Você está na página 1de 9

Medicina & Bem-estar

NASCIDOSPARA

Milharesde atletas
amadoresestão
aproveitandoos
benefíciosdo mais
antigoesportedo
mundo-,.. descubra
.
o
quevoceprecisapara
tambémserumdeles
Renata Cabra' e Rodrlgo Cardoso

S
abe aquele dia em que você
dormiu pouco, virou e revirou
na cama, acordou de mau
humor, olhou-se no espelho
insatisfeito com a silhueta rechonchuda,
brigou com um colega de trabalho e
voltou para casa exausto, achando que
o melhor a fazer é sair correndo por aí
para fugir de tudo isso? Pois bem, siga
seu instinto: corra.
Corra, porque é exatamente isso que'
quatro milhões de brasileiros estão fa-
zendo atualmente. Corra, não para fugir
dos problemas, mas para enfrentá-Ios,
para emagrecer, melhorar o humor,
ganhar fôlego,retardar o envelhecimen-
to, dormir bem e ter mais ânimo.
Corra, como fez a arquiteta paulista
Isabella Leonetti, 37 anos. Há nove
meses, após fazer exames médicos obri-
gatórios para quem vai se iniciar no
esporte, ela mal vencia 100 metros.
"Tive câncer na tireóide há quatro anos
e havia perdido o pique", diz. Hoje,
Isabella tem pique para uma hora diária
de corrida, quatro vezes por semana.
82 ISTOÉ205211/3/2009
No final de 2008, antes de completar
seu primeiro aniversário como atleta
amadora, passou fácil pelos cinco qui-
lômetros do Circuito Vênus, uma das
600 provas anuais que, especialmente
nos finais de semana, tiram os carros
das ruas das cidades para que nelas
desfilem os atletas. "Agora durmo me-
lhor, a auto estima mudou, emagreci
cinco quilos e me sinto menos cansada",
resume Isabella.
Emmenosde quatro anos, o Brasil
dobrouo númerodecorredores amadores.
Em 2005, segundo o Atlas do Esporte,
uma base de dados do Conselho Fede-
ral de Educação Física, havia dois mi-
lhões de brasileiros praticando a corri-
da. "Existe hoje uma consciência nacio-
nal da importância da prática esportiva
para buscar uma melhor qualidade de
vida", diz Martinho Nobre dos Santos,
da Confederação Brasileirade Atletismo.
"É isso que tem feito o brasileiro correr
mais." Esse fenômeno, percebido prin-
cipalmente nas grandes áreas verdes das
metrópoles, mostrou sua grandiosidade
graças à pesquisa feita em dezembro
passado, no Rio de Janeiro e em São
Paulo, pela empresa Sports Track. Nu-
ma consulta com quatro mil atletas, ela
revelou que a corrida é o segundo es-
porte mais popular nestas cidades, atrás
apenas do futebol.
Esta explosão tem a ver com a
preocupação por um estilo de vida
mais saudável, mas também com a
crescente profissionalização do espor-

37,8 Ofopraticam o esporte 3 vezes por semana


33,8 Ofocorremhámaisde5 anos
66 Ofotêm entre 30 e 49 anos

62,2 Ofocorrementre11e 50 quilômetrospor semana


89,3 Ofoparticipamdeprovasdeaté 10quilômetrosde percurso
62,3 Ofotreinamsemnenhumtipo desupervisão
53,1 Ofojá tiveramalgumalesãoemdecorrência
do esporteeforam obrigadosa procurarum médico
Fonte: Questionário de Avaliação de Corredores - Brasil, organizado pelo ortopedista Rogério Teixeira da Silva.
FOTO: KARIME XAVIER/AG. ISTOÉ da Sociedade Brasileirade Ortopedia e Traumatologla e presidente do Núcleode Estudos em Esportes e Ortopedia (NEO) 83
Medicina & Bem-estar
te. Os atletas contam hoje com as as-
DICIONÁRIO sessorias esportivas, empresas especia-
lizadas em organizar o treinamento. Em
DA CORRIDA média, o praticante paga a elas de R$
V02MÁX. 150 a R$ 250 por mês. E uma sucessão
Éo volume máximo de oxigênio de circuitos que reúnem milhares de
que o corpo captura dos pulmões.
Conduzido até os tecidos, esse pessoas a cada prova. Uma das maiores
oxigênio vira energia. Quanto organizadoras de circuitos de corrida
maior o V02, maior o potencial do País, a Iguana Sports, começou a
aeróbico, ou seja, mais oxigênio funcionar há três anos com quatro
para o corpo. Este índice é
indispensável para a elaboração eventos. Neles, reuniu dez mil pessoas.
de treinos personalizados Para este ano, estão planejados 50, com
BATIMENTOCARDíACO a expectativa de participação de 180 mil
Éo número de vezes a 200 mil atletas. "É uma área em ex-
~ que o coração bate pansão", diz Paulo Carelli, diretor da
---JVV L- por minuto. Para os
indivíduos saudáveis,
empresa. "As pessoas estão buscando
quanto mais alto for o bem-estar para suas vidas", acredita.
batimento, mais intenso o esforço. Segundo a Federação Paulista de Atle-
Quanto mais rápido ele baixar tismo, em 2004 foram 107 provas de
após o exercício, mais treinado
corrida de rua no Estado, com a parti- que correr, como qualquer atividade
está o atleta. Esta correlação é um
dos parâmetros mais usados para cipação de 146 mil atletas. Em 2008, os física, tem um impacto muito positivo
mensurar o esforço físico números cresceram para 220 circuitos na qualidade do sono. Issosignificaque
LIMIAR ANAERÓBICO e cerca de 370 mil atletas. os atletas, mesmoque durmampouco,
Édefinido comoa intensidade de Correr é democrático: não custa qua- conseguem ter um sonoreparador.É um
esforço, ou o consumo de oxigênio, se nada, não distingue classessociais,não pedidodoorganismo. "O desgaste causa-
acima do qual a produção de ácido discrimina sexo nem idade. Quando do pelo exercício é tão intenso que é
lático supera sua metabolização,
provocando hiperventilação. Entre amarra o cadarço de seu tênis e parte como se o corpo exigisse a recuperação
o limiar anaeróbico e o esforço para correr seus 30 quilômetros diários durante o sono", explicaHanna Antunes,
máximo está a zona de esforço pelas ruas de São Paulo, o garçom Robé- pesquisadora do Centro de Estudo em
dentro da qual os treinos de rio Costa do Carmo, 36 anos, desata nós
qualidade devem ser feitos Psicobiologia e Exercício da Universi-
da vida. É como se as três horas do dia dade Federal Paulista (Unifesp). "E isso
TREINO REGENERATIVO
Num ritmo confortável, permite em que acelera as passadas ultrapassas- acontece. O sono de quem faz exercício
ao atleta falar durante o esforço. A sem, mesmo momentaneamente, os
finalidade é manter o preparo físico problemas com as contas para pagar e a
EQUILrBRIO
TREINODEQUALIDADE ansiedade da busca de um novo empre- "Depois da
Combina grande esforço com go. Desempregado há seismeses, Robério corrida, sinto
intervalos de menor esforço. Pode mantém-se sorridente e otimista graças como se
ser feito por meio da distância tivesse
percorrida (treino de tiro) ou
às endorfinas. Liberadas na execução tomado
tempo (treino intervalado). Visa prolongada de uma atividade física,essas um banho de
a aumentar a potência do atleta substânciassão responsáveispela sensação cachoeira",
TREINODERESISTÊNCIA de prazer e bem-estar experimentada ao diz Cynthla
São treinos de velocidade e ritmo Howlett
fim dos exercícios. "Sempre me pergun-
constante, nos quais se espera tam de onde tiro minha felicidade", diz.
um trabalho cardiovascular mais
"Quanto mais treino, mais feliz fico." O
linear. São mais longos (a partir de
1h20 ou 14 km) garçom iniciou os dois filhos no esporte.
TREINODETOLERÂNCIA A primogênita Gabrielly, nove anos,
AO LACTATO deve disputar a próxima São Silvestre
Comintervalos de distância curta para crianças.
e grande, objetiva ganhos de Quando trabalhava em restaurantes,
potência e rápida metabolização
do ácido lático, substância cujo Robério chegava a dormir apenas três
acúmulo provoca dores e fadiga horas por noite para não deixar de cor-
Consultaria:MPRAssessoriaEsportivae ProjetoMulher
rer. Mas seu corpo não se ressentia das
poucas horas de descanso. Está provado
84 ISTO~205211/3/2009
,
(

