Você está na página 1de 3

Magia de pedras e crânio presidencial

Alceu A. Sperança

Magia de pedras e crânio presidencial Alceu A. Sperança Norberto Jansenson remonta o quadro e sobram
Magia de pedras e crânio presidencial Alceu A. Sperança Norberto Jansenson remonta o quadro e sobram

Norberto Jansenson remonta o quadro e sobram peças

Mágica do ilusionista argentino Norberto Jansenson com uma caixa de azulejos faz muito sucesso na Internet. As pessoas

compartilham o vídeo com os amigos que se julgam muito espertos

à espera de uma explicação e ficam espantados por não receber

respostas plausíveis sobre como a “magia” é feita. Se na prestidigitação as mãos ágeis enganam o olhar, a tecnologia é ainda mais rápida.

Somos engabelados a todo instante por manipuladores bem mais ligeiros que NJ, como os péssimos governantes que se mantêm campeões de popularidade fazendo tudo errado e piorando as coisas.

O genial Jansenson apenas mexe uns pedaços de azulejos quebrados

aqui e ali, diante dos olhos do seu público. Manipula as coisas para que pareçam magia, mas todos sabemos que sua profissão é o

ilusionismo. Os governantes, porém, apresentam-se como capazes de construir milagres e maravilhas com seus caldeirões orçamentários, varinhas administrativas e muito jogo de cena. Certa vez o jornalista e poeta Carlos de Laet organizou uma conferência para rebater as teses do sábio Lombroso referentes ao “criminoso nato”, que teria certas características na formação craniana. Laet desenhou no quadro-negro um crânio com as características descritas por Lombroso. Em seguida, apresentou um desenho com um crânio bem semelhante, informando que o segundo crânio, que reproduzia em regra as características do criminoso nato de Lombroso, era do presidente da República, Rodrigues Alves, que foi reeleito com 99% dos votos em 1918.

Rodrigues Alves Baronesa Thatcher Teria o presidente, depois de governar São Paulo por três mandatos,

Rodrigues Alves

Rodrigues Alves Baronesa Thatcher Teria o presidente, depois de governar São Paulo por três mandatos, uma

Baronesa Thatcher

Teria o presidente, depois de governar São Paulo por três mandatos, uma índole criminosa? Duas vezes ministro da Fazenda, em governos de presidentes diferentes, e eleito duas vezes para a Presidência, foi o presidente que mais dinheiro teve nas mãos, por governar na época do ciclo da borracha. Aliás, em seu governo ele deu uma guaribada geral na polícia e ela descia a borracha nos pobres a valer, sonho de dez entre dez fascistas, e o Brasil só piorou com toda essa repressão. As conclusões errôneas de Lombroso foram postas abaixo porque gente como Carlos de Laet e Miguel Bombarda, para ficar só em brasileiros, ousaram pôr aqueles conceitos à prova. Até o lombrosianismo ser superado, suas teses eram tidas como o máximo no combate ao crime. Os azulejos de Jansenson perdem toda a graça quando se sabe qual é a origem do truque utilizado pelo ilusionista – não vamos contá-lo aqui porque seria arrogantemente desnecessário. Ele faz arte, e arte merece respeito. Mas quando se descobre a manipulação dos governantes, responsável por sua imensa popularidade, é tarde:

muitos cidadãos já sofreram e amargaram prejuízos irreversíveis, como no confisco da poupança de Collor e na desgraça neoliberal pinochetesca da baronesa Thatcher, que liquidou a social- democracia.

Hamlet: “Ser ou não ser?” Canibalismo europeu Quando o truque dos azulejos é descoberto, ocorre

Hamlet: “Ser ou não ser?”

Hamlet: “Ser ou não ser?” Canibalismo europeu Quando o truque dos azulejos é descoberto, ocorre o

Canibalismo europeu

Quando o truque dos azulejos é descoberto, ocorre o que houve com o crânio de Lombroso, que perdeu sua sedução ao se descobrir os erros elementares da tese. Inúmeras crenças, religiões e verdades absolutas hoje defendidas com ardor e entusiasmo por estudiosos e sábios logo serão desmoralizadas pela evolução da ciência. Assim que tem sido e por isso avançamos. Muitos europeus eram canibais, hoje seus descendentes são veganos. Nada que usamos hoje e temos como o máximo da tecnologia será usado em muito breve: vai tudo para a lixeira, como a máquina de escrever, a fita cassete e o aparelho de fax. Só os governantes à moda antiga parecem ter crânios magicamente insuperáveis.

O autor é escritor