R spons bilidade Técnica: Dr.

E E leO DOS R 18 UD
Realização: r
Responsável pela Reprodu ção: ASSOCI AÇ!O DOS ITACOATIA . 8 8 RBSI
DE.r S EM US - AI
Cal boradores: MA I A LIDA PER EI LI MA - Correç·o;
Cg8A UGUSTO VIEIRA DE SOUZA - C pa;e
B UI L JQ GI ASSIB OLtMPIO - Correç·o e Impress·o.
Entid de Int re sada: UNIDADE I DUCACIO AL DI ITACOATIA
Dir tora Sra. BLIZABETB COIMBRA D CO TA
O JETIVO: 2 F IRA DA eII elA DE ITACOATIA
Período: 14 ã 16 de Agosto de 1990
Loc 1: Avenida Parque
Participante.: Escolas Municipai , Est du is e Particulare
H nicípi08: Silves, Urucurituba, It piranas, Itap acú, oa
Vi ta do Ramo , S·o Seba tião do Uatum- e
Olind do Nort •
pr•• 8. Dtid doI. orador•• : MATER'AM, AIRMA, SAU,
IBAMA, IMPA, UNIVER IDA
DE DO AMAZONAS, SEDUC,
GETHAL, UESI e te.
Apoio: Assoei cão do Itaco ti r nses R idente e M n s - AIRMA,
Distribuidora de Bebida nt rctic Ltd , Secr t ri e Educa
ção do Amazona - SEDUC Indú t i d Mad ira Cu Ltda e
Centro de Des nvolvimento, Pe8qüí a e Tecnolo ia do Est do .do
Amazona -
Oba. Esta evia a ó pod r r reproduzid , aco panhand de inform
coes da entidad apon v 1 el r produção.
H : ~ d i c i n a
c.. ira
Am a:onic
SUÚI.IO
Apresentação. .......... . .. . .
Relatos · Colhidos Durante o Encontro . .5
Relacão das Var·iedades e Receita de BOBAS. 7 9
Cascas de Árvores •. ... , 10 12
.
c Tr oço s e Se entes ... .... 12 a 13
har de Árvores 13 a
Fr u t a s Medicinais .. . .. .. .. 16
t'H eo Vegeta i s
Ra
,
zes Ve getai .. .. ... ... ... .. . . .. . .. . . .. 1 7 a
...... ... . ... .. .. ... ... 16 a
.
1
F in s /{rv r s ...
.. . .. .. .
c c a s par D e C m .19 2
M( (
I f
n u 1 19
f
AP 8SB TACA.0
E ~ t e trabalho ·no mostra relato do "ENCONTRO DOR CU­
RADORES", ocorrido no período de 3 ... 5 de f vereiro de 1983 , 110
qual participaram vário represent nte do curadore do Estado
do zona, sob a coord nação do profes ar FRED RICO DOS REIS
ARRUDA, da Universidade do Amazonas7 unir m- para debater
com 4C d- icos e p ssoas int r ada nos pectos v riados da
utilização da flora e fauna zônicas, pela medicina popula •
Traz no seu conteúdo nsinam ntos referentes ao U8
dos medicamentos cas ira e a an ir co ao admini trad 8
los curadora do Amazon •
A RMA int grada aQs objetivos d II F ir 'ie Ciência
d Itacoatiar, divulga est trabalho, na int nç-o d proporcio ·

nar aos alunos, prof s&or s
e comunidade, e t docum nto pr c12
so sobr a no sa riqu! ima medicina cas ira.
" ••• á veze, vamos ao médico e CJu eemos qu t s a cura fo­
r dele na no a flore ta zônica-. (Uma curadora do JD
1
mi ­
c!pio de Itacoatiara) ftMarina pcnalber
ft•
" ••• no inte ior, nossa medicin ão a.: pl nta porque não há
médicos, nâo há f rmácias n enfe iro" (Uma curador de
Silves).
esa no cur (tratamento) é is do qu uma cura, por­
"
qu procur s tir r da tr va o nain nto p r a nos
s úde" (Seu Argemiro: 79 anos d idad , curador desde o 10
anos) •
ft ••• no••o b t papo foi uito informal e muito import nte, p ­
ço ap na qu os tud nte I r de nó quando 88 iv ­
rem formados-. (Dona Marina - Mulher curio a e Itacoatiar").
ftMarina P nalber' •
Relato colhidos durant o encontro.
