Universidade Federal do Amapá Curso de Ciências Farmacêuticas

Sarcocystis
(Lankester, 1882) Disciplina: Parasitologia Docente: Profª Clarisse Acadêmicos: Heloana Almeida Lobato Juliana Maria da Silva Oliveira Matheus Yuram

• Algumas caracteríticas. suihomines • • Estudo do gênero Sarcocystis (Lankester.Aspectos Gerais  Classificação:      Filo: Apicomplexa Ordem: Eucoccídiida Família: Sarcocystidae Gênero: Sarcocystis/ Toxoplasma Espécie: S. 1882). . Refurmulação dos conceitos taxonômicos e biológicos. hominis/ S.

scielo.br/scielo.  Reprodução múltipla.php?script=sci_arttext&pid= S0100-736X2007001000001 .I.Morfologia  Merontes (esquizontes):  Endotélio dos vasos sanguíneos do H.  Em média 7x3µm. FONTE:http://www.

Morfologia  Sarcocistos (cisto):  Presente nos músculos ou em outro tecido.br/parasite/siteantigo/Imagensatlas /Protozoa/Sarcocystis.htm . FONTE:http://www.ufrgs.  São formados apartir de merozoítos.  Em média 720x240µm.

Morfologia  Bradizoítos:  Presentes dentre dos sarcocistos e com forma alongada.D FONTE:http://www.es/mperilop/Do cencia/Pr%202/Practica_2.  Ele é a forma infectante para o H.unizar.  Em média 15x5µm.html .

 Sua eliminação é por esporocitos com cerca de 15x9µm. FONTE:http://r1.Morfologia  Oocisto:  Presente nas fezes do homem.ufrrj.  A parede do oocisto é mt frágil.br/wp/iv/666/sarcocytidae/ .  Em média 20x15µm.

cão e gato. .  Reprodução assexuada no hospedeiro intermediário e reprodução sexuada no hospedeiro definitivo.  Ciclo biológico heteroxênico.  Hospedeiro definitivo: Homem.Biologia  Hospedeiro intermediário: bovinos e suínos.

. 11ª ed.Ciclo Biológico FONTE: Parasitologia Humana.

• Bovínos e suínos se infectam ao ingerir oocistos esporulado. .Transmissão • O homem se infecta ao ingerir sarcocistos maduros contendo bradizoítos.

calafrios e sudorese. vômito. entre 6 a 24 horas. duração 12 a 24 horas e36 a 48 horas . náuseas. distúrbios circulatórios.  Diarréia.  Início dos sintomas.Patogenia  Não é uma doença frequente ou bem conhecida no homem.

 Alta prevalência nos hospedeiros intermediários.  Comum na Europa e no Brasil uma baixa prevalência. .Epidemiologia  Cosmopolita.

» Método de Kato-Katz. .  Laboratorial » Exames de fezes.Diagnóstico  Clínico » Difícil diagnóstico considerando os sintomas apresentados. » Métodos de flutuação centrífuga com solução açucarada de Sheather.

.Tratamento Sem tratamento específico devido a ação limitada de agentes terapêuticos.

Profilaxia  Não ingerir carne crua ou malcozida de suínos e bovinos.  Uso de fossas e privadas. .

. David Pereira. pag 173-175. José Divino. Sarcocystis. Isospora e Cryptosporium. IN: NEVES. 19. cap.Referencial Teórico  LIMA. Parasitologia Humana – 11 ed.