Você está na página 1de 1

DEU NA IMPRENSA:

“Conselho de Medicina proíbe médium (médico) de exercer profissão”. (O ESTADO DE S. PAULO,


02/06/1988)

“Cirurgia mediúnica provoca morte em Recife”. (O ESTADO DE S. PAULO, 16/06/1989);

“... a T.V.P. (terapia de vidas ou vivências passadas) não se constitui em prática ou técnica psicológica,
nem se coaduna com os estudos e teorias da Psicologia.” (por Marlene Guirado, Conselheira-Presidente
do Conselho Regional de Psicologia 6.ª Região, FOLHA DE S. PAULO, 11/07/1989);

“Criado na França, o espiritismo deu certo apenas no Brasil, onde a doutrina mística com pretensões
científicas é culto da classe média”. (VEJA, 26/07/2000, “À nossa moda”);

“Na França, onde o espiritismo nasceu, pelas mãos do pedagogo Hippolyte Léon Denizard Rivai, vulgo
Allan Kardec, a única associação de seus seguidores conta com pouco mais de 150 sócios. ‘Aqui, como
em toda a Europa, o espiritismo é desconhecido. Não é considerado uma coisa séria’, admite Jacques
Peccatte, presidente do Círculo Allan Kardec, instalado na cidade de Nancy. ‘A doutrina kardecista só é
desenvolvida de fato no Brasil.’” (VEJA, 26/07/2000, “À nossa moda”);

Contrariando o CRP brasileiro e aliado ao espiritismo, brasileiro, o psiquiatra judeu americano Brian
Weiss desenvolve ilegalmente a T.V.P. no Brasil, cujo país ele considera “campo fértil para as teorias
sobre vidas passadas que defende.” Pode? (ISTOÉ, 15/11/2000, “Viagem solitária”).

“Nem mesmo na França, onde a doutrina (espírita) brotou graças aos estudos do pedagogo Allan
Kardec, em 1857, existem tantos seguidores. ‘Somos exportadores das teses de Kardec’, resume
Nestor Masotti, secretário-geral do Conselho Espírita Internacional.” (ÉPOCA, 20/11/2000, “O pastor de
todas as almas”);