7
I - BANHAS DE ANlMAIS ••.••..••• ..••••.••.• 22 Variedade
11 - CASCAS DE ARVORES ••• ..•.•.••••.•••.••• 18 Variedades
111 - CAROCOS OU SEMENTE5 .••.••••••••••••••• 12 Variedades
IV - FOLHAS ••..•••••••••••••.•.•••••••••.•• 32 Variedades
V - FRUTAS •••••••••••••••.••...••••••••••• 07 Var iedades
~ .......-
VI - OLEOS VEGETAIS •••••••••••.•••••. .••••• 08 Variedad
VII - RAIZES MEDICINAIS •.••• ·•.•••.• ••••••..• 08 Variedad
VIII - RESINAS MEDICINAIS •••••••.••.•••.••.•• 06 Variedades
Apresentamos em seguida as explicações d d pelo
curadores sobre determi ados 80 dessas categoria de medica­
mentos populares da Amazônja começando pelo estudos das BANHAS
DE ANIMAIS que são as mais usadas pelos curadores:
BANHA (do Boto vermelho). Serve para a cura da "coqu luch - ,
bebida e friccionada sobre o peito.
(da C pivara ). Serve para curar a -a
- e para
qualquer . espéci de ronquite. De­
ser bebida até curar o doente. Ado­
se é uma colherzinha diariamente e
jejum.
Serve p ra "inchaço" deve ser ap l ­
c da m associação cânf0ra obr o
1 gar fet do ant s de d ltar- e .
(d eur tã). Serve p r curar " eu
-
(ou es­
"trepada) par "picad c1 in to
v ne 080 .
g u
ada no obre ' 1 os
feri ntos ou obr a lugar d pica­
d do in tos.
GaliDha) • rve para "t • iDc ço e .
u ada norma eglcim do luqar afetado,
f Z-8e a frlcç-o da b aba .
8
BANHA (da Guariba). Serve para qualquer tipo de "inflamação"
mas é utilizada principalmente para de­
sinflamar o útero da mulher. ~ também
utilizada para apressar o nascimento de
crianças (nos casos de partos diflcil) .
Fricciona-se banha sobre a barriga e so­
bre as nádegas da gestante.
(de Gibóia) . Serve para os "tumore e inchaço ", Fric­
ciona-se a banha norma s o ~ r e a parte
afetada.
(do Jaboti) . Serve para curar "reumat
massagem da banha norma
dolorida.
s", Faz-se a
sobre a parte
(do Jacaré) . Serve pa
popul rm
bi a
a a cura do "tetano· ( chamado
nte de "espasmo") Deve ser be­
cur ru) o Jacuraru é também chamada de lag rto
o téu" (tejú). U a­ e a banha para ti­
ar " para combater o vene­
no cob a. tarobé da ocntra o der­
raro
"espa mo"). . A
( )
S.rve
T n
a rig
• F
da ~ e s -
- s e a
~ ) s a
d P rar c )
i.
para
SUR ro
a J
9
BANHA (do PEco) ':bUchho. Para sex:vir renéllo deve ser frita sem
(de Gaào) «l ::;ebo de
(da SUCUrijú).
(de SUruàim).
( d e ~ ) .
(ct. Tatu).
(da '1'aJ:t.aJ:u!JI) •
sal. O toucinhe cru serve para acabar cano "pa­
m-branco" "do IIOJ."PO. O::are-se uns pedaços
cru sem sal. A banha do perco oan erurofre ..
)
para curar as llcurubas".
~ . t nn.úto para dores de "inchaÇOS é 12­
~ " . Faz-se a massagan sobre a parte dolori­
da.
serve para sarar "golpes, para 'b.mDres 1ncha­
e:-s". Apllca-se a banha noma soare a parte afe­
tada. Usa-se para cicatrizar qualquer ferimen­
to e após as cirorgias.
serve pará oarbat.er as 1'p1ca'aS de insetos voe­
l'lIeB)SOS, para "esuqJeS" e para cicatri zar fe­
r1Jlentos. Aplica-se mxna sobre o f erinento ou
sOOre o lugar da picada do inseto.
