Você está na página 1de 1

Vis directiva e vis coactiva. (latim) Fora de orientao e fora de coao.

So Toms de Aquino distinguia em toda lei a sua finalidade (vis directiva) e a sua eficcia (vis coactiva). Para ele toda lei tinha uma funo educadora e moralizante, no podendo consistir apenas numa violao ou constrangimento puro e simples da dignidade pessoal. Foi com base nesta distino que ele explicou dois textos famosos do direito romano, atribudos a Ulpiano: "quod placuit principi, legis habet vigorem" e "princeps legibus solutus est", cuja traduo respectivamente a seguinte: "o que agrada ao prncipe tem fora de lei" e "o prncipe est desligado da lei". Disse ele que quanto ao primeiro, s a vontade do prncipe pode transformar em lei alguma coisa, mas no h nada de extraordinrio nisto, porque a vontade do legislador tem de ser racional, tem de visar o bem comum e no o regime arbitrrio, e que quanto ao segundo s em matria de "vis coactiva" verdadeiro, porque o prncipe no pode coagir a si prprio, mas tem de respeitar a "vis directiva" que no criao dele e que apenas manifestada por ele com vistas ao bem comum. B. - Jean Marie Aubert, Le droit romain dans l'oeuvre de Saint Thomas. Vrin ed. Paris, 1955.