Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe www.jfse.gov.

br

IPL nº 0054/2013-4 SR/DPF/SE Partes: Autor: Departamento de Polícia Federal em Sergipe Réu: Jânio Sá Veloso
PENAL. PROCESSUAL PENAL. LIBERDADE PROVISÓRIA. CRIME CAPITULADO NO ART. 333 DO CÓDIGO PENAL EM CONCURSO MATERIAL COM O CRIME CAPITULADO NO ARTIGO 306, § 1º DO CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO. IMPOSSIBILIDADE DE CONVERSÃO DO FLAGRANTE EM PRISÃO PREVENTIVA. APLICAÇÃO DE MEDIDAS

ACAUTELATÓRIAS PREVISTAS NO ART. 319, DO CPP E 294 DO CTB.

DECISÃO:
O autuado, após colidir seu veículo GOL, placa policia EAB 2758 – São Paulo/SP em imóvel da empresa CARGO VOLKS, na altura do km 89 da BR 101, foi submetido ao teste do etilômetro por policial rodoviário federal que atendeu a ocorrência, constatando-se a sua embriaguês ao volante. Ao ser informado do resultado do exame, ofereceu ao Policial Rodoviário Federal a quantia de R$ 500,00 (quinhentos reais) para que fosse desconsiderada a constatação do estado de embriaguês detectado no etilômetro, bem como não fosse adotado qualquer procedimento por parte da polícia. Ato contínuo, o policial rodoviário federal lhe deu voz de prisão pela prática do crime de corrupção ativa previsto no art. 333 do Código Penal Brasileiro. O auto de prisão em flagrante foi homologado, consoante decisão proferida nos autos da Comunicação de Prisão em Flagrante Delito. Remetido os autos ao Ministério Público Federal, foi emitida manifestação nos seguintes termos: a) Não conversão do flagrante e preventiva, expedindo-se o competente alvará de soltura; b) imposição da providência prevista no artigo 294 do CTB;

1

as circunstâncias do fato e as condições pessoais do indiciado ou acusado. na forma consumada. DECIDO.403. conforme bem observado pelo representante do Ministério Público Federal. 310 do Código de Processo Penal que. em concurso material com o delito previsto no artigo 306. de 2011) Art. nos termos do art. ante a impossibilidade de aplicação de outra medida cautelar. Aliados a eles. Para a segregação cautelar. para a investigação ou a instrução criminal e.Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe www. e a presença de uma das hipóteses do art. Extrai-se dos depoimentos e provas colhidos no auto de prisão em flagrante a materialidade e a autoria da infração descrita no artigo 333 do Código Penal.br c) imposição de medida cautelar substitutiva à preventiva.gov. Transcrevo os dispositivos legais mais relevantes atinentes ao assunto: TÍTULO IX DA PRISÃO.necessidade para aplicação da lei penal. faz-se mister a coexistência de dois pressupostos principais e indispensáveis: provas da materialidade do crime e indícios suficientes da autoria. se presente os requisitos legais necessários. a Lei nº 12. outros. o juiz deverá.403/2011 trouxe. de 2011). Preceitua. 282. 312 do Código de Processo Penal. ainda. ou conceder a liberdade provisória. também necessários: a imprescindibilidade do enclausuramento. ex vi do art. tomar uma das seguintes medidas: relaxar a prisão. fundamentadamente. nos casos expressamente previstos. I . DAS MEDIDAS CAUTELARES E DA LIBERDADE PROVISÓRIA (Redação dada pela Lei nº 12. As medidas cautelares previstas neste Título deverão ser aplicadas observando-se a: (Redação dada pela Lei nº 12.jfse.403. com ou sem fiança. É O BREVE RELATO. § 1º do Código de Trânsito Brasileiro – CTB. o art. convertê-la em prisão preventiva. 2 . ao receber o auto de prisão em flagrante. por outro lado. 313 do Código de Processo Penal.IV do CPP. 319. tendo em vista a gravidade do crime.

ou a requerimento do Ministério Público.403. § 4o No caso de descumprimento de qualquer das obrigações impostas. (Incluído pela Lei nº 12. circunstâncias do fato e condições pessoais do indiciado ou acusado. (Incluído pela Lei nº 12.Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe www. de 2011). em último caso. parágrafo único). decretar a prisão preventiva (art. de 2011). se no curso da ação penal.br para evitar a prática de infrações penais. (Incluído pela Lei nº 12.403. caberá a prisão preventiva decretada pelo juiz. Em qualquer fase da investigação policial ou do processo penal. o juiz. de ofício. II . de ofício ou mediante requerimento do Ministério Público. impor outra em cumulação. de 2011). § 6o A prisão preventiva será determinada quando não for cabível a sua substituição por outra medida cautelar (art. quando no curso da investigação criminal. por representação da autoridade policial ou mediante requerimento do Ministério Público. determinará a intimação da parte contrária. ou. § 2o As medidas cautelares serão decretadas pelo juiz. de ofício ou a requerimento das partes ou. § 3o Ressalvados os casos de urgência ou de perigo de ineficácia da medida. (Incluído pela Lei nº 12. CAPÍTULO III DA PRISÃO PREVENTIVA Art. § 1o As medidas cautelares poderão ser aplicadas isolada ou cumulativamente. acompanhada de cópia do requerimento e das peças necessárias. de 2011). (Incluído pela Lei nº 12.403.adequação da medida à gravidade do crime. o juiz. (Incluído pela Lei nº 12. 319). bem como voltar a decretá-la. poderá substituir a medida.403. ao receber o pedido de medida cautelar. 312.403. § 5o O juiz poderá revogar a medida cautelar ou substituí-la quando verificar a falta de motivo para que subsista. de seu assistente ou do querelante. 311. de 2011). (Incluído pela Lei nº 12. de 2011). do 3 .jfse.403.gov. permanecendo os autos em juízo.403. de 2011). de 2011).403. (Incluído pela Lei nº 12. se sobrevierem razões que a justifiquem.

