Você está na página 1de 9

Resumo anatomia topográfica,extras e músculos para a PROVA 1!!

  • 1. TRIGONO DA AUSCULTA: Limitado medialmente pela borda infero-lateral do mm trapézio, lateralmente pela margem medial da escápula, base(inferiormente) o mm grande dorsal(latíssimo do dorso) e assoalho pelo romboide maior

  • 2. TRIGONO CLAVIPEITORAL: Limitado lateralmente pelo mm deltóide, medialmente pelo mm peitoral maior e na base pela clavícula.

  • 3. SULCO DELTOPEITORAL: É um sulco por onde passa o ramo deltóide da artéria toracoacromial e a veia cefálica, continuação do trígono clavipeitoral, limitado medialmente pelo mm peitoral maior e lateralmente pelo mm deltóide.

  • 4. PAREDE ANTERIOR DA AXILA: Formada pelos mm peitoral maior ,peitoral menor e pela fáscias peitoral e clavipeitoral associadas a eles.

  • 5. PREGA AXILAR ANTERIOR: Formada pelo músculo peitoral maior e tegumento sobrejacente.

  • 6. PAREDE POSTERIOR DA AXILA: Formada pela escápula com o mm subescapular, mm redondo maior e mm grande dorsal.

  • 7. PREGA AXILAR POSTERIOR: Formada pelo mm redondo maior, mm grande dorsal e tegumento subjacente.

  • 8. PAREDE MEDIAL DA AXILA: Formada pela parede torácica (1ª a 4ª costela e mm intercostais) e pelo músculo serrátil anterior.

  • 9. PAREDE LATERAL DA AXILA: Formada pelo sulco intertubercular e músculo coraco braquial.

10. ÁPICE DA AXILA: Situa-se entre a 1ª costela, margem superior do mm subescapular e a

clavícula

...

serve como entrada a partir do pescoço para a axila através do canal cérvico-axilar

aí presente.

11. BASE DA AXILA: Formada pela pele, tecido subcutaneo e pela fáscia axilar que se estende do braço à parede torácica.

12. SULCO BICEPTAL LATERAL: Formado pelas duas cabeças do mm bíceps braquial, a nível tegumentar(com ou sem tegumento).

13. SULCO BICEPTAL MEDIAL: Formado pelos mm bíceps braquial, braquial e coracobraquial ao nível tegumentar.

14. CANAL BRAQUIAL: Formado pelos mm bíceps braquial, coraco braquial e braquial, mais profundamente ao sulco biceptal medial.

  • 15. FOSSA CUBITAL(ULNAR): A base é formada por uma linha imaginária que une os epicondilos lateral e medial. Medialmente é limitada pelo mm pronador redondo e lateralmente pelo mm braquiradial. O assoalho é formado pelo mmbraquial e mm biceps braquial, nervo mediano e radial e a parte final da arteria braquial(alguns altores também colocar o supinador). O teto pelo tecido subcutãneo da pele aponeurose do mm bíceps braquial.

  • 16. TÚNEL ULNAR PROXIMAL: Formado pelo ligamento colateral ulnar(porção posterior) e mm flexor ulnar do carpo. O nervo ulnar passa por esse túnel.

  • 17. CANAL DE GUYON(TÚNEL ULNAR DISTAL): Formado pelo pisiforme, hamulo do hamato, ligamento piso-hamato e as divisões do retináculo dos flexores.

  • 18. FOSSA DO PULSO RADIAL: Limitada medialmente pelo tendão do mm flexor radial do carpo, lateralmente pelo mm braquioradial, no assoalho pelo tendão do mm flexor longo do polegas. Passa por essa fossa a vasculatura radial.

  • 19. FOSSA DO PULSO ULNAR: Limitada lateralmente pelo mm flexor superficial dos dedos(para o 4º e 5º dedos), medialmente pelo mm flexor ulnar do carpo e na base pelo pronador quadrado.

  • 20. TABAQUEIRA ANATÔMICA: Limitada lateralmente pelos mm abdutor longo do polegar e mm extensor curto do polegal, medialmente pelo extendor longo do polegar, no assoalho pelos ossos trapézio e escafóide e passa por aí a arteria radial.

  • 21. ESPAÇO TRIANGULAR: Limitado superiormente pelo mm redondo menor, inferiormente pelo mm redondo maior e lateralmente pela cabeça longa do mm tríceps do braço. Passa por esse espaço a artéria circunflexa da escápula.

