Você está na página 1de 20

=Ìqu* Ë

ï

r

Noestudocientíficodequaquerfatosemprepro-

curarnosidentÌícargrandezasmensuráveÌsigâdas

deee.emsegLdd,êslabe eceasÍeècòese,i-Ìen. tesentreessasgrandezâs.Vejamos,porexernplo,o câsodeumestêbeleclmentocomerclalqueoferece doce var'ado'aopreçodeR$1.50caoàurì.

Paranãoterdefazercontasatodomomento, bê conistedalojamontouâsegulntetabea:

3,00

4,58

6,00

Nessecasoestãosendomedldâsd!âsgrândezês:

onúmerodedocesconsumidoseorespectlvopreço. AcâdâquânÌdêdededocescorrespo-deun unicopre- .0. D7eÍos.porrsso.qLeopreçoe -J'ì\.,o do^úr e o dedoces.AquiépossíveâchâTuTnafórmulaqueesta beleceareeçãodeinterdependênciaentreopreço(g) eonúmeÍodedocesconsumidos(x),

!=1'50 x Emumaoltrasituaçào,umpedreÌrovaiassentar azulejosquadrâdosemumapâredede6 mX3m.Ee podeescolherosazuejosentreosseguintestãmâ, nhos:10cmx 10cm,15cmx 15cm,20cmx 20crn, 25cmx 25cmou30cmx 30cm.PorserobÍigêdoa

usartodososazulejoscornamesmamedldâ,eledese-

asãbero.dleonJTeodêpeçãsq.eoevetèa

sen-

tardependerìdodotamânhodeazulejoqueescoher

Paraacharonúmerodeazulejos(g),bâstâdlvi-

diraéreâdaparede(18rn2)peaéreãdecadââzule-

jo (x2),sendoxamecliclaclolaclodoâzulejo,emme-

tros.Afórmulâquereâcionag comx é:

,x2

18

Natâbelavemososvaorescorrespondentesde

9,00

10,50

12,00

13,50

15,00

0,10

1800

0,15

800

0,20

450

0,25

288

0,30

200

L,t

*#$exercIcíOs

l. Na tabelaseguinteé dadoo preçopagopoÍ aÌgunsclientesem funçãoda quantidadede picarhaadquiridaemum êçougue:

a) Quaüto pagará um client que comprâr

a,5quilosdepicanha?

b) Dispondo-sede R$ 350,00,quaÌé a quàn- tidâde Ìnáxima de pìcanhaque pode ser adquirìda?

c) QuaÌ é a Ìei cluereÌacionno preço (p) em funçãoda quantidadeem quilos (n) com prada?

2, Urtr aa.aopopulaÍ consome,na estrâda,uÌn Ìitro de gasolira a c:ìd. ì2 quiÌômetros ro

a) Fâçauma tabela que forneça a distâncÌa

.

p,rcnrrid.,peìu '<.ulo

reü0,5{; 2{; 3í;

gasorrna.

;o 'e ion'uni.

l0 Í; 20{e40{de

b) QuaÌ é a fónnuÌa que reÌêcionaa djstância percorrjda(d) emtunçãodo númerodeli-

tros ({) consumidos?

3. ParaprestarserviçosdomiciÌiares,üm técnico em infornática cobrâR$ 50,00a visita e r.rm adicionaÌde r reaispor hora de trabalho.Veja na tabelaseguinteo pÌeçototal de serviço Por número de horastrabaÌhadas.

-. iì

a) Quaì é o vaìorder?

b) Cornoseexprine nTatematicamcntco totâÌ pago(y) por um serviçod€r hoÌasdetra- baÌho?

4. Doispedreirossãocâpazesdée)iccutarâ refor mâ deunìa saÌacomerciaÌem 12dias.

a) Façauma tabeÌapararepfesentàro rÌún1e ro de dias necessáriospara â realização dessareformr, seo serviçofo1feito por I, 4, 6, 8 ou 12pedreiros.Àdmita cluea pro- dutividâde de trabaÌÌÌo de cadapedÍe;ro selaa mesma.

b) Quêl éê expressãomatemáticaqlÌereÌacio na o númerodedias(d) necessárjospaÌaa

en tur.ru do nurnc-

ere.uçaod; ref

ro de pedreiros(n)?

na

5, Um avião é capazde manter uma velocida- de média de cruzeiro de aproximadamente 800 km/h.

a) Qual éa distânciapercorridapeloaviãoem 15minutos,meiaÌrora,2 horâse 5 horâs?

P--.-.--r-

-,-

,--,

r,1--ì,

b) Em quanto tempo o avião percorre

5 200km?

c) R.Ìa,o,re atr.,re'de unrr lei.d di.riìcid percorrida(d) emtunçãodo tempo (Í), em

6" Considereum processode divisãoceÌularem que cadacéluìasesúdivide €moutns duasa cadahora,

â) Pirtindo sedeumâ únicêcéÌdla,inìcrou-se uma experiênciacieÌÌtífica.Façaüma tabc- la pârareprcsentara qlÌantìdâdede células presentesnessacultura apósl, 2, 3, 4, 5 e

6 horasdo início dâ experìência.

b) QuaÌ é o tenÌponínimo dehoras (compÌe- tâs)necessáriâsparaquehajaÌrais de I 00{)

.)

céÌuÌasna cultura? QuaÌ é a lei que relaciona o número de céÌuÌas(r1)ercoDtradona cultura após t horasdo início da experiência?

t

Definição

Eml,4ãtemáticâ,sex eg sãoduasvariáveistãis queparâcâdavaloratribuídoâx existe,emcorres-

oondèaciã.ur'ìunicovarotpardg.o lerìosqueg -Â umefunçãodex.

0 conjunlo,devaloresquepodernserâtribuí.

dosaxé chamadodomíniodâfunção.Avariávexé chãmadavarlávelindependente.

0 valordeg, correspondentea determinado

valoratrìbuídoax,échâmadoimâgemdex pelafun

çào e érepresentadoporf(x).Avariévelgéchamadâ vãriáveldependentepoÍqueg âssumeveloresque dependemdoscorÍespondentesvâloresdex.

0 conjunlolm forrnadopelosvaloÍesquey

assurne,emcorrespondênciaaosvaloresdex,échâ-

mèdoconjuntoir'ìdgemdef-ncà0.tsquerê1íd.

menÌe,temos:

Fumç&ms

de$í*idas

B#í',

f*nnr*l**

Existeuminteresseespecialnoestudodefun-

ções emqueg podesercalculâdoa pertirdex poÍ Ìneiodeumafórmula(ouregra,o! lei).

AleÌdecorrêspondênciâqueassociacada númerorêâlxaonúmerog,sendog o dobrode x,éumafunçãodefinidâpelâÍórmulag = 2x,ou

r(*)= ?"

D=!ì

lm=R

.

.

.

.

Nessa íLlncao:

parax-5,vemg-2 5-10. Dizemosquef(5)- 10.

aimàgemdex -3 eíí 3) - 2 í-3) -6.

x= 11,5correspondea I = 2. (11,5)= 23.

q=7éàimaqemdex= .'

