P. 1
Pesquisa Orgão Regulador da Atividade Contábil no Brasil- Pós Graduação Em Finanças Empresariais

Pesquisa Orgão Regulador da Atividade Contábil no Brasil- Pós Graduação Em Finanças Empresariais

|Views: 52|Likes:
Publicado porNúbia Silveira

More info:

Published by: Núbia Silveira on Apr 04, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/15/2014

pdf

text

original

FACULDADE DE CASTANHAL PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS Núbia de Cássia Silva Silveira

ORGÃO REGULADOR DA ATIVIDADE CONTÁBIL NO BRASIL

CASTANHAL-PA 2012

CASTANHAL-PA 2012 . Msc. ministrada pelo prof. Rafael David.FACULDADE DE CASTANHAL PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS Núbia de Cássia Silva Silveira ORGÃO REGULADOR DA ATIVIDADE CONTÁBIL NO BRASIL Trabalho apresentado como requisito parcial de avaliação da disciplina Finanças Corporativas.

uma vez que os principícios e normas que constituem a estrutura da teoria contábil.INTRODUÇÃO A regulamentação da atividade contábil no Brasil trata-se de um assunto muito complexo. normatizar. o processo de regulamentação da atividade contábil não ocorreu de forma unificada. . A Primeira regulamentação propriamente dita ocorreu com o reconhecimento da Associação dos Guarda-Livros da corte por decreto oficial . somente em 1946 com a criação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) o exercício da profissão contábil foi regulamentada. Receita Federal (RFB) e o Instituto Brasileiro de Auditores Independentes (IBRACON).e fiscalizar a atividade da profissão contábil. É importante ressaltar que no Brasil. que teve seus primeiros sinais no Império. tendo o conselho o intuito de orientar. caracterizando os Guarda-Livros. Banco Central (BACEN). como antes eram conhecidos o profissional da Contabilidade. como a primeira profissão liberal regulamentada no país. surgiram de diversas entidades que apresentam funções reguladoras. a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). direitos e obrigações por parte das empresas comerciais. com a formalização da escrituração contábil e os demonstrativos de bens. Dentre as quais podemos destacar Conselho Federal de Contabilidade (CFC). No entanto.

foi um marco para o reconhecimento oficial das profissões liberais. e para a reforma do ensino comercial. no qual foi desenvolvido uma campanha para a regulamentação da profissão do contador. o qual não determinava normas ou procedimentos contábeis. A regulamentação do exercício da profissão contábil ocorreu em 1946. atualmente Fundação Escola de Comércio Álvares Penteando. tais como regras para avaliação dos ativos e criação de reservas. A ordem dos Contadores do Brasil foi regulamentada em 1930. Em 1940. e a reforma do ensino comercial foi concretizada em 1931. A partir desse momento o exercicio da atividade contábil passar está inteiramente relacionada com a preparação escolar. Somente em 1945 com a criação do curso de Ciências Contábeis e Atuariais.1 Primórdios Uma das primeiras manifestação de regulamentação contábil no Brasil ocorreu com o Código Comercial Brasileiro estabelicido em 1850. O Primeiro Congresso Brasileiro de Contabilidade foi realizado em 1924.ORGÃO REGULADOR DA ATIVIDADE CONTÁBIL NO BRASIL 1. a partir do movimento do Grêmio dos Guarda-Livros de São Paulo.475. A fundação da associação dos Guarda-Livros e seu reconhecimento em 1870 por Decreto Imperial nº 4. Mas que surgiu com o objetivo da obrigatoriedade da escrituração contábil em livros. a profissão contábil torna-se uma carreira universitária.Regulamentação Contábil no Brasil 1. Em 1902 surgiu a primeira escola especializada no ensino de contabilidade. o Decreto-Lei nº 2627 institui a primeira lei das Lei das Sociedades Anônimas (S/A) que estabeleceu procedimentos para contabilidade de Estados e Municípios. regulamentando a profissão de contador. a Escola Pratica de Comércio. com a criação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) criado pelo Decreto-Lei nº aos associações .impondo mercantis a elaboração anual da demostração do balanço geral.

