P. 1
Análise de FANATISMO - Florbela espanca lit Port 3

Análise de FANATISMO - Florbela espanca lit Port 3

|Views: 1.409|Likes:

More info:

Published by: Helen Vanessa Zanchin on Apr 17, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/24/2014

pdf

text

original

ANÁLISE DE FANATISMO, DE FLORBELA ESPANCA

FANATISMO Minh‟alma, de sonhar-te, anda perdida (A) Meus olhos andam cegos de te ver! (B) Não és sequer razão de meu viver, (B) Pois que tu és já toda a minha vida! (A) Não vejo nada assim enlouquecida…(A) Passo no mundo, meu Amor, a ler (B) No misterioso livro do teu ser (B) A mesma história tantas vezes lida! (A) “Tudo no mundo é frágil, tudo passa…”(C) Quando me dizem isto, toda a graça (C) Duma boca divina fala em mim! (D) E olhos postos em ti, vivo de rastros: (C) "Ah! Podem voar mundos, morrer astros, (C) Que tu és como Deus: princípio e fim!..." (D) (Florbela Espanca)

O poema Fanatismo foi publicado na obra Livro de Sóror Saudade, em 1923. Trata-se de um soneto (4 estrofes – 4 quartetos e dois tercetos, isométricas e isorrítmicas, uniformes entre si as estrofes nº 1 e 2 e e livres em relação às 3ª e 4ª estrofes). Seus Versos são decassílabos, regulares – heroicos e isorrítmicos, com esquema rítmico binário. As rimas são interpoladas nos quartetos e nos versos 11 e 14; nos versos 8,9,11 e 12 são emparelhadas; ricas em todos os versos (com exceção dos versos 12 e 13 – rastros/astros), toantes, graves e femininas nos versos 1,4,5,8,9,10,12 e 13; agudas e masculinas nos demais versos. Aliteração: letra m; Crase: toda a (v1 0) Elisão: Minh‟alma; fala em(v11); e, olhos (v.12); princípio e (v14) Prosopopeia: voar mundos; boca divina Metáfora: misterioso livro de teu ser; Hipérbole: Pois que tu és já toda a minha vida; Que tu és como Deus: princípio e fim!.. Comparação: como Deus Paradoxo: Meus olhos andam cegos de te ver;
1

O título do poema dá ideia da intensidade do sentimento . hipérbole. Eu-lírico: mulher apaixonada que declara seu amor O poema é uma declaração de amor feita por uma mulher a seu amado. onde expõe de maneira clara a intensidade de seu sentimento. paradoxo). 10 e 11). eis que este já se tornou „toda sua vida‟. ou ainda. ao Deus de sua vida. 6 e 7). 2 . e principalmente o traço do romantismo que permeou as poesias do período. O eu-lírico corrobora essa ideia no poema quando afirma que sua „alma está perdida‟. a musicalidade na composição dos versos e rimas (que permitiu que o poema fosse musicado pelo cantor brasileiro Fagner).Fanatismo. a espiritualidade através da elevação do amor e do ser amado a um patamar superior às demais pessoas. que beira a obsessão. A confiança do eu-lírico na durabilidade e na permanência de seus sentimentos é tão grande que ela chega a desdenhar daqueles que tentam alertá-la sobre a fugacidade das coisas e dos sentimentos. o subjetivismo representado pelo amor exacerbado do eu-lírico que o impede de viver lucidamente e de enxergar o ser amado como pessoa de „carne e osso‟. toda a graça duma boca divina fala em mim (vs. o eu-lírico tenta representar a extensão e a força de seu amor. alçando-o à condição de Deus. aliteração. O amor do eu-lírico é tão desmedido e irracional que assume ares de devoção religiosa no momento em que compara o ser amado a Deus. a qual define seu começo e seu fim. que remete à definição de um sentimento anormal.no misterioso livro do teu ser (vs. As características simbolistas presentes na obra são o uso de várias figuras estilísticas (metáfora. que tomou conta de sua vida totalmente.Encadeamento: a ler . comparação. que seus olhos „andam cegos „ de te ver o ser amado e ainda que anda „enlouquecida‟. Através de metáforas e hipérboles.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->