Serve para sarar as feridas externas sobrebx1o
as feridas "brabas" (leischmaniose) . 'Para curar
as "feridas brabas" usa-se a banha, o o 80 ,
e o couro da oobra surucucu queimados E!l1 fonna
de ~ . Aplica-se a pcm.'Id.::l. sobre a ferida
durante vários dias até cicatrização oaxpleta•
.' Esta parada cura tarrb3m o "câaua exte111O- ( o
~ que ferida braba) •
A banha de oobrã surucucu usada para curar nan­
d1nga fazendo.,.se a cruz no peito cem a banha da
oobra.
Serve para fecha o corpo.
Sel:w para sarar os -bDJr:es e os inchaços. A
urina do tatu cura a der de ouvià:>. O rabo do
tatu (a pcntinha) \D8Iiecida cem a banha da sucu­
rijú cura a dor de ouviOO.
A urina do tatu faz os surdos ouvirem.
2 anti-inflamatória de 'bIrDres internos e ext:er­
serve para os 1nchac;;os. '!tina-se bebida pela D'Ia­
nlIã 1.Dlla colher de sopa, duas vezes'ao d1a, antes
ou depois das refeições.
CA';CA (de in:l1r:aba). o chá seíve 'para "cbr de ". O banho cas
ca oan sal serve para ":iJdlaQo e sllaf 7
n

(de BaJ:ba-'r.Imão) .Carbate a inflamação das "cn1daJas· e serve para
"bJ:'aquites". Faz-se o chá da casca fevendo-a oan
aç1Íaar e se bebe oc:m:> xaJ:q?e.
(de cajã ou 'nJperebá). ladn serve para curar as feridas. Usa - se
taDbém a casca e a folha esmigalhadas para fazer o
banho da cabeça na cura da. sinosite- Na cura da
"diabete", usa-se t:ant>ém o SlJ[D da casca de cajá
associado ccsn o SlIn:> da. casca do caju colocados no
- sereno durante \.ItB noite. Cbloca-se neste preparo
pedra de sal e taJa-se durante 3 dias seguicbs
a porção de x.Icara de cada vez na cura da diabete.
(cb caju Q:lUIl). O S\.I1O da casca do caju branco can a goiaba verde
ralada cura a "desJnteria e a desidratação de un
llDCb geral".
(ã;) C"aju-açú). serve para o de senIEns" oU flores­
brancas" • ' FeIve-se 00 caju-açÚ cem \ml ôvo
bem bat1ch. Este remédio ajuda a fortificar o drga­
ni.srr::l da DU1her. ser:ve tarrbém para curar a "gmm.­
%é1a". .
( D:loe ). Arvore da casca doce. t usack> o chá no tr tanEnto da" ' ­
ba· e para curar a -. Tana-se duas ou três
vezes par dia.
castanbeJra). Faz-se o banho da casca paracurar iriflanaCãd CUra
talri::ãn a - • paral1a in­
fantil e corta as DEVE - Sf:
ter CII1 dado não tanar vento depoiS do banho da
, eàsca, se- a pessoa inchar oan o banho, tana ou­
, ,tro banoo n vasilha CXID água sal.
' .. , . . 0. ·
(cb oec:lXO ve:J_lbD). serve a curar a "pdsio wotze". O bar\lx)
. da casca do cedro cem sal serve par: curar Q
• I ''beri-beri". ·O banOO da casca do cedro é ante - in­
flamatório e tem as qualidades da casca da
castanheira.
( cx:p:t.Iba). . Tem as smas qualidades do óleo. 5eIVe para cica­
trizar fer . tos.' O chá da folha de rope{ba
do vários dias seguidos é reméd10 para dED:'J:SI1!t
ve ser t;aMdo até o restabelec ,to total da
soa. O chá cuxa t:aDt:Sn ps epil.it.1caJ
_mado açúcar. Para a cur da 11
chá associado a}b) e hortelizjnb;:>. ' "
ele Q)
1
abei ra) . achá da de <]J1abeira para regularizar
as "regras" das Jl11lheres e • c
trizar f J.mentos.
" ,
11
(de GaDave) • o Ganave é \:mia árvore parecida oan o jarrbe1ro. O
chá da casca é· anti1nflamatário. Também bem para
a mem5ria. caro regulador de - 1a deve ser usa­
do o chá da casca de <;PDave oan dois ovos de gali­
nha preta fazerx10 a ganada. E: relaxante, mellnra o
cérebro e furx::iona cx:m revigorante.
