Componente

:

TRATAMENTO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS
Curso Técnico Subseqüente em Agroindústria Módulo III
Professor:Victor Hugo Gomes Sales Paraíso, Maio de 2011

Tema: CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS.

RESÍDUOS SÓLIDOS

RESÍDUOS SÓLIDOS.
Os resíduos sólidos de agroindústrias (bagaços, tortas, restos de frutas e hortaliças, etc.) são provenientes de:
Indústria sucro-alcooleiras (bagaços); Matadouros e indústrias do processamento de carnes (vísceras e carcaça de animais); Frutas e hortaliças (bagaço, tortas, refugo e restos), Indústria da celulose e papel (resíduos da madeira, lodo do processo de produção e do tratamento de águas residuárias), Curtumes (aparas de couro e lodo do processo e tratamento de águas residuárias), etc.

RESÍDUOS SÓLIDOS.
INDUSTRIA DE PROCESSAMENTO DE CARNES GERA:
Sangue; Banha; Sólidos orgânicos ou inorgânicos; Sais e químicos processamento. que são adicionados durante as operações de

NA INDUSTRIALIZAÇÃO DE PEIXE GERA: Pequenos pedaços de peixes; Escamas e peles; Vísceras, etc.

RESÍDUOS SÓLIDOS.
NOS CRIATÓRIOS DE ANIMAIS EM CONFINAMENTO (SUÍNOS, AVES, BOVINOS, EQUINOS E OVINOS) GERA:
Grandes quantidades de dejetos que podem ser manejados na forma sólida (conteúdos de sólidos totais maiores que 15-20 dag L-1) e são denominados “estercos”.

RESÍDUOS DOS CULTIVOS AGRÍCOLAS SÃO: Constituídos pelos restos de plantas não aproveitados comercialmente (“cana” de milho, “palha” de feijão, “palha” de soja, etc.).

BARATAS E RATOS). MOSQUITOS. VÍRUS. PROTOZOÁRIOS E ETC) E PROLIFERAÇÃO DE MACRO VETORES (MOSCAS. .ASPECTOS NEGATIVOS CONTAMINAÇÃO DIRETA FERMENTAÇÃO DO MATERIAL COM FORMAÇÃO DE ACIDOS ORGÂNICOS “CHORUME” – LÍQUIDO DE ELEVADA DBO LIXIVIAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS TÓXICAS COM GERAÇÃO DE MAUS ODORES DIMINUIÇÃO DO OXIGÊNIO DISSOLVIDO EM AGUAS SUPERFICIAIS HABITAT (BACTÉRIAS. FUNGOS.

ÁGUAS RESIDUÁRIAS .Tema: CARACTERIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS.

pode ser estimada tomando-se por base o consumo de água no processo de produção. sem tratamento prévio. incluindo-se águas usadas na lavagem de pisos e maquinário.AGUAS RESIDUÁRIAS. em corpos hídricos são a elevação da DBO da água. A determinação da vazão de águas residuárias nas agroindústrias. . alteração da temperatura e aumento da concentração de SS (aumento da turbidez) e SST na água. se não puder ser obtida diretamente em pontos de lançamento. Os principais impactos ambientais proporcionados pelo lançamento de águas residuárias agroindustriais. eutrofização dos corpos hídricos e proliferação de doenças veiculadas pela água. o que provoca diminuição do oxigênio dissolvido no meio.

Entre 8 e 25 litros de águas residuárias por animal por dia. Bovinocultura . Ovinocultura . As características químicas e físicas das águas residuárias de criatórios de animais são altamente variáveis Digestibilidade e composição da ração Idade dos animais ANÁLISES LABORATORIAIS .3.AGUAS RESIDUÁRIAS.4.6 dag/kg de sua massa viva.6 dag/kg da massa viva do animal. NOS CRIATÓRIOS DE ANIMAIS GERAÇÃO DE EFLUENTES: Suinoculturas .

além das faixas normais para os principais parâmetros de sua caracterização.8 – 2.6 0.Dados médios de produção de águas residuárias.000-3.000 SS (kg/unid) Suinocultura CRIATÓRIO DE ANIMAIS Vacas leiteiras Bovinos de corte Eqüinos Ovinos 12 12 15 .6 1.AGUAS RESIDUÁRIAS.000 5.000 20.viva.viva.viva.dia t.000-15.dia t.dia t.viva.viva. Quadro .5 0.000 1500-5000 5.dia Carga de DBO (kg/unid) 1.5 – 2. Gênero Tipo Unidade produção t.9 DBO (mg/L) 5. considerando diferentes unidades de produção.000 2.0 1.000-10.0 – 1.dia t.

principalmente. do tipo e quantidade de matéria-prima processada e das técnicas empregadas no processamento Beneficiamento de frutos do cafeeiro 1 litro para cada litro de fruto lavado. AGROINDUSTRIAS GERAÇÃO DE EFLUENTES: A vazão de águas residuárias em agroindústrias é função. 4 litros para cada litro de fruto despolpado. .AGUAS RESIDUÁRIAS. quando não for feita a recirculação da água.

.Características químicas e bioquímicas da água residuária da lavagem e descascamento/despolpa (Desc/desp) dos frutos do cafeeiro.QUADRO .

a geração de vinhaça está entre 150 e 300 m3 por cada 1.000 toneladas de canade-açúcar processada. torna conveniente a sua aplicação na lavoura canavieira. conforme pode-se verificar no Quadro a seguir.000 mg. particularmente K.L-1).AGUAS RESIDUÁRIAS. A vinhaça é o principal resíduo de usinas de produção de álcool e aguardente. . Usinas sucro-alcooleiras Usinas açucareiras com destilaria. Elevada DBO (>20. Devido à sua riqueza em matéria orgânica e nutrientes.

QUADRO .Análise física. química e bioquímica da vinhaça .

Na produção de queijo gera-se entre 3 e 4 litros de água residuárias para cada litro de leite processado. além de mais 5 a 10 L de soro para cada quilo de queijo produzido.AGUAS RESIDUÁRIAS. Laticínios Processamento do leite para consumo “in natura” gera cerca de 3.25 litros de água residuárias para cada litro de leite processado. .

. Laticínios A DBO do leite integral é cerca de 100. mesmo em pequenas quantidades Seu valor nas águas residuárias irá depender do tipo de processamento a que o leite foi exposto e do tipo de produto manufaturado.AGUAS RESIDUÁRIAS.000 mg L-1 e exigem uma alta demanda de oxigênio para sua decomposição.

. a água residuária contém 4. que contém cerca de 4 dag L-1 de sólidos e elevada DBO (entre 30.L-1). Laticínios Para cada 1.000 kg de leite processado 2. as águas residuárias geradas apresentam maior carga orgânica.000 mg.000 a 60. Em um laticínio com queijaria.200 mg L-1 de DBO. em razão do soro.AGUAS RESIDUÁRIAS.0 kg ou mais de DBO.

6 .25 e 0. Triparia. Seção Abate Bucharia. Áreas Externas (Currais. sendo distribuídos da seguinte forma: Quadro – Consumo de água por seção. pátios e etc) Quantidade de Água (m3) 0.0 0. Matadouros Frigoríficos Os volumes de água gastos estão entre 0.AGUAS RESIDUÁRIAS. Sanitários e etc.9 1.4 m3 para cada animal abatido.

Intensa cor e grande dureza. Curtumes No geral.AGUAS RESIDUÁRIAS. Grande quantidade de sólidos suspensos (pelos e carnaça). Elevadas concentrações de sulfetos e de cromo. as águas residuárias de curtume caracterizamse por apresentarem: Elevado pH. Alta carga orgânica. .

apresentando. Curtumes As águas residuárias da etapa de curtição (acidificação e curtição propriamente dita) contêm. enzimas e curtientes (vegetais e minerais utilizados para facilitar o curtimento do couro) e ácidos minerais (HCl) e orgânicos (lático e fórmico). Apresentam. pH ácido. Dependendo do curtiente utilizado. elevada turbidez e cor verde (curtição por cromo) ou castanha (curtição por taninos). por isso. essas águas residuárias apresentarão maior ou menor DBO.AGUAS RESIDUÁRIAS. . também.

Baixas concentrações de sólidos em suspensão.AGUAS RESIDUÁRIAS. As águas residuárias apresentam: Elevado conteúdo orgânico. Indústrias de processamento de frutas e hortaliça Em indústrias de processamento de frutas e hortaliças são gerados resíduos sólidos e líquidos. e DBO relativamente baixa. Altas temperaturas. .

900 e 450-1.600 mg L-1. A lavagem de batata gera efluentes de DBO em torno de 3. .AGUAS RESIDUÁRIAS.750-2. Indústrias de processamento de frutas e hortaliça Águas residuárias do processamento de cenoura e tomate apresentam.300 mg L-1 DBO de 800-1.300 mg L-1.900 e 650-2. respectivamente: DQO 1.

O sangue bovino tem DBO5 de 156. Apararas.000 mg. sebo.000 mg L-1. pêlos. além de dejetos do animal abatido.3. Indústrias de processamento de Carnes 1) Matadouro Bovinos Em matadouros de bovinos as águas residuárias são compostas de sangue (156.L-1 de DBO5).300 mg L-1 e pH de 7. DQO de 218. . parte da barrigada.AGUAS RESIDUÁRIAS.

900 mg L-1 e DQO de 16. Indústrias de processamento de Carnes 2) Matadouro de Aves Em abatedouros de frangos.350 mg L-1 e DQO de 4.850 mg L-1 .AGUAS RESIDUÁRIAS.230 mg L-1 As segundas DBO de 2. apresentando: As primeiras DBO em torno de 3. as águas residuárias de processo apresentam DBO e DQO mais elevadas do que as de lavagem das máquinas e pisos.

As águas de processo apresentam valor de 2. alcançando concentração de 8. Indústrias de processamento de Carnes 2) Matadouro de Aves O conteúdo de óleos e graxas é.000 mg L-1. maior nas águas de lavagem.AGUAS RESIDUÁRIAS. no entanto.500 mg L-1. .

MÉTODOS APLICADOS .TEMA: PRINCIPAIS SISTEMAS DE TRATAMENTO.

mistura e filtragem .PROCESSOS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES SE RESUME EM: Método físico Método biológico Método químico MÉTODO FÍSICO ⇒ utiliza forças físicas: * decantação (usa a força gravitacional) * floculação (agrupamento das partículas por colisão) * flotação (usa o arraste dos particulados por pequenas partículas de ar formadas no volume do reator. Outros métodos físicos incluem: peneiramento. desintegração. equalização.

SEQÜÊNCIA DE UTILIZAÇÃO DOS MÉTODOS FÍSICOS NUMA PLANTA CONVENCIONAL DE TRATAMENTO DE EFLUENTES .

MÉTODO BIOLÓGICO ⇒ utiliza o metabolismo de microrganismos Processo em batelada Processo contínuo Fundamentos do tratamento biológico de efluentes .

Fonte de energia: luz (fototróficos). K. Mg) Carbono + Nutrientes = SUBSTRATO . S.Necessidades dos microrganismos para o metabolismo. Ca. reações de oxi-redução (chemotróficos) Carbono: síntese celular Dióxido de carbono = autotrófico Compostos orgânicos = heterotrófico Nutrientes (N. P.

-Facultativas* -De maturação LAGOAS -Lagoas anaeróbias -Lagoas aeradas . ANAERÓBIOS.Os processos de tratamento biológico podem ser: AERÓBIOS. FACULTATIVOS.

MÉTODO QUÍMICO ⇒ utiliza processos químicos COAGULAÇÃO = desestabilização das partículas coloidais (0.1 – 1 µm) Coagulação por neutralização da carga. .

PRECIPITAÇÃO QUÍMICA = alterar o equilíbrio iônico de um composto metálico para produzir um precipitado insolúvel A TÉCNICA É UTIL PARA REMOVER ÍONS METÁLICOS COMO OS DE CÁLCIO E MAGNÉSIO. ORGÂNICOS (pesticidas) . permanganato de potássio. peróxido de hidrogênio OS POLUENTES DE POSSÍVEL REMOÇÃO SÃO: FERRO. ozônio. MANGANÊS E CIANETOS (altamente tóxicos). ou removíveis por adsorção Os oxidantes químicos mais usados são: oxigênio. cloro. METAIS PESADOS OXIDAÇÃO = objetivo é obter produtos finais ou intermediários de mais fácil biodegradação. ÂNIONS FOSFATOS.

