A BRUXA DA RUA MUFETAR Autor: Pierre Gripari Extraído: Contos da Rua Brocá Livraria Martins Fontes Editora Ltda;

1988 Era uma vez uma bruxa velha que morava em Paris, no bairro dos Gobelins. Era uma bruxa muito velha mesmo, e muito feia, mas o maior desejo dela era se transformar na moça mais linda do mundo. Um belo dia, ela viu um anúncio no Jornal das Bruxas: MINHA SENHORA! Se a senhora é VELHA e FEIA Pode tornar-se JOVEM e BONITA! É só COMER UMA MENINA Com molho de tomate!

E, mais embaixo, com letras menores: Atenção! É indispensável que o nome da menina comece com a letra N! Ora, naquele bairro havia uma menina que se chamava Nádia. Era a filha mais velha do seu Said, o dono da mercearia da rua Brocá. “Tenho que comer a Nádia”, pensou a bruxa. Certo dia, a Nádia estava indo até a padaria, quando uma velhinha começou a puxar conversa com ela: - Bom dia, Nádia! - Bom dia, minha senhora! - Pode me fazer um favor? - Que favor? - Queria que você me trouxesse uma lata de molho de tomate da mercearia do seu pai. Assim, não preciso ir até lá. Ando tão cansada...

mas o meu pai não deixou. que era muito obediente. Ele disse que é para a senhora mesmo ir buscar. . minha senhora. é para pôr na Nádia.Pois não! Grande ou pequena? . a velhinha chamou de novo: . .Como é Nádia! E meu molho de tomate? . – A Nádia mesmo vai trazer o molho de tomate para eu pôr em cima dela.Eu vou. Nádia. .Bom dia.Ah..Bom dia. desculpe . esfregando as mãos: .Está bem – disse a velha . a bruxa – pois a velhinha era a bruxa – começou a rir.. O que deseja? .. concordou na hora. . não insistiu.Nádia. Quer dizer. Assim que a menina virou as costas.Desculpe – disse Nádia. Chegando em casa com o pão. onde é que você vai? . . . . corando -. e já ia saindo quando o pai chamou: . ela que venha buscar.. como sou esperta! – ela dizia.Hein? . quando ela saiu para fazer compras. Mas no dia seguinte. naquele mesmo dia ela foi à mercearia. De fato.Ei.Uma velhinha me pediu para eu levar uma lata de tomate à casa dela. Nádia pegou na prateleira uma lata de molho de tomate. Uma lata de molho de tomate. seu Said.Nada disso – disse o seu Said.Grande.Eu queria a Nádia. que tinha um coração muito bom. – Se a tal velhinha estiver precisando de alguma coisa.Puxa.

Até logo.Não precisa. . lá estava a bruxa disfarçada de açougueira. eu quis dizer que é para pôr no macarrão.O quê? ..Como? . .Ah... E a bruxa foi-se embora. também tenho macarrão. já tenho a Nádia. .Mandar a Nádia levar para mim? Mas o seu Said já estava meio desconfiado. E a Nádia tem mais o que fazer.. . levando a lata de molho de tomate. seu Said.. tudo bem! Se quiser. eu a pego. .O quê? .. . A velha pegou o molho de tomate e pagou. menina.Bom dia..Tudo bem – disse a bruxa.Não é nada disso.” No dia seguinte. Quando a Nádia for fazer compras. ela pensou: “Tenho uma idéia. não.. paciência. é só deixá-la aqui! . . minha senhora. disfarçada de vendedora... Se a lata é pesada demais para a senhora. mas em vez de ir embora ficou parada com a lata na mão: . Chegando em casa.. Aqui está seu molho de tomate.Hum! É meio pesado..Então.Não.Desculpe. minha senhora.. eu quis dizer que já tenho macarrão em casa.. quando a Nádia chegou.. – Pode deixar que eu levo. não fazemos entrega à domicílio. Vai levar carne? . Amanhã de manhã vou até a rua Mufetar. .Até logo. Será que não daria para o senhor.