ÍJdomin,oe o conjunÌoinègemdessafuc-

ção sãoiBuaisaR.

A regraqueassociaa câdanúmeronatural x o númerog, sendog o cubodex, é g = x3,ou í(x) = x3.

.

.

.

Nessefunção:

paràx= 2,vem ú= 23 = B.Dizemosquef(2) = 8.

para1=5,vemg = 53 = 125.Assirn,f(5) = 125.

g=64éarmãgemdex4.

Ìrâta-sedeumaÍuncaodedomtntoeconiun-

toimagemcontidoem\.

ffiffiexercrclosffiffi

Z Vcrifique.em Ldda (a.u.,e o e.qremadefire

\- ou não uma funçãode,4 em B:

a)

â0

{

Ì.-

1 1 . Seja / LÌmatunção com domr'nio nos núneros

reaisdefinidapetalei f(x) = (3 + x) CaÌcuÌe:

a) f(0),f( 2) ef(1)i

b) o(s) valor(es)de:ctal que f(x) =

(2

14

x).

12. s."a. ;

n "ção comdomínionosnúme-

"-"

rosnaturaisdâdapelalei f(x) = -2x + 5,calcrüe

8. Sendoa=I 1,0,1,2|eB=i-2,-1,0,1,2,3,a), 'verifique emcadacasosealeidadadefiueuma funçãodeÁ comvaÌorescmB:

9

a) f(x) = 2x

b)

f(x) = xz

c)

d)

f(x)=2x+l

f(x) =

x

s";u-

B =

'eSuinr(. determineumapo\\r\eÌleidà funcro

querelacionaelelÌentosdeÁ â elementosdeBi

n" conjuntos A

=

{0,

2,

4,

61 e

{x

N | 0 < x < 8}. Paracadaesquema

a) c) f(0)

f(a)

e) f(t0)

b) d)

f(1)

f(-r )

13. Emreìaçaoàquestãoanteriordetennineo eÌe- mentodo domíniocujaimagemvale:

a)7

c)1

e)

1e

b)0

d)e

ttÀ

L4.r on'idereatunçaof'r,'

,.

)

| :.definrd.l

emR

a) f(

b) f(1)

c) oelementocÌodomíniocujaimâgeméiguaì

I 2Ì.Determine:

5)

a1

15. Considerando /e

g tunçõescomdomínionos

númerosreaisdadas Por f(x) = 3x'?- x + 5 e

g(x) = 2x+ 9,façao quese Pede:

10. bonsiderefumatunçãocomdomíniorealdada poÌ f(x) = 3x'z-x + 4.Calcule:

a)

b) f(

f(-D

1)

c) f(0)

e) f({-4

"'(+)

"1

a) ouateo vatorde 3qlq

-

(l)

?

b) Determineo valorderítalquef(x) = g(x).

c) Resolvaaequâção:g(x) = f( 3) + 8(-a).

16. rue n1)s"u"". q"e,ÌÌospúlmões,oarâtmge

a tempeíalúra do corpo e que, ao ser exâÌado,

tem temperatuminferior à do corpo, já que é resfriadonasparedesdo nariz.Àtravésdeme

diçõesrealizâdasem um lâborâtório foi obtida

r'

rfurçro tr-8.5+0.

em que Is e Ta representam,Ìespectivamente,

a temperatun do ar exâÌado e â do ambiente.

CaÌcuÌe:

a) atempeÌaturaambientequandoT! = 25 oci

b) o maior valorquepodeserobtido pâraTE.

t\'l20-

l{sJ0".

17. O t.-po

f (em minutos) de desemoarqueoe

p,ì5'rgeiro.de um nario u';do Para cruzeiro'

mârìlimo'edadüpelrlei:rrn

70 l- n,'erì

do z o númerodepassageiros.

t

CÌassifrquecomo verdadeira(V) ou falsa(F) cadauÌnadâsafirmaçõesseguintes:

a) Im 2 hora.dererbar(am/rU pdì\ageiro5.

b) O temponecessárioparao desembarquede 600 pâssageirosé o dobro do tempo gasto por 300pâssageiros.

c) Uin âcréscimode90passagei(oíaumenra em maisde5 minutos o tempo dedesembarque.

23,

18. S"1o 1"-u

lunçãoquetema propriealade

f(x+1)=2 f(x)+ l,paratodox€R.Saben

do quef(1) = -5, caÌcuÌe'

a) f(o)

b) f(2)

c) f(4)

19. Sejaí uma funçãocom domínio nosnúmeros Ìeaisquetem,paratodo :r real,a ptopriedade:

f(m

x)=m

f(x) + l, sendom umacorìstante

realnào nulâ.Sef(0) =

i, z

obtrnha:

a) o valorde ra;

b) os valoresde f(9) e f(81), supondo que f(3) = 2:

1Un-n1Ctntia,lauloe pauÌa leramaseguinte inÍôrmaçãonumârevista:

ConÌÌec€'se,hámaisdeumsécuÌo,ma fór mulaparaexpressaro pesoideaÌdocorpohu- manoâdrìitoemtunçãodaaÌtura:

P=í"

roo) - /u-,Ìsoì

\k/

emque? é o peso,emquilos;a é a âlrura,em cortÍnetrosj k = 4, paÌa homens,e k = 2, pâra

a) Cíntiâ,quepesa54quiÌos,fezrapidamenre

ascontâscomk= 2 econstatouque,segun- do a fórmuÌa, estava3 quiÌos abaixo do seu peso ideal. CaÌcule ê alturâ de Cíntia. Paulo e Paulatêm a mesmaaltura e ficaram feLizesem saberque estavamâmbos exatâ

mentecomseupesoideaÌ,segundoa infor- maçãoda revista.Sabendoque PauÌopesa 2 quilos â nais do que PauÌa,determiìe o pesode câdaum deÌes.

20.O

tu".o

t

(en

reais) de um esrabeÌeci

mento comercialpode ser estimadopela lei

L(x) =

dâdesvendidas e

do que o Ìucro se an

â quândo são vendidas

xz r 7t* *

*

{f

x o oúnero deuni-

uma constante real. Saben

"do

15peçâs,determine:

a) o vaÌorde 4;

b). o Ìucro obtido navendade20 peças.

É1. q lern'lì

b reprefnla o númcrode

- boxesvagos(indicadopor n(t)) existentesem uma gaìeria comercial após t mesesde sua

inruguração;d e b sàoconstaÌìtesreais.Sabe

.l

se que uÌì

4 bore,ihariamrido oLupadole que: me.e. após a inauguraçãotodos os boxesestavam ocupados. QuaÌ é o número de boxesque es- tâvam em funcionamento três mesesapósa inalÌglrtêçãoda galeria,sabendosequc sua capacidadeé dç 100boxes?

mês após a inauguração apenas

22.Se1a1uma funçaocom domínio nos numeros reaìsdefiDidapela lei f(r) = 2x3+ ax2+ bx + c, sentìoa, ú e . constantesreais.Sabendoque Íí01- l.líll- 2eft-.1 - 2q,derermirìe:

a) osvaÌoresdea, à e r;

b) f(-1).

uonêrn{0ec0ntrae$mlnt0

Normâlmente,paraqueumãfunção/estejebem

carâcteÍizada,é necessárioqueseconheçâê leide correspondênciaqueassociar(variáveJindependen te)ey (variáveldependente),âlémdodomíniodeí

lúuitasvezessefazreferênciaaumafunçãoJ,di-

zendoapenâsqueléaleidecorrespondênciâ.ouan-

donãoédadoexplicitâmenteodomínioDdeJ,,oeve,

sesubentenoerqueDe íormàdoporÌodososnume-

rosreatsquepodemsercolocâdosnolugardex na

leidecorre.pondènciâ !

