P. 1
Trabalho Lei de Gauss[2]

Trabalho Lei de Gauss[2]

|Views: 413|Likes:

More info:

Published by: Eduardo Persigo Schiffer on Apr 29, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/16/2015

pdf

text

original

FACULDADE ESTÁCIO DE CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

LEI DE GAUSS - APLICAÇÃO

CURITIBA 2013

APLICAÇÃO O presente trabalho faz parte da nota da Av 01 da matéria de Eletromagnetismo do curso de Engenharia Elétrica da Faculdade Estácio de Curitiba. Wilson J.ADEMIR JÚLIO DE BASTOS EDUARDO PERSIGO SCHIFFER MARCIO FERREIRA ELIAS LEI DE GAUSS . sob a orientação do: Prof. Silva CURITIBA 2013 .

.................................LEI DE GAUSS..............9 10 ........................5 5 .INTRODUÇÃO............................................................................................SUMÁRIO 1 .....................................................................4 4 ......................IMPEDANCIA.....................BIBLIOGRAFIA.........................IMPEDANCIA.............8 9 ...........CONCLUSÃO............................................................4 3 ..........................................................................TABELA DE DIMENSÕES DOS CABOS COAXIAIS..............UTILIZAÇÃO DOS CABOS COAXIAIS...............MODELOS DE CABOS COAXIAIS......................................4 2 ...........................................................................................................7 8 ...........12 12 ................................7 7 ...................................12 ................................ALGUMAS TECNICA DE INSTALAÇÃO......................................................................................................CABOS COAXIAIS.....................................FUNCIONAMENTO E CONSTRUÇÃO....................10 11 .........................6 6 ............

também denominada superfície Gaussiana.INTRODUÇÃO A lei de Gauss é válida para qualquer situação. daí o nome coaxial. Isso é sempre possível quando a distribuição de cargas apresenta alta simetria. A principal razão da sua utilização deve-se ao facto de poder reduzir os efeitos e sinais externos sobre os sinais a transmitir. o que permite transmissões de frequências muito elevadas e isto para longas distâncias.1 . e para qualquer tipo de superfície fechada.Simetria cilíndrica ou axial e Simetria esférica. por fenômenos de IEM (Interferência Eletromagnética). Este tipo de cabo é constituído por diversas camadas concêntricas decondutores e isolantes. para ser operacionalmente útil ela deve ser usada apenas em determinadas circunstâncias. Uma circunstância favorável ocorre quando a superfície Gaussiana é tal que o produto escalar entre o campo e o vetor superfície é facilmente obtido. A velocidade de transmissão é bastante elevada devido à tolerância aos ruídos graças à malha de proteção desses cabos. Existem três tipos de simetrias que facilitam o uso da lei de Gauss: Simetria planar. Todavia. . com campo uniforme. ou não. 3 – UTILIZAÇÕES DOS CABOS COAXIAIS Os cabos coaxiais geralmente são usados em múltiplas aplicações desde áudio ate as linhas de transmissão de frequências da ordem dos gigahertz. Vamos ver a aplicação da lei de Gauss nos cabos coaxiais que é um tipo de cabo condutor usado para transmitir sinais. 2 .CABOS COAXIAIS O Cabo Coaxial é constituído por um fio de cobre condutor revestido por um material isolante e rodeado duma blindagem.

Os cabos coaxiais são utilizados nas topologias físicas em barramento. Os cabos coaxiais são usados em diferentes aplicações:    Ligações de áudio Ligações de rede de computadores Ligações de sinais de radiofrequência para rádio e TV (Transmissores/receptores)  Ligações de radioamador 4 – MODELOS DE CABOS COAXIAIS .

5.TABELA DE DIMENSÕES DOS CABOS COAXIAIS .

como é o caso de transmissões de uma rede de computadores. O cabo coaxial é dividido em dois tipos: cabo coaxial fino (thinnet) ou cabo coaxial 10base2. frequências e dados que circulam pelo condutor não conseguem atingir o exterior pelo isolamento da malha e deste modo não interferindo em outros equipamentos.6 – FUNCIONAMENTO E CONSTRUÇÃO A malha metálica condutora é constituída por muitos condutores:A malha é circular e metálica para criar uma gaiola de Faraday. Diminui-se assim a resistência da malha condutora. O Cabo Coaxial possui vantagens em relação aos outros condutores utilizados tradicionalmente em linhas de transmissão por causa de sua blindagem adicional. a malha condutora é constituída por múltiplos condutores de secção reduzida e a área da superfície de condução é o somatório da superfície de cada um desses pequenos condutores. Seguem algumas pequenas dicas que podem auxiliar muito na . isolando deste modo o condutor interior de interferências. o inverso também é verdadeiro. e cabo coaxial grosso (thicknet) ou cabo coaxial 10base5.INSTALAÇÃO Ambientes internos é o tipo de instalação mais comum para os cabos coaxiais. 7 .A blindagem eletromagnética é feita pela malha exterior. Para aumentar a superfície de condução. a condução passa a ser superficial.Quando as frequências em jogo são elevadas. ou seja.