A POLÊMICA DO ALONGAMENTO

I Alongarosmúsculos antes deuma


atividadefísicaparaaquecere,depois,
"A flexibilidadeé uma das habilidades
essenciaisà corrida."O advogado
cariocaPedroBacellar,27anos,
pararelaxar,é umensinamento que
a maioriadaspessoas carregadesde estavasofrendodedoreslombares -
ostemposdasaulasdeeducação física e descobriuquea culpaera do
nocolégio.Umapesquisa recentesugeriu, alongamentoIncorreto.Corrigiuos
noentanto,queessaantigaorientação movimentose começoua melhorar.
poderiaprejudicaro desempenho de "Agoradedicomaistempo
corredores.Otrabalhofoi realizadona a essaparte do treinamento",diz.
Universidade deNevada, nosEstados "E as doressumiramaospoucos."
Unidos,eacompanhou 24atletas.Os "O conceitoque devemoster
FELICIDADE Três horas diárias de cientistasconstataram queosesportistas é de que apenaso alongamentonos
corrida ajudam o garçom RObérlo, perdiampotêncianosmúsculos daperna manterá com uma mobilidadecapaz,
sem emprego, a não perder a alegria
apóssealongarem. A conclusão foi deque, por exemplo,de nospermitir amarrar

é menos fragmentado e mais restaura-


dor." Além disso, o exercício ameniza
os efeitos da privação do sono. Uma
pessoa sedentária que fica sem dormir
ou dorme pouco terá um dia seguinte
infernal: mau humor, irritabilidade,
falta de concentração. Um atleta, ao CORREÇÃO
O advogado
contrário, terá essas repercussões ame- Bacellar
nizadas nas 24 horas seguintes, segun- começou
do estudo conduzido por Hanna. a sentir dores
Uma entusiasmada vida social favo- por causa
de erros no
rece hoje a paixão por correr. "As alongamento
corridas de rua são verdadeiros parques
de diversão, com muita gente, muita
alegria, em um ambiente saudável e para esportesque requeremexplosão oudesamarrar umtênis,independente-
familiar", opina o fisiologista Renato muscular,comocorrida,a práticadeveria mentedanossaidade",afirma
Romani, da Unifesp. Em torno das ser contraindicada.Issoporquerelaxar a professoradeeducação físicaCrls
assessorias esportivas formam-se gru- a musculaturaantesda atividadefísica Carvalho,doProjetoMulher,deSão
pos e amigos. Uma das maiores em- afetaria a capacidadede o músculo Paulo.O certo.recomenda, é alongaros
presas de São Paulo, a Corpore atesta se manter íntegrodurantea prática principaismúsculosdeformatranquila,
o fôlego desta mudança. Em 1997, do exercício.Ou seja,com ele mais decincoa dezminutos,paraaquecere
quando foi criado, esse clube de cor- maleável.aumentariaa chancedelesões. desaquecer o corpo."Serveparasoltar
redores contava com 800 associados. O resultadodeveservisto com cautela. a musculatura.Sealongarmos de
Em 2008, fechou o ano com dez mil. Afinal, trata-se de um únicoestudo,com formaIntensa,podemosestressar a
Nos treinos organizados pelas asses- amostragempequena.Em ciência,issonão musculatura antesdotreinoe,depois,
sorias os relacionamentos se fortalecem. é suficientepara mudarparâmetros.Mas quandoo músculoestácansado,
"As pessoas treinam no mesmo horário, foi o bastante paraabrir uma polêmica podemoslesioná-lo",explica.A
vão juntas aos circuitos e até viajam entre treinadorese atletas. "Na prática, professoraalertaaindaparao errode
para provas em outras cidades ou ou- vemosque as pessoasbem alongadas alongarumamusculatura machucada.
tro país", diz Marcos Paulo Reis, um são maisbem preparadase têm menos "Quandosentirdor,certifique-se com
dos maiores treinadores de corrida e lesões",afirma ArnaldoHernandez. ummédicosobrequalo procedimento
triatlo do País, que coordena treinos presidenteda SociedadeBrasileira a sertomado",recomenda. "Muitas
para mil alunos da MPR assessoria de Medicinado Exercícioe do Esporte. vezeso alongamento pioraa lesão."
esportiva. "É claro que isso ajuda a
FOTOS: DANIELA
DACORSO/AG.ISTO~;DIVULGAÇÃO 85
Medicina & Bem-estar