fiscalizar e intervir nas instituições financeiras. e critérios gerais para apresentação gráfica do balanço patrimonial e demonstração de resultados. tem por competência exclusiva autorizar. critérios gerais para classificação do balanço patrimonial. estabelecendo normas e fiscalizando a atividade contábil.5. O cenário da contabilidade no Brasil foi marcado por intervenções do Governo através de legislações especificas e por efluências da cultura contábil italiana.295. Com a edição da Circular 1. critérios de avaliação.273. que atráves da resolução nº 220 de 10. Consituindo-se em um orgão regulamentador.728 de 1965 surgiu o auditor independente. foi obrigado a ser registrado no Banco Central do Brasil (BACEN). Sendo responsável pelas normas contábeis diretamente relacionada as instituições financeiras.2 Orgãos Reguladores BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) Com a regulamentação do mercado de capitais no Brasil. sendo subdividos em : normas de escrituração. A circular nº 179 estabeleceu normas gerais para auditoria de acordo com o Banco Central do Brasil e a expressão “princípios contábeis aceitos” . bem como a estrutura de contas e modelos de documentos previstos no . amortização e depreciação dos elementos patrimoniais para efeito de balanço. O Banco Central (Bacen) como autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda. considerada o berço da contabilidade. Principalmente no que se concerne a publicação da Lei das Sociedades Anonimas em 1976. em 29 de dezembro de 1987 criou o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional (COSIF) que apresenta os critérios e procedimentos contábeis a serem observados pelas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. normatizar. e pela doutrina norte-americana. critérios gerais para formaçao de reservas e provisões.72.9. 1. com o objetivo da estruturação dos mercados capitais. Lei nº 4. critérios gerais para formação de reservas e provisões.

em última instância. e tem. o competência. O CFC é integrado por um representante de cada estado e mais o distrito federal. por intermédio dos Conselhos Regionais de Contabilidade . principalmente a de orientar. cada um em sua base jurisdicional.295/46 e pela Resolução CFC nº 960/03. Atráves de resoluções como a Resolução CFC nº. dotado de personalidade jurídica de direito público. (CPC. estabeleceu os principios fundamentais da contabilidade: o da entidade. da . 2012) O Conselho Federal de Contabilidade emitiu a Resolução CFC n º 521 de 1981 em que instituiu as Normas Brasileiras de Contabilidade (NBC). os recursos de penalidade imposta pelos Conselhos Regionais. sendo subdivididas em Normas Brasileira de Contabilidade – Técnicas (NBC-T) e em Normas Brasileira de Contabilidade – Profissionais (NBC-P). organização e funcionamento são estabelecidos pelo Decreto-Lei nº 9. análise.mesmo. decidir. nos termos da legislação em vigor. avaliação do desempenho e controle das instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional (BACEN. Sua estrutura. que aprova o Regulamento Geral dos Conselhos de Contabilidade. além de regular acerca dos princípios contábeis.160/05 -. nos Estados e no Distrito Federal. 1282/10.o do registro pelo valor original. normatizar e fiscalizar o exercício da profissão contábil. é uma Autarquia Especial Coorporativa. e o da prudência. bem como editar Normas Brasileiras de Contabilidade de natureza técnica e profissional. Tendo com o objetivo unificar os diversos planos contábeis existentes à época e uniformizar os procedimentos de registro e elaboração de demonstrações financeiras. o da oportunidade.) CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC) O Conselho Federal de Contabilidade.Lei nº 11. dentre outras finalidades.2012. o da atualização monetária. o que veio a facilitar o acompanhamento. no total de 27 conselheiros efetivos e igual número de suplentes .o da continuidade. do cadastro de qualificação técnica e dos programas de educação continuada.

Apesar da CVM ter poder regulatório somente sobre empresas de capital aberto. os intermediários financeiros e os investidores. de cinco de fevereiro de 1986. para os profissionais que almejam fazer parte de tais Instituições. relatórios e pareceres de auditores independentes. além de outros cuja atividade gira em torno desse universo principal (CVM. para regular as atividades do mercado de valores mobiliarios. destacando-se pelo sistema CFC/CRCs. não raro. A contabilidade possui um grande relacionamento com os aspectos jurídicos que cercam o patrimônio. A Lei que criou a CVM (6385/76) e a Lei das Sociedades por Ações (6404/76) disciplinaram o funcionamento do mercado de valores mobiliários e a atuação de seus protagonistas. assim classificados. que define como obrigatória a apresentação das demonstrações Contábeis Consolidadas com base nos Padrões Internacionais. torna-se fundamental. Na deliberação da CVM n° 29. que tem desempenhado um papel fundamental para o desenvolvimento serviços.A profissão contábil ganhou força com a criação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC). as companhias abertas. Compete à Comissão de Valores Mobiliários expedir normas aplicáveis às companhias abertas sobre padrões de contabilidade. a forma jurídica pode deixar de retratar a .2012). mas.835 de 7 de Dezembro de 1976. Em 16 de julho de 2007 foi publicada no DOU (Diário Oficial) a instrução n° 457 da Comissão de Valores Imobiliários (CVM). disciplina e qualidade na prestação dos COMISSÃO DE VALORES MOBILIARIOS (CVM) A Comissão de Valores Mobiliarios (CVM ) foi estabelecida pela lei nº 6. na qual é tratada a estrutura conceitual básica da contabilidade dá seguimento a essência sobre a forma. o conhecimento das normas contábeis Internacionais. da contabilidade brasileira. que prioriza valores éticos.