não concorre os demais requisitos para a custódia cautelar. de 2011). § 4o). 282. A prisão preventiva também poderá ser decretada em caso de descumprimento de qualquer das obrigações impostas por força de outras medidas cautelares (art.848. (Incluído pela Lei nº 12.403. 64 do Decreto-Lei no 2. Art.403. (Redação dada pela Lei nº 12. será admitida a decretação da prisão preventiva: (Redação dada pela Lei nº 12. de 2011).nos crimes dolosos punidos com pena privativa de liberdade máxima superior a 4 (quatro) anos. vez que a pena máxima cominada ao crime de “corrupção ativa” (art. quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria. A prisão preventiva poderá ser decretada como garantia da ordem pública. III . ou para assegurar a aplicação da lei penal. II . 4 . de 2011). Parágrafo único. 313. idoso.se o crime envolver violência doméstica e familiar contra a mulher. (Incluído pela Lei nº 12. da ordem econômica. de 2011). enfermo ou pessoa com deficiência. (Redação dada pela Lei nº 12.se tiver sido condenado por outro crime doloso. ou por representação da autoridade policial. 312 deste Código.403. de 7 de dezembro de 1940 Código Penal. de 2011).403. por conveniência da instrução criminal. (Redação dada pela Lei nº 12. de 2011).gov. em sentença transitada em julgado.403. de 2011).403.Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe www. salvo se outra hipótese recomendar a manutenção da medida. Parágrafo único. 312. adolescente. Art. Também será admitida a prisão preventiva quando houver dúvida sobre a identidade civil da pessoa ou quando esta não fornecer elementos suficientes para esclarecê-la. I . Nos termos do art. (Redação dada pela Lei nº 12.br querelante ou do assistente. ressalvado o disposto no inciso I do caput do art. devendo o preso ser colocado imediatamente em liberdade após a identificação.jfse. No pertinente ao caso concreto em apuração. em que pese o tipo legal comporte a decretação da prisão preventiva. criança. para garantir a execução das medidas protetivas de urgência.403. 333. do CP) é de 12(doze) anos. (Redação dada pela Lei nº 12. de 2011).403.

POSTO ISSO. proibição de ausentar-se deste Estado sem prévia autorização judicial. Da decisão que decretar a suspensão ou a medida cautelar. o que indica a possível ausência de antecedentes criminais. além de informar a sua profissão. informa o Ministério Público Federal que não há processos criminais em face do autuado. ou a proibição de sua obtenção. 5 . Parágrafo único. indicou o endereço de sua residência fixa e o número de telefone para contato. também. de ofício. em decisão motivada. determino a apreensão da sua carteira de habilitação pelo Oficial de justiça. para justificar suas atividades. Assim.Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe www. como medida cautelar.. submetendo-o às medidas cautelares de comparecimento ao Juízo até o 5º dia útil de cada mês. não vislumbro risco para a aplicação da lei penal e para a investigação criminal. nos termos do artigo 294 do Código de trânsito Brasileiro – CTB: Art. 294. havendo necessidade para a garantia da ordem pública. o autuado apresentou documentação completa.jfse. concedo a liberdade provisória. Ademais. sem fiança. Em qualquer fase da investigação ou da ação penal. poderá o juiz. a aplicação de medida cautelar ao custodiado à luz do que prescreve o artigo 319 do CPP.gov. não mudar de residência sem prévia comunicação e autorização deste Juízo. a suspensão da permissão ou da habilitação para dirigir veículo automotor. Reputo necessária. ou a requerimento do Ministério Público ou ainda mediante representação da autoridade policial.br Em consulta ao sítio do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe. para que não haja probabilidade de que o flagranteado venha reincidir na prática deste ilícito. caberá recurso em sentido estrito. com a aplicação da medida cautelar de suspensão do direito de dirigir veículo automotor. ou da que indeferir o requerimento do Ministério Público. face à provável carência de recursos financeiros do custodiado JÂNIO DE SÁ VELOSO. decretar. Quando da lavratura do auto de prisão em flagrante. sem efeito suspensivo.

ainda. cumprindo ao meirinho nele colher a assinatura do preso. Aracaju.br Expeça-se o alvará de soltura respectivo. Cumpra-se. a ser cumprido pelo Sr. com a aplicação da suspensão do direito de dirigir veículo automotor. Oficie-se ao Departamento Estadual de Trânsito de Sergipe – DETRAN/SE para efetivo cumprimento da medida cautelar de apreensão da carteira de habilitação do autuado. ciência desta decisão.jfse. Dê-se ciência ao Ministério Publico Federal e a Defensoria Pública da União. Oficial de Justiça. Oficie-se à Autoridade Policial responsável pela custódia do preso dando-lhe ciência desta decisão. devolvendo a este Juízo ambos os documentos devidamente formalizados. dando-lhe.Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe www. se por outro motivo não deva o custodiado permanecer preso. cópia do alvará de soltura e do termo de compromisso. enviandolhe. também. Oficie-se à Polícia Federal.gov. bem assim o Termo de Comparecimento. 09 de março de 2013 Juiz Edmilson da Silva Pimenta 6 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful