P. 1
Tratamento de Resíduos Agroindustriais

Tratamento de Resíduos Agroindustriais

|Views: 238|Likes:
Publicado porvagner_hp_tst

More info:

Published by: vagner_hp_tst on Apr 17, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/05/2014

pdf

text

original

Componente

:

TRATAMENTO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS
Curso Técnico Subseqüente em Agroindústria Módulo III
Professor:Victor Hugo Gomes Sales Paraíso, Maio de 2011

Tema: CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS.

RESÍDUOS SÓLIDOS

RESÍDUOS SÓLIDOS.
Os resíduos sólidos de agroindústrias (bagaços, tortas, restos de frutas e hortaliças, etc.) são provenientes de:
Indústria sucro-alcooleiras (bagaços); Matadouros e indústrias do processamento de carnes (vísceras e carcaça de animais); Frutas e hortaliças (bagaço, tortas, refugo e restos), Indústria da celulose e papel (resíduos da madeira, lodo do processo de produção e do tratamento de águas residuárias), Curtumes (aparas de couro e lodo do processo e tratamento de águas residuárias), etc.

RESÍDUOS SÓLIDOS.
INDUSTRIA DE PROCESSAMENTO DE CARNES GERA:
Sangue; Banha; Sólidos orgânicos ou inorgânicos; Sais e químicos processamento. que são adicionados durante as operações de

NA INDUSTRIALIZAÇÃO DE PEIXE GERA: Pequenos pedaços de peixes; Escamas e peles; Vísceras, etc.

RESÍDUOS SÓLIDOS.
NOS CRIATÓRIOS DE ANIMAIS EM CONFINAMENTO (SUÍNOS, AVES, BOVINOS, EQUINOS E OVINOS) GERA:
Grandes quantidades de dejetos que podem ser manejados na forma sólida (conteúdos de sólidos totais maiores que 15-20 dag L-1) e são denominados “estercos”.

RESÍDUOS DOS CULTIVOS AGRÍCOLAS SÃO: Constituídos pelos restos de plantas não aproveitados comercialmente (“cana” de milho, “palha” de feijão, “palha” de soja, etc.).

PROTOZOÁRIOS E ETC) E PROLIFERAÇÃO DE MACRO VETORES (MOSCAS. MOSQUITOS. VÍRUS.ASPECTOS NEGATIVOS CONTAMINAÇÃO DIRETA FERMENTAÇÃO DO MATERIAL COM FORMAÇÃO DE ACIDOS ORGÂNICOS “CHORUME” – LÍQUIDO DE ELEVADA DBO LIXIVIAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS TÓXICAS COM GERAÇÃO DE MAUS ODORES DIMINUIÇÃO DO OXIGÊNIO DISSOLVIDO EM AGUAS SUPERFICIAIS HABITAT (BACTÉRIAS. FUNGOS. BARATAS E RATOS). .

ÁGUAS RESIDUÁRIAS .Tema: CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS.

. em corpos hídricos são a elevação da DBO da água. pode ser estimada tomando-se por base o consumo de água no processo de produção. o que provoca diminuição do oxigênio dissolvido no meio. Os principais impactos ambientais proporcionados pelo lançamento de águas residuárias agroindustriais. sem tratamento prévio. se não puder ser obtida diretamente em pontos de lançamento. eutrofização dos corpos hídricos e proliferação de doenças veiculadas pela água. alteração da temperatura e aumento da concentração de SS (aumento da turbidez) e SST na água. incluindo-se águas usadas na lavagem de pisos e maquinário.AGUAS RESIDUÁRIAS. A determinação da vazão de águas residuárias nas agroindústrias.

NOS CRIATÓRIOS DE ANIMAIS GERAÇÃO DE EFLUENTES: Suinoculturas .Entre 8 e 25 litros de águas residuárias por animal por dia.AGUAS RESIDUÁRIAS.3.6 dag/kg da massa viva do animal. Ovinocultura .4. Bovinocultura . As características químicas e físicas das águas residuárias de criatórios de animais são altamente variáveis Digestibilidade e composição da ração Idade dos animais ANÁLISES LABORATORIAIS .6 dag/kg de sua massa viva.

000 20.6 1.viva.dia t.viva.dia t.000 5. além das faixas normais para os principais parâmetros de sua caracterização. Quadro .6 0. considerando diferentes unidades de produção.9 DBO (mg/L) 5.000 1500-5000 5.5 – 2.viva.dia Carga de DBO (kg/unid) 1. Gênero Tipo Unidade produção t.000-3.5 0.AGUAS RESIDUÁRIAS.dia t.000 2.viva.dia t.0 1.000-10.000-15.000 SS (kg/unid) Suinocultura CRIATÓRIO DE ANIMAIS Vacas leiteiras Bovinos de corte Eqüinos Ovinos 12 12 15 .8 – 2.viva.0 – 1.Dados médios de produção de águas residuárias.

4 litros para cada litro de fruto despolpado.AGUAS RESIDUÁRIAS. quando não for feita a recirculação da água. do tipo e quantidade de matéria-prima processada e das técnicas empregadas no processamento Beneficiamento de frutos do cafeeiro 1 litro para cada litro de fruto lavado. . principalmente. AGROINDUSTRIAS GERAÇÃO DE EFLUENTES: A vazão de águas residuárias em agroindústrias é função.

Características químicas e bioquímicas da água residuária da lavagem e descascamento/despolpa (Desc/desp) dos frutos do cafeeiro.QUADRO . .

a geração de vinhaça está entre 150 e 300 m3 por cada 1. Usinas sucro-alcooleiras Usinas açucareiras com destilaria. Elevada DBO (>20.000 toneladas de canade-açúcar processada. .L-1).AGUAS RESIDUÁRIAS. A vinhaça é o principal resíduo de usinas de produção de álcool e aguardente. particularmente K. Devido à sua riqueza em matéria orgânica e nutrientes.000 mg. torna conveniente a sua aplicação na lavoura canavieira. conforme pode-se verificar no Quadro a seguir.

Análise física.QUADRO . química e bioquímica da vinhaça .

.AGUAS RESIDUÁRIAS. Laticínios Processamento do leite para consumo “in natura” gera cerca de 3.25 litros de água residuárias para cada litro de leite processado. além de mais 5 a 10 L de soro para cada quilo de queijo produzido. Na produção de queijo gera-se entre 3 e 4 litros de água residuárias para cada litro de leite processado.

AGUAS RESIDUÁRIAS. Laticínios A DBO do leite integral é cerca de 100. mesmo em pequenas quantidades Seu valor nas águas residuárias irá depender do tipo de processamento a que o leite foi exposto e do tipo de produto manufaturado.000 mg L-1 e exigem uma alta demanda de oxigênio para sua decomposição. .

200 mg L-1 de DBO. a água residuária contém 4.000 kg de leite processado 2.000 mg.0 kg ou mais de DBO. que contém cerca de 4 dag L-1 de sólidos e elevada DBO (entre 30. Em um laticínio com queijaria. Laticínios Para cada 1.AGUAS RESIDUÁRIAS. as águas residuárias geradas apresentam maior carga orgânica.L-1). em razão do soro. .000 a 60.

25 e 0. pátios e etc) Quantidade de Água (m3) 0. Matadouros Frigoríficos Os volumes de água gastos estão entre 0.6 . Triparia.AGUAS RESIDUÁRIAS. Sanitários e etc.9 1. Seção Abate Bucharia.0 0. sendo distribuídos da seguinte forma: Quadro – Consumo de água por seção.4 m3 para cada animal abatido. Áreas Externas (Currais.

Alta carga orgânica. Elevadas concentrações de sulfetos e de cromo. . Curtumes No geral. Intensa cor e grande dureza.AGUAS RESIDUÁRIAS. Grande quantidade de sólidos suspensos (pelos e carnaça). as águas residuárias de curtume caracterizamse por apresentarem: Elevado pH.

pH ácido.AGUAS RESIDUÁRIAS. Apresentam. apresentando. Curtumes As águas residuárias da etapa de curtição (acidificação e curtição propriamente dita) contêm. essas águas residuárias apresentarão maior ou menor DBO. Dependendo do curtiente utilizado. também. por isso. . elevada turbidez e cor verde (curtição por cromo) ou castanha (curtição por taninos). enzimas e curtientes (vegetais e minerais utilizados para facilitar o curtimento do couro) e ácidos minerais (HCl) e orgânicos (lático e fórmico).

As águas residuárias apresentam: Elevado conteúdo orgânico. Indústrias de processamento de frutas e hortaliça Em indústrias de processamento de frutas e hortaliças são gerados resíduos sólidos e líquidos. e DBO relativamente baixa. Baixas concentrações de sólidos em suspensão. .AGUAS RESIDUÁRIAS. Altas temperaturas.

AGUAS RESIDUÁRIAS. respectivamente: DQO 1.600 mg L-1. .900 e 650-2.300 mg L-1 DBO de 800-1.300 mg L-1. A lavagem de batata gera efluentes de DBO em torno de 3.750-2.900 e 450-1. Indústrias de processamento de frutas e hortaliça Águas residuárias do processamento de cenoura e tomate apresentam.

000 mg L-1. . sebo. parte da barrigada.3.L-1 de DBO5). Indústrias de processamento de Carnes 1) Matadouro Bovinos Em matadouros de bovinos as águas residuárias são compostas de sangue (156.AGUAS RESIDUÁRIAS. DQO de 218. pêlos.000 mg.300 mg L-1 e pH de 7. O sangue bovino tem DBO5 de 156. além de dejetos do animal abatido. Apararas.

900 mg L-1 e DQO de 16.350 mg L-1 e DQO de 4.230 mg L-1 As segundas DBO de 2. Indústrias de processamento de Carnes 2) Matadouro de Aves Em abatedouros de frangos. apresentando: As primeiras DBO em torno de 3. as águas residuárias de processo apresentam DBO e DQO mais elevadas do que as de lavagem das máquinas e pisos.850 mg L-1 .AGUAS RESIDUÁRIAS.

AGUAS RESIDUÁRIAS.500 mg L-1. maior nas águas de lavagem. no entanto. As águas de processo apresentam valor de 2. .000 mg L-1. alcançando concentração de 8. Indústrias de processamento de Carnes 2) Matadouro de Aves O conteúdo de óleos e graxas é.

MÉTODOS APLICADOS .TEMA: PRINCIPAIS SISTEMAS DE TRATAMENTO.

PROCESSOS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SE RESUME EM: Método físico Método biológico Método químico MÉTODO FÍSICO ⇒ utiliza forças físicas: * decantação (usa a força gravitacional) * floculação (agrupamento das partículas por colisão) * flotação (usa o arraste dos particulados por pequenas partículas de ar formadas no volume do reator. Outros métodos físicos incluem: peneiramento. desintegração. mistura e filtragem . equalização.

SEQÜÊNCIA DE UTILIZAÇÃO DOS MÉTODOS FÍSICOS NUMA PLANTA CONVENCIONAL DE TRATAMENTO DE EFLUENTES .

MÉTODO BIOLÓGICO ⇒ utiliza o metabolismo de microrganismos Processo em batelada Processo contínuo Fundamentos do tratamento biológico de efluentes .

Mg) Carbono + Nutrientes = SUBSTRATO . reações de oxi-redução (chemotróficos) Carbono: síntese celular Dióxido de carbono = autotrófico Compostos orgânicos = heterotrófico Nutrientes (N. S. P.Necessidades dos microrganismos para o metabolismo. K. Fonte de energia: luz (fototróficos). Ca.

ANAERÓBIOS.Os processos de tratamento biológico podem ser: AERÓBIOS. -Facultativas* -De maturação LAGOAS -Lagoas anaeróbias -Lagoas aeradas . FACULTATIVOS.

1 – 1 µm) Coagulação por neutralização da carga.MÉTODO QUÍMICO ⇒ utiliza processos químicos COAGULAÇÃO = desestabilização das partículas coloidais (0. .

MANGANÊS E CIANETOS (altamente tóxicos).PRECIPITAÇÃO QUÍMICA = alterar o equilíbrio iônico de um composto metálico para produzir um precipitado insolúvel A TÉCNICA É UTIL PARA REMOVER ÍONS METÁLICOS COMO OS DE CÁLCIO E MAGNÉSIO. peróxido de hidrogênio OS POLUENTES DE POSSÍVEL REMOÇÃO SÃO: FERRO. permanganato de potássio. ozônio. METAIS PESADOS OXIDAÇÃO = objetivo é obter produtos finais ou intermediários de mais fácil biodegradação. cloro. ÂNIONS FOSFATOS. ou removíveis por adsorção Os oxidantes químicos mais usados são: oxigênio. ORGÂNICOS (pesticidas) .

ADSORÇÃO COM CARVÃO ATIVADO = adsorção física de compostos orgânicos solúveis na superfície do carvão A TÉCNICA É UTIL PARA REMOVER SOLVENTES ORGÂNICOS. Nanofiltragem e Osmose reversa . COMPOSTOS DE ALTO PESO MOLECULAR. METAIS PESADOS TECNOLOGIA DE MEMBRANA = separação seletiva de diferentes compostos PROCESSOS: Microfiltragem. Ultrafiltragem.

.

.

.

.

WETLANDS CONSTRUÍDAS .

MÉTODOS ALTERNATIVOS . os processos de tratamento de efluentes têm sido direcionados para remoção de sólidos suspensos totais (SST).Historicamente. matéria orgânica biodegradável (DBO) e remoção de organismos patogênicos (presença de coliformes).

.MÉTODOS ALTERNATIVOS ELETRÓLISE = visando principalmente remoção de matéria orgânica IRRADIÇÃO ULTRA-VIOLETA = visando principalmente desinfecção. metais pesados e orgânicos PROCESSOS DE OXIDAÇÃO AVANÇADOS = utiliza radiação ionizante proveniente de feixe de elétrons de alta energia. Aspergillus flavus e Drechslera sp OZÔNIO = oxidação de microrganismos (desinfecção) e de compostos como fenol. Comprimentos de onda de 260 – 265 nm têm função germicida. gerados em aceleradores industriais. Ação: material genético dos microrganismos (ácido nuclêico) FUNGOS FILAMENTOSOS = Aspergillus niger. cianeto.

Tema: SISTEMAS DE TRATAMENTO RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS OPERAÇÕES. ROCESSOS E SISTEMAS .

Níveis do Tratamento de Efluentes. Tratamento preliminar Tratamento primário Tratamento secundário Tratamento terciário ou póstratamento .

SISTEMAS DE TRATAMENTO. Primário: remoção de sólidos por sedimentação ou flotação. compreende também a remoção por diferença de densidade de Óleos e Graxas livre em Separação Água e Óleo. Preliminar: remoção de sólidos sedimentáveis grosseiros (areia. ou pela associação de coagulação e floculação (clarificação físico-química). carvão. que objetivam a remoção dos poluentes. pó de pedra e similares). São constituídos de etapas (operações unitárias). terra diatomácea. .

compostos orgânicos refratários aos níveis de tratamento anteriores). e desinfecção do efluente tratado. . P. metais pesados. Secundário: remoção de matéria orgânica biodegradável dissolvida ou coloidal. turbidez (remoção de colóides. Remove também nutrientes: nitrogênio e fósforo.SISTEMAS DE TRATAMENTO. N. Terciário: melhoria da qualidade dos efluentes tratados pelas remoções de cor residual.

.SISTEMAS DE TRATAMENTO. PRINCIPAIS PROCESSOS DE TRATAMENTO: Devido à complexidade da composição dos efluentes industriais. são necessárias as associações de diversos níveis de tratamento para a obtenção de efluentes com as qualidades requeridas pelos padrões de lançamento. Os processos mais indicados para efluentes da tipologia comum no parque industrial brasileiro estão indicados a seguir.

.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Descartes de produtos retornados do mercado. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (REFRIGERANTES): Os efluentes ricos em açúcares. Linhas de enchimento de latas e garrafas. alguns corantes e outros componentes das bebidas são gerados: Nas lavagens das salas da xaroparia e de pisos. e Esgotos sanitários.

Secundário: reator anaeróbio seguido de lodos ativados.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Primário: correção de pH. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (REFRIGERANTES): O tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: remoção de areia. . separação de água e óleo e peneiramento.

Linhas de enchimento de latas e garrafas. Lavagens de pasteurizadores e pisos. e Esgotos sanitários dos funcionários.SISTEMAS DE TRATAMENTO. . INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (CERVEJAS) Os efluentes ricos em açúcares (malte e cevada) e outros componentes das cervejas. tais como: Nas lavagens das salas de fermentação. Descartes de produtos retornados do mercado.

INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (CERVEJAS) O processo de tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: remoção de areia. lagoa aerada ou lodos ativados. peneiramento e correção do pH Secundário: Processo misto anaeróbio. . biodigestão (em duas etapas sendo a primeira constituída por hidrólise ácida e a segunda pela etapa metanogênica) e aeróbio. Secundário simples. no caso os lodos ativados. separação de água e óleo. pode ser composto somente de processo aeróbio.SISTEMAS DE TRATAMENTO.

tais como: Recepção do pescado. diversas etapas do Acondicionamento em latas. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS . autoclavagem e lavagem.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Cozimento. Evisceração e Salmoura.PESCADO: Os efluentes são gerados em processamento do pescado. Condensação nas câmaras frigoríficas. adição do óleo Lavagens para resfriamento. recravamento. .

INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS . . remoção da matéria orgânica dissolvida em reator anaeróbio.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Primário: clarificação físico-química por adição de coagulantes químicos e cloreto férrico. Secundário: biodigestão.PESCADO: O processo de tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: peneiramento e equalização para a remoção de escamas e pedaços de peixes. por flotação remoção de óleos emulsionados e sólidos coloidais.

Lavagens das caixas utilizadas no transporte. Evisceração. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Aves: Os efluentes são gerados nas lavagens de pisos e das instalações nas seguintes etapas da produção: Área de recebimentos das aves. sala de sangria escaldamento. . Embalagem . Depenagem mecanizada. resfriamento com gelo.congelamento e expedição. Sala de abate.SISTEMAS DE TRATAMENTO.

separação de gorduras Secundário: lagunagem .SISTEMAS DE TRATAMENTO. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Aves: O processo de tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: peneiramento para remoção de penas e vísceras. seguido de clarificação físico-química (flotação) e tratamento por lodos ativados. facultativa e de aguapé No caso de não haver espaço para a implantação de lagoas o processo preliminar é complementado com o tanque de equalização.: Recomenda-se o aproveitamento do sangue. . vísceras e penas na fabricação de farinha de aves (ração). Obs.uma série de lagoas anaeróbia.

INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Bovinos e Suínos: Os efluentes são gerados nas seguintes etapas do processo industrial: Águas de Banho.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Lavagem da sala da sangria. Limpeza de pocilgas e currais. Lavagem de vômito. Limpeza da graxaria e Águas de cozimento. Lavagem da carcaça. . Limpeza dos equipamentos.

. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Bovinos e Suínos: O processo técnica e economicamente viável é composto da etapa: Preliminar: com separação de gorduras. e Lagoas em série (lagoa anaeróbia seguida de lagoa facultativa ou aerada). estrume. sólidos grosseiros (resíduos de carne. objetivando-se reduzir os custos totais de operação e instalação da atividade. Deve-se observar que um abatedouro é uma atividade industrial que deve estar localizada de forma a ter uma área disponível para aplicar o processo de lagoas.SISTEMAS DE TRATAMENTO.). etc.

“layout” industrial. A qualidade dos efluentes varia em função dos produtos industrializados. tecnologia utilizada para a higienização das instalações e qualidade do leite utilizado. . capacidade de produção. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Laticínios Os efluentes industriais dos laticínios são oriundos das diversas etapas: Lavagens de pisos e equipamentos que arrastam resíduos de leite e seus derivados incluindo também produtos de limpeza.SISTEMAS DE TRATAMENTO.

ou lagoas).SISTEMAS DE TRATAMENTO. utilizando-se caixas de gordura Primário: flotação com o auxílio da coagulação química para a remoção de gorduras. biodigestor. Secundário: lodos ativados. . INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Laticínios O tratamento dos efluentes gerados pode ser conseguido através de diversos tipos de processos tais como: Preliminar: separação de gorduras.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->