pensando. quer comprar um frango? . quando foi pagar.Onde você está indo. . no dia seguinte todas as vendedoras da rua Mufetar eram a bruxa (267 vendedoras). pensou a bruxa. droga!”.. sem desconfiar de nada..Não. ela estava vendendo carne e frango. Comprou umas ervilhas e.“Droga!”. Bachir? .Bom dia. No terceiro dia. Bachir pensou: “Decerto a bruxa pegou minha irmã. obrigada. Como a irmã mais velha estava demorando para voltar para casa. droga.. já que é assim. coelho. garota. . amanhã de manhã vou me transformar em TODAS as vendedoras da rua Mufetar!” De fato. Como sempre. obrigada. . as 267 vendedoras (que eram a bruxa) começaram a gritar: . No dia seguinte ela se disfarçou de vendedora de frangos. droga!” A bruxa voltou para casa e ficou pensando. hoje vou levar carne. a vendedora a agarrou pelo pulso e clac! Trancou-a na gaveta da caixa. Quando foi chegando. Nádia chegou e. . vou comprar frango. outra vez disfarçada. hoje estou vendendo de tudo: carne de vaca. O menino passou a mão no violão e lá se foi para a rua Mufetar.Pois é.“Droga. mas hoje eu quero peixe! . preciso ir atrás dela”.Bom dia. Felizmente Nádia tinha um irmãozinho chamado Bachir.“Droga. até que teve outra idéia: “Tudo bem.Não. frango. pensou a bruxa. bom dia! O que você vai levar? Veja só. Nádia. parou na quitanda para comprar legumes. . de carneiro.

. essa não. onde está você? Há tanto tempo não a vejo. queria cantar uma canção para ganhar uns trocados! . onde está você? De repente.Não.Sou um pobre ceguinho. . onde está você? Responda que eu escuto! Nádia. onde está você? . onde está você? Nádia. uma vozinha respondeu: .Tudo bem.Bachir fechou os olhos e respondeu: .Que canção? – perguntaram as vendedoras. onde está você? Nádia. vou cantar baixinho! E Bachir começou a cantar bem alto: Nádia.Então cante bem baixinho! .Quero cantar uma canção que se chama Nádia. cante outra! .Mais baixo! Mais baixo! – gritaram as 267 vendedoras. – Desse jeito você vai arrebentar nossos ouvidos! Mas Bachir continuou a cantar: Nádia. onde está você? Nádia.Mas eu só sei essa! .

com uma pancada de violão bem dada. as outras 266 também abriram um olho. pulou por cima do balcão. bem na hora em que a vendedora estava acordando do desmaio e abriu um olho. a vozinha respondeu: Bachir.Bachir. e ao mesmo tempo as outras 266 também caíram. ele tentou abrir a gaveta da caixa. sempre cantando: Nádia. venha me soltar Senão a bruxa vai me matar! Mas a gaveta estava emperrada e Bachir não conseguia abri-la. Nádia cantava e o irmão tentava . Mas dessa vez elas não abriram os olhos! Ficaram . onde está você? Nádia. onde está você? Mais uma vez. e as 267 vendedoras pularam em cima dele.. Bachir percebeu e. venha me soltar Senão a bruxa vai me matar! Ouvindo essas palavras. Bachir. venha me soltar Senão a bruxa vai me matar! Dessa vez não havia dúvida: a voz vinha da quitanda. Bachir. Bachir entrou na loja. Ela caiu dura. Ao mesmo tempo. fez todas desmaiarem por mais alguns minutos. Então. que era muito corajoso. levantou seu violãozinho e deu com ele na cabeça da vendedora que estava mais perto. Bachir abriu os olhos. uma por uma. e enquanto isso as 267 vendedoras acordaram de novo.É um cego falso! É um cego falso! Mas Bachir. gritando: .. Então Bachir foi entrando em todas as lojas. Bachir. enquanto Nádia continuava a cantar: Bachir. Felizmente.

Ah. A caixa. caiu bem em cima da cabeça da vendedora.com os olhos fechados e foram todas se arrastando devagarinho até a quitanda. que vinha descendo a rua. . agradeceu. quer me fazer um favor? . . peguei você! Bachir perdeu o equilíbrio e largou a caixa. para cercar o Bachir. que era muito pesada.Bom dia. Então ele viu um marinheiro alto.E o que é que eu ganho em troca? .Combinado! Bachir levantou a caixa e já ia passá-la para o marinheiro quando a vendedora de legumes. de ombros largos. agarrou o pé dele e começou a guinchar: . e os dois voltaram para a casa dos pais. Ela beijou o irmãozinho. Mas não foi só isso. O menino estava exausto e não sabia mais o que fazer. e bem morta.Que favor? . enquanto o marinheiro catava o dinheiro da bruxa. . . Minha irmã está presa dentro dela. marinheiro. a gaveta da caixa abriu e a Nádia saiu.Você fica com o dinheiro e eu fico com a minha irmã. Com isso. Com a pancada. Dessa vez a bruxa morreu. jovem. que tinha se aproximado devagarinho. bandido.Levar essa caixa até nossa casa. as 267 vendedoras caíram com a cabeça esmagada.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful