Você está na página 1de 1

Machado de Assis, A Igreja do Diabo I De uma ideia mirfica H muitos modos de afirmar; h s um de negar tudo.

. II - Boa nova aos homens A venalidade, disse o Diabo, era o exerccio de um direito superior a todos os direitos. Se tu podes vender a tua casa, o teu boi, o teu sapato, o teu chapu, cousas que so tuas por uma razo jurdica e legal, mas que, em todo caso, esto fora de ti, como que no podes vender a tua opinio, o teu voto, a tua palavra, a tua f, cousas que so mais do que tuas, porque so a tua prpria conscincia, isto , tu mesmo? Neg-lo cair no absurdo e no contraditrio. Pois no h mulheres que vendem os cabelos? no pode um homem vender uma parte do seu sangue para transfundi-lo a outro homem anmico? e o sangue e os cabelos, partes fsicas, tero um privilgio que se nega ao carter, poro moral do homem? Demonstrando assim o princpio, o Diabo no se demorou em expor as vantagens de ordem temporal ou pecuniria; depois, mostrou ainda que, vista do preconceito social, conviria dissimular o exerccio de um direito to legtimo, o que era exercer ao mesmo tempo a venalidade e a hipocrisia, isto , merecer duplicadamente.