P. 1
4 Código de Ética do Contador

4 Código de Ética do Contador

|Views: 253|Likes:
Publicado porLeni Barros

More info:

Published by: Leni Barros on Apr 26, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/07/2014

pdf

text

original

Código de Ética do Contador

Profª. Leni de Souza Barros

O contador deve cumprir os seguintes princípios fundamentais:
• 1 - Integridade – ser franco e honesto em todos os relacionamentos profissionais e comerciais. • 2 - Objetividade – não permitir que comportamento tendencioso, conflito de interesse ou influência indevida de outros afetem o julgamento profissional ou de negócio. • 3 - Competência profissional e devido zelo – manter o conhecimento e a habilidade profissionais no nível necessário para assegurar que o cliente ou empregador receba serviços profissionais competentes com base em acontecimentos atuais referentes à prática, legislação e técnicas, e agir diligentemente e de acordo com as normas técnicas e profissionais aplicáveis.

• 4 - Sigilo Profissional – respeitar o sigilo das informações obtidas em decorrência de relacionamentos profissionais e comerciais e, portanto, não divulgar nenhuma dessas informações a terceiros, a menos que haja algum direito ou dever legal ou profissional de divulgação, nem usar as informações para obtenção de vantagem pessoal ilícita pelo contador ou por terceiros. • 5 - Comportamento profissional – cumprir as leis e os regulamentos pertinentes e evitar qualquer ação que desacredite a profissão.

As circunstâncias em que os contadores trabalham podem criar ameaças específicas ao cumprimento dos princípios fundamentais. É impossível definir todas as situações que criam ameaças ao cumprimento dos princípios fundamentais e especificar as medidas adequadas.

As ameaças se enquadram em uma ou mais de uma das categorias a seguir:
• (a) ameaça de interesse próprio é a ameaça de que um interesse financeiro ou outro interesse influenciará de forma não apropriada o julgamento ou o comportamento do contador;

• (b) ameaça de auto-revisão é a ameaça de que um contador não avaliará apropriadamente os resultados de um julgamento dado ou serviço prestado anteriormente por ele, ou por outra pessoa da firma dele ou organização empregadora, nos quais o contador confiará para formar um julgamento como parte da prestação do serviço atual;

• (c) ameaça de defesa de interesse do cliente é a ameaça de que um contador promoverá ou defenderá a posição de seu cliente ou empregador a ponto em que a sua objetividade fique comprometida;

• (d) ameaça de familiaridade é a ameaça de que, devido a um relacionamento longo ou próximo com o cliente ou empregador, o contador tornar-se-á solidário aos interesses dele ou aceitará seu trabalho sem muito questionamento; e

• (e) ameaça de intimidação é a ameaça de que um contador será dissuadido de agir objetivamente em decorrência de pressões reais ou aparentes, incluindo tentativas de exercer influência indevida sobre o contador.

Solução de conflitos éticos
• Ao iniciar uma solução formal ou informal de conflito, os seguintes fatores, individualmente ou conjuntamente com outros fatores, podem ser relevantes para o processo de resolução: • (a) fatos relevantes; • (b) assuntos éticos envolvidos; • (c) princípios fundamentais relacionados com o assunto em questão; • (d) procedimentos internos estabelecidos; e • (e) cursos de ação alternativos.

Este Código contém uma estrutura conceitual (“Conceitos”) que os contadores devem aplicar para:
• (a) identificar ameaças ao cumprimento dos princípios fundamentais; • (b) avaliar a importância das ameaças identificadas; e • (c) aplicar salvaguardas, quando necessário, para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável. • As salvaguardas são necessárias quando o contador avalia que as ameaças não estão em um nível em que um terceiro com experiência, conhecimento e bom senso concluiria, ponderando todos os fatos e circunstâncias específicas disponíveis para o contador naquele momento, que o cumprimento dos princípios fundamentais não está comprometido.

• O contador pode involuntariamente violar uma disposição deste Código. Dependendo da natureza e importância do assunto, pode-se considerar que essa violação involuntária não compromete o cumprimento aos princípios fundamentais desde que, uma vez descoberta a violação, ela seja prontamente corrigida e sejam aplicadas as salvaguardas necessárias.

Salvaguardas são ações ou outras medidas que podem eliminar ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável, e se enquadram em duas categorias amplas: (a) salvaguardas criadas pela profissão, pela legislação ou por regulamento; e (b) salvaguardas no ambiente de trabalho. As salvaguardas criadas pela profissão, pela legislação ou por regulamento incluem: • requisitos educacionais, de treinamento e de experiência para ingressar na profissão; • requisitos de desenvolvimento profissional contínuo; • regulamentos de governança corporativa; • normas profissionais; • monitoramento profissional ou regulatório e procedimentos disciplinares; • revisão externa por um terceiro, legalmente autorizado, dos relatórios, de documentos, das comunicações ou das informações produzidas pelo contador.

Fonte:
• Código de Ética dos Contadores (IFAC).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->