(de Invirataia). Deve-se usar a casca velha para mel.lnJ;ar a doJ:nê't­
cia ros nervos (as ca..úrbras). serve tarri:lémpara cu-­
rar a "sinoslte" quando se ool.oca a casca ro álco­
ol tan para este caso os IteSflD efeitos da cabaci­
nha. E: desoangestiooante nasal. Usa-se também o ba­
nbo da casca de invirataia para curar os resfria­
dos pennanente.
(de JatxXá) • Qlamam também de Jata!. Usa-se o chá da casca can
ovo oan gemada para curar bLaquit:es agu:las, é óti­
no expectorante. O xarope da casca de jatabá serve
também para curar Mil" i õida e para isso tara - se
un copo diari.ane1te.
(de Jucá) • serve para os p
n 1
m5es caro c:xx:atrizante. Usa-se a
raspa do Jucá para tirar dela o SUIlX>, junta - se o
S\.DO cem o mel de abelha e bebe-se como ~
eJq)eC'tarante e faz sair o sangue coagulado dos ba­
ques.
(da MaD:jUeira CCllIUD) . Serve para curar desinterias. Para as diar­
réias usa se o chá da casca por ser travosa. A
raspa da angueira pisada é renédio para curar o
" aplicada sobre o cabreiro can \Il1 pouco
de sal Este mesrro preparo da raspa oan sal é usa­
do para curar as frieiras .
(à:> Pau d 'arco ou Ipê roxo). serve para curar gastrite" ''\J -l1cI:!!la"
do estânago.
(de Preciosa) • serve para "prisão de urina para prisão ven­
tre".Usa-se o chá da casca.
(00 ) . Usa-se a casca para f azer para curar l­
ados e tira-se o 0100 êb Uixi para fazer massagens
sobre lugares inflamados.
(de Usa-se o banho da casca nova m j \M:!IleSOEa:'
SIDolIEN'.ll'ES
12
Tem mui.tos usos, mas im dos principais é canbater
a "sinosite
ll
• t um bem anillnflamatário. E: tam­
bém abortiva. Diz até qua a cabacinha nesno lava­
da em sete águas ainda provoca o aborto. Para cu­
rar a sirx:>site usa-se uma. inteira num frasco de
álcool, cheira-se vagarosaIIEnte passando - se um
pouco sabre a testa e ensopariIo a cabeça.
Caroço de calíaié ou Dendê • Usa-se o caroço do deOOê queimado soltado den­
tro d' água para curar a ''coqueluche e a prisão
de urina.
Pega-se a castanha e a coloca 00 fogo para queimar na
castanha do caju.
.. brasa. Quarx10 já estiver quase queimada pila-a 00 pi­
lão, pega-se a nessa e a mistura can limão assado ( 1
limão) • J'Lmta-se a esta mistura umpouco de sebo dt'
iblanda e faz-se a OCItpressa desta pasta soore a ca­
teça. para cm:ar a à:Ir de cabeça.
casl:anlla do Pará.. (Conhecida tanbém pelo llCIl'e de ''maranhota"). Usa
se a castanha assada 00 crua, tana-se a bagem e
pila ou amassa rrorna juntan:b-se um pouco de água.
Aplica-se esta pasta sabre o lugar das rrordidas de
cobra e ela age cerro eDltxa-veneno
Usa-se t:.aIrDém a castanha assada (a pasta) para
friccionar socre o inchaço para CUIlbater infla­
mação. A castanha é antiinflamatária, anti-\Tej}
00. serve taIrbém para curar a papeira quando se
aplica a massa sobre as glândulas inflamadas .
caJm mba de Sap.raia. E: usada para curar a Ilcxquel (tarnbéin chamada
de tosso de guariba. ). Usa-se ralada para Ls
fazer o vmho, E: usada também catO alimento. Tan­
te o inho CC1IO P a cura a "tos· "
U . - .. a ~ tanha da saptX:aia para curar o
"tam ou - ., te ca, a
t.anha. ucaia cem o tabaco e o J Im.
o óleo do caroço
tan doT ouv
e t e a ~ n : a derlt.e.