-

tuedososcálculos,resulteumg real.

tíÌ). deÌocJoque.efe-

Vamosexemplifìcer:

.

.

0 domíniodêfunçãodeÍinidâpelaleig = 3x+4 é- R,poìs,qualquerquesejâovalorrealatribuídoã x,onúmero3x+4 tambéméreal.

{1}, pois.

{JdomíniodãrLrncao g

-

Ì"- é R

ì

paratodoxreâtdiferentede1,o nLtmeroj]f

real.

é

. 0domrniodãfuncaog-rÇ'Z eO-{xe R'x - Z},

pos l&:7

sóe reaisex

2>0.

2r"

!

.

1

,_l

A'uncão J

x -

1

!x

-

so e der'nlr p"r"

la

-

*

0

e x

>

0; entãoserl clomínioé

r

'oex-

1}.

D-{x€R

çuendo umaÍunçãoé dadãporumalêidecor-

Íespo^dèhcièglíxì.asvezesnàoetáo-impes estèbelecero .eu conjunÌoimage-r-Nesse.caros.

ecomunapre\entarèpenasoconjuntof

derãoestaÍosvaloresde 9. EsseconjuntoFe si',"_

madocontradomíniodeÍ

oq"apo_

rl"r*çao1a"a"p"r"r"ig= ì1,

odomínio

é R*,poisé necessáriox + 0j Para cadax do dorìrnio.g e umnúrìeroealque pooe êssum'

valoresnãotãofacilmentedêterminados-0uan-

doissoocofre,dizemosque/é umafunçãode R* emR.EsseR é o contredomíniode/e con_ témoconjuntoìmagemdeí tndicamos:

26' D"t"t-ine o dominiodasfunçõesseguintes:

l/' --

a) y=1ç-

b) y=!4x+l

- _3\t
'

'

I

t ,r - J

d) y=

"

e)

r=

,ìr|

ìr

j-

r0\\

x

E*abeleçao domrnìodecadaumadasseguin tesfunções:

â) h(x) = \ç+

i5

b) f(x)=rDx-r+ltr

c) g(x) = í-:* + s

t

28.VerifiquequaÌéo domíniode:

W

)Y_

ar irrr-.ë

4X'

2

l

JX

-

x

-4x

,r hL"r ÃrJ

DeuÌnmodogerel,ânotaçãof:A-

BÍepresen'

taumaf!nçãocomdomínioÁecontradomínioL

brüf icffi5

Varnosobservarâlgunsgráficosretiradosdejor

iïiiï.ËËxertËcl0sffi

?4. tm cadacaso, /é umafunçãodeÂemB.Oìrte rihao doninio (D),o contrâdomínio (CD)eo conjuntoinÌagem (Im) de í.

a) -A = { 1,0,1,2},B = 10, 1,2,3,4,s}e f(x):x,+r

b) A={

1,0,1,2Ì,B=13, 2,-Ì,0,1,2,31e

nãis,apãrtirdosquaispodemosdescobriralgumãs

propriedãdesdasfunçõesqueelesrepresentam.

0bserveì

Os msisricos

Bd4^rngdG mdioresPlBsem 2OO4(eÍ lrrlnoesde doldre'\

19EUA

(x)=2*

1l

''

"

l)

1

)

,-z,zl,a =1,z,z,!,

+1.

4,62

fG) = d) A= R,

i

B=Ref(x):3x

6e llália

2,00

Ê5. Estab.Ì.çuo doml"iodecadaumadasfunções seguintes:

y=-4x2+3x

3x+11

Y=

2

cl 2x+3

I

x-Ì

e)

loe índia

14, Brasll

l

Fonte:O Esiadôde S.Paulo,13n2005.

0,94

0,6s

0,68

0,63

?t3

t

0gráÍicorepresentaumafunção:acadapaís

correspondeumúnÌcovalordoPlB.Entrêosdez

maìsricos,hádoispâísesdasAmérices,trêsdâ

ÁsiaecincodaEuropa.

0bserveegrandediferençâentreoPIBameri-

canoeoPIBdosoutrospâíses:éprecisosomaros PlBsdospróximosquãtropaísesmaisricospara obtetaproximadamente,o PIBamericano(4,62+ + ?,71+ 2,14+ 2,OO = 11,47).Atémdisso,o PtB americãnoéquasevintevezesoPIBbrasíleiro.

ffiffiexercíciosffi

29.

Baseinslalâdadecâmerasdigitais no pars(€mrnilharesdeunidades)

2001 02

a3

a4

05

06.2007'

DâdosrlDc€empÍesas

cot .^: O F<!àoo oè S. PàLta,7 6 2A06.

ObrcsileironaintèÌnet

NúheÍodehoÍasquê osbsiÌerosque se coneclâm à redeficam ligados por mès

Com baseno gráfico acima,julgue as afirmari vasseguintescomo vercladeiras( y) ou falsâs(F):

a) A funçãorepresentadêé crescente.

b) O númerodecâmerasdigiraisenÌ2005ex- cedecrn i {ìo0000 ú numerode cimcr., existentesem 2004.

cì A rjâu enrRr q.r.rntidJdeoe.;rne,d\c\i\ tentesem2007e a quantidadeexistenteem 2006ó maior que3 :2.

d) A média dos vâlorescoÌrespondentesaos tÉs primeirosanosé nìeüorque Ì80 000.

JU. {s ( opd, do M,rnJú .Jo um Jus orincipai, eventosesportivosmundìais.EÌassãoÌealizadâs

dequâtroem quatroânos.No gráficoabaüo,é po.\r!el. on.lar/rmo\o dumenlodu numero de TVs vendidas no ano da Copa da Alemanha (2006) enl reÌaçãoaoano anterior.

maro lun. jLl. ago.set.out.nôv dez. jan. tev.mãí ãbi mato iun.

04

05

Fanre: Folha de S. Paula, 23/712005,

Evoluçãodo mercadodeTVs

(em milhóesde unidades)

.

.

.

.

Examinandoo gráfico,podemosdizerque:

emoutubfo/z004,osinternautâsbrasilêiros

secorectâVamàinternet 14h16minpormèsi

emjunho/2005, osinterneutasbrâsiÍeirosse

conectavamà inlernet16h54minpormést

defevereiro/zo05ajunho/2005,otempodas

conexõesdebrasileiroscoma internetcres- ceu(ousubiu);

entrêJeneiro/2005efevefeiro/2005,otempo

dâsconexõesdebrasileiroscomainte.netde- Com base nessesdados, cÌassifiquecomo ver

cresceu(oucaiu).