COMPOSTOS DE ALTO PESO MOLECULAR.ADSORÇÃO COM CARVÃO ATIVADO = adsorção física de compostos orgânicos solúveis na superfície do carvão A TÉCNICA É UTIL PARA REMOVER SOLVENTES ORGÂNICOS. METAIS PESADOS TECNOLOGIA DE MEMBRANA = separação seletiva de diferentes compostos PROCESSOS: Microfiltragem. Ultrafiltragem. Nanofiltragem e Osmose reversa .

.

.

.

.

WETLANDS CONSTRUÍDAS .

Historicamente. MÉTODOS ALTERNATIVOS . os processos de tratamento de efluentes têm sido direcionados para remoção de sólidos suspensos totais (SST). matéria orgânica biodegradável (DBO) e remoção de organismos patogênicos (presença de coliformes).

. Ação: material genético dos microrganismos (ácido nuclêico) FUNGOS FILAMENTOSOS = Aspergillus niger. Aspergillus flavus e Drechslera sp OZÔNIO = oxidação de microrganismos (desinfecção) e de compostos como fenol. gerados em aceleradores industriais. cianeto. Comprimentos de onda de 260 – 265 nm têm função germicida.MÉTODOS ALTERNATIVOS ELETRÓLISE = visando principalmente remoção de matéria orgânica IRRADIÇÃO ULTRA-VIOLETA = visando principalmente desinfecção. metais pesados e orgânicos PROCESSOS DE OXIDAÇÃO AVANÇADOS = utiliza radiação ionizante proveniente de feixe de elétrons de alta energia.

ROCESSOS E SISTEMAS .Tema: SISTEMAS DE TRATAMENTO RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS OPERAÇÕES.

Níveis do Tratamento de Efluentes. Tratamento preliminar Tratamento primário Tratamento secundário Tratamento terciário ou póstratamento .

. terra diatomácea. que objetivam a remoção dos poluentes. compreende também a remoção por diferença de densidade de Óleos e Graxas livre em Separação Água e Óleo. pó de pedra e similares). Primário: remoção de sólidos por sedimentação ou flotação. ou pela associação de coagulação e floculação (clarificação físico-química). São constituídos de etapas (operações unitárias). Preliminar: remoção de sólidos sedimentáveis grosseiros (areia. carvão.SISTEMAS DE TRATAMENTO.

Terciário: melhoria da qualidade dos efluentes tratados pelas remoções de cor residual. N. Remove também nutrientes: nitrogênio e fósforo.SISTEMAS DE TRATAMENTO. turbidez (remoção de colóides. metais pesados. compostos orgânicos refratários aos níveis de tratamento anteriores). Secundário: remoção de matéria orgânica biodegradável dissolvida ou coloidal. e desinfecção do efluente tratado. P. .

PRINCIPAIS PROCESSOS DE TRATAMENTO: Devido à complexidade da composição dos efluentes industriais.SISTEMAS DE TRATAMENTO. são necessárias as associações de diversos níveis de tratamento para a obtenção de efluentes com as qualidades requeridas pelos padrões de lançamento. . Os processos mais indicados para efluentes da tipologia comum no parque industrial brasileiro estão indicados a seguir.

Linhas de enchimento de latas e garrafas. . alguns corantes e outros componentes das bebidas são gerados: Nas lavagens das salas da xaroparia e de pisos.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Descartes de produtos retornados do mercado. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (REFRIGERANTES): Os efluentes ricos em açúcares. e Esgotos sanitários.

separação de água e óleo e peneiramento. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (REFRIGERANTES): O tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: remoção de areia.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Primário: correção de pH. Secundário: reator anaeróbio seguido de lodos ativados. .

tais como: Nas lavagens das salas de fermentação. e Esgotos sanitários dos funcionários.SISTEMAS DE TRATAMENTO. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (CERVEJAS) Os efluentes ricos em açúcares (malte e cevada) e outros componentes das cervejas. Lavagens de pasteurizadores e pisos. . Linhas de enchimento de latas e garrafas. Descartes de produtos retornados do mercado.

pode ser composto somente de processo aeróbio. peneiramento e correção do pH Secundário: Processo misto anaeróbio. separação de água e óleo. lagoa aerada ou lodos ativados. . Secundário simples. no caso os lodos ativados. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Bebidas (CERVEJAS) O processo de tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: remoção de areia. biodigestão (em duas etapas sendo a primeira constituída por hidrólise ácida e a segunda pela etapa metanogênica) e aeróbio.SISTEMAS DE TRATAMENTO.

autoclavagem e lavagem. Cozimento. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS . Evisceração e Salmoura. .PESCADO: Os efluentes são gerados em processamento do pescado.SISTEMAS DE TRATAMENTO. adição do óleo Lavagens para resfriamento. recravamento. tais como: Recepção do pescado. diversas etapas do Acondicionamento em latas. Condensação nas câmaras frigoríficas.

SISTEMAS DE TRATAMENTO. por flotação remoção de óleos emulsionados e sólidos coloidais. remoção da matéria orgânica dissolvida em reator anaeróbio. Primário: clarificação físico-química por adição de coagulantes químicos e cloreto férrico. Secundário: biodigestão.PESCADO: O processo de tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: peneiramento e equalização para a remoção de escamas e pedaços de peixes. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS . .

Sala de abate. Depenagem mecanizada. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Aves: Os efluentes são gerados nas lavagens de pisos e das instalações nas seguintes etapas da produção: Área de recebimentos das aves. Lavagens das caixas utilizadas no transporte. Evisceração.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Embalagem . resfriamento com gelo. sala de sangria escaldamento. .congelamento e expedição.

.: Recomenda-se o aproveitamento do sangue. Obs. separação de gorduras Secundário: lagunagem .uma série de lagoas anaeróbia. facultativa e de aguapé No caso de não haver espaço para a implantação de lagoas o processo preliminar é complementado com o tanque de equalização.SISTEMAS DE TRATAMENTO. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Aves: O processo de tratamento desse efluente é constituído de três etapas: Preliminar: peneiramento para remoção de penas e vísceras. vísceras e penas na fabricação de farinha de aves (ração). seguido de clarificação físico-química (flotação) e tratamento por lodos ativados.

Lavagem de vômito.SISTEMAS DE TRATAMENTO. Lavagem da sala da sangria. . INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Bovinos e Suínos: Os efluentes são gerados nas seguintes etapas do processo industrial: Águas de Banho. Limpeza de pocilgas e currais. Lavagem da carcaça. Limpeza dos equipamentos. Limpeza da graxaria e Águas de cozimento.

estrume. etc. .SISTEMAS DE TRATAMENTO. e Lagoas em série (lagoa anaeróbia seguida de lagoa facultativa ou aerada).). INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Abatedouro de Bovinos e Suínos: O processo técnica e economicamente viável é composto da etapa: Preliminar: com separação de gorduras. Deve-se observar que um abatedouro é uma atividade industrial que deve estar localizada de forma a ter uma área disponível para aplicar o processo de lagoas. sólidos grosseiros (resíduos de carne. objetivando-se reduzir os custos totais de operação e instalação da atividade.

A qualidade dos efluentes varia em função dos produtos industrializados. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Laticínios Os efluentes industriais dos laticínios são oriundos das diversas etapas: Lavagens de pisos e equipamentos que arrastam resíduos de leite e seus derivados incluindo também produtos de limpeza. . “layout” industrial. tecnologia utilizada para a higienização das instalações e qualidade do leite utilizado.SISTEMAS DE TRATAMENTO. capacidade de produção.

. Secundário: lodos ativados. utilizando-se caixas de gordura Primário: flotação com o auxílio da coagulação química para a remoção de gorduras. biodigestor. ou lagoas).SISTEMAS DE TRATAMENTO. INDÚSTRIAS ALIMENTÍCIAS – Laticínios O tratamento dos efluentes gerados pode ser conseguido através de diversos tipos de processos tais como: Preliminar: separação de gorduras.