r
r
13
FOLHAS DE ARvoRES
FOLHAS DE:
Abacate
Alf
Cre-:1do
.. (folha)
cm.l.Eo(folha)
serve para curar a "cxquellEhe" e se o prepara
da seguinte maneira: queima-se o caroço na brasa
e quanà::> está 'lJeI'malb:> colooa-se na água em um
oopo e se bebe esta água ncrna. CcrriJate as taJses
e btuqüites.
serve para curar inflamacão, para o fígado usa-se
o chá da folha seca. Serve t.ani:iim para curar in­
flamação 00 estârago. A folha do ab8cate associa­
da oan a z:aU do aga1 cura a "hepatite-.
Usa-se o chá três vezes ao dia para curar Cbres
de estânago e para nwmlorar a digestão.
Usa-se esta folha EItI associação oan várias plan­
tas.
Para curar n lsgia" faz-se o seguinte <XIIplexo:
- Un p:>UCO de folhas de pinhão rcnco,
- mão cheia de anor crescido,
- não cheia de c:r jizu,
- unas paJJnas de folha arru:3a.
Pisa-se tu:1o isto no pilão e faz-se o SUlID
ool.oca numa ilha. Faz'-se em segtúnda um banho
de casca 00 caju lavar infecções. a
lavagem oan o banho nmno da ca de caju apli­
ca- sobre o ferinEnto o SUltD can e:atplelCD de
folhas. A cicatrizaç80 será rápida.
Este S\ItD cura o "unheiro" e serve 1:al'lbém para
aumentar o cabelo que está caindo. O anDr cres­
cido t:.aJt'bém cur .. " •
para quebranto e para curar a dor de ouvi­
do. O S\mD arnrJa can o &\mO gergeUm
para curar a doença de 7 dias em criança. EBta é
taDticn chamada pelos ciradores cem o rx:me de "te
tano de sete dias". E cura can o SUI'IJ:) da ar=
nx1a associado cnn o S\m) 00 gergel1m•
Usa-àe a folha galhada água e oolo­
cada sol par fazer banho. sezw par .inchaÇO
e Esta folha se>­
bre o corpo serve CCIID repel te para carrapa­
tos. se a pessoa. ti n li usa folha da ba
neir são 'ItIrê, mas deve evitar caner porco e
peixa liso que são 11I1ito re.im:Jeos.
e laxante e curar •
Deve- fazer o chá associa - oc::m a da
laranj • A folha da caf f cx:m a fo­
lha de c:raj1ru para dar • e fortifi­
can •
canelt taDa Faz-se o chá da folha para curar a dor de esto­
nago.
C:ldmira. (folhas e talos) E: calmante. Usa-se o chá associado can a folha da
graviola para fazer donnir. 5el:ve tarrilÉmpara cu­
rar a desidratação de crianças.
0dcárJa (folha e raiz) Faz-se o chá da folha e da raiz can o allD para
cortar a febre e deve ser tarado diversas vezes
durante o dia.
car:rapicb) (folha) Usa-se associado cem a folha do I1Anor crescido",
fazerxb-se o surto e aplicarm-o sOOre o couro ca
. beludo para fazer nascer os cabelos e para evi=
tar a calvice.
O chá do ooentzo serve para curar o " espasmo'
(derraIre), Usa-se também esse chá sem açúcar pa­
ra fazer lavagem de criança que estão CXIl\ infec­
ção intestinal.
CbIr:dã-o de são Franc1sco Usa-se o SUllD da folha para a cura da hérnia e
usa-se o bagaço da folha para fazer nEllplasto- /
sobre a hérnia. O suno e babido duas vezes por
dia nesse tratanEnto.
Cb.1Ve (fo l\plica-se a folha ou o bagaço da folha nas quei­
maduras de qualquer grau. O USO da couve sobre as
que . as evita arder e enpolar. Para surtir
efeito ca'ltra as quejJna.duras jtmta-se colher
de mel de abelha ao bagaço da couve. A couve ser
também para curar a erisipela (isipra), ­
aplica-se a massa da folha da couve sOOre as
tes afetadas. -
jiJ:u (folha) E: um dos me11Dres mt.erinos ,
sobretudo para desiflamar o útero das nulheres.
serve para curar henDrragias das l'lll1heres. Be­
be-se o surtO da folha e da flor. Usa t:.an'i1ém
o chá para criança que está na fase de dentição.
(folha) serve para evitar a isânia. Usa-se o chá da f
Iha,
Grav10 (fo serve para a isânia, para dor de estéinago. Usa-se
o chá. Usa- nuito a folha da Graviola associa­
da cem a do manão e a folha da laranje a
lha) estânago. Usa-se o - que é t:.anbém
l.aJnat:.e-Lri<o e serve para curar a dor de
curar a
sarar curuoas 15
JSIbu (folha) Faze-- cc.wn o 3aJIb.l as utJ.l i.zac80 CJIlA Q
faz can a J, • O chá é usacb para o
O sum da folha CXIn o da folha da
serve para curar "toSse sêca". O SUI!D da fo
do JaDb1 é talrbém ItI1ito utilizado para a ferr
de arraia (passa a dor). O chá do JaniJu é b:rn
ra o figado. -
Para curar a "carne crescida vista
"•
Usa-Ge o
jan'bu assado, tirando-se o S\ItD do Lü.o e apli­
cando-o sdn:'e o ôlho que tsn "came crescida11•
(fo1h4) Ferve-se a folha e faz-se o gargarejo para
ainf'lamar a gU<J311ta. Associa-se o chá de Jara­
qui-caã can a folha de quebra-pedra para tratar
das àxes nos rins.
(folha) Faz-se o chá para tirar gaso-s do estâ!ago. ieI"­
ve-se as folhas em 1 litro . d 1i9'J1.:l ' e tana ­
CU'lt.inuamente até desaparecer os gases do estâna
CJO. serve tarrbfIn para regular os intest:i.ooe e ne::
1hI:lra o fígaCb. Usa-se t:aniJém o chá da l1Ireira ,
para fazer a febre fazerxlo-se também o
"escalda pé" do banho da folha.
(folha Usa-se o chá para curar a dor de est&ago. Cur:
taniJém a oalStipação. Faz-se o banOO para d0­
res de cabeç •
lho (palha de milh:> seco) Usa-se a palha da espiga do milb:> 00 - a
para ferver cem a folha do "SABt..GJEIK)". ' util i ­
za-se este chá para fazer sair o Este
mesuc chá CCID sal serve para curar as do­
zcs nac juntas por cauz:l da • circulação.
(a flor) Usa-se ó chá da flor da papoula veDelha tó
xíco, Este chá tem o JneiIlv=> efeito damoonha. ser
ve scà:'etudo para curar quando
be o chá 00I'J1D.
()J1na (folha da quina)' Tem o mesno efeito da casca. Faz-se o chá para
curar a ..
8abugtlB:i1'o (folha) Usa-se o chá da folha para curar o SE8II10
(folha) :e DIlito usada 00 tratanEnto do fígado. A folha
IXWa - nelhor do que a folha velha.
'1mJger1Da (folha) serve para calnante e faz baixar a pressão. Usa­
o chá.
(folha) serve para 1nflamaçio. Coloca-se a folha sobre
inflamação .ou sàJre a8 queimaduras. O chá da fo­
lha é usado para curar a dor estârBgo mistu­
rado can a . '
O chá de UI'1.1b1-eaá associado OCI'Q o talo g1rl-
DU1\ que:1mdo para cortar o vânito.
(malva velame) serve para a suspensão regra nulhere. Faz
o chá can a1 folhas
16
RUTAS MEDICINAIS
CRAVO·
LIMA0
Usado para curar o tétano asscxiado cem a I Cris­
. ta de galo" .
Usa-se a goiabinha para curar a desinteria.
Usa-se o caldo dessa laranja para misturadQ can a
gana do "batatão" OCIIO purgante e Cem depUrativo
do saneue,
Muitíss:lmas aplicaçÕes. Usa-se t:ani:lém a semente
de limão e n g o l ~ 7 (sete) semmte de forma
regressiva oaneçando por sete no primeiro dia, 6
no seguOOo dia e assim sucessivamente até chegar
ao 79 dia can una semmte. Este é o remédio
- SÓis" • Este mesno uso das 7 sanentes de
limão serve para curar as oascídas e outros e f
riIrentos da !resma espécie. (os "Furuncos ) .
a uma das melrorés frutas digestivas. Deve
. card.do de prefe:renq;i.a pela manhã em jejum a
CXl'ro do f { ~ e 00 estê..ma
Mastigando-se três satentes pela manhã . em jejum
serve para cartater as verminoses.