  • 22. ESPAÇO TRIANGULAR: Limitada superiormente pelo mm redondo menor, inferiormente pelo redondo maior, medialmente pela cabeça longa do tríceps do braço e lateralmente pelo úmero. Passa por esse espaço a artéria circunflexa posterior do úmero e o nervo axilar.

  • 23. TÚNEL DO CARPO: Formado medialmente pelos ossos pisiforme e hamulo do hamato, lateralmente pelo tubérculo do escafóide e tubérculo do trapézio e no teto pelo retinculo dos flexores.

Extra

Acho que mesmo não caindo origem nem inserção nessa prova, ajuda bastante para se deduzir

ações dos músculos e até limitar algumas topografias ... estudar essa parte, a parte de origem
ações dos músculos e até limitar algumas topografias
...
estudar essa parte, a parte de origem e inserção dos intrínsecos da mão esá incompleta
isso fiz um scan do Moore na parte de mão e deixo a seguir:
entretanto, pra quem usa o Netter para
...
por

Síndromes e Lesões

Síndrome do Canal de Guyon: Consiste na compressão do nervo ulnar , podendo levar à sintomas sensitivos, motores ou à combinação de ambos, dependendo da sede da lesão. A sensação de dor, dormência no 4º e 5º dedos e por vezes, de choque nos locais inervados pelo nervo ulnar, são as causas que fazem com que os pacientes procurem os especialistas, na tentativa de obter alívio destas sensações.

Paralisia de ciclista: A pessoa que anda longas distancia de bicicleta com as mãos extendidas e apoiadas no guidon, coloca pressão sobre o hamulo do hamato, comprimindo o nervo ulnar. Isso resulta na perda sensitiva do lado medial da mão e no enfraquecimento de seus músculos intrínsecos.

Síndrome do Túnel do Carpo: ...

Resumo dos músculos por região:

REGIÃO PEITORAL:

Peitoral maior origem: nasce da superfície anterior da metade medial da clavícula, da superfície anterior do esterno inserção: tendão bilaminar liga-se à crista do tubérculo maior do úmero inervação e ação: suprido pelos nervos peitorais medial e lateral (fascículo lateral). Ele aduz o braço e roda o braço medialmente.

Peitoral menor (atrás do peitoral maior e em frente à segunda parte da artéria axilar) origem: nasce das superfícies externas da segunda à quinta costela. inserção: processo coracóide. inervação e ação: suprido pelo nervos peitorais medial e lateral(inconstante) (fascículo lateral). Abaixa a extremidade do ombro.

Subclávio

origem: nasce por um tendão na primeira costela inserção: por meio de fibras musculares no sulco da superfície inferior da clavícula inervação e ação: nervo para o subclávio que vem do tronco superior. Abaixamento lateral da clavícula.

Serrátil anterior (forma a parede medial da axila) origem: nasce por uma série de fitas da superfície externa das oito costelas superiores. inserção: superfície costal da escápula no ângulo superior, ao longo da borda medial e no ângulo inferior. inervação e ação: suprido pelo nervo torácico longo (C 5 +C 6 +C 7 ). Roda a escápula, abdução do braço.

REGIÃO SUPERFICIAL DO DORSO:

Trapézio (grande, triangular e está na superfície do dorso do pescoço) origem: nasce dos processos espinhosos de C7 a T12 , linha nucal superior. inserção: terço lateral da clavícula, parte média do acrômio e crista da espinha da escápula. inervação e ação: nervo acessório e ramos do plexo cervical. Elevam o ombro.

Grande dorsal (grande, triangular) origem: nasce dos processos espinhosos de T8 a L5 e crista ilíaca. inserção: sulco intertubercular do úmero inervação e ação: nervo toracodorsal (fascículo posterior). Poderoso adutor e extensor do braço.

Levantador da escápula origem: processos tranversos de C1 a C4 inserção: borda medial da escápula inervação e ação: ramos de C3 e C4. Elevam a escápula

OBS: o nervo acessório ( 11º crânico ) passa por cima do músculo, mas NÃO o inerva.

Rombóide Menor e Maior origem: processo espinhosos de C7 a T1 (m) e T2 a T5 (M) inserção: borda medial da escápula inervação e ação: nervo dorsal da escápula. Fixam a escápula, rotação medial, e elevação.

REGIÃO DO OMBRO:

Deltóide

(músculo espesso de textura grosseira; origem abraça a inserção do trapézio) origem: origina-se da superfície superior do terço lateral da clavícula, da margem lateral e superfície superior adjacente do acrômio, e do lábio inferior da crista da espinha. inserção: tuberosidade deltóidea do úmero inervação e ação: suprido pelo nervo axilar. Abdutor do braço, estende e roda lateralmente o braço, flexiona e roda medialmente o braço.

