Você está na página 1de 2

MERCADO DE CRÉDITOS DE CARBONO – INTRODUÇÃO ÀS ENTIDADES

REGULATÓRIAS E FISCALIZATÓRIAS ATUANTES NOS PAISES PROPONENTES


(*)Denise de Mattos Gaudard
1.1- - Entidade Operacional (EO)
São organizações credenciadas pelo Comitê Executivo (CE) do United Nations Frame
Climate Change Comitee-UNFCCC (2001) e que têm a função de intermediar as respectivas
COPs (Conferência das Partes) nas avaliações, verificações e certificações de projetos de
MDL
Fazem relatórios de prestação de contas a COP através do Comitê Executivo, devendo
aquiescer com as modalidades e decisões aprovadas pela respectiva COP. São funções das
Autoridades Operacionais Designadas (AOD)

• Fazer auditorias locais nos respectivos Projetos;


• Validar as metodologias MDL propostas;
• Verificar se a documentação do projeto está consonância com os critérios
estabelecidos pela respectiva COP;
• Verificar se o respectivo projeto MDL tem a devida eficácia na redução e ou mitigação
das emissões de gases do efeito estufa;
• Rever os resultados das auditorias, verificando a metodologia dos mesmos;
• Solicitar modificações no monitoramento do projeto, quando há discrepâncias;
• Fornecer relatório do projeto de MDL para todas as partes participantes e para o
Comitê Executivo;
• Enviar relatório anual ao Comitê Executivo do UNFCCC
• Tem de comprovar que não há um conflito de interesses com os participantes do
projeto de MDL para o qual foi selecionada. Tal conduta evitaria ou diminuiria os
riscos de fraude.

É permitido designar uma única EOD (Entidade Operacional) para cumprir todas as
funções de avaliação, registro, monitoramento, validação e certificação do projeto de MDL,
ou apenas uma das respectivas etapas.
A EOD é escolhida pelos participantes do projeto de MDL, desde que previamente
credenciada no Comitê Executivo.
Caso haja alguma modificação da respectiva metodologia ao longo de um projeto de MDL
já iniciado, a EO deve interromper a etapa de registro no Comitê Executivo, reiniciar uma
nova auditoria e somente depois desta etapa deverá iniciar o processo de validação no EB
(Executive Board).

1.2-Formação da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima no Brasil


(Entidade ou Autoridade Nacional)
Na seqüência de como um Projeto MDL é aprovado e se emitem os Créditos de
Carbono (ou Certificado de Redução de Emissões - CREs), vamos analisar agora a formação
das comissões nacionais criadas para avaliar e aprovar estes Projetos em cada um dos
respectivos paises.
A Comissão brasileira, ou Autoridade Nacional foi criada por decreto em 07 de julho
de 1999, tendo como principal objetivo de dar prosseguimento e coordenar as decisões
regulamentatórias previstas no Artigo 12 do Protocolo de Quioto, com base na Convenção-
Quadro sobre Mudanças Climáticas (CQCMC) e conforme as diretrizes de estratégias
nacionais de desenvolvimento sustentável.
Diretamente ligada à presidência da república e responsável pela emissão de
pareceres, solidificar as políticas setoriais de desenvolvimento; representar as posições do
governo federal nas negociações da Convenção, define os critérios que irão estabelecer a
elegibilidade (ou a adicionalidade) de um projeto de MDL e somente após sua prévia
aprovação (através de carta formal) que os mesmos são enviados para o Comitê Executivo-
CE do UNFCCC, junto com um relatório de validação que será ratificado ou não pelo CE.

• Funções da Entidade Nacional


o Dotada de capacidade técnico-jurídica para analisar projetos,
podendo:

 Avaliar e aprovar (por escrito),


 declarar a natureza voluntária,
 assegurar a compatibilidade com os critérios nacionais e
internacionais e,
 garantir o compromisso com o desenvolvimento sustentável do país

o É Reguladora e Obrigatória
o Faz a avaliação e Aprovação de Projectos MDL onde verifica:

 Compatibilizar com o Desenvolvimento Sustentável;


 Garantir resultados e benefícios reais, mensuráveis e de longo-prazo

• A comissão é composta pelos seguintes membros:

• MCT-Ministério da Ciência e Tecnologia (Presidência);


• MMA-Ministério do Meio Ambiente (Vice-presidência);
• MRE-Ministério da Reforma Agrária;
• MME-Ministério das Minas e Energia;
• MDIC-Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio;
• MAPA-Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;
• MPOG-Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão;
• MT-Ministério do Trabalho;
• Casa Civil
• MCidades-Ministério das Cidades
• MF -Ministério da Fazenda

(*) Denise de Mattos Gaudard é consultora de Gestão Empresarial e Ambiental.


Formada em Administração de Gestão Empresarial pela Universidade Santa Úrsula
(USU-RJ); Pós Graduada em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ) e
Comércio Exterior pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Extensão em
educação ambiental, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e Gestão de
Projetos no Project Management Institute (PMI-RJ). Participa do desenvolvimento de
projetos de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) e gestão de resíduos junto a
prefeituras e empresas financiadoras parceiras.Ministra cursos e escreve artigos sobre
MDL e Gestão Participativa em mídias nacionais e internacionais