contribuindo com ideias e sugestões. Também esteve presente na discussão da reforma da Lei das Sociedades por Ações. a essência ao invés da forma.2012).NPC. quando a auditoria independente passou a ser obrigatória para as empresas de capital aberto e o primeiro conjunto de normas sobre demonstrações contábeis foi escrito e adotado por meio da Circular Nº 179 do Banco Central do Brasil. . Estabeleceu as primeiras normas de auditoria independente. Deliberação n° 29/1986). O IBRACON não somente estabeleceu Normas de Procedimentos de AuditoriaNPA. Nessas situações. mas também Normas e Procedimentos de Contabilidade. regendo-se por Estatuto próprio e. (IBRACON. deve a Contabilidade guiar-se pelos seus objetivos de bem informar. que se uniram para a obtenção de uma melhor estrutura e representatividade em benefício da profissão. se for necessário para tanto. Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (IBRACON) Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon) é uma entidade civil sem fins econômicos e constituido na forma federativa.essência econômica.(CVM. no que for aplicável. Surgiu da união de dois institutos que congregavam contadores que trabalhavam com auditoria independente: o Instituto dos Contadores Públicos do Brasil (ICPB) e o Instituto Brasileiro de Auditores Independentes (Ibai). tendo por finalidade congregar associativamente os Auditores Independentes e os Contadores de todas as áreas de atividades contábeis. O Instituto foi criado justamente para auxiliar no processo de reconstrução. (IBRACON. pelas leis vigentes.2012). Isso pode ser confirmado pelo reconhecimento à época das normas emitidas pelo Ibracon pelos reguladores da profissão e do mercado. seguindo.

o IBRACON. pois a não obediência às uma das normas impostas pelas entidades regulamentadoras. Através da Resolução CFC nº 1. E em muitos pontos tais normais apresentam conflitos entre si. normais. a Receita Federal. levando sempre em conta a convergência da Contabilidade Brasileira aos padrões internacionais". a CVM que emitia normas para o mercado de capitais. o BACEN (Banco Central do Brasil) editava normas para instituições financeiras.Fica um tarefa ardua para o profissional definir quais conjuntos contábeis (procedimentos. como. as normas técnicas e profissionais.HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS CONTÁBEIS Diante de diversos orgãos regulamentadores da atividade contábil no Brasil. normas fiscais. eram expedidas individualmente quando surgia a necessidade.1. causa sansões e penalidade diferente. O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) é uma entidade autônoma composto pelas seguintes entidades: ABRASCA (Associação Brasileira das Compainhas Abertas). considera que a confiabilidade nas Demonstrações Contábeis por toda a sociedade interessada torna-se maior quando uma entidade for responsável pelo preparo e pela emissão e divulgação das regras que as rege”. o Conselho Federal de Contabilidade. cada uma em sua esfera de atuação.3. normas de auditorias. postulados e principios) deve ser seguidos no exercicio da atividade contábil. o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de Contabilidade e a divulgação de informações dessa natureza. o APIMEC (Associação Nacional dos Analistas e Profissionais . O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) O Conselho Federal de Contabilidade (CFC ). para permitir a emissão de normas pela entidade reguladora brasileira. e as ações de regulamentação por sua vez.055/05O Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC foi criado tendo como objetivo "o estudo. visando à centralização e uniformização do seu processo de produção.

governo). emitir pronunciamentos técnicos contábeis.RFB participa.de Investimento do Mercado de Capitais). redução de custo de capital). diversas entidades o fazem). A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis.2012) Com o surgimento do CPC houve uma centralização dessas normas.CPC. Os órgãos continuam sendo reguladores. Autorais Financeiras) e o IBRACON (Instituto Brasileiro dos Auditores Independentes do Brasil) (CPC. Mas é importante alertar. que são elaboradas pelo Comitê e levadas aos órgãos para aprovação e sugestão. a posição oficial da RFB. redução de riscos e custo nas análises e decisões. Serão sempre convidados a participar das reuniões do CPC os representantes de cada uma das seguintes entidades: Comissão de Valores Mobiliários – CVM. mas só o CPC pode. passando a participar como membro do CPC. Banco Central do Brasil – BACEN. como convidada. entretanto. da centralização na emissão de normas dessa natureza (no Brasil. que as decisões e opiniões divulgadas pelo CPC não expressam. que tem como . Secretaria da Receita Federal do Brasil – SRFB.da representação e processo democráticos na produção dessas informações (produtores da informação contábil. academia. Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN e Confederação Nacional da Indústria – CNI. onde as normas são avaliadas e estudadas. A Secretaria da Receita Federal do Brasil . Com a criação do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) o Ibracon – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil deixou de emitir pronunciamentos contábeis. a BOVESPA (Bolsa de Valores de São Paulo). o CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE (CFC) representando a classe de profissionais contábeis. intermediário. necessariamente.” (RECEITA FEDERAL. sendo obrigatoriamente submetidos a audiências públicas. das reuniões do Comitê de Pronunciamentos Contábeis . auditor. de fato. com isso inicia-se um novo ciclo. Superintendência dos Seguros Privados – SUSEP. que são os interessados diretos na prática dessas normas. usuário. 2012) O CPC em suma surgiu da necessidade de convergência internacional das normas contábeis (redução de custo de elaboração de relatórios contábeis.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE.br/>.bcb. Acesso em:14.2012 BANCO CENTRAL DO BRASIL .cfc.2012 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC).Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional (COSIF).Disponivel em http://www. O Ibracon é o órgão responsável pela tradução oficial das IFRS no Brasil.2012 CVM.04.12.04. Disponível em : http://www.bcb. Disponível em: http://www. BANCO CENTRAL DO BRASIL.2012 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE.br/.gov. Conselho.responsabilidade a emissão de pronunciamentos contábeis de acordo com as Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS). Acesso em: 16. Acesso 16. 2012.295.cfc. Disponível em: http://www.com. 4.org.04.aspx?codMenu=1.gov.638/07 surgiu do estudo feito pelo Comitê e pode ser um grande passo para a convergência.2012). DE 27 de Maio DE 1946. Deixou de emitir normas de auditoria e atualmente desenvolve juntamente com o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) o trabalho de tradução e revisão das normas internacionais de auditoria emitidas pela IFAC para serem adotadas no Brasil. Atribuições.pdf.org. Disponível em : http://www. Disponível em: <http://www.br/?COSIF. N°111 p. Revista RI.pdf. Normas contábeis: A Necessidade de Convergência.br/conteudo. REFERÊNCIAS ALEXANDRE.2012. A Lei 11.gov. Rio de janeiro: maio de 2007. Acesso em: 15. Acesso em 16. Reginaldo.2012 . Acesso em 16./>.org. mediante aprovação e emissão pelo CFC (IBRACON.04.br/uparq/decretolei_9295_1946. Decreto-Lei Nº 9. Sabe-se que há um longo caminho a ser seguido. Disponível em: <http://www. Acesso 17. RESOLUÇÃO Nº 220.cvm.br/arquivo/PDF/RI-111.br/pre/normativos/res/1972/pdf/res_0220.revistari.pdf>.04. IMF ed.cpc.04.

04.2012 RECEITA FERDERAL.wikipedia.fazenda.ibracon.fazenda.receita.cvm.com.org/wiki/Contabilidade. Contabilidade. a enciclopédia livre.04. Disponível em: em http://pt.htm. Acesso em 15.asp?File=/deli/deli029.htm.CVM.04.br/Contabilidade/cpc. Disponível http://www.04.br/Contabilidade. Acesso em 15. em 16. Deliberação CVM Nº 29.gov.gov. Disponivel em : http://www. de 05 de Feveriro de 1986. Disponivel em: http://www. Acesso em 16.receita.2012 . IBRACON.2012 RECEITA FEDERAL.br/asp/cvmwww/atos/exiato.2012 WIKIPEDIA. Disponível em: Acesso http://www.2012. Acesso em 16.br/ibracon/Portugues.04.gov.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->