19909192

rcsogr 92 s3

93 94 95

94 95 96 97 98992000010203 04 05 06

DâdÕs:Àbinee,Erêlrcs€prolêções demórcâdó

Fonre:O Estadode S. paulo,5t6t2OA6.

dJdeirr, ' V i ou íJ.a

f

a, úrrralne.

rsggin

tes e reescrevâ âs sentenças faÌ$s.

3dï

t

Ì-

a) Em ano de Copa, o número de TVs vendi- das aumenta em relaçãoà quantidade ven- dida no âno anteior.

b) O aumentopercentualdo número de TVs

veÌldidasem2006,comparadoâ2005,ésu-

perìora 25olo.

c) A seqúêÌÌciaformada pela quantidadede TVsvendidasemanosdeCopaécrescente.

d) A médiaaritméticâdonúmerodeTVsven didasem anosde Copa,nesseperíodo de

Ì7 anos,é ifferior â 6 miÌhões.

31. observeo gráÊcoabaixo.

Populaçãorurale urbana(2005/2030)

1,0

(êmb lhões)

20052030 20052030200520302005203020052030

Áéia

Amé ca

Áir.â

AÍnéica

Ocèania

Fanre:o Estadode s. Pau10,171612406.

Classficlue como veriladeiras ( V) ou falsas(F) asseguintesproposiçôes:

a) Im 2005,menosdequinhentosmilhoesde pe-oà' viüamcm cidide' naÁÊiìc-.

b) No mundo todo, o processo iÌe urbaniza- deveaumentar até 2030.

c) Em 2030,na Àfrica,hâveráecÌuilibrioentre a populaçãourbanae a ruraÌ.

d) Á populâçãourbanana Àsia,em 2030,em comparaçãoa seuvalor em 2005,estará maisde 507omaior.

e) De 2005a 2030,apopulaçãorumì naAlné caLatjna e no CaÍibe ficará pnticamente constante.

ção

Desempenhoda balançacomercial (êm bilhõesdêdólarcs)

a exportaçõês

10

9

JÀN Fr\1

2005

A

{ importaçõês

MJ

J

Â

SON

DJÀNFMAIú

2006

JJ

Dados:MinsléiodoDesenvôvim€nro,IndúslaecomércoE{eÍior

(MDrC).

Forlè: O Esta.lade S.Paulo,2lgl2A06

Com base no gráfico, classifique como vercla-

deiras (V) oü falsas (F)

a) Em cinco mesesdo período collsideÌado,as ìmportâções nacionais superaúm o voh-

asproposiçõessegujntes:

me de setebilhões de dóìares.

b) O gráficodaserporraçõesdeine uma f,uìFo crescenteno primeiro semestrede cadaano.

c) O saldo comerciâÌ no LiÌtimo trimestre de 2005foi superiorao saÌdodo primejro tÌi- mestrede 2006.

d) Nosmesesdefevereirode2005ede2006,o

saÌdocomerciaÌ foi praticaÍnente o mesrÌro.

e) Cornparandoo saÌdodabalançacomercial em julho de 2006com o sâÌilodo mesmo mês do ano anterior,registrouseum âü- nìentopercentualinferior a 10olo.

á 5. Fm .)00b.o Bra5l prilicdmenl(àlingiuJ JUlo suficiàlcia empetóleo, isto é,apÌoduFo passou a suprir asnecessidadesinternas do consumo.

Píoduçãoê consumonacionalde petrólêo

(embilhõêsdelilrcs,ao ano)

3?.

o d.sempenhoda baìançaconercialbrasileira pode seravaliado pelo saldo comercial, isto é, a diierençaentreo rolumedJ. eyporldroe\e o dasimportações.

Ìfr

t

No gráficopodemosver o históricodo consu- mo e dâ produçãodepetróleo.

a) Enl trêspeíodos a produçãode p€tróleo ficoupÌaticamen[eestável.Iclentifique,ose, eÌì seguida,parí cadaum dessesperíodos, ìndiqueum número inteiro querepresente a produçãocorrespondente.

b) Em que períodoso conslrmointerno de peÍóÌeo dinìinuiu?

c)

Ìndique os três anosen] que o paíslìcou maispróximo deatingirâ âuto-slrficiência. Indique os dois anosem que â produção de petróÌeoficou maisdistântedo consu- mo iüterno. Qurnlo,bilhoe,dclirroroprr' rerequeim- portar em 1990?E em 2002?

d)

Jr+. /Unicdnrp\Pì O grdlìcoaDrL\,Jmo\rri o lolJ deà.idenle\dc rrin5ilonacrd.rdedccanrpinr, e o total de acidentessemvitimas,por 10000 veículos,no periodoentre1997e 2003.

+ totalde ãcidenles

-

"-

acdentesseú víllmas

Adapladode:SurãrioEs/atíslicodaCirculaçãoen

Canpinas20022A03Canpinas:Endec,2004,p.12.

Sâbe-seque a frota da cidâdede CampinaseÌa compostapor 500000veículosem 2003e erâ 4olomenor em 2002.

a) CiÌcuÌco numerúlotdldcJ( denle.dctrán sito ocorridosem Campinâsenl 2003.

b) Calcule o número de acider,tescomvítímas ocorridosem Canpinasem 2002.

ffimçõemháasíuu*

úw

pfãil# ü#ì"ïmËiíii''r

fl

usâ-seanotação(a,b)pâraindicaropaÍ qrdena- doemqueoéoprimeiroeleÍnentoeb é osegundo.

;$

Vejemosalgunsexemplos:

.

(1,3)éoparordenadoemqueoprimeiroetemen-

toeleosêgundoé3.

.

(3,1)éoparordenâdoemqueoprimeiroelemen-

toé3eosegundoé1.

Notequeospares(1,3)e (3,1)diÍerementÍesi

pelaordemdeseuselementos.

Existeumamane;rageométrícapararepresen- t

termosoparordenado(a,b):

19)DesenhamosdoiseixosperpencÍiculârese usa- mosa suainterseção0 comoorigemparaceda umoetes.

29)MarcâmosnoeixohorizontalopontoPr,corres-

pondenteaovâlordeo.

39)MarcamosnoeixoverticelopontoP2,correspon-

denteaovalordeb.

49ìlracâÍrosporPÌ JmàreLêr parãlelaâoetxo ventcat,

5?)ÌraçamosporP2umaretasparalelaâoeixohori-

zontal.

69)Destacâmosainterseçãodasretasreschaman-

do-adeP,queéo pontoquerepresentagrafica- menteoparordenado(a,b).

0eixohorizontel(0x)éoeixodasabscissas.

0

eixovertical(0g)éoeixodasordenadâs.

0

ponto0 (interseçãode0xcom0g)éaorigem.

0

plànooueco,ìtem0r e0Veoplanocertesrano.