A pimenta do r ei.ro can um pouco de vinho é usada
para facilitar o· parto. an falta vinho, pode­
se utilizar a chaca para fa mí.stura.
se preparo é tarri:Jém anttinfI tório U
ta:IIi:Ém a p ta do reioo
te ")
r á-la
t un dos mlhores . antiinflamatár10s para q u a 1 ~ ...
quer fer:lJrento ou tutores. 1lge contra o "tetano
ll
e é c1catrizante cx:m efeito nutto rápido.
"
(tantén c:hamado de CAIJW!) Tsn o Iresno efeito da aPA1BA. t c1catri­
zante de fer:inentos e antiJnflamatório.
serve para curar "rugaChma" (hérnia). Faz um
preparo desse leite vegetal assocJ.aã:) cem outros
elementos. JUnta-set­
a) un p:.ux> de pê (resma de pinbJ) ;
b) p:1Jlenta do reim;
c) \B pouco de álcool.
Pões-se esta mistura a:me um IX'UOO de algodão
se coloca sobre a ")enIa" e EJC:lb1.-e o algcdão se
ooloca o· leite de apuí. Aplica esse medica­
mento durantes vários dias até obter a cura da.
"hemia" (rasgadura).
MNlCIa (ou carrapato) t mais usado para purgante e para nulheres após
o parto. A dose é 1.Ina oolher de do azeite
puro. Usa-se tanilém o zeite de l1laJtI:Ina misturado
cem "sênia" e fervick> ~ deslocar a l aoenta.
p ~ (óleo) Usa-se par curar a à:>r de dente. Atua sobre o
nervo eX> dente, mas destrói o dente.
PUJIA (óleo eX> caroço) A carne eX> Piqui oozida cxm sal serve para tut0­
res e para inchaQOS. Ipllca-so sabre o lugar da
inflamação. usa-se taDb1in esse óleo para fazer
mas gEIIl o figado o QO das que
tivermn iJIpalrriiSIID. Ne te caso, mistura-s o
óleo eX> piquiá CXJl\ o sebo eX> gabo e faz a CXI1pI'es
sa scbre a parte inflamada. -
RAIZES VEGETAl :
(raiz) Serve para anemia.
AUI) t antiinflamatório e serve par regular a preS­
são de qusn tEIn preSsão alta.
tmUbé"m ocnhecida caID "batata de purga") :e tive.
t ant1anêm1oo, depurativo do san:JUE! e fortifi­
cant:e.
Faz diminuir o olor st:erol do sangue é ban
ra a digestio. .
cmetm:A(a raiz) Usa-se o chá da raiz da Q 1 I ~ par ac
isênia. assoc1ada CXID folha da.
DREmA. serve para aju:Sar a pes
ralada a fazer o EllP1asto- da IlGlI_
colocar &abre "Eriai ( i 1 -) • eciii
a aplicação da aassa da ou da a
sotre a er !pela, a afetada vai eco­
traindo até fi 0CI!p •
1
BlGlIIUlmUA (t:aJ1bém oonhecUbpn' "Gengibre") Serve para fazer - se o
"l.ani"edor" e tana para curar as inf lamaçõ s ,
Faz- a associação da BRANCA" oan o
óleo de "ANBIJa3A" 7 preparando- o:::m os 0018 \Jtl
"melaço" •
(ou" ta1a Amarela") ! tanb1in a:.rilecida pelo lUlB de
"N;MTCJA". Usa-se ralada para aplicar sobre a ERI
SIPELA. Pam esta finalidade, usa-se a massa dã
Managaratai Amarela associada oau álcool. O mea-
DO utiliza para curar as "frieiras dos pés".
RBS D ARvo
I (resina de Anani) TEm o msriD che1ro da J:esina do "breu Mana:>. A
árvore do A.nanJ. é encxntrada MS cabeceiras de ter
ra f1J:me e nos chavascals. QueiJrB-se a resina ­
cheira- a ça para curar a dar de • Faz
-se taDiJém \.IDa espécie ele "rapadura"da resina c:an
o S\:I1D da folha da "batata-dcce", ooz:Lnhando-se os
dois até engrossar e dar o palto da rapadura. U8a­
t:.aDbfsn para passar a der de cabeça, cheirarà>­
se a ca.
