P. 1
Relatório transformador.docx

Relatório transformador.docx

|Views: 585|Likes:
Publicado porRicardo Santos

More info:

Published by: Ricardo Santos on Apr 15, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/10/2015

pdf

text

original

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA FUNDAMENTO DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS SEMESTRE DE INVERNO 2011/2011

ENSAIO DO TRANSFORMADOR

RELATÓRIO LABORATORIAL

Realizado pelos alunos da Turma 32D: _ 36362, João Borrega; _ 37503, Ricardo Santos; _ 37508, Sérgio Costa; _ 37699, Miguel Brito.

Docente: Engenheiro Lima de Oliveira

o que faz dele um aparelho eléctrico muito utilizado. com uma tensão e corrente diferentes das iniciais. transformando corrente eléctrica sinusoidal com uma determinada tensão. Num transformador existem duas bobines de fio separadas e enroladas à volta de uma peça de ferro denominada núcleo. uma vez que é o fluxo magnético que faz com que a transformação aconteça. Quando uma corrente eléctrica variável passa através do enrolamento primário de um transformador produz um fluxo magnético variável sobre o núcleo. É um dispositivo destinado a transferir energia eléctrica de um circuito para outro. fazendo registo dos valores das tensões e correntes nos terminais do primário e do secundário e ainda dos valores das resistências dos enrolamentos. sendo transferida energia eléctrica do circuito primário para a carga através do transformador. em corrente eléctrica sinusoidal. No transformador não existe qualquer tipo de ligação eléctrica entre as tensões do primário e do secundário. e se uma carga estiver ligada a essa bobine. criando um campo magnético variável ao longo do enrolamento secundário. analisando os seus componentes e os diferentes comportamentos do transformador quando este se encontra em vazio. _Introdução O transformador tem como principal função ajustar tensões e correntes consoante as necessidades. curto-circuito e em carga. . Este campo magnético induz uma força electromotriz variável ou tensão na bobine. ocorre um fluxo de corrente eléctrica no referido enrolamento. Um transformador é uma máquina de funcionamento reversível._Objectivos O ensaio laboratorial realizado teve como principal objectivo dar a conhecer o funcionamento de um transformador monofásico.

pelo que não isola electricamente o circuito eléctrico primário do circuito eléctrico secundário. _Isolamento É um transformador que tem como objectivo a obtenção de um isolamento eléctrico entre os circuitos ligados ao primário e ao secundário. _Autotransformador É um transformador com apenas um enrolamento que se encontra divido em dois. sendo esta proporcional à corrente que a gerou. A tensão no secundário é dada pela divisão de tensão do enrolamento. sendo que a tensão no secundário se mantém igual à tensão no primário._Transformadores _Corrente Num transformador de corrente o objectivo é através de uma corrente gerar uma força electromotriz no enrolamento. mantendo a mesma frequência do primário. A relação de transformação é dada pela relação entre a tensão do primário e do secundário. pelo que uma vez medida a força electromotriz podemos saber a corrente e medindo a corrente podemos saber a força electromotriz. . _Potência O principal objectivo do transformador de potência é transformar a potência do lado primário numa potência pretendida do lado do secundário.

temos: () () () () () () _Transformador real Um transformador real é dado devido às perdas existentes na parte do electromagnetismo. . e uma vez que não existem perdas. No transformador ideal a relação de transformação é dada pela relação entre o número de espiras do primário e do secundário. Estas perdas dão-se nos enrolamentos._Transformador ideal Um transformador ideal é um transformador em que não existissem quaisquer perdas. pelo que a potência que obteríamos no secundário seria igual à fornecida pelo primário. uma vez que estes têm resistência e quando neles passam as correntes gera-se calor.

Com o ensaio em vazio pode-se calcular o factor de potência do transformador em vazio. um voltímetro. que interessa saber para quando o transformador fica sem carga. corrente e potência são não nulos. Uma vez ligados os mesmos aparelhos medida. desta vez ao circuito do secundário observa-se que os valores são nulos. Logo pode-se concluir que a energia presente no circuito primário é dissipada no enrolamento primário e no núcleo do ferro. O factor de potência é dado por: ._Ensaios _Ensaio em Vazio Um ensaio em vazio consiste em ligar o primário à corrente e deixar o secundário em aberto não ligando nenhuma carga desse lado. Ao ligarem-se os aparelhos de medida. um amperímetro e um wattímetro ao circuito do primário observa-se que os valores de tensão. para que não exista transmissão de energia do primário para o secundário. este ainda tem energia reactiva que pode ser consumida ou produzida.

Uma vez que o enrolamento do secundário tem uma resistência. a impedância do secundário é praticamente nula. resultando uma tensão em carga que é inferior à tensão observada em vazio. . pelo que a tensão do primário que é necessária para obter a corrente é muito pequena. esta vai fazer com que haja uma queda de tensão nesse enrolamento. liga-se o secundário a uma ou mais cargas. permitindo que neste passe corrente eléctrica. ao ligarmos os aparelhos de medida no secundário os valores das leituras são não nulos. que é dada por: _Ensaio em Carga Num ensaio em carga. Uma vez curto-circuitado._Ensaio em Curto-Circuito Um ensaio em curto-circuito consiste em curto-circuitar o secundário ligando-se os terminais do secundário e posteriormente aumenta-se a tensão no primário até que se obtenha no secundário corrente com o valor nominal. Assim ao contrário do ensaio em vazio. Com este ensaio é possível calcular o valor da corrente do curto-circuito do secundário. tensão que se vai subtrair com a queda de tensão induzida.

Realização dos Ensaios Material _ Fonte de Alimentação. 4_ Repetiram-se os passos anteriores para as várias correntes estipuladas. _ Fios de ligação. _ Wattímetro. as quais se utilizaram para calcular cada resistência. _ Amperímetros. _ Voltímetros. obtiveram-se as leituras da tensão contínua e da corrente contínua. Nos quais se efectuaram medições das resistências dos enrolamentos: _ do Primário. _ Transformador monofásico. 3_ Recorrendo-se ao voltímetro e ao amperímetro. _ Curto-circuito. . Procedimento Experimental: Realizaram-se ensaios no transformador em: _ Vazio. _ do Secundário. _ Ohmímetro. _ Carga. Procedimento: 1_ Com a ajuda de um ohmímetro mediu-se a resistência entre os terminais de cada enrolamento. 2_ Aplicou-se a cada enrolamento uma tensão contínua reduzida. até que a corrente estipulada fosse atingida.

13 Carga3 150 3.28 73.82 90. 150 5 60 Carga1 150 0.1º 116.68 90.74º 144.5 22 140 0 0.27 U1 (V) I1 (A) P (W) U2 (V) I2 (A) cos φ φ U2 teórico (V) η (%) 0.45 350 130 2.95 17.2 0.75º 126.Cálculos Circuito equivalente Tabela de valores Vazio 150 0.74º .28 73.5 21 C.7 1.4 490 125 2.8 0.C.7 Carga2 150 2.96 16.

Ensaio em Vazio Ensaio em Curto-Circuito √ √ .

Ensaios em Carga _Carga1 ( ) ( ) .

_Carga2 ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) .

φ φ _Carga3 ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) φ φ .

Simulink .

Gráficos obtidos através do Simulink Tensão no Secundário em função da Corrente do Primário Tensão no Secundário em função da Corrente do Secundário .

Potência Útil em função da Corrente do Primário Potência Dissipada em função da Corrente do Primário .

Rendimento em função da Corrente do Primário .

nada conseguimos concluir. . pois obtivemos um rendimento muito reduzido. que tem o objectivo de manter a tensão no secundário igual á do primário. e uma maior potência na fonte. que correspondia aos valores teóricos calculados. Com os ensaios pudemos verificar essa igualdade com uma ligeira queda de tensão. havia uma maior queda de tensão. No ensaio em carga em que se pretendia uma corrente de 0 A no secundário. Ao realizarmos os ensaios em carga concluímos que à medida que se pretendia mais corrente da fonte.Conclusão Pudemos observar que os valores obtidos experimentalmente estão próximos dos valores teóricos calculados analiticamente. O transformador utilizado nos ensaios tinham uma característica de 1:1.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->