F

Cadaumadasquâtropârtesemqueficadividi-

do o planopeloseixoscartesÌânoschâma-se quadfãnte.Anumeraçãodosquadranteséfeitano

sentidoanti-horário,a contardoquadÍantecorres-

p0ndenteaospontosque P0ssuern

denadasposÌtivãs.

âmDasescoor'

ffiffiexercrorosffi{ffi

35, li

t.ibou

"-

umpÌanocârtesiarìoosponros:

À(3,1);B( 4,2);C(5,-3);D(-Ì, r);r(2,o);

F(0,-2);c(0,0);H(a,0);l(0,a); I(- +, -a);

+)

lfazr;ufe]);N(:,

36, n-".ç,

*

*a.nailas

decadapontoassrna-

ladono planocartesianoabaüo:

37. Encontreree / quedeterrninarnaigualdade:

a) (\ y) = (2, 5)

b) (n+a,y- 1) = (5,3)

c) (x+ y,x 3y)=(3,7)

38. Emcadacaso,édadaumainformaçãosobrea locaÌizaçãodopontoPnoplânocartesiano.De termineovalordem queverificatalconaÌição:

a) P(m+ 2,4)percenleâoeío /.

b) P( 2,m'] 16)pertenceaoei\oÍ.

c) P(m,-3) pertenceao3equadraÌÌt€.

d) P(m,2)pertenceao1equadrante.

e) P(-2,m) pertenceao,l9quadrante.

f) P(-n, 1)pertenceao2equadrante-

39. o p"nrol,m -'m-t5.-',pe.encedoe-\.,u

ffi

eoponloB'J.m

QuaÌ éovaÌordern?

7m I l0 lerlen(c,ìoeLxor.

*orrstn*çëmd* gráf:anm

Comopodemosconstruiro gráfÌcodeumaf!ìn- ção conhecendoâsuãleidecorrespondênciag = f(x) eseudomÍnioD? 0 meÌodomais,suâleocegur_te:

19)Construímosumatabelanaqualaparecemos

valoresdex (variávelìndependente)e osvalo- resdocoÍrespondenteg, calculadosâtrâvésda lei I = f(x).

29)Represen€moscadaparordenado(a,b)deta-

belaporumpontodoplânocartesiano.

30)ligãnosospo'ìtosconsÌurdosno.temê.teÍioÍ

pormeiodeumacurva,queó o própriográíico dafunçãog=f(x).

Vamoscgnstruiro gráficodafunçãog = 2x comdomínioR. 19)DamosaxalgunsvaloresínteiÍos( 3, 2,-1, 0.l. 2e 3,porexe'nplo)ealgun'va,oresÍia-

F '''

cionarios(-j,- /7

l, )"'r.c"' *"r1"), "

calculamos

U = 2x.TeremosatâbelaaseguÌr:

t

29)Representâmososparesordenadosquees-

tãonessatabeaporponlos,ãsaber:

A=( 3, 6)

B=l2,

c =(-1,-2)

D = (0,0)

E=(1,2)

F = l.?,4)

=(3,6)

G

4)

3

z 2

l

'=l ã ',

,=l-+1)

-l

-2

-3

/1

,\

K= 3l

39)Desenhamosa curve "provável"quecontém

0sp0ntosquesatrsta

zemê lei V = 2x.Nes' secâso,éumareta.

iE

Vâmosconstr!iro gÍáficodafunção U = 3 pafâtodox reai:

ffiffi&ããffi

-33

23

B

c

D

Esseéumexemplodef!rçãoconstênte,pois acadaxéassocÌadosempreomesrnovalordeg. Trata-sedeumaíunçãocujográficoé umareta pâÍaleaaoeixodesâbscissas.

Vamosconstruirográíicodafunçãog = x2 4 comdomínioR:

 

I

C

D

E

5G

7,75

H

3,75

|

3,75

J

-t,?5

K

f

ì-

,

"

'

------l.i-f+l

LssacuÌvaechamadahipéfbr

HËexercrcrosffi

40. Construao gráficodecadaumadasseguìntes hrnções,comdomínioreal:

41. Construao gráficode cadauma dasfunções seguintes,comD=R:

b) v=-2"

c) y=

(-t)

. x2

t

42. Quais dosgráficosseguinteslrãoreprcsentam Íirnçõesdedomínioreal?Expliqüe.

.)

-=\|

vl

-Y-

t,

-r

'

l-

tl,

ïl

43 . Àbairo estárepresentâdoo gÍáfrcodafunção , de domlnio real.

Calcule;

a) f(-a)

b) f(-3)

29

c)

f(2)

AgoravamosanallsarosgráÍlcosjá apresenta-

d)

f(3)

e)

f(4)

f)

o número de elementosdo domínio cujâ

imaSemvaLe ,5 ti

.

o nuncrn dc cl.mcnto.do donrrnÌo.u,r

imagenrvale5;

o nurnerod< elernento'do domrnìocu,.r imagemvaÌe 4.

44. (u. I or,ro preto tutc) UnÌa pischa estácheia com Ì0 000{ deágua.Àbre+e no tundo um raÌo, peÌoquaÌescoam100{ deáguapor minuto.

Pede-seì

a) determìnara ftinçãoque relacionao volu- n]e l/ de ágüa na piscirla, t minutos após o mlo seraberto;

b) deteÌminaÌ depoisde quântosmìnutos a piscinaestarátotâlmentevaziai

c) fazerum gráficode Vcomo funçãode t

45.Construa

o gráfico de cadauma das ftinções

seguìntes,comD=Z:

a) y=2x+1

b)

y=

3x

46.rstabeleça o dominio decadatunçãoc,em se- guida,construao gráfico:

.1

47. Determineo domíniodecadafurçãoe,depois, construao gráfrco:

ê) y=G

b) y=rÇ z

doseobservaroscoÍrportane^tosdas-e5peclivas

funções-

observemosa seguíro grá{icodâfunção

!=2x

lá vimosqueessegráficoéumareta. ouantomaÌoro valordadoax,mâiorsêráo

valordocorrespondente V = 2x.Dizemos,por

rsso,queêssafunçãoé crescente 0 conjuntoimagemdessafunçãoé lm = R- Nolamostambémquef(1)=2 ef( 1) =-2;

í(?)=4er(-z)=-4.etc.

Demodogeral,f(x) = 2xeÍ(-x) = 2 . (-x) = = -2x; portanto,í(-x) = -f(x) paratodox. lsso fã7coÍ queograficosejasimeÌricoemrelaçào aoponto0 (origem).Dizemos,então,quej.éuma funçãoímpar

Âll.*^

*-.1ldlÈõË

h *

s",ç ".r^

**ÁÍi,

Yg

dél l{-{

.*" {È

I,4!ÌtasìnÍormaçõesarespêitodocomportamen-

todeurnafunçãopódemserobtidasapartirdoseu gráfico. oor meiodele.podenosterumJv saodocresci mento(oudecrescimenlo)dafunção,dosvãlores máximos(oumínimos)queelâessLrme,deeventuais c "reríias,doco'rportâmenÌopèâvaloresoe\ mui-

tograndes,etc.

0bservemoso grâficodâfunçàog = xz-4

Jávimosq!eessegráficoéumaparábola.

:.,;

t

ì

Pârax > 0,quantornaioro valofdâdoax, maiorseráovãloTdocorrespondenteg =x2-4. Poroutrolado,pãrâx< 0,quantomaiorova-

lordadoax,menorseráovalordocorresponden-

.

.

Dizemos,então,que;

parex >

parax < 0,essâfunçãoédecrescente.

0,essafunçãoécrescente;

0uandox=0,lemosg=4,equandox+ 0,

temosg>-4.Dizemos,porìsso,quex=0éum

pontodemínimoda{unçã0.

0bservequelrn={V€R g > -a}.

Parãveoresdâdosaxcadâvezmaioresepo-

sÌtivos,osvaoresdeg = x2

damente,eg podetornar-semâiorquequalquer

núrneroemquesepense.

Ouandoosvaloresdadosax sãocâdavez menorese negativos,osvaloresde V = x2

cÍe-ce'rilimitâdemente,ey pode1oÍnè.senaio- quequarquernumeroemquesepense,

4 crescemilimita-

4

Notâmostambémquef(1) =

3 e f(

i/

-

= 3;f(2)=0ef(-2)=0rf(3)=5ef(3) = s;etc.

DemodogeÍã|,f(x) =xz 4ef(x)=(

x)'?4=

= x2

fd7comqueo g'á'icosejèsiÍnet-icoem .elaçdo

aoeìxog.Dizemos,entã0,que/éumafunçãopar

4i portanto,f(x) = f(-x) paÍatodox. lsso

0bservêmosabaixoo gráficodafunção

v=9,comx*o

'ilt

JávÌmosqueessegráficoéumahÌpéfbole.

Parax> 0essaÍunçãoédecrescente,epara x < 0 elatambémédecrescente. Observequef(1) = 12ef (-0 = -12;Í(2) = 6

ef(

2) =

6;Í(3) = 4 ef(-3) =

+,etc.

Demodooeíà|.Ííx)--:-

-

"

f(").

Assim /

éumãfunçãoímpare sêugráficoé

.:iïl::"":::l:::::.liïit""."

Vejao gráficoseguintêquerepfesentauma funçào/comdomínioÍeall

Vamosestudarosinê1dessaíunção.

lssosignificaqueéprecisodeterminârosva-

loresdexparaosquaisg épositivoounegâtivo.

0spontos_dográÍicosituâdosãcimadoeixo

0Í âpre.entano denadê.g .0. ouseja,suê- abscissasxcâcârretamí(xJ ) 0. lssoocorre quando-3<x<2 ou x>5. Jáospontosdográfcosituâdosabaixodo

eixo0xepesenlamo'denãdà9g 0,ousejà, suasabscissasx!acârretamÍ(xJ < 0.lssoocor-

requândox <

3 ou 2<x<5.

0spontosdeinterseçãodográficocomo

eixo0xaoresentenordenèdas J

suâsabscissasxosãotaisqueí(xo) = 0. Es-

0.ouseja,

sasabscissasx0sãooszerosouraízesdafun

çã0J.

,T:::::::::::

lli.i.

trffiexercrcros

48. e-

"udu"o"o, o g.áÂcorepresentaumafunção

de R em R. EspecifiqueosintervaÌosemquea

funçãoé crcscente,decÍescenteou constante:

r)

51. 1U. F.viço.u-uC) O gráficoabaixoiÌustraa evoluçãoda ten'ìperatumI ('C), emumare- gìão,âolongodeum períodode24horas.

49. Estudeo sìnalde cadaumâ dasfunçõescujos grilìcoie,l;orepre'enlado,d .eguir.l-orneç.:

tambéma(s)raiz(es):

")

c)

Determine:

a) os horários em que a temperaturâ âtinge

0 .c;

b) o intervaÌo de variação da temperahüa ao longo das24horas;

c) os intervalos de tempo em que a tempera- tura é posìtiva.

52,1rBM-se)N" nguraâbaixoestãorepresentâ- dasasmedidasdesensibiÌidâdeauditiva (em

decibels dB), em funçãodaÍìeqüênciâ,para os ouvidosdireito e esquerdode umâ pessoa. Quanto menor o nível em decibels,mais efi- cienteé a audição.

I

50. ÉdadaumacondiçãosobreaÍünçãodedom! nio rcalem cadaitem.Façaum gráficopossível

deumâfunçáoqueveri6queralcondiçáo:

")

a)

íé sempredecrescente;

b)

/ écrescentesex > 2edecrescentesex < 2j

D]

€)

/é constâìtesex< 1edecÍescentesex > 1.

3A

+ êsquêrdo --o- diÍeito

Determineas1leqüêÌÌciaseosnlveisdedeci-

belsparaos quaisa sensibilidadeauditiva nosdoisouvidoséigual.

Paraquefieqúênciasasensibíidadedo ou- vido direito ésupe or à do esquerdo?

t

53. nstabeleça -l parafunçãopar,I paÌatunçãoíÌnpar e 0 parafunçãoquenãoépar nem rmparj

ì-

ffiF$[i

devestibularesffi

1. (puC-uC) por mes,."Ì1afamíÌiaremumarendade

r Ìeâis,e o totaÌ deseusgastosmensaisé dadopela fução g(r) = 0,7Ì+ 100.Nun mêsemqueosgastos atingirm R$3600,00,podeseestimarqüenÍenda dessafamíia foi de:

a)

b)

R$4000,00

R$s000,00

c)

d)

R$5 s00,00

R$6000,00

5 . (Enent'MEC)No sráÍìco estãorepresentadososgols marcadoseosgolssoËidospor urnaequipedetute boÌnasdezprime;aspartidasdeum determinado

6

5

ga

2. (UI-PD A tabelaabairomostraaÌgunsvaloresde unlafunçioy=f(x).

Iffii.uiiffi

Iffi.gi'ffi

iií:jw iI i:+lF.gr

r,!À',lïEH*i.

zi i'iÏn4:

Essatunçãoédefinidapelaeryressão:

c)

f(x) =

x,-

1

3, (PUcMG)sendof(x)

d) f(x) = -x'] + r

e) f(x) = 2x'z-I

,*l

1l

E2

l

0

2At14t2 1tD 1A/2251241311/3181325131e/4 daÌada Parlida

Considermdo seque, nese carnpeonato,a,sequipes gânham 3 pontos paÌa cadavitória, 1 ponto por eúpate e 0 ponto em caso de derÌotâ, a equip€ em qüestão,ao final da décima paÌ1idâ,terá acumuÌado um m:ìmeÌo de pontos iguaÌ âl

n)

t)

Ìs

17

c) l8

d)

20

e)

2a

gualal

.

2.

3

c)2

d)4

4. (UE PA) Com visiâs à reíorma agÌáÌia, umn fâzenda foi desapropÌiada peÌo GoveÌno lederal e dividida em 100lotes, todos de foÌma quadrada e de Ììesma área,para distribuição entre os "sem terra'l A lei matemática qÌreer?Ìessaa áÌeâz do te(eno em ÂD ção da medidar do ladode cadaloteé:

a)

b)

z = 100x z = 100x,

d)

e)

z=100

z=x'z+100

(Dado:áÌeado quâdrado= (medidado lado)'].)

b.

íFl-l.stì q tu"\doÍ:R - '

â)

b)

r

R e raìque.pÊrJ.odo

R.teno.Í(:r) f(1) = 7

f(Ì) = 8 f(r) = e f(r) = r0

f(l) nãopodesercakuradâ.

Í"ì. \e tí4ì - 28.enrdo:

c)

d)

e)

7. rLn RNltmborao B,a<ilreíhàumddô mniúíe.

mi-

lhõesdetoneladasaindaéinfeÌior à daAlernan!â,à

daAusirália,à do Canadá,à dâChina,à dosEUA,à

daFrânça,à daÍndìa e à do México.O sÌáÊco a se- guir mostraa produçãodesaÌnessespaises,no âno

jazldar de,ndomundo

udproduç.odnualeÌ

2000.

33

!

)

Produçáomundialdesalem2000

840

;

É^

f*ËutdËd'J.S-É=tt

CorÌsiderandoessespÌincipais paisespÌodutores,â melhoraproximaçãodopeÌ.entualdeparrìcipaçãoc{o

BÌasiÌnaproduçãomudial

desalem2000foi.le:

^)

40,6

b)

5olo

c)

6010

d)

8.(PUi-ÀaC ( on.:dser\hrn,oe,r,=

ll-b

|

l.

g(r) = {itir

É corretoaÊnmr:

â) f(2)< s(2)

c)

í2) > g(2)

d) +>0

Í2,

Ì. Sex< 0,enrãof(x) < 0. n. f(Ì) + f(3) = f(4). IIÌ. A imagemde / éo inrervaÌo l-a,31. Ê corretoafirmar que:

a) âpenasIII éverdadeira.

b) apenasI eII sãoverdadeiÌâs.

c) apenasI eIII sãoverdadeiÌâs.

d) âpenasII eIII sãoverdadeiÌâs.

e) iodasassenteDçssãoverdndeiÌas.

1E".--1,ÍËC1 O n.r-eÌo dearÌetasnâsolimpiãdas vemâmentandonosúltimosânos,comomostrao

grá1Ìco.MaisdeÌ0

gosOÌímpicosdeSydney,em2000.

000adetaspârtìciparãmdosIo-

9. (U.E.Londdna-PR)sejaí(n) unÌafunçãodeÊnida paratodo '1 iÌteiro tal que:

If(2)=2

í(P+ q) = f(P) f(q)

[

emquep e 4 sãointeiros.o valordef(0)é:

a)

-l

c)l

e)2

b)0

d) \tr

10. {ur PtlNungo*ouairoesrãorepresentâdosos srá

fico,dr. lüncoÕreJi'.de rdrid\el ,cJ. /e s.

DecorrentedâanáLisedâfigura,écorretoafirmarque:

a) f(x) s(Í) > 0paratodo2 < x < 4.

b) f(x) > s(x) paratodox < 3.

c) f(x).g(x)< 0pârâtodox>3.

d) f(r)+g(x)< 0paratodox<3.

e) f(x) < g(x)pamtodoÌ > 3.

11. tMact""zl" sP) considereassentençasa scsur, relaiìvasà tunçãoy = f(x), .lefiDidãno inreÌviÌo

f

|

,

.

ttl

;;"*r.*."",

tÍiF,rÌen'/e ìr

rgurd

Ë

I

E

610

1498

r9601964196819721973193019341933i9921996 2000

--r-.

lrômens

-^-

muhêÍês

Nasúltjma: ciflca Olìnqía.las, esseaumento ocorreu devido ao cresciÌnento da participação de:

d

b)

h.mer, e nJ

homens,poisâ de mulheresvem dininÌÌindo a cadaOLimpíada.

honens, pois a de muÌheÌespraticamentenão seaÌterou.

muÌh.Ìes, poú a de hoÌnens vem dimìnuindo cndaOlinpÍada.

mulheÌes,poìsa de homenspraticamentenão

a

,e-e

ndme.rJ

o-nporcjo.

c)

dl

e)

13 . 1r,ru.*"';.-sr1 s" * núÌÌìeÌosÌeaisaeúsãorarsque

Jtun.J" ,\, =-:

^.1 - reïdoTn:oR

f (l)

ú+

=

-2, eDtaoa. b éiguâla:

o)+

.) i

5

4

-t

.te

34

t

i-

14. ([nem MEC)os sráficos aseguiÌnostram, em mi thões de reais,o total do vaÌoÌ dâsvendès que uma empresarealìzouem cacÌamês,nos anosde 2004e 2005, respectivanìente.

J FMAMJ

J ASOND

Etõ

160

€ 5o

E 4s

J FMAMJ

J ÀSOND

Como mostrao prjneiro gráfico,duranteo aDode 2004,houve,em cadamês,crescimentodasvendâs cn rcld\roJorìc.rn eno. Adireoriadevet ro-e .r.po en. cor'ideÍounìurolenloo rirìo de. re\ i entonâqüeÌeano.PoÌisso,estabeìeceuconrometa mensàÌp.Ìra o ano de 2005o crescimento dasvendas em rìtno maisaceleradoqueo de2004.PelaanáLise do segundográfico,concÌui-sequea metapaÌa200s foi athgida en1:

a) janeno, fevereiÌoe outubro.

b) fèver€iro,n1arçocjunho.

c) mâÌço,maroengosio.

d) âbril, ngosto e novembro.

e) jdho, seteÌnbroe dezembro.

15. (Encn1-MEC) Ao Ìongo do séculoxx, ascara.te Ìíticas dapopuÌaçãobrâsiÌeiÌamudaran muito.Os gÌáÂcostnostram as alterâçõesnâ distÌibuição da populaçãodâcidadeedo campoenatà.(adefecun didade (número de fiÌhospoÌ muÌhef) no período eÍtre Ì940 c 2000.

Populâçãourbanae ruralno Blasil(%)

100

rLrbana

60

40

rural

1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000

Ìaxa dê fecundidadeno Brasiì

1940 1950 1960 1970 1940 1990 2000

ComparandoseosdadosdosgÌáficos,podes€con

â)

o aun1et1torelâtivo dâ popuÌição ÌuraÌ é acom panhadopelareclução.lâtaxâde fecundidàde.

b) quandopÌedoninâvaapopúaçãomraÌ,as

u-

lheresthhan

em médiatréslezesmenosÊlhos

c) a dimúuição relatìmda populaçãoÌural coin- cide con o aumento do número de filhos por

d) quãnto maisaumentao númerodepessoasmo rândo em cidades,maior passaa sera taÌa de l'. unddrde.

e) com ã intensificaçaodo processode urbaniza ção, o nÍÌmerode fiìhospor muìheriendea ser

lb. íL'c n VFC) cpo.r iìse\liode 'ehid.'r c"^1.J

o metabolismo do áÌcool e sua presençano sy'ngrÌe dependemdefatorescono pesocorporâ1,coídições

e tempo apÓsa

O grá1ìcomostra ã

cooÌno sdrsuede individuosde mesno pesoque bebenm três latasde cer\.ejacadaum, enÌ diÍereúes condiçóes:eln jejum eapóso jantar.

'ngeúão.

vãriação dã concentÌação de ál-

è

!

0,s

0,8

0,7

0,6

4,2

123456

lempoapósngêstão (h) Fonre:Fêsqusàfrpesp n.5/, ser.z!ou.

Tendoen vistâ que aconcentraçãoÌlirima de álcooÌ no sanguepermitida pelal€gislaçãobÌasileiÌapâÌa

motoÌistasé 0,6g/1,o indiíduo

:,ì-r"I e ^ ouel,ebeuem,erJn ta Nàetuo íli,ig, apa,.

quebebeuapóso

â)

umahoÌa c un1rhora c meia,respectìvam€nte.

b)

trêshorasemeiahora,respectivamente.

.

trp,horr equ,tíoho

emero.re pe,rnr .F-re.

d)

seishorase trêshoras,respectivam€nte.

e)

seishoras,ìgualmente.

L7.

(Enen MEC) O excessode pesopodeprejudi.ar o desempenhode um ideta proflssionalenr corridas de longa distânciacomo a maraÌona (42,2km), a meia maratona(2Ì,1 km) ou uma prorlade 10knÌ. Parasaberuma aprorimaçãodo jntervalo detempo

a maisperdido paracompìetarunracorridadeyido

âo e\cessode peso, muiros àtÌetasutilizam os dados apresentadosnn tàbcÌa e no gráfico a seguir.

r5

t

ÌoÌmut.ìÁ: )

=

I

I

ÌormllJ õ:1 = x

Lr+ L)

r

J

J

eDìqu€a denotàâ dostìgende adulto em miÌigra- nas e ra idadedacriânçaem anos. Àssìnâlea aÌtcÌnativa que apÌesentar idâde da criança na cluaÌas duas fórmulas espccificama mesmâdosègcm.

c) 7 anos

(rüodeowimôreê Bênke)

r33

067

432

r

pesoãctma

do dêal(ks)

Usândoessasiníormaçõcs,um atlcta de ossatuÌâ grânde,pesando63 kg c co âÌturaigualâ 1,59m, quetenhacorrido uma mcia-mâÌâtona,pode esti nÌâÌ que,em condiçôesdc pcsoideâI,teri. melho rado seuiempo na provacm:

a) 0,32mirrÌro

b) 0,67minuto

c) 1,60minLrto

d)

e) 1,35mi11ütos

2,68mhutos

ZU.

9;

E

fre|

Vi,

i \u rri ,,ei,n\ere. redc 200b.u l\tu-

pelâ Criança,em parceÌiacom o o r€.latório SaÌ1/and.ridas: o.lireito

dus.t1d'1çat.toíratdnento,JeHIy cÁi.ir.Nesserch -

'ori,, L.rì! ,ri.\, qr e ,i J,r'nerìludr pr.,.

nária ao yíus cÌer€ráreduzn o nú

casosdcúf€cçãoentre jovens de Ìs â24arosdeida

de,cooìomostrão gráficoâscgüil

Unicet, dirulgou

vi ento lìlobìÌ

rdu I ri

eÌo .le noyos

commaor pevènçâô

+ coma prevenção aluâ

3000

2500

. í!-

2000

1500

t0

5

.un

2005

2006

2007

2008

nr.r* a. -g

2009

ir

ìr '.1

rr. F\ dé, n

2010

rr.

.rfir

18. tPtÌC RÍrAfuDcãoiirr=

!-

2+\'

l,

6

aJ

b) podeassumnquaÌquervalo.reâI.

c) po<le assumlro vaior*.

ésempreposirivâ.

L AçÕeseducativasde prevençãoda transmissão

d. \ I I' HfVl uderJ.,,onr-t,r'i pdr"dícdLÈo. em 2008,de mâis de 20% dosnovos cisos oe

irfecção €ntre os

jÒvens, cm ÍeÌâçãoáo ano

de200s.

IÌ. i\çõcseducãtiÌasrelativâsàutiLizaçãodepreser valivosnasreìaçÕessexuâisre.luznãoem 25%

lJ.

d)

e)

pode àssumiro

vaÌoÌ-

:.

pode assumiro

vaÌor -

.

,o.r

o.tl:AiJ.cr.r. rne,idJ.lcpr,\,'\iulri- ".i"\al

Ì'Ì. (en o.unÉI'"de

".,.

",o,.a

nìárÌa,estina seque,em 20Ì0, o âudeÌ1tode novoscasosdeinfecçaopor HÌV entreos jovens scÌá,em relaçãoao anode2005,s0yomaior.

U.Llordrirìd

PR u.produru'Írr rrre: in

\\

o Inul.,.J rg!ir

de

vemespecificarasdosagensrecomendadasparauso

\do

È corÌetoapenaso quesea1ìma emi

a)Ì

d)

e) ÌÌ e ÌIÌ

ÌeÌÌ

.lr Jd,rìo. e de .ri ,í!J

LitiÌizâdasparamodjficaradosagemdeusodosadul

blü

rospaÌaa dosaseÌndeusopor cÌiançâs (y).

C)

III

:liì

,

h

1" (FuvestsP)Umatunçao/satisfaza

identidadef(a,.) = af(x) paratoclososnúmerosÌeaisd eÍ Alémdisso,

Ì)+ I paratodonúneroreàÌÍ

sabe-seqüef(a) = 2.consid€Ìeâindaatunçãog(x) = f(Ì

â)

CaÌcuÌe s(3).

b)

Deterninef(x),paratodo ' reat

c)

Re\olvJJ eqJ".áogí\ì

8.

2 . sejam/e s tunçoes,ledomfiio reaÌ.Paracadax e R, define-s h(x) = \-fG) o dorníniodafunçãot, sendodadosos sráÊcos dastunçõesfes:

b)

ú

s(t. obtenha,en cadâc.Ìso,

; (U. 1,1.Viçosa-MG, adaptado)

nhecida a pâÌâ adultos.

Há divebas maneiras de caÌcuÌâÌ a dose itlÀÍÌtiÌ

de um nedicamcnto seco

Entre oütras, existe a fórmuln de Young, dada, em tunção da idade da crìânça (eÌn

idâdedacriançâ+ 12

para AndÌé e seuirmão PauÌo,cinco mos

mentopormeio dessafóÌmuÌa.SabeDdo queados€ Parâ Andrééo dobrodadoseparaseünmão,determint:

a) b) a dosedesseÌÌìedicanento ÌecomeDdadaâ um adulto, considerando queA[dré deveinseriÌ iuÌ14dose

ais novo, sâocâlculadasâsdosesiníantis de um dâdo medica-

aidadede Pauloi

.om

" gorr.de\.emedi

ncflo.

-t

t