RAIOX DOESFORÇOFíSICO
Confira como funciona a máquina do corpo humano enquanto você corre
céREBRO
CORAÇl0
Dáa ordemparaqueocorramascontraçõesmusculares, Ofluxo sanguíneonaartériacoronáriaem
fruto da transformaçãodeenergiaquímicaem calor, repousoé deaproximadamente250 ml/min.
necessáriasparao iníciodo exercício.Essecalorpermite e podeaumentarparacercade1.000ml/min.
o influxodecálcionascélulasmusculares,o quepromo- em um exercíciode intensidademáxima.Esse
ve a contraçãodasfibrase geraa energiamecânicado bombeamentolevaosnutrienteseoxigêniopara
movimento.Ahipófise,glândulacerebral,determinaa osmúsculos.Ouseja,o coraçãoaceleraporqueo
produçãodasendorfinas,substânciasresponsáveispela esforçoexigemaiscombustível
sensaçãode prazer,reduçãodo desconfortomuscular
e diminuiçãoda percepçãode esforço.Naprática,isso VASOS SANGUfNEOS
geroua máximadeque"corrervicia" A velocidade do fluxo sanguíneo
PULMÕES na circulação do organismo
Nosistemarespiratóriohá umademandapor oxigênio. determina a pressão arterial.
Ao mesmotempo é produzidodióxidode carbono. Quanto maior a necessidade de
Estedesequilíbrioécompensadopeloaumento oxigênio, maior o aumento da
nasfrequênciasrespiratóriaedo fluxo sanguíneo. pressão arterial. É por isso que os
Atletastreinadosficam menosofegantes,apesarde testes de pressão precisam ser
seesforçaremmaisqueum iniciante,porque feitos com a pessoa em repouso
usammelhoro potencialpulmonar

/
ARTICULAÇÕES
MÚSCULOS Há sobrecarga sobre
Elestêm umareservadeaçúcar o sistema músculo-
importantechamadade esquelético. Se o
glicogênio.Nosmomentos exercício passar do
iniciaisdo exercícioa limite recomendável,
musculaturanãorequer pode haver lesões
o oxigênio,atuandode
forma anaeróbica.As EST6MAGO
fibrasmusculares Recebe menos sangue durante
conseguemformaro a corrida, para privilegiar a
calornecessáriopara irrigação dos músculos. Em
produziro movimento. função disso, devem-se evitar
Nessecasoé consumido refeições de difícil digestão
apenaso glicogênio.Num antes do treino
segundomomento,o corpo
começaa metabolizara gordura '-
disponívelem outroslocais.Assim,
correremagrece
PERNAS
Osmúsculosdosmembrosinferioressão
~~.
I,'~', ..

osmaisexigidosdurantea corrida.Cada
um consomeo oxigênioqueé utilizado
dentrodasfibrasmuscularespara
produzira adenosinatrifosfato (ATP).A
quebradessamoléculaporvia aeróbica PÉS
éa forma maisusadapeloorganismo
Na corrida, o impacto
paraproduzirenergiaem provasde
nos pés é grande, o que
longaduração. Amusculaturatambém faz das estruturas da
produzo ácidolático,que,em caso
região um alvo fácil de
de esforçoexcessivo,seacumulanas lesões. Uma técnica
célulasmusculares,diminuindoo pH
de corrida
da região,o quecausadorese limita
o desempenhodo atleta adequada e
umtênisde
boa qualidade
Fontes:JoséKawazoeLazzoll,cardlologista,especializado fazema
em medicinaesportivae presidentedaSociedade
BrasileiradeMedicinado Exercfcloedo Esporte;Renato diferença
Romani,flslologlstae professordo CentrodeEstudosde nahorada
MedicinadaAtividadeFísicae do Esporteda Unlfesp,e
RogérioNeves,flsiologlstaediretormédicoda SportsLab prevenção

86 ISTOÉ205211/312009
AMIZADENo Projeto Mulher,300
alunas treinam em parques, praças,
clubes e hiplcas de São Paulo, num
grupo que alia esporte a vida social

fazer amigos." Até o final do ano, em índice de desistência é baixo. "Se você
São Paulo, haverá uma prova de rua se identifica com o grupo, dificilmente
em quase todos os finais de semana. deixa a corrida", diz Aulus Sel1mer,
No domingo 8, Dia Internacional da diretor da assessoria esportiva 4any1.
Mullier, por exemplo, 4,5 mil mullieres Quem já deu as primeiras passadas
devem se alinhar no Circuito Vênus, sabe que correr nunca é um ato soli-
que, além da corrida, proporciona às tário, mesmo quando se corre sozinho.
atletas massagens, ioga e degustações Solidão é uma palavra que não existe
- outro exemplo da pujante atividade quando o suor escorre da testa e o
social em tomo do esporte. Esse envol- relógio cobra desempenho das pernas.
vimento ajuda a explicar por que o Corre-se sempre consigo mesmo,

CUIDADO COM A ALIMENTAÇÃO


Um café da manhã rico em fibras pessoase sente cansada",diz Patrícia.
é bom para o corpo, mas não se você A dieta do atleta exige que 60%
for correr em seguida.De digestão das calorias venham na forma de
lenta, eles podem causarproblemas carboidratos (pães e massas),que
gastrointestinais. "As fibras precisam fornecem energia.Após a corrida,
ser ingeridasem outro momento para o nutriente ajuda o corpo a produzir
o bom funcionamento intestinal", glicogênio: a reservade açúcardos
diz a nutricionista Patrícia Bertolucci, músculos,o que abrevia a recupera-
da PB Consultoria em Nutrição. Correr ção. Na adaptação ao treino,
emagrecepela queima de calorias, e também para a recuperaçãodos
mas também porque leva à mudança músculos,suplementos de proteína
no cardápio.Alimentos gordurosos podem auxiliar. "Os aminoácidos
pesam no estômago e atrapalham chegam rapidamente aos músculos",
o rendimento. O açúcarrefinado diz Patrícia.Antioxidantes, como
faz o corpo liberar muita insulina, frutas vermelhas e manga, neutrali-
hormônio que abre a porta das zam os radicais livres, que no atleta
células para a glicose."Em pouco são geradosnum nível maior por
tempo a taxa de glicose cai e a causa do alto consumode oxigênio.

FOTOS: MURIllO CONSTANTINO/AG. ISTOÉ; INFQGRAFIA: FERNANDO BRUM 87


Medicina & Bem-estar

PLANOS DETREINO PARA UM INICIANTE


Antes das p,'imeiras passadas., porém, é fundamental uma consulta prévia com um clínico ou cardiologista para avaliaçãed

opç,2:.oA
2~SEMANA 3~SEMANA 4~ SEMANA · Anda: "', mEconcentraçao no ritmo
da caminhada acelerando o ritmo
das passadas e sua amplitude, Usar
movimentos dos braços
segu."Ida-feíra seg.."Ida.~ .. segunda-feira
Livre Livre Livre .. A!1d8r:camlnhada mais

1~45&1ANA terça-feira terça-fe:'!! terça-feira


descontrafda

... A_exercfclosde
seg..~ ;n 10 minoandar firme 10minoandarfirme 10minoandarfirme agachamentos executados durante a
passada da caminhada (abrir a passada
Livre 12séries de 1minotrote / 8 sériesde2 minotrote / 3 sériesde1minotrote / de forma exagerada, na qual o joelho da
pema posterior deve quase encostar no
~.a-~eira 1minoandar 1minoandar 1minoandar,2 minotrote / chão, subir e repetir)
10 minutos andar firme * 10 minoandar firme 10minoandarfirme 1minoandar,3 minotrote / Consultoria: Projeto Mulher
Repetir 8 vezes a série de 1 qua1ta-~ Q'v<!rta.fe ,,, 1minoandar
mino trote / 2 mino Andar ** 45 minoandarfirme 45 minoandarfirme 10minoandarfirme
10 minoandar firme quarta-feira
~. \~-Fe~ qu:'r't.êH"e::!
quaT'!'1H'BIra Livre Livre 1horaandarfirme
30 minoandarfirme
~ se.'l:ta-fe;a quinta-feira
~ :a-"e .'Z 3 sériesde8 minoandar/ 3 sériesde7 minoandar/3 Livre
Livre
2 minocorrer,30 avanços, minocorrer,30 avanços,60 sexta-feira
5e\ta-:'f ."1! 60 abdominais abdominais 3 sériesde6 mino
3 sériesde9 minoandar/ 1 sábado sáb&dc andar/ 4 minocorrer,30
minocorrer,30 avanços***, Livre Livre avanços,60 abdominais
60 abdominais sábado
~ domí"gG
sa.~1" 45 minocorrer-andar 45 minocorrer-andar Livre
Livre (comececorrendoe sempre (comececorrendoe sempre domingo
aomi"'i'3 queperdero fôlegoande queperdero fôlegoande 45 minocorrer-
45 minocorrer-andar durante2 minutosedepois durante2 minutose depois andar(comece
(comececorrendoe sempre volte a correr.Repitaisso volte a correr.Repitaisso correndoe
queperdero fÔlegoande até completar45 minode até completar45 mino sempreque
durante2 minutose depois treino) detreino) perdero fôlego
volte a correr.Repitaisso andedurante2
até completar45mino minutose depoisvolte
detreino) a correr.Repitaissoaté
completar45 minodetreino)

pelo esforço pessoal,pela sensação de bem-


estar. Ou contra você, seu tempo, a ambição
de se superar a cada volta, elevando a autoes-
tima. "Melhorar minhas marcas, meu desem-
penho, me estimula demais", diz a treinadora
de corrida Cinthya Portella, 29 anos, que trei-
na seis dias por semana.
Segundo uma pesquisa da Universidade de
Stanford (EUA), o esporte também ajuda na
-
luta contra o relógio biológico. Depois de ana-
lisar a evolução do estado de saúde de 538
corredores durante 20 anos, os cientistas con-
cluíram que a prática regular da corrida adia o
desgaste sobre o corpo promovido pelo enve-
lhecimento. Entreoutrosbenefícios, ospraticantes
têm maistempodevidaativa e menoschancede
morrerdedoençascomoo câncer.
Como ocorre em quase todos os esportes, a
etapa mais difícil da corrida é justamente come-
çar. Segundo os es ecialistas, são necessários
pelo menos ês meses para se ter a verdadeira
88 ISTOÉ205211/3/2009
ja saúdedo candidatoa atleta. Otênistambémdeveserescolhidocomcritériocoma ajudade umespecialistaemcorridas

29SEMANA 39SEMANA 49SEMANA Escalasde


OpçÃO B segunda-feira segunda-feira segunda-feira
intensidade
Alongamentos Alongamentos Alongamentos de esforço*
1gSEMANA terça-feira terça-feira terça-feira
segunda-feira
Alongamentosdemúsculos
daspernas,costas,abdome
e pescoço,conforme
28 minutossendo:
10decaminhadaleve
8 decaminhadarápida
10decaminhadaleve
30 minutossendo:
10decaminhadaleve
10decaminhadarápida
10decaminhadaleve
32minutossendo:
10decaminhadaleve
12decaminhadarápida
10decaminhadaleve
!t
orientaçãodotreinador:de quarta-feira quarta-feira quarta-feira
15a 20 minutos,segurando Alongamentos Alongamentos Alongamentos
a posturadomovimento quinta-feira quinta-feira quinta-feira
por 20 segundose
repetindoo movimentode
35minutossendo:
10decaminhadaleve
39 minutossendo:
10decaminhadaleve
30 minutosdecaminhada ~~"~
leve:bemleve,para
duasa trêsvezes
terça-feira
26 minutossendo:
4 sériesde3min.detrote
moderado/2 minode
caminhadaleve
4 sériesde4min.detrote
moderado/2 minode
caminhadaleve
recuperação!
sexta-feira
Descanso
2)""';"""', I ~
10 de caminhada leve
6 decaminhadarápida
10decaminhadaleve
* 5 decaminhadaleve
sexta-feira
5 decaminhadaleve
sexta-feira
sábado
35minutossendo:
"p;d'
3) Trote
leve
I/"l
Descanso Descanso 10decaminhadaleve
quarta-feira sábado sábado 15detrote leve
Alongamentos 36 minutossendo: 40 minutossendo: 10decaminhadaleve
quinta-feira 10decaminhadavele 10decaminhadaleve domingo
31minutossendo: 2 sériesde6 minode 2 sériesde8 minodetrote Descansoou reposição
10decaminhadaleve trote leve/ 2 minode leve/ 2 minode dealgumdia quenão
4 sériesde2min.de caminhadaleve caminhadaleve tenhatreinado Consultoria:MPRAssessoriaEsportiva
trote moderado/ 10decaminhadaleve 10decaminhadaleve
2 minodecaminhadaleve
5 decaminhadaleve
domingo domingo
Descansoou reposição Descansooureposição
sexta-feira dealgumdia quenão dealgumdia quenão
Descanso tenhatreinado tenhatreinado
sábado
32minutossendo:
10decaminhadaleve
2 sériesde4 minode percepção do bem-estar gerado pelo exercício.
trote leve/ 2 minode
caminhadaleve
Enquanto faltar ar, coordenação, força e prazer
10decaminhadaleve durante a corrida - o que é normal nessa largada
domingo -, o indivíduo, provavelmente, ainda não se
Descansooureposição adaptou ao esforço. Portanto, não pode saber se
dealgumdia quenão gosta ou não de correr. "Depois desta fase, não
tenhatreinado
conheço nenhuma pessoa que não passe a gostar
de correr", diz a professora de educação física
Cris Carvallio, diretora-sócia do Projeto Mulher/
Núcleo Aventura, que há 11 anos presta asses-
soria esportiva e orientação nutricional.
( Correr vicia por conta de um fenômeno na
química cerebral. Após 30 minutos da atividade,
a produção de endorfinas é tanta que provoca
picos de euforia e ondas de êxtase. "O benefício
mental que sinto é imenso", diz a carioca Cyn-
thia Howlett, apresentadora do canal a cabo
GNT. Ela corre três vezes por semana. "Depois,
me sinto como se tivesse tomado um banho de AUMENTO O número de circuitos
realizados por CareUl subiu de quatro, em
cachoeira", diz. Esse tipo de sensação, desenca- 2006, para 50, previstos para este ano
deada pelas endorfinas, cria dependência posi-
FOTOS; FREDERIC JEAN, KARIME XAVIER - AG.ISTO~ 89
Medicina & Bem-estar
tiva, desde que sejam respeitados os li-
mites do corpo. Estudos comprovam o RISCODASLESÕES
que, em provas de longa distância, a
abundância de endorfina altera a per- A ideia romântica de que basta um energia, como uma queda ou
cepção da realidade, criando em poucos tênis, uma bermuda e uma estrada para uma pisada em falso. Ou as lesões
casos uma espécie de "barato", pequenas se aventurar na corrida tem seu preço chamadas de microtraumáticas, mais
alucinações momentâneas. Alguns atle- para ossose articulações.A animação frequentes, que se originam de uma
tas mais experientes relatam que a dose inicial, que pode levar o corredor soma de esforços na mesma região.
regular de endorfina é uma necessidade a abusardo organismo para superar É o caso das tendinites, inflamações
do corpo, podendo gerar crises de abs- seuslimites, por exemplo, está entre as em ligamentos e desgastesda
tinência. "Muitos ficam agitados quando principaiscausasde lesões.Issoporque, cartilagem. Fraturas por stress podem
não correm", diz Marcello Butenas, di- segundoo ortopedista Arnaldo Hernan- acometer tanto os ossosdas pernas
retor-técnico da Butenas Assessoria dez, presidenteda SociedadeBrasileira como os dos pés. Nos músculos,
Multiesportiva. "A corrida funciona de Medicinado Exercício,o sistema a síndromecompartimental por
como uma válvula de escape." cardiorrespiratóriose adapta mais esforço, quando eles crescemmais
Correr é mais do que o esporte mais rapidamente a mudançasdo que o do que a bainha que os envolve,
antigo do mundo. Segundo estudo do sistema músculo-esquelético.Enquanto é outro motivo de dor.
biólogo Dennis Bramble, da Universi- o coraçãose fortalece com um a três Algumas atitudes ajudam
dadede Utah,nos __ _ __ _ a prevenir o aparecimento de lesões.
Estados Unidos, em AUXrLlO O ortopedista Paulo Barone,diretor
parceria com .o antro- A fisioterapia médico do Sportslab, clínica de
' . ajuda
po ogo Dame I Lle-

