Você está na página 1de 1

CHICO XAVIER – “IMITADOR”

O jornalista João de Scantimburgo objetava a Chico Xavier: “Eu insisto que a escrita automática é o produto do
inconsciente do senhor, não de mediunidade. Na França foi publicada uma coleção de livros com o título genérico ‘A
maneira de...’ em que algumas pessoas fazem a imitação de vários autores. Se o senhor ler, não distinguirá ainda que
tenha profundo conhecimento do estilo do autor imitado. E trata-se de uma imitação consciente. O senhor imita autores
dirigidos pelo inconsciente (?). Em nada supera as faculdades naturais” (“Diário de S. Paulo”, 8-Agosto-1971, 3.º
caderno, página 7).

Ora, quando se trata de conteúdo... Insiste o jornalista citado: “Além de jornalismo, eu também tenho a carreira de
Filosofia. E não foram psicografados conteúdos profundos e complexos como a obra (à maneira de) Platão, a de
Aristóteles, a de Santo Agostinho, a de Santo Tomás de Aquino, a de Descartes, a de Kant, e a de outros filósofos e
pensadores. Não será porque o senhor, Chico Xavier, não tem esses conhecimentos?”.