Você está na página 1de 1

Uma das disciplinas, por assim dizer, muito ligada genealogia a herldica, definida, de forma simples, como a arte

te de formar e descrever o braso de armas. O escudo de armas, tal como hoje o entendemos, nasceu no sculo XII. Anteriormente, ainda que admitindo a existncia de peas e figuras nos escudos dos guerreiros, no constitua um braso propriamente dito, mas sim um smbolo ou marcas de distino entes os combatentes. Entre os primeiros povos a utilizar smbolos distintivos esto os gregos, que colocavam nos seus escudos os smbolos que pretendiam representar uma ideia, geralmente de quem os guiava. No entanto, at ao princpio da Idade Mdia, os guerreiros marcavam os seus escudos com elementos individuais, at que , por volta do sculo XII passaram a ser elementos identificativos de uma linhagem. Tambm os romanos empregaram smbolos de identificao, mas, no sendo hereditrios perderam o valor que hoje dado aos elementos e representaes herldicas. No sculo VI antes de Cristo, a Europa conhece os primeiros emblemas adoptados de forma contnua, usados e empregados exclusivamente para identificar populaes. Nessa mesma poca os gregos iniciam a utilizao de determinados distintivos de carcter hereditrio, ainda sem regras definidas e, por essa razo, assim como pelas mudanas que se operaram de uma gerao para outra, no possvel admitir esses sinais como smbolos herldicos. Os romanos empregam alguns smbolos e sinais, sem carcter herldico, mas mais como smbolos de unidades militares ou da hierarquia castrense ou civil. Os invasores germnicos, primeiro, e os rabes depois, acabaram por destruir, nos territrios que ocuparam, esses sinais e smbolos originais, salvando-se apenas, em alguns casos, os das cidades.