOK

Papel Das células Gliais Na Memorização e AprendizagemOK

4.5

|Views: 1.417|Likes:
Publicado porjullyfb

More info:

Published by: jullyfb on Mar 09, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/03/2012

pdf

text

original

O papel das células gliais no processo de memorização e aprendizado

Aprendizagem: mudança relativamente Aprendizagem duradoura de comportamento resultante da experiência. Memória: é a aquisição, a formação, a Memória conservação e a evocação das informações, permitindo que os organismos se beneficiem da experiência.

Ambas se referem a mudanças duradouras depois da exposição ao ambiente. Teóricos da aprendizagem = aquisição do comportamento. Teóricos da memória = retenção e recuperação.

Como a aprendizagem ocorre no nível neuronal?

Células que descarregam juntas formam rede neural juntas

A potenciação a longo prazo é uma candidata à base celular da aprendizagem

Os três estágios do Modelo Modal

Que processos cerebrais estão envolvidos na memória?

A região CA1 do hipocampo é o principal protagonista da formação de memórias.
Google imagens

Google imagens

UNICAMP imagens.

Google imagens

Os lobos frontais estão envolvidos em muitos aspectos da memória

A ciência esqueceu metade do cérebro?

...3: a ativação dos receptores pré-sinápticos do glutamato regulam a liberação de neurotransmissores
UNIVERSITÀ DI PISA. <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

1: São ativados os receptores gliais ...2: ocorre um aumento dos níveis de Ca2+ e uma liberação de glutamato pela glia

...4: enquanto a ativação dos receptores póssinápticos despolariza diretamente os neurônios

...8: consegue uma modulação das sinapses ...7: e a liberação de ATP

...6: a ativação da glia pode também provocar uma concentração de Ca2+ intracelular que se propaga entre as células gliais...

UNIVERSITÀ DI PISA. <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

...5: a estimulação da glia estimula também a liberação de ATP que inibe os neurônios póssinápticos...

Feedback dos astrócitos aos neurônios
O glutamato liberado pelo astrócito age sobre o neurônio e sinapse

Universita di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

O glutamato liberado na sinapse provoca um aumento de Ca 2+ no Astrócito

O aumento de Ca 2+ pode liberar glutamato por exocitose

A propagação de ondas de Ca2+ dentro da célula representam um possível mecanismo bioquímico através do qual um grupo de astrócitos podem comunicar com outro grupo e coordenar uma resposta multicelular à um evento local
Universita di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

A figura mostra a possibilidade de uma comunicação entre astrócitos muito distantes baseado em ondas de Ca2+ intercelulares

Universita di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

Comunicações entre astrócitos ajudam a ativar neurônios distantes = Liberação de neurotransmissores em sinapses distantes

Google imagens

Google imagens

Os astrócitos ativam neurônios distantes para ajudar a formar lembranças
UNICAMP imagens

Università di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

Scientific American imagens

EVIDÊNCIAS ANATÔMICAS DA SINÁPSE “TRÊS PARTES” Astrócito sináptico
UNIVERSITÀ DI PISA. <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

FIELDS and STEVENS, Science, 2002

Universita di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

SA NG UE SU GA VE RM ES SA PO

Universita di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

Scientific American imagens

Acredita-se que alterações como essas na intensidade sináptica sejam o principal mecanismo que faz o sistema nervoso modificar sua reação de acordo com a experiência – PLASTICIDADE – as células gliais podem ter ação significativa na base celular da aprendizagem

Universita di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

Universita di Pisa, <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

Mente e C

O aprendizado de uma habilidade complexa produz claras alterações na substância branca: Revelaram que a mielina pode se alterar em resposta à experiência mental e ao ambiente desenvolvido

érebro ( 2

004)

Scientific American (20008))

Scientific American (2008)

A experiência influencia a formação da mielina e a mielina resultante facilita a capacidade de aprendizagem e de aprimoramento

UNIVERSITÀ DI PISA. <http://www.piaggio.ccii.unipi.it>

A memória e a aprendizagem se dão quando determinados circuitos neuronais se conectam de forma mais vigorosa. É quase certo que a mielina influencia esse vigor, ao ajustar a velocidade de condução os impulsos elétricos que chegam ao mesmo neurônio, ao mesmo tempo, vindos de múltiplos axônios de diferentes distâncias.

UNICAMP imagens

UNICAMP imagens

UNICAM P

imagens

UNICAMP ima

gens

UNICAMP imag

ens

Astrócitos demonstrados por impregnação metálica (técnica do sublimado-ouro de Cajal). Fonte:<http://anatpat.unicamp.br/> . Banco de imagens UNICAMP

Atrás de um grande neurônio, existe sempre uma grande célula glial.

Porque Einstein foi um gênio?

REFERÊNCIAS
BEAR, M; CONNORS, B; PARADISO,M. Neurociências: desvendando o sistema nervoso. Ed. 2. Artmed. Porto Alegre: 2006. BRANDÃO, Antonio Celso da Costa. Diálogo entre neurônios é maior do que se pensava. Disponível em: < http://comvisa.anvisa.gov.br/tiki-read_article>. Acesso em: 02 mar. 2008. CARDOSO, Silvia Helena. Porque Einstein foi um gênio? Disponível em:<http://www.cerebromente.org.br>. Acesso em: 01 mar. 2008. CARTER, Rita. O livro de ouro da mente: funcionamento e os mistérios do cérebro humano. Ediouro: Rio de Janeiro, 2003. DERMIETZEL, Rolf. Sinapses elétricas. Revista Mente e Cérebro. São Paulo, n.159, p.85-88, abr. 2006. HOUZEL, Suzana Herculano. O Cérebro Nosso de Cada Dia: descobertas da neurociência sobre a vida cotidiana. 8.ed. Vieira & Lent Casa Editorial, Rio de Janeiro, 2002.

REFERÊNCIAS
IZQUIERDO, Ivan. Memória. Porto Alegra: Artmed, 2002. RIBEIRO, Sidarta. Sobre golfinhos e asnos. Revista Mente e Cérebro. São Paulo, n.165, out. 2006. ROSE, Steven. O cérebro do século XXI: como entender, manipular e desenvolver a mente. São Paulo: Globo, 2006. LAROCHE, Serge. Marcas da identidade. Revista Mente e Cérebro: Especial Memória. São Paulo, n.2, p.37-43, 2006. FIELDS, Douglas. A estratégica substância branca. Scientific American Brasil. São Paulo, n.71, p.48-55, abr. 2008. _________. A outra metade do cérebro. Scientific American Brasil. São Paulo, v.2, n.24, p.47-53, mai, 2004. _________. Eles estavam certos. Revista Mente e Cérebro. São Paulo, n.164, p.80-86, set, 2006.

REFERÊNCIAS
LENT, Roberto. Neurônios inteligentes gliócitos também. Disponível em:<http://cienciahoje.uol.com.br>. Acesso em: 01 mar. 2008. PIOGGIA, Giovanni. Modelli Neuro-Gliali-Università di Pisa. Disponível em: <http://www. .piaggio.ccii.unipi.it/bio/corsi/modelli>. Acesso em: 15 mar. 2008. POTIER, Brigitte. Arquivo cerebral. Revista Mente e Cérebro-Especial Memória.n. 2, 2006. p.14-21.

ALUNAS:
Jully Fortunato Buendgens Mariana Mannes Psicologia 2° ano - 2008

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->