ALGUMAS TECNICAS DE INSTALAÇÃO O método de solda oferece inúmeras vantagens para a colocação de conectores.instalação de cabos coaxiais: Procure sempre seguir as normas e indicações dos fabricantes para um melhor desempenho dos cabos. evitando dobrar o cabo. Quando o cabo for enterrado em solo rochoso. Este tipo de conector pode ser usado com cabos rígidos ou convencionais. Não exceda o ângulo mínimo de curva. Isto irá evitar a danificação do cabo por pedras que soltarem do solo. evitando puxões excessivos e nunca deixe o cabo esticado. assim como o conector de solda o . Quando utilizar o cabo em aplicações aéreas. utilize um cabo de aço como guia e fixe o cabo coaxial ao guia. Passe o cabo e então coloque placas de madeira tratada ou metal inoxidante sobre o cabo. Isto irá ajudar a suportar o cabo e reduzir a tensão mecânica sobre o cabo em condições de vento. neve ou tempestades. sempre faça a limpeza e desobstrução total da tubulação e use lubrificantes específicos para passagem de cabos quando fizer a passagem por tubulações extensas. Quando estiver passando cabos por tubulações. Instalações externas requerem técnicas especiais na colocação dos cabos que desta forma irão resistir a ambientes rigorosos. Em áreas com clima extremamente baixo. fornecendo uma ótima conexão elétrica e mecânica. enterre o cabo abaixo da linha de congelamento. A desvantagem é que leva um tempo muito maior de preparação do conector do que outros métodos e ainda existe a possibilidade da ocorrência de "soldas frias" em junções caso o conector não seja soldado corretamente ao cabo. O método de climpagem é provavelmente o método mais popular de colocação de conector BNC em cabos coaxiais RG 59. Distribua a tensão de esticamento igualmente pelo cabo. Se a tensão de esticamento ou o ângulo mínimo de dobra foram excedidos o cabo poderá sofrer danos mecânicos e elétricos permanentes. 8 . após a colocação preencha o vão cavado com areia. desta forma o cabo não sofrerá pressão desnecessária quando a terra for colocada para cobrir o cabeamento. Quando estiver enterrando diretamente o cabo Coaxial. passe o cabo sem esticá-lo.

e desta forma para . Além disso. nunca use alicates convencionais para fazer o esmagamento do conector sobre o cabo. O conector de rosca é o mais rápido método de conexão de cabos coaxiais. que é o alicate de climpar. pois não há a necessidade de solda. Quando um conector F é colocado em um cabo coaxial.IMPEDANCIA Todos os cabos coaxiais possuem uma impedância característica. desta forma este tipo de conector não é recomendado para esta aplicação. se o adaptador não tiver uma pressão adequada sobre o condutor central poderá haver o mau contato entre o condutor central e o adaptador. Alguns pontos importantes a serem lembrados na climpagem de conectores BNC é a utilização do tamanho correto dos conectores para o cabo coaxial utilizado. ou externos com temperaturas baixas e vento. E sempre utilize a ferramenta correta.conector de climpar também pode ser utilizado em cabos rígidos ou flexíveis fornecendo uma boa conexão elétrica e metálica. Em aplicações de pan-tilts e panoramizadores o movimento constante do cabo pode fazer o conector se movimentar e reduzir a rigidez mecânica e consequentemente elétrica da conexão. acaba se tornando menos confiável que os outros métodos. muitos instaladores optam por utilizar um conector tipo F de rosca e conectar um adaptador F para BNC. Este método é o mais utilizado. os alicates não foram projetados para colocar a pressão correta sobre o anel de climpagem. desta forma quando ocorrem algumas conexões já existe o desgaste do condutor central podendo causar a sua quebra ou danificação. 9 . reduzindo desta forma o tempo de colocação do conector. A impedância para os equipamentos de CFTV é de 75 ohms. o condutor central é utilizado como pino de conexão direta. A utilização inadequada de alicates somente irá esmagar o cabo e pode reduzir as propriedades elétricas do cabo. Uma conexão firme é importante na climpagem do conector. de qualquer modo este tipo de conector tem algumas desvantagens. Uma vez que este conector não possui nenhum tipo de conexão elétrica e mecânica por solda ou climpagem. que dificulta a operação de colocação do conector em locais altos.

O Cabo Coaxial RG59 é o mais utilizado por ter menor bitola e ser mais maleável. o RG6 e o RG11. é importante escolher um cabo que também possua uma impedância de 75 ohms. ou fibra ótica. Tipicamente as limitações de transmissão por cabos coaxiais serão as seguintes: O cabo RG59 tem o maior grau de atenuação dos três tipos e pode alcançar distâncias máximas entre 230 e 300 metros. O cabo RG11 tem um diâmetro muito maior e um grau de maleabilidade bem menor que o RG59. A diferença entre os tipos de cabo RG não está limita somente ao tamanho. Cabos coaxiais são disponibilizados em diferentes tipos de RG. O conceito geral de fluxo como sendo o escoamento de um campo vetorial que atravessa uma secção qualquer. pode ser estendido para explicar o campo . Já o cabo RG6 está situado entre os dois tipos anteriores em ambas as características. os cabos coaxiais de 75 ohms são fabricados com diversos tamanhos sendo os mais comuns o RG59. será necessária a instalação de amplificadores de vídeo. ocorrerá à perda de sinal e a reflexão resultando em um sinal com pequena distância de transmissão e baixa qualidade de imagem. O cabo RG11 tem as características de atenuação mais baixas entre os três tipos e pode alcançar distâncias máximas entre 450 e 600 metros.ter um mínimo de perdas. Se um cabo coaxial de outra impedância for utilizado (50 ohms ou 93 ohms. mas também as características de atenuação e ainda de distância de transmissão. Os cabos com características enquadradas dentro de todas as recomendações anteriores. O cabo RG6 tem um grau de atenuação menor que o RG59 e pode alcançar distâncias máximas entre 300 e 450 metros. ou outro tipo de meio de transmissão como par trançado. RG significa Radio Guide e é um termo utilizado no envio de sinais de Rádio Frequência (RF) através de cabos coaxiais. por exemplo). sendo praticamente um padrão para instalações de pequenas e médias distâncias. Além disso. Caso seja necessária a transmissão de sinais por distâncias superiores a 600 metros. 10 – LEIS DE GAUSS Esta lei é regida por princípios muito simples e de fácil entendimento.

Desta forma. fruto de uma integral dupla. O fluxo elétrico que atravessa qualquer superfície fechada é igual à carga total envolvida por essa superfície (Lei de Gauss). O trabalho de Gauss consistiu na formulação matemática do enunciado acima. o fluxo total que atravessa a superfície fechada S será então: A integral resultante é realizada sobre uma superfície fechada (daí o símbolo ∫s). linhas de cargas. O fluxo elementar que atravessa ∆S será então: Nestas condições. perpendicular ao plano que tangencia a superfície S neste ponto (centro de S) apontando para fora da superfície fechada. distribuição superficial de cargas ou uma distribuição volumétrica de cargas. Assim. não importando sua forma geométrica. que já era conhecidoe entendido como óbvio. Este vetor terá uma orientação no espaço. Esta superfície é frequentemente chamada de superfície gaussiana.elétrico. . o fluxo total de qualquer escoamento é emanado por uma fonte envolvida por uma superfície fechada. A densidade de fluxo que atravessará a superfície elementar S é dada pelo vetor Ds genericamente formando um ângulocom S em cada ponto da superfície fechada em questão. Em outras palavras. Se tomarmos um incremento vetorial de superfície S admitido como plana. a Lei de Gauss podeser generalizada em termos de cargas em distribuições uniformes respectivamente volumétricas. a Lei de Gauss é então matematicamente formulada como: A carga envolvida pode ser de qualquer tipo: cargas pontuais discretas. Gostaríamos apenas de frisar aqui que a superfície tem que ser fechada para que possa envolver toda a fonte e se deixe atravessar pelo fluxo total resultante.

A superfície gaussiana a considerar é um cilindro de comprimento L e de raio r tal que a < r < b . É um problema extremamente complicado de ser resolvido utilizando a Lei de Coulomb. Considerando a superfície gaussiana referida teremos: A carga total de um comprimento L do condutor interno é: De onde podemos retirar que: Tendo em conta que a densidade superficial de carga do condutor interno pode ser representado como uma densidade linear através de: . A simetria do problema mostra que só existe componente Dr e que esta é função apenas de r. Admite-se que o condutor interno tem uma distribuição de cargas superficial igual a ρS.Superficiais ou lineares. conforme abaixo: O PROBLEMA DO CABO COAXIAL Admitamos dois condutores cilíndricos coaxiais. cada um com comprimento infinito. um interno com raio a e outro externo com raio b.

.E então teremos que: Ou seja. podemos escrever que a carga presente na superfície externa será: De onde podemos retirar que: O que acontece se adaptarmos para a superfície gaussiana um cilindro com raio r>b??? Neste caso. Ao + Q da superfície interna contrapõe-se – Q da superfície externa. Se a carga envolvida é nula teremos que: Para r <a teremos um resultado idêntico. um resultado idêntico aquele obtido para uma linha infinita de cargas utilizando a lei de Coulomb. Recordando as experiências de Faraday. a carga envolvida será nula.

11 – CONCLUSÃO O resultado obtido mostra que o condutor externo age como uma blindagem evitando que o campo do condutor interno surja no exterior do condutor externo. . no interior do condutor central não existe campo.

dee. Stuart M.ORG WWW.Eletromagnetismo Aplicado – Abordagem Antecipada das Linhas de Transmissão.feb.COM.WIKIPEDIA.MDPOLICABOS.BR WWW.12 – BIBLIOGRAFIA WWW. ELETROMAG.UFRGS.unesp.br/aquino/eletromag1/cap2 .COM. www.IF.BR WENTWORTH.CABOCOAXIAL.BR WWW. 2009 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->