I
I Edmllson medicina esportiva, em São Paulo, dá
berman, da Universi- a tratar uma lista essencial.A primeira medida
dade de Harvard, foi Inflamação é elaborar um programa de treina-
a corrida que nos I.noJoelho mento que respeite os limites indivi-
tornou humanos. _ duais, fortalecer a musculatura e
« I '" ........
EvolUlmos de nos- realizar alongamentos apropriados.
sos ancestrais e nos Os exercíciosprecisamser executados
tomamos o que so- corretamente, orientados por treina-
mos porque a seleção dores, e a intensidade do programa
natural favoreceu a deve ser respeitada. A alimentação
sobrevivência dos L_ equilibrada é obrigatória. A prática
australopitecos, pro- deve ser feita com material adequado
vavelmente porque eles podiam correr mesesde treinamento, o sistema e em locais recomendados,como
para caçar ou se esconder", disse Bram- músculo-esqueléticoleva de seis parques.Tem-se de tomar cuidado
ble à ISTOÉ. "Ao longo das eras, isso a 12meses.Commais fôlego e menos com o supertreinamento e valorizar
moldou a anatomia humana até o pon- musculatura, muitos corredoresacabam o períodode recuperaçãoapós
to como a conhecemos hoje e que nos exigindo demais de ossose articulações, o treino ou competição.
permite correr longas distâncias." podendo ocorrerlesões.Este risco Uma vezpresentes,as lesões
À primeira vista, pode parecer que é semelhante ao overtraining - ou podemser tratadas com medicamen-
o atual boom da corrida represente excessode treino para indivíduosde tos, fisioterapia e, em último caso,
uma volta às origens, a busca por nível avançado.Apesarde estarem com cirurgia.O treinador de corridaEdmil-
um estilo de vida básico, feito de seu sistema cardiovasculare músculo- son Silva Santos,43 anos,por exem-
natureza, exercício físico, alimenta- esquelético equilibrados e prontos plo, faz três sessõessemanaisde
ção natural e relações pessoais de- para recebertreinos intensos,sofrem fisioterapia para se tratar de uma
sinteressadas. Masnaselvadasgrandes lesão pelo uso abusivo e demasiado tendinite no joelho. Corredorhá
cidades, ondea vidasedentária e ostress do esforçofísico. 23 anos,ele começoua sentir dores
diárioacarretam mauhumor,obesidade e Cercade 70% das lesõesesportivas há três anos.Na época,corria 150
hipertensão, corrervaialémdabuscapor atingem os membros inferiores, quilômetros por semana.Hoje,
qualidade devida.Milhões de atletas justamente os mais exigidos durante diminuiu para 80 quilômetros sema-
amadores estão provando agora que a corrida. São os grandes traumas, nais.O tratamento e a reduçãoestão
é a evoluçãoda espécie. . causadospor movimentos de grande dando certo. "Estou melhorando",diz.
Colaborou Cilene Pereira

90 ISTO~20521113/2009