Supra espinhal origem: nasce dos 2/3 mediais da fossa supra-espinhal. inserção: tendão associada à capsula da juntura do ombro e superiormente se fixa à mais alta das três facetas do tubérculo maior do úmero; o tendão forma o assoalho da bolsa subdeltóidea. inervação e ação: suprido pelo nervo supra-escapular (tronco superior). Abdução do braço

Infra espinhal origem: nasce dos 2/3 mediais da fossa infra-espinhal e da superfície inferior da espinha da escápula. inserção: seu tendão é associado à capsula da juntura do ombro e se insere na faceta média do tubérculo maior do úmero. inervação e ação: suprido pelo nervo supra-escapular (tronco superior). Roda o braço lateralmente.

Redondo menor

origem: nasce da margem lateral da fossa infra-espinhal. inserção: seu tendão adere inicialmente à capsula da juntura do ombro e a seguir vai fixar-se na faceta inferior do tubérculo maior do úmero.

inervação e ação: nervo axilar. Roda o braço lateralmente.

Redondo maior

origem: nasce da superfície dorsal da escápula, próximo ao ângulo inferior. inserção: crista do tubérculo menor, abaixo da inserção do subescapular. inervação e ação: nervo subescapular inferior (fascículo posterior) e nervo toracodorsal. Adução do braço.

Subescapular

origem: nasce em quase toda fossa subescapular. inserção: tendão passa na frente da cápsula da juntura do ombro e se fixa no tubérculo menor do úmero.

inervação e ação: nervos subescapulares inferior e superior do fascículo posterior. Rotação medial do braço.

REGIÃO ANTERIOR DO BRAÇO

Bíceps braquial origem: porção curta ou medial origina-se junto com coracobraquial do processo coracóide; porção longa ou lateral do tubérculo supra-glenoidal e do lábio glenoidal da escápula.

inserção: os ventres se unem em um tendão que se insere na tuberosidade do rádio; parte do tendão é continuada por meio de uma expansão, a aponeurose bicipital, na fáscia do antebraço e daí para a ulna. inervação e ação: nervo musculocutâneo. Flexão do antebraço sobre o braço, auxilia a abdução do braço e supinação do antebraço.

Braquial origem: 2/3 distais das faces ântero-lateral e ântero-medial do úmero (inclui a inserção do deltóide) inserção: processo coronóide e tuberosidade da ulna. inervação e ação: nervo musculocutâneo. Flexão do antebraço sobre o braço.

Coracobraquial origem: processo coracóide inserção: 1/3 médio da borda medial do úmero inervação e ação: n. musculocutâneo. Flexão e adução do braço.

OBS: o nervo musculocutâneo perfura o músculo coracobraquial.

PORÇÃO POSTERIOR DO BRAÇO

Tríceps braquial origem: porção longa origina-se do tubérculo infra-glenoidal da escápula, ao descer separa o espaço triangular do quadrangular; porção lateral da face posterior do úmero acima do sulco do nervo radial; porção medial da face posterior do úmero abaixo do sulco do nervo radial. inserção: o tendão dos 3 ventre se insere no olécrano da ulna, onde é chamado aponeurose tricipital. inervação e ação: ramos do nervo radial. Extensão do antebraço.

Anconeo origem: dorso do EL do úmero inserção: face lateral do olécrano inervação e ação: n. radial. Extensão do antebraço e participa da pronação.

REGIÃO ANTERIOR SUPERFICIAL DO ANTEBRAÇO( 4 MÚSCULOS )

Pronador redondo

origem: EM do úmero, processo coronóide da ulna inserção: 1/3 médio da face lateral do rádio (área rugosa) inervação e ação: nervo mediano que passa entre as suas duas porções. Pronador e flexor do antebraço.

Flexor radial do carpo origem: EM do úmero inserção: face anterior das bases do segundo e terceiro metacárpicos inervação e ação: nervo mediano. Flexão da mão e auxilia abdução da mão.

Palmar longo

origem: EM do úmero inserção: face anterior do retináculo dos flexores e no ápice da aponeurose palmar. inervação e ação: nervo mediano. Manter tensa a aponeurose palmar nos movimentos da mão, particularmente do polegar.

Flexor ulnar do carpo

origem: EM do úmero, olécrano e borda posterior do corpo da ulna inserção: pisiforme e se estende ao hâmulo do hamato e ao quinto metacárpico inervação e ação: nervo ulnar que passa entre as duas porções do músculo. Flexor da mão e adução da mão.

REGIÃO ANTERIOR MEDIA DO ANTEBRAÇO( 1 MÚSCULOS)

Flexor superficial dos dedos origem: EM do úmero, parte superior da borda anterior do rádio (as duas porções se unem e passam sobre o nervo mediano e a artéria ulnar) inserção: superfície anterior das falanges médias dos quatro dedos mediais inervação e ação: nervo mediano. Flexão da falange medial sobre a proximal

REGIÃO ANTERIOR PROFUNDA DO ANTEBRAÇO ( 3 MÚSCULOS )

Flexor profundo dos dedos origem: superfície anterior da ulna, borda posterior da ulna e processo coronóide inserção: face anterior da base da falange distal dos quatro dedos mediais inervação e ação: parte lateral do músculo - n. interósseo anterior (mediano); parte medial do músculo - n. ulnar. Flexão das falanges distais sobre as mediais.

OBS: Este músculo dá origem aos músculos lumbricais na mão.

Flexor longo do polegar origem: origina-se na maior parte da superfície anterior do rádio e da porção adjacente da membrana interóssea; pode apresentar origem no EM do úmero inserção: face anterior da base da falange distal do polegar inervação e ação: nervo interósseo anterior. Flexão da falange distal do polegar.

Pronador quadrado origem: superfície anterior da parte distal da ulna inserção: superfície anterior da parte distal do rádio inervação e ação: nervo interósseo anterior. Pronador do antebraço.

REGIÃO POSTERIOR SUPERFICIAL DO ANTEBRAÇO( 6 MÚSCULOS )

Braquiorradial origem: parte superior da crista supracondilar lateral do úmero inserção: face lateral do rádio, acima do processo estilóide inervação e ação: nervo radial. Flexor do antebraço

Extensor radial longo do carpo origem: parte inferior da crista supracondilar lateral do úmero inserção: face posterior da base do segundo metacárpico (profundamente pelo retináculo dos extensores) inervação e ação: nervo radial. Abdução e extensão da mão

Extensor radial curto do carpo origem: EL do úmero inserção: face posterior da base do segundo e terceiro metacárpicos (profundamente pelo retináculo dos extensores) inervação e ação: nervo radial ou pelo ramo profundo. Abdução e extensão da mão

Extensor dos dedos origem: EL do úmero inserção: falanges dos dedos (expansão extensora ou aponeurose dorsal). Dividida em 4 tendões que passam profundamente pelo retináculo dos extensores: o tendão do segundo e terceiro dedos encontram-se unidos, o tendão do quarto dedo emite uma expansão para o terceiro, e o tendão do quinto dedo divide-se em dois. inervação e ação: ramo profundo n. radial. Extensão dos dedos

Extensor do dedo mínimo origem: EL do úmero inserção: tendão que passa abaixo do retináculo dos extensores e se insere na aponeurose extensora do dedo mínimo. inervação e ação: ramo profundo n. radial. Extensão da falange proximal do dedo mínimo.

Extensor ulnar do carpo origem: EL do úmero, na aponeurose que se insere na linha oblíqua da ulna e borda posterior da ulna. inserção: tubérculo medial da base do quinto metacárpico inervação e ação: ramo profundo n. radial. Estende a mão e auxilia adução da mão.

REGIÃO POSTERIOR PROFUNDA DO ANTEBRAÇO ( 5 MÚSCULOS )

Supinador origem: EL do úmero (superficial), fossa do supinador e linha oblíqua da ulna (profunda) inserção: linha oblíqua do rádio (superficial) e terço superior da diáfise do rádio (profunda) inervação e ação: ramo profundo n. radial. Supinação do antebraço

* O ramo profundo do n. radial passa entre as camadas superficial e profunda do supinador.

Abdutor longo do polegar origem: parte superior da face posterior da membrana interóssea inserção: lado da base do primeiro metacárpico e, usualmente, no trapézio inervação e ação: n. interósseo posterior. Abdução do polegar.

Extensor curto do polegar origem: parte distal da face posterior do rádio (abaixo do abdutor longo)

inserção: face posterior da falange proximal do polegar e continua até a distal; com o extensor longo do polegar forma uma aponeurose dorsal resistente) inervação e ação: n. interósseo posterior. Estende o polegar.

Extensor longo do polegar origem: face posterior da ulna e na membrana interóssea inserção: face dorsal da falange distal do polegar inervação e ação: n. interósseo posterior. Extensor da falange distal

Extensor do índex(indicador) origem: parte distal da ulna e da membrana interóssea inserção: expansão extensora do índex inervação e ação: n. interósseo posterior. Estende a falange proximal do indicador.