8IWU) (resina) serve para dor de cabeça e para cortar o vêm! to •
Usa-se t:aDtléJn a f\lnaça para cheirar: O BRW BRAN­
00 é t:antSn ccrileoido em alguns lugares CXIl'I o no­
de • .
(resina) O1ama-se às vezes de "JUta1c1ca" do Jatabá. OJra a
dor de cabeça quando se cheira a funaca. Deve ser
cheirada à distância do naris porque tsn cheiro
rmrlto forte.
(resina do Pinho) Não é da região mas é nuito utilizado
em toda 1CDaZênia. Usa o pó ralaOO na l!ngua do
p1rarucu e \lDeJdecido CXIl'I áloool. ().Jejma- o pó .
e mistura a cinza no álcool para aplicar sobre
a "hern1a". (rasqadura).
O uso para "hémia" é da segu.inte maneira:
95 pêz CXIl'I pó ele p1Jtenta do re:l.oo
CXIIl leite de "apui para ficar liguento. Faz - se
o EllPlAsto se aplica scbre a "hérnia". O pó do
.. só- é solúvel álcool.
Neste tr to de "hérnia", quando usa o lei­
tede "apui. ,pega- o al9XJão .. e .sobre e
coloca-se o leite do APU! para seguida SEII8!lI'
o pó do "pêz".
&> angico) ! \In exoe te expectorante feito o l.ante;br can
v1rlho de ju. Pode- a pura
qualquer outra misUlra o efeito.
(J:eSina do Pau laa) TEm me f do óleo. S8J:W para c\Ir dor
dente e a sobre o nervo do ta.
'9
RBCBftAS ESPECIAIS PARA COIlOR:S
I PROBT.BII..AS QUE MEltmC:BII CUIDADOS BSP lAIS DOS CURADO
ABOR'fO
AIIBIIIA
DOIDA ( RBOIDA BRIIICA
F1GADO B RDl8
GOIllOBltBIA
PARA BSSES CASOS lIA BSPBCIAIS QUE alo OS SBGOIS'J!BSI
ABORTOI Para fazer abortar o seguinte preparo: "0Jmin" - cheia de
C\In1n colocada c:qJO d'água. Q)loca-se para fexver até que
diminua para a quantia de ch!cara de cafezinho. 'ltma- essa
por toda só vez em jejun espera-se 10 espa duas
horas para lIn outro preparo feito de " , •
Ferve- 2 partes de cabacinha na porcão de um ( 1) cq:lO
d'água e bebe-se ta dose divid.1ndo-a em três iguais
int:ervalos ·de 1Dra sn h:>ra. A pr1me1ra porcão ao deve ser bebida
ap5s duas lDras de se ter bebido a clúcara de "ClD1n". •• "t t1zo
queda", c11zEIn 06 curadores. Em mEIl'X)S de 12 00ras a soa esta­
rá abortando.
Paialagii-iDl caao haja "hestmzag1an, colcx2 se áqua para ferver can
sal coloca-se -s da na água umna salg para cortar
a hBtm'rag1a.
AJ1JalIA: (sobr tudo
til RmD'ICMfiB 'JGaItó
, litro de tinto Cb bem (tinto ... )
4 aves de galinha terreiro (.., o ôvo granj)
1 cepo de 1 abelha puro
ta a ôvo CXJl\ \lU pc>\X'O de açúcar ta junta
gema do ôvo que foi batida • 1d1ciala o v1nh:>, o 1 e
pol1CX) de pó de laõ Bate-6e te para turar bEm. En­
litro e se o deixa ta - por dois dias.
se prazo, --se d.iariamen \D cálice ( para pes,soa ....VIII"
jejlln.
Ml!lM): ua 1'/2 (mejo) CXl{X) cac:haça
e colher de caD-. Junta-se ainda 2 (
de (tapioca) nova. Adoc;a t\D) e 1IB)&-E1e
d1sso1vJ.à:). durante'" dias seguidos.
única.
1/2 (meio) <:qX) colher sal. o ClqlO
20
-'
r. U
)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful